PROPOSTA PARA O PARQUE DO ALMONDA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROPOSTA PARA O PARQUE DO ALMONDA"

Transcrição

1 CÂMARA MUNICIPAL DE TORRES NOVAS PROPOSTA PARA O PARQUE DO ALMONDA JAN. 17

2 ÍNDICE GERAL Arquitectura Paisagista Peças Escritas 01 Memória Descritiva 1.1. Contexto 1.2. Critérios gerais de Dimensionamentos 1.3. Caracterização e Condicionamentos 1.4. Proposta 02 - Prazo de Execução Estimado 03 - Estimativa Geral do Custo da Obra 04 Necessidades Documentais Peças Desenhadas 01 Esboços da Proposta 2

3 1. MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA ARQUITECTURA PAISAGISTA 1.1. CONTEXTO A presente Memória Descritiva e Justificativa refere-se ao Programa Base do Projecto Parque Almonda. O projecto foi contratado pela Câmara Municipal de Torres Novas à Vibeiras, mediante concurso público, no qual estão definidas e contratualizadas as condições, objectivos, prazos e custos para a elaboração do projecto e posterior execução da obra. O conjunto de elementos do projecto a fornecer pela Vibeiras estão balizados temporalmente em 90 dias. Dos contextos programáticos definidos pelo Caderno de Encargos são de destacar os seguintes:. Articulação formal e funcional entre as diferentes valências existentes e a criar;. Solução conceptual minimizadora dos riscos dos espaços potencialmente inundáveis;. Espaços abertos multifuncionais com predominância do elemento natural sobre o inerte;. Vegetação espontânea no âmbito geral da área de intervenção. Utilização de vegetação de formação unicamente espontânea na constituição de galerias ripícolas para revestimento e estabilização das margens da linha de água;. Espaços verdes de protecção, conservação e enquadramento;. Zonas de recreio formal e informal de lazer e respectivo equipamento urbano de apoio;. Pesqueiros;. Proposta de obras hidráulicas aproximação do utilizador ao rio criação de açude para aumento do nível de água;. Recuperação da ponte existente de ligação à Travessa da Bácora;. Espaço para pequenos eventos;. Edificação de espaços modulares para restauração/bebidas, serviços/comércio e sanitários públicos; 3

4 1.2. CRITÉRIOS GERAIS DE DIMENSIONAMENTO O projecto que agora se apresenta diz respeito ao espaço localizado no centro da cidade de Torres Novas, entre o Rio Almonda, o edifício do Parque de estacionamento que confina com a Rua do Nogueiral, e a Rotunda Heróis de Diu. A coerência da Ação é conseguida pela extensão da intervenção ao se tentar conectar esta zona da cidade ao centro histórico. Procura-se dotar o espaço de qualidade vivencial através da criação de um sistema de caminhos que conectam o espaço aos vários pontos de interesse na sua envolvência, nomeadamente, o trajecto - Centro Histórico - Rodoviária ; Ponte e zona da rotunda - Rua do Caldeirão. O contacto com o Rio Almonda foi enaltecido, mais uma vez através da proximidade deste aos caminhos, assim como pelo seu alargamento na zona próxima à Ponte, onde se propõe criar um pequeno açude. Está igualmente prevista a introdução de equipamentos que dinamizam a vivência no espaço CARACTERIZAÇÃO E CONDICIONAMENTOS Neste espaço, que actualmente compreende um terreno plano, sem qualquer tipo de utilização, e ocupado pontualmente por algumas árvores (maioritariamente junto à linha de água), pretende-se que venha a desempenhar o papel de um pequeno parque urbano, um espaço de lazer e recreio, perfeitamente integrado na malha da cidade, e estabelecendo uma relação visual e de usufruto com o rio Almonda, actualmente negligenciado em termos de valores paisagísticos e de recreio nesta zona. 4

5 Fig. 1: Localização da área de intervenção na malha da cidade Fig. 2: A área de intervenção em maior detalhe Fig. 3,4 e 5: Algumas imagens actuais da área de intervenção 1.4. PROPOSTA A proposta de intervenção foi desenvolvida no sentido da integração do espaço com a sua área envolvente, atendendo às condicionantes locais existentes, e responde às disposições legais e regulamentares em vigor, nomeadamente em termos de indicação de materiais, de elementos construídos, equipamentos e redes técnicas. A proposta assenta assim no estabelecimento de um percurso principal desenvolvido ao longo do rio e atravessado perpendicularmente por outros relacionados com o edifício do parque 5

6 coberto e numa concepção de espaços abertos e modelados, criando ritmos e perspectivas que permitam o uso agradável deste novo jardim. Fig. 6: Esboço inicial da proposta Pela sua localização e pela possibilidade de integração pública da ruína do moinho, o jardim integra-se perfeitamente na rede de percursos e de Continuum Naturale estabelecido ao longo do Rio Almonda. Na espectativa de melhorar a relação com o rio e a imagem em si do mesmo, propõe-se o seu alargamento a montante da ponte criando um espelho de água, através da construção de um pequeno açude. Para a obtenção deste alargamento propõe-se o alinhamento e reconstrução da margem esquerda através de muro de gabiões em socalcos ajardinados. Pensamos ainda que poderá ser substancialmente melhorada a relação deste novo jardim com a cidade envolvente e em particular, com a zona da rotunda do monumento Heróis de Diu, através de uma modelação cuidada em anfiteatro do jardim e da ampliação significativa das zonas de passeio, criando-se aqui como que uma nova praça. Fig. 6: Esboços que evidencia o anfiteatro-jardim, assim como a nova praça 6

7 Fig. 7: Criação de um pequeno açude e tratamento da margem em terraços No restante espaço, desenvolvem-se, de acordo com a modelação estudada e com os objectivos de integração pretendidos, grande áreas relvadas, e pequenas áreas com plantação de arbustos e herbáceas. Ao nível arbóreo, acentuam-se os limites do espaço, assim como os caminhos transversais, deixando o restante espaço livre ao usufruto. No que concerne à vegetação, serão utilizadas as espécies mais adequadas ao espaço em análise, nomeadamente espécies da galeria ripícola, mas também espécies de valor ornamental, que pela sua floração, cor, ou textura evidenciarão determinadas áreas. Junto à ruína do moinho criteriosamente colocado na margem propõe-se a instalação de um quiosque com esplanada sobre o rio, que potencia o uso e o lazer neste novo parque. 7

8 Fig. 8: Esboço da integração da ruína, e área de esplanada/ cafetaria Assume também particular importância a ligação deste espaço com o Centro Histórico, através da Travessa da Bácora pela antiga ponte pedonal, que a proposta propõe reformular estética e funcionalmente. Fig. 8: Esboço da reformulação do acesso ao centro histórico Nova ponte pedonal 02. PRAZO DE EXECUÇÃO ESTIMADO O prazo de execução estimado para a execução da obra é de 180 dias. 03. ESTIMATIVA GERAL DO CUSTO DA OBRA Estima-se que a obra tenha o valor de , NECESSIDADES DOCUMENTAIS Para a execução do Estudo Prévio iremos necessitar de elementos topográficos da área de intervenção, assim como os cadastros das Redes de Águas Pluviais/ Residuais; Redes de Abastecimento de Águas; Electricidade (iluminação pública/ decorativa/média Tensão); Rede de Telecomunicações; Rede de Gás; Projecto de Sinalização Rodoviária existente; Estudos Geológicos e Geotécnicos; Assim como toda a documentação escrita relacionada com os elementos requeridos. 8

