Objectivos de Desenvolvimento do Milénio

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Objectivos de Desenvolvimento do Milénio"

Transcrição

1 República de Moçambique Objectivos de Desenvolvimento do Milénio Ponto de Situação, Progressos e Metas Conferência Cumprir Bissau Desafios e Contribuições da CPLP para o cumprimento dos ODMS 5 de Junho de

2 Objectivos de Desenvolvimento do Milénio (ODMs) Abordagem em Moçambique (1) ODM, NEPAD, Agenda 2025, PARPA e Plano Quinquenal articulação estabelecida em torno da erradicação da pobreza Global Curto a M é dio Prazo Mé dio a Longo Prazo Objectivos de Desenvolvimento do Milénio Muito Longo Prazo Iniciativas complementares : objectivos, tempo e espaço Continental N E P A D N PARPA II : articulado com Programa Quinquenal alinhado com ODM A C I O N A L I PARPA Agenda 2025 II Programa Quinquenal

3 Objectivos de Desenvolvimento do Milénio (ODMs) Abordagem em Moçambique (2) ODMs como instrumento de monitoria do Desenvolvimento Humano: Relatórios Sobre os Objectivos de Desenvolvimento do Milénio (2002, 2005); Relatório Nacional de Desenvolvimento Humano (2005); Balanço do Plano Económico e Social (BdPES) anual; Observatórios de Desenvolvimento (central, provincial); Melhorar o sistema de planificação, monitoria e avaliação ao nível nacional e territorial (indicadores, metas) 3

4 ODM1: Erradicar a Pobreza e a Fome Ponto de Situação, Progressos e Metas (1) Taxa crescimento do PIB (%) 1997: 11,1% 2007: 7,3% PARPA 2009: 7,0%) População abaixo da Linha de pobreza (% do total) 1997: 69,4% 2003: 54,3% PARPA 2009: 45,0%) 2015: 44,0% PIB Percapita (USD) 1997: 217,0 2007: 387,0 4

5 ODM1: Erradicar a Pobreza e a Fome Ponto de Situação, Progressos e Metas (2) Contudo, apesar dos avanços significativos verificados nas diferentes áreas, continuam enormes os desafios para reduzir a pobreza absoluta, a fome e o fomento do crescimento económico rápido sustentável e abrangente, considerado um aspecto intrínseco ligado a este ODM1 a todos outros ODMs. Há, ainda necessidade de reflectir sobre a abordagem do crescimento económico alcançado e seu impacto na redução da pobreza, incluindo análises sobre as desigualdades no meio rural e urbano e a questão do aumento da pobreza urbana; Sobre a taxa de prevalência do baixo peso em menores de cinco anos e os níveis de malnutrição, nota-se que estes indicadores experimentaram uma redução em média de 1,2% por ano, principalmente nas zonas rurais, contudo, ainda é difícil estabelecer a verdadeira posição com os dados disponíveis 5

6 ODM2: Atingir a Escolarização Primária Universal Ponto de Situação, Progressos e Metas (1) Taxa líquida de escolarização no ensino primário (ambos os sexos) EP1+EP2 1990/4: 44,7% 2007: 95,1% Alunos que atingem a 5ª classe 1990/4: 32,9% 2000/6: 51,9% Taxa de Alfabetização (15-24anos) 1990/4: 48,8% 2003: 58,1% 6

7 ODM2: Atingir a Escolarização Primária Universal Ponto de Situação, Progressos e Metas (2) Algumas intervenções em curso: Universalizar e melhorar o ensino primário: desenvolvido um amplo programa de construção acelerada de infraestruturas escolares para o ensino básico (salas de aulas, residências dos professores, latrinas melhoradas etc.); Melhoria da Qualidade do Ensino: implementação do novo currículo do Ensino Básico em todas as classes e introdução do currículo de alfabetização e pós-alfabetização, distribuição gratuita do livro escolar; formação de professores; continuidade à implementação do ensino bilingue e de múltiplas classes no ensino primário; Alfabetização e Educação de Adultos: expansão dos programas de alfabetização funcional, educação de adultos e educação não formal, com enfoque para a mulher e a rapariga; 7

8 ODM2: Atingir a Escolarização Primária Universal Ponto de Situação, Progressos e Metas (3) Embora, as taxas apresentadas apontem para uma evolução positiva para este ODM2, para se atingir a meta em 2015, serão ainda necessários grandes investimentos em recursos humanos e financeiros substanciais no sistema. Ex: ao longo do período, a expansão da rede escolar não acompanhou o aumento do número de alunos; o número de professores não aumentou proporcionalmente (nº médio de alunos por professor do EP1 é em média 70); Há necessidade de reflectir sobre os esforços de expansão do acesso sobre a melhoria da qualidade do ensino (habilidade do alunos, serviços disponibilizados, formação de professores, currículo escolar, etc.) 8

9 ODM2: Atingir a Escolarização Primária Universal Alguns Desafios (4) Cobertura escolar insuficiente: Via construção acelerada de infraestruturas escolares (baixo custo) para a expandir a rede escolar do EP1 e especialmente a EP2 nas zonas rurais desfavorecidas; Falta de professores qualificados: necessidade de se aumentar o número e a qualidade dos professores através de formação no trabalho (inicial e contínua) e da introdução dos novos modelos de formação de professores (novo Plano Curricular e programas de Formação de Professores); Implementação do Currículo: aspecto agravado pela formação ineficiente do professores, também relativamente ao novo currículo, focalizar o a implantação do currículo local; Envolvimento familiar e comunitário na educação: importante em geral e em particular para garantir que as raparigas, os orfãos e crianças vulneráveis, bem como as crianças com necessidades de atenção especial; ainda noutros domínios tal como o envolvimento na gestão escolar (conselhos escolares) 9

10 ODM3: Promover a Igualdade de Género Ponto de Situação, Progressos e Metas (1) Rácio de raparigas/rapazes matriculados no Ensino Primário 1997: 0,8 2007: 0,9 Rácio de raparigas/rapazes matriculados no Ensino Secundário 1990/4: 0,6 2007: 0,7 Rácio de raparigas/rapazes matriculados no Ensino Superior 1995/9: 0,7 2007: 0,5 Proporção de assentos ocupados por mulheres no Parlamento /4: 16,0% 2007: 37,6%

11 ODM3: Promover a Igualdade de Género Ponto de Situação, Progressos e Metas (2) Algumas intervenções em curso: com o objectivo de aumentar o ingresso da rapariga na escola na idade certa para o fazer (6/7 anos) e a sua manutenção na escola, particularmente ao nível do ensino primário, foram realizadas várias acções de sensibilização das comunidades, especialmente os distritos do país com mais baixa percentagem de meninas a frequentar a escola primária. Foram também sensibilizadas todas as DPECs sobre a necessidade de prestarem mais atenção aos assuntos do género. 11

