MATEMÁTICA SUAS TECNOLOGIAS. 05. A função logarítmica RC = log é logarítmica crescente C8, 4 =

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MATEMÁTICA SUAS TECNOLOGIAS. 05. A função logarítmica RC = log é logarítmica crescente C8, 4 ="

Transcrição

1 RESOLUÇÃO E Resolva Eem I TEÁTI SUS TENOLOGIS III) No tiâgulo equiláteo JI: ai 60 ssim, sedo JÎH, devemos te: O obô pecoeá o peímeto de um polígoo egula de lados, cujo âgulo eteo seá: º 60 5 Logo, ele pecoeá 5 ( m) 60 m. 0. Os códigos que foecem os algaismos têm quato dígitos. Devemos, etão, agupa as baas de quato em quato. ssim, temos: R 05. fução logaítmica R log é logaítmica cescete R0 R (base 0 > ) e quado R R0, temos R log 0 log0 0, R 0 ou seja, seu gáfico passa o poto (R0, 0). Potato, o gáfico que melo epeseta a Reda ompaativa de um abitate desse país em fução de sua eda é o da alteativa (D) De acodo com a tabela, os códigos 00, 000, 00 e 00 coespodem, espectivamete, aos algaismos 6, 8,, 5. Potato, este código de baas coespode ao úmeo Escoledo-se as quato seleções que jogaão o Rio de Jaeio, as outas quato seleções que jogaão em São Paulo já estaão detemiadas. Daí, temos: I) Total de maeias de dividi as oito seleções: 8! ,!! II) osideado as tês seleções sul-ameicaas um mesmo gupo, basta escole a outa seleção paa completa a gupo. Daí, elas podeão fica jutas jogado o Rio ou em São Paulo de 5, + 5, maeias difeetes. Resposta coeta: Item 0. Nº de pizzas potuguesa Nº de pizzas mussaela Logo, o úmeo de maeias dessas seleções ão ficaem todas jutas seá: Sedo que os omes comeam + 0 pizzas e as mulees, pizzas J D 60º a 9m b F a D b E m 0º E I 08º H F G Obsevado que a + b 90, temos que os tiâgulos e FDE. Daí: m Logo, a fete total mede E m Resposta coeta: Item E Temos: I) No eágoo egula DEI: ai ( ) 80 (6 ) II) No petágoo egula EFGHI: ai ( ) 80 (5 ) Temos as seguites quatidades de maeias de se escole as duas questões com gabaito: 0! 5! 8! 6! 5 : 6,!! : 0, 8! 8 6!!! D:, 6!! : 8, E:, OSG.: 06/6

2 09. ssim, pelo picípio fudametal da cotagem, temos: maeias difeetes de distibui as alteativas coetas ( 00 folas espostas difeetes) odelo matemático O O R 60º 0 R 60º I) co (0 ) 60 II) O tiâgulo O é equiláteo. Daí, R 0. De acodo com a tabela, o úmeo de cadeos é tal que: X + + (X + ) 0Y (Y + ) 8Z (Z + ) omo X, Y e Z são úmeos iteios positivos, ( +) é múltiplo comum de: ssim, 07/set/05 caiá, a semaa, 6 dias após a seguda-feia, ou seja, caiá um domigo.. I) Na ifâcia, temos massa m e áea copoal I, tais que: l k m II) Na maioidade, temos massa (8m) e áea copoal, tais que: k (8m) k ( m) k () m k m (k m) Logo, a áea ficaá multiplicada po.. Na otação cietífica, o pimeio fato deve se maio ou igual a e meo que 0. Daí, devemos te: 0, kg 67, kg., kg omo kg 0 g, obtemos:, kg, g,67 0 g I 0 7 omo mmc(, 0, 8) 5 80, devemos te ( + ) igual a 80 ou igual a um múltiplo de 80, ou seja: + k 80, ode k é iteio 58º 58º 56º 56º Obseve que: < 00 + < 0 k 80 < 00 k < 6,6 Logo, o maio valo possível paa k é 6. Daí, o maio valo paa seá: , cuja soma dos algaismos é igual a: a c a//b//c b. Sedo o dia 07/set/05 (seguda-feia) o dia zeo, quado se passa uma quatidade de dias múltipla de 7, teemos ovamete o mesmo dia da semaa do dia zeo (seguda- feia). Seg Te Qua Qui Se Sab Dom omo a pati de 07/set/05 até 07/set/05 ião se passa dias. Dividido essa quatidade de dias po 7, obtemos quociete 5 e esto 6, ou seja: ZERO 5. Sedo o compimeto do Rio mazoas, de acodo com o euciado, devemos te: 7mm m m Obsevado agoa que: m bilioésimo de meto 0 9 m 7 mm 7 0 m, obtemos: 9 70 m 0 m m m 70 9 ( ) m 70 m 9 0 Logo, m OSG.: 06/6

3 6. Os piels são os quadadios e o total de quadadios que cabem a tela etagula é a áea do etâgulo. Daí, devemos te: Áea da tela etagula ( + 00) ssim, temos: ± 00 X 800 (ão covém) ou 600 Logo, as dimesões da tela são 600 piels e piels. 7. Paa aceta os espectivos elógios com a oa ceta, de acodo com os pesametos das espectivas doas: I) mada adiataá o seu elógio em 5 miutos, ficado, a ealidade miutos adiatados. II) eatiz atasaá o seu elógio em 5 miutos, ficado, a ealidade miutos atasados. III) amila adiataá o seu elógio em 5 miutos, ficado, a ealidade miutos adiatados. Potato, a odem de cegada seá: mada (5 miutos ates das 5 ); amila (0 miutos ates das 5 ) e eatiz (5 miutos após as 5 ). 8. Em um tiâgulo isósceles, os âgulos da base são iguais e em um tiâgulo qualque, um âgulo eteo é igual à soma dos iteos ão adjacetes. Daí, sedo Â, temos: D E I) No tiâgulo isósceles DE: DE ˆ + (âgulo eteo do DE) DE ˆ DE ˆ ( DE é isósceles) 9. Sedo eais o valo que a pessoa daá a mais paa facilita o toco, esse toco deveá se: Toco (00 + ) - (valo da compa) Toco Toco + omo o caia só tem otas de 0 eais, o toco deveá se 0 ou 0 ou 0 ou... (múltiplo de 0). ssim, o meo valo possível seá: + 0 (ão covém) ou + 0 (ão covém) ou Logo, o meo valo que o cliete deveá epassa ao caia é eais. 0. P 5 8 ( ) 6 P 5 8 P (5 8 8 ) 6 P Logo, P (0 dígitos). 8 zeos. Sedo a medida do aio, devemos te: m m II) No tiâgulo E: E ˆ + (âgulo eteo do E) E ˆ E ˆ ( E é isósceles) (diagoal do quadado de lado ) + Diagoal do quadado de lado m.( ) + E,8 + 5,6 6,8 5,6 0,8 m 8 cm III) No tiâgulo isósceles : ˆ ˆ e Sedo Repete se 0, uma dízima peiódica, ª semaa ª semaa ª semaa ª semaa as seas de Daiel ião se epeti de tês em tês semaas; e sedo π, um úmeo iacioal (apeseta ifiitas casas decimais, sem epetição peiódica), as seas de Rafael ão se epetião peiodicamete. OSG.: 06/6

4 . 0cm 0cm 0cm 0cm 0cm (odelo matemático dos peus) Sedo, usado o teoema de Pitágoas, temos: cm Resposta coeta: Item. posição do amáio de úmeo 0, po eemplo, é alteada apeas pelas pessoas cujos úmeos são divisoes de 0: (abe), (feca), 5 (abe) e 0 (feca). Obseve que, tedo 0 uma quatidade pa de divisoes positivos, o amáio de úmeo 0 temiaá fecado. Paa um amáio temia abeto, ele deveá te um úmeo ímpa de divisoes positivos, ou seja, deveá se um quadado pefeito. Somete quem tem uma quatidade ímpa de divisoes positivos são os quadados pefeitos. Veja: 50 5 Nº de divisoes positivo ( + ) ( + ) pa 6 Nº de divisoes positivo ( + ) ( + ) ímpa Obseve que um quadado pefeito apeseta, quado fatoado em fatoes pimos distitos, apeas epoetes paes e, com isso, pela ega dos epoetes, teemos: Nº de divisoes positivos (epoete + ) (epoete + )... (epoete + ) (ímpa).(ímpa)..... (ímpa) ímpa Logo, ficaão abetos os amáios cujos úmeos são quadados pefeitos. São eles: ; ; 9; 6; 5 5; 6 6; 7 9; 8 6; 9 8 e 0 00 Potato, 0 amáios ficaão com as potas abetas. Resposta coeta: Item E 5. É fácil ve que os úmeo do último quado são: ( 0 - ), 0 e ( 0 +). ssim, o poduto pocuado é: ( 0 ) ( 0 +) ( 0 ) Resposta coeta: Item E Sedo a o úmeo de pegadoes utilizados quado se tem leçóis em um vaal, temos a P de azão : (, 7, 0,..., a,...) Daí, obtemos: a 9 + (9 ) 8 e a + ( ) 0 omo , seão utilizados 9 vaais, cada vaal de 9 leçóis e mais vaal com leçóis. Potato, seão pegadoes. 7. Do gáfico, temos que (0) 6 e (50). Dete as fuções apesetadas as alteativas, a úica que satisfaz essas t 0 codições é t () 75 (Item ). Veja: ( 0) e ( 50). Resposta coeta: Item 8. Sedo d a distâcia ete dois potos destacados cosecutivos, temos: Y X+ 0d + d d 8 d ssim, obtemos: D X+ d D D D 0 0 aeia m 0 m Rio m m Teoema de Tales: metos s T 56 m 0. osidee o diagama seguite elativo à situação-poblema. 6% % % % % O total de adultos pesquisados coespode a 00%. ssim, devemos te: % + % + % + % + 00% 8% % T U OSG.: 06/6

