Perguntas e respostas Mais Qualidade

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Perguntas e respostas Mais Qualidade"

Transcrição

1 Perguntas e respostas Mais Qualidade O que é o Programa Mais Qualidade? O Mais Qualidade é um programa da Bayer CropScience que tem como objetivo a obtenção de frutas com qualidade superior. Tudo isso a partir do uso correto e seguro dos produtos para a agricultura, além de um apoio técnico diferenciado, treinamentos e informações periódicas sobre o mercado de frutas para os produtores. Um cuidado que vai da produção até o consumidor final. Como funciona? O programa Mais Qualidade envolve todos os segmentos da cadeia produtiva (distribuidor de insumos, produtor, atacadista, varejista e consumidor). Todos os participantes também possuem acesso exclusivo a informações de mercado, as quais podem auxiliá-los em tomadas de decisão em relação à comercialização de seus produtos, e planejamento de suas vendas. As frutas são avaliadas por uma equipe especializada assim que é registrado o seu aviso de remessa na CEAGESP em São Paulo, ou em outros pontos de vendas definidos pelo Progerama. E caso sejam aprovados, os frutos recebem selo do programa para a sua comercialização. Para produtores com as melhores avaliações de suas frutas, é oferecida a possibilidade de realizar a selagem delas na própria propriedade, e com supervisão dos agentes do programa. Outro diferencial, é que os produtores que fazem parte do programa recebem assistência técnica, além de visitas frequentes dos agentes do programa. Eles também participam de palestras e reuniões onde são orientados quanto à melhoria da qualidade das frutas que produzem. Desde quando o programa existe? Seguindo seu compromisso de criar soluções inovadoras para o desenvolvimento sustentável da agricultura, a Bayer CropScience investe em programas de melhoramento de qualidade de frutas no Brasil desde Desde então a empresa busca oferecer um programa com as melhores práticas agrícolas, bem como informações diferenciadas ao agricultor na sua produção. E para isso, em 2009 criou o que hoje é conhecido como o Programa Mais Qualidade. Quem paga os custos desse programa?

2 Os custos relativos ao desenvolvimento do programa são de responsabilidade da Bayer CropScience, bem como a coordenação geral do programa. O que a Bayer CropScience ganha com o programa? Com o Programa Mais Qualidade a Bayer CropScience busca ser reconhecida como uma empresa que agrega valor aos negócios de seus clientes, e consequentemente, ter uma vantagem competitiva em relação aos seus concorrentes. A empresa busca também implementar por meio do programa a estratégia de FCP Food Chain Partnership (Parcerias com Cadeias Produtivas de Alimentos) o que permite participar de toda cadeia de valor do agronegócio, do produtor ao consumidor final. Quais os diferenciais das frutas do programa em relação as que são normalmente comercializadas? O produto que recebe o selo do programa Mais Qualidade, só obtém essa chancela depois de comprovada a qualidade de sua fruta. Avaliação é feita nos atacadistas parceiros ou em locais previamente determinados. Outra diferença que pode ser apontada é a coordenação da cadeia produtiva como um todo. No programa Mais Qualidade, os elos de toda a cadeia que são parceiros do Programa trabalham juntos para manter a qualidade das frutas. Para o consumidor final, o principal diferencial está na importância do consumo de frutas de qualidade. O principal diferencial das frutas seladas é que elas possuem sustentabiliadade na sua qualidade. O que permite que elas sejam mais valorizadas no mercado atacadista e varejista. E para o consumidor final a possibilidade de identificar uma fruta do Programa Mais Qualidade através do selo, além da qualidade diferenciada do produto. Quais frutas fazem parte do projeto e por quê? Hoje em dia fazem parte do programa o melão, uva e abacaxi, devido à alta incidência de problemas de qualidade nos pontos de vendas nessas frutas, e por isso, os consumidores têm mais dificuldade de encontrar bons produtos. Há planos para incorporação de novas frutas? Quais? Sim, um futuro o plano é a inclusão de outras frutas no programa, que ainda estão sendo definidas. Quais são as regiões participantes? Participam do programa as regiões do: Paraná, São Paulo, Minas Gerais, Pernambuco, Bahia, Tocantins, Rio Grande do Norte. Quem pode participar? Produtores de abacaxi, melão e uva das regiões cobertas pelo programa O que é preciso para participar? Para participar do programa é necessário procurar o distribuidor ou agente do programa na sua região. Após isso é feita a inscrição e adesão ao pacote de informações tecnológicas da Bayer CropScience.

3 Produtores que não estão em uma região produtora, podem participar? Como? Sim eles podem participar como produtores pontuais. Esses interessados tem acesso a todos os benefícios do programa, exceto as avaliações de safra, que são feitas individualmente e não em grupos como nas demais regiões. Quais são os principais diferenciais e benefícios deste programa para o agricultor e a cadeia de alimentos? Muitos agricultores estão longe do local de comercialização e não conseguem acompanhar os produtos gerados em sua lavoura, inclusive a qualidade, após a saída do caminhão. Esse aspecto gera, muitas vezes, atritos comerciais entre atacadistas, varejistas e produtores. Portanto, um dos benefícios do programa é exatamente colaborar para conferir mais transparência nas relações comerciais, já que oferece o acompanhamento de sua fruta até a chegada do produto ao supermercado. O produtor participante passa a receber periodicamente boletins informativos exclusivos sobre preços e situação de mercado, sendo essa uma importante ferramenta no momento da tomada de decisão para comercialização de suas frutas. O produtor conta também com assistência técnica diferenciada, cursos de treinamento e capacitação Vale ressaltar que o programa Mais Qualidade colabora para que os produtores consolidem-se no mercado, além de aproximar o agricultor de seu consumidor final no varejo. Tendo em vista que o Programa Mais Qualidade atenderá diversos produtores nacionalmente, como a Bayer CropScience conseguirá fornecer a assistência técnica diferenciada para cada um deles? A equipe da Bayer CropScience está empenhada em oferecer uma atenção personalizada para os produtores participantes do programa. Ela tem consciência de que esta é uma estratégia muito importante para a Bayer CropScience pois tem o seu foco na agricultura sustentável,que é uma missão da companhia em todo o mundo, beneficiando assim todos os elos da cadeia produtora. Além disso, a equipe de campo conta com o apoio dos agentes locais do Mais Qualidade, que estão integralmente dedicados ao programa com foco nos produtores. E também os distribuidores da Bayer CropScience que são comprometidos a oferecerem um atendimento técnico diferenciado. O que são os boletins informativos? São cotações de preços de venda do atacado para o varejo (supermercados) que são realizadas três vezes por semana: 2ªs, 4ªs e 6ªs feira. A cotação é realizada na CEAGESP, no período da manhã, nos atacadistas que detêm grande parte da venda de cada produto. O que são os Informativos semanais e mensais? São considerações sobre a comercialização da semana ou mês. Informações sobre o volume de venda, de entrada na CEAGESP, o que atrapalhou ou ajudou na comercialização de cada produto. Previsões sobre o próximo período (semana ou mês) também são fornecidas nos informativos. Como essas informações são geradas? Diariamente é acompanhado o dia a dia dos atacadistas na CEAGESP. Onde são contabilizados os caminhões de cada fruta do programa, volume de venda, euforia