9 PEÇAS DESENHADAS 01 ESBOÇOS DA PROPOSTA Img 1. Proposta para a zona Oeste do edifício de estacionamentos Img 2. Propostade requalificação da ponte de ligação à Travessa da Bácora e ligações ao parque de estacionamento 9

10 Img 3. Proposta para a zona de bar com esplanada em deck em consola sobre o Rio Almonda; Recuperação das ruínas do moinho existente Torres Novas, Janeiro 2017 Coordenador Geral: Luis Pereira, arquitecto paisagista 10

ÍNDICE. Memória Descritiva PLANO DE PORMENOR DO ESPAÇO DE REESTRUTURAÇÃO URBANÍSTICA DA QUINTA DO BARÃO

ÍNDICE. Memória Descritiva PLANO DE PORMENOR DO ESPAÇO DE REESTRUTURAÇÃO URBANÍSTICA DA QUINTA DO BARÃO PLANO DE PORMENOR DO ESPAÇO DE REESTRUTURAÇÃO URBANÍSTICA DA QUINTA DO BARÃO ÍNDICE LEVANTAMENTO DO JARDIM E ESPAÇO ANEXO EXISTENTE PEÇAS DESENHADAS 01.1 e 01.2 - Levantamento de Elementos Construídos

Leia mais

PROJECTO DE REDES DE DRENAGEM DE ÁGUAS RESIDUAIS DOMÉSTICAS E PLUVIAIS MEMÓRIA DESCRITIVA. Processo: Data: Outubro 10 Rev: A

PROJECTO DE REDES DE DRENAGEM DE ÁGUAS RESIDUAIS DOMÉSTICAS E PLUVIAIS MEMÓRIA DESCRITIVA. Processo: Data: Outubro 10 Rev: A Mod. (09) CP1_00 SOCIEDADE POLIS LITORAL RIA FORMOSA, S.A. Elaboração de Projectos de Execução para a requalificação de espaços ribeirinhos, de parques públicos e percursos pedonais - Parque Ribeirinho

Leia mais

ESTUDO PRÉVIO PARA CAMPO DE GOLFE NA QUINTA DE QUARTEIRA

ESTUDO PRÉVIO PARA CAMPO DE GOLFE NA QUINTA DE QUARTEIRA ESTUDO PRÉVIO PARA CAMPO DE GOLFE NA QUINTA DE QUARTEIRA MEMÓRIA DESCRITIVA E JUTIFICATIVA BLANC & NOIR, Unipessoal Lda. 1. Introdução e Objectivos A propriedade em causa tem uma área total de aproximadamente

Leia mais

JORNAL DA CONSTRUÇÃO. Lisboa, 28 de Maio de 2007

JORNAL DA CONSTRUÇÃO. Lisboa, 28 de Maio de 2007 JORNAL DA CONSTRUÇÃO Lisboa, 28 de Maio de 2007 1. LISBOA OCIDENTAL, SRU (ENQUADRAMENTO) O Município de Lisboa criou a Sociedade de Reabilitação Urbana Lisboa Ocidental, SRU, em Julho de 2004. A Empresa,

Leia mais

Termos de Referência. 4. Enquadramento nos Instrumentos de Gestão Territorial. Página 1 de 5

Termos de Referência. 4. Enquadramento nos Instrumentos de Gestão Territorial. Página 1 de 5 Termos de Referência 1. Oportunidade da elaboração do Plano de Pormenor do Parque Empresarial para Novas Estratégias de Localização do Investimento O Plano Director Municipal de Penela, em processo de

Leia mais

PARTICIPAÇÃO. Internet 665 Infomail 82 Nulos 10 Fórum 9 TOTAL 766

PARTICIPAÇÃO. Internet 665 Infomail 82 Nulos 10 Fórum 9 TOTAL 766 PARTICIPAÇÃO Internet 665 Infomail 82 Nulos 10 Fórum 9 TOTAL 766 Infomail 11% Nulos 1% Fórum 1% Internet 87% PROPOSTAS APRESENTADAS FREGUESIAS N.º PROPOSTAS Pontinha 431 Odivelas 371 Ramada 229 Famões

Leia mais

SEGURANÇA EM ESTALEIROS TEMPORÁRIOS E MÓVEIS

SEGURANÇA EM ESTALEIROS TEMPORÁRIOS E MÓVEIS SEGURANÇA EM ESTALEIROS TEMPORÁRIOS E MÓVEIS Exercício 39 21 Es 48 21 Grua (12m lança) Vias de circulação Central de betão Armazém de ferro Ferramentaria Estacionamento Guarda/porteiro Ep SEGURANÇA EM

Leia mais

PROGRAMA ESTRATÉGICO DE REABILITAÇÃO URBANA DA ÁREA DE REABILITAÇÃO URBANA DE MAFRA ANEXO III FICHAS DE PROJETO PARA A ARU MAIO 2016

PROGRAMA ESTRATÉGICO DE REABILITAÇÃO URBANA DA ÁREA DE REABILITAÇÃO URBANA DE MAFRA ANEXO III FICHAS DE PROJETO PARA A ARU MAIO 2016 PROGRAMA ESTRATÉGICO DE REABILITAÇÃO URBANA DA ARU DE MAFRA Maio 2016 PROGRAMA ESTRATÉGICO DE REABILITAÇÃO URBANA DA ÁREA DE REABILITAÇÃO URBANA DE MAFRA ANEXO III FICHAS DE PROJETO PARA A ARU MAIO 2016

Leia mais

Responsabilidade Social e Ambiental na Edificação. Funchal, 4 Junho

Responsabilidade Social e Ambiental na Edificação. Funchal, 4 Junho Responsabilidade Social e Ambiental na Edificação Funchal, 4 Junho 2 instrumentos para a Responsabilidade Social, Económica e Ambiental na Edificação Declaração de conformidade que visa verificar o cumprimento

Leia mais

PLANO DE PORMENOR PARA A UOPG 13 (DO PLANO DE URBANIZAÇÃO DA MEIA PRAIA)

PLANO DE PORMENOR PARA A UOPG 13 (DO PLANO DE URBANIZAÇÃO DA MEIA PRAIA) PLANO DE PORMENOR PARA A UOPG 13 (DO PLANO DE URBANIZAÇÃO DA MEIA PRAIA) TERMOS DE REFERÊNCIA CÂMARA MUNICIPAL DE LAGOS DEPARTAMENTO DE PLANEAMENTO E GESTÃO URBANÍSTICA 2010 1. ENQUADRAMENTO LEGAL DO PLANO

Leia mais

GUIAS PARA INSTRUÇÃO DE PEDIDOS DE AUTORIZAÇÃO OU DE LICENCIAMENTO DE OBRAS (NA ÁREA DE COMPETÊNCIAS DA APSS, S.A.)

GUIAS PARA INSTRUÇÃO DE PEDIDOS DE AUTORIZAÇÃO OU DE LICENCIAMENTO DE OBRAS (NA ÁREA DE COMPETÊNCIAS DA APSS, S.A.) 1. De acordo com a legislação em vigor (Decreto-Lei n.º 338/98, de 3 de Novembro), na sua área de jurisdição, compete à APSS, S.A. conceder licenças para a execução de obras directamente relacionadas com

Leia mais

REGULAMENTO DO PLANO DE PORMENOR SOBRE A OCUPAÇÃO DE PARCELAS NO SÍTIO DENOMINADO ESTACAL, EM BREJOS DE AZEITÃO, CASAS DE AZEITÃO.