12 ODM3: Promover a Igualdade de Género Ponto de Situação, Progressos e Metas (2) Concluir que, de acordo com esta tendência a meta de se atingir a paridade de género ao nível da educação (EP1) provavelmente será alcançada antes do Contudo, atenção especial deve ser dada a continuidade de acções de sensibilização às raparigas e na redução dos desequilíbrios de género aos diferentes níveis em especial as metas referentes ao ensino primário (com enfoque para os distritos que apresentam percentagem abaixo de 45% de presença da rapariga no ensino básico) do segundo grau (EP2) e ao ensino secundário (ESG). 12

13 Para Acelerar o alcance dos ODM s em Moçambique (1) Implementação da política macroeconómica e social tendo em conta a evolução da região e do contexto internacional para a promoção bem-estar da população moçambicana e do desenvolvimento económico; Expansão e melhoria da qualidade dos serviços (saúde, educação, água e saneamento); Realização de um conjunto de análises e estudos ligados a pobreza, determinantes para a definição de políticas e programas para o combate a pobreza, baseados nos resultados do último censo populacional (realizado em Agosto 2007); 13

14 Para Acelerar o alcance dos ODM s em Moçambique (2) Continuar com as acções de integração dos assuntos transversais (HIV/SIDA, género, ambiente, segurança alimentar) nos planos e programas ao diferentes níveis; Monitoria de impacto da pobreza: Relatório de Avaliação de Impacto (RAI) do PARPA II ( ) e IAF2009; Consolidação do Sistema estatístico versus sistema de planificação, M&A; Fortalecimento dos mecanismos de parceria e de participação de todos actores-chave de desenvolvimento (parceiros da Sociedade Civil e de Cooperação Internacional); 14

15 República de Moçambique Muito Obrigado Pela Atenção! Conferência Cumprir Bissau Desafios e contribuições da CPLP para o cumprimento dos ODMS 5 Junho

Apresentação de Angola na XII Reunião dos Ministros do Trabalho e dos Assuntos Sociais Os Desafios na Protecção Social para alcançar a Segurança

Apresentação de Angola na XII Reunião dos Ministros do Trabalho e dos Assuntos Sociais Os Desafios na Protecção Social para alcançar a Segurança Apresentação de Angola na XII Reunião dos Ministros do Trabalho e dos Assuntos Sociais Os Desafios na Protecção Social para alcançar a Segurança Alimentar e Nutricional Maputo, 25 de Abril de 2013 Constituição

Leia mais

Políticas Pública de Redução da Pobreza

Políticas Pública de Redução da Pobreza Políticas Pública de Redução da Pobreza Ministério da Planificação e Desenvolvimento Direcção Nacional de Planificação Por: Cristina Matusse (Técnica de Planificação) Maputo, 16 de Abril de 2009 Estrutura

Leia mais

Perfil de EPT da Guiné Bissau

Perfil de EPT da Guiné Bissau Perfil de EPT da Guiné Bissau Situação global de Eucação para Todos (EPT) O grupo populacional em idade de ingresso no ensino primário está a crescer a um ritmo razoável de 1,4%, encontrando-se geralmente

Leia mais

Apoio Internacional ao Plano Nacional de Investimento do Sector Agrário (PNISA) e Nutrição. Junho de Matthew Brooke, Delegação da UE, Moçambique

Apoio Internacional ao Plano Nacional de Investimento do Sector Agrário (PNISA) e Nutrição. Junho de Matthew Brooke, Delegação da UE, Moçambique Apoio Internacional ao Plano Nacional de Investimento do Sector Agrário (PNISA) e Nutrição Junho de 2013 Matthew Brooke, Delegação da UE, Moçambique 1 Breve Historial Mais de 70%vivem da agricultura Pequenos

Leia mais

Objetivos de Desenvolvimento do Milénio

Objetivos de Desenvolvimento do Milénio Direito a Não Viver na Objetivos de Desenvolvimento do Milénio Federal Ministry for Foreign Affairs of Austria 8 Objetivos de Desenvolvimento do Milénio com diversas metas a ser atingidas. Adoptados pela

Leia mais

Percentagem de escolas que são gratuitas, desagregadas por ano (*)

Percentagem de escolas que são gratuitas, desagregadas por ano (*) Indicadores globais propostos Objetivo 4. Garantir uma educação inclusiva e equitativa de qualidade e promover as oportunidades de aprendizagem contínua para todos Estas recomendações são feitas em conjunto

Leia mais

Matriz estratégica do PEE

Matriz estratégica do PEE MEC02-000 MEC02-001 MEC02-002 MEC02-003 Matriz estratégica do PEE Ensino (Pré-) Primário MEC02 Ensino Primário Objectivo Geral Assegurar que todas as crianças tenham oportunidade de concluir uma educação

Leia mais

PROGRAMA DE ACÇÃO SAÚDE. - Advocacia junto ao Ministério da Saúde para criação de mais centros de testagem voluntária.

PROGRAMA DE ACÇÃO SAÚDE. - Advocacia junto ao Ministério da Saúde para criação de mais centros de testagem voluntária. PROGRAMA DE ACÇÃO A diversidade e complexidade dos assuntos integrados no programa de acção da OMA permitirá obter soluções eficazes nos cuidados primários de saúde, particularmente na saúde reprodutiva

Leia mais

Estratégias de Melhoria da Gestão Escolar em Moçambique TANZÂNIA

Estratégias de Melhoria da Gestão Escolar em Moçambique TANZÂNIA REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CULTURA Estratégias de Melhoria da Gestão Escolar em Moçambique TANZÂNIA C A B O N I A S S A D E L G A D O ZÂMBIA Lichinga Pemba T E T E MALAWI N A M P

Leia mais

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA PLANIFICAÇÃO E DESENVOLVIMENTO

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA PLANIFICAÇÃO E DESENVOLVIMENTO REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA PLANIFICAÇÃO E DESENVOLVIMENTO REUNIÃO FINAL DO PROCESSO DE PLANIFICAÇÃO DO QUADRO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO PARA 2012 Intervenção de Sua Excelência, Aiuba Cuereneia

Leia mais

Guiné-Bissau Perfil do país EPT 2014

Guiné-Bissau Perfil do país EPT 2014 Guiné-Bissau Perfil do país EPT 4 Contexto geral País lusófono do oeste africano com mais de,6 milhões de habitantes em, Guiné-Bissau sofre há já vários anos de uma forte instabilidade política. A sua

Leia mais

AGENDA PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

AGENDA PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL AGENDA PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Além de integrar a missão e visão da FACISC, o Desenvolvimento Sustentável passa agora a ser uma de nossas Diretrizes de atuação. Desta forma, propondo a ampliação

Leia mais

É um projeto da sociedade, uma Política Pública de Qualidade (PPQ), focada na escola, na promoção e no acompanhamento do ensino e da aprendizagem.

