O MOBILE MARKETING COMO FERRAMENTA DE RELACIONAMENTO E FIDELIZAÇÃO. Área: ADMINISTRAÇÃO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O MOBILE MARKETING COMO FERRAMENTA DE RELACIONAMENTO E FIDELIZAÇÃO. Área: ADMINISTRAÇÃO"

Transcrição

1 O MOBILE MARKETING COMO FERRAMENTA DE RELACIONAMENTO E FIDELIZAÇÃO Área: ADMINISTRAÇÃO Jorge André Thomas Discente do 3º ano do Curso de Administração da Unioeste Campus de Marechal Cândido Rondon PR. Jessica Tiderke Bär Discente do 3º ano do Curso de Administração da Unioeste Campus de Marechal Cândido Rondon PR. Everaldo Link Discente do 3º ano do Curso de Administração da Unioeste Campus de Marechal Cândido Rondon PR. Mario Luiz Soares Docente do Curso de Administração da Unioeste Campus de Marechal Cândido Rondon PR. Resumo: Estratégias de comunicação se disseminam em todos os meios de comunicação existentes na atualidade. O celular é um meio que permite comunicação em qualquer hora e lugar e o Mobile Marketing é a nova estratégia de comunicação utilizada para disseminar propagandas nesses meios móveis, divulgando informações acerca de produtos, serviços, facilidades de compra, entre outras. Com o crescimento do mercado de telefonia móvel, tornou-se importante identificar a forma de utilização do Mobile Marketing na região extremo oeste do Paraná. Verificou-se através de entrevistas a empresários regionais, a influência do Mobile Marketing no processo de decisão de compra, sua utilização como ferramenta de interação e captação de clientes, fatores que desencadeiam essas ações bem como observar o retorno obtido com esta estratégia pouco conhecida pela área empresarial da região onde se aplica o estudo. Palavras-chave: Estratégia. Celular. Marketing. 1

2 1. INTRODUÇÃO Atualmente, as estratégias de comunicação não se limitam aos meios convencionais e a determinados espaços tais como o jornal, televisão, rádio, outdoor dentre outros. A comunicação ganhou proporções e acessibilidade que notícias podem ser recebidas em tempo mínimo por usuários conectados nos mais diversos locais. Este conceito de mobilidade pode ser percebido no uso dos telefones celulares e dos aplicativos que este pode executar, tais como internet, acesso a redes sociais, comerciais, filmes e muitos outros. Além de falar, o usuário pode ver a pessoa com a qual está conversando. A digitalização e a mobilidade que estes meios oferecem facilitam a vida dos usuários e também despertam a atenção do mercado para esta tecnologia, uma vez que o marketing precisa atingir todos os consumidores, estejam estes onde estiverem. A disseminação desta tecnologia mudou o comportamento do consumidor, pois este pode manter contato com qualquer pessoa a qualquer hora e em qualquer lugar. De forma a adaptar-se à mudança percebida no mercado, nos hábitos do consumidor e aos desafios que este oferece, buscou-se combinar o uso do marketing com a nova tendência da comunicação móvel para alcançar este parcela da população adepta ao uso desta tecnologia. Este conceito chama-se Mobile Marketing, que consiste na adoção de técnicas de publicidade que disseminam propagandas, vídeos e textos dos seus produtos a consumidores que possuem um telefone celular. Estas ações vem ganhando espaço a cada dia, uma vez que esta tecnologia está disponível para uma grande parcela da população consumidora em qualquer lugar e momento. Neste cenário o celular deixou de ser apenas uma ferramenta de comunicação para ser uma ferramenta geradora de negócios. No Brasil, o crescimento do uso da telefonia móvel tem sido notória. Segundo dados da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), em 2010 no país operavam 202,9 milhões de linhas móveis. Em 2007 este número era de 120,9 milhões, apresentando um crescimento de 67,82% no período. Neste contexto, pretende-se explorar o uso da tecnologia e de estratégias de mobile marketing por empresas do ramo de telefonia móvel localizadas em municípios que formam a região do extremo oeste paranaense, dentre os quais Marechal Cândido Rondon, Santa Helena, Pato Bragado, Entre Rios do Oeste e Mercedes. Nesta região a economia gira em torno da exploração de práticas agropecuárias, do turismo, de indústrias de processamento da produção agrícola, indústria alimentícia e serviços relacionados com estas atividades. Algumas destas empresas apostam na tecnologia para manter relacionamento com seus clientes e disponibilizar informações sobre novos produtos, planos e outras facilidades e conveniências, sendo estas nosso objeto de estudo. 1.1 Problema de pesquisa O crescimento do mercado de telefonia móvel observado no Brasil e também na região do extremo oeste Paranaense favorece o uso do Mobile Marketing. Profissionais na área começam a observar que o celular pode se consolidar como uma mídia de marketing e 2

3 uma grande alternativa aos usuais canais. Neste sentido, tem-se como questão central de estudo identificar de que forma o mobile marketing pode se tornar uma ferramenta de fidelização e de relacionamento com clientes para as empresas de telefonia móvel que atuam do extremo oeste paranaense. 1.2 Objetivo Analisar o uso das estratégias de mobile marketing como ferramenta de relacionamento e fidelização dos clientes nas empresas do ramo de telefonia móvel no extremo oeste paranaense. 1.3 Justificativa Considera-se relevante a proposta deste estudo, pois o mesmo procura compreender e analisar o uso do marketing associado à tecnologia móvel, pois mudanças nos hábitos dos consumidores impulsionam e desafiam profissionais do marketing para novas estratégias. Eis uma delas: o Mobile Marketing. Assim, diante destas informações, considera-se importante desenvolver estudo nesta área para contribuir com profissionais ligados à área de marketing e também com as empresas, especialmente do ramo de telefonia móvel. São poucos os estudos relacionados, o que torna ainda mais desafiador esta proposta e considera-se este o papel da academia: pesquisa e disseminação do conhecimento. 1.4 Metodologia O trabalho enquadra-se em um estudo exploratório, pois objetiva-se com o mesmo buscar informações e gerar outras, fatores típicos deste tipo de análise. Através de entrevistas estruturadas (fontes primárias) com questões de respostas subjetivas à 10 empresários do ramo de telefonia móvel na região do extremo oeste paranaense foram abordados e convidados no período de junho de 2011 a contribuir com opiniões para o desenvolvimento do estudo, uma vez que o objetivo é analisar os fatores que levam a adoção do Mobile Marketing como estratégia de fidelização e relacionamento com o cliente, sendo esta uma das fontes de informações, combinando-se com outras oriundas de fontes secundárias (pesquisas bibliográficas, registros da organização). Os dados foram apresentados de forma descritiva e analisados mediante cruzamento teórico. 2. REFERENCIAL TEÓRICO 3

4 2.1 Estratégias de Marketing Ferrel et al. (2000, p. 24) define: A estratégia de marketing de uma organização é preparada para dar uma integração total dos esforços que focam o cumprimento dos objetivos de marketing. Ela envolve a seleção de um ou mais mecados-alvos e, depois, o desenvolvimento de um composto de marketing (produto, preço, promoção, distribuição) que satisfaça as necessidades e os desejos dos participantes desse(s) mercado(s)-alvo(s). Assim a estratégia de marketing objetiva satisfazer os objetivos de uma organização e para isso é fundamental conhecer o mercado em que se pretende atuar e desenvolver ações que possam apresentar os produtos e/ou serviços ao mercado consumidor, instigar seu consumo e com isso satisfazer este mercado, bem como os objetivos da empresa. Para ser eficiente e eficaz, a organização precisa selecionar um mercado alvo, que consiste em um grupo de compradores e consumidores e após isto desenvolver um composto de marketing. Conforme Telles e Strehlau (2006, p. 4), composto de marketing vem a ser a combinação das variáveis controladas pela organização, ou seja, os 4 P s (produto, preço, promoção e ponto de venda/distribuição), com o objetivo de criar valor para o comprador (cliente ou consumidor) e atingir as necessidades da organização ofertante. Tendo em vista esta ideia, estratégias de combinação satisfatória de todas as variáveis e também adaptação ou alteração destas quando o mercado-alvo ou o comportamento do consumidor sofrer mudanças são as responsáveis pela eficácia da administração de marketing. O papel do gestor e do marketing neste caso, segundo Ferrell (et al.) (2000, p. 24) é: (1) ajustar-se às necessidades e aos propósitos do mercado-alvo selecionado, (2) ser realista em relação aos recursos disponíveis e o ambiente da organização e (3) ser consistente com sua missão, metas e objetivos. Outro estudo que deve ser realizando antes da implementação das estratégias de marketing é a análise ambiental, que consiste em levantar informações sobre os ambientes que circundam a organização: o ambiente externo (fatores econômicos, competitivos, sociais, políticos/legais, tecnológicos) os quais podem exercer pressões sobre as atividades de marketing; o ambiente do consumidor ou mercado alvo (necessidades, tendências e mudanças nos hábitos consumistas e avaliação dos próprios produtos e se estes estão atendendo às necessidades deste ambiente) e ambiente organizacional ou interno da empresa (disponibilidade dos recursos humanos, capacidade dos equipamentos e tecnologia, disponibilidade financeira e políticas internas da empresa. Para Ferrel et al. (2000, p. 33) a análise ambiental clara e abrangente é uma das partes mais difíceis do desenvolvimento de um plano de marketing. As informações para a análise ambiental podem ser coletadas no próprio sistema de informações da empresa ou em meio externo, utilizando-se para isso de pesquisas de marketing. As informações levantadas devem ser analisadas e armazenadas para que estejam disponíveis quando necessárias. Elas podem oferecer contribuição relevante para uma outra análise, chamada de análise SWOT em que o termo SWOT é uma sigla inglesa para forças ou pontos fortes (strengths), fraquezas ou pontos fracos (weaknesses), oportunidades 4

