Alimentação pressiona custo de vida em agosto

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Alimentação pressiona custo de vida em agosto"

Transcrição

1 1 São Paulo, 05 de setembro de 2007 NOTA À IMPRENSA Alimentação pressiona custo de vida em agosto Em agosto, o custo de vida no município de São Paulo apresentou taxa de 0,40%, superior à taxa de julho (-0,30%) em 0,70 ponto percentual (pp). O cálculo é do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE) que indica o grupo Alimentação como o principal responsável pela alta da inflação neste mês, com contribuição de 0,32 pp no cálculo do ICV. Por outro lado, o grupo Transporte pressionou a taxa para baixo, com variação de -0,10 pp. (Tabela 1 e Gráfico 1). TABELA 1 Índice do Custo de Vida (ICV-DIEESE) Taxas, contribuições e ponderações por grupos e subgrupos Município de São Paulo - agosto de 2007 Grupos e subgrupos Variação (%) Contribuição (pp.) Ponderação (%) Total Geral 0,40 0,40 100,00. Alimentação 1,22 0,32 26,01 In natura e semi-elaborados 1,73 0,19 10,77 Indústria da alimentação 1,40 0,14 10,04 Fora do domicílio -0,17-0,01 5,20. Habitação 0,41 0,09 22,67 Locação, impostos e condomínio 0,17 0,01 6,06 Operação do domicílio 0,57 0,07 13,23 Conservação do domicílio 0,23 0,01 3,39. Educação e Leitura 0,51 0,04 7,76 Educação 0,55 0,04 7,27 Leitura 0,00 0,00 0,48. Vestuário -0,30-0,01 3,11 Roupas -0,50-0,01 1,77 Calçados 0,08 0,00 1,16. Transporte -0,57-0,10 16,80 Individual -0,80-0,10 11,88 Coletivo 0,00 0,00 4,92

2 2 Na Alimentação (1,22%), as taxas dos subgrupos foram maiores para os produtos in natura e semi-elaborados (1,73%) e para os da indústria alimentícia (1,40%). A alimentação fora do domicílio (-0,17%) apontou deflação em seus valores. Dentre os produtos in natura e semi-elaborados, as variações de preços não apresentaram comportamento homogêneo. Principais altas: Legumes (14,66%), com aumento generalizado em seus produtos, sendo mais acentuado no chuchu (43,78%), quiabo (22,14%), pepino (19,45%), tomate (17,29%) e abobrinha (12,42%). Leite in natura (4,64%). Carne (2,77%), com maior elevação para a bovina (2,88%) e menor para a suína (1,02%). Aves e Ovos (2,49%), com aumento maior no frango (2,79%) e menor nos ovos (1,35%). Grãos (2,22%), com alta acentuada no feijão (5,54%) e pequena variação no arroz (0,79%). Principais quedas: Raízes e Tubérculos (-7,20%), com baixa na cebola (-19,16%) e batata (-4,96%), e alta na cenoura (6,43%) e mandioca (5,39%). Frutas (-2,83%), muitas acusaram queda em seus valores devido à entrada da safra, principalmente: manga (-24,47%), mamão (-23,74%) e morango (-15,20%). Nos alimentos industrializados, as principais remarcações foram observadas nos leites e seus derivados: leite em pó (12,25%) e leite longa vida (5,02%); queijo minas (13,24%), prato (8,74%), parmesão (7,57%) e mussarela (6,38%); e outros como leite condensado (9,75%) e creme de leite (8,02%). O açúcar (-5,16%) foi, entre os industrializados, o que apresentou a maior queda. No grupo Habitação (0,41%), os subgrupos acusaram as seguintes taxas: locação, impostos e condomínio (0,17%), conservação do domicílio (0,23%) e operação (0,57%). Este último apresentou reajuste na telefonia (2,16%), devido ao aumento ocorrido na assinatura do telefone fixo. A taxa positiva da Educação e Leitura (0,51%) teve origem na alta apurada no subgrupo educação, devido ao aumento em alguns cursos universitários (1,26%) e prévestibulares (0,28%). O subgrupo da leitura não sofreu alteração em seus valores.

3 3 Os grupos Vestuário (-0,30%) e Transporte (-0,57%) apresentaram deflação em seus valores. No primeiro, a queda ocorreu nas roupas (-0,50%), e no segundo, no transporte individual (-0,80%), como conseqüência da baixa no preço do álcool (-7,38%). 1,5% GRÁFICO 1 Índice do Custo de Vida (ICV-DIEESE) Taxas mensais do Índice Geral segundo os grupos Município de São Paulo agosto de ,22% 1,0% 0,5% 0,40% 0,41% 0,51% 0,0% -0,5% -0,57% -1,0% Total Geral. Alimentação. Habitação. Educação. Transporte Índices por estrato de renda Além do índice geral, o DIEESE calcula outros três indicadores de inflação, segundo tercis de estrato de renda das famílias paulistanas: estrato 1, que corresponde à estrutura de gastos de 1/3 das famílias mais pobres (renda média = R$ 377,49 ), estrato 2, que contempla os gastos das famílias com nível intermediário de rendimento (renda média = R$ 934,17 * ), e estrato 3, que reúne as famílias de maior poder aquisitivo (renda média = R$ 2.792,90 * ). Em agosto, o aumento nos preços foi generalizado em todos os estratos de renda, sendo bem menor no estrato 3. No estrato 1, o aumento foi de 0,61%; no estrato 2, de 0,52%, e no estrato 3, de 0,29%. Os níveis de rendimento referem-se aos valores definidos para junho de 1996, quando da implantação da atual ponderação do ICV

4 4 Em relação a julho, os indicadores de inflação registraram alta generalizada, com diferenças maiores para o estrato 1 (0,89 pp.) e o estrato 2 (0,84 pp.), enquanto a menor diferença foi detectada no 3º estrato (0,58 pp.). (Tabela 2). TABELA 2 Índice do Custo de Vida (ICV-DIEESE) Taxa geral e por estrato de renda Município de São Paulo julho e agosto de 2007 Índices Julho de 2007 (%) Agosto 2007 (%) Diferença (pp) Geral -0,30 0,40 0,70 Estrato 1-0,28 0,61 0,89 Estrato 2-0,32 0,52 0,84 Estrato 3-0,29 0,29 0,58 Os aumentos ocorridos nos alimentos e as quedas de preços no transporte individual impactaram as famílias de forma distinta, no mês de agosto, conforme pode ser visualizado no Gráfico 2 e nos dados da Tabela 3. O peso dos alimentos no bolso do consumidor de baixa renda (estrato 1) representa 34,8% de seus gastos, ao passo que para as famílias de maior poder aquisitivo (estrato 3), estas mesmas despesas representam 22,0%, um percentual 12,8 pp inferior. Quanto ao transporte individual, o comportamento é inverso, pois a ponderação deste subgrupo na despesa familiar é de apenas 3,5%, no 1º estrato e 14,9%, para o 3º estrato de renda. Assim, é possível observar que os impactos dos aumentos dos alimentos resultaram em maior contribuição na inflação do estrato 1 (0,50 pp), seguido do 2º estrato (0,46 pp) e com menor efeito no 3º estrato (0,21 pp). Os reajustes no grupo Habitação com origem, principalmente, na telefonia, resultaram em contribuições crescentes de acordo com a renda familiar: estrato 1 (0,08 pp), estrato 2 (0,09 pp) e estrato 3 (0,10 pp). Por outro lado, a queda no transporte beneficiou mais as famílias de maior poder aquisitivo (estrato 3), com contribuição no cálculo de sua taxa de -0,12 pp. A baixa nas taxas dos demais estratos foram menores: -0,03 pp. no estrato 1 e -0,09 pp. no estrato 2.

5 5 TABELA 3 Índice do Custo de Vida (ICV-DIEESE) Taxas e contribuições: geral e por estrato de renda Município de São Paulo - agosto de 2007 Geral Estrato 1 Estrato 2 Estrato 3 Grupos Taxa % Contribuição pp Taxa % Contribuição pp Taxa % Contribuição pp Taxa % Contribuição pp Total Geral 0,40 0,40 0,61 0,61 0,52 0,52 0,29 0,29. Alimentação 1,22 0,32 1,43 0,50 1,52 0,46 0,97 0,21. Habitação 0,41 0,09 0,30 0,08 0,40 0,09 0,44 0,10. Educação e Leitura 0,51 0,04 0,57 0,02 0,48 0,02 0,51 0,05. Saúde 0,14 0,02 0,06 0,01 0,09 0,01 0,17 0,03. Despesas Pessoais 0,53 0,02 0,62 0,03 0,50 0,02 0,51 0,02. Equipamento Doméstico 0,26 0,01 0,45 0,02 0,28 0,01 0,19 0,01. Recreação 0,30 0,00-0,07 0,00 0,36 0,00 0,33 0,01. Despesas Diversas -0,21 0,00-0,22 0,00-0,22 0,00-0,20 0,00. Vestuário -0,30-0,01-0,24-0,01-0,39-0,01-0,22-0,01. Transporte -0,57-0,10-0,22-0,03-0,54-0,09-0,64-0,12 0,60% GRÁFICO 2 Índice do Custo de Vida (ICV-DIEESE) Contribuições para o índice geral e por estrato de renda Município de São Paulo agosto de 2007 Estrato1 Estrato 2 Estrato 3 Geral 0,35% 0,40% 0,32% 0,10% 0,09% 0,04% -0,15% -0,10% Total Geral. Alimentação. Habitação. Educação. Transporte

6 6 Inflação Acumulada Nos últimos 12 meses entre setembro de 2006 e agosto último o ICV-DIEESE acumula alta de 4,41 %. Nos primeiros oito meses deste ano de janeiro a agosto sua taxa é de 2,72%. As taxas anuais, comparando-se janeiro a agosto de 2006 aos mesmos meses de 2007, foram agrupadas em dois períodos. O primeiro compreende de janeiro a abril de 2006 e 2007, e o segundo de maio a agosto. A observação destas taxas revela um comportamento distinto. No primeiro quadrimestre de 2006, as taxas anuais eram mais elevadas, em torno de 3,9%, enquanto o segundo apresentava taxas de 2,6%. Em 2007, estas taxas se invertem, situandose nos quatro primeiros meses em 2,9%, e elevando-se, no quadrimestre seguinte, para um patamar de 4,3%. (Tabela 4 e Gráfico 3). TABELA 4 Índice do Custo de Vida (ICV-DIEESE) Taxas Anuais São Paulo jan/06 a ago/07 Mês/ano 2006 (%) 2007 (%) Janeiro 4,34 2,80 Fevereiro 4,13 2,90 Março 3,83 2,62 Abril 3,26 3,09 Maio 2,47 4,13 Junho 2,44 4,50 Julho 2,47 4,33 Agosto 2,80 4,41 Setembro 2,46 Outubro 2,16 Novembro 2,11 Dezembro 2,57 4,50% 4,00% 3,50% 3,00% 2,50% 2,00% 1,50% 1,00% 0,50% 0,00% GRÁFICO 3 Índice do Custo de Vida (ICV-DIEESE) Taxas Anuais São Paulo jan/06 a ago/07 Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro Uma análise mais desagregada apontou o grupo Alimentação como o grande responsável pela diferença nas taxas inflacionárias dos oito primeiros meses de 2006 (0,91%) e 2007 (2,72%). Em 2006, este grupo (-1,78%) contribuiu para uma queda de -0,46 pp no cálculo do índice deste período. O inverso ocorreu em 2007, quando os alimentos (6,57%) agravaram a taxa inflacionária em 1,66 pp. A Tabela 5 apresenta as taxas acumuladas no ano e em 12 meses para o índice geral e por estrato de renda, segundo os diferentes grupos e subgrupos do ICV-DIEESE. As taxas