É um projeto da sociedade, uma Política Pública de Qualidade (PPQ), focada na escola, na promoção e no acompanhamento do ensino e da aprendizagem. É um projeto da sociedade, uma Política Pública de Qualidade (PPQ), focada na escola, na promoção e no acompanhamento do ensino e da aprendizagem. Está pautada no compromisso, no diálogo, no planejamento

Leia mais

Quarta Avaliação Nacional da Pobreza e Bem-Estar em Moçambique,

Quarta Avaliação Nacional da Pobreza e Bem-Estar em Moçambique, Quarta Avaliação Nacional da Pobreza e Bem-Estar em Moçambique, 2014-15 Ministério da Economia e Finanças Outubro 2016 Introdução O PARP 2011 2014 estabelece que A avaliação do PARP 2011 2014 [ ] será

Leia mais

DESAFIOS E CONTRIBUIÇÃO DA CPLP PARA O CUMPRIMENTO DOS ODM s

DESAFIOS E CONTRIBUIÇÃO DA CPLP PARA O CUMPRIMENTO DOS ODM s DESAFIOS E CONTRIBUIÇÃO DA CPLP PARA O CUMPRIMENTO DOS ODM s Lisboa, 5 de Junho de 2008 Introdução A pobreza extrema em que vivem milhões de crianças, idosos, mulheres e homens na maior parte do mundo,

Leia mais

A ORGANIZAÇÃO DE ESTADOS IBERO- AMERICANOS PARA A EDUCAÇÃO, A CIÊNCIA E A CULTURA E A EDUCAÇÃO AO LONGO DA VIDA

A ORGANIZAÇÃO DE ESTADOS IBERO- AMERICANOS PARA A EDUCAÇÃO, A CIÊNCIA E A CULTURA E A EDUCAÇÃO AO LONGO DA VIDA A ORGANIZAÇÃO DE ESTADOS IBERO- AMERICANOS PARA A EDUCAÇÃO, A CIÊNCIA E A CULTURA E A EDUCAÇÃO AO LONGO DA VIDA Seminário Política Brasileira de Educação ao Longo da Vida. Porto Seguro, 16 a 18 de setembro

Leia mais

República de Moçambique Ministério da Educação e Cultura INSTITUTO NACIONAL DO DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO

República de Moçambique Ministério da Educação e Cultura INSTITUTO NACIONAL DO DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO República de Moçambique Ministério da Educação e Cultura INSTITUTO NACIONAL DO DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO Síntese Final do I Fórum Nacional de Consulta sobre a Transformação Curricular do Ensino Secundário

Leia mais

Mortalidade Infantil E Populações tradicionais. Objetivos de Desenvolvimento Sustentável

Mortalidade Infantil E Populações tradicionais. Objetivos de Desenvolvimento Sustentável Mortalidade Infantil E Populações tradicionais Objetivos de Desenvolvimento Sustentável OS ODM s Muito a celebrar... O Brasil alcançou a meta relacionada à mortalidade infantil. Mas com muita desigualdades

Leia mais

Coordenação-Geral da Política de Alimentação e Nutrição Ministério da Saúde

Coordenação-Geral da Política de Alimentação e Nutrição Ministério da Saúde Situação Alimentar e Nutricional no Brasil e no Mundo - O rápido declínio da desnutrição infantil no Brasil e o papel das políticas públicas na redução das desigualdades Coordenação-Geral da Política de

Leia mais

A SITUAÇÃO SOBRE OS CASAMENTOS PREMATUROS EM MOÇAMBIQUE E A LEGISLAÇÃO RELACIONADA. Maputo, Dezembro de 2015

A SITUAÇÃO SOBRE OS CASAMENTOS PREMATUROS EM MOÇAMBIQUE E A LEGISLAÇÃO RELACIONADA. Maputo, Dezembro de 2015 MINISTÉRIO DO GÉNERO, CRIANÇA E ACÇÃO SOCIAL A SITUAÇÃO SOBRE OS CASAMENTOS PREMATUROS EM MOÇAMBIQUE E A LEGISLAÇÃO RELACIONADA Maputo, Dezembro de 2015 ESTRUTURA DA APRESENTAÇÃO 1. Introdução; 2. Situação

Leia mais

Desenvolvimento Industrial em. Moçambique. African Iron&Steel Conference, de 23 de Juhno de 2015, Hotel Avenida, Maputo, Moçambique

Desenvolvimento Industrial em. Moçambique. African Iron&Steel Conference, de 23 de Juhno de 2015, Hotel Avenida, Maputo, Moçambique República de Moçambique African Iron&Steel Conference, de 23 de Juhno de 2015, Hotel Avenida, Maputo, Moçambique Direcção Nacional da Industria Desenvolvimento Industrial em Moçambique Eng. Mateus Matusse

Leia mais

PROPOSTA DE PILARES PARA O PRÓXIMO PROGRAMA DE APOIO AS POLÍTICAS (PSI) APRESENTAÇÃO AO SEMINÁRIO DE AVALIAÇÃO DOS PROGRAMAS DO FMI E PERSPECTIVAS

PROPOSTA DE PILARES PARA O PRÓXIMO PROGRAMA DE APOIO AS POLÍTICAS (PSI) APRESENTAÇÃO AO SEMINÁRIO DE AVALIAÇÃO DOS PROGRAMAS DO FMI E PERSPECTIVAS PROPOSTA DE PILARES PARA O PRÓXIMO PROGRAMA DE APOIO AS POLÍTICAS (PSI) APRESENTAÇÃO AO SEMINÁRIO DE AVALIAÇÃO DOS PROGRAMAS DO FMI E PERSPECTIVAS MAPUTO, 11 DE MARÇO DE 2013 ESTRUTURA DA APRESENTAÇÃO

Leia mais

CAADP Moçambique. Até onde o processo avançou com o PNISA. Seminário sobre Crescimento e Transformação do Sector Agrário

CAADP Moçambique. Até onde o processo avançou com o PNISA. Seminário sobre Crescimento e Transformação do Sector Agrário CAADP Moçambique Até onde o processo avançou com o PNISA Seminário sobre Crescimento e Transformação do Sector Agrário Maputo, 09 de Dezembro de 2013 CAADP em Moçambique Estrutura I. Enquadramento/CAADP

