Ministério do Ambiente. Uma Contribuição para o Desenvolvimento Econômico do Brasil a Partir do Uso Sustentável da Biodiversidade

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Ministério do Ambiente. Uma Contribuição para o Desenvolvimento Econômico do Brasil a Partir do Uso Sustentável da Biodiversidade"

Transcrição

1 Ministério do Ambiente Uma Contribuição para o Desenvolvimento Econômico do Brasil a Partir do Uso Sustentável da Biodiversidade

2 Diversidade Sociocultural

3 Megabiodiversidade

4 BRASIL: Algumas Estatísticas População total (2010) 191 milhões Área total do país 851 milhões ha Área florestal total 516 milhões de ha Proporção de área florestal em relação à área 60,70% total do país Área florestal por habitante 2,7 ha Áreas de florestas naturais 509,8 milhões de ha Áreas de florestas plantadas 6,8 milhões de ha Área de unidades de conservação federais 74 milhões de ha Área de terras indígenas 106 milhões de ha Áreas de florestas públicas cadastradas (2010) 290 milhões de ha Área de florestas comunitárias federais 128 milhões de ha Total de carbono armazenado nas florestas 62,6 milhões de t Fonte: SFB (2010).

5 Áreas: Povos e Comunidades Tradicionais e Agricultores Familiares - PCTAFs Unidades de Conservação Federais ÁREAS Nº DE FAMÍLIAS ÁREA (ha) Florestas Nacionais (com pop. tradicional) ,00 Reservas Extrativistas ,00 Reserva de Desenvolvimento Sustentável ,00 Assentamentos Ambientalmente Diferenciados do Incra PAEs ,00 PDS ,00 PAFs ,00 Áreas quilombolas ,00 Terras Indígenas 234 povos indígenas / ,00 Ribeirinhos Agroextrativistas indígenas (cadastrados) (titulados) TOTAL ,00 Fontes: ICMBio (2010), FUNAI (2009), FUNASA (2010), ISA (2010), INCRA (2010), SPU (2010). 1. Não considera os dados dos indígenas (e considera somente as famílias de ribeirinhos agroextrativistas tituladas.

6 Unidades de Conservação Federais UC Nº Área (ha) Proteção Integral Uso Sustentável Total ,06 Fonte: ICMBio, 2010.

7 Plano Nacional de Promoção das Cadeias de Produtos da Sociobiodiversidade Ministério do Meio Ambiente Ministério do Desenvolvimento Agrário Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome Companhia Nacional de Abastecimento CONAB Apoio: Cooperação Alemã para o Desenvolvimento - GIZ Brasil

8 Plano Nacional de Promoção das Cadeias de Produtos da Sociobiodiversidade Objetivo Geral Desenvolver ações INTEGRADAS para a promoção e fortalecimento das cadeias de produtos da sociobiodiversidade.

9 Principais Espécies da Sociobiodiversidade Promovidas Babaçu Castanha do-brasil Pequi Açaí Andiroba Carnaúba Borracha Buriti Copaíba Piaçava/ Piaçaba Erva Mate Pinhão Juçara Mangaba Umbu Licuri

10 Arranjos Produtivos Locais

11 Economia de Produtos Extrativistas Em 2009, o valor total da produção extrativista vegetal, silvicultura e agrícola do Brasil foi de aproximadamente R$ 155 bilhões, sendo: 91,2 % da produção agrícola; 5,8 % da silvicultura (floresta plantada); 2,5 % da produção extrativista vegetal madeireira; 0,44 % da produção extrativista vegetal não madeireira

12 Economia de Produtos Extrativistas QUANTIDADE PRODUZIDA (Toneladas) toneladas *valores menores que 1% = Angico (casca), Barbatimão (casca), Buriti, Carnaúba (cera), Carnaúba (fibra), Copaíba (óleo), Cumaru (amêndoa), Hévea (látex coagulado), Hévea (látex líquido), Jaborandi (folha), Maçaranduba, Mangaba (fruto), Oiticica (semente), Sorva, Tucum, (amêndoa), Urucu (semente), Outros. Fonte: IBGE - Produção da Extração Vegetal e da Silvicultura, 2009.

13 Economia de Produtos Extrativistas VALOR COMERCIALIZADO (R$) ,00 *valores menores que 1% = Hévea (látex líquido), Maçaranduba, Sorva, Buriti, Carnaúba (fibra), Angico (casca), Copaíba (óleo), Cumarú, (amêndoa), Licuri (coquilho), Oiticica (semente), Tucum (amêndoa), Castanha de Caju, Mangaba (fruto), Umbu (fruto), Jaborandi (folha), Urucu (semente), e, Outros. Fonte: IBGE - Produção da Extração Vegetal e da Silvicultura, 2009.

14 Economia de Produtos Extrativistas Exportação de alguns produtos da Sociobiodiversidade (Fonte: AliceWeb ) NCM Produto 2010 Valor (U$S) Peso (kg) Óleo Bruto de Babaçu Outros Óleos de Babaçu Castanha-do-Brasil com casca Castanha-do-Brasil sem casca Ceras Vegetais (Carnaúba) Total Aproximadamente 26 mil toneladas envolvendo apenas 03 espécies geram R$ 194 milhões

15 Plano Nacional de Promoção das Cadeias de Produtos da Sociobiodiversidade DESTAQUE PARA ALGUMAS CADEIAS PRODUTIVAS DA SOCIOBIODIVERSIDADE

16 Plano Nacional de Promoção das Cadeias de Produtos da Sociobiodiversidade CASTANHA-DO-BRASIL A demanda de castanha-do-brasil tem alto potencial de crescimento podendo atingir cerca de 155 mil toneladas em 2020 O Brasil produz de 45 a 60 mil toneladas e emprega aproximadamente 60 mil famílias A renda dos pequenos produtores é de aproximadamente R$ 1 1,5 mil\ano, podendo chegar a R$ 2,5 mil\ano com melhoria das práticas de coleta e armazenamento

17 Plano Nacional de Promoção das Cadeias de Produtos da Sociobiodiversidade AÇAÍ

18 Plano Nacional de Promoção das Cadeias de Produtos da Sociobiodiversidade -APL de Babaçu no Medio Mearin MA 20 municípios, 357 DAP s PF, 4 DAP s PJ. 4 municípios com projetos de PAA. 3 municípios com operações de PGPMbio -APL Babaçu e Pequi, Sul do CE (Chapada do Araripe) 17 municípios, 4 projetos de PAA., - Frutos da Caatinga, 10 mil toneladas da produção extrativista de Licuri, 8,5 são produzidas nas Bahia. - APL de Frutos do Cerrado no Norte de Minas 65 pessoas envolvidas na cadeia agroextrativista. nenhuma operação de PGPM BIO