7 7 anuais, de setembro de 2006 a agosto de 2007, com relação à renda familiar, indicaram o seguinte comportamento: 1º estrato (5,42%), 2º (4,73%) e 3º (4,05%). Nos primeiros oito meses de 2007, estas taxas foram: estrato 1 (2,68%), estrato 2 (2,50%) e estrato 3 (2,84%). Para uma inflação da ordem de 2,72%, em 2007, os grupos e subgrupos com variações mais diferenciadas foram: Alimentação (6,57%) que registrou alta generalizada em todos os subgrupos: produtos in natura e semi-elaborados (7,62%), indústria alimentícia (6,88%) e alimentação fora do domicílio (3,85%); Educação e Leitura (5,83%) - com forte aumento em seus dois subgrupos, educação (5,93%) e leitura (4,32%); Despesas Pessoais (4,28%) que apresentou elevações semelhantes para os subgrupos: higiene e beleza (4,26%) e fumo e acessórios (4,32%); Vestuário (-2,22%) com deflação nas roupas (-3,94%) e pequena variação nos calçados (0,48%); Equipamento Doméstico (-1,07%) Com queda generalizada e semelhante em todos os seus subgrupos; Transporte (0,14%) Seus subgrupos apresentaram taxas pequenas neste ano: individual (-0,17%) e coletivo (0,88%). Nos últimos 12 meses, de setembro de 2006 a agosto de 2007, a taxa acumulada de inflação é de 4,41%. Os grupos e subgrupos com taxas distintas da anual foram: Alimentação (10,01%) Todos os seus subgrupos apresentaram fortes aumentos. O mais marcante foi o dos produtos in natura e semi-elaborados (14,06%), seguido da indústria alimentícia (7,57%) e da alimentação fora do domicílio (6,76%), Despesas Pessoais (8,65%) As altas foram diferenciadas, chegando a 14,34% no subgrupo fumo e acessórios, mas bem menor para higiene e limpeza (5,13%); Educação e Leitura (5,79%) O subgrupo educação teve reajuste significativo (6,10%) enquanto no referente à leitura a variação foi pequena (1,31%); Equipamento Doméstico (-2,38%) Os subgrupos eletrodomésticos (-3,95%) e rouparia (-5,03%) apresentaram fortes quedas. Já entre os utensílios (-1,36%) e móveis (0,32%) variações foram menos significativas; Vestuário (-2,00%) - houve deflação acentuada nas roupas (-3,18%) e estabilidade de preços nos calçados (-0,23%) e Transporte (2,11%) Neste grupo, apesar de a taxa ser inferior ao índice geral, os seus subgrupos apresentaram variações muito distintas: individual (-2,35%) e coletivo (14,64%).

8 8 TABELA 5 Índice do Custo de Vida (ICV-DIEESE) Taxas acumuladas no ano e em doze meses por grupo e subgrupo Geral e por estrato de renda - Município de São Paulo Grupos e Variação no Ano ( jan/2007 a ago/2007 ) (%) Variação Anual ( set/2006 a ago/2007 ) (%) subgrupos Geral Estrato 1 Estrato 2 Estrato 3 Geral Estrato 1 Estrato 2 Estrato 3 Total Geral 2,72 2,68 2,50 2,84 4,41 5,42 4,73 4,05.Alimentação 6,57 7,05 6,90 6,23 10,01 10,77 10,49 9,42.In natura e semi-elaborados 7,62 8,61 7,65 7,20 14,06 15,26 14,29 13,28.Indústria da alimentação 6,88 6,12 6,90 7,20 7,57 6,86 7,51 7,90.Fora do domicílio 3,85 3,96 4,45 3,65 6,76 6,95 7,32 6,55.Habitação 0,48-1,49-0,55 1,52 1,85 0,38 1,06 2,68.Locação, impostos e condomínio 2,26 1,19 1,22 2,93 4,30 3,43 3,46 4,84.Operação do domicílio -0,94-3,10-2,06 0,37 0,34-1,15-0,45 1,32.Conservação 3,07 2,49 3,31 3,11 3,62 2,96 3,84 3,69.Equipamento Doméstico -1,07-0,58-1,31-1,10-2,38-1,26-3,13-2,23.Eletrodomésticos -0,55 0,40-0,95-0,76-3,95-1,50-5,14-3,88.Utensílios -1,11-1,72-0,68-0,91-1,36-1,01-0,85-1,51.Móveis -1,81-2,07-1,82-1,79 0,32-0,34 0,31 0,34.Rouparia -1,42 0,35-3,12-0,47-5,03-3,91-6,09-4,38.Transporte 0,14 0,57-0,33 0,26 2,11 7,20 3,85 0,80.Individual -0,17-0,86-0,98 0,11-2,35-3,33-3,35-2,00.Coletivo 0,88 1,18 0,58 0,94 14,64 12,37 15,69 15,28.Vestuário -2,22-1,81-1,85-2,36-2,00-1,69-1,91-2,04.Roupas -3,94-3,50-3,62-3,90-3,18-2,85-3,27-3,00.Calçados 0,48 0,49 0,43 0,48-0,23-0,17-0,19-0,32.Educação e Leitura 5,83 4,91 5,39 5,96 5,79 5,20 5,44 5,89.Educação 5,93 5,29 5,55 6,04 6,10 5,50 5,78 6,20.Leitura 4,32-2,83 3,22 4,70 1,31-0,94 1,03 1,41.Saúde 2,78 2,62 2,66 2,86 3,34 2,95 3,01 3,51.Assistência médica 3,07 3,07 3,08 3,08 3,71 3,41 3,48 3,80.Medicamentos e produtos farmacêutico 1,57 1,82 1,48 1,52 1,80 2,12 1,68 1,73.Recreação 1,59 0,67 1,63 1,78 2,26 0,78 2,23 2,55.Produtos -0,58-0,71-0,93-0,41 0,11-0,76-0,42 0,43.Serviços 5,59 3,75 6,12 5,70 6,23 4,23 6,89 6,33.Despesas Pessoais 4,28 4,52 4,48 4,06 8,65 9,51 9,14 8,10.Higiene e beleza 4,26 4,74 4,62 3,90 5,13 5,57 5,47 4,81.Fumo e acessórios 4,32 4,29 4,31 4,33 14,34 14,21 14,33 14,40.Despesas diversas 5,68 3,88 4,00 6,87 6,26 4,48 4,59 7,44. Animais 2,93 2,93 2,93 2,93 3,61 3,61 3,61 3,61.Comunicação 19,05 10,32 10,76 22,39 19,05 10,32 10,76 22,39

9 9 Índice do Custo de Vida no Município de São Paulo - ICV-DIEESE Agosto de 2007 Índice Geral DENOMINAÇÃO VARIAÇÃO CONTRIBUIÇÃO PONDERAÇÃO TOTAL GERAL 0,3975% 0,3975% 100,0000%. Alimentação 1,2210% 0,3176% 26,0099%.. Produtos in natura e semi-elaborados 1,7270% 0,1859% 10,7652%.. Indústria da Alimentação 1,3970% 0,1403% 10,0420%.. Alimentação Fora do Domicílio -0,1661% -0,0086% 5,2027%. Habitação 0,4085% 0,0926% 22,6728%.. Locação,Impostos e Condomínio 0,1661% 0,0101% 6,0554%.. Operação do Domicílio 0,5661% 0,0749% 13,2323%.. Conservação do Domicílio 0,2264% 0,0077% 3,3852%. Equipamentos Domésticos 0,2605% 0,0097% 3,7189%.. Eletrodomésticos e Equipamentos 0,7064% 0,0129% 1,8260%.. Utensílios Domésticos 0,0705% 0,0004% 0,5274%.. Móveis -0,2768% -0,0032% 1,1500%.. Rouparia -0,1859% -0,0004% 0,2155%. Transporte -0,5690% -0,0956% 16,8003%.. Individual -0,8048% -0,0956% 11,8775%.. Coletivo 0,0000% 0,0000% 4,9228%. Vestuário -0,3024% -0,0094% 3,1100%.. Roupas -0,5024% -0,0089% 1,7724%.. Calçados 0,0761% 0,0009% 1,1579%. Educação e Leitura 0,5115% 0,0397% 7,7556%.. Educação 0,5454% 0,0397% 7,2739%.. Leitura 0,0000% 0,0000% 0,4817%. Saúde 0,1428% 0,0208% 14,5742%.. Assistência Médica 0,1304% 0,0153% 11,6967%.. Medicamentos e Produtos Farmacêuticos 0,1632% 0,0046% 2,8319%. Recreação 0,2951% 0,0041% 1,3826%.. Produtos 0,0092% 0,0001% 0,8800%.. Serviços 0,7955% 0,0040% 0,5026%. Despesas Pessoais 0,5299% 0,0189% 3,5647%.. Higiene e Beleza 0,8759% 0,0186% 2,1241%.. Fumo e Acessórios 0,0196% 0,0003% 1,4407%. Despesas diversas -0,2065% -0,0008% 0,4111%.. Animais -0,2556% -0,0008% 0,3321%.. Comunicação 0,0000% 0,0000% 0,0790%