Leia mais

A Agenda de Desenvolvimento pós-2015 e os desafios para os Governos Locais. Belo Horizonte 26 de Agosto de 2015

A Agenda de Desenvolvimento pós-2015 e os desafios para os Governos Locais. Belo Horizonte 26 de Agosto de 2015 A Agenda de Desenvolvimento pós-2015 e os desafios para os Governos Locais Belo Horizonte 26 de Agosto de 2015 Os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) Em 2000, durante a Cúpula do Milênio, líderes

Leia mais

V CONFERÊNCIA DOS CHEFES DE ESTADO E DE GOVERNO DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA São Tomé, 26 e 27 de Julho de 2004

V CONFERÊNCIA DOS CHEFES DE ESTADO E DE GOVERNO DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA São Tomé, 26 e 27 de Julho de 2004 V CONFERÊNCIA DOS CHEFES DE ESTADO E DE GOVERNO DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA São Tomé, 26 e 27 de Julho de 2004 ACORDO DE COOPERAÇÃO ENTRE OS ESTADOS MEMBROS DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE

Leia mais

REUNIÃO ANUAL DE REFLEXÃO MONITORIA VIRADA PARA RESULTADOS

REUNIÃO ANUAL DE REFLEXÃO MONITORIA VIRADA PARA RESULTADOS REUNIÃO ANUAL DE REFLEXÃO MONITORIA VIRADA PARA RESULTADOS Tópicos Chuva de ideias; Contextualização; Conceptualização (monitoria e avaliação); Monitoria virada para resultados vs monitoria tradicional

Leia mais

Seminário Nacional sobre a Avaliação do Programa do FIDA em Moçambique nos últimos 10 anos

Seminário Nacional sobre a Avaliação do Programa do FIDA em Moçambique nos últimos 10 anos REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA PLANIFICAÇÃO E DESENVOLVIMENTO Seminário Nacional sobre a Avaliação do Programa do FIDA em Moçambique nos últimos 10 anos Discurso de Abertura de Sua Excelência o

Leia mais

Angola Perfil do país EPT 2014

Angola Perfil do país EPT 2014 Perfil do país EPT 4 Contexto geral A República de é um país da África austral com,5 milhão de km² e,8 milhões de habitantes. Pela sua extensão, é o segundo país lusófono, após o Brasil, e pela sua população,

Leia mais

Plano Estratégico de Promoção de Investimento Privado em Moçambique (PEPIP )

Plano Estratégico de Promoção de Investimento Privado em Moçambique (PEPIP ) REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA ECONOMIA E FINANÇAS CENTRO DE PROMOÇÃO DE INVESTIMENTOS CONFERENCIA DE INVESTIDORES DO CORREDOR DE NACALA Plano Estratégico de Promoção de Investimento Privado em

Leia mais

O Brasil e os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio

O Brasil e os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio O Brasil e os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio O Brasil avançou muito em relação ao cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio e pavimentou o caminho para cumprir as metas até 2015.

Leia mais

O Acesso a Educação Primária de Qualidade Como um Direito Fundamental da Criança

O Acesso a Educação Primária de Qualidade Como um Direito Fundamental da Criança O Acesso a Educação Primária de Qualidade Como um Direito Fundamental da Criança 1 Forúm da Sociedade Civil para os Direitos da Criança Documento de Trabalho N 4 2015 O Acesso a Educação Primária de Qualidade

Leia mais

Política de Coesão da UE

Política de Coesão da UE da UE 2014 2020 Propostas da Comissão Europeia da União Europeia Estrutura da apresentação 1. Qual é o impacto da política de coesão da UE? 2. A que se devem as alterações propostas pela Comissão para

Leia mais

ORIGINAL: INGLÊS DECLARAÇÃO DE BRAZZAVILLE SOBRE A PREVENÇÃO E O CONTROLO DAS DOENÇAS NÃO TRANSMISSÍVEIS NA REGIÃO AFRICANA DA OMS

ORIGINAL: INGLÊS DECLARAÇÃO DE BRAZZAVILLE SOBRE A PREVENÇÃO E O CONTROLO DAS DOENÇAS NÃO TRANSMISSÍVEIS NA REGIÃO AFRICANA DA OMS ORIGINAL: INGLÊS DECLARAÇÃO DE BRAZZAVILLE SOBRE A PREVENÇÃO E O CONTROLO DAS DOENÇAS NÃO TRANSMISSÍVEIS NA REGIÃO AFRICANA DA OMS ORIGINAL: INGLÊS Nós, os Ministros da Saúde e Chefes de Delegação da Região

Leia mais

Objetivos de Desenvolvimento do Milênio Avanços e Desafios

Objetivos de Desenvolvimento do Milênio Avanços e Desafios Objetivos de Desenvolvimento do Milênio Avanços e Desafios 7o Seminário Nacional de Responsabilidade Social UNIMED Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento Londrina, 2010. O que são os OBJETIVOS

Leia mais

O POTENCIAL HUMANO PARA de NOVEMBRO 2012

O POTENCIAL HUMANO PARA de NOVEMBRO 2012 O POTENCIAL HUMANO PARA 2013 28 de NOVEMBRO 2012 O POTENCIAL HUMANO PARA 2013 ORIENTAÇÕES ESTRATÉGICAS PARA O FUTURO - CAPITAL HUMANO PARA O CRESCIMENTO E O EMPREGO CONTRIBUTO DO POPH (ANOS 2013 E 2014)

Leia mais

Declaração De Maseru Sobre O Combate Ao Hiv/Sida

Declaração De Maseru Sobre O Combate Ao Hiv/Sida Declaração De Maseru Sobre O Combate Ao Hiv/Sida PREÂMBULO NÓS, os Chefes de Estado ou Governo de: República da África do Sul República de Angola República do Botswana República Democrática do Congo Reino

Leia mais

COPATROCINADOR UNAIDS 2015 UNFPA FUNDO DE POPULAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS

COPATROCINADOR UNAIDS 2015 UNFPA FUNDO DE POPULAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS COPATROCINADOR UNAIDS 2015 UNFPA FUNDO DE POPULAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS COPATROCINADORES UNAIDS 2015 UNFPA O QUE É O UNFPA? O Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) se esforça para oferecer um mundo

Leia mais

A Cooperação Portuguesa

A Cooperação Portuguesa FICHA TEMÁTICA A Cooperação Portuguesa Março de 2015 Política de Cooperação para o Desenvolvimento A Cooperação para o Desenvolvimento é um vetor chave da política externa portuguesa, que assenta num consenso

