ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA"

Transcrição

1 DISTRI. QTE. TIPO ÓRGÃO DISTRIBUIÇÃO AUTOMÁTICA DE CÓPIAS c Companhia Energética de Minas Gerais PÚBLICO b a GEDOC ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SISTEMA DE VIGILÂNCIA PATRIMONIAL Subestações de Distribuição Nº PE/LS FEITO VISTO DATA APROV CLASSIFICAÇÃO PROJ: MRJ CONF: MMC APROV: EMR VISTO: ENC DATA: 15/05/2015 FOLHA 06 ARQ

2 ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO SISTEMA DE ALARMES CONTRA INVASÕES SISTEMA DE ALARMES CONTRA INCÊNDIOS ALIMENTAÇÃO DO SISTEMA DE SEGURANÇA PATRIMONIAL... 6 Página 2/6

3 1 INTRODUÇÃO 1.1 Este documento estabelece os critérios mínimos necessários para a implantação do Sistema de Vigilância Patrimonial nas Subestações da Cemig Distribuição. 1.2 Complementam esta especificação os requisitos definidos nos documentos anexos ao edital de licitação, tais como DIP (Dados e Informações para Projeto), Requisitos Técnicos para Implantação das Subestações, etc O Sistema de Vigilância Patrimonial da Cemig D é composto basicamente pelo sistema de alarmes contra invasões e pelo sistema de alarmes contra incêndios. Os requisitos para cada um dos sistemas são descritos a seguir. 1.4 Toda a infraestrutura necessária à adequada instalação e integração do Sistema de Vigilância deve ser prevista no fornecimento do mesmo. 2 SISTEMA DE ALARMES CONTRA INVASÕES 2.1 O Sistema de Alarmes contra Invasões é composto, no mínimo, pelos seguintes dispositivos: a) Unidade Central de Alarmes Contra Invasões; b) Sensores de infravermelho passivos (IVP) para instalação interna; c) Sensores magnéticos para portas internas e portões de acesso à SE; d) Sensores infravermelhos ativos (IVA) para o perímetro da casa de controle e da SE. 2.2 Unidade Central de Alarmes Contra Invasões: Esta central deverá possuir no mínimo 6 zonas com os respectivos contatos discretos para alarme. Na fase de elaboração do projeto elétrico serão definidos quais contatos serão conectados ao SSCP - Sistema de Supervisão, Controle e Proteção para envio das informações ao COD Centro de Operação da Distribuição. A central deverá possuir 2 sirenes do tipo piezoelétricas de 120dB a 1 metro, sendo uma interna e outra externa a sala de controle. Tais sirenes devem ser do tipo compacta, com alcance mínimo de 700 metros, imunes à chuva, vento, geada e calor, devendo suportar temperaturas entre -20 a 50º. Deverão possuir suporte adequado para sua instalação e caixa de proteção contra vandalismo e intempéries. No interior da casa de controle deverá ser instalado um teclado para digitação da senha de acesso ao sistema. Uma vez aberto o portão da subestação, um intervalo de tempo configurável (aproximadamente 3 minutos) deverá ser automaticamente iniciado para que o operador digite a senha, evitando o acionamento das sirenes. O COD deverá ser informado imediatamente quando da abertura do portão externo e das portas do(s) prédio(s) internos à SE, independente da digitação de senha na central de alarmes e do acionamento das sirenes. Caso necessário, será permitida a utilização de sensores magnéticos com 2 contatos secos, sendo um para a comunicação com a UCC e outro para comunicação com a central de alarmes. Página 3/6

4 2.3 Sensor de presença infravermelho passivo (IVP) para instalação interna: Deverão ser instalados sensores de presença passivos com tecnologia de sinal infravermelho combinada com sinais de micro-ondas, em quantidade suficiente para monitorar todas as seções internas da casa de controle da SE. O sistema de sensoriamento através de sensores passivos deverá: Utilizar tecnologia de detecção de sinal infravermelho combinado com sinais de microondas em único sensor; Ser capaz de detectar movimentos; Acionar o alarme apenas quando detectados ambos os sinais (infravermelho e microondas); Ser imune às interferências de RF; Não produzir alarmes na presença de pequenos animais ou insetos próximos aos sensores; Não produzir alarmes devido ao movimento dos raios solares, calor emitido por aquecedores, lâmpadas e outros itens que fazem parte do ambiente onde serão instalados; Ter área de cobertura mínima de 12x15 m; Ser dotado de detecção e proteção anti-sabotagem; Possuir sistema de compensação de temperatura ao longo do dia, para evitar falso alarme; Ser construído com material de alta resistência ao impacto, para instalação interna em parede ou teto; Possuir faixa de temperatura de operação mínima: -10 a +50 C Umidade relativa: até 95% Prover saída de alarme em contato seco, para uma carga resistiva (no mínimo 125mA em 28Vdc ou 18Vac); Possuir alarme com duração de 2 a 3 segundos; Ser instalado conforme normas técnicas, sempre a uma altura de 2,20m, fixados em paredes, protegidos de iluminação solar direta. 2.4 Sensores magnéticos para portas internas e portões de acesso à SE: Deverão ser previstos sensores magnéticos com fio tipo REED para todas as portas de acesso à casa de controle e, caso aplicável, demais prédios internos à SE. Para os portões de acesso à subestação deverá ser instalado um fim de curso do tipo industrial. Estes sensores têm por finalidades: o disparo na central de alarmes de um temporizador para ativação da senha de acesso na casa de controle e inibição de disparo das sirenes; o disparo de um alarme na UCC para comunicação ao COD de acesso à SE. A abertura das portas internas e/ou portão de acesso da SE deverá ser notificada imediatamente ao COD, através de contatos secos dos sensores, independente da digitação de senha na central de alarmes. O sistema de sensoriamento através de sensores magnéticos deverá: Página 4/6

5 Ser capaz de atuar sobre os estados da entrada da central de alarmes e da UCC através de contatos secos (NF); Possuir invólucro adequado ao ambiente de instalação; Possuir atuação do ímã (gap) de, no mínimo, 60 mm; Possuir resistência máxima de contato de 150 micro-ohms Possuir corrente mínima de contato de 500 ma em 28Vdc 2.5 Sensores de presença infravermelhos ativos perimetrais: Em toda a extensão interna do muro periférico da SE, incluindo o portão de acesso, deverão ser instalados sensores infravermelhos de presença ativos (IVAs), formando um sistema de sensoriamento perimetral. Sensores infravermelhos ativos também deverão ser instalados ao redor da casa de controle, para sensoriamento perimetral da mesma. Os IVAs deverão ser instalados estrategicamente, com, no mínimo, 4 setores de sensoriamento por conjunto. Uma vez rompido o feche infravermelho, o sistema de alarmes deverá detectar automaticamente o lado invadido e deverá ser acionado o temporizador para ativação na casa de controle da senha de acesso. O sistema de sensoriamento através de sensores ativos deverá: Ser constituído de transmissor/receptor, duplo feixe, para alcances mínimos de 60m em ambiente externo; Possuir barreira de IVA formada por 02 transmissores, posicionados de forma a criar uma faixa de proteção de cerca de 1,70m na vertical, instalados em postes de aço ou alumínio; Possuir a possibilidade de selecionar canais diferentes de transmissão, de modo a permitir a instalação de enlaces consecutivos e instalados em linha reta, sem que com isto ocorram interferências mútuas; Possuir proteção e detecção anti-sabotagem; Ter características construtivas para instalação ao tempo, grau de proteção IP54 ou superior; Possuir circuito capaz de identificar situações climáticas tipo pó, nevoeiro e chuva, podendo ser configurado para ignorar o relé de alarme quando ativado; Possibilitar ajuste dos feixes na vertical e horizontal para alinhamento na instalação; Possuir ajuste de sensibilidade dos receptores; Suportar faixa de temperatura de operação de 10 a C. 3 SISTEMA DE ALARMES CONTRA INCÊNDIOS 3.1 O Sistema de Alarmes Contra Incêndios é composto, no mínimo, pelos seguintes dispositivos: a) Unidade Central de Alarmes contra Incêndios; b) Detectores de fumaça termo-ópticos; c) Acionadores manuais; d) Extintores na casa de controle e no pátio britado. 3.2 O sistema de proteção contra incêndio deve atender, onde aplicável, às instruções técnicas do Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Minas Gerias. Página 5/6