5 (opportunities) e ameaças (threats), que tem como objetivo avaliar a condição competitiva da organização no mercado, o que faz bem e o que precisa ser melhorado na empresa, para assim criar condições para que se gerem vantagens competitivas no atendimento das necessidades dos consumidores. Muito além de vendas e propaganda, o marketing tem o objetivo de criar valor e satisfazer necessidades mútuas do consumidor e do fornecedor. Se o profissional de marketing for sensível ao ponto de identificar necessidades dos clientes, elaborar produtos que as atendam, levando em conta as variáveis controláveis pela organização (produto, preço, promoção e venda/distribuição), a organização certamente terá grandes condições de satisfazer suas necessidades também e trazer como consequência o lucro. Kotler e Armstrong (1999, p. 3) defendem: Hoje em dia, o marketing deve ser compreendido não só no antigo sentido de vender dizer e vender - mas também de satisfazer as necessidades do cliente. 2.2 Marketing de Relacionamento As empresas estão percebendo cada vez mais a necessidade da manutenção de um relacionamento duradouro com seus clientes. Neste sentido, torna-se mais visível a aplicação do conceito de Marketing de Relacionamento. Nickels e Wood (1999 p.05) definem o Marketing de Relacionamento como sendo o processo de estabelecer e manter relacionamentos de longo prazo mutuamente benéficos entre organizações e seus clientes, empregados e outros grupos de interesse. Os autores definem o cliente como sendo o indivíduo ou organização que compra ou realiza trocas pelos produtos do vendedor. Já os grupos de interesse são indivíduos e organizações que de alguma forma, influenciam ou são influenciados pela organização, incluindo empregados, fornecedores, acionistas e a comunidade. Os empregados são um grupo de importância relevante, pois são estes que se relacionam diretamente com consumidor, necessitando, portanto, estarem satisfeitos em seu ambiente de trabalho para de igual modo satisfazer os clientes. Os fornecedores, acionistas e a comunidade também desempenham um papel fundamental nos processos da empresa, seja para fornecer insumos de qualidade, fornecer recursos financeiros para adquirir os insumos, ou para propiciar a empresa um bom local para suas instalações. A importância do Marketing de Relacionamento voltado para o cliente ou mercado consumidor se da ao fato de que é nesse contexto que se insere a aplicação do Mobile Marketing. Kotler e Amstrong (2007 p.10) definem a gestão de relacionamento com o cliente como sendo o processo geral de construir e manter relacionamentos lucrativos com o cliente entregando-lhe valor superior e satisfação. Ela lida com todos os aspectos de adquirir, manter e desenvolver clientes. O valor, segundo os autores, é a avaliação que o cliente faz da diferença entre todos os custos e benefícios de uma oferta em relação as ofertas dos concorrentes. A satisfação do cliente, por sua vez, depende do que ele percebe em relação ao desempenho do produto adquirido em relação às suas expectativas. Nesse contexto, é visível a importância de as empresas desenvolverem ações de 5

6 marketing visando a criação de um valor superior para os clientes. Churchill e Peter (2005) apontam, dentre os princípios do marketing voltado para o valor, o Princípio do cliente, o qual se centra nas maneiras de criar valor para os clientes. Este princípio enfatiza a necessidade de a empresa conhecer os seus clientes, e construir um relacionamento de longo prazo com os mesmos. O autor cita dois tipos de relacionamentos: Os relacionamentos diretos, onde os profissionais de marketing conhecem o nome e as informações pessoais do cliente, comunicando-se diretamente com eles. Este tipo de relacionamento, segundo o autor, resulta em custos muito altos para empresas que comercializam produtos baratos. Nos casos em que os custos tornam-se muito altos, as empresas podem recorrer a relacionamentos indiretos com os clientes, onde as marcas têm um significado para os mesmos por um longo período, sem os profissionais de marketing conhecerem individualmente os seus clientes. Diante da necessidade da construção e manutenção de um relacionamento duradouro entre a empresa e os clientes, o Mobile Marketing é uma ferramenta de comunicação, onde a empresa tem a possibilidade de manter um diálogo direto com seus clientes, enviando-lhe mensagens com conteúdos específicos para o ambiente no qual cada grupo de consumidores se insere, podendo agir de acordo com a retroação que lhe é proporcionada através ferramenta. 2.3 Mobile Marketing Com o advento da telefonia móvel no Brasil, as empresas estão cada vez mais optando pelo Mobile Marketing como ferramenta para interagir diretamente com seus clientes, seja para divulgar produtos, serviços ou enviar uma mensagem de texto com felicitações pelo seu aniversário. De acordo com Ehrenberg (2011 p.10) as ações de mobile marketing têm aparecido com mais frequência no planejamento de mídia das empresas e os celulares se solidificam como uma plataforma inovadora para o desenvolvimento de ações de marketing direto. A MMA (Mobile Marketing Associacion) define o Mobile Marketing como sendo a utilização dos meios de comunicação sem fio como mecanismo de entrega de conteúdo integrado e veículo de resposta direta, dentro de um programa de mídias cruzadas ou de um programa auto-suficiente de comunicação. Inclui todos os programas de publicidade distribuídos através de um aparelho móvel. Para Nascimento (2008 p.18) o mobile marketing caracteriza-se pelas ações de marketing desenvolvidas com a ajuda do telefone celular, geralmente utilizadas para alavancar a construção de um relacionamento satisfatório e duradouro entre as empresas e seus clientes. Desse modo pode-se visualizar o telefone celular como uma mídia amplamente utilizada pelas empresas para a comunicação com seus clientes, divulgando informações acerca de seus produtos, serviços, facilidades de compra, entre outras. De acordo com Ehrenberg (2011) a atual utilização do celular em campanhas publicitárias no Brasil explora principalmente o SMS, o bluetooth e o desenvolvimento de 6

7 aplicativos e games, podendo funcionar como mídia complementar ou plataforma única. Haig (2002) coloca que as tecnologias de entrega de dados utilizadas pelas campanhas de Mobile Marketing são o SMS, que permite o envio de mensagens de texto curtas, o MMS, que propicia o tráfego de imagens, vídeos e sons entre os celulares, o WAP, que permite a inserção de paginas nos sites WAP, o bluetooth, que permite a conexão e o envio de dados entre dois celulares, além da voz e tecnologias emergentes. A importância da interação direta com o consumidor se deve ao fato de que, com a atual segmentação do mercado, as empresas necessitam cada vez mais desenvolver relacionamentos personalizados com grupos específicos de clientes. De acordo com Kotler e Amstrong (2007 p.361), como os clientes diferem, os programas de comunicações precisam ser desenvolvidos para segmentos, nichos e até indivíduos específicos. Nesse contexto, o Mobile Marketing é uma ferramenta importante que pode ser utilizada pelas empresas no processo de comunicação personalizada com os seus clientes. Segundo Nascimento (2008), há uma diferença entre os canais de marketing comuns e os canais de telefonia móveis, os quais se diferenciam por serem mais pessoais e apresentarem um relacionamento mais profundo com o cliente, independente da sua localização.. Em virtude da necessidade do aprimoramento no processo de comunicação resultante da vasta quantidade de consumidores existentes e da variedade de perfis de consumo, o mobile marketing pode ser, portanto, uma ferramenta capaz de atingir a todos eles de uma maneira direta, levando até eles o conteúdo promocional de maneira eficaz. Para Vaz (2008), existem grandes mudanças na maneira como as empresas se comunicam com os clientes na esfera promocional, o que implica em mudanças no tradicional mix de promoção (propaganda, promoção de vendas, relações publicas, marketing direto e venda pessoal). Ele evoluiu de maneira diferente em relação à tradicionalmente usada, cuja ênfase era na comunicação em massa e que agora está voltada para uma comunicação direta. O Mobile Marketing, por exemplo, tem permitido novas formas de comunicação, proporcionando ampla cobertura pela sua aplicação através do telefone celular, o qual é considerado a forma mais popular de mídia em massa. Haig (2002) descreve as seguintes características que tornam o celular uma mídia atraente para o Marketing: a) Custo: O custo de transmissão de dados (principalmente o SMS) é menor do que o das ligações de voz, tendo as campanhas de SMS marketing um maior custobenefício em relação a outras mídias; b) Conveniência: O celular permite que o texto, vídeo e som sejam recebidos e enviados em qualquer lugar e a qualquer momento; c) Imediaticidade: Os dispositivos móveis permitem o armazenamento e a facilidade de escrita de mensagens para respostas imediatas; d) Privacidade: Os dados recebidos pelo celular se mantém privados, mesmo quando isto ocorre em local público. e) Ubiqüidade: Em virtude da grande difusão do celular, pode-se chegar a qualquer perfil de consumidor. 7

