PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES SINDICATO DOS MÉDICOS DO ESTADO DE MINAS GERAIS - SINMED-MG

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES SINDICATO DOS MÉDICOS DO ESTADO DE MINAS GERAIS - SINMED-MG"

Transcrição

1 PAR-06/074 PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES Aos Srs. Diretores e Conselheiros do SINDICATO DOS MÉDICOS DO ESTADO DE MINAS GERAIS - SINMED-MG Examinamos os balanços patrimoniais do SINDICATO DOS MÉDICOS DO ESTADO DE MINAS GERAIS - SINMED-MG, levantados em 30 de junho de 2006 e 2005, e as respectivas demonstrações do superavit, das mutações do patrimônio social e das origens e aplicações de recursos correspondentes aos semestres findos naquelas datas, elaborados sob a responsabilidade de sua Administração. Nossa responsabilidade é a de expressar uma opinião sobre essas demonstrações contábeis. 2. Nossos exames foram conduzidos de acordo com as normas de auditoria e compreenderam: (a) o planejamento dos trabalhos, considerando a relevância dos saldos, o volume de transações e o sistema contábil e de controles internos da Entidade; (b) a constatação, com base em testes, das evidências e dos registros que suportam os valores e as informações contábeis divulgados; e (c) a avaliação das práticas e das estimativas contábeis mais representativas adotadas pela Administração da Entidade, bem como da apresentação das demonstrações contábeis tomadas em conjunto. 3. A Entidade tem registrado na rubrica Obrigações com Entidades compromissos em atraso, estabelecidos no artigo 589 da Consolidação das Leis do Trabalho - CLT, no montante de R$ mil (R$ mil em ). Por não haver critérios definidos de atualização desse montante, os valores históricos, registrados contabilmente, podem diferir daqueles efetivamente devidos. 4. O Sinmed-MG responde por ação cívil impetrada por ex-prestador de serviços, vislumbrando os seus assessores jurídicos que o desfecho da lide será desfavorável à Entidade. As demonstrações contábeis do semestre findo em 30 de junho de 2006 deixam de contemplar provisão para suportar tal perda, cujo montante foi impraticável quantificar. 5. Em nossa opinião, exceto pelos efeitos que possam advir do descrito nos parágrafos 3 e 4 retro, as demonstrações contábeis acima referidas representam, adequadamente, em todos os aspectos relevantes, a posição patrimonial e financeira do SINDICATO DOS MÉDICOS DO ESTADO DE MINAS GERAIS - SINMED-MG, em 30 de junho de 2006 e 2005, e o resultado de suas operações, as mutações do seu patrimônio social e as origens e aplicações de seus recursos referentes aos semestres findos naquelas datas, de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil.

2 6. Com relação às Anuidades a Receber, dadas as inúmeras variáveis envolvidas, não é possível mensurar eventuais perdas na realização desses créditos, além das provisões já constituídas. Belo Horizonte, 28 de agosto de FERNANDO MOTTA & ASSOCIADOS Auditores Independentes CRCMG 757 Ronaldo Brandão Teixeira Contador CRCMG Ivo de Almeida Motta Contador CRCMG

3 SINDICATO DOS MÉDICOS DO ESTADO DE MINAS GERAIS - SINMED-MG NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 30 DE JUNHO DE CONTEXTO OPERACIONAL O SINMED-MG foi constituído para fins de coordenação, proteção e representação legal da categoria profissional dos médicos, na base territorial do Estado de Minas Gerais, visando a melhoria das condições de vida e trabalho de seus representados, a defesa da liberdade e autonomia de movimento sindical, a consolidação dos Sindicatos enquanto Instituições Sociais e Políticas, e o fortalecimento da participação democrática dos trabalhadores em suas relações com outros setores da sociedade brasileira. 2. PRINCIPAIS PRÁTICAS CONTÁBEIS a. A elaboração, forma de apresentação e conteúdo das Demonstrações Contábeis obedecem às disposições das Normas Brasileiras de Contabilidade emanadas do Conselho Federal de Contabilidade, em específico, a NBC T que trata dos aspectos contábeis específicos em Entidades Diversas - Entidades Sindicais e Associações de Classe. b. As aplicações financeiras são registradas ao custo de aquisição acrescido dos rendimentos auferidos até a data do balanço; c. As depreciações dos bens do Ativo Imobilizado são calculadas pelo método linear, a taxas que levam em consideração a vida útil econômica dos bens; d. A preparação das demonstrações contábeis requer que a Administração, em determinadas situações, efetue estimativas e adote premissas, no seu melhor julgamento, que afetam os valores apresentados de ativos, passivos, receitas, custos e despesas. Os valores reais podem, eventualmente, divergir daqueles estimados; e e. Os Investimentos Permanentes são avaliados ao custo de aquisição e estão representados, basicamente, por participações na Credicom e Unicred. 3. MUDANÇA DE PRÁTICA CONTÁBIL Em 2005, a Entidade passou a reconhecer contabilmente as suas receitas pelo Regime de Competência, ao invés do Regime de Caixa, anteriormente adotado. O efeito líquido

4 dessa mudança de prática contábil gerou um ajuste credor no Patrimônio Social da Entidade de cerca de R$ mil. 4. PROVISÃO PARA CRÉDITOS DE LIQUIDAÇÃO DUVIDOSA As anuidades vencidas de 2005 e 2006 foram reconhecidas contabilmente, sendo objeto de provisão para perdas na sua realização, a saber: Contribuições Exercício Sindical Social Total Provisão para perdas A Administração da Entidade envidará todos os esforços no sentido de realizar esses créditos, cuja situação crônica de inadimplência vem comprometendo, de longa data, o equilíbrio econômico-financeiro do SINMED-MG, refletido nas suas demonstrações contábeis. 5. IMOBILIZADO Está assim representado : Taxa anual de Exercício findo em depreciação Terrenos Edificações 4% Máquinas e equipamentos 10% Móveis 10% Utensílios 10% Instalações 10% Equipamentos de Telefonia 10% Computadores e Periféricos 20% Subtotal - R$ Depreciações acumuladas - ( ) ( ) Total - R$ Em , para refletir com maior propriedade a situação patrimonial da Entidade, a Diretoria optou por realizar uma reavaliação espontânea de seu imóvel, através de laudo técnico elaborado pela empresa Dilvar Salles Perícias Ltda., o que gerou um acréscimo patrimonial de R$ 347 mil. 6. OBRIGAÇÕES COM ENTIDADES