10 10. Índice do Custo de Vida no Município de São Paulo ICV-DIEESE Agosto de 2007 Estrato 1 - Famílias com renda inferior (renda média = R$ 377,49*) (em%) DENOMINAÇÃO VARIAÇÃO CONTRIBUIÇÃO PONDERAÇÃO Total Geral 0,6129% 0,6129% 100,0000%. Alimentação 1,4312% 0,4976% 34,7672%.. Produtos in natura e semi-elaborados 1,7993% 0,3006% 16,7091%.. Indústria da Alimentação 1,3990% 0,1963% 14,0289%.. Alimentação fora do domicílio 0,0166% 0,0007% 4,0292%. Habitação 0,3011% 0,0764% 25,3578%.. Locação, impostos e condomínio 0,1747% 0,0107% 6,1028%.. Operação do domicílio 0,3712% 0,0608% 16,3762%.. Conservação do domicílio 0,1700% 0,0049% 2,8788%. Equipamento Doméstico 0,4502% 0,0160% 3,5495%.. Eletrodomésticos e equipamentos 1,1498% 0,0217% 1,8899%.. Utensílios domésticos -0,0024% 0,0000% 0,5498%.. Móveis -0,6614% -0,0061% 0,9217%.. Rouparia 0,1907% 0,0004% 0,1881%. Transporte -0,2214% -0,0260% 11,7440%.. Individual -0,7417% -0,0260% 3,5057%.. Coletivo 0,0000% 0,0000% 8,2383%. Vestuário -0,2412% -0,0082% 3,3906%.. Roupas -0,3543% -0,0064% 1,8183%.. Calçados 0,0198% 0,0003% 1,4279%. Educação e leitura 0,5726% 0,0213% 3,7115%.. Educação 0,5986% 0,0213% 3,5504%.. Leitura 0,0000% 0,0000% 0,1612%. Saúde 0,0559% 0,0063% 11,3417%.. Assistência médica 0,0258% 0,0019% 7,3308%.. Medicamentos e produtos farmacêuticos 0,1110% 0,0045% 4,0109%. Recreação -0,0654% -0,0005% 0,7564%.. Produtos -0,2941% -0,0015% 0,5158%.. Serviços 0,4249% 0,0010% 0,2406%. Despesas Pessoais 0,6235% 0,0310% 4,9727%.. Higiene e beleza 1,1670% 0,0303% 2,5947%.. Fumo e acessórios 0,0304% 0,0007% 2,3780%. Despesas Diversas -0,2205% -0,0009% 0,4086%.. Animais -0,2556% -0,0009% 0,3525%.. Comunicação 0,0000% 0,0000% 0,0561%

11 11 Índice do Custo de Vida no Município de São Paulo ICV-DIEESE Agosto de 2007 Estrato 2 - Famílias com renda intermediária (renda média = R$ 934,17*) (em%) DENOMINAÇÃO VARIAÇÃO CONTRIBUIÇÃO PONDERAÇÃO TOTAL GERAL 0,5240% 0,5240% 100,0000%. Alimentação 1,5154% 0,4600% 30,3576%.. Produtos in natura e semi-elaborados 1,9533% 0,2710% 13,8724%.. Indústria da alimentação 1,4313% 0,1761% 12,3010%.. Alimentação fora do domicílio 0,3105% 0,0130% 4,1842%. Habitação 0,4019% 0,0933% 23,2134%.. Locação, impostos e condomínio 0,1855% 0,0104% 5,5935%.. Operação do domicílio 0,5057% 0,0724% 14,3233%.. Conservação do domicílio 0,3183% 0,0105% 3,2966%. Equipamentos Domésticos 0,2844% 0,0123% 4,3135%.. Eletrodomésticos e equipamentos 0,7099% 0,0160% 2,2595%.. Utensílios domésticos -0,0037% 0,0000% 0,4846%.. Móveis -0,2190% -0,0029% 1,3131%.. Rouparia -0,3428% -0,0009% 0,2562%. Transporte -0,5407% -0,0858% 15,8604%.. Individual -0,9306% -0,0857% 9,2140%.. Coletivo 0,0000% 0,0000% 6,6464%. Vestuário -0,3931% -0,0138% 3,5081%.. Roupas -0,7717% -0,0142% 1,8399%.. Calçados 0,0889% 0,0013% 1,4565%. Educação e Leitura 0,4836% 0,0222% 4,5907%.. Educação 0,5191% 0,0222% 4,2766%.. Leitura 0,0000% 0,0000% 0,3141%. Saúde 0,0940% 0,0118% 12,6012%.. Assistência Médica 0,0490% 0,0045% 9,2443%.. Medicamentos e produtos farmacêuticos 0,1853% 0,0061% 3,2976%. Recreação 0,3584% 0,0042% 1,1614%.. Produtos 0,0599% 0,0004% 0,7235%.. Serviços 0,8516% 0,0037% 0,4379%. Despesas Pessoais 0,5034% 0,0205% 4,0684%.. Higiene e beleza 0,8781% 0,0201% 2,2939%.. Fumo e acessórios 0,0189% 0,0003% 1,7744%. Despesas diversas -0,2185% -0,0007% 0,3254%.. Animais -0,2556% -0,0007% 0,2782%.. Comunicação 0,0000% 0,0000% 0,0472% * Valores de junho de 1996, quando foi introduzida a ponderação atual do ICV

12 12 Índice do Custo de Vida no Município de São Paulo - ICV-DIEESE Agosto de 2007 Estrato 3 - Famílias com renda superior (renda média = R$ 2.792,90*) (em%) DENOMINAÇÃO VARIAÇÃO CONTRIBUIÇÃO PONDERAÇÃO Total Geral 0,2921% 0,2921% 100,0000%. Alimentação 0,9682% 0,2126% 21,9626%.. Produtos in natura e semi-elaborados 1,5567% 0,1236% 7,9374%.. Indústria da alimentação 1,3660% 0,1103% 8,0755%.. Alimentação fora do domicílio -0,3567% -0,0212% 5,9497%. Habitação 0,4394% 0,0963% 21,9121%.. Locação, impostos e condomínio 0,1567% 0,0098% 6,2417%.. Operação do domicílio 0,6523% 0,0792% 12,1367%.. Conservação do domicílio 0,2076% 0,0073% 3,5337%. Equipamentos Domésticos 0,1919% 0,0068% 3,5299%.. Eletrodomésticos e equipamentos 0,5642% 0,0093% 1,6406%.. Utensílios domésticos 0,1434% 0,0008% 0,5473%.. Móveis -0,2478% -0,0028% 1,1362%.. Rouparia -0,2190% -0,0005% 0,2058%. Transporte -0,6380% -0,1168% 18,3086%.. Individual -0,7824% -0,1168% 14,9291%.. Coletivo 0,0000% 0,0000% 3,3795%. Vestuário -0,2203% -0,0062% 2,7936%.. Roupas -0,3068% -0,0052% 1,6977%.. Calçados 0,0432% 0,0004% 0,9264%. Educação e Leitura 0,5082% 0,0510% 10,0379%.. Educação 0,5420% 0,0510% 9,4107%.. Leitura 0,0000% 0,0000% 0,6272%. Saúde 0,1746% 0,0286% 16,3588%.. Assistência Médica 0,1678% 0,0235% 14,0124%.. Medicamentos e produtos farmacêuticos 0,1755% 0,0040% 2,2960%. Recreação 0,3261% 0,0054% 1,6448%.. Produtos 0,0382% 0,0004% 1,0354%.. Serviços 0,8152% 0,0050% 0,6094%. Despesas Pessoais 0,5055% 0,0152% 3,0166%.. Higiene e beleza 0,7871% 0,0151% 1,9163%.. Fumo e acessórios 0,0149% 0,0002% 1,1003%. Despesas Diversas -0,1964% -0,0009% 0,4350%.. Animais -0,2556% -0,0009% 0,3342%.. Comunicação 0,0000% 0,0000% 0,1009% * Valores de junho de 1996, quando foi introduzida a ponderação atual do ICV

13 13 Variações acumuladas dos itens componentes do ICV-DIEESE Índice Geral DENOMINAÇÃO MENSAL TRIMESTRAL SEMESTRAL NO ANO ANUAL Ago/07 Jun/2007 a Mar/2007 a Jan/2007 a Set/2006 a Total Geral 0,3975% 0,2450% 1,5391% 2,7213% 4,4076%.Alimentação 1,2210% 3,2819% 4,9730% 6,5694% 10,0073%.In natura e semi-elaborados 1,7270% 4,0925% 5,5087% 7,6180% 14,0603%.Indústria da alimentação 1,3970% 3,7891% 5,6920% 6,8787% 7,5672%.Fora do domicílio -0,1661% 0,6645% 2,5081% 3,8461% 6,7556%.Habitação 0,4085% -1,4013% 0,5531% 0,4815% 1,8527%.Locação, impostos e condomínio 0,1661% -0,7786% 2,9209% 2,2628% 4,3004%.Operação do domicílio 0,5661% -2,5813% -1,0622% -0,9384% 0,3429%.Conservação 0,2264% 2,3125% 2,9114% 3,0681% 3,6221%.Equipamento Doméstico 0,2605% -0,6226% -1,1360% -1,0692% -2,3754%.Eletrodomésticos 0,7064% -0,2907% -0,8111% -0,5489% -3,9528%.Utensílios 0,0705% -0,0673% -0,1192% -1,1054% -1,3638%.Móveis -0,2768% -1,4374% -2,1961% -1,8112% 0,3195%.Rouparia -0,1859% -0,4244% -0,6594% -1,4180% -5,0331%.Transporte -0,5690% -2,5410% -1,4543% 0,1369% 2,1089%.Individual -0,8048% -3,7249% -2,2146% -0,1703% -2,3495%.Coletivo 0,0000% 0,4143% 0,4143% 0,8802% 14,6355%.Vestuário -0,3024% -1,0039% -0,7489% -2,2173% -2,0040%.Roupas -0,5024% -1,8953% -1,6747% -3,9417% -3,1753%.Calçados 0,0761% 0,2703% 0,8118% 0,4788% -0,2255%.Educação e Leitura 0,5115% 0,5654% 0,7489% 5,8285% 5,7933%.Educação 0,5454% 0,5745% 0,7402% 5,9295% 6,1026%.Leitura 0,0000% 0,4281% 0,8805% 4,3196% 1,3100%.Saúde 0,1428% 0,3897% 1,5543% 2,7837% 3,3376%.Assistência médica 0,1304% 0,4169% 1,3755% 3,0747% 3,7077%.Medicamentos e produtos farmacêuticos 0,1632% 0,2324% 2,2521% 1,5731% 1,8029%.Recreação 0,2951% 1,1005% 1,3423% 1,5920% 2,2628%.Produtos 0,0092% -0,4294% -0,6154% -0,5753% 0,1111%.Serviços 0,7955% 3,8728% 4,9329% 5,5901% 6,2288%.Despesas Pessoais 0,5299% 3,0089% 4,0306% 4,2817% 8,6496%.Higiene e beleza 0,8759% 2,1498% 3,7874% 4,2581% 5,1321%.Fumo e acessórios 0,0196% 4,3131% 4,3938% 4,3161% 14,3376%.Despesas Diversas -0,2065% 0,5715% 6,0957% 5,6814% 6,2608%.Animais -0,2556% 0,7088% 3,4132% 2,9260% 3,6075%.Comunicação 0,0000% 0,0000% 19,0462% 19,0462% 19,0462%

