INSTITUTO NACIONAL DE ESTATISTICA CABO VERDE. INQUÉRITO DE CONJUNTURA Folha de Informação Rápida. COMERCIO EM FEIRA 1º Trimestre 2003

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "INSTITUTO NACIONAL DE ESTATISTICA CABO VERDE. INQUÉRITO DE CONJUNTURA Folha de Informação Rápida. COMERCIO EM FEIRA 1º Trimestre 2003"

Transcrição

1 INSTITUTO NACIONAL DE ESTATISTICA CABO VERDE INQUÉRITO DE CONJUNTURA Folha de Informação Rápida COMERCIO EM FEIRA 1º Trimestre 2003 Abril

2 Ficha Técnica Presidente Francisco Fernandes Tavares Editor Instituto Nacional de Estatística Direcção de Método e Gestão de Informação Serviço de Conjuntura Av. Amilcar Cabral, CP 116 Cidade da Praia Web Site: Composição Instituto Nacional de Estatística Impressão INE Data de Impressão Abril de 2003 Tiragem 300 exemplares Preço 300$00 Para quaisquer Esclarecimento Contactar: Fernando Rocha Serviço de Conjuntura Telefone: (238) Fax: (238) Para carregar informação para o seu computador consulte ou para receber gratuitamente informação por e- mail registe-se no nosso site Consulte o Nosso Web Site!

3 NOTA INTRODUTÓRIA Um inquérito de conjuntura é um instrumento efectivo de análise e interpretação da evolução da actividade económica no curto prazo. As perguntas são de caracter qualitativo e reflectem as opinião dos empresários sobre a situação geral das suas empresas, sobre o comportamento de algumas variáveis significativas e também sobre as expectativas. Areas de Inquirição: 1. Comercio em Estabelecimento 2. Comercio em Feira 3. Turismo 4. Construção 5. Indústria Transformadora (em fase experimental) 6. Transportes e Serviços Auxiliares aos Transportes (em fase experimental) Os inquéritos são realizados na última semana de Março, Junho, Setembro e Dezembro, e na primeira semana de Janeiro, Abril, Julho e Outubro. NOTA TÉCNICA Indicador de Confiança Metodologia de Composição: Média aritmética simples dos saldos de respostas extremas (s.r.e.) das seguintes variáveis: Vendas Perspectivas de Vendas Perspectiva Encomendas Saldo de Respostas Extremas Diferença entre as respostas positivas e respostas negativas dividido pelo número total de respostas S.R.E = (SP ositivo - SN egativo )/N

4 No 1º trimestre 2003, constata-se que, o indicador de confiança evoluiu positivamente face ao trimestre homólogo. A evolução positiva deveu-se ao comportamento favorável das perspectivas de vendas e perspectivas de encomendas que, aumentaram significativamente face ao trimestre homólogo, comportamento inverso verificou-se na variável vendas que, diminuiu face ao trimestre homólgo.

5

6 No que concerne as variáveis inquiridas, constata-se que no 1º trimestre 2003, a variável Vendas actual contrariou o movimento ascendente que vinha mantendo nos últimos trimestres, tendo registado uma diminuição face ao trimestre homólogo. No entanto, as perspectivas de vendas manteve a evolução ascendente que vinha mantendo nos últimos trimestres, comportamento idêntico teve os preços. No que diz respeito as perspectivas de preços, verifica-se uma evolução negativa face ao 1º trimestre No entanto as perspectivas de encomendas evoluiu positivamente face ao trimestre homólogo.

7 INSTITUTO NACIONAL DE ESTATISTICA CABO VERDE INQUÉRITO DE CONJUNTURA Folha de Informação Rápida COMERCIO EM ESTABELECIMENTO 1º Trimestre 2003 Abril

8 Ficha Técnica Presidente Francisco Fernandes Tavares Editor Instituto Nacional de Estatística Direcção de Método e Gestão de Informação Serviço de Conjuntura Av. Amilcar Cabral, CP 116 Cidade da Praia Web Site: Composição Instituto Nacional de Estatística Impressão INE Data de Impressão Abril de 2003 Tiragem 300 exemplares Preço 300$00 Para quaisquer Esclarecimento Contactar: Fernando Rocha Serviço de Conjuntura Telefone: (238) Fax: (238) Para carregar informação para o seu computador consulte ou para receber gratuitamente informação por e- mail registe-se no nosso site Consulte o Nosso Web Site!

9 NOTA INTRODUTÓRIA Um inquérito de conjuntura é um instrumento efectivo de análise e interpretação da evolução da actividade económica no curto prazo. As perguntas são de caracter qualitativo e reflectem as opinião dos empresários sobre a situação geral das suas empresas, sobre o comportamento de algumas variáveis significativas e também sobre as expectativas. Areas de Inquirição: 7. Comercio em Estabelecimento 8. Comercio em Feira 9. Turismo 10. Construção 11. Indústria Transformadora (em fase experimental) 12. Transportes e Serviços Auxiliares aos Transportes (em fase experimental) Os inquéritos são realizados na última semana de Março, Junho, Setembro e Dezembro, e na primeira semana de Janeiro, Abril, Julho e Outubro. NOTA TÉCNICA Indicador de Confiança Metodologia de Composição: Média aritmética simples dos saldos de respostas extremas (s.r.e.) das seguintes variáveis: Actividade Actual Perspectivas de Actividade Stocks com sinal invertido Saldo de Respostas Extremas Diferença entre as respostas positivas e respostas negativas dividido pelo número total de respostas S.R.E = (SP ositivo - SN egativo )/N Ponderação O factor de ponderação é o número de pessoal ao serviço (NPS), atribuindo o peso relativo as empresas.

10 No 1º trimestre 2003, o indicador de confiança contrariou a evolução ascendente que vinha mantendo nos últimos trimestre. Entretanto registou-se um comportamento desfavorável face ao trimestre homólogo, ou seja, apesar de apresentar um valor positivo, houve uma diminuição face ao 1º trimestre A evolução negativa deveu-se a uma diminuição da variável perspectiva de actividade face ao trimestre homólogo.

11 No que concerne as variáveis inquiridas, constata-se que no 1º trimestre 2003, a variável actividade actual contrariou o movimento ascendente que vinha mantendo nos últimos trimestres, passando a assumir um valor negativo. No entanto, quando comparado com o trimestre homólogo constata-se uma evolução positiva. No que diz respeito as perspectivas da actividade verificase uma evolução negativa face ao 1º trimestre As variáveis stocks, vendas e preços tiveram, no entanto, uma evolução favorável relativamente ao trimestre homólogo. As perspectiva dos preços de venda face ao trimestre homólogo mantêm-se. No que concerne à limitação da actividade, observa-se que as empresas tiveram mais obstáculos nas suas actividades face ao trimestre homólogo, ou seja, no 1º trimestre 2003 na opinião dos empresários as suas actividades foram mais limitadas do que no mesmo período do ano 2002.

12 As principais causas das dificuldades referidas, de acordo com a opinião dos empresários, recaem na insuficiência da procura que, apesar de apresentar uma diminuição face ao trimestre homólogo continua a ser o maior obstáculo à actividade das empresas. No entanto, observa-se que as dificuldades financeiras, ruptura de stocks e preços de venda demasiado elevados são factores que na opinião dos empresários tem exercido uma influência negativa nas suas actividades, apesar de houver uma forte diminuição face ao trimestre homólogo.

13 INSTITUTO NACIONAL DE ESTATISTICA CABO VERDE INQUÉRITO DE CONJUNTURA Folha de Informação Rápida CONSTRUÇÃO 1º Trimestre 2003 Abril

14 Ficha Técnica Presidente Francisco Fernandes Tavares Editor Instituto Nacional de Estatística Direcção de Método e Gestão de Informação Serviço de Conjuntura Av. Amilcar Cabral, CP 116 Cidade da Praia Web Site: Composição Instituto Nacional de Estatística Impressão INE Data de Impressão Abril de 2003 Tiragem 300 exemplares Preço 300$00 Para quaisquer Esclarecimento Contactar: Fernando Rocha Serviço de Conjuntura Telefone: (238) Fax: (238) Para carregar informação para o seu computador consulte ou para receber gratuitamente informação por e- mail registe-se no nosso site Consulte o Nosso Web Site!