5 Potato, 8% dos adultos pesquisados ão usam euma das tocas mecioadas, ou seja: 8 % Resposta coeta: Item E. Se queemos a maio potuação, devemos evita gupo com tês ficas de coes difeetes, pois sua potuação é etemamete baia. Sedo a, b, m, v e p ficas amaela, baca, maom, vede e peta, espectivamete, podemos te: vvv; aaa; bbv; vam (ão é a maio potuação). Uma possível distibuição com potuação máima (sem potuação míima ): vvv; aav; aap; bbm aã ( T) () + (T) ( T) ( T) ( T) 5 Tade ssim, de um total de 0 pessoas, 5 tabalam os dois tuos. Daí: Pobabilidade % De acodo com o euciado, temos: I) Despesa total igual a R$ 67,00: 5 + 5y y y II) 89 uidades de futas: 6 + y y Substituido (I) em (II): 6 + ( ) 6 Potato, foam compadas maçãs.. omo cada petabyte equivale a 0 gigabytes, etão petabytes equivalem a 0. Paa detemiamos úmeo () de DVDs devemos efetua a divisão 0, veja omo 9 8 e 0 8, etão 9 8 < 8 < < < 0. Resposta coeta: Item E 5. Sedo o úmeo de abelas o eame, devemos te: Logo, á 5 abelas o eame. 6. eta D é pepedicula ao plao (FE). ssim, a eta D foma 90 com qualque eta desse plao, iclusive com a eta F. 7. Sedo o úmeo de seoes que pagaam igesso, o úmeo de seoas seá (560 ). Daí, devemos te: ecadação + (560 ) (º de seoes) ssim, (º de seoas). Logo, seoes a mais que seoas. Resposta coeta: Item E 8. omo as velocidades dos avios são costates, se com meia oa eles pecoem y e quilômetos, com uma oa eles adaão o dobo, y e quilômetos. omo os tiâgulos são semelates, temos:.(5 km) 0 km. 9. y I) 8 y 8 05, 9 km 05, II) km ssim, o avio pecoe, em uma oa, km. Logo, a sua velocidade é de km/. 0. ciaça gaou dois picolés de cada sabo, que podem se epesetadas po:,,,,, Qualque pemutação desses seis elemetos com epetição de,, e, é uma maeia difeete de cosumi os seis picolés. Logo, o úmeo total de modos distitos de cosumi os picolés seá: (,, ) 6! P 6 90.!!! OSG.: 06/6

6 . Sedo o úmeo de vétices com aestas, temos: I) II) V + + V 6 + III) V + F + V + F Logo, 6 +.() + 8. Temos uma fução da foma Q(t) at + b, a qual temos: I) Paa t 0 (ao 00): Q(0) 9 a(0) + b 9 b 9 II) Paa t 0 ( ao 00): Q(0) 0a + 9 a 7. O volume da caia é dado po V ( 8 ) ( 0 ) V ( ) V Resposta coeta: Item 8. Sedo, y e z as medidas do compimeto, lagua e altua, o volume iicial é V.y.z. Paa doba esse volume, ou seja, paa obte v yz, basta doba uma das dimesões. Veja: V () yz (y) z y (z) 9. osidee o gáfico seguite elativo à situação-poblema, o qual é poto de laçameto. y 00 Logo, Qt () t Sedo f() e g() os volumes em litos os esevatóios e, espectivamete, após oas, temos: f() 70 0 g() 60 + X 0 ocoeá quado: f() g() Logo, 0 0 oas Resposta coeta: Item E. O tetaedo é o poliedo de quato faces, aquele que, a tabela, está associado ao fogo. Resposta coeta: Item 5. O octaedo egula (oito faces) está associado ao a. Ele apeseta, em too de um mesmo vétice, faces em foma de tiagulo equiláteo (veja figua dada). Daí, a soma pocuada seá: Soma (60 ) 0 6. O cubo tem 6 faces e 8 vétices. ssim, de acodo com o teto, o seu cojugado (ou dual) deveá te 6 vétices e 8 faces (octaedo). P Queemos calcula a altua f( 0). Paa isso, sabemos que f() a ( ) ( ), em que 0 e 0 são as aízes, ou seja f() a ( + 0 ) ( 0). Daí, temos: I) O gáfico passa o poto (0, 00): f(0) 00 a (0 + 0) (0 0) 00 00a 00 a / II) f() / ( + 0) ( 0) f(0) / (0) ( 0) f(0) 50 metos 50. base é um eágoo egula de m de lado e a altua mede 0 m. ssim, temos: Áea da base 6 m Volume 0 0 m Resposta coeta: Item E 5. osidee a figua seguite elativa ao poblema, em que 80 m e 60 m. D E Octaedo Resposta coeta: Item F OSG.: 06/6

7 Sedo D y e F, da semelaça dos tiâgulos e DE, obtemos: D DE 80 y y y Logo, a áea do teeo destiado à costução da casa seá: ( ) F D ( ) 80 ( ) + 80 Potato, a áea máima ocoeá quado fo a abscissa do vétice, ou seja: b a Daí, a áea máima seá: ( ) ( 0) m I) O gáfico de passa os potos (0, 00), (z, 75) e (t, 0): oeficiete agula 0 z 0 t t z II) O gáfico de passa pelos potos (0, 90), (z, 75) e (t +, 0): oeficiete agula z 0 t+ ( ) t 6z ssim, temos: 6z z z e t () oas. I) Vedadeia. fequêcia cadíaca, em segudos, é o iveso do peíodo:, (batimetos po segudos) π 8π Logo, em miuto (60 segudos), temos 60 (/) 80 batimetos po miuto. II) Vedadeia. Veja: 8π P( ) 00 0 cos cos π 00 0 cos + π mmHg π 5. Rol (,, 5, 5, 6, 0, 0, 0) édia itmética: oda: 5 e 0 (espaço bimodal) ediaa: 5, 5 Resposta coeta: Item 55. compae a figua abaio. 50 m 0 m 0,5 m 0 m 0, m 9 8, m Podemos estabelece, atavés da semelaça ete os tiâgulos, a seguite popoção: 50 cm 0 cm 6 m 0 m 56. De acodo com o teto a leitua: do mês ateio foi: 876 kw do mês atual: 5 kw ssim, o cosumo do mês foi: kw 57. omo o coe e o cilido têm a mesma capacidade, o volume da pate vazia do coe (V ) coespode ao volume da pate ceia do cilido; e o volume da pate ceia do coe (V ) coespode ao volume da pate vazia do cilido. Usado a semelaça do coe maio (fuil todo) com o coe meo (pate do fuil aida com óleo), devemos te: V + V V H H V V V + ( ) 8V V+ V V 7V ssim, a pate ceia do cilido (V ) seá 7 vezes a sua pate vazia (V ). Veja como fica o cilido: H Pate vazia: V Pate ceia: V III) Falsa. amplitude da fução é de 0 mmhg Resposta coeta: Item OSG.: 06/6