REGULAMENTO DO PLANO DE PORMENOR SOBRE A OCUPAÇÃO DE PARCELAS NO SÍTIO DENOMINADO ESTACAL, EM BREJOS DE AZEITÃO, CASAS DE AZEITÃO. REGULAMENTO DO PLANO DE PORMENOR SOBRE A OCUPAÇÃO DE PARCELAS NO SÍTIO DENOMINADO ESTACAL, EM BREJOS DE AZEITÃO, CASAS DE AZEITÃO. Artigo 1º Aplicação 1. O presente Plano de Pormenor, adiante designado

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE SANTA CRUZ DAS FLORES CONSTRUÇÃO DE ACESSO À ZONA BA

CÂMARA MUNICIPAL DE SANTA CRUZ DAS FLORES CONSTRUÇÃO DE ACESSO À ZONA BA MOD PJ 04 E01 Sede Rua da Esperança, 42 Gabinete Ladeira de S Bento, 41 9700-179 Angra do Heroísmo Tel: 295 216 939 / 216 243 Fax: 295 216 938 E-mail arquiangra@oninet.pt CÂMARA MUNICIPAL DE SANTA CRUZ

Leia mais

GESTÃO SUSTENTÁVEL DA ORLA COSTEIRA

GESTÃO SUSTENTÁVEL DA ORLA COSTEIRA S e m i n á r i o DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL O MAR GESTÃO SUSTENTÁVEL DA ORLA COSTEIRA IST 03 Nov 2004 Quaternaire Portugal http://www.quaternaire.pt Decreto-lei n.º 380/99: DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

Leia mais

ALTERAÇÃO AO PLANO DE PORMENOR DA ZONA DE EXPANSÃO SUL-NASCENTE DA CIDADE DE SINES RELATÓRIO

ALTERAÇÃO AO PLANO DE PORMENOR DA ZONA DE EXPANSÃO SUL-NASCENTE DA CIDADE DE SINES RELATÓRIO PLANO DE PORMENOR DA ZONA DE EXPANSÃO SUL-NASCENTE DA CIDADE DE SINES ALTERAÇÃO ABRIL DE 2016 Assunto: Alteração ao Plano de Pormenor da Zona de Expansão Sul-Nascente da Cidade de Sines Relatório Data:

Leia mais

Workshop Técnicas de Eng. Natural - Ribeira de Alcanhões, Fonte de Santa Marta, Alcanhões -

Workshop Técnicas de Eng. Natural - Ribeira de Alcanhões, Fonte de Santa Marta, Alcanhões - Workshop Técnicas de Eng. Natural - Ribeira de Alcanhões, Fonte de Santa Marta, Alcanhões - 21 e 22 de Outubro de 2016 APOIOS Engenharia Natural É uma disciplina que combina os princípios da engenharia

Leia mais

Convento de Cristo. Tomar. Obras de Conservação e Reabilitação. Locais de trabalho seguros e saudáveis. José Delgado

Convento de Cristo. Tomar. Obras de Conservação e Reabilitação. Locais de trabalho seguros e saudáveis. José Delgado Convento de Cristo Tomar Obras de Conservação e Reabilitação Locais de trabalho seguros e saudáveis ACÇÕES DO DONO DE OBRA Na fase de concepção: - Definir objectivos da empreitada; - Contratar projectistas

Leia mais

1.º SEMINÁRIO DE ACOMPANHAMENTO Apresentação das operações em curso

1.º SEMINÁRIO DE ACOMPANHAMENTO Apresentação das operações em curso Política de Cidades Polis XXI Acções Inovadoras para o Desenvolvimento Urbano QREN/ POVT/ Eixo IX Desenvolvimento do Sistema Ub Urbano Nacional 1.º SEMINÁRIO DE ACOMPANHAMENTO Apresentação das operações

Leia mais

Elementos lineares / paisagem a integrar na área útil da parcela

Elementos lineares / paisagem a integrar na área útil da parcela Elementos lineares / paisagem a integrar na área útil da parcela (aplicação do artigo 9.º do Regulamento (UE) n.º 640/2014) 1- Introdução O artigo 9.º do Regulamento (UE) n.º 640/2014 define as regras

Leia mais

CÓDIGO DE OBRAS E EDIFICAÇÕES ANEXO II FATOR DE SUSTENTABILIDADE

CÓDIGO DE OBRAS E EDIFICAÇÕES ANEXO II FATOR DE SUSTENTABILIDADE CÓDIGO DE OBRAS E EDIFICAÇÕES ANEXO II FATOR DE SUSTENTABILIDADE ITEM PONTOS I IMPLANTAÇÃO DO EDIFÍCIO MAX. 10 A) MOVIMENTAÇÃO DO SOLO Implantação do projeto adequada ao perfil natural do terreno, com

Leia mais

no Outras Entidades Cofinanciamento Município de Ribeira de Pena 2º Semestre 1º Semestre

no Outras Entidades Cofinanciamento Município de Ribeira de Pena 2º Semestre 1º Semestre MECANISMO DE FINANCIAMENTO Programa Operacional Regional do Norte ON.2, DESIGNAÇÃO DA OPERAÇÃO NORTE-10-0156-FEDER-000132 - Rede Desportiva de Ribeira de Pena- Requalificação do pavilhão Municipal EIO

Leia mais

PPDA PARECER RELATIVO À MONITORIZAÇÃO DA EEM MEDIDAS 28, 30 E 33

PPDA PARECER RELATIVO À MONITORIZAÇÃO DA EEM MEDIDAS 28, 30 E 33 PPDA 2009-2011 PARECER RELATIVO À MONITORIZAÇÃO DA EEM MEDIDAS 28, 30 E 33 JULHO 2001 PPDA 2009-2011 PARECERES RELATIVOS ÀS MEDIDAS 28, 30 E 33 MEDIDA 28 IMPLEMENTAÇÃO DE UM SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL

Leia mais

Contexto: Zona Norte. Problema

Contexto: Zona Norte. Problema Contexto: Zona Norte Problema Há mais de 20 anos, estudos apontam a demanda de áreas públicas verdes e de lazer para a Zona Norte da Cidade do Rio do Janeiro - região com altos índices de ocupação urbana.

Leia mais

E N T I D A D E DOTAÇÕES INICIAIS MUNICIPIO DE MESAO FRIO DO ANO 2010

E N T I D A D E DOTAÇÕES INICIAIS MUNICIPIO DE MESAO FRIO DO ANO 2010 MUNICIPIO DE MESAO FRIO DO ANO PÁGINA : 1 1. Funções gerais 583.600,00 583.600,00 224.100,00 8.500,00 816.200,00 1.1. Serviços gerais de 579.075,00 579.075,00 224.100,00 8.500,00 811.675,00 administração

Leia mais

Curso de Especialização em Gestão Desportiva

Curso de Especialização em Gestão Desportiva Curso de Especialização em Gestão Desportiva Equipamentos e instalações desportivas Módulo 2 Calendário Dia 29 Mai Dia 4 Jun Dia 5 Jun 14-16h 16-18h 18-20h Normativas referentes às características das

Leia mais

Data: 14 de novembro de A Câmara Municipal de Guaratuba, Estado do Paraná, aprovou e eu, Prefeito Municipal, sanciono a seguinte lei:

Data: 14 de novembro de A Câmara Municipal de Guaratuba, Estado do Paraná, aprovou e eu, Prefeito Municipal, sanciono a seguinte lei: LEI Nº 1. 1 7 2 Data: 14 de novembro de 2005. Súmula: Dispõe sobre a Transferência do Direito de Construir e dá outras providências. A Câmara Municipal de Guaratuba, Estado do Paraná, aprovou e eu, Prefeito

