1. Registro com valor declarado DISCRIMINAÇÃO (R$)

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "1. Registro com valor declarado DISCRIMINAÇÃO (R$)"

Transcrição

1 TABELA II DOS OFÍCIOS DE REGISTRO DE IMÓVEIS Tabela elaborada sob responsabilidade da Associação dos Registradores Imobiliários de São Paulo ARISP. Em vigor a partir de 8 de janeiro de Lei , de 26 de dezembro de 2002, publicado no DOE SP em 27 de dezembro de Decreto de 14 de janeiro de 2003, publicado no DOE SP em 15 de janeiro de Termo de Acordo de Redução de Emolumentos, publicado no DOE SP, Executivo I, Secretaria da Justiça e Defesa da Cidadania, em 20 de fevereiro de Com as alterações das Leis Estaduais nºs , de 22 de dezembro de 2008, , de 11 de dezembro de 2014, e , de 03 de julho de UFESP em janeiro de 2001: R$ 9,83 UFESP em janeiro de 2016: R$ 23,55 Variação da UFESP entre 2001 e 2015: 139,57% 1. Registro com valor declarado (R$) a 0,01 até 1.413,00 95,66 27,19 14,02 5,03 6,57 4,59 0,00 153,06 b 1.413,01 até 3.531,00 153,50 43,63 22,49 8,08 10,54 7,37 0,00 245,61 c 3.531,01 até 5.886,00 275,39 78,27 40,35 14,49 18,90 13,22 0,00 440,62 d 5.886,01 até ,00 408,61 116,13 59,87 21,51 28,04 19,61 0,00 653,77 e ,01 até ,00 496,77 141,19 72,79 26,15 34,09 23,84 0,00 794,83 f ,01 até ,00 554,00 157,45 81,18 29,16 38,02 26,59 0,00 886,40 g ,01 até ,00 707,09 200,97 103,61 37,22 48,53 33,94 0, ,36 h ,01 até ,00 859,88 244,39 126,00 45,26 59,02 41,27 0, ,82 i ,01 até ,00 936,13 266,06 137,17 49,27 64,25 44,93 0, ,81 j ,01 até , ,81 287,85 148,40 53,31 69,51 48,61 0, ,49 k ,01 até , ,70 303,45 156,45 56,19 73,28 51,25 0, ,32 l ,01 até , ,53 311,36 160,53 57,66 75,19 52,59 0, ,86 m ,01 até , ,52 347,18 178,98 64,29 83,83 58,63 0, ,43 n ,01 até , ,53 406,57 209,61 75,29 98,18 68,67 0, ,85 o ,01 até , ,88 468,06 241,31 86,68 113,03 79,05 0, ,01 p ,01 até , ,25 529,56 273,02 98,07 127,88 89,44 0, ,22 q ,01 até , ,12 561,35 289,41 103,95 135,56 94,81 0, ,20 r ,01 até , ,44 720,33 371,36 133,39 173,94 121,65 0, ,10 s ,01 até , , ,45 518,88 186,38 243,04 169,98 0, ,92 t ,01 até , , ,37 682,79 245,25 319,81 223,67 0, ,72 u ,01 até , , ,30 846,69 304,13 396,58 277,37 0, ,52 v ,01 até , , , ,60 363,00 473,36 331,06 0, ,32 w ,01 até , , , ,51 421,88 550,13 384,75 0, ,12 x ,01 até , , , ,42 480,75 626,90 438,45 0, ,92 y ,01 até , , , ,33 539,63 703,68 492,14 0, ,72 z ,01 até , , , ,23 598,50 780,45 545,84 0, ,52 z ,01 até , , , ,10 686,82 895,61 626,38 0, ,22 z ,01 até , , , ,91 804, ,15 733,76 0, ,82 z ,01 até , , , ,73 922, ,70 841,15 0, ,42 z ,01 até , , , , , ,25 948,54 0, ,02 z ,01 até , , , , , , ,93 0, ,62 z ,01 até , , , , , , ,32 0, ,22 z ,01 até , , , , , , ,70 0, ,82 z ,01 até , , , , , , ,09 0, ,42 z ,01 até , , , , , , ,48 0, ,02 z ,01 até , , , , , , ,87 0, ,62 z ,01 até , , , , , , ,95 0, ,02 z ,01 até , , , , , , ,73 0, ,22 z ,01 até , , , , , , ,50 0, ,42 z ,01 até , , , , , , ,28 0, ,62 z ,01 até , , , , , , ,05 0, ,82 z ,01 até , , , , , , ,83 0, ,02 z ,01 até , , , , , , ,61 0, ,22 z ,01 até , , , , , , ,38 0, ,42 z ,01 até , , , , , , ,16 0, ,62 z ,01 até , , , , , , ,93 0, ,82 z ,01 até , , , , , , ,71 0, ,02 z22 Acima de , , , , , , ,00 0, , Averbação com valor declarado (R$)

2 a 0,01 até 1.413,00 34,01 9,67 4,98 1,79 2,33 1,63 0,00 54,41 b 1.413,01 até 3.531,00 51,22 14,56 7,51 2,70 3,52 2,46 0,00 81,96 c 3.531,01 até 5.886,00 87,58 24,90 12,83 4,61 6,01 4,20 0,00 140,13 d 5.886,01 até ,00 142,61 40,53 20,90 7,51 9,79 6,85 0,00 228,19 e ,01 até ,00 181,92 51,71 26,66 9,57 12,49 8,73 0,00 291,08 f ,01 até ,00 190,03 54,01 27,84 10,00 13,04 9,12 0,00 304,04 g ,01 até ,00 211,66 60,16 31,01 11,14 14,53 10,16 0,00 338,66 h ,01 até ,00 233,28 66,30 34,18 12,28 16,01 11,20 0,00 373,25 i ,01 até ,00 244,19 69,40 35,78 12,85 16,76 11,72 0,00 390,70 j ,01 até ,00 254,91 72,45 37,35 13,42 17,50 12,24 0,00 407,87 k ,01 até ,00 265,82 75,55 38,95 13,99 18,24 12,76 0,00 425,31 l ,01 até ,00 276,58 78,61 40,53 14,56 18,98 13,28 0,00 442,54 m ,01 até ,00 336,03 95,50 49,24 17,69 23,06 16,13 0,00 537,65 n ,01 até ,00 444,23 126,25 65,09 23,38 30,49 21,32 0,00 710,76 o ,01 até ,00 552,41 157,01 80,94 29,07 37,91 26,52 0,00 883,86 p ,01 até ,00 660,57 187,74 96,79 34,77 45,34 31,71 0, ,92 q ,01 até ,00 716,50 203,64 104,99 37,71 49,17 34,39 0, ,40 r ,01 até ,00 996,15 283,12 145,96 52,43 68,37 47,82 0, ,85 s ,01 até , ,54 426,19 219,72 78,92 102,92 71,98 0, ,27 t ,01 até , ,85 585,15 301,68 108,36 141,30 98,83 0, ,17 u ,01 até , ,17 744,11 383,63 137,80 179,69 125,67 0, ,07 v ,01 até , ,48 903,07 465,58 167,24 218,08 152,52 0, ,97 w ,01 até , , ,04 547,54 196,67 256,46 179,37 0, ,87 x ,01 até , , ,00 629,49 226,11 294,85 206,21 0, ,77 y ,01 até , , ,96 711,45 255,55 333,24 233,06 0, ,67 z ,01 até , , ,92 793,40 284,99 371,62 259,91 0, ,57 z ,01 até , , ,37 916,33 329,14 429,20 300,18 0, ,92 z ,01 até , , , ,24 388,02 505,97 353,87 0, ,72 z ,01 até , , , ,15 446,89 582,75 407,57 0, ,52 z ,01 até , , , ,06 505,77 659,52 461,26 0, ,32 z ,01 até , , , ,96 564,64 736,29 514,95 0, ,12 z ,01 até , , , ,83 652,95 851,45 595,49 0, ,82 z ,01 até , , , ,74 711,83 928,23 649,19 0, ,65 z ,01 até , , , ,64 770, ,00 702,88 0, ,45 z ,01 até , , , ,55 829, ,77 756,58 0, ,25 z ,01 até , , , ,46 888, ,55 810,27 0, ,05 z ,01 até , , , ,37 947, ,32 863,96 0, ,82 z ,01 até , , , , , ,86 971,35 0, ,42 z ,01 até , , , , , , ,74 0, ,02 z ,01 até , , , , , , ,13 0, ,62 z ,01 até , , , , , , ,52 0, ,22 z ,01 até , , , , , , ,21 0, ,02 z ,01 até , , , , , , ,90 0, ,82 z ,01 até , , , , , , ,60 0, ,62 z ,01 até , , , , , , ,29 0, ,42 z ,01 até , , , , , , ,99 0, ,22 z ,01 até , , , , , , ,68 0, ,02 z22 Acima de , , , , , , ,22 0, ,35 0,00 Nota: 2.1 Averbação sem valor declarado 14,72 4,18 2,16 0,77 1,01 0,71 0,00 23,55 0,00 3. Loteamento (R$) a) registro de loteamento ou desmembramento urbano ou rural, além das despesas de publicação pela imprensa: por lote ou gleba 23,55 14,72 4,18 2,16 0,77 1,01 0,71 0,00 b) intimação ou notificação, excluídas as despesas de publicação de editais (Lei 6.766/79) 37,12 10,55 5,44 1,95 2,55 1,78 0,00 59,39 4. Abertura de Matrícula (R$) Abertura de matrícula como ato autônomo 8,81 2,51 1,29 0,46 0,60 0,42 0,00 14,09 5. Incorporação e Condomínio a) registro de incorporação imobiliária ou de especificação de condomínio: valor do terreno + custo global da construção (Lei nº 4.591/64, art. 32) (R$)