8 58. Devemos te po base as taas de apovação de cada fiscal, isto descata os ites e D. Pobabilidade de apovação com : 50% Pobabilidade de apovação com : 5% ( a tetativa) + 50% de 50% ( a tetativa com como fiscal defiitivo) 5% + 5% 70% Pobabilidade de apovação com : 60% ( a tetativa) + 50% de 0% ( a tetativa com como fiscal defiitivo) 5% + 5% 70% 59. Total de esultados possíveis paa 0 laçametos: Númeo de casos favoáveis: 0 vezes 8 caas e cooas: 9 caas e cooa: ou 0 caas: 0,0 0! !! 0, 8, 0! 9!! 0 0, 9, ssim, temos casos favoáveis, um total de 0 casos possíveis. Logo, a pobabilidade pedida seá: 56 7 pobabilidade Sejam u, c e I os custos espectivos dos passeios de ultaleve, cavalo e laca. ssim, podemos esceve o sistema: I u+ c+ l 58 { II u+ c+ 5l 5 Queemos detemia o valo de: u + c + 5l Se fizemos 5 I II, teemos: 5I 5u+ 0c+ 0l 790 { II u 9c 5l 675 u+ c+ 5l 5 Resposta coeta: Item E 6. Nota-se que cada soma é igual ao quadado do temo cetal (maio temo). ssim, N 05 e, potato, N (tês fatoes, divisoes, pimos positivos) 6. omo as estacas estão igualmete espaçadas, a distâcia, em metos, ete duas estacas cosecutivas deve se diviso comum de 5 e 7. ssim, o úmeo de estacas seá míimo quado a distâcia ete as estacas fo máima, ou seja, a distâcia ete duas estacas é o D(5, 7) metos. Daí, temos: Peímeto Nº deestacas distâcia ete as estacas ( )m 8 6 m Quatidade de fio 8 (peímeto) 8 (8 m) 70 m 6. osidee o diagama de Ve elativo ao euciado, em que é o valo pedido. y 0 w L Nesse diagama, temos que: I) y + z + w 9 II) (y + z + w) Resposta coeta: Item 6. tabela apeseta o tiâgulo de Pascal, cujo elemeto da lia de úmeo e colua de úmeo p é dado po p! p!( p)!. 5 5! 5 No caso, queemos 05!! 65. Paa o algaismo das uidades da sea de d algaismos temos 5 possibilidades (,, 5, 7 ou 9); e paa cada um dos outos (d ) algaismos temos 0 possibilidades. ssim, pelo picípio fudametal da cotagem, o úmeo total de seas é igual a: d ( d ) vezes Po outo lado, o guada gasta,5, seg 9000 seg paa digita todas as seas, sedo,8 seg paa cada sea. ssim, úmeo total de seas é igual a: 9000 seg , seg 8 Logo, devemos te: 0 d d d 0 5 d (quadado pefeito) Resposta coeta: Item 66. omo o valo da baa de cocolate é 50 cetavos, iicialmete pagávamos: 50 cetavos cetavos/gama 80 g Depois da edução o peso, passamos a paga: 50 cetavos 6, cetavos/gama 50 g 6, 06, 0 Logo, ouve um aumeto de + 0, 0% 00 Ou, usado ega de tês: etavos/g Pocetagem , , X Logo, ouve um aumeto eato de 0% 0 z P OSG.: 06/6

9 67. Temos que: I cm II. paela é um cilido de aio da base 0 cm e altua 0 cm. Logo, seu volume seá: V π V, 0 0 cm, 00 0 cm 560 cm omo cm ml e L 000 ml, obtemos: V 560 ml,56 L 68. Fiado os eecícios e as etemidades, qualque pemutação dos outos 8 elemetos,, com epetição de, e, é uma séie difeete desejada. P,, 8,, 8 Logo, são P! !!!!! Resposta coeta: Item E 69. Temos que a seguites possibilidades: Duas vemelas e uma azul: 9, Duas azuis e uma vemela: 9, Potato, o tempo total seá de segudos. omo cada miuto tem 60 segudos, dividido 50 po 60, obtemos quociete 8 e esto, ou seja, 50 segudos equivalem a 8 miutos e segudos. Daí, 8 e y. 70. Sedo o gáfico uma eta, a eceita é da foma R() a + b, ode R(0) b 0 e R(0) 0a ssim, a 000 e, potato, R() 000. Paa, temos: Receita: R() 000 eais usto: () 900() eais Logo, o luco seá: eais. ssim, a pocetagem do luco absoluto (50 eais), em elação à eceita é: Luco 50 5 % Receita Resposta coeta: Item 7. Sedo 0 < a <, tal que Daí, temos: a I. log 0 0 a II. a+ log ( ) 0 0 a+ Substituido, obtemos: a log 0, devemos te a+ log ( ) 0. Fazedo k 0, ficamos com: k + k k k ± 0 + k omo k 0 > 0, teemos: log0 log + + log + + Potato, log Resposta coeta: Item E 7. alculado as áeas de cada uma das pizzas, tem-se: Pizza boto iteia π 5 5π Pizza gigate itea π 0 00π Utilizado a ega de tês, pode-se esceve: 5π 7 00π Daí, 7 5π π 6 Logo, uma pizza gade iteia custa 8 eais e cada um de suas 0 fatias custaá 8:0,80 eais. 7. Água da pimeia mistua: 6% de 0 L 0,6 0 0, L Água da seguda mistua: % de (70 0) L 0 0, 00 Água da mistua fial: % de 70 L 0, 70, L Daí, temos que: 0, + 0,, 0,,7 7, Logo, a pocetagem pocuada é mais póima de % 7. Temos: Em : + z 0 Em : + y 0 Em : + y + z Devemos etão esolve o sistema: + z 0 () I S : + y 0 ( II) + y+ z ( III) De (I) meos (III), obtemos: y 0 y 6 (IV) De (II) mais (IV), obtemos: y e z Logo, o meo fluo é de y litos po miuto. OSG.: 06/6

10 75. Sedo etiadas de um copo, y etiadas de copos (y copos despediçados) e z etiadas de copos (z copos despediçados), devemos te: I. Total de copos: + y + z 00 II. opos despediçados: y + z 5% de 00 5 III. y y z y k k z { z k Daí, obtemos: y + z 5 k + k 5 k 5 { y 5 5 z 5 0 Daí, temos: + y + z Logo, são 0 etiadas de um copo. OSG.: 06/6

Capítulo I Erros e Aritmética Computacional

Capítulo I Erros e Aritmética Computacional C. Balsa e A. Satos Capítulo I Eos e Aitmética Computacioal. Itodução aos Métodos Numéicos O objectivo da disciplia de Métodos Numéicos é o estudo, desevolvimeto e avaliação de algoitmos computacioais

Leia mais

Matemática. Atividades. complementares. ENSINO FUNDAMENTAL 6- º ano. Este material é um complemento da obra Matemática 6. uso escolar. Venda proibida.

Matemática. Atividades. complementares. ENSINO FUNDAMENTAL 6- º ano. Este material é um complemento da obra Matemática 6. uso escolar. Venda proibida. 6 ENSINO FUNDMENTL 6- º ano Matemática tividades complementaes Este mateial é um complemento da oba Matemática 6 Paa Vive Juntos. Repodução pemitida somente paa uso escola. Venda poibida. Samuel Casal

Leia mais

MAT1514 Matemática na Educação Básica

MAT1514 Matemática na Educação Básica MAT54 Matemática na Educação Básica TG7 Uma Intodução ao Cálculo de olumes Gabaito Demonste que o volume de um bloco etangula cujas medidas das aestas são númeos acionais é o poduto das tês dimensões esposta:

Leia mais

Aluno(a): Professor: Chiquinho

Aluno(a): Professor: Chiquinho Aluo(a): Pofesso: Chquho Estatístca Básca É a cêca que tem po objetvo oeta a coleta, o esumo, a apesetação, a aálse e a tepetação de dados. População e amosta - População é um cojuto de sees com uma dada

Leia mais

UFJF CONCURSO VESTIBULAR 2012 REFERÊNCIA DE CORREÇÃO DA PROVA DE MATEMÁTICA. e uma das raízes é x = 1

UFJF CONCURSO VESTIBULAR 2012 REFERÊNCIA DE CORREÇÃO DA PROVA DE MATEMÁTICA. e uma das raízes é x = 1 UFJF ONURSO VESTIULR REFERÊNI DE ORREÇÃO D PROV DE MTEMÁTI 4 Questão Seja P( = ax + bx + cx + dx + e um polinômio com coeficientes eais em que b = e uma das aízes é x = Sabe-se que a < b < c < d < e fomam

Leia mais

Definição: Seja a equação diferencial linear de ordem n e coeficientes variáveis:. x = +

Definição: Seja a equação diferencial linear de ordem n e coeficientes variáveis:. x = + Vléi Zum Medeios & Mihil Lemotov Resolução de Equções Difeeciis Liees po Séies Poto Odiáio (PO) e Poto Sigul (PS) Defiição: Sej equção difeecil lie de odem e coeficietes viáveis: ( ) ( ) b ( ) é dito poto

Leia mais

GERADORES. Figura 5.1 (a) Gerador não ideal. (b) Gerador não ideal com a resistência interna r explicita no diagrama.

