Encontro do Colégio dos Corregedores-Gerais de Justiça dos Tribunais de Justiça dos Estados e do Distrito Federal.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Encontro do Colégio dos Corregedores-Gerais de Justiça dos Tribunais de Justiça dos Estados e do Distrito Federal."

Transcrição

1 Encontro do Colégio dos Corregedores-Gerais de Justiça dos Tribunais de Justiça dos Estados e do Distrito Federal.

2 SUMÁRIO 1. Identificação do Evento Mensagem dos Anfitriões Planejamento do 59º ENCOGE Programação Primeiro dia (19 de dezembro de 2012) 4.2. Segundo dia (20 de dezembro de 2012) 4.3. Terceiro dia (21 de dezembro de 2012) 5. Anexos Anexo I - Resultado do questionário de Tecnologia e Informação Anexo II - Proposta de Trabalho Anexo III - Grupos Temáticos e Perguntas Mobilizadoras Comissão Organizadora

3 1. IDENTIFICAÇÃO DO EVENTO EVENTO 59º ENCOGE - Encontro do Colégio dos Corregedores-Gerais dos Tribunais de Justiça dos Estados e do Distrito Federal. TEMA As Corregedorias e a Tecnologia. DATAS 19, 20 e 21 de abril de ANFITRIÕES Corregedor-Geral da Justiça do Estado do Paraná, Noeval de Quadros Corregedor da Justiça do Estado do Paraná, Lauro Augusto Fabrício de Melo LOCAL HOTEL MABU, Foz do Iguaçu Paraná Avenida das Cataratas, 3175, CEP Fone: (45) Fax: (45)

4 2. MENSAGEM DOS ANFITRIÕES O Paraná se prepara para receber os corregedores de todo o país, nesta 59ª edição do ENCOGE. Desejamos que todos se sintam muito bem acolhidos e que os resultados desse encontro possam propiciar melhorias nas condições de trabalho, em todos os tribunais. Sejam todos bem-vindos. Cordialmente, Des. NOEVAL DE QUADROS, Presidente do Colégio dos Corregedores-Gerais dos Tribunais de Justiça Corregedor-Geral da Justiça do Estado do Paraná Des. LAURO AUGUSTO FABRÍCIO DE MELO, Corregedor da Justiça do Estado do Paraná Anfitriões do 59º ENCOGE 4

5 3. PLANEJAMENTO DO 59º ENCOGE Com o progresso das descobertas científicas operadas a partir do século XIX na chamada Revolução Industrial, grandes feitos e prodígios se tornaram possíveis, sendo a mão de obra humana substituída, paulatinamente, pelas máquinas no campo da indústria; porém, no seio do Poder Judiciário, tais transformações ainda não se faziam sentir com a intensidade almejada. Mais recentemente, a partir da década de 70 do século XX, grandes inovações tecnológicas surgiram, tais como os computadores, os sistemas digitais e a internet. A partir do advento dessas novas tecnologias, verdadeira revolução operou-se no Poder Judiciário, permitindo a facilidade na troca de informações e oferecendo novos caminhos e soluções para os clássicos desafios da jurisdição. Considerando esses avanços atuais, optou-se pelo tema AS CORREGEDORIAS E A TECNOLOGIA, de suma importância na atualidade e por ter sido a tecnologia da informação objeto de, ao menos, três (3) recentes Resoluções do CNJ (Resolução n 70, de 18/03/2009; Resolução n 90, de 29/09/2009 e Resolução n 99, de 24/11/2009) e das metas 3 1 e 5 2 para o biênio 2012/2013. Para a abertura do Encontro está prevista palestra da Ministra Eliana Calmon, Corregedora Nacional de Justiça. No segundo dia do Encontro serão apresentados os resultados do QUESTIONÁRIO DE TECNOLOGIA E INFORMAÇÃO e serão formados os 4 Grupos Temáticos para discussão dos temas propostos, dos quais três (3) possuem ligação direta com o tema central: (GTI) TELETRABALHO E CAPACITAÇÃO POR ENSINO À DISTÂNCIA (EAD); (GTII) ESTATÍSTICA E CORREIÇÕES VIRTUAIS; (GTIII) ACESSIBILIDADE DE INFORMAÇÕES E A TECNOLOGIA e (GTIV) SAÚDE MENTAL DO MAGISTRADO. Ao final do encontro, serão elaboradas as conclusões que servirão para orientar ações das corregedorias. Maiores detalhes na PROGRAMAÇÃO. 1 Meta 3: Disponibilizar para consulta pública na internet, com andamento atualizado e conteúdo das decisões de todos os processos, respeitando o segredo de justiça. 2 Meta 5: Implantar sistema eletrônico para consulta à tabela de custas e emissão de guia de recolhimento. 5

6 4. PROGRAMAÇÃO Local: HOTEL MABU 19 DE ABRIL DE 2012 (quinta-feira) 18h-19h: Credenciamento 19h00-21h: Solenidade de Abertura Palestra da Ministra Eliana Calmon 21h: Jantar de Abertura Salão Di Cavalcanti Local: HOTEL MABU 20 DE ABRIL DE 2012 (sexta-feira) 8h45-9h: Abertura - Vídeo institucional - Página do ENCOGE 9h-10h: Diálogo da Ministra Eliana Calmon com Corregedores 10h-10h10: Intervalo 10h10-10h30: Apresentação da planilha do questionário sobre Tecnologia nas Corregedorias 10h30-11h: Discussões 11h-11h10: Apresentação do Tema TELETRABALHO E CAPACITAÇÃO POR ENSINO A DISTÂNCIA (EAD) 11h10h-11h20: Apresentação do Tema ACESSIBILIDADE DE INFORMAÇÕES E A TECNOLOGIA 11h20h-11h30: Apresentação do Tema SAÚDE MENTAL DO MAGISTRADO 6

7 11h30h-11h40: Apresentação do Tema ESTATÍSTICA E CORREIÇÕES VIRTUAIS 11h40-12h: Palestra sobre o SISTEMA PJ-e 12h00-12h30: Comunicados 12h30-14h: Almoço no Hotel Mabu Salão Di Cavalcanti 14h-14h20: Reinício com comunicados e manifestação do Min. João Otávio Noronha 14h20-15h35: Participações diversas 15h35-16h15: Divisão em grupos para discussão dos temas propostos 16h15-16h30: Intervalo 16h30-17h30: Reunião em grupo para apresentação de conclusões 17h30-18h: Balanço das ações desenvolvidas após o Pacto de Ações Integradas (58º ENCOGE) 18h-19h: Votação da revisão do Estatuto/Aprovação da Carta de Foz 19h: Encerramento do dia 20h: JANTAR Local: RAFAIN CHURRASCARIA com apresentação do Iporã Lenda Show, Av. das Cataratas, 1759 Foz do Iguaçu/PR (Obs: a organização do 59º ENCOGE providenciará o transporte para o jantar). Local: HOTEL MABU 21 DE ABRIL DE 2012 (sábado) 9h-12h: Reunião de Encerramento 12h: Almoço 7

8 PROGRAMAÇÃO SOCIAL PARA ACOMPANHANTES 19 DE ABRIL (quinta-feira) Local: HOTEL MABU 19h00: Solenidade de Abertura 21h00: Jantar Hotel Mabu - Salão Di Cavalcanti 20 DE ABRIL (sexta-feira) 9h30: Visita ao Parque das Aves 12h30-14h: Almoço no Hotel Mabu 14h: Visita ao Marco das Três Fronteiras ou livre 20h: JANTAR - RAFAIN CHURRASCARIA com apresentação do Iporã Lenda Show, Av. das Cataratas, 1759 (Obs: a organização do 59º ENCOGE providenciará o transporte para o jantar). 21 DE ABRIL (sábado) 9h: Visita à Itaipu Binacional 12h30: Almoço no Restaurante Porto Canoas 14h: Visita às Cataratas do Iguaçu 17h: Retorno para o hotel Noite Livre 8

9 ANEXO I RESULTADO DO QUESTIONÁRIO DE TECNOLOGIA E INFORMAÇÃO A. Da participação dos Estados. Para a 59º edição do ENCOGE foi elaborado um questionário detalhado objetivando conhecer as ferramentas tecnológicas e sistemas informatizados utilizados nas Corregedorias de todos os Estados da Federação, bem como viabilizar o compartilhamento de sistemas informatizados. Dos 27 Estados da Federação, 21 responderam ao questionário. A. Do questionário. 1. QUANTO A SETOR DE TECNOLOGIA E INFORMAÇÃO TIC: 1.1. A Corregedoria possui setor próprio de tecnologia e informação TIC (Resolução 90 do CNJ)? Dos 21 Estados que responderam ao 25% questionário: 75% Sim 15 (75%) responderam. 6 (25%) responderam Sim. Todos que responderam disseram complementarmente que o tribunal possui setor próprio de Tecnologia da Informação. 2. QUANTO AO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO (PETI): 2.1. O Tribunal possui Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação (Resolução 99 do CNJ)? 10% 90% Sim Dos 21 Estados que responderam ao questionário: 19 (90%) Tribunais responderam SIM. 2 (10%) Tribunais responderam NÃO. 3. QUANTO A SISTEMAS ELETRÔNICOS PARA MOVIMENTAÇÃO DE EXPEDIENTES E PROCESSOS NA ÁREA ADMINISTRATIVA: 3.1. A Corregedoria utiliza sistema eletrônico para a área administrativa? 10% 90% Sim Dos 21 Estados que responderam ao questionário: 19 (90%) Tribunais responderam SIM. 2 (10%) Tribunais responderam NÃO. 9