6 3.3 Unidade Central de Alarmes contra Incêndios: Esta central deverá possuir no mínimo 6 zonas com os respectivos contatos discretos para alarme. Na fase de elaboração do projeto elétrico serão definidos quais contatos serão conectados ao SSCP - Sistema de Supervisão, Controle e Proteção para envio das informações ao COD Centro de Operação da Distribuição. A central deverá possuir 2 sirenes do tipo piezoelétricas de 120dB a 1m, sendo uma interna e outra externa a sala de controle. 3.4 Detectores de fumaça termo-ópticos: Deverão ser utilizados sensores de fumaça convencionais ou endereçáveis termo-ópticos, combinando em um mesmo dispositivo as funções dos detectores ópticos (ou fotoelétrico) e de temperatura (ou Termovelocimétrico). Os mesmos deverão possuir sensibilidade ajustável e facilidades para limpeza e manutenção. A instalação de tais dispositivos deverá ser de forma semi-embutida em forro falso e em quantidade suficiente para atendimento a todas as seções internas da casa de controle e, caso aplicável, demais prédios da SE. 3.5 Acionadores manuais: Deverão ser instalados 2 acionadores manuais de ação simples tipo quebra-vidro na parede interna da Casa de Controle, os quais deverão possuir LED para indicação de ativação do alarme que deverá ocorrer a partir da quebra do vidro. 3.6 Extintores de incêndio: Os extintores devem ser instalados de maneira que sejam visíveis para todos os usuários, protegidos contra intempéries e danos físicos em potencial, desobstruídos, devidamente sinalizados, em local onde haja menor probabilidade de o fogo bloquear seu acesso. Devem ser adequados à classe de incêndio predominante dentro dá área de risco a ser protegida, conforme instruções técnicas do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais e normas brasileiras aplicáveis. Os extintores do pátio da SE deverão ser de 50kg, instalados sobre rodas e abrigados contra intempéries. 4 ALIMENTAÇÃO DO SISTEMA DE SEGURANÇA PATRIMONIAL A alimentação de todo o Sistema de Vigilância Patrimonial, incluindo as centrais de alarmes e de incêndios, deverá ser feita através de um circuito de corrente contínua 125Vcc, provinda do banco de baterias da subestação. Caso necessário, poderá ser utilizado um inversor para alimentação dos equipamentos em 127Vca. Deverá ser previsto um relé de subtensão com ajuste de tempo definido para a desconexão automática geral do sistema de segurança patrimonial, de forma a preservar a integridade do banco para a alimentação dos dispositivos de proteção e controle da SE. Página 6/6

SUMÁRIO BOTOEIRAS... CABO DE INSTRUMENTAÇÃO... CENTRAIS DE ALARME... Convencional - Endereçável DETECTORES DE FUMAÇA... DETECTORES DE TEMPERATURA...

SUMÁRIO BOTOEIRAS... CABO DE INSTRUMENTAÇÃO... CENTRAIS DE ALARME... Convencional - Endereçável DETECTORES DE FUMAÇA... DETECTORES DE TEMPERATURA... SUMÁRIO BOTOEIRAS... 02-07 CABO DE INSTRUMENTAÇÃO... 08 CENTRAIS DE ALARME... Convencional - Endereçável 09-18 DETECTORES DE FUMAÇA... 19-21 DETECTORES DE TEMPERATURA... 22 PLACAS DE SINALIZAÇÃO... 23-24

Leia mais

Tecnologia, inovação e qualidade. Linha Alarme Fachada da sede da Posonic do Brasil Campina Grande do Sul/PR CLIQUE AQUI PARA INICIAR

Tecnologia, inovação e qualidade. Linha Alarme Fachada da sede da Posonic do Brasil Campina Grande do Sul/PR CLIQUE AQUI PARA INICIAR Tecnologia, inovação e qualidade. Linha 2014 Fachada da sede da Posonic do Brasil Campina Grande do Sul/PR CLIQUE AQUI PARA INICIAR SUMÁRIO Linha 2014...7 PS-412...7 PS-412 PET... 8 MAGNÉTICO... 22 PS-850MG...22

Leia mais

Barreira óptica de segurança-categoria 4 G4

Barreira óptica de segurança-categoria 4 G4 Barreira óptica de segurança-categoria 4 G4 Descrição As Barreiras ópticas de segurança-*cortinas de luz* são equipamentos óptico-eletrônicos utilizados para segurança em máquinas e equipamentos onde o

Leia mais

Líder mundial em equipamentos de segurança eletrônica, a DSC disponibiliza inovadores sistemas de

Líder mundial em equipamentos de segurança eletrônica, a DSC disponibiliza inovadores sistemas de Líder mundial em equipamentos de segurança eletrônica, a DSC disponibiliza inovadores sistemas de alarmes de monitoramento ip. Fundada em 1979, a Digital Security Controls possui um histórico inovador.

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO. Sensor Infravermelho

MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO. Sensor Infravermelho MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO IR30 Sensor Infravermelho www.compatec.com.br 1. Apresentação... 3 2. Características Gerais... 3 3. Conhecendo o seu produto... 4 4. Instalação... 5 5. Ligação... 6 6.