5 São decorrentes dos repasses compulsórios estabelecidos no art.589 da CLT onde o Sindicato retém 60% da arrecadação da Contribuição Sindical e repassa 40% às entidades FENAM, CEES e CNPL, e de outras naturezas em relação à CUT e AMMG: Semestre findo em Circulante Longo Prazo Circulante Longo Prazo AMMG CUT FENAM CEES CNPL Total - R$ PATRIMÔNIO SOCIAL É constituído pelos valores originais do Superavit ou Deficit, apurados ao final de cada exercício, além de contemplar os ajustes de exercícios anteriores, bem como os reflexos da reavaliação de imóvel. 8. CONTINGÊNCIAS Em , a Entidade responde por contingências de natureza cível e trabalhista, vislumbrando a Alta Administração que não incorrerá em perdas significativas no desfecho dos processos em questão, razão pela qual não foi constituída provisão contábil. 9. COBERTURA DE SEGUROS A Administração considera que os seguros contratados encontram-se adequados à estrutura patrimonial da Entidade e propiciam as coberturas de incêndio/raio/explosão/queda de aeronave, vendaval, danos elétricos, perdas e responsabilidade civil. DIRETORIA EXECUTIVA * * * CRISTIANO GONZAGA DA MATTA MACHADO, Presidente JACÓ LAMPERT, Diretor Financeiro

6 CONTADOR RESPONSÁVEL Rogério Godinho Cândido, CRCMG/TC

INSTITUTO COMUNITÁRIO GRANDE FLORIANÓPOLIS - ICOM

INSTITUTO COMUNITÁRIO GRANDE FLORIANÓPOLIS - ICOM INSTITUTO COMUNITÁRIO GRANDE FLORIANÓPOLIS - ICOM DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS REFERENTES AO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2007 E PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES A BDO International é uma rede mundial

Leia mais

FUNEPU Demonstrações Contábeis 2009. DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS em 31 de dezembro de 2009 acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes

FUNEPU Demonstrações Contábeis 2009. DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS em 31 de dezembro de 2009 acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS em 31 de dezembro de 2009 acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes 1 FUNDAÇÃO DE ENSINO E PESQUISA DE UBERABA - FUNEPU CNPJ 20.054.326/0001-09 BALANÇO PATRIMONIAL PARA

Leia mais

SUR REDE UNIVERSITÁRIA DE DIREITOS HUMANOS

SUR REDE UNIVERSITÁRIA DE DIREITOS HUMANOS SUR REDE UNIVERSITÁRIA DE DIREITOS HUMANOS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 E 2008 SUR REDE UNIVERSITÁRIA DE DIREITOS HUMANOS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 E 2008 CONTEÚDO

Leia mais

RELATÓRIO FINANCEIRO 2014

RELATÓRIO FINANCEIRO 2014 PREPARADOS PARA VENCER RELATÓRIO FINANCEIRO 2014 RT 007/2015 Demonstrações Financeiras Confederação Brasileira de Judô 31 de dezembro de 2014 Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações

Leia mais

6 C ; > OE O ƐƚĂƚƵƐ 6 > 8 2/ 72 - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0

Leia mais

CENTRAL GERADORA EÓLICA ICARAÍ I S.A.

CENTRAL GERADORA EÓLICA ICARAÍ I S.A. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011 Demonstrações Financeiras Em 31 de Dezembro de 2011 Conteúdo Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras Balanço Patrimonial

Leia mais

CENTRAL GERADORA EÓLICA ICARAÍ II S.A.

CENTRAL GERADORA EÓLICA ICARAÍ II S.A. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011 Demonstrações Financeiras Em 31 de Dezembro de 2011 Conteúdo Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras Balanço Patrimonial

Leia mais

RELATÓRIO DE REVISÃO DOS AUDITORES INDEPENDENTES Aos Acionistas e Administradores da IESA Projetos, Equipamentos e Montagens S.A. Araraquara - SP Introdução Revisamos as informações contábeis intermediárias,

Leia mais

CONSERVATION INTERNATIONAL DO BRASIL. Demonstra~6es Contabeis em 31 de Dezembro de 2009

CONSERVATION INTERNATIONAL DO BRASIL. Demonstra~6es Contabeis em 31 de Dezembro de 2009 CONSERVATION INTERNATIONAL DO BRASIL Demonstra~6es Contabeis em 31 de Dezembro de 2009 CONSERVATION INTERNATIONAL DO BRASIL CNPJ n 38.737.938/0001-61 BALANCOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 E 2008

Leia mais

Banrisul Commodities Fundo de Investimento em Ações

Banrisul Commodities Fundo de Investimento em Ações Banrisul Commodities Fundo de Investimento em Ações CNPJ 10.199.946/0001-82 (Administrado pelo Banco do Estado do Rio Grande do Sul S.A. - CNPJ 92.702.067/0001-96) Demonstrações Financeiras Para o Exercício

Leia mais

Banrisul Global Fundo de Investimento Renda Fixa de Longo Prazo

Banrisul Global Fundo de Investimento Renda Fixa de Longo Prazo Banrisul Global Fundo de Investimento Renda Fixa de Longo Prazo CNPJ 08.960.563/0001-33 (Administrado pelo Banco do Estado do Rio Grande do Sul S.A. - CNPJ 92.702.067/0001-96) Demonstrações Financeiras

Leia mais

Safra Fundo Mútuo de Privatização - FGTS Petrobras (C.N.P.J. nº 03.910.929/0001-46) (Administrado pelo Banco J. Safra S.A.) Demonstrações Financeiras

Safra Fundo Mútuo de Privatização - FGTS Petrobras (C.N.P.J. nº 03.910.929/0001-46) (Administrado pelo Banco J. Safra S.A.) Demonstrações Financeiras Safra Fundo Mútuo de Privatização - FGTS Petrobras (Administrado pelo Banco J. Safra S.A.) Demonstrações Financeiras em 30 de setembro de 2015 e relatório dos auditores independentes Relatório dos auditores