3 a 0,01 até ,00 275,23 78,23 40,33 14,49 18,89 13,21 0,00 440,38 440,38 b ,01 até ,00 825,72 234,68 120,99 43,46 56,67 39,63 0, ,15 c ,01 até , ,69 547,59 282,31 101,40 132,23 92,48 0, ,70 d ,01 até , , ,40 604,95 217,30 283,35 198,17 0, ,79 e ,01 até , , , ,90 434,59 566,71 396,35 0, ,55 f ,01 até , , , ,50 724,32 944,51 660,58 0, ,25 g ,01 até , , , , , ,31 924,81 0, ,95 h ,01 até , , , , , , ,04 0, ,65 i ,01 até , , , , , , ,27 0, ,35 j ,01 até , , , , , , ,50 0, ,05 l ,01 até , , , , , , ,73 0, ,75 m ,01 até , , , , , , ,96 0, ,45 n ,01 até , , , , , , ,19 0, ,15 o ,01 até , , , , , , ,54 0, ,70 p ,01 até , , , , , , ,00 0, ,10 q ,01 até , , , , , , ,47 0, ,50 r ,01 até , , , , , , ,93 0, ,90 s ,01 até , , , , , , ,39 0, ,30 t ,01 até , , , , , , ,91 0, ,64 u ,01 até , , , , , , ,49 0, ,89 v ,01 até , , , , , , ,06 0, ,14 w ,01 até , , , , , , ,64 0, ,39 x ,01 até , , , , , , ,22 0, ,64 y ,01 até , , , , , , ,80 0, ,89 z ,01 até , , , , , , ,37 0, ,14 z1 Acima de , , , , , , ,88 0, ,42 b) registro de convenção de condomínio, qualquer que seja o número de unidades, incluído o valor das averbações necessárias Convenção de condomínio + averbações 6. Debêntures Debêntures (competência da Junta Comercial) 7. Pacto Antenupcial Registro de Pacto Antenupcial: 29,44 8,37 4,31 1,55 2,02 1,41 0,00 47,10 x-x x-x x-x x-x x-x 0,00 x-x x-x 14,72 4,18 2,16 0,77 1,01 0,71 0,00 23,55 8. Cédula de Crédito ou Produto Rural Pignoratícia - Livro 3 (DL nº 167/67) Valor do Crédito ou do Produto 0,01 até ,00 28,12 7,99 4,12 1,48 1,93 1,35 0,00 44, ,01 até ,00 90,86 25,83 13,32 4,78 6,24 4,36 0,00 145, ,01 até ,00 92,51 26,29 13,56 4,87 6,35 4,44 0,00 148, ,01 até ,00 94,60 26,89 13,86 4,98 6,49 4,54 0,00 151,36 Acima de R$ ,00 a cobrança se dará com base no item 1 da Tabela de Registro, com redução de 70% (setenta por cento). 9. Hipoteca Cedular Rural - por imóvel (DL nº 167/67) Valor do Crédito ou do Produto 0,01 até ,00 42,17 11,99 6,18 2,22 2,89 2,02 0,00 67, ,01 até ,00 147,62 41,96 21,63 7,77 10,13 7,09 0,00 236, ,01 até ,00 196,08 55,73 28,73 10,32 13,46 9,41 0,00 313, ,01 até ,00 226,18 64,28 33,14 11,90 15,52 10,86 0,00 361,88 Acima de R$ ,00 a cobrança se dará com base no item 1 da Tabela de Registro, com redução de 70% (setenta por cento). 10. Penhora Inscrição de Penhora 20% do valor previsto para registro com valor declarado (item 1) 11. Certidões Certidões: sob qualquer forma 28,12 7,99 4,12 1,48 1,93 1,35 0,00 44,99 Certidões, sob qualquer forma, que objetivem unidade habitacional integrante de programa Nota: habitacional de interesse social, localizado em 12,65 3,60 1,86 0,67 0,87 0,61 0,00 20,26 Zona Especial de Interesse Social - ZEIS, ou de outra forma definido pelo Município como de interesse social: 12. Prenotação e Exame e Cálculo Prenotação de Título (vide Nota Explicativa nº 4) 29,44 8,37 4,31 1,55 2,02 1,41 0,00 47,10

4 13. Pedido de Busca Informação prestada por qualquer forma ou meio quando o interessado dispensar a certidão, inclusive sob forma de relação às Prefeituras e pedidos de certidões via Internet efetuado em Cartório diverso da situação do imóvel 2,81 0,80 0,41 0,15 0,19 0,13 0,00 4, Empreendimentos habitacionais de interesse social 14.1 Sendo o registro do parcelamento de solo ou da instituição do condomínio protocolizado até a data de 31 de dezembro de 2013, assim iniciados os procedimentos de regularização, o registro do primeiro título aquisitivo de imóvel em favor de beneficiário de regularização fundiária de interesse social, promovida no âmbito de programas de interesse social, sob gestão de órgãos ou entidades da administração pública direta ou indireta em área urbana ou rural, cujo objetivo social seja a regularização fundiária de áreas por eles ocupadas, independentemente do número de atos a serem praticados, sua natureza e valor do negócio jurídico, ficando isentas todas as custas e emolumentos referentes aos atos anteriormente praticados para tal finalidade, tais como registro de parcelamento, averbação de construção, instituição de condomínio, abertura de matrícula e demais atos. 94,96 26,99 13,91 5,00 6,52 4,56 0,00 151, Registro da alienação de imóvel e de correspondentes garantias reais, em empreendimento habitacional de interesse social, promovidos pela Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano do Estado de São Paulo - CDHU, Companhia Metropolitana de Habitação - COHAB, sociedade de economia mista ou empresa pública, independentemente do número de atos a serem praticados ,27 44,98 23,19 8,33 10,86 7,60 0,00 253,23 No registro da primeira alienação de imóvel e de correspondentes garantias reais em empreendimento habitacional de interesse social executado em parceria público-privada ou por associações e cooperativas habitacionais, localizado em Zona Especial de Interesse Social - ZEIS ou de outra forma definido pelo Município como de interesse social, relativo a imóvel cujo valor não seja superior a (quatro mil setecentos e cinco) Unidades Fiscais do Estado de São Paulo - UFESP No registro da primeira alienação de imóvel e de correspondentes garantias reais em 158,27 44,98 23,19 8,33 10,86 7,60 0,00 253,23 189,92 53,98 27,83 10,00 13,03 9,12 0,00 303, No registro da alienação de imóvel e de correspondentes garantias reais, financiado com recursos do FGTS, à exceção do item 14.4 a cobrança se dará com base no item 1 da Tabela de Registro, com redução de 50% (cinquenta por cento) No registro da primeira alienação de imóvel e de correspondentes garantias reais em empreendimento habitacional de interesse social localizado em Zona Especial de Interesse Social - ZEIS, ou de outra forma definido pelo Município como de interesse social, relativo a imóvel cujo valor não seja superior a (quatro mil setecentos e cinco) UFESP. 15. Visualização eletrônica Tratando-se de informação eletrônica na norma de visualização das imagens de fichas de matrícula ou de outro documento arquivado: 189,91 53,98 27,83 10,00 13,03 9,12 0,00 303,87 30% (trinta por cento) do valor da certidão.

