Pereira Barreto, 21 de maio de 2010 Ilona Becskeházy

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Pereira Barreto, 21 de maio de 2010 Ilona Becskeházy"

Transcrição

1 Pereira Barreto, 21 de maio de 2010 Ilona Becskeházy

2 Em 2007 o PIB de São Paulo foi de R$902 bi (US$ 463 bi): 34 % do PIB do Brasil Só é menor que o PIB de 26 países no mundo É maior que o PIB dos seguintes países (por exemplo): Bélgica, Venezuela, Suécia, Áustria, Suíça, Noruega 3,E+09 3,E+09 2,E+09 2,E+09 1,E+09 5,E+08 De 2003 a 2007 São Paulo cresceu menos que o país, a região e os outros estados do SE 57% PIB Brasil, Região SE e estados em R$ Trilhões 58% 62% % 58% 56% 0,E+00 Brasil Sudeste Minas Gerais Espírito Santo Rio de Janeiro São Paulo

3 Somos 22% da população do Brasil Em 2007 o PIB per capita médio de São Paulo foi de R$ 22,6 mil A média do Brasil é de R$ 14,5 mil e da Região Sudeste é de R$19,3 mil Equivale a US$11,6 mil, abaixo de todos os países desenvolvidos ( a média da OCDE é de US$37 mil) A maior parte dos municípios (546) têm um PIB per capita de até R$20 mil/ano * Barueri, Louveira e Alumínio municípios têm PIB per capita de até R$20 mil 3 têm acima de R$100 mil*

4 Dependência Creche Ed.Infantil Matrícula Inicial no Estado de São Paulo Pré-Escola Ensino Fundamental Anos Anos Iniciais Finais Ensino Médio Total Estadual Federal Municipal Pública Privada Total Fonte: Censo Escolar 2008, INEP-MEC

5 Distribuição das matrículas e atendimento no Estado de São Paulo Creche Pré-Escola EF Anos Iniciais EF Anos Finais População na faixa escolar ² Ensino Médio População atendida Total 116% 102% 89% % de Público 55% 80% 85% 86% 86% atendimento Municipal 55% 80% 55% 21% 1% ¹ Dado não disponível. ² 6 a 14 anos.

6 Acesso: ainda há muitos alunos fora da escola, principalmente na educação infantil e no ensino médio Permanência: a conclusão da educação básica para os jovens (12 anos de estudo) ainda é um sonho a ser conquistado Qualidade: A qualidade é muito baixa e não parece melhorar Equidade: Os mais pobres ficam ainda mais para trás

7 Porcentagem de crianças de 7 a 14 anos que frequentam a escola Taxa de matrícula líquida Estado de São Paulo ,8% Brasil São Paulo Fonte: Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD). Ensino Fundamental Ensino Médio Ensino Superior *Dado do Ensino Superior não disponível para 1998.

8 Dados de fluxo para o Ensino Médio Abandono Aprovação Reprovação Distorção Idade-Série São Paulo 4,3 82,0 13,7 22,6 Brasil 12,8 74,9 12,3 44,9 Dados de conclusão para o Estado de São Paulo Concluintes da rede pública % dos concluíntes Alunos estimados no 3º EM Diferença % São Paulo % % Brasil % % Fonte: INEP-MEC, 2008

9 10 a 14 anos 15 a 17 anos 18 ou 19 anos 20 a 24 anos 25 a 29 anos 30 a 39 anos 40 a 49 anos 50 a 59 anos 60 anos ou Rússia Canadá Japão Coreia Irlanda Espanha França Estados Unidos Finlândia Reino Unido Média OCDE Alemanha Chile México Itália Brasil Anos de estudos completos na população Brasil Sudeste População com Ensino Superior Completo (%) Comparação de duas gerações Países selecionados anos anos

10 Notícia da semana passada Relatório aponta déficit de 140 mil profissionais no setor de TI em 2013 O déficit é estimado esperando o crescimento de receita, produtividade e capacidade de contratação de mão de obra. Num cenário focado apenas em serviços, a falta de profissionais qualificados sobe para 200 mil. "Na Região Sudeste, onde concentra-se 78,1% da receita líquida do setor, os egressos de graduação são em torno de 36 mil" País Engenheiros por 100 mil habitantes Número de concluintes em Engenharia em 2006 % dos concluintes em relação à população em 2006 % de engenheiros em relação ao total de concluintes China , % 38% Coréia 25 80, % 30% Índia , % 21% Brasil 6 30, % 10%

11 Médias SAEB 4ª série LP e MAT (São Paulo) Esperado LP + MAT Estadual LP Municipal LP Estadual MAT Municipal MAT Alunos abaixo do adequado 4ª série Língua Portuguesa (São Paulo) 100% 90% 80% 70% 60% 50% 40% 30% 20% 10% 0% Abaixo 200 EST Abaixo 200 MUN

12 Média do SAEB 8ª série LP e MAT (São Paulo) Esperado LP e MAT Estadual LP Municipal LP Estadual MAT Municipal MAT Alunos abaixo do adequado 8ª série Língua Portuguesa (São Paulo) 100% 90% 80% 70% 60% 50% 40% 30% 20% 10% 0% Abaixo 200 EST Abaixo 300 EST Abaixo 200 MUN Abaixo 300 MUN

13 Média do SAEB 3ª série EM LP e MAT (São Paulo) Esperado para Língua Portuguesa Esperado para Matemática Língua Portuguesa Matemática Alunos abaixo do adequado 3ª série EM Língua Portuguesa (São Paulo) 100% 90% 80% 70% 60% 50% 40% 30% 20% 10% 0% Abaixo 200 EST Abaixo 350 EST Abaixo 300 EST

14 20% mais Quintis da população 20% mais ricos branca/am preta/parda/indígena pobres branca/am preta/parda/indígena branca/am preta/parda/indígena branca/am preta/parda/indígena branca/am preta/parda/indígena 0% 20% 40% 60% 80% 100% Até o Ensino Fundamental Ensino Médio Ensino Superior

15 Padrões curriculares, de desempenho e de oportunidades de aprendizagem Sistemas de avaliação que ajudem a monitorar e a melhorar o desempenho dos alunos Autoridade, responsabilidade e prestação de contas no nível da escola Carreira docente que garanta os melhores profissionais na sala de aula Aumento do investimento no que faz diferença no aprendizado

16 Padrões Curriculares: LDB determina que o currículo deve ter base nacional comum No Brasil Diretrizes Curriculares PCNs PNLD Em São Paulo Rede estadual: São Paulo Faz Escola (proposta curricular) e Ler e Escrever. Redes municipais: 37% não tem orientações curriculares, 30% usam material estruturado.

