%%%%%%%%%%%Rede%de%Atenção%Psicossocial%%

Save this PDF as:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "%%%%%%%%%%%Rede%de%Atenção%Psicossocial%%"

Transcrição

1 NOTA%TÉCNICA%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%58% %2011% % %%%%%%%%%%%Rede%de%Atenção%Psicossocial%% Minuta% de% portaria% que% institui% a% Unidade% de% Acolhimento%da%Rede%de%Atenção%Psicossocial Versãode13dedezembrode2011 % % %% Brasília,13dedezembrode

2 NOTATÉCNICA Introdução% A Rede de Atenção Psicossocial(RAPS) foi pactuada na reunião da CIT de 24 de novembrode2011eestáconstituídapelosseguintescomponentes:atençãobásica emsaúde,atençãopsicossocialespecializada,atençãodeurgênciaeemergência, Atenção% Residencial% de% Caráter% Transitório, Atenção Hospitalar, Estratégias de DesinstitucionalizaçãoeReabilitaçãoPsicossocial. A Unidade% de% Acolhimento% (UA)% é um novo ponto de atenção do Componente Atenção Residencial de Caráter Transitório da RAPS para pessoas com necessidadesdecorrentesdousodecrack,álcooleoutrasdrogas. A UA é um ponto de atenção que oferece cuidados contínuos de saúde, com funcionamento 24 horas, em ambiente residencial, para pessoas com necessidade decorrentes do uso de crack, álcool e outras drogas, de ambos os sexos, que apresentem acentuada vulnerabilidade social e/ou familiar e demandem acompanhamento terapêutico e protetivo de caráter transitório. O tempo de permanêncianaunidadedeacolhimentoédeatéseis(06)meses.oacolhimento nestepontodeatençãoserádefinidopelaequipedocentrodeatençãopsicossocial dereferênciaqueseráresponsávelpelaelaboraçãodoprojetoterapêuticosingular dousuário. AsUnidadesdeAcolhimentoserãoorganizadasnasseguintesmodalidades: a Unidade de acolhimento Adulto, destinados a pessoas que fazem uso do Crack,ÁlcooleOutrasDrogas,maioresde18(dezoito)anosce aunidadedeacolhimentoinfantoajuvenil,destinadasaadolescentesejovens (dedozeatédezoitoanoscompletos). Resumo%da%Proposta%% A proposta institui a Unidade de Acolhimento (UA) da RAPS nas modalidades UnidadedeAcolhimentoAdultocomdisponibilidadede10a15vagaspara (duzentosmil)habitanteseunidadedeacolhimentoparainfantoajuvenildestinadaa adolescentes e jovens de 10(dez) até 18 (dezoito) anos,com necessidades decorrentes do uso de crack, álcool e outras drogas, com disponibilidade de 10 Brasília,13dedezembrode2011 2

3 NOTATÉCNICA vagas tendo como referência municípios com mais de habitantes. O acolhimentonestepontodeatençãoserádefinidopelaequipedocentrodeatenção Psicossocial de referência que será responsável pela elaboração do projeto terapêuticosingulardousuário Os critérios para implantação, recursos humanos e orientações para o funcionamentodasunidadesdeacolhimentos(ua)estãoestabelecidosnoanexo III,destaPortaria. % Incentivo% Financeiro% para% a% Implantação% e% Custeio% Mensal% da% Unidade% de% Acolhimento%(UA)% Estabelece Incentivo Financeiro de R$% ,00 (setenta mil reais) para a implantaçãodaunidadedeacolhimentoqueserátransferidoemparcelaúnica Para o recebimento do incentivo financeiro para implantação da Unidade de Acolhimento,ogestordeveráenviarparaÁreaSaúdeMental,doMinistériodaSaúde osdocumentosprevistosnoanexoieiidaminuta. O processo completo deverá remetido ao Departamento de Ações Programáticas Estratégicas(DAPES)daSAS/MS EstabelecerecursosfinanceirosmensaisnovalordeR$%25.000,00(vinteecincomil reais) para Unidade de Acolhimento Adulto e R$% ,00 (trinta mil reais) para UnidadedeAcolhimentoInfantoajuvenilparaocusteiodasunidades. O repasse do incentivo de custeio mensal será realizado a contar da habilitação juntoaogestorfederal,quesedarámedianteoenviodosdocumentosprevistosno AnexoIIdestaportaria. ASecretariadeAtençãoàSaúdedoMinistériodaSaúdedefinirá,ematonormativo específico,osprocedimentosdatabelasistemadeinformaçãoambulatorial. Condições%para%o%repasse%do%Incentivo%Financeiro%e%para%o%cadastramento%da% Unidade%de%Acolhimento%(UA)%% Estão no anexo I, descritas a seguir as condições para o recebimento Incentivo FinanceiroparaaImplantaçãodaUA: 1.Apresentaçãodosseguintesdocumentos: Brasília,13dedezembrode

4 NOTATÉCNICA I) Ofício do gestor solicitando o incentivo financeiro, informando o tipo (Adulto ouinfantoajuvenil)c II) Proposta de implantação da Unidade de Acolhimento, incluindo a descrição daestruturafísicaefuncionalc III) Termo de compromisso do gestor local assegurando a contratação dos profissionaisquecomporãoaequipemínimaprevistanoanexoiiidestaportariac IV) Termo de compromisso do gestor local assegurando o início do funcionamentodaunidadedeacolhimentonoprazodeaté90(noventa)diasapartir do recebimento dos recursos financeiros, renovável uma única vez, por igual período,mediantejustificativa. V) Paraoscasosdeparceriascominstituiçõesouentidadessemfinslucrativos, seránecessáriooenviodacópiadoestatutosocial,dodocumentodeidentidadedo diretor/presidente/responsáveleregistrodeentidadesemfinslucrativos. VI) Declaração da instituição ou entidade contratada pelo serviço público que o gerenteserádefinidocomanuênciadogestorlocal. 2. As condições para o cadastramento da UA que garantem o repasse de recurso financeirodecusteiomensaldauaestãodescritosnoanexoii: I) Declaração do gestor local que atesta o funcionamento da Unidade de Acolhimentoc II) ProgramadeAçãoTécnicadoServiçodaUnidadedeAcolhimento,contendo a dinâmica do funcionamento da Unidade e a articulação com os outros pontos de atençãodarededesaúdeeintersetorialc III) RelatóriodeVistoriadaVigilânciaSanitárialocalc IV) Apresentação do número do Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde(CNES)daUA. Critérios% para% implantação,% recursos% humanos% e% orientações% para% o% funcionamento%da%ua%% I a Inserção na Rede de Atenção Psicossocial e ter um Centro de Atenção Psicossocial(CAPS)dereferênciaparaaUnidadedeAcolhimentoaserimplantada CritériosespecíficosparaaimplantaçãodaUnidadedeAcolhimentoAdulto: Brasília,13dedezembrode

5 NOTATÉCNICA a)unidadedereferênciaparamunicípiosouregiõescompopulaçãoigualoumaior doque (duzentosmil)habitantesc b) Possuir número de leitos psiquiátricos em Enfermaria Especializada ou Serviço Hospitalar de Referência para atenção às pessoas com sofrimento ou transtorno mental e com necessidades decorrentes do uso de crack, álcool e outras drogas, devesermaiorque5(cinco),nomunicípioouregiãoc CritériosespecíficosparaimplantaçãodeUnidadedeAcolhimentoinfantoajuvenil: a)referênciaparamunicípioscommaisde habitantesc b)%númerodecrianças,adolescentesejovensemriscoparausodedrogas,apartir docálculo:populaçãonafaixade10a19anosx6%/100=%n 1. Pop:Populaçãocomrecortedonúmerodehabitantesentre10e19anos. 2. 6%:Percentualdeusodequalquerdroganoúltimomêsporestudantesde10a 19 anos, segundo dados do Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópicas(CEBRID),realizadoem N:Númerodecrianças,adolescentesejovensemriscoparausodedrogas. c)conformeon%encontradonoitemanterior,aimplantaçãodauainfantoajuvenil I Municípios com de (duas mil e quinhentas) a (cinco mil) crianças,adolescentesejovensemriscoparausodedrogas01(uma)unidade deacolhimento. II Municípioscommaisde5.000(cincomil)crianças,adolescentesejovens: 1 (uma) nova unidade para cada 5000 (cinco mil) crianças, adolescentes e jovensemriscoparausodedrogas. AindanoanexoIIIdaminutasãodefinidososrecursoshumanosnecessáriosparao funcionamentodaua. IIaAequipetécnicamínimadaUnidadedeAcolhimentoAdulto,devesercomposta comosprofissionais: a)profissionaiscomníveluniversitárionaáreadasaúdequepossuamexperiência em cuidados com pessoas com necessidades de saúde decorrentes do uso de crack, álcool e outras drogas, em número suficiente. É necessária a presença de pelomenos1(um)profissionalpresentediariamentedas07ás19horas,garantindo acoberturadosserviços,desegundaadomingo. Brasília,13dedezembrode

