LEVANTAMENTO POPULACIONAL DE FUNGOS EM SEMENTES DE ALFAVACA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "LEVANTAMENTO POPULACIONAL DE FUNGOS EM SEMENTES DE ALFAVACA"

Transcrição

1 SILVA DB; SANTOS PCM; MONTEIRO Levantamento TMA; SILVA populacional DEM; FRANÇA de fungos SKS; SILVA em sementes CS; OLIVEIRA de alfavaca FC; FREITAS JMN Levantamento populacional de fungos em sementes de alfavaca. Horticultura Brasileira 26: S2598-S2602. LEVANTAMENTO POPULACIONAL DE FUNGOS EM SEMENTES DE ALFAVACA Danielly Borges da Silva 1 ; Paulo Cézar das Mercês Santos 1 ; Thyago Magnun Amorim Monteiro 1 ; Diene Elen Miranda da Silva 1 ; Sueny Kelly Santos de França 1 ; Carolina Santos da Silva 1 ; Francisco Carlos de Oliveira 1 ; Joze Melisa Nunes de Freitas 1 1 UFRA, Instituto de Ciências Agrárias, C.P. 917, , Belém-PA; RESUMO O objetivo desse trabalho foi avaliar a qualidade sanitária e fisiológica em sementes de alfavaca orgânica, provenientes do município de Belém. Para detecção dos patógenos foi empregado o método do blotter test, com o uso de placas de Petri, onde foram utilizadas 400 sementes, sendo que 200 sementes submetidas à desinfestação superficial com o uso de hipoclorito de sódio a 2% e 200 sementes sem desinfestação superficial. No teste foram empregadas 50 sementes por placa de Petri esterilizado, totalizando quatro repetições por tratamento. Para avaliar a qualidade fisiológica, as sementes foram submetidas ao teste de germinação, cujos dados foram transformados em arc sen vx/100. O delineamento experimental foi inteiramente casualizado com 2 tratamentos (com e sem desinfestação superficial). Os maiores valores de potencial fisiológico foram obtidos nas sementes submetidas à desinfestação superficial, onde foram encontrados os seguintes microorganismos: Alternaria sp., Penicillium sp., Cladosporium sp., Aspergillus sp., Fusarium sp. e Rhizopus sp. Em relação às sementes não tratadas foram observados os mesmos gêneros de fungos, no entanto, em maior porcentagem. Neste trabalho ficou evidenciado que os fungos detectados nas sementes de alfavaca orgânica apresentaram uma alta incidência, revelando um quadro bastante preocupante com a qualidade sanitária das sementes dessa espécie. PALAVRAS-CHAVE: Ocimum basilicum, patologia de sementes, microrganismos. ABSTRACT Survey population of fungi in alfavaca seeds The objective of this study was to evaluate the sanitary and physiological quality in alfavaca organic seeds, proceeding from the city of Belém-PA. For detection of pathogens the method of blotter test was used, with the use of plates of Petri, where 400 seeds had been used, being that 200 seeds submitted to disinfestation surface with the use of sodium hypochlorite 2% and 200 seeds without disinfestation surface. In the test 50 seeds for sterilized plates of Petri had been used, totaling four replicates by treatment. To evaluate the physiological quality, the seeds had been submitted to the germination test, whose data they were transformed into arc sen vx/100. The experimental design was completely randomized with 2 treatments (with and without disinfestation surface).the biggest values of physiological potential were obtained in seeds submitted to disinfestation surface, where the following microorganisms had been found: Alternaria sp., Penicillium spp., Hortic. bras., v. 26, n. 2 (Suplemento - CD Rom), jul-ago S2598

2 Cladosporium sp., Aspergillus sp., Fusarium sp. and Rhizopus sp. For seed were not treated the same observed genera of fungi, however, in bigger percentage. This work has been shown that fungi found in the alfavaca organic seeds showed a high incidence of fungi, disclosing a sufficiently preoccupying picture with the sanitary quality of seeds of this species. KEYWORDS: Ocimum basilicum, seed pathology, micro-organisms. INTRODUÇÃO A alfavaca (Ocimum basilicum L.) é uma planta condimentar aromática, muito freqüente em vários estados brasileiros, sendo inclusive comercializada na forma fresca em feiras e supermercados. É conhecida sob os nomes de alvafaca-das-américas, basilicum-grande, ervareal, manjericão, alvafaca-cheirosa e entre outros nomes (Cardoso, 1997). Esta espécie é muito cultivada em quase todo Brasil com finalidades condimentar e medicinal (Lorenzi & Matos, 2002). A presença de patógenos em sementes pode reduzir a sua qualidade fisiológica. Levando em consideração este fator, recomenda-se, portanto, que haja uma integração entre os testes de sanidade e de qualidade fisiológica de sementes (Neegaard, 1979; Menten, 1995). Yorinori (1982) relata que elevadas percentagens de sementes infeccionadas e/ou infectadas estão associadas ao decréscimo no poder germinativo e menor desenvolvimento de plântula, sobretudo nos seus primeiros estádios; já Lucca Fillho (1995) cita que sementes com fungos associados podem ser responsáveis pela transmissão de doenças para parte a aérea e sistema radicular da planta além de decréscimo da qualidade fisiológica das sementes e morte de plântulas. Machado (1994) relatou que danos decorrentes da associação dos patógenos com as sementes não se limitam a perdas diretas da população em campo, mas envolvem outras implicações que podem provocar sérios danos em todo o sistema de produção. Para um grande número de doenças, as sementes portadoras de seus agentes causais constituem sua única forma de perpetuação e disseminação na natureza. Dessa forma, o objetivo desse trabalho foi avaliar a qualidade sanitária através do levantamento populacional de microrganismos em sementes de alfavaca orgânica, provenientes do município de Belém-PA. MATERIAL E MÉTODOS O experimento foi conduzido no Laboratório de Fitopatologia, da Universidade Federal Rural da Amazônia, localizada no município de Belém-PA, com sementes de alfavaca orgânica, provenientes do Núcleo de Capacitação e Pesquisas em Horticultura da supracitada universidade. As sementes foram embaladas em sacos de papel do tipo kraft e armazenadas em câmara fria (5 ± 1 ºC e 86 ± 2% UR) até a instalação do experimento. Para detecção dos patógenos empregou-se o método do blotter test de Dhingra & Sinclair (1995), com o uso de placas de Petri, devido ao tamanho diminuto das sementes. Foram utilizadas 400 sementes, sendo que 200 sementes submetidas à desinfestação superficial com o uso de hipoclorito de sódio a 2% por três minutos, e, em seguida, as sementes foram postas para secar o excesso de hipoclorito em ambiente natural do laboratório e 200 sementes sem desinfestação superficial. Hortic. bras., v. 26, n. 2 (Suplemento - CD Rom), jul-ago S2599

