Proposta para implantação de gerenciamento de mudanças

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Proposta para implantação de gerenciamento de mudanças"

Transcrição

1 SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL Pós-Graduação Lato Sensu em Governança de Tecnologia da Informação Diego Ramos Cardoso de Almeida Proposta para implantação de gerenciamento de mudanças Brasília-DF 2012

2 SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL Diego Ramos Cardoso de Almeida Proposta para implantação de gerenciamento de mudanças para o Senac - DF Trabalho de Conclusão de Curso apresentado como requisito para a obtenção do título de Especialista em Governança de Tecnologia da Informação ao Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial SENAC, Unidade EAD SENAC/DF. Orientador: Prof. Ms. Edilberto Magalhães Silva Brasília-DF 2012

3 FICHA CATALOGRÁFICA Será elaborada pela bibliotecária do Senac. As informações serão repassadas no dia da apresentação do trabalho para a banca examinadora. ATENÇÃO: A ficha catalográfica é impressa no verso da folha de rosto, alinhada com a margem inferior.

4 Diego Ramos Cardoso de Almeida Proposta para implantação de gerenciamento de mudanças para o Senac - DF Projeto apresentado ao Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial SENAC, Distrito Federal, como requisito parcial para obtenção do título de Especialista em Governança de Tecnologia da Informação. Aprovado em XX de XXXXX de BANCA EXAMINADORA Prof. Ms. Edilberto Magalhães Silva Tutor Orientador Prof. XXXXXX Convidado Prof.ª Ms Alexandra Cristina Moreira Caetano Coordenadora Pedagógica

5 Dedico este trabalho a Deus e Nossa Senhora que nos momentos mais difíceis sempre esteve juntamente com Jesus Cristo me dando forças para continuar e terminar mais esta etapa de minha vida.

6 AGRADECIMENTOS Agradeço a Deus por ter conseguido chegar até aqui, depois a minha familia que mesmo estando longe demais sempre me deu forças para continuar lutando. E finalmente a Jaqueline Marinho por sempre me lembrar dos prazos das atividades para não perder nenhum instante desta pós.

7 RESUMO Este trabalho detalha o processo de Gerenciamento de Mudanças, baseado no ITIL v3, e por meio de um estudo de caso, onde estima os benefícios que devem ser obtidos após sua implementação. É ainda proposto algumas soluções para gerir as solicitações de mudanças seguindo um padrão operacional com foco na área de comunicação do Senac-DF. Uma destas soluções é a adoção de um fluxo padrão para todas as requisições utilizando processo de gerenciamento de mudanças, descrito por meio do workflow desenhado por um Business Process Modeling Notation, utilizado por inúmeras empresas para definirem seus processos internos, afim de criarem melhores práticas dentro das organizações, ajustarem o escopo e o tempo de execução reduzindo o custo. Palavras-chave: Gerenciamento de mudança, ITIL v3, BPMN.

8 ABSTRACT This paper details the process of Change Management based on ITIL v3, and through a case study, which estimates the benefits to be obtained after its implementation. It is also proposed some solutions to manage change requests following a standard operating with a focus in communications Senac-DF. One such solution is the adoption of a flow pattern for all requests using change management process, described by the workflow designed by a Business Process Modeling Notation, used by numerous companies to define their internal processes, establish best practices within organizations, adjust the scope and the execution time reducing the cost. Key Words: Change management, ITIL v3, BPMN.

9 LISTA DE ILUSTRAÇÕES Figura 1 Fluxo de solicitações de mudanças Figura 2 Limites entre Administração de Mudança e administração de programa.. 29 Figura 3 BPMN Workflow da solicitação de mudanças... 31

10 LISTA DE TABELAS Tabela 1 Cronograma de prazos de startup e desenvolvimento Tabela 2 Papéis e responsabilidades Tabela 3 Cronograma de implementação do gerenciamento de mudanças... 37

11 LISTA DE SIGLAS ACM - Assessoria de Comunicação e Marketing B2B Business to Business BPMN - Business Process Modeling Notation CNC - Confederação Nacional do Comércio CCM - Comitê de Controle de Mudanças COBIT - Control Objectives for Information and related Technology CMDB - Configuration Management Database CAB - Change Advisory Board FSC Forward Schedule of Changes GTI Governanças de Tecnologia da Informação ITGI - Instituto de Governança de Tecnologia da Informação ITIL - Information Technology Infrastructure Library MPN - Modelagem de Processos de Negócio OMG - Object Management P.D.C.A Plan, Do, Check e Act PFM - Programação Futura de Mudanças PMI - Project Management Institute RDM - Requisições de Mudanças RFCs Request For Change Senac - Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial SERPRO - Serviço Federal de Processamento de Dados TCU - Tribunal de Contas da União TI Tecnologia da Informação

12 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO Motivação Objetivo geral Objetivos Específicos Metodologia GOVERNANÇA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Information Technology Infrastruture Library ITIL v Modelagem de Processos de Negócio Gestão de Mudanças IMPLANTAÇÃO DO GERENCIAMENTO DE MUDANÇAS Análise da Instituição Cenário Atual Plano de gerenciamento de Mudanças Papéis e responsabilidades Execução do plano de gerenciamento Estimativa de impacto Cronograma de implantação CONSIDERAÇÕES FINAIS REFERÊNCIAS... 41

13 14 1. INTRODUÇÃO O principal fator que impacta tanto a qualidade quanto ao prazo de entrega são as mudanças que ocorrem durante a fase de testes das aplicações web e também durante a manutenção dos websites. Isto porque as mudanças são executadas sem planejamento ou mesmo sem saber quais serão os impactos que elas irão provocar. O conceito de gestão de mudança corresponde ao processo de reestruturação da cultura, estrutura e estratégia organizacional. Os gestores devem se preparar para responder da melhor forma possível com o objetivo de alcançar um nível de antecipação de uma ação futura para minimizar possíveis impactos que sejam capazes de causar uma mudança inesperada. Este trabalho propõe a implantação de um modelo de gerenciamento de mudanças para produção e manutenção dos sistemas web de modo que as solicitações de mudanças sejam analisadas, registradas autorizadas, priorizadas, testadas, instaladas, documentadas e revisadas de forma controlada garantindo assim produtividade, redução de custos de desenvolvimento e maior qualidade aos sistemas web e suas funcionalidades. Para tanto este trabalho toma como base o livro transição de serviço da versão 3 do ITIL e tem como alvo a Assessoria de Comunicação e Marketing ACM do Senac-DF. Não existe um gerenciamento de mudanças protocolado para a ACM. 1.1 Motivação Toda empresa deve prezar pela melhoria continuada de tecnologia de informação e para isso deve adotar os conceitos da Governança de TI. A área de assessoria de comunicação e marketing, estando englobada neste contexto, precisa acompanhar as principais inovações tecnológicas investindo cada vez mais na gestão de TI para garantir alta performance e um ambiente seguro, confiável e transparente, para assim gerar o alinhamento de TI com os objetivos de negócios da empresa, no caso o Senac-DF. Os motivos que levaram a escolha do tema gerenciamento de mudanças foi por não existir qualquer critério, planejamento, equipe de TI capacitada ou documentação necessária para execução de mudanças de maneira controlada no

14 departamento criação web dentro da Assessoria de Comunicação e Marketing do Senac-DF Objetivo Geral O objetivo deste trabalho é formalizar uma proposta para implantação do gerenciamento de mudanças para assessoria de comunicação e marketing - ACM do Senac-DF, área responsável pelos sistemas web que vão desde adições de módulos até alterações nos templates, com o objetivo de garantir que as mudanças sejam analisadas, registradas, autorizadas, priorizadas, testadas, instaladas, documentadas e revisadas sempre de forma controlada a fim de garantir aumento da produtividade de TI, redução de custos operacionais e habilidade para absorver um volume maior de mudanças. 1.3 Objetivos Específicos Propor implantação de treinamento para implantar a cultura organizacional de uma equipe de tecnologia da informação responsável pelas aplicações web. Analisar o workflow existente desde o surgimento da demanda até a execução observando todo o processo de mudança na ACM; Analisar os níveis de impactos ocasionados pelas mudanças propostas; Desenhar novo fluxo para o gerenciamento de mudanças seguindo a notação BPMN; 1.4 Metodologia A pesquisa analisará o fluxo atual de mudança e avaliará este fluxo por meio de visitas técnicas ao departamento de assessoria de comunicação do Senac-DF para realizar entrevistas com a equipe de produção web e discussão dos pontos críticos com intuito de realizar levantamento dos dados necessários ao alinhamento e implantação de um protocolo de gerenciamento de mudanças nas aplicações web. O ITIL em sua versão 3 define que o fluxo de mudanças deve conter sete fases sendo elas o registro de requisição de mudanças (RDM), registro e classificação, aprovação, coordenação e desenvolvimento, autorização, implementação e avaliação. Fases estas que irão compor o plano de execução de mudanças.