Leia mais

O Impacto da Política Agrária em Moçambique

O Impacto da Política Agrária em Moçambique O Impacto da Política Agrária em Moçambique Dezembro de 2010 ORAM e ROSA Pesquisa realizada: Centro de Estudos Moçambicanos e Internacionais CEMO António Álvaro Francisco Hortêncio Sunde Manuel Lopes e

Leia mais

Anna Virgínia Machado UFF-CDEN. Valmor Pietsch ABEAG-CDEN. Evandro de Alencar Carvalho (Presidente do Crea-PE)

Anna Virgínia Machado UFF-CDEN. Valmor Pietsch ABEAG-CDEN. Evandro de Alencar Carvalho (Presidente do Crea-PE) Palestrantes: Moderador: Igor Rusch SANEPAR Anna Virgínia Machado UFF-CDEN Valmor Pietsch ABEAG-CDEN Debatedor: Evandro de Alencar Carvalho (Presidente do Crea-PE) De acordo com a Organização Mundial da

Leia mais

Participação social é método de governar. Secretaria-Geral da Presidência da República

Participação social é método de governar. Secretaria-Geral da Presidência da República OS OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO DO MILÊNIO Foram definidos para dar respostas aos principais problemas mundiais levantados nas conferências sociais que a ONU promoveu na década de 90: Criança (NY/90);

Leia mais

ACORDO DE PARCERIA 2014-2020 PORTUGAL 2020

ACORDO DE PARCERIA 2014-2020 PORTUGAL 2020 ACORDO DE PARCERIA 2014-2020 PORTUGAL 2020 1 Portugal 2020, o Acordo de Parceria (AP) que Portugal irá submeter à Comissão Europeia estrutura as intervenções, os investimentos e as prioridades de financiamento

Leia mais

ANEXO DE METAS E PRIORIDADES PROGRAMA FINALÍSTICO

ANEXO DE METAS E PRIORIDADES PROGRAMA FINALÍSTICO Página 1 PROGRAMA: ATENÇÃO A SAÚDE DA POPULAÇÃO OBJETIVO: Promover o acesso universal da população aos serviços ambulatoriais, emergenciais e hospitalares nos postos de saúde e hospitais localizados no

Leia mais

do Governo República de Moçambique Governo da Província do Niassa Direcção Provincial de Educação e Desenvolvimento Humano =Lichinga=

do Governo República de Moçambique Governo da Província do Niassa Direcção Provincial de Educação e Desenvolvimento Humano =Lichinga= República de Moçambique Governo da Província do Niassa Direcção Provincial de Educação e Desenvolvimento Humano =Lichinga= Informação hh para o Portal do Governo Educação Solidária e Desenvolvimento Humano

Leia mais

O acesso à água e saneamento como direito humano. O papel das entidades gestoras

O acesso à água e saneamento como direito humano. O papel das entidades gestoras O acesso à água e saneamento como direito humano O papel das entidades gestoras Álvaro Carvalho, David Alves Departamento de Estudos e Projetos da ERSAR ENEG 2013 Coimbra, 4 de dezembro de 2013 O acesso

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE COMPETÊNCIAS, DESENVOLVIMENTO LOCAL E PARCERIAS

DESENVOLVIMENTO DE COMPETÊNCIAS, DESENVOLVIMENTO LOCAL E PARCERIAS Lisboa, 10 de Dezembro 2007 DESENVOLVIMENTO DE COMPETÊNCIAS, DESENVOLVIMENTO LOCAL E PARCERIAS LIÇÕES DE UMA DÉCADA DE EXPERIMENTAÇÃO Alberto Melo Delegado Regional IEFP, Delegação Regional do Algarve

Leia mais

PROGRAMA OPERACIONAL TEMÁTICO POTENCIAL HUMANO

PROGRAMA OPERACIONAL TEMÁTICO POTENCIAL HUMANO PROGRAMA OPERACIONAL TEMÁTICO POTENCIAL HUMANO 2007-201 Apresentação da Proposta ÍNDICE 1 O PROBLEMA 2 A ESTRATÉGIA 4 PLANO DE FINANCIAMENTO 1 1 O PROBLEMA Taxa de emprego Emprego em média e alta tecnologia

Leia mais

O Plano Nacional de Educação. Maria Alice Setubal, educadora e presidente dos conselhos do Cenpec e da Fundação Tide Setubal

O Plano Nacional de Educação. Maria Alice Setubal, educadora e presidente dos conselhos do Cenpec e da Fundação Tide Setubal O Plano Nacional de Educação Maria Alice Setubal, educadora e presidente dos conselhos do Cenpec e da Fundação Tide Setubal Plano Nacional de Educação Diretrizes Superação das desigualdades educacionais

Leia mais

Informe 8 Novembro de 2008

Informe 8 Novembro de 2008 Parceria para os Direitos da Criança em Moçambique Informe 8 Novembro de 2008 A REVISÃO CONJUNTA 2008: O QUE É E O QUE DIZ SOBRE O DESEMPENHO DO GOVERNO PARA AS CRIANÇAS Mensagens Chave O país continua

Leia mais

Estratégia da ONUSIDA para : Acelerar o financiamento para pôr fim à SIDA

Estratégia da ONUSIDA para : Acelerar o financiamento para pôr fim à SIDA Estratégia da ONUSIDA para 2016-2020: Acelerar o financiamento para pôr fim à SIDA www.itcilo.org INTRODUÇÃO Estratégia global orientar e apoiar a resposta à SIDA, a nível global e assente em princípios

Leia mais

Exposição fotográfica: cinco anos de cooperação por um mundo sem fome

Exposição fotográfica: cinco anos de cooperação por um mundo sem fome Exposição fotográfica: cinco anos de cooperação por um mundo sem fome - 06-23-2016 Exposição fotográfica: cinco anos de cooperação por um mundo sem fome por Por Dentro da África - quinta-feira, junho 23,

Leia mais

RAZÕES JUSTIFICATIVAS DA AÇÃO:

RAZÕES JUSTIFICATIVAS DA AÇÃO: PLANO DE FORMAÇÃO A PLATAFORMA FITESCOLA COMO INSTRUMENTO DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO DA APTIDÃO FÍSICA DOS ALUNOS NA DISCIPLINA DE EDUCAÇÃO FÍSICA E NO DESPORTO ESCOLAR RAZÕES JUSTIFICATIVAS DA AÇÃO:

Leia mais

COPATROCINADOR UNAIDS 2015 UNICEF FUNDO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A INFÂNCIA

COPATROCINADOR UNAIDS 2015 UNICEF FUNDO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A INFÂNCIA COPATROCINADOR UNAIDS 2015 UNICEF FUNDO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A INFÂNCIA COPATROCINADORES UNAIDS 2015 UNICEF O QUE É UNICEF? O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) acredita que promover os

Leia mais

X. Monitoria e Avaliação

X. Monitoria e Avaliação X. Monitoria e Avaliação 1. Introdução 613. O objectivo da Monitoria e Avaliação é de criar condições para que o Governo mantenha a consistência na implementação dos objectivos e acções previstas no PARPA.