4 do mercado, quais os motivos de alta de preços ou queda entre outros aspectos que interferem na comercialização dos produtos avaliados. Quais as formas para receber esses boletins? Por , diretamente no distribuidor ou com o agente local. Quem pode ter acesso a essas informações? Apenas produtores inscritos no programa, e a equipe técnica do programa. Quais as condições para um produtor participar do programa? Para participar, os produtores devem procurar o distribuidor Bayer CropScience de sua região ou agente do programa. Após isso é feita a inscrição e adesão ao pacote de informações tecnológicas da Bayer CropScience, na qual o participante se compromete a adotar as tecnologias propostas pela equipe equipe do programa, também a participar dos treinamentos e capacitações, e buscar a melhoria contínua da qualidade de suas frutas, além de enviar as informações sobre os lotes no momento da comercialização, bem como permitir a divulgação do seu nome ou marca nas ações de promoção. O que é o termo de adesão? É um termo assinado pelo produtor e distribuidor BCS, no qual ambas as partes afirmam que conhecem e concordam com o funcionamento do programa. Que informações constam na ficha de inscrição? As informações básicas sobre a propriedade e a produção como endereço, área plantada, variedades cultivadas, etc. que auxiliem o técnico responsável pela assistência. Os produtores são acompanhados no dia a dia para que essas frutas mantenham um padrão de qualidade? Se sim, como funciona este acompanhamento? Sim, os produtores recebem assistência dos técnicos das vendas, dos agentes do Mais Qualidade locais, dos RTVs da Bayer CropScience e contam o suporte da equipe que realiza o monitoramento das frutas, além de contar com eventos como avaliação de safra e treinamentos, que acontecem periodicamente. Os produtores podem entrar em contato com as equipes de campo e de monitoramento sempre que necessário. Com o contato frequente, eles são orientados sobre as práticas adequadas para produção, o que contribui com o melhor resultado na qualidade das frutas. Como proceder no momento da colheita Ao enviar frutas para comercialização no CEAGESP, o produtor deve fazer um aviso de remessa para a equipe do programa com as informações sobre a carga, para que esta possa ser identificada e monitorada pela equipe. O que é o aviso de remessa? É um conjunto de informações que permite a empresa de monitoramento, localizar e avaliar as frutas que foram enviadas pelo programa. Quais as formas de enviá-lo? Telefone, fax, s, ou diretamente ao distribuidor ou agente local.

5 Quais as informações que devem constar no aviso de remessa? Nome do produtor, data de chegada da fruta ao CEAGESP, número de caixas, variedade da fruta, classificação, etc. O que acontece com a fruta do programa quando chega ao CEAGESP? A carga é localizada pela empresa de monitoramento para que seja realizada a avaliação dos atributos de qualidade. Como é feita a amostragem das caixas? A amostragem é realizada conforme as tabelas abaixo: MELÕES - concentração de sólidos solúveis (ºBrix) Média Número de embalagens Número mínimo de embalagens a Quantidade de frutos a serem que compõe o lote serem retiradas avaliados 11,0 BRIX < 11,0 BRIX Até aprovado reprovado 101 a aprovado reprovado 301 a aprovado reprovado 501 a aprovado reprovado > aprovado reprovado Tolerâncias podridões tipos 5 e 8 Número de embalagens Número mínimo de embalagens a Quantidade de frutos a serem Quantidade de frutos a serem Tolerância em Tolerância em que compõe o lote serem retiradas avaliados tipo 5 avaliados tipo 8 frutos tipo 5 frutos tipo 8 Até ,0 1,0 101 a ,0 1,0 301 a ,0 1,0 501 a ,0 1,0 > ,0 2,0 Tolerâncias podridões tipos 6 e 7 Número de embalagens Número mínimo de embalagens a Quantidade de frutos a serem Quantidade de frutos a serem Tolerancia em Tolerancia em que compõe o lote serem retiradas avaliados tipo 6 avaliados tipo 7 frutos tipo 6 frutos tipo 7 Até ,0 1,0 101 a ,0 1,0 301 a ,0 1,0 501 a ,0 1,0 > ,0 2,0 Tolerâncias podridões tipos 9 e 10 Número de embalagens Número mínimo de embalagens a Quantidade de frutos a serem Quantidade de frutos a serem Tolerancia em Tolerancia em que compõe o lote serem retiradas avaliados tipo 9 avaliados tipo 10 frutos tipo 9 frutos tipo 10 Até ,0 1,0 101 a ,0 1,0 301 a ,0 1,0 501 a ,0 1,0 > ,0 2,0 Tolerâncias podridões tipos 11 e 12 Número de embalagens Número mínimo de embalagens a Quantidade de frutos a serem Quantidade de frutos a serem Tolerancia em Tolerancia em que compõe o lote serem retiradas avaliados tipo 11 avaliados tipo 12 frutos tipo 11 frutos tipo 12 Até ,0 1,0 101 a ,0 1,0 301 a ,0 2,0 501 a ,0 2,0 > ,0 2,0

6 Abacaxi - concentração de sólidos solúveis (ºBrix) Média Número de embalagens Número mínimo de embalagens a Quantidade de frutos a serem que compõe o lote serem retiradas avaliados 12,0 BRIX < 12,0 BRIX Até aprovado reprovado 101 a aprovado reprovado 301 a aprovado reprovado 501 a aprovado reprovado > aprovado reprovado Tolerâncias podridões tipo 8 Número de embalagens Número mínimo de embalagens a Quantidade de frutos a serem Tolerância que compõe o lote serem retiradas avaliados tipo 8 frutos tipo 8 Até ,0 101 a ,0 301 a ,0 501 a ,0 > ,0 Tolerâncias podridões tipo 10 Número de embalagens Número mínimo de embalagens a Quantidade de frutos a serem Tolerância que compõe o lote serem retiradas avaliados tipo 10 frutos tipo 10 Até ,0 101 a ,0 301 a ,0 501 a ,0 > ,0 Tolerâncias podridões tipo 12 Número de embalagens Número mínimo de embalagens a Quantidade de frutos a serem Tolerância que compõe o lote serem retiradas avaliados tipo 12 frutos tipo 12 Até ,0 101 a ,0 301 a ,0 501 a ,0 > ,0 Abacaxi Granel- concentração de sólidos solúveis (ºBrix) Número de Frutas Número mínimo de embalagens a Quantidade de frutos a serem que compõe o lote serem retiradas avaliados 12,0 BRIX Média < 12,0 BRIX > frutas aprovado reprovado Abacaxi Granel - SANIDADE Número de Frutas Número mínimo de embalagens a Tolerância de frutos com que compõe o lote serem retiradas problemas > frutas 100 1

7 Uva - Concentração de sólidos solúveis Média Número de embalagens Número mínimo de embalagens a Quantidade de bagas a serem que compõe o lote serem retiradas avaliadas 14,0 BRIX < 14,0 BRIX 001 a aprovado reprovado 051 a aprovado reprovado 101 a aprovado reprovado 301 a aprovado reprovado 501 a aprovado reprovado 601 a aprovado reprovado 801 ou mais aprovado reprovado Número de embalagens Número mínimo de embalagens a Tolerância máxima que compõe o lote serem retiradas Bagas* 001 a a a a a a ou mais * acima dessas quantidades - lote reprovado O que acontece com as frutas que não atingem o padrão de qualidade? Elas recebem o selo de qualquer jeito, já que são produzidas por um produtor cadastrado? Não, ter aderido ao Mais Qualidade não significa ter certeza de que as frutas serão seladas. Apenas as que atenderem o padrão exigido de qualidade receberão o selo. É importante ressaltar também que as frutas que não forem seladas seguem sua comercialização normalmente, sem sofrer nenhum tipo de penalização por parte do programa Mais Qualidade. Qual o papel da empresa de monitoramento? Realizar verificações de qualidade segundo os critérios já mencionados, selar o produto no atacado caso seja classificado dentro dos padrões estabelecidos pelo programa, e promover o produto em redes de supermercados. Qual a ligação da empresa de monitoramento com o produtor e com os atacadistas? Não há ligação entre a empresa de monitoramento com o produtor e o atacadista..essa empresa funciona como uma espécie de arbitro, verificando a qualidade das frutas. Como o produtor recebe o resultado do monitoramento? Ele recebe por , ou pelo agente local. O resultado das avaliações é divulgado aos demais produtores? Não, o resultado é confidencial e direcionado ao produtor que enviou a fruta. Quem são os principais compradores, tanto no atacado quanto no varejo? Os compradores são as grandes redes de supermercado, tanto de atacado quanto de varejo, que priorizam a qualidade do produto que chegará ao consumo final e não apenas o preço das frutas. Onde os consumidores podem encontrar as frutas pertencentes ao programa? Nas lojas de varejo parceiras do Mais Qualidade, identificando as frutas por meio do selo do programa. Qual o volume de negócios gerados por meio do Programa?

