A L E R T version 3.6

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A L E R T version 3.6"

Transcrição

1 A L E R T version 3.6 PARA INFORMAR & ALERTAR A PESSOA CORRECTA, NO MOMENTO EXACTO, NO PRECISO LOCAL, COM A INFORMAÇÃO NECESSÁRIA SUPERVISÃO DE ALARMES GESTÃO AVANÇADA DE CHAMADAS TRANSMISSÃO DE INFORMAÇÃO RASTREABILIDADE DE INTERVENÇÕES

2 UMA SOLUÇÃO ABERTA ÀS SUAS APLICAÇÕES Interface OPC (cliente ou servidor) O Alert permite gerir alarmes ou pedidos de intervenção vindos de diferentes fontes: Software de Supervisão (SCADA), via DDE, OPC ou pelo módulo dedicado Mediator, PLCs, através de um driver de comunicação, Entradas/Saídas Analógicas e Digitais, Transferência de dados via Série ou IP, Ficheiros, Bases de Dados, Telefone, , SMS, pedidos de intervenção via Web. Entradas/saídas analógicas e digitais Drivers dedicados permitem a recepção e o tratamento de informação de sistemas proprietários: Cartas de entradas/saídas analógicas ou numéricas (cartas tipo Advantech), Sistemas proprietários, Sistema de paging, sistema de alerta médico. A interface de cliente OPC (Data Access V2 + Alarms & Events), integrada no Alert, permite a aquisição automática de dados, eventos e alarmes gerados por todas as aplicações de servidor OPC. Estando estas a serem executadas na mesma estação ou numa estação remota. Esta interface, permite que as variáveis do servidor sejam visualizadas através de um explorador OPC, e sejam importadas selectivamente. Uma interface de servidor OPC, também incluída no Alert, permite disponibilizar o estado de cada variável do software em tempo real (alarmes, informação de sistema). Interface DDE (cliente ou servidor) A interface de cliente DDE, integrada no Alert, permite a aquisição automática de dados disponibilizados por qualquer aplicação de servidor DDE. O Alert também contém uma interface de servidor DDE, a qual permite processar comandos. Interface de programação (API) Os alarmes podem ser criados dinamicamente, activados, desactivados, e feito o seu reconhecimento por uma aplicação externa, através do Alert Application Programming Interface (API). Esta interface contém várias funções para controlo do comportamento do software. As novas funções genéricas, permitem aceder a quase todas as variáveis de configuração do Alert. As linhas de comando estão estruturadas de acordo com o Standard XML. Interface de linha de comandos Esta interface permite a criação, activação, desactivação e fazer o reconhecimento de alarmes, simplesmente por uma linha de comandos, que são transmitidos ao software (exemplo: ALERT LigaAlarme Alarme 1). 2

3 Interface dedicada (Mediator) A monitorização de uma aplicação pode ser gerida por um módulo dedicado do Alert (módulo Mediator). Este módulo permite uma integração optimizada de gestão de chamadas numa aplicação de supervisão, evitando registos duplos de dados de supervisão e parâmetros associados: Importação de alarmes definidos na aplicação, com todos os atributos (identificador, mensagens, prioridade, grupo); Detecção de alarmes; Gestão de reconhecimentos recíprocos; Mascarar/Desmascarar alarmes. Monitor Pro Processador de mensagens (Message Processor) DATA BASES FILES (binary, text, XML) SERIAL O processador de mensagens é um mediador genérico, que consegue gerir informação vinda de praticamente qualquer sistema externo: Dados série (por exemplo: linha de saída de impressora de um equipamento), Dados TCP ou UDP, sobre rede IP, Ficheiros gravados, Bases de Dados arquivadas, Mensagens enviadas por SMS, Mensagens enviadas por , Etc. FTP, TCP, UDP SMS ALARMS O processador de mensagens analisa as mensagens recebidas, usando um código de programação (script),tipo Basic. Extrai a informação essencial e acciona os respectivos alarmes. Pode ser feito o varrimento das mensagens recebidas, por ligação série ou por pacotes TCP/IP, e feito o seu reconhecimento (enviando uma mensagem de reconhecimento). Interface SNMP (Net Sentinel) O Alert consegue fazer a supervisão directa dos equipamentos de uma rede TCP/IP. Para isso, usa uma interface de gestão e aquisição de dados chamada Net Sentinel. Interface vocal (Jericho) Através do software Jericoh, e o seu servidor de voz nativo, é possível accionar alarmes por telefone. O Jericoh recebe chamadas telefónicas dos utilizadores do sistema, ajuda-os a definir o alarme a ser assinalado, pode propor gravar uma mensagem de voz, e depois transmite o alarme para o Alert. O Alert então encarrega-se de gerir as chamadas telefónicas e transmitir toda a informação (incluindo a mensagem de voz). Interface web (AlertMessenger) As chamadas telefónicas feitas aos operadores de serviço, podem ser pedidas e visualizadas no explorador Web, ligado à Internet ou à Intranet da empresa. Estes pedidos de chamadas são registados numa base de dados, e lidos pelo Alert através dos script AlertMessenger do processador de mensagens. Os relatórios das chamadas são gravados numa base de dados e podem ser visualizados pelo servidor Web, no ecrã do emissor da mensagem. 3

4 UMA CONFIGURAÇÃO INTUITIVA Lista de variáveis de supervisão Todos os dados supervisionados pelo Alert são definidos na sua lista de varrimento. Uma entrada nesta lista pode ser: Criada manualmente, Criada dinamicamente, a partir de: uma configuração de supervisão importada usando o Mediator, um ficheiro de texto, um script processador de mensagens, uma aplicação externa usando o API do Alert. Cada condição de evento pode ser associado a uma variável da lista de varrimento: igual a, diferente de, disparo de nível, variação, etc Esta condição pode ser validada ou não, de acordo com uma tabela de calendário semanal. Um alarme, com um certa prioridade, pode ser considerado como um evento. O reconhecimento de um alarme requer uma intervenção de um operador. Com cada mudança de estado de um evento ou um alarme (activação, desactivação, reconhecimento), pode ser associado uma acção a ser realizada e anexar informação adicional (mensagem de texto, mensagem de voz, ficheiro de texto). Uma mensagem de texto ou um ficheiro de texto podem conter dados contextuais (valor actual das variáveis). Servidor de dados O Alert pode supervisionar alarmes vindos de diferentes fontes (supervisores, servidores OPC, ). Para cada servidor de DDE ou OPC é possível definir uma lista de servidores redundantes, com comutação automática, no caso de falha de ligação. Grupos funcionais Os dados podem ser organizados em estrutura de árvore. Então pode-se definir uma organização lógica. Por exemplo:: Geograficamente: edifícios, cidades, Funcionalidade: aquecimento, electricidade, ar condicionado. Estes grupos podem ser usados como filtros para diferentes propósitos: consultar a tabela de alarmes, ler o histórico de alarmes, fazer o reconhecimento de um alarme. Estes grupos podem utilizados para uma síntese dos alarmes (gerar um alarme quando um destes dados estiver incorrecto). UMA REACÇÃO ADAPTADA AOS ALARMES 4 No caso de uma ocorrência ou activação de um alarme, o Alert inicia a execução de uma lista de acções. As acções podem ser accionadas após um retorno do evento ao estado normal ou o reconhecimento de um alarme. Chamada para o grupo de serviço A acção do tipo de grupo de serviço acciona uma chamada telefónica para um dos operadores da equipa de grupo de serviço activa. No caso de falha, as chamadas são direccionadas para os operadores da equipa de apoio. O mesmo alarme pode accionar várias chamadas para um grupo. Chamada para operador A função chamada para operador acciona uma chamada directa para um operador específico, com a possibilidade de forçar que seja só um número de telefone a ser contactado e sem a possibilidade de contactar outro operador de apoio. Execução de comandos A acção de execução de comandos acciona a execução de uma sequência de escrita directamente nas variáveis externas ou saídas; via OPC, DDE ou através de um driver de comunicação.. Execução de código de programação A acção de execução de código de programação acciona a execução de um determinado código de programação (script) do processador de mensagens. Execução de aplicação A acção de execução de aplicação acciona a execução de uma determinada linha de comandos. Anúncio por voz A acção anúncio por voz emite uma mensagem de voz, associado a um alarme, ou explicitamente definida na estação local.