Leia mais

ADVERTÊNCIA. Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União. Ministério da Saúde Gabinete do Ministro

ADVERTÊNCIA. Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União. Ministério da Saúde Gabinete do Ministro ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 2.311, DE 23 DE OUTUBRO DE 2014 Altera a Portaria nº 2.866/GM/MS, de 2 de

Leia mais

Acelerar o Crescimento Económico e a Criação de Emprego, Melhorar a Educação e Saúde para Conquistar o Dividendo Demográfico em Moçambique

Acelerar o Crescimento Económico e a Criação de Emprego, Melhorar a Educação e Saúde para Conquistar o Dividendo Demográfico em Moçambique Universidade Eduardo Mondlane Faculdade de Letras e Ciências Sociais Centro de Análise de Políticas (CAP) Acelerar o Crescimento Económico e a Criação de Emprego, Melhorar a Educação e Saúde para Conquistar

Leia mais

OS INVESTIMENTOS EM ÁGUA E SANEAMENTO EM CURSO NO SUMBE P/COORDENAÇÃO DO PROJECTO ENG.º CARLOS FONSECA

OS INVESTIMENTOS EM ÁGUA E SANEAMENTO EM CURSO NO SUMBE P/COORDENAÇÃO DO PROJECTO ENG.º CARLOS FONSECA OS INVESTIMENTOS EM ÁGUA E SANEAMENTO EM CURSO NO SUMBE WORKSHOP CONSULTA PÚBLICA SOBRE EIA DO PROJECTO SUMBE SUMBE, 22 DE MARÇO DE 2013 P/COORDENAÇÃO DO PROJECTO ENG.º CARLOS FONSECA 1 1. OBJECTIVOS DO

Leia mais

São Tomé-e-Príncipe Perfil do país EPT 2014

São Tomé-e-Príncipe Perfil do país EPT 2014 São Tomé-e-Príncipe Perfil do país EPT 4 Contexto geral País pequeno de África central, composto de duas ilhas situadas em frente ao Gabão, no Golfo da Guiné, São Tomé e Príncipe tinha cerca de 7 habitantes

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS JOSÉ AFONSO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS JOSÉ AFONSO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS JOSÉ AFONSO Resumo da proposta final Documento para análise PROJETO EDUCATIVO Análise na matriz SWOT (strenghts, weaknesses, opportunities, threats) pontos fortes/pontos fracos/

Leia mais

Situação da Extrema Pobreza e da Fome até 2015, nos municípios do Rio Grande do Sul

Situação da Extrema Pobreza e da Fome até 2015, nos municípios do Rio Grande do Sul Situação da Extrema Pobreza e da Fome até 2015, nos municípios do Rio Grande do Sul Segundo as Metas da ONU, dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) Hélios Puig Gonzalez Salvatore Santagada Agosto

Leia mais

MEC. Censo Escolar 2015 Notas Estatísticas. Brasília-DF março de 2016

MEC. Censo Escolar 2015 Notas Estatísticas. Brasília-DF março de 2016 MEC Censo Escolar 215 Notas Estatísticas Brasília-DF março de 216 MEC Agenda O desafio da universalização Educação infantil Creche e Pré-escola Ensino fundamental Anos iniciais e anos finais Ensino médio

Leia mais

Unidade de Saúde Pública

Unidade de Saúde Pública Unidade de Saúde Pública ULS Matosinhos Programa Nacional de Saúde Escolar Saúde Escolar Prevenir e Atuar Observatório local de acidentes escolares e peri-escolares Sensibilização da comunidade escolar

Leia mais

ANEXO DE METAS E PRIORIDADES PROGRAMA FINALÍSTICO

ANEXO DE METAS E PRIORIDADES PROGRAMA FINALÍSTICO Página 1 ATENÇÃO A SAÚDE DA POPULAÇÃO Promover o acesso universal da população aos serviços ambulatoriais, emergenciais e hospitalares nos postos de saúde e hospital localizados no Município. População

Leia mais

Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade

Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade Rede de pessoas e organizações voluntárias da nação brasileira, apartidária, ecumênica e plural, que visa o alcance dos Objetivos de Desenvolvimento do

Leia mais

RELATÓRIO FINAL DA I CONFERENCIA NACIONAL DE EMPREGO E TRABALHO DECENTE

RELATÓRIO FINAL DA I CONFERENCIA NACIONAL DE EMPREGO E TRABALHO DECENTE RELATÓRIO FINAL DA I CONFERENCIA NACIONAL DE EMPREGO E TRABALHO DECENTE Realizada de 08 a 11 de agosto de 2012 MÁRIO DOS SANTOS BARBOSA Assessor Especial para Assuntos Internacionais Coordenador da I CNETD

Leia mais

PETIÇÃO: ALTERNATIVAS PARA FINANCIAMENTO AO SECTOR DA EDUCAÇÃO EXCELENTÍSSIMA SENHORA PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE

PETIÇÃO: ALTERNATIVAS PARA FINANCIAMENTO AO SECTOR DA EDUCAÇÃO EXCELENTÍSSIMA SENHORA PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE PETIÇÃO: ALTERNATIVAS PARA FINANCIAMENTO AO SECTOR DA EDUCAÇÃO EXCELENTÍSSIMA SENHORA PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE A luz da Constituição da Republica, Artigo 88, a educação constitui

Leia mais

O conceito de Trabalho Decente

O conceito de Trabalho Decente O Trabalho Decente O conceito de Trabalho Decente Atualmente a metade dos trabalhadores de todo o mundo (1,4 bilhão de pessoas) vive com menos de 2 dólares ao dia e portanto, é pobre quase 20% é extremamente

Leia mais

Projeto Movimento ODM Brasil 2015 Título do Projeto

Projeto Movimento ODM Brasil 2015 Título do Projeto Título do Projeto Desenvolvimento de capacidades, de justiça econômica sustentável e promoção de boas práticas para alcance dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio no Brasil. Concepção Estabelecimento

Leia mais

Secretariado Técnico de Segurança Alimentar e Nutricional

Secretariado Técnico de Segurança Alimentar e Nutricional Secretariado Técnico de Segurança Alimentar e Nutricional Sumário do 2º Encontro dos parceiros de SAN 31 Consultivo do MINAG 1 Dezembro 2012 Introdução No dia 14 de Dezembro de 2012, no anfiteatro do Ministério