Leia mais

DATA 29/05/2014 Pagina 2 2.1.3.1.1.00.00.00 FORNECEDORES E CONTAS A PAGAR NACIONAIS A CURTO PR S C 0,00 582,25 3.432,21 2.849,96 C 2.1.3.1.1.01.00.00

DATA 29/05/2014 Pagina 2 2.1.3.1.1.00.00.00 FORNECEDORES E CONTAS A PAGAR NACIONAIS A CURTO PR S C 0,00 582,25 3.432,21 2.849,96 C 2.1.3.1.1.01.00.00 DATA 29/05/2014 Pagina 1 1.0.0.0.0.00.00.00 ATIVO S D 26.200,85 197.350,24 153.749,66 69.801,43 D 1.1.0.0.0.00.00.00 ATIVO CIRCULANTE S D 15.643,04 197.350,24 153.614,51 59.378,77 D 1.1.1.0.0.00.00.00

Leia mais

GIFE GRUPO DE INSTITUTOS, FUNDAÇÕES E EMPRESAS

GIFE GRUPO DE INSTITUTOS, FUNDAÇÕES E EMPRESAS GIFE GRUPO DE INSTITUTOS, FUNDAÇÕES E EMPRESAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS REFERENTES AOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 E 2008 E PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES BDO Auditores Independentes,

Leia mais

PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES

PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES AUDITORES INDEPENDENTES S/C SÃO PAULO - RUA MADRE CABRINI, 99 VILA MARIANA SP CEP: 04020-000 FONE (0xx11) 5574-5252 - FAX: 5574-5578 E-mail: binah@sti.com.br C.N.P.J.M.F. 47.174.537/0001-31 CRC 2SP 009.597/O-8

Leia mais

Relatório da Administração

Relatório da Administração SECULUS CRÉDITO FINANCIAMENTO E INVESTIMENTO S.A Endereço: Rua Paraíba, n.º 330 11º Andar Belo Horizonte - MG CNPJ: 04.787.807/0001-77 Relatório da Administração Senhores acionistas, Cumprindo determinação

Leia mais

BALANCETE ANALÍTICO - ABRIL/2015

BALANCETE ANALÍTICO - ABRIL/2015 Folha : 1 1 ATIVO 4.009.419,95 D 1.629.902,67 2.246.254,36 3.393.068,26 D 1.1 ATIVO CIRCULANTE 955.155,70 D 1.629.902,67 2.246.254,36 338.804,01 D 1.1.1 DISPONIBILIDADES 583.101,30 D 1.627.251,30 2.195.109,54

Leia mais

Demonstrativo do Fluxo de Caixa Financeiro do Exercício Associação Rede Nacional de Ensino e Pesquisa- RNP

Demonstrativo do Fluxo de Caixa Financeiro do Exercício Associação Rede Nacional de Ensino e Pesquisa- RNP Demonstrativo do Fluxo de Caixa Financeiro do Exercício Associação Rede Nacional de Ensino e Pesquisa- RNP Findo em 31 de dezembro de 2011 Acompanhado do Relatório de Asseguração Limitada dos Auditores

Leia mais

EXAME DE SUFICIÊNCIA - 01/2000 I - CONTABILIDADE GERAL

EXAME DE SUFICIÊNCIA - 01/2000 I - CONTABILIDADE GERAL EXAME DE SUFICIÊNCIA - 01/2000 I - CONTABILIDADE GERAL 1 - Podemos considerar como fato permutativo a transação: a) compra de galpão para a fábrica. b) venda de mercadoria a prazo. c) pagamento de salários

Leia mais

ABCD. LFG Business, Edições e Participações Ltda. Laudo de avaliação a valor contábil

ABCD. LFG Business, Edições e Participações Ltda. Laudo de avaliação a valor contábil LFG Business, Edições e Participações Ltda. Laudo de avaliação a valor contábil KPMG Auditores Independentes R. Dr. Renato Paes de Barros, 33 04530-904 - São Paulo, SP - Brasil Caixa Postal 2467 01060-970

Leia mais

GIFE - Grupo de Institutos, Fundações e Empresas Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2005 e de 2004 e parecer dos auditores independentes

GIFE - Grupo de Institutos, Fundações e Empresas Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2005 e de 2004 e parecer dos auditores independentes GIFE - Grupo de Institutos, Fundações e Empresas Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2005 e de 2004 e parecer dos auditores independentes Parecer dos auditores independentes Aos Administradores

Leia mais

Em setembro de 2011, ocorreu a cisão parcial de 99,99% de seu patrimônio líquido.

Em setembro de 2011, ocorreu a cisão parcial de 99,99% de seu patrimônio líquido. NUMERAL 80 PARTICIPAÇÕES S.A. NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS PARA OS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2012 E DE 2011 (Valores expressos em milhares de reais - R$) 1. CONTEXTO OPERACIONAL

Leia mais

Unidade II. No ativo, a disposição das contas obedece ao grau decrescente de liquidez dos elementos nelas registrados.

Unidade II. No ativo, a disposição das contas obedece ao grau decrescente de liquidez dos elementos nelas registrados. Unidade II 8 ATIVO Ativo compreende, como já vimos, os bens e direitos da empresa, classificados de acordo com sua destinação específica, que varia segundo os fins da empresa. No ativo, a disposição das

Leia mais

TELEFÓNICA, S.A. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS E RELATÓRIO DE GESTÃO CORRESPONDENTES AO EXERCÍCIO DE 2008

TELEFÓNICA, S.A. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS E RELATÓRIO DE GESTÃO CORRESPONDENTES AO EXERCÍCIO DE 2008 RELATÓRIO DE AUDITORÍA, DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS E RELATÓRIO DE GESTÃO DA TELEFÓNICA, S.A. CORRESPONDENTES AO EXERCÍCIO DE 2008 TELEFÓNICA, S.A. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS E RELATÓRIO DE GESTÃO CORRESPONDENTES

Leia mais

ESPORTE CLUBE VITORIA DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS EM

ESPORTE CLUBE VITORIA DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS EM ESPORTE CLUBE VITORIA DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2015 E DE 2014 ESPORTE CLUBE VITÓRIA DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2015 E DE 2014 CONTEÚDO PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES

Leia mais

Niterói Administradora de Imóveis S/A. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes

Niterói Administradora de Imóveis S/A. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes Niterói Administradora de Imóveis S/A Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes Em 30 de Junho de 2007 e em 31 de Dezembro de 2006, 2005 e 2004 Parecer dos auditores independentes

Leia mais

Princípio da competência O princípio da competência determina que todas as vendas, os custos e as despesas devem ser considerados na apuração do resultado da empresa no período em que ocorrerem, independentemente

Leia mais

Demonstrações Contábeis em 31/12/2013 e 31/12/2012

Demonstrações Contábeis em 31/12/2013 e 31/12/2012 Demonstrações Contábeis em 31/12/2013 e 31/12/2012 Banco Pottencial S.A. Av. Afonso Pena, 4100, 12º- andar, Cruzeiro, Belo Horizonte-MG. Relatório da Administração. Apresentamos as demonstrações contábeis

Leia mais

CONCESSIONÁRIA LITORAL NORTE S.A. - CLN DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2005 E 2004

CONCESSIONÁRIA LITORAL NORTE S.A. - CLN DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2005 E 2004 CONCESSIONÁRIA LITORAL NORTE S.A. - CLN DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2005 E 2004 A BDO International é uma rede mundial de empresas de auditoria, denominada Firmas Membro BDO, com presença

Leia mais

R&R AUDITORIA E CONSULTORIA Luiz Carlos Rodrigues e Rodriguez Diretor

R&R AUDITORIA E CONSULTORIA Luiz Carlos Rodrigues e Rodriguez Diretor Belo Horizonte, 20 de abril de 2015 Ilmos. Srs. Diretores do BH-TEC Belo Horizonte MG Prezados Senhores, Anexamos à presente, nosso relatório da auditoria externa dos procedimentos contábeis e financeiros

Leia mais

Banco do Povo Crédito Solidário. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Relatório dos Auditores Independentes. Em 31 de dezembro de 2012.

Banco do Povo Crédito Solidário. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Relatório dos Auditores Independentes. Em 31 de dezembro de 2012. Banco do Povo Crédito Solidário Demonstrações Contábeis acompanhadas do Relatório dos Auditores Independentes Em 31 de dezembro de 2012. Índice Página Relatório dos auditores independentes 3 Demonstrações

Leia mais

Randon Brantech Implementos para o Transporte Ltda. Laudo de avaliação a valor contábil do Patrimônio Líquido em 31 de março de 2014

Randon Brantech Implementos para o Transporte Ltda. Laudo de avaliação a valor contábil do Patrimônio Líquido em 31 de março de 2014 Randon Brantech Implementos para o Transporte Ltda. Laudo de avaliação a valor contábil do Patrimônio Líquido em 31 de março de 2014 KPMG Auditores Independentes Av. Borges de Medeiros, 2.233-8º andar

Leia mais

Demonstrações Financeiras da Controladora e Consolidadas. BHG S.A. - Brazil Hospitality Group

Demonstrações Financeiras da Controladora e Consolidadas. BHG S.A. - Brazil Hospitality Group Demonstrações Financeiras da Controladora e Consolidadas BHG S.A. - Brazil Hospitality Group com Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras Demonstrações financeiras da controladora

Leia mais

INSTITUTO DE TECNOLOGIA PARA O DESENVOLVIMENTO - LACTEC

INSTITUTO DE TECNOLOGIA PARA O DESENVOLVIMENTO - LACTEC INSTITUTO DE TECNOLOGIA PARA O DESENVOLVIMENTO - LACTEC DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS REFERENTES AOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2006 E DE 2005, E PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES A BDO International

Leia mais

LAUDO DE AVALIAÇÃO DO ACERVO LÍQUIDO DA CRUZ ALTA PARTICIPAÇÕES LTDA. A SER INCORPORADO PELA AÇÚCAR GUARANI S.A. BALANÇO BASE: 31 DE JANEIRO DE 2008

LAUDO DE AVALIAÇÃO DO ACERVO LÍQUIDO DA CRUZ ALTA PARTICIPAÇÕES LTDA. A SER INCORPORADO PELA AÇÚCAR GUARANI S.A. BALANÇO BASE: 31 DE JANEIRO DE 2008 LAUDO DE AVALIAÇÃO DO ACERVO LÍQUIDO DA CRUZ ALTA PARTICIPAÇÕES LTDA. A SER INCORPORADO PELA AÇÚCAR GUARANI S.A. BALANÇO BASE: 31 DE JANEIRO DE 2008 DADOS DA EMPRESA AVALIADORA 1. AMKS CONTADORES E CONSULTORES

Leia mais

A T I V O P A S S I V O DE RIBEIRÃO PRETO FINDO EM DE 2012. Títulos. Títulos PASSIVO ATIVO CIRCULANTE DISPONÍVEL. Realizável PATRIMÔNIO/CAPITAL

A T I V O P A S S I V O DE RIBEIRÃO PRETO FINDO EM DE 2012. Títulos. Títulos PASSIVO ATIVO CIRCULANTE DISPONÍVEL. Realizável PATRIMÔNIO/CAPITAL FIPASE CNPJ 04.755.519/ /0001-30 NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕESS CONTÁBEIS PARA O EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2012 FIPASE - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO DE 20122 A T I V O P A S

Leia mais

FUNDAÇÃO PADRE ANCHIETA CENTRO PAULISTA DE RÁDIO E TV EDUCATIVAS. Relatório dos auditores independentes

FUNDAÇÃO PADRE ANCHIETA CENTRO PAULISTA DE RÁDIO E TV EDUCATIVAS. Relatório dos auditores independentes FUNDAÇÃO PADRE ANCHIETA CENTRO PAULISTA DE RÁDIO E TV EDUCATIVAS Relatório dos auditores independentes Demonstrações contábeis Em 31 de dezembro de 2015 e 2014 AFMF/HHMC/LFCT/JSR 1447/16 Demonstrações

Leia mais

Brito Amoedo Imobiliária S/A. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes

Brito Amoedo Imobiliária S/A. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes Brito Amoedo Imobiliária S/A Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes Em 30 de Junho de 2007 e em 31 de Dezembro de 2006, 2005 e 2004 Parecer dos auditores independentes

Leia mais

Ativas Data Center S.A.

