AGIR PARA SOLUCIONAR PLANO DE ACÇÃO PARA 2010

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "AGIR PARA SOLUCIONAR PLANO DE ACÇÃO PARA 2010"

Transcrição

1 PLANO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL DO MUNICÍPIO DE ARMAMAR AGIR PARA SOLUCIONAR PLANO DE ACÇÃO PARA 2010 Plano de Acção

2 Após elaboração do Plano de Desenvolvimento Social, onde estão definidas as linhas estratégicas de intervenção até 2010, é necessário o planeamento anual das actividades propostas. Os Planos de Acção (PA s) vêm assim operacionalizar o Plano de Desenvolvimento Social (PDS), definindo as acções e projectos a desenvolver para concretizar os objectivos delineados. O presente Plano de Acção é referente ao ano de Nele constam as acções que pretendemos levar a cabo durante este ano, com vista a atingir o definido em Plano de Desenvolvimento do Município de. Sendo 2010 o ano de balanço do PDS 2007/2010, as actividades contidas neste plano de acção são, na sua maior parte, uma continuidade das acções iniciadas em anos anteriores, pelo que apenas enunciamos as acções a levar a cabo por cada um dos projectos existentes no Município, bem como pelas respectivas entidades parceiras e que vão contribuir para alcançar os objectivos propostos em Plano. De salientar que para este ano se propõe elaborar o Relatório de avaliação do Plano de Desenvolvimento Social 2007/2010 e traçar as linhas orientadoras para a elaboração do próximo PDS. Plano de Acção

3 CLAS 03 Fevereiro de 2010 EIXO I Intervenção sócio-educativa promotora de inclusão e prevenção de situações de risco Actividades a desenvolver com crianças e jovens Dinamização de atelier de Dança Dinamização de atelier de Música Grupo de Teatro Espaço Internet Dinamização do Espaço Internet no Mercado Municipal em Realização de formações de Competências Básicas a nível das TIC Actividades a desenvolver pela CPCJ (Plano de actividades) EIXO II Escolarização, Formação e Empregabilidade GABINETE DE INSERÇÃO PROFISSIONAL - GIP DE ARMAMAR Actividades a desenvolver: Informação profissional para jovens e adultos desempregados; Apoio à procura activa de emprego; Acompanhamento personalizado dos desempregados em fase de inserção ou reinserção profissional; Captação de ofertas junto das entidades empregadoras; Divulgação de ofertas de emprego e actividades de colocação; Encaminhamento para ofertas de qualificação; Divulgação e encaminhamento para medidas de apoio ao emprego, qualificação e empreendedorismo; Divulgação de programas comunitários que promovam a mobilidade no emprego e na formação profissional no espaço europeu; Motivação e apoio à participação em ocupações temporárias ou actividades em regime de voluntariado, que facilitem a inserção no mercado de trabalho; Controlo de apresentação periódica dos beneficiários das prestações de desemprego. Plano de Acção

4 PLANO DE FORMAÇÃO 2010 Candidaturas apresentadas Designação do Curso ex. Agente em Geriatria Técnico de Mesa/Bar Modalidade de formação ex. modelares certificada; escolar Grau 12º ano nível 3 Área de Formação ex. Trabalho social e orientação Hotelaria e Restauração Destinatários Promotora Entidade Associação Desportiva e Cultural da Folgosa Formadora Promover Consultores (Viseu) Local Funcionamento Folgosa Agente em Geriatria Acção Educativa Sapadores Florestais Acompanhante de Crianças Acompanhante de Crianças 6º ano Trabalho Social e Orientação Serviço de Apoio a Crianças e Jovens Silvicultura e Pesca Serviço de Apoio a Crianças e Jovens Serviço de Apoio a Crianças e Jovens Adultos desempregados que não concluíram a escolaridade básica ou secundária e pretendam obter uma qualificação profissional Agrupamento de Escolas de Agrupamento de Escolas de Associação Humanitária Bombeiros Voluntários Centro Social e Paroquial de Fontelo Centro Social e Paroquial S. João Baptista Agrupamento de Escolas de Agrupamento de Escolas de Tecnoforma Tecnoforma Tecnoforma Fontelo Queimada Plano de Acção

5 PLANO DE FORMAÇÃO 2010 Designação do Curso ex. Agente em Geriatria Operador de Informática Técnico de Turismo Técnico de Cozinha/Pastelaria Modalidade de formação ex. modelares certificada; escolar Grau 12ºano nível 3 12ºano nível 3 Área de Formação ex. Trabalho social e orientação Ciências Informáticas Turismo e Lazer Hotelaria e Restauração Destinatários Adultos desempregados que não concluíram a escolaridade Básica ou secundária e pretendam obter uma qualificação profissional Promotora Entidade Associação Cultural e Recreativa Jograis de Gogim Associação de Jovens do concelho de Associação de Solidariedade Social e Recreativa de S. Cosmado Associação de Fruticultores de Formadora Tecnoforma Tecnoforma A definir Zona Verde Local Funcionamento Gogim S. Cosmado Plano de Acção

6 PLANO DE FORMAÇÃO 2010 Designação do Curso ex. Agente em Geriatria Pastelaria e Panificação Canalizador (a) Modalidade de formação ex. modelares certificada; escolar Modelares Certificadas Grau Área de Formação ex. Trabalho social e orientação Industrias alimentares Construção civil e Engenharia Civil - Trabalho Social e Orientação - Comércio - Secretariado e trabalho administrativo - Enquadramento e Organização na Empresa - Ciências informáticas - Serviços de Apoio a Crianças e Jovens - Hotelaria e Restauração - Segurança e Higiene no Trabalho Destinatários Desempregados com idade superior a 18 anos e com o 4º, 5º ou 6º ano de escolaridade. Desempregados com idade superior a 18 anos e com o 6º ano de escolaridade. Activos Promotora Entidade Formadora Local Funcionamento SHF Parceria Rede Social SHF SHF Parceria Rede Social SHF SHF Parceria Rede Social SHF Plano de Acção

7 PLANO DE FORMAÇÃO 2010 Designação do Curso ex. Agente em Geriatria RVCC Modalidade de formação ex. modelares certificada; escolar Grau escolar de acordo com o reconhecimento das competências individuais de cada um Área de Formação ex. Trabalho social e orientação profissional de acordo com o reconhecimento das competências de cada um Destinatários Adultos do Município que queiram ver valorizado o que aprenderam, em diferentes contextos (formais, não formais e informais), ao longo da vida Promotora Junta de Freguesia de Entidade Formadora Centro Novas Oportunidades Moimenta da Beira Local Funcionamento Plano de Acção