6 NOTATÉCNICA b)profissionaiscomnívelmédioquepossuamexperiêncianaáreadecuidadoscom pessoascomnecessidadesdesaúdedecorrentesdousodecrack,álcooleoutras drogas, em número suficiente. É necessária a presença de pelo menos 4 (quatro) profissionais presentes em tempo integral, garantindo a cobertura dos serviços em 24horas,desegundaadomingo. Nas Unidades de Acolhimento InfantoaJuvenil, além dos recursos humanos supracitados,énecessáriaaexistênciadeprofissionaiscomnívelsuperiornaárea da educação que possuam experiência na área de cuidados com pessoas com necessidades de saúde decorrentes do uso de crack, álcool e outras drogas, em número suficiente. É necessária a presença de pelo menos 1 (um) profissional presente diariamente das 07 ás 19 horas, garantindo a cobertura dos serviços, de segundaadomingo. III Orientaçõesparaofuncionamentodasunidadesdeacolhimento: a)asaçõesdesenvolvidaspelasunidadesdeacolhimento,assimcomootempode permanência, devem estar definidas no Projeto Terapêutico Singular desenvolvido juntamente com o Centro de Atenção Psicossocial e devem observar as seguintes orientações: 1. A entrada do usuário na Unidade de Acolhimento começa pelo acolhimento humanizado, iniciando, logo após, o processo de grupalização e socialização, pormeiodeatividadesterapêuticasecoletivasc 2. Desenvolvimento de ações que garantam a integridade física e mental, considerandoocontextosocialefamiliarcalémdeintervençõesquefavoreçam a adesão, visando à interrupção ou redução do uso de crack, álcool e outras drogasc 3. Acompanhamentopsicossocialaousuárioeaofamiliarc 4. Atendimento(psicoterápico, orientação, entre outros) de acordo com o Projeto TerapêuticoSingularc 5. Atendimento em grupos (psicoterapia, grupo operativo, atividades de suporte social,assembléias,grupodereduçãodedanos,entreoutras)c 6. Oficinas terapêuticas executadas por profissional de nível superior ou nível médioc 7. Atendimentoeatividadessociofamiliarecomunitáriac Brasília,13dedezembrode

7 NOTATÉCNICA Promoçãodeatividadesdereinserçãosocialc 9. Articulação com a Rede intersetorial, especialmente com a assistência social, educação,justiçaedireitoshumanos,comoobjetivodepossibilitaraçõesque visemàreinserçãosocial,familiarelaboral,preparatóriaparaasaída. 10.Articulaçãoaprogramasculturais,educacionais/profissionalizantes,demoradia, degeraçãodetrabalhoerendac 11.A saída do usuário da Unidade de Acolhimento deverá ser programada de formaquesejamaçõesarticuladasquevisemsuacompletainclusãosocial,tais como: moradia, suporte familiar, geração de trabalho e renda, inclusão na escola,sempreconsiderandoasnecessidadesdousuário. b) A Unidade de Acolhimento terá acompanhamento, controle, avaliação, fiscalizaçãoeauditoriasobaresponsabilidadedogestormunicipalouestadual. c) O espaço físico deve ser adequado para o desenvolvimento de atividades terapêuticas. Outras atividades podem ser desenvolvidas em espaços de outras instituições que estejam articuladas com o serviço e que estejam próximas as UnidadedeAcolhimento,taiscomo:escolas,CentrosdeReferênciadeAssistência Social,CentrosdeConvivência,entreoutrosc d)aestruturafísicadeveapresentarquartoscoletivosparaaté04(quatro)pessoas, por quarto, espaço para refeições, cozinha, banheiros, área de serviço, sala de enfermagem,saladeacolhimentoerecepção,salapararealizarreuniõesclínicase administrativas e registros documentais, salas de atividades individuais/grupais e áreadelazerparaatividadesejogosesportivos,lúdico,entreoutras. Considerações%% Esclarecer o parágrafo único do artigo 5º sobre o envio dos documentos ao MS para a habilitação% junto ao gestor federal, que se dará mediante o envio dos documentosprevistosnoanexoiidestaportariaquerefereaoenviodedocumentos paraocadastramento%daua. Observar o item VI do anexo I: enviar a declaração da instituição ou entidade contratadapeloserviçopúblicoqueo%gerenteserádefinidocomanuênciadogestor local. Brasília,13dedezembrode

8 NOTATÉCNICA EmnenhummomentoédescritoainserçãodaUAnoDesenhoRegionaldaRede eplanodeaçãoregionaldaraps,apenasnoanexoiiidapropostaécitadocomo critérioainserçãodauanarededeatençãopsicossocial. Brasília,13dedezembrode

9 NOTATÉCNICA MINUTAPORTARIA%Nº%XXXX,%DE%XX%DE%DEZEMBRO%DE%2011% Institui,( na( Rede( de( Atenção( Psicossocial,( a( Unidade( de( Acolhimento( da( Rede( de( atenção( psicossocial,(para(pessoas(com(necessidades(decorrentes(do(uso(de(crack,(álcool(e(outras(drogas,( no(âmbito(do(sistema(único(de(saúde(d(sus( O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, no uso das atribuições que lhe confere o inciso II do parágrafoúnicodoart.87daconstituição,e ConsiderandoaLeiNº10.216,de6deabrilde2001,quedispõesobreaproteçãoeosdireitosdas pessoasportadorasdetranstornosmentaiseredirecionaomodeloassistencialemsaúdementalc Considerando o Decreto Nº 7.179, de 20 de maio de 2010, que institui o Plano Integrado de EnfrentamentoaoCrackeoutrasDrogas,criaoseuComitêGestoredáoutrasprovidênciasc ConsiderandooDecretoNº7.508de28dejunhode2011,queregulamentaaLeinº8.080,de19de setembro e 1990, para dispor sobre a organizaçãodo Sistema Único de Saúde SUS, o planejamento da saúde, a assistência à saúde e a articulação interfederativa, e dá outras providênciasc ConsiderandoaPortariaNº816/GM/MS,de30deabrilde2002,queinstituioProgramaNacionalde AtençãoComunitáriaIntegradaaUsuáriosdeÁlcooleoutrasDrogasc Considerando a Portaria Nº 2.197/GM/MS, de 14 de outubro de 2004, que redefine e amplia a atenção integral para usuários de álcool e outras drogas, no âmbito do Sistema Único de Saúdea SUScMinistériodaSaúde. Considerando aportaria nº 4.279, de 30 de dezembro de 2010, que estabelece diretrizes para a organizaçãodarededeatençãoàsaúdenoâmbitodosistemaúnicodesaúde(sus)c Considerando a Portaria nº XXXX, de XX de dezembro de 2011, que institui a a Rede de Atenção Psicossocial para pessoas com sofrimento ou transtorno mental e com necessidadesdecorrentesdousodecrack,álcooleoutrasdrogas,noâmbitodosistemaúnicode Saúdec Considerando a necessidade de intensificar, ampliar e diversificar as ações orientadas para prevenção,promoçãodasaúde,tratamentoereduçãodosriscosedanosassociadosaoconsumode substânciaspsicoativasc Resolve: Art.1ºInstituiraUnidadedeAcolhimentodaRededeatençãopsicossocial,nasmodalidadesAdultoe InfantoaJuvenil,noâmbitodoSistemaÚnicodeSaúde SUS. 1º Entendease Unidade de Acolhimento como ponto da Rede de atenção psicossocial, com funcionamento 24 horas, de caráter residencial transitório. Destinaase a oferecer acolhimento voluntárioecuidadoscontínuosparapessoascomnecessidadesdecorrentesdousodecrack,álcool eoutrasdrogas,emsituaçãodevulnerabilidadesocialefamiliarequedemandemacompanhamento terapêuticoeprotetivo. Brasília,13dedezembrode