3 Nesse tratamento, as sementes foram colocadas em água destilada esterilizadas por 5 minutos e depois foram secadas, conforme procedimento realizado com o tratamento anteriormente descrito, antes da instalação do ensaio. No teste foram empregadas 50 sementes por placa de Petri esterilizado, totalizando quatro repetições por tratamento. Cada placa foi forrada com duas folhas de papel de filtro, autoclavadas e pré-umedecidas com água destilada esterilizada (ADE). As sementes foram colocadas em câmara germinativa do tipo BOD a 25 ± 2 ºC de temperatura com fotoperíodo de 12 horas de luz e 12 horas de escuro. A contagem de ocorrência dos microrganismos foi realizada aos sete dias, conforme Neergaard (1979) e Brasil (1992). As sementes foram analisadas individualmente em lupa e microscópio ótico, sendo realizada a identificação dos patógenos com base em suas características morfológicas (Barnett & Hunter, 1972). O número de colônias por sementes de cada fungo foi computado e transformado em percentagem de ocorrência. Para avaliar a qualidade fisiológica, as sementes foram submetidas ao teste de germinação, realizada concomitantemente com o teste de qualidade sanitária, onde a contagem de sementes germinadas foi efetuada no sétimo dia após a instalação do experimento. As avaliações foram efetuadas segundo os critérios estabelecidos pelas Regras para Análise de Sementes - RAS (Brasil, 1992). O delineamento experimental foi inteiramente casualizado. Ao fim do teste, com os dados do número de sementes germinadas por repetição determinou-se a qualidade fisiológica (germinação), cujos dados foram transformados em arc sen vx/100. A comparação das médias foi feita pelo teste de Tukey a 5% de probabilidade. RESULTADOS E DISCUSSÃO Na avaliação da qualidade fisiológica, por meio dos testes de germinação (Tabela 1), os maiores valores de potencial fisiológico foram obtidos nas sementes tratadas com hipoclorito de sódio, que apresentaram percentual germinativo de 56,5%, em detrimento as sementes não tratadas, que por sua vez, externaram uma taxa de germinação de 42,7%. Alguns autores verificaram que certos fungos, ao infectarem as sementes, danificam suas estruturas celulares de modo a prejudicar sua viabilidade, podendo até ocasionar a morte da mesma (Wetzel, 1987; Machado, 1988; Menten, 1995). Dessa forma, nesse trabalho, mesmo com o tratamento de sementes, a germinação foi considerada baixa, conforme relatos da literatura. A ocorrência de microrganismos em sementes de alfavaca orgânica é apresentada na Tabela 2. Nas sementes não tratadas, foram observados os seguintes gêneros de fungos: Alternaria sp. (84%), Penicillium sp. (72%), Cladosporium sp. (63%), Aspergillus sp. (51%), Fusarium sp. (44%), além de Rhizopus sp. (12%). Segundo Rego (1995), esse gênero é considerado, geralmente, um contaminante, quando se refere à sementes. Para as sementes tratadas com hipoclorito de sódio, esses mesmos gêneros de fungos foram registrados, porém em menor percentagem. Os microorganismos encontrados são: Alternaria sp. (67%), Penicillium sp. (59%), Cladosporium sp. (48%), Aspergillus sp. (37%), Fusarium sp. (28%) e Rhizopus sp. (8%). Segundo Wetzel (1987), as condições inadequadas do ambiente de armazenamento são os principais fatores envolvidos na conservação das sementes, favorecendo a infestação pelos chamados fungos de armazenamento, como Aspergillus sp. Hortic. bras., v. 26, n. 2 (Suplemento - CD Rom), jul-ago S2600

4 Neste trabalho ficou evidenciado que os fungos detectados nas sementes de alfavaca orgânica apresentaram uma alta incidência, revelando um quadro bastante preocupante com a qualidade sanitária das sementes dessa espécie. LITERATURA CITADA BARNETT HL; HUNTER BB Illustrated genera of imperfect fungi. 3. ed. Minneapolis, MN. Burgess Publishing Company. 218p. BRASIL Ministério da Agricultura e da Reforma Agrária. Regras para análise de sementes. Brasília: SNDA/DNDV/CLAV: 365p. CARDOSO MO (Coord.) Hortaliças não-convencionais da Amazônia. Brasília: Embrapa SPI: Manaus: Embrapa-CPAA. 150p. DHINGRA O; SINCLAIR JB Basic plant pathology methods. Boca Raton: CRC. 433p. LORENZI H; MATOS FJA Plantas medicinais no Brasil: nativas e exóticas cultivadas. Nova Odessa: Instituto Plantarum. p LUCCA FILHO OA Curso de tecnologia de sementes. Brasília: ABEAS. 53p. MACHADO JC Padrões de tolerância de patógenos associados a sementes. Revisão Anual de Patologia de Plantas 2: MACHADO JC Patologia de sementes fundamentos e aplicações. Brasília: MEC/ESAL/ FAEPE. 106p. MENTEN JOM Patógenos em sementes: detecção, danos e controle químico. São Paulo: CibaAgro. 321p. NEERGAARD P Seed pathology. London: Mac Millan Press. 538p. REGO AM Doenças causadas por fungos em cucurbitáceas. Informe Agropecuário 17: WETZEL MMVS Fungos de armazenamento. In: SOAVE J; WETZEL MMVS (Eds.). Patologia de sementes. Campinas SP. Fundação Cargill: YORINORI JT Doenças da soja causadas por fungos. Informe Agropecuário 8: Hortic. bras., v. 26, n. 2 (Suplemento - CD Rom), jul-ago S2601

5 Tabela 1. Percentagem de germinação de sementes de alfavaca, com e sem desinfestação superficial, utilizando hipoclorito de sódio a 2%. (Percentage of germination of alfavaca seeds, with and without disinfestation surface, using sodium hypochlorite to 2%.). Belém, UFRA, Tratamento Germinação (%) Com desinfestação 56,5 a* Sem desinfestação 42,7 b CV (%) 6,79 DMS (Tukey) 5,82 * Médias seguidas pela mesma letra não diferem significativamente entre si, de acordo com o teste de Tukey ao nível de 5% de probabilidade. (Means followed by the same letter do not differ significantly among themselves, according to the Tukey s test at 5% probability). Belém, UFRA, Tabela 2. Incidência de fungos em sementes de alfavaca, com e sem desinfestação superficial, utilizando hipoclorito de sódio a 2%. (Incidence of fungi in alfavaca seeds, with and without disinfestation surface, using sodium hypochlorite to 2%.). Belém, UFRA, Com desinfestação Tratamento Com desinfestação Alternaria sp. 67% 87% Penicillium sp. 59% 72% Fungos (%) Cladosporium sp. 48% 63% Aspergillus sp. 37% 51% Fusarium sp. 28% 44% Rhizopus sp. 8% 12% Hortic. bras., v. 26, n. 2 (Suplemento - CD Rom), jul-ago S2602

Extratos Vegetais na Qualidade Fisiológica e Sanitária de Sementes de Zínia (Zinnia elegans)

Extratos Vegetais na Qualidade Fisiológica e Sanitária de Sementes de Zínia (Zinnia elegans) Extratos Vegetais na Qualidade Fisiológica e Sanitária de Sementes de Zínia (Zinnia elegans) Plant Extracts in Zinnia Seed Pathology and Germination GIRARDI, Leonita B. 1 lbgirardi@hotmail.com; LAZAROTTO,

Leia mais

Patologia, Tamanho de Grão, Poder Germinativo e Teor de Micotoxina em Genótipos de Cevada Produzidos em Ambiente Favorável a Doenças de Espigas

Patologia, Tamanho de Grão, Poder Germinativo e Teor de Micotoxina em Genótipos de Cevada Produzidos em Ambiente Favorável a Doenças de Espigas Patologia, Tamanho de Grão, Poder Germinativo e Teor de Micotoxina em s de Cevada Produzidos em Ambiente Favorável a Doenças de Espigas Maria Imaculada Pontes Moreira Lima 1 ; Euclydes Minella 1 ; Martha

Leia mais

QUALIDADE SANITÁRIA E FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE AVEIA PRETA (Avena strigosa SCHREB) DA ZONA SUL DO RIO GRANDE DO SUL 1

QUALIDADE SANITÁRIA E FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE AVEIA PRETA (Avena strigosa SCHREB) DA ZONA SUL DO RIO GRANDE DO SUL 1 QUALIDADE SANITÁRIA E FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE AVEIA PRETA (Avena strigosa SCHREB) DA ZONA SUL DO RIO GRANDE DO SUL 1 GILBERTO ANTONIO P. BEVILAQUA 2 e CARLOS ROBERTO PIEROBOM 3 Revista Brasileira de

Leia mais

Efeitos da adubação nitrogenada de liberação lenta sobre a qualidade de mudas de café

Efeitos da adubação nitrogenada de liberação lenta sobre a qualidade de mudas de café Efeitos da adubação nitrogenada de liberação lenta sobre a qualidade de mudas de café Gabriel Avelar LAGE 1 ; Sheila Isabel do Carmo PINTO²; Iul Brinner Expedito de SOUZA³; Marcus Vinicius SANTOS 3 ; Guilherme

Leia mais

Tratamento Térmico na Qualidade Fisiológica e Sanitária de Sementes de Lolium multiflorum Lam.