17 Padrões de desempenho Brasil Não há definição nacional consensuada São Paulo Rede estadual estabeleceu padrões de desempenho a partir do SARESP (2007) Padrões de oportunidades de aprendizagem Constituição e LDB determinam padrão mínimo de qualidade Desde Fundef existe gasto mínimo por aluno mas não é baseado em padrão de qualidade Debate nacional do CAQi (Custo-aluno qualidade)

18 Brasil Mede a garantia do direito de aprender SAEB: amostral desde 1995 Prova Brasil: resultado por escola desde 2005 Resultados vinculado a sistema de accountability (IDEB) São Paulo Rede Estadual SARESP Desde 2007 alinhado com currículo estadual e na escala SAEB Resultado vinculado a sistema de remuneração por mérito São Paulo redes municipais Sistemas municipais de avaliação: ex. Prova São Paulo

19 Papel que a escola ocupa não é claro Indefinição sobre a melhor forma de selecionar os diretores Fragilidade do regime de colaboração entre os 3 entes federados Escola não tem autonomia para: selecionar a equipe tomar decisões pedagógicas importantes tais como atribuição de aulas, manter o professor na mesma escola, promover os melhores professores administrar orçamento relevante Escola tem sido cobrada por resultados dos alunos mas recebe pouco apoio para melhorá-los

20 Aumento de qualificação e salário não gerou melhoria na qualidade da educação Carreira pouco atrativa Formação inicial não prepara para sala de aula Concursos não focam em habilidades e competências para trabalho docente em sala de aula Formação continuada busca suprir déficit da formação inicial Plano de carreira: No geral progressão na carreira vinculada a tempo e qualificação Muitos municípios ainda não elaboraram seus planos de carreira do magistério

21 % do PIB Em milhões de Reais 5,0 4,5 4, Gasto Público com Educação 3 esferas administrativas em moeda constante 3, , , , , , , , Municípios Estados e DF Federal

22 Investimento por aluno, em US$ (2005) $ $ Pré-escola Fundamental Médio $8.000 $6.000 $4.000 $2.000 $0 22

23

24 Aprimorar regime de colaboração entre entes federados; Municípios devem elaborar diretrizes curriculares claras e objetivas que apóiem o trabalho do professor e garantam equidade; Sistemas Municipais de Avaliação devem se aproximar da sala de aula e seus resultados devem apoiar o trabalho do professor; A responsabilização das escolas por melhores resultados deve vir acompanhada dos recursos materiais, técnicos e humanos necessários para que elas atinjam esse objetivo; Melhorar equilíbrio entre autonomia e responsabilidade no nível das escolas e redes;

25 Desenvolvimento e reformulação de planos de carreiras que levem em conta atração, seleção, e retenção dos melhores profissionais nas salas de aula, alem do equilíbrio entre direitos e deveres dos profissionais da educação; Estabelecimento do padrão mínimo de qualidade e vinculação do gasto mínimo por aluno do FUNDEB a este padrão; Aumentar os gastos em educação no que agrega valor ao trabalho na sala de aula e à aprendizagem

Tabelas Anexas Capítulo 1

Tabelas Anexas Capítulo 1 Tabelas Anexas Capítulo 1 Tabela anexa 1.1 População, segundo grandes regiões Brasil e Estado de São Paulo 1980-2007 1-3 Tabela anexa 1.2 Analfabetos e total de pessoas na população de 15 anos ou mais,

Leia mais

A necessidade de uma Lei de Responsabilidade Educacional

A necessidade de uma Lei de Responsabilidade Educacional A necessidade de uma Lei de Responsabilidade Educacional 1 Um diagnóstico da educação pública no Brasil 2 Um diagnóstico da educação pública no Brasil Avanços inquestionáveis: 1. Ampliação da oferta de

Leia mais

Quanto custa financiar um PNE pra valer?

Quanto custa financiar um PNE pra valer? Quanto custa financiar um PNE pra valer? José Marcelino de Rezende Pinto USP ANPED Campanha Nacional pelo Direito à Educação CEDES Associação Nacional de Pesquisa em Financiamento da Educação - Fineduca

Leia mais

Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional 9.394/96

Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional 9.394/96 Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional 9.394/96 Tramitação 1988 Promulgação da Constituição Federal 1988 a 1991 Início de discussão do projeto Jorge Hage na Câmara 1992 Darcy Ribeiro, apoiado por

Leia mais

construindo uma agenda

construindo uma agenda Regime de colaboração: construindo uma agenda . Regime de colaboração. Sistema nacional de educação. Responsabilidade da gestão pública educacional. Esforço coordenado e planejado. Atuação propositiva

Leia mais

PRIMEIRA INFÂNCIA E DIREITO À EDUCAÇÃO

PRIMEIRA INFÂNCIA E DIREITO À EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRIMEIRA INFÂNCIA E DIREITO À EDUCAÇÃO Audiência Pública Câmara dos Deputados Brasília 2014 Extensão: 8,5 milhões km 2 População: 191,5 milhões População

Leia mais

Sistemas de Avaliação. Bonificação por Desempenho. Maria Helena Guimarães de Castro

Sistemas de Avaliação. Bonificação por Desempenho. Maria Helena Guimarães de Castro Sistemas de Avaliação Bonificação por Desempenho Maria Helena Guimarães de Castro Sistema Estadual de Educação de São Paulo Número de alunos Ensino Fundamental (1ª a 8ª séries) 2.900.000 Ensino Médio (1ª

Leia mais

Política Educacional: A experiência de Sobral/CE. Sobral - Ceará

Política Educacional: A experiência de Sobral/CE. Sobral - Ceará Política Educacional: A experiência de Sobral/CE Sobral - Ceará Ponto de partida Resultado da avaliação de leitura com alunos de 2ª série Final de 2000 48% não liam textos, frases e nem palavras 48,0%

Leia mais

Avaliação e Monitoramento do PME. Professora Marcia Adriana de Carvalho

Avaliação e Monitoramento do PME. Professora Marcia Adriana de Carvalho Avaliação e Monitoramento do PME Professora Marcia Adriana de Carvalho TEMAS 1 Por que avaliar e monitorar o PME 2 Qual a diferença entre avaliar e monitorar 3 4 Como definir plano de ações para o período