5 SOLUÇÕES AVANÇADAS DE COMUNICAÇÃO MULTIMÉDIA Telefone (fixo ou móvel) Os operadores são chamados por telefone. Eles podem ouvir os alarmes e fazer o seu reconhecimento, através do servidor integrado de voz. O Alert suporta todas as tecnologias: analógica, numérica (RDIS), voz sobre IP (VoIP), rádio (walkie/ talkie). Mensagens SMS DECT, serviço público de pagers, telemóvel. Para alertar os operadores, que estejam fora do seu local de trabalho, para o seu pager ou telemóvel. Sistemas locais de pagers Fax, , impressora em rede Para receber relatórios escritos dos alarmes detectados e respectivo contexto. Supervisão SNMP Para enviar alarmes a notificar algum problema, para o gestor da rede. Para alertar de forma rápida, localmente, os operadores da manutenção. Sistemas PA (aviso público) Para enviar mensagens específicas a todos os operadores, a trabalhar nas instalações locais. Centro tele-vigilância remoto Transmissão de alarmes para uma central de tele-vigilância remota. O Alert transmite a informação usando a mais recente tecnologia de comunicações. Voz sintetizada. Muito útil, quando se gere um quantidade elevada de mensagens de voz. Essencial para mensagens dinâmicas. Servidor de voz integrado O Alert tem um servidor de voz integrado, para consultar e fazer o reconhecimento de alarmes por telefone. No início da ligação, o servidor de voz dá as boas-vindas ao emissor ou receptor da chamada, com uma mensagem pré-gravada. A seguir, o operador identifica-se, pressionando o seu código no teclado do telefone. Esta identificação faz automaticamente o reconhecimento do alarme que lhe foi endereçado. Depois, o servidor de voz propõe várias funcionalidades: ouvir as mensagens de alarme ou de serviço, fazer o reconhecimento selectivo de alarmes (individualmente ou por grupos), gravar um relatório de voz, mudar para modo de dados (conexão de terminal) ou pedir uma chamada de resposta. Opção de voz sintetizada Com a opção de voz sintetizada (texto para voz - text to speech), torna-se desnecessário gravar mensagens de voz. A mensagem de boas-vindas e as mensagens de alarme podem ser automaticamente sintetizadas, a partir de mensagens de texto. Devido a esta opção, as funções do servidor de voz podem ser alargadas: boas-vindas personalizadas, anúncio de número de alarme, anúncio de data e hora do alarme, integração de valores dinâmicos nas mensagens de alarme por voz. O Alert é compatível com o interface Speech API, do Windows e suporta o motor de sintetização de voz baseado no protocolo SAPI5. 5

6 UM GESTOR AVANÇADO DE CHAMADAS O Alert integra uma série de funcionalidades de gestão avançada de chamadas. Isto permite, de uma forma bastante simples e intuitiva, a identificação das pessoas a ser avisadas para cada tipo de alarmes (incluindo as acções a tomar, em caso de falha de ligação). Perfil de utilizadores Pode ser definido um ambiente de trabalho específico para cada categoria de operadores, a isto se chama perfil de utilizador. Um perfil de utilizador define um ambiente (menu, barra de menus, tela), tal como uma série de comandos autorizados (reconhecimento de alarmes, configuração da gestão de chamadas, parâmetros de supervisão e gestão, etc.). Por defeito, existem três perfis pré-definidos: operação, controlo e sistema. Operadores A lista dos meios de comunicação é associada a cada operador definido no Alert (telefone, telemóvel, , fax, ). As chamadas são realizadas pela ordem definida numa lista, até a chamada ser considerada como reconhecida. Podem ser utilizados vários meios de comunicação, para contactar o mesmo operador (telefone e SMS, por exemplo). Os elementos e a ordem da lista podem ser dinamicamente modificados no plano semana, a partir do número de telefone do operador. Quando um operador está temporariamente fora de serviço (por doença, férias, viagem de negócios, ), este estado pode ser alterado no seu horário de serviço. Pode então ser definido, manual ou automaticamente, como fora de serviço, com ou sem substituto. Operador virtual Um operador pode ser considerado virtual quando os meios de comunicação que lhe estão associados são usados por vários operadores (telefone ou telemóvel partilhado). Quando é contactado um operador virtual, qualquer operador pertencente ao mesmo grupo, pode fazer o reconhecimento da chamada, permitindo ao operador que realmente atendeu a chamada de se identificar. Estados de utilizador Um operador que se encontre de serviço pode querer filtrar os alarmes, dependendo do seu estado de disponibilidade. Podem ser definidos vários tipos de estado (em reunião, em serviço de manutenção, ). Para cada estado, o nível de disponibilidade pode ser definido. A disponibilidade de cada operador pode ser alterada a partir de um cliente remoto (PDA, smartphone, ). Grupos e equipas Pode-se definir como grupo de serviço, o conjunto de todos os operadores que podem intervir, para lidar com uma categoria específica de alarmes. Cada grupo é constituído por equipas. Cada equipa designa um operador ou uma lista de operadores, para ser chamados simultaneamente ou por rotação (dependendo da opção), com a possibilidade de contactar um operador da equipa de apoio, no caso de falha de ligação com os anteriores. Um grupo de serviço pode ser designado como uma equipa de apoio para outro grupo. Este grupo será contactado em caso do grupo principal ser contactado e ninguém responder ou em caso de falha do ciclo de chamadas. 6

7 Horário Cada grupo de serviço tem associado um horário, no qual está definido as atribuições de tarefas para um ano inteiro por unidades de tempo de 1, 1/2 ou 1/4 de hora. O horário é configurável graficamente. É definido um programa semanal (com gestão das férias), para atribuição automática das equipas no horário de serviço. A qualquer momento, é possível desactivar um horário de grupo de serviço, temporariamente ou não. Quando um grupo está desactivo, as chamadas respeitantes a este grupo podem ser suspendidas ou redireccionadas para uma equipa de apoio. Mensagens de serviço O Alert pode ser usado para transmitir uma mensagem de serviço, para um ou mais operadores. Esta mensagem pode ser transmitida através de vários meios disponíveis por cada receptor, no momento da transmissão. Pode também ser enviado por um meio específico (envio de faxes para vários operadores, por exemplo). Podem ser anexados ficheiros a uma mensagem de serviço (no caso de fax ou ). Troca de equipa Um operador pode, explicitamente, executar o período de troca de equipas, no início e no fim de seu turno (período de serviço). Um modo de operação pode obrigar a que uma equipa faça este período de troca de equipas. Se este período não é feito, pode ser accionado um alarme para alertar tal facto. Chamadas programadas As chamadas podem ser programadas para avisar automaticamente um operador, no início ou no fim do seu turno (período de serviço), ou para lhe enviar uma mensagem ciclicamente (cada n minutos), ou ainda periodicamente (todos os dias, ou a determinada hora de um dia da semana). Estas chamadas programadas também podem ser usadas para testar o sistema de som. 7

8 RASTREABILIDADE COMPLETA DOS SEUS ALARMES, CHAMADAS E INTERVENÇÕES Estatísticas de alarmes e intervenções As estatísticas referentes aos alarmes podem visualizadas para um alarme, um grupo de alarmes ou para um conjunto total de alarmes no período de um dia, uma semana, ou um mês: número de falhas no respectivo período, duração total e média das falhas. As estatísticas referentes a intervenções podem apresentadas para cada operador, para um determinado período do dia, da semana ou do mês: número de intervenções, duração média da intervenção e a duração média do tempo de reacção ao alarme que solicitou. Exportação automática de base de dados externa No sentido de aumentar as capacidades estatísticas dos registos de alarmes, o histórico de alarmes pode ser automaticamente exportado para uma base de dados externa. A actualização da configuração e das tabelas de histórico, na base de dados externa, é feito em tempo real a cada modificação de variável ou em caso de alarme. Esta opção oferece funcionalidades acrescidas: gestão de relatórios de alarmes e de comentários, histórico e seguimento do ciclo de chamadas. O Alert assegura um controlo contínuo para suas aplicações de supervisão. Todos os eventos registados, tal como as intervenções accionadas devido àqueles, são gravados no Alert com a informação da data e hora (timestamp). Livro de registos Um livro de registos permite que os operadores gravem os relatórios de intervenção. Estes relatórios podem ser escritos (no local, ou por a partir de um terminal remoto) ou transmitidos verbalmente (por telefone). São assim, automaticamente assinados e gravados com a informação da data e hora (timestamp). Pode-se inclusivamente, anexar ficheiros a estes relatórios. Histórico de alarmes Todos os alarmes detectados pelo Alert são gravados no histórico de alarmes, indicando para cada alarme: o tempo do alarme, o nome do operador que fez o seu reconhecimento, a intervenção do operador e o tempo que esta demorou. Registos de eventos Os eventos, respeitantes à gestão de alarmes, têm a informação da data e hora (timestamp) e são gravados num diário de registos de eventos: login e logout do operador, alarmes, chamadas, falhas, reconhecimentos de alarmes, alteração dos turnos, etc... Este diário pode ser enviado para uma impressora, em tempo real. 8