10 3.2. Indicar o banco de dados utilizado: MySQL 5% PostgreSQL 5% Outro 15% SQL SERVER 20% ORACLE 55% Dos 19 Estados que responderam Sim, apenas 18 responderam: 10 (55%) indicaram o ORACLE. 4 (20%) indicaram o SQL SERVER ; 1 (5%) indicou o PostgreSQL ; e 3 (15%) indicaram Outro Indicar as linguagens de programação utilizadas: LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO TRIBUNAIS QUE UTILIZAM Java 8 Delphi 8 PHP 2 DotNET 1 Outras O sistema eletrônico da Corregedoria foi desenvolvido pelo próprio Tribunal ou por empresa terceirizada? 67% 33% Dos 19 Estados que responderam Sim : 13 (67%) responderam Sistema próprio. 6 (33%) responderam Terceirizado. Por empresa terceirizada Pelo próprio Tribunal 3.5. Referido Sistema é total ou parcialmente virtual? 74% 26% Totalmetne virtual Parcialmente virtual Dos 19 Estados que responderam Sim : 14 (74%) responderam Parcialmente Virtual. 5 (26%) responderam Totalmente Virtual Referido Sistema é utilizado na área administrativa em 1º Grau? 74% 26% Sim Dos 19 Estados que responderam Sim, apenas 18 responderam a este item e : 5 (26%) responderam Sim. 13 (74%) responderam. 10

11 3.7. Os sistemas de informação da Corregedoria são: 56% 44% Dos 18 Estados que responderam este item: 8 (44%) responderam Independentes. 10 (56%) responderam Integrados. Independentes dos demais sistemas do Tribunal Integrados aos demais sistemas do Tribunal 3.8. Os sistemas de informação da Corregedoria são: 42% 16% 42% Compatíveis ao e-pa Incompatíveis ao e-pa sei informar Dos 19 Estados que responderam este item: 3 (16%) responderam Compatíveis. 8 (42%) responderam Incompatíveis. 8 (42%) não souberam informar Os sistemas de informação da Corregedoria oferecem relatórios suficientes ao acompanhamento do andamento processual dos expedientes administrativos? 44% Sim 56% Dos 18 Estados que responderam este item: 10 (56%) responderam Sim. 8 (44%) responderam Os sistemas de informação da Corregedoria, na área administrativa, permitem ao acesso aos movimentos e informações processuais às partes e advogados? 79% 21% Sim Dos 19 Estados que responderam este item: 4 (21%) responderam Sim. 15 (79%) responderam Os sistemas de informação da Corregedoria, na área administrativa, possuem ferramenta eletrônica que alerte quanto aos prazos prescricionais? 74% 26% Sim Dos 19 Estados que responderam este item: 5 (26%) responderam Sim. 14 (74%) responderam. 11

12 3.12. Os sistemas de informação da Corregedoria, na área administrativa, possuem ferramentas de pesquisa na base de dados para utilização direta pelo pessoal administrativo da Corregedoria? 44% Sim 56% Dos 18 Estados que responderam este item: 10 (56%) responderam Sim. 8 (44%) responderam Em relação às serventias extrajudiciais, os sistemas de informação permitem o acompanhamento: 47% 11% 42% permitem o acompanhamento Parcial dos atos e ações da serventia Total dos atos e ações da serventia Dos 19 Estados que responderam este item: 8 (42%) responderam permitem. 9 (47%) responderam Parcial. 2 (11%) responderam Total Indique quais as rotinas e atividades que podem ser gerenciadas pelo Sistema: Processos Disciplinares Pedido de Providências Consultas Reclamações contra Magistrados Reclamações contra Servidores Reclamações contra Agentes Delegados SIM NÃO Outros 21 Estados responderam a este item. 12

13 4. QUANTO À UTILIZAÇÃO DE METODOLOGIA DE GESTÃO DE PROJETOS CORPORATIVOS NO TRIBUNAL DE JUSTIÇA: 4.1. O Tribunal de Justiça tem metodologia definida? Dos 21 Estados que responderam este item: 14 (67%) responderam Sim mas empregam em pequena escala ou em projetos ou departamentos específicos. 4 (19%) responderam Sim empregam a metodologia de forma generalizada. 3 (14%) responderam. Caso a resposta ao quesito anterior seja SIM, responder: 4.2. O Tribunal de Justiça tem equipe própria de servidores para estabelecer, manter padrões e dar auxílio na gestão de projetos (Escritório de Projetos)? 33% 67% Sim Dos 18 Estados que responderam este item: 12 (67%) responderam Sim. 6 (33%) responderam A Gestão de Projetos do Tribunal de Justiça utiliza ferramentas e/ou sistemas de gerenciamento de projetos? 20% 80% Sim Dos 20 Estados que responderam este item: 16 (80%) responderam Sim. 4 (20%) responderam. Caso a resposta ao quesito anterior seja SIM, responder: Indique quais as ferramentas e/ou sistemas de gerenciamento de projetos utilizados: MS- PROJECT integrado MS- 5% PROJET isolado 18% Outro 35% Produto interno 24% Excel 18% Embora no quesito anterior 16 Estados tenham respondido SIM, 17 Estados responderam a este item e: 3 (18%) indicaram o Excel. 4 (24%) indicaram o Produto interno. 3 (18%) indicaram o MS-PROJECT isolado. 1 (5%) indicou MS-PROJECT integrado. 6 (35%) responderam Outro. 13

14 5. QUANTO À UTILIZAÇÃO DE SISTEMAS ELETRÔNICOS PARA O PLANTÃO JUDICIÁRIO, A CORREGEDORIA: Dos 19 Estados que responderam: 8 (42%) responderam Utiliza de forma não integrada. 1 (5%) responderam Utiliza de forma integrada. 10 (53%) responderam utilizam, realizando controle manual. 6. QUANTO À UTILIZAÇÃO DA MODALIDADE DE LEILÃO ELETRÔNICO JUDICIAL (Leilão Virtual), A CORREGEDORIA: 85% 5% 10% Utiliza Planeja iniciar a utilização em 2012 utiliza Dos 20 Estados que responderam: 1 (5%) responderam Utiliza. 2 (10%) responderam Planejam iniciar em (85%) responderam utiliza. 7. QUANTO AO SISTEMA DE PONTO ELETRÔNICO PARA UTILIZAÇÃO GERAL, O TRIBUNAL DE JUSTIÇA: 33% Utiliza 10% 57% Dos 21 Estados que responderam: 12 (57%) responderam Utiliza. 7 (33%) responderam utiliza. 2 (10%) responderam Em estudo. utiliza Está em estudos para regulamentação e avaliação para implementação Caso a resposta ao quesito anterior seja UTILIZA, responder: 7.1. Indique quais os meios empregados para o registro do ponto: 14% 7% Biometria Cartão smartcard 79% Outro Embora no quesito anterior 12 Estados tenham respondido UTILIZA, 14 Estados responderam a este item e informaram: 11 (79%) responderam Biometria. 2 (14%) responderam Cartão smartcard. 1 (%) responderam Outro. 14

15 7.2. O sistema está integrado ao sistema de Recursos Humanos do Tribunal? 26% 74% Sim Dos 15 Estados que responderam: 11 (74%) responderam Sim. 4 (26%) responderam. 8. QUANTO ÀS OUVIDORIAS (Resolução nº 103 do CNJ): 8.1. O Tribunal instituiu Ouvidoria? 96% Sim Dos 21 Estados que responderam: 20 (96%) responderam Sim. 1 (4%) responderam. 4% Caso a resposta ao quesito anterior for SIM, informar: A Ouvidoria está subordinada: 25% 20% 55% à Corregedoria- Geral da Justiça à Presidência Autônoma Dos 20 Estados que responderam: 4 (20%) responderam Corregedoria. 11 (55%) responderam Presidência. 5 (25%) responderam Autônoma A Ouvidoria é dirigida por: 10% 10% Desembargador 80% Juiz Auxiliar em 2º Grau Magistrado de 1º Grau Dos 20 Estados que responderam: 16 (80%) responderam Desembargador. 2 (10%) responderam Juiz Auxiliar em 2º Grau. 2 (10%) responderam Magistrado de 1º Grau A Ouvidoria utiliza sistema eletrônico? 45% Sim 55% Dos 20 Estados que responderam: 11 (55%) responderam Sim. 9 (45%) responderam. Caso a resposta ao quesito anterior seja SIM, responder: 15