15 NOTA INTRODUTÓRIA Um inquérito de conjuntura é um instrumento efectivo de análise e interpretação da evolução da actividade económica no curto prazo. As perguntas são de caracter qualitativo e reflectem as opinião dos empresários sobre a situação geral das suas empresas, sobre o comportamento de algumas variáveis significativas e também sobre as expectativas. Areas de Inquirição: 13. Comercio em Estabelecimento 14. Comercio em Feira 15. Turismo 16. Construção 17. Indústria Transformadora (em fase experimental) 18. Transporte e Serviços Auxiliares aos Transportes (em fase experimental) Os inquéritos são realizados na última semana de Março, Junho, Setembro e Dezembro, e na primeira semana de Janeiro, Abril, Julho e Outubro. NOTA TÉCNICA Indicador de Confiança Metodologia de Composição: Média aritmética simples dos saldos de respostas extremas (s.r.e.) das seguintes variáveis: Carteira de Encomendas Actual Perspectiva de Actividade Perspectiva de Emprego Saldo de Respostas Extremas Diferença entre as respostas positivas e respostas negativas dividido pelo número total de respostas S.R.E = (SP ositivo - SN egativo )/N Ponderação O factor de ponderação é o número de pessoal ao serviço (NPS), atribuindo o peso relativo as empresas.

16 De acordo com os resultados obtidos no 1º trimestre 2003, constata-se que o indicador de confiança contrariou a evolução ascendente que vinha mantendo desde 2º trimestre Entretanto o mesmo evoluiu positivamente face ao trimestre homólogo, apesar de se manter em terreno negativo. A evolução positiva deveu-se ao comportamento favorável das perspectivas de actividade e perspectiva de emprego face ao trimestre homólogo.

17 Em relação as variáveis inquiridas, observa-se que no 1º trimestre 2003, a variável actividade actual contrariou o movimento ascendente que vinha mantendo no último trimestre, ou seja, verificou-se uma desacelação da actividade actual das empresas no 1º trimestre 2003, no entanto quando comparado com o trimestre homólogo constata-se uma evolução positiva. No que diz respeito as perspectivas de actividade verifica-se uma evolução positiva face ao 1º trimestre Evolução inversa observa-se nas variáveis Encomendas e Perspectiva de Preços. Houve ainda uma evolução positiva na variável Perspectiva Emprego face ao trimestre homólogo. No que concerne a limitação de actividade, observa-se que as empresas do sector da Construção continuam a sentir fortes limitações nas suas actividades, ou seja, na opinião dos empresários do sector, sentiram mais obstáculos nas suas actividades do que o mesmo período do ano 2002.

18 O principal constrangimento das empresas do sector da construção continua a ser a insuficiência da procura, tendo mesmo aumentado face ao trimestre homólogo. O excesso de burocracia e regulamentações estatais e o nível elevado da taxa de juro, contribuíram de uma forma bastante negativa para a actividade das empresas.

19 INSTITUTO NACIONAL DE ESTATISTICA CABO VERDE INQUÉRITO DE CONJUNTURA Folha de Informação Rápida TURISMO 1º Trimestre 2003 Abril

20 Ficha Técnica Presidente Francisco Fernandes Tavares Editor Instituto Nacional de Estatística Direcção de Método e Gestão de Informação Serviço de Conjuntura Av. Amilcar Cabral, CP 116 Cidade da Praia Web Site: Composição Instituto Nacional de Estatística Impressão INE Data de Impressão Abril de 2003 Tiragem 300 exemplares Preço 300$00 Para quaisquer Esclarecimento Contactar: Fernando Rocha Serviço de Conjuntura Telefone: (238) Fax: (238) Para carregar informação para o seu computador consulte ou para receber gratuitamente informação por e- mail registe-se no nosso site Consulte o Nosso Web Site!

21 NOTA INTRODUTÓRIA Um inquérito de conjuntura é um instrumento efectivo de análise e interpretação da evolução da actividade económica no curto prazo. As perguntas são de caracter qualitativo e reflectem as opinião dos empresários sobre a situação geral das suas empresas, sobre o comportamento de algumas variáveis significativas e também sobre as expectativas. Areas de Inquirição: 19. Comercio em Estabelecimento 20. Comercio em Feira 21. Turismo 22. Construção 23. Indústria Transformadora (em fase experimental) 24. Transportes e Serviços Auxiliares aos Transportes (em fase experimental) Os inquéritos são realizados na última semana de Março, Junho, Setembro e Dezembro, e na primeira semana de Janeiro, Abril, Julho e Outubro. NOTA TÉCNICA Indicador de Confiança Metodologia de Composição: Média aritmética simples dos saldos de respostas extremas (s.r.e.) das seguintes variáveis: Actividade Actual Perspectivas de Actividade Perspectiva Emprego Saldo de Respostas Extremas Diferença entre as respostas positivas e respostas negativas dividido pelo número total de respostas S.R.E = (SP ositivo SN egativo )/N Ponderação O factor de ponderação é o número de pessoal ao serviço (NPS), atribuindo o peso relativo as empresas.

22 No 1º trimestre 2003, o indicador de confiança manteve a evolução ascendente que vinha mantendo nos últimos trimestres. Constata-se de acordo com os resultados obtidos um forte aumento face ao trimestre homólogo. Este aumento deve-se ao comportamento positivo de todas as variáveis que o compõem.

23 No 1º trimestre 2003, constata-se que a variável Volume de Negócios teve uma evolução negativa face ao trimestre homólogo, no entanto, observa-se uma tendência estável dos preços do 1º trimestre ao 3º trimestre 2002, sendo que no 1º trimestre 2003, o mesmo apresenta uma evolução no sentido da sua redução face ao 1º trimestre Comportamento inverso tiveram as variáveis Actividade Actual, Perspectiva de actividade e Perspectiva de Emprego, que evoluiram de uma forma positiva face ao trimestre homólogo. No que concerne a limitação de actividade, observa-se que, no 1º trimestre 2003, as empresas tiveram mais limitações nas suas actividades face ao trimestre homólogo, ou seja, apesar de contrariar o movimento ascendente que vinha mantendo nos últimos trimestres.

24 Em relação aos principais factores que limitaram a actividade das empresas manteve-se a tendência verificada nos últimos trimestre, ou seja, a insuficiência da procura continua a ser o factor que mais tem limitado a actividade das empresas do turismo, apesar de se registar uma diminuição face ao trimestre homólogo. No entanto, as dificuldades em encontrar pessoal com formação apropriada e excesso de burocracia e regulamentações estatais são dos factores que também exerceram uma influência negativa na actividade das empresas.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTATISTICA CABO VERDE. INQUÉRITO DE CONJUNTURA Folha de Informação Rápida. CONSTRUÇÃO 3º Trimestre 2013

INSTITUTO NACIONAL DE ESTATISTICA CABO VERDE. INQUÉRITO DE CONJUNTURA Folha de Informação Rápida. CONSTRUÇÃO 3º Trimestre 2013 INSTITUTO NACIONAL DE ESTATISTICA INSTITUTO NACIONAL DE ESTATISTICA INSTITUTO NACIONAL DE ESTATISTICA CABO VERDE CABO VERDE CABO VERDE INSTITUTO NACIONAL DE ESTATISTICA CABO VERDE INQUÉRITO DE CONJUNTURA

Leia mais

CABO VERDE INQUÉRITO

CABO VERDE INQUÉRITO INSTITUTO NACIONAL DE ESTAT TISTICA CABO VERDE INQUÉRITO DE CONJUNTURA Folha de Informação Rápida SÍNTESE ECONÓMICA 1º Trimestree 2012 Abril 2012 Ficha Técnica Presidente António Duarte Editor Instituto