14 14 Variações acumuladas dos itens componentes do ICV-DIEESE Estrato 1 DENOMINAÇÃO MENSAL TRIMESTRAL SEMESTRAL NO ANO ANUAL Ago/07 Jun/2007 a Mar/2007 a Jan/2007 a Set/2006 a Total Geral 0,6129% 0,8106% 1,8851% 2,6756% 5,4208%.Alimentação 1,4312% 3,8858% 5,5244% 7,0469% 10,7658%.In natura e semi-elaborados 1,7993% 5,0759% 6,7824% 8,6057% 15,2597%.Indústria da alimentação 1,3990% 3,3583% 4,8909% 6,1192% 6,8634%.Fora do domicílio 0,0166% 0,8804% 2,6096% 3,9574% 6,9524%.Habitação 0,3011% -2,3834% -1,4041% -1,4883% 0,3754%.Locação, impostos e condomínio 0,1747% -1,0041% 2,1297% 1,1873% 3,4292%.Operação do domicílio 0,3712% -3,7200% -3,2899% -3,1007% -1,1457%.Conservação 0,1700% 2,7096% 2,4684% 2,4860% 2,9599%.Equipamento Doméstico 0,4502% -0,6135% -0,8545% -0,5772% -1,2611%.Eletrodomésticos 1,1498% 0,2416% -0,1213% 0,4025% -1,5030%.Utensílios -0,0024% -1,0185% -0,8317% -1,7242% -1,0087%.Móveis -0,6614% -2,2024% -2,5915% -2,0720% -0,3369%.Rouparia 0,1907% -0,1816% 0,2978% 0,3497% -3,9131%.Transporte -0,2214% -0,5866% -0,1005% 0,5673% 7,1978%.Individual -0,7417% -4,0323% -2,4898% -0,8576% -3,3306%.Coletivo 0,0000% 0,9444% 0,9444% 1,1815% 12,3669%.Vestuário -0,2412% -0,6577% -0,6658% -1,8127% -1,6891%.Roupas -0,3543% -1,4102% -1,6600% -3,5037% -2,8536%.Calçados 0,0198% 0,2245% 0,7160% 0,4925% -0,1689%.Educação e Leitura 0,5726% 0,6340% 0,7739% 4,9136% 5,2028%.Educação 0,5986% 0,6449% 0,7722% 5,2923% 5,4978%.Leitura 0,0000% 0,3958% 0,8138% -2,8272% -0,9355%.Saúde 0,0559% 0,2930% 1,6676% 2,6234% 2,9512%.Assistência médica 0,0258% 0,3052% 1,2867% 3,0692% 3,4144%.Medicamentos e produtos farmacêuticos 0,1110% 0,2707% 2,3705% 1,8192% 2,1162%.Recreação -0,0654% 0,2666% 0,5409% 0,6704% 0,7829%.Produtos -0,2941% -0,6951% -0,6246% -0,7140% -0,7582%.Serviços 0,4249% 2,3766% 3,1143% 3,7491% 4,2273%.Despesas Pessoais 0,6235% 3,3755% 4,3164% 4,5229% 9,5102%.Higiene e beleza 1,1670% 2,5559% 4,2269% 4,7357% 5,5733%.Fumo e acessórios 0,0304% 4,2953% 4,4153% 4,2891% 14,2102%.Despesas Diversas -0,2205% 0,6106% 4,3124% 3,8847% 4,4828%.Animais -0,2556% 0,7088% 3,4132% 2,9260% 3,6075%.Comunicação 0,0000% 0,0000% 10,3198% 10,3198% 10,3198%

15 15 Variações acumuladas dos itens componentes do ICV-DIEESE Estrato 2 DENOMINAÇÃO MENSAL TRIMESTRAL SEMESTRAL NO ANO ANUAL Ago/07 Jun/2007 a Mar/2007 a Jan/2007 a Set/2006 a Total Geral 0,5240% 0,4165% 1,5452% 2,5021% 4,7261%.Alimentação 1,5154% 3,6551% 5,2533% 6,9002% 10,4918%.In natura e semi-elaborados 1,9533% 4,2326% 5,6168% 7,6547% 14,2878%.Indústria da alimentação 1,4313% 3,8764% 5,6302% 6,8955% 7,5135%.Fora do domicílio 0,3105% 1,1262% 2,9669% 4,4468% 7,3180%.Habitação 0,4019% -1,8027% -0,4630% -0,5527% 1,0622%.Locação, impostos e condomínio 0,1855% -0,8755% 2,0983% 1,2245% 3,4582%.Operação do domicílio 0,5057% -3,0855% -2,2020% -2,0640% -0,4465%.Conservação 0,3183% 2,4777% 3,1357% 3,3139% 3,8374%.Equipamento Doméstico 0,2844% -0,6527% -1,2979% -1,3126% -3,1326%.Eletrodomésticos 0,7099% -0,4828% -1,1657% -0,9485% -5,1392%.Utensílios -0,0037% 0,2372% 0,3882% -0,6776% -0,8531%.Móveis -0,2190% -1,2638% -2,0359% -1,8153% 0,3144%.Rouparia -0,3428% -0,6823% -1,8017% -3,1159% -6,0878%.Transporte -0,5407% -2,3437% -1,4788% -0,3272% 3,8472%.Individual -0,9306% -4,1681% -2,7199% -0,9804% -3,3541%.Coletivo 0,0000% 0,2784% 0,2784% 0,5840% 15,6864%.Vestuário -0,3931% -1,1311% -0,6846% -1,8474% -1,9096%.Roupas -0,7717% -2,2377% -1,6874% -3,6223% -3,2735%.Calçados 0,0889% 0,2057% 0,7155% 0,4279% -0,1943%.Educação e Leitura 0,4836% 0,5515% 0,7239% 5,3868% 5,4391%.Educação 0,5191% 0,5632% 0,7182% 5,5491% 5,7764%.Leitura 0,0000% 0,3917% 0,8053% 3,2173% 1,0314%.Saúde 0,0940% 0,3215% 1,5166% 2,6597% 3,0099%.Assistência médica 0,0490% 0,3315% 1,2500% 3,0771% 3,4777%.Medicamentos e produtos farmacêuticos 0,1853% 0,2427% 2,2171% 1,4770% 1,6790%.Recreação 0,3584% 1,2201% 1,4163% 1,6282% 2,2329%.Produtos 0,0599% -0,4182% -0,8330% -0,9299% -0,4151%.Serviços 0,8516% 4,0254% 5,3326% 6,1204% 6,8924%.Despesas Pessoais 0,5034% 3,1133% 4,2336% 4,4849% 9,1406%.Higiene e beleza 0,8781% 2,2135% 4,1162% 4,6181% 5,4662%.Fumo e acessórios 0,0189% 4,3106% 4,3872% 4,3120% 14,3343%.Despesas Diversas -0,2185% 0,6052% 4,4204% 3,9956% 4,5897%.Animais -0,2556% 0,7088% 3,4132% 2,9260% 3,6075%.Comunicação 0,0000% 0,0000% 10,7575% 10,7575% 10,7575%

16 16 Variações acumuladas dos itens componentes do ICV - DIEESE Estrato 3 DENOMINAÇÃO MENSAL TRIMESTRAL SEMESTRAL NO ANO ANUAL Ago/07 Jun/2007 a Mar/2007 a Jan/2007 a Set/2006 a Total Geral 0,2921% 0,0308% 1,4373% 2,8382% 4,0513%.Alimentação 0,9682% 2,8018% 4,5302% 6,2276% 9,4175%.In natura e semi-elaborados 1,5567% 3,4395% 4,6025% 7,2047% 13,2844%.Indústria da alimentação 1,3660% 3,9103% 6,0890% 7,1977% 7,8952%.Fora do domicílio -0,3567% 0,4800% 2,3577% 3,6481% 6,5481%.Habitação 0,4394% -0,9225% 1,5800% 1,5216% 2,6784%.Locação, impostos e condomínio 0,1567% -0,6866% 3,4339% 2,9323% 4,8410%.Operação do domicílio 0,6523% -1,9060% 0,2795% 0,3686% 1,3215%.Conservação 0,2076% 2,1835% 2,9274% 3,1126% 3,6926%.Equipamento Doméstico 0,1919% -0,6498% -1,1981% -1,0985% -2,2252%.Eletrodomésticos 0,5642% -0,4395% -1,0157% -0,7593% -3,8775%.Utensílios 0,1434% 0,2158% 0,0444% -0,9116% -1,5126%.Móveis -0,2478% -1,4340% -2,2457% -1,7893% 0,3447%.Rouparia -0,2190% -0,2625% -0,0801% -0,4701% -4,3822%.Transporte -0,6380% -2,9234% -1,6611% 0,2593% 0,8033%.Individual -0,7824% -3,6028% -2,0698% 0,1056% -2,0037%.Coletivo 0,0000% 0,1709% 0,1709% 0,9387% 15,2755%.Vestuário -0,2203% -1,0294% -0,7241% -2,3649% -2,0440%.Roupas -0,3068% -1,8069% -1,5011% -3,8955% -3,0028%.Calçados 0,0432% 0,2799% 0,8710% 0,4764% -0,3202%.Educação e Leitura 0,5082% 0,5593% 0,7531% 5,9593% 5,8933%.Educação 0,5420% 0,5669% 0,7427% 6,0431% 6,2039%.Leitura 0,0000% 0,4411% 0,9074% 4,7045% 1,4142%.Saúde 0,1746% 0,4289% 1,5379% 2,8585% 3,5129%.Assistência médica 0,1678% 0,4562% 1,4185% 3,0758% 3,8029%.Medicamentos e produtos farmacêuticos 0,1755% 0,2023% 2,2076% 1,5165% 1,7349%.Recreação 0,3261% 1,2203% 1,4791% 1,7791% 2,5464%.Produtos 0,0382% -0,3674% -0,5260% -0,4117% 0,4274%.Serviços 0,8152% 4,0152% 5,0495% 5,6994% 6,3288%.Despesas Pessoais 0,5055% 2,8183% 3,8026% 4,0577% 8,1025%.Higiene e beleza 0,7871% 1,9794% 3,4717% 3,9019% 4,8129%.Fumo e acessórios 0,0149% 4,3241% 4,3883% 4,3321% 14,4034%.Despesas Diversas -0,1964% 0,5431% 7,2776% 6,8749% 7,4380%.Animais -0,2556% 0,7088% 3,4132% 2,9260% 3,6075%.Comunicação 0,0000% 0,0000% 22,3914% 22,3914% 22,3914%

Diminui ritmo de reajustes dos preços dos alimentos

Diminui ritmo de reajustes dos preços dos alimentos 1 São Paulo, 06 de junho de 2014. NOTA À IMPRENSA Diminui ritmo de reajustes dos preços dos alimentos Em maio, o custo de vida no município de São Paulo aumentou 0,14%, segundo cálculo do DIEESE Departamento

Leia mais

Apesar de menor, deflação continua

Apesar de menor, deflação continua 1 São Paulo, 06 de julho de 2006. NOTA À IMPRENSA Apesar de menor, deflação continua Pelo terceiro mês consecutivo, o Índice do Custo de Vida (ICV) calculado pelo DIEESE - Departamento Intersindical de