Leia mais

Sistemas de Avaliação. Bonificação por Desempenho. Maria Helena Guimarães de Castro

Sistemas de Avaliação. Bonificação por Desempenho. Maria Helena Guimarães de Castro Sistemas de Avaliação Bonificação por Desempenho Maria Helena Guimarães de Castro Sistema Estadual de Educação de São Paulo Número de alunos Ensino Fundamental 2.900.000 Ensino Médio 1.500.000 EJA 600.000

Leia mais

Wanda Engel Outubro de 2009

Wanda Engel Outubro de 2009 O Instituto Unibanco como instrumento de responsabilidade social empresarial Wanda Engel Outubro de 2009 Um momento favorável: CENÁRIO ATUAL Avanços na estabilidade e na governabilidade democrática Crescimento

Leia mais

Quais os principais desafios. do contexto atual. Juventude

Quais os principais desafios. do contexto atual. Juventude Novo Ensino Médio Novo Ensino Médio Como o Novo EM garante uma educação que promova o pleno desenvolvimento, o preparo para o exercício da cidadania e a qualificação para o trabalho previstos na CF/88

Leia mais

Consultoria de Orçamento e Fiscalização Financeira

Consultoria de Orçamento e Fiscalização Financeira INFORMATIVO TÉCNICO Nº 2/2015 PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2014-2024: LINHA DE BASE E PROJEÇÕES DE METAS INTRODUÇÃO A Lei do Plano Nacional de Educação (Lei nº 13.005, de 25 de junho de 2014) estabelece

Leia mais

Acesso e Permanência no Ensino Superior

Acesso e Permanência no Ensino Superior Acesso e Permanência no Ensino Superior José Francisco Soares Presidente do INEP Brasília-DF Março 2015 Censo da Educação Superior Características: Anual e sistemático; Declaratório; Participação obrigatória;

Leia mais

Perspectivas para 2012

Perspectivas para 2012 Abiplast Perspectivas para 2012 Antonio Delfim Netto 2 de Dezembro de 2011 São Paulo, SP 1 I.Mundo: Década de 80 e 2010 (% do PIB) 30% 23% 31% 24% 37% 22% 3,7% 3,3% 8% 7% 4,2% 4,0% 1,5% 1,2% Fonte: FMI,

Leia mais

O Imposto de Renda das Pessoas Físicas

O Imposto de Renda das Pessoas Físicas 2º Seminário de Política Tributária O Imposto de Renda das Pessoas Físicas Palestrante Jefferson José Rodrigues Secretaria da Brasília Junho 2005 Quem paga? Como paga? Progressividade Número de faixas

Leia mais

CAPACITAÇÃO DA INDÚSTRIA DA SAÚDE NO BRASIL

CAPACITAÇÃO DA INDÚSTRIA DA SAÚDE NO BRASIL AVALIAÇÃO DA GESTÃO PÚBLICA DO SUS E DO FINANCIAMENTO PÚBLICO DA SAÚDE CAPACITAÇÃO DA INDÚSTRIA DA SAÚDE NO BRASIL 1º março de 2010. A EDUCAÇÃO NO BRASIL Pequena análise da situação da escolaridade do

Leia mais

PIB DO BRASIL (VARIAÇÃO ANUAL) FONTE: IBGE ELABORAÇÃO E PROJEÇÃO: BRADESCO

PIB DO BRASIL (VARIAÇÃO ANUAL) FONTE: IBGE ELABORAÇÃO E PROJEÇÃO: BRADESCO 1 PIB DO BRASIL (VARIAÇÃO ANUAL) 1984-2014 2 2 FONTE: IBGE ELABORAÇÃO E PROJEÇÃO: BRADESCO DESAFIOS DA ECONOMIA BRASILEIRA: DEMOGRAFIA, MERCADO DE TRABALHO E AMBIENTE EXTERNO 3 3 O BAIXO DESEMPREGO NO

Leia mais

Bonificação por Desempenho

Bonificação por Desempenho Bonificação por Desempenho Sistema Educacional do Estado de São Paulo Número de alunos Ensino Fundamental (1ª a 8ª séries) 2.900.000 Ensino Médio (1ª a 3ª séries) 1.500.000 EJA 700.000 Total 5.100.000

Leia mais

Estatística e Probabilidades

Estatística e Probabilidades Estatística e Probabilidades Nesse resumo vamos mostrar como a análise crítica de séries estatísticas podem contribuir para uma compreensão mais precisa da realidade. Todos os dias ouvimos falar sobre

Leia mais

É um projeto da sociedade, uma Política Pública de Qualidade (PPQ), focada na escola, na promoção e no acompanhamento do ensino e da aprendizagem.

É um projeto da sociedade, uma Política Pública de Qualidade (PPQ), focada na escola, na promoção e no acompanhamento do ensino e da aprendizagem. É um projeto da sociedade, uma Política Pública de Qualidade (PPQ), focada na escola, na promoção e no acompanhamento do ensino e da aprendizagem. Está pautada no compromisso, no diálogo, no planejamento

Leia mais

EQUIPE. Pesquisadoras Sofia Lerche Vieira Eloísa Maia Vidal. Colaboração Iasmin da Costa Marinho Pamela Felix Freitas

EQUIPE. Pesquisadoras Sofia Lerche Vieira Eloísa Maia Vidal. Colaboração Iasmin da Costa Marinho Pamela Felix Freitas EQUIPE Pesquisadoras Sofia Lerche Vieira Eloísa Maia Vidal Colaboração Iasmin da Costa Marinho Pamela Felix Freitas Estudos & Pesquisas Fundação Victor Civita (FVC) 2007-2012 18 estudos Formatos: relatório,

Leia mais

Líderes em Gestão Escolar 2º seminário Currículo, padrões educacionais e legislação. Guiomar Namo de Mello 06 de outubro de 2009

Líderes em Gestão Escolar 2º seminário Currículo, padrões educacionais e legislação. Guiomar Namo de Mello 06 de outubro de 2009 Líderes em Gestão Escolar 2º seminário Currículo, padrões educacionais e legislação Guiomar Namo de Mello 06 de outubro de 2009 CURRÍCULO: O ALINHAMENTO NECESSÁRIO 1 A educação escolar básica como política

Leia mais

Educação no Brasil para o século XXI. Claudia Costin

Educação no Brasil para o século XXI. Claudia Costin Educação no Brasil para o século XXI Claudia Costin Avanços e Desafios Brasil é a 6ª economia no mundo, mas apenas a 53ª em Educação (PISA 2009) Por que? Alguns dados sobre a Educação no Brasil Brasil

