GINGA - Software Livre para TV Digital Brasileira

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "GINGA - Software Livre para TV Digital Brasileira"

Transcrição

1 1 of 6 23/6/ :40 GINGA - Software Livre para TV Digital Brasileira Autor: Paulo Roberto Junior - WoLF <paulorvojr at gmail.com> Data: 13/04/2009 O que é GINGA Posso falar com minhas próprias indagações e avaliações sobre este projeto, mas nada como os próprios desenvolvedores o definem. Texto abaixo retirado e com os devidos créditos do site do governo: "Ginga é a camada de software intermediário (middleware) que permite o desenvolvimento de aplicações interativas para a TV Digital de forma independente da plataforma de hardware dos fabricantes de terminais de acesso (set-top boxes). Resultado de anos de pesquisas lideradas pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) e pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Ginga reúne um conjunto de tecnologias e inovações brasileiras que o tornam a especificação de middleware mais avançada e, ao mesmo tempo, mais adequada à realidade do país. O Middleware Ginga pode ser dividido em três subsistemas principais: Ginga-CC, Ginga-J e Ginga-NCL. Ginga-CC (Ginga Common-Core) oferece o suporte básico para os ambientes declarativo (Ginga-NCL) e procedural (Ginga-J) (veja detalhes da arquitetura Ginga em nosso Wiki). Dependendo das funcionalidades requeridas no projeto de cada aplicação, um paradigma de programação (declarativo ou procedural) possuirá uma melhor adequação que o outro. Ginga-J foi desenvolvido pela UFPB para prover uma infra-estrutura de execução de aplicações baseadas em linguagem Java, com facilidades especificamente voltadas para o ambiente de TV digital. Em breve, o subgrupo Ginga-J estará disponível nesta comunidade! Ginga-NCL foi desenvolvido pela PUC-Rio para prover uma infra-estrutura de apresentação de aplicações baseadas em documentos hipermídia escritos em linguagem NCL, com facilidades para a especificação de aspectos de interatividade, sincronismo espaço-temporal de objetos de mídia, adaptabilidade e suporte a múltiplos dispositivos. NCL possui Lua como sua linguagem de script. Entre agora mesmo no subgrupo Ginga-NCL! Para facilitar o desenvolvimento de aplicações Ginga-NCL, a PUC-Rio desenvolveu também a ferramenta Composer. Composer é um ambiente de autoria voltado para a criação de programas NCL para TV digital interativa. Nessa ferramenta, as abstrações são definidas em diversos tipos de visões que permitem simular um tipo específico de edição (estrutural, temporal, leiaute e textual). Essas visões funcionam de maneira sincronizada, a fim de oferecer um ambiente integrado de autoria. Entre agora mesmo no subgrupo Composer! Cabe observar que os desenvolvimentos relacionados à linguagem NCL e à ferramenta Composer estão aplicados ao cenário de TV Digital, mas já são aplicados em outros cenários de aplicações multimídia e hipermídia, como Web, IPTV etc. TV Digital Interativa é apenas um caso particular de aplicação

2 2 of 6 23/6/ :40 multimídia. " Sistema de TV Digital: Uma visão geral rápida Um sistema de TV digital é um sistema típico de cliente/servidor. O servidor compõe o ambiente de uma radiodifusora (Globo, SBT) ou de um servidor de conteúdo (GINGA por exemplo) e o cliente o ambiente do usuário telespectador (NÓS). Um programa de TV é composto por um áudio principal e um vídeo principal, capturado ao vivo de uma câmera, ou de um servidor com vídeos(não ao vivo). Com o GINGA instalado, consegue-se usar a interatividade da televisão Digital. Um dos exemplos de interatividade é a escolha de um programa dentro de um canal, como filmes de ação, dentro do canal de filmes; ou fazer compras pela televisão. O que é TV DIGITAL sem GINGA Basicamente é uma televisão com uma imagem e som melhor. Portanto, não aceite uma televisão ou um set-top box sem ter o programa brasileiro GINGA, pois ele é indispensável para que a interatividade da televisão e as inovações de canal e programação possam ser usufruídas por você. Então posso criar um programa interativo, onde pessoas com seus devidos recursos necessários para o tal, e elas interagirem com o controle remoto? Sim, pode perfeitamente e é isso que a TV Digital vai proporcionar, além de claro uma melhor qualidade de sinal e resolução, e acima de tudo, interação com os usuários. GINGA em formato LIVE-CD Este maravilho projeto agora está disponível de uma forma mais prática. Um belo Live-cd. Para baixá-lo acesse o link: Caso o link não funcione ou seja alterado, procure na página oficial em: /ferramentas.html Após baixar, grave esta imagem de cd em formato.iso, em um cd virgem, e como qualquer outra distribuição Linux live-cd, inicie o computador ou sua máquina virtual pelo cd, ou pela.iso (no caso de uma máquina virtual). Após isto, as seguintes imagens irão aparecer:

3 3 of 6 23/6/ :40 em seguida: Set-top Box Virtual de desenvolvimento Ginga-NCL Outra forma de conhecer o Ginga-NCL é em formato já pronto de máquina virtual: Para baixar acesse: Após baixar, descompacte em uma pasta onde se localiza seu repositório de máquinas virtuais, tanto para VMWare, VirtualBox, entre outros. Com informações de fácil entendimento, segue abaixo a melhor descrição do assunto, criado com os créditos dos próprios desenvolvedores: "O Set-top Box Virtual Ginga-NCL é uma máquina virtual construída para facilitar o processo de distribuição e implantação do Ginga-NCL versão C++, a versão do player NCL que conta com os mais avançados recursos de apresentação de aplicações declarativas, melhor desempenho e maior proximidade de uma implementação embarcada em set-top boxes reais.