9 Vista geral das chamadas Esta funcionalidade permite a supervisão, em tempo real, das chamadas accionadas por alarmes (de modo a saber quem foi avisado), e também o controlo posterior (grupos contactados, operadores e números contactados, relatórios de chamadas). Os relatórios dos ciclos de chamadas podem ser impressos. A GARANTIA DE SER SEMPRE AVISADO O Alert assegura a saída de chamadas e que os alarmes serão realmente atendidos. Reconhecimento de chamadas Quando um operador é alertado, pela recepção de uma mensagem, ele terá que confirmar que realmente a recebeu. Para o fazer, ele poderá transmitir o reconhecimento da chamada num certo período de tempo, podendo também responder a essa chamada e identificando-se, ou enviando um SMS. No final do período de espera, caso o reconhecimento não seja feito, a chamada é considerada como falhada e reinicia-se o processo, para o mesmo operador ou para um operador de apoio, de acordo com a configuração do sistema. Seguimento (follow-up) do ciclo de chamadas Quando o Alert chama um operador, a notificá-lo de um alarme, o software assegura que a informação é transmitida correctamente. No caso de falha (o operador pode já estar com outra chamada, não responde, ), a chamada é automaticamente reinicializada, de acordo com o que foi configurado. Se a transmissão da informação exacta para a pessoa correcta não é garantida, então é necessário que o reconhecimento da chamada seja feito de outra maneira. Se o reconhecimento não é feito no período de tempo configurado, o ciclo de chamada é reinicializado. No caso da falha persistir, a chamada é redireccionada para o número do próximo operador da lista dos operadores a contactar, ou para um operador de apoio. Reconhecimento de alarmes O reconhecimento de um alarme significa que o operador vai realmente tomar conta da situação (que fez accionar o alarme). Este reconhecimento pode ser feito localmente, (numa estação com Alert), ou remotamente (por telefone). 9

10 SEGURANÇA REFORÇADA O Alert controla todo o processo de supervisão, assegurando a máxima disponibilidade e uma optimização de funcionamento. Ambiente de vigilância O Alert assegura uma interface simples e rápida com a aplicação supervisionada, accionando um alarme caso esta aplicação bloqueie. As ligações podem ser automaticamente estabelecidas assim que a aplicação supervisionada se inicie. O Alert também supervisiona o funcionamento dos sistemas de chamada (modems ou adaptadores RDIS), accionando um alarme assim que ocorrer uma falha num destes sistemas. Redundância O Alert pode ser instalado em duas estações (computadores) na rede. Se o modo de redundância for activado, cada gestor de alarmes supervisiona a sua aplicação local. Mas, a cada momento, só um está activo e esse acciona as chamadas em caso de alarme. As duas estações supervisionam-se uma à outra. Caso a estação activa, a dado momento, não for capaz de responder às suas funções (o computador ou o sistema de chamadas deixar de funcionar), a outra estação assume automática e imediatamente todas as suas funções, sem nenhuma perda de informação. Quando uma estação falha, a outra estação detecta automaticamente esse estado e activa um evento interno de falha de redundância. Se este evento é declarado na lista de supervisão do Alert, então poderá ser accionado um ciclo de chamadas para alertar da falha dessa estação. CENTRALIZAÇÃO DA GESTÃO DE ALARMES ALERT CENTRAL ALERT MACHINE TCP/IP NETWORK ALERT MACHINE TCP/IP NETWORK Security (fire alarms, intrusions, access controls...) Network equipments Production (Facilities, failures, out of stock, ) Storage (temperature, hygrometry...) SITE 1 SITE 2 O Alert pode ser usado para centralizar todos os alarmes de uma fábrica, accionando as chamadas necessárias para assegurar uma melhor rastreabilidade. O Alert pode também ser usado como central telefónica, assegurando o controlo remoto de alarmes e respectivo seguimento dos diferentes locais. Gestão multi-localização Todos os dados supervisionados podem estar espalhados por vários locais ou em várias estações (computadores). A estrutura de uma estação permite a gestão particionada de dados e de operadores associados a um local. As estações virtuais são baseadas numa única base de dados particionada. A estação real tem instalado o Alert, e assim permite gerir (localmente) as chamadas telefónicas, em sincronia com a estação central. 10

11 O CONTROLO VISUAL DOS SEUS ALARMES Alert effectue un contrôle continu de A interface Alert Vision permite, aos operadores, visualizar e localizar os alarmes l ensemble du dispositif de surveillance pour garantir au maximum sa disponibilité da instalação, logo à primeira vista. et son bon fonctionnement. Descrição topográfica A descrição topográfica dos dados organizados em estrutura de árvore (de servidores de dados ou grupos), permite localizar e identificar um alarme num sistema ou num subgrupo. Tabela de alarmes Os alarmes actualizados são apresentados numa tabela de alarmes, com toda a informação respeitante (hora do alarme e respectivo reset, reconhecimento do alarme, etc ). Para cada alarme, é possível apresentar as informações adicionais, tais como: Descrição do alarme (parâmetros e estado actual), Instruções e informação contextual (gravadas aquando do aparecimento do alarme), Histórico das acções tomadas pelos operadores que foram contactados (operadores avisados, chamadas falhadas, reconhecimentos de alarmes, retorno ao estado normal de funcionamento). A cada alarme pode ser adicionado um comentário, que posteriormente pode ser lido. Também pode ser adicionado um relatório de intervenção. Visualizações de alarmes por sinópticos Com o pacote do Alert Vision, é possível obter vistas de sinópticos, em HTML animado, da instalação supervisionada. O Alert fornece assim um melhor controlo visual, e a localização gráfica dos alarmes detectados na instalação. Esta funcionalidade inclui um módulo de servidor de supervisão, para as vistas de sinópticos animados (baseadas em Visual Access). Inclui também um plug-in para o explorador de Internet, para que este apresente as vistas dos sinópticos nos ecrãs do Alert (servidor e clientes). Possui ainda um editor de sinópticos VAEdit. Esta funcionalidade é particularmente interessante quando a instalação não tem integrada uma aplicação SCADA. O interface do Alert, usado pelo operador, permite-lhe ter a noção visual da localização dos alarmes nas instalações. 11