Leia mais

Envelhecimento Populacional e seus impactos sobre Previdência: A necessidade de reforma

Envelhecimento Populacional e seus impactos sobre Previdência: A necessidade de reforma Envelhecimento Populacional e seus impactos sobre Previdência: A necessidade de reforma Paulo Tafner CÂMARA FEDERAL Brasília Novembro de 2016. Previdência Social Os fatos COMECEMOS POR UMA EXCELENTE NOTÍCIA

Leia mais

MEI Agenda de Aprimoramento de Recursos Humanos para Inovação

MEI Agenda de Aprimoramento de Recursos Humanos para Inovação MEI Agenda de Aprimoramento de Recursos Humanos para Inovação Proposta de Trabalho Brasília, 30 de novembro de 2012 São Paulo, Agosto 2011 Apresentação do projeto HORÁCIO PIVA 1 Recursos humanos qualificados

Leia mais

Educação e competitividade no mundo do trabalho: desafios e oportunidades

Educação e competitividade no mundo do trabalho: desafios e oportunidades Educação e competitividade no mundo do trabalho: desafios e oportunidades 7ª Economia 79º IDH 57º Competitividade 61º Inovação 35º Educação 12 indicadores Ranking de Competitividade Global Requisitos

Leia mais

Professores no Brasil

Professores no Brasil Professores no Brasil Perfil docente, políticas para o magistério e níveis de formação dos professores brasileiros Maio de 2016 Perfil dos docentes brasileiros Funções docentes da Educação Básica todas

Leia mais

O II PNE: reflexões sobre o projeto e suas metas. Consultoria Legislativa Abril 2011

O II PNE: reflexões sobre o projeto e suas metas. Consultoria Legislativa Abril 2011 O II PNE: reflexões sobre o projeto e suas metas Consultoria Legislativa Abril 2011 I PNE - Tramitação PL nºs 4.155, de 10/02/98, do Dep. Ivan Valente (PT/SP) e 4.173, de 12/02/98, do Executivo, distribuídos

Leia mais

A questão do CAQi e o financiamento do PNE

A questão do CAQi e o financiamento do PNE A questão do CAQi e o financiamento do PNE Daniel Cara Coordenador da Campanha Nacional pelo Direito à Educação Fontes principais: Campanha Nacional pelo Direito à Educação Undime (União Nacional dos Dirigentes

Leia mais

Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) Prof. Sr. Ocimar Munhoz Alavarse Setembro 2010

Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) Prof. Sr. Ocimar Munhoz Alavarse Setembro 2010 Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) Prof. Sr. Ocimar Munhoz Alavarse Setembro 2010 Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Dispõe sobre a implementação do

Leia mais

DIAGNÓSTICO DO ENSINO FUNDAMENTAL NO ESPÍRITO SANTO

DIAGNÓSTICO DO ENSINO FUNDAMENTAL NO ESPÍRITO SANTO DIAGNÓSTICO DO ENSINO FUNDAMENTAL NO ESPÍRITO SANTO Instituto Jones dos Santos Neves IJSN Rede de Ensino Fundamental no Espírito Santo Fonte: INEP Total do número n de matrículas no ensino fudamental no

Leia mais

Educação Brasileira Anos 90

Educação Brasileira Anos 90 Programação Maio/2013 06/05 A Educação nos anos 90; Políticas educacionais no governo FHC 07/05 LDB 9394 1996 Trazer cópia LDB 13/05 LDB 9394 1996 Trazer cópia LDB Leitura prévia do texto de Pedro Demo

Leia mais

CENSO ESCOLAR 2016 Notas Estatísticas. Brasília-DF Fevereiro de 2017

CENSO ESCOLAR 2016 Notas Estatísticas. Brasília-DF Fevereiro de 2017 CENSO ESCOLAR 216 Notas Estatísticas Brasília-DF Fevereiro de 217 O DESAFIO DA UNIVERSALIZAÇÃO O dever do Estado com a educação será efetivado mediante a garantia de igualdade de condições para o acesso

Leia mais

MEC. Censo Escolar 2015 Notas Estatísticas. Brasília-DF março de 2016

MEC. Censo Escolar 2015 Notas Estatísticas. Brasília-DF março de 2016 MEC Censo Escolar 215 Notas Estatísticas Brasília-DF março de 216 MEC Agenda O desafio da universalização Educação infantil Creche e Pré-escola Ensino fundamental Anos iniciais e anos finais Ensino médio

Leia mais

O ESTADO DE SÃO PAULO

O ESTADO DE SÃO PAULO O ESTADO DE SÃO PAULO Ator fundamental na recuperação da economia brasileira Primeiro estado em população e economia Crise econômica: São Paulo sofre as maiores perdas de postos de trabalho em termos absolutos

Leia mais

Variedades de Capitalismo. Aula 7 Itália. Prof.: Rodrigo Cantu

Variedades de Capitalismo. Aula 7 Itália. Prof.: Rodrigo Cantu Variedades de Capitalismo Aula 7 Itália Prof.: Rodrigo Cantu Características principais Economia de mercado mediterrânea (EMM) Relações conflituosas - fragmentação Coordenação estatal Política social limitada

Leia mais

Projeto de Pesquisa: Importância Sócio-Econômica da Cadeia de Serviços de Saneamento Básico no Estado de São Paulo

Projeto de Pesquisa: Importância Sócio-Econômica da Cadeia de Serviços de Saneamento Básico no Estado de São Paulo Projeto de Pesquisa: Importância Sócio-Econômica da Cadeia de Serviços de Saneamento Básico no Estado de São Paulo Sabesp NEIT (IE/UNICAMP) SABESP, São Paulo, 15 de Fevereiro de 2008 Estrutura da Pesquisa

Leia mais

PIB DO BRASIL (VARIAÇÃO ANUAL) FONTE: IBGE ELABORAÇÃO E PROJEÇÃO: BRADESCO

PIB DO BRASIL (VARIAÇÃO ANUAL) FONTE: IBGE ELABORAÇÃO E PROJEÇÃO: BRADESCO 1 PIB DO BRASIL (VARIAÇÃO ANUAL) 1984-2014 2 2 FONTE: IBGE ELABORAÇÃO E PROJEÇÃO: BRADESCO DESAFIOS DA ECONOMIA BRASILEIRA: DEMOGRAFIA, MERCADO DE TRABALHO E AMBIENTE EXTERNO 3 3 O BAIXO DESEMPREGO NO