8 Portanto, a utilização do Mobile Marketing como ferramenta de relacionamento com os clientes, permite as empresas vantagens ligadas à amplitude da sua cobertura, a facilidade e baixos custos no processo de comunicação, através do qual ocorre a construção de um relacionamento duradouro entre ambas as partes. Desse modo, a empresa tem a possibilidade de obter informações acerca do perfil de consumo dos clientes, podendo implementar ações que influenciem o seu comportamento de compra, despertando neles a necessidade e a preferência pelos seus produtos e serviços. 2.4 Comportamento do Consumidor Diante da variedade de perfis de consumidores existentes e da grande quantidade de produtos e serviços a disposição dos mesmos, existe uma série de elementos internos e externos ao consumidor que afetam a sua percepção e as suas escolhas entre os produtos e serviços oferecidos. Nesse contexto, o Marketing tem o papel de compreender os fatores que dirigem o comportamento do consumidor e realizar ações que influenciem a sua tomada de decisão. Segundo Schiffman e Kanuk (2000), a importância de os profissionais de marketing entenderem o comportamento do consumidor, se dá ao fato de que eles se tornam capazes de predizer a probabilidade de o mesmo reagir a vários sinais informacionais e ambientais, garantindo o planejamento coerente de suas estratégias de marketing. No processo de decisão de compra do consumidor, o mesmo fica exposto a informações que de alguma maneira acabam influenciando a sua escolha. Segundo Dias (2003), o cliente é influenciado na sua percepção e nas suas preferências por fatores externos e internos. As principais influências externas são a profusão de marcas e modelos de produtos e serviços, as novas técnicas de vendas, as novas formas de comunicação, os programas de lealdade, a globalização e a internet. Por outro lado, as influencias internas são as que atuam sobre o comportamento, como a motivação, personalidade e atitudes. Para Kotler e Amstrong (2007), as compras do consumidor são extremamente influenciadas pelas características culturais, sociais, pessoais e psicológicas, fatores sobre os quais os profissionais de marketing não podem manter controle, mas devem levá-los em consideração. Os fatores culturais tratam das características que o consumidor adquire na sociedade em que se insere, adquirindo valores, percepções, desejos e comportamentos de sua família e de outras instituições importantes. Estas características são fatores determinantes dos desejos e comportamentos de uma pessoa. Os fatores sociais, os quais são constituídos por grupos, famílias, papéis sociais e status também influenciam o comportamento do consumidor submetendo-o a adoção de determinado comportamento compatível com a opinião de indivíduos que são referência, com os papéis que desenvolve e com a posição social em que está posto. Os fatores pessoais incluem características próprias como idade, estágio no ciclo de vida, ocupação, personalidade e auto-imagem, as quais modificam os bens e serviços que as pessoas adquirem, seja por mudanças nos hábitos ao longo da vida, pela sua ocupação, pela sua renda, pelo seu padrão de vida e elas características da sua personalidade. 8

9 As decisões do consumidor também são influenciadas por fatores psicológicos, que incluem motivação, percepção, aprendizagem, crenças e atitudes, seja pelas motivações que ele possui para adquirir determinados produtos, pela percepção que ele possui dos benefícios de determinados produtos e serviços, pela experiência adquirida através do consumo de diversas marcas ou ainda pela criação de sentimentos e tendências que dirigem as suas preferências. Portanto a área de Marketing deve agir no sentido de compreender as características pessoais e psicológicas dos consumidores, além da cultura e sociedade nos quais estão inseridos. A compreensão dessas características permite a elaboração dos melhores planos de ação para atingi-los, atuando dentro de todo o processo de decisão de compra do consumidor. Segundo Kotler e Amstrong (2007), o processo de decisão de compra apresenta cinco fases, a saber: reconhecimento da necessidade, busca por informações, avaliação das alternativas, decisão de compra e comportamento pós-compra: a) Reconhecimento da necessidade: é dirigido por estímulos internos, mas também sofre influência dos estímulos externos, como um anúncio de propaganda, ou uma conversa com um amigo. b) Busca por informações relacionadas a essa necessidade: o consumidor obterá informações de diversas fontes, entre elas, fontes pessoais, fontes comerciais, fontes públicas, e fontes experimentais. De modo geral, o consumidor recebe a maior parte de informações sobre o produto de fontes comerciais, que são controladas pelos profissionais de marketing, sendo que as fontes mais eficientes tendem a ser as pessoais, já que estas legitimam ou avaliam os produtos para ele. c) Avaliação das alternativas: a forma como os consumidores avaliam depende de suas características pessoais e da situação específica da compra, sendo que a maioria dos consumidores pondera certos atributos, dando uma importância diferente a cada um deles. d) Decisão de Compra: a decisão de compra, que em um primeiro momento consiste em comprar a sua marca favorita pode sofrer influência de dois fatores: a atitude dos outros, e as situações inesperadas. e) Comportamento pós-compra: o consumidor fica satisfeito ou insatisfeito com a compra a partir do resultado que obtém entre as suas expectativas e o desempenho percebido do produto. Neste contexto, os profissionais de marketing devem não apenas garantir a superação das expectativas dos clientes, mas também encantar os mesmos. Em todas as fases do processo de decisão de compra do consumidor, é visível a necessidade da utilização de uma estratégia de comunicação que leve as informações acerca dos produtos e serviços até ele. Através de uma comunicação eficaz, a empresa informa ao cliente as vantagens dos seus produtos e serviços em relação aos seus concorrentes, os seus melhores preços e condições de pagamento, e os benefícios oferecidos pela compra. Churchill e Peter (2005) colocam que, para aumentar as vendas, as empresas comunicam as vantagens superiores de seus produtos, seus custos mais baixos, ou uma combinação de 9

10 benefícios e custos desejados pelos consumidores. De acordo com Schiffman e Kanuk,(2000) as estratégias de comunicação tem como um componente essencial a seleção do público apropriado, o qual deve ser segmentado para possibilitar a criação de mensagens especificas para cada grupo-alvo e transmitir essas mensagens por um meio de comunicação específico que atinja cada grupo-alvo. Nesse contexto, considerando a ampla difusão da mídia móvel, o Mobile Marketing é uma ferramenta de comunicação capaz de atingir diretamente um grupo específico de clientes ou até mesmo um único indivíduo. Para Sheth, Mittal e Newman (2008), o reconhecimento do problema a ser resolvido, ou da necessidade a ser satisfeita, ocorre em virtude de um estímulo interno ou externo. Os estímulos internos são estados de desconforto físicos ou psicológicos percebidos. Por outro lado, os estímulos externos são itens de informação de mercado, que levam o cliente a percepção do problema. No âmbito do reconhecimento da necessidade, portanto, a comunicação direta, proporcionada pela utilização do Mobile Marketing, é um meio utilizado para promover estímulos externos a ele através da divulgação de novos produtos e serviços, despertando nele a necessidade de obtenção dos mesmos. Em relação à busca por informações, Sheth, Mittal e Newman (2008) colocam que os clientes buscam informações sobre os modos alternativos de resolução do seu problema considerando um seleto subconjunto de marcas. Inicialmente, eles buscam informações sobre o conjunto considerado de marcas, ou seja, as marcas que o cliente considerará no momento da compra, podendo se utilizar de fontes empresariais (que são provindas da própria empresa que oferece o produto ou serviço) e não empresariais (fontes pessoais e independentes do controle das empresas). Na fase onde o cliente realiza a busca por informações, portanto, o Mobile Marketing é uma ferramenta de comunicação que pode ser utilizada pelas empresas para fornecer informações favoráveis sobre seus produtos e serviços, objetivando posicioná-los dentro do conjunto de marcas que o cliente haverá de considerar no momento da compra. Na fase de avaliação das alternativas Sheth, Mittal e Newman (2008) mencionam que o cliente realiza a sua avaliação através de modelos de escolha aonde o cliente chega a uma decisão através da análise de todos os atributos dos produtos ou serviços oferecidos em relação aos pontos fracos dos mesmos. No momento em que o consumidor avalia as alternativas de compra, a comunicação direta da empresa com o mesmo permite que esta mantenha um relacionamento duradouro com o cliente, podendo obter informações acerca da maneira como ele pondera os atributos dos produtos e serviços, podendo desta forma, buscar a melhor maneira de atingi-lo. Na fase em que o consumidor realiza a decisão de compra Sheth, Mittal e Newman (2008), ressaltam que a intenção de compra, algumas vezes pode não ser implementada devido a demora na implementação da compra e a desvios em relação a escolha identificada. Nesse sentido, a utilização do Mobile Marketing pelas empresas permite que ela forneça a ele, a qualquer momento, informações sobre facilidades de compra e novidades nos produtos 10

11 e serviços, procurando evitar a demora na decisão de compra e o desvio em relação à escolha realizada. A importância da comunicação direta com o cliente também é percebida no momento do comportamento pós-compra. Segundo Sheth, Mittal e Newman (2008), a experiência de adquirir e usar o produto fornece informações que o cliente utilizará em uma tomada de decisão futura. Desse modo, a comunicação direta com o cliente, proporcionada pelo Móbile Marketing auxilia a empresa na contribuição com o cliente no processo de confirmação da decisão, proporcionando a ele uma visão dos benefícios do produto ou serviço adquirido. Portanto, a expansão do telefone celular como instrumento de comunicação e mídia móvel permite às empresas um meio de se relacionar com os clientes através de uma comunicação direta, realizando ações que influenciem o processo de decisão de compra. 3. ANÁLISE DOS DADOS Com o objetivo de buscar as informações necessárias à contemplação do objetivo proposto, foram entrevistados 10 empresários, do ramo de telefonia móvel, existentes em 05 municípios da região oeste paranaense, conforme Tabela 01: Tabela 01 - Número de empresas entrevistadas por município MUNICÍPIO QUANTIDADE % Marechal Cândido Rondon 4 40% Entre Rios do Oeste 2 20% Mercedes 1 10% Pato Bragado 1 10% Santa Helena 2 20% TOTAL % Fonte: Dados da pesquisa Das empresas entrevistadas, verificou-se que apenas 03 utilizam estratégias de Mobile Marketing como forma de apresentação de produtos e serviços, correspondendo a 30% da amostra. Os motivos citados pela não adoção da técnica são o desconhecimento da estratégia e desinteresse por parte dos empresários na adoção de uma nova ferramenta de marketing. Dados podem ser verificados na Tabela 02: 11