12 OBTENHA A INFORMAÇÃO, SEMPRE E ONDE QUER QUE ESTEJA A interface cliente/servidor do Alert permite a gestão remota, através de uma rede TCP/IP ou uma conexão de internet. O Alert pode ser instalado numa versão de servidor, para o uso limitado ou ilimitado de clientes. Esta versão, permite ao Alert ser usado em terminais remotos (um computador remoto equipado com o módulo AlertClient, um explorador de internet, um smartphone, etc ). Módulo AlertWEB Com o módulo AlertWEB instalado na estação servidor (tecnologia ASP.NET), o Alert pode ser usado via Intranet ou Internet, por um explorador de Internet. Este módulo, permite o acesso às principais funções do software: consulta e reconhecimento de alarmes, consulta e alteração de horários de equipas, alteração de números de telefone, registos de eventos, edição de relatórios O módulo AlertWeb também possibilita que sejam visualizadas as telas em PDA s ou smartphones (que tenham conexão à Internet - via wireless ou 3G). Acesso de controlo remoto O Alert tem a possibilidade de gerir uma aplicação de controlo remoto (pcanywhere ou Carbon Copy). Após um pedido (por telefone) de um operador, o Alert inicia essa aplicação de controlo remoto, libertando o porto de comunicação (a partilha do modem entre o Alert e a aplicação de controlo remoto). No fim dessa sessão fecha essa mesma aplicação e durante a sessão, no caso de alarme, o Alert dá prioridade ao accionamento de chamadas telefónicas sobre a aplicação de controlo remoto. Módulo AlertClient O software AlertClient pode ser instalado numa ou mais estações (computadores) da rede. Permite ter o acesso à maior parte das funcionalidades do Alert instalado num servidor. Quer seja no caso de operações: horário das equipas, tabela de alarmes, históricos e estatísticas, registos de eventos, livro de registos; quer seja no caso de configurações: operadores, grupos ou equipas de serviço, lista de varrimento (polling list). A estação cliente pode ser conectada a qualquer uma das estações servidoras redundantes. CONSIGO, EM TODO O MUNDO O software Alert (operador visual e interface vocal) está disponível em 8 línguas: Gestão de múltiplas línguas Português, Inglês, Francês, Alemão, Castelhano, Italiano, Holandês, Chinês (Mandarin). O Alert é compatível com Windows 8, Seven, Vista, XP, Server 2003 & O Alert integra uma gestão de múltiplas línguas, tanto no seu aspecto visual como na interface vocal. Cada operador a trabalhar numa estação de servidor ou cliente Alert, pode ter o interface escrito na sua própria língua materna. As etiquetas e alarmes podem também ser traduzidos. Isto também é possível no caso de vários operadores estarem ligados em simultâneo, em diferentes línguas. O operador que é contactado ou que quer fazer um contacto telefónico, recebe ou envia as mensagens de alarme na sua própria língua. CRÉATION D IMAGES ET ASSOCIÉS 12 Micromedia International 11, Chemin du Vieux Chêne Inovallée Meylan Cedex - FRANCE Tel : Fax : Micromedia - Benelux 264, Avenue Van Volxem Laan Workspaces B Forest - Vorst - BELGIUM Tel : Fax : Micromedia - Deutschland August-Bebel-Straße Tübingen DEUTSCHLAND Tel : Fax : Micromedia - Italia Via Greto di Cornigliano 6R int Genova (GE) ITALIA Tel: Fax:

AVISAR A PESSOA CERTA, NO MOMENTO EXACTO, NO PRECISO LOCAL, COM A INFORMAÇÃO NECESSÁRIA

AVISAR A PESSOA CERTA, NO MOMENTO EXACTO, NO PRECISO LOCAL, COM A INFORMAÇÃO NECESSÁRIA AVISAR A PESSOA CERTA, NO MOMENTO EXACTO, NO PRECISO LOCAL, COM A INFORMAÇÃO NECESSÁRIA SUPERVISÃO DE ALARMES GESTÃO AVANÇADA DE CHAMADAS TRANSMISSÃO DE INFORMAÇÃO RASTREABILIDADE DE INTERVENÇÕES FLEXIBILIDADE

Leia mais

A L ERT. Para uma Iniciação Rápida com o

A L ERT. Para uma Iniciação Rápida com o A L ERT Para uma Iniciação Rápida com o I NSTA L AÇ Ã O Para iniciar a instalação da Solução Micromedia, insira CD-ROM de instalação no leitor de CDs do PC. Se a instalação não iniciar automaticamente

Leia mais

Manual do utilizador das funções avançadas do sistema de correio de voz Cisco Unity Express 7.0.2

Manual do utilizador das funções avançadas do sistema de correio de voz Cisco Unity Express 7.0.2 Manual do utilizador das funções avançadas do sistema de correio de voz Cisco Unity Express 7.0.2 Última actualização: 12 March 2009 Este manual fornece informações sobre a utilização das funções de correio

Leia mais

TOPKAPI VISION. 15 de Março de 2010 (versão provisória) TOPKAPI MMI: Interface grafica autonoma para operadores de terminais.

TOPKAPI VISION. 15 de Março de 2010 (versão provisória) TOPKAPI MMI: Interface grafica autonoma para operadores de terminais. MÓDULOS TOPKAPI SOFTWARE SCADA TOPKAPI VISION 15 de Março de 2010 (versão provisória) A gama dos produtos TOPKAPI é composta por: TOPKAPI MMI: Interface grafica autonoma para operadores de terminais. TOPKAPI

Leia mais

Manual do utilizador. Aplicação de agente

Manual do utilizador. Aplicação de agente Manual do utilizador Aplicação de agente Versão 8.0 - Otubro 2010 Aviso legal: A Alcatel, a Lucent, a Alcatel-Lucent e o logótipo Alcatel-Lucent são marcas comerciais da Alcatel-Lucent. Todas as outras

Leia mais

Guia de Rede. Configuração do Windows Utilizar um Servidor de Impressão Monitorizar e Configurar a Impressora Apêndice

Guia de Rede. Configuração do Windows Utilizar um Servidor de Impressão Monitorizar e Configurar a Impressora Apêndice Guia de Rede 1 2 3 4 Configuração do Windows Utilizar um Servidor de Impressão Monitorizar e Configurar a Impressora Apêndice Leia este manual cuidadosamente antes de utilizar o equipamento e mantenha-o

Leia mais

Suporte: http://www.mkkdigital.pt/support/upload/index.php

Suporte: http://www.mkkdigital.pt/support/upload/index.php Website: http://www.mkkdigital.pt Suporte: http://www.mkkdigital.pt/support/upload/index.php Introdução As centrais telefónicas 3CX foram desenvolvidas para o tecido empresarial, com sistemas de última

Leia mais

Vídeo Vigilância Abordagem Open-Source

Vídeo Vigilância Abordagem Open-Source Vídeo Vigilância Abordagem Open-Source Alunos: Justino Santos, Paulo Neto E-mail: eic10428@student.estg.ipleiria.pt, eic10438@student.estg.ipleiria.pt Orientadores: Prof. Filipe Neves, Prof. Paulo Costa

Leia mais

Sistemas SCADAS. Apresentação dos sistemas de supervisão do mercado de automação: - Elipse E3 (fabricante Eilpse)

Sistemas SCADAS. Apresentação dos sistemas de supervisão do mercado de automação: - Elipse E3 (fabricante Eilpse) A palavra SCADA é um acrônimo para Supervisory Control And Data Acquisition. Os primeiros sistemas SCADA, basicamente telemétricos, permitiam informar periodicamente o estado corrente do processo industrial,

Leia mais

ETI/Domo. Português. www.bpt.it. ETI-Domo Config 24810180 PT 29-07-14

ETI/Domo. Português. www.bpt.it. ETI-Domo Config 24810180 PT 29-07-14 ETI/Domo 24810180 www.bpt.it PT Português ETI-Domo Config 24810180 PT 29-07-14 Configuração do PC Antes de realizar a configuração de todo o sistema, é necessário configurar o PC para que esteja pronto

Leia mais

Análise real de dados

Análise real de dados Análise real de dados Para tacógrafos analógicos e digitais www.siemensvdo.com 1 Maximize todas as potencialidades dos tacógrafos digitais Novas obrigações, novas opções de análise Para si e para a sua

Leia mais

Alarme Aquecimento Quarto Sala Cozinha Garagem Presente Param. Mensagem

Alarme Aquecimento Quarto Sala Cozinha Garagem Presente Param. Mensagem Minha habitação Aplicação para telemóvel Manual de instalação e utilização PT Alarme Aquecimento Quarto Sala Cozinha Garagem Presente Mensagem Índice 1- Apresentação...............................................3

Leia mais

REWIND e SI.MO.NE. Sistema de monitoramento para grupos geradores

REWIND e SI.MO.NE. Sistema de monitoramento para grupos geradores REWIND e SI.MO.NE. Sistema de monitoramento para grupos geradores SISTEMA SICES Rewind e SI.ces MO.nitoring NE.twork (SI.MO.NE.) Sistema de monitoramento remoto REWIND Rewind é um módulo microprocessado

Leia mais

Conteúdo do pacote. Lista de terminologia. Powerline Adapter

Conteúdo do pacote. Lista de terminologia. Powerline Adapter Powerline Adapter Note! Não expor o Powerline Adapter a temperaturas extremas. Não deixar o dispositivo sob a luz solar directa ou próximo a elementos aquecidos. Não usar o Powerline Adapter em ambientes

Leia mais

Soluções de CTI CRM Contact Center Call Center

Soluções de CTI CRM Contact Center Call Center Soluções de CTI CRM Contact Center Call Center Carac cterísti icas pri incipais Funções Telefónicas Efectuar, atender e desligar chamadas. Suspender chamadas. Transferir chamadas para outras extensões,

Leia mais

Este manual utiliza duas unidades de medição. Este equipamento utiliza a versão métrica.