Leia mais

DESTAQUE. Informação à Comunicação Social. Inquéritos de Conjuntura às Empresas Abril de 2013. 11 Abril de 2013

DESTAQUE. Informação à Comunicação Social. Inquéritos de Conjuntura às Empresas Abril de 2013. 11 Abril de 2013 Inquéritos de Conjuntura às Empresas Abril de 2013 11 Abril de 2013 No 1º trimestre de 2013, constata-se que o indicador de clima 1 manteve a tendência descendente dos últimos trimestres, ou seja, o ritmo

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE ESTATISTICA CABO VERDE. INQUÉRITO DE CONJUNTURA NO CONSUMIDOR Folha de Informação Rápida. 2º Trimestre 2011

INSTITUTO NACIONAL DE ESTATISTICA CABO VERDE. INQUÉRITO DE CONJUNTURA NO CONSUMIDOR Folha de Informação Rápida. 2º Trimestre 2011 INSTITUTO NACIONAL DE ESTATISTICA CABO VERDE INQUÉRITO DE CONJUNTURA NO CONSUMIDOR Folha de Informação Rápida 2º Trimestre 2011 Agosto 2011 Ficha Técnica Presidente Antonio Duarte Editor Instituto Nacional

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE ESTATISTICA CABO VERDE. INQUÉRITO DE CONJUNTURA NO CONSUMIDOR Folha de Informação Rápida. 3º Trimestre 2011

INSTITUTO NACIONAL DE ESTATISTICA CABO VERDE. INQUÉRITO DE CONJUNTURA NO CONSUMIDOR Folha de Informação Rápida. 3º Trimestre 2011 INSTITUTO NACIONAL DE ESTATISTICA CABO VERDE INQUÉRITO DE CONJUNTURA NO CONSUMIDOR Folha de Informação Rápida 3º Trimestre 2011 Novembro 2011 Ficha Técnica Presidente Antonio Duarte Editor Instituto Nacional

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE ESTATISTICA CABO VERDE. INQUÉRITO DE CONJUNTURA NO CONSUMIDOR Folha de Informação Rápida. 2º Trimestre 2012

INSTITUTO NACIONAL DE ESTATISTICA CABO VERDE. INQUÉRITO DE CONJUNTURA NO CONSUMIDOR Folha de Informação Rápida. 2º Trimestre 2012 INSTITUTO NACIONAL DE ESTATISTICA CABO VERDE INQUÉRITO DE CONJUNTURA NO CONSUMIDOR Folha de Informação Rápida 2º Trimestre 2012 Agosto 2012 Ficha Técnica Presidente Antonio Duarte Editor Instituto Nacional

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE ESTATISTICA CABO VERDE. INQUÉRITO DE CONJUNTURA NO CONSUMIDOR Folha de Informação Rápida. 4º Trimestre 2012

INSTITUTO NACIONAL DE ESTATISTICA CABO VERDE. INQUÉRITO DE CONJUNTURA NO CONSUMIDOR Folha de Informação Rápida. 4º Trimestre 2012 INSTITUTO NACIONAL DE ESTATISTICA CABO VERDE INQUÉRITO DE CONJUNTURA NO CONSUMIDOR Folha de Informação Rápida 4º Trimestre 2012 Janeiro 2013 Ficha Técnica Presidente Antonio Duarte Editor Instituto Nacional

Leia mais

11 Outubro de 2012 Inquéritos de Conjuntura às Empresas Outubro de 2012

11 Outubro de 2012 Inquéritos de Conjuntura às Empresas Outubro de 2012 11 Outubro de 2012 Inquéritos de Conjuntura às Empresas Outubro de 2012 No 3º trimestre de 2012 constata-se que, o indicador de clima 1 manteve a tendência descendente do último trimestre, ou seja, o ritmo

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE ESTATISTICA CABO VERDE. INQUÉRITO DE CONJUNTURA NO CONSUMIDOR Folha de Informação Rápida. 1º Trimestre 2015

INSTITUTO NACIONAL DE ESTATISTICA CABO VERDE. INQUÉRITO DE CONJUNTURA NO CONSUMIDOR Folha de Informação Rápida. 1º Trimestre 2015 INSTITUTO NACIONAL DE ESTATISTICA CABO VERDE INQUÉRITO DE CONJUNTURA NO CONSUMIDOR Folha de Informação Rápida 1º Trimestre 2015 Abril 2015 Ficha Técnica Presidente Antonio Duarte Editor Instituto Nacional

Leia mais

Quebras de Produção Intensificam-se

Quebras de Produção Intensificam-se Associações Filiadas: AECOPS Associação de Empresas de Construção e Obras Públicas e Serviços AICCOPN Associação dos Industriais da Construção Civil e Obras Públicas ANEOP Associação Nacional dos Empreiteiros

Leia mais

FICHA TÉCNICA. Presidente António dos Reis Duarte

FICHA TÉCNICA. Presidente António dos Reis Duarte FICHA TÉCNICA Presidente António dos Reis Duarte Editor Instituto Nacional de Estatística Direcção de Contas Nacionais, Estatísticas Económicas e dos Serviços Divisão de Estatísticas do Turismo Av. Cidade

Leia mais

Crise da construção acentua-se, embora com quebras menos pronunciadas

Crise da construção acentua-se, embora com quebras menos pronunciadas Associações Filiadas: AECOPS Associação de Empresas de Construção e Obras Públicas e Serviços AICCOPN Associação dos Industriais da Construção Civil e Obras Públicas Conjuntura da Construção n.º 70 Julho

Leia mais

Inquérito de Conjuntura ao Sector Industrial Exportador 1º Trimestre de 2008

Inquérito de Conjuntura ao Sector Industrial Exportador 1º Trimestre de 2008 Inquérito de Conjuntura ao Sector Industrial Exportador 1º Trimestre de 2008 De acordo com os resultados do Inquérito de Conjuntura ao Sector Industrial Exportador (I.C.S.I.E.) no 1º trimestre de 2008,

Leia mais

Expectativas de crescimento do investimento empresarial em 2015

Expectativas de crescimento do investimento empresarial em 2015 Inquérito de Conjuntura ao Investimento Inquérito de abril de 2015 09 de junho de 2015 Expectativas de crescimento do investimento empresarial em 2015 De acordo com as intenções manifestadas pelas empresas

Leia mais

Conjuntura da Construção n.º 77 O SETOR CONTINUA EM CRISE MAS EMPRESÁRIOS ACREDITAM NA RECUPERAÇÃO

Conjuntura da Construção n.º 77 O SETOR CONTINUA EM CRISE MAS EMPRESÁRIOS ACREDITAM NA RECUPERAÇÃO FEPICOP - FEDERAÇÃO PORTUGUESA DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO E OBRAS PÚBLICAS Associações Filiadas: AECOPS Associação de Empresas de Construção e Obras Públicas e Serviços AICCOPN Associação dos Industriais

Leia mais

Contas Económicas da Silvicultura 1990 2001

Contas Económicas da Silvicultura 1990 2001 Informação à Comunicação Social 27 de Dezembro de 22 Contas Económicas da Silvicultura 199 21 O Valor Acrescentado Bruto da Silvicultura decresceu,4% em termos reais, mas aumentou 35% em valor entre 199

Leia mais

ARTIGOS GPEARI-MFAP. Economia dos EUA e Comparação com os períodos de 1990-1991 e 2000 2001. Clara Synek * Resumo

ARTIGOS GPEARI-MFAP. Economia dos EUA e Comparação com os períodos de 1990-1991 e 2000 2001. Clara Synek * Resumo ARTIGOS GPEARI-MFAP Abril, ART/ Economia dos EUA e Comparação com os períodos de - e Clara Synek * Resumo O actual período de abrandamento da economia dos EUA, iniciado em e previsto acentuar-se no decurso