5 Notas Explicativas 1. Registro (item 1 da Tabela) valor base de cálculo conforme estabelecido nesta lei. 1.1 Tratando-se de contrato de promessa de venda e compra, os emolumentos do registro serão reduzidos de 70%. Por ocasião do registro da escritura definitiva respectiva, os emolumentos cobrados sofrerão um desconto de 30%. 1.2 No registro de hipoteca, penhor ou penhora quando dois ou mais imóveis forem dados em garantia ou, no caso de penhor quando a garantia esteja situada, em mais de um imóvel, na mesma circunscrição imobiliária ou não, tenham ou não igual valor, a base de cálculo para cobrança, em relação a cada um dos registros, será o valor do mútuo dividido pelo número de imóveis, dados em garantia ou pelo número de imóveis de situação, conforme o caso O registro de hipoteca ou penhor cedular, exceto os previstos nos itens 8 e 9 da Tabela serão cobrados de acordo com o item 1 da Tabela Os valores dos emolumentos constantes dos itens 8 e 9 correspondem ao registro da cédula, no Livro 3, e da garantia no Livro 2. Havendo mais de um registro no Livro 2 os demais serão cobrados à base de 50% dos valores previstos para cada ato excedente No caso de usufruto, a base de cálculo será a terça parte do valor do imóvel, observando o disposto no item A base de cálculo no registro de contratos de locação com prazo determinado será o valor da soma dos alugueres mensais. Se o prazo for indeterminado, tomar-se-á o valor de 12 alugueres mensais. Quando o contrato contiver cláusulas de reajuste considerar-se-á o valor do último aluguel, sem reajuste, multiplicado pelo número de meses Os emolumentos devidos pelo registro de penhora, efetivada em execução trabalhista ou fiscal serão pagos a final ou quando da efetivação do registro da arrematação ou adjudicação do imóvel, pelos valores vigentes à época do pagamento Sistema financeiro da habitação: Salvo o registro dos contratos de aquisição imobiliária financiada previstos no item 1.1 da Tabela, os demais serão cobrados de conformidade com o item 1, com redução de 50%, que incidirá sobre todos os atos relacionados com a primeira aquisição imobiliária para fins residenciais, nos termos do artigo 290 da Lei Federal 6.015/ Caberá ao notificado o pagamento dos emolumentos previstos no item 3, alinea "b" da Tabela, por ocasião da purgação da mora, para reembolso do notificante 2. Averbação (item 2 da Tabela) - valor base de cálculo conforme estabelecido nesta lei. 2.1 Considera-se averbação com valor aquela referente à fusão, cisão ou incorporação de sociedades, cancelamento de direitos reais e outros gravames, bem como a que implica alteração de contrato, da dívida ou da coisa, inclusive retificação de área, neste caso tomando-se como base de cálculo o valor venal do imóvel. (Nova redação dada pela Lei de 22/12/2008). 2.2 A averbação de cancelamento de hipoteca, constituída dentro do SFH, será cobrada com desconto de 50% do valor constante do item "2" da Tabela. 2.3 Tratando-se de averbação de construção, deverá ser observado, ainda, os valores por metro quadrado divulgados em revistas especializadas de entidades da construção civil. 2.4 Consideram-se sem valor declarado, entre outras, as averbações referentes à mudança da denominação e numeração de prédios, à alteração de destinação ou situação do imóvel, à indisponibilidade, à demolição, ao desmembramento, à abertura de vias e logradouros públicos, ao casamento, separação, divórcio e morte, à alteração de nome por casamento, separação ou divórcio. 2.5 As averbações procedidas de ofício e as concernentes ao transporte de ônus da matrícula não estão sujeitas a pagamento de emolumentos. 3. Com respeito à aquisição de frações ideais de terreno vinculadas a futuras unidades autônomas, no regime de incorporação, a cobrança de emolumentos será feita em duas etapas. Quando do registro de alienações de frações ideais do terreno, os emolumentos serão calculados sobre o valor da fração ideal do terreno, constante da escritura ou seu valor venal correspondente, o que for maior. Efetivada a instituição de condomínio especial, sem prejuízo dos emolumentos devidos por este ato, serão cobrados emolumentos referentes a cada unidade autônoma, considerando o valor derivado da edificação realizada ou do negócio jurídico celebrado, o que for maior. 4. Prenotação de título e apresentação para exame e cálculo. 4.1 Caso o título prenotado seja reapresentado dentro do prazo de validade, o custo da prenotação será descontado do valor cobrado pelo ato praticado 4.2 Em caso de devolução do título prenotado para cumprimento de exigências, o Cartório fará jus ao valor da prenotação se aquela ocorrer até 15 dias antes do vencimento do prazo referido no item 4.1, anterior. 4.3 Os emolumentos devidos pelo exame e cálculo serão pagos no ato do requerimento. Lei /02 (extrato) Artigo 7º - O valor da base de cálculo a ser considerado para fins de enquadramento nas tabelas de que trata o artigo 4º, relativamente aos atos classificados na alínea "b" do inciso III do artigo 5º, ambos desta lei, será determinado pelos parâmetros a seguir, prevalecendo o que for maior: I - preço ou valor econômico da transação ou do negócio jurídico declarado pelas partes; II - valor tributário do imóvel, estabelecido no último lançamento efetuado pela Prefeitura Municipal, para efeito de cobrança de imposto sobre a propriedade predial e territorial urbana, ou o valor da avaliação do imóvel rural aceito pelo órgão federal competente, considerando o valor da terra nua, as acessões e as benfeitorias; III - base de cálculo utilizada para o recolhimento do imposto de transmissão "inter vivos" de bens imóveis. Parágrafo único - Nos casos em que, por força de lei, devam ser utilizados valores decorrentes de avaliação judicial ou fiscal, estes serão os valores considerados para os fins do disposto na alínea "b" do inciso III do artigo 5º desta lei. Artigo 8º - A União, os Estados, o Distrito Federal, os Municípios, e as respectivas autarquias, são isentos do pagamento das parcelas dos emolumentos destinadas ao Estado, à Carteira de Previdência das Serventias não Oficializadas da Justiça do Estado, ao custeio dos atos gratuitos de registro civil e ao Fundo Especial de Despesa do Tribunal de Justiça. Parágrafo único - O Estado de São Paulo e suas respectivas autarquias são isentos do pagamento de emolumentos.

6 Artigo 9º - São gratuitos: I - os atos previstos em lei; II - os atos praticados em cumprimento de mandados judiciais expedidos em favor da parte beneficiária da justiça gratuita, sempre que assim for expressamente determinado pelo Juízo. Artigo 10- Na falta de previsão nas notas explicativas e respectivas tabelas, somente poderão ser cobradas as despesas pertinentes ao ato praticado, quando autorizadas pela Corregedoria Geral da Justiça. Artigo 13- Salvo disposição em contrário, os notários e os registradores poderão exigir depósito prévio dos valores relativos aos emolumentos e das despesas pertinentes ao ato, fornecendo aos interessados, obrigatoriamente, recibo com especificação de todos os valores. Artigo 14- Os notários e os registradores darão recibo dos valores cobrados, sem prejuízo da indicação definitiva e obrigatória dos respectivos emolumentos à margem do documento entregue ao interessado. Artigo 30- Contra a cobrança, a maior ou a menor, de emolumentos e despesas devidas, poderá qualquer interessado reclamar, por petição, ao Juiz Corregedor Permanente. Artigo 32- Sem prejuízo da responsabilidade disciplinar, os notários, os registradores e seus prepostos estão sujeitos à pena de multa de, no mínimo, 100 (cem) e, no máximo, 500 (quinhentas) UFESP's, ou outro índice que a substituir, nas hipóteses de: I - recebimento de valores não previstos ou maiores que os previstos nas tabelas, nos casos em que não caiba a aplicação do inciso I do artigo 34 desta lei; II - descumprimento das demais disposições desta lei. 3º - Na hipótese de recebimento de importâncias indevidas ou excessivas, além da pena de multa, o infrator fica obrigado a restituir ao interessado o décuplo da quantia irregularmente cobrada. Artigo 37- Sempre que forem alteradas ou divulgadas novas tabelas, estas não se aplicarão aos atos notariais e de registro já solicitados, quando tenha havido ou não depósito total ou parcial dos emolumentos previstos, salvo nas hipóteses previstas nas respectivas notas explicativas das tabelas. Outras disposições da Lei / Artigo 6º- Nos atos que envolvam a aquisição do terreno pelo empreendedor, retificação, registro de parcelamento do solo, incorporação, averbação da construção, instituição de condomínio ou parcelamento do solo, relativos a empreendimentos de interesse social promovidos pela CDHU ou COHAB, empresa pública, sociedade de economia mista, ou promovido por cooperativa habitacional ou associação de moradores, serão as custas e emolumentos dos oficiais de registro de imóveis e dos notários reduzidos em 75% (setenta e cinco por cento). Artigo 7º - Nos atos que envolvam a aquisição do terreno pelo empreendedor, retificação, registro de parcelamento de solo, incorporação, averbação da construção, instituição de condomínio ou parcelamento do solo, relativos a empreendimentos de interesse social localizado em Zona Especial de Interesse Social - ZEIS, ou de outra forma definido pelo Município como de interesse social, serão as custas e emolumentos do Registro de Imóveis e do Tabelião de Notas reduzidos em 50% (cinquenta por cento). Lei /14 Artigo 1º - O artigo 19 da lei nº , de 26 de dezembro de 2002, passa a vigorar acrescido do seguinte parágrafo: "Artigo 19 - (...). Parágrafo único - São considerados emolumentos, e compõe o custo total dos serviços notariais e de registro, além das parcelas previstas neste artigo, a parcela dos valores tributários incidentes, instituídos pela lei do município da sede da serventia, por força de Lei Complementar Federal ou Estadual." Lei /15 Artigo 3º - Os disposotivos adiante mencionados da Lei nº , de 26 de dezembro de 2002, ficam assim alterados: I - o artigo 12 passa a vigorar acrescido do inciso IV, com a seguinte redação "Artigo 12 - (...). IV - em relação à parcela prevista na alínea "f" do inciso I, diretamente ao Fundo de Despesa do Ministério Público do Estado de São Paulo, na forma a ser estabelecida pelo Procurador-Geral de Justiça, até o 1º (primeiro) dia útil subsequente ao da semana de referência do ato praticado." II - as alíneas "c" e "e" do inciso I do artigo 19 passam a vigorar com nova redação, e é acrescentada a esse inciso a alínea "f", na seguinte conformidade: "Artigo 19 - (...) I (...). c) 9,157894% (nove inteiros, cento e cinquenta e sete mil, oitocentos e noventa e quatro centésimos de milésimos percentuais) são contribuição à Carteira de Previdências das Serventias Não Oficializadas da Justiça do Estado; e) 4,289473% (quatro inteiros, duzentos e oitenta e nove mil, quatrocentos e setenta e três centésimos de milésimos percentuais) são destinados ao Fundo Especial de Despesa do Tribunal de Justiça, em decorrência da fiscalização dos serviços; f) 3% (três por cento) são destinados ao Fundo Especial de Despesa do Ministério Público do Estado de São Paulo, em decorrência da fiscalização dos serviços;"