12 Tabela 02 - Número de empresas que adotam mobile marketing por município MUNICÍPIO Nº ENTREVISTADOS ADOTAM MOBILE MARKETING % Marechal Cândido Rondon % Entre Rios do Oeste % Mercedes % Pato Bragado 1 0 0% Santa Helena 2 0 0% TOTAL % Fonte: Dados da pesquisa Na continuidade da análise, todas as respostas seguintes são baseadas nas três empresas que adotam Mobile Marketing. Questionados sobre quais as preocupações que precedem a ação do Mobile Marketing em relação ao direito do público alvo de participar ou não de uma campanha, ou seja, como estes obtêm autorização dos clientes para envio de mensagens publicitárias, as 03 empresas utilizam a base cadastral para obter dados destes. Na base cadastral, há um termo de adesão onde o cliente autoriza ou não o recebimento de Short Message Service (SMS) para seu celular. De acordo com a Mobile Marketing Associacion (2011), o Short Message Service (SMS) é um serviço de comunicações que permite a troca de mensagens curtas de texto, limitadas até 160 caracteres, entre telefones celulares. Suporta mensagens enviadas de um usuário para o outro, bem como mensagens enviadas de uma máquina, tal como computador ou servidor para um usuário. As mensagens SMS podem ser enviadas e recebidas entre praticamente todas as redes do operador. Praticamente todos os celulares no mundo suportam SMS, criando um mercado onipresente para campanhas publicitárias baseadas em SMS. Outra abordagem do questionário foi a de verificar se há uma estratégia de relacionamento utilizada já no primeiro contato com o cliente, a fim de convencê-lo a participar e autorizar o cadastro de seu número para recebimento de ações publicitárias via SMS. Neste caso, as 03 empresas buscam a adesão imediata do cliente. A forma de persuasão é através da exposição das vantagens que há em receber promoções, publicidades de novos produtos e/ou serviços direto no telefone celular, estando o cliente onde estiver. Considerando a atual necessidade de as empresas segmentarem seus mercados para melhor atender aos seus grupos de clientes, verificou-se também se há algum tipo de segmentação dos clientes no envio de SMS por parte das empresas entrevistadas. A segmentação de mercado consiste na divisão de um mercado em grupos de compradores que possuam semelhantes desejos e necessidades de compra, os quais podem responder de forma semelhante a mesma estratégia de marketing. Desse modo, a empresa tem a possibilidade de utilizar-se de informações para decidir os segmentos de mercado aos quais ela pode atender de forma mais lucrativa (CHURCHILL e PETER, 2000). Analisando as respostas obtidas, constatou-se que as empresas segmentam os clientes em fatores etários e por características demográficas. O público jovem é o alvo destas estratégias, por serem considerados aqueles que mais utilizam serviços de transmissão de 12

13 dados. Em relação às características demográficas, busca-se atingir de maneira mais abrangente o público urbano com o oferecimento de pacotes para transmissão de dados, uma vez que os clientes residentes em áreas rurais ou suburbanas preferem contratar pacotes para transmissão de voz, ao invés de dados, pois normalmente nestas localidades não há acesso a telefonia fixa e o celular supre esta ausência e pacotes de voz minimizam o custo por chamada. Não obstante, buscou-se identificar a forma de apresentação do SMS quando do envio para os clientes em relação às informações que este contem quanto à apresentação do produto ou serviço. Constatou-se que as campanhas buscam apresentar a utilidade do produto ou serviço e despertar interesses nas vantagens do seu uso frente às necessidades atuais e tendências de consumo. A construção de um relacionamento entre a empresa e seus clientes segundo deve se basear em uma comunicação aberta e na manutenção de contato entre as partes (NICKELS e WOOD (1999). O relacionamento obtido com o cliente frente às ações de Mobile Marketing permite agrupar clientes por necessidades específicas e alimentá-los com informações prioritárias. Permitem apresentar informações sobre renovação de planos, esclarecimentos de dúvidas e prospectar novas vendas. Isto resulta num estreitamento das relações com o cliente, aumentando a confiança por parte deste na empresa, fidelizando-o. Outro fator que contribui para este estreitamento de relações é a amplitude demográfica restrita à área do município, permitindo uma reciprocidade por parte do cliente via contato direto na empresa, logo após o recebimento do SMS. Questionados sobre as ações desenvolvidas consideradas mais eficazes, constatou-se que são aquelas que oferecem como principal atrativo, aparelhos grátis e bônus de SMS nas aquisições de novos serviços. Outro ponto importante levantado está relacionado ao custo desse plano de ação em relação a meios tradicionais de ações de marketing bem como do retorno sobre o investimento. A resposta obtida apresenta uma grande eficiência e eficácia destas ações, pois o resultado constatado é unânime: um décimo do valor de campanhas tradicionais e retorno financeiro sobre o investimento varia entre 60 a 250 vezes. Já em relação à freqüência e periodicidade das ações de Mobile Marketing desenvolvidas, estas ocorrem de forma programada perto do término do plano ou serviço do cliente, que é um período de 09 meses a 01 ano. Também datas especiais para o comércio e eventuais mudanças de planos, são os 03 fatores que desencadeiam estas ações. 4. CONSIDERAÇÕES FINAIS Este estudo, de natureza exploratória, teve por objetivo analisar e compreender o uso das estratégias de mobile marketing como ferramenta de relacionamento e fidelização dos clientes nas empresas do ramo de telefonia móvel no extremo oeste paranaense. Desenvolveu-se esta pesquisa a partir de entrevistas estruturadas com questões subjetivas, o que proporcionou dados sobre a realidade das organizações e sobre a região 13

14 onde estas estão inseridas. Através do alinhamento da teoria com as respostas obtidas, pode finalmente considerar-se alguns fatores. Destaca-se um baixo nível de utilização da ferramenta Mobile Marketing nestas organizações devido ao desinteresse e não conhecimento desta estratégia. Aquela que já utiliza este modelo obtém um resultado satisfatório, conseguindo atingir públicos alvos com baixo custo, alta eficiência e eficácia e ainda está se alinhando com novas tendências de comunicação que atualmente estão sendo incorporadas ao marketing. Fica evidente que empresas que utilizam esta estratégia conseguem uma aproximação maior com o cliente, que passa a buscar produtos e serviços com maior freqüência, melhorando a interação entre empresa e cliente atingindo maior nível de fidelização que empresas não adeptas a essas ações. Este trabalho proporcionou a aplicação de conhecimentos teóricos e instigou para a exploração de uma área do marketing que ainda é pouco conhecida, tanto para os empresários como para acadêmicos. Diante disso sugere-se elaboração de outros estudos sobre esta ferramenta. 5. REFERÊNCIAS CHURCHILL, G.A.JR. PETER, J. P. Marketing: Criando valor para os clientes. São Paulo: Saraiva, DIAS, S. R. (Coord.) Gestão de Marketing. São Paulo: Saraiva, EHRENBERG, K. C. Comunicação Mercadológica em Celulares: um panorama do mobile marketing brasileiro. São Paulo: UMESP, Disponível em: <http://ibict.metodista.br/tedesimplificado/tde_busca/arquivo.php?codarquivo=2625> Acesso em: 19 jun FERREL, O.C; DARTLINE, Michael D.; LUCAS JR, George H.; LUCK, David. Estratégia de Marketing. São Paulo: Atlas, HAIG, M. Mobile Marketing: The Message Revolution. London: Kogan Page, p. AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES. Números do Setor. Disponível em: Acesso em 09/06/2011. KOTLER, Philip. ARMSTRONG, Gary. Princípios de Marketing. 7 edição. Rio de Janeiro: KOTLER, P.; ARMSTRONG, G. Princípios de Marketing. 12 ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall,

15 NASCIMENTO, S.C.M. O uso do mobile marketing como estratégia de fidelização dos clientes: um estudo em empresas do setor de comercio e serviços em Natal-RN. Natal: UFRN, Disponível em: <http://bdtd.bczm.ufrn.br/tedesimplificado//tde_busca/arquivo.php?codarquivo=2044> Acesso em: 21 jun MOBILE MARKETING ASSOCIATION. Mobile Marketing Industry Glossary. Version Disponível em: <http://www.mmaglobal.com/glossary.pdf> Acesso em: 23. Jun NICKELS W. G.; WOOD, M. B. MARKETING Relacionamento, Qualidade, Valor. Rio de Janeiro: LCT, SCHIFFMAN, L.G.; KANUK, L.L. Comportamento do Consumidor. 6.ed. Rio de Janeiro: LTC, SHETH, J,N,; MITTAL. B.; NEWMAN, B.I. Comportamento do cliente: indo além do comportamento do consumidor. 1 ed. 2. reimpr. São Paulo: Atlas, TELLES, Renato. Canais de marketing & distribuição: conceitos, estratégias, gestão, modelos de decisão / Renato Telles e Vivian Iara Strehlau. São Paulo: Saraiva, VAZ, J.C.N. Mobile Marketing: novos usos do SMS no mix promocional de marketing. Salvador: UFBA, Disponível em: Acesso em: 22 jun

Unidade IV MERCADOLOGIA. Profº. Roberto Almeida

Unidade IV MERCADOLOGIA. Profº. Roberto Almeida Unidade IV MERCADOLOGIA Profº. Roberto Almeida Conteúdo Aula 4: Marketing de Relacionamento A Evolução do Marketing E-marketing A Internet como ferramenta As novas regras de Mercado A Nova Era da Economia

Leia mais

ESTRATÉGIAS MERCADOLÓGICAS UTILIZADAS PELAS OPERADORAS, TIM, CLARO E VIVO.