Leia mais

Requalificação da Zona Ribeirinha de Porto de Mós

Requalificação da Zona Ribeirinha de Porto de Mós Requalificação da Zona Ribeirinha de Porto de Mós PROJECTO DE EXECUÇÃO Projecto de Requalificação Urbana outubro 2011 MEMÓRIA DESCRITIVA e JUSTIFICATIVA A presente Memória Descritiva e Justificativa refere-se

Leia mais

Moradia geminada com 2 quartos em localização tranquila perto de Carvoeiro MORADIA GEMINADA EM CARVOEIRO

Moradia geminada com 2 quartos em localização tranquila perto de Carvoeiro MORADIA GEMINADA EM CARVOEIRO Moradia geminada com 2 quartos em localização tranquila perto de Carvoeiro MORADIA GEMINADA EM CARVOEIRO ref. ST1896 190.000 2 3 69 m2 110 m2 Localização + Cidade Freguesia Concelho Região Detalhes + Carvoeiro

Leia mais

Redes de defesa da floresta contra incêndios FGC Aplicação do Regime Jurídico das Ações de Arborização e Rearborização

Redes de defesa da floresta contra incêndios FGC Aplicação do Regime Jurídico das Ações de Arborização e Rearborização Redes de defesa da floresta contra incêndios FGC Aplicação do Regime Jurídico das Ações de Arborização e Rearborização PENELA 05 setembro de 2015 Redes de defesa da floresta contra incêndios Legislação

Leia mais

AS VIAS DE COMUNICAÇÃO

AS VIAS DE COMUNICAÇÃO 1ENGENHARIA O PROJECTO (I) O Projecto corresponde à preparação da realização depois de decidido o que é que se quer fazer (planeamento); especifica-se como é que se vai fazer (resolvendo problemas que

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular INFRAESTRUTURAS TÉCNICAS Ano Lectivo 2016/2017

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular INFRAESTRUTURAS TÉCNICAS Ano Lectivo 2016/2017 Programa da Unidade Curricular INFRAESTRUTURAS TÉCNICAS Ano Lectivo 2016/2017 1. Unidade Orgânica Arquitectura e Artes (1º Ciclo) 2. Curso Arquitectura 3. Ciclo de Estudos 2º 4. Unidade Curricular INFRAESTRUTURAS

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DO PROGRAMA

CARACTERIZAÇÃO DO PROGRAMA CARACTERIZAÇÃO DO PROGRAMA O Academia das Cidades é um programa intersetorial que integra diversas ações visando a construção de cidades saudáveis, através da requalificação de espaços públicos de lazer,

Leia mais

Viseu Aconchega. Objetivos do projeto:

Viseu Aconchega. Objetivos do projeto: Normas de Admissão Viseu Aconchega O Projeto Viseu Aconchega tem como finalidade o combate à solidão, a ajuda aos estudantes com dificuldades em alojamento e a revitalização do centro histórico, através

Leia mais

(1) (2) (3) (4) (5) (6) (7) (8) (9) (10) (11)=(8)+(10) (12) (13) (14) (15)

(1) (2) (3) (4) (5) (6) (7) (8) (9) (10) (11)=(8)+(10) (12) (13) (14) (15) Exercício de 2009 Data 2010/03/29 ELEMENTOS DO ACTIVO NAO REAVALIADOS 401 02 02 6126 CASA DO POVO DE CABEÇÃO 2007 12 2007 257.495,32 80 6.437,38 1.3 3.218,69 9.656,07 247.839,25 401 04 02 8422 RELVAMENTO

Leia mais

TARIFÁRIO DOS SERVIÇOS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E SANEAMENTO A VIGORAR EM 2014

TARIFÁRIO DOS SERVIÇOS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E SANEAMENTO A VIGORAR EM 2014 TARIFÁRIO DOS SERVIÇOS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E SANEAMENTO A VIGORAR EM 2014 Tarifário de abastecimento de água: O tarifário do serviço de abastecimento de água compreende uma componente fixa e uma componente

Leia mais

Perguntas frequentes PARU Algarve

Perguntas frequentes PARU Algarve Perguntas frequentes PARU Algarve 1. Como se interpreta a proporção de 1 para 1 na repartição do investimento privado/público? Significa que se a dotação máxima para as intervenções públicas (por via do

Leia mais

Departamento de Engenharia Civil e Arquitectura Secção de Urbanismo, Transportes, Vias e Sistemas LABORATÓRIO DE VIAS DE COMUNICAÇÃO E TRANSPORTES

Departamento de Engenharia Civil e Arquitectura Secção de Urbanismo, Transportes, Vias e Sistemas LABORATÓRIO DE VIAS DE COMUNICAÇÃO E TRANSPORTES Departamento de Engenharia Civil e Arquitectura Secção de Urbanismo, Transportes, Vias e Sistemas LABORATÓRIO DE VIAS DE COMUNICAÇÃO E TRANSPORTES ANEXO 1. Introdução Este anexo ao documento sobre a proposta

Leia mais

FICHA DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO

FICHA DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO A ANEXAR AOS PROJECTOS DE ARQUITECTURA DE EDIFÍCIOS DE OCUPAÇÃO EXCLUSIVA OU MISTA COM UTILIZAÇÕES TIPO DA 1ª E 2ª CATEGORIAS DE RISCO Ficha a ser apreciada pela Câmara Municipal (1ª Categoria) ou pelos

Leia mais

Compatibilizar a deteção de incêndios com edifícios de valor patrimonial por André Mingote

Compatibilizar a deteção de incêndios com edifícios de valor patrimonial por André Mingote Compatibilizar a deteção de incêndios com edifícios de valor patrimonial por André Mingote 18-10-2016 Apresentação: Parte 1 A Parques de Sintra Monte da Lua Parte 2 Sistema automático de deteção de incêndio

Leia mais

Capítulo 1 INTRODUÇÃO

Capítulo 1 INTRODUÇÃO Capítulo 1 INTRODUÇÃO Introdução 1.1 CONSIDERAÇÕES INICIAIS O elevado crescimento urbano verificado nos últimos anos, bem como a necessidade de construção de vias de comunicação, de forma a contribuir

Leia mais

PLANO de PORMENOR da ALDEIA da ESTRELA

PLANO de PORMENOR da ALDEIA da ESTRELA M A N U E L G R A Ç A D I A S + E G A S J O S É V I E I R A A R Q U I T E C T O S PLANO de PORMENOR da ALDEIA da ESTRELA PROPOSTA de PLANO MOURA Fevereiro 2012 08 Plano de Financiamento RUA BORGE S CARNEIR

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE URUAÇU ESTADO DE GOIÁS PODER EXECUTIVO SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO CNPJ /

PREFEITURA MUNICIPAL DE URUAÇU ESTADO DE GOIÁS PODER EXECUTIVO SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO CNPJ / Lei nº 1.589/2010 Regulamenta a implantação de CONDOMÍNIO RESIDENCIAL HORIZONTAL e CONDOMÍNIO RESIDENCIAL VERTICAL e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE URUAÇU, no uso das atribuições que lhe

Leia mais

2 CARACTERIZACÃO DAS ITED

2 CARACTERIZACÃO DAS ITED 2 CARACTERIZACÃO DAS ITED As infra-estruturas de telecomunicações em edifícios (ITED) compõem-se de espaços, redes de tubagens, redes de cablagens e restante equipamento e material tais como conectores,