Leia mais

Hotelaria com aumentos nas dormidas e proveitos

Hotelaria com aumentos nas dormidas e proveitos Atividade Turística Junho 2013 14 de agosto de 2013 Hotelaria com aumentos nas dormidas e proveitos A hotelaria registou 4,4 milhões de dormidas em junho de 2013, mais 8,6% do que em junho de 2012. Para

Leia mais

Valor médio de avaliação bancária acentua tendência decrescente

Valor médio de avaliação bancária acentua tendência decrescente Inquérito à Avaliação Bancária na Dezembro de 2011 26 de janeiro de 2012 Valor médio de avaliação bancária acentua tendência decrescente O valor médio de avaliação bancária de habitação 1 do total do País

Leia mais

Índice de Preços Turístico

Índice de Preços Turístico Índice de Preços Turístico 04 de Setembro de 2015 2º Trimestre 2015 Contacto (s): Olga Cruz Próxima edição: 16 de Outubro 2015 (3º Trim.) Olga.cruz@ine.gov.cv Raimundo Lopes Raimundo.lopes@ine.gov.cv Preços

Leia mais

Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança

Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança D A T A A B E C I P A B R I L, 2 0 1 6 D E S T A Q U E S D O M Ê S São Paulo, 27 de maio de 2016 Crédito imobiliário alcança R$ 3,5 bilhões em abril

Leia mais

Inquérito de Conjuntura

Inquérito de Conjuntura INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA / DIRECÇÃO GERAL DE PLANEAMENTO Inquérito de Conjuntura RELATÓRIO DE CONJUNTURA S.TOMÉ E PRÍNCIPE Iº Trimestre /2014 Ficha Técnica Directora-geral do INE: Elsa Cardoso

Leia mais

ACEPI/Netsonda Barómetro Trimestral do Comércio Electrónico em Portugal 1º Trimestre 2010. Página 1

ACEPI/Netsonda Barómetro Trimestral do Comércio Electrónico em Portugal 1º Trimestre 2010. Página 1 Página 1 Sobre a ACEPI A ACEPI - Associação de Comércio Electrónico e Publicidade Interactiva, nova designação da ACEP, após ter passado a integrar também as entidades e os profissionais da área da publicidade

Leia mais

SONDAGEM INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO

SONDAGEM INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO Indicadores CNI ISSN 2317-7322 Ano 6 Número 12 dezembro de SONDAGEM INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO Indústria da construção termina ano com queda intensa A indústria da construção encerrou com queda intensa e

Leia mais

movimentos aéreos movimentos marítimos dormidas estada média taxas de ocupação proveitos médios/dormida receitas do turismo

movimentos aéreos movimentos marítimos dormidas estada média taxas de ocupação proveitos médios/dormida receitas do turismo movimentos aéreos movimentos marítimos dormidas estada média taxas de ocupação proveitos médios/dormida receitas do turismo Em Fevereiro de, o número de passageiros desembarcados de voos internacionais

Leia mais

Mercado de trabalho e Situação Financeira das Empresas em degradação acentuada

Mercado de trabalho e Situação Financeira das Empresas em degradação acentuada FEPICOP - FEDERAÇÃO PORTUGUESA DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO E OBRAS PÚBLICAS Associações Filiadas: AECOPS Associação de Empresas de Construção e Obras Públicas e Serviços AICCOPN Associação dos Industriais

Leia mais

Indicadores de confiança e de clima económico Maputo, Setembro/2015

Indicadores de confiança e de clima económico Maputo, Setembro/2015 Setembro 2015 Instituto Nacional de Estatística Indicadores de confiança e de clima económico Brochura de publicação Mensal Reprodução autorizada, excepto para fins comerciais, com indicação da fonte bibliográfica

Leia mais

RECRUTAMENTO EM ADVOCACIA NÃO ESTAGNOU CONTRATAÇÃO DE ADVOGAFOS DA EMPRESA CRESCE EM 2011

RECRUTAMENTO EM ADVOCACIA NÃO ESTAGNOU CONTRATAÇÃO DE ADVOGAFOS DA EMPRESA CRESCE EM 2011 No âmbito do dia do Advogado, celebrado a 19 de Maio, a Michael Page Portugal faz levantamento de informação e revela dados sobre o sector da Advocacia em Portugal. RECRUTAMENTO EM ADVOCACIA NÃO ESTAGNOU

Leia mais

Certificação do Controlo da Produção

Certificação do Controlo da Produção Certificação do Controlo da Produção 1. Sistema de controlo da produção Eng.º João Carlos Duarte Chefe de Serviços de Normalização APEB O Decreto-Lei n.º 301/2007, de 23 de Agosto, estabelece no seu Artigo

Leia mais

3.2 Companhias de seguros

3.2 Companhias de seguros como, por exemplo, do investimento em infra-estruturas de grande envergadura, do papel da RAEM como plataforma de serviços entre o Interior da China e os países de língua portuguesa, assim como da estratégia

Leia mais

Hóspedes, dormidas e proveitos mantêm crescimento significativo

Hóspedes, dormidas e proveitos mantêm crescimento significativo Atividade Turística Julho de 20 15 de setembro de 20 Hóspedes, dormidas e proveitos mantêm crescimento significativo A hotelaria registou 5,8 milhões de dormidas em julho de 20, valor correspondente a

Leia mais

Instituto Nacional de Estatística de Cabo Verde Estatísticas do Turismo Movimentação de Hospedes 2º Trimestre 2015

Instituto Nacional de Estatística de Cabo Verde Estatísticas do Turismo Movimentação de Hospedes 2º Trimestre 2015 FICHA TÉCNICA Presidente António dos Reis Duarte Editor Instituto Nacional de Estatística Direcção de Contas Nacionais, Estatísticas Económicas e dos Serviços Divisão de Estatísticas do Turismo Av. Amilcar

Leia mais

Standard Bank, SARL Relatório do Conselho de Administração sobre os Resultados Financeiros à data de 31 de Dezembro de 2006

Standard Bank, SARL Relatório do Conselho de Administração sobre os Resultados Financeiros à data de 31 de Dezembro de 2006 Gestão do capital Adequação dos capitais próprios Dez-06 Dez-05 Tier I 9,3% 13,5% Tier II 0,1% 0,1% Tier III - - Total 9,4% 13,6% O mínimo exigido pelo Banco de Moçambique é 8% O rácio de adequação dos

Leia mais

Instituto Nacional de Estatística de Cabo Verde Estatísticas do Turismo Movimentação de Hóspedes 1º Tr. 2015

Instituto Nacional de Estatística de Cabo Verde Estatísticas do Turismo Movimentação de Hóspedes 1º Tr. 2015 1 FICHA TÉCNICA Presidente António dos Reis Duarte Editor Instituto Nacional de Estatística Direcção de Método e Gestão de Informação Serviço de Conjuntura Direcção de Contas Nacionais, Estatísticas Económicas

Leia mais

Câmara do Comércio de Angra do Heroísmo. Associação Empresarial das Ilhas Terceira, Graciosa e São Jorge. Comércio e Serviços. Conjuntura do Comércio

Câmara do Comércio de Angra do Heroísmo. Associação Empresarial das Ilhas Terceira, Graciosa e São Jorge. Comércio e Serviços. Conjuntura do Comércio Comércio e Serviços Janeiro Fevereiro Volume de Vendas (Média Móvel 3 Meses) -52-53 -30 Volume de Encomendas (Média Móvel 3 Meses) -60-60 -35 Previsão de Atividade (Média Móvel 3 Meses) -44-44 -27 Previsão

Leia mais

Nota de Informação Estatística Lisboa, 21 de outubro de 2013

Nota de Informação Estatística Lisboa, 21 de outubro de 2013 Nota de Informação Estatística Lisboa, 1 de outubro de 13 Novas estatísticas das não financeiras da Central de Balanços O Banco de Portugal passa a divulgar no Boletim Estatístico (secção A.19 e Capítulo