8 Qualquer melhoria em uma cadeia produtiva tão complexa gera grandes oportunidades e também uma diversidade de negócios. Por meio do Mais Qualidade, os produtores são orientados a analisar o solo constantemente, a investir em embalagem, a buscar consultoria com especialistas etc. Assim, o produto que chega ao mercado com ótima qualidade resultado do investimento na lavoura, é rapidamente vendido, aumentando a demanda do mercado e intensificando a quantidade de negócios realizados. O programa Mais Qualidade coordena a cadeia de produção como um todo. Sendo assim, é praticamente impossível contabilizar em números os negócios gerados por toda a cadeia. Em pouco tempo, acredita-se aumentar o número de produtores participantes do programa e consolidar a marca Mais Qualidade, conquistando assim mais espaço com o consumidor final, essencial para o sucesso do programa. Qual o investimento que a empresa fez desde a criação do Programa e qual o investimento anual? Por questões estratégicas da Bayer CropScience, os investimentos não podem ser divulgados. Como este é um projeto da área de Desenvolvimento Sustentável, seu custo é diluído com os outros projetos da área de forma que também não é possível especificar o valor total do investimento anual apenas no Mais Qualidade. Por que a Bayer CropScience descontinuou o Garantia de Sabor? Esta decisão foi tomada em razão de um realinhamento estratégico. Depois disso, foi criado o Mais Qualidade, um programa com ainda mais foco nas necessidades dos produtores. Qual a diferença entre o Mais Qualidade e o Garantia de Sabor? O Mais Qualidade oferece assistência técnica e suporte com alta competência, por contar com consultorias especializadas no mercado de frutas. Este programa tem como foco os serviços oferecidos aos produtores e os diferenciais competitivos conquistados com a produção de frutas de qualidade. A Bayer CropScience já possui um programa de certificação de uvas, o Valore. Qual a diferença deste para o Mais Qualidade? O programa Mais Qualidade não é um programa de certificação e sim de qualificação, além de não trabalhar com as exigências (protocolos) definidas pelo programa de certificação. O Mais Qualidade confere um selo para três tipos de frutas (uva, melão e abacaxi), é voltado para os produtores que querem produzir frutas mais doces e de mais qualidade aos consumidores, além do foco ser o mercado interno. Ele consiste na assistência técnica especializada para a produção e comercialização de frutas mais saborosas e de alta qualidade. O Valore é um programa de certificação que envolve processos e normas para o cumprimento de requisitos exigidos mundialmente (como o atendimento à legislação vigente, preservação do meio ambiente, boas práticas agrícolas, segurança dos trabalhadores, segurança alimentar e qualidade do que é produzido), acompanhamento e orientação diferenciados, qualificando e oferecendo todo o suporte necessário para que a produção agrícola seja certificada pela empresa e possa obter certificações já reconhecidas do mercado. O que a Bayer CropScience pretende fazer para tornar a marca Mais Qualidade conhecida pelos consumidores?

9 O programa Mais Qualidade, conta com uma estratégia de divulgação e promoção das frutas seladas, buscando divulgar e fixar a marca junto ao consumidor final, por meio de degustações e ações de mídia. Como ocorrerão as degustações? Quando tivermos produto de alta qualidade e com constância de fornecimento realizaremos degustações em supermercados. Tais ações visam divulgar o produto da região assim como seus produtores. O nome do produtor será divulgado nas degustações e ações de promoção? Sim, um dos objetivos do programa também é fortalecer o nome ou marca do produtor. Como o consumidor reconhecerá as frutas do programa no varejo? Por meio do selo nas caixas, por identificação das gôndolas no ponto de venda.

SELEÇÃO DE EMPRESAS PARA INCUBAÇÃO NA MODALIDADE ASSOCIADA

SELEÇÃO DE EMPRESAS PARA INCUBAÇÃO NA MODALIDADE ASSOCIADA SELEÇÃO DE EMPRESAS PARA INCUBAÇÃO NA MODALIDADE ASSOCIADA EDITAL 04/2009 IDÉIA FLUXO CONTÍNUO INCUBADORA MULTI-SETORIAL DE BASE TECNOLÓGICA E INOVAÇÃO Novembro de 2009. PROCESSO DE SELEÇÃO DE EMPRESAS

Leia mais

COMÉRCIO E DISTRIBUIÇÃO DE ALIMENTOS.

COMÉRCIO E DISTRIBUIÇÃO DE ALIMENTOS. COMÉRCIO E DISTRIBUIÇÃO DE ALIMENTOS. A Rio Quality existe com o objetivo de proporcionar a total satisfação dos clientes e contribuir para o sucesso de todos. Essa integração se dá através do investimento

Leia mais

Perfil. Nossa estratégia de crescimento reside na excelência operacional, na inovação, no desenvolvimento do produto e no foco no cliente.

Perfil. Nossa estratégia de crescimento reside na excelência operacional, na inovação, no desenvolvimento do produto e no foco no cliente. Institucional Perfil A ARTSOFT SISTEMAS é uma empresa Brasileira, fundada em 1986, especializada no desenvolvimento de soluções em sistemas integrados de gestão empresarial ERP, customizáveis de acordo

Leia mais

O Mercado como instrumento de conservação da Mata Atlântica. Consumo Responsável, Compromisso com a Vida!

O Mercado como instrumento de conservação da Mata Atlântica. Consumo Responsável, Compromisso com a Vida! Mercado Mata Atlântica Reserva da Biosfera da Mata Atlântica O Mercado como instrumento de conservação da Mata Atlântica Consumo Responsável, Compromisso com a Vida! Apresentação O Programa "Mercado Mata

Leia mais

CUIDAR DA TERRA ALIMENTAR A SAÚDE CULTIVAR O FUTURO

CUIDAR DA TERRA ALIMENTAR A SAÚDE CULTIVAR O FUTURO CUIDAR DA TERRA ALIMENTAR A SAÚDE CULTIVAR O FUTURO Por que é importante dar preferência aos produtos orgânicos? Os sistemas de produção orgânica se baseiam em princípios da agroecologia e, portanto, buscam

Leia mais

Abra. e conheça as oportunidades de fazer bons negócios...