GERADORES. Figura 5.1 (a) Gerador não ideal. (b) Gerador não ideal com a resistência interna r explicita no diagrama. ELEICIDADE CAPÍULO 5 GEADOES Cofome visto o Capítulo, o geado é uma máquia elética capaz de estabelece uma difeeça de potecial elético (ddp) costate (ou fime) ete os extemos de um coduto elético, de maeia

Leia mais

TRABALHO E POTENCIAL ELETROSTÁTICO

TRABALHO E POTENCIAL ELETROSTÁTICO LTOMAGNTISMO I 5 TABALHO POTNCIAL LTOSTÁTICO Nos capítulos ateioes ós ivestigamos o campo elético devido a divesas cofiguações de cagas (potuais, distibuição liea, supefície de cagas e distibuição volumética

Leia mais

Análise Combinatória I

Análise Combinatória I Aálise Combiatória I O pricípio fudametal da cotagem ada mais é que a maeira mais simples possível de determiar de quatas maeiras diferetes que um eveto pode acotecer. Se eu, por exemplo, estiver pitado

Leia mais

PROPRIEDADES DAS EQUAÇÕES POLINOMIAIS RECÍPROCAS

PROPRIEDADES DAS EQUAÇÕES POLINOMIAIS RECÍPROCAS RAÍZES RECÍPROCAS Pof. Macelo Renato Equação Polinomial Recípoca, ou simplesmente "Equação ecípoca", é aquela que, se possui "x " como aiz, então seu ecípoco ("/x ") também seá aiz da equação. Exemplo:

Leia mais

SISTEMA MÉTRICO DECIMAL

SISTEMA MÉTRICO DECIMAL SISTEMA MÉTRICO DECIMAL UNIDADES DE COMPRIMENTO A uidade fudametal chama-se metro (m). Múltiplos: quilômetro (km), hectômetro (hm) e decâmetro (dam) Submúltiplos: decímetro (dm), cetímetro (cm) e milímetro

Leia mais

Capítulo 5 Cálculo Diferencial em IR n 5.1 Definição de função de várias variáveis: campos vetoriais e campos escalares.

Capítulo 5 Cálculo Diferencial em IR n 5.1 Definição de função de várias variáveis: campos vetoriais e campos escalares. 5. Defiição de fução de várias variáveis: campos vetoriais e. Uma fução f : D f IR IR m é uma fução de variáveis reais. Se m = f é desigada campo escalar, ode f(,, ) IR. Temos assim f : D f IR IR (,, )

Leia mais

UNICAMP - 2004. 2ª Fase MATEMÁTICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR

UNICAMP - 2004. 2ª Fase MATEMÁTICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR UNICAMP - 004 ª Fase MATEMÁTICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR Matemática Questão 01 Em uma sala há uma lâmpada, uma televisão [TV] e um aparelho de ar codicioado [AC]. O cosumo da lâmpada equivale

Leia mais

Departamento de Informática. Modelagem Analítica. Desempenho de Sistemas de Computação. Arranjos: Amostras Ordenadas. Exemplo

Departamento de Informática. Modelagem Analítica. Desempenho de Sistemas de Computação. Arranjos: Amostras Ordenadas. Exemplo Depatameto de Ifomática Disciplia: Modelagem Aalítica do Desempeho de Sistemas de Computação Elemetos de Aálise Combiatóia Pof. Ségio Colche colche@if.puc-io.b Teoema: Elemetos de Aálise Combiatóia Modelagem

Leia mais

Problemas sobre Indução Electromagnética

Problemas sobre Indução Electromagnética Faculdade de Engenhaia Poblemas sobe Indução Electomagnética ÓPTICA E ELECTROMAGNETISMO MIB Maia Inês Babosa de Cavalho Setembo de 7 Faculdade de Engenhaia ÓPTICA E ELECTROMAGNETISMO MIB 7/8 LEI DE INDUÇÃO

Leia mais

O GRADIENTE DO POTENCIAL E A ENERGIA NO CAMPO ELETROSTÁTICO

O GRADIENTE DO POTENCIAL E A ENERGIA NO CAMPO ELETROSTÁTICO LTROMAGNTISMO I 34 5 O GRADINT DO POTNCIAL A NRGIA NO CAMPO LTROSTÁTICO 5. - O GRADINT DO POTNCIAL Vimos o capítulo 4 que a epessão obtida paa o cálculo da difeeça de potecial ete dois potos, um fial a

Leia mais

Estimação por Intervalo (Intervalos de Confiança):

Estimação por Intervalo (Intervalos de Confiança): Estimação por Itervalo (Itervalos de Cofiaça): 1) Itervalo de Cofiaça para a Média Populacioal: Muitas vezes, para obter-se a verdadeira média populacioal ão compesa fazer um levatameto a 100% da população

Leia mais

Questão 1. Questão 2. Questão 3. alternativa C. alternativa E

Questão 1. Questão 2. Questão 3. alternativa C. alternativa E Questão 1 Dois pilotos iniciaam simultaneamente a disputa de uma pova de automobilismo numa pista cuja extensão total é de, km. Enquanto Máio leva 1,1 minuto paa da uma volta completa na pista, Júlio demoa

Leia mais

LISTA de GRAVITAÇÃO PROFESSOR ANDRÉ

LISTA de GRAVITAÇÃO PROFESSOR ANDRÉ LISA de GRAVIAÇÃO PROFESSOR ANDRÉ 1. (Ufgs 01) Em 6 de agosto de 01, o jipe Cuiosity" pousou em ate. Em um dos mais espetaculaes empeendimentos da ea espacial, o veículo foi colocado na supefície do planeta

Leia mais

Credenciada e Autorizada pelo MEC, Portaria n. o. 644 de 28 de março de 2001 Publicado no D.O.U. em 02/04/2001

Credenciada e Autorizada pelo MEC, Portaria n. o. 644 de 28 de março de 2001 Publicado no D.O.U. em 02/04/2001 Ceecaa e Autozaa pelo MEC, Potaa. o. 644 e 8 e maço e 00 Publcao o D.O.U. em 0/04/00 ESTATÍSTICA Pelo Poesso Gealo Pacheco A Estatístca é uma pate a Matemátca Aplcaa que oece métoos paa coleta, ogazação,

Leia mais

Prof. Daniel I. De Souza, Jr., Ph.D.

Prof. Daniel I. De Souza, Jr., Ph.D. CONAMET/SAM 26 TESTE DE VIDA SEQÜENCIAL APLICADO A UM TESTE DE VIDA ACELERADO COM UMA DISTRIBUIÇÃO DE AMOSTRAGEM WEIBULL DE TRÊS PARÂMETROS - UMA ABORDAGEM UTILIZANDO-SE O MÉTODO DO MAXIMUM LIKELIHOOD

Leia mais

COLÉGIO MILITAR BELO HORIZONTE

COLÉGIO MILITAR BELO HORIZONTE COLÉGIO MILITAR DE BELO HORIZONTE BELO HORIZONTE MG 3 DE OUTUBRO DE 004 DURAÇÃO: 10 MINUTOS CONCURSO DE ADMISSÃO 004 / 005 PROVA DE MATEMÁTICA 1ª SÉRIE DO ENSINO MÉDIO IDENTIFICAÇÃO NÚMERO DE INSCRIÇÃO:

Leia mais

MATEMÁTICA PARA CONCURSOS II

MATEMÁTICA PARA CONCURSOS II MATEMÁTICA PARA CONCURSOS II Módulo III Neste Módulo apresetaremos um dos pricipais assutos tratados em cocursos públicos e um dos mais temíveis por parte dos aluos: Progressão Aritmética e Progressão

Leia mais

1.2. Recorrendo a um diagrama em árvore, por exemplo, temos: 1.ª tenda 2.ª tenda P E E

1.2. Recorrendo a um diagrama em árvore, por exemplo, temos: 1.ª tenda 2.ª tenda P E E Prova de Matemática do 3º ciclo do Ensino Básico Prova 927 1ª Chamada 1. 1.1. De acordo com enunciado, 50% são portugueses (P) e 50% são espanhóis (E) e italianos (I). Como os Espanhóis existem em maior

Leia mais

digitar cuidados computador internet contas Assistir vídeos. Digitar trabalhos escolares. Brincar com jogos. Entre outras... ATIVIDADES - CAPÍTULO 1

digitar cuidados computador internet contas Assistir vídeos. Digitar trabalhos escolares. Brincar com jogos. Entre outras... ATIVIDADES - CAPÍTULO 1 ATIVIDADES - CAPÍTULO 1 1 COMPLETE AS FASES USANDO AS PALAVAS DO QUADO: CUIDADOS INTENET CONTAS DIGITA TAEFAS COMPUTADO A COM O COMPUTADO É POSSÍVEL DE TEXTO B O COMPUTADO FACILITA AS tarefas digitar VÁIOS

Leia mais

/(,'(%,276$9$57()/8;2 0$*1e7,&2

/(,'(%,276$9$57()/8;2 0$*1e7,&2 67 /(,'(%,76$9$57()/8; 0$*1e7,& Ao final deste capítulo você deveá se capaz de: ½ Explica a elação ente coente elética e campo magnético. ½ Equaciona a elação ente coente elética e campo magnético, atavés

Leia mais

CONTEÚDO. RECIPROCIDADE QUADRÁTICA 27 Carlos Gustavo T. de A. Moreira & Nicolau Corção Saldanha, Rio de Janeiro - RJ

CONTEÚDO. RECIPROCIDADE QUADRÁTICA 27 Carlos Gustavo T. de A. Moreira & Nicolau Corção Saldanha, Rio de Janeiro - RJ CONTEÚDO AOS LEITORES LIII OLIMPÍADA INTERNACIONAL DE MATEMÁTICA Euciados, Soluções e Resultado Basileio VII OLIMPÍADA IBEROAMERICANA DE MATEMÁTICA 5 Euciados, Soluções e Resultado Basileio ARTIGOS A FÓRMULA