15 16 Gaspar (2010, p.229) define três tipos de mudanças, normal, padrão e emergencial, assim classificadas pelo comitê de mudanças. Para esta proposta temos a normal que é planejada com antecedência e não demanda urgência, desta forma segue o processo normal de gestão de mudanças. A mudança padrão é rotineira e de baixo impacto, com abordagem pré-autorizada, tendo seus procedimentos já estabelecidos e deve dar início em sua execução em até 48 horas após sua solicitação por necessidade técnica ou por ser algo do interesse do Senac. Já a emergencial é aquela mudança vital para atender uma necessidade urgente da instituição ou sanar um problema que não pode aguardar o processo normal e normalmente não necessita de aprovação para sua execução. Neste tipo de mudança é necessário que tenha prioridade máxima e seu início deve ser em até 12 horas.

16 17 2. Governança de tecnologia da informação Governança de TI é incorporada a Governança Corporativa, por isso ela precisa estar totalmente alinhada com os negócios da organização. A governança de TI é de responsabilidade da alta administração. Sendo assim podemos definir Governança de TI através de alguns dos seus fatores como integração tecnológica, manter a conformidade com a lei, manter o ambiente de negócios atualizado, fazendo o papel de prestador de serviços, segurança da informação, dependência do negócio em relação à TI (GASPAR, 2010, p.24). Com intuito de normatizar os procedimentos internos na gestão de TI, a OGC(Office of Government Commerce) criou o framework ITIL de boas práticas para gestão de serviços de TI. O Tribunal de Contas da União - TCU afirma em seu sítio na Internet (PACHECO, 2011, p. 12), que: O termo Governança é derivado do verbo Grego Kubernáo significando para dirigir. Governança refere-se a todas as possibilidades e mecanismos que ajudam as múltiplas partes do negócio a avaliar condições e opções para determinar a direção, o monitoramento, a conformidade, o desempenho e o progresso; alinhando, desta forma, os planos e os objetivos do negócio, visando atingir as metas da organização. Com esta perspectiva é necessário diferenciar governança e gestão, que tem implicações distintas embora sejam áreas interligadas. Esta distinção é importante para que seja também diferenciada a responsabilidade de cada um nos momentos da mudança. Desta forma o TCU ainda relata: A Gestão é sempre diferenciada da governança, ou seja, há distinção entre comprometido (governança) e envolvido (gestão). Gestão implica na utilização criteriosa de meios (recursos, pessoas, processos, práticas) para alcançar um fim identificado. É um meio ou instrumento pelo qual a unidade de administração consegue um resultado ou objetivo. A Gestão é responsável pela execução com direção definida pela unidade de orientação. Weill e Ross (2006) definem a Governança de TI como: Governança consiste em um ferramental para a especificação dos direitos de decisão e responsabilidade, visando encorajar comportamentos desejáveis no uso da TI.

17 18 Ainda de acordo com esses autores: Comportamentos desejáveis incorporam as crenças e a cultura da organização, definidas e praticadas não somente através da estratégia, mas também através de declarações de valor corporativo, missões institucionais, princípios de negócios, rituais e estruturas. Os comportamentos desejáveis variam de empresa para empresa. São eles, e não as estratégias, que geram valor. Seguindo a ótica de Weill e Ross (2006), para que qualquer mudança ocorra é de suma necessidade que a governança não utilize apenas da estratégia somente e sim da implantação da cultura para que elas ocorram. Governança de TI é um conjunto de práticas e padrões e ainda relacionamentos estruturados que são executados por executivos, gestores, usuários de TI de uma organização, atores da instituição em geral que tenham em comum a finalidade de garantir controles efetivos, ampliar os processos de segurança, minimizar os riscos, maximizar o desempenho, otimizar a ampliação de recursos, reduzir custos, suportar as melhores as decisões e assim alinhar TI aos negócios. O SERPRO (Serviço Federal de Processamento de Dados) afirma em seu sítio na Internet (www.serpro.gov.br, aba Tecnologia/Desenvolvimento/Governança de TI ), que Governança de TI: Trata-se de um conjunto de melhores práticas assumidas por todos os atores da instituição, com intuito de garantir controles efetivos, minimizar riscos, ampliar o desempenho, otimizar a aplicação de recursos e orientar as decisões. O ITGI (Information Technology Governance Institute - Instituto de Governança de Tecnologia da Informação) afirma em seu sítio na Internet (www.itgi.org, aba About IT Governance ), que: A Governança de TI é uma parte integral da Governança Corporativa e consiste de liderança, estruturas organizacionais e processos que garantem que a TI da organização sustenta e estende as estratégias e os objetivos da organização. Um framework de Governança de TI, tal como Objetivos de Controle para Informação e Tecnologia Relacionada (COBIT) pode ser um elemento crítico para assegurar controle adequado e governança sobre a informação e os sistemas que a criam, a armazenam, a manipulam e a recuperam. Ao observar a afirmação do ITGI, se torna claro que a governança de TI é a área mais crítica de uma governança corporativa. Existe uma dependência forte do

18 19 negócio em relação a TI que se torna um dos principais fatores motivadores para a Governança. É raro encontrar uma empresa que não possua sistemas críticos para seu negócio e por isso sejam dependentes de serviços de TI. Quanto maior o risco dos sistemas críticos, maior sua dependência que por sua vez torna maior a equipe de TI. Com equipes de suporte e desenvolvimento web cada vez maiores as empresas em geral também são empresas de TI, onde seu negócio depende quase exclusivamente de sistemas integrados ou soluções de tecnologia que muitas das vezes detêm de alta complexidade. Complexidade a qual necessita de governança para funcionar corretamente. 2.1 Information Technology Infrastruture Library ITIL v3 ITIL é um framework que reúne as boas práticas para gerenciamento de serviços de TI mais aceitas mundialmente. O principal foco das boas práticas (ITIL), segundo Gaspar (2010, p.25), é descrever os processos necessários para gerenciar toda a infraestrutura de TI de forma eficiente e eficaz, garantindo os níveis de serviço acordados. Ao aplicar o processo de gerenciamento de mudanças da biblioteca ITIL na área de TI da ACM, ajudará a criar uma relação direta entre a gestão de TI e o gerenciamento total (governança), tornando-o mais confiável, resiliente, eficiente e de maior qualidade. As mudanças que são tratadas nessa proposta estão associadas às aplicações e sistemas webs, como portais joomla, hotsites, blogs, aplicativos para redes sociais entre outros que devem ser associados com a operação, suporte e manutenção de acordo com as melhores práticas do ITIL v3. Lacy e Macfarlane (2007, p.75) descrevem que o Service Transition no ITIL v3: É o conjunto de processos e atividades que englobam o gerenciamento de mudanças e as práticas de liberação e implantação para que os riscos, benefícios e mecanismos de entrega e de suporte aos serviços sejam considerados.

19 20 Ainda segundo os autores, o ITIL: Ajuda a organização a planejar, gerenciar mudanças nos serviços e implantar liberações de serviços com sucesso no ambiente de produção assegurando que haja o mínimo de impacto possível. 2.2 Modelagem de Processos de Negócio A modelagem de processos de negócio (MPN) é a forma de garantir o entendimento de como o trabalho é realizado e tem como meta a representação, análise e melhoria do trabalho que irá ser realizado. A MPN vai além da observação e documentação da seqüência da execução das tarefas de um processo, ela representa ainda a estrutura de integração das unidades da organização para obtenção de maiores informações estruturadas e totalmente organizadas para que seja capaz de realizar relatórios mais concisos baseados em notações gráficas. O OMG (Object Management) afirma em seu sítio na Internet (www.bpmn.org, aba Home ), que: O padrão para modelagem de processos de negócios (BPMN) proporcionará às empresas a capacidade de compreender os seus procedimentos internos de negócios em uma notação gráfica e vai dar às organizações a capacidade de comunicar esses procedimentos de uma forma padrão. Além disso, a notação gráfica irá facilitar a compreensão das colaborações de desempenho e transações de negócios entre as organizações. Isso irá garantir que as empresas entendem a si mesmos e os participantes em seus negócios e permitirá que as organizações se ajustem a novas circunstâncias de negócios internos e B2B rapidamente. A modelagem de processos também é definida como uma ferramenta gerencial analítica que têm a intenção de melhorar os processos existentes para implantar uma estrutura voltada para processos. Desta forma, segundo Vernadat (1996 apud PAIM, 2002) e Anjo (2009, p.20) a modelagem de processos é de suma importância para que ocorram integração e coordenação dentro da organização. Sendo assim, de acordo com Anjo (2009, p.20) a modelagem tem os seguintes objetivos: Um melhor entendimento e representação uniforme da empresa; Suportar o projeto de novas partes da organização; Um modelo utilizado para controlar e monitorar as operações da empresa.