10 NOTATÉCNICA º O acolhimento neste ponto de atenção será definido pela equipe do Centro de Atenção Psicossocialdereferênciaqueseráresponsávelpelaelaboraçãodoprojetoterapêuticosingulardo usuário,considerandoahierarquizaçãodocuidado,priorizandoaatençãoemserviçoscomunitários desaúde. 3ºSãoduasasmodalidadesdeUnidadedeAcolhimento,asaber: IaUnidadedeAcolhimentoAdultoaDestinadaàspessoascomnecessidadesdecorrentesdousode crack,álcooleoutrasdrogas,maioresde18(dezoito)anos,deambosossexos,comdisponibilidade de10a15vagas. IIaUnidadedeAcolhimentoInfantoaJuvenilaDestinadaaadolescentesejovensde10(dez)até18 (dezoito) anos incompletos, de ambos os sexos, com necessidades decorrentes do uso de crack, álcooleoutrasdrogas,comdisponibilidadede10vagas.estamodalidadedevegarantirosdireitosde convivênciafamiliar,social,moradiaedeeducação. 4º Os critérios para implantação, recursos humanos e orientações para o funcionamento das UnidadesdeAcolhimentosestãoestabelecidosnoAnexoIII,destaPortaria. Art.2ºAUnidadedeAcolhimentopoderáserconstituídacomounidadepúblicaouemparceriacom instituiçõesouentidadessemfinslucrativos,desdequeatendamasexigênciaslegais. Art.3ºEstabelecerIncentivoFinanceirodeR$70.000,00(setentamilreais)paracusteiodoprocesso deimplantaçãodaunidadedeacolhimento. ParágrafoÚnico.Oincentivofinanceiroserátransferidoemparcelaúnica,aosrespectivosfundosde saúdedosestados,dosmunicípiosedodistritofederal. Art.4ºParaorecebimentodoincentivofinanceiroparaimplantaçãodaUnidadedeAcolhimento,o gestor deveráenviarparaáreatécnica de Saúde Mental, Álcool e outras Drogas do Ministério da SaúdeosdocumentosprevistosnoAnexoI,destaportaria. 1º O processo completo será remetido à Área Técnica de Saúde Mental, do Departamento de Ações Programáticas Estratégicas, da Secretaria de Atenção à Saúde, do Ministério da Saúde a DAPES/SAS/MSqueavaliaráocumprimentodoscritériosestabelecidosnoAnexoIII,destaportaria. 2º Caso o gestor local não cumpra o prazo estabelecido no Termo de Compromisso definido no item IV do Anexo I, o Fundo Nacional de Saúde do Ministério da Saúde a FNS/MS adotará as medidasnecessáriasparaadevoluçãodorecursoaoministériodasaúde. Art.5ºEstabelecerrecursosfinanceirosmensaisnovalordeR$25.000,00(vinteecincomilreais) paraunidadedeacolhimentoadultoer$30.000,00(trintamilreais)paraunidadedeacolhimento Infantoajuvenilparaocusteiomensaldasunidades. Parágrafo Único. O repasse do incentivo de custeio mensal que trata o caput deste artigo será realizado a contar da habilitação junto ao gestor federal, que se dará mediante o envio dos documentosprevistosnoanexoiidestaportaria. Art.6ºASecretariadeAtençãoàSaúdedoMinistériodaSaúdedefinirá,ematonormativoespecífico, os procedimentos da tabela Sistema de Informação Ambulatorial do Sistema Único de Saúde, referentesàsunidadesdeacolhimento. Brasília,13dedezembrode

11 NOTATÉCNICA Art. 7º Determinar que os recursos orçamentários relativos às ações descritas no art. 3º desta Portaria corram por conta do orçamento do Ministério da Saúde, devendo onerar o Programa de Trabalho B0aAtençãoEspecializadaemSaúdeMental. Art. 8º Determinar que os recursos orçamentários relativos às ações descritas no art. 5º desta Portaria corram por conta do orçamento do Ministério da Saúde, devendo onerar o Programa de Trabalho a AtençãoàSaúdedaPopulaçãoparaProcedimentosdeMédiaeAlta Complexidade. Art. 9º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação, com efeitos financeiros a partir da competênciaxxxxvermêsde2011. ALEXANDREROCHASANTOSPADILHA Brasília,13dedezembrode

12 NOTATÉCNICA ANEXOI REPASSEDEINCENTIVOFINANCEIROPARAFINANCEIROPARAIMPLANTAÇÃODEUNIDADEDE ACOLHIMENTO Documentaçãonecessáriaparafinsderepassedoincentivo: VII) Ofício do gestor solicitando o incentivo financeiro, informando o tipo (Adulto ou Infantoa Juvenil)c VIII) Proposta de implantação da Unidade de Acolhimento, incluindo a descrição da estrutura físicaefuncionalc IX) Termo de compromisso do gestor local assegurando a contratação dos profissionais que comporãoaequipemínimaprevistanoanexoiiidestaportariac X) TermodecompromissodogestorlocalassegurandooiníciodofuncionamentodaUnidade deacolhimentonoprazodeaté90(noventa)diasapartirdorecebimentodosrecursosfinanceiros, renovávelumaúnicavez,porigualperíodo,mediantejustificativa. XI) Paraoscasosdeparceriascominstituiçõesouentidadessemfinslucrativos,seránecessário oenviodacópiadoestatutosocial,dodocumentodeidentidadedodiretor/presidente/responsávele registrodeentidadesemfinslucrativos. XII) Declaração da instituição ou entidade contratada pelo serviço público que o gerente será definidocomanuênciadogestorlocal. ANEXOII CADASTRAMENTOPARAREPASSEDERECURSOFINANCEIRODECUSTEIOMENSALDAS UNIDADESDEACOLHIMENTO V) DeclaraçãodogestorlocalqueatestaofuncionamentodaUnidadedeAcolhimentoc VI) ProgramadeAçãoTécnicadoServiçodaUnidadedeAcolhimento,contendoadinâmicado funcionamento da Unidade e a articulação com os outros pontos de atenção da rede de saúde e intersetorialc VII) RelatóriodeVistoriadaVigilânciaSanitárialocalc VIII) ApresentaçãodonúmerodoCadastroNacionaldeEstabelecimentosdeSaúde(CNES)da UnidadedeAcolhimentoc ANEXOIII CRITÉRIOSPARAIMPLANTAÇÃO,RECURSOSHUMANOSEORIENTAÇÕESPARAO FUNCIONAMENTODAUNIDADEDEACOLHIMENTO IaCRITÉRIOSPARAIMPLANTAÇÃODEUNIDADEDEACOLHIMENTO Brasília,13dedezembrode

13 NOTATÉCNICA A)InserçãonaRededeAtençãoPsicossocialeterumCentrodeAtençãoPsicossocialdereferência paraaunidadedeacolhimentoaserimplantada. II CRITÉRIOSESPECÍFICOSPARAIMPLANTAÇÃODEUNIDADEDEACOLHIMENTOADULTO A)Unidadedereferênciaparamunicípiosouregiõescompopulaçãoigualoumaiordoque (duzentosmil)habitantesc B) Possuir número de leitos psiquiátricos em Enfermaria Especializada ou Serviço Hospitalar de Referência para atenção às pessoas com sofrimento ou transtorno mental e com necessidades decorrentesdousodecrack,álcooleoutrasdrogas,devesermaiorque5(cinco),nomunicípioou regiãoc III CRITÉRIOS ESPECÍFICOS PARA IMPLANTAÇÃO DE UNIDADE DE ACOLHIMENTO INFANTOaJUVENIL A)Referênciaparamunicípioscommaisde habitantesc B) Número de crianças, adolescentes e jovens em risco para uso de drogas, a partir do cálculo abaixo:popx6%(10a19) =N Pop:Populaçãocomrecortedonúmerodehabitantesentre10e19anos. 5. 6%: Percentual de uso de qualquer droga no último mês por estudantes de 10 a 19 anos, segundo dados do Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópicas (CEBRID), realizadoem N:Númerodecrianças,adolescentesejovensemriscoparausodedrogas. C)Apartirdosvaloresencontradosnoitemanterior,aimplantaçãodaUnidadedeAcolhimentodeve seguirosseguintesparâmetros: I Municípioscomde2.500(duasmilequinhentas)a5.000(cincomil)crianças,adolescentes ejovensemriscoparausodedrogas01(uma)unidadedeacolhimento. II Municípioscommaisde5.000(cincomil)crianças,adolescentesejovens:1(uma)nova unidade para cada 5000 (cinco mil) crianças, adolescentes e jovens em risco para uso de drogas. IIaRECURSOSHUMANOS: EquipetécnicamínimaparaatuaçãonaUnidadedeAcolhimentoAdulto,devesercompostacomos profissionaisdescritosabaixo: a)profissionaiscomníveluniversitárionaáreadasaúdequepossuamexperiênciaemcuidadoscom pessoas com necessidades de saúde decorrentes do uso de crack, álcool e outras drogas, em númerosuficiente.énecessáriaapresençadepelomenos1(um)profissionalpresentediariamente das07ás19horas,garantindoacoberturadosserviços,desegundaadomingo. b) Profissionais com nível médio concluído e que possuam experiência na área de cuidados com pessoas com necessidades de saúde decorrentes do uso de crack, álcool e outras drogas, em Brasília,13dedezembrode