8 EIXO III Respostas de apoio a grupos em situações de fragilidade social e pessoal Equipamentos Em construção: - Lar de Idosos pelo Centro Social e Paroquial de Queimada - Lar de Idosos e Creche pela Associação de Solidariedade Social e Recreativa de S. Cosmado A criar: - Centro de Dia Centro Social e Paroquial de Fontelo - Unidade de Cuidados Continuados e Centro de Noite Fundação Gaspar e Manuel Cardoso - Centro de Dia e Serviço de Apoio Domiciliário Associação Social, Desportiva e Recreativa de Arícera A requalificar: - Instalações da Santa Casa da Misericórdia de - Instalações do Centro Social e Paroquial de Fontelo - Lar Fundação Gaspar e Manuel Cardoso Projectos/Medidas: Intervenções a nível dos sem abrigo Intervenções a nível da problemática da Deficiência Intervenções a nível da problemática das dependências Alcoolismo e Toxicodependência Actividades a desenvolver pela Equipa Multidisciplinar RSI (plano de actividades) Plano de Acção

9 EIXO IV (transversal a todos os outros eixos) Consolidação do Trabalho em Rede e Sustentabilidade do Desenvolvimento Social Dinamização da Rede Social Concelhia:. Sessões de CLAS e Reuniões de Núcleo Executivo. Eleição de novo Núcleo Executivo para o biénio 2010/2011. Representação no Grupo Operativo e no Plenário da Plataforma Supra concelhia do Douro. Elaboração e aprovação de normas reguladoras no âmbito da emissão de pareceres solicitados ao CLAS. Actualização da BD nacional. Alimentação e actualização de dados no Link da Rede Social/dinamização do sistema de Informação da Rede Social Local. Sessões de informação/esclarecimento aos parceiros sobre temas pertinentes e sugeridos pelos mesmos. Monitorização do PA Avaliação do Plano de Desenvolvimento Social do Município de 2007/2010. Preparação/actualização de instrumentos de planeamento: Pré-diagnóstico Social Diagnóstico Social Plano de Desenvolvimento Social 2011/2013. Acompanhamento e monitorização do Projecto 3 I s CLDS. Emissão de pareceres no âmbito de Medidas e Projectos Calendarização das reuniões Ordinárias para 2010 (de acordo com regulamento Interno): CLAS: 3 de Fevereiro; 2 de Junho e 15 Dezembro. Núcleo Executivo: 20 Janeiro; 17 de Março; 19 de Maio; 14 de Julho; 15 de Setembro e 17 de Novembro. Plano de Acção

10 3 I s Projecto de Desenvolvimento Social - Contrato Local de Desenvolvimento Social Eixos e Acções em Plano: Eixo I: Emprego, formação e qualificação: Oficinas Inclusivas Gabinete de Incubação de Iniciativas Observatório para a empregabilidade Apoio à criação de empresas socialmente responsáveis Eixo II: Intervenção familiar e parental: Observatório da comunidade e famílias Espaços de Inserção Balcão de Proximidade / Famílias S.O.S Agenda Sénior Banco de Voluntariado Eixo III: Capacitação da comunidade e das instituições: Promoção e apoio ao associativismo existente Promoção e apoio à criação de novas Associações Eixo IV: Informação e Acessibilidade: Oficinas TIC Plano de Acção

2008 Concelho de Ourique

2008 Concelho de Ourique Plano de Acção 2008 Concelho de Rede Social Programa Rede Social Conselho Local de Acção Social de Janeiro 2008 Ficha Técnica Título: Plano de Acção 2008 do Concelho de Autoria: Núcleo Executivo da Rede

Leia mais

Objectivos Específicos Acções Principais Resultados a Atingir

Objectivos Específicos Acções Principais Resultados a Atingir Núcleo Executivo / Secretariado Técnico Rede Social Loures Aprovado na reunião de CLAS de 19.Fevereiro.2009 Objectivo Superior Objectivos Específicos Acções Principais Resultados a Atingir Monitorização

Leia mais

Conselho Local de Ação Social

Conselho Local de Ação Social Conselho Local de Ação Social Índice Introdução... 6 Eixo I - Demografia... 7 Eixo II Educação/Nível de Instrução... 8 Eixo III Economia... 11 Eixo IV Grupos Vulneráveis... 13 Avaliação.26 2 Ficha Técnica

Leia mais

Plano de Acção 2006/2007. Rede Social Concelho da Lourinhã

Plano de Acção 2006/2007. Rede Social Concelho da Lourinhã Plano de Acção 2006/2007 Rede Social Concelho da Lourinhã E I X O I Intervenção Dirigida a Grupos Específicos EIXO I : INTERVENÇÃO DIRIGIDA A GRUPOS ESPECIFICOS OBJECTIVO GERAL: Até Dezembro de 2007 existem

Leia mais

Plano de Ação para 2012

Plano de Ação para 2012 Área da Ação Plano de Ação para 2012 CRONOGRAMA ÁREA DE INTERVENÇÃO ATIVIDADES 2012 Recursos Humanos Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro O atendimento

Leia mais

Relatório de Actividades. Ano 2006. Rede Social de Lagos

Relatório de Actividades. Ano 2006. Rede Social de Lagos Relatório de Actividades Ano 2006 Rede Social de Lagos Núcleo Executivo e CLAS- Conselho Local de Acção Social Núcleo Executivo - 27 Reuniões de Trabalho Actividades (Trabalho de planificação, concepção,

Leia mais

REDE SOCIAL DE ALANDROAL

REDE SOCIAL DE ALANDROAL REDE SOCIAL DE ALANDROAL CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL (MAIO ) Área de Intervenção: Equipamentos e Respostas Sociais e Serviços Objetivo Geral Objetivos Específicos Ação População - Alvo Entidades/ Parceiros

Leia mais

PROGRAMA PARA A INCLUSÃO E DESENVOLVIMENTO PROGRIDE

PROGRAMA PARA A INCLUSÃO E DESENVOLVIMENTO PROGRIDE PROGRAMA PARA A INCLUSÃO E DESENVOLVIMENTO PROGRIDE RELATÓRIO ANUAL DE EXECUÇÃO MEDIDA / MEDIDA 009/00 INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P. Programa para a Inclusão e Desenvolvimento Relatório Anual de

Leia mais

Constituição do Núcleo Executivo:

Constituição do Núcleo Executivo: Índice Constituição do Núcleo Executivo Pág. 2 Constituição do Conselho Local de Ação Social de Sousel Pág. 3 Enquadramento Pág. 4 Introdução Pág. 5 Metodologia Pág. 6 Linhas Orientadoras Pág. 7 Eixo 1

Leia mais

APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA

APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA AGENDA AS 5 MARCAS DO POPH I EIXOS PRIORITÁRIOS II ARRANQUE DO PROGRAMA III I AS 5 MARCAS DO POPH AS 5 MARCAS DO POPH 1 O MAIOR PROGRAMA OPERACIONAL DE SEMPRE 8,8 mil M 8,8 Mil

Leia mais

Plano Concelhio Para a Integração de Pessoas Sem Abrigo (Plano)