20 21 O compartilhamento da visão comum alinhado a construção da cultura organizacional são benefícios gerados pela modelagem de processos. Estes benefícios auxiliam na tomada de decisão além de se tornar um ativo da organização. Com este conceito chega-se ao BPMN (Business Process Modeling Notation) que é uma maneira padrão de representar processos empresariais graficamente. Onde o Cyro Technologies (BORTOLINI, 2008, p.7) define: O BPMN, Business Process Modeling Notation, trata-se de uma notação padrão para o desenho de fluxogramas em processos de negócios. Na prática trata-se de um conjunto de regras e convenções que determinam como os fluxogramas devem ser desenhados. É a notação mais reconhecida no ramo de BPM atualmente. A definição de Bortolini será utilizada neste projeto para desenho do fluxograma dos processos que pertencem ao gerenciamento de mudanças. Serão adotados padrões e convenções capazes de melhorar o entendimento dos fluxogramas entre pessoas que formam a equipe de TI. Para tal segue a definição da Cyro Technologies (BORTOLINI, 2008, p.8): O BPMN serve para facilitar o entendimento de fluxogramas entre as pessoas. Existem inúmeras maneiras e lógicas de se desenhar um fluxograma; para que o entendimento seja mais rápido e fácil, é extremamente importante que se siga um padrão e convenções. BPMN é uma notação da metodologia de gerenciamento de processos de negócio. De acordo com o Bizagi (2011): É uma notação gráfica que descreve a lógica de etapas de um processo de negócio. Esta notação foi especialmente concebido para coordenar a seqüência de processos e mensagens que fluem entre os participantes em atividades diferentes. A notação também pode ser utilizada para a modelagem do fluxo de atividades dentro do processo do gerenciamento de mudanças. O Bizagi afirma ainda que: Fornece uma linguagem comum que permite todas as partes envolvidas se comuniquem e entendam os processos de forma clara, completa e eficiente. Desta forma, BPMN define a notação e semântica de um Diagrama de Processos de Negócios. Para que haja uma linguagem comum e que todos possam entender o processo de gerenciamento de mudanças, as fases, atividades e documentos a

21 serem gerados devem estar descritos em um BPMN que para esta proposta foi utilizado o software Bizagi para seu desenho Gestão de Mudanças Este é o foco deste trabalho onde o objetivo do gerenciamento de mudanças é garantir que as mudanças sejam analisadas, registradas, autorizadas, priorizadas, planejadas, testadas, instaladas, documentadas e revisadas sempre de maneira controlada. As empresas têm sido alvo das tão discutidas mudanças organizacionais, embora, todo e qualquer tipo de gestão está sujeito a mudanças. As quais devem ser levadas em conta a todo o momento e ainda existir um planejamento para conseguir absorvê-las da melhor maneira possível. Gaspar (2010, p. 228) divide os benefícios da implantação do gerenciamento de mudanças em duas partes: 1) Para o cliente: Aumento da produtividade dos usuários; Diminuição dos efeitos indesejáveis de mudanças nos serviços; Progresso da qualidade dos serviços de TI graças ao fornecimento de avaliação de riscos, custos, benefícios, impactos de mudanças; Diminuição das mudanças que precisam ser desfeitas. 2) Para o departamento de TI Aumento da produtividade de TI Redução dos custos operacionais; Maior alinhamento dos serviços de TI com os negócios; Habilidade para absorver um volume maior de mudanças. Assim os benefícios para o departamento de TI se tornam exatamente os reais objetivos desta proposta. Benefícios estes com bases sólidas no ITIL v3, especificamente no livro transição de serviços. De acordo com Chiavenato (2003, p. 199): A administração da mudança começa com a análise das forças ambientais e internas que criam a necessidade de mudanças na organização, devendo estar sempre atenta aos problemas e oportunidades, porque a necessidade percebida é que permite o diagnóstico da mudança, para a implantação de maneira planejada e organizada.

22 23 Seguindo o conceito de Chiavenato é dever concentrar esforços no diagnóstico da mudança para conseguir realizar um planejamento de qualidade para realizar um trabalho organizado minimizando os problemas que podem ocorrer. A UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina) afirma em seu sítio na Internet (RABELO, 2010, p. 4), que gestão de mudanças: São processos, ferramentas e técnicas para gerenciar os vários aspectos envolvidos em um processo de mudança a fim de que os resultados previstos sejam atingidos e da forma mais eficaz possível. Desta forma, cada vez mais é exigido níveis de serviços mais altos para alcançar os objetivos do negócio. Concorrentemente a área de TI deve estar em constante mudança para atender a demanda da evolução do cenário de negócios, realizando implementações nos sistemas, implementando mais capacidade para os serviços, criando novas políticas de segurança e principalmente saber tratar da melhor forma possível qualquer tipo de mudança. De acordo com Rolim(2007, p. 37): Mudanças mal feitas, sem planejamento e testes adequados podem resultar em mais problemas, muitas vezes desastrosos, trazendo prejuízos ao negócio. Vários problemas de indisponibilidade dos serviços estão relacionados a uma falha de configuração do operador. Como estamos tão dependentes dos serviços de TI, não podemos mais aceitar falhas brutais nas mudanças implementadas. Partindo da visão do autor toda e qualquer mudança deve haver planejamento e testes adequados para que um simples problema não retorne transformado em um novo e grande problema.

23 24 3. Implantação do Gerenciamento de Mudanças 3.1 Análise da Instituição O SENAC foi criado em 10 de janeiro de 1946 pela Confederação Nacional do Comércio (CNC), por meio do decreto-lei (BRASIL, 2012a). A partir do ano seguinte, o SENAC passou a desenvolver um trabalho até então inovador no país: oferecer, em larga escala, educação profissional destinada à formação e preparação de trabalhadores para o comércio. Na mesma data de sua criação, também foi promulgado o decreto-lei (BRASIL, 2012b), que dispõe sobre a atuação da Instituição na aprendizagem comercial. Até hoje, a aprendizagem é uma das principais ações do SENAC (www.rn.senac.br, aba Notícias ). A Assessoria de Comunicação e Marketing (ACM) do SENAC-DF por sua vez iniciou suas atividades apenas no início de 2011 com o objetivo de centralizar todas as informações sobre comunicação, informação e marketing em um só local, sendo o setor responsável pelas diretrizes de tecnologia de informação web de todas suas unidades. A partir dessas diretrizes cabe a cada setor ou departamento do Senac-DF, a partir dos seus gestores, identificarem as necessidades relacionadas à tecnologia de informação que estão na internet e encaminhar as solicitações de atualizações que são pertinentes à ACM. A deliberação para a mudança em si cabe a um nível mais estratégico, ao nível decisório da direção juntamente ao chefe da assessoria, levando em consideração a análise que é feita pela equipe de tecnologia da unidade e pelas manifestações dos usuários. No entanto, a centralização das solicitações é apenas em nível de setor, ou seja, todas as solicitações chegam a ACM. No entanto não existe nenhum responsável ou software para receber e centralizar as solicitações, ficando a cargo de qualquer integrante da ACM que receba a solicitação executar a mudança. Portanto, o surgimento do departamento de TI dentro da ACM ocorreu por meio da migração de alguns profissionais de vários setores distintos do Senac-DF a fim de realizar apenas o desenvolvimento web neste novo setor. Para o trabalho de desenvolvimento web existem o ambiente de produção e homologação de cada sistema que são sustentados por dois servidores web como

24 25 hosting dedicados, localizados em duas empresas de hospedagem web, a Locaweb 1 e a UOL Host 2 que são responsáveis pela manutenção do hardware. Em ambas as empresas os servidores são Linux e suportam as aplicações em PHP rodando em banco de dados MySQL. Para cada sistema criado dentro dos servidores citados existe uma cópia para realização de testes e homologação. No entanto nem sempre é utilizado este ambiente de homologação, sendo os testes realizados na própria máquina do desenvolvedor ou no próprio ambiente de produção. 3.2 Cenário Atual Atualmente existe o setor de assessoria de comunicação e marketing ACM, o qual é composto de duas áreas, a de jornalismo e a de criação que por sua vez é composta pelo departamento de TI e designers, conforme mostrada na figura 1. Toda e qualquer solicitação de execução ou mudanças em projetos no campo da internet, tanto as novas quanto as alterações nos projetos já existentes são colocadas em produção sem qualquer estudo de viabilidade ou de impacto. O solicitante interessado em uma mudança entra em contato com o chefe de assessoria ou qualquer membro da equipe de TI e informa seu interesse exigindo a execução da sua solicitação. Isso acarreta a realização de mudanças sem retorno e com altos índices de impactos negativos. As solicitações de mudanças têm hoje a possibilidade de seguir vários fluxos de startup, que são os pontos de partidas onde são originadas as solicitações, e se perdem durante as fases de aprovação e finalização. Estas solicitações podem, por exemplo, partir de um problema que esteja ocorrendo com alguma aplicação web, tais como: instabilidade do servidor ou com a necessidade de melhoria de uma aplicação para atendimento de um dado setor, como busca e listagem de cursos no sistema para disposição no portal Senac-DF ou mesmo por desejo próprio do chefe da assessoria ou ainda pelo Presidente do Senac. Cada stakeholder, que pode ser qualquer pessoa interessada ligada ao Senac- DF, solicita a uma pessoa diferente da ACM, de acordo com suas afinidades 1 Locaweb 2 Uol Host

25 26 pessoais ou por tentar acelerar o processo de execução da mudança, e isso ocorre porque não existe nenhum software de controle de solicitações implantado. Assim, cada solicitação de mudança chega até à ACM por meio de s ou telefonemas, que na maioria não ficam registrados afetando o planejamento do gerente de projetos que somente fica sabendo que a solicitação existe após a sua execução. Logo abaixo segue o fluxo de solicitações da ACM: Figura 1. Fluxo de solicitações de mudanças atual Como é demonstrado no fluxo não existe service desk ou qualquer área de controle de solicitações, tornando possível que as solicitações cheguem de qualquer parte integrante da instituição, cabendo a quem recebeu o contato a responsabilidade de aprovar e em alguns casos executar a mudança. Mesmo aquelas solicitações que chegam primeiramente ao chefe da assessoria ou chefe de criação ou ao gerente de projetos, não passam por estudo de impacto ou viabilidade, no máximo, são avaliadas levando em consideração se são passíveis de serem executadas, baseadas na disponibilidade da equipe de desenvolvimento.