4 4 of 6 23/6/ :40 Analisando os reportes dos membros da comunidade Ginga, nota-se a dificuldade enfrentada por usuários não-avançados para colocar essa versão do Ginga-NCL em funcionamento em seus computadores. Mas, ao mesmo tempo, vê-se que a demanda pelo uso da versão C++ vem crescendo, provavelmente motivada pela maior fidelidade de apresentação dos documentos NCL, se comparada à versão escrita em Java. Uma máquina virtual é a implementação em software de um computador que executa programas tal qual uma máquina real. Ela pode ser vista como uma duplicata isolada de uma máquina real. Cabe ao software de virtualização multiplexar o hardware real gerenciado por um sistema operacional hospedeiro (host) entre diversas instâncias virtuais desse hardware, gerenciadas por sistemas operacionais convidados (guests). Os sistemas operacionais convidados não precisam ser o mesmo que o hospedeiro, e nem precisam ser os mesmos entre si. Isso quer dizer que em um sistema hospedeiro pode-se ter diferentes sistemas operacionais (e suas aplicações) executando ao mesmo tempo, concorrentemente, disputando o compartilhamento do hardware real. Criar uma máquina virtual envolve a seleção de quais dispositivos de hardware estarão disponíveis para o sistema operacional convidado, qual a quantidade de memória, e outras configurações. Tal seleção é guiada por uma avaliação dos objetivos finais da máquina virtual. Uma vez configurada, a máquina virtual deve receber a instalação de um sistema operacional convidado, dos pacotes de sua distribuição e de softwares de terceiros. Assim, a virtualização se torna um atrativo veículo para distribuição de software, principalmente daqueles que possuem alta complexidade de compilação, instalação ou personalização junto ao hardware e serviços. E essas mesmas características são encontradas no Ginga-NCL. A máquina virtual fedora-fc7-ginga-i386 foi criada e configurada pela equipe do Laboratório TeleMídia da PUC-Rio utilizando o software VMWare Workstation 6 (trial). As características de hardware configuradas para a máquina virtual estão exibidas na figura ao lado. O sistema operacional instalado é Linux, distribuição Fedora Core 7. A instalação foi otimizada para incluir apenas os pacotes de software essenciais para o desenvolvimento do Middleware Ginga e para a execução do ginganclplayer versão C++. Dessa forma, foram excluídos programas populares como todo ambiente gráfico X/GNOME/KDE, e suas ferramentas. O objetivo é gerar um ambiente muito próximo a um set-top box de desenvolvimento real. A maior diferença é que nosso set-top box virtual é capaz de recompilar os programas que executa e possui a mesma plataforma de hardware de um PC. E, infelizmente, não vem com controle remoto... Os principais pacotes de software instalados são: gingancl-cpp (mais recente) kernel GNU toolchain (gcc , glibc 2.6-4) directfb (extras & examples) xine-lib gingancl-cpp-devel (código fonte) Com tudo isso, a máquina virtual apresenta como principais vantagens: Instalação descomplicada, pois tudo está pronto, não há configurações de kernel ou boot a serem feitas Portabilidade entre diferentes sistemas operacionais

5 5 of 6 23/6/ :40 Ótimo ambiente de testes de aplicações NCL / NCLua. Ambiente completo para os desenvolvedores do middleware Obs.: O STB Virtual vem pré-configurado com o uma resolução de 640x480, baixa dessa forma para otimizar o uso da CPU. Usuários com alguma experiência em framebuffer e directfb podem modificar a resolução conforme suas necessidades Requisitos para o funcionamento do Set-top Box Virtual de Desenvolvimento Ginga-NCL Requisitos de Hardware: Arquitetura Intel. Pentium 4 3.0GHz ou melhor. HyperThreading recomendado. Duplo núcleo ideal. Memória RAM de 1 Gb ou maior. 2 Gb recomendado. Placa Aceleradora de Vídeo com 64Mb ou maior. Chipsets nvidia e ATI recomendados. Disco rígido com 5Gb livres. Placa de som Requisitos de software: Sistema Operacional: Windows XP (ou posterior), ou Linux, ou Mac OS X. Software de virtualização: VMWare Player (Windows ou Linux) ou VMWare Workstation (Windows ou Linux) ou VMWare Fusion (Mac OS X). Os requisitos de hardware podem ser relaxados se o usuário se limitar a aplicações NCL mais simples, que incluem mídias de baixa resolução e que evitam a renderização em paralelo de diversos vídeos e áudios. " Convite a todos Com o desenvolvimento e melhorias deste brilhante projeto brasileiro, e por sua filosofia de software livre, todos que se interessarem podem ajudar, aprender e a divulgar o GINGA. Criando pequenas aplicações, tutoriais, disseminando informações ao redor do mundo. Para ver muitos artigos, textos e tutoriais, acesse: Agradecimentos

6 6 of 6 23/6/ :40 Obrigado a todos que leram este artigo com foco em divulgação e novidades, e não apenas com o intuito de "howto", de como fazer isso, faça aquilo. Logo que esta incrível tecnologia se fixar melhor no Brasil e adquirir conhecimento suficiente para o mesmo, posto novidades e como implementar programas, desenvolvê-lo e usar. Espero que tenham gostado. Obrigado, também a todos os mantedores desta comunidade Viva o/ Linux, Abraços. Paulo Roberto Junior Voltar para o site

Introdução a Informática - 1º semestre AULA 02 Prof. André Moraes

Introdução a Informática - 1º semestre AULA 02 Prof. André Moraes Introdução a Informática - 1º semestre AULA 02 Prof. André Moraes 3 MÁQUINAS VIRTUAIS Em nossa aula anterior, fizemos uma breve introdução com uso de máquinas virtuais para emularmos um computador novo

Leia mais

4 Estrutura do Sistema Operacional. 4.1 - Kernel

4 Estrutura do Sistema Operacional. 4.1 - Kernel 1 4 Estrutura do Sistema Operacional 4.1 - Kernel O kernel é o núcleo do sistema operacional, sendo responsável direto por controlar tudo ao seu redor. Desde os dispositivos usuais, como unidades de disco,

Leia mais

Sistemas Operacionais. Prof. M.Sc. Sérgio Teixeira. Aula 05 Estrutura e arquitetura do SO Parte 2. Cursos de Computação

Sistemas Operacionais. Prof. M.Sc. Sérgio Teixeira. Aula 05 Estrutura e arquitetura do SO Parte 2. Cursos de Computação Cursos de Computação Sistemas Operacionais Prof. M.Sc. Sérgio Teixeira Aula 05 Estrutura e arquitetura do SO Parte 2 Referência: MACHADO, F.B. ; MAIA, L.P. Arquitetura de Sistemas Operacionais. 4.ed. LTC,

Leia mais

Virtualização Gerencia de Redes Redes de Computadores II

Virtualização Gerencia de Redes Redes de Computadores II Virtualização Gerencia de Redes Redes de Computadores II *Créditos: baseado no material do Prof. Eduardo Zagari Virtualização - Introdução Introduzido nos anos 60 em Mainframes Em 1980 os microcomputadores

Leia mais

Virtualização - Montando uma rede virtual para testes e estudos de serviços e servidores

Virtualização - Montando uma rede virtual para testes e estudos de serviços e servidores Virtualização - Montando uma rede virtual para testes e estudos de serviços e servidores Este artigo demonstra como configurar uma rede virtual para ser usada em testes e estudos. Será usado o VirtualBox

Leia mais

Máquinas Virtuais com o VirtualBox

Máquinas Virtuais com o VirtualBox Máquinas Virtuais com o VirtualBox Marcos Elias Picão www.explorando.com.br No exemplo: Windows XP dentro do Windows 7 Você pode compartilhar livremente sem interesses comerciais, desde que não modifique.