ESTRATÉGIAS MERCADOLÓGICAS UTILIZADAS PELAS OPERADORAS, TIM, CLARO E VIVO. 1 ESTRATÉGIAS MERCADOLÓGICAS UTILIZADAS PELAS OPERADORAS, TIM, CLARO E VIVO. Juliana da Silva RIBEIRO 1 RESUMO: O presente trabalho enfoca as estratégias das operadoras de telefonia móvel TIM,VIVO e CLARO

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» ADMINISTRAÇÃO (MARKETING) «

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» ADMINISTRAÇÃO (MARKETING) « CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» ADMINISTRAÇÃO (MARKETING) «21. É falacioso falar que o marketing é filho do capitalismo e, portanto, apenas ajudaria a concentrar a renda satisfazendo necessidades supérfluas

Leia mais

5 Conclusões 5.1. Síntese do estudo

5 Conclusões 5.1. Síntese do estudo 5 Conclusões 5.1. Síntese do estudo Este estudo teve como objetivo contribuir para a compreensão do uso das mídias sociais, como principal ferramenta de marketing da Casar é Fácil, desde o momento da sua

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING PROJETO INTEGRADOR

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING PROJETO INTEGRADOR CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING PROJETO INTEGRADOR PROJETO INTEGRADOR 1. INTRODUÇÃO Conforme as diretrizes do Projeto Pedagógico dos Cursos Superiores de Tecnologia da Faculdade Unida de Suzano

Leia mais

A Importância do Marketing nos Serviços da. Área de Saúde - Estratégias utilizadas para fidelizar o cliente

A Importância do Marketing nos Serviços da. Área de Saúde - Estratégias utilizadas para fidelizar o cliente A Importância do Marketing nos Serviços da Área de Saúde - Estratégias utilizadas para fidelizar o cliente Hellen Souza¹ Universidade do Vale do Rio dos Sinos UNISINOS RESUMO Este artigo aborda a importância

Leia mais

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM http://www.t2ti.com Projeto T2Ti ERP 2.0. Bloco Comercial. CRM e AFV

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM http://www.t2ti.com Projeto T2Ti ERP 2.0. Bloco Comercial. CRM e AFV Bloco Comercial CRM e AFV Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre os Módulos CRM e AFV, que fazem parte do Bloco Comercial. Todas informações aqui disponibilizadas foram retiradas

Leia mais

MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional.

MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional. Empresa MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional. Nossa filosofia e oferecer ferramentas de gestão focadas na

Leia mais

A PERCEPÇÃO DAS EMPRESAS SOBRE OS SERVIÇOS PRESTADOS PELOS PROFISSIONAIS DA AREA DE SISTEMA DE INFORMAÇÃO 1

A PERCEPÇÃO DAS EMPRESAS SOBRE OS SERVIÇOS PRESTADOS PELOS PROFISSIONAIS DA AREA DE SISTEMA DE INFORMAÇÃO 1 A PERCEPÇÃO DAS EMPRESAS SOBRE OS SERVIÇOS PRESTADOS PELOS PROFISSIONAIS DA AREA DE SISTEMA DE INFORMAÇÃO 1 Tatiana Pereira da Silveira 1 RESUMO O objetivo deste trabalho é apresentar os resultados da

Leia mais

OS 5 P S DO MARKETING NO SETOR HOTELEIRO NA CIDADE DE BAMBUÍ-MG

OS 5 P S DO MARKETING NO SETOR HOTELEIRO NA CIDADE DE BAMBUÍ-MG 1 OS 5 P S DO MARKETING NO SETOR HOTELEIRO NA CIDADE DE BAMBUÍ-MG Camila Alves Teles 1 Maria Solange dos Santos 2 Rodrigo Honório Silva 3 Romenique José Avelar 4 Myriam Angélica Dornelas 5 RESUMO O presente

Leia mais

MARKETING E VENDAS NA FARMÁCIA

MARKETING E VENDAS NA FARMÁCIA MARKETING E VENDAS NA FARMÁCIA Há muito se discute que o mercado de farmácias é ambiente competitivo e que a atividade vem exigindo profissionalismo para a administração de seus processos, recursos e pessoal.

Leia mais

Passo 1 - Faça um diagnóstico da comunicação

Passo 1 - Faça um diagnóstico da comunicação Manual Como elaborar uma estratégia de comunicação Índice Introdução Passo 1 - Faça um diagnóstico da comunicação. Passo 2 - Defina os alvos da comunicação Passo 3 - Estabeleça os objetivos da comunicação

Leia mais

Planejamento de Campanha Publicitária

Planejamento de Campanha Publicitária Planejamento de Campanha Publicitária Prof. André Wander UCAM O briefing chegou. E agora? O profissional responsável pelo planejamento de campanha em uma agência de propaganda recebe o briefing, analisa

Leia mais

A Psicologia de Vendas: Por Que as Pessoas Compram

A Psicologia de Vendas: Por Que as Pessoas Compram A Psicologia de Vendas: Por Que as Pessoas Compram Esquema de Palestra I. Por Que As Pessoas Compram A Abordagem da Caixa Preta A. Caixa preta os processos mentais internos que atravessamos ao tomar uma

Leia mais

&DPSDQKDV 3ODQHMDPHQWR

&DPSDQKDV 3ODQHMDPHQWR &DPSDQKDV 3ODQHMDPHQWR Toda comunicação publicitária visa atender a alguma necessidade de marketing da empresa. Para isso, as empresas traçam estratégias de comunicação publicitária, normalmente traduzidas

Leia mais

Comunicação estratégica como diferencial competitivo para as organizações Um estudo sob a ótica de Administradores e Relações Públicas

Comunicação estratégica como diferencial competitivo para as organizações Um estudo sob a ótica de Administradores e Relações Públicas Comunicação estratégica como diferencial competitivo para as organizações Um estudo sob a ótica de Administradores e Relações Públicas Ana Carolina Trindade e-mail: carolinatrindade93@hotmail.com Karen

Leia mais

e-mail: professor@luisguilherme.adm.br / www.luisguilherme.adm.br FONE: (62) 9607-2031

e-mail: professor@luisguilherme.adm.br / www.luisguilherme.adm.br FONE: (62) 9607-2031 INSTITUTO UNIFICADO DE ENSINO SUPERIOR OBJETIVO - IUESO PLANO DE ENSINO CURSO: Administração PROF. Luis Guilherme Magalhães SÉRIE: 7º e 8º Período TURNO: Matutino DISCIPLINA: Gestão Mercadológica CARGA

Leia mais

Unidade IV. Marketing. Profª. Daniela Menezes

Unidade IV. Marketing. Profª. Daniela Menezes Unidade IV Marketing Profª. Daniela Menezes Comunicação (Promoção) Mais do que ter uma ideia e desenvolver um produto com qualidade superior é preciso comunicar a seus clientes que o produto e/ ou serviço

Leia mais

A INFLUÊNCIA DA COMUNICAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NO BRASIL

A INFLUÊNCIA DA COMUNICAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NO BRASIL A INFLUÊNCIA DA COMUNICAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NO BRASIL Introdução A partir da década de 90 as transformações ocorridas nos aspectos: econômico, político, social, cultural,

Leia mais

Curso Marketing Político Digital Por Leandro Rehem Módulo III MULTICANAL. O que é Marketing Multicanal?

Curso Marketing Político Digital Por Leandro Rehem Módulo III MULTICANAL. O que é Marketing Multicanal? Curso Marketing Político Digital Por Leandro Rehem Módulo III MULTICANAL O que é Marketing Multicanal? Uma campanha MultiCanal integra email, SMS, torpedo de voz, sms, fax, chat online, formulários, por

Leia mais

Modelos, Métodos e Técnicas de Planejamento

Modelos, Métodos e Técnicas de Planejamento UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA Faculdade de Filosofia e Ciências Câmpus de Marília Departamento de Ciência da Informação Modelos, Métodos e Técnicas de Planejamento Profa. Marta Valentim Marília 2014 Modelos,

Leia mais

Prof: Carlos Alberto

Prof: Carlos Alberto AULA 1 Marketing Prof: Carlos Alberto Bacharel em Administração Bacharel em Comunicação Social Jornalismo Tecnólogo em Gestão Financeira MBA em Gestão de Negócios Mestrado em Administração de Empresas

Leia mais

Mídias sociais como apoio aos negócios B2C

Mídias sociais como apoio aos negócios B2C Mídias sociais como apoio aos negócios B2C A tecnologia e a informação caminham paralelas à globalização. No mercado atual é simples interagir, aproximar pessoas, expandir e aperfeiçoar os negócios dentro

Leia mais

COMO A PROPAGANDA FUNCIONA?