Leia mais

Avaliação em Políticas Públicas e em Educação

Avaliação em Políticas Públicas e em Educação Avaliação em Políticas Públicas e em Educação Claudia Costin Requisitos para uma política pública eficaz Capacidade de formulação, a partir de problemas que a realidade apresenta. Fixação de metas mensuráveis,

Leia mais

AVANÇOS EM TECNOLOGIA: - Investimentos crescentes em P&D - Aumento da capacidade não-letal e maior precisão das armas - Custos crescentes dos equipamentos - Automação e robotização - Atuação em rede x

Leia mais

Educação no Brasil. Lílian Nogueira Rolim! Marcela Cerávolo Salomão! Rafael Soares Farias

Educação no Brasil. Lílian Nogueira Rolim! Marcela Cerávolo Salomão! Rafael Soares Farias Educação no Brasil Lílian Nogueira Rolim! Marcela Cerávolo Salomão! Rafael Soares Farias Histórico da Educação no Brasil "2 Histórico da Educação no Brasil Educação associada a Companhia de Jesus por 210

Leia mais

SUMÁRIO. Sistema Tributário Nacional como Instrumento de Desenvolvimento. SISTEMA TRIBUTÁRIO NACIONAL: PRINCÍPIOS e ESTRUTURA.

SUMÁRIO. Sistema Tributário Nacional como Instrumento de Desenvolvimento. SISTEMA TRIBUTÁRIO NACIONAL: PRINCÍPIOS e ESTRUTURA. Conselho Regional de Contabilidade do Estado do Ceará (CRC-CE) SUMÁRIO Introdução Sistema Tributário Nacional como Instrumento de Desenvolvimento Marcelo Lettieri e-mail: marlettieri@gmail.com STN: princípios

Leia mais

Roteiro para consulta aos indicadores educacionais

Roteiro para consulta aos indicadores educacionais Universidade Federal De Minas Gerais Faculdade De Educação Departamento De Ciências Aplicadas À Educação (Decae) Formação Complementar: Administração de Sistemas e Instituições Educacionais Disciplina:

Leia mais

AVALIAÇÃO NACIONAL DA ALFABETIZAÇÃO (ANA) Profa. Ivana de Oliveira Carvalho FaE/UEMG

AVALIAÇÃO NACIONAL DA ALFABETIZAÇÃO (ANA) Profa. Ivana de Oliveira Carvalho FaE/UEMG AVALIAÇÃO NACIONAL DA ALFABETIZAÇÃO (ANA) Profa. Ivana de Oliveira Carvalho FaE/UEMG Estrutura da Apresentação Cenário das Avaliações em larga escala, no Brasil, implementadas pela União, no contexto da

Leia mais

Indicadores Demográficos e Educacionais - SALVADOR - BA

Indicadores Demográficos e Educacionais - SALVADOR - BA Page 1 of 5 SALVADOR - BA Este conjunto de doze tabelas traz informações sobre população, Produto Interno Bruto (PIB), Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), Índice de Desenvolvimento da Infância (IDI)

Leia mais

3. ORIENTAÇÕES IDEB E POSSÍVEIS ANÁLISES

3. ORIENTAÇÕES IDEB E POSSÍVEIS ANÁLISES 3. ORIENTAÇÕES IDEB E POSSÍVEIS ANÁLISES O Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) é o indicador nacional que reflete a situação da unidade escolar a partir do resultado de dois componentes:

Leia mais

Reunião do Fórum de Debates sobre Políticas de Emprego, Trabalho e Renda e de Previdência Social. Brasília, 17 de Fevereiro de 2016

Reunião do Fórum de Debates sobre Políticas de Emprego, Trabalho e Renda e de Previdência Social. Brasília, 17 de Fevereiro de 2016 Reunião do Fórum de Debates sobre Políticas de Emprego, Trabalho e Renda e de Previdência Social Brasília, 17 de Fevereiro de 2016 1 A taxa de fecundidade caiu 57,7% entre 1980 e 2015, passando de 4,1

Leia mais

Previdência Social no Brasil. Fundação Getulio Vargas

Previdência Social no Brasil. Fundação Getulio Vargas Previdência Social no Brasil Fundação Getulio Vargas Novembro 2013 1 1. Fatos estilizados 2. Um breve histórico 3. As recentes reformas da Previdência Social 4. Comparações Internacionais 5. Por que a

Leia mais

EXPORTAÇÃO BRASILEIRA DO CAPÍTULO 71 DA NCM. Por Principais Países de Destino. Janeiro - Dezembro. Bijuterias

EXPORTAÇÃO BRASILEIRA DO CAPÍTULO 71 DA NCM. Por Principais Países de Destino. Janeiro - Dezembro. Bijuterias Bijuterias Principais Países 2010 2011 2012 2013 2014 US$ mil 2014/ 2013 Estados Unidos 5.667 3.828 2.668 3.491 5.006 43 Colômbia 407 800 748 1.112 993-11 França 1.085 931 910 998 969-3 Argentina 2.112

Leia mais

Seminário sobre LDB da Educação Nacional TALITA CRISTINI BATISTA LOPES MARIANA DA COSTA LOUREIRO COTOVICZ

Seminário sobre LDB da Educação Nacional TALITA CRISTINI BATISTA LOPES MARIANA DA COSTA LOUREIRO COTOVICZ Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro Instituto Multidisciplinar Departamento de Tecnologias e Linguagens Seminário sobre LDB da Educação Nacional TALITA CRISTINI BATISTA LOPES MARIANA DA COSTA

Leia mais

PLC 116/10. Eduardo Levy

PLC 116/10. Eduardo Levy PLC 116/10 Senado Federal Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania Comissão de Assuntos Econômicos Comissão de Educação, Cultura

Leia mais

Avaliação da Educação Básica em Nível Estadual

Avaliação da Educação Básica em Nível Estadual Avaliação da Educação Básica em Nível Estadual Avaliação da Educação Básica em Nível Estadual. SARESP Sistema de Avaliação de Rendimento Escolar do Estado de São Paulo Avaliação de Aprendizagem em Processo

Leia mais

A utilização do IDEB na gestão e na avaliação de programas e projetos no 3º setor. Patrícia Diaz Carolina Glycerio

A utilização do IDEB na gestão e na avaliação de programas e projetos no 3º setor. Patrícia Diaz Carolina Glycerio A utilização do IDEB na gestão e na avaliação de programas e projetos no 3º setor Patrícia Diaz Carolina Glycerio Quem somos A Comunidade Educativa CEDAC possibilita que profissionais da educação pratiquem