Tratamento Térmico na Qualidade Fisiológica e Sanitária de Sementes de Lolium multiflorum Lam. Tratamento Térmico na Qualidade Fisiológica e Sanitária de Sementes de Lolium multiflorum Lam. Heat Treatment on the Physiological and Sanitary Quality of Lolium multiflorum Lam. Seeds GIRARDI, Leonita

Leia mais

ANÁLISE SANITÁRIA DE SEMENTES DE TRIGO

ANÁLISE SANITÁRIA DE SEMENTES DE TRIGO ANÁLISE SANITÁRIA DE SEMENTES DE TRIGO Cristian Rafael Brzezinski 1, Agnes Izumi Nagashima 1, André Matheus Prando 1, Fernando Augusto Henning, Ademir Assis Henning, Claudemir Zucareli 1 1 Universidade

Leia mais

TECNOBIO BIOPROCESSOS AMBIENTAIS PROGRAMA DE TRATAMENTO E MONITORAMENTO DA AREIA DA PRAIA Histórico Os microorganismos representam um componente significativo da areia de praia (NESTOR et al, 1984; CODINACHS

Leia mais

EFEITO DO TRATAMENTO QUÍMICO NA SANIDADE DE SEMENTES DE ESPÉCIES FLORESTAIS

EFEITO DO TRATAMENTO QUÍMICO NA SANIDADE DE SEMENTES DE ESPÉCIES FLORESTAIS Ciência Florestal, Santa Maria, v. 21, n. 3, p. 473-478, jul.-set., 2011 ISSN 0103-9954 EFEITO DO TRATAMENTO QUÍMICO NA SANIDADE DE SEMENTES DE ESPÉCIES FLORESTAIS 473 EFFECT OF CHEMICAL CONTROL ON THE

Leia mais

Obtenção Experimental de Modelos Matemáticos Através da Reposta ao Degrau

Obtenção Experimental de Modelos Matemáticos Através da Reposta ao Degrau Alunos: Nota: 1-2 - Data: Obtenção Experimental de Modelos Matemáticos Através da Reposta ao Degrau 1.1 Objetivo O objetivo deste experimento é mostrar como se obtém o modelo matemático de um sistema através

Leia mais

FUNGOS: UMA ANÁLISE EXPERIMENTAL SOBRE OS AGENTES CAUSADORES DE PROBLEMAS AOS PRODUTOS TÊXTEIS

FUNGOS: UMA ANÁLISE EXPERIMENTAL SOBRE OS AGENTES CAUSADORES DE PROBLEMAS AOS PRODUTOS TÊXTEIS FUNGOS: UMA ANÁLISE EXPERIMENTAL SOBRE OS AGENTES CAUSADORES DE PROBLEMAS AOS PRODUTOS TÊXTEIS Júlia Carla de Queiroz 1, Veronica Rodrigues de Mendonça 2, Ammanda Adhemer Albuquerque Bandeira 3, Etienne

Leia mais

Revista Brasileira de Ciências Agrárias ISSN: 1981-1160 editorgeral@agraria.pro.br Universidade Federal Rural de Pernambuco Brasil

Revista Brasileira de Ciências Agrárias ISSN: 1981-1160 editorgeral@agraria.pro.br Universidade Federal Rural de Pernambuco Brasil Revista Brasileira de Ciências Agrárias ISSN: 1981-1160 editorgeral@agraria.pro.br Universidade Federal Rural de Pernambuco Brasil Marino, Regina H.; Mesquita, João B.; Andrade, Karen V. S. de; Costa,

Leia mais

TRATAMENTO DE ÁGUA: SISTEMA FILTRO LENTO ACOPLADO A UM CANAL DE GARAFFAS PET

TRATAMENTO DE ÁGUA: SISTEMA FILTRO LENTO ACOPLADO A UM CANAL DE GARAFFAS PET TRATAMENTO DE ÁGUA: SISTEMA FILTRO LENTO ACOPLADO A UM CANAL DE GARAFFAS PET Maick Sousa Almeida (1); Anderson Oliveira de Sousa (1); Ana Paula Araújo Almeida (2) (1) Universidade Estadual da Paraíba;

Leia mais

42º Congresso Bras. de Medicina Veterinária e 1º Congresso Sul-Brasileiro da ANCLIVEPA - 31/10 a 02/11 de 2015 - Curitiba - PR 1

42º Congresso Bras. de Medicina Veterinária e 1º Congresso Sul-Brasileiro da ANCLIVEPA - 31/10 a 02/11 de 2015 - Curitiba - PR 1 1 OCORRÊNCIA DE REGISTROS DO EXAME DE MORMO NA MESORREGIÃO DO VALE DO ITAJAÍ ANTES E APÓS A DETECÇÃO DO SURTO EM SANTA CATARINA ZULEIKA FERNANDES¹, BRUNA HELENA KIPPER², CARLOS EFRAIN STEIN² ¹ Médica Veterinária

Leia mais

OS EFEITOS ALELOPÁTICOS DO EXTRATO DE PATA DE VACA (Bauhinia forticata BENTH) EM SEMENTES DE SOJA (Glycine max MERR)

OS EFEITOS ALELOPÁTICOS DO EXTRATO DE PATA DE VACA (Bauhinia forticata BENTH) EM SEMENTES DE SOJA (Glycine max MERR) ISBN 978-85-61091-05-7 V EPCC Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 27 a 30 de outubro de 2009 OS EFEITOS ALELOPÁTICOS DO EXTRATO DE PATA DE VACA (Bauhinia forticata BENTH) EM SEMENTES

Leia mais

Substratos para Produção de Mudas de Tomateiro

Substratos para Produção de Mudas de Tomateiro Substratos para Produção de Mudas de Tomateiro Substrates for Tomato Seedlings Production PEREIRA, Dercio Ceri. UNIOESTE, dcpereirasp@hotmail.com; COSTA, Luiz Antonio de Mendonça. UNIOESTE, lmendo@ig.com.br;

Leia mais

Dormência em sementes de pata-de-vaca (Bauhinia angulata vell).

Dormência em sementes de pata-de-vaca (Bauhinia angulata vell). Dormência em sementes de pata-de-vaca (Bauhinia angulata vell). Oscar José Smiderle 1 ; Moises Mourão Jr 1 ; Francisco Joaci de Freitas Luz 1. 1 Pesquisador Embrapa Roraima CP 133 CEP 691-97 Boa Vista

Leia mais

QUALIDADE SANITÁRIA DE SEMENTES DE AVEIA-PRETA cv. COMUM SUBMETIDOS A DIFERENTES TRATAMENTOS 1

QUALIDADE SANITÁRIA DE SEMENTES DE AVEIA-PRETA cv. COMUM SUBMETIDOS A DIFERENTES TRATAMENTOS 1 QUALIDADE SANITÁRIA DE SEMENTES DE AVEIA-PRETA cv. COMUM SUBMETIDOS A DIFERENTES TRATAMENTOS 1 BARBIERI, Marciele 2 ; DUTRA, Claudia Braga 3 ; BOVOLINI, Marciéli Pitorini 4 ; MACIEL, Caciara Gonzatto 5

Leia mais

ANÁLISE COMPARATIVA DOS DADOS METEOROLÓGICOS NAS ESTAÇÕES AUTOMÁTICAS E CONVENCIONAIS DO INMET EM BRASÍLIA DF.

ANÁLISE COMPARATIVA DOS DADOS METEOROLÓGICOS NAS ESTAÇÕES AUTOMÁTICAS E CONVENCIONAIS DO INMET EM BRASÍLIA DF. ANÁLISE COMPARATIVA DOS DADOS METEOROLÓGICOS NAS ESTAÇÕES AUTOMÁTICAS E CONVENCIONAIS DO INMET EM BRASÍLIA DF. Sidney Figueiredo de Abreu¹; Arsênio Carlos Andrés Flores Becker² ¹Meteorologista, mestrando

Leia mais

Adubação com composto de farelos anaeróbico na produção de tomate orgânico cultivado sobre coberturas vivas de amendoim forrageiro e grama batatais.