COMO A PROPAGANDA FUNCIONA? COMO A PROPAGANDA FUNCIONA? Definição: a manipulação planejada da comunicação visando, pela persuasão, promover comportamentos em benefício do anunciante que a utiliza. Funções: cabe a propaganda informar

Leia mais

Conceito de Marketing Considerações Preliminares Atendimento

Conceito de Marketing Considerações Preliminares Atendimento Conceito de Marketing Considerações Preliminares Atendimento Metodologia de Ensino 1) Noções de Marketing 2) Marketing de Serviço 3) Marketing de Relacionamento 1 2 1) Noções de Marketing 3 4 5 6 www.lacconcursos.com.br

Leia mais

Empresa como Sistema e seus Subsistemas. Professora Cintia Caetano

Empresa como Sistema e seus Subsistemas. Professora Cintia Caetano Empresa como Sistema e seus Subsistemas Professora Cintia Caetano A empresa como um Sistema Aberto As organizações empresariais interagem com o ambiente e a sociedade de maneira completa. Uma empresa é

Leia mais

UNIMEP MBA em Gestão e Negócios

UNIMEP MBA em Gestão e Negócios UNIMEP MBA em Gestão e Negócios Módulo: Sistemas de Informações Gerenciais Aula 4 TI com foco nos Negócios: Áreas envolvidas (Parte II) Flávio I. Callegari www.flaviocallegari.pro.br O perfil do profissional

Leia mais

Marketing. Aula 06. Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho

Marketing. Aula 06. Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Marketing Aula 06 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina oferecida pela UNINOVE. O acesso às atividades, conteúdos multimídia e

Leia mais

Plano de Marketing. Introdução (breve) ao Marketing Análise de Mercado Estratégias de Marketing

Plano de Marketing. Introdução (breve) ao Marketing Análise de Mercado Estratégias de Marketing Plano de Marketing Introdução (breve) ao Marketing Análise de Mercado Estratégias de Marketing 1 Plano de Marketing É o resultado de um processo de planejamento. Define o quevai ser vendido, por quanto,

Leia mais

Problema ou Oportunidade. Processo de Decisão

Problema ou Oportunidade. Processo de Decisão Prof. Dr. ANDERSON SONCINI PELISSARI Processo de Decisão INFLUÊNCIA DO AMBIENTE Cultura Classes Sociais Valores Étnicos Família Situação DIFERÊNÇAS INDIVIDUAIS Recursos do cliente Auto conceito Problema

Leia mais

Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report

Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report Avaliação de: Sr. Antônio Modelo Preparada por: Consultor Caliper exemplo@caliper.com.br Data: Página 1 Perfil Caliper de Especialistas The Inner

Leia mais

Gestão e Marketing Análise SWOT - FFOA

Gestão e Marketing Análise SWOT - FFOA Gestão e Marketing Análise SWOT - FFOA SWOT Strengths (Forças), Weaknesses (Fraquezas), Opportunities (Oportunidades) e Threats (Ameaças) Forças Oportunidades Fraquezas Ameaças Interno Externo Ajudam Atrapalham

Leia mais

MBA Gestão de Mercados ementas 2015/2

MBA Gestão de Mercados ementas 2015/2 MBA Gestão de Mercados ementas 2015/2 Análise de Tendências e Inovação Estratégica Levar o aluno a compreender os conceitos e as ferramentas de inteligência preditiva e inovação estratégica. Analisar dentro

Leia mais

XX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2012-22 a 26 de outubro Rio de Janeiro - RJ - Brasil

XX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2012-22 a 26 de outubro Rio de Janeiro - RJ - Brasil XX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2012-22 a 26 de outubro Rio de Janeiro - RJ - Brasil Ana Luiza Collares Xavier JULIA FERRAZ DUAYER Thalita Gaspar Telles Light Serviços de

Leia mais

Planejamento de Marketing

Planejamento de Marketing PARTE II - Marketing Estratégico - Nessa fase é estudado o mercado, o ambiente em que o plano de marketing irá atuar. - É preciso descrever a segmentação de mercado, selecionar o mercado alvo adequado

Leia mais

Programa de Capacitação em Gestão da Responsabilidade Social Empresarial e Desenvolvimento PETROBRÁS

Programa de Capacitação em Gestão da Responsabilidade Social Empresarial e Desenvolvimento PETROBRÁS Programa de Capacitação em Gestão da Responsabilidade Social Empresarial e Desenvolvimento PETROBRÁS OFICINA 2 Professora: Izabel Portela izabel@institutoiris.org.br Novembro - 2007 1 M A R K E T I N G

Leia mais

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA Autor: Jeferson Correia dos Santos ARTIGO TÉCNICO INOVAÇÃO NA GESTÃO DE PÓS-VENDAS: SETOR AUTOMOTIVO RESUMO A palavra inovação tem sido atualmente umas das mais mencionadas

Leia mais

Missão, Visão e Valores

Missão, Visão e Valores , Visão e Valores Disciplina: Planejamento Estratégico Página: 1 Aula: 12 Introdução Página: 2 A primeira etapa no Planejamento Estratégico é estabelecer missão, visão e valores para a Organização; As

Leia mais

PARA QUE SERVE O CRM?

PARA QUE SERVE O CRM? Neste mês, nós aqui da Wiki fomos convidados para dar uma entrevista para uma publicação de grande referência no setor de varejo, então resolvemos transcrever parte da entrevista e apresentar as 09 coisas

Leia mais

Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro.

Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro. PLANO DE MARKETING Andréa Monticelli Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro. 1. CONCEITO Marketing é

Leia mais

Planejamento Estratégico

Planejamento Estratégico Planejamento Estratégico Análise externa Roberto César 1 A análise externa tem por finalidade estudar a relação existente entre a empresa e seu ambiente em termos de oportunidades e ameaças, bem como a

Leia mais

Análise de Mercado. Análise da Indústria/Setor. Descrição do Segmento de Mercado. Artigos de PN Como fazer Análise de Mercado. josedornelas.com.

Análise de Mercado. Análise da Indústria/Setor. Descrição do Segmento de Mercado. Artigos de PN Como fazer Análise de Mercado. josedornelas.com. Artigos de PN Como fazer Análise de Mercado Análise de Mercado A análise de mercado é um dos componentes do plano de negócios que está relacionado ao marketing da organização. Ela apresenta o entendimento

Leia mais

Trabalhando em conjunto, trabalhando sempre.

Trabalhando em conjunto, trabalhando sempre. A AVY COMUNICAÇÃO A AVY Comunicação é uma agência de comunicação e marketing que desenvolve diferentes soluções utilizando a experiência e criatividade de sua equipe para gerar valor institucional, fidelidade

Leia mais

E - Simulado 02 Questões de Tecnologia em Marketing

E - Simulado 02 Questões de Tecnologia em Marketing E - Simulado 02 Questões de Tecnologia em Marketing Questão 01: (ENADE 2009): Um fabricante de sapatos pode usar a mesma marca em duas ou mais linhas de produtos com o objetivo de reduzir os custos de

Leia mais

GESTÃO ESTRATÉGICA DE MARKETING

GESTÃO ESTRATÉGICA DE MARKETING GESTÃO ESTRATÉGICA DE MARKETING PÓS-GRADUAÇÃO / FIB-2009 Prof. Paulo Neto O QUE É MARKETING? Marketing: palavra em inglês derivada de market que significa: mercado. Entende-se que a empresa que pratica

Leia mais

RELATÓRIO FINAL DE PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRAS DIA DAS CRIANÇAS 2012

RELATÓRIO FINAL DE PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRAS DIA DAS CRIANÇAS 2012 RELATÓRIO FINAL DE PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRAS DIA DAS CRIANÇAS 2012 CONVÊNIO UCDB-ACICG-PMCG 26/09/2012 RELATÓRIO FINAL DE PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRAS DIA DAS CRIANÇAS 2012 CONVÊNIO UCDB-ACICG-PMCG

Leia mais

MARKETING EM REDES SOCIAIS RESUMO

MARKETING EM REDES SOCIAIS RESUMO MARKETING EM REDES SOCIAIS Bruna Karine Ribeiro Simão Instituto Federal de Mato Grosso do Sul Campus Nova Andradina bruna_simao@hotmail.com Rodrigo Silva Duran Instituto Federal de Mato Grosso do Sul Campus

Leia mais

FUNDAMENTOS PARA A ADMINISTRAÇÃO ESTRATÉGICA

FUNDAMENTOS PARA A ADMINISTRAÇÃO ESTRATÉGICA FUNDAMENTOS PARA A ADMINISTRAÇÃO ESTRATÉGICA Abordagem da estratégia Análise de áreas mais específicas da administração estratégica e examina três das principais áreas funcionais das organizações: marketing,

Leia mais

Gestão do Conhecimento A Chave para o Sucesso Empresarial. José Renato Sátiro Santiago Jr.