26 27 Não existe qualquer critério de prioridade para as solicitações, que são executadas de acordo com a perspectiva dos desenvolvedores na maioria acarretando em retrabalho, por não atender as necessidades do ator solicitante. Ao finalizar a mudança é apenas informado que a solicitação foi realizada ao gerente de projetos, que por sua vez repassa ao chefe da assessoria para informar a quem solicitou a mudança. Caso não tenha sido atendida em sua totalidade é retomada a solicitação por meio do chefe da assessoria para nova mudança solicitando as devidas alterações ao departamento de TI, mas não existe um prazo para aprovação da mudança a ser realizada. Assim todas as mudanças são aprovadas no ambiente de produção e caso o solicitante não se pronuncie a mudança fica como realizada com sucesso. Para a etapa de aprovação, que ainda não existe no cenário atual, é necessário que exista um prazo limite pré-determinado para informar se a mudança realizada atende a solicitação inicial. Desta forma os problemas que existem no cenário atual são: Ausência documentação para formalizar uma solicitação de mudança; Descentralização das solicitações de mudanças; Ausência de estudo de impacto, viabilidade e execução da mudança; Ausência de filtro de prioridade para execução de mudanças; Falta de prazo limite para aprovação da solicitação; 3.3 Plano de gerenciamento de Mudanças O objetivo deste plano é definir os papéis e responsabilidades, processos e o fluxo padrão a serem utilizados para todas as solicitações referentes aos sistemas web, para que haja o controle integrado de mudanças. O controle integrado de mudanças, proposto por meio do fluxo demonstrado pela figura 3, compreenderá a identificação, documentação, análise e autorização das mudanças, tendo como critérios de avaliação para aprovação o escopo, custo de execução e prazo previamente autorizados para cada solicitação de mudanças, se enquadrando em três tipos de mudanças, normal, padrão e emergencial. A normal como já foi definido é a mudança planejada com antecedência. Ela consta no planejamento e têm data definida para iniciar.

CENTRAL DE SERVIÇOS IFES APLICANDO ITIL NO PROCESSO DE ATENDIMENTO AO USUÁRIO DA EAD

CENTRAL DE SERVIÇOS IFES APLICANDO ITIL NO PROCESSO DE ATENDIMENTO AO USUÁRIO DA EAD 1 CENTRAL DE SERVIÇOS IFES APLICANDO ITIL NO PROCESSO DE ATENDIMENTO AO USUÁRIO DA EAD 05 2009 Elton Siqueira Moura, Msc, MBA Ifes - elton@ifes.edu.br Renato Pescinalli Morati Ifes renatomorati@gmail.com

Leia mais

Profa. Gislaine Stachissini. Unidade III GOVERNANÇA DE TI

Profa. Gislaine Stachissini. Unidade III GOVERNANÇA DE TI Profa. Gislaine Stachissini Unidade III GOVERNANÇA DE TI Information Technology Infrastructure Library ITIL Criado pelo governo do Reino Unido, tem como objetivo a criação de um guia com as melhores práticas

Leia mais

Gerenciamento de Serviços em TI com ITIL. Gerenciamento de Serviços de TI com ITIL

Gerenciamento de Serviços em TI com ITIL. Gerenciamento de Serviços de TI com ITIL Gerenciamento de Serviços de TI com ITIL A Filosofia do Gerenciamento de Serviços em TI Avanços tecnológicos; Negócios totalmente dependentes da TI; Qualidade, quantidade e a disponibilidade (infra-estrutura

Leia mais

ITIL - Information Technology Infraestructure Library

ITIL - Information Technology Infraestructure Library ITIL Biblioteca de infra estrutura de TI (do Inglês, Information Technology Infraestructure Library) e ISO/IEC 20.000 ITIL - Information Technology Infraestructure Library Foi criado no fim dos anos 80

Leia mais

Simulado ITIL V3 Português Sicoob

Simulado ITIL V3 Português Sicoob Simulado ITIL V3 Português Sicoob Dezembro 2009 1 de 40 A Implementação do Gerenciamento de Serviços Baseados na ITIL requer preparação e planejamento do uso eficaz e eficiente de quais dos seguintes?

Leia mais

Gerenciamento de Serviços de TI com base na ITIL

Gerenciamento de Serviços de TI com base na ITIL Gerenciamento de Serviços de TI com base na ITIL Information Technology Infrastructure Library ou Biblioteca de Infraestrutura da Tecnologia da Informação A TI de antes (ou simplesmente informática ),

Leia mais

Clóvis Diego Schuldt. Orientador: Prof. Wilson Pedro Carli

Clóvis Diego Schuldt. Orientador: Prof. Wilson Pedro Carli SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE MUDANÇAS DE AMBIENTES CORPORATIVOS BASEADO NA BIBLIOTECA ITIL Clóvis Diego Schuldt Orientador: Prof. Wilson Pedro Carli Roteiro da Apresentação Introdução Objetivos Fundamentação

Leia mais

ISO/IEC 20000:2005. Introdução da Norma ISO/IEC 20000 no Mercado Brasileiro Versão 1.1, 15.09.2006

ISO/IEC 20000:2005. Introdução da Norma ISO/IEC 20000 no Mercado Brasileiro Versão 1.1, 15.09.2006 ISO/IEC 20000:2005 Introdução da Norma ISO/IEC 20000 no Mercado Brasileiro Versão 1.1, 15.09.2006 André Jacobucci andre.jacobucci@ilumna.com +55 11 5087 8829 www.ilumna.com Objetivos desta Apresentação

Leia mais

SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO NBR ISO/IEC 27002: 2005 (antiga NBR ISO/IEC 17799) NBR ISO/IEC 27002:2005 (Antiga NBR ISO/IEC 17799); 27002:2013. Metodologias e Melhores Práticas em SI CobiT; Prof. Me. Marcel

Leia mais

AUTOMATIZAÇÃO DE PROCESSOS EM APLICAÇÕES DE GESTÃO DE INCIDENTES UTILIZANDO BPMN

AUTOMATIZAÇÃO DE PROCESSOS EM APLICAÇÕES DE GESTÃO DE INCIDENTES UTILIZANDO BPMN UNIVERSIDADE REGIONAL DE BLUMENAU CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO AUTOMATIZAÇÃO DE PROCESSOS EM APLICAÇÕES DE GESTÃO DE INCIDENTES UTILIZANDO BPMN Eduardo Leopoldino de Souza Prof. Cláudio Ratke, Orientador

Leia mais

Conceitos Básicos e Implementação. Entrega de Serviços. Professor Gledson Pompeu (gledson.pompeu@gmail.com)

Conceitos Básicos e Implementação. Entrega de Serviços. Professor Gledson Pompeu (gledson.pompeu@gmail.com) Conceitos Básicos e Implementação Pref. Mun. Vitória 2007 Analista de Suporte 120 A ITIL (information technology infrastructure library) visa documentar as melhores práticas na gerência, no suporte e na

Leia mais

Governança de TI: O desafio atual da Administração Pública. André Luiz Furtado Pacheco, CISA SECOP 2011 Porto de Galinhas, setembro de 2011

Governança de TI: O desafio atual da Administração Pública. André Luiz Furtado Pacheco, CISA SECOP 2011 Porto de Galinhas, setembro de 2011 Governança de TI: O desafio atual da Administração Pública André Luiz Furtado Pacheco, CISA SECOP 2011 Porto de Galinhas, setembro de 2011 André Luiz Furtado Pacheco, CISA Graduado em Processamento de

Leia mais

Café da Manhã Corporativo

Café da Manhã Corporativo Café da Manhã Corporativo O ITIL como ferramenta de Governança de TI Palestrante: Julio Cesar R. S. Avila Palestrante: Julio Cesar R. S. Avila Especialista Newtrend em Governança de TI, é um profissional

Leia mais

PROJETO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA INTERNACIONAL. Projeto 914 BRA5065 - PRODOC-MTC/UNESCO DOCUMENTO TÉCNICO Nº 01

