Estatística. August 19, Mestrado em Educação Matemática UFOP August 19, / 54

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Estatística. August 19, Mestrado em Educação Matemática UFOP August 19, / 54"

Transcrição

1 Estatística August 19, 2014 Mestrado em Educação Matemática UFOP August 19, / 54

2 NOME 1 ESTATÍSTICA Definições importantes O Método Estatístico Coleta de dados Usando o Excel 2 Tipos de variáveis Variáveis Qualitativas Variáveis Quantitativas Mestrado em Educação Matemática UFOP August 19, / 54

3 Introdução A estatística é uma ciência que se interessa em obter conclusões a partir de dados observados e no método cientifico para coleta, organização, resumo, apresentação, análise e interpretação de dados amostrais. A estatística iniciou-se como método cientifico a partir de 1925 com o trabalho de R. A. Fisher, embora o trabalhos pioneiros de Gauss no fim do século anterior e dos trabalhos de Gosset de 1908, publicado com o pseudônimo de Student, foram de extrema importância. Mestrado em Educação Matemática UFOP August 19, / 54

4 De um modo geral, podemos dividir a estatística em três áreas: Estatística descritiva, Probabilidade e Inferência Estatística. A estatística descritiva pode ser definida como um conjunto de técnicas destinadas a descrever e resumir os dados, a fim de que possamos tirar conclusões a respeito de características de interesse. A probabilidade pode ser pensada como a teoria matemática utilizada para se estudar a incerteza oriunda de fenômenos de caráter aleatório. A inferência estatística é o estudo de técnicas que possibilitam a extrapolação, a um grande numero de dados, das informações e conclusões obtidas a partir de um subconjunto de valores. Mestrado em Educação Matemática UFOP August 19, / 54

5 Definições importantes População: é uma coleção completa de todos os elementos a serem estudados. (valores, pessoas, medidas, etc). Amostra: é uma subcoleção de elementos extraídos de uma população. A amostra deve ser selecionada seguindo certas regras e deve ser representativa. A representatividade é obtida quando apresenta tamanho suficiente e é composta de forma aleatória (probabilística). Censo: atividade de inspecionar (observar) todos os elementos de uma população, objetivando conhecer, com certeza suas características. Amostragem: É o processo de retirada de informações dos n elementos amostrais, no qual deve seguir um método criterioso e adequado (tipos de amostragem). Mestrado em Educação Matemática UFOP August 19, / 54

6 Parâmetro é uma medida numérica que descreve uma característica de uma população. Estatística é uma medida numérica que descreve uma característica de uma amostra. Variável: É aquilo que se deseja observar para se tirar algum tipo de conclusão, geralmente as variáveis para estudo são selecionadas por processos de amostragem. Os símbolos utilizados para representar as variáveis são as letras maiúsculas do alfabeto, tais como X, Y, Z,... que pode assumir qualquer valor de um conjunto de dados. Mestrado em Educação Matemática UFOP August 19, / 54

7 O Método Estatístico O Método Estatístico pode ser descrito pelas etapas a seguir: Definição do problema Consiste na: formulação correta do problema; examinar outros levantamentos realizados no mesmo campo (revisão da literatura); saber exatamente o que se pretende pesquisar definindo o problema corretamente (variáveis, população, hipóteses, etc.) Mestrado em Educação Matemática UFOP August 19, / 54

8 Planejamento Determinar o procedimento necessário para resolver o problema: Como levantar informações; Tipos de levantamentos: Por Censo (completo); Por Amostragem (parcial). Cronograma, Custos, etc. Mestrado em Educação Matemática UFOP August 19, / 54

9 Coleta da dados Consiste na obtenção dos dados referentes ao trabalho que desejamos fazer: A coleta pode ser: Direta - diretamente da fonte ou Indireta - feita através de outras fontes. Os dados podem ser obtidos pela própria pessoa (primários) ou se baseia no registro de terceiros (secundários). Mestrado em Educação Matemática UFOP August 19, / 54

10 Apuração e apresentação dos dados Consiste em resumir os dados, através de uma contagem e agrupamento. É a fase em que vamos mostrar os resultados obtidos na coleta e na organização. É um trabalho de coordenação e de tabulação. A apresentação dos dados pode ser: Tabular (apresentação numérica) Gráfica (apresentação geométrica) Mestrado em Educação Matemática UFOP August 19, / 54

11 Análise e interpretação dos dados É a fase mais importante e também a mais delicada. Aqui são tiradas as conclusões que auxiliam o pesquisador a resolver seu problema. Mestrado em Educação Matemática UFOP August 19, / 54

12 Coleta de dados Amostragem Aleatória Simples Dentre as mais diversas maneiras para coletar dados, a amostragem é mais frequente, particularmente sobre fenômenos sociais e econômicos. Apresentamos aqui o processo mais comum e útil para a condução de investigações empíricas: seleção de uma amostra aleatória simples Mestrado em Educação Matemática UFOP August 19, / 54

13 Uma amostra é probabilística quando os elementos amostrais são escolhidos com probabilidades conhecidas. Na Amostragem aleatória simples, todos os elementos da população têm igual probabilidade de compor a amostra. Uma amostra em que a probabilidade de escolher qualquer um dos N elementos em uma prova única é igual a 1 N é uma amosta aleatória. Mestrado em Educação Matemática UFOP August 19, / 54

14 Se a população é infinita, como, por exemplo, toda a produção futura de uma máquina, podemo considerá-la um processo probabilístico compondo as amostras aleatórias na ordem que ocorrerem. Enquanto o processo se mantiver estável, faremos nossas observações admitindo que a probabilidade de cada possível resultado se mantenha constante. Exmplos de processos dessa natureza são: chamadas telefônicas, veículos que cruzam deteminada avenida, produção, tempo de atendimento em caixas de supermercados, etc. Mestrado em Educação Matemática UFOP August 19, / 54

15 Se a população é finita, tal como livros de uma biblioteca, estudantes de uma faculdade,automóveis de um município, empresas de certa região, etc, a escolha de uma amostra aleatória envolve a compilação de uma lista de todos os elementos da população, e a realização dos sorteios para escolher os itens que irão compor a amostra. Mestrado em Educação Matemática UFOP August 19, / 54

16 Tabela de Números Aleatórios Tabela de Números Aleatórios As tabelas de números aleatórios contêm os 10 algarimos 0, 1, 2, 9, dispostos aleatoriamente em colunas e linhas. Parte de uma tabela de números aleatórios é apresentada a seguir: Mestrado em Educação Matemática UFOP August 19, / 54

17 Mestrado em Educação Matemática UFOP August 19, / 54

18 Mestrado em Educação Matemática UFOP August 19, / 54

19 Mestrado em Educação Matemática UFOP August 19, / 54

20 Usando o Excel Os pacotes estatísticos e a Planilha Eletrônica do Excel têm procedimentos para a geração de números aleatórios e, consequentemente, de amostras aleatórias. Mestrado em Educação Matemática UFOP August 19, / 54