Leia mais

ETEC RAPOSO TAVARES GESTÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS I. Máquina Virtual. Instalação de S.O. em dual boot. 1º Semestre 2010 PROF.

ETEC RAPOSO TAVARES GESTÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS I. Máquina Virtual. Instalação de S.O. em dual boot. 1º Semestre 2010 PROF. ETEC RAPOSO TAVARES GESTÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS I Máquina Virtual Instalação de S.O. em dual boot 1º Semestre 2010 PROF. AMARAL Na ciência da computação, máquina virtual é o nome dado a uma máquina,

Leia mais

SISTEMAS OPERACIONAIS. Maquinas Virtuais e Emuladores

SISTEMAS OPERACIONAIS. Maquinas Virtuais e Emuladores SISTEMAS OPERACIONAIS Maquinas Virtuais e Emuladores Plano de Aula Máquinas virtuais Emuladores Propriedades Benefícios Futuro Sistemas de Computadores Os sistemas de computadores são projetados com basicamente

Leia mais

Curso Tecnológico de Redes de Computadores 5º período Disciplina: Tecnologia WEB Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-2

Curso Tecnológico de Redes de Computadores 5º período Disciplina: Tecnologia WEB Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-2 Curso Tecnológico de Redes de Computadores 5º período Disciplina: Tecnologia WEB Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-2 Aula 3 Virtualização de Sistemas 1. Conceito Virtualização pode ser definida

Leia mais

Sistemas Operacionais 1/66

Sistemas Operacionais 1/66 Sistemas Operacionais 1/66 Roteiro Máquinas virtuais Emuladores Propriedades Benefícios Futuro 2/66 Sistemas de Computadores Os sistemas de computadores são projetados com basicamente 3 componentes: hardware

Leia mais

Sistemas Operacionais. Roteiro. Sistemas de Computadores. Os sistemas de computadores são projetados com basicamente 3 componentes: Marcos Laureano

Sistemas Operacionais. Roteiro. Sistemas de Computadores. Os sistemas de computadores são projetados com basicamente 3 componentes: Marcos Laureano Sistemas Operacionais Marcos Laureano 1/66 Roteiro Máquinas virtuais Emuladores Propriedades Benefícios Futuro 2/66 Sistemas de Computadores Os sistemas de computadores são projetados com basicamente 3

Leia mais

VIRTUALIZAÇÃO CONVENCIONAL

VIRTUALIZAÇÃO CONVENCIONAL VIRTUALIZAÇÃO CONVENCIONAL Sera usado o VirtualBox 5.0.8 a versão mais atual e estável da aplicação, para virtualização de um sistema Linux sobre a plataforma Windows. Para esse modelo pratico de virtualização

Leia mais

BOLETIM TÉCNICO NComputing Brasil - #110502 Instalando o Oracle Virtualbox 4.0.2 e Criando uma VM Windows Server 2008 no Virtualbox O que é virtualbox? O virtualbox é um aplicativo de virtualização multi-plataforma

Leia mais

ATIVIDADE 1 MÁQUINAS VIRTUAIS. 1.1 Arquiteturas não virtualizadas

ATIVIDADE 1 MÁQUINAS VIRTUAIS. 1.1 Arquiteturas não virtualizadas ATIVIDADE 1 MÁQUINAS VIRTUAIS Existem hoje diversas tecnologias e produtos para virtualização de computadores e ambientes de execução, o que pode gerar uma certa confusão de conceitos. Apesar disso, cada

Leia mais

INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial

INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial 2 1. O Sistema PrinterTux O Printertux é um sistema para gerenciamento e controle de impressões. O Produto consiste em uma interface web onde o administrador efetua o cadastro

Leia mais

Aplicações. Sistema Operacional Hardware. Os sistemas de computadores são projetados com basicamente 3 componentes: Máquinas Virtuais e Emuladores

Aplicações. Sistema Operacional Hardware. Os sistemas de computadores são projetados com basicamente 3 componentes: Máquinas Virtuais e Emuladores Máquinas Virtuais e Emuladores Marcos Aurelio Pchek Laureano Sistemas de Computadores Os sistemas de computadores são projetados com basicamente 3 componentes: hardware sistema operacional aplicações Sistemas

Leia mais

Desenvolvendo Aplicações para TV Digital Interativa. Diemesleno Souza Carvalho. Dourados -MS, 20 de Abril de 2011.

Desenvolvendo Aplicações para TV Digital Interativa. Diemesleno Souza Carvalho. Dourados -MS, 20 de Abril de 2011. Desenvolvendo Aplicações para TV Digital Interativa Diemesleno Souza Carvalho Dourados -MS, 20 de Abril de 2011. Sobre o Palestrante Tecnólogo em Sistemas para Internet. Pós-graduando MBA em Gestão de

Leia mais

TV Digital no Brasil e o Middleware Ginga. Luiz Eduardo Cunha Leite

TV Digital no Brasil e o Middleware Ginga. Luiz Eduardo Cunha Leite TV Digital no Brasil e o Middleware Ginga Luiz Eduardo Cunha Leite 1 Sistema de TV Digital no Brasil 3G 1 Seg 2 PTSN, Internet, etc. Nível de Transporte TCP / IP -SI -Carrossel de Dados e Objetos -MPE

Leia mais

PESPECTVIAS DO PROJETO DE PESQUISA DESENVOLVIMENTO DE MIDDLEWARE PARA DIVULGAÇÃO DE SABERES POPULARES NO CANAL DE INTERATIVIDADE DA TV DIGITAL *

PESPECTVIAS DO PROJETO DE PESQUISA DESENVOLVIMENTO DE MIDDLEWARE PARA DIVULGAÇÃO DE SABERES POPULARES NO CANAL DE INTERATIVIDADE DA TV DIGITAL * PESPECTVIAS DO PROJETO DE PESQUISA DESENVOLVIMENTO DE MIDDLEWARE PARA DIVULGAÇÃO DE SABERES POPULARES NO CANAL DE INTERATIVIDADE DA TV DIGITAL * Wellington Garcia PEREIRA 1 ; Hudson Henrique de Sousa LOPES

Leia mais

Sistema Operacional Unidade 4.2 - Instalando o Ubuntu Virtualizado

Sistema Operacional Unidade 4.2 - Instalando o Ubuntu Virtualizado Sistema Operacional Unidade 4.2 - Instalando o Ubuntu Virtualizado Curso Técnico em Informática SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 CRIAÇÃO DA MÁQUINA VIRTUAL... 3 Mas o que é virtualização?... 3 Instalando o VirtualBox...