Adubação com composto de farelos anaeróbico na produção de tomate orgânico cultivado sobre coberturas vivas de amendoim forrageiro e grama batatais. Adubação com composto de farelos anaeróbico na produção de tomate orgânico cultivado sobre coberturas vivas de amendoim forrageiro e grama batatais. RESUMO O trabalho foi conduzido na Área de Pesquisa

Leia mais

Fungos Associados às Sementes de Ipê Roxo (Tabebuia impetiginosa (Mart.) Standl.)

Fungos Associados às Sementes de Ipê Roxo (Tabebuia impetiginosa (Mart.) Standl.) Anais do VIII Seminário de Iniciação Científica e V Jornada de Pesquisa e Pós-Graduação UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS 10 a 12 de novembro de 2010 Fungos Associados às Sementes de Ipê Roxo (Tabebuia impetiginosa

Leia mais

IV Seminário de Iniciação Científica

IV Seminário de Iniciação Científica 385 AVALIAÇÃO DA RESISTÊNCIA À COMPRESSÃO E DO MÓDULO DE ELASTICIDADE DO CONCRETO QUANDO SUBMETIDO A CARREGAMENTO PERMANENTE DE LONGA DURAÇÃO (Dt = 9 dias) Wilson Ferreira Cândido 1,5 ;Reynaldo Machado

Leia mais

Ciência Florestal, Santa Maria, v. 9, n. 2, p. 1-7 1 ISSN 0103-9954. DESINFESTAÇÃO E QUEBRA DE DORMÊNCIA DE SEMENTES DE Acacia mearnsii DE WILD

Ciência Florestal, Santa Maria, v. 9, n. 2, p. 1-7 1 ISSN 0103-9954. DESINFESTAÇÃO E QUEBRA DE DORMÊNCIA DE SEMENTES DE Acacia mearnsii DE WILD Ciência Florestal, Santa Maria, v. 9, n. 2, p. 1-7 1 ISSN 0103-9954 DESINFESTAÇÃO E QUEBRA DE DORMÊNCIA DE SEMENTES DE Acacia mearnsii DE WILD DESINFESTATION AND BREAK OF DORMANCY OF SEEDS OF Acacia mearnsii

Leia mais

Descrever o procedimento para realização do monitoramento da ETE no Porto de Itajaí.

Descrever o procedimento para realização do monitoramento da ETE no Porto de Itajaí. 1 Objetivo Descrever o procedimento para realização do monitoramento da ETE no Porto de Itajaí. 2 Abrangência Este procedimento se aplica a todas as áreas e colaboradores enquadrados no perímetro de abrangência

Leia mais

INFLUÊNCIA DOS FENÔMENOS EL NIÑO E LA NIÑA NO BALANÇO DE ENERGIA DA CULTURA DA CANA DE AÇÚCAR NO ESTADO DE ALAGOAS

INFLUÊNCIA DOS FENÔMENOS EL NIÑO E LA NIÑA NO BALANÇO DE ENERGIA DA CULTURA DA CANA DE AÇÚCAR NO ESTADO DE ALAGOAS INFLUÊNCIA DOS FENÔMENOS EL NIÑO E LA NIÑA NO BALANÇO DE ENERGIA DA CULTURA DA CANA DE AÇÚCAR NO ESTADO DE ALAGOAS GABRIEL B. COSTA 1, IVENS BARBOSA LEÃO 2, MÔNICA RODRIGUES QUEIROZ 3, JOSIANE SARMENTO

Leia mais

AVALIAÇÃO DOS INDICADORES DE BALNEABILIDADE EM PRAIAS ESTUARINAS

AVALIAÇÃO DOS INDICADORES DE BALNEABILIDADE EM PRAIAS ESTUARINAS AVALIAÇÃO DOS INDICADORES DE BALNEABILIDADE EM ESTUARINAS Bianca Coelho Machado Curso de Engenharia Sanitária, Departamento de Hidráulica e Saneamento, Centro Tecnológico, Universidade Federal do Pará.

Leia mais

DIFERENTES COMPONENTES DO SUBSTRATO PARA O DESENVOLVIMENTO DO TOMATE (Lycopersicon esculentum)

DIFERENTES COMPONENTES DO SUBSTRATO PARA O DESENVOLVIMENTO DO TOMATE (Lycopersicon esculentum) DIFERENTES COMPONENTES DO SUBSTRATO PARA O DESENVOLVIMENTO DO TOMATE (Lycopersicon esculentum) GOMES, Maraíne Corrêa 1 ALMEIDA, Ingridi Carla 2 NOGUEIRA, Luiz Cláudio A. 3 ¹ Aluna do curso de Agronomia

Leia mais

Unidade 1: O Computador

Unidade 1: O Computador Unidade : O Computador.3 Arquitetura básica de um computador O computador é uma máquina que processa informações. É formado por um conjunto de componentes físicos (dispositivos mecânicos, magnéticos, elétricos

Leia mais

Modelo Comportamental

Modelo Comportamental MEDIDA 2.2 - Cursos de Educação e Formação de Adultos Modelo Comportamental Documento de apoio 3 Diagrama Entidade Relação Curso de Educação e Formação de Adultos Turma de Qualificação Escolar de Nível

Leia mais

Análise Qualitativa no Gerenciamento de Riscos de Projetos

Análise Qualitativa no Gerenciamento de Riscos de Projetos Análise Qualitativa no Gerenciamento de Riscos de Projetos Olá Gerente de Projeto. Nos artigos anteriores descrevemos um breve histórico sobre a história e contextualização dos riscos, tanto na vida real

Leia mais

QUALIDADE SANITÁRIA DE SEMENTES DE Brassica napus PRODUZIDAS NO ESTADO DO PARANÁ 1

QUALIDADE SANITÁRIA DE SEMENTES DE Brassica napus PRODUZIDAS NO ESTADO DO PARANÁ 1 QUALIDADE SANITÁRIA DE SEMENTES DE Brassica napus PRODUZIDAS NO ESTADO DO PARANÁ 1 MIGLIORINI, Patricia 2 ; MUNIZ, Marlove 3 ; MULLER, Juceli 2 ; NOAL, Gisele 2 ; POLLET, Camila Schultz 4 ; BASTOS, Bruna

Leia mais

Auditoria de Meio Ambiente da SAE/DS sobre CCSA

Auditoria de Meio Ambiente da SAE/DS sobre CCSA 1 / 8 1 OBJETIVO: Este procedimento visa sistematizar a realização de auditorias de Meio Ambiente por parte da SANTO ANTÔNIO ENERGIA SAE / Diretoria de Sustentabilidade DS, sobre as obras executadas no

Leia mais

FUNGOS ASSOCIADOS ÀS FLORES E SEMENTES DA NOGUEIRA-PECÃ (Carya illinoinensis)

FUNGOS ASSOCIADOS ÀS FLORES E SEMENTES DA NOGUEIRA-PECÃ (Carya illinoinensis) REVISTA DE CIÊNCIAS AMBIENTAIS - RCA (ISSN 1981-8858) http://www.revistas.unilasalle.edu.br/index.php/rbca FUNGOS ASSOCIADOS ÀS FLORES E SEMENTES DA NOGUEIRA-PECÃ (Carya illinoinensis) Tales Poletto 1

Leia mais

Experiência: Gestão Estratégica de compras: otimização do Pregão Presencial

Experiência: Gestão Estratégica de compras: otimização do Pregão Presencial Experiência: Gestão Estratégica de compras: otimização do Pregão Presencial Hospital de Clínicas de Porto Alegre Responsável: Sérgio Carlos Eduardo Pinto Machado, Presidente Endereço: Ramiro Barcelos,

Leia mais

No contexto das ações de Pesquisa e Desenvolvimento

No contexto das ações de Pesquisa e Desenvolvimento Um método para avaliar o desempenho ótico de LEDs O LABelectron desenvolveu um método de testes para analisar influências ópticas em diferentes modos de acionamentos de LEDs André Andreta No contexto das