14 NOTATÉCNICA número suficiente. É necessária a presença de pelo menos 4 (quatro) profissionais presentes em tempointegral,garantindoacoberturadosserviçosem24horas,desegundaadomingo. Nas Unidades de Acolhimento InfantoaJuvenil, além dos recursos humanos supracitados, é necessáriaaexistênciade: a) Profissionais com nível superior na área da educação que possuam experiência na área de cuidados com pessoas com necessidades de saúde decorrentes do uso de crack, álcool e outras drogas,emnúmerosuficiente.énecessáriaapresençadepelomenos1(um)profissionalpresente diariamentedas07ás19horas,garantindoacoberturadosserviços,desegundaadomingo. III ORIENTAÇÕESPARAOFUNCIONAMENTODASUNIDADESDEACOLHIMENTO: a)asaçõesdesenvolvidaspelasunidades deacolhimento,assimcomootempodepermanência, devemestardefinidosnumprojetoterapêuticosingulardesenvolvidojuntamentecomocentrode AtençãoPsicossocialedevemobservarasseguintesorientações: I) II) III) IV) V) VI) VII) VIII) IX) X) XI) A entrada do usuário na Unidade de Acolhimento começa pelo acolhimento humanizado,iniciando,logoapós,oprocessodegrupalizaçãoesocialização,por meiodeatividadesterapêuticasecoletivasc Desenvolvimentodeaçõesquegarantamaintegridadefísicaemental,considerando ocontextosocialefamiliarcalémdeintervençõesquefavoreçamaadesão,visando àinterrupçãooureduçãodousodecrack,álcooleoutrasdrogasc Acompanhamentopsicossocialaousuárioeaofamiliarc Atendimento (psicoterápico, orientação, entre outros) de acordo com o Projeto TerapêuticoSingularc Atendimentoemgrupos(psicoterapia,grupooperativo,atividadesdesuportesocial, assembléias,grupodereduçãodedanos,entreoutras)c Oficinasterapêuticasexecutadasporprofissionaldenívelsuperiorounívelmédioc Atendimentoeatividadessociofamiliarecomunitáriac Promoçãodeatividadesdereinserçãosocialc Articulação com a Rede intersetorial, especialmente com a assistência social, educação, justiça e direitos humanos, com o objetivo de possibilitar ações que visemàreinserçãosocial,familiarelaboral,preparatóriaparaasaída. Articulação a programas culturais, educacionais/profissionalizantes, de moradia, de geraçãodetrabalhoerendac AsaídadousuáriodaUnidadedeAcolhimentodeveráserprogramadadeformaque sejam ações articuladas que visem sua completa inclusão social, tais como: moradia,suportefamiliar,geraçãodetrabalhoerenda,inclusãonaescola,sempre considerandoasnecessidadesdousuário. b)aunidadedeacolhimentoteráacompanhamento,controle,avaliação,fiscalizaçãoeauditoriasob aresponsabilidadedogestormunicipalouestadual. c) O espaço físico deve ser adequado para o desenvolvimento de atividades terapêuticas. Outras atividadespodemserdesenvolvidasemespaçosdeoutrasinstituiçõesqueestejamarticuladascomo serviço e que estejam próximas as Unidade de Acolhimento, tais como: escolas, Centros de ReferênciadeAssistênciaSocial,CentrosdeConvivência,entreoutrosc d) A estrutura física deve apresentar quartos coletivos para até 04 (quatro) pessoas, por quarto, espaçopararefeições,cozinha,banheiros,áreadeserviço,saladeenfermagem,saladeacolhimento Brasília,13dedezembrode

15 NOTATÉCNICA erecepção,salapararealizarreuniõesclínicaseadministrativaseregistrosdocumentais,salasde atividadesindividuais/grupaiseáreadelazerparaatividadesejogosesportivos,lúdico,entreoutras. % Brasília,13dedezembrode

Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 121, DE 25 DE JANEIRO DE 2012

Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 121, DE 25 DE JANEIRO DE 2012 ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 121, DE 25 DE JANEIRO DE 2012 Institui a Unidade de Acolhimento para pessoas

Leia mais

Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 121, DE 25 DE JANEIRO DE 2012(*)

Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 121, DE 25 DE JANEIRO DE 2012(*) ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 121, DE 25 DE JANEIRO DE 2012(*) Institui a Unidade de Acolhimento para

Leia mais

ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União. Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde

ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União. Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde PORTARIA Nº 855, DE 22 DE AGOSTO DE 2012 O Secretário de Atenção à Saúde, no

Leia mais

O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, no uso das atribuições que lhe conferem os incisos I e II do parágrafo único do art. 87 da Constituição, e

O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, no uso das atribuições que lhe conferem os incisos I e II do parágrafo único do art. 87 da Constituição, e PORTARIA Nº 3.9, DE 23 DE DEZEMBRO DE 211(*) Altera a Portaria nº 16/GM/MS, de 11 de fevereiro de 2, e dispõe, no âmbito da Rede de Atenção Psicossocial, sobre o repasse de recursos de incentivo de custeio

Leia mais

Financiamento. Consultório na Rua PORTARIA Nº 123, DE 25 DE JANEIRO DE Sem portaria convivência e cultura. Estabelece, no âmbito Especializada/

Financiamento. Consultório na Rua PORTARIA Nº 123, DE 25 DE JANEIRO DE Sem portaria convivência e cultura. Estabelece, no âmbito Especializada/ Rede De (RAPS) Componentes da RAPS Pontos da RAPS Nº da Portaria de Financiamento Caracterização da portaria Atenção Básica Unidade Básica de PORTARIA 2488/11 Institui a Política Saúde Nacional de Atenção

Leia mais

PORTARIA Nº 3.090, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2011(*)

PORTARIA Nº 3.090, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2011(*) PORTARIA Nº 3.090, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2011(*) Altera a Portaria nº 106/GM/MS, de 11 de fevereiro de 2000, e dispõe, no âmbito da Rede de Atenção Psicossocial, sobre o repassede recursos de incentivo

Leia mais

PORTARIA No- 855, DE 22 DE AGOSTO DE 2012

PORTARIA No- 855, DE 22 DE AGOSTO DE 2012 PORTARIA No- 855, DE 22 DE AGOSTO DE 2012 O Secretário de Atenção à Saúde, no uso de suas atribuições, Considerando a Portaria nº 3.088/GM/MS, de 23 de dezembro de 2011, que institui a Rede de Atenção

Leia mais

Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde PORTARIA Nº 856, DE 22 DE AGOSTO DE 2012

Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde PORTARIA Nº 856, DE 22 DE AGOSTO DE 2012 ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde PORTARIA Nº 856, DE 22 DE AGOSTO DE 2012 O Secretário de Atenção à Saúde, no

Leia mais

Por Maria Cecília Heckrath

Por Maria Cecília Heckrath Apresentações Por Maria Cecília Heckrath http://telessaude.sc.gov.br telessaude@saude.sc.gov.br +55 (48) 3212-3505 Por que organizar Rede de Atenção à Saúde no SUS Torna-se cada vez mais evidente a dificuldade

Leia mais

SERVIÇO RESIDENCIAL TERAPÊUTICO Diário oficial da União Nº 251 Seção I sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

SERVIÇO RESIDENCIAL TERAPÊUTICO Diário oficial da União Nº 251 Seção I sexta-feira, 30 de dezembro de 2011 Circular 011/2012 São Paulo, 02 de janeiro de 2012. PROVEDOR(A) ADMINISTRADOR(A) SERVIÇO RESIDENCIAL TERAPÊUTICO Diário oficial da União Nº 251 Seção I sexta-feira, 30 de dezembro de 2011 Prezados Senhores,

Leia mais

Ministério da Saúde PORTARIA Nº 148, DE 31 DE JANEIRO DE 2012

Ministério da Saúde PORTARIA Nº 148, DE 31 DE JANEIRO DE 2012 Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 148, DE 31 DE JANEIRO DE 2012 Define as normas de funcionamento e habilitação do Serviço Hospitalar de Referência para atenção a pessoas com sofrimento

Leia mais

Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 131, DE 26 DE JANEIRO DE 2012

Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 131, DE 26 DE JANEIRO DE 2012 ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 131, DE 26 DE JANEIRO DE 2012 Institui incentivo financeiro de custeio destinado

Leia mais

PORTARIA Nº 130, DE 26 DE JANEIRO DE 2012

PORTARIA Nº 130, DE 26 DE JANEIRO DE 2012 PORTARIA Nº 130, DE 26 DE JANEIRO DE 2012 Redefine o Centro de Atenção Psicossocial de Álcool e outras Drogas 24 h (CAPS AD III) e os respectivos incentivos financeiros. O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE,

Leia mais

MATRIZ DIAGNÓSTICA DA REDE DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL

MATRIZ DIAGNÓSTICA DA REDE DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL MATRIZ DIAGNÓSTICA DA REDE DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL REGIÃO: RRAS 2 MUNICÍPIOS: ARUJÁ, BIRITIBA MIRIM, FERRAZ DE VASCONCELOS, GUARAREMA, GUARULHOS, ITAQUAQUECETUBA, MOGI DAS CRUZES, POÁ, SALESÓPOLIS, SANTA

Leia mais

Programa Nacional Telessaúde Brasil Redes - Proposta de repasse de recursos financeiros do Ministério da Saúde.