16 Indicar o banco de dados utilizado: MySQL 21% Outro 11% Postgre SQL 21% ORACLE 11% SQL SERVER 36% Dos 9 Estados que responderam: 3 (36%) indicaram o SQL SERVER. 1 (11%) indicaram o ORACLE. 2 (21%) indicaram o PostgreSQL. 2 (21%) indicaram o MySQL. 1 (11%) indicou Outro. 9. Relação sucinta dos principais desafios atuais vivenciados pela Corregedoria (ex: processos de rotinas de trabalho, questão tecnológica, etc): Dos 21 Tribunais que responderam à pesquisa 16 responderam a este questionário. As respostas mais significativas e de maior frequência foram as seguintes: As Corregedorias verificaram a necessidade de: Reestruturação e mais espaço físico. Orçamento próprio. Planejamento estratégico. Ter quadro próprio de servidores e servidores melhor qualificados. Os principais desafios são: Reduzir a taxa de congestionamento no 1º grau com execução de mutirões periódicos processuais e ou de sentenças. Automatização dos relatórios gerenciais dos atos processuais no 1º grau. Melhorar a comunicação, interna e externa. Apontaram às seguintes carências: Falta de uma visão sistêmica entre as diversas áreas administrativas do Poder Judiciário Estadual. Ausência de sistema informatizado, processos de rotina de trabalho e manuais. Falta de Departamento de TI na Corregedoria. Dificuldade para utilização do banco de talentos existente no quadro de servidores da 1ª Instância, com a devida retribuição valorativo-financeira (funções/cargos comissionados disponibilizados para servidores efetivos Resolução 88CNJ). QUESTÕES TECNOLÓGICAS: Implantação de Ferramenta de BI (Business Intelligence) para modelagem de banco de dados com tendências judiciais e extração de relatórios gerenciais e estratégicos. Desenvolvimento de sistema que controle e virtualize documentos recebidos e expedidos pela Corregedoria; permita vinculação entre documentos e processos administrativos e controle o fluxo de processos administrativos conforme o sistema de controle processual do 1º Grau. Integre o Acompanhamento do Cadastro de Serventias Extrajudiciais com o Integra (ANOREG) e o Sistema de Correição das Serventias extrajudiciais. 16

17 ANEXO II PROPOSTA DE TRABALHO 1º. Formar Grupos Temáticos para discussão dos temas propostos. Serão formados 4 (quatro) Grupos Temáticos, cujas inscrições já foram previamente realizadas pelos participantes e abordando os seguintes temas: (GTI) TELETRABALHO E CAPACITAÇÃO POR ENSINO À DISTÂNCIA (EAD); (GTII) ESTATÍSTICA E CORREIÇÕES VIRTUAIS; (GTIII) ACESSIBILIDADE DE INFORMAÇÕES E A TECNOLOGIA; (GTIV) SAÚDE MENTAL DO MAGISTRADO. 2º. Tarefas dos Grupos Temáticos. A tarefa dos participantes de cada Grupo Temático será estabelecer metas e ações possíveis que permitam implantar as sugestões a que chegarem. Os Grupos Temáticos serão compostos por Corregedores, Juízes Auxiliares e Assessores dos diversos Estados, cabendo a cada Grupo eleger um Relator. Em cada mesa haverá um digitador disponibilizado pela Organização do 59º ENCOGE, a quem caberá reduzir a termo as propostas do Grupo e definidas pelo Relator. Cada Grupo Temático deverá responder as Perguntas Mobilizadoras previamente definidas para o seu Grupo (veja ANEXO III). As sugestões e discussões não se esgotam em torno das perguntas mobilizadoras, podendo o Grupo Temático propor outras medidas e ações, desde que possuam relação com o tema de seu grupo. Os Grupos terão 40 minutos para desenvolver todas as atividades. Findo o prazo, o digitador do Grupo encaminhará as sugestões à Organização do Evento. Caberá ao Relator apresentar em plenário as conclusões de cada Grupo Temático. 17

18 ANEXO III GRUPOS TEMÁTICOS E PERGUNTAS MOBILIZADORAS Grupo Temático I TELETRABALHO E CAPACITAÇÃO POR ENSINO A DISTÂNCIA (EAD) Tema: a utilização de ferramentas virtuais, o trabalho à distância e a capacitação de servidores e magistrados por meio de ferramentas de EAD. Responsabilidades: verificar as vantagens e desvantagens da adoção de metodologia de trabalho à distância, sob o ponto de vista da administração e dos magistrados e servidores e seu regramento jurídico; propor conteúdos e cursos de nivelamento de servidores e magistrados a serem adotadas por todas as Corregedorias Estaduais do país para concretização das metas estabelecidas pela Resolução n 126 (Plano Nacional de Capacitação Judicial) do CNJ. Perguntas Mobilizadoras: 1. O teletrabalho possui previsão jurídica no âmbito da legislação vigente e aplicável ao Poder Judiciário? 2. Quais as vantagens e desvantagens do teletrabalho para a Administração? 3. Quais as vantagens e desvantagens do teletrabalho para os Magistrados e Servidores? 4. Como identificar o perfil do candidato a teletrabalhador e quais as atividades que podem ser desempenhadas por este meio? 5. Como controlar a produtividade e a qualidade do desempenho do teletrabalhador? 6. Qual o suporte técnico necessário para implementar a metodologia de teletrabalho? 7. Quais as ações a serem adotadas pelas Corregedorias para promover cursos de nivelamento de servidores por meio de ferramentas de EAD? Material de Apoio: Resolução nº 111, de 06 de abril de 2010 Institui o Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Servidores do Poder Judiciário - CEAJud e dá outras providências. Resolução nº 126, de 22 de fevereiro de Dispõe sobre o Plano Nacional de Capacitação Judicial de magistrados e servidores do Poder Judiciário. Grupo Temático II ESTATÍSTICA E CORREIÇÕES VIRTUAIS Tema: a utilização de sistemas informatizados para a realização de correições virtuais pelas Corregedorias e a coleta de dados estatísticos, sua análise e utilidade no planejamento de ações e metas das Corregedorias. 18

19 Responsabilidades: planejar ações e procedimentos comuns que permitam a todas as Corregedorias Estaduais realizar as atividades de fiscalizar e orientar (atividade correicional) por meio de sistemas virtuais; planejar ações a serem adotadas por todas as Corregedorias Estaduais do país a partir da análise estatística de dados coletados em 1º e 2º graus. Perguntas Mobilizadoras: 1. Que sistemas virtuais podem ser utilizados no foro judicial para permitir correições virtuais? 1.1. Que procedimentos devem ser adotados para a correição virtual? 1.2. Quais os pontos de controle a serem verificados? 2. Que sistemas virtuais podem ser utilizados no foro extrajudicial para permitir correições virtuais? 2.1. Que procedimentos devem ser adotados para a correição virtual? 2.2. Quais os pontos de controle a serem verificados? 3. As correições virtuais eliminam as correições físicas ou não? 4. Como obter dados estatísticos? 5. Quais os métodos de coleta de dados estatísticos utilizados pelas Corregedorias? 6. Os Sistemas virtuais permitem a obtenção de dados estatísticos fidedignos de produtividade de magistrados e tempo de duração dos processos, dentre outros dados? 7. Como planejar o incremento e a expansão da estrutura de servidores, magistrados, varas, comarcas e serventias do foro extrajudicial a partir da análise de dados estatísticos diversos (Geoprocessamento)? 8. Como planejar a atividade correicional a partir dos indicadores e dados estatísticos? Grupo Temático III ACESSIBILIDADE DE INFORMAÇÕES E A TECNOLOGIA Tema: a transparência do Poder Judiciário, a acessibilidade de informações e uso de tecnologias na divulgação de dados, em cumprimento ao contido na Resolução n 121 do CNJ. Responsabilidades: promover ações e medidas que permitam a divulgação dos atos processuais a fim de conferir transparência e garantir o direito de acesso à informação, conforme dispõe o art. 5º, XXXIII e XXXIV, b da CF. Perguntas Mobilizadoras: 1. Como dar tratamento uniforme na divulgação dos atos processuais judiciais no âmbito de toda a magistratura nacional, de molde a viabilizar o exercício da transparência sem descurar da preservação do direito à intimidade, à vida privada, à honra e à imagem das pessoas? 19

20 Material de Apoio: Resolução nº 121, de 5 de outubro de Dispõe sobre a divulgação de dados processuais eletrônicos na rede mundial de computadores, expedição de certidões judiciais e dá outras providências. Meta 3: Disponibilizar para consulta pública na internet, com andamento atualizado e conteúdo das decisões de todos os processos, respeitando o segredo de justiça. Meta 5: Implantar sistema eletrônico para consulta à tabela de custas e emissão de guia de recolhimento. Grupo Temático IV SAÚDE MENTAL DO MAGISTRADO Tema: a saúde mental do magistrado e o excesso de informações e tarefas do mundo virtual. Responsabilidades: planejar ações e políticas preventivas de saúde a serem adotadas por todas as Corregedorias Estaduais do país. Perguntas Mobilizadoras: 1. Quais as políticas e ações a serem adotadas pelas Corregedorias para preservar a saúde dos magistrados? 2. Como detectar precocemente, acolher e monitorar o tratamento de magistrados com sofrimento psíquico? 3. Como identificar, nos locais de trabalho, os fatores envolvidos no adoecimento mental, mapear os locais e os tipos de atividades e propor medidas de intervenção no ambiente e na Organização, no intuito de tratar magistrados com distúrbio de comportamento originado do desgaste emocional da profissão? 4. Que suportes podem ser ofertados ao magistrado para prevenir quadros de distúrbios psíquicos? 20