19 Plano Nacional de Promoção das Cadeias de Produtos da Sociobiodiversidade ALGUNS DESAFIOS Pactuar no âmbito de Políticas de Desenvolvimento estruturantes, como Brasil Maior, PNATER, crédito e infraestrutura a centralidade do desenvolvimento de cadeias produtivas da sociobiodiversidade; Atender a crescente demanda por produtos da biodiversidade brasileira com a garantia de sustentabilidade em longo prazo; Estabelecimento de uma relação de ganha ganha entre os diferentes operadores das cadeias produtivas;

20 Plano Nacional de Promoção das Cadeias de Produtos da Sociobiodiversidade ALGUNS DESAFIOS Estreitamento do diálogo entre o setor empresarial e os Povos e Comunidades Tradicionais e Agricultores Familiares; Garantir maior acesso dos diferentes operadores das cadeias de produtos da sociobiodiversidade às Políticas Públicas que contribuem com a economia extrativista; Potencializar e ampliar cerca de estabelecimentos da Agricultura Familiar que lidam com o extrativismo, favorecendo aproximadamente pessoas que contribuem com o desenvolvimento do Brasil fazendo uso sustentável da biodiversidade

21 Plano Nacional de Promoção das Cadeias de Produtos da Sociobiodiversidade Obrigado! João d Angelisd Gerente de Agroextrativismo DEX/SEDR/MMA

Economia Verde e as Comunidades Tradicionais da Amazônia

Economia Verde e as Comunidades Tradicionais da Amazônia Economia Verde e as Comunidades Tradicionais da Amazônia Carlos Gabriel Koury Secretário Executivo Idesam Manaus, Outubro 2011 IDESAM Criado em 2004; Programas Temáticos: Mudanças Climáticas e Serviços

Leia mais

PORTARIA INTERMINISTERIAL MDA e MDS e MMA Nº 239 DE 21 DE JULHO DE 2009

PORTARIA INTERMINISTERIAL MDA e MDS e MMA Nº 239 DE 21 DE JULHO DE 2009 PORTARIA INTERMINISTERIAL MDA e MDS e MMA Nº 239 DE 21 DE JULHO DE 2009 Estabelece orientações para a implementação do Plano Nacional de Promoção das Cadeias de Produtos da Sociobiodiversidade, e dá outras

Leia mais

O Banco da Amazônia e o Apoio para Econegócios na Região.

O Banco da Amazônia e o Apoio para Econegócios na Região. O Banco da Amazônia e o Apoio para Econegócios na Região. Diretoria ABIDIAS JOSÉ DE SOUSA JUNIOR Presidente AUGUSTO AFONSO MONTEIRO DE BARROS Diretor de Ações Estratégicas EVANDRO BESSA DE LIMA FILHO Diretor

Leia mais

Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira. Cenário da cacauicultura

Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira. Cenário da cacauicultura Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira Cenário da cacauicultura Helinton Rocha Diretor Geral Brasília, DF 00:30 Brasília, 1º de abril de 2015

Leia mais

Mobilização social em defesa dos direitos dos Povos e da conservação do Bioma Cerrado

Mobilização social em defesa dos direitos dos Povos e da conservação do Bioma Cerrado Mobilização social em defesa dos direitos dos Povos e da conservação do Bioma Cerrado Audiência Pública O PLANO DE DESENVOLVIMENTO AGROPECUÁRIO (PDA) E A AGÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO DO MATOPIBA (MARANHÃO,

Leia mais

Mecanismos financeiros para a conservação

Mecanismos financeiros para a conservação Mecanismos financeiros para a conservação FUNDOS PARA A VIDA Fundo Kayapó Fundo Amapá Fundo de apoio ao uso público BA/ES Photo 1 4.2 x 10.31 Position x: 8.74, y:.18 Fundo Kayapó Uma aliança de longo prazo

Leia mais

1. INFORMAÇÕES SOBRE FLORESTAS PRODUÇÃO DA EXTRAÇÃO VEGETAL E DA SILVICULTURA CENSO AGROPECUÁRIO, FLORESTAL E/OU AQÜÍCOLA

1. INFORMAÇÕES SOBRE FLORESTAS PRODUÇÃO DA EXTRAÇÃO VEGETAL E DA SILVICULTURA CENSO AGROPECUÁRIO, FLORESTAL E/OU AQÜÍCOLA 1. INFORMAÇÕES SOBRE FLORESTAS PRODUÇÃO DA EXTRAÇÃO VEGETAL E DA SILVICULTURA CENSO AGROPECUÁRIO, FLORESTAL E/OU AQÜÍCOLA 1. INFORMAÇÕES SOBRE FLORESTAS PRODUÇÃO DA EXTRAÇÃO VEGETAL E DA SILVICULTURA OBJETIVO

Leia mais

SEMINÁRIO osméticos de base florestal da Amazônia

SEMINÁRIO osméticos de base florestal da Amazônia OPORTUNIDADES E AVANÇOS DOS ESTADOS DA REGIÃO NORTE NO SEGUIMENTO COSMÉTICO SEMINÁRIO osméticos de base florestal da Amazônia Dra. Silvia L. Basso Coordenadora da Divisão de Produtos Naturais A busca pela

Leia mais

ENTENDENDO RISCO 2012. Convivência Sustentável com a Semiaridez: ação para a conservação ambiental com inclusão social um desafio à compreensão.

ENTENDENDO RISCO 2012. Convivência Sustentável com a Semiaridez: ação para a conservação ambiental com inclusão social um desafio à compreensão. MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE Secretaria de Extrativismo e Desenvolvimento Rural Sustentável Departamento de Combate à Desertificação ENTENDENDO RISCO 2012 Convivência Sustentável com a Semiaridez: ação

Leia mais

COMISSÃO DA AMAZÔNIA, INTEGRAÇÃO NACIONAL E DESENVOLVIMENTO REGIONAL

COMISSÃO DA AMAZÔNIA, INTEGRAÇÃO NACIONAL E DESENVOLVIMENTO REGIONAL COMISSÃO DA AMAZÔNIA, INTEGRAÇÃO NACIONAL E DESENVOLVIMENTO REGIONAL PROJETO DE LEI N o 4.179, DE 2012 Altera o art. 5º da Lei nº 10.485, de 03 de julho de 2002, que dispõe sobre a incidência das contribuições

Leia mais

A Agricultura do Brasil e do Paraná

A Agricultura do Brasil e do Paraná Governo do Estado do Paraná A Agricultura do Brasil e do Paraná Políticas Públicas para a Produção de Biodiesel Orlando Pessuti Vice-Governador Abril/2007 BRASIL 5º Maior país do mundo PIB de US$ 1,0 trilhão

Leia mais

9. Ao Pacto das Águas, construir com as lideranças e Associações comunitárias dos povos indígenas e populações tradicionais das áreas supracitadas,