Programa Nacional Telessaúde Brasil Redes - Proposta de repasse de recursos financeiros do Ministério da Saúde. NOTA TÉCNICA 14 2013 Programa Nacional Telessaúde Brasil Redes - Proposta de repasse de recursos financeiros do Ministério da Saúde. (Proposta apresentada para pactuação na CIT de abril de 2013) 1. ANTECEDENTES

Leia mais

POLÍTICA DE SAÚDE MENTAL. Prof. Domingos de Oliveira

POLÍTICA DE SAÚDE MENTAL. Prof. Domingos de Oliveira POLÍTICA DE SAÚDE MENTAL Prof. Domingos de Oliveira DIRETRIZES E POLÍTICA DE SAÚDE MENTAL A Política de Saúde Mental instituída no Brasil através da Lei Federal No 10.216/01, tem como premissa fundamental

Leia mais

PORTARIA Nº 3.088, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2011(*)

PORTARIA Nº 3.088, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2011(*) PORTARIA Nº 3.088, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2011(*) Institui a Rede de Atenção Psicossocial para pessoas com sofrimento ou transtorno mental, incluindo aquelas com necessidades decorrentes do uso de crack,

Leia mais

Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 2.859, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2014

Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 2.859, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2014 ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 2.859, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2014 Institui o incentivo financeiro de custeio

Leia mais

RAPS. Saúde Mental 26/08/2016. Prof.: Beto Cruz PORTARIA Nº 3.088, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2011(*)

RAPS. Saúde Mental 26/08/2016. Prof.: Beto Cruz PORTARIA Nº 3.088, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2011(*) Saúde Mental Prof.: Beto Cruz betocais2@gmail.com PORTARIA Nº 3.088, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2011(*) Institui a Rede de Atenção Psicossocial para pessoas com sofrimento ou transtorno mental e com necessidades

Leia mais

PORTARIA Nº 3.687, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2017

PORTARIA Nº 3.687, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2017 PORTARIA Nº 3.687, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2017 Estabelece a alteração de valores de procedimentos, recurso a ser incorporado ao Bloco de Média e Alta Complexidade - Componente Limite Financeiro de Média

Leia mais

Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 121, DE 25 DE JANEIRO DE 2012

Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 121, DE 25 DE JANEIRO DE 2012 ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 121, DE 25 DE JANEIRO DE 2012 Institui a Unidade de Acolhimento para pessoas

Leia mais

PORTARIA Nº 482, DE 1o- DE ABRIL DE 2014

PORTARIA Nº 482, DE 1o- DE ABRIL DE 2014 PORTARIA Nº 482, DE 1o- DE ABRIL DE 2014 Institui normas para a operacionalização da Política Nacional de Atenção Integral à Saúde das Pessoas Privadas de Liberdade no Sistema Prisional (PNAISP) no âmbito

Leia mais

Oficina 5: Os desafios para sustentabilidade da RAPS - Rede de Atenção Psicossocial

Oficina 5: Os desafios para sustentabilidade da RAPS - Rede de Atenção Psicossocial Oficina 5: Os desafios para sustentabilidade da RAPS - Rede de Atenção Psicossocial Loiva dos Santos Leite Secretaria Municipal da Saúde de Porto Alegre Julho/2016 SUStentabilidade da RAPS sob os aspectos

Leia mais

Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde PORTARIA/SAS Nº 953, DE 12 DE SETEMBRO DE 2012

Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde PORTARIA/SAS Nº 953, DE 12 DE SETEMBRO DE 2012 Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde PORTARIA/SAS Nº 953, DE 12 DE SETEMBRO DE 2012 A Secretária de Atenção à Saúde - Substituta, no uso de suas atribuições, Considerando a Portaria nº 3.088/GM/MS,

Leia mais

PORTARIA/GM Nº 3.088, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2011(*)

PORTARIA/GM Nº 3.088, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2011(*) PORTARIA/GM Nº 3.088, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2011(*) Institui a Rede de Atenção Psicossocial para pessoas com sofrimento ou transtorno mental e com necessidades decorrentes do uso de crack, álcool e outras

Leia mais

Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde PORTARIA Nº 854, DE 22 DE AGOSTO DE 2012

Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde PORTARIA Nº 854, DE 22 DE AGOSTO DE 2012 ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde PORTARIA Nº 854, DE 22 DE AGOSTO DE 2012 O Secretário de Atenção à Saúde, no

Leia mais

PORTARIA Nº 3.588, DE 21 DE DEZEMBRO DE 2017

PORTARIA Nº 3.588, DE 21 DE DEZEMBRO DE 2017 PORTARIA Nº 3.588, DE 21 DE DEZEMBRO DE 2017 Altera as Portarias de Consolidação no 3 e nº 6, de 28 de setembro de 2017, para dispor sobre a Rede de Atenção Psicossocial, e dá outras providências. O MINISTRO

Leia mais

PORTARIA Nº 3.088, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2011(*)

PORTARIA Nº 3.088, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2011(*) PORTARIA Nº 3.088, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2011(*) Institui a Rede de Atenção Psicossocial para pessoas com sofrimento ou transtorno mental e com necessidades decorrentes do uso de crack, álcool e outras

Leia mais

Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 2.562, DE 20 DE NOVEMBRO DE 2014

Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 2.562, DE 20 DE NOVEMBRO DE 2014 ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 2.562, DE 20 DE NOVEMBRO DE 2014 Habilita Municípios e Estados a receberem

Leia mais

INCENTIVO%100%%SUS% NOTA%TÉCNICA%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%02 %2012% !!!! !!6!

INCENTIVO%100%%SUS% NOTA%TÉCNICA%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%02 %2012% !!!! !!6! NOTA%TÉCNICA%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%02 %2012% 6 INCENTIVO%100%%SUS% 1 Brasília,10dejaneirode2012. NOTATÉCNICA 02 2012 % INTRODUÇÃO% Esta Nota Técnica visa apresentar uma

Leia mais

Saúde Mental: Como cai na prova de Enfermagem. Prof.ª Natale Souza

Saúde Mental: Como cai na prova de Enfermagem. Prof.ª Natale Souza Saúde Mental: Como cai na prova de Enfermagem Prof.ª Natale Souza Um pouco de história... A atual política de saúde mental brasileira é resultado da mobilização de usuários, familiares e trabalhadores

Leia mais

Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 336, DE 19 DE FEVEREIRO DE 2002

Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 336, DE 19 DE FEVEREIRO DE 2002 ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 336, DE 19 DE FEVEREIRO DE 2002 O Ministro da Saúde, no uso de suas atribuições

Leia mais

PORTARIA Nº 1.663, DE 6 DE AGOSTO DE 2012

PORTARIA Nº 1.663, DE 6 DE AGOSTO DE 2012 PORTARIA Nº 1.663, DE 6 DE AGOSTO DE 2012 Dispõe sobre o Programa SOS Emergências no âmbito da Rede de Atenção às Urgências e Emergências (RUE). O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, no uso das atribuições que

Leia mais

Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 336, DE 19 DE FEVEREIRO DE 2002

Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 336, DE 19 DE FEVEREIRO DE 2002 ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 336, DE 19 DE FEVEREIRO DE 2002 O Ministro da Saúde, no uso de suas atribuições

Leia mais

PORTARIA No , DE 23 DE NOVEMBRO DE 2017

PORTARIA No , DE 23 DE NOVEMBRO DE 2017 PORTARIA No- 3.168, DE 23 DE NOVEMBRO DE 2017 Estabelece o remanejamento de recursos do Fundo de Ações Estratégicas e Compensação (FAEC) para o Limite Financeiro Anual de Média e Alta Complexidade Ambulatorial

Leia mais

PORTARIA Nº 2.860, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2014

PORTARIA Nº 2.860, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2014 PORTARIA Nº 2.860, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2014 Define os valores do incentivo financeiro de custeio mensal destinado aos Núcleos de Telessaúde do Programa Nacional Telessaúde Brasil Redes na Atenção Básica

Leia mais

PORTARIA Nº 1.654, DE 9 DE SETEMBRO DE 2016

PORTARIA Nº 1.654, DE 9 DE SETEMBRO DE 2016 PORTARIA Nº 1.654, DE 9 DE SETEMBRO DE 2016 Habilita Estados e Municípios a receberem, em parcela única, o incentivo de implantação de Centros de Atenção Psicossocial - CAPS, CAPS AD III, SRT, Unidade

Leia mais

Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 2.840, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2014

Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 2.840, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2014 ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 2.840, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2014 Cria o Programa de Desinstitucionalização

Leia mais

REDE DE ATENÇÃO À SAÚDE MENTAL

REDE DE ATENÇÃO À SAÚDE MENTAL REDE DE ATENÇÃO À SAÚDE MENTAL FONTE: Google Região de Saúde Espaço geográfico contínuo constituído por agrupamentos de municípios limítrofes (identidades culturais, econômicas e sociais e de redes de

Leia mais

NOTA TÉCNICA 41 /2012. Institui a Rede de Atenção à Saúde das Pessoas com Doenças Crônicas, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS).