Gestão do Conhecimento A Chave para o Sucesso Empresarial. José Renato Sátiro Santiago Jr. A Chave para o Sucesso Empresarial José Renato Sátiro Santiago Jr. Capítulo 1 O Novo Cenário Corporativo O cenário organizacional, sem dúvida alguma, sofreu muitas alterações nos últimos anos. Estas mudanças

Leia mais

Estratégias em Tecnologia da Informação. Variáveis Ambientais e Diagnóstico Estratégico (Análise SWOT)

Estratégias em Tecnologia da Informação. Variáveis Ambientais e Diagnóstico Estratégico (Análise SWOT) Estratégias em Tecnologia da Informação Capítulo 5 Variáveis Ambientais e Diagnóstico Estratégico (Análise SWOT) Material de apoio 2 Esclarecimentos Esse material é de apoio para as aulas da disciplina

Leia mais

Estratégia Empresarial. Prof. Felipe Kovags

Estratégia Empresarial. Prof. Felipe Kovags Estratégia Empresarial Prof. Felipe Kovags Conteúdo programático Planejamento: definição, origem, espírito, princípios e tipos empresariais Planejamento estratégico por negócio Formulação de estratégia:

Leia mais

Mídias sociais como apoio aos negócios B2B

Mídias sociais como apoio aos negócios B2B Mídias sociais como apoio aos negócios B2B A tecnologia e a informação caminham paralelas à globalização. No mercado atual é simples interagir, aproximar pessoas, expandir e aperfeiçoar os negócios dentro

Leia mais

O advento das mídias sociais digitais e o mercado de trabalho para o profissional de relações públicas

O advento das mídias sociais digitais e o mercado de trabalho para o profissional de relações públicas O advento das mídias sociais digitais e o mercado de trabalho para o profissional de relações públicas Julie Caroline de Alcântara Universidade do Sagrado Coração, Bauru/SP E-mail: juliealcantara.31@gmail.com

Leia mais

Instituto de Educação Tecnológica Pós-graduação Gestão e Tecnologia da Informação - Turma 25 20/03/2015. Big Data Analytics:

Instituto de Educação Tecnológica Pós-graduação Gestão e Tecnologia da Informação - Turma 25 20/03/2015. Big Data Analytics: Instituto de Educação Tecnológica Pós-graduação Gestão e Tecnologia da Informação - Turma 25 20/03/2015 Big Data Analytics: Como melhorar a experiência do seu cliente Anderson Adriano de Freitas RESUMO

Leia mais

Objetivos. Capítulo 16. Cenário para discussão. Comunicações de marketing. Desenvolvimento de comunicações de marketing eficazes

Objetivos. Capítulo 16. Cenário para discussão. Comunicações de marketing. Desenvolvimento de comunicações de marketing eficazes Capítulo 16 e administração de comunicações integradas de marketing Objetivos Aprender quais são as principais etapas no desenvolvimento de um programa eficaz de comunicações integradas de marketing. Entender

Leia mais

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO PLANO DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DA Flash Lan House: FOCO NO ALINHAMENTO ENTRE CAPITAL HUMANO E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS Roteiro

PLANO DE NEGÓCIOS Roteiro Anexo 3 PLANO DE NEGÓCIOS Roteiro 1. Capa 2. Sumário 3. Sumário executivo 4. Descrição da empresa 5. Planejamento Estratégico do negócio 6. Produtos e Serviços 7. Análise de Mercado 8. Plano de Marketing

Leia mais

AULA 4 Marketing de Serviços

AULA 4 Marketing de Serviços AULA 4 Marketing de Serviços Mercado Conjunto de todos os compradores reais e potenciais de um produto ou serviço. Trata-se de um sistema amplo e complexo, que envolve: FORNECEDORES CONCORRENTES CLIENTES

Leia mais

Plano de Marketing e Vendas e a Análise Estratégica do Negócio Fabiano Marques

Plano de Marketing e Vendas e a Análise Estratégica do Negócio Fabiano Marques Plano de Marketing e Vendas e a Análise Estratégica do Negócio Fabiano Marques Nada é mais perigoso do que uma idéia, quando ela é a única que temos. (Alain Emile Chartier) Neste módulo, faremos, a partir

Leia mais

O MARKETING DIRETO COMO CONQUISTA DE CLIENTES

O MARKETING DIRETO COMO CONQUISTA DE CLIENTES O MARKETING DIRETO COMO CONQUISTA DE CLIENTES Rosanne Farineli Peixoto Gomes, Ivonete A. Canuto Dias, Valdete Neri Andrade, Luiz Sérgio Almeida dos Santos e Wagner Conceição INTRODUÇÃO O mercado atual

Leia mais

Gestão de Relacionamento com o Cliente CRM

Gestão de Relacionamento com o Cliente CRM Gestão de Relacionamento com o Cliente CRM Fábio Pires 1, Wyllian Fressatti 1 Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil pires_fabin@hotmail.com wyllian@unipar.br RESUMO. O projeto destaca-se

Leia mais

Formulação da Visão e da Missão

Formulação da Visão e da Missão Formulação da Visão e da Missão Zilta Marinho zilta@globo.com Os grandes navegadores sempre sabem onde fica o norte. Sabem aonde querem ir e o que fazer para chegar a seu destino. Com as grandes empresas

Leia mais

O acesso a informações públicas será assegurado mediante:

O acesso a informações públicas será assegurado mediante: SIMRECI Sistema de Relacionamento com o Cidadão O SIMRECI é um programa de computador que oferece ferramentas para a gestão do relacionamento com o cidadão e, especialmente garante ao poder público atender

Leia mais

O caminho para o sucesso. Promovendo o desenvolvimento para além da universidade

O caminho para o sucesso. Promovendo o desenvolvimento para além da universidade O caminho para o sucesso Promovendo o desenvolvimento para além da universidade Visão geral Há mais de 40 anos, a Unigranrio investe em ensino diferenciado no Brasil para cumprir com seu principal objetivo

Leia mais

MATRIZ SWOT VANTAGENS DE SUA UTILIZAÇÃO NO COMÉRCIO VAREJISTA

MATRIZ SWOT VANTAGENS DE SUA UTILIZAÇÃO NO COMÉRCIO VAREJISTA MATRIZ SWOT VANTAGENS DE SUA UTILIZAÇÃO NO COMÉRCIO VAREJISTA Daniela Vaz Munhê 1 Jenifer Oliveira Custódio Camara 1 Luana Stefani 1 Murilo Henrique de Paula 1 Claudinei Novelli 2 Cátia Roberta Guillardi

Leia mais

Endomarketing: um estudo de caso em uma agência de uma instituição financeira de Bambuí- MG

Endomarketing: um estudo de caso em uma agência de uma instituição financeira de Bambuí- MG Endomarketing: um estudo de caso em uma agência de uma instituição financeira de Bambuí- MG Bruna Jheynice Silva Rodrigues 1 ; Lauriene Teixeira Santos 2 ; Augusto Chaves Martins 3 ; Afonso Régis Sabino

Leia mais

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE AURIFLAMA AUTOR(ES):

Leia mais

TÍTULO: MARKETING DIGITAL, ESTRATÉGIA FUNDAMENTAL PARA O CRESCIMENTO DAS EMPRESAS.

TÍTULO: MARKETING DIGITAL, ESTRATÉGIA FUNDAMENTAL PARA O CRESCIMENTO DAS EMPRESAS. Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: MARKETING DIGITAL, ESTRATÉGIA FUNDAMENTAL PARA O CRESCIMENTO DAS EMPRESAS. CATEGORIA: CONCLUÍDO

Leia mais

Horizons. O impacto financeiro da consumerização de TI As 10 principais percepções do Cisco IBSG Horizons Study. Introdução

Horizons. O impacto financeiro da consumerização de TI As 10 principais percepções do Cisco IBSG Horizons Study. Introdução O impacto financeiro da consumerização de TI As 10 principais percepções do Study Jeff Loucks/Richard Medcalf Lauren Buckalew/Fabio Faria O número de dispositivos de consumerização de TI nos seis países

Leia mais

Página 1 de 19 Data 04/03/2014 Hora 09:11:49 Modelo Cerne 1.1 Sensibilização e Prospecção Envolve a manutenção de um processo sistematizado e contínuo para a sensibilização da comunidade quanto ao empreendedorismo

Leia mais

Jornalismo Interativo

Jornalismo Interativo Jornalismo Interativo Antes da invenção da WWW, a rede era utilizada para divulgação de informações direcionados a públicos muito específicos e funcionavam através da distribuição de e-mails e boletins.

Leia mais

MARKETING DE RELACIONAMENTO

MARKETING DE RELACIONAMENTO MARKETING DE RELACIONAMENTO 1 O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO Competitividade Perenidade Sobrevivência Evolução Orienta na implantação e no desenvolvimento de seu negócio de forma estratégica

Leia mais

Unidade IV. Gerenciamento de Produtos, Serviços e Marcas. Prof a. Daniela Menezes

Unidade IV. Gerenciamento de Produtos, Serviços e Marcas. Prof a. Daniela Menezes Unidade IV Gerenciamento de Produtos, Serviços e Marcas Prof a. Daniela Menezes Tipos de Mercado Os mercados podem ser divididos em mercado de consumo e mercado organizacional. Mercado de consumo: o consumidor

Leia mais

ARTIGOS AÇÕES MOTIVACIONAIS

ARTIGOS AÇÕES MOTIVACIONAIS ARTIGOS AÇÕES MOTIVACIONAIS ÍNDICE em ordem alfabética: Artigo 1 - ENDOMARKETING: UMA FERRAMENTA ESTRATÉGICA PARA DESENVOLVER O COMPROMETIMENTO... pág. 2 Artigo 2 - MOTIVANDO-SE... pág. 4 Artigo 3 - RECURSOS

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO FINANCEIRA PROJETO INTEGRADOR. Suzano

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO FINANCEIRA PROJETO INTEGRADOR. Suzano CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO FINANCEIRA PROJETO INTEGRADOR Suzano PROJETO INTEGRADOR 1. Introdução O mercado atual de trabalho exige dos profissionais a capacidade de aplicar os conhecimentos