Plano Concelhio Para a Integração de Pessoas Sem Abrigo (Plano) Plano Concelhio Para a Integração de Pessoas Sem Abrigo (Plano) 2010-2013 RELATÓRIO DE EXECUÇÃO E AVALIAÇÃO - 2012 CMC/DIPS Ricardo Caldeira - Coordenador do Grupo de Planeamento da Intervenção com os

Leia mais

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020 Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020 Évora, 9 de setembro de 2015 Identidade, Competitividade, Responsabilidade Lezíria do Tejo Alto Alentejo Alentejo Central Alentejo Litoral Baixo Alentejo

Leia mais

Plano de Desenvolvimento Social de Ponte de Lima 2014-2017

Plano de Desenvolvimento Social de Ponte de Lima 2014-2017 Plano de Desenvolvimento Social de Ponte de Lima 2014-2017 Página 2 de 29 Plano de Desenvolvimento Social de Ponte de Lima 2014-2017 Índice Índice de Siglas. 4 Nota Prévia... 5 Exposição e Explicação dos

Leia mais

Conselho Local de Ação Social de Figueira de Castelo Rodrigo

Conselho Local de Ação Social de Figueira de Castelo Rodrigo REDE SOCIAL Conselho Local de Ação Social de Figueira de Castelo Rodrigo Regulamento Interno [9/04/2014] REGULAMENTO INTERNO DO CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL DO CONCELHO DE FIGUEIRA DE CASTELO RODRIGO

Leia mais

Capítulo I Disposições Gerais

Capítulo I Disposições Gerais Regulamento Municipal do Banco Local de Voluntariado de Marco de Canaveses Preâmbulo A Lei n.º 71/98, de 3 de Novembro, estabelece as bases do enquadramento jurídico do voluntariado, visando promover e

Leia mais

Ação Social e Inclusão

Ação Social e Inclusão Ação Social e Inclusão Ação Social O campo de actuação da Ação Social compreende, em primeira instância, a promoção do bem estar e qualidade de vida da população e a promoção duma sociedade coesa e inclusiva,

Leia mais

União das Freguesias de Aljustrel e Rio de Moinhos

União das Freguesias de Aljustrel e Rio de Moinhos União das Freguesias de Aljustrel e Rio de Moinhos Regulamento Do Serviço Vamos até Si 2014. Regulamento do serviço Vamos Até Si 1 Regulamento do Serviço Vamos até Si Preâmbulo Vamos até si é um serviço

Leia mais

Continuidade dos ateliês senior nas IPSS s do Concelho Continuidade do atendimento personalizado pelas localidades do concelho através do Balcão de Pr

Continuidade dos ateliês senior nas IPSS s do Concelho Continuidade do atendimento personalizado pelas localidades do concelho através do Balcão de Pr Janeiro Fevereiro Março www.cm-armamar.pt Continuidade dos ateliês senior nas IPSS s do Concelho Continuidade do atendimento personalizado pelas localidades do concelho através do Balcão de Proximidade

Leia mais

GRUPO DE TRABALHO (INCLUINDO ALTERAÇÃO): COMISSÃO DE PROTECÇÃO DE CRIANÇAS E JOVENS EM RISCO

GRUPO DE TRABALHO (INCLUINDO ALTERAÇÃO): COMISSÃO DE PROTECÇÃO DE CRIANÇAS E JOVENS EM RISCO GRUPO DE TRABALHO (INCLUINDO ALTERAÇÃO): COMISSÃO DE PROTECÇÃO DE CRIANÇAS E JOVENS EM RISCO CRIANÇAS E JOVENS EM RISCO Índice: DIAGNÓSTICO... 51 OBJECTIVO GERAL: PROMOVER OS DIREITOS DA CRIANÇA JUNTO

Leia mais

REGIMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE VILA FLOR

REGIMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE VILA FLOR REGIMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE VILA FLOR PREÂMBULO A Lei n.º 75/2013, de 12 de Setembro, diploma que estabelece, entre outros, o regime jurídico das autarquias locais, veio atribuir, no

Leia mais

GUIA PRÁTICO RESPOSTAS SOCIAIS INFÂNCIA E JUVENTUDE CRIANÇAS E JOVENS EM SITUAÇÃO DE PERIGO

GUIA PRÁTICO RESPOSTAS SOCIAIS INFÂNCIA E JUVENTUDE CRIANÇAS E JOVENS EM SITUAÇÃO DE PERIGO Manual de GUIA PRÁTICO RESPOSTAS SOCIAIS INFÂNCIA E JUVENTUDE CRIANÇAS E JOVENS EM SITUAÇÃO DE PERIGO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/11 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia

Leia mais

Relatório Anual da Comissão de Acompanhamento e Monitorização das Medidas de Apoio Social

Relatório Anual da Comissão de Acompanhamento e Monitorização das Medidas de Apoio Social Relatório Anual da Comissão de Acompanhamento e Monitorização das Medidas de Apoio Social ANO 2010 MEDIDAS DE APOIO A ESTRATOS SOCIAIS MAIS DESFAVORECIDOS a) Apoio à actividade das Instituições de Solidariedade

Leia mais

Reunião do Steering Committee

Reunião do Steering Committee Projecto Engenharia 2020 Reunião do Steering Committee Ordem dos Engenheiros Lisboa 10 de Maio 2013 Parceiros Estratégicos: Augusto Mateus e Associados (A.M.); MIT Portugal; Ordem dos Engenheiros (O.E.)

Leia mais

Plano de Desenvolvimento Social do Concelho de Peniche 2016-2020

Plano de Desenvolvimento Social do Concelho de Peniche 2016-2020 Plano de Desenvolvimento Social aprovado na reunião plenária do Conselho Local de Ação Social de Peniche de 24 de novembro de 2015 Índice Índice... 1 1. Introdução... 2 2. Finalidade do Plano de Desenvolvimento

Leia mais

RELATÓRIO DE ACTIVIDADES 2013

RELATÓRIO DE ACTIVIDADES 2013 RELATÓRIO DE ACTIVIDADES 2013 I. Introdução O ano de 2013 foi um ano marcado por grandes investimentos na Comunidade Terapêutica, por forma a criar condições estruturais que possibilitem a formação e integração

Leia mais

PLANO DE ACÇÃO 2009 (Aprovado em CLASS de 13.3.2009) PARCEIRO RESPONSÁVEL

PLANO DE ACÇÃO 2009 (Aprovado em CLASS de 13.3.2009) PARCEIRO RESPONSÁVEL OBJECTIVO DO PDSS ACTIVIDADE/ACÇÃO PARCEIROS ENVOLVIDOS PARCEIRO RESPONSÁVEL INDICADORES DE AVALIAÇÃO EXECUÇÃO TEMPORAL SOLIDARIEDADE SOCIAL Reforçar o apoio alimentar concelhio Melhorar o conhecimento