Leia mais

RESOLUÇÃO DA PROVA DE MATEMÁTICA DO VESTIBULAR 2014 DA FUVEST-FASE 2. POR PROFA. MARIA ANTÔNIA C. GOUVEIA

RESOLUÇÃO DA PROVA DE MATEMÁTICA DO VESTIBULAR 2014 DA FUVEST-FASE 2. POR PROFA. MARIA ANTÔNIA C. GOUVEIA ESOLUÇÃO D OV DE MTEMÁTIC DO VESTIUL 0 D FUVEST-FSE. O OF. MI NTÔNI C. GOUVEI M0 Dados e iteiros cosidere a ução deiida por para a No caso e que = = ostre que a igualdade se veriica. b No caso e que =

Leia mais

Estatística: Aplicação ao Sensoriamento Remoto SER 202 - ANO 2016. Análise de Variância (ANOVA)

Estatística: Aplicação ao Sensoriamento Remoto SER 202 - ANO 2016. Análise de Variância (ANOVA) Estatística: Aplicação ao Sensoiamento Remoto SER 0 - ANO 016 Análise de Vaiância (ANOVA) Camilo Daleles Rennó camilo@dpi.inpe.b http://www.dpi.inpe.b/~camilo/estatistica/ Compaando-se médias de duas populações

Leia mais

Curso Mentor. Radicais ( ) www.cursomentor.wordpress.com. Definição. Expoente Fracionário. Extração da Raiz Quadrada. Por definição temos que:

Curso Mentor. Radicais ( ) www.cursomentor.wordpress.com. Definição. Expoente Fracionário. Extração da Raiz Quadrada. Por definição temos que: Curso Metor www.cursometor.wordpress.com Defiição Por defiição temos que: Radicais a b b a, N, Observação : Se é par devemos ter que a é positivo. Observação : Por defiição temos:. 0 0 Observação : Chamamos

Leia mais

75$%$/+2(327(1&,$/ (/(75267È7,&2

75$%$/+2(327(1&,$/ (/(75267È7,&2 3 75$%$/+(37(&,$/ (/(7567È7,& Ao final deste capítulo você deveá se capa de: ½ Obte a epessão paa o tabalho ealiado Calcula o tabalho que é ealiado ao se movimenta uma caga elética em um campo elético

Leia mais

Análise de Correlação e medidas de associação

Análise de Correlação e medidas de associação Análise de Coelação e medidas de associação Pof. Paulo Ricado B. Guimaães 1. Intodução Muitas vezes pecisamos avalia o gau de elacionamento ente duas ou mais vaiáveis. É possível descobi com pecisão, o

Leia mais

CRI Certificados de Recebíveis Imobiliários. Guia para Elaboração dos Fluxos de Pagamentos Data: 16/11/2015

CRI Certificados de Recebíveis Imobiliários. Guia para Elaboração dos Fluxos de Pagamentos Data: 16/11/2015 1 CRI Certificados de Recebíveis Imobiliários Guia para Elaboração dos Fluxos de Pagametos Data: 16/11/2015 Sumário/Ídice CRI - CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS... 1 SUMÁRIO/ÍNDICE... 2 1. OBJETIVO...

Leia mais

GEOMETRIA. Noções básicas de Geometria que deves reter:

GEOMETRIA. Noções básicas de Geometria que deves reter: Noçõe báica de Geometia que deve ete: nte de iniciae qualque tabalho geomético, deve conhece o conjunto de intumento que deveá te empe: lgun cuidado a te: 1 Mante égua e equado limpo. 2 Não ua x-acto ou

Leia mais

Renato Frade Eliane Scheid Gazire

Renato Frade Eliane Scheid Gazire APÊNDICE A CADENO DE ATIVIDADES PONTIFÍCIA UNIVESIDADE CATÓLICA DE MINAS GEAIS Mestado em Ensino de Ciências e Matemática COMPOSIÇÃO E/OU DECOMPOSIÇÃO DE FIGUAS PLANAS NO ENSINO MÉDIO: VAN HIELE, UMA OPÇÃO

Leia mais

Circunferência e círculo

Circunferência e círculo Cicunfeência e cículo evolução da humanidade foi aceleada po algumas descobetas e invenções. Ente elas, podemos cita a impensa de Johannes Gutenbeg (1400-1468), na lemanha, po volta de 1450, que pemitiu

Leia mais

Caderno de Fórmulas. Debêntures Cetip21

Caderno de Fórmulas. Debêntures Cetip21 Última Atualização: 01/04/2016 E ste Cadero tem por objetivo iformar aos usuários a metodologia e os critérios de precisão dos cálculos implemetados Para Debêtures o Cetip21. São aqui apresetadas fórmulas

Leia mais

Matemática. Resolução das atividades complementares. M10 Progressões. 1 (UFBA) A soma dos 3 o e 4 o termos da seqüência abaixo é:

Matemática. Resolução das atividades complementares. M10 Progressões. 1 (UFBA) A soma dos 3 o e 4 o termos da seqüência abaixo é: Resolução das atividades complemetares Matemática M0 Progressões p. 46 (UFBA) A soma dos o e 4 o termos da seqüêcia abaio é: a 8 * a 8 ( )? a, IN a) 6 c) 0 e) 6 b) 8 d) 8 a 8 * a 8 ( )? a, IN a 8 ()? a

Leia mais

Movimentos de satélites geoestacionários: características e aplicações destes satélites

Movimentos de satélites geoestacionários: características e aplicações destes satélites OK Necessito de ee esta página... Necessito de apoio paa compeende esta página... Moimentos de satélites geoestacionáios: caacteísticas e aplicações destes satélites Um dos tipos de moimento mais impotantes

Leia mais

CONCURSO DE ADMISSÃO AO CURSO DE GRADUAÇÃO FÍSICA

CONCURSO DE ADMISSÃO AO CURSO DE GRADUAÇÃO FÍSICA CONCURSO DE DMISSÃO O CURSO DE GRDUÇÃO FÍSIC CDERNO DE QUESTÕES 2008 1 a QUESTÃO Valo: 1,0 Uma bóia náutica é constituída de um copo cilíndico vazado, com seção tansvesal de áea e massa m, e de um tonco

Leia mais

Módulo de Equações do Segundo Grau. Equações do Segundo Grau: Resultados Básicos. Nono Ano

Módulo de Equações do Segundo Grau. Equações do Segundo Grau: Resultados Básicos. Nono Ano Módulo de Equações do Segundo Grau Equações do Segundo Grau: Resultados Básicos. Nono Ano Equações do o grau: Resultados Básicos. 1 Exercícios Introdutórios Exercício 1. A equação ax + bx + c = 0, com

Leia mais

Problema de Fluxo de Custo Mínimo

Problema de Fluxo de Custo Mínimo Problema de Fluo de Custo Míimo The Miimum Cost Flow Problem Ferado Nogueira Fluo de Custo Míimo O Problema de Fluo de Custo Míimo (The Miimum Cost Flow Problem) Este problema possui papel pricipal etre

Leia mais

37ª OLIMPÍADA BRASILEIRA DE MATEMÁTICA PRIMEIRA FASE NÍVEL 3 (Ensino Médio) GABARITO

37ª OLIMPÍADA BRASILEIRA DE MATEMÁTICA PRIMEIRA FASE NÍVEL 3 (Ensino Médio) GABARITO 37ª OLIMPÍADA BRASILEIRA DE MATEMÁTICA PRIMEIRA FASE NÍVEL 3 Esio Médio) GABARITO GABARITO NÍVEL 3 ) B ) A ) B ) D ) C ) B 7) C ) C 7) B ) C 3) D 8) E 3) A 8) E 3) A ) C 9) B ) B 9) B ) C ) E 0) D ) A

Leia mais

7) (F.C.CHAGAS) Determine a área da região hachurada nos casos:

7) (F.C.CHAGAS) Determine a área da região hachurada nos casos: EXERCÍCIOS - PARTE 1 1) (PUC) Se a área do retângulo é de 32 cm 2 e os triângulos formados são isósceles, então o perímetro do pentágono hachurado, em cm, é: 39 a) b) 10+7 2 c) 10 + 12 2 d) 32 e) 70 2

Leia mais

Módulo de Princípios Básicos de Contagem. Segundo ano

Módulo de Princípios Básicos de Contagem. Segundo ano Módulo de Princípios Básicos de Contagem Combinação Segundo ano Combinação 1 Exercícios Introdutórios Exercício 1. Numa sala há 6 pessoas e cada uma cumprimenta todas as outras pessoas com um único aperto

Leia mais

Escola Secundária com 3º Ciclo do E. B. de Pinhal Novo Física e Química A 10ºAno MEDIÇÃO EM QUÍMICA

Escola Secundária com 3º Ciclo do E. B. de Pinhal Novo Física e Química A 10ºAno MEDIÇÃO EM QUÍMICA Escola Secundáia com 3º Ciclo do E. B. de Pinhal Novo Física e Química A 10ºAno MEDIÇÃO EM QUÍMICA Medi - é compaa uma gandeza com outa da mesma espécie, que se toma paa unidade. Medição de uma gandeza

Leia mais

Questão 1. Questão 3. Questão 2. Resposta. Resposta. Resposta. a) calcule a área do triângulo OAB. b) determine OC e CD.