Leia mais

MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES

MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES 14/06/11 12/07/11 09/08/11 06/09/11 04/10/11 01/11/11 29/11/11 27/12/11 24/01/12 21/02/12 20/03/12 17/04/12 15/05/12 12/06/12 10/07/12 07/08/12 04/09/12

Leia mais

Política Nacional de Educação Infantil

Política Nacional de Educação Infantil Política Nacional de Educação Infantil Maria do Pilar Lacerda Almeida e Silva Secretária de Educação Básica Ministério da Educação Foto: João Bittar Conferência Global sobre Desenvolvimento na Primeira

Leia mais

CENÁRIO MACROECONÔMICO

CENÁRIO MACROECONÔMICO CENÁRIO MACROECONÔMICO SEGUE PAUTADO PELAS MUDANÇAS NO CENÁRIO GLOBAL, AFETANDO DIRETAMENTE O CÂMBIO, E PELO CRESCIMENTO MAIS MODERADO DA ECONOMIA DOMÉSTICA Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos

Leia mais

MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES

MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES 23/09/11 21/10/11 18/11/11 16/12/11 13/01/12 10/02/12 09/03/12 06/04/12 04/05/12 01/06/12 29/06/12 27/07/12 24/08/12 21/09/12 19/10/12 16/11/12 14/12/12

Leia mais

Boletim da Escola CEI. MARILIA / MARILIA Coordenadoria: O SARESP Escola Estadual ANTONIO DEVISATE ETE Diretoria de Ensino / Município:

Boletim da Escola CEI. MARILIA / MARILIA Coordenadoria: O SARESP Escola Estadual ANTONIO DEVISATE ETE Diretoria de Ensino / Município: Boletim da O SARESP 2009 033583 ANTONIO DEVISATE ETE / Município: MARILIA / MARILIA Coordenadoria: O SARESP Sistema de Avaliação do Rendimento r do Estado de São Paulo aplica anualmente provas aos alunos

Leia mais

Processos de reestruturação do Ensino Médio: desafios e aprendizados CLAUDIA COSTIN

Processos de reestruturação do Ensino Médio: desafios e aprendizados CLAUDIA COSTIN Processos de reestruturação do Ensino Médio: desafios e aprendizados CLAUDIA COSTIN PROCESSOS DE REESTRUTURAÇÃO DO ENSINO MÉDIO: DESAFIOS E APRENDIZADOS CLAUDIA COSTIN Diretora do Centro de Excelência

Leia mais

Financiamento e qualidade da educação. Daniel Cara, coordenador geral da Campanha Nacional pelo Direito à Educação.

Financiamento e qualidade da educação. Daniel Cara, coordenador geral da Campanha Nacional pelo Direito à Educação. Financiamento e qualidade da educação Daniel Cara, coordenador geral da Campanha Nacional pelo Direito à Educação. Rede da Campanha + de 200 entidades; 23 Comitês Regionais ou representações, em 21 estados

Leia mais

CURRÍCULO E AVALIAÇÃO: Poucos Avanços

CURRÍCULO E AVALIAÇÃO: Poucos Avanços CURRÍCULO E AVALIAÇÃO: Poucos Avanços DESAFIOS NEM SEMPRE ATUAIS PROFA. DRA. MARIA INÊS FINI Currículo (implícito ou explícito) Brasil Avaliação da Educação Básica Prova Série Regularidade Foco Resultados

Leia mais

O MUNDO APÓS A GUERRA FRIA O FIM DA BIPOLARIDADE

O MUNDO APÓS A GUERRA FRIA O FIM DA BIPOLARIDADE O MUNDO APÓS A GUERRA FRIA O FIM DA BIPOLARIDADE Em 11 de março de 1985, assume o governo soviético MIKHAIL GORBACHEV; Anuncia então os projetos da GLASNOST (liberdade de expressão) e da PERESTROIKA (reforma

Leia mais

Diálogos Legislativos

Diálogos Legislativos Diálogos Legislativos Royalties e financiamento da educação Edmar Queiroz edmarq@senado.leg.br Consultoria Legislativa Constituição de 34 Vinculação da receita de impostos para a educação União e Municípios

Leia mais

Comparações Internacionais em Finanças Públicas e Desempenhos em áreas de atuação Governamental

Comparações Internacionais em Finanças Públicas e Desempenhos em áreas de atuação Governamental PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RS FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO, CONTABILIDADE E ECONOMIA SINDICATO DAS EMPRESAS DE SERVIÇOS CONTÁBEIS DO RS Convênio FACE/PUCRS e SESCON-RS Relatório 4 Comparações Internacionais

Leia mais

Indicadores confeccionados com dados do IBGE

Indicadores confeccionados com dados do IBGE Indicadores confeccionados com dados do IBGE IBGE Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) Pesquisas domiciliares Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) Censo Demográfico Taxa

Leia mais

Alternativas para o financiamento da educação básica no Brasil

Alternativas para o financiamento da educação básica no Brasil Alternativas para o financiamento da educação básica no Brasil Profª. Me. Manuelina Martins da Silva Arantes Cabral Dirigente Municipal de Educação de Costa Rica/ MS e Vice-presidente da Undime O que apenas

Leia mais

PREÇOS DOS SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES NO BRASIL BRASÍLIA, 08 DE OUTUBRO DE elaborado pela

PREÇOS DOS SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES NO BRASIL BRASÍLIA, 08 DE OUTUBRO DE elaborado pela PREÇOS DOS SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES NO BRASIL BRASÍLIA, 08 DE OUTUBRO DE 2014 elaborado pela Todo ano a UIT divulga relatório com os preços dos serviços de telecomunicações De acordo com o último relatório

Leia mais

ANEXO I ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS ESPECIFICAÇÃO DO CARGO DE PROFESSOR

ANEXO I ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS ESPECIFICAÇÃO DO CARGO DE PROFESSOR Cargo: Professor Classe: A,B,C,D, ANEXO I ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS ESPECIFICAÇÃO DO CARGO DE PROFESSOR Orientar a aprendizagem dos alunos; Participar das atividades da escola: Organizar as operações inerentes

Leia mais

Curso de Extensão: Noções de Macroeconomia para RI (PIB)