Leia mais

Projecto GPS Gabinete de Proximidade para a Sustentabilidade

Projecto GPS Gabinete de Proximidade para a Sustentabilidade Projecto GPS Gabinete de Proximidade para a Sustentabilidade Actividade Formativa - Intervenção Comunitária Data - 1 de Abril de 2009 Local Auditório do Edifício Cultural Município de Peniche Participação:

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA JAIME MONIZ

ESCOLA SECUNDÁRIA JAIME MONIZ ESCOLA SECUNDÁRIA JAIME MONIZ ano lectivo 2012/13 a nova oferta educativa da escola Cursos Profissionais.Preparação para a vida activa Contactos Escola Secundária Jaime Moniz Largo Jaime Moniz 9064-503

Leia mais

Plano de Desenvolvimento Social de Almodôvar 2015/2017

Plano de Desenvolvimento Social de Almodôvar 2015/2017 Plano de Desenvolvimento Social de FICHA TÉCNICA Título: Plano de Desenvolvimento Social do Concelho de Coordenação Técnica: Câmara Municipal de Divisão de Intervenção Social, Educação, Cultura, Desporto

Leia mais

RAMPOLIM/ Progride, Medida 1

RAMPOLIM/ Progride, Medida 1 I - Rede Social O processo REFERÊNCIAS CRONOLÓGICAS 1997 Resolução do Conselho de Ministros 197/97, de 18 de Novembro Tem início ao Programa Piloto da Rede Social. FÓRUM DE ARTICULAÇÃO E CONJUGAÇÃO DE

Leia mais

Plano de Acção de 2011 Plano de Acção de 2010. Conselho Local de Acção Social de Monção. Conselho Local de Acção Social de Monção

Plano de Acção de 2011 Plano de Acção de 2010. Conselho Local de Acção Social de Monção. Conselho Local de Acção Social de Monção Plano de Acção de 2011 Plano de Acção de 2010 Conselho Local de Acção Social de Monção Conselho Local de Acção Social de Monção CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL DE MONÇÃO Actualmente a Rede Social de Monção

Leia mais

Liga Nacional Contra a Fome

Liga Nacional Contra a Fome Liga Nacional Contra a Fome IPSS de Utilidade Pública PLANO DE ATIVIDADES 2016-2019 E ORÇAMENTO 2016 NOVEMBRO 2015 Liga Nacional Contra a Fome IPSS de Utilidade Pública A Liga Nacional Contra a Fome é

Leia mais

PROJECTO FUNDAMENTAÇÃO

PROJECTO FUNDAMENTAÇÃO PROJECTO FUNDAMENTAÇÃO No seguimento das propostas apresentadas por esta Direcção Regional de Educação para o Plano de Acompanhamento dos Centros de Recursos TIC (CRTIC) no ano de 2011, com uma linha orientadora

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTOR DE FORMAÇÃO

PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTOR DE FORMAÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTOR DE FORMAÇÃO.Certificado pela ANEF-Associação Nacional de Entidade Formadoras.Certificação CEPESE-DGERT-CNAEF-Área 345 Gestão e Administração Nível 6 ENQUADRAMENTO E OBJETIVOS DO

Leia mais

CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL (MAIO 2014 ) REDE SOCIAL DE ALANDROAL

CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL (MAIO 2014 ) REDE SOCIAL DE ALANDROAL CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL (MAIO ) REDE SOCIAL DE ALANDROAL CLAS /2015 Área de Intervenção: Equipamentos e Respostas Sociais e Serviços 1 Objetivo Geral Objetivos Específicos Ação População - Alvo

Leia mais

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TÉNIS DE MESA

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TÉNIS DE MESA PLANO DE ATIVIDADES 2012 FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TÉNIS DE MESA DESENVOLVIMENTO DA PRÁTICA DESPORTIVA ALTO RENDIMENTO E SELEÇÕES NACIONAIS FORMAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS MARKETING, COMUNICAÇÃO & IMAGEM 1.-

Leia mais

Ficha de Actividade. Conteúdos: Os diferentes processos e serviços do Arquivo Municipal.

Ficha de Actividade. Conteúdos: Os diferentes processos e serviços do Arquivo Municipal. Ficha de Actividade Tipo: Visitas de Estudo Tema: Faz de conta que somos de papel Público-alvo: Alunos Pré-escolar e 1º ciclo Equipa: Serviço Educativo Arquivo Municipal Calendarização: Todo o ano. Agendadas

Leia mais

Linhas de Acção. 1. Planeamento Integrado. Acções a desenvolver: a) Plano de Desenvolvimento Social

Linhas de Acção. 1. Planeamento Integrado. Acções a desenvolver: a) Plano de Desenvolvimento Social PLANO DE ACÇÃO 2007 Introdução O CLASA - Conselho Local de Acção Social de Almada, de acordo com a filosofia do Programa da Rede Social, tem vindo a suportar a sua intervenção em dois eixos estruturantes

Leia mais

ISEL Sessão de Apresentação no ISEL

ISEL Sessão de Apresentação no ISEL ISEL ISEL Sessão de Apresentação no ISEL Manuel Pires Abraços 15 Novembro 2011 Apresentação O Poliempreende é um concurso de ideias e de planos de negócios que tem como objectivo avaliar e premiar projectos

Leia mais

A l e x a n d r a P e r e i r a G R I - P l a n o E s t r a t é g i c o e d e A ç ã o 2 0 1 2-15 Página 1

A l e x a n d r a P e r e i r a G R I - P l a n o E s t r a t é g i c o e d e A ç ã o 2 0 1 2-15 Página 1 GABINETE DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS DO ISAG PLANO ESTRATÉGICO E PLANO DE AÇÃO 31 de Outubro de 2012 A l e x a n d r a P e r e i r a G R I - P l a n o E s t r a t é g i c o e d e A ç ã o 2 0 1 2-15 Página

Leia mais

Contamos consigo para levar a nossa Energia mais longe...