TABELA II Dos Ofícios de Registro de Imóveis

TABELA II Dos Ofícios de Registro de Imóveis TABELA II Dos Ofícios de Registro de Imóveis Tabela elaborada sob responsabilidade da Associação dos Registradores Imobiliários de São Paulo ARISP. Em vigor a partir de 8 de janeiro de 2014. Lei 11.331,

Leia mais

1. Registro com valor declarado DISCRIMINAÇÃO (R$) OFICIAL ESTADO CARTEIRA REG CIVIL T JUSTIÇA TOTAL

1. Registro com valor declarado DISCRIMINAÇÃO (R$) OFICIAL ESTADO CARTEIRA REG CIVIL T JUSTIÇA TOTAL TABELA II DOS OFÍCIOS DE REGISTRO DE IMÓVEIS Tabela elaborada sob responsabilidade da Associação dos Registradores Imobiliários de São Paulo ARISP. Em vigor a partir de 6 de janeiro de 2012. Lei 11.331,

Leia mais

1. Registro com valor declarado DISCRIMINAÇÃO (R$) OFICIAL ESTADO CARTEIRA REG CIVIL T JUSTIÇA TOTAL

1. Registro com valor declarado DISCRIMINAÇÃO (R$) OFICIAL ESTADO CARTEIRA REG CIVIL T JUSTIÇA TOTAL TABELA II DOS OFÍCIOS DE REGISTRO DE IMÓVEIS Tabela elaborada sob responsabilidade da Associação dos Registradores Imobiliários de São Paulo ARISP. Em vigor a partir de 8 de janeiro de 2013. Lei 11.331,

Leia mais

TABELA II Dos Ofícios de Registro de Imóveis

TABELA II Dos Ofícios de Registro de Imóveis TABELA II Dos Ofícios de Registro de Imóveis Tabela elaborada sob responsabilidade da Associação dos Registradores Imobiliários de São Paulo - ARISP. Em vigor a partir de 8 de janeiro de 2009. Lei Estadual

Leia mais

Dos Ofícios de Registro de Imóveis

Dos Ofícios de Registro de Imóveis Dos Ofícios de Registro de Imóveis Tabela elaborada sob responsabilidade da Associação dos Registradores Imobiliários de São Paulo ARISP. Em vigor a partir de 8 de janeiro de 2016. Lei 11.331, de 26 de

Leia mais

TABELA II DOS OFÍCIOS DE REGISTRO DE IMÓVEIS

TABELA II DOS OFÍCIOS DE REGISTRO DE IMÓVEIS TABELA II DOS OFÍCIOS DE REGISTRO DE IMÓVEIS Tabela elaborada sob responsabilidade da Associação dos Registradores Imobiliários de São Paulo - ARISP. Em vigor a partir de 8 de janeiro de 2010. Lei Estadual

Leia mais

1. Registro com valor declarado DISCRIMINAÇÃO (R$) OFICIAL ESTADO CARTEIRA REG CIVIL T JUSTIÇA TOTAL

1. Registro com valor declarado DISCRIMINAÇÃO (R$) OFICIAL ESTADO CARTEIRA REG CIVIL T JUSTIÇA TOTAL 1. Registro com valor declarado a De até 986,00 66,70 18,96 14,04 3,51 3,51 106,72 b 986,01 até 2.462,00 107,03 30,43 22,53 5,63 5,63 171,25 c 2.462,01 até 4.104,00 192,01 54,57 40,42 10,11 10,11 307,22

Leia mais

TABELA II Dos Ofícios de Registro de Imóveis

TABELA II Dos Ofícios de Registro de Imóveis ABELA II Dos Ofícios de Registro de Imóveis Em vigor a partir de 8 de janeiro de 2009. Lei Estadual nº 11.331/02 com as alterações da Lei Estadual nº 13.290/08. Decreto nº 47.589/03. ermo de Acordo de

Leia mais

TABELA II DOS OFÍCIOS DE REGISTRO DE IMÓVEIS

TABELA II DOS OFÍCIOS DE REGISTRO DE IMÓVEIS TABELA II DOS OFÍCIOS DE REGISTRO DE IMÓVEIS Tabela elaborada sob responsabilidade da Associação dos Registradores Imobiliários de São Paulo ARISP. Em vigor a partir de 7 de janeiro de 2011. Lei 11.331,

Leia mais

Tabela de Custas TABELA II Dos Ofícios de Registro de Imóveis Tabela elaborada sob responsabilidade da Associação dos Registradores Imobiliários de São Paulo ARI. Em vigor a partir de 8 de janeiro de 2015.

Leia mais

1. Registro com valor declarado

1. Registro com valor declarado TABELA II Dos Ofícios de Registro de Imóveis Tabela elaborada sob responsabilidade da Associação dos Registradores Imobiliários de São Paulo ARI. Em vigor a partir de 8 de janeiro de 2016. Lei 11.331,

Leia mais

Nota 1 - Escrituras com valor declarado 1.1.- Nas hipóteses de hipoteca e penhor os emolumentos serão calculados sobre o débito confessado ou

Nota 1 - Escrituras com valor declarado 1.1.- Nas hipóteses de hipoteca e penhor os emolumentos serão calculados sobre o débito confessado ou Nota 1 - Escrituras com valor declarado 1.1.- Nas hipóteses de hipoteca e penhor os emolumentos serão calculados sobre o débito confessado ou estimado. 1.1.1.- Quando dois ou mais bens forem dados em garantia,

Leia mais

Tabela de Emolumentos e Custas dos Cartórios do Estado de São Paulo

Tabela de Emolumentos e Custas dos Cartórios do Estado de São Paulo Tabela de Emolumentos e Custas dos Cartórios do Estado de São Paulo (Lei Estadual n. 11.331, de 26 de dezembro de 2002) Índice Tabela de custas dos Tabelionatos de Notas Tabela de preços de serviços extranotariais

Leia mais

TABELA V DOS OFICIOS DE REGISTRO CIVIL DAS PESSOAS NATURAIS

TABELA V DOS OFICIOS DE REGISTRO CIVIL DAS PESSOAS NATURAIS TABELA V DOS OFICIOS DE REGISTRO CIVIL DAS PESSOAS NATURAIS Tabela elaborada sob responsabilidade da Associação dos Registradores de Pessoas Naturais do Estado de São Paulo Arpen-SP. Lei 11.331, de 26

Leia mais

TABELA IV DOS TABELIONATOS DE PROTESTO DE TÍTULOS

TABELA IV DOS TABELIONATOS DE PROTESTO DE TÍTULOS TABELA IV DOS TABELIONATOS DE PROTESTO DE TÍTULOS Tabela elaborada sob responsabilidade do IEPTB-SP. Lei 11.331, de 26 de dezembro de 2002, publicada no DOE-SP em 27 de dezembro de 2002. Lei estadual 13.160,

Leia mais

TABELA DE EMOLUMENTOS EXTRAJUDICIAIS LEI ESTADUAL 5.672, de 17/11/1992 Em Vigor a partir de 01/01/2014 Atualizada pelo Provimento CGJ N *

TABELA DE EMOLUMENTOS EXTRAJUDICIAIS LEI ESTADUAL 5.672, de 17/11/1992 Em Vigor a partir de 01/01/2014 Atualizada pelo Provimento CGJ N * TABELA "B" (Item IV) - ATOS DOS OFICIAIS DE DISTRIBUIÇÃO I - Pela Comunicação de Escrituras (Resolução 11/97 TJPB):... 37,46 II - Pela distribuição de títulos para protesto: 1) Valor até 72,74 0,52 2)

Leia mais

TABELA II DOS CARTÓRIOS DE REGISTROS DE IMÓVEIS. 1. Registro com valor declarado. Página 1 VALORES BÁSICOS (R$)

TABELA II DOS CARTÓRIOS DE REGISTROS DE IMÓVEIS. 1. Registro com valor declarado. Página 1 VALORES BÁSICOS (R$) 1. Registro com valor declarado TABELA II DOS CARTÓRIOS DE REGISTROS DE IMÓVEIS VALORES BÁSICOS (R$) a 0 até 854,00 57,81 16,43 12,17 3,04 3,04 92,49 b mais de 854,00 até 2.134,00 92,76 26,36 19,53 4,88

Leia mais

Tabela de Emolumentos e Custas dos Cartórios do Estado de São Paulo

Tabela de Emolumentos e Custas dos Cartórios do Estado de São Paulo Tabela de Emolumentos e Custas dos Cartórios do Estado de São Paulo (Lei Estadual n. 11.331, de 26 de dezembro de 2002) Índice Tabela de custas dos Tabelionatos de Notas Tabela de preços de serviços extranotariais

Leia mais

PREÇOS DOS SERVIÇOS DE ACREDITAÇÃO DE ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO E DE INSPEÇÃO

PREÇOS DOS SERVIÇOS DE ACREDITAÇÃO DE ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO E DE INSPEÇÃO PREÇOS DOS SERVIÇOS DE ACREDITAÇÃO DE ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO E DE INSPEÇÃO NORMA Nº: NIE-CGCRE-140 APROVADA EM DEZ/2015 Nº 01/07 SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Campo de Aplicação 3 Responsabilidade 4 Histórico

Leia mais

LEI Nº 13.290, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2008

LEI Nº 13.290, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2008 LEI Nº 13.290, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2008 Dispõe sobre os emolumentos por atos praticados pelos serviços notariais e de registro, na forma que especifica O GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Faço saber

Leia mais

TABELA II ATOS DO OFICIAL DO REGISTRO DE IMÓVEIS

TABELA II ATOS DO OFICIAL DO REGISTRO DE IMÓVEIS TABELA II ATOS DO OFICIAL DO REGISTRO DE IMÓVEIS 1 - Registro, por todos os atos: I - com valor, inclusive certidão: de acordo com o ANEXO 3; II - sem valor (pactos antenupciais, citação, etc.): R$ 21,70

Leia mais

Tabela de Emolumentos e Custas dos Cartórios do Estado de São Paulo

Tabela de Emolumentos e Custas dos Cartórios do Estado de São Paulo Tabela de Emolumentos e Custas dos Cartórios do Estado de São Paulo (Lei Estadual n. 11.331, de 26 de dezembro de 2002) Índice: Tabela de custas dos Tabelionatos de Notas 02 Tabela de preços de serviços

Leia mais

LEI Nº 895/89 INSTITUI O IMPOSTO DE TRANSMISSÃO SOBRE BENS IMÓVEIS POR ATO ONEROSO ENTRE VIVOS E DE DIREITOS REAIS SOBRE IMÓVEIS - IBTI - INTER-VIVOS.

