Dia Regional Norte do Engenheiro 2016

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Dia Regional Norte do Engenheiro 2016"

Transcrição

1

2 Agenda 1. Ponto de Situação 2. O Conceito 3. Construção do Projeto de Portugal 4. Um Mapa de Potenciais Disputas 5. Por um Futuro de Sucesso

3 O Projecto de Portugal

4 A Lista de Espera

5 não Dia Regional Norte do Engenheiro 2016 O Procedimento Proposta. Apreciação por parte da comunidade internacional sim Secretário-Geral das Nações Unidas Recomendações favoráveis? PUBLICITA Limites finais e obrigatórios Comissão Sub-comissão Forma e Conteúdo da Proposta; Avaliação Inicial; Consulta com o Estado parte; Avaliação Técnica; Recomendações

6 Agenda 1. Ponto de Situação 2. O Conceito 3. Construção do Projeto de Portugal 4. Um Mapa de Potenciais Disputas 5. Por um Futuro de Sucesso

7 Aparecimento do termo Plataforma Continental (Hugh Robert Mill) Tratado de Paria Venezuela RU (Trindade e Tobago) Proclamação de Truman (prolongamento natural / plataforma continental jurídica) Convenção de Genebra sobre Plataforma Continental (200 m / explorabilidade) Declaração nas NU de Arvid Pardo (património comum da humanidade) Entrada em vigor da CNUDM III Conferência das NU sobre o Direito do Mar Geológico Jurídico: Político/Económico Exploração de Recursos

8 Território Emerso Linha de costa ou linha de base reta Mar Territorial Soberania idêntica ao território emerso, exceto direito de passagem inofensiva 12 MM 24 MM 200 MM Zona Contígua Jurisdição em matéria fiscal, imigração, sanitária e aduaneira Zona Económica Exclusiva Direitos de soberania para exploração, conservação e gestão dos recursos naturais vivos e não-vivos Jurisdição ambiental Liberdade navegação e sobrevoo Alto Mar Liberdade de navegação, sobrevoo, de exploração e aproveitamento dos recursos naturais Plataforma Continental Direitos exclusivos de soberania para exploração e aproveitamento dos recursos naturais (no leito e subsolo) Jurisdição ambiental Plataforma Continental Exterior Área Gestão Internacional dos recursos minerais do leito e subsolo Zonas Marítimas Reconhecimen to pela CLPC depende das características naturais Limite Máximo: 350 MM ou 2500 m MM

9 Convenção das Nações Unidas sobre o Direito do Mar (CNUDM, 1982) Conceito de plataforma continental em sentido jurídico o art.º 76.º, n.º1, da CNUDM A plataforma continental de um Estado costeiro compreende o leito e o subsolo das áreas submarinas que se estendem além do seu mar territorial, em toda a extensão do prolongamento natural do seu território terrestre, até ao bordo exterior da margem continental ou até uma distância de 200 milhas marítimas das linhas de base a partir das quais se mede a largura do mar territorial, nos casos em que o bordo exterior da margem continental não atinja essa distância.

10 Convenção das Nações Unidas sobre o Direito do Mar (CNUDM, 1982) Artigo 77º 2. Os direitos ( ) são exclusivos, ( ) se o Estado costeiro não explora a plataforma continental ou não aproveita os recursos naturais da mesma, ninguém pode empreender estas actividades ( ). 3. Os direitos do Estado costeiro sobre a plataforma continental são independentes da sua ocupação, real ou fictícia, ou de qualquer declaração expressa.

11 Fórmulas Negativas Hedberg Gardiner Fórmulas Positivas

12 Agenda 1. Ponto de Situação 2. O Conceito 3. Construção do Projeto de Portugal 4. Um Mapa de Potenciais Disputas 5. Por um Futuro de Sucesso

13 O Projeto de Portugal Ratificação da CNUDM em 3nov1997; Criação da Comissão Interministerial para Delimitação da Plataforma Continental (CIDPC) em 26fev1998; Nomeação dos GT1 e GT2 em finais de 2002; Desktop study concluído em jan2004; Parecer CIDPC para execução do Projeto em mar2004; Criação da EMEPC em 16nov2004; Início dos levantamentos em jan2005; Submissão de Portugal depositada junto das NU em 11maio2009 (A aguardar a continuação do processo junto da CLPC)

14 Alargar Portugal Investimento em componentes I&D inovadores

15 Alargar Portugal Operacionalidade sem paralelo em águas oceânicas profundas Até 2004 Áreas fora de alcance Após 2008

16 Alargar Portugal Campanhas Científicas

17 Alargar Portugal Navios Envolvidos

18 2004 Alargar Portugal Geomorfometria dias no mar + 2 milhões/km

19 Alargar Portugal Geomorfometria Sondador Feixe Simples Sondador Multifeixe

20 Alargar Portugal Geologia / Geofísica dias; 3500 km

21 Alargar Portugal GEOMORFOMETRIA Um Mar de Conhecimento Sistemas e Tecnologias de Informação

22 Alargar Portugal Versatilidade elevada em investigação aplicada e fundamental Artigo 76. A plataforma continental de um Estado costeiro compreende o leito e o subsolo dasáreas Direito Hidrografia Engenharia e Tecnologias Geologia SI/TI Biologia Geofísica Oceanografia Economia e Relações Internacionais

23 EMEPC Alargar Portugal Equipa do Projeto e Colaboradores 26 Parceiros Cooperação = Competência Acrescida + de de 40

24 Agenda 1. Ponto de Situação 2. O Conceito 3. Construção do Projeto de Portugal 4. Um Mapa de Potenciais Disputas 5. Por um Futuro de Sucesso

25 Um Novo Mapa de Soberanias Um Novo Mapa de Recursos Naturais

26 Um Mapa de Potenciais Disputas

27 Um Mapa de Potenciais Disputas

28 Um Mapa de Potenciais Disputas

29 Agenda 1. Ponto de Situação 2. O Conceito 3. Construção do Projeto de Portugal 4. Um Mapa de Potenciais Disputas 5. Por um Futuro de Sucesso

30 Por um Futuro de Sucesso Da Submissão: adequabilidade e aceitabilidade Perseverança no processo Diplomacia Participação na CLPC Acompanhamento ISA Reconhecimento pela Comunidade Internacional

31 Por um Futuro de Sucesso ~ Km MM Dimensão Profundidade Diversidade ZEE Subárea CONTINENTE ZEE Subárea AÇORES ZEE Subárea MADEIRA ZEE PORTUGUESA PLATAFORMA CONTINENTAL EXTENDIDA ÁREA MARÍTIMA TOTAL PROF. MÁXIMA (m) PROF. MÉDIA (m)

32 Por um Futuro de Sucesso Preparar a capacidade Demonstrar o potencial Assegurar a preservação Concretizar a exploração