PROJETO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA INTERNACIONAL. Projeto 914 BRA5065 - PRODOC-MTC/UNESCO DOCUMENTO TÉCNICO Nº 01 PROJETO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA INTERNACIONAL Diretrizes e Estratégias para Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil Projeto 914 BRA5065 - PRODOC-MTC/UNESCO DOCUMENTO TÉCNICO Nº 01 LEVANTAMENTO, MODELAGEM

Leia mais

Carlos Henrique Santos da Silva

Carlos Henrique Santos da Silva GOVERNANÇA DE TI Carlos Henrique Santos da Silva Mestre em Informática em Sistemas de Informação UFRJ/IM Certificado em Project Management Professional (PMP) PMI Certificado em IT Services Management ITIL

Leia mais

Plano de Governança de Tecnologia de Informação

Plano de Governança de Tecnologia de Informação Plano de Governança de Tecnologia de Informação Julho/2012 Junho/2014 1 Universidade Federal Fluminense Superintendência de Tecnologia da Informação Fernando Cesar Cunha Gonçalves Superintendência de Tecnologia

Leia mais

Gestão de Processos. Principais etapas, decisões e desafios da implantação de processos de TI com base no ITIL

Gestão de Processos. Principais etapas, decisões e desafios da implantação de processos de TI com base no ITIL Conhecimento em Tecnologia da Informação Gestão de Processos Principais etapas, decisões e desafios da implantação de processos de TI com base no ITIL 2011 Bridge Consulting Apresentação É comum que as

Leia mais

FANESE Faculdade de Administração e Negócios de Sergipe

FANESE Faculdade de Administração e Negócios de Sergipe 1 FANESE Faculdade de Administração e Negócios de Sergipe ITIL V2 Service Support Aracaju, Setembro de 2009 EDUARDO DA PAIXÃO RODRIGUES LUCIELMO DE AQUINO SANTOS 2 ITIL V2 Service Support Trabalho de graduação

Leia mais

Certificado de Profissional em Gerenciamento de Serviços: Liberação & Controle (baseado em ITIL )

Certificado de Profissional em Gerenciamento de Serviços: Liberação & Controle (baseado em ITIL ) Requisitos do Exame Certificado de Profissional em Gerenciamento de Serviços: Liberação & Controle (baseado em ITIL ) Data da Publicação 21-8-2007 Data de Início 1-12-2004 Grupo Alvo O Exame para o Profissional

Leia mais

Ciência da Computação. Gestão da Tecnologia da Informação ITIL Information Technology Infrastructure Library

Ciência da Computação. Gestão da Tecnologia da Informação ITIL Information Technology Infrastructure Library Ciência da Computação Gestão da Tecnologia da Informação ITIL Information Technology Infrastructure Library Agenda Histórico Conceitos básicos Objetivos Visão Geral do Modelo Publicações: Estratégia de

Leia mais

Questionário de Governança de TI 2014

Questionário de Governança de TI 2014 Questionário de Governança de TI 2014 De acordo com o Referencial Básico de Governança do Tribunal de Contas da União, a governança no setor público compreende essencialmente os mecanismos de liderança,

Leia mais

Relatório de Consultoria PD.33.10.83A.0080A/RT-05-AA. Levantamento da Gestão de TIC

Relatório de Consultoria PD.33.10.83A.0080A/RT-05-AA. Levantamento da Gestão de TIC Relatório de Consultoria PD.33.10.83A.0080A/RT-05-AA Levantamento da Gestão de TIC Cotação: 23424/09 Cliente: PRODABEL Contato: Carlos Bizzoto E-mail: cbizz@pbh.gov.br Endereço: Avenida Presidente Carlos

Leia mais

Porquê na ITIL nas empresas? o Para termos uma resposta efetiva é preciso entender o porque da governança; o Entender gerenciamento de riscos.

Porquê na ITIL nas empresas? o Para termos uma resposta efetiva é preciso entender o porque da governança; o Entender gerenciamento de riscos. ITIL V3 Porquê na ITIL nas empresas? o Para termos uma resposta efetiva é preciso entender o porque da governança; o Entender o gerenciamento de riscos. Porquê Governança? Porque suas ações e seus requisitos

Leia mais

Gerenciamento de Incidentes - ITIL. Prof. Rafael Marciano

Gerenciamento de Incidentes - ITIL. Prof. Rafael Marciano Gerenciamento de Incidentes - ITIL Prof. Rafael Marciano Conteúdo Objetivos Conceitos e Definições Atividades Indicadores Chaves de Desempenho Papéis Desafios Um pouco sobre a certificação ITIL Foundations

Leia mais

Lista de Exercícios 01: ITIL Prof. Fernando Pedrosa

Lista de Exercícios 01: ITIL Prof. Fernando Pedrosa Lista de Exercícios 01: ITIL Prof. Fernando Pedrosa Canais: fpedrosa@gmail.com http://tinyurl.com/ycekmjv INMETRO - Infraestrutura - (CESPE 2009) 81 Gerenciamento de nível de serviço é uma forma de entrega

Leia mais

RESOLUÇÃO - TCU Nº 247, de 7 de dezembro de 2011

RESOLUÇÃO - TCU Nº 247, de 7 de dezembro de 2011 RESOLUÇÃO - TCU Nº 247, de 7 de dezembro de 2011 Dispõe sobre a Política de Governança de Tecnologia da Informação do Tribunal de Contas da União (PGTI/TCU). O TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO, no uso de suas

Leia mais

Metodologias COBIT e ITIL e as perspectivas do Modelo de Alinhamento Estratégico de TI

Metodologias COBIT e ITIL e as perspectivas do Modelo de Alinhamento Estratégico de TI Metodologias COBIT e ITIL e as perspectivas do Modelo de Alinhamento Estratégico de TI Gilberto Zorello (USP) gilberto.zorello@poli.usp.br Resumo Este artigo apresenta o Modelo de Alinhamento Estratégico

Leia mais

GERENCIAMENTO DE INCIDENTES COM AS PRÁTICAS ITIL

GERENCIAMENTO DE INCIDENTES COM AS PRÁTICAS ITIL FACULDADE DE TECNOLOGIA DE SÃO PAULO Felipe Tanji Caldas GERENCIAMENTO DE INCIDENTES COM AS PRÁTICAS ITIL São Paulo 2011 FACULDADE DE TECNOLOGIA DE SÃO PAULO Felipe Tanji Caldas GERENCIAMENTO DE INCIDENTES

Leia mais

ITIL. Fundamentos do Gerenciamento de Serviços de TI. Juvenal Santana, PMP tecproit.com.br

ITIL. Fundamentos do Gerenciamento de Serviços de TI. Juvenal Santana, PMP tecproit.com.br ITIL Fundamentos do Gerenciamento de Serviços de TI Juvenal Santana, PMP tecproit.com.br Objetivo Prover uma visão geral sobre Gerenciamento de Serviços de TI: Conceito; Desafios; Estrutura; Benefícios;

Leia mais

A ITIL e o Gerenciamento de Serviços de TI

A ITIL e o Gerenciamento de Serviços de TI A ITIL e o Gerenciamento de Serviços de TI A era da informação Informação, palavra derivada do verbo latim "informare", que significa "disciplinar", "ensinar", "instruir", juntamente com o seu significado

Leia mais

Cobit e ITIL. Cobit. Planejamento e organização; Aquisição e implementação; Entrega e suporte; Monitoração.

Cobit e ITIL. Cobit. Planejamento e organização; Aquisição e implementação; Entrega e suporte; Monitoração. Cobit e ITIL GOVERNANÇA, GP - RISCO, GP PROJETOS - PMP, SEGURANÇA DAIANA BUENO OUTUBRO 20, 2010 AT 8:00 3.496 visualizações Atualmente, as empresas estão com seus processos internos cada vez mais dependentes

Leia mais

GOVERNANÇA EM TI. Prof. André Dutton. www.portaldoaluno.info 1

GOVERNANÇA EM TI. Prof. André Dutton. www.portaldoaluno.info 1 GOVERNANÇA EM TI Prof. André Dutton www.portaldoaluno.info 1 O QUE É GOVERNANÇA EM TI A governança em TI é de responsabilidade da alta administração (incluindo diretores e executivos), na liderança, nas

Leia mais

GESTÃO DE TI NAS ORGANIZAÇÕES CONTEMPORÂNEAS

GESTÃO DE TI NAS ORGANIZAÇÕES CONTEMPORÂNEAS GESTÃO DE TI NAS ORGANIZAÇÕES CONTEMPORÂNEAS WALLACE BORGES CRISTO 1 JOÃO CARLOS PEIXOTO FERREIRA 2 João Paulo Coelho Furtado 3 RESUMO A Tecnologia da Informação (TI) está presente em todas as áreas de

Leia mais

Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc

Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc PMP, PMI-RMP, PMI-ACP, CSM, CSPO, ITIL & CobiT Certified Carlos Henrique Santos da Silva, MSc, PMP Especializações Certificações Mestre em Informática

Leia mais

Esta fase tem o propósito de planejar, gerenciar mudanças nos serviços e implantar liberações de serviços com sucesso no ambiente de produção.