Abra. e conheça as oportunidades de fazer bons negócios... Abra e conheça as oportunidades de fazer bons negócios... anos Chegou a hora de crescer! Conte com a Todescredi e faça bons negócios. Há 5 anos, iniciavam as operações daquela que se tornou a única financeira

Leia mais

O Entreposto Terminal da CEAGESP e as embalagens

O Entreposto Terminal da CEAGESP e as embalagens O Entreposto Terminal da CEAGESP e as embalagens A Corrente da Produção ao Consumo Insumos Tecnologia Produção Transporte Atacado Consumo Varejo Serviço de Alimentação O negócio de frutas e hortaliças

Leia mais

Anita de Souza Dias Gutierrez Engenheira agrônoma Centro de Qualidade em Horticultura hortiescolha@ceagesp.gov.br 11 36433890/ 27

Anita de Souza Dias Gutierrez Engenheira agrônoma Centro de Qualidade em Horticultura hortiescolha@ceagesp.gov.br 11 36433890/ 27 Anita de Souza Dias Gutierrez Engenheira agrônoma Centro de Qualidade em Horticultura hortiescolha@ceagesp.gov.br 11 36433890/ 27 Centro de Qualidade em Horticultura CEAGESP Construção e adoção de ferramentas

Leia mais

MANUAL DO FORNECEDOR

MANUAL DO FORNECEDOR PSQ 27 REVISÃO 00 Histórico da Emissão Inicial Data da Revisão 0 Data da Última Revisão Número de Página 15/01/14 15/01/14 1/14 2/14 1 - Objetivo 1.1 Escopo O conteúdo deste Manual contempla os requisitos

Leia mais

MODELO 1 PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS

MODELO 1 PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS ANEXO 1 MODELO 1 PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS Este documento serve como base orientadora para a apresentação de propostas de Arranjos Produtivos Locais para enquadramento no

Leia mais

No Brasil, a Shell contratou a ONG Dialog para desenvolver e operar o Programa, que possui três objetivos principais:

No Brasil, a Shell contratou a ONG Dialog para desenvolver e operar o Programa, que possui três objetivos principais: PROJETO DA SHELL BRASIL LTDA: INICIATIVA JOVEM Apresentação O IniciativaJovem é um programa de empreendedorismo que oferece suporte e estrutura para que jovens empreendedores de 18 a 30 anos desenvolvam

Leia mais

A Academia está alinhada também aos Princípios para Sustentabilidade em Seguros UNPSI, coordenados pelo UNEP/FI órgão da ONU dedicado às questões da

A Academia está alinhada também aos Princípios para Sustentabilidade em Seguros UNPSI, coordenados pelo UNEP/FI órgão da ONU dedicado às questões da - 1 - Prêmio CNSeg 2012 Empresa: Grupo Segurador BBMAPFRE Case: Academia de Sustentabilidade BBMAPFRE Introdução A Academia de Sustentabilidade BBMAPFRE foi concebida em 2009 para disseminar o conceito

Leia mais

Sobre o Grupo Pão de Açúcar. Participe do programa de Trainee 2011 do Grupo Pão de Açúcar!

Sobre o Grupo Pão de Açúcar. Participe do programa de Trainee 2011 do Grupo Pão de Açúcar! Participe do programa de Trainee 2011 do Grupo Pão de Açúcar! Venha fazer parte de uma empresa multiformato, composta por supermercados, hipermercados, lojas de produtos eletrônicos/eletrodoméstios, lojas

Leia mais

DATA: 05/05 AUDITÓRIO: OPERAÇÕES TEMA: SUSTENTABILIDADE NAS ORGANIZAÇÕES BRASILEIRAS: ONDE ESTAMOS? PALESTRANTE: NATHAN HERSZKOWICZ

DATA: 05/05 AUDITÓRIO: OPERAÇÕES TEMA: SUSTENTABILIDADE NAS ORGANIZAÇÕES BRASILEIRAS: ONDE ESTAMOS? PALESTRANTE: NATHAN HERSZKOWICZ DATA: 05/05 AUDITÓRIO: OPERAÇÕES TEMA: SUSTENTABILIDADE NAS ORGANIZAÇÕES BRASILEIRAS: ONDE ESTAMOS? PALESTRANTE: NATHAN HERSZKOWICZ Planejamento Boa Gestão Consciência Política Sustent bilidade Participação

Leia mais

Contribuições do Sistema Cooperativista - Consulta Pública MDA

Contribuições do Sistema Cooperativista - Consulta Pública MDA Contribuições do Sistema Cooperativista - Consulta Pública MDA Critérios e procedimentos de concessão, manutenção e uso do Selo Combustível Social As políticas de apoio à agricultura familiar desempenham

Leia mais

PLANO DE AÇÃO PARA EXECUÇÃO DO ACORDO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA MAPA x ABRAS

PLANO DE AÇÃO PARA EXECUÇÃO DO ACORDO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA MAPA x ABRAS PLANO DE AÇÃO PARA EXECUÇÃO DO ACORDO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA MAPA x ABRAS Rosilene Ferreira Souto Luzia Souza Setembro 2014 Parceria Institucional com foco na rastreabilidade Acordo de Cooperação entre

Leia mais

O QUE É? Um programa que visa melhorar a Gestão dos CFCs Gaúchos, tendo como base os Critérios de Excelência da FNQ (Fundação Nacional da Qualidade).

O QUE É? Um programa que visa melhorar a Gestão dos CFCs Gaúchos, tendo como base os Critérios de Excelência da FNQ (Fundação Nacional da Qualidade). O QUE É? Um programa que visa melhorar a Gestão dos CFCs Gaúchos, tendo como base os Critérios de Excelência da FNQ (Fundação Nacional da Qualidade). Coordenação Sindicato dos Centros de Formação de Condutores

Leia mais

Regulamento do projeto "50 Telhados"

Regulamento do projeto 50 Telhados Regulamento do projeto "50 Telhados" Iniciativa Novembro de 2013 Sumário 1. Contextualização... 3 2. Missão do projeto 50 Telhados... 3 3. Objetivo... 3 4. Benefícios para empresas/clientes/cidades participantes...

Leia mais

PROGRAMA DE SUSTENTABILIDADE

PROGRAMA DE SUSTENTABILIDADE PROGRAMA DE SUSTENTABILIDADE CONTEXTO DO PROGRAMA O Texbrasil, Programa de Internacionalização da Indústria da Moda Brasileira, foi criado em 2000 pela Abit (Associação Brasileira da Indústria Têxtil e

Leia mais

18/06/2009. Quando cuidar do meio-ambiente é um bom negócio. Blog: www.tudibao.com.br E-mail: silvia@tudibao.com.br.

18/06/2009. Quando cuidar do meio-ambiente é um bom negócio. Blog: www.tudibao.com.br E-mail: silvia@tudibao.com.br. Marketing Ambiental Quando cuidar do meio-ambiente é um bom negócio. O que temos visto e ouvido falar das empresas ou associado a elas? Blog: www.tudibao.com.br E-mail: silvia@tudibao.com.br 2 3 Sílvia

Leia mais

Plano de Sustentabilidade da Unilever

Plano de Sustentabilidade da Unilever Unilever Plano de Sustentabilidade da Unilever Eixo temático Governança Principal objetivo da prática Para a Unilever, o crescimento sustentável e lucrativo requer os mais altos padrões de comportamento

Leia mais

Página 1 de 19 Data 04/03/2014 Hora 09:11:49 Modelo Cerne 1.1 Sensibilização e Prospecção Envolve a manutenção de um processo sistematizado e contínuo para a sensibilização da comunidade quanto ao empreendedorismo

Leia mais

Painel: Estratégias para enfrentar e superar os principais gargalos da cadeia produtiva do tomate de mesa

Painel: Estratégias para enfrentar e superar os principais gargalos da cadeia produtiva do tomate de mesa Painel: Estratégias para enfrentar e superar os principais gargalos da cadeia produtiva do tomate de mesa Tema: A organização do setor produtivo (Associação) Título: Associa'vismo no Meio Rural Como um

Leia mais

Projeto Amplitude. Plano de Ação 2015. Conteúdo

Projeto Amplitude. Plano de Ação 2015. Conteúdo Projeto Amplitude Plano de Ação 2015 P r o j e t o A m p l i t u d e R u a C a p i t ã o C a v a l c a n t i, 1 4 7 V i l a M a r i a n a S ã o P a u l o 11 4304-9906 w w w. p r o j e t o a m p l i t u

Leia mais

Engajamento com Partes Interessadas

Engajamento com Partes Interessadas Instituto Votorantim Engajamento com Partes Interessadas Eixo temático Comunidade e Sociedade Principal objetivo da prática Apoiar o desenvolvimento de uma estratégia de relacionamento com as partes interessadas,

Leia mais

BARRACÃO CEAGESP DO PRODUTOR

BARRACÃO CEAGESP DO PRODUTOR BARRACÃO CEAGESP DO PRODUTOR BARRACÃO DO PRODUTOR FEIRAS SUPERMERCADOS SACOLÕES QUITANDAS ALIMENTAÇÃO ESCOLAR RESTAURANTES CIRCULAR TÉCNICA CEAGESP - CQH Nº 14 - JUNHO 2006 EU SEI PRODUZIR SÓ NÃO SEI COMERCIALIZAR!