33

PLATAFORMA CONTINENTAL O Novo Mapa de Portugal. Seminário Diplomático

PLATAFORMA CONTINENTAL O Novo Mapa de Portugal. Seminário Diplomático PLATAFORMA CONTINENTAL O Novo Mapa de Portugal 1/9/2014 PROJETAR PORTUGAL 1 1 Sumário O limite exterior da plataforma continental para lá das 200 milhas náuticas Plataforma continental: o projeto português

Leia mais

o Decreto-Lei n. 108/2010, de 13 de outubro, define o regime juridico das medidas

o Decreto-Lei n. 108/2010, de 13 de outubro, define o regime juridico das medidas DL 271/2012 2012.06.08 o Decreto-Lei n. 108/2010, de 13 de outubro, define o regime juridico das medidas necessidas para garantir o born estado ambiental do meio marinho ate 2020, transpondo para a ordem

Leia mais

Direitos Brasileiros de Zona Econômica Exclusiva e de Plataforma Continental em Torno do Arquipélago de São Pedro e São Paulo,

Direitos Brasileiros de Zona Econômica Exclusiva e de Plataforma Continental em Torno do Arquipélago de São Pedro e São Paulo, Direitos Brasileiros de Zona Econômica Exclusiva e de Plataforma Continental em Torno do Arquipélago de São Pedro e São Paulo, por Joanisval Brito Gonçalves I INTRODUÇÃO Este trabalho trata da proposta

Leia mais

A Geologia submarina do sul de Portugal Continental e o projecto de Extensão da Plataforma Continental jurídica

A Geologia submarina do sul de Portugal Continental e o projecto de Extensão da Plataforma Continental jurídica A Geologia submarina do sul de Portugal Continental e o projecto de Extensão da Plataforma Continental jurídica Pedro Terrinha (1) e Nuno Lourenço (2,3) 1. Laboratório Nacional de Energia e Geologia 2.

Leia mais

RESUMO DE AULA. O Brasil já incorporou essa convenção ao direito brasileiro que esta previsto na Lei 8617/93 um marco no direito interno.

RESUMO DE AULA. O Brasil já incorporou essa convenção ao direito brasileiro que esta previsto na Lei 8617/93 um marco no direito interno. RESUMO DE AULA Turma/Turno: noite Data: 19/06/2012 Disciplina: Direito Internacional Professor: Marcelo David Assunto e nº da aula: Domínio Marítimo Aula 1 Domínio Marítimo Assunto econômico mais importante

Leia mais

Parecer sobre Estudo de Avaliação de Impacto Ambiental, Social e de Saúde no Bloco 6, São Tomé e Príncipe

Parecer sobre Estudo de Avaliação de Impacto Ambiental, Social e de Saúde no Bloco 6, São Tomé e Príncipe REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE Gabinete da Presidência do governo Regional Direção Regional do Ambiente e Conservação da Natureza Unidade Disciplina Trabalho Parecer sobre Estudo de Avaliação

Leia mais

A Governança do Acesso ao Patrimônio Genético e aos Conhecimentos Tradicionais Associados no Cenário Nacional

A Governança do Acesso ao Patrimônio Genético e aos Conhecimentos Tradicionais Associados no Cenário Nacional Secretaria de Biodiversidade e Florestas Departamento do Patrimônio Genético A Governança do Acesso ao Patrimônio Genético e aos Conhecimentos Tradicionais Associados no Cenário Nacional MP 2186-16 de

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SECRETARIA DOS ÓRGÃOS COLEGIADOS

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SECRETARIA DOS ÓRGÃOS COLEGIADOS DELIBERAÇÃO Nº 82, DE 11 DE MAIO DE 2012 O DA UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO, tendo em vista a decisão tomada em sua 257ª Reunião Extraordinária, realizada em 11 de maio de 2012, e considerando

Leia mais

PRESIDÊNCIA. Declaração

PRESIDÊNCIA. Declaração Declaração Os órgãos de comunicação social do passado fim-de-semana falavam num memorando de informação facultado aos interessados na privatização da ANA Aeroportos de Portugal, que tiveram de entregar

Leia mais

AS NOVAS FRONTEIRAS DO PETRÓLEO BRASILEIRO

AS NOVAS FRONTEIRAS DO PETRÓLEO BRASILEIRO XXIX ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO. AS NOVAS FRONTEIRAS DO PETRÓLEO BRASILEIRO Leonardo Antonio Monteiro Pessôa (COPPE/UFRJ) lampessoa@terra.com.br Rodrigo Abrunhosa Collazo (COPPE/UFRJ)

Leia mais

Estratégia Nacional para o MAR

Estratégia Nacional para o MAR Estratégia Nacional para o MAR 2013-2020 Sumário Executivo A ENM2013-2020 apresenta um novo modelo de desenvolvimento do oceano e das zonas costeiras que permitirá a Portugal responder aos desafios colocados

Leia mais

MARINHA DO BRASIL CENTRO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL DA MARINHA NOTA À IMPRENSA

MARINHA DO BRASIL CENTRO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL DA MARINHA NOTA À IMPRENSA MARINHA DO BRASIL CENTRO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL DA MARINHA NOTA À IMPRENSA Brasília, em 30 de janeiro de 2014. A Marinha do Brasil (MB) esclarece que o Navio-Aeródromo (NAe) São Paulo desatracou no dia

Leia mais

Formação dos dirigentes e quadros superiores da Administração Pública para as energias renováveis oceânicas

Formação dos dirigentes e quadros superiores da Administração Pública para as energias renováveis oceânicas Formação dos dirigentes e quadros superiores da Administração Pública para as energias renováveis oceânicas Tópico: Análise do quadro normativo em Portugal e comparação com outros países da Europa Tema

Leia mais

AMAZÔNIA AZUL, PRÉ-SAL, SOBERANIA E JURISDIÇÃO MARÍTIMA

AMAZÔNIA AZUL, PRÉ-SAL, SOBERANIA E JURISDIÇÃO MARÍTIMA DIREITO marítimo Hélcio Corrêa AMAZÔNIA AZUL, PRÉ-SAL, SOBERANIA E JURISDIÇÃO MARÍTIMA BLUE AMAZON, PRE-SALT, SOVEREIGNTY AND MARITIME JURISDICTION Eliane Octaviano Martins 83 Resumo Analisa a questão

Leia mais

TECNOPARQUE UECE INCUBADORA DE EMPRESAS HELIANE CÁPUA DALLAPÍCULA

TECNOPARQUE UECE INCUBADORA DE EMPRESAS HELIANE CÁPUA DALLAPÍCULA TECNOPARQUE UECE INCUBADORA DE EMPRESAS HELIANE CÁPUA DALLAPÍCULA NOVEMBRO 2009 INCUBADORA DE EMPRESAS É um ambiente que possui condições efetivas para possibilitar o desenvolvimento de negócios promissores