21 Mestrado em Educação Matemática UFOP August 19, / 54

22 Mestrado em Educação Matemática UFOP August 19, / 54

23 Essa função, que tem sintaxe = Aleatorio ou = Rand, retorna um número aleatório ou randômico igual ou superior a 0 (zero) e menor do que 1 (um) na célula selecionada. Esse número é recalculado automaticamente sempre que qualquer operação for realizada no ambiente da planilha onde foi gerado, ou sempre que a tecla F 9 for acionada. Uma vez que o pesquisador necessite de valores no intervalo entre 00 e 99, deverá multiplicar o número aleatório por 10 2, no intervalo de 000 a 999 por 10 3, e assim, sucessivamente, de acordo com a necessidade. Mestrado em Educação Matemática UFOP August 19, / 54

24 No entanto, nesta opção podem ser gerados valores fora do intervalo desejado a exemplo do que ocorre na tabela de números aleatórios. A fórmula escrita poderá ser copiada para outras células localizadas abaixo ou lateralmente. Vamos selecionar os funcionários do exercício anterior utilizando essas funções. Mestrado em Educação Matemática UFOP August 19, / 54

25 Existe outra função que pose ser bem mais interessante do ponto de vista prático, pois é capaz de gerar números aleatórios entre dois limites fixados pelo pesquisador. A sintaxe é a seguinte: = ALEAT RIOENT RE() ou = RANDBET W EEN() Na janela selecione a categoria Math&T rig e em seguida a função Aleatorioentre. Em seguida informe os valores mínimo e máximo, por exemplo, 001 e 700. Mestrado em Educação Matemática UFOP August 19, / 54

26 Mestrado em Educação Matemática UFOP August 19, / 54

27 Tipos de variáveis Antes de definir o problema a ser estudado, devemos ter em mente quais as características dos elementos de uma população deverão ser estudados. Ou seja, não trabalharemos com os elementos existentes, mas com algumas características desses elementos. Por exemplo, os elementos a serem estudados podem ser a população de uma cidade, mas estaremos interessados em alguma característica como renda, idade, sexo, tipo de moradia, etc. Trabalharemos, portanto com os valores de uma VARIAVEL, que é a característica de interesse, e não com os elementos originalmente considerados. A escolha da variável, ou variáveis de interesse dependerá dos objetivos do estudo estatístico em questão. Mestrado em Educação Matemática UFOP August 19, / 54

28 As variáveis podem ser classificadas como qualitativas ou quantitativas. A variável será QUALITATIVA quando resultar de uma classificação por tipos ou atributos. As variáveis qualitativas ainda podem ser subdivididas em qualitativa nominal e qualitativa ordinal. Se tais variáveis têm uma ordenação natural, indicando intensidades crescentes de realização, então, elas serão classificadas como qualitativas ordinais. Caso contrário, quando não é possível estabelecer uma ordem natural entre seus valores, elas são classificadas como qualitativas nominais. Mestrado em Educação Matemática UFOP August 19, / 54

29 Exemplos: Variável qualitativa nominal. - sexo (feminino ou masculino) - tipo de habitação (casa, apartamento, kitnet, barraco, etc) Variável qualitativa ordinal. - qualidade de um programa de TV (ruim regular, boa, ótima) - grau de instrução: ensino fundamental, ensino médio e ensino superior. Mestrado em Educação Matemática UFOP August 19, / 54

30 A variável será QUANTITATIVA quando seus valores forem expressos por números. As variáveis quantitativas podem ser subdivididas em quantitativas discretas, quando temos números resultantes de uma contagem e quantitativas continuas, quando temos números resultantes de uma mensuração. Mestrado em Educação Matemática UFOP August 19, / 54

31 Exemplos: Variável quantitativa discreta - Numero de filhos (0,1,2...) - Numero de peças defeituosas numa produção de pregos Variável quantitativa continua - Comprimento (em centímetros, metros, etc) - Peso (em quilogramas) Mestrado em Educação Matemática UFOP August 19, / 54

32 Mestrado em Educação Matemática UFOP August 19, / 54

33 Variáveis Qualitativas Para resumir dados qualitativos, utilizam-se contagens, proporções, porcentagens, taxas por 1000, taxas por , etc, dependendo da escala apropriada. Freqüentemente o primeiro passo da descrição de dados é criar uma tabela de freqüências. Antes de montar a tabela de distribuição de freqüências temos algumas definições: Mestrado em Educação Matemática UFOP August 19, / 54

34 Freqüência - medida que quantifica a ocorrência dos valores de uma variável a um dado conjunto de dados. As freqüências podem ser: Absoluta (f i ) - contagem das observações de uma variável. Relativa (f r ) - divisão da freqüência absoluta pelo total de observações. f r = f i n Percentual (f p ) - é a frequência relativa multiplicada por 100. f p = 100xf r Mestrado em Educação Matemática UFOP August 19, / 54

35 Exemplo Foi observado a atividade agropecuária predominante em 20 propriedades de um município. Como se observa, a atividade predominante corresponde a uma variável qualitativa nominal, pois não é passível de ordenação. café leite leite milho café milho soja leite leite café milho café olericultura leite café laranja café milho café café Mestrado em Educação Matemática UFOP August 19, / 54

36 Tabelas simples como esta são na maioria das vezes suficientes para descrever dados qualitativos especialmente quando existem poucas categorias. Atividade f i f r f p café 8 0,40 40 leite 5 0,25 25 olericultura 1 0,05 5 soja 1 0,05 5 milho 4 0,20 20 laranja 1 0,05 5 Mestrado em Educação Matemática UFOP August 19, / 54

37 Representação gráfica Os dados qualitativos podem ser bem representados pelos gráficos de disco ou pizza e também pelo gráfico de barras. O gráfico de disco ou pizza, ou ainda, diagrama circular se adapta muito bem às variáveis qualitativas nominais. Consiste em repartir um disco em setores circulares correspondentes à porcentagem de cada valor, multiplicando-se por 100, a freqüência relativa f i. O gráfico de barras utiliza o plano cartesiano com os valores da variável no eixo das abcissas e as freqüências ou porcentagens no eixo das ordenadas. Para cada valor da variavel desenha-se uma barra com uma altura correspondendo à sua freqüência ou porcentagem. Este gráfico se adapta muito bem às variáveis discretas ou qualitativas ordinais. Mestrado em Educação Matemática UFOP August 19, / 54

38 Construção de gráficos Automóveis nacionais masi vendidos - janeiro/agosto de 2000 veiculos quantidades vendidas gol uno palio astra corsa vectra palio weekend fiesta corsa sedan parati Mestrado em Educação Matemática UFOP August 19, / 54

39 Mestrado em Educação Matemática UFOP August 19, / 54

40 Mestrado em Educação Matemática UFOP August 19, / 54

41 Os passos seguintes podem melhorar o gráfico: Clicar sobre a legenda (Série 1) e Delete para que o gráfico automaticamente se ajuste ao espaço da figura. Para incluir títulos, clicar no gráfico e utilizar o menu Layout que aparece na barra de ferramenta principal do Excel. Retirar as linhas horizontais no gráfico, clicando nas mesmas e em seguida Delete. Para alterar o tipo de gráfico, utilize o menu Inserir. Ao clicar sobre o novo tipo de gráfico, a figura automaticamente sofrerá alterações. Mestrado em Educação Matemática UFOP August 19, / 54