LEI Nº 895/89 INSTITUI O IMPOSTO DE TRANSMISSÃO SOBRE BENS IMÓVEIS POR ATO ONEROSO ENTRE VIVOS E DE DIREITOS REAIS SOBRE IMÓVEIS - IBTI - INTER-VIVOS. LEI Nº 895/89 INSTITUI O IMPOSTO DE TRANSMISSÃO SOBRE BENS IMÓVEIS POR ATO ONEROSO ENTRE VIVOS E DE DIREITOS REAIS SOBRE IMÓVEIS - IBTI - INTER-VIVOS. O Povo do Município de João Monlevade por seus representantes

Leia mais

ESTADO DE ALAGOAS GABINETE DO GOVERNADOR

ESTADO DE ALAGOAS GABINETE DO GOVERNADOR DECRETO Nº 4.105, DE 29 DE JANEIRO DE 2009. ALTERA O REGULAMENTO DO ICMS, APROVADO PELO DECRETO Nº 35.245, DE 26 DE DEZEMBRO DE 1991, PARA IMPLEMENTAR DISPOSIÇÕES DOS PROTOCOLOS ICMS 107, DE 16 DE NOVEMBRO

Leia mais

LEI MUNICIPAL Nº 2.242/2016 DE 15 DE JUNHO DE 2016

LEI MUNICIPAL Nº 2.242/2016 DE 15 DE JUNHO DE 2016 LEI MUNICIPAL Nº 2.242/2016 DE 15 DE JUNHO DE 2016 Altera a Lei Municipal n. 1.554, de 04 de julho de 2005 que Reestrutura o Regime Próprio de Previdência Social do Município de Barra do Bugres/MT e, dá

Leia mais

LEI Nº. 1.361/2010 14 de abril de 2010. Autoria: Poder Executivo Municipal

LEI Nº. 1.361/2010 14 de abril de 2010. Autoria: Poder Executivo Municipal LEI Nº. 1.361/2010 14 de abril de 2010. Autoria: Poder Executivo Municipal ALTERA DISPOSITIVOS NA LEI Nº.1.303, DE 08 DE JULHO DE 2009, QUE REGULAMENTA NO MUNICIPIO DE CAMPO NOVO DO PARECIS O TRATAMENTO

Leia mais

RESOLUGÃO CFP N 002/98 de 19 de abril de 1998. O CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA, no uso de suas atribuições legais e regimentais,

RESOLUGÃO CFP N 002/98 de 19 de abril de 1998. O CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA, no uso de suas atribuições legais e regimentais, RESOLUGÃO CFP N 002/98 de 19 de abril de 1998 "Altera a Consolidação das Resoluções do Conselho Federal de Psicologia, aprovada pela Resolução CFP N 004/86, de 19 de outubro de 1986." O CONSELHO FEDERAL

Leia mais

MINISTÉRIO DA INDÚSTRIA E DO COMÉRCIO SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS. CIRCULAR N 016, de 4 de junho de 1973

MINISTÉRIO DA INDÚSTRIA E DO COMÉRCIO SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS. CIRCULAR N 016, de 4 de junho de 1973 MINISTÉRIO DA INDÚSTRIA E DO COMÉRCIO SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS CIRCULAR N 016, de 4 de junho de 1973 Altera dispositivos das Normas de Seguros Aeronáuticos Circular n 19/71, da SUSEP. O SUPERINTENDENTE

Leia mais

1 de 8 23/12/2011 23:24

1 de 8 23/12/2011 23:24 1 de 8 23/12/2011 23:24 TABELA 4 (R$) ATOS DO OFICIAL DE REGISTRO DE IMÓVEIS Emolumentos Taxa de Fiscalização Judiciária Valor Final ao Usuário 1 Averbação (com todas as anotações e referências a outros

Leia mais

MAGAZINE LUIZA S.A. CNPJ/MF N.º 47.960.950/0001-21 NIRE 35.300.104.811 Capital Aberto

MAGAZINE LUIZA S.A. CNPJ/MF N.º 47.960.950/0001-21 NIRE 35.300.104.811 Capital Aberto MAGAZINE LUIZA S.A. CNPJ/MF N.º 47.960.950/0001-21 NIRE 35.300.104.811 Capital Aberto ATA DA REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 4 DE OUTUBRO DE 2012 1. DATA, HORA E LOCAL:

Leia mais

Válida até 30/03/2011

Válida até 30/03/2011 Tabela de Emolumentos / 2011 (1) Válida até 30/03/2011 Anexo da Portaria nº 1448 /CGJ/2010 (a que se refere o 1º do artigo 2º da Lei n.º 15.424, de 30 de dezembro de 2004, atualizado nos termos do artigo

Leia mais

Instrução Normativa RFB nº 1.127, de 7 de fevereiro de 2011

Instrução Normativa RFB nº 1.127, de 7 de fevereiro de 2011 Instrução Normativa RFB nº 1.127, de 7 de fevereiro de 2011 DOU de 8.2.2011 Dispõe sobre a apuração e tributação de rendimentos recebidos acumuladamente de que trata o art. 12-A da Lei nº 7.713, de 22

Leia mais

O PREFEITO MUNICIPAL DE TERESINA, Estado do Piauí, no uso das atribuições legais que lhe confere a Lei Orgânica do Município, e

O PREFEITO MUNICIPAL DE TERESINA, Estado do Piauí, no uso das atribuições legais que lhe confere a Lei Orgânica do Município, e DECRETO Nº 9.540, DE 17 DE AGOSTO DE 2009. Disciplina a emissão da Nota Fiscal de Serviços Eletrônica NFS-e e dá outras providências, nos termos que especifica. O PREFEITO MUNICIPAL DE TERESINA, Estado

Leia mais

GOVERNO DE ALAGOAS SECRETARIA DA FAZENDA

GOVERNO DE ALAGOAS SECRETARIA DA FAZENDA GOVERNO DE ALAGOAS SECRETARIA DA FAZENDA DECRETO Nº 43, de 23 de fevereiro de 2001 DOE 01.03.2001 Altera o Regulamento do ICMS, aprovado pelo Decreto nº 35.245, de 26 de dezembro de 1991, implementando

Leia mais

TABELA A ATOS DOS TABELIÃES. 01 ABERTURA DE FIRMA (ficha de autógrafos)... R$ 4,60

TABELA A ATOS DOS TABELIÃES. 01 ABERTURA DE FIRMA (ficha de autógrafos)... R$ 4,60 TABELA A ATOS DOS TABELIÃES 01 ABERTURA DE FIRMA (ficha de autógrafos)... R$ 4,60 02 ATAS NOTARIAIS (pela lavratura e registro, conforme a complexidade do fato observado a ser transformado em ato jurídico

Leia mais

CONTRATO DE CRÉDITO PESSOAL PRÉ-APROVADO

CONTRATO DE CRÉDITO PESSOAL PRÉ-APROVADO CONTRATO DE CRÉDITO PESSOAL PRÉ-APROVADO Por este instrumento e na melhor forma de direito, a COOPERATIVA, doravante designada simplesmente COOPERATIVA, neste ato devidamente representada na forma de seu

Leia mais

SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA DO CAFÉ TORRADO E MOÍDO

SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA DO CAFÉ TORRADO E MOÍDO SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA DO CAFÉ TORRADO E MOÍDO Janeiro 2016 Substituição Tributária do Café Torrado e Moído Introdução Em função das modificações promovidas pela Lei Complementar n.º 147/2014 no Estatuto

Leia mais

TABELA XIII (2014) I. Arquivamento de qual documento. 7,00 1,09 0,00. b) de liberação parcial de garantia hipotecária 80,00 12,56 Vide nota 6,00

TABELA XIII (2014) I. Arquivamento de qual documento. 7,00 1,09 0,00. b) de liberação parcial de garantia hipotecária 80,00 12,56 Vide nota 6,00 TABELA XIII (2014) ATOS DOS OFICIAIS DO REGISTRO DE IMÓVEIS VRC R$ CPC I. Arquivamento de qual documento. 7,00 1,09 II. Averbação (inclusive a prenotação, a busca e arquivamento): a) de mudança de numeração,

Leia mais

SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS CIRCULAR SUSEP N.º 528, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2016.

SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS CIRCULAR SUSEP N.º 528, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2016. SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS CIRCULAR SUSEP N.º 528, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2016. Estabelece procedimentos relacionados com a instrução de processos de autorização para funcionamento, alterações

Leia mais

Prefeitura Municipal de Votorantim

Prefeitura Municipal de Votorantim PROJETO DE LEI ORDINÁRIA N.º 013/2016 PROJETO DE LEI ORDINÁRIA N.º 006/2016 Dispõe sobre as Diretrizes Orçamentárias para o exercício de 2017 e dá outras providências. ERINALDO ALVES DA SILVA, PREFEITO

Leia mais

TABELA DE EMOLUMENTOS DOS SERVIÇOS NOTARIAIS E DE REGISTROS / 2009

TABELA DE EMOLUMENTOS DOS SERVIÇOS NOTARIAIS E DE REGISTROS / 2009 TABELA DE EMOLUMENTOS DOS SERVIÇOS NOTARIAIS E DE REGISTROS / 2009 TABELA I ATOS DOS OFÍCIOS DE REGISTRO CIVIL DAS PESSOAS NATURAIS E DE INTERDIÇÕES E TUTELAS I - CASAMENTO - HABILITAÇÃO PARA CASAMENTO

Leia mais

PORTARIA Nº 72, DE 01 DE FEVEREIRO DE 2012

PORTARIA Nº 72, DE 01 DE FEVEREIRO DE 2012 REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 15 de Novembro de 1889 PORTARIA Nº 72, DE 01 DE FEVEREIRO DE 2012 Estabelece normas gerais de consolidação das contas dos consórcios públicos a serem observadas na gestão

Leia mais

M O D E L O 12 CONTRATO DE LOCAÇÃO QUADRO RESUMO

M O D E L O 12 CONTRATO DE LOCAÇÃO QUADRO RESUMO M O D E L O 12 CONTRATO DE LOCAÇÃO QUADRO RESUMO LOCADOR: Nome, qualificação e endereço completo. LOCATÁRIO: Nome, qualificação e endereço completo IMÓVEL OBJETO DESTA LOCAÇÃO: Tipo (casa, apartamento,

Leia mais

ANEXO II - Códigos dos atos praticados pelos serviços notariais e de registro

ANEXO II - Códigos dos atos praticados pelos serviços notariais e de registro ANEXO II - s dos atos praticados pelos serviços notariais e de registro ATOS DO TABELIÃO DE NOTAS TABELA 1 (R$) Valor Final ao Usuário 1 Aprovação de testamento cerrado 139,36 43,83 183,19 1101-5 2 Ata

Leia mais

BB Crédito Imobiliário

BB Crédito Imobiliário Selecione a Linha de Crédito Aquisição PF PMCMV Aquisição PF PMCMV Convênios Aquisição PF FGTS Pró-Cotista Aquisição FGTS PF Aquisição PF FGTS Convênios Dados da Agência acolhedora / condutora da Operação

Leia mais

LEI 8.849, DE 28 DE JANEIRO DE 1994

LEI 8.849, DE 28 DE JANEIRO DE 1994 LEI 8.849, DE 28 DE JANEIRO DE 1994 Altera a legislação do Imposto sobre a Renda e proventos de qualquer natureza, e dá outras providências. Faço saber que o presidente da República adotou a Medida Provisória

Leia mais

CONTRATANTE: C I ou CNPJ: Órgão Expedidor: CPF Endereço: Cidade: Estado:

CONTRATANTE: C I ou CNPJ: Órgão Expedidor: CPF Endereço: Cidade: Estado: CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS EDUCACIONAIS A DISTÂNCIA CURSO DE QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL NAS ATIVIDADES NOTARIAIS E REGISTRAIS modalidade à distância CONTRATANTE: C I ou CNPJ: Órgão Expedidor: CPF

Leia mais

CARTA CIRCULAR Nº 3.721, DE 24 DE AGOSTO DE 2015

CARTA CIRCULAR Nº 3.721, DE 24 DE AGOSTO DE 2015 CARTA CIRCULAR Nº 3.721, DE 24 DE AGOSTO DE 2015 Altera o Documento 24 do Manual de Crédito Rural (MCR). O Chefe do Departamento de Regulação, Supervisão e Controle das Operações do Crédito Rural e do

Leia mais

DELIBERAÇÃO JUCERJA N.º 79, DE 04 DE DEZEMBRO DE 2014.

DELIBERAÇÃO JUCERJA N.º 79, DE 04 DE DEZEMBRO DE 2014. DELIBERAÇÃO JUCERJA N.º 79, DE 04 DE DEZEMBRO DE 2014. FIXA OS VALORES DOS EMOLUMENTOS DA JUNTA COMERCIAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO JUCERJA, PARA O EXERCÍCIO DE 2015. O PLENÁRIO DA JUNTA COMERCIAL DO

Leia mais

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 732, DE 2011

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 732, DE 2011 SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 732, DE 2011 Altera o 2º do art. 4º da Lei nº 10.522, de 19 de julho de 2002, que dispõe sobre o cadastro informativo dos créditos não quitados de órgãos e entidades

Leia mais

NORMAS E PROCEDIMENTOS

NORMAS E PROCEDIMENTOS NORMAS E PROCEDIMENTOS Compensação dos atos gratuitos Com o objetivo de informar nossos colegas responsáveis pelos Cartórios de Registro Civil das Pessoas Naturais, a Comissão Gestora do Fundo de Custeio

Leia mais

ATO DO 1º SECRETÁRIO Nº 61, de 2009

ATO DO 1º SECRETÁRIO Nº 61, de 2009 ATO DO 1º SECRETÁRIO Nº 61, de 2009 Dispõe sobre a regulamentação do processamento das consignações em folha de pagamento no Sistema Integrado de Gestão de Recursos Humanos e Elaboração de Folha de Pagamento

Leia mais

http://www.cenofisco.com.br/links/documento/documentonews.aspx?id=24695227

http://www.cenofisco.com.br/links/documento/documentonews.aspx?id=24695227 Página 1 de 6 Cenofisco - Centro de Orientação Fiscal DECRETO Nº 27.552, DE 12 DE AGOSTO DE 2013 DOE-AL de 13/08/2013 (nº 148, pág. 4) Altera o regulamento do ICMS, aprovado pelo Decreto Estadual Nº 35.245,

Leia mais

DEFENSORIA PÚBLICA-GERAL DA UNIÃO CONTRATO Nº 09/2002

DEFENSORIA PÚBLICA-GERAL DA UNIÃO CONTRATO Nº 09/2002 DEFENSORIA PÚBLICA-GERAL DA UNIÃO Processo nº 08038.002328/2001-34 CONTRATO Nº 09/2002 CONTRATO DE LOCAÇÃO DE IMÓVEL URBANO SITUADO NA CIDADE DE PALMAS, ESTADO DE TOCANTINS, QUE CELEBRAM DE UM LADO A UNIÃO,

Leia mais

Dispõe sobre a regulamentação do uso obrigatório do simulador de direção veicular.

Dispõe sobre a regulamentação do uso obrigatório do simulador de direção veicular. DEPARTAMENTO ESTADUAL DE TRÂNSITO - DETRAN/PB Portaria nº 496/2014-DS João Pessoa, 15 de setembro de 2014. (Publicada no Diário Oficial de 19 de setembro de 2014) Dispõe sobre a regulamentação do uso obrigatório

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICIPIO DE PORTO VELHO

PREFEITURA DO MUNICIPIO DE PORTO VELHO DECRETO Nº 11.887, DE 03 DE DEZEMBRO DE 2010. Dispõe sobre o Estágio Remunerado de estudantes matriculados em Instituições Públicas ou Privadas de Ensino Superior e Médio Profissionalizante e dá outras

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 25, DE 15 DE ABRIL DE 2003

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 25, DE 15 DE ABRIL DE 2003 MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 25, DE 15 DE ABRIL DE 2003 As importações de vegetais, seus produtos, derivados e partes, subprodutos,

Leia mais

CÂMARA LEGISLATIVA DO DISTRITO FEDERAL

CÂMARA LEGISLATIVA DO DISTRITO FEDERAL 1 CÂMARA LEGSLATA DO DSTRTO FEDERAL Texto atualizado apenas para consulta. LE Nº 5.187, DE 25 DE SETEMBRO DE 2013 (Autoria do Projeto: Poder Executivo) Reestrutura a tabela de vencimentos da carreira Atividades

Leia mais

PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA PMCMV Fundo de Arrendamento Residencial - FAR PROJETO BÁSICO

PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA PMCMV Fundo de Arrendamento Residencial - FAR PROJETO BÁSICO PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA PMCMV Fundo de Arrendamento Residencial - FAR PROJETO BÁSICO CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA EXECUÇÃO DO PROJETO DE TRABALHO TÉCNICO SOCIAL EMPREENDIMENTO RESIDENCIAL: ALPHA.

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO CONTROLADORIA-GERAL DO ESTADO - CGE/MT

ESTADO DE MATO GROSSO CONTROLADORIA-GERAL DO ESTADO - CGE/MT Orientação Técnica 0002/2015 UNIDADE ORÇAMENTÁRIA: TODAS AS UNIDADES ORÇAMENTÁRIAS INTERESSADO: C/ CÓPIA: ASSUNTO: SECRETÁRIOS DE ESTADO E PRESIDENTES DE AUTARQUIAS,FUNDAÇÕES, EMPRESAS E DEMAIS ENTIDADES

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS EDUCACIONAIS

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS EDUCACIONAIS CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS EDUCACIONAIS PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU, EM NÍVEL DE ESPECIALIZAÇÃO EM DIREITO CIVIL, PROCESSO CIVIL E DIREITO DO CONSUMIDOR CONTRATANTE: Naturalidade: Nacionalidade: Estado

Leia mais

DECRETO Nº 9.795, DE 14 DE SETEMBRO DE 2012.