Esta fase tem o propósito de planejar, gerenciar mudanças nos serviços e implantar liberações de serviços com sucesso no ambiente de produção. Governança de TI aula 11 Transição de Serviço Esta fase tem o propósito de planejar, gerenciar mudanças nos serviços e implantar liberações de serviços com sucesso no ambiente de produção. Os objetivos

Leia mais

Melhores Práticas em TI

Melhores Práticas em TI Melhores Práticas em TI Referências Implantando a Governança de TI - Da Estratégia à Gestão de Processos e Serviços - 2ª Edição Edição - AGUINALDO ARAGON FERNANDES, VLADIMIR FERRAZ DE ABREU. An Introductory

Leia mais

ITIL. Information Technology Infrastructure Library

ITIL. Information Technology Infrastructure Library Information Technology Infrastructure Library 34929 - Daniel Aquere de Oliveira 34771 - Daniel Tornieri 34490 - Edson Gonçalves Rodrigues 34831 - Fernando Túlio 34908 - Luiz Gustavo de Mendonça Janjacomo

Leia mais

MOD9 Processos de Transição de Serviços

MOD9 Processos de Transição de Serviços Curso ITIL Foundation MOD9 Processos de Transição de Serviços Service Transiction Professor: Fernando Palma fernando.palma@gmail.com http://gsti.blogspot.com 1 Curso ITIL Foundation Transição significa

Leia mais

A Biblioteca: Gerenciamento de Serviços de TI. Instrutor : Cláudio Magalhães E-mail: cacmagalhaes@io2.com.br

A Biblioteca: Gerenciamento de Serviços de TI. Instrutor : Cláudio Magalhães E-mail: cacmagalhaes@io2.com.br A Biblioteca: Gerenciamento de Serviços de TI Instrutor : Cláudio Magalhães E-mail: cacmagalhaes@io2.com.br 2 A Biblioteca ITIL: Information Technology Infrastructure Library v2 Fornece um conjunto amplo,

Leia mais

PDTI UFLA: Plano Diretor de Tecnologia da Informação Segundo Modelo de Referência da SLTI/MPOG

PDTI UFLA: Plano Diretor de Tecnologia da Informação Segundo Modelo de Referência da SLTI/MPOG PDTI UFLA: Plano Diretor de Tecnologia da Informação Segundo Modelo de Referência da SLTI/MPOG Forplad Regional Sudeste 22 de Maio de 2013 Erasmo Evangelista de Oliveira erasmo@dgti.ufla.br Diretor de

Leia mais

ITIL V3 (aula 2) AGENDA: GERENCIAMENTO DE MUDANÇA GERENCIAMENTO DE LIBERAÇÃO GERENCIAMENTO DE CONFIGURAÇÃO

ITIL V3 (aula 2) AGENDA: GERENCIAMENTO DE MUDANÇA GERENCIAMENTO DE LIBERAÇÃO GERENCIAMENTO DE CONFIGURAÇÃO ITIL V3 (aula 2) AGENDA: GERENCIAMENTO DE MUDANÇA GERENCIAMENTO DE LIBERAÇÃO GERENCIAMENTO DE CONFIGURAÇÃO Gerência de Mudanças as Objetivos Minimizar o impacto de incidentes relacionados a mudanças sobre

Leia mais

Exame de Fundamentos da ITIL

Exame de Fundamentos da ITIL Exame de Fundamentos da ITIL Simulado B, versão 5.1 Múltipla escolha Instruções 1. Todas as 40 perguntas devem ser respondidas. 2. Todas as respostas devem ser assinaladas na grade de respostas fornecida.

Leia mais

Treinamento BPM e BPMN Apresentação Executiva

Treinamento BPM e BPMN Apresentação Executiva Apresentação Executiva 1 O treinamento de BPM e BPMN tem como premissa capacitar o aluno a captar as atividades relativas a determinado processo da empresa, organizá-las, gerando um fluxograma de atividades/processos,

Leia mais

C O B I T. Gerenciamento dos Riscos Mitigação. Aceitação. Transferência. Evitar/Eliminar.

C O B I T. Gerenciamento dos Riscos Mitigação. Aceitação. Transferência. Evitar/Eliminar. C O B I T Evolução Estratégica A) Provedor de Tecnologia Gerenciamento de Infra-estrutura de TI (ITIM) B) Provedor de Serviços Gerenciamento de Serviços de TI (ITSM) C) Parceiro Estratégico Governança

Leia mais

CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS

CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS METODOLOGIA DE AUDITORIA PARA AVALIAÇÃO DE CONTROLES E CUMPRIMENTO DE PROCESSOS DE TI NARDON, NASI AUDITORES E CONSULTORES CobiT

Leia mais

I Seminário sobre Segurança da Informação e Comunicações

I Seminário sobre Segurança da Informação e Comunicações I Seminário sobre Segurança da Informação e Comunicações GABINETE DE SEGURANÇA INSTITUCIONAL DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA (GSI/PR) OBJETIVO Identificar a Metodologia de Gestão de SIC na APF AGENDA Gestão

Leia mais

INOVANDO UM PROCESSO DE SERVIÇOS DE TI COM AS BOAS PRÁTICAS DO ITIL E USO DE BPMS

INOVANDO UM PROCESSO DE SERVIÇOS DE TI COM AS BOAS PRÁTICAS DO ITIL E USO DE BPMS INOVANDO UM PROCESSO DE SERVIÇOS DE TI COM AS BOAS PRÁTICAS DO ITIL E USO DE BPMS Cilene Loisa Assmann (UNISC) cilenea@unisc.br Este estudo de caso tem como objetivo trazer a experiência de implantação

Leia mais

Material para nivelamento de informações sobre Mapeamento de Processos

Material para nivelamento de informações sobre Mapeamento de Processos Material para nivelamento de informações sobre Mapeamento de Processos 1 Objetivo Nivelar informações e conceitos sobre mapeamento de processos na UFABC. O que é um processo?? É um conjunto de atividades

Leia mais

Exame de Fundamentos ITIL v.3

Exame de Fundamentos ITIL v.3 Exame de Fundamentos ITIL v.3 Exame de Fundamentos ITIL v.3: Exame simulado A, versão 3.1 Múltipla escolha Instruções 1. Todas as 40 perguntas devem ser respondidas. 2. Não existem perguntas capciosas.

Leia mais

Estudo sobre a Implantação de um Modelo de Governança de Tecnologia da Informação com COBIT e ITIL

Estudo sobre a Implantação de um Modelo de Governança de Tecnologia da Informação com COBIT e ITIL Estudo sobre a Implantação de um Modelo de Governança de Tecnologia da Informação com COBIT e ITIL Ana Clara Peixoto de Castro Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC-GO) Goiânia GO - Brasil ac.anaclara@gmail.com

Leia mais

Por que utilizar o modelo ITIL

Por que utilizar o modelo ITIL Por que utilizar o modelo ITIL... O que não é definido não pode ser controlado... O que não é controlado não pode ser medido... O que não é medido não pode ser melhorado Empregado para definir, controlar,

Leia mais

ITIL Gerenciamento de Mudanças

ITIL Gerenciamento de Mudanças 1. Objetivo e Abrangência Mudança tem várias definições eruditas, mas possivelmente a mais adequada é a mais simples: Mudança é o processo de mover-se de um estado definido a outro. Tudo muda e, no negócio,

Leia mais

Gerenciamento de Serviços de TI ITIL v2 Módulo 1 Conceitos básicos

Gerenciamento de Serviços de TI ITIL v2 Módulo 1 Conceitos básicos Gerenciamento de Serviços de TI ITIL v2 Módulo 1 Conceitos básicos Referência: An Introductory Overview of ITIL v2 Livros ITIL v2 Cenário de TI nas organizações Aumento da dependência da TI para alcance

Leia mais

A relação da Governança de TI (COBIT), Gerenciamento de Serviços (ITIL) e Gerenciamento de Projetos (PMI)

A relação da Governança de TI (COBIT), Gerenciamento de Serviços (ITIL) e Gerenciamento de Projetos (PMI) A relação da Governança de TI (COBIT), Gerenciamento de Serviços (ITIL) e Gerenciamento de Projetos (PMI) Os principais modelos de melhores práticas em TI Carlos Henrique Santos da Silva, MSc, PMP, ITIL

Leia mais

Pode Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE DIREÇÃO E CHEFIAS DA SETIC

Pode Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE DIREÇÃO E CHEFIAS DA SETIC Pode Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE DIREÇÃO E CHEFIAS DA SETIC 1. Diretor da Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicação Coordenar

Leia mais

IT Service Management Foundation Bridge based on ISO/IEC 20000

IT Service Management Foundation Bridge based on ISO/IEC 20000 Exame simulado IT Service Management Foundation Bridge based on ISO/IEC 20000 Edição outubro 2011 Copyright 2011 EXIN All rights reserved. No part of this publication may be published, reproduced, copied

Leia mais

Como obter resultados em TI com gestão e governança efetivas direcionadas a estratégia do negócio?