Leia mais

Barreira óptica de segurança-categoria 4 G4

Barreira óptica de segurança-categoria 4 G4 Barreira óptica de segurança-categoria 4 G4 Descrição As Barreiras ópticas de segurança *Cortinas de luz* são equipamentos óptico-eletrônicos utilizados para segurança em máquinas e equipamentos onde o

Leia mais

Samtek - Fabricante de Alarmes

Samtek - Fabricante de Alarmes Samtek - Fabricante de Alarmes Catalogo Virtual Samtek - Fabricante de Alarmes (http://samtek.com.br/loja) - Pagina: 1 Departamentos da Loja -> Pagina Inicial -> Sistemas com fio - Placas - Teclados -

Leia mais

INFORMATIVO DE PRODUTO

INFORMATIVO DE PRODUTO Detector / Sensor de Fumaça Convencional Com Saída Rele NA - Código: AFDFSX. O detector de Fumaça código AFDFSX é um equipamento que deve ser instalado no teto ou na parede das edificações e tem como função

Leia mais

M053 V02. comercialipec@gmail.com

M053 V02. comercialipec@gmail.com M053 V02 comercialipec@gmail.com PARABÉNS Você acaba de adquirir um produto com alta tecnologia IPEC. Fabricado dentro dos mais rígidos padrões de qualidade, os produtos IPEC primam pela facilidade de

Leia mais

SENSOR DUPLA TECNOLOGIA PIR + MICROONDAS MANUAL DE INSTALAÇÃO ATENÇÃO! LEIA TODAS AS INSTRUÇÕES DO MANUAL ANTES DE INSTALAR E OPERAR ESTE EQUIPAMENTO

SENSOR DUPLA TECNOLOGIA PIR + MICROONDAS MANUAL DE INSTALAÇÃO ATENÇÃO! LEIA TODAS AS INSTRUÇÕES DO MANUAL ANTES DE INSTALAR E OPERAR ESTE EQUIPAMENTO SENSOR DUPLA TECNOLOGIA PIR + MICROONDAS MANUAL DE INSTALAÇÃO ATENÇÃO! LEIA TODAS AS INSTRUÇÕES DO MANUAL ANTES DE INSTALAR E OPERAR ESTE EQUIPAMENTO Parabéns, você adquiriu um produto com o selo Qualidade

Leia mais

CONVENCIONAL >ANTI-INCÊNDIO SISTEMA C400 ANTI-INCÊNDIO

CONVENCIONAL >ANTI-INCÊNDIO SISTEMA C400 ANTI-INCÊNDIO ANTI-INCÊNDIO >ANTI-INCÊNDIO CONVENCIONAL SISTEMA C400 ANTI-INCÊNDIO EFICAZ E MODULAR O anti-incêndio Elkron protege a sua empresa e cresce com você A gama de produtos antiincêndio con vencional da Elkron

Leia mais

FOTOCÉLULAS CODIFICADAS IR/IT 2241

FOTOCÉLULAS CODIFICADAS IR/IT 2241 FOTOCÉLULAS CODIFICADAS IR/IT 2241 Fotocélulas codificadas de parede, rotação 180 e c apacidade de até 20 m. A codificação do sinal transmitido, a ser configurada durante a instalação, minimiza a possibilidade

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÃO E FUNCIONAMENTO

MANUAL DE OPERAÇÃO E FUNCIONAMENTO BARREIRA INFRAVERMELHO FEIXE ÚNICO D50-1 MANUAL DE OPERAÇÃO E FUNCIONAMENTO DECIBEL DESCRIÇÃO: A barreira I.V.A. feixe único D50-1 é recomendada em automações de portões, ao ser interrompida abre ou fecha

Leia mais

KIT D162 GII RF CENTRAL COM SUPERVISÃO GRÁFICA INTERLIGAÇÕES / CONEXÕES ENTRE EQUIPAMENTOS QUE COMPÕEM O SISTEMA.

KIT D162 GII RF CENTRAL COM SUPERVISÃO GRÁFICA INTERLIGAÇÕES / CONEXÕES ENTRE EQUIPAMENTOS QUE COMPÕEM O SISTEMA. CERTIFICADO DE GARANTIA A garante este equipamento por 12 (doze) meses a contar da emissão da Nota Fiscal. Esta garantia assegura ao adquirente a correção dos eventuais defeitos de fabricação, desde que

Leia mais

MANUAL DO PRODUTO MANUAL DO PRODUTO DETECTOR DE FUMAÇA ÓTICO LINEAR MODELO GST I-9105R

MANUAL DO PRODUTO MANUAL DO PRODUTO DETECTOR DE FUMAÇA ÓTICO LINEAR MODELO GST I-9105R DETECTOR DE FUMAÇA ÓTICO LINEAR - GST I-9105R DETECTOR DE FUMAÇA ÓTICO LINEAR MODELO GST I-9105R. PARA MÉDIOS E GRANDES SISTEMAS. IDEAL PARA GALPÕES. ALCANCE DE 20 A 100 METROS. ÁREA DE COBERTURA MÁXIMA

Leia mais

Relé de Proteção Térmica EP3 - SLIM ANSI 23/ 26/49 CATALOGO. ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/6

Relé de Proteção Térmica EP3 - SLIM ANSI 23/ 26/49 CATALOGO. ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/6 CATALOGO Relé de Proteção Térmica EP3 - SLIM ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/6 Relé de Proteção Térmica EP3 ÍNDICE INTRODUÇÃO... 3 PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS... 3 DADOS TÉCNICOS... 4 ENSAIOS

Leia mais

INFORMATIVO DE PRODUTO

INFORMATIVO DE PRODUTO SUBCATEGORIA: ALARME PNE CABEDO OU SEM FIO Alarme PNE: Acionador Manual / Botoeira + Sirene Audiovisual - Para Banheiros e Quartos de Portadores de Necessidades Especiais PNE Sem Fio ou Cabeado - Código:

Leia mais

MEMORIAL DE ILUMINAÇÃO DE EMERGÊNCIA

MEMORIAL DE ILUMINAÇÃO DE EMERGÊNCIA MEMORIAL DE ILUMINAÇÃO DE EMERGÊNCIA O presente memorial visa descrever e caracterizar o sistema de iluminação de emergência a ser adotado para a presente edificação baseada na NBR-10.898. 2. Descrição

Leia mais

CURSO DE INSTRUMENTAÇÃO. Sensores de Proximidade Digitais. Cedtec 2007/2

CURSO DE INSTRUMENTAÇÃO. Sensores de Proximidade Digitais. Cedtec 2007/2 CURSO DE INSTRUMENTAÇÃO Sensores de Proximidade Digitais Cedtec 2007/2 Sem equivalente na Apostila 1 Pressão e Nível SENSORES EM GERAL De maneira geral, sensor é a parte do sistema de medidas que responde

Leia mais

INFORMATIVO DE PRODUTO

INFORMATIVO DE PRODUTO CATEGORIA: BOTOEIRAS / ACIONADORES MANUAIS SUBCATEGORIA: ACIONADORES MANUAIS DE ALARME DE INCÊNDIO Acionador Manual de Alarme de Incêndio À Prova de Tempo IP54 Quebra Vidro Código: AFAM1PT. O acionador

Leia mais

COMPANHIA ENERGÉTICA DE MINAS GERAIS APROV: VERIF: FEITO: SUBESTAÇÕES EX/SE SUBSTITUI: N / A ALTERAÇÕES DATA DISTRIBUIÇÃO AUTOMÁTICA DE CÓPIAS