42 Mestrado em Educação Matemática UFOP August 19, / 54

43 Mestrado em Educação Matemática UFOP August 19, / 54

44 Gráfico final - Exemplo Mestrado em Educação Matemática UFOP August 19, / 54

45 Variáveis Quantitativas Para os dados quantitativos a forma de representação mais simples é a distribuição de freqüência. A distribuição de freqüência é a distribuição dos dados em classes ou categorias, onde o número de elementos pertencentes a cada classe é determinado e representa a freqüência de classe. Uma das formas mais comuns de se construir uma tabela de distribuição de freqüência é a seguinte: Mestrado em Educação Matemática UFOP August 19, / 54

46 1 o Passo: Construir o Rol (dados em ordem crescente) e determinar a Amplitude Total ou Range A = Maior valor na amostra Menor valor na amostra A = X (n) X (1) Mestrado em Educação Matemática UFOP August 19, / 54

47 2 o Passo: Determinar o número de classes (k): geralmente o número de classes é escolhido por muitos autores em um valor entre 5 e 20, de uma forma empírica. A familiaridade do pesquisador com os dados é que deve indicar quantas classes devem ser construídas. Uma maneira de se determinar um número razoável, k, de classes consiste em aplicar a fórmula de Sturges, que sugere o cálculo de k mediante a expressão: k = 1 + 3, 32 logn Outra forma de se calcular o valor de k consiste em tomar a raiz quadrada de n, assim, k = n Mestrado em Educação Matemática UFOP August 19, / 54

48 3 o Passo: De posse do valor k e de A, iremos encontrar a amplitude de classe (c), dada por c = A k. 4 o Passo: Definir o limite inferior da primeira classe: L i = X (1) Quanto aos limites das classes, usaremo o seguinte critério: a b (incluiremos nesta classe todos os elementos maiores ou iguais a a e menores do que b) Mestrado em Educação Matemática UFOP August 19, / 54

49 Temos ainda que: x i é o ponto médio da i-ésima classe, é a média dos pontos extremos da classe, f i é a quantidade de observações, ou freqüência, da i-ésima classe, n é a quantidade total de observações n = f i, f r é a freqüência relativa da classe f r = f i n, F A é a freqüência acumulada até a i-ésima classe e indica a quantidade de observações inferiores ao limite superior da classe. F ra é a freqüência relativa acumulada até a i-ésima classe e indica a quantidade de observações relativas inferiores ao limite superior da classe. Mestrado em Educação Matemática UFOP August 19, / 54

50 Exemplo Construa uma tabela de distribuição, para as seguintes alturas, expressas em centímetros, de 30 atletas do sexo masculino de uma universidade: Mestrado em Educação Matemática UFOP August 19, / 54

51 Ordenar os dados Calcular da amplitude total (maior valor - menor valor): A = X (n) X (1) = = 22 Calcular do número de classes: k = 30 = 5 Mestrado em Educação Matemática UFOP August 19, / 54

52 Calcular da amplitude da classe: c = amplitudetotal nmerodeclasses = A k = 22 5 = 4, 40 Definir o limite inferior da primeira classe: LI 1 = X (1) = 164 Mestrado em Educação Matemática UFOP August 19, / 54

53 Mestrado em Educação Matemática UFOP August 19, / 54

54 Representação gráfica Os dados quantitativos podem ser bem representados pelo histograma e polígono de freqüência. Histograma é um gráfico representado por retângulos (barras) contíguos (que toca em alguma coisa) no qual os extremos da base do retângulo i são definidos pelos limites da classe i e a altura é proporcional à freqüência. A área total do histograma deve ser igual a 1 ou 100%. Polígono de frequências: consideramos a poligonal que une os pontos médios das bases superiores dos retângulos dos histogramas (pontos médios das classes). Mestrado em Educação Matemática UFOP August 19, / 54

DISTRIBUIÇÃO DE FREQUÊNCIA DE VARIÁVEIS QUALITATIVAS E QUANTITATIVAS DISCRETAS (TABELAS E GRÁFICOS)

DISTRIBUIÇÃO DE FREQUÊNCIA DE VARIÁVEIS QUALITATIVAS E QUANTITATIVAS DISCRETAS (TABELAS E GRÁFICOS) DISTRIBUIÇÃO DE FREQUÊNCIA DE VARIÁVEIS QUALITATIVAS E QUANTITATIVAS DISCRETAS (TABELAS E GRÁFICOS) O QUE É ESTATÍSTICA Estatística é a ciência de obter conclusões a partir de dados. Envolve métodos para

Leia mais

CRIAÇÃO DE TABELAS NO ACCESS. Criação de Tabelas no Access

CRIAÇÃO DE TABELAS NO ACCESS. Criação de Tabelas no Access CRIAÇÃO DE TABELAS NO ACCESS Criação de Tabelas no Access Sumário Conceitos / Autores chave... 3 1. Introdução... 4 2. Criação de um Banco de Dados... 4 3. Criação de Tabelas... 6 4. Vinculação de tabelas...

Leia mais

AULA 07 Distribuições Discretas de Probabilidade

AULA 07 Distribuições Discretas de Probabilidade 1 AULA 07 Distribuições Discretas de Probabilidade Ernesto F. L. Amaral 31 de agosto de 2010 Metodologia de Pesquisa (DCP 854B) Fonte: Triola, Mario F. 2008. Introdução à estatística. 10 ª ed. Rio de Janeiro:

Leia mais

Cap. II EVENTOS MUTUAMENTE EXCLUSIVOS E EVENTOS NÃO- EXCLUSIVOS

Cap. II EVENTOS MUTUAMENTE EXCLUSIVOS E EVENTOS NÃO- EXCLUSIVOS Cap. II EVENTOS MUTUAMENTE EXCLUSIVOS E EVENTOS NÃO- EXCLUSIVOS Dois ou mais eventos são mutuamente exclusivos, ou disjuntos, se os mesmos não podem ocorrer simultaneamente. Isto é, a ocorrência de um

Leia mais

DISTRIBUIÇÕES ESPECIAIS DE PROBABILIDADE DISCRETAS

DISTRIBUIÇÕES ESPECIAIS DE PROBABILIDADE DISCRETAS VARIÁVEIS ALEATÓRIAS E DISTRIBUIÇÕES DE PROBABILIDADES 1 1. VARIÁVEIS ALEATÓRIAS Muitas situações cotidianas podem ser usadas como experimento que dão resultados correspondentes a algum valor, e tais situações

Leia mais

=E4/26 F10 =F4 = G4+F5

=E4/26 F10 =F4 = G4+F5 HISTOGRAMA O histograma é uma forma gráfica de apresentar a distribuição de freqüências de uma variável. O histograma é um gráfico de barras verticais construído com os resultados da tabela de freqüências.

Leia mais

Graphing Basic no Excel 2007

Graphing Basic no Excel 2007 Graphing Basic no Excel 2007 Tabela de Conteúdos 1. Inserindo e formatando os dados no Excel 2. Criando o gráfico de dispersão inicial 3. Criando um gráfico de dispersão de dados de titulação 4. Adicionando

Leia mais

Os dados quantitativos também podem ser de natureza discreta ou contínua.

Os dados quantitativos também podem ser de natureza discreta ou contínua. Natureza dos Dados Às informações obtidas acerca das características de um conjunto dá-se o nome de dado estatístico. Os dados estatísticos podem ser de dois tipos: qualitativos ou quantitativos. Dado

Leia mais

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo, Editora Atlas, 2002....