Leia mais

ICV-DEESE fica em 6,04%, em 2013

ICV-DEESE fica em 6,04%, em 2013 1 São Paulo, 8 de janeiro de 2014. ICV-DEESE fica em 6,04%, em 2013 NOTA À IMPRENSA Em 2013, o Índice do Custo de Vida ICV calculado pelo DIEESE Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos

Leia mais

Alimentos e eletricidade respondem pela deflação em São Paulo

Alimentos e eletricidade respondem pela deflação em São Paulo Alimentos e eletricidade respondem pela deflação em São Paulo Pelo segundo mês consecutivo, o custo de vida no município de São Paulo registrou taxa negativa de 0,17%, segundo cálculo do DIEESE - Departamento

Leia mais

Alimentos, combustíveis e mensalidades escolares pressionam o Custo de Vida em São Paulo

Alimentos, combustíveis e mensalidades escolares pressionam o Custo de Vida em São Paulo 1 São Paulo, 12 de fevereiro de 2016. NOTA À IMPRENSA Alimentos, combustíveis e mensalidades escolares pressionam o Custo de Vida em São Paulo No primeiro mês do ano, o Índice do Custo de Vida no município

Leia mais

Análise: O preço dos alimentos nos últimos 3 anos e 4 meses

Análise: O preço dos alimentos nos últimos 3 anos e 4 meses 1 São Paulo, 7 de maio de 2008. NOTA À IMPRENSA Análise: O preço dos alimentos nos últimos 3 anos e 4 meses O comportamento recente do preço dos alimentícios tem sido motivo de preocupação, uma vez que

Leia mais

BOLETIM MENSAL Ano 26 No 06 Junho 2010

BOLETIM MENSAL Ano 26 No 06 Junho 2010 BOLETIM MENSAL Ano 26 N o 06 Junho 2010 Apoio: UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS, LETRAS E ARTES DEPARTAMENTO DE ECONOMIA ÍNDICE DE PREÇOS AO CONSUMIDOR DE VIÇOSA (IPC-VIÇOSA) Coordenador

Leia mais

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC Abril 2015

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC Abril 2015 ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC Abril 2015 Rio de Janeiro, 08 de maio de 2015 SISTEMA NACIONAL DE ÍNDICES DE PREÇOS AO CONSUMIDOR COMENTÁRIOS Abril 2015 ÍNDICE NACIONAL DE PREÇOS

Leia mais

BOLETIM MENSAL Ano 27 No 09 Setembro 2011

BOLETIM MENSAL Ano 27 No 09 Setembro 2011 BOLETIM MENSAL Ano 27 N o 09 Setembro 2011 Apoio: UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS, LETRAS E ARTES DEPARTAMENTO DE ECONOMIA ÍNDICE DE PREÇOS AO CONSUMIDOR DE VIÇOSA (IPC-VIÇOSA)

Leia mais

BOLETIM MENSAL Ano 30 No 01 Janeiro 2014

BOLETIM MENSAL Ano 30 No 01 Janeiro 2014 BOLETIM MENSAL Ano 30 N o 01 Janeiro 2014 Apoio: UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS, LETRAS E ARTES DEPARTAMENTO DE ECONOMIA ÍNDICE DE PREÇOS AO CONSUMIDOR DE VIÇOSA (IPC-VIÇOSA)

Leia mais

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC Maio 2015

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC Maio 2015 ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC Maio 2015 Rio de Janeiro, 10 de junho de 2015 SISTEMA NACIONAL DE ÍNDICES DE PREÇOS AO CONSUMIDOR COMENTÁRIOS Maio 2015 ÍNDICE NACIONAL DE PREÇOS AO

Leia mais

UNIVERSIDADE DE TAUBATÉ PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO DEPARTAMENTO DE ECONOMIA, CONTÁBEIS E ADMINISTRAÇÃO - ECA NÚCLEO DE PESQUISAS ECONÔMICO-SOCIAIS NUPES

UNIVERSIDADE DE TAUBATÉ PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO DEPARTAMENTO DE ECONOMIA, CONTÁBEIS E ADMINISTRAÇÃO - ECA NÚCLEO DE PESQUISAS ECONÔMICO-SOCIAIS NUPES UNIVERSIDADE DE TAUBATÉ PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO DEPARTAMENTO DE ECONOMIA, CONTÁBEIS E ADMINISTRAÇÃO - ECA NÚCLEO DE PESQUISAS ECONÔMICO-SOCIAIS NUPES 1. CESTA BÁSICA FAMILIAR No mês de dezembro 2014,

Leia mais

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC Fevereiro 2007 Rio de Janeiro, 09 de março de 2007 SISTEMA NACIONAL DE ÍNDICES DE PREÇOS AO CONSUMIDOR COMENTÁRIOS FEVEREIRO DE 2007 ÍNDICE NACIONAL

Leia mais

ÍNDICE NACIONAL DE PREÇOS AO CONSUMIDOR (INPC) E A CESTA BÁSICA DEZEMBRO/2010

ÍNDICE NACIONAL DE PREÇOS AO CONSUMIDOR (INPC) E A CESTA BÁSICA DEZEMBRO/2010 1. INTRODUÇÃO O Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (IPECE) apresenta os resultados do Índice Nacional de Preços ao Consumidor e a Cesta Básica para a Região Metropolitana de Fortaleza.

Leia mais

F E V E R E I R O / 9 3

F E V E R E I R O / 9 3 G O V E R N A D O R D O E S T A D O - G E R A L D O B U L H Õ E S B A R R O S ESTADO DE ALAGOAS SECRETARIA DE PLANEJAMENTO SEPLAN FUNDAÇÃO INSTITUTO DE PLANEJAMENTO FIPLAN INSTITUTO DE INFORMÁTICA - IFOR

Leia mais

EDUCAÇÃO SOBE MAIS QUE INFLAÇÃO NOS ÚLTIMOS SETE ANOS

EDUCAÇÃO SOBE MAIS QUE INFLAÇÃO NOS ÚLTIMOS SETE ANOS SÃO PAULO, 19 DE FEVEREIRO DE 2004. EDUCAÇÃO SOBE MAIS QUE INFLAÇÃO NOS ÚLTIMOS SETE ANOS TODO INÍCIO DE ANO, PAIS, ESTUDANTES E ESPECIALISTAS EM INFLAÇÃO SE PREPARAM PARA O REAJUSTE DAS MENSALIDADES ESCOLARES

Leia mais

Diretoria de Pesquisas Coordenação de Índices de Preços - COINP. Sistema Nacional de Índices de Preços ao Consumidor SNIPC.

Diretoria de Pesquisas Coordenação de Índices de Preços - COINP. Sistema Nacional de Índices de Preços ao Consumidor SNIPC. Diretoria de Pesquisas Coordenação de Índices de Preços - COINP Sistema Nacional de Índices de Preços ao Consumidor SNIPC setembro 2012 Data 05/10/2012 IPCA IPCA setembro 0,57 % agosto 0,41 % IPCA - Série

Leia mais

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC Janeiro 2006

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC Janeiro 2006 ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC Janeiro 2006 Rio de Janeiro, 09 de fevereiro de 2006 SISTEMA NACIONAL DE ÍNDICES DE PREÇOS AO CONSUMIDOR COMENTÁRIOS JANEIRO DE 2006 ÍNDICE NACIONAL

Leia mais

BOLETIM MENSAL 30 - Nº 11 31 - Nº

BOLETIM MENSAL 30 - Nº 11 31 - Nº BOLETIM MENSAL Ano Ano 30 31 - Nº Nº 11 01 Novembro Janeiro - 2014 1-2015 Universidade Federal de Viçosa Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes Departamento de Economia ÍNDICE DE PREÇOS AO CONSUMIDOR

Leia mais

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC julho 2014

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC julho 2014 ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC julho 2014 Rio de Janeiro, 08 de agosto de 2014 SISTEMA NACIONAL DE ÍNDICES DE PREÇOS AO CONSUMIDOR COMENTÁRIOS Julho 2014 ÍNDICE NACIONAL DE PREÇOS

Leia mais

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC Fevereiro 2005

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC Fevereiro 2005 ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC Fevereiro 2005 Rio de Janeiro, 11 de março de 2005 SISTEMA NACIONAL DE ÍNDICES DE PREÇOS AO CONSUMIDOR COMENTÁRIOS FEVEREIRO DE 2005 ÍNDICE NACIONAL

Leia mais

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR Agosto 2015

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR Agosto 2015 ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR Agosto 2015 Rio de Janeiro, 10 de setembro de 2015 SISTEMA NACIONAL DE ÍNDICES DE PREÇOS AO CONSUMIDOR COMENTÁRIOS Agosto 2015 ÍNDICE NACIONAL DE PREÇOS AO CONSUMIDOR

Leia mais

IGP-M registra variação de 0,18% em julho

IGP-M registra variação de 0,18% em julho Segundo Decêndio Março de 2014 IGP-M registra variação de 0,18% em julho O Índice Geral de Preços Mercado (IGP-M) variou 0,18%, em julho. Em junho, o índice variou 1,69%. Em julho de 2015, a variação foi

Leia mais

IPCA setembro 2014 Data 08/10/2014

IPCA setembro 2014 Data 08/10/2014 Diretoria de Pesquisas Coordenação de Índices de Preços - COINP Sistema Nacional de Índices de Preços ao Consumidor SNIPC IPCA setembro 2014 Data 08/10/2014 IPCA Setembro 0,57 % Agosto 0,25 % IPCA Regiões

Leia mais

Custo da cesta básica tem forte alta na maioria das capitais em 2010

Custo da cesta básica tem forte alta na maioria das capitais em 2010 1 São Paulo, 11 de janeiro de 2011. NOTA À IMPRENSA Custo da cesta básica tem forte alta na maioria das capitais em 2010 Catorze, das 17 capitais onde o DIEESE - Departamento Intersindical de Estatística

Leia mais

PROJETO DE PESQUISA EMPRESA JÚNIOR FABAVI VITÓRIA DIRETORIA DE PROJETOS SOCIAIS. Projeto: CESTA BÁSICA DA CLASSE MÉDIA CAPIXABA

PROJETO DE PESQUISA EMPRESA JÚNIOR FABAVI VITÓRIA DIRETORIA DE PROJETOS SOCIAIS. Projeto: CESTA BÁSICA DA CLASSE MÉDIA CAPIXABA EMPRESA JÚNIOR FABAVI VITÓRIA DIRETORIA DE PROJETOS SOCIAIS PROJETO DE PESQUISA Projeto: CESTA BÁSICA DA CLASSE MÉDIA CAPIXABA Período: Janeiro a Dezembro de 2012 Vitória, dezembro de 2012 Cesta Básica

Leia mais

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC dezembro 2013

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC dezembro 2013 ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC dezembro 2013 Rio de Janeiro, 10 de janeiro de 2014 SISTEMA NACIONAL DE ÍNDICES DE PREÇOS AO CONSUMIDOR COMENTÁRIOS Dezembro 2013 1. No mês 1.1 - ÍNDICE

Leia mais

Universidade Anhanguera - Uniderp Núcleo de Estudos e Pesquisas Econômicas e Sociais - NEPES. Índice de Preços ao Consumidor de Campo Grande

Universidade Anhanguera - Uniderp Núcleo de Estudos e Pesquisas Econômicas e Sociais - NEPES. Índice de Preços ao Consumidor de Campo Grande Universidade Anhanguera - Uniderp Núcleo de Estudos e Pesquisas Econômicas e Sociais - NEPES Índice de Preços ao Consumidor de Campo Grande IPC/CG IPC/CG - Fevereiro de 2010 0,42% Campo Grande MS NÚCLEO

Leia mais

ÍNDICE UNIFAFIBE DO CUSTO DA CESTA BÁSICA DE BEBEDOURO BOLETIM ANUAL 2011 Destaques:

ÍNDICE UNIFAFIBE DO CUSTO DA CESTA BÁSICA DE BEBEDOURO BOLETIM ANUAL 2011 Destaques: 1 ÍNDICE UNIFAFIBE DO CUSTO DA CESTA BÁSICA DE BEBEDOURO BOLETIM ANUAL Destaques: Inflação anual da cesta básica de Bebedouro é de 5,12%, aumento de R$ 23,56. Aumento da cesta foi puxado por alimentos.