COMPANHIA ENERGÉTICA DE MINAS GERAIS APROV: VERIF: FEITO: SUBESTAÇÕES EX/SE SUBSTITUI: N / A ALTERAÇÕES DATA DISTRIBUIÇÃO AUTOMÁTICA DE CÓPIAS FEITO: MJC-53455 VERIF: SUBSTITUI: N / A MMC-55506 APROV: EMR-45519 DISTRIBUIÇÃO AUTOMÁTICA DE CÓPIAS A COMPANHIA ENERGÉTICA DE MINAS GERAIS SUBESTAÇÕES EX/SE 22.000 - PE/LS ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA -515a

Leia mais

CAPÍTULO 05 SISTEMA PREVENTIVO ILUMINAÇÃO DE EMERGÊNCIA ALARME DE INCÊNDIOS

CAPÍTULO 05 SISTEMA PREVENTIVO ILUMINAÇÃO DE EMERGÊNCIA ALARME DE INCÊNDIOS CAPÍTULO 05 SISTEMA PREVENTIVO ILUMINAÇÃO DE EMERGÊNCIA ALARME DE INCÊNDIOS 05.01 Iluminação de emergência: Segundo a NBR-10898/2013 A intensidade da iluminação deve ser adequada para evitar acidentes

Leia mais

INFORMATIVO DE PRODUTO

INFORMATIVO DE PRODUTO Acionador Manual de Alarme de Incêndio Convencional Resetável Alavanca Simples Código: AFAM2. O acionador manual de alarme de incêndio AFAM2 é um equipamento que deve ser instalado na parede das edificações

Leia mais

VANTAGENS CARACTERISTICAS GERAIS CHAVE DE NÍVEL CAPACITIVA RÁDIO FREQUÊNCIA

VANTAGENS CARACTERISTICAS GERAIS CHAVE DE NÍVEL CAPACITIVA RÁDIO FREQUÊNCIA O dispositivo tem capacidade para medir e controlar o nível mínimo, máximo ou estimar valores intermediários em controle de processos em diversos produtos na fase sólida, pó ou líquida. A haste utilizada

Leia mais

SENSOR STK 461 SENSOR STK SAMTEK

SENSOR STK 461 SENSOR STK SAMTEK SENSOR STK 461 www.samtek.com.br Agradecemos a sua preferência por nossos produtos. Nossos produtos possuem vários certificados nacionais e internacionais sendo projetados de modo a oferecer a máxima segurança

Leia mais

INFORMATIVO DE PRODUTO

INFORMATIVO DE PRODUTO Botoeira / Acionador Manual À Prova de Tempo IP54 - Quebra Vidro Com Módulo Endereçável. Código AFAM3PT-E O acionador manual de alarme de incêndio AFAM3PT-E é um equipamento que deve ser instalado na parede

Leia mais

VERIN. Guia Rápido de Instalação

VERIN. Guia Rápido de Instalação Guia Rápido de Instalação Central de Alarme VRE-125P Recomendações de instalação: O instalador deve executar a instalação em acordo com à norma brasileira NBR9441/94 ABNT para Execução de Sistemas de Detecção

Leia mais

Relé de Proteção Térmica EP4 - SLIM ANSI 23/ 26/49. Catalogo. ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/6

Relé de Proteção Térmica EP4 - SLIM ANSI 23/ 26/49. Catalogo. ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/6 Catalogo ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/6 Relé de Proteção Térmica EP4 ÍNDICE INTRODUÇÃO... 3 PRINCIPAIS CARACTERISTICAS... 3 DADOS TÉCNICOS... 4 ENSAIOS DE TIPO ATENDIDOS... 4 DIMENSÕES...

Leia mais

e10 MINI DETECTOR MOVIMENTO 360º IP55 ENCASTRAR

e10 MINI DETECTOR MOVIMENTO 360º IP55 ENCASTRAR e10 MINI DETECTOR MOVIMENTO 360º IP55 ENCASTRAR 006.016.015 Mini detector de movimento para encastrar em tecto falso de 360º, com funções de temporizador e crepuscular. Índice de Protecção IP55, detecção

Leia mais

SENSOR DE BARREIRA (ATIVO)

SENSOR DE BARREIRA (ATIVO) SENSOR DE BARREIRA (ATIVO) Manual de Referência e Instalação Leia atentamente o manual antes do manuseio do equipamento ÍNDICE 1. O Produto...3 2. Especificações Técnicas...3 3. LEDs Indicadores...4 4.

Leia mais

SENSOR STK 903 SENSOR DE FUMAÇA FOTOELÉTRICO STK SAMTEK

SENSOR STK 903 SENSOR DE FUMAÇA FOTOELÉTRICO STK SAMTEK SENSOR DE FUMAÇA FOTOELÉTRICO STK 903 www.samtek.com.br Agradecemos a sua preferência por nossos produtos. Nossos produtos possuem vários certificados nacionais e internacionais sendo projetados de modo

Leia mais

D10024A Central de Incêndio Analógica Endereçável

D10024A Central de Incêndio Analógica Endereçável Centrais Analógicas Endereçáveis D10024A Central de Incêndio Analógica Endereçável Código do Modelo Código do Pedido Descrição D10024A 4 998 800 570 Central de incêndio analógica endereçável A central

Leia mais

SecuriLine extended. O laço inteligente para detecção e dispositivos de alarme.

SecuriLine extended. O laço inteligente para detecção e dispositivos de alarme. SecuriLine extended O laço inteligente para detecção e dispositivos de alarme. SecuriLine extended conceito a 2-fios distância máxima até 3500m tempo de recuperação do laço < 100 sec. até 250 dispositivos

Leia mais

Sistemas de Detecção e Alarmes de Incêndio.

Sistemas de Detecção e Alarmes de Incêndio. Sistemas de Detecção e Alarmes de Incêndio Sistema convencional Centrais de alarme VR-40LT CM TECLAD VR-8L [IDEAL / EQUENAS INSTALAÇÕES] Capacidade de laços Dispositivos por laço Memória (últimos eventos)

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO SISTEMA DE DETECÇÃO E ALARME PARA SALVAR VIDAS ROBERTA GODOY

A IMPORTÂNCIA DO SISTEMA DE DETECÇÃO E ALARME PARA SALVAR VIDAS ROBERTA GODOY A IMPORTÂNCIA DO SISTEMA DE DETECÇÃO E ALARME PARA SALVAR VIDAS ROBERTA GODOY SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO BRASIL Com a moderna forma de viver, existe maior exposição ao risco de incêndio. Vídeo desenvolvido,

Leia mais

Receptor Multifuncional

Receptor Multifuncional MAGARMG2C30MV1 MANUAL GENNO RMG MAX 2 CANAIS 30M V1 Receptor Multifuncional Manual válido para as versões: RMG MAX 2C30M RMG MAX 2C93M RMG MAX 2C2077M 2 Canais independentes Função pulso Função retenção

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO. Sensor de Presença Digital

MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO. Sensor de Presença Digital MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO SD300 Sensor de Presença Digital www.compatec.com.br 1. Apresentação... 3 2. Características Gerais... 3 3. Instalação... 3 4. Conhecendo o seu Produto... 4 5. Funcionamento

Leia mais

Guia de Projetos V1.00 R0.00 Setembro 2012

Guia de Projetos V1.00 R0.00 Setembro 2012 Guia de Projetos V1.00 R0.00 Setembro 2012 ibus - Guia de Projetos Este documento traz orientações gerais sobre o dimensionamento do sistema ibus. Importante: as orientações contidas neste documento não

Leia mais

Manual de Referência e Instalação

Manual de Referência e Instalação ST 162 ST 162 Manual de Referência e Instalação Descrições 2 1 3 Número Descrição 1 2 3 4 5 6 7 8 9 0 * 5 4 1 Indicador de modo 2 Indicador de porta 3 Antena 4 Matriz do Teclado 5 Parafuso Especificações

Leia mais

Utiliza fonte de alimentação full-range de 90 a 240VAC, bateria de no-break interna com autonomia de até 10 horas para o microterminal NetLine.