Ativas Data Center S.A. Ativas Data Center S.A. Demonstrações financeiras referentes ao exercício findo em 31 de dezembro de 2015 e Relatório dos Auditores Independentes Deloitte Brasil Auditores Independentes Ltda. Demonstrações

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE DOS EMPREGADOS DA COPASA COPASS SAÚDE

ASSOCIAÇÃO DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE DOS EMPREGADOS DA COPASA COPASS SAÚDE ASSOCIAÇÃO DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE DOS EMPREGADOS DA COPASA COPASS SAÚDE DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS REFERENTES AO EXERCÍCIO BASE DE 2012 ASSOCIAÇÃO DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE DOS EMPREGADOS DA COPASA COPASS SAÚDE

Leia mais

LFG MAPS. 2 - ( Prova: CESPE - 2012 - Polícia Federal - Agente da Polícia Federal / Contabilidade Geral / Contabilidade -

LFG MAPS. 2 - ( Prova: CESPE - 2012 - Polícia Federal - Agente da Polícia Federal / Contabilidade Geral / Contabilidade - Escrituração Contábil 05 questões Noções Gerais; Escrituração Contábil ) Considere os eventos de I a V listados abaixo. I aquisição de veículo à vista para uso na atividade operacional II baixa de bem

Leia mais

Balancete Sintético Plano/Empresa: Consolidado/Consolidado

Balancete Sintético Plano/Empresa: Consolidado/Consolidado 1 ATIVO 29.921.571,88 10.000.990,23-9.249.110,85 751.879,38 30.673.451,26 1.1 DISPONIVEL 3.786.238,93-3.785.758,69 480,24 480,24 1.1.1 IMEDIATO 3.786.238,93-3.785.758,69 480,24 480,24 1.1.1.1 BANCOS CONTA

Leia mais

Balancete Analítico (Valores em Reais)

Balancete Analítico (Valores em Reais) 00001 00001 10000000000 ATIVO 1.106.769,67 D 245.898,04 215.335,97 1.137.331,74 D 00011 10100000000 CIRCULANTE 392.022,31 D 245.898,04 209.507,10 428.413,25 D 00111 10101000000 DISPONIVEL 42.883,44 D 183.143,16

Leia mais

Relatório dos Auditores Independentes

Relatório dos Auditores Independentes Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações contábeis em 31 de dezembro de 2011 e 2010 JRS/NMT/ SAD Demonstrações contábeis em 31 de dezembro de 2011 e 2010 Conteúdo Relatório dos Auditores Independentes

Leia mais

Balancete Analítico (Valores em Reais)

Balancete Analítico (Valores em Reais) 00001 00001 10000000000 ATIVO 1.499.683,25 D 454.842,30 394.374,65 1.560.150,90 D 00011 10100000000 CIRCULANTE 801.240,58 D 454.842,30 388.436,85 867.646,03 D 00111 10101000000 DISPONIVEL 182.117,25 D

Leia mais

Demonstrações Financeiras. Federação Nacional das Apaes

Demonstrações Financeiras. Federação Nacional das Apaes Demonstrações Financeiras Federação Nacional das Apaes 31 de dezembro de 2012 e de 2011 FEDERAÇÃO NACIONAL DAS APAES - FENAPAES Demonstrações financeiras 31 de dezembro de 2012 e de 2011 Índice Relatório

Leia mais

Cooperativa de Crédito Rural com Interação Solidária de Porto Lucena Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2015 e relatório dos auditores

Cooperativa de Crédito Rural com Interação Solidária de Porto Lucena Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2015 e relatório dos auditores Cooperativa de Crédito Rural com Interação Solidária de Porto Lucena Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2015 e relatório dos auditores independentes Relatório dos auditores independentes sobre

Leia mais

Auditoria de Meio Ambiente da SAE/DS sobre CCSA

Auditoria de Meio Ambiente da SAE/DS sobre CCSA 1 / 8 1 OBJETIVO: Este procedimento visa sistematizar a realização de auditorias de Meio Ambiente por parte da SANTO ANTÔNIO ENERGIA SAE / Diretoria de Sustentabilidade DS, sobre as obras executadas no

Leia mais

BR Towers SPE1 S.A. Demonstrações financeiras em 30 de junho de 2013 e relatório dos auditores independentes

BR Towers SPE1 S.A. Demonstrações financeiras em 30 de junho de 2013 e relatório dos auditores independentes Demonstrações financeiras em 30 de junho de 2013 e relatório dos auditores independentes Demonstração do resultado Seis meses findos em 30 de junho de 2013 Exercício findo em 31 de dezembro de 2012

Leia mais

Lumina Resíduos Industriais S.A. Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2010

Lumina Resíduos Industriais S.A. Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2010 Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras em de 2010 Balanços patrimoniais Em milhares de reais Ativo Nota explicativa 31 de dezembro de 2010 31 de dezembro 1º de janeiro

Leia mais

TAG GR IV Fundo de Investimento Imobiliário - FII (Administrado pela Pentágono S.A. Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários)

TAG GR IV Fundo de Investimento Imobiliário - FII (Administrado pela Pentágono S.A. Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários) 1 Contexto operacional O TAG GR IV Fundo de Investimento Imobiliário - FII, cadastrado junto a Comissão de Valores Mobiliários sob o código (107-4) é um Fundo de Investimento Imobiliário, regido pelo seu

Leia mais

ANEXO DE RISCOS FISCAIS ENFOQUE NOS RISCOS ORÇAMENTÁRIOS

ANEXO DE RISCOS FISCAIS ENFOQUE NOS RISCOS ORÇAMENTÁRIOS ANEXO DE RISCOS FISCAIS ENFOQUE NOS RISCOS ORÇAMENTÁRIOS ANEXO DE RISCOS FISCAIS-PREVISÃO LEGAL O Anexo de Riscos Fiscais está previsto na LRF, em seu art. 4º, 3º, conforme transcrito a seguir: Art. 4º...