Questão 1. Questão 3. Questão 2. Resposta. Resposta. Resposta. a) calcule a área do triângulo OAB. b) determine OC e CD. Questão Se Amélia der R$,00 a Lúcia, então ambas ficarão com a mesma quantia. Se Maria der um terço do que tem a Lúcia, então esta ficará com R$ 6,00 a mais do que Amélia. Se Amélia perder a metade do

Leia mais

PROVA DE MATEMÁTICA _ VESTIBULAR DA FUVEST- 2005 _ FASE 1. a) 37 b) 36 c) 35 d) 34 e) 33

PROVA DE MATEMÁTICA _ VESTIBULAR DA FUVEST- 2005 _ FASE 1. a) 37 b) 36 c) 35 d) 34 e) 33 PROV MTMÁTI _ VSTIBULR FUVST- 005 _ FS Professora MRI NTONI ONIÇÃO GOUVI 0) Um supermercado adquiriu detergentes nos aromas limão e coco. compra foi entregue, embalada em 0 caias, com frascos em cada caia.

Leia mais

MESTRADO EM MACROECONOMIA e FINANÇAS Disciplina de Computação. Aula 05. Prof. Dr. Marco Antonio Leonel Caetano

MESTRADO EM MACROECONOMIA e FINANÇAS Disciplina de Computação. Aula 05. Prof. Dr. Marco Antonio Leonel Caetano MESTRADO EM MACROECONOMIA e FINANÇAS Disciplina de Computação Aula 5 Pof. D. Maco Antonio Leonel Caetano Guia de Estudo paa Aula 5 Poduto Vetoial - Intepetação do poduto vetoial Compaação com as funções

Leia mais

Prova 3 Matemática ... GABARITO 1 NOME DO CANDIDATO:

Prova 3 Matemática ... GABARITO 1 NOME DO CANDIDATO: Prova 3 QUESTÕES OBJETIIVAS N ọ DE ORDEM: NOME DO CANDIDATO: N ọ DE INSCRIÇÃO: IINSTRUÇÕES PARA A REALIIZAÇÃO DA PROVA. Cofira os campos N ọ DE ORDEM, N ọ DE INSCRIÇÃO e NOME, que costam da etiqueta fixada

Leia mais

FAÇA AS ATIVIDADES NAS DATAS SUGERIDAS PARA RELEMBRAR O QUE JÁ APRENDEMOS.

FAÇA AS ATIVIDADES NAS DATAS SUGERIDAS PARA RELEMBRAR O QUE JÁ APRENDEMOS. NOME: QUEIDO(A) EDUCANDINHO(A). FAÇA AS ATIVIDADES NAS DATAS SUGEIDAS PAA ELEMBA O QUE JÁ APENDEMOS. APOVEITE AS FÉIAS PAA DESCANSA E FAZE MUITAS COISAS GOSTOSAS E DIVETIDAS. VEJA ALGUMAS DICAS: BINCA

Leia mais

: 8. log 3 4 : 7 B 6 B C. B D. 1 x. t é o tempo, dado em horas, e

: 8. log 3 4 : 7 B 6 B C. B D. 1 x. t é o tempo, dado em horas, e Eame de Admissão de Matemática Págia de... Simpliicado a epressão. : : tem-se: Simpliicado a epressão p p p Sabedo que p p obtém-se: p p log a etão log será igual a: a a a a pp p p. Para diluir litro de

Leia mais

Prova de Matemática 6º Ano do Ensino Fundamental 2/6

Prova de Matemática 6º Ano do Ensino Fundamental 2/6 Prova de Matemática 6º Ano do Ensino Fundamental 2/6 01. O número decimal 2,385 está compreendido entre ( A ) 2,3905 e 3,0251. ( B ) 2,3754 e 2,3828. ( C ) 2,3805 e 2,3835. ( D ) 2,3799 e 2,3849. ( E )

Leia mais

RESPOSTA À DECLARAÇÃO EM DEFESA DE UMA MATEMÁTICA FINANCEIRA:- SISTEMA DE AMORTIZAÇÃO PRICE:- BREVE NOTA SOBRE CERTOS ENIGMAS.

RESPOSTA À DECLARAÇÃO EM DEFESA DE UMA MATEMÁTICA FINANCEIRA:- SISTEMA DE AMORTIZAÇÃO PRICE:- BREVE NOTA SOBRE CERTOS ENIGMAS. RESPOSTA À DECLARAÇÃO EM DEFESA DE UMA MATEMÁTICA FINANCEIRA:- SISTEMA DE AMORTIZAÇÃO PRICE:- BREVE NOTA SOBRE CERTOS ENIGMAS. No sistema de amortização Price, com as seguites hipóteses, ocorrerá cobraça

Leia mais

GEOMETRIA ESPACIAL. a) Encher a leiteira até a metade, pois ela tem um volume 20 vezes maior que o volume do copo.

GEOMETRIA ESPACIAL. a) Encher a leiteira até a metade, pois ela tem um volume 20 vezes maior que o volume do copo. GEOMETRIA ESPACIAL ) Uma metalúgica ecebeu uma encomenda paa fabica, em gande quantidade, uma peça com o fomato de um pisma eto com base tiangula, cujas dimensões da base são 6cm, 8cm e 0cm e cuja altua

Leia mais

19 - Potencial Elétrico

19 - Potencial Elétrico PROBLEMAS RESOLVIDOS DE FÍSICA Pof. Andeson Cose Gaudio Depatamento de Física Cento de Ciências Exatas Univesidade Fedeal do Espíito Santo http://www.cce.ufes.b/andeson andeson@npd.ufes.b Última atualização:

Leia mais

Exercícios de Matemática Polinômios

Exercícios de Matemática Polinômios Exercícios de Matemática Poliômios ) (ITA-977) Se P(x) é um poliômio do 5º grau que satisfaz as codições = P() = P() = P(3) = P(4) = P(5) e P(6) = 0, etão temos: a) P(0) = 4 b) P(0) = 3 c) P(0) = 9 d)

Leia mais

Se inicialmente, o tanque estava com 100 litros, pode-se afirmar que ao final do dia o mesmo conterá.

Se inicialmente, o tanque estava com 100 litros, pode-se afirmar que ao final do dia o mesmo conterá. ANÁLISE GRÁFICA QUANDO y. CORRESPONDE A ÁREA DA FIGURA Resposta: Sempre quando o eio y corresponde a uma taa de variação, então a área compreendida entre a curva e o eio do será o produto y. Isto é y =

Leia mais

12 26, 62, 34, 43 21 37, 73 30 56, 65

12 26, 62, 34, 43 21 37, 73 30 56, 65 1 Questão 1 Solução a) Primeiro multiplicamos os algarismos de 79, obtendo 7 9 = 63, e depois somamos os algarismos desse produto, obtendo 6 + 3 = 9. Logo o transformado de é 79 é 9. b) A brincadeira de

Leia mais

Matemática 2 aula 11 COMENTÁRIOS ATIVIDADES PARA SALA COMENTÁRIOS ATIVIDADES PROPOSTAS POLINÔMIOS I. P(x) = 4x (x 1) + (x 1)

Matemática 2 aula 11 COMENTÁRIOS ATIVIDADES PARA SALA COMENTÁRIOS ATIVIDADES PROPOSTAS POLINÔMIOS I. P(x) = 4x (x 1) + (x 1) Matemática aula POLINÔMIOS I. COMENTÁRIOS ATIVIDADES PARA SALA b a P() b P() + + Calculando P (), temos: b a P() b b + b + a ab b a P () b + ( ab) + b + a b Se P () P (), podemos observar que: b + ( ab)

Leia mais

XXXI OLIMPÍADA BRASILEIRA DE MATEMÁTICA PRIMEIRA FASE NÍVEL 2 (8º. ou 9º. anos) GABARITO

XXXI OLIMPÍADA BRASILEIRA DE MATEMÁTICA PRIMEIRA FASE NÍVEL 2 (8º. ou 9º. anos) GABARITO XXXI OLIMPÍ RSILEIR E MTEMÁTI PRIMEIR FSE NÍVEL (º ou 9º anos) GRITO GRITO NÍVEL ) 6) ) 6) ) E ) 7) ) 7) ) ) ) ) E ) ) 4) 9) 4) E 9) 4) ) 0) ) 0) ) ada questão da Primeira Fase vale ponto (Total de pontos