Leia mais

PARA QUE SERVE O CRM?

PARA QUE SERVE O CRM? Neste mês, nós aqui da Wiki fomos convidados para dar uma entrevista para uma publicação de grande referência no setor de varejo, então resolvemos transcrever parte da entrevista e apresentar as 09 coisas

Leia mais

Programa RAMA RASTREAMENTO E MONITORAMENTO DE AGROTÓXICOS

Programa RAMA RASTREAMENTO E MONITORAMENTO DE AGROTÓXICOS RAMA 1 O QUE É O RAMA? Página 3 Sumário 2 PARA QUE SERVE O RAMA? 3 Página 4 COMO FUNCIONA O RAMA? Página 5 4 POR QUE PARTICIPAR Página 9 DO RAMA? 5 COMO PARTICIPAR DO RAMA? Página 10 6 QUAIS OS BENEFÍCIOS

Leia mais

PROGRAMA DE SUSTENTABILIDADE

PROGRAMA DE SUSTENTABILIDADE PROGRAMA DE SUSTENTABILIDADE CONTEXTO DO PROGRAMA O Texbrasil, Programa de Exportação da Indústria da Moda Brasileira, foi criado em 2000 pela Abit (Associação Brasileira da Indústria Têxtil e Confecção)

Leia mais

Seção 2/D Cadeia de Fornecimento

Seção 2/D Cadeia de Fornecimento Seção 2/D Cadeia de Fornecimento www.bettercotton.org Orientação Esta seção descreve como a BCI criará um fardo 100% Better Cotton e conectará a oferta de Better Cotton com sua demanda, estabelecendo um

Leia mais

Apresentação Comercial

Apresentação Comercial Apresentação Comercial Sobre a G R S Moto Express Missão: Atender a crescente demanda do mercado logístico, proporcionando aos nossos clientes e parceiros, um atendimento de referência em Gestão, Rápidez

Leia mais

Gestão eficaz de pessoas melhorando a produtividade, qualidade e resultados organizacionais. Mário Ibide

Gestão eficaz de pessoas melhorando a produtividade, qualidade e resultados organizacionais. Mário Ibide Gestão eficaz de pessoas melhorando a produtividade, qualidade e resultados organizacionais. Mário Ibide A Nova América na vida das pessoas 8 Cultural Empresarial Missão Do valor do campo ao campo de valor

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA ESPECIALIZADA (PESSOA FÍSICA)

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA ESPECIALIZADA (PESSOA FÍSICA) TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA ESPECIALIZADA (PESSOA FÍSICA) Contrato por Produto Nacional CONSULTOR JÚNIOR Número e Título do Projeto: BRA/09/004 Fortalecimento da CAIXA no seu processo

Leia mais

A FORÇA DO COMPRADOR E AS BOAS PRÁTICAS AGRÍCOLAS

A FORÇA DO COMPRADOR E AS BOAS PRÁTICAS AGRÍCOLAS A FORÇA DO COMPRADOR E AS BOAS PRÁTICAS AGRÍCOLAS A produção de frutas e hortaliças para exportação obedece procedimentos estabelecidos pelos diferentes sistemas de certificação determinados pelo comprador,

Leia mais

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA. TERMO DE REFERÊNCIA CONS - OPE 03 01 Vaga

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA. TERMO DE REFERÊNCIA CONS - OPE 03 01 Vaga INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA CONS - OPE 03 01 Vaga 1. IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Consultoria para promover estudos, formular proposições e apoiar as Unidades

Leia mais

Planejamento Estratégico

Planejamento Estratégico Planejamento Estratégico Cliente: LAM-UOL Versão do Documento: 1.2 Data de Emissão: 02/03/ Responsável pela Elaboração: Nestor Junior Função do Responsável: Relator E-mail do Responsável: nestor@viciolivre.com.br

Leia mais

MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional.

MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional. Empresa MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional. Nossa filosofia e oferecer ferramentas de gestão focadas na

Leia mais

Regulamento do projeto "50 Telhados"

Regulamento do projeto 50 Telhados Regulamento do projeto "50 Telhados" Iniciativa Fevereiro de 2014 Sumário 1. Contextualização... 3 2. Missão do projeto 50 Telhados... 3 3. Objetivo... 3 3.1. Pequenas cidades... 3 4. Benefícios para empresas/clientes/cidades

Leia mais

Distribuidor de Mobilidade GUIA OUTSOURCING

Distribuidor de Mobilidade GUIA OUTSOURCING Distribuidor de Mobilidade GUIA OUTSOURCING 1 ÍNDICE 03 04 06 07 09 Introdução Menos custos e mais controle Operação customizada à necessidade da empresa Atendimento: o grande diferencial Conclusão Quando

Leia mais

Valores Pessoas; Trabalho em Equipe; Conduta Ética; Orientação ao Cliente; Orientação a Resultados; Inovação; e Comunidade e Meio Ambiente.

Valores Pessoas; Trabalho em Equipe; Conduta Ética; Orientação ao Cliente; Orientação a Resultados; Inovação; e Comunidade e Meio Ambiente. CÓDIGO DE ÉTICA EMPRESARIAL 1 INTRODUÇÃO O Código de Ética Empresarial da COELCE, apresenta os princípios direcionadores das políticas adotadas pela empresa e que norteiam as ações e relações com suas

Leia mais

Introdução Um pouco da história da empresa. Produtos Alguns produtos que distribuímos. Canais de vendas Explicação sobre os nossos canais

Introdução Um pouco da história da empresa. Produtos Alguns produtos que distribuímos. Canais de vendas Explicação sobre os nossos canais Agenda Introdução Um pouco da história da empresa Produtos Alguns produtos que distribuímos Canais de vendas Explicação sobre os nossos canais Objetivos Objetivos a longo prazo Cadastro Introdução Há 23

Leia mais

Responsabilidade Social na Cadeia de Valor o papel do setor atacadista-distribuidor. Geraldo Eduardo da Silva Caixeta

Responsabilidade Social na Cadeia de Valor o papel do setor atacadista-distribuidor. Geraldo Eduardo da Silva Caixeta Responsabilidade Social na Cadeia de Valor o papel do setor atacadista-distribuidor Geraldo Eduardo da Silva Caixeta ABAD Associação Brasileira de Atacadistas e Distribuidores Com mais de 25 anos de história,

Leia mais

Ivo Camargo Jr. Consultoria e Representação Comercial PROPOSTA COMERCIAL

Ivo Camargo Jr. Consultoria e Representação Comercial PROPOSTA COMERCIAL Ivo Camargo Jr. Consultoria e Representação Comercial PROPOSTA COMERCIAL APRESENTAÇÃO Ivo Camargo Jr. Consultoria e Representação Comercial A Ivo Camargo Jr. Consultoria e Representação Comercial nasceu

Leia mais

FLAMBOYANT SHOPPING CENTER

FLAMBOYANT SHOPPING CENTER FLAMBOYANT SHOPPING CENTER Nome do Projeto: Stand Flamboyant Social Período e Local de Implementação: Implementado a parir de 28 de Outubro de 2003. O stand está localizado em um dos principais pontos

Leia mais

Apresentação Institucional. Metodologia com alta tecnologia para soluções sob medida