21 COMISSÃO ORGANIZADORA COORDENAÇÃO Desembargador Noeval de Quadros Desembargadora Denise Krüger Pereira Dr. Antonio Franco Ferreira da Costa Neto, Juiz Auxiliar da Corregedoria-Geral, TJPR EQUIPE Alex Walendowsky Horta Aluizio Carlos Wanderley Grochocki Claudete Roche Kruger Rachadel Igor de Oliveira Rech Lenir Stival Possenti Luis Henrique Accierini Maria Helena Marcon Maurício Cardoso Segundo Orlando Frizanco Juízes Auxiliares da Corregedoria-Geral da Justiça do Paraná: Dr. Carlos Mauricio Ferreira Dr. Douglas Marcel Peres Dr. Roberto Luiz Santos Negrão Drª. Vania Maria da Silva Kramer Dr. Vitor Roberto Silva APOIO 21

RESOLUÇÃO CNJ nº 90/09

RESOLUÇÃO CNJ nº 90/09 RESOLUÇÃO CNJ nº 90/09 29 de setembro de 2009 PLANO DE TRABALHO - PDTI O presente Plano de Trabalho objetiva o nivelamento do Tribunal de Justiça do Estado de Roraima aos requisitos de tecnologia da informação

Leia mais

1ª. Reunião de Análise Estratégica - 2012. Núcleo de Gestão Estratégica. Manaus, 05 de março de 2012

1ª. Reunião de Análise Estratégica - 2012. Núcleo de Gestão Estratégica. Manaus, 05 de março de 2012 1ª. Reunião de Análise Estratégica - 2012 Núcleo de Gestão Estratégica Manaus, 05 de março de 2012 Objetivos Divulgar os resultados da Metas Nacionais de 2011 e apresentar os desafios para 2012. Calendário

Leia mais

*486EBBAA* PROJETO DE LEI N.º, de 2014. (DO TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO)

*486EBBAA* PROJETO DE LEI N.º, de 2014. (DO TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO) ** PROJETO DE LEI N.º, de 2014. (DO TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO) Dispõe sobre a criação de cargos de provimento efetivo e de cargos em comissão no Quadro de Pessoal da Secretaria do Tribunal Regional

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA MILITAR

TRIBUNAL DE JUSTIÇA MILITAR TRIBUNAL DE JUSTIÇA MILITAR Este questionário objetiva diagnosticar a realidade dos tribunais em relação às aprovadas no II Encontro Nacional do Judiciário, bem como subsidiar medidas concretas a serem

Leia mais

ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário

ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário RESOLUÇÃO Nº 99, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009 Dispõe sobre o Planejamento Estratégico de TIC no âmbito do Poder Judiciário e dá outras providências. ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário Planejamento

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL

TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL Este questionário objetiva diagnosticar a realidade dos tribunais em relação às aprovadas no II Encontro Nacional do Judiciário, bem como subsidiar medidas concretas a serem adotadas

Leia mais

Plano Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação. Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região

Plano Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação. Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região Plano Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região Dezembro/2010 2 TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Missão: Prover soluções efetivas de tecnologia

Leia mais

Gustavo Sanches. Business Inteligence para publicação dos dados do Judiciário

Gustavo Sanches. Business Inteligence para publicação dos dados do Judiciário Gustavo Sanches Projeto de BI do Relatório Justiça em Números O Conselho Nacional de Justiça O Relatório Justiça em Números Criação / Regulamentação Tribunais envolvidos A evolução do relatório / publicações

Leia mais

CORREGEDORIA-GERAL PROVIMENTO N 46, DE 27 DE FEVEREIRO DE 2008

CORREGEDORIA-GERAL PROVIMENTO N 46, DE 27 DE FEVEREIRO DE 2008 CORREGEDORIA-GERAL PROVIMENTO N 46, DE 27 DE FEVEREIRO DE 2008 Dispõe sobre a designação de Juízes Federais para acompanhar as correições realizadas pela Corregedoria- Geral. O Corregedor-Geral da Justiça

Leia mais

Planejamento Estratégico de TIC

Planejamento Estratégico de TIC Planejamento Estratégico de TIC Tribunal de Justiça do Estado de Sergipe 2010 a 2014 Versão 1.1 Sumário 2 Mapa Estratégico O mapa estratégico tem como premissa de mostrar a representação visual o Plano

Leia mais

Resoluções nº 90 e nº 99 de 2009 CNJ

Resoluções nº 90 e nº 99 de 2009 CNJ Resoluções nº 90 e nº 99 de 2009 CNJ Março COMITÊ GESTOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO - CGTIC 2 ÍNDICE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO... 3 Apresentação...

Leia mais

TCU - Ciclo de Palestras 2011. Papel da Alta Administração na Governança de TI

TCU - Ciclo de Palestras 2011. Papel da Alta Administração na Governança de TI TCU - Ciclo de Palestras 2011 Papel da Alta Administração na Governança de TI Missão do CNJ O Conselho Nacional de Justiça tem o propósito de realizar a gestão estratégica e o controle administrativo do

Leia mais

*F69F3DF9* PROJETO DE LEI N.º, de de 2012. (DO TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO)

*F69F3DF9* PROJETO DE LEI N.º, de de 2012. (DO TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO) ** PROJETO DE LEI N.º, de de 2012. (DO TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO) Dispõe sobre a criação de cargos de provimento efetivo no Quadro de Pessoal da Secretaria do Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região.

Leia mais

Planejamento Estratégico de TIC. da Justiça Militar do Estado. do Rio Grande do Sul

Planejamento Estratégico de TIC. da Justiça Militar do Estado. do Rio Grande do Sul Planejamento Estratégico de TIC da Justiça Militar do Estado do Rio Grande do Sul MAPA ESTRATÉGICO DE TIC DA JUSTIÇA MILITAR DO ESTADO (RS) MISSÃO: Gerar, manter e atualizar soluções tecnológicas eficazes,

Leia mais

Poder Judiciário do Estado do Rio de Janeiro Diretoria Geral de Planejamento, Coordenação e Finanças (DGPCF) 0301- Tribunal de Justiça.

Poder Judiciário do Estado do Rio de Janeiro Diretoria Geral de Planejamento, Coordenação e Finanças (DGPCF) 0301- Tribunal de Justiça. ESTRUTURA PROGRAMÁTICA - PROPOSTA 2016 UNIDADE - UO 0301 PROGRAMA PROGRAMA Garantir o pagamento pelo efetivo serviço exercido por magistrados e servidores, bem como as obrigações de responsabilidade do

Leia mais

Relatório Metas Nacionais do Judiciário Diagnóstico Situacional TJAL

Relatório Metas Nacionais do Judiciário Diagnóstico Situacional TJAL Relatório Metas Nacionais do Judiciário Diagnóstico Situacional TJAL Assessoria de Planejamento de Modernização do Poder - APMP Divisão de Estatística do Tribunal de Justiça - DETJ Assessoria de Planejamento

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 4ª REGIÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 4ª REGIÃO PORTARIA Nº 59, DE 14 DE MARÇO DE 2008. Dispõe sobre alterações no Manual de Atribuições da Seção Judiciária do Paraná e estabelece outras providências. O VICE-PRESIDENTE, NO EXERCÍCIO DA PRESIDÊNCIA DO

Leia mais

R E S O L U Ç Ã O Nº 035/2015

R E S O L U Ç Ã O Nº 035/2015 R E S O L U Ç Ã O Nº 035/2015 Aprova o Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação do Poder Judiciário do Estado de Sergipe para o período de 2015 a 2020. O TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO

Leia mais

MATRIZ DE COMPETÊNCIAS DO CHEFE DA SEÇÃO DE SUPORTE E SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

MATRIZ DE COMPETÊNCIAS DO CHEFE DA SEÇÃO DE SUPORTE E SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO MATRIZ DE COMPETÊNCIAS DO CHEFE DA SEÇÃO DE SUPORTE E SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO CHEFE DA SEÇÃO DE SUPORTE E SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO (FC-5) Área: Administrativa Unidade: Secretaria de Tecnologia da Informação

Leia mais

12.1 AÇÕES E INDICAÇÕES DE PROJETOS

12.1 AÇÕES E INDICAÇÕES DE PROJETOS 43 Considerando os Objetivos Estratégicos, Indicadores e Metas, foram elaboradas para cada Objetivo, as Ações e indicados Projetos com uma concepção corporativa. O Plano Operacional possui um caráter sistêmico,