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo, Editora Atlas, 2002.... GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo, Editora Atlas, 2002.... 1 Como encaminhar uma Pesquisa? A pesquisa é um projeto racional e sistemático com objetivo de proporcionar respostas

Leia mais

Inteligência Artificial

Inteligência Artificial Inteligência Artificial Aula 7 Programação Genética M.e Guylerme Velasco Programação Genética De que modo computadores podem resolver problemas, sem que tenham que ser explicitamente programados para isso?

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE RECURSOS AVANÇADOS DO EXCEL EM FINANÇAS (PARTE III): GERENCIAMENTO DE CENÁRIOS

UTILIZAÇÃO DE RECURSOS AVANÇADOS DO EXCEL EM FINANÇAS (PARTE III): GERENCIAMENTO DE CENÁRIOS UTILIZAÇÃO DE RECURSOS AVANÇADOS DO EXCEL EM FINANÇAS (PARTE III): GERENCIAMENTO DE CENÁRIOS! Criando cenários a partir do Solver! Planilha entregue para a resolução de exercícios! Como alterar rapidamente

Leia mais

DISCIPLINA DE ESTATÍSTICA

DISCIPLINA DE ESTATÍSTICA UNIC UNIVERSIDADE DE CUIABÁ DISCIPLINA DE ESTATÍSTICA REPRESENTANDO DADOS Dados Qualitativos Quantitativos Métodos Gráficos Métodos Tabulares Métodos Gráficos Métodos Tabulares Barras Tabelas de Freqüência

Leia mais

Pós-Graduação em Computação Distribuída e Ubíqua

Pós-Graduação em Computação Distribuída e Ubíqua Pós-Graduação em Computação Distribuída e Ubíqua INF612 - Aspectos Avançados em Engenharia de Software Engenharia de Software Experimental [Head First Statistics] Capítulos 10, 11, 12 e 13 [Experimentation

Leia mais

Estatística. Conjunto de métodos e processos quantitativos que serve para estudar e medir os fenômenos coletivos ou de massa.

Estatística. Conjunto de métodos e processos quantitativos que serve para estudar e medir os fenômenos coletivos ou de massa. Faculdade de Tecnologia Senac Pelotas Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Matemática Aplicada Prof. Edécio Fernando Iepsen Estatística Variáveis Qualitativas, Quantitativas

Leia mais

Análise Qualitativa no Gerenciamento de Riscos de Projetos

Análise Qualitativa no Gerenciamento de Riscos de Projetos Análise Qualitativa no Gerenciamento de Riscos de Projetos Olá Gerente de Projeto. Nos artigos anteriores descrevemos um breve histórico sobre a história e contextualização dos riscos, tanto na vida real

Leia mais

PESQUISA OPERACIONAL -PROGRAMAÇÃO LINEAR. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc.

PESQUISA OPERACIONAL -PROGRAMAÇÃO LINEAR. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. PESQUISA OPERACIONAL -PROGRAMAÇÃO LINEAR Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. ROTEIRO Esta aula tem por base o Capítulo 2 do livro de Taha (2008): Introdução O modelo de PL de duas variáveis Propriedades

Leia mais

ESTATÍSTICA PARTE 1 OBJETIVO DA DISCIPLINA

ESTATÍSTICA PARTE 1 OBJETIVO DA DISCIPLINA ESTATÍSTICA PARTE 1 OBJETIVO DA DISCIPLINA Apresentar a Estatística no contexto do dia-a-dia e fazendo uso da planilha Excel. Espera-se que o estudante ao término do curso esteja apto a usar a planilha

Leia mais

Obtenção Experimental de Modelos Matemáticos Através da Reposta ao Degrau

Obtenção Experimental de Modelos Matemáticos Através da Reposta ao Degrau Alunos: Nota: 1-2 - Data: Obtenção Experimental de Modelos Matemáticos Através da Reposta ao Degrau 1.1 Objetivo O objetivo deste experimento é mostrar como se obtém o modelo matemático de um sistema através

Leia mais

1. Estatística Descritiva

1. Estatística Descritiva Introdução à Estatística Estatística Descritiva 1 1. Estatística Descritiva Suponhamos que dispomos de um conjunto de dados (sem nos preocuparmos como foram obtidos) e pretendemos desenvolver processos

Leia mais

QUESTÕES PARA A 3ª SÉRIE ENSINO MÉDIO MATEMÁTICA 2º BIMESTE SUGESTÕES DE RESOLUÇÕES

QUESTÕES PARA A 3ª SÉRIE ENSINO MÉDIO MATEMÁTICA 2º BIMESTE SUGESTÕES DE RESOLUÇÕES QUESTÕES PARA A 3ª SÉRIE ENSINO MÉDIO MATEMÁTICA 2º BIMESTE QUESTÃO 01 SUGESTÕES DE RESOLUÇÕES Descritor 11 Resolver problema envolvendo o cálculo de perímetro de figuras planas. Os itens referentes a

Leia mais

1 Visão Geral. 2 Instalação e Primeira Utilização. Manual de Instalação do Gold Pedido

1 Visão Geral. 2 Instalação e Primeira Utilização. Manual de Instalação do Gold Pedido Manual de Instalação do Gold Pedido 1 Visão Geral Programa completo para enviar pedidos e ficha cadastral de clientes pela internet sem usar fax e interurbano. Reduz a conta telefônica e tempo. Importa

Leia mais

Probabilidade. Luiz Carlos Terra

Probabilidade. Luiz Carlos Terra Luiz Carlos Terra Nesta aula, você conhecerá os conceitos básicos de probabilidade que é a base de toda inferência estatística, ou seja, a estimativa de parâmetros populacionais com base em dados amostrais.

Leia mais

Avaliação de Empresas Profa. Patricia Maria Bortolon

Avaliação de Empresas Profa. Patricia Maria Bortolon Avaliação de Empresas RISCO E RETORNO Aula 2 Retorno Total É a variação total da riqueza proporcionada por um ativo ao seu detentor. Fonte: Notas de Aula do Prof. Claudio Cunha Retorno Total Exemplo 1

Leia mais

Estatística AMOSTRAGEM

Estatística AMOSTRAGEM Estatística AMOSTRAGEM Estatística: É a ciência que se preocupa com a coleta, a organização, descrição (apresentação), análise e interpretação de dados experimentais e tem como objetivo fundamental o estudo

Leia mais

MODELO SUGERIDO PARA PROJETO DE PESQUISA

MODELO SUGERIDO PARA PROJETO DE PESQUISA MODELO SUGERIDO PARA PROJETO DE PESQUISA MODELO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA (Hospital Regional do Mato Grosso do Sul- HRMS) Campo Grande MS MÊS /ANO TÍTULO/SUBTÍTULO DO PROJETO NOME DO (s) ALUNO

Leia mais

ROTEIRO PARA REGISTRO NO CONTAS ONLINE Programa Caminho da Escola Parte I Execução Financeira Data de atualização: 21/6/2012

ROTEIRO PARA REGISTRO NO CONTAS ONLINE Programa Caminho da Escola Parte I Execução Financeira Data de atualização: 21/6/2012 1 ROTEIRO PARA REGISTRO NO CONTAS ONLINE Programa Caminho da Escola Parte I Execução Financeira Data de atualização: 21/6/2012 Introdução O material abaixo foi elaborado para orientar de forma objetiva