Leia mais

Eficiência da Terra de Diatomácea no Controle do Caruncho do Feijão Acanthoscelides obtectus e o Efeito na Germinação do Feijão

Eficiência da Terra de Diatomácea no Controle do Caruncho do Feijão Acanthoscelides obtectus e o Efeito na Germinação do Feijão Eficiência da Terra de Diatomácea no Controle do Caruncho do Feijão Acanthoscelides obtectus e o Efeito na Germinação do Feijão The Efficiency of Diatomaceous Earth in Control of Bean Weevil Acanthoscelides

Leia mais

Qualidade sanitária de sementes de mamona (cv. IAC-226)

Qualidade sanitária de sementes de mamona (cv. IAC-226) Comunicata Scientiae 5(3): 311-317, 2014 Artigo e-issn: 2177-5133 www.ufpi.br/comunicata Qualidade sanitária de sementes de mamona (cv. IAC-226) Andréia Márcia Santos de Souza David¹*, Eduardo Fontes Araujo²,

Leia mais

INSTRUÇÕES DE USO PRODUTO DE USO MÉDICO PRODUTO NÃO ESTÈRIL

INSTRUÇÕES DE USO PRODUTO DE USO MÉDICO PRODUTO NÃO ESTÈRIL INSTRUÇÕES DE USO NOME TÉCNICO: Caixa/Estojo para Instrumental Cirúrgico NOME COMERCIAL: Caixa para Instrumental Cirúrgico PRODUTO DE USO MÉDICO PRODUTO NÃO ESTÈRIL ATENÇÃO: Ler atentamente todas as instruções

Leia mais

Classificação de alimentos em relação à suas informações nutricionais por meio da Análise Multivariada

Classificação de alimentos em relação à suas informações nutricionais por meio da Análise Multivariada Classificação de alimentos em relação à suas informações nutricionais por meio da Análise Multivariada Lucas Santana da Cunha 1 Sonia Maria de Stefano Piedade 2 1 Introdução A presença de informações nutricionais

Leia mais

QUALIDADE FÍSICA DOS GRÃOS DE SOJA, CULTIVAR TMG115RR, SUBMETIDOS À SIMULAÇÃO DE CHUVA DURANTE O RETARDAMENTO DE COLHEITA

QUALIDADE FÍSICA DOS GRÃOS DE SOJA, CULTIVAR TMG115RR, SUBMETIDOS À SIMULAÇÃO DE CHUVA DURANTE O RETARDAMENTO DE COLHEITA Scientia Agraria ISSN 1519-1125 (printed) and 1983-2443 (on-line) ANDRADE, P. et al. Qualidade física dos grãos de soja... QUALIDADE FÍSICA DOS GRÃOS DE SOJA, CULTIVAR TMG115RR, SUBMETIDOS À SIMULAÇÃO

Leia mais

DIREÇÃO DE COMPROVAÇÃO DA QUALIDADE DIREÇÃO DE PRODUTOS DE SAÚDE

DIREÇÃO DE COMPROVAÇÃO DA QUALIDADE DIREÇÃO DE PRODUTOS DE SAÚDE DIREÇÃO DE COMPROVAÇÃO DA QUALIDADE DIREÇÃO DE PRODUTOS DE SAÚDE Dispositivos Médicos para o Controlo da Diabetes - agulhas, lancetas e seringas Dispositivos Médicos para o Controlo da Diabetes 17-07-2012

Leia mais

A presença de Outliers interfere no Teste f e no teste de comparações múltiplas de médias

A presença de Outliers interfere no Teste f e no teste de comparações múltiplas de médias A presença de Outliers interfere no Teste f e no teste de comparações múltiplas de médias CHICARELI, L.S 1 ; OLIVEIRA, M.C.N. de 2 ; POLIZEL, A 3 ; NEPOMUCENO, A.L. 2 1 Universidade Estadual de Londrina

Leia mais

Defender interesses difusos e coletivos, defender o regime democrático e a implementação de políticas constitucionais.

Defender interesses difusos e coletivos, defender o regime democrático e a implementação de políticas constitucionais. 1. Escopo ou finalidade do projeto Ampliar a efetividade do velamento que o Ministério Público exerce sobre as Fundações Privadas, de forma a garantir que este patrimônio social seja efetivamente aplicado

Leia mais

3 Metodologia de pesquisa

3 Metodologia de pesquisa 3 Metodologia de pesquisa Esta pesquisa foi concebida com o intuito de identificar como a interação entre o gerenciamento de projetos e o planejamento estratégico estava ocorrendo nas empresas do grupo

Leia mais

Registro Hospitalar de Câncer Conceitos Básicos Planejamento Coleta de Dados Fluxo da Informação

Registro Hospitalar de Câncer Conceitos Básicos Planejamento Coleta de Dados Fluxo da Informação Registro Hospitalar de Câncer Conceitos Básicos Planejamento Coleta de Dados Fluxo da Informação Registro Hospitalar de Câncer Este tipo de registro se caracteriza em um centro de coleta, armazenamento,

Leia mais

AVALIAÇÃO DA MICROBIOTA PRESENTE EM CAFÉ ARMAZENADO E RECÉM -BENEFICIADO

AVALIAÇÃO DA MICROBIOTA PRESENTE EM CAFÉ ARMAZENADO E RECÉM -BENEFICIADO AVALIAÇÃO DA MICROBIOTA PRESENTE EM CAFÉ ARMAZENADO E RECÉM -BENEFICIADO MARTINS, A.N. 1 ; SILVEIRA, A.P. 2 E SILVA, R.J.N. 3 1 Faculdade de Agronomia e Engenharia Florestal - FAEF, Rua das Flores, 740,

Leia mais

Proposta de ajuste de modelos não lineares na descrição de germinação de sementes de café

Proposta de ajuste de modelos não lineares na descrição de germinação de sementes de café Proposta de ajuste de modelos não lineares na descrição de germinação de sementes de café Iábita Fabiana Sousa 1 Joel Augusto Muniz 1 Renato Mendes Guimarães 2 Taciana Villela Savian 3 1 Introdução Um

Leia mais

REGULAMENTO DO AUTOCARRO E CARRINHA

REGULAMENTO DO AUTOCARRO E CARRINHA REGULAMENTO DO AUTOCARRO E CARRINHA REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DO AUTOCARRO E CARRINHA DE NOVE LUGARES Preâmbulo Tendo em conta a nova realidade politica administrativa existente no território da União

Leia mais

Manual do Desenvolvedor Geração de Tokens

Manual do Desenvolvedor Geração de Tokens Manual do Desenvolvedor Geração de Tokens Setembro de 2012 Versão 1.3 ÍNDICE Página 1. Introdução... 1 2. Geração de Tokens... 1 2.1 Formato dos Tokens... 1 2.2 Geração de Tokens... 1 2.2.1 Gerar Token

Leia mais

USO DE DIFERENTES SUBSTRATOS E FREQUÊNCIA DE IRRIGAÇÃO NO CULTIVO DE TOMATE CEREJA EM SISTEMA HIDROPÔNICO

USO DE DIFERENTES SUBSTRATOS E FREQUÊNCIA DE IRRIGAÇÃO NO CULTIVO DE TOMATE CEREJA EM SISTEMA HIDROPÔNICO USO DE DIFERENTES SUBSTRATOS E FREQUÊNCIA DE IRRIGAÇÃO NO CULTIVO DE TOMATE CEREJA EM SISTEMA HIDROPÔNICO Rodrigo de Rezende Borges Rosa 1 ; Delvio Sandri 2 1 Eng. Agrícola, Discente do Mestrando Engenharia

Leia mais

Estudo sobre a dependência espacial da dengue em Salvador no ano de 2002: Uma aplicação do Índice de Moran

Estudo sobre a dependência espacial da dengue em Salvador no ano de 2002: Uma aplicação do Índice de Moran Estudo sobre a dependência espacial da dengue em Salvador no ano de 2002: Uma aplicação do Índice de Moran Camila Gomes de Souza Andrade 1 Denise Nunes Viola 2 Alexandro Teles de Oliveira 2 Florisneide

Leia mais

EFEITO DO PRODUTO DIFLY S3 NO CONTROLE DO CARRAPATO BOOPHILUS MICROPLUS EM BOVINOS DA RAÇA GIR, MESTIÇA E HOLANDESA

EFEITO DO PRODUTO DIFLY S3 NO CONTROLE DO CARRAPATO BOOPHILUS MICROPLUS EM BOVINOS DA RAÇA GIR, MESTIÇA E HOLANDESA EFEITO DO PRODUTO DIFLY S3 NO CONTROLE DO CARRAPATO BOOPHILUS MICROPLUS EM BOVINOS DA RAÇA GIR, MESTIÇA E HOLANDESA Cláudia Santos Silva (1), Américo Iorio Ciociola Júnor (2), José Mauro Valente Paes (2),

Leia mais

ANÁLISE ESTATÍSTICA DA INFLUÊNCIA DO ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO HUMANO MUNICIPAL NO ÍNDICE DE CRIMINALIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS NO ANO DE 2000.