Apresentação Institucional. Metodologia com alta tecnologia para soluções sob medida Apresentação Institucional Metodologia com alta tecnologia para soluções sob medida A empresa que evolui para o seu crescimento A VCN Virtual Communication Network, é uma integradora de Soluções Convergentes

Leia mais

Como criar um clube de vantagens para seus clientes

Como criar um clube de vantagens para seus clientes Como criar um clube de vantagens para seus clientes Introdução Adquirir clientes no mundo competitivo atual é cada vez mais difícil e caro. Por este motivo, torna-se muito importante ações que fidelize

Leia mais

O design no agronegócio

O design no agronegócio O design no agronegócio 1 SUMÁRIO O que é Agronegócio Alguns segmentos do Agronegócio Design nos Produtos orgânicos Design na Vitivinicultura Design na Apicultura e meliponicultura Design na Fruticultura

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA 1 IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Contratação de consultoria pessoa física para serviços de preparação

Leia mais

PROCESSO DE SELEÇÃO DE EMPRESAS PARA INCUBAÇÃO. Modalidade Associada

PROCESSO DE SELEÇÃO DE EMPRESAS PARA INCUBAÇÃO. Modalidade Associada Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul PROCESSO DE SELEÇÃO DE EMPRESAS PARA INCUBAÇÃO Modalidade Associada Incubadora Multissetorial de Empresas de Base Tecnológica e Inovação da PUCRS RAIAR

Leia mais

Aumente sua velocidade e flexibilidade com a implantação da nuvem gerenciada de software da SAP

Aumente sua velocidade e flexibilidade com a implantação da nuvem gerenciada de software da SAP Parceiros de serviços em nuvem gerenciada Aumente sua velocidade e flexibilidade com a implantação da nuvem gerenciada de software da SAP Implemente a versão mais recente do software da SAP de classe mundial,

Leia mais

Divisão Alimentícia I. PRODUTOS

Divisão Alimentícia I. PRODUTOS Divisão Alimentícia I. PRODUTOS No segmento alimentício a Saggio oferece uma linha de produtos solúveis, instantâneos e outros produtos diferenciados, verdadeiras especialidades, aliando a mais moderna

Leia mais

Ficha de Inscrição do 17º Prêmio Expressão de Ecologia

Ficha de Inscrição do 17º Prêmio Expressão de Ecologia Ficha de Inscrição do 17º Prêmio Expressão de Ecologia OBS: Apresentação obrigatória na primeira página do case Informações cadastrais a) Identificação: empresa b) Nome: Wal-Mart Brasil Informações sobre

Leia mais

Full Time Soluções em Serviços Financeiros Full Time

Full Time Soluções em Serviços Financeiros Full Time A Full Time Soluções em Serviços Financeiros nasceu da iniciativa de seus sócios em preencherem uma lacuna no segmento de prestação de serviços, atuando de forma eficiente e criativa. A Full Time conta

Leia mais

CONSULTORIA MUDAR NEM SEMPRE É FÁCIL, MAS AS VEZES É NECESSÁRIO

CONSULTORIA MUDAR NEM SEMPRE É FÁCIL, MAS AS VEZES É NECESSÁRIO MUDAR NEM SEMPRE É FÁCIL, MAS AS VEZES É NECESSÁRIO CONTEÚDO 1 APRESENTAÇÃO 2 PÁGINA 4 3 4 PÁGINA 9 PÁGINA 5 PÁGINA 3 APRESENTAÇÃO 1 O cenário de inovação e incertezas do século 21 posiciona o trabalho

Leia mais

Rastreabilidade bovina: do campo ao prato - uma ferramenta a serviço da segurança alimentar Taulni Francisco Santos da Rosa (Chico)

Rastreabilidade bovina: do campo ao prato - uma ferramenta a serviço da segurança alimentar Taulni Francisco Santos da Rosa (Chico) Rastreabilidade bovina: do campo ao prato - uma ferramenta a serviço da segurança alimentar Taulni Francisco Santos da Rosa (Chico) Coordenador Agricultural Services SGS do Brasil Ltda. O que é Rastreabilidade?

Leia mais

PRODUTO ORGÂNICO. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

PRODUTO ORGÂNICO. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento PRODUTO ORGÂNICO Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento 2009 Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução parcial ou total desta

Leia mais

POLÍTICA CORPORATIVA. Todos os profissionais do Grupo Camargo Corrêa, locados em todas as unidades e países onde o Grupo atua.

POLÍTICA CORPORATIVA. Todos os profissionais do Grupo Camargo Corrêa, locados em todas as unidades e países onde o Grupo atua. 1 Objetivos Estimular a participação cidadã dos profissionais das empresas do Grupo Camargo Corrêa em ações de voluntariado empresarial por meio do do Instituto Camargo Corrêa; Contribuir com o desenvolvimento

Leia mais

COMO TORNAR-SE UM FRANQUEADOR

COMO TORNAR-SE UM FRANQUEADOR COMO TORNAR-SE UM FRANQUEADOR O que é Franquia? Objetivo Esclarecer dúvidas, opiniões e conceitos existentes no mercado sobre o sistema de franquias. Público-Alvo Empresários de pequeno, médio e grande

Leia mais

ED 2180/14. 15 maio 2014 Original: espanhol. Pesquisa sobre os custos de transação dos produtores de café

ED 2180/14. 15 maio 2014 Original: espanhol. Pesquisa sobre os custos de transação dos produtores de café ED 2180/14 15 maio 2014 Original: espanhol P Pesquisa sobre os custos de transação dos produtores de café 1. O Diretor Executivo apresenta seus cumprimentos e, em nome da Colômbia, encaminha aos Membros

Leia mais

Código de Fornecimento Responsável

Código de Fornecimento Responsável Código de Fornecimento Responsável Breve descrição A ArcelorMittal requer de seus fornecedores o cumprimento de padrões mínimos relacionados a saúde e segurança, direitos humanos, ética e meio ambiente.

Leia mais

visitas às instituições sociais. Os colaboradores voluntários também foram consultados, por meio da aplicação de um questionário.

visitas às instituições sociais. Os colaboradores voluntários também foram consultados, por meio da aplicação de um questionário. 1. Apresentação O Voluntariado Empresarial é um dos canais de relacionamento de uma empresa com a comunidade que, por meio da atitude solidária e proativa de empresários e colaboradores, gera benefícios

Leia mais

R$ 281 milhões de ebitda 52

R$ 281 milhões de ebitda 52 R$ 281 milhões de ebitda 52 Líder e pioneira em seu mercado, a Ultragaz evoluiu em 2009 na implementação de programas de eficiência operacional destinados ao mercado domiciliar, o UltraLevel, e ao mercado

Leia mais

ESTÃO ABERTAS AS INSCRIÇÕES PARA A QUINTA TURMA EXTRA-CAMPUS DO Mestrado Profissional em Conservação da Biodiversidade e Desenvolvimento Sustentável

ESTÃO ABERTAS AS INSCRIÇÕES PARA A QUINTA TURMA EXTRA-CAMPUS DO Mestrado Profissional em Conservação da Biodiversidade e Desenvolvimento Sustentável ESTÃO ABERTAS AS INSCRIÇÕES PARA A QUINTA TURMA EXTRA-CAMPUS DO Mestrado Profissional em Conservação da Biodiversidade e Desenvolvimento Sustentável A SER REALIZADA EM SERRA GRANDE BA Parceria IPÊ Instituto

Leia mais

PROGRAMA DE PATROCÍNIO DA COSERN

PROGRAMA DE PATROCÍNIO DA COSERN PROGRAMA DE PATROCÍNIO DA COSERN Resumo das diretrizes e critérios da COSERN/ Grupo Neoenergia para patrocínios a projetos socioculturais e ambientais. Guia Básico do Proponente 1 Índice Introdução 2 1.