Leia mais

PROJETO ACESSO AQUAVIÁRIO AOS PORTOS

PROJETO ACESSO AQUAVIÁRIO AOS PORTOS PROJETO ACESSO AQUAVIÁRIO AOS PORTOS PROPOSTA DE MODELO DE CONCESSÃO CONTRIBUIÇÕES À SEP (A VISÃO DOS USUÁRIOS NO DESENVOLVIMENTO DO PROJETO) MAIO/2015 4 (QUATRO) PRESSUPOSTOS BÁSICOS MODELO:. Parceria

Leia mais

SNIMar - Informação geográfica integrada para a gestão de águas marinhas e costeiras

SNIMar - Informação geográfica integrada para a gestão de águas marinhas e costeiras SNIMar - Informação geográfica integrada para a gestão de águas marinhas e costeiras Teresa Rafael 11 de março de 2014 Pontos chave: O que é o SNIMar? Quais são os objetivos? Organização e gestão do projeto

Leia mais

Decreto Regulamentar n. º 10/2009, de 29 de Maio

Decreto Regulamentar n. º 10/2009, de 29 de Maio Decreto Regulamentar n. º 10/2009, de 29 de Maio 1 Decreto Regulamentar n.º 10/2009, de 29 de Maio Fixa a cartografia a utilizar nos instrumentos de gestão territorial, bem como na representação de quaisquer

Leia mais

OPAS/OMS Representação do Brasil Programa de Cooperação Internacional em Saúde - TC 41 Resumo Executivo de Projeto

OPAS/OMS Representação do Brasil Programa de Cooperação Internacional em Saúde - TC 41 Resumo Executivo de Projeto Identificação do Projeto OPAS/OMS Representação do Brasil Programa de Cooperação Internacional em Saúde - TC 41 Resumo Executivo de Projeto Suporte ao desenvolvimento da Rede Saúde & Diplomacia Seguimento

Leia mais

SEGUNDA EDIÇÃO REVISTA EATUALIZADA D) CO. D f ANTÓNIO DIAS LEITE PRÉMIO JABUTI 1998 CAMPUS ELSEVIER

SEGUNDA EDIÇÃO REVISTA EATUALIZADA D) CO. D f ANTÓNIO DIAS LEITE PRÉMIO JABUTI 1998 CAMPUS ELSEVIER SEGUNDA EDIÇÃO REVISTA EATUALIZADA ANTÓNIO DIAS LEITE D) CO IL D f PRÉMIO JABUTI 1998 ELSEVIER CAMPUS CAPÍTULO I - A QUESTÃO GLOBAL DA ENERGIA Visão da energia no inundo 34 Antecedentes 35 Longo domínio

Leia mais

Um Plano de Investimento para a Europa

Um Plano de Investimento para a Europa Um Plano de Investimento para a Europa O «triângulo virtuoso» INVESTIMENTO REFORMAS ESTRUTURAIS RESPONSABILIDADE ORÇAMENTAL 1 Um Plano de Investimento para a Europa MOBILIZAR FINANCIAMENTOS PARA O INVESTIMENTO

Leia mais

O novo quadro institucional dos assuntos do Mar em Portugal

O novo quadro institucional dos assuntos do Mar em Portugal O novo quadro institucional dos assuntos do Mar em Portugal 19 de Abril de 2012 (5.ª feira), 17h00 CONVITE O Presidente da Sociedade de Geografia de Lisboa (SGL) tem a honra de convidar V. Ex.ª e sua Exma.

Leia mais

Alexandre Pereira da Silva Universidade Federal de Pernambuco

Alexandre Pereira da Silva Universidade Federal de Pernambuco BRASIL E CANADÁ NA CONVENÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS SOBRE O DIREITO DO MAR: OS ESFORÇOS BRASILEIROS E CANADENSES PARA AUMENTAREM SUAS PLATAFORMAS CONTINENTAIS Alexandre Pereira da Silva Universidade Federal

Leia mais

Manuel António Paulo 18 de Outubro de 2013 ESTRATÉGIA PARA A FORMAÇÃO MARÍTIMO-PORTUÁRIA NO ESPAÇO APLOP

Manuel António Paulo 18 de Outubro de 2013 ESTRATÉGIA PARA A FORMAÇÃO MARÍTIMO-PORTUÁRIA NO ESPAÇO APLOP Manuel António Paulo 18 de Outubro de 2013 ESTRATÉGIA PARA A FORMAÇÃO MARÍTIMO-PORTUÁRIA NO ESPAÇO APLOP ÍNDICE 01. ENQUADRAMENTO 02. DESENVOLVIMENTO PORTUÁRIO NA APLOP 03. ESTRATÉGIAS DE FORMAÇÃO COMPETITIVAS

Leia mais

GEOGRAFIA - 2 o ANO MÓDULO 64 OCEANIA

GEOGRAFIA - 2 o ANO MÓDULO 64 OCEANIA GEOGRAFIA - 2 o ANO MÓDULO 64 OCEANIA Como pode cair no enem (UFRGS) Considere as seguintes afirmações sobre a Austrália. I) A Austrália não recebe fluxos migratórios significativos, apesar de ser considerado

Leia mais

DOMINIO MARITIMO BRASILEIRO E A AMAZÔNIA AZUL

DOMINIO MARITIMO BRASILEIRO E A AMAZÔNIA AZUL DOMINIO MARITIMO BRASILEIRO E A AMAZÔNIA AZUL Eliane M. Octaviano Martins 1 José Carlos de Carvalho Filho 2 Sumário: Introdução; 1. A Importância territorial das Zonas Marítimas; 1.1 As Convenções Internacionais

Leia mais

1. CONTAS DE DEPÓSITO (PARTICULARES) (ÍNDICE)

1. CONTAS DE DEPÓSITO (PARTICULARES) (ÍNDICE) 1.1. Depósitos à ordem 1. Comissão de gestão/manutenção de conta Conta NB 100% (clientes particulares residentes e não residentes, maiores de 18 anos). Conta NB 100% 55+ (clientes particulares residentes

Leia mais

Administração Pública Central Inquérito à Utilização das Tecnologias da Informação e da Comunicação Resultados 2000

Administração Pública Central Inquérito à Utilização das Tecnologias da Informação e da Comunicação Resultados 2000 Administração Pública Central Inquérito à Utilização das Tecnologias da Informação e da Comunicação Resultados 2000 NOTA TÉCNICA Universo de referência Organismos da Administração Pública Central Realização

Leia mais

Apoio à Economia Circular no Portugal 2020. O caso do PO SEUR. Helena Pinheiro de Azevedo