Curso de Extensão: Noções de Macroeconomia para RI (PIB) Federal University of Roraima, Brazil From the SelectedWorks of Elói Martins Senhoras Winter January 1, 2008 Curso de Extensão: Noções de Macroeconomia para RI (PIB) Eloi Martins Senhoras Available at:

Leia mais

ORGANISMOS MULTILATERAIS TRATADO DE NÃO PROLIFERAÇÃO NUCLEAR SISTEMA BRETTON WOODS

ORGANISMOS MULTILATERAIS TRATADO DE NÃO PROLIFERAÇÃO NUCLEAR SISTEMA BRETTON WOODS ORGANISMOS MULTILATERAIS TRATADO DE NÃO PROLIFERAÇÃO NUCLEAR SISTEMA BRETTON WOODS - Atuação segundo orientações estratégicas - Adotar normas comuns de comportamento político, social, etc. Planejar e concretizar

Leia mais

Uma visão geral do processo de reforma da previdência. Manoel Pires SPE/MF

Uma visão geral do processo de reforma da previdência. Manoel Pires SPE/MF Uma visão geral do processo de reforma da previdência Manoel Pires SPE/MF 1 Estrutura Temas em debate no Fórum da Previdência Impactos Econômicos do realinhamento da política previdenciária 2 Temas do

Leia mais

SITUAÇÃO ATUAL E PERSPECTIVAS DE RECOMPOSIÇÃO DA REMUNERAÇÃO MÉDICA NO ÂMBITO DO SUS

SITUAÇÃO ATUAL E PERSPECTIVAS DE RECOMPOSIÇÃO DA REMUNERAÇÃO MÉDICA NO ÂMBITO DO SUS SITUAÇÃO ATUAL E PERSPECTIVAS DE RECOMPOSIÇÃO DA REMUNERAÇÃO MÉDICA NO ÂMBITO DO SUS Palestrante: Fábio Vilas-Boas Secretário da Saúde do Estado da Bahia CONTEXTO NO SUS O Brasil é o único país com mais

Leia mais

Lei de Diretrizes e Bases

Lei de Diretrizes e Bases Lei de Diretrizes e Bases 01. Segundo a Lei de Diretrizes e Bases, a avaliação do desempenho do aluno deverá ser contínua e cumulativa, considerando-se a: a) prevalência dos aspectos quantitativos sobre

Leia mais

Uma visão geral do processo de reforma da previdência. Manoel Pires SPE/MF

Uma visão geral do processo de reforma da previdência. Manoel Pires SPE/MF Uma visão geral do processo de reforma da previdência Manoel Pires SPE/MF 1 Estrutura Temas em debate no Fórum da Previdência Impactos Econômicos do realinhamento da política previdenciária 2 Temas do

Leia mais

A Qualidade do Ensino Médio no Brasil: o papel do gestor. Sergio Firpo, Professor Titular da Cátedra Instituto Unibanco do Insper 26 de julho de 2016

A Qualidade do Ensino Médio no Brasil: o papel do gestor. Sergio Firpo, Professor Titular da Cátedra Instituto Unibanco do Insper 26 de julho de 2016 A Qualidade do Ensino Médio no Brasil: o papel do gestor Sergio Firpo, Professor Titular da Cátedra Instituto Unibanco do Insper 26 de julho de 2016 % % Atendimento do Ensino Médio no Brasil Metas do PNE

Leia mais

REFLEXOS DO CENÁRIO ECONÔMICO MUNDIAL SOBRE O AGRONEGÓCIO BRASILEIRO

REFLEXOS DO CENÁRIO ECONÔMICO MUNDIAL SOBRE O AGRONEGÓCIO BRASILEIRO REFLEXOS DO CENÁRIO ECONÔMICO MUNDIAL SOBRE O AGRONEGÓCIO BRASILEIRO JOÃO CRUZ REIS FILHO SECRETÁRIO DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO Brasília/DF JULHO DE 2015 22 CENÁRIO POPULACIONAL

Leia mais

1 Verificar num primeiro momento as ações para cumprimento das Metas/estratégias com prazo definido para 2015;

1 Verificar num primeiro momento as ações para cumprimento das Metas/estratégias com prazo definido para 2015; Subcomissão permanente para Acompanhar, monitorar e avaliar o processo de implementação das estratégias e do cumprimento das metas do Plano Nacional de Educação PNE sugestões para Plano de Trabalho Consultorias

Leia mais

Prova Brasil e SAEB (Sistema de Avaliação do Ensino Básico) - Parte 1

Prova Brasil e SAEB (Sistema de Avaliação do Ensino Básico) - Parte 1 Prova Brasil e SAEB (Sistema de Avaliação do Ensino Básico) - Parte 1 INEP Ana Djéssika Silva Cruz Vidal Abril 2012 UFJF (Institute) ECONS - Laboratório de Economia 23/04 1 / 10 Introdução Sistema de Avaliação

Leia mais

MT GO SP PR SULMATOGROSSENSES 1. A população total de Mato Grosso do Sul, segundo o IBGE(projeção 2015) é de 2.651.235 pessoas. 2. Do ano de 2010 até o ano de 2015, a população do estado cresceu 6,63%.

Leia mais

Antonio Delfim Netto

Antonio Delfim Netto ABRAPP 35 o Congresso Brasileiro dos Fundos de Pensão Investimento, Financiamento e Crescimento Antonio Delfim Netto 12 de novembro de 2014 São Paulo, SP 1 I. Revolução Demográfica 1) Efeitos do envelhecimento

Leia mais

Plano de carreira dos profissionais da educação QUESTÕES EM DEBATE NA CNTE

Plano de carreira dos profissionais da educação QUESTÕES EM DEBATE NA CNTE Plano de carreira dos profissionais da educação QUESTÕES EM DEBATE NA CNTE Qual o melhor plano de carreira? É aquele que cada ente público consegue construir democraticamente, à luz dos anseios da categoria

Leia mais

Sobre o que importa para a melhoria da qualidade da educação e os mecanismos de incentivos para sua promoção

Sobre o que importa para a melhoria da qualidade da educação e os mecanismos de incentivos para sua promoção Sobre o que importa para a melhoria da qualidade da educação e os mecanismos de incentivos para sua promoção Ricardo Paes de Barros (SAE) Diana Grosner (SAE) Brasília, Maio de 2013 0. Qualidade da Educação

Leia mais

ANEXO I Quadro resumo do Saresp 1996/1997/ /

ANEXO I Quadro resumo do Saresp 1996/1997/ / 89 Objetivos ANEXO I Quadro resumo do Saresp 1996/1997/1998 2000/2001 2002 2003 2004 2005 Em 2000: Obter Em 2002 2 : Em 2003 4 : Obter indicadores informações que diagnosticar o Promover uma educacionais