Leia mais

BOLETIM MENSAL Ano 25 No 05 Maio 2009

BOLETIM MENSAL Ano 25 No 05 Maio 2009 BOLETIM MENSAL Ano 25 N o 05 Maio 2009 Apoio: UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS, LETRAS E ARTES DEPARTAMENTO DE ECONOMIA ÍNDICE DE PREÇOS AO CONSUMIDOR DE VIÇOSA (IPC-VIÇOSA) Coordenador

Leia mais

IPCA Abril 2015. Sistema Nacional de Índices de Preços ao Consumidor SNIPC. Diretoria de Pesquisas Coordenação de Índices de Preços - COINP

IPCA Abril 2015. Sistema Nacional de Índices de Preços ao Consumidor SNIPC. Diretoria de Pesquisas Coordenação de Índices de Preços - COINP Diretoria de Pesquisas Coordenação de Índices de Preços - COINP Sistema Nacional de Índices de Preços ao Consumidor SNIPC IPCA Abril 2015 Data 08/05/2015 IPCA Abril 0,71 % Março 1,32 % Fevereiro 1,22 %

Leia mais

IGP-M registra variação de 1,69% em junho

IGP-M registra variação de 1,69% em junho Segundo Decêndio Março de 2014 IGP-M registra variação de 1,69% em junho O Índice Geral de Preços Mercado (IGP-M) variou 1,69%, em junho. Em maio, o índice variou 0,82%. Em junho de 2015, a variação foi

Leia mais

Cesta básica tem alta em janeiro

Cesta básica tem alta em janeiro 1 São Paulo, 11 de fevereiro de 2008. NOTA À IMPRENSA Cesta básica tem alta em janeiro Em janeiro, o preço dos gêneros alimentícios essenciais apresentou alta em 15 das 16 capitais onde o DIEESE Departamento

Leia mais

ROTEIRO DE EXPOSIÇÃO Índices inflacionários, evolução salarial da categoria e despesa de pessoal no Estado de São Paulo

ROTEIRO DE EXPOSIÇÃO Índices inflacionários, evolução salarial da categoria e despesa de pessoal no Estado de São Paulo ROTEIRO DE EXPOSIÇÃO Índices inflacionários, evolução salarial da categoria e despesa de pessoal no Estado de São Paulo SINDSAÚDE-SP 17/10/2008 COMPORTAMENTO DOS PREÇOS No período 2001-2008, presenciamos

Leia mais

ECONOMIA www.abras.com.br A informação que fala direto ao seu bolso 27 de Agosto de 2014

ECONOMIA www.abras.com.br A informação que fala direto ao seu bolso 27 de Agosto de 2014 Associação Brasileira de Supermercados Nº43 ECONOMIA www.abras.com.br A informação que fala direto ao seu bolso 27 de Agosto de 2014 Com crescimento em julho, setor acumula 1,48% no ano Em julho, as vendas

Leia mais

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR Novembro 2015

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR Novembro 2015 ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR Novembro 2015 Rio de Janeiro, 09 de dezembro de 2015 SISTEMA NACIONAL DE ÍNDICES DE PREÇOS AO CONSUMIDOR COMENTÁRIOS Novembro 2015 ÍNDICE NACIONAL DE PREÇOS AO

Leia mais

Redução do preço de alimentos básicos continua pelo terceiro mês

Redução do preço de alimentos básicos continua pelo terceiro mês 1 São Paulo, 04 de agosto de 2010. NOTA À IMPRENSA Redução do preço de alimentos básicos continua pelo terceiro mês Desde maio, na maioria das capitais onde é realizada mensalmente a Pesquisa Nacional

Leia mais

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC julho 2012

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC julho 2012 ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC julho 2012 Rio de Janeiro, 08 de agosto de 2012 SISTEMA NACIONAL DE ÍNDICES DE PREÇOS AO CONSUMIDOR julho de 2012 ÍNDICE NACIONAL DE PREÇOS AO CONSUMIDOR

Leia mais

Cesta básica tem alta moderada na maioria das capitais

Cesta básica tem alta moderada na maioria das capitais 1 São Paulo, 06 de julho de 2009. NOTA À IMPRENSA Cesta básica tem alta moderada na maioria das capitais Em junho, a Pesquisa Nacional da Cesta Básica, realizada pelo DIEESE - Departamento Intersindical

Leia mais

Cesta básica volta a subir em Novembro

Cesta básica volta a subir em Novembro Piracicaba, 03 de dezembro de 2014. Cesta básica volta a subir em Novembro Os preços médios mensais da Cesta Básica de Piracicaba ICB - ESALQ/FEALQ, calculado pela EJEA, têm oscilado nos últimos meses

Leia mais

Preço da cesta básica só recua em Brasília

Preço da cesta básica só recua em Brasília 1 São Paulo, 05 de maio de 2006 NOTA À IMPRENSA Preço da cesta básica só recua em Brasília Somente em Brasília onde o custo do conjunto de gêneros alimentícios de primeira necessidade recuou 2,52% - houve,

Leia mais

Cesta Básica. Boletim Janeiro 2011

Cesta Básica. Boletim Janeiro 2011 Cesta Básica Boletim Janeiro 2011 O custo da cesta básica na cidade de Ilhéus aumentou 5,32%, de R$184,63 em dezembro passou para R$194,45 em janeiro (Tabela 1). A elevação de 73,65% no preço do tomate

Leia mais

Relatório IPCA e INPC - IBGE

Relatório IPCA e INPC - IBGE O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística IBGE elabora sistematicamente índices de preços ao consumidor por meio do Sistema Nacional de Índices de Preços ao Consumidor SNIPC, com o objetivo de

Leia mais

Em Santo Antônio do Pinhal, Merenda Escolar não é despesa. É investimento!

Em Santo Antônio do Pinhal, Merenda Escolar não é despesa. É investimento! 1º Semana- Outubro/2014 29/09/2014 30/09/2014 01/10/2014 02/10/2014 03/10/2014 Suco Suco Suco de Abacaxí Arroz, Feijão Farofa de Ovo e Cenoura e Salada de Beterraba Arroz, Feijão, Frango com Batata e Salada

Leia mais

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC Fevereiro 2015

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC Fevereiro 2015 ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC Fevereiro 2015 Rio de Janeiro, 06 de março de 2015 SISTEMA NACIONAL DE ÍNDICES DE PREÇOS AO CONSUMIDOR COMENTÁRIOS Fevereiro 2015 ÍNDICE NACIONAL DE

Leia mais

IGP-M registra variação de 0,82% em maio

IGP-M registra variação de 0,82% em maio Segundo Decêndio Março de 2014 IGP-M registra variação de 0,82% em maio O Índice Geral de Preços Mercado (IGP-M) variou 0,82%, em maio. Em abril, o índice variou 0,33%. Em maio de 2015, a variação foi

Leia mais

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC abril 2013

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC abril 2013 ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC abril 2013 Rio de Janeiro, 08 de maio de 2013 SISTEMA NACIONAL DE ÍNDICES DE PREÇOS AO CONSUMIDOR abril de 2013 ÍNDICE NACIONAL DE PREÇOS AO CONSUMIDOR

Leia mais

EVOLUÇÃO SALARIAL. Categoria: Federação dos Trabalhadores da Saúde do Estado de São Paulo INPC-IBGE. março de 2014

EVOLUÇÃO SALARIAL. Categoria: Federação dos Trabalhadores da Saúde do Estado de São Paulo INPC-IBGE. março de 2014 EVOLUÇÃO SALARIAL Categoria: Material de suporte para categorias em data base Deflatores: ICV-DIEESE INPC-IBGE março de 2014 Este trabalho contém o estudo sobre o comportamento dos salários desde 01-março-2013

Leia mais

INFORMA DIEESE agosto/2008

INFORMA DIEESE agosto/2008 INFORMA DIEESE Nº. 74 AGOSTO/2008 1 INFORMA DIEESE agosto/2008 A INFLAÇÃO RECENTE E AS CAMPANHAS SALARIAIS A inflação voltou? Como ficam as campanhas salariais dos trabalhadores? Com o objetivo de discutir

Leia mais

FUNDAÇÃO PROCON-SP CONSTATA VARIAÇÃO DA CESTA BÁSICA DE -0,69% EM JULHO/2011

FUNDAÇÃO PROCON-SP CONSTATA VARIAÇÃO DA CESTA BÁSICA DE -0,69% EM JULHO/2011 FUNDAÇÃO PROCON-SP CONSTATA VARIAÇÃO DA CESTA BÁSICA DE -0,69% EM JULHO/2011 No mês de ho de 2011, o valor da cesta básica do paulistano teve queda de 0,69%, revela pesquisa diária da Fundação Procon-SP,

Leia mais

Custo da cesta básica recua em 11 capitais

Custo da cesta básica recua em 11 capitais 1 São Paulo, 3 de março de 2008. NOTA À IMPRENSA Custo da cesta básica recua em 11 capitais O custo do conjunto de itens de alimentação que compõem a cesta básica apresentou, em fevereiro, predominância

Leia mais

Cesta básica volta a subir na maior parte das capitais

Cesta básica volta a subir na maior parte das capitais 1 São Paulo, 03 de novembro de 2011 Cesta básica volta a subir na maior parte das capitais NOTA À IMPRENSA Ao contrário do que ocorreu em setembro, quando 09 cidades registraram queda no preço dos gêneros