Leia mais

Indicador de confiança dos Consumidores aumenta e indicador de clima económico suspende trajetória de crescimento

Indicador de confiança dos Consumidores aumenta e indicador de clima económico suspende trajetória de crescimento 29 de setembro de 2014 INQUÉRITOS DE CONJUNTURA ÀS EMPRESAS E AOS CONSUMIDORES Setembro de 2014 Indicador de confiança dos Consumidores aumenta e indicador de clima económico suspende trajetória de crescimento

Leia mais

GUIA PRÁTICO MEDIDAS ESPECÍFICAS E TRANSITÓRIAS DE APOIO E ESTÍMULO AO EMPREGO

GUIA PRÁTICO MEDIDAS ESPECÍFICAS E TRANSITÓRIAS DE APOIO E ESTÍMULO AO EMPREGO GUIA PRÁTICO MEDIDAS ESPECÍFICAS E TRANSITÓRIAS DE APOIO E ESTÍMULO AO EMPREGO ISENÇÃO DO PAGAMENTO DE CONTRIBUIÇÕES APOIO À REDUÇÃO DA PRECARIEDADE NO EMPREGO DOS JOVENS INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL,

Leia mais

Indicadores de confiança e de clima económico Maputo, Março/2015

Indicadores de confiança e de clima económico Maputo, Março/2015 Março 2015 Instituto Nacional de Estatística Indicadores de confiança e de clima económico Brochura de publicação Mensal Reprodução autorizada, excepto para fins comerciais, com indicação da fonte bibliográfica

Leia mais

BARÓMETRO PME COMÉRCIO E SERVIÇOS 4º TRIMESTRE 2013 DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS

BARÓMETRO PME COMÉRCIO E SERVIÇOS 4º TRIMESTRE 2013 DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 14 DE ABRIL 2014 BARÓMETRO PME COMÉRCIO E SERVIÇOS PRINCIPAIS RESULTADOS 1.1 - EVOLUÇÃO DO VOLUME DE NEGÓCIOS Volume de Negócios no 4º Trimestre de 2013 (t.v.h.) Aumentou em 42,5%

Leia mais

Portal Mobilidade e Transportes

Portal Mobilidade e Transportes ART L A R V I R ARTICU TER Ações para o desenvolvimento regional http://mt.ccdr-alg.pt ARTICU TER Ações para o desenvolvimento regional Início: 2009 Objectivo genérico: No âmbito dos trabalhos do Boletim

Leia mais

Projeto de reflexão, investigação e debate: O papel das empresas na comunidade

Projeto de reflexão, investigação e debate: O papel das empresas na comunidade Projeto de reflexão, investigação e debate: O papel das empresas na comunidade Edição 2012 1 ÍNDICE 1. A METODOLOGIA UTILIZADA 3 2. SUMÁRIO EXECUTIVO 4 3. RESULTADOS FINANCEIROS 5 4. PRINCIPAIS CONCLUSÕES

Leia mais

II.12.1 - Estabelecimentos de Instituições Bancárias e Seguradoras e respectivo Pessoal ao Serviço, em 2000

II.12.1 - Estabelecimentos de Instituições Bancárias e Seguradoras e respectivo Pessoal ao Serviço, em 2000 II.2. - Estabelecimentos de Instituições Bancárias e Seguradoras e respectivo Pessoal ao Serviço, em 2000 Bancos e Caixas Económicas Estabelecimentos Caixas de Crédito Agrícola Mútuo Bancos, Caixas Económicas

Leia mais

O comportamento recente da taxa real de juros no Brasil: existe espaço para uma queda maior da taxa de juros?

O comportamento recente da taxa real de juros no Brasil: existe espaço para uma queda maior da taxa de juros? O comportamento recente da taxa real de juros no Brasil: existe espaço para uma queda maior da taxa de juros? José Luís Oreiro * O Banco Central do Brasil iniciou o recente ciclo de flexibilização da política

Leia mais

POLÍTICA DE PREVENÇÃO E GESTÃO DE CONFLITOS DE INTERESSE DO BANCO ESPIRITO SANTO NO ÂMBITO DAS ACTIVIDADES DE INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA

POLÍTICA DE PREVENÇÃO E GESTÃO DE CONFLITOS DE INTERESSE DO BANCO ESPIRITO SANTO NO ÂMBITO DAS ACTIVIDADES DE INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA POLÍTICA DE PREVENÇÃO E GESTÃO DE CONFLITOS DE INTERESSE DO BANCO ESPIRITO SANTO NO ÂMBITO DAS ACTIVIDADES DE INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA 1. Introdução O Banco Espírito Santo, S.A. (o Banco) desenvolve diversas

Leia mais

PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL DO IIA: CIA, CCSA, CFSA, CGAP

PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL DO IIA: CIA, CCSA, CFSA, CGAP PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL DO IIA: CIA, CCSA, CFSA, CGAP PRINCIPAIS ALTERAÇÕES NO PROCESSO DE REGISTO E REALIZAÇAO DOS EXAMES Como é sabido, operou-se em 2008 uma alteração significativa no

Leia mais

ÁGUAS DO CENTRO ALENTEJO, S.A. PROGRAMA DE PROCEDIMENTO

ÁGUAS DO CENTRO ALENTEJO, S.A. PROGRAMA DE PROCEDIMENTO ÁGUAS DO CENTRO ALENTEJO, S.A. PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE LIMPEZA E DESOBSTRUÇÃO DE INFRAESTRUTURAS DA AdCA PROGRAMA DE PROCEDIMENTO Página 1 de 11 ÁGUAS DO CENTRO ALENTEJO, S.A. PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE

Leia mais

DIA MUNDIAL DO CANCRO: 4/2/2015 ONCOLOGIA NA RAM - RELATÓRIO INFOGRÁFICO

DIA MUNDIAL DO CANCRO: 4/2/2015 ONCOLOGIA NA RAM - RELATÓRIO INFOGRÁFICO 1. CARACTERIZAÇÃO DA MORTALIDADE 1.1 Principais causas de morte, 2010-2013, RAM 1.2 Taxa de mortalidade padronizada (/100.000 hab), Região (RAM, RAA e Portugal), 2009 a 2012 Fonte: Estatísticas da Saúde,

Leia mais

AS EMPRESAS GAZELA E AS EMPRESAS DE CRESCIMENTO ELEVADO

AS EMPRESAS GAZELA E AS EMPRESAS DE CRESCIMENTO ELEVADO AS EMPRESAS GAZELA E AS EMPRESAS DE CRESCIMENTO ELEVADO (2006 2009) Maio 2011 1 OBJECTIVOS Identificar as empresas gazela e as empresas de crescimento elevado (ECE) do tecido empresarial português. Caracterizar

Leia mais

Portugal: crescimento moderado, mas estável, no 3T14

Portugal: crescimento moderado, mas estável, no 3T14 out 1 ANÁLISE MACROECONÓMICA Portugal: crescimento moderado, mas estável, no 3T1 Miguel Jiménez / Agustín García / Diego Torres / Massimo Trento / Pablo Budde / Ana María Almeida Claudino O modelo MICA-BBVA

Leia mais

INSTRUÇÃO INFORMÁTICA N.º 36/2007 CONTROLO DE PRAZOS DE REGULARIZAÇÃO DE SINISTROS DE DANOS MATERIAIS COM DANOS CORPORAIS

INSTRUÇÃO INFORMÁTICA N.º 36/2007 CONTROLO DE PRAZOS DE REGULARIZAÇÃO DE SINISTROS DE DANOS MATERIAIS COM DANOS CORPORAIS INSTRUÇÃO INFORMÁTICA N.º 36/2007 CONTROLO DE PRAZOS DE REGULARIZAÇÃO DE SINISTROS DE DANOS MATERIAIS COM DANOS CORPORAIS Objectivo Instruções para a constituição do ficheiro, em suporte informático, para