Este manual utiliza duas unidades de medição. Este equipamento utiliza a versão métrica. Guia de Rede Para uma utilização segura e correcta, certifique-se de que lê as Informações de Segurança em "Referência de Cópia" antes de utilizar o equipamento. Introdução Este manual contém instruções

Leia mais

Software da Impressora

Software da Impressora Software da Impressora Acerca do Software da Impressora O software Epson inclui o controlador de impressão e o EPSON Status Monitor 3. O controlador de impressão é um software que permite controlar a impressora

Leia mais

Conteúdo do pacote. Lista de terminologia. Powerline Adapter

Conteúdo do pacote. Lista de terminologia. Powerline Adapter Powerline Adapter Note! Não expor o Powerline Adapter a temperaturas extremas. Não deixar o dispositivo sob a luz solar directa ou próximo a elementos aquecidos. Não usar o Powerline Adapter em ambientes

Leia mais

604 wifi. Visite www.archos.com/manuals para transferir a versão mais recente deste manual.

604 wifi. Visite www.archos.com/manuals para transferir a versão mais recente deste manual. 604 wifi FUNÇÕES WIFI e Internet Suplemento ao Manual do Utilizador ARCHOS 504/604 Versão 1.2 Visite www.archos.com/manuals para transferir a versão mais recente deste manual. Este manual contém informações

Leia mais

Manual de Comunicações de Rede e Internet Desktops empresariais

Manual de Comunicações de Rede e Internet Desktops empresariais Manual de Comunicações de Rede e Internet Desktops empresariais Número de peça do documento: 312968-131 Fevereiro de 2003 Este manual fornece definições e instruções para utilização das funcionalidades

Leia mais

O que são sistemas supervisórios?

O que são sistemas supervisórios? O que são sistemas supervisórios? Ana Paula Gonçalves da Silva, Marcelo Salvador ana-paula@elipse.com.br, marcelo@elipse.com.br RT 025.04 Criado: 10/09/2004 Atualizado: 20/12/2005 Palavras-chave: sistemas

Leia mais

QNAP Surveillance Client para MAC

QNAP Surveillance Client para MAC QNAP Surveillance Client para MAC Chapter 1. Instalar o QNAP Surveillance Client 1. Clique duas vezes em "QNAP Surveillance Client V1.0.1 Build 5411.dmg". Após alguns segundos, é exibida a seguinte imagem.

Leia mais

Vodafone ADSL Station Manual de Utilizador. Viva o momento

Vodafone ADSL Station Manual de Utilizador. Viva o momento Vodafone ADSL Station Manual de Utilizador Viva o momento 3 4 5 5 6 6 7 8 9 12 12 14 16 17 18 19 20 21 22 22 23 23 24 24 24 25 26 27 Ligar o Router LEDs Configuração do Router Aceder à ferramenta de configuração

Leia mais

Manual CallCenter para a IPBrick

Manual CallCenter para a IPBrick Manual CallCenter para a IPBrick iportalmais 1 de Outubro de 2010 1 1 Introdução As empresas usam call centers como forma de interagir e de construir relações com os seus clientes. Consciente da importância

Leia mais

Redes de computadores e Internet

Redes de computadores e Internet Polo de Viseu Redes de computadores e Internet Aspectos genéricos sobre redes de computadores Redes de computadores O que são redes de computadores? Uma rede de computadores é um sistema de comunicação

Leia mais

Capítulo 8 - Aplicações em Redes

Capítulo 8 - Aplicações em Redes Capítulo 8 - Aplicações em Redes Prof. Othon Marcelo Nunes Batista Mestre em Informática 1 de 31 Roteiro Sistemas Operacionais em Rede Modelo Cliente-Servidor Modelo P2P (Peer-To-Peer) Aplicações e Protocolos

Leia mais

Módulo 9 Conjunto de Protocolos TCP/IP e endereçamento IP

Módulo 9 Conjunto de Protocolos TCP/IP e endereçamento IP CCNA 1 Conceitos Básicos de Redes Módulo 9 Conjunto de Protocolos TCP/IP e endereçamento IP Introdução ao TCP/IP 2 Modelo TCP/IP O Departamento de Defesa dos Estados Unidos (DoD) desenvolveu o modelo de

Leia mais

QuarkXPress 8.1.6.0 Leia-me

QuarkXPress 8.1.6.0 Leia-me QuarkXPress 8.1.6.0 Leia-me ÍNDICE Índice QuarkXPress 8.1.6.0 Leia-me...4 Requisitos do sistema...5 Requisitos do sistema: Mac OS...5 Requisitos do sistema: Windows...5 Instalar: Mac OS...6 Efectuar uma

Leia mais

Alternativas de aplicação do serviço GPRS da rede celular GSM em telemetria pela Internet

Alternativas de aplicação do serviço GPRS da rede celular GSM em telemetria pela Internet Alternativas de aplicação do serviço GPRS da rede celular GSM em telemetria pela Internet Marcos R. Dillenburg Gerente de P&D da Novus Produtos Eletrônicos Ltda. (dillen@novus.com.br) As aplicações de

Leia mais

esirius Solução de Gestão de Atendimento Intranet

esirius Solução de Gestão de Atendimento Intranet SOLUÇÃO DE GESTÃO DE ATENDIMENTO INTRANET esirius Solução de Gestão de Atendimento Intranet Para um atendimento e comunicação multi-local Adaptar a sua equipa às necessidades de atendimento Estabelecer

Leia mais

Leia-me do QuarkXPress 9.5

Leia-me do QuarkXPress 9.5 Leia-me do QuarkXPress 9.5 ÍNDICE Índice Leia-me do QuarkXPress 9.5...4 Requisitos do sistema...5 Requisitos do sistema: Mac OS...5 Requisitos do sistema: Windows...5 Instalar: Mac OS...7 Efectuar uma

Leia mais

Manual de utilização do Centro de Administração Comerciante

Manual de utilização do Centro de Administração Comerciante REDUNICRE Manual de utilização do Centro de Administração Comerciante Versão: 0.3 Data: 16/05/2011 Este documento é propriedade da Unicre e deverá apenas ser utilizado como suporte de utilização das soluções

Leia mais

Um sistema de gestão de frotas que lhe permite o controlo, a localização em tempo real e a comunicação permanente com todos os veículos da sua

Um sistema de gestão de frotas que lhe permite o controlo, a localização em tempo real e a comunicação permanente com todos os veículos da sua Um sistema de gestão de frotas que lhe permite o controlo, a localização em tempo real e a comunicação permanente com todos os veículos da sua empresa. Um sistema que gere e controla toda a actividade

Leia mais

Destaques. Um único sistema de controlo para segurança e conforto; Desempenho elevado e tecnologia de futuro da Siemens;

Destaques. Um único sistema de controlo para segurança e conforto; Desempenho elevado e tecnologia de futuro da Siemens; 1 Não há nada melhor do que saber que a sua família está em casa e em segurança. Agora imagine se pudesse melhorar a segurança e conforto do seu lar apenas com a instalação de um sistema Impossível? Então

Leia mais

Inventa o futuro INFOTINT. Sistema informático de gestão das tinturarias têxteis. www.tecnoeas.com.br

Inventa o futuro INFOTINT. Sistema informático de gestão das tinturarias têxteis. www.tecnoeas.com.br Inventa o futuro www.tecnoeas.com.br INFOTINT Sistema informático de gestão das tinturarias têxteis INFOTINT Sistema informático de gestão das tinturarias têxteis InfoTint é um sistema pensado para o total

Leia mais

MANUAL DO UTILIZADOR DE REDE

MANUAL DO UTILIZADOR DE REDE MANUAL DO UTILIZADOR DE REDE Guardar o registo de impressão na rede Versão 0 POR Definições de notas Ao longo do Manual do utilizador, é utilizado o seguinte ícone: Notas sobre como enfrentar situações