Leia mais

suur 03) (UPE 2007) Na figura abaixo a reta tangencia, em N, o círculo que passa por L, suur

suur 03) (UPE 2007) Na figura abaixo a reta tangencia, em N, o círculo que passa por L, suur Eta Geometia Plana Pof Eweton Paiva 01) (UFF 007) fim de elaboa um elemento de ua oba de ate, um eculto ua um pedaço de aame e contói uma cicunfeência, confome mota a figua P b) Pove que med(» ) med( E»

Leia mais

i CC gerador tg = P U = U.i o i i r.i 0 i CC i i i

i CC gerador tg = P U = U.i o i i r.i 0 i CC i i i GEDO ELÉTIO "Levao-se em cota a esstêca tea o geao, pecebemos que a p ete os temas é meo o que a foça eletomotz (fem), evo à pea e p a esstêca tea." - + = -. OENTE DE TO-IITO Se lgamos os os temas e um

Leia mais

CPV seu Pé Direito no INSPER

CPV seu Pé Direito no INSPER CPV seu Pé Direito o INSPE INSPE esolvida /ovembro/0 Prova A (Marrom) MATEMÁTICA 7. Cosidere o quadrilátero coveo ABCD mostrado a figura, em que AB = cm, AD = cm e m(^a) = 90º. 8. No plao cartesiao da

Leia mais

Interbits SuperPro Web

Interbits SuperPro Web 1. (Unesp 2013) No dia 5 de junho de 2012, pôde-se obseva, de deteminadas egiões da Tea, o fenômeno celeste chamado tânsito de Vênus, cuja póxima ocoência se daá em 2117. Tal fenômeno só é possível poque

Leia mais

a) 2 b) 3 c) 4 d) 5 e) 6

a) 2 b) 3 c) 4 d) 5 e) 6 Recordando operações básicas 01. Calcule as expressões abaixo: a) 2254 + 1258 = b) 300+590 = c) 210+460= d) 104+23 = e) 239 54 = f) 655-340 = g) 216-56= h) 35 x 15 = i) 50 x 210 = j) 366 x 23 = k) 355

Leia mais

Universidade Federal de Goiás Campus Catalão Departamento de Matemática

Universidade Federal de Goiás Campus Catalão Departamento de Matemática Universidade Federal de Goiás Campus Catalão Departamento de Matemática Disciplina: Álgebra Linear Professor: André Luiz Galdino Aluno(a): 4 a Lista de Exercícios 1. Podemos entender transformações lineares

Leia mais

onde d, u, v são inteiros não nulos, com u v, mdc(u, v) = 1 e u e v de paridades distintas.

onde d, u, v são inteiros não nulos, com u v, mdc(u, v) = 1 e u e v de paridades distintas. !"$# &%$" ')( * +-,$. /-0 3$4 5 6$7 8:9)$;$< =8:< > Deomiaremos equação diofatia (em homeagem ao matemático grego Diofato de Aleadria) uma equação em úmeros iteiros. Nosso objetivo será estudar dois tipos

Leia mais

Observando embalagens

Observando embalagens Observando embalagens A UUL AL A O leite integral é vendido em caixas de papelão laminado por dentro. Essas embalagens têm a forma de um paralelepípedo retângulo e a indicação de que contêm 1000 ml de

Leia mais

Matemática. Resolução das atividades complementares. M3 Conjuntos

Matemática. Resolução das atividades complementares. M3 Conjuntos Resolução das atividades complementares Matemática M Conjuntos p. (UEMG) Numa escola infantil foram entrevistadas 8 crianças, com faia etária entre e anos, sobre dois filmes, e. Verificou-se que 4 delas

Leia mais

EQUAÇÕES DIFERENCIAIS LINEARES DE ORDEM N

EQUAÇÕES DIFERENCIAIS LINEARES DE ORDEM N EQUAÇÕES DIFERENCIAIS LINEARES DE ORDEM N Estudaremos este capítulo as equações diereciais lieares de ordem, que são de suma importâcia como suporte matemático para vários ramos da egeharia e das ciêcias.

Leia mais

física eletrodinâmica GERADORES

física eletrodinâmica GERADORES eletodinâmica GDOS 01. (Santa Casa) O gáfico abaixo epesenta um geado. Qual o endimento desse geado quando a intensidade da coente que o pecoe é de 1? 40 U(V) i() 0 4 Do gáfico, temos que = 40V (pois quando

Leia mais

Prof. Dirceu Pereira

Prof. Dirceu Pereira Polícia odoviáia edeal Pof. Diceu Peeia ísica 3.4. OÇAS EM TAJETÓIAS CUILÍNEAS Se lançamos um copo hoizontalmente, póximo a supefície da Tea, com uma velocidade inicial de gande intensidade, da odem de

Leia mais

Revisão 01-2011. Exercícios Lista 01 21/02/2011. Questão 01 UFRJ - 2006

Revisão 01-2011. Exercícios Lista 01 21/02/2011. Questão 01 UFRJ - 2006 Aluo(a): Professor: Chiquiho Revisão 0-20 Exercícios Lista 0 2/02/20 Questão 0 UFRJ - 2006 Dois estados produzem trigo e soja. Os gráficos abaixo represetam a produção relativa de grãos de cada um desses

Leia mais

Técnicas de Contagem I II III IV V VI

Técnicas de Contagem I II III IV V VI Técnicas de Contagem Exemplo Para a Copa do Mundo 24 países são divididos em seis grupos, com 4 países cada um. Supondo que a escolha do grupo de cada país é feita ao acaso, calcular a probabilidade de

Leia mais

Preço de uma lapiseira Quantidade Preço de uma agenda Quantidade R$ 10,00 100 R$ 24,00 200 R$ 15,00 80 R$ 13,50 270 R$ 20,00 60 R$ 30,00 160

Preço de uma lapiseira Quantidade Preço de uma agenda Quantidade R$ 10,00 100 R$ 24,00 200 R$ 15,00 80 R$ 13,50 270 R$ 20,00 60 R$ 30,00 160 Todos os dados necessários para resolver as dez questões, você encontra neste texto. Um funcionário do setor de planejamento de uma distribuidora de materiais escolares verifica que as lojas dos seus três

Leia mais

O que é Estatística?

O que é Estatística? O que é Estatística? É um método de observação de feômeos coletivos. Ocupa-se da coleta, orgaização, resumo, apresetação e aálise de dados. Objetivo - Obter iformações que permitam uma descrição dos feômeos

Leia mais

1 - POLÍGONOS REGULARES E CIRCUNFERÊNCIAS

1 - POLÍGONOS REGULARES E CIRCUNFERÊNCIAS Matemática 2 Pedro Paulo GEOMETRIA PLANA X 1 - POLÍGONOS REGULARES E CIRCUNFERÊNCIAS 1.2 Triângulo equilátero circunscrito A seguir, nós vamos analisar a relação entre alguns polígonos regulares e as circunferências.

Leia mais

OPERAÇÕES COM FRAÇÕES

OPERAÇÕES COM FRAÇÕES OPERAÇÕES COM FRAÇÕES Adição A soma ou adição de frações requer que todas as frações envolvidas possuam o mesmo denominador. Se inicialmente todas as frações já possuírem um denominador comum, basta que

Leia mais

TEXTO DE REVISÃO 13 Impulso e Quantidade de Movimento (ou Momento Linear).

TEXTO DE REVISÃO 13 Impulso e Quantidade de Movimento (ou Momento Linear). TEXTO DE REVISÃO 13 Impulso e Quantidade de Movimento (ou Momento Linea). Cao Aluno: Este texto de evisão apesenta um dos conceitos mais impotantes da física, o conceito de quantidade de movimento. Adotamos

Leia mais

= 1 1 1 1 1 1. Pontuação: A questão vale dez pontos, tem dois itens, sendo que o item A vale até três pontos, e o B vale até sete pontos.

= 1 1 1 1 1 1. Pontuação: A questão vale dez pontos, tem dois itens, sendo que o item A vale até três pontos, e o B vale até sete pontos. VTB 008 ª ETAPA Solução Comentada da Prova de Matemática 0 Em uma turma de alunos que estudam Geometria, há 00 alunos Dentre estes, 30% foram aprovados por média e os demais ficaram em recuperação Dentre

Leia mais

Fig. 2.1 - Componentes da força da gravidade.

Fig. 2.1 - Componentes da força da gravidade. FORMA E DIMENSÕES DA TERRA Iis eeia Escoba Uivesidade do Estado do Rio de Jaeio Depatameto de Egehaia Catogáfica Rua São Facisco Xavie, 54, 4º ada, sl 400B 0550-013 Rio de Jaeio RJ e-mail: iisescoba@tea.com.b

Leia mais

Faculdade Campo Limpo Paulista Mestrado em Ciência da Computação Complexidade de Algoritmos Avaliação 2

Faculdade Campo Limpo Paulista Mestrado em Ciência da Computação Complexidade de Algoritmos Avaliação 2 Faculdade Campo Limpo Paulista Mestrado em Ciêcia da Computação Complexidade de Algoritmos Avaliação 2. (2,0): Resolva a seguite relação de recorrêcia. T() = T( ) + 3 T() = 3 Pelo método iterativo progressivo.