9. Ao Pacto das Águas, construir com as lideranças e Associações comunitárias dos povos indígenas e populações tradicionais das áreas supracitadas, Carta Aberta Dos Representantes dos Povos das Terras Indígenas Rio Branco, Uru Eu Wau Wau, Igarapé Lourdes, Rio Guaporé e Seringueiros da RESEXs Federal e Estadual do Rio Cautário, tornam públicas suas

Leia mais

BALANÇO SOCIOBIODIVERSIDADE PERÍODO 2003-2010 QUADRO RESUMO FAMÍLIAS ATEN- ANO 2003 ANO 2009 Ago/2010

BALANÇO SOCIOBIODIVERSIDADE PERÍODO 2003-2010 QUADRO RESUMO FAMÍLIAS ATEN- ANO 2003 ANO 2009 Ago/2010 AÇÃO REALIZADA BALANÇO SOCIOBIODIVERSIDADE PERÍODO 2003-2010 QUADRO RESUMO FAMÍLIAS ATEN- ANO 2003 ANO 2009 Ago/2010 DIDAS R$ PNPSB R$/N TOTAL R$ RESPONSÁVEL DAPs emitidas 9.650 4.650 5.000 MDA REB extrativistas

Leia mais

Diretoria de Agronegócios. BB e o Agronegócio

Diretoria de Agronegócios. BB e o Agronegócio Diretoria de Agronegócios BB e o Agronegócio Importância do Agronegócio no Brasil + 35% nas exportações do país 197,9 40,9% 41,1% 37,4% 55,1 58,2 60,4 20,6 23,8 24,8 41,9% 73,1 30,6 160,6 40,4% 137,5 118,3

Leia mais

CÂMARA SETORIAL DA CADEIA PRODUTIVA DA ERVA MATE BRASILIA 10 DE DEZEMBRO DE 2015

CÂMARA SETORIAL DA CADEIA PRODUTIVA DA ERVA MATE BRASILIA 10 DE DEZEMBRO DE 2015 CÂMARA SETORIAL DA CADEIA PRODUTIVA DA ERVA MATE BRASILIA 10 DE DEZEMBRO DE 2015 Considerações Históricas. O Setor Ervateiro é secular com 200 anos de existência e foi um dos propulsores da economia do

Leia mais

Boletim de preços de produtos agropecuários e florestais do Estado do Acre

Boletim de preços de produtos agropecuários e florestais do Estado do Acre Madeira beneficiada movimentou 46 milhões de reais no Acre em 2011 Esta edição do Boletim de Preços traz uma análise da produção de madeira beneficiada e da oferta de lenha no Acre. Em 2011, a cadeia produtiva

Leia mais

Fortalecimento do extrativismo sustentável: a participação do Ipea

Fortalecimento do extrativismo sustentável: a participação do Ipea Fortalecimento do extrativismo sustentável: a participação do Ipea Ipea - Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada Júlio César Roma Técnico de Planejamento e Pesquisa da Diretoria de Estudos e Políticas

Leia mais

A Dimensão Social e o Conceito de Desenvolvimento Sustentável

A Dimensão Social e o Conceito de Desenvolvimento Sustentável V Mesa-Redonda da Sociedade Civil Brasil EU A Dimensão Social e o Conceito de Desenvolvimento Sustentável Apresentação da Conselheira Lúcia Stumpf Porto, Portugal 7 a 9 de novembro de 2011 1 Contextualização

Leia mais

O Desenvolvimento da Agricultura e Política Rural

O Desenvolvimento da Agricultura e Política Rural 7º Seminário Estadual de Agricultura O Desenvolvimento da Agricultura e Política Rural Deputado Estadual José Milton Scheffer Vice-Presidente da Comissão de Agricultura e Política Rural da ALESC Território

Leia mais

DOCUMENTO FINAL. Seminário Técnico. Frutas Nativas do Rio Grande do Sul: manejo, beneficiamento e comercialização

DOCUMENTO FINAL. Seminário Técnico. Frutas Nativas do Rio Grande do Sul: manejo, beneficiamento e comercialização DOCUMENTO FINAL Seminário Técnico Frutas Nativas do Rio Grande do Sul: manejo, beneficiamento e comercialização No dia 06 de dezembro de 2010 ocorreu o Seminário Frutas Nativas do RS: manejo, beneficiamento

Leia mais

Floresta Estadual do Antimary FEA Secretaria de Floresta

Floresta Estadual do Antimary FEA Secretaria de Floresta Floresta Estadual do Antimary FEA Secretaria de Floresta Desenvolvimento Florestal Sustentável na Amazônia Brasileira Projeto PD 94/90 - ITTO Ministério do Meio Ambiente Floresta Estadual do Antimary FEA

Leia mais

Compartilhando a experiência brasileira na área de Segurança Alimentar e Nutricional. Sílvio Porto

Compartilhando a experiência brasileira na área de Segurança Alimentar e Nutricional. Sílvio Porto Compartilhando a experiência brasileira na área de Segurança Alimentar e Nutricional Sílvio Porto Programa de Aquisição de Alimentos - PAA Política de Garantia de Preço Mínimo - PGPM (extrativismo) Apoio

Leia mais

Evento: O Agronegócio e o Comércio Mundial. Agronegócio Brasileiro: Atualidade e Desafio

Evento: O Agronegócio e o Comércio Mundial. Agronegócio Brasileiro: Atualidade e Desafio Evento: O Agronegócio e o Comércio Mundial Agronegócio Brasileiro: Atualidade e Desafio São Paulo, 22 de Setembro de 2015 Parece que estamos decolando ECONOMIA A BRASILEIR Agronegócio - Balança Comercial

Leia mais

Combustíveis Sustentáveis de Aviação Contribuição ao NDC Brasileiro. Pedro Scorza Dir. de Biocombustíveis de Aviação

Combustíveis Sustentáveis de Aviação Contribuição ao NDC Brasileiro. Pedro Scorza Dir. de Biocombustíveis de Aviação Combustíveis Sustentáveis de Aviação Contribuição ao NDC Brasileiro Pedro Scorza Dir. de Biocombustíveis de Aviação Brasília, 7 de dezembro de 2016 Produtoras de Biodiesel Associadas Insumos Tecnologia

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIAL CORPORATIVA NA GESTÃO DA CADEIA LOGÍSTICA

RESPONSABILIDADE SOCIAL CORPORATIVA NA GESTÃO DA CADEIA LOGÍSTICA RESPONSABILIDADE SOCIAL CORPORATIVA NA GESTÃO DA CADEIA LOGÍSTICA Coordenadoria de Economia Mineral Diretoria de Geologia, Mineração e Transformação Mineral Premissas do Desenvolvimento Sustentável Economicamente