DECRETO Nº 9.795, DE 14 DE SETEMBRO DE 2012. Publicado no DOM de 15 de setembro de 2012. DECRETO Nº 9.795, DE 14 DE SETEMBRO DE 2012. Aprova o Regulamento Do Imposto de Transmissão Inter Vivos de Bens Imóveis ITIV. A PREFEITA DO MUNICÍPIO DE NATAL,

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº. Art. 1º. A Lei nº 12.066, de 13 de janeiro de 1993, passa a vigorar com as seguintes alterações:

PROJETO DE LEI Nº. Art. 1º. A Lei nº 12.066, de 13 de janeiro de 1993, passa a vigorar com as seguintes alterações: PROJETO DE LEI Nº Altera, revoga e acrescenta dispositivos das Leis nº 12.066, de 13 de janeiro de 1993, que dispõe sobre a estrutura do Grupo Ocupacional do Magistério da Educação Básica MAG e instituiu

Leia mais

COTAS SOCIAIS REGULAMENTO PARA CONCESSÃO DE ISENÇÃO DA TAXA DE INSCRIÇÃO DO CONCURSO VESTIBULAR

COTAS SOCIAIS REGULAMENTO PARA CONCESSÃO DE ISENÇÃO DA TAXA DE INSCRIÇÃO DO CONCURSO VESTIBULAR COTAS SOCIAIS REGULAMENTO PARA REQUERIMENTO NAS COTAS SOCIAIS O sistema de Cotas Sociais, utilizados no Processo Seletivo da FAFIPA, é destinado a candidatos que tenham realizados seus estudos de ensino

Leia mais

CONTRATO Nº 189/2012

CONTRATO Nº 189/2012 CONTRATO Nº 189/2012 Pelo presente instrumento particular, o MUNICÍPIO DE CANDELÁRIA, Pessoa Jurídica de Direito Público, com sede na Av. Pereira Rego, 1665, representada neste ato por seu, Sr. LAURO MAINARDI,

Leia mais

LEILÃO DE IMÓVEIS. 1 OBJETO: 1.1. Alienação dos Imóveis relacionados no Anexo I, parte integrante deste Edital.

LEILÃO DE IMÓVEIS. 1 OBJETO: 1.1. Alienação dos Imóveis relacionados no Anexo I, parte integrante deste Edital. LEILÃO DE IMÓVEIS PATRIMONY ADMINISTRADORA DE BENS S/A, com sede em São Paulo, inscrita no CNPJ sob nº 07.520.413/0001-46, doravante simplesmente denominadas em conjunto VENDEDORA, tornam público, para

Leia mais

Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB Credenciada pelo Decreto Estadual N 7.344, de 27.05.1998

Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB Credenciada pelo Decreto Estadual N 7.344, de 27.05.1998 Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB Credenciada pelo Decreto Estadual N 7.344, de 27.05.1998 EDITAL Nº 035/2009 PROGRAMA DE ISENÇÃO DO PAGAMENTO DA TAXA DE INSCRIÇÃO PARA O PROCESSO SELETIVO

Leia mais

RESOLUÇÃO CONJUNTA ANA, IEMA E IGAM Nº 553, DE 8 DE AGOSTO DE 2011

RESOLUÇÃO CONJUNTA ANA, IEMA E IGAM Nº 553, DE 8 DE AGOSTO DE 2011 RESOLUÇÃO CONJUNTA ANA, IEMA E IGAM Nº 553, DE 8 DE AGOSTO DE 2011 Dispõe sobre os procedimentos para o cadastramento, retificação ou ratificação de dados de usuários em corpos hídricos de domínio da União

Leia mais

Centro de Estudos e Pesquisas 28 Organização Social em Saúde - RJ CNPJ nº 33.927.377/0001-40

Centro de Estudos e Pesquisas 28 Organização Social em Saúde - RJ CNPJ nº 33.927.377/0001-40 EDITAL PARA SELEÇÃO DE FORNECEDOR - AUDITORIA CONTÁBIL EXTERNA O Centro de Estudos e Pesquisas 28 (Organização Social em Saúde), entidade privada de utilidade pública, inscrito no, torna pública a realização,

Leia mais

CNPJ nº 04.446.959/0001-06. Rua Dr. Lauro Pinto, 245 - Lagoa Nova - CEP 59064-250 - Natal/RN. TERMO DE CONTRATO nº /2009

CNPJ nº 04.446.959/0001-06. Rua Dr. Lauro Pinto, 245 - Lagoa Nova - CEP 59064-250 - Natal/RN. TERMO DE CONTRATO nº /2009 CNPJ nº 04.446.959/0001-06. Rua Dr. Lauro Pinto, 245 - Lagoa Nova - CEP 59064-250 - Natal/RN. TERMO DE CONTRATO nº /2009 Pelo presente instrumento particular de Contrato para Convênio Comercial, de um

Leia mais

LEI Nº 8.460, DE 17 DE SETEMBRO DE 1992. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte lei:

LEI Nº 8.460, DE 17 DE SETEMBRO DE 1992. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte lei: LEI Nº 8.460, DE 17 DE SETEMBRO DE 1992. Mensagem de veto Texto compilado Concede antecipação de reajuste de vencimentos e de soldos dos servidores civis e militares do Poder Executivo e dá outras providências.

Leia mais

REGULAMENTO DO FUNDO MÚTUO DE PRIVATIZAÇÃO FGTS UNIBANCO C - PETROBRÁS CNPJ Nº 03.916.755/0001-29 DO FUNDO

REGULAMENTO DO FUNDO MÚTUO DE PRIVATIZAÇÃO FGTS UNIBANCO C - PETROBRÁS CNPJ Nº 03.916.755/0001-29 DO FUNDO REGULAMENTO DO FUNDO MÚTUO DE PRIVATIZAÇÃO FGTS UNIBANCO C - PETROBRÁS CNPJ Nº 03.916.755/0001-29 DO FUNDO Artigo 1º - O FUNDO MÚTUO DE PRIVATIZAÇÃO FGTS UNIBANCO C - PETROBRÁS, doravante designado, abreviadamente,

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECOLÓGICA DA BAHIA COORDENAÇÃO TÉCNICA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECOLÓGICA DA BAHIA COORDENAÇÃO TÉCNICA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECOLÓGICA DA BAHIA COORDENAÇÃO TÉCNICA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA NORMAS COMPLEMENTARES PARA CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DO CEFET-BA Normas adicionais

Leia mais

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - TVA

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - TVA Demonstrativos Financeiros Relatório Anual 2014 Visão Prev Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios TVA Período: 2014 e 2013 dezembro R$ Mil Descrição 2014 2013 Variação (%) 1. Ativos 14.922

Leia mais

DECRETO Nº 11.103 DE 07 DE DEZEMBRO DE 2.009

DECRETO Nº 11.103 DE 07 DE DEZEMBRO DE 2.009 DECRETO Nº 11.103 DE 07 DE DEZEMBRO DE 2.009 Regulamenta a Lei Municipal n 5.767, de 30 de julho de 2.009 e complementa as Resoluções n 303 e 304, ambas de 18 de dezembro de 2.008 do CONTRAN, dispondo

Leia mais

CONVÊNIO ICMS 108, DE 28 DE SETEMBRO DE 2012

CONVÊNIO ICMS 108, DE 28 DE SETEMBRO DE 2012 CONVÊNIO ICMS 108, DE 28 DE SETEMBRO DE 2012 Autoriza o Estado de São Paulo a dispensar ou reduzir multas e demais acréscimos legais mediante parcelamento de débitos fiscais relacionados com o ICM e o

Leia mais

PROVIMENTO Nº 12/2012 - CGJ

PROVIMENTO Nº 12/2012 - CGJ PROVIMENTO Nº 12/2012 - CGJ O Excelentíssimo Senhor Corregedor Geral da Justiça do Estado de Mato Grosso no uso de suas atribuições legais previstas nos artigos 31 e 39, alínea c, do Código de Organização

Leia mais

I - Certidão: EMOL. CUSTAS SELOS TOTAL. a) Até 5 (cinco) páginas datilografadas 11,32 2,26 0,69 14,27

I - Certidão: EMOL. CUSTAS SELOS TOTAL. a) Até 5 (cinco) páginas datilografadas 11,32 2,26 0,69 14,27 PROVIMENTO Nº 015/2010-CG Porto Velho, 22 de dezembro de 2010. O CORREGEDOR-GERAL DA JUSTIÇA DO ESTADO DE RONDÔNIA, no uso de suas atribuições legais e regimentais, e em conformidade com o art. 20 da Lei

Leia mais

COMPANHIA ENERGÉTICA DO MARANHÃO - CEMAR CNPJ/MF n 06272793/0001-84 NIRE 21300006869 Companhia Aberta

COMPANHIA ENERGÉTICA DO MARANHÃO - CEMAR CNPJ/MF n 06272793/0001-84 NIRE 21300006869 Companhia Aberta COMPANHIA ENERGÉTICA DO MARANHÃO - CEMAR CNPJ/MF n 06272793/0001-84 NIRE 21300006869 Companhia Aberta ATA DA REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 21 DE MARÇO DE 2007. DATA, LOCAL E HORA: Aos

Leia mais

O Calendário do curso estará sujeito a sofrer alteração no decorrer do mesmo.