Leia mais

Xen Cloud Platform Xen descomplicado

Xen Cloud Platform Xen descomplicado Xen Cloud Platform Xen descomplicado CAPA A Xen Cloud Platform facilita muito a criação e o gerenciamento de máquinas virtuais sobre o hypervisor Xen. por Boris Quiroz e Stephen Spector A revolução da

Leia mais

NCL e Java. Aquiles Burlamaqui

NCL e Java. Aquiles Burlamaqui Construindo programas de TV Digital Interativa usando NCL e Java Aquiles Burlamaqui Sumário Introdução Middleware Aplicações de TVDI Ginga NCL Ginga J Conclusões Introdução TV Digital Interativa O que

Leia mais

TUTORIAL VMWARE WORKSTATION 8. Aprenda a instalar e configurar corretamente uma máquina virtual utilizando VMware Workstation com este tutorial

TUTORIAL VMWARE WORKSTATION 8. Aprenda a instalar e configurar corretamente uma máquina virtual utilizando VMware Workstation com este tutorial TUTORIAL VMWARE WORKSTATION 8 Aprenda a instalar e configurar corretamente uma máquina virtual utilizando VMware Workstation com este tutorial INTRODUÇÃO O uso de máquinas virtuais pode ser adequado tanto

Leia mais

Como criar uma máquina virtual para instalar o Windows XP ou outro?

Como criar uma máquina virtual para instalar o Windows XP ou outro? Como criar uma máquina virtual para instalar o Windows XP ou outro? Existem vários programas para isso, entre eles o Parallels que é pago, o VMWare, o Virtual Box e outros. Hoje vamos abordar o Virtual

Leia mais

Tutorial: Instalando Linux Educacional em uma maquina virtual

Tutorial: Instalando Linux Educacional em uma maquina virtual Maria Augusta Sakis Tutorial: Instalando Linux Educacional em uma Máquina Virtual Máquinas virtuais são muito úteis no dia-a-dia, permitindo ao usuário rodar outros sistemas operacionais dentro de uma

Leia mais

1.1. Aplicações de TVD dinâmicas

1.1. Aplicações de TVD dinâmicas 1 Introdução Uma aplicação de TV Digital (TVD) comumente é composta por um vídeo principal associado a outros objetos (aplicações, imagens, vídeos, textos etc.), que são transmitidos em conjunto possibilitando

Leia mais

Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas

Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas O conteúdo deste documento tem como objetivos geral introduzir conceitos mínimos sobre sistemas operacionais e máquinas virtuais para posteriormente utilizar

Leia mais

Aula 1 - Introdução e configuração de ambiente de desenvolvimento

Aula 1 - Introdução e configuração de ambiente de desenvolvimento Aula 1 - Introdução e configuração de ambiente de desenvolvimento Olá, seja bem-vindo à primeira aula do curso para desenvolvedor de Android, neste curso você irá aprender a criar aplicativos para dispositivos

Leia mais

FTIN Formação Técnica em Informática. Sistema Operacional Proprietário Windows Prof. Walter Travassos

FTIN Formação Técnica em Informática. Sistema Operacional Proprietário Windows Prof. Walter Travassos FTIN Formação Técnica em Informática Sistema Operacional Proprietário Windows Prof. Walter Travassos Aula 01 SISTEMA OPERACIONAL PROPRIETÁRIO WINDOWS Competências do Módulo Instalação e configuração do

Leia mais

Introdução a Computação

Introdução a Computação Sistemas Operacionais: Software Oculto Introdução a Computação Sistemas Operacionais Serve como um intermediário entre o hardware e os softwares aplicativos. Sistema Operacional Software de sistemas Kernel

Leia mais

Tutorial Vmix - Streaming com Adobe Flash Media Live Encoder

Tutorial Vmix - Streaming com Adobe Flash Media Live Encoder Tutorial Vmix - Streaming com Adobe Flash Media Live Encoder O Vmix é um completo software de mixagem de vídeo, com ele é possível mesclar vídeos gravados e vídeos ao vivo capturados em tempo real por

Leia mais

Laboratório de Redes. Professora Marcela Santos marcela@edu.estacio.br

Laboratório de Redes. Professora Marcela Santos marcela@edu.estacio.br Laboratório de Redes Professora Marcela Santos marcela@edu.estacio.br Active Directory (AD) Samba Máquina virtual Criação de uma máquina virtual Instalação do Windows Server O Active Directory (AD) é um

Leia mais

Professor Esp.: Douglas Diego de Paiva douglas.ddp@gmail.com

Professor Esp.: Douglas Diego de Paiva douglas.ddp@gmail.com VIRTUALIZAÇÃO Professor Esp.: Douglas Diego de Paiva douglas.ddp@gmail.com Virtualização o que é? É uma forma de esconder as características físicas de uma plataforma computacional dos usuários, emulando

Leia mais

Introdução a Computação Móvel

Introdução a Computação Móvel Introdução a Computação Móvel Computação Móvel Prof. Me. Adauto Mendes adauto.inatel@gmail.com Histórico Em 1947 alguns engenheiros resolveram mudar o rumo da história da telefonia. Pensando em uma maneira

Leia mais

Portabilidade da Linha RM Versão 11.40.0

Portabilidade da Linha RM Versão 11.40.0 Portabilidade da Linha RM Versão 11.40.0 Conteúdo Portabilidade para Servidor de Banco de Dados... 3 Níveis de Compatibilidade entre Bancos de Dados... 5 Portabilidade para Servidor de Aplicação... 6 Portabilidade

Leia mais

Prof. Ms. José Eduardo Santarem Segundo santarem@univem.edu.br. Demonstrar o impacto que o tema virtualização tem representado no mercado