Leia mais

Programa de Aquisição de Alimentos da Agricultura Familiar

Programa de Aquisição de Alimentos da Agricultura Familiar Programa de Aquisição de Alimentos da Agricultura Familiar Maio de 2014 AGRICULTURA FAMILIAR LEI Nº 11.326, DE 24 DE JULHO DE 2006 Art. 3º considera-se agricultor familiar e empreendedor familiar rural

Leia mais

170 capítulo 9 EIXO ÁGUA E LUZ PARA TODOS. Canal de irrigação Perímetro do Baixio de Irecê BA

170 capítulo 9 EIXO ÁGUA E LUZ PARA TODOS. Canal de irrigação Perímetro do Baixio de Irecê BA 170 Canal de irrigação Perímetro do Baixio de Irecê BA capítulo 9 EIXO ÁGUA E LUZ PARA TODOS 171 Eixo Água e Luz para Todos Para garantir o acesso à energia elétrica de todos os brasileiros, o programa

Leia mais

O Agronegócio Hoje Atualidade e Tendências

O Agronegócio Hoje Atualidade e Tendências O Agronegócio Hoje Atualidade e Tendências AMCHAM 13 de Julho de 2016 Agronegócio - Balança Comercial - US$ Bilhões Fonte: WTO. Elaboração MBAGro. Brasil: Liderança Global no Agronegócio Suco de laranja

Leia mais

Segurança Alimentar e Nutricional na Amazônia

Segurança Alimentar e Nutricional na Amazônia Segurança Alimentar e Nutricional na Amazônia Contribuições ao debate na XI Plenária do Consea Agosto de 2013 Aprimoramento da estratégia de identificação e caracterização das famílias pertencentes a povos

Leia mais

Gráfico 1 - Participação percentual do extrativismo vegetal e da silvicultura no valor da produção - Brasil

Gráfico 1 - Participação percentual do extrativismo vegetal e da silvicultura no valor da produção - Brasil Comentários O extrativismo vegetal tem uma forte ligação com a história do Brasil, uma vez que o primeiro produto explorado por nossos colonizadores foi a madeira que deu nome ao País. Desde então, devido

Leia mais

Biodiesel no Brasil. Ricardo Borges Gomide. Departamento de Combustíveis Renováveis

Biodiesel no Brasil. Ricardo Borges Gomide. Departamento de Combustíveis Renováveis Biodiesel no Brasil Ricardo Borges Gomide Departamento de Combustíveis Renováveis São Paulo, 18.11.2011 Papel do Biodiesel 2 Biodiesel como mais um Energético na Matriz 3 Concorre com outros produtos e

Leia mais

Principais Objetivos PAP 2011/2012

Principais Objetivos PAP 2011/2012 Cenário Cenário Cenário Baixos estoques mundiais de alimentos Tendência de elevação gradual da Selic Relativa estabilidade da taxa de câmbio Preços agrícolas em níveis historicamente elevados Crescente

Leia mais

Biodiversidade. Sociobiodiversidade

Biodiversidade. Sociobiodiversidade Conceitos Biodiversidade Bio significa vida e diversidade significa variedade. Então, biodiversidade ou diversidade biológica compreende a totalidade de variedade de formas de vida que podemos encontrar

Leia mais

PORTARIA N o 29 DE 21 DE SETEMBRO DE 2006 (publicada no DOU de 22/09/2006, seção I, página 105) ARIOSTO ANTUNES CULAU

PORTARIA N o 29 DE 21 DE SETEMBRO DE 2006 (publicada no DOU de 22/09/2006, seção I, página 105) ARIOSTO ANTUNES CULAU PORTARIA N o 29 DE 21 DE SETEMBRO DE 2006 (publicada no DOU de 22/09/2006, seção I, página 105) O SECRETÁRIO DE ORÇAMENTO FEDERAL, tendo em vista a autorização constante do art. 62, inciso III, da Lei

Leia mais

Banco do Brasil Desenvolvimento Sustentável. Financiamento do Desenvolvimento Regional

Banco do Brasil Desenvolvimento Sustentável. Financiamento do Desenvolvimento Regional Banco do Brasil Desenvolvimento Sustentável Financiamento do Desenvolvimento Regional Desenvolvimento Regional Sustentável - DRS Visão Participativa - Concertação BB Associações Universidades Região Empresas

Leia mais

(Do Sr. Rubens Otoni) O Congresso Nacional decreta:

(Do Sr. Rubens Otoni) O Congresso Nacional decreta: PROJETO DE LEI N o 6220, DE 2005 (Do Sr. Rubens Otoni) Insere o parágrafo 4º no art. 2º da Lei nº 11.097, de 13 de janeiro de 2005, que dispõe sobre a introdução do biodiesel na matriz energética brasileira.

Leia mais

Solicitação dos participantes da II Semana do Extrativismo da Terra do Meio à CONAB sobre o PAA e PGPMBio

Solicitação dos participantes da II Semana do Extrativismo da Terra do Meio à CONAB sobre o PAA e PGPMBio Ao Diretor da CONAB Sr. João Intini Ao Gerente da Superintendência Regional da CONAB no Pará Alexandre Sidon Com cópia para: A Ministra do Meio Ambiente Sra. Izabela Teixeira A Secretária de Biodiversidade

Leia mais

Desmatamento no Brasil

Desmatamento no Brasil Desmatamento no Brasil Novembro 2016 O The Forest Trust - TFT é uma organização global sem fins lucrativos que ajuda as empresas a compreender e transformar a história dos seus produtos a partir de suas

Leia mais

Rurais no Brasil ( )

Rurais no Brasil ( ) Contextualização das Políticas Públicas Rurais no Brasil (2003-2016) Karina Kato (OPPA/CPDA) Chapecó, 12 de setembro de 2016. Panorama Geral das Políticas Públicas para o Desenvolvimento Rural (2003-2016)

Leia mais

Agenda. Contexto. O Nordeste Territorial. Fórum de Governança da Atividade Econômica. Formas de Financiamento

Agenda. Contexto. O Nordeste Territorial. Fórum de Governança da Atividade Econômica. Formas de Financiamento Agenda Contexto O Nordeste Territorial Fórum de Governança da Atividade Econômica Formas de Financiamento Área de atuação do BNB Nordeste: 1.554,4 mil Km 2 Semi-árido: 974,4 mil Km 2 (62,7% do território

Leia mais

Construindo a Sustentabilidade: Lições na gestão do Programa Piloto e desafios para o futuro

Construindo a Sustentabilidade: Lições na gestão do Programa Piloto e desafios para o futuro Construindo a Sustentabilidade: Lições na gestão do Programa Piloto e desafios para o futuro Seminário Nacional: O Programa Piloto para a Proteção das Florestas Tropicais do Brasil: Resultados, Lições

Leia mais

Preparando as florestas e a silvicultura para o desenvolvimento sustentável. Center for International Forestry Research

Preparando as florestas e a silvicultura para o desenvolvimento sustentável. Center for International Forestry Research Preparando as florestas e a silvicultura para o desenvolvimento sustentável Center for International Forestry Research Quem somos O Centro Internacional de Pesquisa Florestal é uma organização global,

Leia mais

Perspectivas e Desafios da Energia no Meio Rural no Estado de São Paulo e no Brasil

Perspectivas e Desafios da Energia no Meio Rural no Estado de São Paulo e no Brasil Perspectivas e Desafios da Energia no Meio Rural no Estado de São Paulo e no Brasil Coordenação Geral de Biocombustíveis - MDA Secretaria da Agricultura Familiar - SAF Departamento de Geração de Renda

Leia mais

Tema 1: Adaptação à seca e desenvolvimento do extrativismo e do turismo sustentáveis.