NOTA TÉCNICA 41 /2012. Institui a Rede de Atenção à Saúde das Pessoas com Doenças Crônicas, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). NOTA TÉCNICA 41 /2012 Institui a Rede de Atenção à Saúde das Pessoas com Doenças Crônicas, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). INTRODUÇÃO As doenças crônicas não transmissíveis constituem o problema

Leia mais

PORTARIA Nº 953, DE 12 DE SETEMBRO DE 2012

PORTARIA Nº 953, DE 12 DE SETEMBRO DE 2012 PORTARIA Nº 953, DE 12 DE SETEMBRO DE 2012 A Secretária de Atenção à Saúde - Substituta, no uso de suas atribuições, Considerando a Portaria nº 3.088/GM/MS, de 23 de dezembro de 2011, que institui a Rede

Leia mais

Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 3.588, DE 21 DE DEZEMBRO DE 2017

Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 3.588, DE 21 DE DEZEMBRO DE 2017 Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 3.588, DE 21 DE DEZEMBRO DE 2017 Altera as Portarias de Consolidação no 3 e nº 6, de 28 de setembro de 2017, para dispor sobre a Rede de Atenção Psicossocial,

Leia mais

ALTERAÇÃO NAS TABELAS DE HABILITAÇÃO E SERVIÇO/CLASSIFICAÇÃO DO SCNES Diário Oficial da União Nº 178 Seção 1, quinta-feira, 13 de setembro de 2012

ALTERAÇÃO NAS TABELAS DE HABILITAÇÃO E SERVIÇO/CLASSIFICAÇÃO DO SCNES Diário Oficial da União Nº 178 Seção 1, quinta-feira, 13 de setembro de 2012 Circular 365/2012 São Paulo, 14 de setembro de 2012. PROVEDOR(A) ADMINISTRADOR(A) ALTERAÇÃO NAS TABELAS DE HABILITAÇÃO E SERVIÇO/CLASSIFICAÇÃO DO SCNES Diário Oficial da União Nº 178 Seção 1, quinta-feira,

Leia mais

PORTARIA INTERMINISTERIAL No 1.055, DE 25 DE ABRIL DE 2017

PORTARIA INTERMINISTERIAL No 1.055, DE 25 DE ABRIL DE 2017 PORTARIA INTERMINISTERIAL No 1.055, DE 25 DE ABRIL DE 2017 Redefine as regras e os critérios para adesão ao Programa Saúde na Escola PSE por estados, Distrito Federal e municípios e dispõe sobre o respectivo

Leia mais

PORTARIA Nº 485, DE 1o- DE ABRIL DE 2014

PORTARIA Nº 485, DE 1o- DE ABRIL DE 2014 PORTARIA Nº 485, DE 1o- DE ABRIL DE 2014 Redefine o funcionamento do Serviço de Atenção às Pessoas em Situação de Violência Sexual no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE,

Leia mais

RESPONSABILI- DADE CONCEITO. Centralizado. Centralizado

RESPONSABILI- DADE CONCEITO. Centralizado. Centralizado PORTARIA Nº 857, DE 22 DE AGOSTO DE 2012 O Secretário de Atenção à Saúde, no uso de suas atribuições, Considerando a Portaria nº 3.088/GM/MS, de 23 de dezembro de 2011, que institui a Rede de Atenção Psicossocial

Leia mais

Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 615, DE 15 DE ABRIL DE 2013

Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 615, DE 15 DE ABRIL DE 2013 Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 615, DE 15 DE ABRIL DE 2013 Dispõe sobre o incentivo financeiro de investimento para construção de Centro de Atenção Psicossocial () e Unidades de Acolhimento,

Leia mais

ANEXO I ATRIBUIÇÕES DAS EQUIPES DE REFERÊNCIA EM SAÚDE E RESPONSABILIDADES SETORIAIS INTERFEDERATIVAS

ANEXO I ATRIBUIÇÕES DAS EQUIPES DE REFERÊNCIA EM SAÚDE E RESPONSABILIDADES SETORIAIS INTERFEDERATIVAS ANEXO I ATRIBUIÇÕES DAS EQUIPES DE REFERÊNCIA EM SAÚDE E RESPONSABILIDADES SETORIAIS INTERFEDERATIVAS 1. Atribuições das equipes de referência em saúde As equipes de referência em saúde preconizadas nesta

Leia mais

Portaria SAS/MS nº 305, de 03 de Maio de 2002.

Portaria SAS/MS nº 305, de 03 de Maio de 2002. Portaria SAS/MS nº 305, de 03 de Maio de 2002. O Secretário de Assistência à Saúde, no uso de suas atribuições legais, Considerando o aumento do consumo de álcool e outras drogas entre crianças e adolescentes

Leia mais

O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, no uso das atribuições que lhe confere o inciso I do parágrafo único do art. 87 da Constituição, e

O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, no uso das atribuições que lhe confere o inciso I do parágrafo único do art. 87 da Constituição, e PORTARIA No- 2.728, DE 11 DE NOVEMBRO DE 2009 Dispõe sobre a Rede Nacional de Atenção Integral à Saúde do Trabalhador (RENAST) e dá outras providências. O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, no uso das atribuições

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 403/11 CIB/RS. A Comissão Intergestores Bipartite/RS, no uso de suas atribuições legais, e considerando:

RESOLUÇÃO Nº 403/11 CIB/RS. A Comissão Intergestores Bipartite/RS, no uso de suas atribuições legais, e considerando: RESOLUÇÃO Nº 403/11 CIB/RS A Comissão Intergestores Bipartite/RS, no uso de suas atribuições legais, e considerando: a Lei nº 9.716, de 07 de agosto de 1992, que estabelece a Reforma Psiquiátrica no âmbito

Leia mais

PORTARIA Nº 953, DE 12 DE SETEMBRO DE 2012

PORTARIA Nº 953, DE 12 DE SETEMBRO DE 2012 PORTARIA Nº 953, DE 12 DE SETEMBRO DE 2012 Legislações - SAS Qui, 13 de Setembro de 2012 00:00 PORTARIA Nº 953, DE 12 DE SETEMBRO DE 2012 A Secretária de Atenção à Saúde - Substituta, no uso de suas atribuições,

Leia mais

Brasília, 20 de novembro de

Brasília, 20 de novembro de NOTA TÉCNICA /2012 Redefine as diretrizes e normas para a organização e o funcionamento dos Núcleos de Apoio à Saúde da Família (NASF) no âmbito da Atenção Básica, cria a Modalidade NASF 3, e dá outras

Leia mais

A implantação de CAPS no estado do Paraná: situação atual e perspectivas. Coordenação Estadual de Saúde Mental Agosto 2013

A implantação de CAPS no estado do Paraná: situação atual e perspectivas. Coordenação Estadual de Saúde Mental Agosto 2013 A implantação de CAPS no estado do Paraná: situação atual e perspectivas Coordenação Estadual de Saúde Mental Agosto 2013 Situação Atual - Portaria 336/2002 - CAPS - Portaria 245/2005 incentivo implantação

Leia mais

PORTARIA Nº 1.172, DE 5 DE JUNHO DE 2012

PORTARIA Nº 1.172, DE 5 DE JUNHO DE 2012 PORTARIA Nº 1.172, DE 5 DE JUNHO DE 2012 Dispõe sobre o incentivo financeiro de custeio para o Componente Unidade de Pronto Atendimento (UPA 24h) e o conjunto de serviços de urgência 24 horas da Rede de

Leia mais

Portaria GM/MS nº 52, de 20 de janeiro de 2004.