Leia mais

PLANILHA DE NIVELAMENTO

PLANILHA DE NIVELAMENTO GUIA PRÁTICO DataGeosis Versão 2.3 PLANILHA DE NIVELAMENTO Paulo Augusto Ferreira Borges Engenheiro Agrimensor Treinamento e Suporte Técnico 1. CRIANDO PLANILHA DE NIVELAMENTO Para criar uma Planilha de

Leia mais

3º Ano do Ensino Médio. Aula nº06

3º Ano do Ensino Médio. Aula nº06 Nome: Ano: º Ano do E.M. Escola: Data: / / 3º Ano do Ensino Médio Aula nº06 Assunto: Noções de Estatística 1. Conceitos básicos Definição: A estatística é a ciência que recolhe, organiza, classifica, apresenta

Leia mais

Comandos de Eletropneumática Exercícios Comentados para Elaboração, Montagem e Ensaios

Comandos de Eletropneumática Exercícios Comentados para Elaboração, Montagem e Ensaios Comandos de Eletropneumática Exercícios Comentados para Elaboração, Montagem e Ensaios O Método Intuitivo de elaboração de circuitos: As técnicas de elaboração de circuitos eletropneumáticos fazem parte

Leia mais

Métodos de Estudo & Investigação Científica. Elaborando um projeto de pesquisa

Métodos de Estudo & Investigação Científica. Elaborando um projeto de pesquisa Elaborando um projeto de pesquisa A pesquisa é a realização concreta de uma investigação planeada, desenvolvido e redigida de acordo com as normas das metodologias consagradas pela ciência; Requerida quando

Leia mais

Sérgio Luisir Díscola Junior

Sérgio Luisir Díscola Junior Capítulo-3: Estoque Livro: The Data Warehouse Toolkit - Guia completo para modelagem dimensional Autor: Ralph Kimball / Margy Ross Sérgio Luisir Díscola Junior Introdução Cadeia de valores Modelo de DW

Leia mais

ActivALEA. ative e atualize a sua literacia

ActivALEA. ative e atualize a sua literacia ActivALEA ative e atualize a sua literacia N.º 26 A FREQUÊNCIIA RELATIIVA PARA ESTIIMAR A PROBABIILIIDADE Por: Maria Eugénia Graça Martins Departamento de Estatística e Investigação Operacional da FCUL

Leia mais

Manual do Usuário Sistema de Acuidade Visual Digital

Manual do Usuário Sistema de Acuidade Visual Digital Manual do Usuário Sistema de Acuidade Visual Digital Página 1 de 16 Índice DonD - Sistema para Teste de Acuidade Visual...3 Componentes do Produto...4 Instalação...5 Abrindo o sistema do DonD...5 Configuração...6

Leia mais

EXCEL 2013. O Excel já cria o gráfico com base nas células que você selecionou, confira:

EXCEL 2013. O Excel já cria o gráfico com base nas células que você selecionou, confira: GRÁFICOS Os gráficos servem para representar e comparar valores visualmente. O Excel tem uma ferramenta que permite fazer belos gráficos, de diversos tipos, dando apenas alguns cliques com o mouse. A melhor

Leia mais

Manual Mobuss Construção - Móvel

Manual Mobuss Construção - Móvel Manual Mobuss Construção - Móvel VISTORIA & ENTREGA - MÓVEL Versão 1.0 Data 22/04/2014 Mobuss Construção - Vistoria & Entrega Documento: v1.0 Blumenau SC 2 Histórico de Revisão Versão Data Descrição 1.0

Leia mais

Registro de Retenções Tributárias e Pagamentos

Registro de Retenções Tributárias e Pagamentos SISTEMA DE GESTÃO DE PRESTAÇÃO DE CONTAS (SiGPC) CONTAS ONLINE Registro de Retenções Tributárias e Pagamentos Atualização: 20/12/2012 A necessidade de registrar despesas em que há retenção tributária é

Leia mais

OPERAÇÕES COM FRAÇÕES

OPERAÇÕES COM FRAÇÕES OPERAÇÕES COM FRAÇÕES Adição A soma ou adição de frações requer que todas as frações envolvidas possuam o mesmo denominador. Se inicialmente todas as frações já possuírem um denominador comum, basta que

Leia mais

Seu pé direito nas melhores Faculdades

Seu pé direito nas melhores Faculdades 10 Insper 01/11/009 Seu pé direito nas melhores Faculdades análise quantitativa 40. No campeonato brasileiro de futebol, cada equipe realiza 38 jogos, recebendo, em cada partida, 3 pontos em caso de vitória,

Leia mais

DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA

DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA FACULDADE DE CIÊNCIAS NATURAIS E MATEMÁTICA DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA Campus de Lhanguene, Av. de Moçambique, km 1, Tel: +258 21401078, Fax: +258 21401082, Maputo Cursos de Licenciatura em Ensino de Matemática

Leia mais

GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA EM GESTÃO DA PRODUÇÃO INDUSTRIAL GERENCIAMENTO ESTATÍSTICO DOS PROCESSOS PRODUTIVOS (tópicos da aula 3)

GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA EM GESTÃO DA PRODUÇÃO INDUSTRIAL GERENCIAMENTO ESTATÍSTICO DOS PROCESSOS PRODUTIVOS (tópicos da aula 3) 1 GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA EM GESTÃO DA PRODUÇÃO INDUSTRIAL GERENCIAMENTO ESTATÍSTICO DOS PROCESSOS PRODUTIVOS (tópicos da aula 3) ANÁLISE DO PROCESSO Só é possivel monitorar um processo após conhecê-lo bem.

Leia mais

DK105 GROVE. Temperatura e Umidade. Radiuino

DK105 GROVE. Temperatura e Umidade. Radiuino DK105 GROVE Temperatura e Umidade Radiuino O presente projeto visa mostrar uma básica aplicação com o Kit DK 105 Grove. Utilizamos um sensor de umidade e temperatura Grove juntamente ao nó sensor para

Leia mais

Aula 4 Gráficos e Distribuição de Frequências

Aula 4 Gráficos e Distribuição de Frequências 1 REDES Aula 4 Gráficos e Distribuição de Frequências Professor Luciano Nóbrega Gráficos A representação gráfica fornece uma visão mais rápida que a observação direta de dados numéricos ou de tabelas.

Leia mais

Variáveis Frequências Gráficos Medidas de Posição Medidas de Dispersão Medidas Complementares Inferência

Variáveis Frequências Gráficos Medidas de Posição Medidas de Dispersão Medidas Complementares Inferência Tipos de Variáveis Problema Motivador: Um pesquisador está interessado em fazer um levantamento sobre aspectos sócio-econômicos dos empregados da seção de orçamentos de uma companhia (vide tabela). Algumas

Leia mais

O sistema gestor já contem uma estrutura completa de categorias que são transferidas automaticamente para cada empresa nova cadastrada.