Tema 1: Adaptação à seca e desenvolvimento do extrativismo e do turismo sustentáveis. MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE Secretaria de Extrativismo e Desenvolvimento Rural Sustentável Departamento de Combate à Desertificação Tema 1: Adaptação à seca e desenvolvimento do extrativismo e do turismo

Leia mais

Seminário Certificação e Fomento Florestal

Seminário Certificação e Fomento Florestal Programa Klabin Fomento Florestal Seminário Certificação e Fomento Florestal Diálogo Florestal Canoinhas SC Out 2012 Fomento Florestal Fomento Florestal tem o objetivo formar florestas produtivas em áreas

Leia mais

ARROIO GRANDE/RS Cidade Simpatia, Terra de Mauá.

ARROIO GRANDE/RS Cidade Simpatia, Terra de Mauá. ARROIO GRANDE/RS Cidade Simpatia, Terra de Mauá. EMATER Associação Riograndense de Empreendimento de Assistência Técnica e Extensão Rural ASCAR Associação Sulina de Crédito e Assistência Rural Escritório

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2016

PROJETO DE LEI Nº, DE 2016 PROJETO DE LEI Nº, DE 2016 (Do Sr. Evair de Melo) Institui a Política Nacional de Incentivo à Produção de Borracha Natural de Qualidade. O Congresso Nacional decreta: Art. 1º Esta Lei institui a Política

Leia mais

CONGRESSO NACIONAL COMISSÃO MISTA DE PLANOS, ORÇAMENTOS PÚBLICOS E FISCALIZAÇÃO PROJETO DE LEI DE REVISÃO DO PLANO PLURIANUAL PARA

CONGRESSO NACIONAL COMISSÃO MISTA DE PLANOS, ORÇAMENTOS PÚBLICOS E FISCALIZAÇÃO PROJETO DE LEI DE REVISÃO DO PLANO PLURIANUAL PARA CONGRESSO NACIONAL COMISSÃO MISTA DE PLANOS, ORÇAMENTOS PÚBLICOS E FISCALIZAÇÃO PROJETO DE LEI DE REVISÃO DO PLANO PLURIANUAL PARA 2004-2007 (Projeto de Lei nº 41/2005-CN) PARECER DA COMISSÃO SUBSTITUTIVO

Leia mais

PNPCT Política Nacional de Desenvolvimento Sustentável dos Povos e Comunidades Tradicionais

PNPCT Política Nacional de Desenvolvimento Sustentável dos Povos e Comunidades Tradicionais Políticas Públicas PNPCT Política Nacional de Desenvolvimento Sustentável dos Povos e Comunidades Tradicionais A PNPCT reafirma a importância do conhecimento, da valorização e do respeito à diversidade

Leia mais

Levantamento de iniciativas de Manejo Florestal Comunitário e Familiar na Amazônia Legal

Levantamento de iniciativas de Manejo Florestal Comunitário e Familiar na Amazônia Legal Levantamento de iniciativas de Manejo Florestal Comunitário e Familiar na Amazônia Legal RELATÓRIO TÉCNICO Contrato nº 83038175 (Produto 5) Andréia Pinto / Imazon Paulo Amaral / Imazon Manuel Amaral /

Leia mais

Soluções para a sustentabilidade de Cadeias Produtivas da Agropecuária e a Política Estadual de Ordenamento Territorial.

Soluções para a sustentabilidade de Cadeias Produtivas da Agropecuária e a Política Estadual de Ordenamento Territorial. Soluções para a sustentabilidade de Cadeias Produtivas da Agropecuária e a Política Estadual de Ordenamento Territorial Junho de 2009 Assinatura de Termo de Ajuste de Conduta, no qual as partes assumam

Leia mais

Você já viu essa marca?

Você já viu essa marca? e as florestas Você já viu essa marca? Sabe o que ela significa? A partir de agora, fique ligado no FSC! FSC é a sigla de Forest Stewardship Council (em português, Conselho de Manejo Florestal). É uma

Leia mais

Resgate, conservação, uso e manejo sustentável de populações de coqueiro gigante (Cocos nucifera L.) no Bioma Mata Atlântica

Resgate, conservação, uso e manejo sustentável de populações de coqueiro gigante (Cocos nucifera L.) no Bioma Mata Atlântica Resgate, conservação, uso e manejo sustentável de populações de coqueiro gigante (Cocos nucifera L.) no Bioma Mata Atlântica Semíramis R. Ramalho Ramos Embrapa Tabuleiros Costeiros Brasília, dezembro 2010

Leia mais

O contributo da ESAC para a formação no âmbito do uso sustentável dos Produtos Fitofarmacêuticos. Maria José Cunha

O contributo da ESAC para a formação no âmbito do uso sustentável dos Produtos Fitofarmacêuticos. Maria José Cunha 20-03-2014 1 O contributo da ESAC para a formação no âmbito do uso sustentável dos Produtos Fitofarmacêuticos Maria José Cunha 20-03-2014 2 ESCOLA SUPERIOR AGRÁRIA DE COIMBRA MISSÃO Formar profissionais

Leia mais

Instituto de pesquisa Ambiental da Amazônia IPAM - Prestação de Assistência Técnica e Extensão Rural - ATER

Instituto de pesquisa Ambiental da Amazônia IPAM - Prestação de Assistência Técnica e Extensão Rural - ATER Instituto de pesquisa Ambiental da Amazônia IPAM - Prestação de Assistência Técnica e Extensão Rural - ATER Chamada Pública INCRA Nº 01/2013 - Lote 09 - Resex Tapajós Arapiuns - Contrato INCRA/IPAM Nº

Leia mais

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Secretaria de Produção e Agroenergia

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Secretaria de Produção e Agroenergia Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Secretaria de Produção e Agroenergia Brasília/DF 2010 2011 Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Todos os direitos reservados. Permitida

Leia mais

QUEM SOMOS? 1.2. Aproximadamente, quantas pessoas vivem na comunidade?