Utiliza fonte de alimentação full-range de 90 a 240VAC, bateria de no-break interna com autonomia de até 10 horas para o microterminal NetLine. 1 As cancelas da linha Fast, formam uma linha completa de cancelas automáticas projetadas especialmente para cada situação, possibilitando alto desempenho de acesso em todos os setores: estacionamentos,

Leia mais

INVERSOR DE EMERGÊNCIA

INVERSOR DE EMERGÊNCIA INVERSOR DE EMERGÊNCIA O Inversor de Emergência trata-se de um dispositivo que deve ser acoplado juntamente com um reator, transformando as luminárias fluorescentes em sistemas de iluminação normal e emergência.

Leia mais

MANUAL DO PRODUTO DETECTOR DE FUMAÇA ÓTICO LINEAR MODELO GST C-9105R

MANUAL DO PRODUTO DETECTOR DE FUMAÇA ÓTICO LINEAR MODELO GST C-9105R DETECTOR DE FUMAÇA ÓTICO LINEAR MODELO GST C-9105R PARA MÉDIOS E GRANDES SISTEMAS IDEAL PARA GALPÕES ALCANCE DE 20 A 100 METROS ÁREA DE COBERTURA MÁXIMA 14x100M² ECONOMIA NA INSTALAÇÃO EM GRANDES ÁREAS

Leia mais

CM1 CENTRAL DE ALARME 1 SETOR MICROPROCESSADA

CM1 CENTRAL DE ALARME 1 SETOR MICROPROCESSADA 31 CM1 CENTRAL DE ALARME 1 SETOR MICROPROCESSADA Aplicação - Usada como central de alarme residencial, comercial ou industrial. 32 2. APRESENTAÇÃO DA PLACA 3. CARACTERÍSTICAS 3.1 Central de alarme microprocessada

Leia mais

INTERFERÊNCIA DO SISTEMA DE AR CONDICIONADO NO SISTEMA DE DETECÇÃO DE FUMAÇA DATA CENTER

INTERFERÊNCIA DO SISTEMA DE AR CONDICIONADO NO SISTEMA DE DETECÇÃO DE FUMAÇA DATA CENTER INTERFERÊNCIA DO SISTEMA DE AR CONDICIONADO NO SISTEMA DE DETECÇÃO DE FUMAÇA DATA CENTER TIPOS DE DETECTORES DE FUMAÇA ü Detector de fumaça fotoelétrico 1. Câmera ótica 2. Protetor 3. Caixa 4. Fotodiodo

Leia mais

SISTEMAS DE SEGURANÇA PERIMETRAL ELÉTRICOS

SISTEMAS DE SEGURANÇA PERIMETRAL ELÉTRICOS SISTEMAS DE SEGURANÇA PERIMETRAL ELÉTRICOS LANÇAMENTO 2016 EVENTOS PARA O LANÇAMENTO Estande C101 Estande 324 EVOLUINDO. EMX 5JX WTX EMX 4J2S EMX NOVIDADES 2016 Os novos modelos EMX 5JX e 4J2S foram desenvolvidos

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE JUSTIÇA E SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR NORMA TÉCNICA N 37. Subestação elétrica

ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE JUSTIÇA E SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR NORMA TÉCNICA N 37. Subestação elétrica ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE JUSTIÇA E SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR NORMA TÉCNICA N 37 Subestação elétrica SUMÁRIO ANEXO 1 Objetivo 2 Aplicação 3 Referências normativas

Leia mais

INVERSOR DE EMERGÊNCIA SLIM

INVERSOR DE EMERGÊNCIA SLIM INVERSOR DE EMERGÊNCIA SLIM O Inversor de Emergência SLIM trata-se de um dispositivo que deve ser acoplado juntamente com um reator, transformando as luminárias fluorescentes em sistemas de iluminação

Leia mais

NBR Instalações elétricas em locais de afluência de público - Requisitos específicos

NBR Instalações elétricas em locais de afluência de público - Requisitos específicos NBR 13570 Instalações elétricas em locais de afluência de público - Requisitos específicos NBR 13570 As prescrições desta Norma complementam, modificam ou substituem as prescrições de caráter geral contidas

Leia mais

Carla Moraes Técnica em Edificações CTU - Colégio Técnico Universitário

Carla Moraes Técnica em Edificações CTU - Colégio Técnico Universitário Carla Moraes Técnica em Edificações CTU - Colégio Técnico Universitário PREVENÇÃO SAÍDAS DE EMERGÊNCIA Visam o abandono seguro da população, em caso de incêndio ou pânico, e permitir o acesso de bombeiros

Leia mais

Detecção de incêndio e iluminação de emergência

Detecção de incêndio e iluminação de emergência Detecção de incêndio e iluminação de emergência Portfólio ª edição 206 Engesul, uma marca do Grupo Intelbras Os produtos da Engesul complementam o portfólio de segurança da Intelbras, oferecendo soluções

Leia mais

Painel de Extinção BC8013

Painel de Extinção BC8013 Painel de Extinção BC8013 Características O Painel de Extinção BC8013 é usado para controlar seções em extinção. Existem dois tipos de módulos de funcionamento que podem ser operados: modo automático e

Leia mais

Sistema de detecção e alarme de incêndio endereçável e convencional Intelbras. Sistema de detecção. e alarme de incêndio

Sistema de detecção e alarme de incêndio endereçável e convencional Intelbras. Sistema de detecção. e alarme de incêndio Intelbras Desde 203, os produtos de iluminação de emergência, detecção e alarme de incêndio complementam o portfólio de segurança da Intelbras. Soluções confiáveis e de qualidade nas linhas de incêndio

Leia mais

PROPOSTA DE ALTERAÇÃO DA NR Carpintaria Versão_CPN. TEXTO ATUAL TEXTO PROPOSTO JUSTIFICATIVA (discussões)

PROPOSTA DE ALTERAÇÃO DA NR Carpintaria Versão_CPN. TEXTO ATUAL TEXTO PROPOSTO JUSTIFICATIVA (discussões) PROPOSTA DE ALTERAÇÃO DA NR 18 18.7. Carpintaria Versão_CPN TEXTO ATUAL TEXTO PROPOSTO JUSTIFICATIVA (discussões) 18.7.1. As operações em máquinas e equipamentos necessários à realização da atividade de