Leia mais

Diagnóstico da Educação Básica no Ceará Secretaria de Estado da Educação

Diagnóstico da Educação Básica no Ceará Secretaria de Estado da Educação Diagnóstico da Educação Básica no Ceará Secretaria de Estado da Educação Armando Simões Secretário Adjunto Fortaleza, 09 de Junho de 2015 Plano Nacional de Educação O Plano Nacional de Educação, aprovado

Leia mais

III Concurso Cultural

III Concurso Cultural O 3º Concurso Cultural de Desenho e Redação/ Poesia, é dirigido aos estudantes do ensino fundamental (do 1º ao 9º ano), promovido pela OJI PAPÉIS ESPECIAIS, em parceria com a OSCIP PIRA 21 Piracicaba realizando

Leia mais

Projecto de Promoção da Cidadania Activa entre jovens Moçambicanos

Projecto de Promoção da Cidadania Activa entre jovens Moçambicanos Projecto de Promoção da Cidadania Activa entre jovens Moçambicanos Programa de Apoio aos Actores não Estatais (PAANE), financiado pela União Europeia Ministério dos Negócios Estrangeiros e Cooperação Contrato:

Leia mais

Adis Abeba, Etiópia de Março de 2011

Adis Abeba, Etiópia de Março de 2011 CONSELHO ECONÓMICO E SOCIAL DAS NAÇÕES UNIDAS COMISSÃO ECONÓMICA PARA ÁFRICA Décima-terceira reunião do Comité de Peritos Reunião do Comité de Peritos da 4ª Reunião Anual Conjunta da Conferência da UA

Leia mais

DECLARAÇÃO FINAL DA II REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DOS MINISTROS DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA

DECLARAÇÃO FINAL DA II REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DOS MINISTROS DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA DECLARAÇÃO FINAL DA II REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DOS MINISTROS DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA Os Ministros responsáveis pela Ciência e Tecnologia da República de Angola,

Leia mais

27 de junho de Domingos Lopes

27 de junho de Domingos Lopes 27 de junho de 2016 Domingos Lopes Objetivos Temáticos OT 8. Promover a sustentabilidade e a qualidade do emprego e apoiar a mobilidade dos trabalhadores assumindo como meta nacional, até 2020, o aumento

Leia mais

Escola Profissional de Desenvolvimento Rural do Rodo PLANO DE INTERVENÇÃO. Avaliação Interna da EPDRR

Escola Profissional de Desenvolvimento Rural do Rodo PLANO DE INTERVENÇÃO. Avaliação Interna da EPDRR Escola Profissional de Desenvolvimento Rural do Rodo PLANO DE INTERVENÇÃO Avaliação Interna da EPDRR Ano Letivo 2015/2016 ÍNDICE INTRODUÇÃO 3 COMISSÃO DE TRABALHO 4 METODOLOGIA DE TRABALHO ADOTADA 4 DOMÍNIOS

Leia mais

Discurso de Sua Excelência O Ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros Rui Machete

Discurso de Sua Excelência O Ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros Rui Machete Discurso de Sua Excelência O Ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros Rui Machete na Cimeira de Chefes de Estado e de Governo para a adoção da Agenda do Desenvolvimento Pós-2015 MOD07 PR07/V02 Senhor

Leia mais

Plano de Acção

Plano de Acção - 2 - Nota Prévia A Rede Social afirmou-se ao longo da sua criação como uma medida inovadora e com capacidade de produzir alterações positivas na intervenção social. Esta medida assumiu-se, desde início,

Leia mais

[Cumprimentos protocolares]

[Cumprimentos protocolares] VI Reunião dos Pontos Focais de Governação Eletrónica IV Conferência sobre Governação Eletrónica da CPLP Os desafios da Governação Eletrónica para o melhoramento da eficiência e eficácia do Estado e da

Leia mais

CARTA DE MISSÃO. Ministério da Saúde. Serviço/Organismo: Administração Regional de Saúde do Norte. Cargo: Vice-presidente do Conselho Diretivo

CARTA DE MISSÃO. Ministério da Saúde. Serviço/Organismo: Administração Regional de Saúde do Norte. Cargo: Vice-presidente do Conselho Diretivo CARTA DE MISSÃO Ministério da Saúde Serviço/Organismo: Administração Regional de Saúde do Norte Cargo: Vice-presidente do Conselho Diretivo Período da Comissão de Serviço: 2016-2020 1. Missão do Organismo

Leia mais

(Projeto de Lei nº 415/12, do Executivo, aprovado na forma de Substitutivo do Legislativo) Aprova o Plano Municipal de Educação de São Paulo

(Projeto de Lei nº 415/12, do Executivo, aprovado na forma de Substitutivo do Legislativo) Aprova o Plano Municipal de Educação de São Paulo LEI Nº 16.271, DE 17 DE SETEMBRO DE 2015 (Projeto de Lei nº 415/12, do Executivo, aprovado na forma de Substitutivo do Legislativo) Aprova o Plano Municipal de Educação de São Paulo META 1. Ampliar o investimento

Leia mais

Plano Nacional de Turismo

Plano Nacional de Turismo Plano Nacional de Turismo 2011-2015 Conceito Conjunto de diretrizes, metas e programas que orientam a atuação do Ministério do Turismo, em parceria com outros setores da gestão pública nas três esferas

Leia mais

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020 Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020 Évora, 9 de setembro de 2015 Identidade, Competitividade, Responsabilidade Lezíria do Tejo Alto Alentejo Alentejo Central Alentejo Litoral Baixo Alentejo

Leia mais

RESUMO EXECUTIVO Brasília, fevereiro de 2011

RESUMO EXECUTIVO Brasília, fevereiro de 2011 RESUMO EXECUTIVO Brasília, fevereiro de 2011 UNESCO 2011 Este documento foi aprovado na Sexta Conferência Internacional de Educação de Adultos (CONFINTEA VI), acontecido em Belém, Pará, Brasil, em dezembro

Leia mais

Federação desigual. Assimetrias regionais. Região PIB População Território Região Sudeste 55,41% 42% 10,60% Região Norte 5,40% 8% 45,20%

Federação desigual. Assimetrias regionais. Região PIB População Território Região Sudeste 55,41% 42% 10,60% Região Norte 5,40% 8% 45,20% Federação desigual Assimetrias regionais Região PIB População Território Região Sudeste 55,41% 42% 10,60% Região Norte 5,40% 8% 45,20% Região Centro-oeste 9,57% 7% 18,90% Região Nordeste 13,40% 28% 18,20%