Leia mais

Bosch Video Management System Assegurando o futuro com IP

Bosch Video Management System Assegurando o futuro com IP Bosch Video Management System Assegurando o futuro com IP Segurança de vídeo IP Tudo interligado O Bosch Video Management System (VMS) gere todo o áudio e vídeo digital e IP, além de todos os dados de

Leia mais

TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP

TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP HTTP (Hypertext Transfer Protocol ) Protocolo usado na Internet para transferir as páginas da WWW (WEB). HTTPS (HyperText Transfer

Leia mais

SISTEMAS DE AUTOMAÇÃO E TELEGESTÃO DE REDES DE REGA EM PRESSÃO. CASO DE ESTUDO. Resumo

SISTEMAS DE AUTOMAÇÃO E TELEGESTÃO DE REDES DE REGA EM PRESSÃO. CASO DE ESTUDO. Resumo SISTEMAS DE AUTOMAÇÃO E TELEGESTÃO DE REDES DE REGA EM PRESSÃO. CASO DE ESTUDO Autores: ISABEL GRAZINA Eng.ª Civil, EDIA, Rua Zeca Afonso, 2 7800-522 Beja, 00351284315100, igrazina@edia.pt JOSÉ CARLOS

Leia mais

Exercícios do livro: Tecnologias Informáticas Porto Editora

Exercícios do livro: Tecnologias Informáticas Porto Editora Exercícios do livro: Tecnologias Informáticas Porto Editora 1. Em que consiste uma rede de computadores? Refira se à vantagem da sua implementação. Uma rede de computadores é constituída por dois ou mais

Leia mais

Tactium IP. Tactium IP. Produtividade para seu Contact Center.

Tactium IP. Tactium IP. Produtividade para seu Contact Center. TACTIUM IP com Integração à plataforma Asterisk Vocalix Guia de Funcionalidades 1 Independência de localização e redução de custos: o TACTIUM IP transforma em realidade a possibilidade de uso dos recursos

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL

SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL Automatização do processo de Controlo Ambiental Auto-controlo ambiental Sendo a Indústria que detém fontes poluidoras (Cimenteiras, Produção de energia, Incineradoras, etc.), uma das mais intervenientes

Leia mais

TACTIUM IP com Integração à plataforma n-iplace. Guia de Funcionalidades. Versão 5.0 TACTIUM IP Guia de Funcionalidades com n-iplace

TACTIUM IP com Integração à plataforma n-iplace. Guia de Funcionalidades. Versão 5.0 TACTIUM IP Guia de Funcionalidades com n-iplace Tactium Tactium IP IP TACTIUM IP com Integração à plataforma n-iplace Guia de Funcionalidades 1 Independência de localização e redução de custos: o TACTIUM IP transforma em realidade a possibilidade de

Leia mais

TeamWork. Manual do Utilizador. Para Windows Vista

TeamWork. Manual do Utilizador. Para Windows Vista TeamWork Manual do Utilizador Para Windows Vista V3.2_Vista Fevereiro 2008 ÍNDICE TeamWork Para que serve... 3 TeamWork Como instalar e configurar... 4 TeamWork Como utilizar... 4 Apoio para instalação

Leia mais

Professor: Gládston Duarte

Professor: Gládston Duarte Professor: Gládston Duarte INFRAESTRUTURA FÍSICA DE REDES DE COMPUTADORES Computador Instalação e configuração de Sistemas Operacionais Windows e Linux Arquiteturas físicas e lógicas de redes de computadores

Leia mais

WorkinProject 8 Manual de Referência Rápida

WorkinProject 8 Manual de Referência Rápida WorkinProject 8 Manual de Referência Rápida Flagsoft, Lda 2015 Índice 1. Introdução...3 2. Integrador - Interface com o utilizador...4 3. Registo de actividade - Folha de horas...5 4. Agenda e colaboração...7

Leia mais

Software de gerenciamento de impressoras

Software de gerenciamento de impressoras Software de gerenciamento de impressoras Este tópico inclui: "Usando o software CentreWare" na página 3-10 "Usando os recursos de gerenciamento da impressora" na página 3-12 Usando o software CentreWare

Leia mais

EIC. Projecto I. Manual do Utilizador. Vídeo Vigilância Abordagem Open Source. Curso: Engenharia de Informática e Comunicações Ano Lectivo: 2005/2006

EIC. Projecto I. Manual do Utilizador. Vídeo Vigilância Abordagem Open Source. Curso: Engenharia de Informática e Comunicações Ano Lectivo: 2005/2006 EIC Engenharia de Informática e Comunicações Morro do Lena, Alto Vieiro Apart. 4163 2401 951 Leiria Tel.: +351 244 820 300 Fax.: +351 244 820 310 E-mail: estg@estg.iplei.pt http://www.estg.iplei.pt Engenharia

Leia mais

Sistemas Multimédia. Arquitectura Protocolar Simples Modelo OSI TCP/IP. Francisco Maia famaia@gmail.com. Redes e Comunicações

Sistemas Multimédia. Arquitectura Protocolar Simples Modelo OSI TCP/IP. Francisco Maia famaia@gmail.com. Redes e Comunicações Sistemas Multimédia Arquitectura Protocolar Simples Modelo OSI TCP/IP Redes e Comunicações Francisco Maia famaia@gmail.com Já estudado... Motivação Breve História Conceitos Básicos Tipos de Redes Componentes

Leia mais

Manual do Utilizador

Manual do Utilizador Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra Departamento de Engenharia Electrotécnica e Computadores Software de Localização GSM para o modem Siemens MC35i Manual do Utilizador Índice

Leia mais

Notas de Aplicação. Utilizando o servidor de comunicação SCP Server. HI Tecnologia. Documento de acesso público

Notas de Aplicação. Utilizando o servidor de comunicação SCP Server. HI Tecnologia. Documento de acesso público Notas de Aplicação Utilizando o servidor de comunicação SCP Server HI Tecnologia Documento de acesso público ENA.00024 Versão 1.02 dezembro-2006 HI Tecnologia Utilizando o servidor de comunicação SCP Server

Leia mais

Automação Sem Limites

Automação Sem Limites representado por: Automação Sem Limites Você espera mais do seu sistema HMI/SCADA do que uma simples ferramenta tecnológica? Você procura soluções inovadoras e seguras? Então é hora de conhecer o zenon

Leia mais

TRBOnet MDC Console. Manual de Operação

TRBOnet MDC Console. Manual de Operação TRBOnet MDC Console Manual de Operação Versão 1.8 ÍNDICE NEOCOM Ltd 1. VISÃO GERAL DA CONSOLE...3 2. TELA DE RÁDIO...4 2.1 COMANDOS AVANÇADOS...5 2.2 BARRA DE FERRAMENTAS...5 3. TELA DE LOCALIZAÇÃO GPS...6

Leia mais

CARTA CONVITE 010/2014 ANEXO II - TERMO DE REFERÊNCIA

CARTA CONVITE 010/2014 ANEXO II - TERMO DE REFERÊNCIA CARTA CONVITE 010/2014 ANEXO II - TERMO DE REFERÊNCIA 1. Implantação de Sistema de Call Center 1.1. O software para o Call Center deverá ser instalado em servidor com sistema operacional Windows (preferencialmente

Leia mais

TeamWork. Manual do Utilizador. Para Windows XP

TeamWork. Manual do Utilizador. Para Windows XP TeamWork Manual do Utilizador Para Windows XP V3.2_XP Fevereiro 2008 ÍNDICE TeamWork Para que serve... 3 TeamWork Como instalar e configurar... 4 TeamWork Como utilizar... 4 Apoio para instalação e configuração.