ANÁLISE ESTATÍSTICA DA INFLUÊNCIA DO ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO HUMANO MUNICIPAL NO ÍNDICE DE CRIMINALIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS NO ANO DE 2000. ANÁLISE ESTATÍSTICA DA INFLUÊNCIA DO ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO HUMANO MUNICIPAL NO ÍNDICE DE CRIMINALIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS NO ANO DE 2000. Charles Shalimar F. da Silva Mestrando em Estatística

Leia mais

MECANISMO DE INTERCÂMBIO DE INFORMAÇAO SOBRE EVENTOS ADVERSOS GRAVES CAUSADOS POR PRODUTOS MÉDICOS UTILIZADOS NO MERCOSUL

MECANISMO DE INTERCÂMBIO DE INFORMAÇAO SOBRE EVENTOS ADVERSOS GRAVES CAUSADOS POR PRODUTOS MÉDICOS UTILIZADOS NO MERCOSUL MERCOSUR / XXXVII SGT Nº 11/ P. RES. N º /11 MECANISMO DE INTERCÂMBIO DE INFORMAÇAO SOBRE EVENTOS ADVERSOS GRAVES CAUSADOS POR PRODUTOS MÉDICOS UTILIZADOS NO MERCOSUL (REVOGAÇÃO DA RES. GMC Nº 46/08) TENDO

Leia mais

USO DO BIOSSÓLIDO COMO SUBSTRATO NA PRODUÇÃO DE MUDAS DE AROEIRA (Schinus terenbinthifolius Raddi)

USO DO BIOSSÓLIDO COMO SUBSTRATO NA PRODUÇÃO DE MUDAS DE AROEIRA (Schinus terenbinthifolius Raddi) USO DO BIOSSÓLIDO COMO SUBSTRATO NA PRODUÇÃO DE MUDAS DE AROEIRA (Schinus terenbinthifolius Raddi) Kelly Dayana Benedet Maas 1 ; Greyce Charllyne Benedet Maas 1 ; Cristiane Ramos Vieira 1, Oscarlina Lucia

Leia mais

INFLUÊNCIA DA LUZ, TEMPERATURA E ESTRESSE HÍDRICO NA GERMINAÇÃO E NO VIGOR DE SEMENTES DE ANIS

INFLUÊNCIA DA LUZ, TEMPERATURA E ESTRESSE HÍDRICO NA GERMINAÇÃO E NO VIGOR DE SEMENTES DE ANIS INFLUÊNCIA DA LUZ, TEMPERATURA E ESTRESSE HÍDRICO NA GERMINAÇÃO E NO VIGOR DE SEMENTES DE ANIS INFLUENCE OF LIGHT, TEMPERATURE AND HYDRIC STRESS IN THE GERMINATION AND VIGOR OF SEEDS OF ANISE Raquel Stefanello

Leia mais

paulinhaven@hotmail.com Introdução

paulinhaven@hotmail.com Introdução DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM DOS ALUNOS NO ENSINO DE BIOLOGIA: REFLEXÃO A PARTIR DE SUBSTRATOS TEÓRICOS E PESQUISAS EM UMA ESCOLA PÚBLICA DE PARNAÍBA/PI 1 Ana Paula Costa do Nascimento 1 Nailton de Souza

Leia mais

O presente estudo remete-nos para as causas de extração e perda dentária na dentição permanente, durante um período de 12 meses. Neste estudo foram incluídos todos os pacientes atendidos na clínica de

Leia mais

Adubação orgânica do pepineiro e produção de feijão-vagem em resposta ao efeito residual em cultivo subsequente

Adubação orgânica do pepineiro e produção de feijão-vagem em resposta ao efeito residual em cultivo subsequente Seminário de Iniciação Científica e Tecnológica, 9., 2, Belo Horizonte 1 Adubação orgânica do pepineiro e produção de feijão-vagem em resposta ao efeito residual em cultivo subsequente Carlos Henrique

Leia mais

Lei nº 9.991 de 24 de julho de 2000.

Lei nº 9.991 de 24 de julho de 2000. Lei nº 9.991 de 24 de julho de 2000. Estabelece que as concessionárias de Serviços públicos de Distribuição, Transmissão ou Geração de energia elétrica, devem aplicar, anualmente, um percentual mínimo

Leia mais

DECRETO Nº 2.377, DE 16 DE AGOSTO DE 2006. Dispõe sobre o plantio e manejo de árvores no município e dá outras providências.

DECRETO Nº 2.377, DE 16 DE AGOSTO DE 2006. Dispõe sobre o plantio e manejo de árvores no município e dá outras providências. DECRETO Nº 2.377, DE 16 DE AGOSTO DE 2006. Dispõe sobre o plantio e manejo de árvores no município e dá outras providências. Itamar Borges, Prefeito da Estância Turística de Santa Fé do Sul, Estado de

Leia mais

Política de investimentos sociais 3M

Política de investimentos sociais 3M Política de investimentos sociais 3M 1. Objetivos A presente política tem por finalidade estabelecer os critérios para investimento em projetos sociais com recursos próprios visando: Estabelecer os princípios

Leia mais

Análise Termográfica RELATÓRIO TÉCNICO 0714

Análise Termográfica RELATÓRIO TÉCNICO 0714 ANÁLISE TERMOGRÁFICA DAE - Santa Barbara D'Oeste DAE 1. OBJETIVO Apresentar ao DAE a Inspeção Termográfica realizada nos equipamentos de suas unidades em Santa Barbara d'oeste 2. INSTRUMENTAÇÃO UTILIZADA

Leia mais

EFEITOS DO REUSO DE ÁGUA RESIDUÁRIA NA PRODUÇÃO DE MUDAS DE EUCALIPTO

EFEITOS DO REUSO DE ÁGUA RESIDUÁRIA NA PRODUÇÃO DE MUDAS DE EUCALIPTO EFEITOS DO REUSO DE ÁGUA RESIDUÁRIA NA PRODUÇÃO DE MUDAS DE EUCALIPTO DA Moreira 1, JAR Souza 2, WB Carvalho 3 e CVM e Carvalho 4 RESUMO: Neste trabalho objetivou-se analisar os efeitos do reuso de água

Leia mais

RELATÓRIO TÉCNICO-CIENTÍFICO FINAL (Observação: as informações prestadas neste relatório poderão, no todo ou em parte, ser publicadas pela FAPESC.