Leia mais

EDITAL PROCESSO SELETIVO PARA AUXILIAR DE SAÚDE BUCAL ESF SORRI BAURU MARÇO 2016

EDITAL PROCESSO SELETIVO PARA AUXILIAR DE SAÚDE BUCAL ESF SORRI BAURU MARÇO 2016 EDITAL PROCESSO SELETIVO PARA AUXILIAR DE SAÚDE BUCAL ESF SORRI BAURU MARÇO 2016 A SORRI BAURU, por meio de sua Diretoria Executiva, convoca os interessados a participar do processo seletivo para a contratação

Leia mais

ACTIVIDADE TURÍSTICA 1999

ACTIVIDADE TURÍSTICA 1999 Informação à Comunicação Social 26 de Junho de 2000 ACTIVIDADE TURÍSTICA 1999 Em 31 de Julho de 1999, o número total de estabelecimentos na hotelaria tradicional recenseada (Hotéis, Hotéis-Apartamentos,

Leia mais

FACULDADE DE ECONOMIA UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA. Exame 2.ª época de Contabilidade Financeira 2.º semestre 2007/08

FACULDADE DE ECONOMIA UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA. Exame 2.ª época de Contabilidade Financeira 2.º semestre 2007/08 FACULDADE DE ECONOMIA UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA Exame 2.ª época de Contabilidade Financeira 2.º semestre 2007/08 Data: 28 de Junho de 2008 Início: 11h30m Duração: 2h15m Cotação e tempo esperado de resolução:

Leia mais

movimentos aéreos movimentos marítimos dormidas hóspedes estada média taxas ocupação proveitos médios balança turística

movimentos aéreos movimentos marítimos dormidas hóspedes estada média taxas ocupação proveitos médios balança turística Variações relativas ao 3º trimestre 2005: movimentos aéreos +3% no movimento de passageiros desembarcados de voos internacionais clássicos; +40,1%movimento de passageiros desembarcados de voos low-cost;

Leia mais

RESULTADOS GLOBAIS PRELIMINARES Milhões de Euros

RESULTADOS GLOBAIS PRELIMINARES Milhões de Euros 00 99 DDEE FF EEVVEERREEI IIRROO DDEE 22000099 Estatísticas do Comércio Internacional Novembro de 2008 Comércio Internacional I Saídas diminuem 5,9 e Entradas 1,5 No trimestre terminado em Novembro de

Leia mais

IRC opção pelo regime simplificado

IRC opção pelo regime simplificado IRC opção pelo regime simplificado Está em curso durante o presente mês de fevereiro o prazo concedido aos sujeitos passivos de IRC para procederem à opção pelo regime simplificado de determinação da matéria

Leia mais

MARCA NACIONAL Nº 529192

MARCA NACIONAL Nº 529192 MARCA NACIONAL Nº 529192 Síntese do Processo Nº do Pedido 1000030835 Data de Apresentação 15-04-2014 Data do Pedido 15-04-2014 Tipo de Modalidade NÃO APLICÁVEL A ESTA MODALIDADE Fase Actual REGISTO CONCEDIDO

Leia mais

PROJECTO DE DECRETO LEGISLATIVO REGIONAL. Apoio Financeiro à Aquisição de Habitação Própria. Programa Casa Própria. Senhoras e Senhores Deputados

PROJECTO DE DECRETO LEGISLATIVO REGIONAL. Apoio Financeiro à Aquisição de Habitação Própria. Programa Casa Própria. Senhoras e Senhores Deputados Intervenção do Deputado José Manuel Bolieiro PROJECTO DE DECRETO LEGISLATIVO REGIONAL Apoio Financeiro à Aquisição de Habitação Própria Programa Casa Própria Senhor Presidente da Assembleia Legislativa

Leia mais

VIII Oficinas de Formação A Escola na Sociedade da Informação e do Conhecimento praticar ao Sábado. E-learning. 3 de Março de 2007

VIII Oficinas de Formação A Escola na Sociedade da Informação e do Conhecimento praticar ao Sábado. E-learning. 3 de Março de 2007 VIII Oficinas de Formação A Escola na Sociedade da Informação e do Conhecimento praticar ao Sábado E-learning 3 de Março de 2007 Plataformas de E-learning em contexto educativo Intervenção de José Luís

Leia mais

CADERNO DE ENCARGOS. Aquisição de serviços de formação comportamental e motivação de equipas espap

CADERNO DE ENCARGOS. Aquisição de serviços de formação comportamental e motivação de equipas espap CADERNO DE ENCARGOS Aquisição de serviços de formação comportamental e motivação de equipas espap ÍNDICE CLÁUSULAS JURÍDICAS... 3 Cláusula 1.ª Objeto... 3 Cláusula 2.ª Local da prestação de serviços...

Leia mais

UTILIZAÇÃO DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO PELAS FAMÍLIAS 2001

UTILIZAÇÃO DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO PELAS FAMÍLIAS 2001 Informação à Comunicação Social 15 de Março de 22 UTILIZAÇÃO DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO PELAS FAMÍLIAS 21 No terceiro trimestre de 21, cerca de um quarto das famílias portuguesas - 24%

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE Handhelds, Manutenção de Subestação, Tecnologia da Informação.

PALAVRAS-CHAVE Handhelds, Manutenção de Subestação, Tecnologia da Informação. 21 a 25 de Agosto de 2006 Belo Horizonte - MG Utilização de Computadores de Mão (Handheld) pelos Eletricistas da Manutenção de Subestação e Linhas da AES Eletropaulo no Controle de Inspeções e Ordens de

Leia mais

Unidade Funcional de Estudos e Planeamento de Recursos Humanos

Unidade Funcional de Estudos e Planeamento de Recursos Humanos Unidade Funcional de Estudos e Planeamento de Recursos Humanos 1 UNIDADE FUNCIONAL DE ESTUDOS E PLANEAMENTO DE RECURSOS HUMANOS ACIDENTES DE TRABALHO ANO 2007 COORDENAÇÃO: Dr. José Carlos Amaral Coordenador

Leia mais

Indicadores Económicos & Financeiros Julho 2013. Banco de Cabo Verde

Indicadores Económicos & Financeiros Julho 2013. Banco de Cabo Verde Indicadores Económicos & Financeiros Julho 2013 Banco de Cabo Verde BANCO DE CABO VERDE Departamento de Estudos Económicos e Estatísticas Avenida Amílcar Cabral, 27 CP 7600-101 - Praia - Cabo Verde Tel:

Leia mais

Administração Pública Central Inquérito à Utilização das Tecnologias da Informação e da Comunicação Resultados 2000

Administração Pública Central Inquérito à Utilização das Tecnologias da Informação e da Comunicação Resultados 2000 Administração Pública Central Inquérito à Utilização das Tecnologias da Informação e da Comunicação Resultados 2000 NOTA TÉCNICA Universo de referência Organismos da Administração Pública Central Realização

Leia mais

Linha de Crédito PME CRESCIMENTO 2014 (Condições da Linha)

Linha de Crédito PME CRESCIMENTO 2014 (Condições da Linha) Linha de Crédito PME CRESCIMENTO 2014 (Condições da Linha) Linha de Crédito Bonificada com Garantia Mútua (atualizado a 30 de abril de 2014) UNIÃO EUROPEIA Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional Enquadramento

Leia mais

INFORMAÇÃO TRIMESTRAL INDIVIDUAL (Não Auditada)

INFORMAÇÃO TRIMESTRAL INDIVIDUAL (Não Auditada) INFORMAÇÃO TRIMESTRAL INDIVIDUAL (Não Auditada) Elementos do Balanço Individual (POC) 30.09.2007 30.09.2006 AB AA AL AL Var. (%) ACTIVO IMOBILIZADO: Imobilizações incorpóreas: Imobilizações incorpóreas

Leia mais

Dormidas de não residentes continuam a aumentar

Dormidas de não residentes continuam a aumentar Actividade Turística Novembro de 2010 10 de Janeiro de 2011 Dormidas de não residentes continuam a aumentar No mês de Novembro de 2010 a hotelaria registou cerca de dois milhões de dormidas, valor muito

Leia mais

BPI αlpha O FEI que investe em Produtos Estruturados.