Portaria GM/MS nº 52, de 20 de janeiro de 2004. Portaria GM/MS nº 52, de 20 de janeiro de 2004. Institui o Programa Anual de Reestruturação da Assistência Psiquiátrica Hospitalar no SUS 2004 O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, no uso de suas atribuições,

Leia mais

NOTA TÉCNICA

NOTA TÉCNICA NOTA TÉCNICA 38 2012 Minuta de Portaria que cria a especificação preceptor e residente no cadastro do médico que atua em qualquer uma das equipes de Saúde da Família previstas na Política Nacional de Atenção

Leia mais

PORTARIA Nº 2.765, DE 12 DE DEZEMBRO DE 2014

PORTARIA Nº 2.765, DE 12 DE DEZEMBRO DE 2014 PORTARIA Nº 2.765, DE 12 DE DEZEMBRO DE 2014 Dispõe sobre as normas para financiamento e execução do Componente Básico da Assistência Farmacêutica no âmbito da Política Nacional de Atenção Integral à Saúde

Leia mais

Cuidado. Crack, é possível vencer Aumento da oferta de tratamento de saúde e atenção aos usuários

Cuidado. Crack, é possível vencer Aumento da oferta de tratamento de saúde e atenção aos usuários Prevenção Educação, Informação e Capacitação Cuidado Aumento da oferta de tratamento de saúde e atenção aos usuários Autoridade Enfrentamento ao tráfico de drogas e às organizações criminosas Crack, é

Leia mais

Rede de Atenção Psicossocial do Rio Grande do Norte - RAPS. Reunião do COSEMS Agosto /2015

Rede de Atenção Psicossocial do Rio Grande do Norte - RAPS. Reunião do COSEMS Agosto /2015 Rede de Atenção Psicossocial do Rio Grande do Norte - RAPS Reunião do COSEMS Agosto /2015 RAPS RAPS: Rede de Atenção Psicossocial. Rede Prioritária de Atenção à Saúde instituída pela Portaria nº 3.088,

Leia mais

O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, no uso das atribuições que lhe confere o inciso II do parágrafo único do art. 87 da Constituição, e

O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, no uso das atribuições que lhe confere o inciso II do parágrafo único do art. 87 da Constituição, e PORTARIA Nº. x.xxx, DE XX DE XXXXX DE 2011. Institui no âmbito do Sistema Único de Saúde o Programa de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica e o componente de qualidade do Piso de Atenção

Leia mais

Linhas de Ação / Gestão e Monitoramento Política Nacional de Saúde Mental

Linhas de Ação / Gestão e Monitoramento Política Nacional de Saúde Mental Linhas de Ação / Gestão e Monitoramento Política Nacional de Saúde Mental Coordenação de Saúde Mental, Álcool e Outras Drogas Departamento de Ações Programáticas e Estratégicas/DAPES Secretaria de Atenção

Leia mais

PORTARIA Nº 1.634, DE 1º DE OUTUBRO DE 2015

PORTARIA Nº 1.634, DE 1º DE OUTUBRO DE 2015 PORTARIA Nº 1.634, DE 1º DE OUTUBRO DE 2015 Suspende e remaneja recursos do Limite Financeiro Anual do Estado e dos Municípios do Rio de Janeiro, e aprova o Componente Parto e Nascimento das Etapas III

Leia mais

PORTARIA Nº 3.863, DE 27 DE DEZEMBRO DE 2017

PORTARIA Nº 3.863, DE 27 DE DEZEMBRO DE 2017 PORTARIA Nº 3.863, DE 27 DE DEZEMBRO DE 2017 Habilita Estados, Municípios e Distrito Federal, a receberem, em parcela única, recursos fundo a fundo destinados à aquisição de Unidade Móvel SAMU 192. O MINISTRO

Leia mais

BLOCO DE ATENÇÃO DE MÉDIA E ALTA COMPLEXIDADE Diário Oficial da União Nº 234, Seção 1 terça-feira, 08 de dezembro de 2015.

BLOCO DE ATENÇÃO DE MÉDIA E ALTA COMPLEXIDADE Diário Oficial da União Nº 234, Seção 1 terça-feira, 08 de dezembro de 2015. Circular 423/2015 São Paulo, 08 de dezembro de 2015. PROVEDOR(A) ADMINISTRADOR(A) BLOCO DE ATENÇÃO DE MÉDIA E ALTA COMPLEXIDADE Diário Oficial da União Nº 234, Seção 1 terça-feira, 08 de dezembro de 2015.

Leia mais

GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 981, DE 21 DE MAIO DE 2014

GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 981, DE 21 DE MAIO DE 2014 GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 981, DE 21 DE MAIO DE 2014 Altera, acresce e revoga dispositivos da Portaria nº 199/GM/MS, de 30 de janeiro de 2014, que institui a Política Nacional de Atenção Integral

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 3, DE 7 DE MARÇO DE 2013

RESOLUÇÃO Nº 3, DE 7 DE MARÇO DE 2013 RESOLUÇÃO Nº 3, DE 7 DE MARÇO DE 2013 Dispõe sobre a expansão qualificada dos Serviços de Acolhimento Institucional para Jovens e Adultos com Deficiência em situação de dependência, em Residências Inclusivas.

Leia mais

Rede de Atenção Psicossocial: SUS

Rede de Atenção Psicossocial: SUS Universidade Federal do Espírito Santo Centro de Ciências da Saúde Centro de Estudos e Pesquisa sobre Álcool e outras Drogas Rede de Atenção Psicossocial: SUS Enfª. Jéssika Fialho Honório e Enfº. Kelinson

Leia mais

REDE DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL

REDE DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL REDE DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL DECRETO Nº 7.508/11 Região de Saúde - espaço geográfico contínuo constituído por agrupamentos de municípios limítrofes, delimitado a partir de identidades culturais, econômicas

Leia mais

Capacitação sobre crack, álcool e outras drogas com enfoque biológico, psicológico, social e político

Capacitação sobre crack, álcool e outras drogas com enfoque biológico, psicológico, social e político Universidade Federal do Espírito Santo Centro de Ciências da Saúde Centro de Estudos e Pesquisas sobre o Álcool e outras Drogas Centro Regional de Referência sobre Drogas do Espírito Santo Capacitação

Leia mais

PORTARIA N 3.194, DE 28 DE NOVEMBRO DE 2017

PORTARIA N 3.194, DE 28 DE NOVEMBRO DE 2017 PORTARIA N 3.194, DE 28 DE NOVEMBRO DE 2017 Dispõe sobre o Programa para o Fortalecimento das Práticas de Educação Permanente em Saúde no Sistema Único de Saúde - PRO EPS-SUS. O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE,

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 32, DE 31 DE OUTUBRO DE 2013.

RESOLUÇÃO Nº 32, DE 31 DE OUTUBRO DE 2013. RESOLUÇÃO Nº 32, DE 31 DE OUTUBRO DE 2013. Dispõe sobre o Pacto de Aprimoramento da Gestão dos Estados e do Distrito Federal no âmbito do Sistema Único de Assistência Social SUAS, estabelece a revisão

Leia mais

Redes de Atenção à Saúde e o Cuidado às Pessoas com TEA no SUS

Redes de Atenção à Saúde e o Cuidado às Pessoas com TEA no SUS Redes de Atenção à Saúde e o Cuidado às Pessoas com TEA no SUS Viver Sem Limite - Marco Legal Nacional e Internacional Convenção sobre os Direitos da Pessoa com Deficiência (NY, 2007) Decreto Presidencial

Leia mais

REDE DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL

REDE DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL REDE DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL SUS Sistema Único de Saúde Princípios: Universalidade Equidade Integralidade Diretrizes: Descentralização Resolubilidade Regionalização e Hierarquização Participação dos Cidadãos

Leia mais

PORTARIA Nº 565, DE 9 DE MARÇO DE 2018

PORTARIA Nº 565, DE 9 DE MARÇO DE 2018 Publicado em: 12/03/2018 Edição: 48 Seção: 1 Página: 28-49 Órgão: Ministério da Saúde / Gabinete do Ministro Regulamenta a aplicação das emendas parlamentares que adicionarem recursos ao Sistema Único

Leia mais

PORTARIA GM N , DE 28 DE DEZEMBRO DE 2017 Altera a Portaria de Consolidação nº 6/GM/MS, de 28 de setembro de 2017, para dispor sobre o

PORTARIA GM N , DE 28 DE DEZEMBRO DE 2017 Altera a Portaria de Consolidação nº 6/GM/MS, de 28 de setembro de 2017, para dispor sobre o PORTARIA GM N. 3.992, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2017 Altera a Portaria de Consolidação nº 6/GM/MS, de 28 de setembro de 2017, para dispor sobre o financiamento e a transferência dos recursos federais para as