Contamos consigo para levar a nossa Energia mais longe... Contamos consigo para levar a nossa Energia mais longe... Responsabilidade Social na Galp Energia Responsabilidade Social na Galp Energia COLABORADORES ESPECIALISTAS PÚBLICO EM GERAL A Galp Energia foi

Leia mais

A EAPN Portugal Rede Europeia Anti-Pobreza, em parceria com o Departamento de Sociologia da

A EAPN Portugal Rede Europeia Anti-Pobreza, em parceria com o Departamento de Sociologia da A EAPN Portugal Rede Europeia Anti-Pobreza, em parceria com o Departamento de Sociologia da respeita desenvolver Universidade INQUÉRITO a práticas um da estudo Beira ITO À de EMPREGABILIDADE empregabilidade,

Leia mais

Contracepção e Saúde Reprodutiva no. Duarte Vilar Director Executivo da APF

Contracepção e Saúde Reprodutiva no. Duarte Vilar Director Executivo da APF Melhores Escolhas Melhor Saúde Contracepção e Saúde Reprodutiva no Contexto da Formação Profissional Duarte Vilar Director Executivo da APF Antecedentes Desde 1983: colaboração entre a APF e diversos CFP

Leia mais

CONCURSO DE IDEIAS 2014-2015 JOVENS CRIATIVOS, EMPREENDEDORES PARA O SÉCULO XXI

CONCURSO DE IDEIAS 2014-2015 JOVENS CRIATIVOS, EMPREENDEDORES PARA O SÉCULO XXI 0 REGULAMENTO DO CONCURSO DE IDEIAS 2014-2015 1. OBJETIVOS Através de um concurso de ideias, a iniciativa INOVA! visa: Estimular o espírito empreendedor, criativo e inovador das crianças e dos jovens;

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DO GABINETE DE IMAGEM E COMUNICAÇÃO DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE SETÚBAL (GI.COM-IPS)

REGULAMENTO INTERNO DO GABINETE DE IMAGEM E COMUNICAÇÃO DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE SETÚBAL (GI.COM-IPS) REGULAMENTO INTERNO DO GABINETE DE IMAGEM E COMUNICAÇÃO DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE SETÚBAL (GI.COM-IPS) I ÂMBITO E FINALIDADE 1. O Gabinete de Imagem e Comunicação do Instituto Politécnico de Setúbal

Leia mais

PARCEIROS NACIONAIS DO PROJECTO ASPIRE

PARCEIROS NACIONAIS DO PROJECTO ASPIRE PARCEIROS NACIONAIS DO PROJECTO ASPIRE Conselho Português para os Refugiados (CPR) O CPR, associação de solidariedade social e organização não governamental para o desenvolvimento (ONGD), foi constituído

Leia mais

Disciplinas da Componente de Formação Técnica dos Cursos Profissionais por Área de Educação e Formação

Disciplinas da Componente de Formação Técnica dos Cursos Profissionais por Área de Educação e Formação Área de Educação e Formação 212 - Artes do espectáculo Área de Educação e Formação 213 - Audiovisuais e produção dos media Adereços 380 Cenografia 400 Cenotecnia 380 Conjuntos Instrumentais 180 Figurinos

Leia mais

Câmara Municipal de Almeida PROGRAMA REDE SOCIAL CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL DE ALMEIDA

Câmara Municipal de Almeida PROGRAMA REDE SOCIAL CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL DE ALMEIDA Câmara Municipal de PROGRAMA REDE SOCIAL CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL DE ALMEIDA 2016 Plano de Ação do Concelho de 2016 Este documento resulta da compilação de todos os contributos enviados pelos parceiros

Leia mais

Projecto de Apoio ao

Projecto de Apoio ao Projecto de Apoio ao O Centro Social Paroquial Padre Ricardo Gameiro presta serviços dedicados a crianças e idosos, promovendo igualmente o apoio ao emprego e o auxílio a famílias carenciadas. O Centro

Leia mais

NOTA INTRODUTÓRIA... 3 DESENHO E MONTEGEM DAS ACÇÕES...4. Eixo de Desenvolvimento 1: Situações de Risco Social... 5

NOTA INTRODUTÓRIA... 3 DESENHO E MONTEGEM DAS ACÇÕES...4. Eixo de Desenvolvimento 1: Situações de Risco Social... 5 INDICE NOTA INTRODUTÓRIA... 3 DESENHO E MONTEGEM DAS ACÇÕES...4 Eixo de Desenvolvimento 1: Situações de Risco Social... 5 Eixo de Desenvolvimento 2: Empregabilidade de Formação Profissional... 13 Eixo

Leia mais

Propostas 2013 2016. Dr. Marcos Norjosa

Propostas 2013 2016. Dr. Marcos Norjosa Propostas 2013 2016 As propostas do candidato a Prefeito Dr. Marcos têm como meta principal o bem estar do povo de Pacoti, assim como seu desenvolvimento social e financeiro. Este plano de governo é resultado

Leia mais

Educador Ambiental. Curso de Formação. Eng.ª Mariana Cruz Mariana.cruz@biorumo.com

Educador Ambiental. Curso de Formação. Eng.ª Mariana Cruz Mariana.cruz@biorumo.com 1 Curso de Formação Educador Ambiental 2009 Eng.ª Mariana Cruz Mariana.cruz@biorumo.com 2 Curso de Formação: Educador Ambiental Índice: 1 Apresentação da entidade formadora e de Coordenação do Curso 2

Leia mais

REGULAMENTO DO VOLUNTARIADO DE APOIO SOCIAL DO MUNICÍPIO DE VIDIGUEIRA

REGULAMENTO DO VOLUNTARIADO DE APOIO SOCIAL DO MUNICÍPIO DE VIDIGUEIRA REGULAMENTO DO VOLUNTARIADO DE APOIO SOCIAL DO MUNICÍPIO DE VIDIGUEIRA Nota justificativa A Câmara Municipal de Vidigueira assume o papel de agente fundamental na aplicação de políticas de protecção social,

Leia mais

Instituto Superior de Ciências Educativas de Felgueiras

Instituto Superior de Ciências Educativas de Felgueiras Instituto Superior de Ciências Educativas de Felgueiras Relatório de Atividades Ano Letivo 2013-2014 ÍNDICE Nota Introdutória. 1 1. Cumprimento do Plano Estratégico, do Plano Anual e seus Objetivos.. 2

Leia mais

Deliberações CMC POR: 9/10/2007, 19/11/2008, 17/04/2009, 25/09/2009, 20/04/2010, 14/10/2010 e 4/04/2011

Deliberações CMC POR: 9/10/2007, 19/11/2008, 17/04/2009, 25/09/2009, 20/04/2010, 14/10/2010 e 4/04/2011 Programas Operacionais Regionais do Continente Deliberações CMC POR: 9/10/2007, 19/11/2008, 17/04/2009, 25/09/2009, 20/04/2010, 14/10/2010 e 4/04/2011 Requalificação da Rede Escolar do 1.º Ciclo do Entrada

Leia mais

Conheça as quatro candidaturas ganhas pelo Município do Seixal ao QREN - Quadro Comunitário de Apoio 2007/2013.