Leia mais

Financiamento Orçamentário

Financiamento Orçamentário Financiamento Orçamentário Glauber P. de Queiroz Ministério do Planejamento SEAFI/SOF/MP Etapa Brasília Março 2016 Oficina XX Financiamento Orçamentário Duração : 04 h Conteúdo: Conceito de Déficit Orçamentário,

Leia mais

Geopolítica do Desenvolvimento e. suas Transformações

Geopolítica do Desenvolvimento e. suas Transformações Tecnologias da Informação e Comunicação e Acção Política Geopolítica do Desenvolvimento e suas Transformações É imperativo, antes de mais, explicar no que consiste a geopolítica enquanto disciplina. A

Leia mais

ECO Economia Brasileira

ECO Economia Brasileira Federal University of Roraima, Brazil From the SelectedWorks of Elói Martins Senhoras Winter January, 2012 ECO 112 - Economia Brasileira Eloi Martins Senhoras Available at: http://works.bepress.com/eloi/124/

Leia mais

CONVERSANDO SOBRE AVALIAÇÃO...

CONVERSANDO SOBRE AVALIAÇÃO... CONVERSANDO SOBRE AVALIAÇÃO... Sandra Zákia Sousa UNICID\set.\2010 ESTRUTURA DA EXPOSIÇÃO Definição de avaliação Campo da avaliação educacional Iniciativas do governo federal de avaliação da educação básica

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO PDI: Documento elaborado pela Equipe de Assessoria da Pró-reitoria de Planejamento da UEMA

ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO PDI: Documento elaborado pela Equipe de Assessoria da Pró-reitoria de Planejamento da UEMA ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO PDI: Documento elaborado pela Equipe de Assessoria da Pró-reitoria de Planejamento da UEMA Agosto de 2015 INTRODUÇÃO O Ministério de Educação (MEC) através do Sistema Nacional

Leia mais

Produtividade e Eficiência. Pedro Cavalcanti Ferreira Fundação Getulio Vargas

Produtividade e Eficiência. Pedro Cavalcanti Ferreira Fundação Getulio Vargas Produtividade e Eficiência Pedro Cavalcanti Ferreira Fundação Getulio Vargas Introdução Países são pobres não só porque possuem relativamente menos (e piores) fatores de produção, mas porque organizam

Leia mais

Impacto do aumento do Piso Nacional do Magistério

Impacto do aumento do Piso Nacional do Magistério 5 Impacto do aumento do Piso Nacional do Magistério O Ministério da Educação (MEC) anunciou nesta segunda-feira, 27 de fevereiro, o valor do novo piso salarial dos professores da rede pública brasileira.

Leia mais

Análise Internacional Comparada de Políticas Curriculares. Paula Louzano Universidade de São Paulo

Análise Internacional Comparada de Políticas Curriculares. Paula Louzano Universidade de São Paulo Análise Internacional Comparada de Políticas Curriculares Paula Louzano Universidade de São Paulo Comissão de Educação do Senado Federal, Brasília, 03/12/2014 Perguntas da Pesquisa Como diferentes países

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA

RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA ÍNDICE FEVEREIRO 2015 FRANCA Página População...... 2 Piso salarial do sapateiro... 2 Número de funcionários na indústria de calçados...... 2 Admissões e demissões do

Leia mais

Educação e Mão de Obra para o Crescimento

Educação e Mão de Obra para o Crescimento Fórum Estadão Brasil Competitivo: Educação e Mão de Obra para o Crescimento Maria Alice Setubal Presidente dos Conselhos do Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária Cenpece

Leia mais

TABELA DE FRETES MÉDIO PRATICADOS PARA ANGOLA REFERENTE AO MÊS DE JANEIRO Moeda: USD

TABELA DE FRETES MÉDIO PRATICADOS PARA ANGOLA REFERENTE AO MÊS DE JANEIRO Moeda: USD REPÚBLICA DE ANGOLA MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES BOLSA NACIONAL DE FRETE Sede: Palácio de Vidro, 5º andar; CX Postal 2223; Telefone +(244) 222-311339/40/41; Fax 222-310555- Luanda, Angola. TABELA DE FRETES

Leia mais

Conhecendo o Ensino Fundamental no Rio Grande do Norte

Conhecendo o Ensino Fundamental no Rio Grande do Norte Conhecendo o Ensino Fundamental no Rio Grande do Norte O Ensino Fundamental constitui a segunda etapa da Educação Básica. É obrigatório e gratuito na escola pública, com duração de 9 (nove) anos, iniciando-se

Leia mais

Encontro Estadual do Proinfância

Encontro Estadual do Proinfância Encontro Estadual do Proinfância Salvador \BA Março/2014 (arquivo da Creche Carochinha) Secretaria de Educação Básica AÇÕES DO MEC Curso de Especialização em Educação Infantil Formação em nível de especialização

Leia mais

PERFIL DO AGRONEGÓCIO MUNDIAL

PERFIL DO AGRONEGÓCIO MUNDIAL SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO DE MINAS GERAIS SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO PERFIL DO AGRONEGÓCIO MUNDIAL Março/2014 2 ÍNDICE 03. Apresentação 04. População Mundial 05. População

Leia mais

RS Texto de Referência 6. Situação da Educação no RS 1

RS Texto de Referência 6. Situação da Educação no RS 1 RS 2030 - Texto de Referência 6 Situação da Educação no RS 1 Um dos aspectos mais importantes, em termos de educação, é a taxa de alfabetização. No caso do Rio Grande do Sul, a taxa de alfabetização da

Leia mais

No mês em que o Brasil celebra Zumbi dos Palmares, há motivos ACESSO AO ENSINO MÉDIO MELHORA, MAS NÍVEIS DE APRENDIZADO SÃO PREOCUPANTES

No mês em que o Brasil celebra Zumbi dos Palmares, há motivos ACESSO AO ENSINO MÉDIO MELHORA, MAS NÍVEIS DE APRENDIZADO SÃO PREOCUPANTES nº2 nov. 20 DESIGUALDADE RACIAL ACESSO AO ENSINO MÉDIO MELHORA, MAS NÍVEIS DE APRENDIZADO SÃO PREOCUPANTES 1 2 3 >> Proporção de jovens negros estudando no Ensino Médio mais que dobrou desde 2001 >> Distância

Leia mais