Leia mais

Minuta de Instrução Normativa

Minuta de Instrução Normativa Minuta de Instrução Normativa INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº [NÚMERO], DE Dispõe sobre o Plano Anual de Atividades de Auditoria Interna (Paint), os aspectos relativos aos trabalhos de auditoria e o Relatório Anual

Leia mais

DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS DOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011 E 2010

DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS DOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011 E 2010 CNPJ (MF) Nº 83.128.769/0001-17 Brusque - SC DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS DOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011 E 2010 Fevereiro/2012 1 BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO DE Valores expressos

Leia mais

Oficina Técnica. Adoção Inicial das Novas Normas Contábeis OUTUBRO 2012. Elaborado por: Elias da Silveira Cerqueira

Oficina Técnica. Adoção Inicial das Novas Normas Contábeis OUTUBRO 2012. Elaborado por: Elias da Silveira Cerqueira Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Tel. (11) 3824-5400, 3824-5433 (teleatendimento), fax (11) 3824-5487 Email: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva,

Leia mais

Companhia de Saneamento de Minas Gerais COPASA MG Demonstrações Financeiras em 31 de dezembro de 2011 e de 2010

Companhia de Saneamento de Minas Gerais COPASA MG Demonstrações Financeiras em 31 de dezembro de 2011 e de 2010 Relatório dos Auditores Independentes Sobre as Demonstrações Financeiras Aos Administradores e Acionistas da Companhia de Saneamento de Minas Gerais COPASA Examinamos as demonstrações financeiras individuais

Leia mais

CAPÍTULO XI FINANÇAS

CAPÍTULO XI FINANÇAS CAPÍTULO XI FINANÇAS A. INVESTIMENTO DOS FUNDOS DA ASSOCIAÇÃO As decisões referentes aos investimentos da associação deverão tomar como base as declarações sobre normas de investimentos para o Fundo Geral

Leia mais

PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES. Aos Sócios, Conselheiros e Diretores da INSTITUIÇÃO COMUNITÁRIA DE CRÉDITO BLUMENAU-SOLIDARIEDADE ICC BLUSOL

PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES. Aos Sócios, Conselheiros e Diretores da INSTITUIÇÃO COMUNITÁRIA DE CRÉDITO BLUMENAU-SOLIDARIEDADE ICC BLUSOL Auditores Independentes S/S PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES Aos Sócios, Conselheiros e Diretores da INSTITUIÇÃO COMUNITÁRIA DE CRÉDITO BLUMENAU-SOLIDARIEDADE ICC BLUSOL 1. Examinamos os balanços patrimoniais

Leia mais

MUTUA DE ASSISTENCIA DOS PROFISSIONAIS DA ENG ARQ AGRONOMIA - MUTUA - SEDE - BALANCETE Ref. janeiro/2014 30/4/2014 2:53 PM - Pg.

MUTUA DE ASSISTENCIA DOS PROFISSIONAIS DA ENG ARQ AGRONOMIA - MUTUA - SEDE - BALANCETE Ref. janeiro/2014 30/4/2014 2:53 PM - Pg. MUTUA DE ASSISTENCIA DOS PROFISSIONAIS DA ENG ARQ AGRONOMIA - MUTUA - SEDE - BALANCETE Ref. janeiro/2014 30/4/2014 2:53 PM - Pg.: 1 1 1 ATIVO 5.942.395,03 657.809,46 620.924,68 5.979.279,81 1.1 2158 ATIVO

Leia mais

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE TAEKWONDO

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE TAEKWONDO CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE TAEKWONDO DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2014 e 2013 14 RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Aos Administradores da Confederação

Leia mais

MODELO DE DECLARAÇÃO DE RECEITAS E DESPESAS

MODELO DE DECLARAÇÃO DE RECEITAS E DESPESAS APÊNDICE 2 MODELO DE DECLARAÇÃO DE RECEITAS E DESPESAS (nota de primeira página) Projecto n :... Título do projecto:...... Nome completo do Beneficiário:... Morada:...... Formulário financeiro apresentado

Leia mais

02. (FCC MPE-RN/2012). A receita extraorçamentária em 31.12.2011, em reais, era: (A) 50.000,00 (B) 60.000,00 (C) 100.000,00

02. (FCC MPE-RN/2012). A receita extraorçamentária em 31.12.2011, em reais, era: (A) 50.000,00 (B) 60.000,00 (C) 100.000,00 SEMANA 10 - Despesa Pública: Dispêndios orçamentários (Despesa orçamentária) e Extra- Orçamentários; 01. (ESTILO-ESAF/2012) Os dispêndios públicos podem ser de natureza orçamentária ou extraorçamentária.

Leia mais

08 BALANÇO & CONTAS. em 31 Dezembro 2008

08 BALANÇO & CONTAS. em 31 Dezembro 2008 08 BALANÇO & CONTAS em 31 Dezembro 2008 BALANÇO CÓDIGO DAS CONTAS ACTIVO Activo Bruto 2008 Amortizações e Ajustamentos Activo Líquido 2007 Activo Líquido IMOBILIZADO Imobilizações incorpóreas: 431 Despesas

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL DOS PERÍODOS FINDOS EM 30 DE JUNHO (em milhares de reais)

BALANÇO PATRIMONIAL DOS PERÍODOS FINDOS EM 30 DE JUNHO (em milhares de reais) CIRCULANTE BALANÇO PATRIMONIAL DOS PERÍODOS FINDOS EM 30 DE JUNHO (em milhares de reais) ATIVO CONSOLIDADO 2008 2007 2008 2007 Numerário disponível 1.265 2.072 5.915 6.418 Aplicações no mercado aberto

Leia mais

Demonstrações Contábeis

Demonstrações Contábeis Demonstrações Contábeis Banco do Nordeste Fundo Mútuo de Privatização - FGTS Petrobras (Administrado pelo Banco do Nordeste do Brasil S.A. - CNPJ: 07.237.373/0001-20) com Relatório dos Auditores Independentes

Leia mais

DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS DOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 E 2009

DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS DOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 E 2009 FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE BRUSQUE - FEBE CNPJ (MF) Nº 83.128.769/0001-17 Brusque - SC DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS DOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 E 2009 Fevereiro/2011 1 FUNDAÇÃO EDUCACIONAL