Como obter resultados em TI com gestão e governança efetivas direcionadas a estratégia do negócio? Como obter resultados em TI com gestão e governança efetivas direcionadas a estratégia do negócio? A Tecnologia da Informação vem evoluindo constantemente, e as empresas seja qual for seu porte estão cada

Leia mais

Governança e Qualidade em Serviços de TI COBIT Governança de TI

Governança e Qualidade em Serviços de TI COBIT Governança de TI Governança e Qualidade em Serviços de TI COBIT Governança de TI COBIT Processos de TI Aplicativos Informações Infraestrutura Pessoas O que é o CObIT? CObIT = Control Objectives for Information and Related

Leia mais

ROBSON FUMIO FUJII GOVERNANÇA DE TIC: UM ESTUDO SOBRE OS FRAMEWORKS ITIL E COBIT

ROBSON FUMIO FUJII GOVERNANÇA DE TIC: UM ESTUDO SOBRE OS FRAMEWORKS ITIL E COBIT ROBSON FUMIO FUJII GOVERNANÇA DE TIC: UM ESTUDO SOBRE OS FRAMEWORKS ITIL E COBIT LONDRINA - PR 2015 ROBSON FUMIO FUJII GOVERNANÇA DE TIC: UM ESTUDO SOBRE OS FRAMEWORKS ITIL E COBIT Trabalho de Conclusão

Leia mais

Gestão da Tecnologia da Informação

Gestão da Tecnologia da Informação TLCne-051027-P0 Gestão da Tecnologia da Informação Disciplina: Governança de TI São Paulo, Outubro de 2012 0 Sumário TLCne-051027-P1 Conteúdo desta Aula Abordar o domínio Adquirir e Implementar e todos

Leia mais

Profa. Celia Corigliano. Unidade IV GERENCIAMENTO DE PROJETOS DE TI

Profa. Celia Corigliano. Unidade IV GERENCIAMENTO DE PROJETOS DE TI Profa. Celia Corigliano Unidade IV GERENCIAMENTO DE PROJETOS DE TI Agenda da disciplina Unidade I Gestão de Projetos Unidade II Ferramentas para Gestão de Projetos Unidade III Gestão de Riscos em TI Unidade

Leia mais

ITIL na Prática. Quais são os fatores críticos de sucesso para obter valor a partir de um Service Desk? Conhecimento em Tecnologia da Informação

ITIL na Prática. Quais são os fatores críticos de sucesso para obter valor a partir de um Service Desk? Conhecimento em Tecnologia da Informação Conhecimento em Tecnologia da Informação ITIL na Prática Quais são os fatores críticos de sucesso para obter valor a partir de um Service Desk? Conhecimento em Tecnologia da Informação 2010 Bridge Consulting

Leia mais

Administração de Ativos de TI. Prof. André Montevecchi

Administração de Ativos de TI. Prof. André Montevecchi Administração de Ativos de TI Prof. André Montevecchi Introdução a ITIL Em um mundo altamente competitivo, de mudanças constantes e inesperadas, é preciso ter flexibilidade e agilidade suficientes para

Leia mais

Fundamentos de Gestão de TI

Fundamentos de Gestão de TI Fundamentos de Gestão de TI Tópico V Transição de Serviço (ITIL V3) José Teixeira de Carvalho Neto transição de serviço transição de serviço Objetivo: orientar e coordenar o desenvolvimento e a implantação

Leia mais

Alinhamento Estratégico. A importância do alinhamento entre a TI e o Negócio e o método proposto pelo framework do CobiT 4.1

Alinhamento Estratégico. A importância do alinhamento entre a TI e o Negócio e o método proposto pelo framework do CobiT 4.1 Conhecimento em Tecnologia da Informação Alinhamento Estratégico A importância do alinhamento entre a TI e o Negócio e o método proposto pelo framework do CobiT 4.1 2010 Bridge Consulting Apresentação

Leia mais

MATERIAL DE APOIO PROFESSOR

MATERIAL DE APOIO PROFESSOR MATERIAL DE APOIO PROFESSOR Conceitos Básicos e Implementação Dataprev 2006 Analista de Banco de Dados 106 A aplicação de gerenciamento de níveis de serviço, por si só, garante a oferta de bons serviços.

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 3ª REGIÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 3ª REGIÃO Controle de Versões Autor da Solicitação: Subseção de Governança de TIC Email:dtic.governanca@trt3.jus.br Ramal: 7966 Versão Data Notas da Revisão 1 03.02.2015 Versão atualizada de acordo com os novos

Leia mais

Reduza custos. Potencialize o valor da TI em seus negócios.

Reduza custos. Potencialize o valor da TI em seus negócios. Reduza custos. Potencialize o valor da TI em seus negócios. Autor: Douglas Marcos da Silva 7 Sumário Executivo Nas últimas décadas, a evolução tecnológica, a interdependência dos mercados e a intensificação

Leia mais

Governança de TI. ITIL v.2&3. parte 1

Governança de TI. ITIL v.2&3. parte 1 Governança de TI ITIL v.2&3 parte 1 Prof. Luís Fernando Garcia LUIS@GARCIA.PRO.BR ITIL 1 1 ITIL Gerenciamento de Serviços 2 2 Gerenciamento de Serviços Gerenciamento de Serviços 3 3 Gerenciamento de Serviços

Leia mais

Um Caso de Implantação de Processos de Prestação de Serviços de TI no BNDES

Um Caso de Implantação de Processos de Prestação de Serviços de TI no BNDES Um Caso de Implantação de Processos de Prestação de Serviços de TI no BNDES Suzana Mesquita de Borba Maranhão Moreno 1, André Jardim da Trindade 1, Ricardo Henrique Lopes Beckert 1, Rodrigo Simões Câmara

Leia mais

2º Encontro GE-SP ITIL 05.03.2005

2º Encontro GE-SP ITIL 05.03.2005 ITIL (IT Infrastructure Library) ITIL - Information Technology Infrastructure Library Uma Introdução 2º Encontro GE-SP ITIL 05.03.2005 05/03/2005 GE-SP ITIL 1 Apresentadores Carlos Teixeira - Automidia

Leia mais

Gerenciamento de Serviços de TIC. ISO/IEC 20.000 / ITIL V2 e V3

Gerenciamento de Serviços de TIC. ISO/IEC 20.000 / ITIL V2 e V3 Gerenciamento de Serviços de TIC ISO/IEC 20.000 / ITIL V2 e V3 Agenda O que é serviço de TIC? O que é Qualidade de Serviços de TIC? O que é Gerenciamento de Serviços de TIC? ISO IEC/20.000-2005 ITIL versão

Leia mais

Glossário Apresenta a definição dos termos, siglas e abreviações utilizadas no contexto do projeto Citsmart.

Glossário Apresenta a definição dos termos, siglas e abreviações utilizadas no contexto do projeto Citsmart. Apresenta a definição dos termos, siglas e abreviações utilizadas no contexto do projeto Citsmart. Versão 1.6 15/08/2013 Visão Resumida Data Criação 15/08/2013 Versão Documento 1.6 Projeto Responsáveis

Leia mais

Gaia Inventário: um Modelo para Gestão da Configuração, Inventário e Ativos de Serviços de Tecnologia da Informação

Gaia Inventário: um Modelo para Gestão da Configuração, Inventário e Ativos de Serviços de Tecnologia da Informação Gaia Inventário: um Modelo para Gestão da Configuração, Inventário e Ativos de Serviços de Tecnologia da Informação Natali Silva Honda 1, Bruno Bogaz Zarpelão 1 1 Departamento de Computação Universidade

Leia mais

SIMULADO: Simulado 3 - ITIL Foundation v3-40 Perguntas em Português

SIMULADO: Simulado 3 - ITIL Foundation v3-40 Perguntas em Português 1 de 7 28/10/2012 16:47 SIMULADO: Simulado 3 - ITIL Foundation v3-40 Perguntas em Português RESULTADO DO SIMULADO Total de questões: 40 Pontos: 0 Score: 0 % Tempo restante: 55:07 min Resultado: Você precisa

Leia mais

Conhecimento em Tecnologia da Informação. Catálogo de Serviços. Conceitos, Maturidade Atual e Desafios. 2012 Bridge Consulting All rights reserved

Conhecimento em Tecnologia da Informação. Catálogo de Serviços. Conceitos, Maturidade Atual e Desafios. 2012 Bridge Consulting All rights reserved Conhecimento em Tecnologia da Informação Catálogo de Serviços Conceitos, Maturidade Atual e Desafios 2012 Bridge Consulting All rights reserved Apresentação Esta publicação tem por objetivo apresentar

Leia mais

INTRODUÇÃO A MODELAGEM DE PROCESSOS UTILIZANDO BPMN 1 FÁBIO RODRIGUES CRUZ 2 2.1 CONCEITO DE MODELAGEM DE PROCESSOS UTILIZANDO BPMN