Leia mais

Plano de Adaptação às Alterações Climáticas

Plano de Adaptação às Alterações Climáticas Plano de Adaptação às Alterações Climáticas O Município de Alfândega da Fé tem vindo a desenvolver ações no sentido alcançar uma maior sustentabilidade energética e ambiental, que têm expressão em áreas

Leia mais

V CIRCUITO DE ARBORIZAÇÃO URBANA ARAÇUAÍ MAIO 2015

V CIRCUITO DE ARBORIZAÇÃO URBANA ARAÇUAÍ MAIO 2015 V CIRCUITO DE ARBORIZAÇÃO URBANA ARAÇUAÍ MAIO 2015 LUCÍLIA G. S MORAES Engenheira Sanitarista e Ambiental Gerente de Meio Ambiente Secretaria de Obras, Serviços Urbanos e Meio Ambiente Timóteo -MG PROCEDIMENTOS

Leia mais

Capitulo 1. Vg 1. Vg 1. Capitulo 2. m 2 650,60 5, ,00. m 2 78,59 8,00 628,72. m ,

Capitulo 1. Vg 1. Vg 1. Capitulo 2. m 2 650,60 5, ,00. m 2 78,59 8,00 628,72. m , Art. Designação da obra Un Quantidade Preço Unitário Importâncias Capitulo 1 1.1 Estaleiro e segurança 1.1.1 Montagem, desmontagem e manutenção de estaleiro e equipamentos para apoio à obra e ao seu perfeito

Leia mais

PPDA DA SONORGÁS ANÁLISE DO RELATÓRIO DE EXECUÇÃO DO ANO GÁS

PPDA DA SONORGÁS ANÁLISE DO RELATÓRIO DE EXECUÇÃO DO ANO GÁS PPDA DA SONORGÁS ANÁLISE DO RELATÓRIO DE EXECUÇÃO DO ANO GÁS 2009-2010 Abril 2011 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Este documento está preparado para impressão em frente e verso Rua Dom Cristóvão

Leia mais

Atenção: - a palavra-chave de tem menos de 4 letras, por isso não foi destacada. LEI Nº 2767, DE 18 DE MAIO DE 2012.

Atenção: - a palavra-chave de tem menos de 4 letras, por isso não foi destacada. LEI Nº 2767, DE 18 DE MAIO DE 2012. Atenção: - a palavra-chave de tem menos de 4 letras, por isso não foi destacada. LEI Nº 2767, DE 18 DE MAIO DE 2012. INSTITUI O PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO, INSTRUMENTO DA POLITICA MUNICIPAL DE

Leia mais

Moradia geminada com 2 quartos em localização tranquila perto do Carvoeiro MORADIA GEMINADA EM CARVOEIRO

Moradia geminada com 2 quartos em localização tranquila perto do Carvoeiro MORADIA GEMINADA EM CARVOEIRO Moradia geminada com 2 quartos em localização tranquila perto do Carvoeiro MORADIA GEMINADA EM CARVOEIRO ref. ST1894 190.000 2 2 64 m2 108 m2 Localização + Cidade Freguesia Concelho Região Carvoeiro Lagoa

Leia mais

PEDIDO DE LICENCIAMENTO/AUTORIZAÇÃO DE OPERAÇÃO URBANÍSTICA (ESTABELECIMENTOS DE RESTAURAÇÃO OU BEBIDAS)

PEDIDO DE LICENCIAMENTO/AUTORIZAÇÃO DE OPERAÇÃO URBANÍSTICA (ESTABELECIMENTOS DE RESTAURAÇÃO OU BEBIDAS) Registo de entrada RE SERVADO AOS SERVIÇOS PEDIDO DE LICENCIAMENTO/AUTORIZAÇÃO DE OPERAÇÃO URBANÍSTICA (N.º 2 e n.º3 do Artº4º do D.L. 555/99 de 16 de Dezembro, com a redacção conferida pelo D.L. 177/2001

Leia mais

ABASTECIMENTO DE ÁGUA

ABASTECIMENTO DE ÁGUA ABASTECIMENTO DE ÁGUA Utilizadores Domésticos Tarifa fixa 3,85 Tarifa variável - por m³ 1.º Escalão [0 a 5 m³] - por metro cúbico 0,68 2.º Escalão [6 a 15 m³] por metro cúbico 1,08 3.º Escalão [16 a 25

Leia mais

REDUÇÃO. EXCLUSIVO! V4, 4 casas de banho, campo de ténis e piscina grande - norte de Alvor VILLA EM PORTIMÃO THE ALGARVE PROPERTY SPECIALISTS

REDUÇÃO. EXCLUSIVO! V4, 4 casas de banho, campo de ténis e piscina grande - norte de Alvor VILLA EM PORTIMÃO THE ALGARVE PROPERTY SPECIALISTS REDUÇÃO EXCLUSIVO! V4, 4 casas de banho, campo de ténis e piscina grande - norte de Alvor VILLA EM PORTIMÃO ref. S2912 535.000 475.000 4 4 242 m2 5.000 m2 Utilização Habitação Tipo Villa Cidade Portimão

Leia mais

PURP 63 PLANILHA DE PARÂMETROS URBANÍSTICOS E DE PRESERVAÇÃO ESCALA PREDOMINANTE: BUCÓLICA. AP 10 UP 8 INSTITUTO DE METEOROLOGIA (INMET), CEB e CAESB

PURP 63 PLANILHA DE PARÂMETROS URBANÍSTICOS E DE PRESERVAÇÃO ESCALA PREDOMINANTE: BUCÓLICA. AP 10 UP 8 INSTITUTO DE METEOROLOGIA (INMET), CEB e CAESB AP 10 UP 8 Folha 1 / 6 AP 10 UP 8 Folha 2 / 6 DISPOSITIVOS DE USO E OCUPAÇÃO DO SOLO VALOR PATRIMONIAL PLANILHA DE PARÂMETROS URBANÍSTICOS E DE PRESERVAÇÃO A ATRIBUTOS DE CONFIGURAÇÃO URBANA: TECIDO (MALHA

Leia mais

Gestão e Manutenção de Equipamentos

Gestão e Manutenção de Equipamentos Guia da Reforma Administrativa de Lisboa Gestão e Manutenção de Equipamentos O que são Equipamentos Municipais? São estruturas públicas geridas pela Autarquia. As necessidades da população e a concretização

Leia mais

0. DESENHO TÉCNICO EUVG PARQ Mestrado Integrado em Arquitectura Tecnologias, Materiais e Técnicas de Construção III Ano lectivo 2011/2012

0. DESENHO TÉCNICO EUVG PARQ Mestrado Integrado em Arquitectura Tecnologias, Materiais e Técnicas de Construção III Ano lectivo 2011/2012 0. DESENHO TÉCNICO EUVG PARQ Mestrado Integrado em Arquitectura Tecnologias, Materiais e Técnicas de Construção III Ano lectivo 2011/2012 0.1 ESCALAS DE DESENHO Breve descrição da relação entre as diversas

Leia mais

REGULAMENTO DE TARIFAS PARA UTILIZAÇÃO DE BENS DOMINIAIS DO PORTO DE VIANA DO CASTELO 2016

REGULAMENTO DE TARIFAS PARA UTILIZAÇÃO DE BENS DOMINIAIS DO PORTO DE VIANA DO CASTELO 2016 REGULAMENTO DE TARIFAS PARA UTILIZAÇÃO DE BENS DOMINIAIS DO PORTO DE VIANA DO CASTELO 2016 CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1.º Âmbito de aplicação 1. O presente regulamento, elaborado em conformidade