Leia mais

INFLAÇÃO DE 37,91% 1

INFLAÇÃO DE 37,91% 1 DESDE O ÚLTIMO PCS ATÉ JUNHO DE 2012 INFLAÇÃO DE 37,91% 1 A inflação medida pelo ICV Índice do Custo de Vida do DIEESE Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Sócio-Econômicos, acumulou 37,91%

Leia mais

EDUCAÇÃO INFANTIL. Quarta-feira 03/06. Suco: laranja com beterraba Pão francês com queijo

EDUCAÇÃO INFANTIL. Quarta-feira 03/06. Suco: laranja com beterraba Pão francês com queijo CARDÁPIO JUNHO/05 Elaborado e aprovado por: Luiza Crozariol Campos Nutricionista CRN3 4488 Semana 0/06 0/06 03/06 04/06 05/06 Pão francês com Biscoito de leite com geleia com bolo de banana Bisnaguinha

Leia mais

Custo da Cesta Básica aumenta em todas as cidades

Custo da Cesta Básica aumenta em todas as cidades 1 São Paulo, 16 de fevereiro de 2016 NOTA à IMPRENSA Custo da Cesta Básica aumenta em todas as cidades A partir de janeiro de 2016, o DIEESE (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos)

Leia mais

Preços. 2.1 Índices gerais

Preços. 2.1 Índices gerais Preços A inflação, considerada a evolução dos índices de preços ao consumidor e por atacado, apresentou contínua elevação ao longo do trimestre encerrado em maio. Esse movimento, embora tenha traduzido

Leia mais

Em janeiro, preço da cesta só cai em duas capitais

Em janeiro, preço da cesta só cai em duas capitais 1 São Paulo, 06 de fevereiro de 2012. NOTA À IMPRENSA Em janeiro, preço da cesta só cai em duas capitais Apenas duas, das 17 capitais onde o DIEESE - Departamento Intersindical de Estatística e Estudos

Leia mais

&(67$%É6,&$62%((0&$3,7$,6

&(67$%É6,&$62%((0&$3,7$,6 São Paulo, 02 de maio de 2005. &(67$%É6,&$62%((0&$3,7$,6 Apenas uma das 16 capitais onde o DIEESE Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Sócio-Econômicos realiza mensalmente a Pesquisa Nacional

Leia mais

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC fevereiro 2014

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC fevereiro 2014 ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC fevereiro 2014 Rio de Janeiro, 12 de março de 2014 SISTEMA NACIONAL DE ÍNDICES DE PREÇOS AO CONSUMIDOR COMENTÁRIOS Fevereiro 2014 ÍNDICE NACIONAL DE

Leia mais

MAIO 2015. IPC de Salvador apresenta alta de 0,64%

MAIO 2015. IPC de Salvador apresenta alta de 0,64% MAIO 2015 IPC de Salvador apresenta alta de 0,64% O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) de Salvador apresentou, em maio, incremento de 0,64%, variação inferior à apurada no mês anterior (0,79%). Em maio

Leia mais

Preços de alimentos básicos continuam em alta

Preços de alimentos básicos continuam em alta 1 São Paulo, 2 de junho de 2008. NOTA À IMPRENSA Preços de alimentos básicos continuam em alta Apenas duas, das 16 capitais onde o DIEESE - Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos

Leia mais

ÍNDICE NACIONAL DE PREÇOS AO CONSUMIDOR (INPC) E A CESTA BÁSICA DEZEMBRO/2011

ÍNDICE NACIONAL DE PREÇOS AO CONSUMIDOR (INPC) E A CESTA BÁSICA DEZEMBRO/2011 1. INTRODUÇÃO O Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (IPECE) apresenta os resultados do Índice Nacional de Preços ao Consumidor e a Cesta Básica para a Região Metropolitana de Fortaleza.

Leia mais

ÍNDICE NACIONAL DE PREÇOS AO CONSUMIDOR (INPC) E A CESTA BÁSICA JANEIRO/2011

ÍNDICE NACIONAL DE PREÇOS AO CONSUMIDOR (INPC) E A CESTA BÁSICA JANEIRO/2011 1. INTRODUÇÃO O Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (IPECE) apresenta os resultados do Índice Nacional de Preços ao Consumidor e a Cesta Básica para a Região Metropolitana de Fortaleza.

Leia mais

ANUÁRIO ESTATÍSTICO DA TAXA DE OCUPAÇÃO HOTELEIRA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO

ANUÁRIO ESTATÍSTICO DA TAXA DE OCUPAÇÃO HOTELEIRA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO 2012 ABIH-RJ FECOMÉRCIO-RJ ANUÁRIO ESTATÍSTICO DA TAXA DE OCUPAÇÃO HOTELEIRA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO Pesquisa mensal da ABIH-RJ que visa acompanhar a taxa de ocupação nas unidades de hospedagem da

Leia mais

SEGUNDA 04/5 TERÇA 5/5 QUARTA 6/5 QUINTA 7/5 SEXTA 8/5 Pão de milho com geleia e creme de leite Café com leite

SEGUNDA 04/5 TERÇA 5/5 QUARTA 6/5 QUINTA 7/5 SEXTA 8/5 Pão de milho com geleia e creme de leite Café com leite CARDÁPIO ENSINO FUNDAMENTAL e PRÉ ESCOLA= MAIO DE 2015 SEGUNDA 04/5 TERÇA 5/5 QUARTA 6/5 QUINTA 7/5 SEXTA 8/5 Pão de milho com geleia e creme de leite com ao molho pomodoro* Salada de alface Bebida láctea

Leia mais

CÁLCULO DA VARIAÇÃO DA CESTA BÁSICA NO MUNICÍPIO DE BAMBUÍ-MG DE 2004 A 2008

CÁLCULO DA VARIAÇÃO DA CESTA BÁSICA NO MUNICÍPIO DE BAMBUÍ-MG DE 2004 A 2008 CÁLCULO DA VARIAÇÃO DA CESTA BÁSICA NO MUNICÍPIO DE BAMBUÍ-MG DE 2004 A 2008 Érik DOMINIK; Uellington CORRÊA * CEFET Bambuí; CEFET Bambuí RESUMO Este trabalho tem o objetivo de demonstrar as variações

Leia mais

Custo da Cesta básica tem comportamento diferenciado nas capitais pesquisadas

Custo da Cesta básica tem comportamento diferenciado nas capitais pesquisadas 1 São Paulo, 04 de novembro de 2015. NOTA à IMPRENSA Custo da Cesta básica tem comportamento diferenciado nas capitais pesquisadas Em outubro, entre as 18 capitais onde o DIEESE - Departamento Intersindical

Leia mais

Mudanças nos Preços Relativos

Mudanças nos Preços Relativos Mudanças nos Preços Relativos Tabela 1 Variação acumulada do IPCA: eiro/ junho/ Discriminação Brasil Belém 1/ Nordeste Sudeste Sul Centro- Gráfico 1 - Alteração no peso do IPCA por segmento de consumo:

Leia mais

Cantina Hora do Lanche CARDÁPIO NOVEMBRO 2015

Cantina Hora do Lanche CARDÁPIO NOVEMBRO 2015 Cantina Hora do Lanche CARDÁPIO NOVEMBRO 2015 1 a SEMANA: 03/11/2015 04/11/2015 05/11/2015 de Presunto e queijo Pão de Forma c/ queijo e tomate Manga picada Bolo de chocolate recheado Bolacha Salgada Salada

Leia mais

Hóspedes, dormidas e proveitos mantêm crescimento significativo

Hóspedes, dormidas e proveitos mantêm crescimento significativo Atividade Turística Julho de 20 15 de setembro de 20 Hóspedes, dormidas e proveitos mantêm crescimento significativo A hotelaria registou 5,8 milhões de dormidas em julho de 20, valor correspondente a

Leia mais

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC dezembro 2009

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC dezembro 2009 ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC dezembro 2009 Rio de Janeiro, 13 de janeiro de 2010 SISTEMA NACIONAL DE ÍNDICES DE PREÇOS AO CONSUMIDOR COMENTÁRIOS dezembro 2009 1. No mês 1.1 - ÍNDICE

Leia mais

Estudo sobre o comportamento de preços de produtos da cesta básica 2014/2015: Supermercados da cidade de Corumbá, Mato Grosso do Sul, Brasil.

Estudo sobre o comportamento de preços de produtos da cesta básica 2014/2015: Supermercados da cidade de Corumbá, Mato Grosso do Sul, Brasil. UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DO CAMPUS DO PANTANAL PESQUISA DE PREÇOS DE PRODUTOS DA CESTA BÁSICA Estudo sobre o comportamento de preços de produtos da cesta básica

Leia mais

Universidade Anhanguera - Uniderp Núcleo de Estudos e Pesquisas Econômicas e Sociais - NEPES. Índice de Preços ao Consumidor de Campo Grande

Universidade Anhanguera - Uniderp Núcleo de Estudos e Pesquisas Econômicas e Sociais - NEPES. Índice de Preços ao Consumidor de Campo Grande ISSN Nº. 2317-739X Universidade Anhanguera - Uniderp Núcleo de Estudos e Pesquisas Econômicas e Sociais - NEPES Índice de Preços ao Consumidor de Campo Grande IPC/CG IPC/CG - AGOSTO de 2013 0,24% Campo

Leia mais

Universidade Anhanguera - Uniderp Núcleo de Estudos e Pesquisas Econômicas e Sociais - NEPES BOLETIM IPC/CG

Universidade Anhanguera - Uniderp Núcleo de Estudos e Pesquisas Econômicas e Sociais - NEPES BOLETIM IPC/CG ISSN Nº. 2317-739X Universidade Anhanguera - Uniderp Núcleo de Estudos e Pesquisas Econômicas e Sociais - NEPES BOLETIM IPC/CG Índice de Preços ao Consumidor de Campo Grande IPC/CG IPC/CG - JUNHO de 2014

Leia mais

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR Setembro 2015

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR Setembro 2015 ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR Setembro 2015 Rio de Janeiro, 07 de outubro de 2015 SISTEMA NACIONAL DE ÍNDICES DE PREÇOS AO CONSUMIDOR COMENTÁRIOS Setembro 2015 ÍNDICE NACIONAL DE PREÇOS AO

Leia mais

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC junho 2014

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC junho 2014 ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC junho 2014 Rio de Janeiro, 08 de julho de 2014 SISTEMA NACIONAL DE ÍNDICES DE PREÇOS AO CONSUMIDOR COMENTÁRIOS Junho 2014 ÍNDICE NACIONAL DE PREÇOS

Leia mais

ÍNDICE DE PREÇO AO CONSUMIDOR IPC/FAPESPA RMB

ÍNDICE DE PREÇO AO CONSUMIDOR IPC/FAPESPA RMB V REUNIÃO DO GRUPO DE ESTUDOS E ANÁLISE CONJUNTURAL -GEAC ÍNDICE DE PREÇO AO CONSUMIDOR IPC/FAPESPA RMB Maria Glaucia Pacheco Moreira Diretora de Estatística, Tecnologia e Gestão da Informação DIEST/Fapespa