RELATÓRIO TÉCNICO-CIENTÍFICO FINAL (Observação: as informações prestadas neste relatório poderão, no todo ou em parte, ser publicadas pela FAPESC. RELATÓRIO TÉCNICO-CIENTÍFICO FINAL (Observação: as informações prestadas neste relatório poderão, no todo ou em parte, ser publicadas pela FAPESC.) Chamada Pública Universal 03/2006 1. IDENTIFICAÇÃO DO

Leia mais

2 Workshop processamento de artigos em serviços de saúde Recolhimento de artigos esterilizados: é possível evitar?

2 Workshop processamento de artigos em serviços de saúde Recolhimento de artigos esterilizados: é possível evitar? 2 Workshop processamento de artigos em serviços de saúde Recolhimento de artigos esterilizados: é possível evitar? 3 Farm. André Cabral Contagem, 19 de Maio de 2010 Rastreabilidade É definida como a habilidade

Leia mais

EDITAL Nº 039/2015 SELEÇÃO DE BOLSISTAS DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA DO PIBID/UNIFAL-MG

EDITAL Nº 039/2015 SELEÇÃO DE BOLSISTAS DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA DO PIBID/UNIFAL-MG MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Alfenas - UNIFAL-MG Pró-Reitoria de Graduação Rua Gabriel Monteiro da Silva, 700 - Alfenas/MG - CEP 37130-000 Fone: (35) 3299-1329 Fax: (35) 3299-1078 grad@unifal-mg.edu.br

Leia mais

RELATÓRIO SOBRE A GESTÃO DE RISCOS BANCO ABN AMRO S.A. Setembro de 2013

RELATÓRIO SOBRE A GESTÃO DE RISCOS BANCO ABN AMRO S.A. Setembro de 2013 RELATÓRIO SOBRE A GESTÃO DE RISCOS BANCO ABN AMRO S.A. Setembro de 2013 SP Rua Leopoldo Couto de Magalhães Júnior, 700, 4º andar Itaim Bibi São Paulo SP CEP: 04542000 Tel: (11) 30737400 Fax: (11) 30737404

Leia mais

A CONTAGEM DE ESTRELAS COMO TEMA TRANSVERSAL EM ASTRONOMIA

A CONTAGEM DE ESTRELAS COMO TEMA TRANSVERSAL EM ASTRONOMIA I Simpósio Nacional de Educação em Astronomia Rio de Janeiro - 2011 1 A CONTAGEM DE ESTRELAS COMO TEMA TRANSVERSAL EM ASTRONOMIA Lev Vertchenko 1, Tomás de Aquino Silveira 2 1 PUC-Minas/Mestrado em Ensino

Leia mais

Arquitecturas de Software Enunciado de Projecto 2007 2008

Arquitecturas de Software Enunciado de Projecto 2007 2008 UNIVERSIDADE TÉCNICA DE LISBOA INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO Arquitecturas de Software Enunciado de Projecto 2007 2008 1 Introdução Na primeira metade da década de 90 começaram a ser desenvolvidas as primeiras

Leia mais

PRODUÇÃO DE TENSOATIVOS BIOLÓGICOS. Resumo

PRODUÇÃO DE TENSOATIVOS BIOLÓGICOS. Resumo 1 PRODUÇÃO DE TENSOATIVOS BIOLÓGICOS Acácia Pedrazza Reiche Bolsista de Iniciação Científica, Biologia, Universidade do Rio de Janeiro Judith Liliana. Solórzano Lemos Orientadora, Eng a. Química, D. Sc.

Leia mais

Contrata Consultor na modalidade Produto

Contrata Consultor na modalidade Produto Contrata Consultor na modalidade Produto PROJETO 914BRZ4012 EDITAL Nº 005/2010 1. Perfil: TR 007/2010-CGS - CIÊNCIAS SOCIAIS APLICÁVEIS 3. Qualificação educacional: Graduação na área de CIÊNCIAS SOCIAIS

Leia mais

Implantação de um serviço de limpeza terminal a vapor em salas operatórias

Implantação de um serviço de limpeza terminal a vapor em salas operatórias Implantação de um serviço de limpeza terminal a vapor em salas operatórias Sandra Terumi Yoshino 1 1. Enfermeira graduada pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) e pós graduada em Enfermagem em

Leia mais

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ. Campus Campo Mourão. Curso Superior de Tecnologia em Alimentos. Wallace José Maia

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ. Campus Campo Mourão. Curso Superior de Tecnologia em Alimentos. Wallace José Maia 1 UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Campus Campo Mourão Curso Superior de Tecnologia em Alimentos Wallace José Maia Controle de Qualidade na Indústria e Comércio de Doces Sorriso Ltda BENEFICIAMENTO

Leia mais

A PREVALÊNCIA DE CÁRIE DENTÁRIA EM 1 MOLAR DE CRIANÇAS DE 6 A 12 ANOS: uma abordagem no Novo Jockey, Campos dos Goytacazes, RJ

A PREVALÊNCIA DE CÁRIE DENTÁRIA EM 1 MOLAR DE CRIANÇAS DE 6 A 12 ANOS: uma abordagem no Novo Jockey, Campos dos Goytacazes, RJ 1 A PREVALÊNCIA DE CÁRIE DENTÁRIA EM 1 MOLAR DE CRIANÇAS DE 6 A 12 ANOS: uma abordagem no Novo Jockey, Campos dos Goytacazes, RJ Luciano Bárbara dos Santos 1 1 Cirurgião-dentista, aluno do curso de pós-graduação

Leia mais

Efeito de Fusarium moniliforme na qualidade de sementes de milho

Efeito de Fusarium moniliforme na qualidade de sementes de milho Efeito de Fusarium moniliforme na qualidade de sementes de milho Luciana Teresa Dias Cappelini, Rita de Cássia Panizzi, Roberval Daiton Vieira 3, Juliana Altafin Galli 4 Unesp-FCAV, Departamento de Fitossanidade.

Leia mais

Manual Mobuss Construção - Móvel

Manual Mobuss Construção - Móvel Manual Mobuss Construção - Móvel VISTORIA & ENTREGA - MÓVEL Versão 1.0 Data 22/04/2014 Mobuss Construção - Vistoria & Entrega Documento: v1.0 Blumenau SC 2 Histórico de Revisão Versão Data Descrição 1.0

Leia mais

AVALIAÇÃO DE UM TANQUE DE DECANTAÇÃO DE SÓLIDOS UTILIZANDO FLUIDODINÂMICA COMPUTACIONAL

AVALIAÇÃO DE UM TANQUE DE DECANTAÇÃO DE SÓLIDOS UTILIZANDO FLUIDODINÂMICA COMPUTACIONAL AVALIAÇÃO DE UM TANQUE DE DECANTAÇÃO DE SÓLIDOS UTILIZANDO FLUIDODINÂMICA COMPUTACIONAL E. F. S. PEREIRA e L. M. N de Gois Universidade Federal da Bahia, Escola Politécnica, Departamento de Engenharia

Leia mais

Prof. José Maurício S. Pinheiro - UGB - 2009

Prof. José Maurício S. Pinheiro - UGB - 2009 Auditoria e Análise de Segurança da Informação Forense Computacional Prof. José Maurício S. Pinheiro - UGB - 2009 Forense Computacional 2 Forense Computacional A forense computacional pode ser definida

Leia mais

CARTOGRAFIA DE RISCO

CARTOGRAFIA DE RISCO CARTOGRAFIA DE RISCO Mapa de Perigosidade de Incêndio Florestal e Mapa de Risco de Incêndio Florestal A Carta de Risco de Incêndio Florestal tem como objetivo apoiar o planeamento de medidas de prevenção

Leia mais

Responsabilidade Social e Ambiental: Reação do Mercado de Ações Brasileiras

Responsabilidade Social e Ambiental: Reação do Mercado de Ações Brasileiras Tatiana Botelho Responsabilidade Social e Ambiental: Reação do Mercado de Ações Brasileiras Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada como requisito parcial para obtenção do grau de Mestre pelo Programa

Leia mais

Procedimento Gestão Documental

Procedimento Gestão Documental APROVAÇÃO DO DOCUMENTO Elaborado por Função Nome e Assinatura Data André Duarte Aprovado por ADM Luis Brito REGISTO DE MODIFICAÇÕES Edição Data Página Alterada Motivo 1 25/08/2008 Todas Redacção Inicial

Leia mais

Competição inicial entre plantas de soja e Chloris polydactyla.