Apoio à Economia Circular no Portugal 2020. O caso do PO SEUR. Helena Pinheiro de Azevedo Apoio à Economia Circular no Portugal 2020 O caso do PO SEUR Helena Pinheiro de Azevedo ECONOMIA CIRCULAR o que é É uma sociedade que privilegia a Eficiência no Uso de Recursos Naturais Evita o uso e desperdício

Leia mais

Educador Ambiental. Curso de Formação. Eng.ª Mariana Cruz Mariana.cruz@biorumo.com

Educador Ambiental. Curso de Formação. Eng.ª Mariana Cruz Mariana.cruz@biorumo.com 1 Curso de Formação Educador Ambiental 2009 Eng.ª Mariana Cruz Mariana.cruz@biorumo.com 2 Curso de Formação: Educador Ambiental Índice: 1 Apresentação da entidade formadora e de Coordenação do Curso 2

Leia mais

Seminário de Transporte Ferroviário. Alargar Horizontes. 10º Ciclo de Seminários Transportes e Negócios

Seminário de Transporte Ferroviário. Alargar Horizontes. 10º Ciclo de Seminários Transportes e Negócios Seminário de Transporte Ferroviário Alargar Horizontes 10º Ciclo de Seminários Transportes e Negócios 1.Funcionamento do Sector 2.Portugal na Península Ibérica 3.Novo Paradigma 4.Objectivos CP Carga 5.Materialização

Leia mais

CONCEITOS DE CARTOGRAFIA ENG. CARTÓGRAFA ANNA CAROLINA CAVALHEIRO

CONCEITOS DE CARTOGRAFIA ENG. CARTÓGRAFA ANNA CAROLINA CAVALHEIRO CONCEITOS DE CARTOGRAFIA ENG. CARTÓGRAFA ANNA CAROLINA CAVALHEIRO CAMPO LARGO, 15 DE ABRIL DE 2013 Cartografia Cartografia é o conjunto de estudos e operações científicas, artísticas e técnicas, baseado

Leia mais

Obra 409. Ponte sobre a Ribeira do Jamor ao Km 1+550

Obra 409. Ponte sobre a Ribeira do Jamor ao Km 1+550 Designação: Ponte sobre a Ribeira do Jamor ao Km 1+550, do Muro de Contenção da Plataforma Rodoviária da Zona da Gibalta, da PS ao CF ao Km 3+600, da PI ao Km 8+700, da PP ao Km 10+660 e da PI ao Km 11+280

Leia mais

PROTECÇÃO DE RECURSOS MARINHOS PERSPECTIVA JURÍDICA INTERNACIONAL DECISÕES DO TRIBUNAL INTERNACIONAL DO DIREITO DO MAR

PROTECÇÃO DE RECURSOS MARINHOS PERSPECTIVA JURÍDICA INTERNACIONAL DECISÕES DO TRIBUNAL INTERNACIONAL DO DIREITO DO MAR PROTECÇÃO DE RECURSOS MARINHOS PERSPECTIVA JURÍDICA INTERNACIONAL DECISÕES DO TRIBUNAL INTERNACIONAL DO DIREITO DO MAR Comunicação apresentada pela Dra. Cristina Lança, em 30 de Junho Introdução Tem havido

Leia mais

Minuta Circular Normativa

Minuta Circular Normativa Minuta Circular Normativa 1. INTRODUÇÃO 1.1. Objetivo a) Estabelecer princípios e diretrizes para orientar as ações de natureza socioambiental nos negócios da Desenbahia e no seu relacionamento com clientes

Leia mais

Tecnologias para disposição final de resíduos sólidos urbanos em municípios de pequeno porte. Dr. Cristiano Kenji Iwai

Tecnologias para disposição final de resíduos sólidos urbanos em municípios de pequeno porte. Dr. Cristiano Kenji Iwai Tecnologias para disposição final de resíduos sólidos urbanos em municípios de pequeno porte Dr. Cristiano Kenji Iwai Belo Horizonte Março/2013 Introdução Condições da disposição de resíduos no Brasil

Leia mais

O sistema LiderA em Obra de Infraestrutura rodoviária

O sistema LiderA em Obra de Infraestrutura rodoviária O sistema LiderA em Obra de Infraestrutura rodoviária EN6 Reabilitação e Reforço da Ponte sobre a Ribeira do Jamor ao km 1+550, do muro de contenção da plataforma rodoviária da zona da Gibalta, da PS ao

Leia mais

Mini-MBA de Especialização de Marketing Coordenador/Formador: José Guimarães

Mini-MBA de Especialização de Marketing Coordenador/Formador: José Guimarães Mini-MBA de Especialização de Marketing Coordenador/Formador: José Guimarães Índice Duração Total... 2 Destinatários... 2 Perfil de saída... 2 Pré-Requisitos... 3 Objetivo Geral... 3 Objetivos Específicos...

Leia mais

A SOLUÇÃO QuickServices é uma Solução mysap All-in-One desenvolvida pela INSA, para as Empresas de Prestação de Serviços, Outsourcing, Obras, Limpeza, etc. Permite realizar as principais funções da empresa,

Leia mais

Zona Vulnerável a Nitratos-Tejo. Condicionalidades e Obrigações. Agricultura Presente, um Projeto com Futuro

Zona Vulnerável a Nitratos-Tejo. Condicionalidades e Obrigações. Agricultura Presente, um Projeto com Futuro Zona Vulnerável a Nitratos-Tejo Condicionalidades e Obrigações Agricultura Presente, Agricultura Presente, um Projeto com Futuro um Projecto com Futuro Santarém 28 de fevereiro de 2015 Agenda 1. Definição

Leia mais

ARGANIL INVESTE MAIS REGULAMENTO DE APOIO A INICIATIVAS ECONÓMICAS DE INTERESSE MUNICIPAL. Nota Justificativa

ARGANIL INVESTE MAIS REGULAMENTO DE APOIO A INICIATIVAS ECONÓMICAS DE INTERESSE MUNICIPAL. Nota Justificativa ARGANIL INVESTE MAIS REGULAMENTO DE APOIO A INICIATIVAS ECONÓMICAS DE INTERESSE MUNICIPAL Nota Justificativa Considerando que a competitividade da economia concelhia está na primeira linha das preocupações

Leia mais

Do direito do mar e de seus avatares A plataforma continental brasileira

Do direito do mar e de seus avatares A plataforma continental brasileira Do direito do mar e de seus avatares A plataforma continental brasileira Jorge Fontoura Antes que el tiempo se acuñara en días, el mar, el siempre mar, ya estaba y era. Quién es el mar? Quién es aquel

Leia mais

GESTÃO AMBIENTAL DA CONSTRUÇÃO. LI n 711/2010

GESTÃO AMBIENTAL DA CONSTRUÇÃO. LI n 711/2010 Estaleiro e Base Naval para a Construção de Submarinos Convencionais e de Propulsão GESTÃO AMBIENTAL DA CONSTRUÇÃO LI n 711/2010 RELATÓRIO ANUAL - 2012 SEÇÃO II PROGRAMA DE GESTÃO AMBIENTAL INTEGRADA Projeto