Prof. Ms. José Eduardo Santarem Segundo santarem@univem.edu.br. Demonstrar o impacto que o tema virtualização tem representado no mercado Prof. Ms. José Eduardo Santarem Segundo santarem@univem.edu.br Demonstrar o impacto que o tema virtualização tem representado no mercado de TI. Apresentar alguns conceitos e técnicas sobre a tecnologia

Leia mais

Como criar máquinas virtuais no VMware ESXi

Como criar máquinas virtuais no VMware ESXi Como criar máquinas virtuais no VMware ESXi A virtualização de desktops pode ser trabalhada sobre servidores virtuais e esta técnica torna nossa tecnologia ainda mais atraente. Certifique-se que o seu

Leia mais

Gabriel Oliveira do Nascimento Rogério Libarino Aguilar. UFF - Universidade Federal Fluminense

Gabriel Oliveira do Nascimento Rogério Libarino Aguilar. UFF - Universidade Federal Fluminense Gabriel Oliveira do Nascimento Rogério Libarino Aguilar 1 Introdução Mododelo: Hardware -> Sistema Operacional -> Aplicações Aplicação desenvolvida para um SO. Capacidade de processamento aumentando bastante

Leia mais

Processos (Threads,Virtualização e Migração de Código)

Processos (Threads,Virtualização e Migração de Código) Processos (Threads,Virtualização e Migração de Código) Roteiro Processos Threads Virtualização Migração de Código O que é um processo?! Processos são programas em execução. Processo Processo Processo tem

Leia mais

Foz do Iguaçu PR Brasil luiz.baltazar@gmail.com, joao@barbosa.net.br, jorgeaikes@gmail.com

Foz do Iguaçu PR Brasil luiz.baltazar@gmail.com, joao@barbosa.net.br, jorgeaikes@gmail.com Análise de Desempenho e Viabilidade do Raspberry Pi como um Thin Client utilizando o Protocolo SPICE Luiz Alberto Alves Baltazar 1, João Paulo de Lima Barbosa 1, Jorge Aikes Junior 1 1 Curso de Ciência

Leia mais

Para continuar, baixe o linux-vm aqui: http://www.gdhpress.com.br/downloads/linux-vm.zip

Para continuar, baixe o linux-vm aqui: http://www.gdhpress.com.br/downloads/linux-vm.zip Se, assim como a maioria, você possui um único PC ou notebook, uma opção para testar as distribuições Linux sem precisar mexer no particionamento do HD e instalar o sistema em dualboot, é simplesmente

Leia mais

Desenvolvendo para TV Digital

Desenvolvendo para TV Digital Desenvolvendo para TV Digital Alexandre Belchior Medeiros Fabiano Cavassani Notz Gilber Leite Leal Associação Educacional Dom Bosco Associação Educacional Dom Bosco Associação Educacional Dom Bosco alexbelchior@gmail.com

Leia mais

AULA 10 TUTORIAL VIRTUALBOX

AULA 10 TUTORIAL VIRTUALBOX AULA 10 TUTORIAL VIRTUALBOX 1 Sumário Tutorial VirtualBox - Configurações e Utilização... 3 Requisitos Mínimos... 3 Compatibilidade... 3 Download... 3 Instalação do VirtualBox... 4 Criando a Máquina Virtual

Leia mais

Introdução. O Windows Server 2003 está dividido em quatro versões:

Introdução. O Windows Server 2003 está dividido em quatro versões: Introdução Este é um tutorial de como Instalar o Windows Server 2003, este é o primeiro de alguns tutoriais que farei para ambientes de servidores Windows. A instalação do Windows Server 2003 segue o mesmo

Leia mais

Informática, Internet e multimídia

Informática, Internet e multimídia Informática, Internet e multimídia 1 Unidades de Armazenamento Dispositivos de armazenamento secundário Disquete Disco compacto Disco rígido Disco de vídeo digital 2 Memória Secundária A MEMÓRIA SECUNDÁRIA

Leia mais

Guia de instalação UEG Linux 14.04 LTS

Guia de instalação UEG Linux 14.04 LTS 1. Apresentação O UEG Linux 14.04 LTS é um sistema operacional baseado em Linux e derivado do Ubuntu, customizado pela Gerência de Núcleo de Inovação Tecnológica da Universidade Estadual de Goiás para

Leia mais

Unidade III FUNDAMENTOS DE SISTEMAS. Prof. Victor Halla

Unidade III FUNDAMENTOS DE SISTEMAS. Prof. Victor Halla Unidade III FUNDAMENTOS DE SISTEMAS OPERACIONAIS Prof. Victor Halla Conteúdo Arquitetura de Processadores: Modo Operacional; Velocidade; Cache; Barramento; Etc. Virtualização: Maquinas virtuais; Gerenciamento

Leia mais

Portabilidade da Linha RM Versão 11.20.0

Portabilidade da Linha RM Versão 11.20.0 Portabilidade da Linha RM Versão 11.20.0 Conteúdo Portabilidade para Servidor de Banco de Dados... 3 Níveis de Compatibilidade entre Bancos de Dados... 5 Portabilidade para Servidor de Aplicação... 6 Portabilidade

Leia mais

1 Introdução. 1.1. Motivação

1 Introdução. 1.1. Motivação 1 Introdução A adoção do Ginga-NCL como middleware declarativo do SBTVD (Sistema Brasileiro de Televisão Digital) estabeleceu um marco no desenvolvimento de aplicações interativas para TV Digital terrestre

Leia mais

Agenda. Histórico Máquinas virtuais X Emuladores Vantagens & Desvantagens Vmware Quemu Xen UML Comparação entre VM's Conclusão

Agenda. Histórico Máquinas virtuais X Emuladores Vantagens & Desvantagens Vmware Quemu Xen UML Comparação entre VM's Conclusão Máquinas Virtuais Agenda Histórico Máquinas virtuais X Emuladores Vantagens & Desvantagens Vmware Quemu Xen UML Comparação entre VM's Conclusão Histórico Mainframe É um computador de grande porte, dedicado

Leia mais

A TV DIGITAL COMO INSTRUMENTO DE ENSINO DE MATEMÁTICA. Adriano Aparecido de Oliveira, Juliano Schimiguel

A TV DIGITAL COMO INSTRUMENTO DE ENSINO DE MATEMÁTICA. Adriano Aparecido de Oliveira, Juliano Schimiguel A TV DIGITAL COMO INSTRUMENTO DE ENSINO DE MATEMÁTICA Adriano Aparecido de Oliveira, Juliano Schimiguel Universidade Cruzeiro do Sul/CETEC, Av. Ussiel Cirilo, 225 São Paulo Resumo A TV é um importante