Leia mais

Tudo no mesmo palco. Fotógrafo: Miguel Veterano

Tudo no mesmo palco. Fotógrafo: Miguel Veterano SUCESSOS OPORTUNIDADES EMOÇÕES 02_03 Tudo no mesmo palco Fotógrafo: Miguel Veterano Mais de 6.000 m2 quadrados completamente adaptáveis a todo o tipo de evento, enquadrados no seio de uma região onde sol,

Leia mais

NOTA TÉCNICA nº 18 Complementar do Regime Jurídico de SCIE

NOTA TÉCNICA nº 18 Complementar do Regime Jurídico de SCIE NOTA TÉCNICA nº 18 Complementar do Regime Jurídico de SCIE OBJECTIVO Descrever a especificidade deste sistema complementar de compartimentação cujas caracteristicas de funcionamento são equivalentes às

Leia mais

15,50 15, por fogo ou unidade de ocupação. 10,50 10, prazo - por cada mês ou fracção

15,50 15, por fogo ou unidade de ocupação. 10,50 10, prazo - por cada mês ou fracção izaç ARTIGO 41º Quadro I Alvará de licença ou autorização de loteamento e de obras de urbanização 1. Emissão do alvará de licença ou de autorização 1.1 Acresce, ao montante referido no número anterior:

Leia mais

Insolvência de Edigaia - Imobiliária, S.A. Tribunal do Comércio de Vila Nova de Gaia - 2.º Juízo. Processo 635/10.3TYVNG

Insolvência de Edigaia - Imobiliária, S.A. Tribunal do Comércio de Vila Nova de Gaia - 2.º Juízo. Processo 635/10.3TYVNG . Tribunal do Comércio de Vila Nova de Gaia - 2.º Juízo Processo 635/10.3TYVNG Relatório de Análise / Avaliação dos Activos Imobiliários 1 Identificação do Cliente Massa Insolvente de Edigaia - Imobiliária,

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO Procuradoria Geral Departamento de Administração Coordenação de Arquitetura e Engenharia

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO Procuradoria Geral Departamento de Administração Coordenação de Arquitetura e Engenharia ANEXO VIII ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO EXECUTIVO DE INSTALAÇÕES HIDROSSANITÁRIAS 1. Os projetos de instalações hidrossanitárias deverão atender às recomendações e especificações

Leia mais

PLANO DE INTERVENÇÃO DA PONTE DA VÁRZEA

PLANO DE INTERVENÇÃO DA PONTE DA VÁRZEA PLANO DE INTERVENÇÃO DA PONTE DA VÁRZEA 1 A Junta de Freguesia de Labruja, tendo definido como uma das suas prioridades para este mandato, a requalificação de toda a área da Ponte da Várzea, junto às margens

Leia mais

A CIDADE COMO ESPAÇO VERDE SIGNIFICANDO A IMAGEM DA CIDADE DE CORUPÁ (SC) COMO PRODUTORA DE PLANTAS ORNAMENTAIS

A CIDADE COMO ESPAÇO VERDE SIGNIFICANDO A IMAGEM DA CIDADE DE CORUPÁ (SC) COMO PRODUTORA DE PLANTAS ORNAMENTAIS A CIDADE COMO ESPAÇO VERDE SIGNIFICANDO A IMAGEM DA CIDADE DE CORUPÁ (SC) COMO PRODUTORA DE PLANTAS ORNAMENTAIS ( susan@netuno.com.br ) Susan Eipper ( (afeche@arq.ufsc.br Margareth de Castro Afeche Pimenta

Leia mais

REDUÇÃO. Moradia Geminada V4 com Apartamento T2 em Vilamoura MORADIA GEMINADA EM VILAMOURA THE ALGARVE PROPERTY SPECIALISTS

REDUÇÃO. Moradia Geminada V4 com Apartamento T2 em Vilamoura MORADIA GEMINADA EM VILAMOURA THE ALGARVE PROPERTY SPECIALISTS REDUÇÃO Moradia Geminada V4 com Apartamento T2 em Vilamoura MORADIA GEMINADA EM VILAMOURA ref. ST5053 650.000 548.000 5 3 416 m2 401 m2 Localização + Cidade Freguesia Concelho Região Detalhes + Vilamoura

Leia mais

QUINTA DA SERRA 4,5 Hectares no DISTRITO DE LISBOA PORTUGAL

QUINTA DA SERRA 4,5 Hectares no DISTRITO DE LISBOA PORTUGAL QUINTA DA SERRA 4,5 Hectares no DISTRITO DE LISBOA PORTUGAL Descrição Quinta soalheira em ótimo estado, pronta a habitar. Excelente vista. Bem localizada a 10 min do Cartaxo, da A1 Aveiras de Cima e 35

Leia mais

Órgãos de manobra e controlo. Tipos, função e localização. Válvulas de seccionamento. Ventosas. Válvulas de descarga.

Órgãos de manobra e controlo. Tipos, função e localização. Válvulas de seccionamento. Ventosas. Válvulas de descarga. DISCIPLINA DE SANEAMENTO AULA 8 / SUMÁRIO AULA 8 ÓRGÃOS E ACESSÓRIOS Órgãos de manobra e controlo. Tipos, função e localização. Válvulas de seccionamento. Ventosas. Válvulas de descarga. SANEAMENTO / FEVEREIRO

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DA ACÇÃO DE FORMAÇÃO NA ÁREA ESPECÍFICA DE SCIE

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DA ACÇÃO DE FORMAÇÃO NA ÁREA ESPECÍFICA DE SCIE CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DA ACÇÃO DE FORMAÇÃO NA ÁREA ESPECÍFICA DE SCIE ASPECTOS GERAIS O curso com uma duração de 128 horas é constituído pelas sessões a seguir indicadas. 1 Parte I Teórico prática 1.1

Leia mais

MEMÓRIA DESCRITIVA E CONDIÇÕES TÉCNICAS

MEMÓRIA DESCRITIVA E CONDIÇÕES TÉCNICAS MEMÓRIA DESCRITIVA E CONDIÇÕES TÉCNICAS 1 MEMÓRIA DESCRITIVA Legenda: 1 Introdução 2 Descrição dos Arranjos Exteriores 3 Requalificação do Espaço de Estacionamento 4 Reperfilamento e Requalificação de

Leia mais

Nova Moradia com 2 Quartos perto da Marina de Albufeira & com Vistas do mar Deslumbrantes MORADIA GEMINADA EM ALBUFEIRA

Nova Moradia com 2 Quartos perto da Marina de Albufeira & com Vistas do mar Deslumbrantes MORADIA GEMINADA EM ALBUFEIRA Nova Moradia com 2 Quartos perto da Marina de Albufeira & com Vistas do mar Deslumbrantes MORADIA GEMINADA EM ALBUFEIRA ref. S5084 295.000 2 4 107 m2 163 m2 Localização + Cidade Freguesia Concelho Região

Leia mais

Os Blocos de Imóveis Passíveis de Desapropriação

Os Blocos de Imóveis Passíveis de Desapropriação Os Blocos de Imóveis Passíveis de Desapropriação de Avaliações e Perícias de Engenharia e pela ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas. As desapropriações necessárias à implantação da Linha 18 -

Leia mais

Dia de Campo sobre Olival Tradicional

Dia de Campo sobre Olival Tradicional Dia de Campo sobre Olival Tradicional Vila Verde de Ficalho, 23 de setembro de 2014 José Francisco Ferragolo da Veiga jfveiga@drapal.min-agricultura.pt DRAP Alentejo Direção Regional de Agricultura e Pescas