Leia mais

Prof. Marcelo Mello. Unidade IV DISTRIBUIÇÃO E

Prof. Marcelo Mello. Unidade IV DISTRIBUIÇÃO E Prof. Marcelo Mello Unidade IV DISTRIBUIÇÃO E TRADE MARKETING Trade Marketing é confundido por algumas empresas como um conjunto de ferramentas voltadas para a promoção e a comunicação dos produtos. O

Leia mais

Título: Pensando estrategicamente em inovação tecnológica de impacto social Categoria: Projeto Externo Temática: Segundo Setor

Título: Pensando estrategicamente em inovação tecnológica de impacto social Categoria: Projeto Externo Temática: Segundo Setor Título: Pensando estrategicamente em inovação tecnológica de impacto social Categoria: Projeto Externo Temática: Segundo Setor Resumo: A finalidade desse documento é apresentar o projeto de planejamento

Leia mais

Política de Patrocínios e Doações da Volvo do Brasil

Política de Patrocínios e Doações da Volvo do Brasil Política de Patrocínios e Doações da Volvo do Brasil Data de publicação: 10/07/2007 Última atualização: 10/07/2007 APRESENTAÇÃO Os patrocínios exercem um importante papel na estratégia de comunicação e

Leia mais

Perguntas Frequentes. Distribuidores

Perguntas Frequentes. Distribuidores Perguntas Frequentes Distribuidores O que é o site Compre Lista Escolar? É um site que possui um sistema desenvolvido, exclusivamente, para que distribuidores possam realizar vendas de livros escolares

Leia mais

MARKETING PARA FAZENDAS

MARKETING PARA FAZENDAS DICAS PRÁTICAS DE MARKETING PARA FAZENDAS Sobre o Porteira Digital O Porteira Digital foi criado com objetivo de fornecer soluções práticas de Marketing para o produtor rural que deseja fazer de seu negócio

Leia mais

Regulamento do 20º Concurso Inovação na Gestão Pública Federal

Regulamento do 20º Concurso Inovação na Gestão Pública Federal Regulamento do 20º Concurso Inovação na Gestão Pública Federal A Fundação Escola Nacional de Administração Pública (Enap) torna público o regulamento do 20º Concurso Inovação na Gestão Pública Federal.

Leia mais

Panorama do mercado da banana no Brasil Orivaldo Dan

Panorama do mercado da banana no Brasil Orivaldo Dan Panorama do mercado da banana no Brasil Orivaldo Dan orivaldo@tropsabor.com.br Produção de bananas no Brasil (toneladas) 4500000 4000000 Tendência 3500000 3000000 2500000 2000000 1500000 2011 2010 2009

Leia mais

Data: ABN. Cafés especiais do Brasil consolidam novos mercados

Data: ABN. Cafés especiais do Brasil consolidam novos mercados Veículo: Assunto: Data: ABN 28/09/2012 Cafés especiais do Brasil consolidam novos mercados http://www.abn.com.br/editorias1.php?id=71860 Que o Brasil há muitos anos produz cafés de qualidade excepcional

Leia mais

COMERCIAL/ MARKETING

COMERCIAL/ MARKETING COMERCIAL/ MARKETING Os investimentos específicos na sua área em 2012 vs? (%) - RU Vão crescer 42 54 Média: + 4,06% Permanecer estáveis 45 5 Terão redução 1 5 2010 (%) - RU A principal estratégia comercial/

Leia mais

Logística, Competitividade e Sustentabilidade

Logística, Competitividade e Sustentabilidade Logística, Competitividade e Sustentabilidade Porque a Surya é diferente? A Surya fabrica cosméticos naturais e orgânicos pensando na saúde e no bem estar das pessoas e natureza. Sobre a Surya Brasil Empresa

Leia mais

Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras

Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras Setembro de 2010 Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras DECLARAÇÃO Nós, das empresas Eletrobras, comprometemo-nos a contribuir efetivamente

Leia mais

Programa RAMA RASTREAMENTO E MONITORAMENTO DE AGROTÓXICOS

Programa RAMA RASTREAMENTO E MONITORAMENTO DE AGROTÓXICOS RAMA 1 O QUE É O RAMA? Página 3 Sumário 2 PARA QUE SERVE O RAMA? 3 Página 4 COMO FUNCIONA O RAMA? Página 5 4 POR QUE PARTICIPAR Página 9 DO RAMA? 5 COMO PARTICIPAR DO RAMA? Página 9 6 QUAIS OS BENEFÍCIOS

Leia mais

Feira Internacional de Frutas e Derivados, Tecnologia de Processamento e Logística 08 10 de Setembro de 2009 - ( 3ª. a 5ª.) Expo Center Norte

Feira Internacional de Frutas e Derivados, Tecnologia de Processamento e Logística 08 10 de Setembro de 2009 - ( 3ª. a 5ª.) Expo Center Norte Feira Internacional de Frutas e Derivados, Tecnologia de Processamento e Logística 08 10 de Setembro de 2009 - ( 3ª. a 5ª.) Expo Center Norte Pavilhão Amarelo São Paulo BEM VINDO A FRUIT & LOG 2009! ABRINDO

Leia mais

DECRETO N 037/2014. O Prefeito Municipal de Santa Teresa Estado do Espírito Santo, no uso de suas atribuições legais,

DECRETO N 037/2014. O Prefeito Municipal de Santa Teresa Estado do Espírito Santo, no uso de suas atribuições legais, DECRETO N 037/2014 Regulamenta aplicação das Instruções Normativas SDE Nº 01/2014 a 02/2014, que dispõem sobre as Rotinas e Procedimentos do Sistema de Desenvolvimento Econômico a serem observados no âmbito

Leia mais

EDITAL PROGRAMA DE EMPREENDEDORISMO JOVEM DA UFPE

EDITAL PROGRAMA DE EMPREENDEDORISMO JOVEM DA UFPE EDITAL PROGRAMA DE EMPREENDEDORISMO JOVEM DA UFPE A Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) torna pública, através da Diretoria de Inovação e Empreendedorismo (DINE) da Pró-Reitoria para Assuntos de

Leia mais

COP 2013 COMMUNICATION ON PROGRESS PACTO GLOBAL DAS NAÇÕES UNIDAS

COP 2013 COMMUNICATION ON PROGRESS PACTO GLOBAL DAS NAÇÕES UNIDAS COP 2013 COMMUNICATION ON PROGRESS PACTO GLOBAL DAS NAÇÕES UNIDAS 2003 É criada a G-COMEX ÓLEO & GÁS com o objetivo de prover soluções logísticas sob medida para o mercado de óleo, gás, energia e indústria

Leia mais

COMERCIALIZAÇÃO E MARKETING DE PRODUTOS ALIMENTARES DE QUALIDADE (DOP) QUEIJO SERRA DA ESTRELA

COMERCIALIZAÇÃO E MARKETING DE PRODUTOS ALIMENTARES DE QUALIDADE (DOP) QUEIJO SERRA DA ESTRELA Ovinicultura Actividade Tradicional e de Futuro 1.º Encontro Jovem Produtor de Queijo Serra da Estrela COMERCIALIZAÇÃO E MARKETING DE PRODUTOS ALIMENTARES DE QUALIDADE (DOP) QUEIJO SERRA DA ESTRELA Maria

Leia mais

PROGRAMA EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA SAMARCO. Programa de Educação Ambiental Interno

PROGRAMA EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA SAMARCO. Programa de Educação Ambiental Interno PROGRAMA EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA SAMARCO Programa de Educação Ambiental Interno Condicionante 57 LO 417/2010 SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO 04 2. IDENTIFICAÇÃO DA EMPRESA 05 3. REGULAMENTO APLICÁVEL 06 3.1. FEDERAL