Leia mais

Software de gerenciamento de impressoras MarkVision

Software de gerenciamento de impressoras MarkVision Software de gerenciamento de impressoras MarkVision O MarkVision para Windows 95/98/2000, Windows NT 4.0 e Macintosh é fornecido com a sua impressora no CD Drivers, MarkVision e Utilitários. 1 A interface

Leia mais

TACTIUM IP com Integração à plataforma Dígitro EasyCall. Guia de Funcionalidades. Tactium IP IP

TACTIUM IP com Integração à plataforma Dígitro EasyCall. Guia de Funcionalidades. Tactium IP IP IP TACTIUM IP com Integração à plataforma Dígitro EasyCall Guia de Funcionalidades 1 Independência de localização e redução de custos: o TACTIUM IP transforma em realidade a possibilidade de uso dos recursos

Leia mais

Comunicação entre computadores o Modelo OSI

Comunicação entre computadores o Modelo OSI Comunicação entre computadores o Modelo OSI Antes de avançar, vamos ver o significado de alguns conceitos. A nível das tecnologias de informação, há um conjunto de normas, padrões e protocolos que são

Leia mais

Biblioteca de aplicações

Biblioteca de aplicações Biblioteca de aplicações Observação: as descrições que se seguem mostram as ligações que permitem aceder à aplicação correspondente. Se o software Zelio Soft 2 estiver instalado, clique uma vez na ligação

Leia mais

Leia-me do QuarkXPress 9.3

Leia-me do QuarkXPress 9.3 Leia-me do QuarkXPress 9.3 ÍNDICE Índice Leia-me do QuarkXPress 9.3...4 Requisitos do sistema...5 Requisitos do sistema: Mac OS...5 Requisitos do sistema: Windows...5 Instalar: Mac OS...6 Efectuar uma

Leia mais

Solução integral para a administração de custos e gestão de tráfego da telefonia IP e tradicional

Solução integral para a administração de custos e gestão de tráfego da telefonia IP e tradicional Solução integral para a administração de custos e gestão de tráfego da telefonia IP e tradicional APRESENTAÇÃO EasyLynq Office EasyLynq Server Duas soluções à medida de cada empresa ou escritório O EasyLynq

Leia mais

Bosch Video Management System Os responsáveis pela segurança, os operadores e os técnicos TI são unânimes Esta é a escolha acertada

Bosch Video Management System Os responsáveis pela segurança, os operadores e os técnicos TI são unânimes Esta é a escolha acertada Bosch Video Management System Os responsáveis pela segurança, os operadores e os técnicos TI são unânimes Esta é a escolha acertada Gestor de segurança: Maior protecção e controlo integrado. Operador de

Leia mais

Manual do utilizador do Cisco Unified Communications Self Care Portal, Versão 10.5(1)

Manual do utilizador do Cisco Unified Communications Self Care Portal, Versão 10.5(1) Manual do utilizador do Cisco Unified Communications Self Care Portal, Versão 10.5(1) Unified Communications Self Care Portal 2 Definições do Unified Communications Self Care 2 Telefones 4 Definições adicionais

Leia mais

Data última actualização: 20-06-2014. Instalação E-Portals

Data última actualização: 20-06-2014. Instalação E-Portals Data última actualização: 20-06-2014 Instalação E-Portals 1. Conteúdo 1. Conteúdo... 2 2. Instalação e Manutenção do EPT... 3 3. Configuração de perfis de sincronização... 6 3.1 Módulos Oficinas, GCE e

Leia mais

Sistemas de alarme de intrusão AMAX Simples e de confiança

Sistemas de alarme de intrusão AMAX Simples e de confiança Sistemas de alarme de intrusão AMAX Simples e de confiança 2 Sistemas de Alarme de Intrusão AMAX Com a Bosch, está em boas mãos: os sistemas de alarme de intrusão AMAX garantem a satisfação do cliente

Leia mais

Copyright 2008 GrupoPIE Portugal, S.A.

Copyright 2008 GrupoPIE Portugal, S.A. WinREST Sensor Log A Restauração do Séc. XXI WinREST Sensor Log Copyright 2008 GrupoPIE Portugal, S.A. 2 WinREST Sensor Log Índice Índice Pag. 1. WinREST Sensor Log...5 1.1. Instalação (aplicação ou serviço)...6

Leia mais

Apresentação de REDES DE COMUNICAÇÃO

Apresentação de REDES DE COMUNICAÇÃO Apresentação de REDES DE COMUNICAÇÃO Curso Profissional de Técnico de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos MÓDULO VIII Serviços de Redes Duração: 20 tempos Conteúdos (1) 2 Caraterizar, instalar

Leia mais

GUIA DE INSTALAÇÃO DE SOFTWARE

GUIA DE INSTALAÇÃO DE SOFTWARE GUIA DE INSTALAÇÃO DE SOFTWARE SISTEMA MULTIFUNÇÕES DIGITAL Página INTRODUÇÃO ANTES DA INSTALAÇÃO INSTALAR O DRIVER DA IMPRESSORA LIGAÇÃO A UM COMPUTADOR 9 CONFIGURAR O CONTROLADOR DA IMPRESSORA 0 COMO

Leia mais

KM-NET for Accounting. Guia de Operação

KM-NET for Accounting. Guia de Operação KM-NET for Accounting Guia de Operação Informações legais e gerais Aviso É proibida a reprodução não autorizada deste guia ou parte dele. As informações neste guia estão sujeitas a alterações sem aviso

Leia mais

Seu manual do usuário EPSON LQ-630 http://pt.yourpdfguides.com/dref/1120693

Seu manual do usuário EPSON LQ-630 http://pt.yourpdfguides.com/dref/1120693 Você pode ler as recomendações contidas no guia do usuário, no guia de técnico ou no guia de instalação para. Você vai encontrar as respostas a todas suas perguntas sobre a no manual do usuário (informação,

Leia mais

IBM SmartCloud para Social Business. Manual do Administrador do IBMSmartCloudEngageeIBM SmartCloud Connections

IBM SmartCloud para Social Business. Manual do Administrador do IBMSmartCloudEngageeIBM SmartCloud Connections IBM SmartCloud para Social Business Manual do Administrador do IBMSmartCloudEngageeIBM SmartCloud Connections IBM SmartCloud para Social Business Manual do Administrador do IBMSmartCloudEngageeIBM SmartCloud

Leia mais

Lexmark Print Management

Lexmark Print Management Lexmark Print Management O Lexmark Print Management permite-lhe optimizar a impressão em rede e criar uma vantagem informativa com uma solução que pode ser implementada localmente ou através da nuvem.

Leia mais

Guia IPBRICK Billing 2.0

Guia IPBRICK Billing 2.0 Guia IPBRICK Billing 2.0 iportalmais 4 de Janeiro de 2013 1 Conteúdo 1 Introdução 3 2 Características 3 2.1 Novas características no Billing 2.0................... 3 3 Procedimento Básico 4 4 Instalação

Leia mais

Será que o número de linhas e o número de atendentes do meu serviço de atendimento está adequado?

Será que o número de linhas e o número de atendentes do meu serviço de atendimento está adequado? Alguma vez você você já deve ter se perguntado... Será que o número de linhas e o número de atendentes do meu serviço de atendimento está adequado? Quantos clientes minha empresa atende, por dia, por hora,

Leia mais

20 Escola Digital Manual do Utilizador Professor

20 Escola Digital Manual do Utilizador Professor 20 Escola Digital Manual do Utilizador Professor Manual do Utilizador Professor... 1 1. Conhecer o 20 Escola Digital... 4 2. Autenticação... 6 2.1. Criar um registo na LeYa Educação... 6 2.2. Aceder ao

Leia mais

JA-63 Profi Manual do Utilizador

JA-63 Profi Manual do Utilizador JA-63 Profi Manual do Utilizador Índice: 1 Indicadores... 3 2 Controlo do sistema... 4 2.1 Armar... 4 2.2 Desarmar... 5 2.3 Alarme de Pânico... 5 2.4 Para cancelar ALARME... 5 2.5 Armar em modo Home...