O sistema gestor já contem uma estrutura completa de categorias que são transferidas automaticamente para cada empresa nova cadastrada. Página2 Cadastro de Categorias O cadastro de categoria é utilizado dentro do gestor para o controle financeiro da empresa, por ela é possível saber a origem e a aplicação dos recursos, como por exemplo,

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS FACULDADE DE EDUCAÇÃO. Elaborado por Gildenir Carolino Santos Grupo de Pesquisa LANTEC

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS FACULDADE DE EDUCAÇÃO. Elaborado por Gildenir Carolino Santos Grupo de Pesquisa LANTEC UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS FACULDADE DE EDUCAÇÃO Elaborado por Gildenir Carolino Santos Grupo de Pesquisa LANTEC Campinas Fevereiro 2014 2 opyleft Gildenir C. Santos, 2014. Biblioteca - Faculdade

Leia mais

M =C J, fórmula do montante

M =C J, fórmula do montante 1 Ciências Contábeis 8ª. Fase Profa. Dra. Cristiane Fernandes Matemática Financeira 1º Sem/2009 Unidade I Fundamentos A Matemática Financeira visa estudar o valor do dinheiro no tempo, nas aplicações e

Leia mais

Conteúdo programático por disciplina Matemática 6 o ano

Conteúdo programático por disciplina Matemática 6 o ano 60 Conteúdo programático por disciplina Matemática 6 o ano Caderno 1 UNIDADE 1 Significados das operações (adição e subtração) Capítulo 1 Números naturais O uso dos números naturais Seqüência dos números

Leia mais

Introdução. Ou seja, de certo modo esperamos que haja uma certa

Introdução. Ou seja, de certo modo esperamos que haja uma certa UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA Teste de Independência Luiz Medeiros de Araujo Lima Filho Departamento de Estatística Introdução Um dos principais objetivos de se construir uma tabela de contingência,

Leia mais

Gerenciamento do Escopo do Projeto (PMBoK 5ª ed.)

Gerenciamento do Escopo do Projeto (PMBoK 5ª ed.) Gerenciamento do Escopo do Projeto (PMBoK 5ª ed.) De acordo com o PMBok 5ª ed., o escopo é a soma dos produtos, serviços e resultados a serem fornecidos na forma de projeto. Sendo ele referindo-se a: Escopo

Leia mais

Pressuposições à ANOVA

Pressuposições à ANOVA UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA CAMPUS DE JI-PARANÁ DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA AMBIENTAL Estatística II Aula do dia 09.11.010 A análise de variância de um experimento inteiramente ao acaso exige que sejam

Leia mais

Álgebra Linear Aplicada à Compressão de Imagens. Universidade de Lisboa Instituto Superior Técnico. Mestrado em Engenharia Aeroespacial

Álgebra Linear Aplicada à Compressão de Imagens. Universidade de Lisboa Instituto Superior Técnico. Mestrado em Engenharia Aeroespacial Álgebra Linear Aplicada à Compressão de Imagens Universidade de Lisboa Instituto Superior Técnico Uma Breve Introdução Mestrado em Engenharia Aeroespacial Marília Matos Nº 80889 2014/2015 - Professor Paulo

Leia mais

Título do Case: Categoria: Temática: Resumo: Introdução:

Título do Case: Categoria: Temática: Resumo: Introdução: Título do Case: Diagnóstico Empresarial - Vendendo e Satisfazendo Mais Categoria: Prática Interna. Temática: Mercado Resumo: Na busca por uma ferramenta capaz de auxiliar na venda de mais consultorias

Leia mais

Contrata Consultor na modalidade Produto

Contrata Consultor na modalidade Produto Contrata Consultor na modalidade Produto PROJETO 914BRZ4012 EDITAL Nº 005/2010 1. Perfil: TR 007/2010-CGS - CIÊNCIAS SOCIAIS APLICÁVEIS 3. Qualificação educacional: Graduação na área de CIÊNCIAS SOCIAIS

Leia mais

Probabilidade e Estatística

Probabilidade e Estatística Probabilidade e Estatística TESTES DE HIPÓTESES (ou Testes de Significância) Estimação e Teste de Hipóteses Estimação e teste de hipóteses (ou significância) são os aspectos principais da Inferência Estatística

Leia mais

COMO CRIAR UM PEDIDO DE COMPRAS

COMO CRIAR UM PEDIDO DE COMPRAS Esse guia considera que o catálogo já esteja atualizado, caso haja dúvidas de como atualizar o catálogo favor consultar o Guia de Atualização do Catálogo. Abra o programa e clique no botão Clique aqui

Leia mais

Entropia, Entropia Relativa

Entropia, Entropia Relativa Entropia, Entropia Relativa e Informação Mútua Miguel Barão (mjsb@di.uevora.pt) Departamento de Informática Universidade de Évora 13 de Março de 2003 1 Introdução Suponhamos que uma fonte gera símbolos

Leia mais

Tópicos Avançados em Banco de Dados Dependências sobre regime e controle de objetos em Banco de Dados. Prof. Hugo Souza

Tópicos Avançados em Banco de Dados Dependências sobre regime e controle de objetos em Banco de Dados. Prof. Hugo Souza Tópicos Avançados em Banco de Dados Dependências sobre regime e controle de objetos em Banco de Dados Prof. Hugo Souza Após vermos uma breve contextualização sobre esquemas para bases dados e aprendermos

Leia mais

SISTEMA CAÇA-TALENTOS MANUAL DE OPERAÇÃO PERFIL SECRETARIA

SISTEMA CAÇA-TALENTOS MANUAL DE OPERAÇÃO PERFIL SECRETARIA SISTEMA CAÇA-TALENTOS MANUAL DE OPERAÇÃO PERFIL SECRETARIA O Sistema Caça-Talentos tem o objetivo de aprimorar o negócio e fornecer um controle informatizado dos processos de captação dos alunos. Ele possui

Leia mais

Exercício. Exercício

Exercício. Exercício Exercício Exercício Aula Prática Utilizar o banco de dados ACCESS para passar o MER dos cenários apresentados anteriormente para tabelas. 1 Exercício oções básicas: ACCESS 2003 2 1 Exercício ISERIDO UMA

Leia mais

Aula 5. Uma partícula evolui na reta. A trajetória é uma função que dá a sua posição em função do tempo:

Aula 5. Uma partícula evolui na reta. A trajetória é uma função que dá a sua posição em função do tempo: Aula 5 5. Funções O conceito de função será o principal assunto tratado neste curso. Neste capítulo daremos algumas definições elementares, e consideraremos algumas das funções mais usadas na prática,

Leia mais

NOTAS DE AULA ESTATÍSTICA BÁSICA

NOTAS DE AULA ESTATÍSTICA BÁSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA AGROALIMENTAR - CAMPUS POMBAL DISCIPLINA: ESTATÍSTICA BÁSICA NOTAS DE AULA ESTATÍSTICA BÁSICA Prof. MSc. Carlos Sérgio Araújo dos

Leia mais

Conceitos Básicos em Estatística

Conceitos Básicos em Estatística Introdução à Estatística Conceitos Básicos em Estatística 1 Conceitos Básicos em Estatística Definição Uma população é uma colecção de unidades individuais, que podem ser pessoas, animais, resultados experimentais,

Leia mais

TEORIA 5: EQUAÇÕES E SISTEMAS DO 1º GRAU MATEMÁTICA BÁSICA

TEORIA 5: EQUAÇÕES E SISTEMAS DO 1º GRAU MATEMÁTICA BÁSICA TEORIA 5: EQUAÇÕES E SISTEMAS DO 1º GRAU MATEMÁTICA BÁSICA Nome: Turma: Data / / Prof: Walnice Brandão Machado Equações de primeiro grau Introdução Equação é toda sentença matemática aberta que exprime