BPI αlpha O FEI que investe em Produtos Estruturados. O FEI que investe em Produtos Estruturados. UMA NOVA FORMA DE INVESTIR O BPI Alpha é o primeiro Fundo Especial de Investimento (FEI) do BPI e tem como objectivo principal dar aos clientes o acesso a uma

Leia mais

01-03-2015. Relatório de Contas 2014 Câmara Municipal do Fundão. Departamento de Administração e Finanças

01-03-2015. Relatório de Contas 2014 Câmara Municipal do Fundão. Departamento de Administração e Finanças 01-03-2015 Relatório de Contas 2014 Câmara Municipal do Fundão Departamento de Administração e Finanças Relatório de Contas 2014 Câmara Municipal do Fundão Indíce Conteúdo Indíce... 1 Execução Orçamental...

Leia mais

Edital Concurso Cultural de Pintura em Tela 7º Festival Regional do Umbu

Edital Concurso Cultural de Pintura em Tela 7º Festival Regional do Umbu Edital Concurso Cultural de Pintura em Tela 7º Festival Regional do Umbu 1. PROMOÇÃO E REALIZAÇÃO 1.1 A Cooperativa Agropecuária Familiar de Canudos, Uauá e Curaçá (COOPERCUC), promove durante o 7º Festival

Leia mais

IVA - REGIME ESPECIAL DE ISENÇÃO PREVISTO NO ARTIGO 53.º DO CÓDIGO DO IVA

IVA - REGIME ESPECIAL DE ISENÇÃO PREVISTO NO ARTIGO 53.º DO CÓDIGO DO IVA Classificação: 020.01.10 Seg.: P úbli ca Proc.: 2012 004921 DIREÇÃO DE SERVIÇOS DO IVA Of.Circulado N.º: 30138/2012 2012-12-27 Entrada Geral: N.º Identificação Fiscal (NIF): 770 004 407 Sua Ref.ª: Técnico:

Leia mais

Lucratividade: Crescer, Sobreviver ou Morrer

Lucratividade: Crescer, Sobreviver ou Morrer Lucratividade: Crescer, Sobreviver ou Morrer Foco da Palestra Orientar e esclarecer os conceitos de Lucratividade e a importância para existência e sucesso das empresas. Proporcionar aos participantes

Leia mais

ICIT - INQUÉRITO QUALITATIVO DE CONJUNTURA À INDÚSTRIA TRANSFORMADORA

ICIT - INQUÉRITO QUALITATIVO DE CONJUNTURA À INDÚSTRIA TRANSFORMADORA INSTRUMENTO DE NOTAÇÃO DO SISTEMA ESTATÍSTICO NACIONAL (LEI Nº 22/2008 DE 13 DE MAIO) DE RESPOSTA CONFIDENCIAL E OBRIGATÓRIA, REGISTADO NO INE SOB O Nº 10204 VÁLIDO ATÉ 2017/12/31 ICIT - INQUÉRITO QUALITATIVO

Leia mais

PROPOSTA DE FORNECIMENTO DE SERVIÇOS APOIO REMOTO À EXECUÇÃO DA CONTABILIDADE POC-EDUCAÇÃO

PROPOSTA DE FORNECIMENTO DE SERVIÇOS APOIO REMOTO À EXECUÇÃO DA CONTABILIDADE POC-EDUCAÇÃO PROPOSTA DE FORNECIMENTO DE SERVIÇOS (DESIGNAÇÃO DA ESCOLA) dia de mês de ano SNN SERVIÇOS DE GESTÃO APLICADA, LDA ÍNDICE INTRODUÇÃO... 3 DESCRIÇÃO DOS SERVIÇOS... 3 METODOLOGIA E CRONOGRAMA... 5 Metodologia...

Leia mais

ORÇAMENTO DO ESTADO PARA 2008

ORÇAMENTO DO ESTADO PARA 2008 A?. dod- e PROPOSTA DE ALTERAÇÃO A PROPOSTA DE LEI N" 1621X ORÇAMENTO DO ESTADO PARA 2008 Exposição de Motivos Tem sido subestimado entre nós o contributo da política fiscal para a elevação do PIB potencial.

Leia mais

PROGRAMA DE SUBSTITUIÇÃO DE BATERIAS DE COMPUTADORES PORTÁTEIS HP

PROGRAMA DE SUBSTITUIÇÃO DE BATERIAS DE COMPUTADORES PORTÁTEIS HP RECOLHA IMPORTANTE POR MOTIVOS DE SEGURANÇA PROGRAMA DE SUBSTITUIÇÃO DE BATERIAS DE COMPUTADORES PORTÁTEIS HP 14 de Outubro de 2005 Destaques do Programa: O presente Programa diz respeito a uma questão

Leia mais

A crise econômica sob a ótica do jovem empreendedor

A crise econômica sob a ótica do jovem empreendedor A crise econômica sob a ótica do jovem empreendedor Otimismo e autoconfiança são marcas do jovem empreendedor no Brasil. Percepção da crise é menor quando empresários olham para o próprio negócio A pesquisa

Leia mais

Custos do Mercado. Regulamento n.º 1/2005, de 22 de Janeiro de 2007 B.O n.º 4 - I Série

Custos do Mercado. Regulamento n.º 1/2005, de 22 de Janeiro de 2007 B.O n.º 4 - I Série Custos do Mercado Regulamento n.º 1/2005, de 22 de Janeiro de 2007 B.O n.º 4 - I Série Regulamento n.º 2/2006, de 22 de Janeiro de 2007 B.O n.º 4 - I Série Rectificação do Regulamento n.º 2/2006, de 5

Leia mais

Portaria n.º 1458/2009. de 31 de Dezembro

Portaria n.º 1458/2009. de 31 de Dezembro Portaria n.º 1458/2009 de 31 de Dezembro O Governo suspendeu, durante o ano de 2010, o mecanismo de actualização do indexante dos apoios sociais (IAS), das prestações sociais e da revalorização das remunerações

Leia mais

Adotada Total / Parcial. Fundamento da não adoção. Recomendação. Não adotada. 1. Princípios Gerais

Adotada Total / Parcial. Fundamento da não adoção. Recomendação. Não adotada. 1. Princípios Gerais / 1. Princípios Gerais As instituições devem adotar uma política de remuneração consistente com uma gestão e controlo de riscos eficaz que evite uma excessiva exposição ao risco, que evite potenciais conflitos

Leia mais

D-Francoforte no Meno: Aluguer de salas de reuniões e conferências 2013/S 059-096665. Anúncio de concurso. Serviços

D-Francoforte no Meno: Aluguer de salas de reuniões e conferências 2013/S 059-096665. Anúncio de concurso. Serviços 1/5 O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:96665-2013:text:pt:html D-Francoforte no Meno: Aluguer de salas de reuniões e conferências 2013/S 059-096665 Anúncio

Leia mais

CESTA BÁSICA DE CASCA REGISTRA AUMENTO DE 2,65% NO MÊS DE MARÇO

CESTA BÁSICA DE CASCA REGISTRA AUMENTO DE 2,65% NO MÊS DE MARÇO ANO 20 Nº 209 ABRIL/2016 Publicação Mensal do Centro de Pesquisa e Extensão da Faculdade de Ciências Econômicas, Administrativas e Contábeis - CEPEAC Guilherme Mondin dos Santos (Estagiário CEPEAC/UPF);

Leia mais

Análise de Conjuntura do Sector da Construção 2º trimestre 2014

Análise de Conjuntura do Sector da Construção 2º trimestre 2014 Análise de Conjuntura do Sector da Construção 2º trimestre 2014 Apreciação Global Os dados estatísticos disponíveis para o 2º trimestre de 2014 parecem confirmar finalmente, e pela primeira vez em muitos

Leia mais

1. Objectivo. 2. Destinatários. 3. Localização. 4. Horário de funcionamento. 5. Montagem e desmontagem. 6. Condições. 7.

1. Objectivo. 2. Destinatários. 3. Localização. 4. Horário de funcionamento. 5. Montagem e desmontagem. 6. Condições. 7. F e i r a d e P r o d u t o s R e g i o n a i s 2 0 1 3 - Regulamento A Feira de Produtos Regionais, inserida no programa da Feira das Colheitas de Arouca, irá decorrer entre os dias 26 e 29 de Setembro.