Leia mais

DIPLOMA DE ESPECIALIZAÇÃO

DIPLOMA DE ESPECIALIZAÇÃO PLANEAMENTO E ENGENHARIA DE AEROPORTOS DIPLOMA DE ESPECIALIZAÇÃO 1 DIPLOMA DE ESPECIALIZAÇÃO EM PLANEAMENTO E ENGENHARIA DE AEROPORTOS 1. Objectivos O Diploma de Especialização em Planeamento e Engenharia

Leia mais

Empreitada n.º Execução das Redes de Saneamento de Benavente Rua Popular / EN118 / Avenida do Seculo Samora Correia 2º prolongamento prazo

Empreitada n.º Execução das Redes de Saneamento de Benavente Rua Popular / EN118 / Avenida do Seculo Samora Correia 2º prolongamento prazo Dono de Obra Entidade Executante AR Águas do Ribatejo, EM, S.A. PROTECNIL - Sociedade Técnica de Construções, S.A. PROJECTO DE SINALIZAÇÃO TEMPORÁRIA DE SEGURANÇA A IMPLEMENTAR NA EMPREITADA Empreitada

Leia mais

Licenciamento de Limpeza e Desobstrução de Linhas de Água

Licenciamento de Limpeza e Desobstrução de Linhas de Água NORMA DE PROCEDIMENTOS Junho de 2005 10 / AM Tramitação dos processos de Licenciamento de Limpeza e Desobstrução de Linhas de Água 1. Apresentação 2. Legislação de enquadramento 3. Tramitação dos processos

Leia mais

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DA CASA DA PRAIA

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DA CASA DA PRAIA REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DA CASA DA PRAIA O presente regulamento visa disciplinar a utilização do espaço acima referido, bem como dos equipamentos e serviços a ele adjacentes, visando o melhor aproveitamento

Leia mais

DECRETO Nº DE 4 DE FEVEREIRO DE 2015

DECRETO Nº DE 4 DE FEVEREIRO DE 2015 DECRETO Nº 39748 DE 4 DE FEVEREIRO DE 2015 Determina o tombamento definitivo do edifício que abrigou o Colégio Arte e Instrução, situado na Avenida Ernani Cardoso, nºs 225, 229, 233 e 237,Cascadura XV

Leia mais

Aspectos de sustentabilidade a serem considerados na concepção e desenvolvimento de projetos de arquitetura. Prof a : Ana Cecília Estevão

Aspectos de sustentabilidade a serem considerados na concepção e desenvolvimento de projetos de arquitetura. Prof a : Ana Cecília Estevão Aspectos de sustentabilidade a serem considerados na concepção e desenvolvimento de projetos de arquitetura Prof a : Ana Cecília Estevão Desenvolvimento sustentável Aquele que busca um equilíbrio entre

Leia mais

Apartamentos T3 e Duplex perto da "Rua dos Bares" em Albufeira APARTAMENTO EM ALBUFEIRA

Apartamentos T3 e Duplex perto da Rua dos Bares em Albufeira APARTAMENTO EM ALBUFEIRA Apartamentos T3 e Duplex perto da "Rua dos Bares" em Albufeira APARTAMENTO EM ALBUFEIRA ref. S5089 187.500 3 3 128 m2 Localização + Cidade Freguesia Concelho Região Albufeira Albufeira e Olhos de Água

Leia mais

Manual para Elaboração dos Planos Municipais para a Mata Atlântica

Manual para Elaboração dos Planos Municipais para a Mata Atlântica Manual para Elaboração dos Planos Municipais para a Mata Atlântica Rede de ONGs da Mata Atlântica RMA Apoio: Funbio e MMA Papel do Município no meio ambiente Constituição Federal Art 23 Competência Comum,

Leia mais

Espaços Verdes: A importância dos Jardins

Espaços Verdes: A importância dos Jardins Espaços Verdes: A importância dos Jardins Jardins do Futuro Telhados verdes / Xerojardins / Jardim produtivo LIPOR Luís Alves Setembro 2010 ???????? O que está a encorajar a jardinagem a tornar-se uma

Leia mais

PROJECTO DE LEI N.º 512/X APOIOS À PERMANÊNCIA E INTEGRAÇÃO NA FAMÍLIA DE IDOSOS E PESSOAS PORTADORAS DE DEFICIÊNCIA. Exposição de motivos

PROJECTO DE LEI N.º 512/X APOIOS À PERMANÊNCIA E INTEGRAÇÃO NA FAMÍLIA DE IDOSOS E PESSOAS PORTADORAS DE DEFICIÊNCIA. Exposição de motivos PROJECTO DE LEI N.º 512/X APOIOS À PERMANÊNCIA E INTEGRAÇÃO NA FAMÍLIA DE IDOSOS E PESSOAS PORTADORAS DE DEFICIÊNCIA Exposição de motivos A sociedade moderna tem por obrigação fornecer os instrumentos

Leia mais

Divisão de Obras Particulares e Planeamento Urbanístico

Divisão de Obras Particulares e Planeamento Urbanístico Licenciamento Administrativo de Operação Urbanística Espaço reservado aos Serviços Exmº Senhor Presidente da Câmara Municipal do Bombarral Nome Contribuinte fiscal n.º, B.I. n.º, Cartão do Cidadão, com

Leia mais

Operação de Loteamento para Área de Acolhimento Empresarial de Ul / Loureiro

Operação de Loteamento para Área de Acolhimento Empresarial de Ul / Loureiro Operação de Loteamento para Área de Acolhimento Empresarial de Ul / Loureiro REGULAMENTO ART.º 1º DESTINO E GESTÃO 1. A Área de Acolhimento Empresarial de Ul / Loureiro (adiante definida pela sigla AAEUL),

Leia mais

Manutenção e Limpeza do Espaço Público

Manutenção e Limpeza do Espaço Público Guia da Reforma Administrativa de Lisboa Manutenção e Limpeza do Espaço Público O que é o espaço público? O espaço público é toda a área urbana, edificada ou não edificada, de acesso público. Este inclui:

Leia mais

PAISAGISMO. Antonio Castelnou

PAISAGISMO. Antonio Castelnou PAISAGISMO Antonio Castelnou CASTELNOU Introdução Por PAISAGEM (do latim pagus = território rural; pelo fr. paysage) pode-se entender tudo aquilo que se vê ou que nossa visão alcança; objeto de nossa percepção,

Leia mais

POSTO TERRITORIAL DA G.N.R. RESENDE

POSTO TERRITORIAL DA G.N.R. RESENDE D.G.I.E.- DIRECÇÃO GERAL DE INFRA-ESTRUTURAS E EQUIPAMENTOS POSTO TERRITORIAL DA G.N.R. RESENDE VOLUME 1 - ARQUITECTURA MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA PROJECTO DE EXECUÇÃO DOCUMENTO Nº : 30165 PE AR

Leia mais

REDUÇÃO. Soberba Moradia V3 com Piscina e Vista Mar, perto de Albufeira VILLA EM ALBUFEIRA THE ALGARVE PROPERTY SPECIALISTS

REDUÇÃO. Soberba Moradia V3 com Piscina e Vista Mar, perto de Albufeira VILLA EM ALBUFEIRA THE ALGARVE PROPERTY SPECIALISTS REDUÇÃO Soberba Moradia V3 com Piscina e Vista Mar, perto de Albufeira VILLA EM ALBUFEIRA ref. S5054 575.000 549.995 3 2 251 m2 1.850 m2 Utilização Tipo Cidade Freguesia Concelho Região Habitação Villa