Leia mais

CONVENÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS SOBRE O DIREITO DO MAR

CONVENÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS SOBRE O DIREITO DO MAR DECRETO Nº 1.530, DE 22 DE JUNHO DE 1995 Declara a entrada em vigor da Convenção das Nações Unidas sobre o Direito do Mar, concluída em Montego Bay, Jamaica, em 10 de dezembro de 1982. O PRESIDENTE DA

Leia mais

PHC CS. Loja Web. A sua loja online integrada com o PHC CS Gestão. Aproveite todos os benefícios do seu negócio online

PHC CS. Loja Web. A sua loja online integrada com o PHC CS Gestão. Aproveite todos os benefícios do seu negócio online PHC CS Loja Web Aproveite todos os benefícios do seu negócio online Venda a qualquer hora, em qualquer local Atinja novos mercados Modernize a imagem do seu negócio Melhore o seu serviço ao cliente Evite

Leia mais

XIII SBSR Florianopolis Abril 2007 Pierre Sabaté

XIII SBSR Florianopolis Abril 2007 Pierre Sabaté Instituição pública de caráter científico e tecnológico (EPST) sob dupla tutela dos ministérios da Pesquisa e da Cooperação O IRD conduz programas científicos voltados para as relações entre o homem e

Leia mais

ACORDO DE PARCERIA 2014-2020 PORTUGAL 2020

ACORDO DE PARCERIA 2014-2020 PORTUGAL 2020 ACORDO DE PARCERIA 2014-2020 PORTUGAL 2020 1 Portugal 2020, o Acordo de Parceria (AP) que Portugal irá submeter à Comissão Europeia estrutura as intervenções, os investimentos e as prioridades de financiamento

Leia mais

CONVENÇÃO SOBRE O MAR TERRITORIAL E A ZONA CONTÍGUA. Os Estados partes na presente Convenção acordaram nas disposições seguintes:

CONVENÇÃO SOBRE O MAR TERRITORIAL E A ZONA CONTÍGUA. Os Estados partes na presente Convenção acordaram nas disposições seguintes: Decreto-Lei n.º 44490 Convenção sobre o mar territorial e a zona contígua, aprovada na 1.ª Conferência de Direito do Mar, realizada em Genebra em 1958, e assinados em 28 de Outubro do mesmo ano Usando

Leia mais

GEODIVERSIDADE DO AMAZONAS EXEMPLO EXITOSO DE UMA POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE AOS RECURSOS MINERAIS, HÍDRICOS E DE ÓLEO E GÁS DA AMAZÔNIA

GEODIVERSIDADE DO AMAZONAS EXEMPLO EXITOSO DE UMA POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE AOS RECURSOS MINERAIS, HÍDRICOS E DE ÓLEO E GÁS DA AMAZÔNIA GEODIVERSIDADE DO AMAZONAS EXEMPLO EXITOSO DE UMA POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE AOS RECURSOS MINERAIS, HÍDRICOS E DE ÓLEO E GÁS DA AMAZÔNIA Deputado Sinésio Campos Líder do Governo Estadual e do Governo

Leia mais

SISTEMA DE INCENTIVOS À I&DT

SISTEMA DE INCENTIVOS À I&DT SISTEMA DE INCENTIVOS À I&DT PROJECTOS DE I&DT EMPRESAS INDIVIDUAIS AVISO N.º 15 / SI/ 2009 REFERENCIAL DE ANÁLISE DO MÉRITO DO PROJECTO Regra geral, o indicador MP (Mérito do Projecto) é determinado através

Leia mais

Manual do Revisor Oficial de Contas. Recomendação Técnica n.º 5

Manual do Revisor Oficial de Contas. Recomendação Técnica n.º 5 Recomendação Técnica n.º 5 Revisão de Demonstrações Financeiras Intercalares Janeiro de 1988 Índice Julho de 1993 (1ª Revisão) Parágrafos Introdução 1-3 Justificação 4-5 Objectivos 6-8 Recomendações 9-17

Leia mais

MISSÃO DO GRUPO. O Grupo Crédito Agrícola é um motor de desenvolvimento local.

MISSÃO DO GRUPO. O Grupo Crédito Agrícola é um motor de desenvolvimento local. MISSÃO DO GRUPO O Grupo Crédito Agrícola é um motor de desenvolvimento local. Conhecedor profundo do tecido empresarial das várias regiões onde actua, oferece as melhores soluções para as expectativas

Leia mais

resoluções acima referidas e ainda as responsabilidades que a Portugal incumbem enquanto potência administrante do território em causa; 6) Portugal

resoluções acima referidas e ainda as responsabilidades que a Portugal incumbem enquanto potência administrante do território em causa; 6) Portugal Resolução da Assembleia da República n.º 60-B/97 Convenção das Nações Unidas sobre o Direito do Mar e o Acordo Relativo à Aplicação da Parte XI da mesma Convenção Aprova, para ratificação, a Convenção

Leia mais

REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR-LESTE PARLAMENTO NACIONAL. Lei n. o 7/2002

REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR-LESTE PARLAMENTO NACIONAL. Lei n. o 7/2002 REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR-LESTE PARLAMENTO NACIONAL Lei n. o 7/2002 de 20 de Setembro FRONTEIRAS MARÍTIMAS DO TERRITÓRIO DA REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR-LESTE A Constituição da República Democrática

Leia mais

ABNT NBR 7680:2015 Concreto Extração, preparo, ensaio e análise de testemunhos de estruturas de concreto Parte 1: Resistência à compressão

ABNT NBR 7680:2015 Concreto Extração, preparo, ensaio e análise de testemunhos de estruturas de concreto Parte 1: Resistência à compressão ABNT NBR 7680:2015 Concreto Extração, preparo, ensaio e análise de testemunhos de estruturas de concreto Parte 1: Resistência à compressão Eng.º Felipe C. Bungenstab, M.Sc. Brascontec Engenharia e Tecnologia

Leia mais

Projeto 1 do Plano de Ação Lixo Marinho Açores

Projeto 1 do Plano de Ação Lixo Marinho Açores Projeto 1 do Plano de Ação Lio Marinho Açores Projeto DQEM DeLioMar Lio Marinho Descrição É um projeto de âmbito nacional, incluído no programa de monitorização de Portugal, para responder ao Descritor

Leia mais

RELATÓRIO DE CONCRETIZAÇÃO DO PROCESSO DE BOLONHA

RELATÓRIO DE CONCRETIZAÇÃO DO PROCESSO DE BOLONHA RELATÓRIO DE CONCRETIZAÇÃO DO PROCESSO DE BOLONHA ANO LECTIVO 2009/2010 Universidade de Aveiro e Universidade do Porto Fernando Almeida (UA) Helena Sant Ovaia (UP) Geomateriais e Recursos Geológicos 1.