Leia mais

AGRICULTURA E SEGURANCA ALIMENTAR (Reuniao da ASSECA-PLP) Castro Camarada

AGRICULTURA E SEGURANCA ALIMENTAR (Reuniao da ASSECA-PLP) Castro Camarada AGRICULTURA E SEGURANCA ALIMENTAR (Reuniao da ASSECA-PLP) Castro Camarada 23-11-2014 CONTEUDO Dimensoes da Seguranca Alimentar Seguranca Alimentar em Africa e na CPLP O papel Fundamental da Agricultura

Leia mais

PORTARIA INTERMINISTERIAL MDA e MDS e MMA Nº 239 DE 21 DE JULHO DE 2009

PORTARIA INTERMINISTERIAL MDA e MDS e MMA Nº 239 DE 21 DE JULHO DE 2009 PORTARIA INTERMINISTERIAL MDA e MDS e MMA Nº 239 DE 21 DE JULHO DE 2009 Estabelece orientações para a implementação do Plano Nacional de Promoção das Cadeias de Produtos da Sociobiodiversidade, e dá outras

Leia mais

Determinantes Sociais da Saúde. Professor: Dr. Eduardo Arruda

Determinantes Sociais da Saúde. Professor: Dr. Eduardo Arruda Determinantes Sociais da Saúde Professor: Dr. Eduardo Arruda Conteúdo Programático desta aula Epidemiologia social e os Determinantes Sociais da Saúde (DSS); Principais Iniquidades em Saúde no Brasil;

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALHANDRA, SOBRALINHO E SÃO JOÃO DOS MONTES PLANO DE MELHORIA IGEC

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALHANDRA, SOBRALINHO E SÃO JOÃO DOS MONTES PLANO DE MELHORIA IGEC AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALHANDRA, SOBRALINHO E SÃO JOÃO DOS MONTES PLANO DE MELHORIA IGEC SETEMBRO DE 2013 FUNDAMENTOS DO PLANO DE MELHORIA 2013/2015 O Agrupamento assume-se como construtor de uma visão

Leia mais

Relatório Nacional de Angola 2015

Relatório Nacional de Angola 2015 Relatório Nacional de Angola 2015 Objectivos de Desenvolvimento do Milénio Com o apoio da Organização das Nações Unidas Estrutura da Apresentação Declaração do Milénio; Relatórios de Progresso ODM Angola;

Leia mais

Moçambique, entre a crise financeira e uma nova economia

Moçambique, entre a crise financeira e uma nova economia Observatório do Meio Rural Universidade Politécnica Moçambique, entre a crise financeira e uma nova economia João Mosca Lisboa, 28 de Março de 2017 Apresentação 1. Análise macroeconómica: aspectos essenciais.

Leia mais

Paulo Jannuzzi ENCE/IBGE

Paulo Jannuzzi ENCE/IBGE Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e as oportunidades para o aprimoramento no monitoramento e avaliação de políticas públicas em nível subnacional: reflexões a partir da experiência da SAGI/MDS Paulo

Leia mais

COPATROCINADOR UNAIDS 2015 OMS ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE

COPATROCINADOR UNAIDS 2015 OMS ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE COPATROCINADOR UNAIDS 2015 OMS ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE COPATROCINADORES UNAIDS 2015 O QUE É A OMS? As novas orientações consolidadas de tratamento da OMS representam mais um salto adiante para uma

Leia mais

(DRAFT) CONCLUSÕES DA II REUNIÃO DO FÓRUM DA SOCIEDADE CIVIL DA CPLP Díli, 17 de julho de 2015

(DRAFT) CONCLUSÕES DA II REUNIÃO DO FÓRUM DA SOCIEDADE CIVIL DA CPLP Díli, 17 de julho de 2015 (DRAFT) CONCLUSÕES DA II REUNIÃO DO FÓRUM DA SOCIEDADE CIVIL DA CPLP Díli, 17 de julho de 2015 A II Reunião Fórum da Sociedade Civil da CPLP (FSC-CPLP) realizou-se nos dias 13 a 17 de julho de 2015, em

Leia mais

Dados do TIA: Vozes das Famílias Rurais

Dados do TIA: Vozes das Famílias Rurais MINAG Dados do TIA: Vozes das Famílias Rurais Apresentação na Reunião Nacional de Planificação Chimoio, 10-13 de Maio de 2010 Cynthia Donovan Michigan State University 1 Conteúdos da Apresentação Estatísticas

Leia mais

1ª CONFERÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE AMBIENTAL

1ª CONFERÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE AMBIENTAL 1ª CONFERÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE AMBIENTAL A ação humana sobre a natureza faz parte da história da civilização. Neste inicio de século, porém, a consciência sobre os impactos desta intervenção tem adquirido

Leia mais

Documento de Fundo para solicitar financiamento do Fundo Catalítico

Documento de Fundo para solicitar financiamento do Fundo Catalítico Documento de Fundo para solicitar financiamento do Fundo Catalítico FTI (Versão Final: 1 de Setembro de 2010) DOCUMENTO DE FUNDO PARA SOLICITAR FINANCIAMENTO DO FC-FTI Índice Lista de Quadros... v Lista

Leia mais

Transição Demográfica: o perfil demográfico da futura sociedade brasileira. José Eustáquio Diniz Alves ENCE/IBGE

Transição Demográfica: o perfil demográfico da futura sociedade brasileira. José Eustáquio Diniz Alves ENCE/IBGE Transição Demográfica: o perfil demográfico da futura sociedade brasileira José Eustáquio Diniz Alves ENCE/IBGE 8 de junho de 2011 Sumário Panorama econômico e demográfico mundial; Transição Demográfica;

Leia mais

CENSO ESCOLAR 2016 Notas Estatísticas. Brasília-DF Fevereiro de 2017

CENSO ESCOLAR 2016 Notas Estatísticas. Brasília-DF Fevereiro de 2017 CENSO ESCOLAR 216 Notas Estatísticas Brasília-DF Fevereiro de 217 O DESAFIO DA UNIVERSALIZAÇÃO O dever do Estado com a educação será efetivado mediante a garantia de igualdade de condições para o acesso

Leia mais

Comissão avalia o impacto do financiamento para as regiões e lança um debate sobre a próxima ronda da política de coesão

Comissão avalia o impacto do financiamento para as regiões e lança um debate sobre a próxima ronda da política de coesão IP/07/721 Bruxelas, 30 de Maio de 2007 Comissão avalia o impacto do financiamento para as regiões e lança um debate sobre a próxima ronda da política de coesão A política de coesão teve um efeito comprovado

Leia mais