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO

MANUAL DE INSTALAÇÃO SENSOR INFRAVERMELHO PASSIVO SEM FIO MANUAL DE INSTALAÇÃO ATENÇÃO! LEIA TODAS AS INSTRUÇÕES DO MANUAL ANTES DE INSTALAR E OPERAR ESTE EQUIPAMENTO Parabéns, você adquiriu um produto com o selo Qualidade

Leia mais

Controle de Acesso GS TOUCH CT. Leitor Biométrico. gigasecurity.com.br. Santa Rita do Sapucaí - MG Tel:

Controle de Acesso GS TOUCH CT. Leitor Biométrico. gigasecurity.com.br. Santa Rita do Sapucaí - MG Tel: gigasecurity.com.br Controle de Acesso Leitor Biométrico Ambientes corporativos Áreas restritas GS TOUCH CT Rua José Pinto Vilela, 156 -Centro CEP: 37540-000 Santa Rita do Sapucaí - MG Tel: 55 35 3473

Leia mais

CENTRAL DE ALARME AS-322 SINAL

CENTRAL DE ALARME AS-322 SINAL PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS CENTRAL DE ALARME AS SINAL Central de alarme de zonas, sendo que a zona é mista e a zona somente sem fio; Tempo de entrada e saída programável para a zona; Tempo de sirene de

Leia mais

USO DO APARELHO DE TESTE DE EQUIPAMENTO AUXILIAR DE IP

USO DO APARELHO DE TESTE DE EQUIPAMENTO AUXILIAR DE IP 1/5 1. Objetivo Estabelecer procedimentos para testes de reator, ignitor e polaridade com o aparelho de teste de equipamento auxiliar de IP, para execução de trabalhos de construção e manutenção em iluminação

Leia mais

RECEPTORA MULTIFUNCIONAL 1. APRESENTAÇÃO DA RECEPTORA

RECEPTORA MULTIFUNCIONAL 1. APRESENTAÇÃO DA RECEPTORA RECEPTORA MULTIFUNCIONAL. APRESENTAÇÃO DA RECEPTORA Fig. 0 . APRESENTAÇÃO DA PLACA PROG Chave para programação de controles remotos, sensores sem fio e condições de funcionamento. Led Saída de nível para

Leia mais

Aula 10: Introdução à proteção de sistemas elétricos

Aula 10: Introdução à proteção de sistemas elétricos SISTEMAS DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA E INTRODUÇÃO À SMART GRID Aula 10: Introdução à proteção de sistemas elétricos Professor: Delberis Araujo Lima 1 Objetivo Apresentar a filosofia e os equipamentos

Leia mais

CONTROLADOR DE FATOR DE POTÊNCIA COISARADA CFPC-12

CONTROLADOR DE FATOR DE POTÊNCIA COISARADA CFPC-12 CONTROLADOR DE FATOR DE POTÊNCIA COISARADA CFPC-12 1. Funções e Características - Interface totalmente em português. - Possui um eficaz sistema de medição de fator de potência da onda fundamental, o que

Leia mais

ABB Automação. Indicador Digital Processos Pt100 e TAP s MODO DE USO. Dados Técnicos Conexões elétricas Utilização do teclado Dimensional

ABB Automação. Indicador Digital Processos Pt100 e TAP s MODO DE USO. Dados Técnicos Conexões elétricas Utilização do teclado Dimensional Indicador Digital Processos Pt100 e TAP s MODO DE USO Dados Técnicos Conexões elétricas Utilização do teclado Dimensional ABB Automação Hartmann & Braun Dados Técnicos (NRB5180) Entrada Características

Leia mais

TRANSMISSOR DE NÍVEL ULTRASSÔNICO

TRANSMISSOR DE NÍVEL ULTRASSÔNICO CHAVES E TRANSMISSORES DE NÍVEL TRANSMISSOR DE NÍVEL ULTRASSÔNICO MICROFLEX C Características Acionado por circuito a dois fios 1230VCC Invólucro IP 67 Tamanho compacto Peças úmidas em PVDF Rejeição a

Leia mais

i. Funções aritméticas: adição e subtração.

i. Funções aritméticas: adição e subtração. A. Controlador de demanda e fator de potência 1. Disposições gerais a. Todos os parâmetros de configuração necessários pelo Sistema de Monitoramento de Energia (SME) devem ser gravados em memória não-volátil

Leia mais

STOPSAT 01M. Índice. Revisão 01/10/2003

STOPSAT 01M. Índice. Revisão 01/10/2003 Revisão 01/10/2003 TECMORE AUTOMAÇÃO COMÉRCIO LTDA Rua Marechal Deodoro, 2709-Centro São Carlos-SP CEP 13.560-201 Tel (16) 274-3885 / Fax (16) 274-7300 www.tecmore.com.br STOPSAT 01M Índice 1 Descrição

Leia mais

DMX LINK MANUAL DE OPERAÇÃO

DMX LINK MANUAL DE OPERAÇÃO DMX LINK MANUAL DE OPERAÇÃO INSTRUÇÕES DE SEGURANÇA Este equipamento foi desenvolvido para uso interno. Mantenha-o protegido contra umidade, respingos ou excesso de poeira e calor. Para prevenir fogo ou

Leia mais

Tecnologias de Construção Produtos de segurança contra incêndio. Separador de Linha FDCIO181 Manual do Produto. Visão Geral

Tecnologias de Construção Produtos de segurança contra incêndio. Separador de Linha FDCIO181 Manual do Produto. Visão Geral Separador de Linha FDCIO181 Manual do Produto Visão Geral Característica O Separador de Linha FDCL181 é usado para detectar e isolar a parte de curto-circuito do FD18-BUS. Os isoladores são conectados

Leia mais

INFORMATIVO DE PRODUTO

INFORMATIVO DE PRODUTO Bloco Autônomo de Iluminação de Emergência À Prova de Tempo (IP 65) - Com 01 Lâmpada Fluorescente de 8 W. Código AFMAC8IP O Bloco Autônomo com uma lâmpada fluorescente de 8 Watts é um equipamento de iluminação

Leia mais

Sistema de Proteção Ambiental Contra Derramamento de Óleo de Equipamentos em SE s. Rio de Janeiro, Junho de 2014

Sistema de Proteção Ambiental Contra Derramamento de Óleo de Equipamentos em SE s. Rio de Janeiro, Junho de 2014 Sistema de Proteção Ambiental Contra Derramamento de Óleo de Equipamentos em SE s Rio de Janeiro, Junho de 2014 NBR-13231 A revisão atual inclui mudanças de formatação segundo os novos padrões da ABNT

Leia mais

TECNOLOGIA INOVADORA PROTEÇÃO POR INFRAVERMELHO TIPO TETO USO INTERNO

TECNOLOGIA INOVADORA PROTEÇÃO POR INFRAVERMELHO TIPO TETO USO INTERNO SENSOR STK 465 TECNOLOGIA INOVADORA PROTEÇÃO POR INFRAVERMELHO TIPO TETO USO INTERNO Nossos produtos possuem o certificado norte americano FCC, e são projetados de modo a não emitir ondas que possam prejudicar

Leia mais

Indicador Digital Processos MODO DE USO. Dados Técnicos Conexões elétricas Utilização do teclado Dimensional. ABB Automação.