Leia mais

O papel da iniciativa privada no desenvolvimento da gestão pública brasileira

O papel da iniciativa privada no desenvolvimento da gestão pública brasileira O papel da iniciativa privada no desenvolvimento da gestão pública brasileira CONTEXTO BRASIL 1970 90 milhões de habitantes 2010 190 milhões de habitantes... Temos feito muito, mas não o suficiente...

Leia mais

Convenção das Nações Unidas sobre o Direito do Mar. Diário da República n.º 238/97 Série I-A, 1.º Suplemento de 14 de Outubro de 1997

Convenção das Nações Unidas sobre o Direito do Mar. Diário da República n.º 238/97 Série I-A, 1.º Suplemento de 14 de Outubro de 1997 Convenção das Nações Unidas sobre o Direito do Mar Diário da República n.º 238/97 Série I-A, 1.º Suplemento de 14 de Outubro de 1997 Resolução da Assembleia da República n.º 60-B/97 SUMÁRIO: Aprova, para

Leia mais

Contributos da Gestão de Resíduos Urbanos para o Desenvolvimento Socioeconómico e Ambiental de Portugal

Contributos da Gestão de Resíduos Urbanos para o Desenvolvimento Socioeconómico e Ambiental de Portugal Contributos da Gestão de Resíduos Urbanos para o Desenvolvimento Socioeconómico e Ambiental de Portugal Apresentação Pública 28 de maio de 2014 PARCEIROS: ESTUDO PROMOVIDO POR: 1. INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO

Leia mais

SOBRE O TESLA CONCURSOS

SOBRE O TESLA CONCURSOS AGENDA TÉCNICO 2013 SOBRE O TESLA CONCURSOS O Tesla Concursos foi idealizado para atender à demanda crescente de engenheiros, interessados em seguir carreiras públicas que têm como porta de entrada, exclusivamente,

Leia mais

RSO EM ÉPOCA DE VACAS MAGRAS, O CASE STUDY DO OUTPLACEMENT. O seu Parceiro em Serviços de Outplacement

RSO EM ÉPOCA DE VACAS MAGRAS, O CASE STUDY DO OUTPLACEMENT. O seu Parceiro em Serviços de Outplacement RSO EM ÉPOCA DE VACAS MAGRAS, O CASE STUDY DO OUTPLACEMENT O seu Parceiro em Serviços de OUTPLACEMENT Serviço contratado por uma empresa, que ajuda os colaboradores desvinculados a encontrar um novo projecto

Leia mais

9/13/2011. Smart Grid. Oportunidade aproveitamento da capilaridade do sistema elétrico possibilitando novos serviços

9/13/2011. Smart Grid. Oportunidade aproveitamento da capilaridade do sistema elétrico possibilitando novos serviços Smart Grid Oportunidade aproveitamento da capilaridade do sistema elétrico possibilitando novos serviços Objetivo aumento da confiabilidade e qualidade do fornecimento de energia elétrica, a uma melhor

Leia mais

ESTADO DE GOIÁS CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO CONSELHO PLENO RESOLUÇÃO CEE PLENO N. 3, DE 3 DE JULHO DE 2006.

ESTADO DE GOIÁS CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO CONSELHO PLENO RESOLUÇÃO CEE PLENO N. 3, DE 3 DE JULHO DE 2006. Regulamenta a progressão parcial no ensino fundamental e médio e dá outras providências. O DE GOIÁS, no uso das atribuições que lhe confere o Art. 160, da Constituição Estadual; com amparo nos Art 53 e

Leia mais

SUPLEMENTO. Série I, N. 4 SUMÁRIO. Jornal da República PUBLICAÇÃO OFICIAL DA REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR - LESTE

SUPLEMENTO. Série I, N. 4 SUMÁRIO. Jornal da República PUBLICAÇÃO OFICIAL DA REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR - LESTE Série I, N. 4 $ 6.75 PUBLICAÇÃO OFICIAL DA REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR - LESTE SUPLEMENTO SUMÁRIO GRÁFICA NACIONAL DE TIMOR-LESTE : Declaração de Rectificação N o. 02/2012 de 27 de Dezembro Republicação

Leia mais

Comissão avalia o impacto do financiamento para as regiões e lança um debate sobre a próxima ronda da política de coesão

Comissão avalia o impacto do financiamento para as regiões e lança um debate sobre a próxima ronda da política de coesão IP/07/721 Bruxelas, 30 de Maio de 2007 Comissão avalia o impacto do financiamento para as regiões e lança um debate sobre a próxima ronda da política de coesão A política de coesão teve um efeito comprovado

Leia mais

Reunião do Steering Committee

Reunião do Steering Committee Projecto Engenharia 2020 Reunião do Steering Committee Ordem dos Engenheiros Lisboa 10 de Maio 2013 Parceiros Estratégicos: Augusto Mateus e Associados (A.M.); MIT Portugal; Ordem dos Engenheiros (O.E.)

Leia mais

NORDESTE MOLHADO: A AMAZÔNIA AZUL E O DESENVOLVIMENTO DO NORDESTE

NORDESTE MOLHADO: A AMAZÔNIA AZUL E O DESENVOLVIMENTO DO NORDESTE SECRETARIA DA COMISSÃO INTERMINISTERIAL PARA OS RECURSOS DO MAR NORDESTE MOLHADO: A AMAZÔNIA AZUL E O DESENVOLVIMENTO DO NORDESTE Contra-Almirante Silva Rodrigues SECRETARIA DA COMISSÃO INTERMINISTERIAL

Leia mais

PROGRAMA AEC s Ciências Experimentais 2015/2016. Programa AEC s Ciências 1

PROGRAMA AEC s Ciências Experimentais 2015/2016. Programa AEC s Ciências 1 PROGRAMA AEC s Ciências Experimentais 2015/2016 Programa AEC s Ciências 1 PROGRAMA AEC s Ciências Experimentais OBJETIVOS GERAIS: - Divulgar a ciência junto dos mais novos. - Fomentar o gosto pela ciência.