O Calendário do curso estará sujeito a sofrer alteração no decorrer do mesmo. TERMO DE CONTRATAÇÃO E MATRÍCULA CURSO DE GRADUAÇÃO EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA SOCIEDADE EDUCACIONAL DE SANTA CATARINA-SOCESC, pessoa jurídica de direito privado, com sede na Rua Albano Schmidt nº 3333, Bairro

Leia mais

Lei Estadual nº. 12.216/98

Lei Estadual nº. 12.216/98 Lei Estadual nº. 12.216/98 Texto atualizado pelas Leis Estaduais n. os 12.604 de 02/07/99; 12.821 de 27/12/99; 12.827 de 06/01/00; 13.611 de 04/06/02; 14.595 de 28/12/04; 14.596 de 27/12/04 e 15.338 de

Leia mais

P O R T A R I A N 770/2006 PGJ. O PROCURADOR GERAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE, no uso das suas atribuições legais e,

P O R T A R I A N 770/2006 PGJ. O PROCURADOR GERAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE, no uso das suas atribuições legais e, MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE PROCURADORIA GERAL DE JUSTIÇA P O R T A R I A N 770/2006 PGJ O PROCURADOR GERAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE, no uso das suas atribuições

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO /2015

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO /2015 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO /2015 Convenção Coletiva de Trabalho, que entre si ajustam a FEDERAÇÃO NACIONAL DOS EMPREGADOS EM POSTOS DE SERVIÇOS DE COMBUSTÍVEIS E DERIVADOS DE PETRÓLEO - FENEPOSPETRO,

Leia mais

1. DOS PRÉ-REQUISITOS 2. FUNCIONAMENTO DO CURSO

1. DOS PRÉ-REQUISITOS 2. FUNCIONAMENTO DO CURSO 1 Edital de oferta de vagas para o Curso de Pós- GraduaçãoLato Sensu MBA em Gestão Estratégica de Negócios, na modalidade a distância. A Reitora da Universidade Anhanguera-Uniderp, credenciada pelo MEC

Leia mais

TERMO DE ADESÃO E RESPONSABILIDADE:

TERMO DE ADESÃO E RESPONSABILIDADE: TERMO DE ADESÃO E RESPONSABILIDADE: A ASSOCIAÇÃO DOS ACADÊMICOS DE ESPIGÃO DO OESTE, associação privada, inscrita no CNPJ sob o n.º 05.383.191/0001-31, com sede social à Av. Sete de Setembro, n.º 2743,

Leia mais

ESTADO DE ALAGOAS GABINETE DO GOVERNADOR

ESTADO DE ALAGOAS GABINETE DO GOVERNADOR ECRETO Nº 4.459, E 26 E JANEIRO E 2010. ALTERA O REGULAMENTO O ICMS, APROVAO PELO ECRETO Nº 35.245, E 26 E EZEMBRO E 1991, PARA IMPLEMENTAR AS ISPOSIÇÕES O CONVÊNIO ICMS Nº 84, E O AJUSTE SINIEF Nº 11,

Leia mais

Ministério de Minas e Energia Consultoria Jurídica

Ministério de Minas e Energia Consultoria Jurídica Ministério de Minas e Energia Consultoria Jurídica LEI N o 8.723, DE 28 DE OUTUBRO DE 1993. Dispõe sobre a redução de emissão de poluentes por veículos automotores e dá outras providências. O PRESIDENTE

Leia mais

AÇÕES PARA REGULARIZAÇÃO DE IMÓVEIS NO. Estado de São Paulo. O que o Governo de São Paulo, o Ministério Público e a sua Prefeitura podem fazer juntos.

AÇÕES PARA REGULARIZAÇÃO DE IMÓVEIS NO. Estado de São Paulo. O que o Governo de São Paulo, o Ministério Público e a sua Prefeitura podem fazer juntos. AÇÕES PARA REGULARIZAÇÃO DE IMÓVEIS NO Estado de São Paulo O que o Governo de São Paulo, o Ministério Público e a sua Prefeitura podem fazer juntos. Sumário Apresentação 5 Porque regularizar 6 Quando uma

Leia mais

FORTBRASIL: UM MILHÃO DE PONTOS VANTAGENS PARA VOCÊ

FORTBRASIL: UM MILHÃO DE PONTOS VANTAGENS PARA VOCÊ REGULAMENTO 1. Das Empresas 1.1 Da empresa Promotora: FORTBRASIL Administradora de Cartões de Crédito S/A, pessoa jurídica de direito privado, inscrita sob CNPJ de número 02.732.968/0001-38, com sede na

Leia mais

Institui, na forma do art. 43 da Constituição Federal, a Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia SUDAM, estabelece a sua composição, natureza

Institui, na forma do art. 43 da Constituição Federal, a Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia SUDAM, estabelece a sua composição, natureza Institui, na forma do art. 43 da Constituição Federal, a Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia SUDAM, estabelece a sua composição, natureza jurídica, objetivos, área de competência e instrumentos

Leia mais

SELEÇÃO PARA O PROGRAMA DE ASSISTENCIA ESTUDANTIL/2013 EDITAL N 005/2013

SELEÇÃO PARA O PROGRAMA DE ASSISTENCIA ESTUDANTIL/2013 EDITAL N 005/2013 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO MARANHÃO CAMPUS SÃO JOÃO DOS PATOS DIRETORIA GERAL NÚCLEO DE ASSISTENCIA AO EDUCANDO SELEÇÃO PARA O PROGRAMA DE ASSISTENCIA

Leia mais

CONSIDERANDO a transparência e segurança que resultará da implementação do novo modelo gerencial para a definição da política tarifária;

CONSIDERANDO a transparência e segurança que resultará da implementação do novo modelo gerencial para a definição da política tarifária; DECRETO Nº 5.636/2006 João Pessoa (PB) 10 de Maio de 2006 INSTITUI OS SISTEMAS DE BILHETAGEM ELETRÔNICA E GESTÃO EM TRANSPORTES NOS SERVIÇOS DE TRANSPORTE COLETIVO DE PASSAGEIROS POR ÔNIBUS DE JOÃO PESSOA,

Leia mais

CONTRATO ADMINISTRATIVO Nº /2010

CONTRATO ADMINISTRATIVO Nº /2010 CONTRATO ADMINISTRATIVO Nº /2010 CONTRATO DE AQUISIÇÃO DE ESTANTES E ARMÁRIOS DE AÇO ATRAVÉS DE REGISTRO DE PREÇOS, QUE ENTRE SI FAZEM A DE PRIMEIRO GRAU E A EMPRESA PROCESSO Nº /2010-EOF A DE PRIMEIRO

Leia mais

Edital Concurso Cultural de Pintura em Tela 7º Festival Regional do Umbu

Edital Concurso Cultural de Pintura em Tela 7º Festival Regional do Umbu Edital Concurso Cultural de Pintura em Tela 7º Festival Regional do Umbu 1. PROMOÇÃO E REALIZAÇÃO 1.1 A Cooperativa Agropecuária Familiar de Canudos, Uauá e Curaçá (COOPERCUC), promove durante o 7º Festival

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTO V.WEISS & CIA LTDA PROCEDIMENTO PADRÃO PARA VIAGEM A SERVIÇO ATUALIZADO: JULHO/2015 V.WEISS & CIA LTDA

MANUAL DE PROCEDIMENTO V.WEISS & CIA LTDA PROCEDIMENTO PADRÃO PARA VIAGEM A SERVIÇO ATUALIZADO: JULHO/2015 V.WEISS & CIA LTDA Julho/2015 Índice Sumário 1. Envolvidos... 3 2. Formulários Envolvidos... 3 2.1. Relatório de Solicitação de Viagem (anexo 02).... 3 2.2. Relatório de Prestação de Contas (anexo 03).... 3 3. Procedimentos...

Leia mais

lei n.11.331, de 26.12.2002

lei n.11.331, de 26.12.2002 Page 1 of 28 LEI Nº 11.331, DE 26 DE DEZEMBRO DE 2002 Dispõe sobre os emolumentos relativos aos atos praticados pelos serviços notariais e de registro, em face das disposições da Lei federal nº 10.169,

Leia mais

CHAMAMENTO PÚBLICO Nº 02/2011

CHAMAMENTO PÚBLICO Nº 02/2011 CHAMAMENTO PÚBLICO Nº 02/2011 1- PREÂMBULO 1.1. A PREFEITURA MUNICIPAL DE JOÃO MONLEVADE, através da Secretaria Municipal de Administração, por ordem do Prefeito Municipal de João Monlevade, Sr. GUSTAVO

Leia mais

Dispõe sobre procedimentos para o licenciamento ambiental no âmbito da Secretaria do Meio Ambiente.

Dispõe sobre procedimentos para o licenciamento ambiental no âmbito da Secretaria do Meio Ambiente. RESOLUÇÃO Nº 49, DE 28 DE SETEMBRO DE 2004 DOE SP DE 29/09/2004 Dispõe sobre procedimentos para o licenciamento ambiental no âmbito da Secretaria do Meio Ambiente. O Secretário de Estado do Meio Ambiente,

Leia mais