Leia mais

MATRIZ DE COMPETÊNCIAS DO CHEFE DA SEÇÃO DE INFRAESTRUTURA COMPUTACIONAL

MATRIZ DE COMPETÊNCIAS DO CHEFE DA SEÇÃO DE INFRAESTRUTURA COMPUTACIONAL MATRIZ DE COMPETÊNCIAS DO CHEFE DA SEÇÃO DE INFRAESTRUTURA COMPUTACIONAL CHEFE DA SEÇÃO DE INFRAESTRUTURA COMPUTACIONAL (FC-5) Área: Administrativa Unidade: Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicação

Leia mais

Manifestação do Ministro Gilmar Mendes, no encerramento do II Encontro Nacional do Judiciário Belo Horizonte, 16/02/2009

Manifestação do Ministro Gilmar Mendes, no encerramento do II Encontro Nacional do Judiciário Belo Horizonte, 16/02/2009 Manifestação do Ministro Gilmar Mendes, no encerramento do II Encontro Nacional do Judiciário Belo Horizonte, 16/02/2009 Senhores, No encerramento destes trabalhos, gostaria de agradecer a contribuição

Leia mais

PLENÁRIA FINAL JUSTIÇA FEDERAL

PLENÁRIA FINAL JUSTIÇA FEDERAL 1ª Reunião da Rede de Priorização do Primeiro Grau de Jurisdição PLENÁRIA FINAL JUSTIÇA FEDERAL 05 a 07 de maio de 2015 ESMAF Brasília/DF Integrantes da Rede de Priorização do Primeiro Grau no segmento

Leia mais

MATRIZ DE COMPETÊNCIAS DO CHEFE DO NÚCLEO DE INFRAESTRUTURA E COMUNICAÇÕES

MATRIZ DE COMPETÊNCIAS DO CHEFE DO NÚCLEO DE INFRAESTRUTURA E COMUNICAÇÕES MATRIZ DE COMPETÊNCIAS DO CHEFE DO NÚCLEO DE INFRAESTRUTURA E COMUNICAÇÕES CHEFE DO NÚCLEO DE INFRAESTRUTURA E COMUNICAÇÕES (FC-6) Área: Administrativa Unidade: Secretaria de Tecnologia da Informação e

Leia mais

Fevereiro 2015 DIRETORIA DE RECURSOS HUMANOS DRH ESCOLA JUDICIÁRIA MILITAR EJM

Fevereiro 2015 DIRETORIA DE RECURSOS HUMANOS DRH ESCOLA JUDICIÁRIA MILITAR EJM Fevereiro DIRETORIA DE RECURSOS HUMANOS DRH ESCOLA JUDICIÁRIA MILITAR EJM 2 ÍNDICE PLANO ESTRATÉGICO DE FORMAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO... 3 Apresentação... 3 Missão... 4 Visão de Futuro... 4 Valores... 4 PERSPECTIVAS...

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO Tribunal Regional Federal da 5ª Região PRESIDÊNCIA DO TRF 5ª REGIÃO

PODER JUDICIÁRIO Tribunal Regional Federal da 5ª Região PRESIDÊNCIA DO TRF 5ª REGIÃO Nº do documento: 00504/2014 Tipo do documento: ATO Descrição: REVISÃO E ATUALIZAÇÃO DAS ATRIB. DAS UNID. DA CORREGEDORIA-REGIONAL, CONST. DO MANUAL DE ATRIB. TRF Autor: 35259 - MARIA APARECIDA FERREIRA

Leia mais

Resolução nº 126 do Conselho Nacional de Justiça, de 22 de fevereiro de 2011

Resolução nº 126 do Conselho Nacional de Justiça, de 22 de fevereiro de 2011 Resolução nº 126 do Conselho Nacional de Justiça, de 22 de fevereiro de 2011 Dispõe sobre o Plano Nacional de Capacitação Judicial de magistrados e servidores do Poder Judiciário (Publicada no DJ-e nº

Leia mais

ANEXO I PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2014-2020

ANEXO I PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2014-2020 ANEXO I PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2014-2020 1 Missão 2 Exercer o controle externo da administração pública municipal, contribuindo para o seu aperfeiçoamento, em benefício da sociedade. Visão Ser reconhecida

Leia mais

Débitos Trabalhistas: Pagamento de débitos trabalhistas com cartão de crédito

Débitos Trabalhistas: Pagamento de débitos trabalhistas com cartão de crédito Débitos Trabalhistas: Pagamento de débitos trabalhistas com cartão de crédito Belém Pará 2013 Débitos Trabalhistas: Pagamento de débitos trabalhistas com cartão de crédito ÓRGÃO RESPONSÁVEL PELO PROJETO

Leia mais

INTERNET ATUALIZAR DADOS REFERENTES A CUSTAS JUDICIAIS, TAXAS JUDICIÁRIAS E EMOLUMENTOS EXTRAJUDICIAIS NA INTRANET/INTERNET 1 OBJETIVO

INTERNET ATUALIZAR DADOS REFERENTES A CUSTAS JUDICIAIS, TAXAS JUDICIÁRIAS E EMOLUMENTOS EXTRAJUDICIAIS NA INTRANET/INTERNET 1 OBJETIVO ATUALIZAR DADOS REFERENTES A CUSTAS JUDICIAIS, TAXAS Proposto por: Serviço de Atendimento de Custas (SEATE) Analisado por: Divisão de Custas e Informações (DICIN) Aprovado por: p Diretor-Geral da Diretoria

Leia mais

PLENÁRIA FINAL JUSTIÇA ELEITORAL

PLENÁRIA FINAL JUSTIÇA ELEITORAL 1ª Reunião da Rede de Priorização do Primeiro Grau de Jurisdição PLENÁRIA FINAL JUSTIÇA ELEITORAL 05 a 07 de maio de 2015 ESMAF Brasília/DF Integrantes da Rede de Priorização do Primeiro Grau no segmento

Leia mais

PLENÁRIA FINAL JUSTIÇA FEDERAL

PLENÁRIA FINAL JUSTIÇA FEDERAL 1ª Reunião Preparatória do IX Encontro Nacional do Poder Judiciário PLENÁRIA FINAL JUSTIÇA FEDERAL 05 a 07 de maio de 2015 ESMAF Brasília/DF Coordenadores e Representantes da Justiça Federal na Rede de

Leia mais

ITINERÁRIO FORMATIVO DE DIRETORES DE SECRETARIA DE VT s. Coordenador: Desembargador Fernando Luiz Gonçalves Rios Neto

ITINERÁRIO FORMATIVO DE DIRETORES DE SECRETARIA DE VT s. Coordenador: Desembargador Fernando Luiz Gonçalves Rios Neto ITINERÁRIO FORMATIVO DE DIRETORES DE SECRETARIA DE VT s Coordenador: Desembargador Fernando Luiz Gonçalves Rios Neto 1. PROCESSO DE TRABALHO 1.1. Esfera Administrativa Planejamento Análise da realidade

Leia mais

ESCOLA JUDICIAL DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 16ª REGIÃO PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO QUALIFICAR

ESCOLA JUDICIAL DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 16ª REGIÃO PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO QUALIFICAR PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO QUALIFICAR CALENDÁRIO DE CURSOS EXERCÍCIO 2011 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2011-2015 PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO QUALIFICAR Escopo Capacitar magistrados e servidores em gestão

Leia mais

1. Escopo ou finalidade da iniciativa

1. Escopo ou finalidade da iniciativa 1. Escopo ou finalidade da iniciativa Esta iniciativa tem como finalidade reorganizar a área de Tecnologia da Informação TI do TJMG, sob o ponto de vista de gestão e infraestrutura, baseados em sua estrutura

Leia mais

RELATÓRIO DE DESEMPENHO DAS METAS NACIONAIS

RELATÓRIO DE DESEMPENHO DAS METAS NACIONAIS TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 14ª REGIÃO 2013 RELATÓRIO DE DESEMPENHO DAS METAS NACIONAIS Dezembro - 2013 2 RELATÓRIO DE DESEMPENHO DAS METAS NACIONAIS 2013 METAS DE NIVELAMENTO PARA AS CORREGEDORIAS

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 002, DE 05 DE FEVEREIRO DE 2013. O PLENO DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE ALAGOAS, no uso de suas atribuições legais,

RESOLUÇÃO Nº 002, DE 05 DE FEVEREIRO DE 2013. O PLENO DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE ALAGOAS, no uso de suas atribuições legais, RESOLUÇÃO Nº 002, DE 05 DE FEVEREIRO DE 2013 DISPÕE SOBRE A ESTRUTURA E ATIVIDADES DA ASSESSORIA DE PLANEJAMENTO E MODERNIZAÇÃO DO PODER JUDICIÁRIO APMP, CRIA A DIVISÃO DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS DIGEP,

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº, DE DE 2010.