Leia mais

Prof. José Maurício S. Pinheiro UniFOA 2009-2

Prof. José Maurício S. Pinheiro UniFOA 2009-2 Tecnologias WEB Virtualização de Sistemas Prof. José Maurício S. Pinheiro UniFOA 2009-2 Conceitos Virtualização pode ser definida como técnica que combina ou divide recursos computacionais para prover

Leia mais

Como criar máquinas virtuais no Virtual Box

Como criar máquinas virtuais no Virtual Box Como criar máquinas virtuais no Virtual Box A virtualização de desktops pode ser trabalhada sobre servidores virtuais e esta técnica torna nossa tecnologia ainda mais atraente. Certifique-se que o seu

Leia mais

Prof. Victor Halla. Unidade IV FUNDAMENTOS DE SISTEMAS

Prof. Victor Halla. Unidade IV FUNDAMENTOS DE SISTEMAS Prof. Victor Halla Unidade IV FUNDAMENTOS DE SISTEMAS OPERACIONAIS Conteúdo Estudo de Casos; Linux e Windows; Características; VMware e Xen; Características; Ferramentas; Custo total de posse TCO = Total

Leia mais

Quarta-feira, 09 de janeiro de 2008

Quarta-feira, 09 de janeiro de 2008 Quarta-feira, 09 de janeiro de 2008 ÍNDICE 3 4 RECOMENDAÇÕES DE HARDWARE PARA O TRACEGP TRACEMONITOR - ATUALIZAÇÃO E VALIDAÇÃO DE LICENÇAS 2 1. Recomendações de Hardware para Instalação do TraceGP Este

Leia mais

Virtualização. O conceito de VIRTUALIZAÇÃO

Virtualização. O conceito de VIRTUALIZAÇÃO Virtualização A virtualização está presente tanto no desktop de um entusiasta pelo assunto quanto no ambiente de TI de uma infinidade de empresas das mais variadas áreas. Não se trata de "moda" ou mero

Leia mais

ROTEIRO: IMPLANTANDO O SISTEMA OPERACIONAL WINDOWS 7

ROTEIRO: IMPLANTANDO O SISTEMA OPERACIONAL WINDOWS 7 ROTEIRO: IMPLANTANDO O SISTEMA OPERACIONAL WINDOWS 7 OBJETIVO Conhecer as funcionalidades do software VMware Player implantando o sistema operacional Windows 7 e trabalhando em algumas ferramentas nativas

Leia mais

FAT32 ou NTFS, qual o melhor?

FAT32 ou NTFS, qual o melhor? FAT32 ou NTFS, qual o melhor? Entenda quais as principais diferenças entre eles e qual a melhor escolha O que é um sistema de arquivos? O conceito mais importante sobre este assunto, sem sombra de dúvidas,

Leia mais

Sistemas Operacionais Introdução. Professora: Michelle Nery

Sistemas Operacionais Introdução. Professora: Michelle Nery Sistemas Operacionais Introdução Professora: Michelle Nery Área de Atuação do Sistema Operacional Composto de dois ou mais níveis: Tipo de Sistemas Operacionais Sistemas Operacionais Monotarefas Sistemas

Leia mais

MINICURSO WINDOWS SERVER 2008 UTILIZANDO O VMWARE PLAYER

MINICURSO WINDOWS SERVER 2008 UTILIZANDO O VMWARE PLAYER MINICURSO WINDOWS SERVER 2008 UTILIZANDO O VMWARE PLAYER TÁSSIO JOSÉ GONÇALVES GOMES tassiogoncalvesg@gmail.com MINICURSO WINDOWS SERVER 2008 TÁSSIO GONÇALVES - TASSIOGONCALVESG@GMAIL.COM 1 CONTEÚDO Arquitetura

Leia mais

Inicialização rápida da instalação SUSE Linux Enterprise Server 11 SP1

Inicialização rápida da instalação SUSE Linux Enterprise Server 11 SP1 Inicialização rápida da instalação SUSE Linux Enterprise Server 11 SP1 Inicialização rápida da instalação SUSE Linux Enterprise Server 11 SP1 CARTÃO DE INICIALIZAÇÃO RÁPIDA NOVELL Use os seguintes procedimentos

Leia mais

Desenvolvendo e Integrando Serviços Multiplataforma de TV Digital Interativa

Desenvolvendo e Integrando Serviços Multiplataforma de TV Digital Interativa Desenvolvendo e Integrando Serviços Multiplataforma de TV Digital Interativa Agenda Introdução Aplicações interativas de TV Digital Desafios de layout e usabilidade Laboratório de usabilidade Desafios

Leia mais

Virtualização de Sistemas Operacionais

Virtualização de Sistemas Operacionais Virtualização de Sistemas Operacionais Felipe Antonio de Sousa 1, Júlio César Pereira 1 1 Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil felipeantoniodesousa@gmail.com, juliocesarp@unipar.br Resumo.

Leia mais

Sistema Operacional Correção - Exercício de Revisão

Sistema Operacional Correção - Exercício de Revisão Prof. Kleber Rovai 1º TSI 22/03/2012 Sistema Operacional Correção - Exercício de Revisão 1. Como seria utilizar um computador sem um sistema operacional? Quais são suas duas principais funções? Não funcionaria.

Leia mais

Maior Tranqüilidade - Todos esses benefícios, protegendo seus bens materiais e as pessoas que por ali circulam.