QUEM SOMOS? 1.2. Aproximadamente, quantas pessoas vivem na comunidade? 1 2 QUEM SOMOS? Parte 1: Perfil da comunidade. Nome da comunidade: Estado onde se localiza: Município onde se localiza: 1.1. A que distância a sua comunidade fica da cidade? 1.2. Aproximadamente, quantas

Leia mais

Apresentação. Até breve e boa leitura. Denise Hamú. José Amaral Wagner Neto. Secretária-Geral WWF-Brasil. Diretor Executivo Fundação Florestal

Apresentação. Até breve e boa leitura. Denise Hamú. José Amaral Wagner Neto. Secretária-Geral WWF-Brasil. Diretor Executivo Fundação Florestal Apresentação O termo sustentabilidade tem sido empregado no Brasil de forma freqüente. Com os cenários preocupantes das mudanças climáticas, a cada dia um maior número de indivíduos, empresas e governos

Leia mais

Regularização Fundiária no Brasil Experiências e Desafios

Regularização Fundiária no Brasil Experiências e Desafios Regularização Fundiária no Brasil Experiências e Desafios Francisco Urbano Araújo Filho Coordenador Geral de Reordenamento Agrário O Território Brasileiro Área em km²: 8.511.000 N Unidades Federativas:

Leia mais

O PNPB e a Organização da Produção de Biodiesel

O PNPB e a Organização da Produção de Biodiesel O PNPB e a Organização da Produção de Biodiesel Renata Lèbre La Rovere GEI/IE/UFRJ Selena Herrera LIMA/COPPE/UFRJ 1 O Programa Nacional de Produção e Uso de Biodiesel - PNPB BIODIESEL: combustível produzido

Leia mais

Biocombustíveis e Instrumentos Econômicos para a Gestão Ambiental no Brasil

Biocombustíveis e Instrumentos Econômicos para a Gestão Ambiental no Brasil Biocombustíveis e Instrumentos Econômicos para a Gestão Ambiental no Brasil Gerson Teixeira Diretor de Economia e Meio Ambiente Secretaria de Políticas para o Desenvolvimento Sustentável Ministério do

Leia mais

1 ANO DE RESULTADOS MAIO 2012

1 ANO DE RESULTADOS MAIO 2012 1 ANO DE RESULTADOS MAIO 2012 NOTA As informações prestadas nesta publicação são provenientes do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, que coordena o Brasil Sem Miséria, e dos demais Ministérios

Leia mais

O BNDES no Apoio a APLs de Baixa Renda 28/10/2009

O BNDES no Apoio a APLs de Baixa Renda 28/10/2009 O BNDES no Apoio a APLs de Baixa Renda 28/10/2009 BNDES - Estados: Objetivos do Apoio Complementar o apoio financeiro dos estados a empreendimentos solidários de baixa renda Contribuir para a redução de

Leia mais

Número 2 Ano 2 Janeiro a Março de M e r c a d o F l o r e s t a l Certificado

Número 2 Ano 2 Janeiro a Março de M e r c a d o F l o r e s t a l Certificado Número 2 Ano 2 Janeiro a Março de 2009 M e r c a d o F l o r e s t a l Certificado 1. In t r o d u ç ã o É com satisfação que divulgamos esta segunda edição do boletim Mercado Florestal Certificado. Concebido

Leia mais

SOBRE COMERCIALIZAÇÃO DE ARROZ

SOBRE COMERCIALIZAÇÃO DE ARROZ CICLO DE PALESTRAS E DEBATES SOBRE COMERCIALIZAÇÃO DE ARROZ E TRIGO NO BRASIL Comissão de Agricultura e Reforma Agrária do Senado Federal Flávio Turra Gerente Técnico e Econômico da Ocepar fturra@ocepar.org.br

Leia mais

ANO INTERNACIONAL DO COOPERATIVISMO Audiência pública da Comissão de Agricultura Câmara dos Deputados

ANO INTERNACIONAL DO COOPERATIVISMO Audiência pública da Comissão de Agricultura Câmara dos Deputados Ministério do Desenvolvimento Agrário - MDA ANO INTERNACIONAL DO COOPERATIVISMO Audiência pública da Comissão de Agricultura Câmara dos Deputados Cesar José de Oliveira MDA 1 CONTEXTUALIZAÇÃO DO COOPERATIVISMO

Leia mais

Agricultura Orgânica para a Conservação da Biodiversidade PROBIO II

Agricultura Orgânica para a Conservação da Biodiversidade PROBIO II Agricultura Orgânica para a Conservação da Biodiversidade PROBIO II Seminário de Integração e Missão de Supervisão DEZEMBRO-2010 COAGRE/DEPROS/SDC Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento PROJETO:

Leia mais

Índice. 1. Apresentação do Protocolo... 1. 2. Processo de construção do Protocolo... 1. 3. Quem somos... 1. 4. Nossa Relação com a Floresta...

Índice. 1. Apresentação do Protocolo... 1. 2. Processo de construção do Protocolo... 1. 3. Quem somos... 1. 4. Nossa Relação com a Floresta... Índice 1. Apresentação do Protocolo... 1 2. Processo de construção do Protocolo... 1 3. Quem somos... 1 4. Nossa Relação com a Floresta... 2 5. Onde estamos... 2 6. Aproveitamento e conservação de recursos...

Leia mais

FOME ZERO. VI Encontro Nacional dos Coordenadores Estaduais e Centros Colaboradores em Alimentaçã. ção CGPAN/MS/Brasília

FOME ZERO. VI Encontro Nacional dos Coordenadores Estaduais e Centros Colaboradores em Alimentaçã. ção CGPAN/MS/Brasília FOME ZERO VI Encontro Nacional dos Coordenadores Estaduais e Centros Colaboradores em Alimentaçã ção e Nutriçã ção CGPAN/MS/Brasília lia-df Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome Abril/2006

Leia mais

EDITAL I - 2014 ISPN/ FUNAI SELEÇÃO DE PARTICIPANTES

EDITAL I - 2014 ISPN/ FUNAI SELEÇÃO DE PARTICIPANTES EDITAL I - 2014 ISPN/ FUNAI SELEÇÃO DE PARTICIPANTES CURSO DE ELABORAÇÃO DE PROJETOS E CAPTAÇÃO DE RECURSOS COM ÊNFASE EM DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL Apresentação O projeto Captação de Projetos de Temática

Leia mais

Edson Vidal Prof. Manejo de Florestas Tropicais ESALQ/USP

Edson Vidal Prof. Manejo de Florestas Tropicais ESALQ/USP Edson Vidal Prof. Manejo de Florestas Tropicais ESALQ/USP PRINCIPAIS ECOSSISTEMAS CAATINGA 844 Mil Km 2 (9,9%) Território Brasileiro = 9,9% Nordeste = 55,6% Cobertura Atual 30% Fonte: IBAMA 2002 Elaboração:

Leia mais

As fotos mostram beneficiários dos programas sociais do Fome Zero.