Leia mais

FUNDAÇÃO INSTITUTO DE PESQUISAS CONTÁBEIS, ATUARIAIS E FINANCEIRAS - FIPECAFI

FUNDAÇÃO INSTITUTO DE PESQUISAS CONTÁBEIS, ATUARIAIS E FINANCEIRAS - FIPECAFI FUNDAÇÃO INSTITUTO DE PESQUISAS CONTÁBEIS, ATUARIAIS E FINANCEIRAS - FIPECAFI DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013 E 2012 Demonstrações contábeis em 31 de dezembro de 2013 e 2012 Conteúdo

Leia mais

Congresso de Secretários de Finanças, Contadores e

Congresso de Secretários de Finanças, Contadores e Congresso de Secretários de Finanças, Contadores e Controladores Internos SISTEMAS DE CUSTOS APLICADO AO SETOR PÚBLICO Paulo César Flores Contador, MBA em Controladoria, Especialista em Contabilidade,

Leia mais

a) Notas explicativas às demonstrações contábeis 1 Constituição, objetivo social e contexto operacional

a) Notas explicativas às demonstrações contábeis 1 Constituição, objetivo social e contexto operacional a) Notas explicativas às demonstrações contábeis 1 Constituição, objetivo social e contexto operacional O Conselho Regional de Administração de São Paulo, vinculado ao Conselho Federal de Administração,

Leia mais

PORTARIA Nº 72, DE 01 DE FEVEREIRO DE 2012

PORTARIA Nº 72, DE 01 DE FEVEREIRO DE 2012 REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 15 de Novembro de 1889 PORTARIA Nº 72, DE 01 DE FEVEREIRO DE 2012 Estabelece normas gerais de consolidação das contas dos consórcios públicos a serem observadas na gestão

Leia mais

DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2004 E 2003 CENTRAIS DE ABASTECIMENTO DE CAMPINAS S.A. CEASA

DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2004 E 2003 CENTRAIS DE ABASTECIMENTO DE CAMPINAS S.A. CEASA DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2004 E 2003 CENTRAIS DE ABASTECIMENTO DE CAMPINAS S.A. CEASA CENTRAIS DE ABASTECIMENTO DE CAMPINAS S.A. CEASA DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2004

Leia mais

Demonstrações Contábeis referente ao exercício findo em 31 de Dezembro de 2005 e Parecer dos Auditores Independentes

Demonstrações Contábeis referente ao exercício findo em 31 de Dezembro de 2005 e Parecer dos Auditores Independentes CENTRO ESPÍRITA NOSSO LAR CASAS ANDRÉ LUIZ CNPJ 62.220.637/0001-40 RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores membros do Conselho Deliberativo e do Conselho Fiscal: o Conselho Diretor submete à apreciação de

Leia mais

Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2014 e 2013

Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2014 e 2013 KPDS 111081 Conteúdo Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras 3 Balanços patrimoniais 5 Demonstrações de resultados (sobras e perdas) 6 Demonstrações de resultados abrangentes

Leia mais

Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2014 e de 2013

Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2014 e de 2013 (Companhia em fase pré-operacional) KPDS 113063 Conteúdo Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras 3 Balanços patrimoniais 5 Demonstração de resultado 6 Demonstração do resultado

Leia mais

DECRETO N 1801/2012 DECRETA:

DECRETO N 1801/2012 DECRETA: DECRETO N 1801/2012 SÚMULA:- Dispõe sobre a divulgação do Cronograma de Procedimentos Contabeis Patrimoniais e Especificos adotados e a adotar até 2014 do Município de Porto Rico. Eu, EVARISTO GHIZONI

Leia mais

RELAÇÃO DOS PONTOS DE CONTROLE COM AS TABELAS DE BD

RELAÇÃO DOS PONTOS DE CONTROLE COM AS TABELAS DE BD RELAÇÃO DOS PONTOS DE CONTROLE COM AS TABELAS DE BD Ponto de Controle Dados necessários Tabela Lógica de negócio 01. Remessa de Informações ao TC (RGF e RREO) 02. Publicação - Relatório Resumido de Execução

Leia mais

NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE APLICADAS AO SETOR PÚBLICOP AGOSTO 2009

NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE APLICADAS AO SETOR PÚBLICOP AGOSTO 2009 Seminário NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE APLICADAS AO SETOR PÚBLICOP AGOSTO 2009 MUDANÇAS AS E DESAFIOS PARA A CONTABILIDADE PÚBLICA P NO BRASIL Lino Martins da Silva Prof. Associado do Programa de

Leia mais

Prefeitura Municipal de Votorantim

Prefeitura Municipal de Votorantim PROJETO DE LEI ORDINÁRIA N.º 013/2016 PROJETO DE LEI ORDINÁRIA N.º 006/2016 Dispõe sobre as Diretrizes Orçamentárias para o exercício de 2017 e dá outras providências. ERINALDO ALVES DA SILVA, PREFEITO

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31/12/2014

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31/12/2014 Pag.: 357 NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31/12/2014 I. CONTEXTO OPERACIONAL: NOTA 01 A Fundação Síndrome de Down, CNPJ 52.366.838/0001-05, é pessoa jurídica de direito privado, sem fins

Leia mais

Demonstrações Contábeis em 31 de Dezembro de 2012 Acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes

Demonstrações Contábeis em 31 de Dezembro de 2012 Acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes Demonstrações Contábeis em 31 de Dezembro de 2012 Acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes FUNDAÇÃO DE ENSINO E PESQUISA DE UBERABA - FUNEPU CNPJ 20.054.326/0001-09 BALANÇO PATRIMONIAL PARA

Leia mais

Balanço Social Anual das Cooperativas

Balanço Social Anual das Cooperativas Balanço Social Anual das Cooperativas 1 Identificação Nome da cooperativa: UNIMED CASCAVEL Saúde CNPJ: 81170003000175 Tempo de existencia: 25 anos Responsável pelo preenchimento: Claudionei Cezario Atuação

Leia mais

Adoção das normas internacionais de contabilidade Diretoria de Finanças, Relações com Investidores e Controle Financeiro de Participações - DFN Superintendência de Controladoria CR 1 Convergência A convergência

Leia mais

Associação Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada IMPA-OS

Associação Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada IMPA-OS Associação Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada IMPA-OS Demonstrações Financeiras em 31 de dezembro de 2003 e Parecer dos Auditores Independentes Parecer dos Auditores Independentes 29 de janeiro

Leia mais

Demonstrações Financeiras UPCON SPE 17 Empreendimentos Imobiliários S.A.