Indicador Digital Processos MODO DE USO. Dados Técnicos Conexões elétricas Utilização do teclado Dimensional. ABB Automação. Indicador Digital Processos MODO DE USO Dados Técnicos Conexões elétricas Utilização do teclado Dimensional ABB Automação Hartmann & Braun Dados Técnicos (NRB5180) Entrada - Temperatura: 0 350ºC Sensor

Leia mais

Eletropneumática. 23/03/2015 Prof. Fagner Ferraz 3

Eletropneumática. 23/03/2015 Prof. Fagner Ferraz 3 ELETROPNEUMÁTICA ELETROPNEUMÁTICA 23/03/2015 Prof. Fagner Ferraz 3 CIRCUITO PNEUMÁTICO X ELETROPNEUMÁTICO 23/03/2015 Prof. Fagner Ferraz 4 CIRCUITO PNEUMÁTICO X ELETROPNEUMÁTICO 23/03/2015 Prof. Fagner

Leia mais

Medidor Trifásico SDM630D

Medidor Trifásico SDM630D Medidor Trifásico SDM630D MANUAL DO USUÁRIO Conteúdo 1 INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA... 3 1.1 PESSOAL QUALIFICADO... 3 1.2 FINALIDADE... 4 1.3 MANUSEIO... 4 2 INTRODUÇÃO... 5 2.1 ESPEFICICAÇÕES... 5 3 DIMENSÕES...

Leia mais

NR 12 - SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS

NR 12 - SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS NR 12 - SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS Instalações e Dispositivos Elétricos Dispositivos de Partida, Acionamento e Parada Dispositivos de Parada de Emergência Clarice I. Lorenzi Eng.

Leia mais

SecuriLine extended. O laço inteligente para detecção e dispositivos de alarme.

SecuriLine extended. O laço inteligente para detecção e dispositivos de alarme. SecuriLine extended O laço inteligente para detecção e dispositivos de alarme. SecuriLine extended conceito a 2-fios distância máxima até 3500m tempo de recuperação do laço < 100 sec. até 250 dispositivos

Leia mais

:: Componentes principais ::

:: Componentes principais :: DETECÇÃO /SENSORES :: Componentes principais :: LENTE DE FRESNEL; MICROPROCESSADOR; PIR DUPLO OU QUÁDRUPLO ELEMENTOS; AMPLIFICADORES OPERACIONAIS; MÓDULO DE MICRO-ONDAS; TERMÍSTOR Sensores :: Sensores

Leia mais

DISTRIBUIDOR - REPRESENTANTE

DISTRIBUIDOR - REPRESENTANTE PRODUTO: PCT-Ie--51-C-P-O-K2 FOLHA TÉCNICA 1/12 1. CERTIFICAÇÕES DA SELCON 2. APLICAÇÃO O programador de chama PCT-Ie- -51-C -P -O -K2 é um equipamento recomendado para a partida, supervisão de chama e

Leia mais

Manual de Instalação do painel M10 Uno Soluções em Segurança INTRODUÇÃO Obrigado por depositar sua confiança nos painel de alarme M10. Você escolheu um painel de alarme sofisticado e acessível ao usuário

Leia mais

PRAÇA DOS ESPORTES E DA CULTURA MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

PRAÇA DOS ESPORTES E DA CULTURA MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PRAÇA DOS ESPORTES E DA CULTURA MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PROJETO: INCÊNDIO Modelo: 3.000 m2 MAIO 2011 SUMÁRIO 1. Apresentação... 03 2. Extintores... 04 3. Iluminação de Emergência...

Leia mais

ÍNDICE. 3.0 Instalação do receptor de sinal Ligação no receptor Ligação no painel Alimentação do painel I-Pool...

ÍNDICE. 3.0 Instalação do receptor de sinal Ligação no receptor Ligação no painel Alimentação do painel I-Pool... ÍNDICE 1.0 Introdução...2 1.1 Itens do Produto...2 2.0 Características do Produto...4 2.1 Contatora 1...4 2.2 Contatora 2...4 2.3 Contatora 3...5 2.4 Relê liga/desliga...5 3.0 Instalação do receptor de

Leia mais

INSTALAÇÕES DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO

INSTALAÇÕES DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO FNDE ProInfância INSTALAÇÕES DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO PROJETO EXECUTIVO MEMORIAL TÉCNICO 13 de março de 2008 FNDE ProInfância INSTALAÇÕES DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO MEMORIAL TÉCNICO

Leia mais

SENSOR IVP SEM FIO CORTINA STK 417 SENSOR IVP SEM FIO CORTINA STK

SENSOR IVP SEM FIO CORTINA STK 417 SENSOR IVP SEM FIO CORTINA STK SENSOR IVP SEM FIO CORTINA STK 417 www.samtek.com.br Agradecemos a sua preferência por nossos produtos. Nossos produtos possuem vários certificados nacionais e internacionais sendo projetados de modo a

Leia mais

Fonte Full Range Vac/Vdc 24 Vdc/ 3A

Fonte Full Range Vac/Vdc 24 Vdc/ 3A Descrição do Produto A fonte de alimentação é uma solução para aplicações de uso geral no que se refere a alimentação de controladores programáveis, sensores e comando de quadro elétricos. Tem duas saídas

Leia mais

CENTRAL DE ALARME ASD-650 Sinal

CENTRAL DE ALARME ASD-650 Sinal CENTRAL DE ALARME ASD-650 Sinal - PAINEL FRONTAL Led REDE: Indica que o aparelho está sendo alimentado pela rede AC. Led BAT: Indica que o aparelho está sendo alimentado pela bateria. Led ARMADO: Aceso

Leia mais

VICRODEL Sistemas Electrónicos, Lda.

VICRODEL Sistemas Electrónicos, Lda. Apresentação Soluções 2016 desde 1997 SADIR - V.1.0. Jan. 2016 Portefólio de produtos A Vicrodel Sistemas Electrónicos, oferece uma grande diversidade de produtos e soluções provenientes de grandes fabricantes

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA N ODMN-VIT-ET SOFT-START PARA CONTROLE DE PARTIDA E PARADA DE MOTORES DE INDUÇÃO DE BAIXA TENSÃO ABRIL DE 2015

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA N ODMN-VIT-ET SOFT-START PARA CONTROLE DE PARTIDA E PARADA DE MOTORES DE INDUÇÃO DE BAIXA TENSÃO ABRIL DE 2015 SOFT-START PARA CONTROLE DE PARTIDA E PARADA DE MOTORES DE INDUÇÃO DE BAIXA TENSÃO ABRIL DE 2015 1/6 1 Descrição Soft-starter de baixa tensão trifásico para controle de partida e parada suaves de motor

Leia mais

1

1 1 12.07.11 Seguradoras, Corretores e resseguradores. 12.08.11 Reunião técnica 1: Levantamento dos problemas e sugestões. 16.09.11 Reunião técnica 2. Desenvolvimento das sugestões. 17.10.11 Reunião técnica