As fotos mostram beneficiários dos programas sociais do Fome Zero. As fotos mostram beneficiários dos programas sociais do Fome Zero. O Programa de Aquisição de Alimentos PAA, instituído pelo artigo 19 da Lei nº 10.696 de 2 de julho de 2003 e regulamentado pelo Decreto

Leia mais

Informações Conjunturais Sobre a Política de Garantia de Preços Mínimos PGPM-Bio

Informações Conjunturais Sobre a Política de Garantia de Preços Mínimos PGPM-Bio Informações Conjunturais Sobre a Política de Garantia de Preços Mínimos PGPM-Bio I Introdução Consta no Título 35 do Manual de Operações da Conab (MOC) que o objetivo da Política de Garantia de Preços

Leia mais

ATER em Feijão e Milho desenvolvida no Estado do Paraná. Germano do R. F. Kusdra Eng. Agrônomo Emater

ATER em Feijão e Milho desenvolvida no Estado do Paraná. Germano do R. F. Kusdra Eng. Agrônomo Emater ATER em Feijão e Milho desenvolvida no Estado do Paraná Germano do R. F. Kusdra Eng. Agrônomo Emater germano@emater.pr.gov.br PROJETO CENTRO-SUL DE FEIJÃO E MILHO O Instituto EMATER, ao longo de sua existência,

Leia mais

Biodiesel: produção e benefícios

Biodiesel: produção e benefícios Audiência Pública da Comissão Especial sobre Motores a Diesel para Veículos Leves Biodiesel: produção e benefícios Daniel Furlan Amaral Gerente de Economia Câmara dos Deputados Brasília DF 2 de março 2016

Leia mais

Acordo de Gestão de Recursos Naturais

Acordo de Gestão de Recursos Naturais Acordo de Gestão de Recursos Naturais Reserva Extrativista do Lago do Capanã Grande Amazonas-AM Fotos: Aquivo Resex Capanã Grande Portaria 226 de 13/09/2013 1 PESCA É permitido pescar dentro da Resex?

Leia mais

Seguros Rurais Mais do que Apólices. Aline A. Milani 10/2015

Seguros Rurais Mais do que Apólices. Aline A. Milani 10/2015 Seguros Rurais Mais do que Apólices Aline A. Milani 10/2015 Grandezas do Agronegócio Brasileiro Cria aproximadamente 37% de todos os empregos do País Responde por aproximadamente 39% das exportações Cerca

Leia mais

Dec. nº 4.339, de 22/08/2002

Dec. nº 4.339, de 22/08/2002 POLÍTICA NACIONAL DA BIODIVERSIDADE Dec. nº 4.339, de 22/08/2002 Os princípios estabelecidos na PNBio (20 ao todo) derivam, basicamente, daqueles estabelecidos na Convenção sobre Diversidade Biológica

Leia mais

Apoio à elaboração de uma política de gestão sustentável da floresta e da biodiversidade no Estado do Amapá (Amazônia brasileira).

Apoio à elaboração de uma política de gestão sustentável da floresta e da biodiversidade no Estado do Amapá (Amazônia brasileira). Apoio à elaboração de uma política de gestão sustentável da floresta e da biodiversidade no Estado do Amapá (Amazônia brasileira). Gestão de Florestas do Amapá (GEFLO). Lidiane Vieira Áreas de Abrangência

Leia mais

A Regularização Fundiária como instrumento de ordenar o espaço e democratizar o acesso à terra. Prof. Dr. José Heder Benatti 2011

A Regularização Fundiária como instrumento de ordenar o espaço e democratizar o acesso à terra. Prof. Dr. José Heder Benatti 2011 A Regularização Fundiária como instrumento de ordenar o espaço e democratizar o acesso à terra Prof. Dr. José Heder Benatti 2011 Regularização Fundiária e os Conflitos Sociais Áreas Protegidas Mineração

Leia mais

O Programa Luz para Todos e a Universalização do Atendimento de Energia Elétrica no Nordeste

O Programa Luz para Todos e a Universalização do Atendimento de Energia Elétrica no Nordeste O Programa Luz para Todos e a Universalização do Atendimento de Energia Elétrica no Nordeste Cláudio Pitta crpitta@chesf.gov.br Programa Nacional de Universalização do Acesso e Uso da Energia Elétrica

Leia mais

Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil

Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil Programa ABC Plano Setorial de Mitigação e de Adaptação às Mudanças Climáticas visando à Consolidação de uma Economia de Baixa Emissão de Carbono na Agricultura

Leia mais

PLANO SAFRA e REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA

PLANO SAFRA e REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO PLANO SAFRA e REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA Pepe Vargas Ministro de Estado do Desenvolvimento Agrário REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA Programa Terra Legal Amazônia Área Georreferenciada:

Leia mais

Demanda Brasileira de Importação de Borracha Natural,

Demanda Brasileira de Importação de Borracha Natural, XLV Congresso da Sociedade Brasileira de Economia, Administração e Sociologia Rural "Conhecimentos para a Agricultura do Futuro" Demanda Brasileira de Importação de Borracha Natural, 1965-2005 Naisy Silva

Leia mais

EIXO 4 PLANEJAMENTO E GESTÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA

EIXO 4 PLANEJAMENTO E GESTÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA EIXO 4 PLANEJAMENTO E GESTÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA Disciplina: D.4.6. Gestão, Avaliação e Revisão do PPA (20h) (Caso 2: Piloto do Monitoramento do PPA 2012-2015 - Programa Mudanças Climáticas) Professor:

Leia mais

O desenvolvimento rural brasileiro cenário atual e desafios. Movimento dos Pequenos Agricultores MPA. Raul Ristow Krauser

O desenvolvimento rural brasileiro cenário atual e desafios. Movimento dos Pequenos Agricultores MPA. Raul Ristow Krauser O desenvolvimento rural brasileiro cenário atual e desafios Movimento dos Pequenos Agricultores MPA Raul Ristow Krauser www.mpabrasil.org.br MUNDO EM CRISE Crise Alimentar: 1 Bilhão de pessoas famintas

Leia mais

IMPACTOS SOCIOECONÔMICOS DA PRODUÇÃO DE BIODIESEL NO BRASIL: UMA COMPARAÇÃO ENTRE AS ROTAS DA SOJA E DA MAMONA

IMPACTOS SOCIOECONÔMICOS DA PRODUÇÃO DE BIODIESEL NO BRASIL: UMA COMPARAÇÃO ENTRE AS ROTAS DA SOJA E DA MAMONA IMPACTOS SOCIOECONÔMICOS DA PRODUÇÃO DE BIODIESEL NO BRASIL: UMA COMPARAÇÃO ENTRE AS ROTAS DA SOJA E DA MAMONA Marcelo Pereira da Cunha NIPE Unicamp Arnaldo César da Silva Walter FEM Unicamp Manoel Régis