INTRODUÇÃO A MODELAGEM DE PROCESSOS UTILIZANDO BPMN 1 FÁBIO RODRIGUES CRUZ 2 2.1 CONCEITO DE MODELAGEM DE PROCESSOS UTILIZANDO BPMN INTRODUÇÃO A MODELAGEM DE PROCESSOS UTILIZANDO BPMN 1 FÁBIO RODRIGUES CRUZ 2 1 INTRODUÇÃO A Business Process Modeling Notation (BPMN), ou Notação de Modelagem de Processos de Negócio, é um conjunto de

Leia mais

Gestão de T.I. GESTÃO DE T.I. ITIL. José Luís Padovan jlpadovan@gmail.com

Gestão de T.I. GESTÃO DE T.I. ITIL. José Luís Padovan jlpadovan@gmail.com GESTÃO DE T.I. José Luís Padovan jlpadovan@gmail.com 1 Information Technology Infrastructure Library 2 O que é o? Information Technology Infrastructure Library é uma biblioteca composta por sete livros

Leia mais

Gerenciamento de Incidentes, segundo a ITIL

Gerenciamento de Incidentes, segundo a ITIL Gerenciamento de Incidentes, segundo a ITIL Larissa R. Lira Aquino da Silva MBA Governança de Tecnologia da Informação Faculdade Católica de Cuiabá Cuiabá, MT Brasil larissa.lira@gmail.com Abstract. Based

Leia mais

PROJETO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA INTERNACIONAL. Diretrizes e Estratégias para Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil

PROJETO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA INTERNACIONAL. Diretrizes e Estratégias para Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil PROJETO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA INTERNACIONAL Diretrizes e Estratégias para Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil Projeto 914 BRA5065 - PRODOC-MTC/UNESCO DOCUMENTO TÉCNICO Nº 01 ASPECTOS DE MUDANÇA CULTURAL

Leia mais

A NOVA POLÍTICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

A NOVA POLÍTICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Centro de Convenções Ulysses Guimarães Brasília/DF 4, 5 e 6 de junho de 2012 A NOVA POLÍTICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Pablo Sandin Amaral Renato Machado Albert

Leia mais

Região. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 24ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais, regimentais e regulamentares,

Região. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 24ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais, regimentais e regulamentares, PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 24ª REGIÃO PORTARIA TRT/GP/DGCA Nº 630/2011 Define a Política de Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicações

Leia mais

APRESENTAÇÃO DE PORTFOLIO DE SERVIÇOS

APRESENTAÇÃO DE PORTFOLIO DE SERVIÇOS APRESENTAÇÃO DE PORTFOLIO DE SERVIÇOS Versão 1 2010 A SIX SIGMA BRASIL apresenta a seguir seu portfolio de capacitação e consultoria de serviços de gerenciamento de projetos, processos (lean e seis sigma)

Leia mais

INFORMAÇÕES ADICIONAIS

INFORMAÇÕES ADICIONAIS APRENDA SOBRE GOVERNANÇA DE TI Programa de Qualificação COBIT 5 Presencial ou EAD O COBIT 5 define as necessidades das partes interessadas da empresa como ponto de partida das atividades de governança

Leia mais

MBA: Master in Project Management

MBA: Master in Project Management Desde 1968 MBA: Master in Project Management Projetos e Tecnologia da Informação FMU Professor: Marcos A.Cabral Projetos e Tecnologia da Informação Professor Marcos A. Cabral 2 Conceito É um conjunto de

Leia mais

Lista de Exercícios - COBIT 5

Lista de Exercícios - COBIT 5 Lista de Exercícios - COBIT 5 1. O COBIT 5 possui: a) 3 volumes, 7 habilitadores, 5 princípios b) 3 volumes, 5 habilitadores, 7 princípios c) 5 volumes, 7 habilitadores, 5 princípios d) 5 volumes, 5 habilitadores,

Leia mais

COBIT (CONTROL OBJECTIVES FOR INFORMATION AND RELATED TECHNOLOGY)

COBIT (CONTROL OBJECTIVES FOR INFORMATION AND RELATED TECHNOLOGY) Universidade Federal de Santa Catarina Departamento de Informática e Estatística INE Curso: Sistemas de Informação Disciplina: Projetos I Professor: Renato Cislaghi Aluno: Fausto Vetter Orientadora: Maria

Leia mais

ITIL. Conteúdo. 1. Introdução. 2. Suporte de Serviços. 3. Entrega de Serviços. 4. CobIT X ITIL. 5. Considerações Finais

ITIL. Conteúdo. 1. Introdução. 2. Suporte de Serviços. 3. Entrega de Serviços. 4. CobIT X ITIL. 5. Considerações Finais ITIL Conteúdo 1. Introdução 2. Suporte de Serviços 3. Entrega de Serviços 4. CobIT X ITIL 5. Considerações Finais Introdução Introdução Information Technology Infrastructure Library O ITIL foi desenvolvido,

Leia mais

Diretrizes para Governança de T.I.

Diretrizes para Governança de T.I. Diretrizes para Governança de T.I. Karina Campos da Silva 1, Luís Augusto Mattos Mendes (Orientador) 1 1 Departamento de Ciências da Computação Universidade Presidente Antônio Carlos UNIPAC Barbacena,

Leia mais

Unidade IV. A governança está relacionada com a possibilidade de se ter controle e sucesso nas operações e nos trabalhos de uma organização.

Unidade IV. A governança está relacionada com a possibilidade de se ter controle e sucesso nas operações e nos trabalhos de uma organização. GERENCIAMENTO DE INFRAESTRUTURA Unidade IV 4 A GOVERNANÇA DE TI A governança está relacionada com a possibilidade de se ter controle e sucesso nas operações e nos trabalhos de uma organização. 4.1 A governança

Leia mais

COBIT FOUNDATION - APOSTILA DE RESUMO

COBIT FOUNDATION - APOSTILA DE RESUMO COBIT FOUNDATION - APOSTILA DE RESUMO GOVERNANÇA DE TI O QUE É GOVERNANÇA DE TI É um conjunto de estruturas e processos que visa garantir que a TI suporte e maximize adequadamente os objetivos e estratégias

Leia mais

Case APESC. Assessoria de Desenvolvimento Organizacional

Case APESC. Assessoria de Desenvolvimento Organizacional Case APESC Assessoria de Desenvolvimento Organizacional PROGRAMA Assessoria de Desenvolvimento Organizacional DO Gestão de Processos na APESC Metodologia Novo Olhar Benefícios e desafios Sistema de Gestão

Leia mais

Exame de Fundamentos da ITIL v.3

Exame de Fundamentos da ITIL v.3 Exame de Fundamentos da ITIL v.3 Exame de Fundamentos da ITIL v.3 Exame simulado B, versão 3.1 Múltipla escolha Instruções 1. Todas as 40 perguntas devem ser respondidas. 2. Não existem perguntas capciosas.

Leia mais

Proposta de uma métrica para avaliação da gestão de serviços médicos baseada no modelo ITIL

Proposta de uma métrica para avaliação da gestão de serviços médicos baseada no modelo ITIL Proposta de uma métrica para avaliação da gestão de serviços médicos baseada no modelo ITIL Vidal Olavo Plessmann Gonçalves Márcia Ito Núcleo de Pesquisa em Ciências de Serviços (CiSe) - Centro Estadual

Leia mais

GERIC GERENCIAMENTO DO I.T.I.L E DO COBIT

GERIC GERENCIAMENTO DO I.T.I.L E DO COBIT GERIC GERENCIAMENTO DO I.T.I.L E DO COBIT Angélica A. da Silva, Regiani R.Nunes e Sabrina R. de Carvalho 1 Tathiana Barrére Sistemas de Informação AEDB - Associação Educacional Dom Bosco RESUMO Esta sendo

Leia mais

Coletânea Gestão e Governança de TI TCU

Coletânea Gestão e Governança de TI TCU Coletânea Gestão e Governança de TI TCU (COBIT, ITIL, PMBOK, CMMI, Planejamento Estratégico e Modelagem de Processos) Professores: Hério Oliveira e Walter Cunha http://www.waltercunha.com http://heriooliveira.wordpress.com

Leia mais

GERENCIAMENTO DE SERVIÇOS DE TI

GERENCIAMENTO DE SERVIÇOS DE TI Sistema de Informação e Tecnologia FEQ 0411 Prof Luciel Henrique de Oliveira luciel@uol.com.br Capítulo 8 GERENCIAMENTO DE SERVIÇOS DE TI PRADO, Edmir P.V.; SOUZA, Cesar A. de. (org). Fundamentos de Sistemas

Leia mais

Alinhamento Estratégico da TI com o Modelo de Negócios da Empresa: um estudo sobre as melhores práticas da biblioteca ITIL

Alinhamento Estratégico da TI com o Modelo de Negócios da Empresa: um estudo sobre as melhores práticas da biblioteca ITIL Alinhamento Estratégico da TI com o Modelo de Negócios da Empresa: um estudo sobre as melhores práticas da biblioteca ITIL Fernando Riquelme i Resumo. A necessidade por criar processos mais eficientes,

Leia mais