Maior Tranqüilidade - Todos esses benefícios, protegendo seus bens materiais e as pessoas que por ali circulam. 1 - APRESENTAÇÃO Este descritivo tem como objetivo, apresentar o Sistema de Identificação de Visitantes enfocando suas funcionalidades e condições técnicas necessárias de implantação. Vantagens do Sistema

Leia mais

Inicialização rápida da instalação SUSE Linux Enterprise Server 11

Inicialização rápida da instalação SUSE Linux Enterprise Server 11 Inicialização rápida da instalação SUSE Linux Enterprise Server 11 NOVELL CARTÃO DE INICIALIZAÇÃO RÁPIDA Use os seguintes procedimentos para instalar uma nova versão do SUSE Linux Enterprise 11. Este documento

Leia mais

Virtualização e Criação de uma rede Virtual utilizando Virtual Box Professor: João Paulo de Brito Gonçalves

Virtualização e Criação de uma rede Virtual utilizando Virtual Box Professor: João Paulo de Brito Gonçalves Virtualização e Criação de uma rede Virtual utilizando Virtual Box Professor: João Paulo de Brito Gonçalves Anatomia de uma máquina virtual Cada máquina virtual é um sistema completo encapsulado em um

Leia mais

Comparativo de desempenho do Pervasive PSQL v11

Comparativo de desempenho do Pervasive PSQL v11 Comparativo de desempenho do Pervasive PSQL v11 Um artigo Pervasive PSQL Setembro de 2010 Conteúdo Resumo executivo... 3 O impacto das novas arquiteturas de hardware nos aplicativos... 3 O projeto do Pervasive

Leia mais

Executando o Modo Windows XP com Windows Virtual PC

Executando o Modo Windows XP com Windows Virtual PC Executando o Modo Windows XP com Windows Virtual PC Um guia para pequenas empresas Conteúdo Seção 1: Introdução ao Modo Windows XP para Windows 7 2 Seção 2: Introdução ao Modo Windows XP 4 Seção 3: Usando

Leia mais

DESENVOLVIMENTO PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS. PROFª. M.Sc. JULIANA H Q BENACCHIO

DESENVOLVIMENTO PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS. PROFª. M.Sc. JULIANA H Q BENACCHIO DESENVOLVIMENTO PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS PROFª. M.Sc. JULIANA H Q BENACCHIO Links importantes http://www.android.com/ Site oficial de toda a documentação, downloads e informações sobre a plataforma. http://developer.android.com/

Leia mais

ASSISTÊNCIA BB PROTEÇÃO MÓDULO INFORMÁTICA Manual do Associado

ASSISTÊNCIA BB PROTEÇÃO MÓDULO INFORMÁTICA Manual do Associado ASSISTÊNCIA BB PROTEÇÃO MÓDULO INFORMÁTICA Manual do Associado OS SERVIÇOS DE ASSISTÊNCIA SÃO PRESTADOS PELA BRASIL ASSISTÊNCIA S.A., CNPJ: 68.181.221/0001-47 ASSISTÊNCIA BB PROTEÇÃO Ao necessitar de algum

Leia mais

SISTEMAS OPERACIONAIS 2007

SISTEMAS OPERACIONAIS 2007 SISTEMAS OPERACIONAIS 2007 VISÃO GERAL Sumário Conceito Máquina de Níveis Conceituação de SO Componentes do SO Visões do SO Conceito de Sistemas O que se espera de um sistema de computação? Execução de

Leia mais

CURSO BÁSICO DE PROGRAMAÇÃO AULA 8. Introdução ao Linux Introdução a linguagem C

CURSO BÁSICO DE PROGRAMAÇÃO AULA 8. Introdução ao Linux Introdução a linguagem C CURSO BÁSICO DE PROGRAMAÇÃO AULA 8 Introdução ao Linux Introdução a linguagem C Linux Linux é um termo utilizado para se referir a sistemas operacionais que utilizem o núcleo Linux. Existem muitas distribuições

Leia mais

Virtualização - VMWare e Xen

Virtualização - VMWare e Xen Virtualização - VMWare e Xen A virtualização consiste na emulação de ambientes isolados, capazes de rodar diferentes sistemas operacionais dentro de uma mesma máquina, aproveitando ao máximo a capacidade

Leia mais

PADRÕES DE MIDDLEWARE PARA TV DIGITAL

PADRÕES DE MIDDLEWARE PARA TV DIGITAL PADRÕES DE MIDDLEWARE PARA TV DIGITAL Rafael V. Coelho Fundação Universidade Federal do Rio Grande (FURG) Rio Grande - RS rafaelvc2@gmail.com Resumo. Este trabalho discute os tipos de Middleware usados

Leia mais

ESTUDO DE CASO WINDOWS VISTA

ESTUDO DE CASO WINDOWS VISTA ESTUDO DE CASO WINDOWS VISTA História Os sistemas operacionais da Microsoft para PCs desktop e portáteis e para servidores podem ser divididos em 3 famílias: MS-DOS Windows baseado em MS-DOS Windows baseado

Leia mais

Virtualização. Prof. Emiliano Monteiro

Virtualização. Prof. Emiliano Monteiro Virtualização Prof. Emiliano Monteiro Conceitos Virtualização significa criar uma versão virtual de um dispositivo ou recurso, como um servidor, dispositivo de armazenamento, rede ou até mesmo um sistema

Leia mais

Introdução à Informática. Aula 04. Sistemas Operacionais Aplicativos e Utilitários Transmissão e meios de transmissão de dados. Prof.

Introdução à Informática. Aula 04. Sistemas Operacionais Aplicativos e Utilitários Transmissão e meios de transmissão de dados. Prof. Aula 04 Sistemas Operacionais Aplicativos e Utilitários Transmissão e meios de transmissão de dados Sistema Operacional Um conjunto de programas que se situa entre os softwares aplicativos e o hardware:

Leia mais

Relatório de Instalação do Windows 2003 Server

Relatório de Instalação do Windows 2003 Server Curso Profissional de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos Relatório de Instalação do Windows 2003 Server Instalação do Windows 2003 Server quarta-feira, 3 de dezembro de 2013 Índice Introdução...

Leia mais

Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais UNIVERSIDADE BANDEIRANTE DE SÃO PAULO INSTITUTO POLITÉCNICO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Sistemas Operacionais Notas de Aulas: Tópico 33 e 34 Virtualização São Paulo 2009 Virtualização Ao falar em virtualização,

Leia mais

USB Creator. USBCreator. 1. Requerimentos. Página Imutável Informação Anexos Mais Acções. Ubuntu Brazil Entrar Help

USB Creator. USBCreator. 1. Requerimentos. Página Imutável Informação Anexos Mais Acções. Ubuntu Brazil Entrar Help 1 de 8 04/06/2013 18:02 Página Imutável Informação Anexos Mais Acções Ubuntu Brazil Entrar Help USBCreator USB Creator Hoje, também gravar o Ubuntu ou as várias distribuições Linux num pen drive nunca

Leia mais

BRAlarmExpert. Software para Gerenciamento de Alarmes. BENEFÍCIOS obtidos com a utilização do BRAlarmExpert:

BRAlarmExpert. Software para Gerenciamento de Alarmes. BENEFÍCIOS obtidos com a utilização do BRAlarmExpert: BRAlarmExpert Software para Gerenciamento de Alarmes A TriSolutions conta com um produto diferenciado para gerenciamento de alarmes que é totalmente flexível e amigável. O software BRAlarmExpert é uma

Leia mais

Princípios de TI - Computadores. Sistema Operacional. CECOMP Colegiado de Engenharia da Computação. Prof. Fábio Nelson. Slide 1

Princípios de TI - Computadores. Sistema Operacional. CECOMP Colegiado de Engenharia da Computação. Prof. Fábio Nelson. Slide 1 Sistema Operacional Slide 1 Sistema Operacional Um conjunto de programas que se situa entre os softwares aplicativos e o hardware: Gerencia os recursos do computador (CPU, dispositivos periféricos). Estabelece

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE HARDWARE E SOFTWARE

ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE HARDWARE E SOFTWARE ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE HARDWARE E SOFTWARE 1 OBJETIVOS 1. Qual é a capacidade de processamento e armazenagem que sua organização precisa para administrar suas informações e transações empresariais?

Leia mais

Amadeus-TV: Portal Educacional na TV Digital Integrado a um Sistema de Gestão de Aprendizado

Amadeus-TV: Portal Educacional na TV Digital Integrado a um Sistema de Gestão de Aprendizado Amadeus-TV: Portal Educacional na TV Digital Integrado a um Sistema de Gestão de Aprendizado Bruno de Sousa Monteiro Orientação: Prof. Dr. Fernando da Fonseca de Souza Prof. Dr. Alex Sandro Gomes 1 Roteiro

Leia mais

Consolidação inteligente de servidores com o System Center

Consolidação inteligente de servidores com o System Center Consolidação de servidores por meio da virtualização Determinação do local dos sistemas convidados: a necessidade de determinar o melhor host de virtualização que possa lidar com os requisitos do sistema

Leia mais

Fedora Linux - O sistema do mundo. Willian Oliveira - projeto.cem@gmail.com - CC BY-NC-ND 3.0

Fedora Linux - O sistema do mundo. Willian Oliveira - projeto.cem@gmail.com - CC BY-NC-ND 3.0 Fedora Linux - O sistema do mundo Willian Oliveira - projeto.cem@gmail.com - CC BY-NC-ND 3.0 Licença - Alguns direitos reservados Introdução O futuro do código aberto chega ao Fedora com características

Leia mais

Criando um PC virtual

Criando um PC virtual Criando um PC virtual Microsoft Virtual PC Introdução Se você não sabe o que é virtualização de PCs, ou nem tem idéia dos inúmeros benefícios trazidos por essa técnica, recomendo ler esta introdução feita

Leia mais

Sistemas Operacionais 2014 Introdução. Alexandre Augusto Giron alexandre.a.giron@gmail.com

Sistemas Operacionais 2014 Introdução. Alexandre Augusto Giron alexandre.a.giron@gmail.com Sistemas Operacionais 2014 Introdução Alexandre Augusto Giron alexandre.a.giron@gmail.com Roteiro Sistemas Operacionais Histórico Estrutura de SO Principais Funções do SO Interrupções Chamadas de Sistema

Leia mais

Instalando o Debian em modo texto

Instalando o Debian em modo texto Instalando o Debian em modo texto Por ser composto por um número absurdamente grande de pacotes, baixar os CDs de instalação do Debian é uma tarefa ingrata. Você pode ver uma lista dos mirrors disponíveis

Leia mais

Professor: Gládston Duarte

Professor: Gládston Duarte Professor: Gládston Duarte INFRAESTRUTURA FÍSICA DE REDES DE COMPUTADORES Ø Computador Ø Instalação e configuração de Sistemas Operacionais Windows e Linux Ø Arquiteturas físicas e lógicas de redes de

Leia mais

MicroPower Presence. Requisitos Técnicos e Roteiro de Acesso

MicroPower Presence. Requisitos Técnicos e Roteiro de Acesso MicroPower Presence Requisitos Técnicos e Roteiro de Acesso Esse documento tem como objetivo explicar o processo de instalação do Client Presence, fornecer as recomendações mínimas de hardware e software

Leia mais

Gerenciamento de sistemas GNU/Linux: do computador pessoal à rede corporativa

Gerenciamento de sistemas GNU/Linux: do computador pessoal à rede corporativa Gerenciamento de sistemas GNU/Linux: do computador pessoal à rede corporativa Daniel Weingaertner Departamento de Informática UFPR Centro de Computação Científica e Software Livre C3SL Programa de Extensão

Leia mais

3 Requisitos não-funcionais de ferramentas de autoria hipermídia

3 Requisitos não-funcionais de ferramentas de autoria hipermídia Requisitos não-funcionais de ferramentas de autoria hipermidia 34 3 Requisitos não-funcionais de ferramentas de autoria hipermídia Na literatura são vários os trabalhos que discutem os requisitos funcionais

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO 1) ORACLE VIRTUALBOX ; 2) MICROSOFT WINDOWS ; 3) SUMÁRIOS GENEPLUS.

MANUAL DE INSTALAÇÃO 1) ORACLE VIRTUALBOX ; 2) MICROSOFT WINDOWS ; 3) SUMÁRIOS GENEPLUS. PROGRAMA EMBRAPA DE MELHORAMENTO DE GADO DE CORTE MANUAL DE INSTALAÇÃO 1) ORACLE VIRTUALBOX ; 2) MICROSOFT WINDOWS ; 3) SUMÁRIOS GENEPLUS. MANUAL DE INSTALAÇÃO: 1) ORACLE VIRTUALBOX ; 2) MICROSOFT WINDOWS

Leia mais

Estrutura de um Sistema Linux Moderno Padrões de um Sistema Linux. Prof. Claudio Silva

Estrutura de um Sistema Linux Moderno Padrões de um Sistema Linux. Prof. Claudio Silva Estrutura de um Sistema Linux Moderno Padrões de um Sistema Linux Estrutura de um Sistema Linux Por ter sua origem universitária, a forma como o Linux foi concebido é de perfeito agrado para o seu estudo.

Leia mais

NOME: MATHEUS RECUERO T2 ANTIVIRUS PANDA

NOME: MATHEUS RECUERO T2 ANTIVIRUS PANDA NOME: MATHEUS RECUERO T2 ANTIVIRUS PANDA Os requisitos mínimos para possuir o software é memoria de 64 MB, disco rígido de 20 MB processador a partir do Pentium 2 em diante e navegador internet Explorer

Leia mais