RESOLUÇÃO Nº, DE DE 2010. RESOLUÇÃO Nº, DE DE 2010. Dispõe sobre a divulgação de dados processuais eletrônicos na rede mundial de computadores, expedição de certidões judiciais e dá outras providências. O PRESIDENTE DO CONSELHO

Leia mais

ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Art. 1º - A Diretoria de Tecnologia de Informação e Comunicação DTIC da Universidade FEDERAL DO ESTADO DO RIO

Leia mais

Seminário. Orientações e Informações Gerais ENFAM ESCOLA NACIONAL DE FORMAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO DE MAGISTRADOS. Ministro Sálvio de Figueiredo Teixeira

Seminário. Orientações e Informações Gerais ENFAM ESCOLA NACIONAL DE FORMAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO DE MAGISTRADOS. Ministro Sálvio de Figueiredo Teixeira Seminário Orientações e Informações Gerais ENFAM ESCOLA NACIONAL DE FORMAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO DE MAGISTRADOS Ministro Sálvio de Figueiredo Teixeira 26 a 28 de agosto de 2015 1 - Apresentação Em 16 de

Leia mais

Justiça sem papel. Como alcançar eficiência no mundo digital. Alexandre Atheniense

Justiça sem papel. Como alcançar eficiência no mundo digital. Alexandre Atheniense Justiça sem papel Como alcançar eficiência no mundo digital Alexandre Atheniense Mantenha-se atualizado 2 www.alexandreatheniense.com Blog : www.dnt.adv.br @atheniense www.facebook.com/ atheniense www.linkedin.com/atheniense

Leia mais

Garantir a economicidade dos recursos e a melhor alocação dos recursos necessários à prestação jurisdicional.

Garantir a economicidade dos recursos e a melhor alocação dos recursos necessários à prestação jurisdicional. Tema 1: Eficiência Operacional Buscar a excelência na gestão de custos operacionais. Garantir a economicidade dos recursos e a melhor alocação dos recursos necessários à prestação jurisdicional. Agilizar

Leia mais

PROJETO DE INTEGRAÇÃO DE SISTEMA DE RECURSOS HUMANOS COM AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM PARA GESTÃO ACADÊMICA UTILIZANDO RECURSOS DE SOFTWARE LIVRE

PROJETO DE INTEGRAÇÃO DE SISTEMA DE RECURSOS HUMANOS COM AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM PARA GESTÃO ACADÊMICA UTILIZANDO RECURSOS DE SOFTWARE LIVRE PROJETO DE INTEGRAÇÃO DE SISTEMA DE RECURSOS HUMANOS COM AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM PARA GESTÃO ACADÊMICA UTILIZANDO RECURSOS DE SOFTWARE LIVRE 1 Aracaju SE - Setembro 2014 Edison Francisco de Carvalho

Leia mais

Processo Judicial Eletrônico: Juizados Especiais Cíveis

Processo Judicial Eletrônico: Juizados Especiais Cíveis Processo Judicial Eletrônico: Juizados Especiais Cíveis BPM Day Serra Gaúcha 2013 Carolina Möbus Volnei Rogério Hugen O Poder Judiciário De acordo com o fundamento do Estado, o Poder Judiciário tem a Missão

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA RECOMENDAÇÃO Nº 37, DE 15 DE AGOSTO DE 2011

CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA RECOMENDAÇÃO Nº 37, DE 15 DE AGOSTO DE 2011 CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA RECOMENDAÇÃO Nº 37, DE 15 DE AGOSTO DE 2011 Recomenda aos Tribunais a observância das normas de funcionamento do Programa Nacional de Gestão Documental e Memória do Poder Judiciário

Leia mais

A EXPERIÊNCIA DO TRT DA 10ª REGIÃO NA IMPLANTAÇÃO DA GESTÃO ESTRATÉGICA

A EXPERIÊNCIA DO TRT DA 10ª REGIÃO NA IMPLANTAÇÃO DA GESTÃO ESTRATÉGICA A EXPERIÊNCIA DO TRT DA 10ª REGIÃO NA IMPLANTAÇÃO DA GESTÃO ESTRATÉGICA Fabiana Alves de Souza dos Santos Diretora de Gestão Estratégica do TRT 10 1/29 O TRT da 10ª Região Criado em 1982 32 Varas do Trabalho

Leia mais

MANUAL DE GESTÃO DE PROJETOS: Guia de referência do sistema de gestão de projetos do Tribunal Regional do Trabalho da 8ª Região

MANUAL DE GESTÃO DE PROJETOS: Guia de referência do sistema de gestão de projetos do Tribunal Regional do Trabalho da 8ª Região MANUAL DE GESTÃO DE PROJETOS: Guia de referência do sistema de gestão de projetos do Tribunal Regional do Trabalho da 8ª Região Belém PA 2013 MANUAL DE GESTÃO DE PROJETOS: Guia de referência do sistema

Leia mais

Prof. Aírton José Ruschel Mestre em Antropologia Jurídica Doutorando em Engenharia do Conhecimento EGC UFSC

Prof. Aírton José Ruschel Mestre em Antropologia Jurídica Doutorando em Engenharia do Conhecimento EGC UFSC Prof. Aírton José Ruschel Mestre em Antropologia Jurídica Doutorando em Engenharia do Conhecimento EGC UFSC airtonruschel@gmail.com Brasília, 19 e 20 de Setembro de 2011. Teoria Geral do Processo Eletrônico:

Leia mais

PROVIMENTO Nº 01/2012

PROVIMENTO Nº 01/2012 PROVIMENTO Nº 01/2012 EMENTA: Dispõe sobre os requisitos mínimos de segurança que deverão existir nos alvarás judiciais e dá outras providências. O CORREGEDOR-GERAL DA JUSTIÇA, Desembargador Jones Figueirêdo

Leia mais

Painel de Contribuição ASGE (Outubro/2015)

Painel de Contribuição ASGE (Outubro/2015) ASGE (Outubro/2015) Objetivo Estratégico / Iniciativa Estratégica/ Meta Estratégica 1. Alcançar 82% dos Projetos dentro do Prazo/ Aperfeiçoar a gestão de projetos 2. Implementar a Gestão de Riscos a) Criar

Leia mais

Ajuda da pesquisa acerca da Governança de TI da Administração Pública Federal

Ajuda da pesquisa acerca da Governança de TI da Administração Pública Federal Ajuda da pesquisa acerca da Governança de TI da Administração Pública Federal 1. Há planejamento institucional em vigor? Deverá ser respondido SIM caso o Órgão/Entidade possua um planejamento estratégico

Leia mais

1. Escopo ou finalidade da iniciativa

1. Escopo ou finalidade da iniciativa 1. Escopo ou finalidade da iniciativa O de Educação Continuada para Magistrados (PEC - Magistrados) prevê um conjunto de ações educacionais articuladas que acompanhe os magistrados do TJMG ao longo da

Leia mais

CNJ REDUZ PRESSÃO SOBRE TRIBUNAIS E JUÍZES EM 2.011

CNJ REDUZ PRESSÃO SOBRE TRIBUNAIS E JUÍZES EM 2.011 CNJ REDUZ PRESSÃO SOBRE TRIBUNAIS E JUÍZES EM 2.011 Mariana Ghirello Todo ano, o Conselho Nacional de Justiça se reúne com os presidentes dos Tribunais de Justiça para identificar as necessidades do Poder

Leia mais

Número do Recibo:83500037

Número do Recibo:83500037 1 de 5 06/06/2012 18:42 Número do Recibo:83500037 Data de Preenchimento do Questionário: 05/06/2012. Comitête Gestor de Informática do Judiciário - Recibo de Preenchimento do Questionário: APLICATIVOS

Leia mais

O PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO MARANHÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais,

O PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO MARANHÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais, RESOLUÇÃO N.º 01/2010-TJ PODER JUDICIÁRIO Dispõe sobre o controle de frequência dos servidores do Poder Judiciário do Estado do Maranhão. O PRESIDENTE DO, no uso de suas atribuições legais e regimentais,

Leia mais

Número do Recibo:83977951

Número do Recibo:83977951 1 de 5 30/04/2014 17:33 Número do Recibo:83977951 Data de Preenchimento do Questionário: 30/04/2014. Comitête Gestor de Informática do Judiciário - Recibo de Preenchimento do Questionário: APLICATIVOS

Leia mais

Universidade Federal de Uberlândia OUVIDORIA

Universidade Federal de Uberlândia OUVIDORIA Universidade Federal de Uberlândia OUVIDORIA 2008 Universidade Federal de Uberlândia Ouvidoria Avenida João Naves de Ávila, nº. 2121 Sala 14, Bloco 1A - Bairro Santa Mônica Uberlândia-MG CEP: 38400-902

Leia mais

A Estratégia do Conselho da Justiça Federal 2015/2020 CJF-POR-2015/00359, de 26 de agosto de 2015

A Estratégia do Conselho da Justiça Federal 2015/2020 CJF-POR-2015/00359, de 26 de agosto de 2015 A Estratégia do Conselho da Justiça Federal CJF-POR-2015/00359, de 26 de agosto de 2015 SUEST/SEG 2015 A estratégia do CJF 3 APRESENTAÇÃO O Plano Estratégico do Conselho da Justiça Federal - CJF resume

Leia mais

MATRIZ DE COMPETÊNCIAS DO CHEFE DA SEÇÃO DE SISTEMAS ADMINISTRATIVOS

MATRIZ DE COMPETÊNCIAS DO CHEFE DA SEÇÃO DE SISTEMAS ADMINISTRATIVOS MATRIZ DE COMPETÊNCIAS DO CHEFE DA SEÇÃO DE SISTEMAS ADMINISTRATIVOS CHEFE DA SEÇÃO DE SISTEMAS ADMINISTRATIVOS (FC-5) Área: Administrativa Unidade: Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicação

Leia mais

Plano de Gestão 2016-2017

Plano de Gestão 2016-2017 Plano de Gestão 2016-2017 COMPOSIÇÃO DA CÚPULA ADMINSTRATIVA DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE RONDÔNIA 2016/2017 Presidente Desembargador Sansão Batista Saldanha Vice-Presidente Desembargador Isaías

Leia mais

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2014-2016

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2014-2016 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUDESTE DE MINAS GERAIS Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2014-2016 Versão 1.0 1 APRESENTAÇÃO O Planejamento

Leia mais

Panorama da educação a distância na formação dos magistrados brasileiros

Panorama da educação a distância na formação dos magistrados brasileiros Panorama da educação a distância na formação dos magistrados brasileiros Práticas e desafios 7 e 8 de maio de 2015 Encontro de integração das Escolas da Magistratura Práticas e Desafios da Educação a Distância

Leia mais

Conselho Nacional de Justiça II Encontro Nacional do PJe (Brasília, 5 de agosto de 2015) O novo CPC: o papel do Conselho Nacional de Justiça nas disposições sobre o processo eletrônico Luciano Athayde

Leia mais

ESCOLA NACIONAL DE FORMAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO DE MAGISTRADOS MINISTRO SÁLVIO DE FIGUEIREDO TEIXEIRA RESOLUÇÃO Nº 3, DE 4 DE DEZEMBRO DE 2013.

ESCOLA NACIONAL DE FORMAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO DE MAGISTRADOS MINISTRO SÁLVIO DE FIGUEIREDO TEIXEIRA RESOLUÇÃO Nº 3, DE 4 DE DEZEMBRO DE 2013. ESCOLA NACIONAL DE FORMAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO DE MAGISTRADOS MINISTRO SÁLVIO DE FIGUEIREDO TEIXEIRA RESOLUÇÃO Nº 3, DE 4 DE DEZEMBRO DE 2013. Dispõe sobre o curso oficial para ingresso, o curso de formação

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA PROVIMENTO N.º 008/2011/CM

ESTADO DE MATO GROSSO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA PROVIMENTO N.º 008/2011/CM Enviado à Internet/DJE em: Disponibilizado no DJE nº.: PROVIMENTO N.º 008/2011/CM Constitui o Grupo de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário de que trata a Resolução n. 96, de 27 de outubro

Leia mais

Governador do Estado da Bahia Jaques Wagner. Secretário da Saúde Jorge Solla. Coordenadora da Ouvidoria SUS BAHIA Elide Oliveira de Carvalho

Governador do Estado da Bahia Jaques Wagner. Secretário da Saúde Jorge Solla. Coordenadora da Ouvidoria SUS BAHIA Elide Oliveira de Carvalho 1 2 Governador do Estado da Bahia Jaques Wagner Secretário da Saúde Jorge Solla Coordenadora da Ouvidoria SUS BAHIA Elide Oliveira de Carvalho Equipe Técnica: Celurdes Carvalho Flávia Guimarães Simões

Leia mais

1. Escopo ou finalidade da iniciativa

1. Escopo ou finalidade da iniciativa 1. Escopo ou finalidade da iniciativa Esta iniciativa busca a modernização e a ampliação das ações e dos instrumentos de Comunicação para atender às necessidades de divulgação e alinhamento de informações

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO RESOLUÇÃO nº483/2009 Data da Norma: 04/03/2009 Órgão expedidor: ÓRGÃO ESPECIAL DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Fonte: DJE de 22/06/2009, p. 1-77 Ementa: Cria o Programa de Gestão de Documentos Arquivísticos do

Leia mais

O PRESIDENTE DO CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA, no uso de suas atribuições constitucionais e regimentais;

O PRESIDENTE DO CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA, no uso de suas atribuições constitucionais e regimentais; Recomendação nº 37, de 15 de agosto de 2011 Texto Original Recomendação nº 46/2013 Recomenda aos Tribunais a observância das normas de funcionamento do Programa Nacional de Gestão Documental e Memória

Leia mais

PORTARIA TRT 18ª GP/DG/SGPe Nº 066/2011 Dispõe sobre a estrutura da Escola Judicial do Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região e dá outras

PORTARIA TRT 18ª GP/DG/SGPe Nº 066/2011 Dispõe sobre a estrutura da Escola Judicial do Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região e dá outras PORTARIA TRT 18ª GP/DG/SGPe Nº 066/2011 Dispõe sobre a estrutura da Escola Judicial do Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região e dá outras providências. O DESEMBARGADOR-PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL

Leia mais

PROCESSAR PEDIDOS DE MOVIMENTAÇÃO 1 OBJETIVO

PROCESSAR PEDIDOS DE MOVIMENTAÇÃO 1 OBJETIVO Proposto por: Equipe do Departamento de Apoio aos Núcleos Regionais PROCESSAR PEDIDOS DE MOVIMENTAÇÃO Analisado por: Diretor de Departamento de Apoio aos Núcleos Regionais (DENUR) Aprovado por: Juiz Auxiliar

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 149/2010. O Tribunal de Justiça do Estado do Acre, no uso das atribuições legais,

RESOLUÇÃO Nº 149/2010. O Tribunal de Justiça do Estado do Acre, no uso das atribuições legais, RESOLUÇÃO Nº 149/2010 Autoriza a implantação do Processo Eletrônico no âmbito do Tribunal de Justiça do Estado do Acre e dá outras providências. O Tribunal de Justiça do Estado do Acre, no uso das atribuições

Leia mais

MATRIZ DE COMPETÊNCIAS DE CHEFE DA SEÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO E CAPACITAÇÃO DE MAGISTRADOS

MATRIZ DE COMPETÊNCIAS DE CHEFE DA SEÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO E CAPACITAÇÃO DE MAGISTRADOS MATRIZ DE COMPETÊNCIAS DE CHEFE DA SEÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO E CAPACITAÇÃO DE MAGISTRADOS CHEFE DA SEÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO E CAPACITAÇAÕ DE MAGISTRADOS (FC-5) Área: Administrativa Unidade: Escola Judicial

Leia mais

MATRIZ DE COMPETÊNCIAS DO SECRETÁRIO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

MATRIZ DE COMPETÊNCIAS DO SECRETÁRIO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO MATRIZ DE COMPETÊNCIAS DO SECRETÁRIO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO SECRETÁRIO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO (CJ-3) Área: Administrativa Unidade: Secretaria de Tecnologia da Informação

Leia mais

Diagnóstico da Governança - Práticas de Gestão Recomendadas v02

Diagnóstico da Governança - Práticas de Gestão Recomendadas v02 1 de 30 16/11/2015 15:16 Diagnóstico da Governança - Práticas de Gestão Recomendadas v02 Prezado(a) Como o OBJETIVO de apurar o nível de maturidade em governança da Justiça Federal, foi desenvolvido instrumento

Leia mais

Publicação de Peças Eletrônicas na Consulta Processual Pública

Publicação de Peças Eletrônicas na Consulta Processual Pública 1 Publicação de Peças Eletrônicas na Consulta Processual Pública CARTILHA SOBRE O FUNCIONAMENTO DO SISTEMA Elaborado por: Gerência de Sistemas Judiciais Informatizados (GEJUD) e 34ª Vara Cível de BH. Atualizada

Leia mais

OFICIAL DE APOIO - CLASSE D LOTADO EM CONTADORIA. PJ-28 a PJ-50. Provimento: Concurso Público

OFICIAL DE APOIO - CLASSE D LOTADO EM CONTADORIA. PJ-28 a PJ-50. Provimento: Concurso Público OFICIAL DE APOIO - CLASSE D LOTADO EM CONTADORIA PJ-28 a PJ-50 Provimento: Concurso Público ATRIBUIÇÕES ATUAIS PREVISTAS NA RESOLUÇÃO 367/2001 NOVAS ATRIBUIÇÕES PROPOSTAS PLEO TJMG * QUALIFICAÇÃO EXIGIDA

Leia mais

Tribunal de Justiça do Estado de Goiás

Tribunal de Justiça do Estado de Goiás Dispõe sobre a implantação e estabelece normas para o funcionamento do processo eletrônico no Poder Judiciário do Estado de Goiás. O TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE GOIÁS, por seu Órgão Especial, no exercício

Leia mais

Carteira de Projetos da Seção Judiciária do RS

Carteira de Projetos da Seção Judiciária do RS Página 1 Carteira de Projetos da Seção Judiciária do RS Projeto I Padronização e Melhoria dos Procedimentos das Varas Federais, Juizados e Turmas Recursais Escopo: Implementação de método de gerenciamento