Leia mais

PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA À OPERAÇÃO E ADMINISTRAÇÃO DO SISTEMA INFORMÁTICO

PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA À OPERAÇÃO E ADMINISTRAÇÃO DO SISTEMA INFORMÁTICO PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA À OPERAÇÃO E ADMINISTRAÇÃO DO SISTEMA INFORMÁTICO DEPARTAMENTO TECNICO OUTSOURCING Rua da Eira, nº18 Letra I e J Algés de Cima 1495-050 Algés Portugal Tel.:

Leia mais

CONTRIBUTO E PROPOSTAS DE ALTERAÇÃO À LEI DO CINEMA PELA ASSOCIAÇÃO DE PRODUTORES DE CINEMA

CONTRIBUTO E PROPOSTAS DE ALTERAÇÃO À LEI DO CINEMA PELA ASSOCIAÇÃO DE PRODUTORES DE CINEMA NOTA PRÉVIA ESTE CONTRIBUTO DA APC É COMPLEMENTAR DO QUE ESTA ASSOCIAÇÃO SUBSCREVEU EM CONJUNTO COM OUTRAS ASSOCIAÇÕES E NÃO SE TRATA DE UMA PROPOSTA DE LEI NOVA MAS SIM UMA ANÁLISE À PROPOSTA DE LEI DA

Leia mais

Principais alterações nas estatísticas do Banco de Portugal decorrentes dos novos manuais internacionais

Principais alterações nas estatísticas do Banco de Portugal decorrentes dos novos manuais internacionais Principais alterações nas estatísticas do Banco de Portugal decorrentes dos novos manuais internacionais Filipa Lima Diretora-Adjunta 10 de outubro de 2014 14ª Reunião da Secção Permanente de Estatísticas

Leia mais

ACESSO HABITAÇÃO MUNICIPAL Candidatura online Manual do Utilizador

ACESSO HABITAÇÃO MUNICIPAL Candidatura online Manual do Utilizador ACESSO HABITAÇÃO MUNICIPAL Candidatura online Advertências e Indicações Antes das candidaturas serem formalizadas os candidatos deverão: Confirmar se reúnem as condições de acesso ao abrigo do Artigo 5º

Leia mais

SATAPOCAL - FICHA DE APOIO TÉCNICO Nº 2/2008/RC (Revisão de FAT 7/2003/RC)

SATAPOCAL - FICHA DE APOIO TÉCNICO Nº 2/2008/RC (Revisão de FAT 7/2003/RC) 1. QUESTÃO E SUA RESOLUÇÃO 1.1. QUESTÃO COLOCADA Que registos contabilísticos deve efectuar um município, relativamente à contracção de empréstimos de e ao seu pagamento junto das instituições de crédito?

Leia mais

Como Vender em Marrocos Uma acção à medida dos seus interesses

Como Vender em Marrocos Uma acção à medida dos seus interesses Como Vender em Marrocos Uma acção à medida dos seus interesses Ficha de Inscrição Encontre a resposta às suas dúvidas! Identifique a sessão pretendida: Lisboa AICEP (Av. 5 de Outubro, n.º 101) 21 (tarde)

Leia mais

ASSOCIAÇÃO INDUSTRIAL PORTUGUESA CCI/Câmara de Comércio e Indústria

ASSOCIAÇÃO INDUSTRIAL PORTUGUESA CCI/Câmara de Comércio e Indústria ASSOCIAÇÃO INDUSTRIAL PORTUGUESA CCI/Câmara de Comércio e Indústria Análise de Conjuntura Maio 2011 Indicador de Sentimento Económico Os indicadores de sentimento económico da União Europeia e da Área

Leia mais

CHAMADA MCT / FINEP ENERGIA DE PRODUTOS E SERVIÇOS COM TECNOLOGIA INOVADORA NA ÁREA DE

CHAMADA MCT / FINEP ENERGIA DE PRODUTOS E SERVIÇOS COM TECNOLOGIA INOVADORA NA ÁREA DE CHAMADA MCT / FINEP Ministério da Ciência e Tecnologia / Financiadora de Estudos e Projetos IDENTIFICAÇÃO DE PRODUTOS E SERVIÇOS COM TECNOLOGIA INOVADORA NA ÁREA DE ENERGIA O Ministério da Ciência e Tecnologia

Leia mais

SUBSISTEMA DE INFORMAÇÃO DE PESSOAL (SIP) INTRODUÇÃO

SUBSISTEMA DE INFORMAÇÃO DE PESSOAL (SIP) INTRODUÇÃO SUBSISTEMA DE INFORMAÇÃO DE PESSOAL (SIP) INTRODUÇÃO O Subsistema de Informação de Pessoal (SIP) foi criado em 1993, funcionando no Ministério da Administração Estatal como parte integrante do Sistema

Leia mais

DECISÃO DA COMISSÃO. de 11.12.2014

DECISÃO DA COMISSÃO. de 11.12.2014 COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 11.12.2014 C(2014) 9360 final DECISÃO DA COMISSÃO de 11.12.2014 relativa ao plano de transição nacional comunicado pela República Portuguesa, em conformidade com o artigo 32.º,

Leia mais

Dificuldades no início de 2009 Comportamentos diferentes nas diversas áreas de actividade Bosch continua a ter uma base financeira muito sólida

Dificuldades no início de 2009 Comportamentos diferentes nas diversas áreas de actividade Bosch continua a ter uma base financeira muito sólida Press Release Recessão mundial arrasta vendas e resultados Fehrenbach: Seguimos com determinação a nossa estratégia institucional Dez mil milhões de euros investidos no futuro 23 Abril 2009 PI 6234 RB

Leia mais

ACEPI/Netsonda Barómetro Trimestral do Comércio Electrónico em Portugal 2º Trimestre 2012. Página 1

ACEPI/Netsonda Barómetro Trimestral do Comércio Electrónico em Portugal 2º Trimestre 2012. Página 1 Página 1 Sobre a ACEPI A ACEPI - Associação de Comércio Electrónico e Publicidade Interactiva, é uma organização independente sem fins lucrativos, de pessoas individuais e colectivas, visando o estudo

Leia mais

RELATÓRIO SOBRE A GESTÃO DE RISCOS BANCO ABN AMRO S.A. Setembro de 2013

RELATÓRIO SOBRE A GESTÃO DE RISCOS BANCO ABN AMRO S.A. Setembro de 2013 RELATÓRIO SOBRE A GESTÃO DE RISCOS BANCO ABN AMRO S.A. Setembro de 2013 SP Rua Leopoldo Couto de Magalhães Júnior, 700, 4º andar Itaim Bibi São Paulo SP CEP: 04542000 Tel: (11) 30737400 Fax: (11) 30737404

Leia mais

Manual do Revisor Oficial de Contas. Recomendação Técnica n.º 5

Manual do Revisor Oficial de Contas. Recomendação Técnica n.º 5 Recomendação Técnica n.º 5 Revisão de Demonstrações Financeiras Intercalares Janeiro de 1988 Índice Julho de 1993 (1ª Revisão) Parágrafos Introdução 1-3 Justificação 4-5 Objectivos 6-8 Recomendações 9-17

Leia mais