Leia mais

CALENDÁRIO E PROGRAMA DE TRABALHOS PARA ELABORAÇÃO DOS PLANOS DE GESTÃO DE BACIA HIDROGRÁFICA 2016-2021. Documento de apoio à participação pública

CALENDÁRIO E PROGRAMA DE TRABALHOS PARA ELABORAÇÃO DOS PLANOS DE GESTÃO DE BACIA HIDROGRÁFICA 2016-2021. Documento de apoio à participação pública CALENDÁRIO E PROGRAMA DE TRABALHOS PARA ELABORAÇÃO DOS PLANOS DE GESTÃO DE BACIA HIDROGRÁFICA 2016-2021 Documento de apoio à participação pública 22 de dezembro 2012 Atualização maio 2013 Departamento

Leia mais

BALANÇO E PERSPECTIVAS SOBRE A MOBILIDADE ELÉCTRICA EM PORTUGAL

BALANÇO E PERSPECTIVAS SOBRE A MOBILIDADE ELÉCTRICA EM PORTUGAL BALANÇO E PERSPECTIVAS SOBRE A MOBILIDADE ELÉCTRICA EM PORTUGAL 4. CONFERÊNCIA DA MOBILIDADE URBANA Preparar a Cidade para a Mobilidade do Futuro: Dos Modos Suaves à Mobilidade Eléctrica 17 de Setembro

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SANTA CATARINA

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SANTA CATARINA RESPOSTA TÉCNICA COREN/SC Nº 07/2016 Assunto: Atribuições da equipe em procedimentos estéticos e necessidade de especialização para realização das técnicas. Palavras-chave: Estética, Atribuições da equipe

Leia mais

Contamos consigo para levar a nossa Energia mais longe...

Contamos consigo para levar a nossa Energia mais longe... Contamos consigo para levar a nossa Energia mais longe... Responsabilidade Social na Galp Energia Responsabilidade Social na Galp Energia COLABORADORES ESPECIALISTAS PÚBLICO EM GERAL A Galp Energia foi

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS 1310 Diário da República, 1.ª série N.º 30 12 de fevereiro de 2014 uma qualificação profissional para a docência que, não tendo ingressado na carreira docente, sejam opositores a concursos de seleção e

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ASSISTÊNCIA A PROGRAMAS ESPECIAIS

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ASSISTÊNCIA A PROGRAMAS ESPECIAIS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ASSISTÊNCIA A PROGRAMAS ESPECIAIS TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA - CONSULTOR POR PRODUTO TOR/FNDE/DTI/MEC

Leia mais

ENADE: OS RESULTADOS INFLUENCIAM NA GESTÃO ACADÊMICA E NA QUALIDADE DOS CURSOS

ENADE: OS RESULTADOS INFLUENCIAM NA GESTÃO ACADÊMICA E NA QUALIDADE DOS CURSOS ENADE: OS RESULTADOS INFLUENCIAM NA GESTÃO ACADÊMICA E NA QUALIDADE DOS CURSOS Maria Luiza Miranda Ribeiro ¹,Nalzilene Raposo ² Universidade Estadual do Maranhão 1, Universidade Estadual do Maranhão 2

Leia mais

PROPOSTA DE LEI N.º 58/X. Exposição de Motivos

PROPOSTA DE LEI N.º 58/X. Exposição de Motivos PROPOSTA DE LEI N.º 58/X Exposição de Motivos Portugal é parte da Convenção das Nações Unidas sobre o Direito do Mar, assinada em 10 de Dezembro de 1982, e do Acordo Relativo à Aplicação da Parte XI da

Leia mais

Projetos - Vales Vocacionado para apoiar as PME. Apresentação de Candidaturas 2ª fase até 31 d Agosto 2015. Se precisa de:

Projetos - Vales Vocacionado para apoiar as PME. Apresentação de Candidaturas 2ª fase até 31 d Agosto 2015. Se precisa de: Apresentação de Candidaturas 2ª fase até 31 d Agosto 2015 Projetos - Vales Vocacionado para apoiar as PME Se precisa de: Prospetar novos Clientes em mercados externos Elaborar um plano de negócios para

Leia mais

CARTOGRAFIA. Sistemas de Coordenadas. Prof. Luiz Rotta

CARTOGRAFIA. Sistemas de Coordenadas. Prof. Luiz Rotta CARTOGRAFIA Sistemas de Coordenadas Prof. Luiz Rotta SISTEMA DE COORDENADAS Por que os sistemas de coordenadas são necessários? Para expressar a posição de pontos sobre uma superfície É com base em sistemas

Leia mais

Tipologias dos Vales Simplificados

Tipologias dos Vales Simplificados VALES SIMPLIFICADOS Pontos a Abordar Tipologias dos Vales Simplificados Condições Gerais do Incentivo Beneficiários Critérios de Elegibilidade dos Projetos Critérios de Elegibilidade dos Beneficiários

Leia mais

Moving Business Forward

Moving Business Forward Moving Business Forward Apresentação eurotux.com/empresa/ Criada em 2000, como iniciativa de docentes da Universidade do Minho. Especializada em planeamento, integração e implementação de sistemas informáticos.

Leia mais

DECRETO Nº 1.530, DE 22 DE JUNHO DE 1995. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art.84, inciso VIII, da Constituição, e

DECRETO Nº 1.530, DE 22 DE JUNHO DE 1995. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art.84, inciso VIII, da Constituição, e DECRETO Nº 1.530, DE 22 DE JUNHO DE 1995. Declara a entrada em vigor da Convenção das Nações Unidas sobre o Direito do Mar, concluída em Montego Bay, Jamaica, em 10 de dezembro de 1982. O PRESIDENTE DA

Leia mais

Mini MBA Gestão Avançada

Mini MBA Gestão Avançada Mini MBA Gestão Avançada FORMAÇÃO PARA EXECUTIVOS Gestão Curso FEXMMBA 10 Dia(s) 66:00 Horas Introdução Os Cursos de Formação para Executivos, promovidos pela Actual Training, têm por finalidade responder

Leia mais

Plano Estratégico Sectorial de Energias Renováveis

Plano Estratégico Sectorial de Energias Renováveis Plano Estratégico Sectorial de Energias Renováveis A nossa visão para o Sector Energético Abastecimento seguro das populações Garantia da qualidade de vida Desenvolvimento empresarial Construir um sector

Leia mais

Sobre o Mar. de Portugal. Capacidades e Competências. ASSUNTOS DO MAR Estrutura de Missão Manuel Pinto de Abreu

Sobre o Mar. de Portugal. Capacidades e Competências. ASSUNTOS DO MAR Estrutura de Missão Manuel Pinto de Abreu Sobre o Mar Capacidades e Competências de Portugal ASSUNTOS DO MAR Estrutura de Missão Manuel Pinto de Abreu O Retorno de Portugal ao Oceano É ( )) intenção do Governo criar condições favoráveis veis e

Leia mais

VIII Oficinas de Formação A Escola na Sociedade da Informação e do Conhecimento praticar ao Sábado. E-learning. 3 de Março de 2007

VIII Oficinas de Formação A Escola na Sociedade da Informação e do Conhecimento praticar ao Sábado. E-learning. 3 de Março de 2007 VIII Oficinas de Formação A Escola na Sociedade da Informação e do Conhecimento praticar ao Sábado E-learning 3 de Março de 2007 Plataformas de E-learning em contexto educativo Intervenção de José Luís

Leia mais

Treinamento de Equipe Sem dúvidas nenhuma que o desempenho de sua equipe reflete diretamente nos resultados das vendas.