Leia mais

MATRIZ DE COMPETÊNCIAS DO CHEFE DA SEÇÃO DE ATENDIMENTO A SISTEMAS

MATRIZ DE COMPETÊNCIAS DO CHEFE DA SEÇÃO DE ATENDIMENTO A SISTEMAS MATRIZ DE COMPETÊNCIAS DO CHEFE DA SEÇÃO DE ATENDIMENTO A SISTEMAS CHEFE DA SEÇÃO DE ATENDIMENTO A SISTEMAS (FC-5) Área: Administrativa Unidade: Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicação ATIVIDADE

Leia mais

MATRIZ DE COMPETÊNCIAS DO CHEFE DO NÚCLEO DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS

MATRIZ DE COMPETÊNCIAS DO CHEFE DO NÚCLEO DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS MATRIZ DE COMPETÊNCIAS DO CHEFE DO NÚCLEO DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS CHEFE DO NÚCLEO DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS (FC-6) Área: Administrativa Unidade: Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicação

Leia mais

GESTÃO. Educacional. www.semeareducacional.com.br. Sistema Municipal de Excelência ao Atendimento da Rede

GESTÃO. Educacional. www.semeareducacional.com.br. Sistema Municipal de Excelência ao Atendimento da Rede GESTÃO Educacional A P R E S E N T A Ç Ã O www.semeareducacional.com.br Sistema Municipal de Excelência ao Atendimento da Rede A EXPANSÃO TECNOLOGIA Nossa MISSÃO: Transformação de Dados em Informação Transformação

Leia mais

Art. 1º Fica aprovado, na forma do Anexo, o Regimento Interno do Conselho Nacional de Arquivos - CONARQ. JOSÉ EDUARDO CARDOZO ANEXO

Art. 1º Fica aprovado, na forma do Anexo, o Regimento Interno do Conselho Nacional de Arquivos - CONARQ. JOSÉ EDUARDO CARDOZO ANEXO PORTARIA Nº 2.588, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2011 Aprova o Regimento Interno do Conselho Nacional de Arquivos O MINISTRO DE ESTADO DA JUSTIÇA, no uso de suas atribuições previstas nos incisos I e II do parágrafo

Leia mais

Relacionar recomendações para a gestão da prestação jurisdicional em Vara Empresarial.

Relacionar recomendações para a gestão da prestação jurisdicional em Vara Empresarial. Proposto por: GERIR A ENTREGA DA PRESTAÇÃO JURISDICIONAL Equipe da Vara Empresarial Analisado por: RAS da Vara Empresarial Aprovado por: Juiz de Direito da Vara Empresarial 1 OBJETIVO Relacionar recomendações

Leia mais

Diretoria de Informática

Diretoria de Informática Diretoria de Informática Estratégia Geral de Tecnologias de Informação para 2013-2015 EGTI 2013-2015 Introdução: Este documento indica quais são os objetivos estratégicos da área de TI do IBGE que subsidiam

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 001/2010

RESOLUÇÃO Nº 001/2010 RESOLUÇÃO Nº 001/2010 ALTERA O REGIMENTO INTERNO DA OUVIDORIA DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE GOIÁS. O COLÉGIO DE PROCURADORES DE JUSTIÇA, no uso das atribuições conferidas pelo artigo 18, inciso XVII,

Leia mais

Anexo V REGULAMENTA A RESOLUÇÃO Nº 21/2007 E A LEI ESTADUAL Nº 18.054, DE 25 DE ABRIL DE 2014

Anexo V REGULAMENTA A RESOLUÇÃO Nº 21/2007 E A LEI ESTADUAL Nº 18.054, DE 25 DE ABRIL DE 2014 Provimento Nº 258 Anexo V REGULAMENTA A RESOLUÇÃO Nº 21/2007 E A LEI ESTADUAL Nº 18.054, DE 25 DE ABRIL DE 2014 O CORREGEDOR-GERAL DA JUSTIÇA DO ESTADO DO PARANÁ, Desembargador Lauro Augusto Fabrício de

Leia mais

irtualização de Processos Compreendendo o Processo Eletrônico na Prática DO PODER JUDICIÁRIO ALAGOANO

irtualização de Processos Compreendendo o Processo Eletrônico na Prática DO PODER JUDICIÁRIO ALAGOANO Compreendendo o Processo Eletrônico na Prática Apresentação O Tribunal de Justiça do Estado de Alagoas, diante dos avanços tecnológicos e das vantagens do processo eletrônico, resolveu implantar em todas

Leia mais

Tema: Eficiência Operacional. Tribunal de Origem Tribunal Regional do Trabalho da 14ª Região. Nome do projeto Processo Virtual

Tema: Eficiência Operacional. Tribunal de Origem Tribunal Regional do Trabalho da 14ª Região. Nome do projeto Processo Virtual Tema: Eficiência Operacional Tribunal de Origem Tribunal Regional do Trabalho da 14ª Região Nome do projeto Processo Virtual Finalidade do projeto Implementar o projeto Processo Virtual no âmbito do TRT

Leia mais

(ANEXO 1) FICHA DOS INDICADORES

(ANEXO 1) FICHA DOS INDICADORES (ANEXO 1) FICHA DOS INDICADORES Indicador 01 INDICADOR: Índice de confiança no Poder Judiciário (1 CNJ) Confiança da sociedade no Poder Judiciário CNJ Pesquisa de opinião contratada pelo CNJ Identificar

Leia mais

TJM-RS NGE-JME-RS. Anexo I - 2.2.3 - Levantamento de dados históricos Projetos TJM/RS de 2009 a 2014

TJM-RS NGE-JME-RS. Anexo I - 2.2.3 - Levantamento de dados históricos Projetos TJM/RS de 2009 a 2014 2013 TJM-RS NGE-JME-RS Anexo I - 2.2.3 - Levantamento de dados históricos Projetos TJM/RS de 2009 a 2014 [PAINEL DE INDICADORES-TJM-RS] Contém os indicadores do do Tribunal de Justiça Militar do Rio Grande

Leia mais

CÂMARA DOS DEPUTADOS Segurança proíbe depósitos de terceiros em contas de presidiários

CÂMARA DOS DEPUTADOS Segurança proíbe depósitos de terceiros em contas de presidiários ASSESSORIA PARLAMENTAR INFORMATIVO 14 DE NOVEMBRO DE 2014 CÂMARA DOS DEPUTADOS Segurança proíbe depósitos de terceiros em contas de presidiários A intenção é evitar que condenados usem essas contas para

Leia mais

ANEXO I MATRIZ DE INDICADORES E METAS

ANEXO I MATRIZ DE INDICADORES E METAS ANEXO I MATRIZ DE INDICADORES E S 31 MATRIZ DE INDICADORES e S Indicador 1 - Visão Visão: Ser reconhecido como um dos 10 Regionais mais céleres e eficientes na prestação jurisdicional, sendo considerado

Leia mais

Procuradoria Geral de Justiça, em Natal (RN), 08 de junho de 2011.

Procuradoria Geral de Justiça, em Natal (RN), 08 de junho de 2011. MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE PROCURADORIA GERAL DE JUSTIÇA R E S O L U Ç Ã O Nº 074/2011-PGJ.* O PROCURADOR GERAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE, no uso das atribuições

Leia mais

COMISSÃO DIRETORA. Praça dos Três Poderes Senado Federal CEP: 70165 900 Brasília DF

COMISSÃO DIRETORA. Praça dos Três Poderes Senado Federal CEP: 70165 900 Brasília DF A estrutura administrativa do Senado Federal está dividida em três áreas que compreendem os órgãos superiores de execução, órgãos de assessoramento superior e órgão supervisionado. Conheça a estrutura

Leia mais

PROGRAMAÇÃO DE CAPACITAÇÃO PARA SERVIDORES 2014 JANEIRO FEVEREIRO

PROGRAMAÇÃO DE CAPACITAÇÃO PARA SERVIDORES 2014 JANEIRO FEVEREIRO PROGRAMAÇÃO DE CAPACITAÇÃO PARA SERVIDORES 2014 JANEIRO Palestra Direito do Trabalho -Abertura do Ano Judiciário Realizada 20 2h Diversos SGP Fórum Manaus FEVEREIRO Abertura das atividades da 11 - Palestra

Leia mais

Comitê Gestor Regional PLANO DE AÇÃO

Comitê Gestor Regional PLANO DE AÇÃO Comitê Gestor Regional PLANO DE AÇÃO Sumário 1. Apresentação... 1 2. Membros do Comitê... 2 3. Plano de Ação... 3 3.1 Alinhamento ao Planejamento Estratégico... 3 3.2 Equalização da Força de Trabalho...

Leia mais

Número do Recibo:839779565447242

Número do Recibo:839779565447242 1 de 8 07/05/2014 15:29 Número do Recibo:839779565447242 Data de Preenchimento do Questionário: 07/05/2014. Comitête Gestor de Informática do Judiciário - Recibo de Preenchimento do Questionário: QUESTIONÁRIO

Leia mais

Número: 0002479-68.2015.2.00.0000

Número: 0002479-68.2015.2.00.0000 Conselho Nacional de Justiça PJe - Processo Judicial Eletrônico Consulta Processual 01/07/2015 Número: 0002479-68.2015.2.00.0000 Classe: PEDIDO DE PROVIDÊNCIAS Órgão julgador colegiado: Plenário Órgão

Leia mais