Demonstrações Financeiras UPCON SPE 17 Empreendimentos Imobiliários S.A. Demonstrações Financeiras UPCON SPE 17 Empreendimentos Imobiliários S.A. 31 de dezembro de 2014 com o relatório dos auditores independentes Demonstrações financeiras Índice Relatório dos auditores independentes

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE AMIGOS DO JARDIM BOTÂNICO DO RIO DE JANEIRO

ASSOCIAÇÃO DE AMIGOS DO JARDIM BOTÂNICO DO RIO DE JANEIRO ASSOCIAÇÃO DE AMIGOS DO JARDIM BOTÂNICO DO RIO DE JANEIRO DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2014 E 2013 ASSOCIAÇÃO DE AMIGOS DO JARDIM BOTÂNICO DO RIO DE JANEIRO Demonstrações Contábeis Em 31

Leia mais

Austral Resseguradora S.A. 30 de junho de 2011 com Relatório dos Auditores Independentes sobre as. Demonstrações Financeiras Intermediárias

Austral Resseguradora S.A. 30 de junho de 2011 com Relatório dos Auditores Independentes sobre as. Demonstrações Financeiras Intermediárias Demonstrações Financeiras Intermediárias Austral Resseguradora S.A. com Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras Intermediárias Demonstrações financeiras Intermediárias

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 02118-0 BRASIL BROKERS PARTICIPAÇÕES S.A. 08.613.550/0001-98 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 02118-0 BRASIL BROKERS PARTICIPAÇÕES S.A. 08.613.550/0001-98 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF DFP - DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS PADRONIZADAS EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Data-Base - 31/12/27 O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES

Leia mais

Divulgação de Resultados 1T16

Divulgação de Resultados 1T16 São Paulo - SP, 29 de Abril de 2016. A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private equity

Leia mais

FUNDO DE GARANTIA DA BOLSA DE VALORES DE SÃO PAULO

FUNDO DE GARANTIA DA BOLSA DE VALORES DE SÃO PAULO FUNDO DE GARANTIA DA BOLSA DE VALORES DE SÃO PAULO DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS REFERENTES AOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2005 E 2004 E PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES A BDO International é

Leia mais

RELATÓRIO SOBRE A GESTÃO DE RISCOS BANCO ABN AMRO S.A. Setembro de 2013

RELATÓRIO SOBRE A GESTÃO DE RISCOS BANCO ABN AMRO S.A. Setembro de 2013 RELATÓRIO SOBRE A GESTÃO DE RISCOS BANCO ABN AMRO S.A. Setembro de 2013 SP Rua Leopoldo Couto de Magalhães Júnior, 700, 4º andar Itaim Bibi São Paulo SP CEP: 04542000 Tel: (11) 30737400 Fax: (11) 30737404

Leia mais

ANÁLISE FINANCEIRA E DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS 2012 ---

ANÁLISE FINANCEIRA E DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS 2012 --- ANÁLISE FINANCEIRA E DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS 2012 --- SUMÁRIO Análise Financeira 04 Resumo Econômico-Financeiro 06 Resultados s 07 Resultado por Área de Negócio 08 Demonstração do Valor Adicionado 08 Liquidez

Leia mais

Avaliação de Empresas Profa. Patricia Maria Bortolon

Avaliação de Empresas Profa. Patricia Maria Bortolon Avaliação de Empresas EVA E MVA Aula 11 EVA Indica a quantia em termos monetários que foi adicionada à riqueza efetiva do acionista em determinado período Diferente do lucro contábil, pois considera o

Leia mais

Minuta Circular Normativa

Minuta Circular Normativa Minuta Circular Normativa 1. INTRODUÇÃO 1.1. Objetivo a) Estabelecer princípios e diretrizes para orientar as ações de natureza socioambiental nos negócios da Desenbahia e no seu relacionamento com clientes

Leia mais

PARECER DE AUDITORIA

PARECER DE AUDITORIA PARECER DE AUDITORIA Aos Diretores da COOPERATIVA DE ECONOMIA E CRÉDITO MÚTUO DOS CORRETORES DE SEGUROS DE BELO HORIZONTE E REGIÃO METROPOLITANA LTDA CREDICORSEGS 1. Examinamos o balanço patrimonial da

Leia mais

Regulamento básico: finanças e controladoria

Regulamento básico: finanças e controladoria Regulamento básico: finanças e controladoria Diretoria de Administração e Planejamento Abril de 2002 Este regulamento estabelece as diretrizes a serem adotadas pela RNP na gestão de seus recursos financeiros,

Leia mais

Balancete Analítico (Valores em Reais)

Balancete Analítico (Valores em Reais) 00091 10000 100000000000000 ATIVO 61.699,81 3.136.676,97 3.110.334,63 88.042,15 11000 110000000000000 ATIVO CIRCULANTE 13.747,73 3.132.551,23 3.110.334,63 35.964,33 11100 110100000000000 DISPONIVEL 258,00

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS EM CARGOS NA CÂMARA MUNICIPAL DE PAULO FRONTIN/PR CADERNO DE PROVA CONTADOR

CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS EM CARGOS NA CÂMARA MUNICIPAL DE PAULO FRONTIN/PR CADERNO DE PROVA CONTADOR CADERNO DE PROVA CONTADOR Nº. DE INSCRIÇÃO DO(A) CANDIDATO(A) Domingo, 03 de junho de 2012. N.º DE INSCRIÇÃO DO(A) CANDIDATO(A) 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28

Leia mais

O CONGRESSO NACIONAL decreta: CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

O CONGRESSO NACIONAL decreta: CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Institui o Estatuto da Metrópole, altera a Lei nº 10.257, de 10 de julho de 2001, e dá outras providências. O CONGRESSO NACIONAL decreta: CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º Esta Lei, denominada

Leia mais