Conheça as quatro candidaturas ganhas pelo Município do Seixal ao QREN - Quadro Comunitário de Apoio 2007/2013. Conheça as quatro candidaturas ganhas pelo Município do Seixal ao QREN - Quadro Comunitário de Apoio 2007/2013. PORLisboa Politica de Cidades: Parcerias para a Regeneração Urbana Programa Integrados de

Leia mais

Município da Samba - Província de Luanda

Município da Samba - Província de Luanda Ficha de Projecto Dezembro/2006 Designação Projecto Integrado para o Desenvolvimento Sociocomunitário na Missão da Corimba - Município da Samba (Província de Luanda) Missão da Corimba - Sede Localização

Leia mais

Governação dos laboratórios: papel da regulação

Governação dos laboratórios: papel da regulação Governação dos laboratórios: papel da regulação César Carneiro Director do Departamento de Estudos e Regulação Económica Lisboa, 20 de Maio de 2016 Agenda 1. A Entidade Reguladora da Saúde 2. As actividades

Leia mais

PROGRAMA DE AÇÃO 2015. Respostas sociais: O GAS-SVP define, para 2015, como objectivos gerais:

PROGRAMA DE AÇÃO 2015. Respostas sociais: O GAS-SVP define, para 2015, como objectivos gerais: PROGRAMA AÇÃO 2015 O GAS-SVP define, para 2015, como objectivos gerais: - Preservar a identidade da Instituição, de modo especial no que respeita a sua preferencial ação junto das pessoas, famílias e grupos

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Alhandra, Sobralinho e S.º João dos Montes. Projeto Educativo do Agrupamento Apresentação para Divulgação

Agrupamento de Escolas de Alhandra, Sobralinho e S.º João dos Montes. Projeto Educativo do Agrupamento Apresentação para Divulgação Agrupamento de Escolas de Alhandra, Sobralinho e S.º João dos Montes Projeto Educativo do Agrupamento Apresentação para Divulgação CARATERIZAÇÃO DOS TERRITÓRIOS ENVOLVIDOS NA CONSTITUIÇÃO DO AGRUPAMENTO

Leia mais

ELEIÇÕES 2012 DIRETRIZES DO PROGRAMA DE GOVERNO DO CANDIDATO JOSÉ SIMÃO DE SOUSA PARA A PREFEITURA DE MANAÍRA/PB ZÉ SIMÃO 45 - PREFEITO

ELEIÇÕES 2012 DIRETRIZES DO PROGRAMA DE GOVERNO DO CANDIDATO JOSÉ SIMÃO DE SOUSA PARA A PREFEITURA DE MANAÍRA/PB ZÉ SIMÃO 45 - PREFEITO ELEIÇÕES 2012 DIRETRIZES DO PROGRAMA DE GOVERNO DO CANDIDATO JOSÉ SIMÃO DE SOUSA PARA A PREFEITURA DE MANAÍRA/PB ZÉ SIMÃO 45 - PREFEITO OBJETIVOS DO GOVERNO: Consolidar e aprofundar os projetos e ações

Leia mais

Lista A - candidata aos próximos Corpos Gerentes da Comissão Nacional Portuguesa do ICOM para o triénio 2014-2017

Lista A - candidata aos próximos Corpos Gerentes da Comissão Nacional Portuguesa do ICOM para o triénio 2014-2017 Lista A - candidata aos próximos Corpos Gerentes da Comissão Nacional Portuguesa do ICOM para o triénio 2014-2017 Proposta de composição da Lista e respectivas Linhas Programáticas Direcção Presidente

Leia mais

A EDUCAÇÃO PARA O RISCO NA CIDADE DE LISBOA

A EDUCAÇÃO PARA O RISCO NA CIDADE DE LISBOA A EDUCAÇÃO PARA O RISCO NA CIDADE DE LISBOA CORONEL JOAQUIM LEITÃO DIRECÇÃO MUNICIPAL DE PROTECÇÃO CIVIL E SOCORRO REGIMENTO DE SAPADORES BOMBEIROS A EDUCAÇÃO PARA O RISCO NA CIDADE DE LISBOA RISCOS NA

Leia mais

Matriz estratégica do PEE

Matriz estratégica do PEE MEC02-000 MEC02-001 MEC02-002 MEC02-003 Matriz estratégica do PEE Ensino (Pré-) Primário MEC02 Ensino Primário Objectivo Geral Assegurar que todas as crianças tenham oportunidade de concluir uma educação

Leia mais

ORIENTAÇÃO TÉCNICA 9 Áreas de Educação e Formação (atualizada ada em setembro de 2014)

ORIENTAÇÃO TÉCNICA 9 Áreas de Educação e Formação (atualizada ada em setembro de 2014) As entidades formadoras certificadas pela Direção-Geral do Emprego e das Relações de Trabalho (DGERT), para além da formação modular da componente de formação tecnológica dos referenciais de formação do

Leia mais

Na União Europeia e países europeus (I):

Na União Europeia e países europeus (I): O princípio da CPD diz-nos que as políticas nos vários setores devem contribuir ativamente para os objetivos de luta contra a pobreza e de promoção do desenvolvimento ou, pelo menos, não prejudicarem esses

Leia mais

JOVEM AGRICULTOR/JOVEM EMPRESÁRIO RURAL

JOVEM AGRICULTOR/JOVEM EMPRESÁRIO RURAL JOVEM AGRICULTOR/JOVEM EMPRESÁRIO RURAL AJAP Associação dos Jovens Agricultores de Portugal José Firmino B. Cordeiro 21/01/11 Idanha-a-Nova Estrutura Jovens Agricultores / Jovens Empresários Rurais Considerações

Leia mais

Qual emprego, qual trabalho para as pessoas com perturbação do espetro do autismo (PEA)? José Miguel Nogueira - FPDA

Qual emprego, qual trabalho para as pessoas com perturbação do espetro do autismo (PEA)? José Miguel Nogueira - FPDA Qual emprego, qual trabalho para as pessoas com perturbação do espetro do autismo (PEA)? José Miguel Nogueira - FPDA Estrutura: i) O direito ao emprego versus o direito a uma atividade socio-ocupacional

Leia mais

A partir da avaliação ex-ante: oportunidades e desafios do POCH

A partir da avaliação ex-ante: oportunidades e desafios do POCH A partir da avaliação ex-ante: oportunidades e desafios do POCH António Manuel Figueiredo Quaternaire Portugal 1º EVENTO ANUAL 2016.03.16 Lisboa Estrutura da apresentação TÓPICO 1 - A Agenda Estratégica

Leia mais

REGULAMENTO DO SERVIÇO DE PSICOLOGIA (ServPsi)

REGULAMENTO DO SERVIÇO DE PSICOLOGIA (ServPsi) REGULAMENTO DO SERVIÇO DE PSICOLOGIA (ServPsi) Março de 2011 CAPÍTULO I: DEFINIÇÃO E OBJETIVOS Artigo 1º - Definição O Serviço de Psicologia, adiante designado por Serviço, é uma estrutura de caráter permanente

Leia mais

REDE SOCIAL PÓVOA DE LANHOSO 02-02-2009 REDE SOCIAL DA PÓVOA DE LANHOSO - CLAS PVL 1

REDE SOCIAL PÓVOA DE LANHOSO 02-02-2009 REDE SOCIAL DA PÓVOA DE LANHOSO - CLAS PVL 1 REDE SOCIAL PÓVOA DE LANHOSO PVL 1 Eixos de Intervenção Prioritários Social PDS (07/08) 1. 3.ªIDADE 2. EMPREGO/DESEMPREGO E FORMAÇÃO 3. DEPENDÊNCIAS 4. INFÂNCIA PVL 2 Avaliação do Plano de Acção do PDS