Leia mais

Fundamentos de Teste de Software

Fundamentos de Teste de Software Núcleo de Excelência em Testes de Sistemas Fundamentos de Teste de Software Módulo 1- Visão Geral de Testes de Software Aula 2 Estrutura para o Teste de Software SUMÁRIO 1. Introdução... 3 2. Vertentes

Leia mais

Matemática Básica Intervalos

Matemática Básica Intervalos Matemática Básica Intervalos 03 1. Intervalos Intervalos são conjuntos infinitos de números reais. Geometricamente correspondem a segmentos de reta sobre um eixo coordenado. Por exemplo, dados dois números

Leia mais

AVALIAÇÃO DE UM TANQUE DE DECANTAÇÃO DE SÓLIDOS UTILIZANDO FLUIDODINÂMICA COMPUTACIONAL

AVALIAÇÃO DE UM TANQUE DE DECANTAÇÃO DE SÓLIDOS UTILIZANDO FLUIDODINÂMICA COMPUTACIONAL AVALIAÇÃO DE UM TANQUE DE DECANTAÇÃO DE SÓLIDOS UTILIZANDO FLUIDODINÂMICA COMPUTACIONAL E. F. S. PEREIRA e L. M. N de Gois Universidade Federal da Bahia, Escola Politécnica, Departamento de Engenharia

Leia mais

Engenharia de Software II

Engenharia de Software II Engenharia de Software II Aula 26 http://www.ic.uff.br/~bianca/engsoft2/ Aula 26-21/07/2006 1 Ementa Processos de desenvolvimento de software Estratégias e técnicas de teste de software Métricas para software

Leia mais

Gestão da Qualidade. Aula 5. Prof. Pablo

Gestão da Qualidade. Aula 5. Prof. Pablo Gestão da Qualidade Aula 5 Prof. Pablo Proposito da Aula 1. Gestão da Qualidade Total; 2. Planejamento; Gestão da Qualidade Total Gestão da Qualidade Total Como vimos na última aula a Gestão da Qualidade

Leia mais

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE PESQUISA

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE PESQUISA ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE PESQUISA O objetivo desse roteiro é orientar os estudantes de Estatística para a realização do trabalho proposto conforme previsto no plano de ensino da disciplina.

Leia mais

Backup. O que é um backup?

Backup. O que é um backup? Backup O que é um backup? No capítulo sobre software conhecemos o conceito de dados, agora chegou o momento de observarmos um procedimento para preservarmos nossos dados. A este procedimento damos o nome

Leia mais

Unidade 1: O Computador

Unidade 1: O Computador Unidade : O Computador.3 Arquitetura básica de um computador O computador é uma máquina que processa informações. É formado por um conjunto de componentes físicos (dispositivos mecânicos, magnéticos, elétricos

Leia mais

REGULAMENTO DA POLÍTICA DE MANUTENÇÃO E GUARDA DO ACERVO ACADÊMICO DA ESCOLA DE DIREITO DE BRASÍLIA EDB

REGULAMENTO DA POLÍTICA DE MANUTENÇÃO E GUARDA DO ACERVO ACADÊMICO DA ESCOLA DE DIREITO DE BRASÍLIA EDB REGULAMENTO DA POLÍTICA DE MANUTENÇÃO E GUARDA DO ACERVO ACADÊMICO DA ESCOLA DE DIREITO DE BRASÍLIA EDB Estabelece a Política para Manutenção e Guarda do Acervo Acadêmico da Escola de Direito de Brasília

Leia mais

Física Experimental III

Física Experimental III Física Experimental III Unidade 4: Circuitos simples em corrente alternada: Generalidades e circuitos resistivos http://www.if.ufrj.br/~fisexp3 agosto/26 Na Unidade anterior estudamos o comportamento de

Leia mais

PDE INTERATIVO MANUAL DE CADASTRO E GERENCIAMENTO DE USUÁRIOS

PDE INTERATIVO MANUAL DE CADASTRO E GERENCIAMENTO DE USUÁRIOS PDE INTERATIVO MANUAL DE CADASTRO E GERENCIAMENTO DE USUÁRIOS O cadastro dos usuários é a etapa que antecede a elaboração do PLANO DE DESEMVOLVIMENTO DA ESCOLA, no PDE Interativo e precisa ser feito por

Leia mais

GEOMETRIA. sólidos geométricos, regiões planas e contornos PRISMAS SÓLIDOS GEOMÉTRICOS REGIÕES PLANAS CONTORNOS

GEOMETRIA. sólidos geométricos, regiões planas e contornos PRISMAS SÓLIDOS GEOMÉTRICOS REGIÕES PLANAS CONTORNOS PRISMAS Os prismas são sólidos geométricos muito utilizados na construção civil e indústria. PRISMAS base Os poliedros representados a seguir são denominados prismas. face lateral base Nesses prismas,

Leia mais

Trabalhando com Mala Direta e Etiquetas de Endereçamento no BrOffice/LibreOffice

Trabalhando com Mala Direta e Etiquetas de Endereçamento no BrOffice/LibreOffice Departamento de Tecnologia da Informação Divisão de Relacionamento e Gestão do Conhecimento Trabalhando com Mala Direta e Etiquetas de Endereçamento no BrOffice/LibreOffice Criação de Etiquetas passo a

Leia mais

Emparelhamentos Bilineares Sobre Curvas

Emparelhamentos Bilineares Sobre Curvas Emparelhamentos Bilineares Sobre Curvas Eĺıpticas Leandro Aparecido Sangalli sangalli@dca.fee.unicamp.br Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP FEEC - Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação

Leia mais

Portal dos Convênios - Siconv

Portal dos Convênios - Siconv MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE LOGÍSTICA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DEPARTAMENTO DE LOGÍSTICA E SERVIÇOS GERAIS Portal dos Convênios - Siconv Análise, Aprovação de Proposta/Plano

Leia mais

HEMOVIDA (CICLO DO SANGUE - Gerenciamento de estoque para grandes eventos)

HEMOVIDA (CICLO DO SANGUE - Gerenciamento de estoque para grandes eventos) Ministério da Saúde Secretaria Executiva Departamento de Informática do SUS HEMOVIDA (CICLO DO SANGUE - Gerenciamento de estoque para grandes eventos) Manual do Usuário Versão 1.0 Fevereiro, 2014 Índice

Leia mais

Arquitecturas de Software Enunciado de Projecto 2007 2008

Arquitecturas de Software Enunciado de Projecto 2007 2008 UNIVERSIDADE TÉCNICA DE LISBOA INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO Arquitecturas de Software Enunciado de Projecto 2007 2008 1 Introdução Na primeira metade da década de 90 começaram a ser desenvolvidas as primeiras

Leia mais

Sistema De Gerenciamento Web UFFS

Sistema De Gerenciamento Web UFFS Sistema De Gerenciamento Web UFFS Acesso ao Sistema Link para acesso O acesso ao SGW UFFS é feito através de um link, que por segurança, poderá não ser permanente. Este mesmo link será modificado com uma

Leia mais

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE ANDRADINA NOME DO(S) AUTOR(ES) EM ORDEM ALFABÉTICA TÍTULO DO TRABALHO: SUBTÍTULO DO TRABALHO, SE HOUVER