Leia mais

ESQUEMA DE FUNCIONAMENTO. 2. Como Funciona

ESQUEMA DE FUNCIONAMENTO. 2. Como Funciona 1 1. O que é? Sistema Inovador de Contacto; Tecnologia IVR Interactive Voice Response; Tecnologia TTS Text-to-speech; Tecnologia STT Speech-to-text; Criado e desenvolvido LOGICOMER, compatível com qualquer

Leia mais

Seu manual do usuário NOKIA 6630 http://pt.yourpdfguides.com/dref/381534

Seu manual do usuário NOKIA 6630 http://pt.yourpdfguides.com/dref/381534 Você pode ler as recomendações contidas no guia do usuário, no guia de técnico ou no guia de instalação para. Você vai encontrar as respostas a todas suas perguntas sobre a no manual do usuário (informação,

Leia mais

Migrar para o Excel 2010

Migrar para o Excel 2010 Neste Guia Microsoft O aspecto do Microsoft Excel 2010 é muito diferente do Excel 2003, pelo que este guia foi criado para ajudar a minimizar a curva de aprendizagem. Continue a ler para conhecer as partes

Leia mais

Sem fios (somente em alguns modelos)

Sem fios (somente em alguns modelos) Sem fios (somente em alguns modelos) Manual do utilizador Copyright 2006 Hewlett-Packard Development Company, L.P. Microsoft e Windows são marcas registadas da Microsoft Corporation nos EUA. Bluetooth

Leia mais

MODELO 827 CARACTERÍSTICAS. Controlador Trunking

MODELO 827 CARACTERÍSTICAS. Controlador Trunking MODELO 827 Controlador Trunking CARACTERÍSTICAS Obedece completamente ao Standard MPT1327/1343 e é compatível com os radiotelefones MPT1352/1327. Tem estrutura modular e o seu sistema de controlo com informação

Leia mais

GUIA DE INSTALAÇÃO E REFERÊNCIA ECR8200S/8220SPROGRAMMING UTILITY. P Code: 578413

GUIA DE INSTALAÇÃO E REFERÊNCIA ECR8200S/8220SPROGRAMMING UTILITY. P Code: 578413 GUIA DE INSTALAÇÃO E REFERÊNCIA ECR8200S/8220SPROGRAMMING UTILITY P Code: 578413 PUBLICAÇÃO EMITIDA POR: Olivetti S.p.A. www.olivetti.com Copyright 2013, Olivetti Todos os direitos reservados Chamamos

Leia mais

Manual do Nero MediaStreaming para MCE

Manual do Nero MediaStreaming para MCE Manual do Nero MediaStreaming para MCE Nero AG Informações sobre direitos de autor e marcas O manual e todos os seus conteúdos estão protegidos pelos direitos de autores e são propriedade da empresa Nero

Leia mais

NETALARM GATEWAY. Manual do Usuário

NETALARM GATEWAY. Manual do Usuário Índice 1. Introdução...3 2. Requisitos Mínimos de Instalação...3 3. Instalação...3 4. Inicialização do Programa...5 5. Abas de Configuração...6 5.1 Aba Serial...6 5.2 Aba TCP...7 5.2.1 Opções Cliente /

Leia mais

18-10-2009. Microsoft Office 2007 Processador de texto. UFCD 3772 Informática na óptica do utilizador fundamentos. Formadora: Sónia Rodrigues

18-10-2009. Microsoft Office 2007 Processador de texto. UFCD 3772 Informática na óptica do utilizador fundamentos. Formadora: Sónia Rodrigues Objectivos da UFCD: Utilizar um processador de texto. Pesquisar informação na. Utilizar uma aplicação de correio electrónico. UFCD 3772 Informática na óptica do utilizador fundamentos Duração: 25 Horas

Leia mais

ZS Rest. Manual Avançado. Gestão de Stocks Local. v2011

ZS Rest. Manual Avançado. Gestão de Stocks Local. v2011 Manual Avançado Gestão de Stocks Local v2011 1 1. Índice 2. Introdução... 3 3. Iniciar o ZSRest FrontOffice... 4 4. Produto... 5 b) Activar gestão de stocks... 5 i. Opção: Faz gestão de stocks... 5 ii.

Leia mais

Guia de consulta rápida DVR HD

Guia de consulta rápida DVR HD Guia de consulta rápida DVR HD Primeira parte: Operações Básicas... 2 1. Instalação básica... 2 2. Arranque... 2 3. Desligar... 2 4. Iniciar sessão... 2 5. Pré- visualização... 3 6. Configuração da gravação...

Leia mais

Security Shop MRS. Media Relay System. Manual do Usuário

Security Shop MRS. Media Relay System. Manual do Usuário Página 1 de 20 Security Shop MRS Media Relay System Manual do Usuário Página 2 de 20 Conteúdos: Conteúdos:... 2 Figuras:... 3 1. Introdução... 4 1.1 Âmbito do Documento... 4 1.2 Terminologia... 4 2. GERAL...

Leia mais

GLADIADOR INTERNET CONTROLADA v.1.2.3.9

GLADIADOR INTERNET CONTROLADA v.1.2.3.9 GLADIADOR INTERNET CONTROLADA v.1.2.3.9 Pela grande necessidade de controlar a internet de diversos clientes, a NSC Soluções em Informática desenvolveu um novo produto capaz de gerenciar todos os recursos

Leia mais

Comunicação e conectividade a solução ideal para gestão de sistemas integrados e integridade de dados

Comunicação e conectividade a solução ideal para gestão de sistemas integrados e integridade de dados a solução ideal para gestão de sistemas integrados e integridade de dados A solução para > Centro de dados > Aplicações de emergência > Escritórios > Indústrias de serviços > Indústria > Telecomunicações

Leia mais

PROTEKTO ACTFAST. Soluções para Segurança Pública. Porque todos os segundos contam

PROTEKTO ACTFAST. Soluções para Segurança Pública. Porque todos os segundos contam PROTEKTO Porque todos os segundos contam Soluções para Segurança Pública A resposta às ocorrências no âmbito da segurança pública, têm de ser imediatas, eficientes e eficazes. Cada resposta operacional,

Leia mais

Easy Series. Guia do utilizador. Painel de Controlo de Intrusão

Easy Series. Guia do utilizador. Painel de Controlo de Intrusão Easy Series PT Guia do utilizador Painel de Controlo de Intrusão Easy Series Guia do utilizador Utilizar o teclado de comando Utilizar o teclado de comando Estados do Dispositivo de Visualização Dispositivo

Leia mais

Software de Gestão Central GEONAUT

Software de Gestão Central GEONAUT Software de Gestão Central GEONAUT Acesso em tempo real na Web A autentificação do utilizador (user e password) conduz a uma interface personalizada, onde a disposição das funcionalidades e informação,

Leia mais

www.smartptt.com.br e-mail: info@smartptt.com.br O SOFTWARE MOTORBO Suporte: e-mail: suporte@smartptt.com.br Suporte: Fone: +55 11 2914-3040

www.smartptt.com.br e-mail: info@smartptt.com.br O SOFTWARE MOTORBO Suporte: e-mail: suporte@smartptt.com.br Suporte: Fone: +55 11 2914-3040 O SOFTWARE MOTORBO Um sistema de controle de comunicações moderno não é composto apenas de hardware. Atualmente, software tem papel primordial. Com ele, é possível extrair todo o potencial disponibilizado

Leia mais

Guia de Instalação do "Google Cloud Print"

Guia de Instalação do Google Cloud Print Guia de Instalação do "Google Cloud Print" Versão A POR Definições de notas Ao longo deste manual do utilizador, é utilizado o estilo de nota seguinte: As Notas indicam o que fazer se ocorrerem determinadas

Leia mais

Acronis Servidor de Licença. Manual do Utilizador

Acronis Servidor de Licença. Manual do Utilizador Acronis Servidor de Licença Manual do Utilizador ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 1.1 Descrição geral... 3 1.2 Política de licenças... 3 2. SISTEMAS OPERATIVOS SUPORTADOS... 4 3. INSTALAR O SERVIDOR DE LICENÇA

Leia mais

Notas de liberação Controle de acesso e software de administração de segurança

Notas de liberação Controle de acesso e software de administração de segurança Controle de acesso e software de administração de segurança DN2028-1111 / Versão 5.01 Copyright 2011 Tyco SA Internacional. e suas Companhias Respectivas. Todos os direitos reservados. Todas as especificações

Leia mais

Supervisão,Tele-manutenção,... HACCP. Soluções inovadoras para Supermercados

Supervisão,Tele-manutenção,... HACCP. Soluções inovadoras para Supermercados Supervisão,Tele-manutenção,... HACCP Soluções inovadoras para Supermercados Tecnologia Tecnología ed e Evoluzione Evolução Em pequenas instalações, onde as exigências de gerenciamento e controle são as

Leia mais

Manual do Radioserver

Manual do Radioserver Manual do Radioserver Versão 1.0.0 Alex Farias (Supervisão) Luiz Galano (Comercial) Vinícius Cosomano (Suporte) Tel: (011) 9393-4536 (011) 2729-0120 (011) 2729-0120 Email: alex@smartptt.com.br suporte@smartptt.com.br

Leia mais