Competição inicial entre plantas de soja e Chloris polydactyla. Competição inicial entre plantas de soja e Chloris polydactyla. Arthur Arrobas Martins Barroso 1 ; Alfredo Junior Paiola Albrecht 2. 1 Doutorando do curso de Agronomia (Produção Vegetal), UNESP, Jaboticabal,

Leia mais

N este manual você encontra todas as informações necessárias a

N este manual você encontra todas as informações necessárias a N este manual você encontra todas as informações necessárias a cada expositor para sua participação no evento. Por favor, leia todos os itens com cuidado. Caso depois da leitura, ainda houver dúvidas,

Leia mais

Processamento do azeite

Processamento do azeite Processamento Geral dos Alimentos Processamento do azeite Trabalho realizado por: Vanessa Ferraz 20090165 Ano lectivo 2009/2010 Objectivo do trabalho: Com a realização deste trabalho pretende-se fazer

Leia mais

ANEXO 6 Análise de Antropismo nas Unidades de Manejo Florestal

ANEXO 6 Análise de Antropismo nas Unidades de Manejo Florestal ANEXO 6 Análise de Antropismo nas Unidades de Manejo Florestal Análise de imagens processadas pelo sistema DETEX e PRODES para detecção de desmatamento e da intervenção seletiva nas Unidades de Manejo

Leia mais

2 O primeiro ano de atribuição do PRÉMIO foi o ano de 2007 (dois mil e sete).

2 O primeiro ano de atribuição do PRÉMIO foi o ano de 2007 (dois mil e sete). REGULAMENTO DO PRÉMIO PROF. E. LIMBERT SOCIEDADE PORTUGUESA DE ENDOCRINOLOGIA DIABETES E METABOLISMO / GENZYME A SANOFI COMPANY EM PATOLOGIA DA TIRÓIDE ARTIGO 1º 1 A SOCIEDADE PORTUGUESA DE ENDOCRINOLOGIA,

Leia mais

Estudos. População e Demografia

Estudos. População e Demografia População e Demografia Prof. Dr. Rudinei Toneto Jr. Guilherme Byrro Lopes Rafael Lima O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), desde 1991, divulga anualmente uma base com a população dos

Leia mais

Título do Case: O impacto do layout na agilidade dos processos

Título do Case: O impacto do layout na agilidade dos processos Título do Case: O impacto do layout na agilidade dos processos Categoria: Projetos Externos Temática: Segundo Setor Resumo: O presente case expõe a aplicabilidade de um projeto externo que desafia as acomodações

Leia mais

CICLO BIOLÓGICO E TAXA DE OVIPOSIÇÃO DO ÁCARO VERDE DA MANDIOCA (Mononychellus tanajoa) EM GENÓTIPOS DE Manihot

CICLO BIOLÓGICO E TAXA DE OVIPOSIÇÃO DO ÁCARO VERDE DA MANDIOCA (Mononychellus tanajoa) EM GENÓTIPOS DE Manihot CICLO BIOLÓGICO E TAXA DE OVIPOSIÇÃO DO ÁCARO VERDE DA MANDIOCA (Mononychellus tanajoa) EM GENÓTIPOS DE Verônica de Jesus BOAVENTURA 1 Aloyséia Cristina da Silva NORONHA 2 Alfredo Augusto Cunha ALVES 3

Leia mais

Temperatura na emergência de quatro variedades de mamoeiro

Temperatura na emergência de quatro variedades de mamoeiro Comunicata Scientiae 4(4): 401-406, 2013 Nota Científica e-issn: 2177-5133 www.ufpi.br/comunicata Temperatura na emergência de quatro variedades de mamoeiro Renata Aparecida de Andrade*, Samir Paulo Jasper

Leia mais

ATIVIDADE DE FÍSICA PARA AS FÉRIAS 8. o A/B PROF. A GRAZIELA

ATIVIDADE DE FÍSICA PARA AS FÉRIAS 8. o A/B PROF. A GRAZIELA ATIVIDADE DE FÍSICA PARA AS FÉRIAS 8. o A/B PROF. A GRAZIELA QUESTÃO 1) Utilize as informações do texto abaixo para responder às questões que o seguem. Uma máquina simples para bombear água: A RODA D ÁGUA

Leia mais

Biologia Professor: Rubens Oda 6/10/2014

Biologia Professor: Rubens Oda 6/10/2014 1. Se a exploração descontrolada e predatória verificada atualmente continuar por mais alguns anos, pode-se antecipar a extinção do mogno. Essa madeira já desapareceu de extensas áreas do Pará, de Mato

Leia mais

Nivel de Lisina nas Rações de Frangos de Corte Exigência de Lisina Atualizada

Nivel de Lisina nas Rações de Frangos de Corte Exigência de Lisina Atualizada Nivel de Lisina nas Rações de Frangos de Corte Exigência de Lisina Atualizada Disponível em nosso site: www.lisina.com.br A atualização das exigências dos nutrientes nas formulações de rações é importante

Leia mais

Estudo da Variação Temporal da Água Precipitável para a Região Tropical da América do Sul

Estudo da Variação Temporal da Água Precipitável para a Região Tropical da América do Sul Estudo da Variação Temporal da Água Precipitável para a Região Tropical da América do Sul Carlos Diego de Sousa Gurjão¹, Priscilla Teles de Oliveira², Enilson Palmeira Cavalcanti 3 1 Aluno do Curso de

Leia mais

Plano de Manejo Parque Natural Municipal Doutor Tancredo de Almeida Neves. Encarte 6 MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO. IVB-2012 Página 1

Plano de Manejo Parque Natural Municipal Doutor Tancredo de Almeida Neves. Encarte 6 MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO. IVB-2012 Página 1 Encarte 6 MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO IVB-2012 Página 1 CONTEÚDO 6 MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO 6.1 Monitoramento e avaliação anual da implementação do Plano 6.2 Monitoramento e avaliação da efetividade do

Leia mais

Senado Federal Subsecretaria de Informações DECRETO Nº 2.794, DE 1º DE OUTUBRO DE 1998

Senado Federal Subsecretaria de Informações DECRETO Nº 2.794, DE 1º DE OUTUBRO DE 1998 Senado Federal Subsecretaria de Informações DECRETO Nº 2.794, DE 1º DE OUTUBRO DE 1998 Institui a Política Nacional de Capacitação dos Servidores para a Administração Pública Federal direta, autárquica

Leia mais

Programa de Gestión Urbana. Governador Valadares/MG/Brasil. Texto para Conferencia Eletrônica. Coordinación Regional para América Latina y El Caribe

Programa de Gestión Urbana. Governador Valadares/MG/Brasil. Texto para Conferencia Eletrônica. Coordinación Regional para América Latina y El Caribe Programa de Gestión Urbana Coordinación Regional para América Latina y El Caribe Otimização do uso de espaços vazios para Agricultura Urbana através de planos participativos, planificação e gestão para

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO EM MÍDIAS NA EDUCAÇÃO JULIANA LEME MOURÃO ORIENTADOR: PAULO GUILHERMETI

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO EM MÍDIAS NA EDUCAÇÃO JULIANA LEME MOURÃO ORIENTADOR: PAULO GUILHERMETI UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO EM MÍDIAS NA EDUCAÇÃO JULIANA LEME MOURÃO ORIENTADOR: PAULO GUILHERMETI SIMULADORES VIRTUAIS ALIADOS AO ENSINO DE FÍSICA GOIOERÊ

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE ASSUNTOS POLÍTICOS/ ADMINISTRATIVOS

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE ASSUNTOS POLÍTICOS/ ADMINISTRATIVOS PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE ASSUNTOS POLÍTICOS/ ADMINISTRATIVOS NOVEMBRO/ DEZEMBRO DE 2013 JOB2726-13 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DA PESQUISA OBJETIVO LOCAL Trata-se de uma pesquisa de acompanhamento

Leia mais

Engenharia de Produção

Engenharia de Produção Não jogue este impresso em via pública. Preserve o meio ambiente. Universidade Federal do Espírito Santo Engenharia de Produção Centro Universitário Norte do Espírito Santo (São Mateus) Engenharia de Produção

Leia mais