Leia mais

PORTARIA No- 528, DE 1o- DE ABRIL DE 2013

PORTARIA No- 528, DE 1o- DE ABRIL DE 2013 PORTARIA No- 528, DE 1o- DE ABRIL DE 2013 Define regras para habilitação e funcionamento dos Serviços de Atenção Integral às Pessoas em Situação de Violência Sexual no âmbito do Sistema Único de Saúde

Leia mais

PASSO A PASSO PARA O CADASTRAMENTO DE BENEFICIÁRIOS NO PROGRAMA DE VOLTA PARA CASA

PASSO A PASSO PARA O CADASTRAMENTO DE BENEFICIÁRIOS NO PROGRAMA DE VOLTA PARA CASA Secretaria de Atenção a Saúde Departamento de Ações Programáticas Estratégicas Área Técnica de Saúde Mental PASSO A PASSO PARA O CADASTRAMENTO DE BENEFICIÁRIOS NO PROGRAMA DE VOLTA PARA CASA Sr(a) Gestor(a),

Leia mais

NOTA TÉCNICA 11 /2012

NOTA TÉCNICA 11 /2012 Proposta de Portaria que define os critérios para custeio das Unidades Básicas de Saúde Fluviais preexistentes ao Programa de Construção de Unidades Básicas de Saúde Fluviais (UBSF). Brasília, 04 de junho

Leia mais

Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 1.654, DE 19 DE JULHO DE 2011

Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 1.654, DE 19 DE JULHO DE 2011 ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 1.654, DE 19 DE JULHO DE 2011 Institui, no âmbito do Sistema Único de Saúde,

Leia mais

NOTA TÉCNICA Institui a Equipe de Desinstitucionalização como integrante

NOTA TÉCNICA Institui a Equipe de Desinstitucionalização como integrante NOTA TÉCNICA 32 2013 Institui a Equipe de Desinstitucionalização como integrante do Componente Estratégias de Desinstitucionalização da Rede de Atenção Psicossocial (RAPS), no âmbito do SUS e define incentivo

Leia mais

Saúde Mental Reforma Psiquiátrica

Saúde Mental Reforma Psiquiátrica Reforma Psiquiátrica Prof.: Beto Cruz betocais2@gmail.com Verificando que a assistência psiquiátrica convencional não permitia alcançar objetivos compatíveis com o desejado, e considerando que o Atendimento

Leia mais

Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde PORTARIA Nº 756, DE 27 DE DEZEMBRO DE 2005

Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde PORTARIA Nº 756, DE 27 DE DEZEMBRO DE 2005 Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde PORTARIA Nº 756, DE 27 DE DEZEMBRO DE 2005 O Secretário de Atenção à Saúde - Substituto, no uso de suas atribuições, e Considerando a Portaria nº 1.161/GM,

Leia mais

QUALIFAR SUS - Programa de Qualificação da Assistência Farmacêutica no SUS:

QUALIFAR SUS - Programa de Qualificação da Assistência Farmacêutica no SUS: QUALIFAR SUS - Programa de Qualificação da Assistência Farmacêutica no SUS: minuta de portaria que regulamenta a transferência de recursos financeiros do Eixo Estrutura para 2014. CONASS, abril de 2014.

Leia mais

PORTARIA Nº 544, DE 7 DE MAIO DE 2018

PORTARIA Nº 544, DE 7 DE MAIO DE 2018 PORTARIA Nº 544, DE 7 DE MAIO DE 2018 Define diretrizes para o cadastro do novo porte de Centro de Atenção Psicossocial de Álcool e Outras Drogas do Tipo IV (CAPS AD IV) Cadastro Nacional de Estabelecimentos

Leia mais

Circular 313/2014 São Paulo, 27 de Maio de GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 1.082, DE 23 DE MAIO DE 2014

Circular 313/2014 São Paulo, 27 de Maio de GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 1.082, DE 23 DE MAIO DE 2014 Circular 313/2014 São Paulo, 27 de Maio de 2014. PROVEDOR(A) ADMINISTRADOR(A) POLÍTICA NACIONAL DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE DE ADOLESCENTES EM CONFLITO COM A LEI Diário Oficial da União Nº 98, Seção 1,

Leia mais

Circular 577/2012 São Paulo, 04 de dezembro de 2012.

Circular 577/2012 São Paulo, 04 de dezembro de 2012. Circular 577/2012 São Paulo, 04 de dezembro de 2012. PROVEDOR(A) ADMINISTRADOR(A) TERMO DE REFERÊNCIA PARA ESTRUTURAÇÃO DA REDE DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL - RAPS/SUS Diário Oficial do Estado nº 226 Seção

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 465, DE 28 DE MAIO DE 2012.

LEI COMPLEMENTAR Nº 465, DE 28 DE MAIO DE 2012. LEI COMPLEMENTAR Nº 465, DE 28 DE MAIO DE 2012. Autores: Deputado Romoaldo Júnior e Deputado Sebastião Rezende Dispõe sobre a criação da Lei estadual de Atenção Integral à Saúde Mental e dá outras providências.

Leia mais

Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 142, DE 27 DE JANEIRO DE 2014

Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 142, DE 27 DE JANEIRO DE 2014 Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 142, DE 27 DE JANEIRO DE 2014 Institui, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS), o Incentivo de Qualificação da Gestão Hospitalar (IGH), de que trata

Leia mais

PORTARIA No- 268, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2016

PORTARIA No- 268, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2016 PORTARIA No- 268, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2016 Regulamenta a aplicação das emendas parlamentares que adicionarem recursos à Rede SUS no exercício de 2016, para aplicação no incremento do Teto de Média e

Leia mais

ALTERAÇÃO NA TABELA DE ESTABELECIMENTOS DO SCNES Diário Oficial da União Nº 228, Seção 1 terça-feira, 29 de novembro de 2011

ALTERAÇÃO NA TABELA DE ESTABELECIMENTOS DO SCNES Diário Oficial da União Nº 228, Seção 1 terça-feira, 29 de novembro de 2011 Circular 400/2011 São Paulo, 30 de Novembro de 2011. PROVEDOR(A) ADMINISTRADOR(A) ALTERAÇÃO NA TABELA DE ESTABELECIMENTOS DO SCNES Diário Oficial da União Nº 228, Seção 1 terça-feira, 29 de novembro de

Leia mais

PORTARIA Nº XX, de XX de xxxxxxx de 201X. O SECRETÁRIO MUNICIPAL DE SAÚDE, no uso de suas atribuições,

PORTARIA Nº XX, de XX de xxxxxxx de 201X. O SECRETÁRIO MUNICIPAL DE SAÚDE, no uso de suas atribuições, PORTARIA Nº XX, de XX de xxxxxxx de 201X Aprova a Política Municipal de Assistência Farmacêutica O SECRETÁRIO MUNICIPAL DE SAÚDE, no uso de suas atribuições, Considerando a Lei 5.991, de 17 de dezembro

Leia mais

PLANO DE ENSINO. DISCIPLINA: Atenção psicológica V- Hospital de Saúde Mental. Ementa:

PLANO DE ENSINO. DISCIPLINA: Atenção psicológica V- Hospital de Saúde Mental. Ementa: PLANO DE ENSINO Curso: Pós graduação em Psicologia Hospitalar Docente: Profa. Ms. Roxane Mangueira Sales Carga horária : 8HORAS/Aula Ano/Semestre 2018.1 DISCIPLINA: Atenção psicológica V- Hospital de Saúde

Leia mais

Prefeitura de Natal-RN

Prefeitura de Natal-RN Prefeitura de Natal-RN Legislação do SUS 16. (Prefeitura de Natal-RN/Makiyama/CKM/2016) Ambiência na Saúde refere-se ao tratamento dado ao espaço físico entendido como espaço social, profissional e de

Leia mais

PORTARIA GM/MS nº de 09 de setembro de 2005.

PORTARIA GM/MS nº de 09 de setembro de 2005. PORTARIA GM/MS nº 1.612 de 09 de setembro de 2005. Aprova as Normas de Funcionamento e Credenciamento/ Habilitação dos Serviços Hospitalares de Referência para a Atenção Integral aos Usuários de Álcool

Leia mais

PORTARIA Nº 854, DE 22 DE AGOSTO DE O Secretário de Atenção à Saúde, no uso de suas atribuições,

PORTARIA Nº 854, DE 22 DE AGOSTO DE O Secretário de Atenção à Saúde, no uso de suas atribuições, PORTARIA Nº 854, DE 22 DE AGOSTO DE 2012 O Secretário de Atenção à Saúde, no uso de suas atribuições, Considerando a Portaria nº 3.088/GM/MS, de 23 de dezembro de 2011, que institui a Rede de Atenção Psicossocial

Leia mais