Leia mais

Introdução. Évora, 18 de outubro de 2014. A Direção da Associação

Introdução. Évora, 18 de outubro de 2014. A Direção da Associação Introdução A dos Amigos da Ludoteca, em parceria com a Câmara Municipal de Évora na promoção dos Direitos da Criança e da Família, pretende desenvolver em 2015 um Plano de Atividades que promova o Direito

Leia mais

Rede Social - Conselho Local de Acção Social de Coruche (CLAS) PLANO DE ACÇÃO ANUAL 2009

Rede Social - Conselho Local de Acção Social de Coruche (CLAS) PLANO DE ACÇÃO ANUAL 2009 Rede Social - Conselho Local de Acção Social de Coruche (CLAS) PLANO DE ACÇÃO ANUAL 2009 1 1. ÁREA DE INTERVENÇÃO ACÇÃO SOCIAL Promover a integração social dos grupos socialmente mais vulneráveis * Romper

Leia mais

NORMATIZAÇÃO DE ESTÁGIO DOS CURSOS DE LICENCIATURA

NORMATIZAÇÃO DE ESTÁGIO DOS CURSOS DE LICENCIATURA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS NORMATIZAÇÃO DE ESTÁGIO DOS CURSOS DE LICENCIATURA outubro/2010

Leia mais

MANUAL DO VOLUNTÁRIO

MANUAL DO VOLUNTÁRIO MANUAL DO VOLUNTÁRIO Só é voluntário quem se põe ao serviço do OUTRO ÍNDICE 1. Introdução 2. O movimento Pais-em-Rede. 3. Ser voluntário Pais-em-Rede: 3.1 O nosso conceito de voluntariado 3.2 Direitos

Leia mais

Plano de Acção. Rede Social 2011/2012

Plano de Acção. Rede Social 2011/2012 Plano de Acção - Rede Social Plano de Acção Rede Social Conselho Local da Acção Social de Figueira de Castelo Plano de Acção Rede Social Acções a desenvolver Objectivos Resultados esperados Calendarização

Leia mais

MEDIDAS E RESPOSTAS DE APOIO SOCIAL PARA A INFÂNCIA E JUVENTUDE

MEDIDAS E RESPOSTAS DE APOIO SOCIAL PARA A INFÂNCIA E JUVENTUDE Licenciatura em Serviço Social Intervenção Social na Infância, Adolescência e Velhice Ano letivo 2014/2015 MEDIDAS E RESPOSTAS DE APOIO SOCIAL PARA A INFÂNCIA E JUVENTUDE Programas de inserção social e

Leia mais

Município de Freixo de Espada à Cinta PLANO DE ACÇÃO (2009-2010) Conselho Local de Acção Social de Freixo de Espada à Cinta

Município de Freixo de Espada à Cinta PLANO DE ACÇÃO (2009-2010) Conselho Local de Acção Social de Freixo de Espada à Cinta Município de Freixo de Espada à Cinta PLANO DE ACÇÃO (2009-2010) Conselho Local de Acção Social de Freixo de Espada à Cinta FICHA TÉCNICA Relatório do Plano de Acção de Freixo de Espada à Cinta Conselho

Leia mais

PLANO DE ACTIVIDADES 2009 CAO SÃO VICENTE - ÂNGELA MILHO 1.5 - FICHA DE ACTIVIDADE INSERIDA EM PROGRAMAS E PROJECTOS DESIGNAÇÃO DA ACTIVIDADE: DINAMIZAÇÃO DE ACÇÕES DE FORMAÇÃO /SENSIBILIZAÇÃO CÓDIGO:

Leia mais

Procura de emprego na Europa

Procura de emprego na Europa Procura de emprego na Europa IEFP - EURES Volta de Apoio ao Emprego Fundão, 3 de Maio de 2016 Trabalhar noutro país Para ter sucesso é fundamental estar bem informado/preparado Rede EURES O que é? uma

Leia mais

PLATAFORMA SUPRACONCELHIA PENÍNSULA DE SETÚBAL REUNIÃO 19/03/2012. Instituto da Segurança Social, I.P. Centro Distrital de Setúbal

PLATAFORMA SUPRACONCELHIA PENÍNSULA DE SETÚBAL REUNIÃO 19/03/2012. Instituto da Segurança Social, I.P. Centro Distrital de Setúbal PLATAFORMA SUPRACONCELHIA PENÍNSULA DE SETÚBAL REUNIÃO 19/03/2012 Instituto da Segurança Social, I.P. Centro Distrital de Setúbal Agenda da Reunião Informações Programa de Emergência Social - PES Ano Europeu

Leia mais

Acta da 28ª reunião plenária ordinária do Conselho Local de Acção Social do Seixal

Acta da 28ª reunião plenária ordinária do Conselho Local de Acção Social do Seixal Acta da 28ª reunião plenária ordinária do Conselho Local de Acção Social do Seixal Data: 19 de Março de 2010 Local: Rio Sul Shopping - Espaço coberto de estacionamento exterior Agenda de Trabalhos: 1-

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PIAUÍ PROCURADORIA GERAL DE JUSTIÇA. Centro de Apoio Operacional de Defesa da Infância da Juventude CAODIJ

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PIAUÍ PROCURADORIA GERAL DE JUSTIÇA. Centro de Apoio Operacional de Defesa da Infância da Juventude CAODIJ MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PIAUÍ PROCURADORIA GERAL DE JUSTIÇA Centro de Apoio Operacional de Defesa da Infância da Juventude CAODIJ PACTO PELOS DIREITOS DAS CRIANÇAS, ADOLESCENTES E JOVENS DA CIDADE

Leia mais

Movimento Nossa São Paulo Outra Cidade 1º Encontro Educação para uma outra São Paulo Temática: Educação Profissional

Movimento Nossa São Paulo Outra Cidade 1º Encontro Educação para uma outra São Paulo Temática: Educação Profissional Movimento Nossa São Paulo Outra Cidade 1º Encontro Educação para uma outra São Paulo Temática: Educação Profissional Relator: Carmen Sylvia Vidigal Moraes (Demanda social: Fórum da Educação da Zona Leste:

Leia mais

Rede Social. Conselho Local de Ação Social do Entroncamento PLANO DE AÇÃO 2012

Rede Social. Conselho Local de Ação Social do Entroncamento PLANO DE AÇÃO 2012 Rede Social Conselho Local de Ação Social do Entroncamento PLANO DE AÇÃO 2012 2012 Índice Introdução... 3 1 - Eixo de Intervenção Famílias... 5 2 - Eixo de Intervenção Educação e Cidadania... 8 3- Eixo