Leia mais

Governança AMIGA. Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti

Governança AMIGA. Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti e d a id 4 m IN r fo a n m Co co M a n ua l Governança AMIGA Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti Um dos grandes desafios atuais da administração

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA ÉTICA DO GRUPO HERING

CÓDIGO DE CONDUTA ÉTICA DO GRUPO HERING CÓDIGO DE CONDUTA ÉTICA DO GRUPO HERING O Código de Conduta Ética é um instrumento destinado a aperfeiçoar os relacionamentos da organização e elevar o clima de confiança nela existente. Este Código tem

Leia mais

NORMAS DE CONDUTA. Apresentação

NORMAS DE CONDUTA. Apresentação NORMAS DE CONDUTA Apresentação Adequando-se às melhores práticas de Governança Corporativa, a TITO está definindo e formalizando as suas normas de conduta ( Normas ). Estas estabelecem as relações, comportamentos

Leia mais

Especialistas em pequenos negócios / 0800 570 0800 / sebrae.com.br

Especialistas em pequenos negócios / 0800 570 0800 / sebrae.com.br Especialistas em pequenos negócios / 0800 570 0800 / sebrae.com.br NO CAMPO: UMA FAMÍLIA DE SOLUÇÕES EDUCACIONAIS PARA PRODUTORES RURAIS. TODA MINHA FAMÍLIA VIVE DA PRODUÇÃO RURAL. E MAIS DE CINCO MILHÕES

Leia mais

Programa Nacional da Alimentação Escolar PNAE

Programa Nacional da Alimentação Escolar PNAE Programa Nacional da Alimentação Escolar PNAE PROGRAMA NACIONAL DA ALIMENTAÇÃO ESCOLAR PNAE A compra de gêneros alimentícios da agricultura familiar para a alimentação escolar é uma conquista dos agricultores

Leia mais

Como motivar e liderar uma equipe de alta performance no agronegócio?

Como motivar e liderar uma equipe de alta performance no agronegócio? Como motivar e liderar uma equipe de alta performance no agronegócio? Matheus Kfouri Marino Camila Dias de Sá* A competitividade do agronegócio brasileiro é incontestável e resulta em taxas expressivas

Leia mais

CHAMADA DE SELEÇÃO DE EMPREENDIMENTOS DA AGRICULTURA FAMILIAR

CHAMADA DE SELEÇÃO DE EMPREENDIMENTOS DA AGRICULTURA FAMILIAR Carta Projeto MDA N 002/2012 IPD Curitiba, 13 de janeiro de 2012. IPD - INSTITUTO DE PROMOÇÃO DO DESENVOLVIMENTO CHAMADA DE SELEÇÃO DE EMPREENDIMENTOS DA AGRICULTURA FAMILIAR Chamada de Seleção de Empreendimentos

Leia mais

Gestão de Fornecedores

Gestão de Fornecedores Treinamento Presencial: Gestão de Fornecedores Data: 20 de Maio de 2015 Carga horária: 8 horas Local: São Paulo/ SP Procurement Business School Quem somos: Procurement Business School é a mais completa

Leia mais

Byte Software POLÍTICA COMERCIAL. Parceiros Comerciais

Byte Software POLÍTICA COMERCIAL. Parceiros Comerciais Byte Software POLÍTICA COMERCIAL Parceiros Comerciais 2013 1. Apresentação Este guia descreve o Programa de Parceria Byte Software através de uma estrutura básica, incluindo como participar e, ainda, uma

Leia mais

INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS - Marketing Internacional

INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS - Marketing Internacional INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS - Marketing CURSO: Administração DISCIPLINA: Comércio FONTE: DIAS, Reinaldo. RODRIGUES, Waldemar. Comércio Exterior Teoria e Gestão. Atlas. São Paulo: 2004 2.4d_ização de

Leia mais

Período de exposição e funcionamento dos Quiosques

Período de exposição e funcionamento dos Quiosques Chamamento Público para empreendimentos da agricultura familiar que tenham a intenção de participar dos Quiosques Brasil Orgânico e Sustentável durante os dias 11 a 27/06 em 10 cidades sedes da Copa de

Leia mais

WP Council 242/13 Add. 1

WP Council 242/13 Add. 1 WP Council 242/13 Add. 1 1 julho 2014 Original: inglês P Conselho Internacional do Café 113. a sessão 22 26 setembro 2014 Londres, Reino Unido Atividades de rotina Programa de Atividades da Organização

Leia mais

TRABALHO INTERDISCIPLINAR G2-6º período

TRABALHO INTERDISCIPLINAR G2-6º período TRABALHO INTERDISCIPLINAR G2-6º período Disciplinas: Promoção de Vendas - Francisco Pavin Planejamento de mídia - Francisco Pavin Direção de Arte 2 Ricardo Fantinelli / Gabriel Tesser Agências Dividam-se

Leia mais

AS DECISÕES REFERENTES AOS CANAIS DE MARKETING ESTÃO ENTRE AS MAIS CRÍTICAS COM QUE AS GERÊNCIAS PRECISAM LIDAR

AS DECISÕES REFERENTES AOS CANAIS DE MARKETING ESTÃO ENTRE AS MAIS CRÍTICAS COM QUE AS GERÊNCIAS PRECISAM LIDAR KOTLER, 2006 AS DECISÕES REFERENTES AOS CANAIS DE MARKETING ESTÃO ENTRE AS MAIS CRÍTICAS COM QUE AS GERÊNCIAS PRECISAM LIDAR. OS CANAIS AFETAM TODAS AS OUTRAS DECISÕES DE MARKETING Desenhando a estratégia

Leia mais

Byte Software POLÍTICA COMERCIAL. Parceiros Comerciais/CVB s

Byte Software POLÍTICA COMERCIAL. Parceiros Comerciais/CVB s Byte Software POLÍTICA COMERCIAL Parceiros Comerciais/CVB s 2013 1. Apresentação Este guia descreve o Programa de Parceria Byte Software através de uma estrutura básica, incluindo como participar e, ainda,

Leia mais

RUA TERCEIRA DO PARQUE, 08, 1 ANDAR, SALA 02, GLEBA B. CAMAÇARI-BA. FONE: + 55 (71) 8846-0196 (Aparecida). E-MAIL: consultoria.marca@gmail.

RUA TERCEIRA DO PARQUE, 08, 1 ANDAR, SALA 02, GLEBA B. CAMAÇARI-BA. FONE: + 55 (71) 8846-0196 (Aparecida). E-MAIL: consultoria.marca@gmail. PORTFÓLIO MARCA CONSULTORIA & TREINAMENTOS RUA TERCEIRA DO PARQUE, 08, 1 ANDAR, SALA 02, GLEBA B. CAMAÇARI-BA. FONE: + 55 (71) 8846-0196 (Aparecida). E-MAIL: consultoria.marca@gmail.com SUMÁRIO 1 QUEM

Leia mais

I Fórum Sustentabilidade da Cadeia do Cacau

I Fórum Sustentabilidade da Cadeia do Cacau I Fórum Sustentabilidade da Cadeia do Cacau Produção e Mercado de Cacau com Responsabilidade Socioambiental: Criação de Capacidades em Boas Práticas e Certificação na Cadeia do Cacau do Brasil. Missão:

Leia mais

Gestão. Práticas. Editorial. Geovanne. Acesse online: 01. Indicador de motivo de não venda 02. DRE (demonstração dos resultados do exercício) 03 e 04

Gestão. Práticas. Editorial. Geovanne. Acesse online: 01. Indicador de motivo de não venda 02. DRE (demonstração dos resultados do exercício) 03 e 04 Práticas de Gestão Editorial Geovanne. 02 01. Indicador de motivo de não venda 02. DRE (demonstração dos resultados do exercício) Como faço isso? Acesse online: 03 e 04 www. No inicio da década de 90 os

Leia mais