Treinamento de Equipe Sem dúvidas nenhuma que o desempenho de sua equipe reflete diretamente nos resultados das vendas. Treinamento de Equipe Sem dúvidas nenhuma que o desempenho de sua equipe reflete diretamente nos resultados das vendas. Agilidade do frentista no ato do atendimento, formação e o conhecimento técnico dos

Leia mais

Primeira reunião do Grupo de Trabalho Temático 10: Redes de Transporte. 01 de Julho de 2011, Instalações do IGP, Lisboa

Primeira reunião do Grupo de Trabalho Temático 10: Redes de Transporte. 01 de Julho de 2011, Instalações do IGP, Lisboa Primeira reunião do Grupo de Trabalho Temático 10: Redes de Transporte 01 de Julho de 2011, Instalações do IGP, Lisboa Agenda Revisão das fichas de Instituição, Tema e Assunto relativas ao GT10 Análise

Leia mais

EDITAL. PARA INVESTIMENTO NAS ASSOCIAÇÕES METODISTAS DE AÇÃO SOCIAL AMAS e MINISTÉRIOS DE AÇÃO SOCIAL (MAS)

EDITAL. PARA INVESTIMENTO NAS ASSOCIAÇÕES METODISTAS DE AÇÃO SOCIAL AMAS e MINISTÉRIOS DE AÇÃO SOCIAL (MAS) EDITAL PARA INVESTIMENTO NAS ASSOCIAÇÕES METODISTAS DE AÇÃO SOCIAL AMAS e MINISTÉRIOS DE AÇÃO SOCIAL (MAS) A Câmara de Ação Social da 3ª Região Eclesiástica, visando a aplicação de recursos destinados

Leia mais

NORMAS PARA REALIZAÇÃO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA

NORMAS PARA REALIZAÇÃO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA NORMAS PARA REALIZAÇÃO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA As modalidades de TCC do curso de Comunicação Social do Instituto Municipal de Ensino Superior De Assis - IMESA compreendem

Leia mais

O Desenvolvimento Local e a Abordagem EQUAL O PROVE Promover e Vender

O Desenvolvimento Local e a Abordagem EQUAL O PROVE Promover e Vender O Desenvolvimento Local e a Abordagem EQUAL O PROVE Promover e Vender Encontro Nacional Desenvolvimento Local em Portugal Lisboa 9 de Maio 2013 O PROVE e os seis princípios EQUAL Inovação Trabalho em Parceria

Leia mais

MANUAL DO VOLUNTÁRIO

MANUAL DO VOLUNTÁRIO MANUAL DO VOLUNTÁRIO Só é voluntário quem se põe ao serviço do OUTRO ÍNDICE 1. Introdução 2. O movimento Pais-em-Rede. 3. Ser voluntário Pais-em-Rede: 3.1 O nosso conceito de voluntariado 3.2 Direitos

Leia mais

NOVO MAPA NO BRASIL?

NOVO MAPA NO BRASIL? NOVO MAPA NO BRASIL? Como pode acontecer A reconfiguração do mapa do Brasil com os novos Estados e Territórios só será possível após a aprovação em plebiscitos, pelos poderes constituídos dos respectivos

Leia mais

Toma um atitude pró-ativa na construção do teu

Toma um atitude pró-ativa na construção do teu Agrupamento de Escolas D. Lourenço Vicente Programa de Orientação Escolar Psicóloga Dra. Cláudia Almeida Toma um atitude pró-ativa na construção do teu futuro! E quais são as tuas opções de progressão

Leia mais

Actas. OBSERVARE 1 st International Conference. I Congresso Internacional do OBSERVARE. 16-17 - 18 November, 2011. 16-17 - 18 Novembro, 2011

Actas. OBSERVARE 1 st International Conference. I Congresso Internacional do OBSERVARE. 16-17 - 18 November, 2011. 16-17 - 18 Novembro, 2011 OBSERVARE 1 st International Conference 16-17 - 18 November, 2011 I Congresso Internacional do OBSERVARE 16-17 - 18 Novembro, 2011 Actas Universidade Autónoma de Lisboa Fundação Calouste Gulbenkian http://observare.ual.pt/conference

Leia mais

Prédio da Reitoria UFMG, Campus Pampulha, Belo Horizonte, MG UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS

Prédio da Reitoria UFMG, Campus Pampulha, Belo Horizonte, MG UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS Prédio da Reitoria UFMG, Campus Pampulha, Belo Horizonte, MG Foto: Foca Lisboa UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS UFMG Foto: Foca Lisboa INSTITUIÇÃO PÚBLICA FEDERAL FUNDADA EM 1927 ENSINO GRATUITO LOCALIZADA

Leia mais

O NOSSO LADO GO. Na GO>Express respondemos diariamente a esta questão. Conseguimos inovar porque temos um lado que faz a diferença.

O NOSSO LADO GO. Na GO>Express respondemos diariamente a esta questão. Conseguimos inovar porque temos um lado que faz a diferença. Na GO>Express respondemos diariamente a esta questão. Conseguimos inovar porque temos um lado que faz a diferença. O NOSSO LADO GO Agência: Say U Consulting Director Criativo: Marta Gonçalves Director

Leia mais

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE. Reserva Extrativista Chico Mendes

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE. Reserva Extrativista Chico Mendes MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE Reserva Etrativista Chico Mendes Termo de Referência nº 2013.0930.00039-8 1 Identificação Contratação de consultoria

Leia mais

Direito do Mar: evolução e repercussão política. O caso especial das pescas

Direito do Mar: evolução e repercussão política. O caso especial das pescas Direito do Mar: evolução e repercussão política. O caso especial das pescas Marta Chantal Ribeiro Conferência de Lançamento do Livro Políticas Públicas do Mar, 23 de Novembro de 2010 Direito do Mar - Conceito:

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE ALAGOAS SECRETARIA DE ESTADO DA GESTÃO PÚBLICA SUPERINTENDÊNCIA DA ESCOLA DE GOVERNO REGULAMENTO DO CONCURSO DE AÇÕES INOVADORAS

GOVERNO DO ESTADO DE ALAGOAS SECRETARIA DE ESTADO DA GESTÃO PÚBLICA SUPERINTENDÊNCIA DA ESCOLA DE GOVERNO REGULAMENTO DO CONCURSO DE AÇÕES INOVADORAS REGULAMENTO DO CONCURSO DE AÇÕES INOVADORAS A Secretaria de Estado da Gestão Pública do Governo de Alagoas torna público o 3º CONCURSO DE AÇÕES INOVADORAS NA GESTÃO DO PODER EXECUTIVO DE ALAGOAS que será

Leia mais