Leia mais

Casos de estudo LNEC-CM CM Silves-CM Lagoa- CM Portimão-CM Vila do Bispo. APA, 17 de Setembro de 2007

Casos de estudo LNEC-CM CM Silves-CM Lagoa- CM Portimão-CM Vila do Bispo. APA, 17 de Setembro de 2007 PROJECTO MOBILIDADE SUSTENTÁVEL Casos de estudo LNEC-CM CM Silves-CM Lagoa- CM Portimão-CM Vila do Bispo APA, 17 de Setembro de 2007 Enquadramento LNEC/DT/NPTS não contratou bolseiros R.H. existentes carreira

Leia mais

Mudança de serviços para o Polo dos Olivais

Mudança de serviços para o Polo dos Olivais Câmara Municipal de Lisboa Mudança de serviços para o Polo dos Olivais - Ponto de situação - Apresentação à 1ª Comissão da AML 7 de Junho de 2016 POLO DOS OLIVAIS POLO OLIVAIS (I e II) PROGRAMAÇÃO POLO

Leia mais

ikaza Projecto: Sala Cliente: Exemplo Refª: PO Nov-07

ikaza Projecto: Sala Cliente: Exemplo Refª: PO Nov-07 ikaza Projecto: Sala Cliente: Exemplo Refª: PO00345-0807 Nov-07 Programa O objectivo principal da proposta foi assistir o cliente na tomada de decisões acerca da decoração da sua sala e instalação sanitária.

Leia mais

PLANO DE ACÇÃO, DO ANO DE 2005

PLANO DE ACÇÃO, DO ANO DE 2005 PLANO DE ACÇÃO, DO ANO DE 2005 O ano de 2005 é o último ano de vigência do I Plano Estratégico para o Desenvolvimento da. Assim sendo, este Plano de Acção constitui, de certa forma, o encerrar de um ciclo

Leia mais

AVENIDA DONA BELMIRA MARIN MELHORAMENTOS E ALARGAMENTO IMPLANTAÇÃO DE CORREDOR DE ÔNIBUS

AVENIDA DONA BELMIRA MARIN MELHORAMENTOS E ALARGAMENTO IMPLANTAÇÃO DE CORREDOR DE ÔNIBUS AVENIDA DONA BELMIRA MARIN MELHORAMENTOS E ALARGAMENTO IMPLANTAÇÃO DE CORREDOR DE ÔNIBUS OPORTUNIDADES PROMOVER ORGANIZAÇÃO DO SISTEMA VIÁRIO E ALÍVIO DOS VOLUMES DE TRÁFEGO IMPORTANTE VIA ESTRUTURAL.

Leia mais

APRESENTAÇÃO. Em paralelo desenvolve projetos como freelancer em várias áreas.

APRESENTAÇÃO. Em paralelo desenvolve projetos como freelancer em várias áreas. APRESENTAÇÃO António Courela estudou na Escola Superior de Artes Aplicadas de Castelo Branco (ESART) onde concluiu a licenciatura em Design de Interiores e Equipamentos. Durante o seu percurso tem vindo

Leia mais

PROJECTO PARA REABILITAÇÃO DA CÉLULA DE LAMAS NÃO ESTABILIZADAS DA ETAR DE ALCANENA. 15 de Julho de 2010, Câmara Municipal de Santarém

PROJECTO PARA REABILITAÇÃO DA CÉLULA DE LAMAS NÃO ESTABILIZADAS DA ETAR DE ALCANENA. 15 de Julho de 2010, Câmara Municipal de Santarém PROJECTO PARA REABILITAÇÃO DA CÉLULA DE LAMAS NÃO ESTABILIZADAS DA ETAR DE ALCANENA 15 de Julho de 2010, Câmara Municipal de Santarém 1 ÍNDICE ENQUADRAMENTO BREVE CARACTERIZAÇÃO DA CÉLULA DE LAMAS PROJECTO

Leia mais

Instalações eléctricas estabelecidas em condomínios fechados

Instalações eléctricas estabelecidas em condomínios fechados Instalações eléctricas estabelecidas em condomínios fechados Despacho do Director Geral de Geologia e Energia, de 13 de Maio de 2005 Enquadramento Legal Decreto Lei n.º 177/2001, de 4 de Junho republica

Leia mais

AULAS 11 e 12 SISTEMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA ÓRGÃOS DE MANOBRA E CONTROLO CÂMARAS DE PERDA DE CARGA, ESTAÇÕES ELEVATÓRIAS E SOBREPRESSORAS EXEMPLOS

AULAS 11 e 12 SISTEMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA ÓRGÃOS DE MANOBRA E CONTROLO CÂMARAS DE PERDA DE CARGA, ESTAÇÕES ELEVATÓRIAS E SOBREPRESSORAS EXEMPLOS SANEAMENTO Aulas 11 e 12 - Sumário AULAS 11 e 12 ÓRGÃOS DE MANOBRA E CONTROLO Tipos, função e localização. Exemplos CÂMARAS DE PERDA DE CARGA, ESTAÇÕES ELEVATÓRIAS E SOBREPRESSORAS Disposições dos órgãos

Leia mais

AUMENTO DA OFERTA DE ÁGUA TRATADA PARA A REGIÃO METROPOLITANA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO COM FOCO NA BAIXADA FLUMINENSE

AUMENTO DA OFERTA DE ÁGUA TRATADA PARA A REGIÃO METROPOLITANA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO COM FOCO NA BAIXADA FLUMINENSE AUMENTO DA OFERTA DE ÁGUA TRATADA PARA A REGIÃO METROPOLITANA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO COM FOCO NA BAIXADA FLUMINENSE JUSTIFICATIVA PARA O INVESTIMENTO Este projeto permitirá o aumento de oferta de

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO DE IMAGENS DE SATÉLITE MULTITEMPORAISBASEADA EM OBJETOS E APURAMENTO SEMIAUTOMÁTICO DE LIMIARES DE CORTE

CLASSIFICAÇÃO DE IMAGENS DE SATÉLITE MULTITEMPORAISBASEADA EM OBJETOS E APURAMENTO SEMIAUTOMÁTICO DE LIMIARES DE CORTE CLASSIFICAÇÃO DE IMAGENS DE SATÉLITE MULTITEMPORAISBASEADA EM OBJETOS E APURAMENTO SEMIAUTOMÁTICO DE LIMIARES DE CORTE Ângela Barbosa, Dora Roque, Ana Maria Fonseca e Jorge Rocha Problemática Classificação

Leia mais

646 / Lei Complementar Municipal. Data 22/07/2010 Ano 2010 Fonte DOPA 08/10/2010 Pág. 2 LEI COMPLEMENTAR Nº 646, DE 22 DE JULHO DE 2010.

646 / Lei Complementar Municipal. Data 22/07/2010 Ano 2010 Fonte DOPA 08/10/2010 Pág. 2 LEI COMPLEMENTAR Nº 646, DE 22 DE JULHO DE 2010. Ato 646 /2010 - Lei Complementar Municipal Data 22/07/2010 Ano 2010 Fonte DOPA 08/10/2010 Pág. 2 LEI COMPLEMENTAR Nº 646, DE 22 DE JULHO DE 2010. Altera e inclui dispositivos, figuras e anexos na Lei Complementar

Leia mais

Os veículos eléctricos na Alta de Coimbra

Os veículos eléctricos na Alta de Coimbra WORKSHOP Combustíveis e veículos alternativos Práticas correntes e futuras linhas de orientação política para o transporte de passageiros (Projecto Alter-Motive) Os veículos eléctricos na Alta de Coimbra

Leia mais