Leia mais

Planilha1. Passo Fundo - RS. Lavoura Permanente 2005

Planilha1. Passo Fundo - RS. Lavoura Permanente 2005 Passo Fundo - RS Planilha1 Lavoura Permanente 2005 Abacate - quantidade produzida 18 tonelada Abacate - valor da produção 16 mil reais Abacate - área plantada 2 hectare Abacate - área colhida 2 hectare

Leia mais

Proposta de Promoção da Cadeia de Valor do Coco Babaçu

Proposta de Promoção da Cadeia de Valor do Coco Babaçu Proposta de Promoção da Cadeia de Valor do Coco Babaçu março/2009 Brasília, Ministério do Desenvolvimento Ministério do Ministério do Social e Combate à Fome Desenvolvimento Agrário Meio Ambiente Apresentação

Leia mais

NOVO PROGRAMA. Programa Petrobras SOCIOAMBIENTAL

NOVO PROGRAMA. Programa Petrobras SOCIOAMBIENTAL NOVO PROGRAMA Programa Petrobras SOCIOAMBIENTAL 2014-2018 1 PETROBRAS Fundada em 1953, a partir de uma campanha popular O petróleo é nosso. Empresa integrada de energia Sociedade anônima de capital aberto

Leia mais

ORÇAMENTO SOCIOAMBIENTAL: programas e ações para as áreas protegidas e o Sistema Nacional de Unidades de Conservação, SNUC

ORÇAMENTO SOCIOAMBIENTAL: programas e ações para as áreas protegidas e o Sistema Nacional de Unidades de Conservação, SNUC ORÇAMENTO SOCIOAMBIENTAL: programas e ações para as áreas protegidas e o Sistema Nacional de Unidades de Conservação, SNUC Identificar quais são os recursos do orçamento federal destinados às Unidades

Leia mais

Quadro resumo do crédito do Pronaf

Quadro resumo do crédito do Pronaf Pronaf custeio Quadro resumo do crédito do Pronaf 2016-2017 Linha Finalidade/empreendimento Condições Encargos (taxa de juros) Para financiamentos destinados ao cultivo de arroz, feijão, mandioca, feijão

Leia mais

Soluções para a Agricultura Familiar Para todos os momentos da produção.

Soluções para a Agricultura Familiar Para todos os momentos da produção. Soluções para a Agricultura Familiar Para todos os momentos da produção. bb.com.br/agronegocio O Banco do Brasil acredita na força da agricultura familiar brasileira. O Banco do Brasil reconhece a importância

Leia mais

SIMPÓSIO ABCZ - CNPC PECUÁRIA E SUA RESPONSABILIDADE NAS EMISSÕES DE GEE. EXPOZEBÚ UBERABA, Maio 2010 Sebastião Costa Guedes Presidente CNPC

SIMPÓSIO ABCZ - CNPC PECUÁRIA E SUA RESPONSABILIDADE NAS EMISSÕES DE GEE. EXPOZEBÚ UBERABA, Maio 2010 Sebastião Costa Guedes Presidente CNPC SIMPÓSIO ABCZ - CNPC PECUÁRIA E SUA RESPONSABILIDADE NAS EMISSÕES DE GEE. EXPOZEBÚ 2010 UBERABA, Maio 2010 Sebastião Costa Guedes Presidente CNPC DESAFIOS PARA 2050 + 2,3 BILHÕES DE PESSOAS. + 70% NA NECESSIDADE

Leia mais

Land Tenure Regularization in Urban Protected Areas. Preliminary considerations from ongoing experience

Land Tenure Regularization in Urban Protected Areas. Preliminary considerations from ongoing experience Land Tenure Regularization in Urban Protected Areas. Preliminary considerations from ongoing experience in community located in the buffer zone of the Pedra Branca State Park in Rio de Janeiro, Brazil.

Leia mais

Declaração de Rio Branco

Declaração de Rio Branco Força Tarefa dos Governadores para o Clima e Florestas (GCF) Declaração de Rio Branco Construindo Parcerias e Garantindo Apoio para Florestas, o Clima e Meios de Vida Rio Branco, Brasil 11 de Agosto, 2014

Leia mais

IV CONFERÊNCIA ESTADUAL DE SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL

IV CONFERÊNCIA ESTADUAL DE SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL IV CONFERÊNCIA ESTADUAL DE SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL PERNAMBUCO RELATÓRIO FINAL COMISSÃO EECUTIVA Pesqueira/PE Setembro/2011 1 IV CONFERÊNCIA ESTADUAL DE SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL ALIMENTAÇÃO

Leia mais

A diferença entre o remédio e o veneno é a dose! Luís Carlos Silva de Moraes

A diferença entre o remédio e o veneno é a dose! Luís Carlos Silva de Moraes A diferença entre o remédio e o veneno é a dose! Luís Carlos Silva de Moraes moraes.luis@terra.com.br Entendendo o problema 38%: prop. rurais 4%: urbano 58%: qual destinaçã ção? 58%: ponto de partida do

Leia mais

Meio Ambiente. Ministério do Meio Ambiente FLORESTA NACIONAL DO TAPAJOS FLONA TAPAJÓS. Unidade de Conservação Federal

Meio Ambiente. Ministério do Meio Ambiente FLORESTA NACIONAL DO TAPAJOS FLONA TAPAJÓS. Unidade de Conservação Federal FLORESTA NACIONAL DO TAPAJOS FLONA TAPAJÓS Unidade de Conservação Federal A Gestão Socioambiental da Flona e a sua relacão com o Manejo Florestal e as Pesquisas na UC 2010 Floresta Nacional do Tapajós

Leia mais

Regulamentação da CRA e PRA 27ª RO DA CÂMARA TEMÁTICA DE AGRICULTURA SUSTENTÁVEL E IRRIGAÇÃO - CTASI Raimundo Deusdará Filho.

Regulamentação da CRA e PRA 27ª RO DA CÂMARA TEMÁTICA DE AGRICULTURA SUSTENTÁVEL E IRRIGAÇÃO - CTASI Raimundo Deusdará Filho. Regulamentação da CRA e PRA 27ª RO DA CÂMARA TEMÁTICA DE AGRICULTURA SUSTENTÁVEL E IRRIGAÇÃO - CTASI Raimundo Deusdará Filho Diretor Geral/SFB O Brasil e as Florestas A cobertura florestal mundial é de

Leia mais