Leia mais

Projecto Educativo. de Escola

Projecto Educativo. de Escola Projecto Educativo de Escola 2006/2010 Nota Introdutória P.E.E. No seu primeiro ano de implementação 2006/07, com o objectivo de trabalhar os problemas seleccionados: dificuldades sentidas nas relações

Leia mais

Plano de Acção. Conselho Local de Acção Social de Redondo CLASRedondo

Plano de Acção. Conselho Local de Acção Social de Redondo CLASRedondo Plano de Acção Conselho Local de Acção Social de CLAS 2014-2015 2 EIXO 1 - PROMOVER A EMPREGABILIDADE E QUALIFICAÇÃO ESCOLAR E PROFISSIONAL E INTEGRAÇÃO DE GRUPOS SOCIAIS (PRÉ-) DESFAVORECIDOS Combate

Leia mais

Programa Viseu Solidário. Conteúdo do Plano de Apoio a Pessoas e Famílias 2013

Programa Viseu Solidário. Conteúdo do Plano de Apoio a Pessoas e Famílias 2013 Programa Viseu Solidário Conteúdo do Plano de Apoio a Pessoas e Famílias 2013 Tendo em conta os cortes orçamentais decorrentes das medidas de austeridade existentes no nosso País prevê-se um aumento significativo

Leia mais

Prémio Jovem Empreendedor Regulamento. Municí pio de Grâ ndolâ

Prémio Jovem Empreendedor Regulamento. Municí pio de Grâ ndolâ Prémio Jovem Empreendedor Regulamento Municí pio de Grâ ndolâ Regulamento do Prémio Jovem Empreendedor Preâmbulo O empreendedorismo tem vindo a assumir, dadas as atuais circunstâncias económicas e sociais,

Leia mais

Técnica Responsável pela Elaboração do Plano Isabel Barciela. Assessoria Técnica António Batista. Arranjo Gráfico Pedro Tristão

Técnica Responsável pela Elaboração do Plano Isabel Barciela. Assessoria Técnica António Batista. Arranjo Gráfico Pedro Tristão PLANO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL 2003 / 2006 A Rede Social, definida na Resolução de Conselho de Ministros nº 197/97 de 18 de Novembro como um fórum de articulação e congregação de esforços, baseado na

Leia mais

EIXO 3 CONECTIVIDADE E ARTICULAÇÃO TERRITORIAL AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS CONDICIONADO N.

EIXO 3 CONECTIVIDADE E ARTICULAÇÃO TERRITORIAL AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS CONDICIONADO N. EIXO 3 CONECTIVIDADE E ARTICULAÇÃO TERRITORIAL REGULAMENTO ESPECÍFICO: Aviso n.º 1/REB/AC REQUALIFICAÇÃO DA REDE ESCOLAR DE 1.º CICLO DO ENSINO BÁSICO E DA EDUCAÇÃO PRÉ- ESCOLAR AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO

Leia mais

Instituições. Módulo II Organizações de Apoio à Comunidade. Disciplina Ação Social VAS - 2014/15

Instituições. Módulo II Organizações de Apoio à Comunidade. Disciplina Ação Social VAS - 2014/15 Instituições Módulo II Organizações de Apoio à Comunidade Disciplina Ação Social VAS - 2014/15 Instituições O que é uma instituição? Estabelecimento de utilidade pública, organização ou fundação Organização

Leia mais

Rua José Galhardo, 1-2º Esq, 1750 LISBOA (Portugal) (+351) 963 48 77 90 conforma@gmail.com. Sexo Masculino Data de nascimento 5 out 53

Rua José Galhardo, 1-2º Esq, 1750 LISBOA (Portugal) (+351) 963 48 77 90 conforma@gmail.com. Sexo Masculino Data de nascimento 5 out 53 Curriculum vitae INFORMAÇÃO PESSOAL GONÇALVES Carlos Rua José Galhardo, 1-2º Esq, 1750 LISBOA (Portugal) (+351) 963 48 77 90 conforma@gmail.com Sexo Masculino Data de nascimento 5 out 53 PROFISSÃO Consulting

Leia mais

CPCJ P E N A C O V A C O M I S S Ã O D E P R O T E C Ç Ã O D E C R I A N Ç A S E J O V E N S REGULAMENTO INTERNO

CPCJ P E N A C O V A C O M I S S Ã O D E P R O T E C Ç Ã O D E C R I A N Ç A S E J O V E N S REGULAMENTO INTERNO Aprovado em: 24-11-2006 Alterado em: 04-12-2007 (Introduzidas alterações alínea e), artigo 9º) REGULAMENTO INTERNO Capítulo I Disposições Gerais Artigo 1º 1. A Lei de Protecção de Crianças e Jovens em

Leia mais

Sustentabilidade transversal

Sustentabilidade transversal Galp Voluntária 1 Galp Voluntária A Galp Voluntária é o programa estruturado de voluntariado da Galp Energia que procura facilitar, concretizar e potenciar iniciativas de voluntariado empresarial destinadas

Leia mais

Escola Secundária de Pinheiro e Rosa. Curso Tecnológico de Desporto. Estágio 12º G

Escola Secundária de Pinheiro e Rosa. Curso Tecnológico de Desporto. Estágio 12º G 12º G Realizado por: Priscila Domingos nº 17 Professor responsável: André Ramos 2010/2011 Índice 1) Introdução... 4 2) Objectivos do... 5 2.1) Objectivos Gerais... 5 2.2) Objectivos Específicos... 5 3)

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE ALCOCHETE REGULAMENTO INTERNO DO CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL

CÂMARA MUNICIPAL DE ALCOCHETE REGULAMENTO INTERNO DO CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL CÂMARA MUNICIPAL DE ALCOCHETE REGULAMENTO INTERNO DO CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1.º Denominação, Sede e Âmbito 1. O Conselho Local de Acção Social do Concelho de

Leia mais

APRESENTAÇÃO E DIVULGAÇÃO

APRESENTAÇÃO E DIVULGAÇÃO APRESENTAÇÃO E DIVULGAÇÃO Serviço destinado às pessoas com deficiência e/ou incapacidade onde se pretende: üapoiar na tomada de decisões vocacionais adequadas; üdisponibilizar a informação necessária à

Leia mais

Plano de Articulação Curricular

Plano de Articulação Curricular Plano de Articulação Curricular 2014-2015 Agrupamento de Escolas Fernando Pessoa Índice 1.Introdução... 3 2 2.Prioridades... 4 3.Operacionalização do Plano de Articulação Curricular... 5 4.Monitorização

Leia mais

Cidades Analíticas. das Cidades Inteligentes em Portugal

Cidades Analíticas. das Cidades Inteligentes em Portugal Cidades Analíticas Acelerar o desenvolvimento das Cidades Inteligentes em Portugal Programa Operacional Regional Programa Operacional Regional do Centro 2014-2020 PROGRAMA OPERACIONAL REGIONAL DO CENTRO

Leia mais