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE ANDRADINA NOME DO(S) AUTOR(ES) EM ORDEM ALFABÉTICA TÍTULO DO TRABALHO: SUBTÍTULO DO TRABALHO, SE HOUVER FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE ANDRADINA NOME DO(S) AUTOR(ES) EM ORDEM ALFABÉTICA TÍTULO DO TRABALHO: SUBTÍTULO DO TRABALHO, SE HOUVER ANDRADINA/SP 2016 NOME DO(S) AUTOR(ES) EM ORDEM ALFABÉTICA TÍTULO DO TRABALHO:

Leia mais

Técnicas de Contagem I II III IV V VI

Técnicas de Contagem I II III IV V VI Técnicas de Contagem Exemplo Para a Copa do Mundo 24 países são divididos em seis grupos, com 4 países cada um. Supondo que a escolha do grupo de cada país é feita ao acaso, calcular a probabilidade de

Leia mais

DRE DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO EMITIR UMA D.R.E NO SISTEMA DOMÍNIO CONTÁBIL

DRE DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO EMITIR UMA D.R.E NO SISTEMA DOMÍNIO CONTÁBIL DRE DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO O D.R.E é uma demonstração contábil que visa apresentar de forma resumida o resultado apurado em relação as operações da empresa em um determinado período. O

Leia mais

Roteiro de Auxílio para as Atividades Práticas de Sistemas de Informação

Roteiro de Auxílio para as Atividades Práticas de Sistemas de Informação Roteiro de Auxílio para as Atividades Práticas de Sistemas de Informação A linguagem XML no contexto do curso de Sistemas de Informação é utilizada principalmente para o armazenamento e a manipulação de

Leia mais

Manual de Utilização. Ao acessar o endereço www.fob.net.br chegaremos a seguinte página de entrada: Tela de Abertura do Sistema

Manual de Utilização. Ao acessar o endereço www.fob.net.br chegaremos a seguinte página de entrada: Tela de Abertura do Sistema Abaixo explicamos a utilização do sistema e qualquer dúvida ou sugestões relacionadas a operação do mesmo nos colocamos a disposição a qualquer horário através do email: informatica@fob.org.br, MSN: informatica@fob.org.br

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO CONSELHO SUPERIOR DA JUSTIÇA DO TRABALHO

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO CONSELHO SUPERIOR DA JUSTIÇA DO TRABALHO CONSELHO SUPERIOR DA RELATÓRIO DE DIAGNÓSTICO DA QUALIDADE NO USO DO SISTEMA PROCESSO JUDICIAL ELETRÔNICO DA Fase 1 (magistrados e servidores da Justiça do Trabalho) Secretaria de Tecnologia da Informação

Leia mais

Função. Adição e subtração de arcos Duplicação de arcos

Função. Adição e subtração de arcos Duplicação de arcos Função Trigonométrica II Adição e subtração de arcos Duplicação de arcos Resumo das Principais Relações I sen cos II tg sen cos III cotg tg IV sec cos V csc sen VI sec tg VII csc cotg cos sen Arcos e subtração

Leia mais

Análise de Requisitos

Análise de Requisitos Análise de Requisitos Análise de Requisitos O tratamento da informação é um requisito que fundamenta o processo de desenvolvimento de software antes da solução de tecnologia a ser aplicada. Cada projeto

Leia mais

Sumário. CEAD - FACEL Manual do Aluno, 02

Sumário. CEAD - FACEL Manual do Aluno, 02 Manual CEAD - FACEL Sumário 03... Acesso ao Ambiente Virtual de Aprendizagem Atualizando seu perfil Esqueceu sua senha de acesso 09... O meu AVA Conhecendo meu AVA Navegando na disciplina Barra de navegação

Leia mais

MODELAGENS. Modelagem Estratégica

MODELAGENS. Modelagem Estratégica Material adicional: MODELAGENS livro Modelagem de Negócio... Modelagem Estratégica A modelagem estratégica destina-se à compreensão do cenário empresarial desde o entendimento da razão de ser da organização

Leia mais

Usando potências de 10

Usando potências de 10 Usando potências de 10 A UUL AL A Nesta aula, vamos ver que todo número positivo pode ser escrito como uma potência de base 10. Por exemplo, vamos aprender que o número 15 pode ser escrito como 10 1,176.

Leia mais

Sistema NetConta I - Guia de Referência Rápida

Sistema NetConta I - Guia de Referência Rápida Sistema NetConta I - Guia de Referência Rápida Dúvidas ou Sugestões: netconta@polimed.com.br Índice Como entrar no sistema NetConta 1?... 3 1. TRABALHANDO COM UMA REMESSA... 3 1.1.Como criar uma nova remessa?...

Leia mais

Processo de Gerenciamento do Catálogo de Serviços de TIC

Processo de Gerenciamento do Catálogo de Serviços de TIC de TIC Escritório de Gerenciamento de Processos de Tecnologia da Informação e Comunicação EGPr-TIC João Pessoa 2016 Versão 1.0 Tribunal Regional do Trabalho da 13ª Região Desembargador Presidente Ubiratan

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL - MATEMÁTICA PROJETO FUNDAMENTOS DE MATEMÁTICA ELEMENTAR

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL - MATEMÁTICA PROJETO FUNDAMENTOS DE MATEMÁTICA ELEMENTAR UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL - MATEMÁTICA PROJETO FUNDAMENTOS DE MATEMÁTICA ELEMENTAR Assuntos: Produtos Notáveis; Equações; Inequações; Função; Função Afim; Paridade;

Leia mais

3 Metodologia de pesquisa

3 Metodologia de pesquisa 3 Metodologia de pesquisa Esta pesquisa foi concebida com o intuito de identificar como a interação entre o gerenciamento de projetos e o planejamento estratégico estava ocorrendo nas empresas do grupo

Leia mais

MANUAL DO PROFESSOR. - Inscrições Colégios. Colégios Participantes de Temporadas anteriores:

MANUAL DO PROFESSOR. - Inscrições Colégios. Colégios Participantes de Temporadas anteriores: MANUAL DO PROFESSOR - Inscrições Colégios Colégios Participantes de Temporadas anteriores: O Professor deverá acessar o link Inscrições Colégios no menu esquerdo da página inicial do site da LE2 e com

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE INFORMÁTICA DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA APLICADA INF01210 - INTRODUÇÃO À INFORMÁTICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE INFORMÁTICA DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA APLICADA INF01210 - INTRODUÇÃO À INFORMÁTICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE INFORMÁTICA DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA APLICADA INF01210 - INTRODUÇÃO À INFORMÁTICA MÓDULO V MICROSOFT ACCESS 97 -MATERIAL DO ALUNO- Profa. Maria

Leia mais

Gerenciamento dos Riscos do Projeto (PMBoK 5ª ed.)

Gerenciamento dos Riscos do Projeto (PMBoK 5ª ed.) Gerenciamento dos Riscos do Projeto (PMBoK 5ª ed.) Esta é uma área essencial para aumentar as taxas de sucesso dos projetos, pois todos eles possuem riscos e precisam ser gerenciados, ou seja, saber o

Leia mais

Métodos Estatísticos Avançados em Epidemiologia

Métodos Estatísticos Avançados em Epidemiologia Métodos Estatísticos Avançados em Epidemiologia Análise de Variância - ANOVA Cap. 12 - Pagano e Gauvreau (2004) - p.254 Enrico A. Colosimo/UFMG Depto. Estatística - ICEx - UFMG 1 / 39 Introdução Existem

Leia mais