Leia mais

PERFIL DOS USUÁRIOS DE E-COMMERCE EM GUAÍBA

PERFIL DOS USUÁRIOS DE E-COMMERCE EM GUAÍBA PERFIL DOS USUÁRIOS DE E-COMMERCE EM GUAÍBA João Antonio Jardim Silveira 1 Amilto Muller ¹ Luciano Fagundes da Silva ¹ Luis Rodrigo Freitas ¹ Marines Costa ¹ RESUMO O presente artigo apresenta os resultados

Leia mais

Orientações para elaborar um. Plano de Negócios

Orientações para elaborar um. Plano de Negócios Orientações para elaborar um Plano de Negócios Maio de 2010 www.nascente.cefetmg.br Página 1 Apresentação Este documento contém um roteiro básico de Plano de Negócios. O objetivo é permitir que o futuro

Leia mais

01/12/2012 MEIO AMBIENTE E RESPONSABILIDADE SOCIAL. Guarantã do Norte/MT A SOCIEDADE ESTÁ EM TRANSFORMAÇÃO

01/12/2012 MEIO AMBIENTE E RESPONSABILIDADE SOCIAL. Guarantã do Norte/MT A SOCIEDADE ESTÁ EM TRANSFORMAÇÃO MEIO AMBIENTE E RESPONSABILIDADE SOCIAL Guarantã do Norte/MT A SOCIEDADE ESTÁ EM TRANSFORMAÇÃO TAREFAS ESTRUTURA PESSOAS AMBIENTE TECNOLOGIA ÊNFASE NAS TAREFAS Novos mercados e novos conhecimentos ÊNFASE

Leia mais

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Justificativa: As transformações ocorridas nos últimos anos têm obrigado as organizações a se modificarem constantemente e de forma

Leia mais

Plano de Direcionamento. Conhecimento de Mercado

Plano de Direcionamento. Conhecimento de Mercado Plano de Direcionamento Conhecimento de Mercado Conhecimento de Mercado É necessário conhecer o mercado para que sejam desenvolvidos produtos que atendam as necessidades e expectativas dos clientes. Segmentação

Leia mais

GESTÃO EMPRESARIAL E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

GESTÃO EMPRESARIAL E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO GESTÃO EMPRESARIAL E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO * César Raeder Este artigo é uma revisão de literatura que aborda questões relativas ao papel do administrador frente à tecnologia da informação (TI) e sua

Leia mais

AULA 20. Atendimento

AULA 20. Atendimento AULA 20 Atendimento Marketing em Serviços Marketing em serviços pode ser definido com o conjunto de atividades que objetivam a análise, o planejamento, a implementação e o controle de programas destinados

Leia mais

Capítulo 19 - RESUMO

Capítulo 19 - RESUMO Capítulo 19 - RESUMO Considerado como sendo um dos principais teóricos da área de marketing, Philip Kotler vem abordando assuntos referentes a esse fenômeno americano chamado marketing social, desde a

Leia mais

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS Versão 2.0 09/02/2015 Sumário 1 Objetivo... 3 1.1 Objetivos Específicos... 3 2 Conceitos... 4 3 Princípios... 5 4 Diretrizes... 5 4.1

Leia mais

MARKETING ESTRATÉGICO

MARKETING ESTRATÉGICO MARKETING ESTRATÉGICO O conceito de marketing é uma abordagem do negócio. HOOLEY; SAUNDERS, 1996 Esta afirmação lembra que todos na organização devem se ocupar do marketing. O conceito de marketing não

Leia mais

Capítulo 1 - Introdução 14

Capítulo 1 - Introdução 14 1 Introdução Em seu livro Pressman [22] define processo de software como um arcabouço para as tarefas que são necessárias para construir software de alta qualidade. Assim, é-se levado a inferir que o sucesso

Leia mais

Como Atrair Clientes

Como Atrair Clientes COMO ATRAIR CLIENTES QUESTÕES BÁSICAS Quem são os meus clientes? Quantos sãos? Onde estão? Como fazer para falar com eles? DEFINIÇÃO SEGMENTO DE MERCADO Significa um grupo de consumidores com necessidades

Leia mais

Estrutura do Curso. Planejamento Estratégico

Estrutura do Curso. Planejamento Estratégico Estrutura do Curso (Prof. Mauricio Neves) INTRODUÇÃO À ESTRATÉGIA EMPRESARIAL (Unidade I) MODELO PORTER: TÉCNICAS ANALÍTICAS (Unidade II) ESTRATÉGIA BASEADA EM RECURSOS, (Unidade IV) Planejamento Estratégico

Leia mais

Pesquisa Mercadológica. Prof. Renato Resende Borges

Pesquisa Mercadológica. Prof. Renato Resende Borges Pesquisa Mercadológica Prof. Renato Resende Borges Definição de Pesquisa de Marketing É a identificação, coleta, análise e disseminação de informações de forma sistemática e objetiva e o uso de informações

Leia mais

A l e x a n d r a P a u l o

A l e x a n d r a P a u l o A l e x a n d r a P a u l o ESCOLA SECUNDÁRIA SERAFIM LEITE TRABALHO FINAL TÉCNICAS DE VENDA Alexandra Paulo 11ºI Nº 21160 Disciplina: Comercializar e vender Prof: João Mesquita 20-12-2012 2012-2013 1

Leia mais

Conceitos e tarefas da administração de marketing DESENVOLVIMENTO DE ESTRATEGIAS E PLANOS DE MARKETING

Conceitos e tarefas da administração de marketing DESENVOLVIMENTO DE ESTRATEGIAS E PLANOS DE MARKETING Sumário Parte um Conceitos e tarefas da administração de marketing CAPITULO I MARKETING PARA 0 SÉCULO XXI A importância do marketing O escopo do marketing 0 que é marketing? Troca e transações A que se

Leia mais

Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS

Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS Adm.Walter Lerner 1.Gestão,Competência e Liderança 1.1.Competências de Gestão Competências Humanas e Empresariais são Essenciais Todas as pessoas estão, indistintamente,

Leia mais

A importância do marketing de relacionamento na gestão de bibliotecas universitárias

A importância do marketing de relacionamento na gestão de bibliotecas universitárias Autorização concedida ao Repositório da Universidade de Brasília (RIUnB) pelo organizador do evento, em 31 de janeiro de 2014, com as seguintes condições: disponível sob Licença Creative Commons 3.0, que

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA PESQUISA DE MARKETING PARA GESTORES DE NEGÓCIO

A IMPORTÂNCIA DA PESQUISA DE MARKETING PARA GESTORES DE NEGÓCIO A IMPORTÂNCIA DA PESQUISA DE MARKETING PARA GESTORES DE NEGÓCIO Mariana Ferreira Soares, Priscila Petrusca Messias Gomes Silva e Marcos Alexandre de Melo Barros. Faculdade Senac de Pernambuco. E-mail:

Leia mais

1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL

1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL 1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL 1.1 APRESENTAÇÃO O Plano de Comunicação e Participação Social subsidiará a elaboração do Plano Diretor de Mobilidade Urbana, criando as bases para

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Ensino Técnico. Componente Curricular: ADMINISTRAÇÃO DE MARKETING

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Ensino Técnico. Componente Curricular: ADMINISTRAÇÃO DE MARKETING Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico ETEC PROFESSOR MASSUYUKI KAWANO Código: 136 Município: TUPÂ Eixo Tecnológico: GESTÃO E NEGÓCIOS Habilitação Profissional: TÉCNICO EM ADMINISTRAÇÃO Qualificação:

Leia mais

22/02/2009. Supply Chain Management. É a integração dos processos do negócio desde o usuário final até os fornecedores originais que

22/02/2009. Supply Chain Management. É a integração dos processos do negócio desde o usuário final até os fornecedores originais que Supply Chain Management SUMÁRIO Gestão da Cadeia de Suprimentos (SCM) SCM X Logística Dinâmica Sugestões Definição Cadeia de Suprimentos É a integração dos processos do negócio desde o usuário final até

Leia mais

A Tecnologia da Informação aplicada no Desenvolvimento do Turismo na região Centro Oeste: Contextualização.

A Tecnologia da Informação aplicada no Desenvolvimento do Turismo na região Centro Oeste: Contextualização. Apresentação Condomínio de TI é a entidade de empresas ligadas a Tecnologia da Informação (TI) provendo um conjunto de todas as atividades e soluções providas por recursos de computação que visam permitir

Leia mais

QUER TER SUCESSO NOS NEGÓCIOS? CONFIRA NOSSAS DICAS!

QUER TER SUCESSO NOS NEGÓCIOS? CONFIRA NOSSAS DICAS! QUER TER SUCESSO NOS NEGÓCIOS? CONFIRA NOSSAS DICAS! 4 Introdução 5 Conheça seu público 5 Crie uma identidade para sua empresa 6 Construa um site responsivo 6 Seja direto, mas personalize o máximo possível

Leia mais

No mundo atual, globalizado e competitivo, as organizações têm buscado cada vez mais, meios de se destacar no mercado. Uma estratégia para o

No mundo atual, globalizado e competitivo, as organizações têm buscado cada vez mais, meios de se destacar no mercado. Uma estratégia para o DATABASE MARKETING No mundo atual, globalizado e competitivo, as organizações têm buscado cada vez mais, meios de se destacar no mercado. Uma estratégia para o empresário obter sucesso em seu negócio é

Leia mais