Leia mais

ABIH-RJ FECOMÉRCIO- RJ

ABIH-RJ FECOMÉRCIO- RJ 2014 ABIH-RJ FECOMÉRCIO- RJ ANUÁRIO ESTATÍSTICO DA TAXA DE OCUPAÇÃO HOTELEIRA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO Pesquisa mensal da ABIH-RJ que visa acompanhar a taxa de ocupação nas unidades de hospedagem da

Leia mais

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC abril 2014

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC abril 2014 ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC abril 2014 Rio de Janeiro, 09 de maio de 2014 SISTEMA NACIONAL DE ÍNDICES DE PREÇOS AO CONSUMIDOR COMENTÁRIOS Abril 2014 ÍNDICE NACIONAL DE PREÇOS

Leia mais

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC agosto 2014

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC agosto 2014 ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC agosto 2014 Rio de Janeiro, 05 de setembro de 2014 SISTEMA NACIONAL DE ÍNDICES DE PREÇOS AO CONSUMIDOR COMENTÁRIOS Agosto 2014 ÍNDICE NACIONAL DE PREÇOS

Leia mais

CARDÁPIO SEMANAL - 7 a 14 anos 02 a 06 de NOVEMBRO. Lanche da Manhã Biscoito de aveia e mel Tostex (queijo e peito de peru) Pão de forma com margarina

CARDÁPIO SEMANAL - 7 a 14 anos 02 a 06 de NOVEMBRO. Lanche da Manhã Biscoito de aveia e mel Tostex (queijo e peito de peru) Pão de forma com margarina CARDÁPIO SEMANAL - 7 a 14 anos 02 a 06 de NOVEMBRO 02/11/2015 03/11/2015 04/11/2015 05/11/2015 06/11/2015 Biscoito de aveia e mel Tostex (queijo e peito de peru) Pão de forma com margarina Cereal Matinal

Leia mais

A PIRÂMIDE QUE SEGUE ABAIXO É A BRASILEIRA, ADAPTADA POR SÔNIA TUCUNDUVA PHILIPPI AOS NOSSOS HÁBITOS ALIMENTARES.

A PIRÂMIDE QUE SEGUE ABAIXO É A BRASILEIRA, ADAPTADA POR SÔNIA TUCUNDUVA PHILIPPI AOS NOSSOS HÁBITOS ALIMENTARES. PARA SABERMOS COMO A ALIMENTAÇÃO DEVE SER EQUILIBRADA, PRECISAMOS CONHECER A PIRÂMIDE ALIMENTAR, QUE É A REPRESENTAÇÃO GRÁFICA DOS ALIMENTOS E SUAS QUANTIDADES QUE DEVEM ESTAR PRESENTES EM NOSSA DIETA

Leia mais

Valor da Cesta Básica aumenta em 12 cidades

Valor da Cesta Básica aumenta em 12 cidades 1 São Paulo, 06 de novembro de 2014. NOTA À IMPRENSA Valor da Cesta Básica aumenta em 12 cidades Em outubro, houve aumento dos preços do conjunto de bens alimentícios essenciais em 12 das 18 cidades onde

Leia mais

CARDÁPIO INFANTIL KIDS -AGOSTO 2015

CARDÁPIO INFANTIL KIDS -AGOSTO 2015 1 a SEMANA: CARDÁPIO INFANTIL KIDS -AGOSTO 2015 2 a 03/08/2015 Mini francês com margarina Banana picado Frango em Cubos com Legumes Abobrinha refogada Cenoura salteada no alho e manteiga Farofa Brasileira

Leia mais

Universidade Anhanguera - Uniderp Núcleo de Estudos e Pesquisas Econômicas e Sociais - NEPES BOLETIM IPC/CG

Universidade Anhanguera - Uniderp Núcleo de Estudos e Pesquisas Econômicas e Sociais - NEPES BOLETIM IPC/CG Universidade Anhanguera - Uniderp Núcleo de Estudos e Pesquisas Econômicas e Sociais - NEPES BOLETIM IPC/CG Índice de Preços ao Consumidor de Campo Grande IPC/CG IPC/CG - AGOSTO de 2011 0,43% Campo Grande

Leia mais

A aceleração da inflação de alimentos é resultado da combinação de fatores:

A aceleração da inflação de alimentos é resultado da combinação de fatores: SEGURIDADE ALIMENTARIA: apuesta por la agricultura familiar Seminario: Crisis alimentaria y energética: oportunidades y desafios para América Latina e el Caribe O cenário mundial coloca os preços agrícolas

Leia mais

Cardápio 2 a 6 de maio

Cardápio 2 a 6 de maio 2 a 6 de maio 4 Segunda 5 Terça 6 Quarta 7 Quinta 8 Sexta Melão e maçã Salada de beterraba, e vagem cozidos Frango desfiado com e ervilha Purê de batata Mexerica Bolo de Salada de abobrinha preto Iscas

Leia mais

Universidade Anhanguera - Uniderp Núcleo de Estudos e Pesquisas Econômicas e Sociais - NEPES. Índice de Preços ao Consumidor de Campo Grande

Universidade Anhanguera - Uniderp Núcleo de Estudos e Pesquisas Econômicas e Sociais - NEPES. Índice de Preços ao Consumidor de Campo Grande Universidade Anhanguera - Uniderp Núcleo de Estudos e Pesquisas Econômicas e Sociais - NEPES Índice de Preços ao Consumidor de Campo Grande IPC/CG IPC/CG - FEVEREIRO de 2011 0,64% Campo Grande MS NÚCLEO

Leia mais

Alimentos sobem em outubro

Alimentos sobem em outubro 1 São Paulo, 6 de novembro de 2008. NOTA À IMPRENSA Alimentos sobem em outubro Após dois meses com preços em queda, os gêneros alimentícios essenciais voltaram a apresentar predomínio de alta em outubro,

Leia mais

Vendas recuam, mas acumulam alta de 1,46% no ano

Vendas recuam, mas acumulam alta de 1,46% no ano Associação Brasileira de Supermercados Nº51 ECONOMIA www.abras.com.br A informação que fala direto ao seu bolso 29 de Abril de 2015 Vendas recuam, mas acumulam alta de 1,46% no ano Crescimento moderado

Leia mais

Universidade Anhanguera - Uniderp Núcleo de Estudos e Pesquisas Econômicas e Sociais - NEPES BOLETIM IPC/CG

Universidade Anhanguera - Uniderp Núcleo de Estudos e Pesquisas Econômicas e Sociais - NEPES BOLETIM IPC/CG Universidade Anhanguera - Uniderp Núcleo de Estudos e Pesquisas Econômicas e Sociais - NEPES BOLETIM IPC/CG Índice de Preços ao Consumidor de Campo Grande IPC/CG IPC/CG - JULHO de 2012 0,15% Campo Grande

Leia mais

Hotelaria com aumentos nas dormidas e proveitos

Hotelaria com aumentos nas dormidas e proveitos Atividade Turística Junho 2013 14 de agosto de 2013 Hotelaria com aumentos nas dormidas e proveitos A hotelaria registou 4,4 milhões de dormidas em junho de 2013, mais 8,6% do que em junho de 2012. Para

Leia mais

Custo de Vida GOVERNO DO PARANA

Custo de Vida GOVERNO DO PARANA ÍNDICE DE PREÇOS AO CONSUMIDOR Custo de Vida EM CURITIBA GOVERNO DO PARANA 12 GOVERNO DO ESTADO DO PARANÁ ROBERTO REQUIÃO - Governador SECRETARIA DE ESTADO DO PLANEJAMENTO E COORDENAÇÃO GERAL REINHOLD

Leia mais

Publicação mensal do Instituto de Pesquisas Econômicas e Sociais

Publicação mensal do Instituto de Pesquisas Econômicas e Sociais IPES Cesta Básica de Caxias do Sul Publicação mensal do Instituto de Pesquisas Econômicas e Sociais CESTA BÁSICA DE CAXIAS DO SUL Junho - 2013 Junho de 2013 UNIVERSIDADE DE CAXIAS DO SUL REITOR Prof. Isidoro

Leia mais

Diretoria de Pesquisas Coordenação de Índices de Preços - COINP. Sistema Nacional de Índices de Preços ao Consumidor SNIPC.

Diretoria de Pesquisas Coordenação de Índices de Preços - COINP. Sistema Nacional de Índices de Preços ao Consumidor SNIPC. Diretoria de Pesquisas Coordenação de Índices de Preços - COINP Sistema Nacional de Índices de Preços ao Consumidor SNIPC IPCA julho 2014 Data 08/08/2014 IPCA Julho 0,01 % Junho 0,40 % IPCA Regiões - mês

Leia mais

Nível de preços em outubro tem aumento de 1,31% no município de Chapecó

Nível de preços em outubro tem aumento de 1,31% no município de Chapecó Publicação mensal do curso de Ciências Econômicas da Universidade Comunitária da Região de Chapecó Ano 19, Nº 10 Outubro/2014 Nível de preços em outubro tem aumento de 1,31% no município de Chapecó O curso

Leia mais

Combustíveis e seus reajustes. Número 19 abril 2006 NOTA TÉCNICA

Combustíveis e seus reajustes. Número 19 abril 2006 NOTA TÉCNICA Combustíveis e seus reajustes Número 19 abril 2006 NOTA TÉCNICA Combustíveis e seus reajustes O aumento do álcool, neste 1º trimestre de 2006, assustou os consumidores. Muitos deles, com veículos bicombustíveis,

Leia mais

Cesta Básica da Classe Média

Cesta Básica da Classe Média Cesta Básica da Classe Média Boletim de Divulgação da Cesta Básica da Classe Média Julho/ 2012 Cesta básica da classe média registra maior alta dos últimos 6 anos. Tomate e cenoura são os vilões. A cesta

Leia mais

Matemática Financeira. Aula 03 Taxa Real de Juros

Matemática Financeira. Aula 03 Taxa Real de Juros Matemática Financeira Aula 03 Taxa Real de Juros Inflação É o fenômeno conhecido como o aumento persistente dos preços de bens e serviços Fatores: Escassez de produtos, déficit orçamentário, emissão descontrolada

Leia mais

Pão com queijo branco Salada de fruta + Biscoito de polvilho Bisnaguinha com geléia de morango + Maçã Pão de leite com margarina

Pão com queijo branco Salada de fruta + Biscoito de polvilho Bisnaguinha com geléia de morango + Maçã Pão de leite com margarina CARDAPIO SEMANAL - 2 a 6 anos 05 a 09 de OUTUBRO 05/10/2015 06/10/2015 07/10/2015 08/10/2015 Lanche da Manhã Bisnaguinha com queijo cremoso Cereal Matinal (Flocos de milho) Pão francês com margarina Pão

Leia mais