Leia mais

Página 04. Página 09. Página 13. Página 16. Página 19. Sistema de detecção e alarme de incêndio endereçável e convencional Intelbras

Página 04. Página 09. Página 13. Página 16. Página 19. Sistema de detecção e alarme de incêndio endereçável e convencional Intelbras Intelbras Desde 203, os produtos de iluminação de emergência, detecção e alarme de incêndio complementam o portfólio de segurança da Intelbras. Soluções confiáveis e de qualidade nas linhas de incêndio

Leia mais

COORDENADORIA DE INFRAESTRUTURA CIVIL AQUISIÇÃO DE ESCADAS ROLANTE PARA A ESTAÇÃO DE PASSAGEIROS DO TERMINAL DE PASSAGEIROS DO PORTO DE FORTALEZA

COORDENADORIA DE INFRAESTRUTURA CIVIL AQUISIÇÃO DE ESCADAS ROLANTE PARA A ESTAÇÃO DE PASSAGEIROS DO TERMINAL DE PASSAGEIROS DO PORTO DE FORTALEZA COORDENADORIA DE INFRAESTRUTURA CIVIL AQUISIÇÃO DE ESCADAS ROLANTE PARA A ESTAÇÃO DE PASSAGEIROS DO TERMINAL DE PASSAGEIROS DO PORTO DE FORTALEZA ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS COMPANHIA DOCAS DO CEARÁ Secretaria

Leia mais

FONTES DE ALIMENTAÇÃO CHAVEADAS TOP LINE BACKUP SYSTEM

FONTES DE ALIMENTAÇÃO CHAVEADAS TOP LINE BACKUP SYSTEM Fontes de alimentação chaveadas monofásicas de categoria elevada que se destacam por sua confiabilidade e máximo desempenho nos processos de automação industrial. Possuem certificações internacionais atendendo

Leia mais

Chuveiro e lava-olhos de emergência: Equipamentos imprescindíveis para o manuseio de produtos químicos

Chuveiro e lava-olhos de emergência: Equipamentos imprescindíveis para o manuseio de produtos químicos Chuveiro e lava-olhos de emergência: Equipamentos imprescindíveis para o manuseio de produtos químicos Esses equipamentos são destinados a eliminar ou minimizar os danos causados por acidentes nos olhos

Leia mais

APOSTILA DE CURSO (MONITORADA)

APOSTILA DE CURSO (MONITORADA) APOSTILA DE CURSO (MONITORADA) ÍNDICE SENSORES INFRAVERMELHO Pag. COM FIO DS-410... 03 DS-420... 05 DS-510 BUS.07 DS-520 BUS.09 DSE-830... 11 DUALTEC-550... 13 IDX-1001... 15 IDX-2001... 16 IRA-20... 17

Leia mais

Ref.: Processo n.º / Objeto: Aquisição de câmeras para compor o sistema de monitoramento e atender as necessidades deste conselho.

Ref.: Processo n.º / Objeto: Aquisição de câmeras para compor o sistema de monitoramento e atender as necessidades deste conselho. SELIC/COLOG, em 11 / 02 / 2014. Ref.: Processo n.º 01300.001494/2013-9 Objeto: Aquisição de câmeras para compor o sistema de monitoramento e atender as necessidades deste conselho. Informamos que o pedido

Leia mais

TECNOLOGIA INOVADORA PROTEÇÃO POR INFRAVERMELHO USO INTERNO

TECNOLOGIA INOVADORA PROTEÇÃO POR INFRAVERMELHO USO INTERNO SENSOR STK 476 SENSOR STK 476 TECNOLOGIA INOVADORA PROTEÇÃO POR INFRAVERMELHO USO INTERNO SENSOR STK 476 Nossos produtos possuem o certificado norte americano FCC, e são projetados de modo a não emitir

Leia mais

Controle de Acesso GS PROX CT. Cartão de Proximidade. gigasecurity.com.br. Rua José Pinto Vilela, 156 -Centro CEP:

Controle de Acesso GS PROX CT. Cartão de Proximidade. gigasecurity.com.br. Rua José Pinto Vilela, 156 -Centro CEP: gigasecurity.com.br Controle de Acesso CT Cartão de Proximidade Ambientes corporativos Condomínios residenciais Áreas restritas GS PROX CT Rua José Pinto Vilela, 156 -Centro CEP: 37540-000 Santa Rita do

Leia mais

Segurança Contra Incêndio

Segurança Contra Incêndio Segurança Contra Incêndio Negrisolo, Walter. (Negrí). Oficial da Reserva do Corpo de Bombeiros SP. Doutor FAUSP. Segurança Contra Incêndio Área da Ciência com desenvolvimento recente Principais eventos

Leia mais

D200 SENSOR MULTIFEIXES PARA DECTOWER DE 3 A 8 FEIXES DECIBEL 7. ESPECIFICAÇÕES: MANUAL DE INSTALAÇÃO E FUNCIONAMENTO. www.decibel.com.

D200 SENSOR MULTIFEIXES PARA DECTOWER DE 3 A 8 FEIXES DECIBEL 7. ESPECIFICAÇÕES: MANUAL DE INSTALAÇÃO E FUNCIONAMENTO. www.decibel.com. 7. ESPECIFICAÇÕES: Modo de detecção Distância interna máxima Distância externa máxima Alimentação Consumo de corrente máxima Tempo de interrupção Período de alarme Saída de alarme Ângulo de Alinhamento

Leia mais

DIFERENCIAIS DE VENDA

DIFERENCIAIS DE VENDA :: DIFERENCIAIS DE VENDA - Teclado incluso - Central com 08 zonas (08 com fio e 16 sem fio) - 1 saída PGM (programável) -Aceita mais teclados e receptores (XAR 2000) -Aceita até 128 dispositivos sem fio

Leia mais

Manual Painel Senha Aleatória. Versão do Firmware: F02 Opera com teclado numérico. Periféricos: Teclado Numérico. Revisão do manual: R01 17/09/2007

Manual Painel Senha Aleatória. Versão do Firmware: F02 Opera com teclado numérico. Periféricos: Teclado Numérico. Revisão do manual: R01 17/09/2007 Versão do Firmware: F02 Opera com teclado numérico Periféricos: Teclado Numérico Revisão do manual: R01 17/09/2007 1 1 PAINEL DE SENHA...3 1.1 DESCRIÇÃO...3 1.2 INSTALAÇÃO...4 1.3 OPERAÇÃO COM TECLADO

Leia mais

NORMA TÉCNICA 04/2014

NORMA TÉCNICA 04/2014 É ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR NORMA TÉCNICA 04/2014 Símbolos Gráficos SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Aplicação 3 Definições 4 Referências normativas e bibliográficas

Leia mais

Título: MANUAL TÉCNICO DO CARTÃO PWAC III. Página: Página 1 de 6

Título: MANUAL TÉCNICO DO CARTÃO PWAC III. Página: Página 1 de 6 Página 1 de 6 1) Introdução: O cartão PWAC III é uma interface entre catracas, torniquetes ou baias ópticas e quaisquer sistemas de validadores, ou similares, convenientemente configurados para transmitir

Leia mais