Leia mais

TC DE MATEMÁTICA (REVISÃO) / 3ª SÉRIE E EXTENSIVO. PROFESSOR Fabrício Maia ALUNO(A): Nº TURMA: TURNO: DATA: / / COLÉGIO:

TC DE MATEMÁTICA (REVISÃO) / 3ª SÉRIE E EXTENSIVO. PROFESSOR Fabrício Maia ALUNO(A): Nº TURMA: TURNO: DATA: / / COLÉGIO: TC DE MATEMÁTCA (REVSÃO) / ª SÉRE E EXTENSVO PROESSOR abrício Maia ALUNO(A): Nº TURMA: TURNO: DATA: / / COLÉGO: OSG 98/0. Os valores de b para os quais a parábola y + b tem um úico poto em comum com a

Leia mais

6º Ano do Ensino Fundamental

6º Ano do Ensino Fundamental MINISTÉRIO DA DEFESA Manaus AM 8 de outubro de 2009. EXÉRCITO BRASILEIRO CONCURSO DE ADMISSÃO 2009/200 DECEx - D E P A COLÉGIO MILITAR DE MANAUS MATEMÁTICA 6º Ano do Ensino Fundamental INSTRUÇÕES (CANDIDATO

Leia mais

- B - - Esse ponto fica à esquerda das cargas nos esquemas a) I e II b) I e III c) I e IV d) II e III e) III e IV. b. F. a. F

- B - - Esse ponto fica à esquerda das cargas nos esquemas a) I e II b) I e III c) I e IV d) II e III e) III e IV. b. F. a. F LIST 03 LTROSTÁTIC PROSSOR MÁRCIO 01 (URJ) Duas patículas eleticamente caegadas estão sepaadas po uma distância. O gáfico que melho expessa a vaiação do módulo da foça eletostática ente elas, em função

Leia mais

SEQUÊNCIA DE FIBONACCI: HISTÓRIA, PROPRIEDADES E RELAÇÕES COM A RAZÃO ÁUREA 1

SEQUÊNCIA DE FIBONACCI: HISTÓRIA, PROPRIEDADES E RELAÇÕES COM A RAZÃO ÁUREA 1 Disc Scieti Séie: Ciêcis Ntuis e Tecológics S Mi v 9 p 67-8 008 67 ISSN 98-84 SEQUÊNCIA DE FIBONACCI: HISTÓRIA PROPRIEDADES E RELAÇÕES COM A RAZÃO ÁUREA FIBONACCI SEQUENCE: HISTORY PROPERTIES AND CONNECTIONS

Leia mais

I. Conjunto Elemento Pertinência

I. Conjunto Elemento Pertinência TEORI DOS CONJUNTOS I. Conjunto Elemento Pertinência Conjunto, elemento e pertinência são três noções aceitas sem definição, ou seja, são noções primitivas. idéia de conjunto é praticamente a mesma que

Leia mais

QUESTÕES PARA A 3ª SÉRIE ENSINO MÉDIO MATEMÁTICA 2º BIMESTE SUGESTÕES DE RESOLUÇÕES

QUESTÕES PARA A 3ª SÉRIE ENSINO MÉDIO MATEMÁTICA 2º BIMESTE SUGESTÕES DE RESOLUÇÕES QUESTÕES PARA A 3ª SÉRIE ENSINO MÉDIO MATEMÁTICA 2º BIMESTE QUESTÃO 01 SUGESTÕES DE RESOLUÇÕES Descritor 11 Resolver problema envolvendo o cálculo de perímetro de figuras planas. Os itens referentes a

Leia mais

I~~~~~~~~~~~~~~-~-~ krrrrrrrrrrrrrrrrrr. \fy --~--.. Ação de Flexão

I~~~~~~~~~~~~~~-~-~ krrrrrrrrrrrrrrrrrr. \fy --~--.. Ação de Flexão Placas - Lajes Placas são estutuas planas onde duas de suas tês dimensões -lagua e compimento - são muito maioes do que a teceia, que é a espessua. As cagas nas placas estão foa do plano da placa. As placas

Leia mais

PARTE IV COORDENADAS POLARES

PARTE IV COORDENADAS POLARES PARTE IV CRDENADAS PLARES Existem váios sistemas de coodenadas planas e espaciais que, dependendo da áea de aplicação, podem ajuda a simplifica e esolve impotantes poblemas geométicos ou físicos. Nesta

Leia mais

FORÇA ENTRE CARGAS ELÉTRICAS E O CAMPO ELETROSTÁTICO

FORÇA ENTRE CARGAS ELÉTRICAS E O CAMPO ELETROSTÁTICO LTOMAGNTISMO I FOÇA NT CAGAS LÉTICAS O CAMPO LTOSTÁTICO Os pimeios fenômenos de oigem eletostática foam obsevados pelos gegos, 5 séculos antes de Cisto. les obsevaam que pedaços de âmba (elekta), quando

Leia mais

Módulo Elementos Básicos de Geometria - Parte 3. Circunferência. Professores: Cleber Assis e Tiago Miranda

Módulo Elementos Básicos de Geometria - Parte 3. Circunferência. Professores: Cleber Assis e Tiago Miranda Módulo Elementos Básicos de Geometria - Parte Circunferência. 8 ano/e.f. Professores: Cleber Assis e Tiago Miranda Elementos Básicos de Geometria - Parte. Circunferência. 1 Exercícios Introdutórios Exercício

Leia mais

Mecânica e Ondas. Trabalho I. Conservação da Energia Mecânica da Roda de Maxwell

Mecânica e Ondas. Trabalho I. Conservação da Energia Mecânica da Roda de Maxwell Mecânica e Ondas Tabalho I Consevação da Enegia Mecânica da Roda de Maxwell Objectivo Deteminação do momento de inécia da oda de Maxwell. Estudo da tansfeência de enegia potencial em enegia de tanslação

Leia mais

para x = 111 e y = 112 é: a) 215 b) 223 c) 1 d) 1 e) 214 Resolução Assim, para x = 111 e y = 112 teremos x + y = 223.

para x = 111 e y = 112 é: a) 215 b) 223 c) 1 d) 1 e) 214 Resolução Assim, para x = 111 e y = 112 teremos x + y = 223. MATEMÁTICA d Um mapa está numa escala :0 000 000, o que significa que uma distância de uma unidade, no mapa, corresponde a uma distância real de 0 000 000 de unidades. Se no mapa a distância entre duas

Leia mais

Álgebra Linear I - Aula 20

Álgebra Linear I - Aula 20 Álgebra Linear I - Aula 0 1 Matriz de Mudança de Base Bases Ortonormais 3 Matrizes Ortogonais 1 Matriz de Mudança de Base Os próximos problemas que estudaremos são os seguintes (na verdade são o mesmo

Leia mais

Módulo 5: Conteúdo programático Eq da continuidade em Regime Permanente. Escoamento dos Fluidos - Equações Fundamentais

Módulo 5: Conteúdo programático Eq da continuidade em Regime Permanente. Escoamento dos Fluidos - Equações Fundamentais Módulo 5: Conteúdo pogamático Eq da continuidade em egime Pemanente Bibliogafia: Bunetti, F. Mecânica dos Fluidos, São Paulo, Pentice Hall, 7. Eoamento dos Fluidos - Equações Fundamentais Popiedades Intensivas:

Leia mais

Prática. Exercícios didáticos ( I)

Prática. Exercícios didáticos ( I) 1 Prática Exercício para início de conversa Localize na reta numérica abaixo os pontos P correspondentes aos segmentos de reta OP cujas medidas são os números reais representados por: Exercícios didáticos

Leia mais

CONCURSO DE ADMISSÃO AO COLÉGIO MILITAR DO RECIFE - 95 / 96 QUESTÃO ÚNICA. ESCORES OBTIDOS MÚLTIPLA ESCOLHA

CONCURSO DE ADMISSÃO AO COLÉGIO MILITAR DO RECIFE - 95 / 96 QUESTÃO ÚNICA. ESCORES OBTIDOS MÚLTIPLA ESCOLHA QUESTÃO ÚNICA. ESCORES OBTIDOS MÚLTIPLA ESCOLHA ESCOLHA A ÚNICA RESPOSTA CERTA, ASSINALANDO-A COM X NOS PARÊNTESES À ESQUERDA OS ITENS DE 01 A 06 DEVERÃO SER RESPONDIDOS COM BASE NA TEORIA DOS CONJUNTOS.

Leia mais

Unidade 13 Noções de Matemática Financeira. Taxas equivalentes Descontos simples e compostos Desconto racional ou real Desconto comercial ou bancário

Unidade 13 Noções de Matemática Financeira. Taxas equivalentes Descontos simples e compostos Desconto racional ou real Desconto comercial ou bancário Unidade 13 Noções de atemática Financeia Taxas equivalentes Descontos simples e compostos Desconto acional ou eal Desconto comecial ou bancáio Intodução A atemática Financeia teve seu início exatamente

Leia mais