Sugestão da divisão do voleibol por categorias de estatura

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Sugestão da divisão do voleibol por categorias de estatura"

Transcrição

1 Sugestão da divisão do voleibol por categorias de estatura Suggestion of the division of the volleyball by height categories Mestre em Ciência da Motricidade Humana (CMH) pela UCB do RJ (Brasil) Nelson Kautzner Marques Junior Resumo O objetivo do ponto de vista foi sugerir a elaboração do voleibol por categorias de estatura. Essa sugestão de dividir o voleibol por categorias de estatura pode ser realizada no voleibol da iniciação ao master. Em conclusão, o voleibol com categorias de estatura e com categorias de idade e de estatura pode ser um meio de gerar mais oportunidade aos jogadores, técnico e preparadores físicos em trabalhar nessa modalidade. Unitermos: Voleibol. Esporte. Jogo. Abstract The objective of the point view was to suggest the elaboration of the volleyball by height categories. This suggestion of divide the volleyball by height categories can be practiced in young volleyball to master. In conclusion, the volleyball with height categories and with age and height categories can be way to cause more opportunity to the players, coaches and physical trainers in working in this modality. Keywords: Volleyball. Sport. Game. Recepção: 10/05/ Aceitação: 13/06/2015 EFDeportes.com, Revista Digital. Buenos Aires - Año 20 - Nº Junio de / 1 Introdução O voleibol atual requer atletas cada vez com maior estatura com o intuito de otimizar o desempenho competitivo (Sterkowicz-Przybycien, Sterkowicz e Zak, 2014). Isso ocorre no voleibol masculino e feminino jogado na quadra (Ayuso, González, Suárez e Zourdos, 2015; Palao, Manzanares e Valadés, 2014) e na dupla na areia (Marques Junior, 2012, 2012b). A estatura é uma característica antropométrica importante para a prática do voleibol porque ela facilita a execução dos fundamentos mais determinantes na vitória desse esporte - ataque, bloqueio e saque (Marques Junior, 2012c). Entretanto, apesar dessa exigência da estatura, jogadores jovens acabam sendo excluídos das categorias de iniciação por causa da estatura, mesmo tendo condições de jogar por causa da sua elevada impulsão e excelente condição técnica e tática. Um meio interessante de acabar com o problema da estatura e diminuir o número de jogadores não aproveitados pelos clubes ou pelas equipes de dupla na areia já na iniciação, é

2 realizar categorias conforme a faixa etária e de acordo com a estatura. Essa sugestão serviria para o voleibol da iniciação, para o adulto de alto rendimento e para o voleibol master. Como separar os atletas conforme a estatura para formar categorias? A literatura do voleibol não possui essas informações (Peeri, Sharif e Matinhomaee, 2013; Petroski, Del Fraro, Fidelix, Silva, Pires Neto, Dourado et al., 2013; Tili e Giatsis, 2011), então, o objetivo do ponto de vista foi sugerir a elaboração do voleibol por categorias de estatura. Voleibol na quadra e de dupla na areia por categoria de estatura A divisão da categoria por estatura e conforme a faixa etária pode ser realizada no voleibol da iniciação e no voleibol master com o intuito de vários jogadores conseguirem oportunidade de jogar e deixarem de não ser aproveitados pelos clubes do voleibol na quadra e de dupla na areia. Nessas categorias por idade e estatura, a única posição que não é necessária estabelecer um valor para a estatura, é o líbero, sendo comprovado na literatura do voleibol que esse jogador é eficaz na recepção (Marques Junior, 2014). Os jogadores com melhor condição técnica e tática no voleibol da iniciação e no voleibol master, recomenda-se que conforme a faixa etária, eles atuem numa categoria aberta, ou seja, a única divisão é pela idade, ocorrendo partidas com atletas de várias estaturas. Essa regra é igual ao do voleibol da atualidade. Baseado nessas sugestões, as categorias do voleibol da iniciação e do voleibol master ficam da seguinte maneira no masculino e no feminino:

3 Figura 1. Sugestão da divisão do voleibol por categorias de idade ou pela faixa etária e estatura. Para vários atletas terem chance de jogar, um voleibolista só pode atuar em uma categoria por faixa etária ou somente na categoria por idade e estatura, isso evita do mesmo atleta jogar em dois tipos de categorias durante uma mesma competição, ou seja, no estadual por faixa etária e no estadual por idade e por estatura. O intuito dessa regra é proporcionar mais oportunidade para os atletas de baixa estatura em jogar voleibol em campeonatos nacionais e internacionais. Porque atualmente, por exemplo, no voleibol masculino adulto de alto rendimento a estatura mínima costuma ser de 1,90 m, exceto do líbero (Marques Junior, 2005, 2010). O mesmo ocorre com o voleibol de dupla na areia. Logo, muito bons jogadores deixam de ser aproveitados para essa modalidade. Essas ideias, divisão do voleibol por categorias de estatura e tendo uma categoria aberta onde vários atletas de diferentes estaturas jogam também merecem ser aplicadas no voleibol adulto de alto rendimento, do sexo masculino e feminino. Então, no voleibol adulto de alto rendimento a divisão das categorias será somente por estatura porque geralmente a faixa etária dos jogadores se encontra entre 20 a 45 anos, não sendo necessária essa divisão.

4 Explicando melhor essa divisão do voleibol adulto de alto rendimento por categorias de estatura, a seguir é fornecido um exemplo para o voleibol masculino. Lembrando, o líbero é a única posição que não segue essa divisão. Figura 2. Sugestão da divisão do voleibol masculino adulto de alto rendimento por categorias de estatura. Outro quesito que merece atualização nas regras do voleibol da iniciação, no voleibol master e no voleibol adulto de alto rendimento, é a altura da rede. Como sugestão, recomenda-se que os pesquisadores desse esporte realizem vários testes de alcance da cortada e de alcance do bloqueio ao longo do jogo na categoria por faixa etária e na categoria por idade e estatura, sendo determinada pela média das várias coletas, qual altura da rede permite uma adequada performance ao longo do jogo nas diversas categorias do voleibol. Em conclusão, o voleibol com categorias de estatura e com categorias de idade e de estatura pode ser um meio de gerar mais oportunidade aos jogadores, técnico e preparadores físicos em trabalhar nessa modalidade. Bibliografia Ayuso, J., González, E., Suárez, V. e Zourdos, M. (2015). Influence of anthropometric profile on physical performance in elite female volleyball in relation to playing position. Nutr Hosp, 31 (2), Marques Junior, N. (2005). Testes para o jogador de voleibol. Rev Min Educ Fís, 13 (1), Marques Junior, N. (2010). Seleção de testes para o jogador de voleibol. Mov Percep, 11 (16),

5 Marques Junior, N. (2012). Estatura dos brasileiros do voleibol na areia masculino de alto nível, 1987 a Lecturas: Educación Física y Deportes, 17 (167), Marques Junior, N. (2012b). Estatura das brasileiras do voleibol na areia feminino de alto nível, 1993 a Lecturas: Educación Física y Deportes, 17 (170), Marques Junior, N. (2012c). Medalhas nos Jogos Olímpicos: estatura das seleções do voleibol brasileiro. Lecturas: Educación Física y Deportes, 17 (172), Marques Junior, N. (2014). O libero do voleibol de alto nível melhora a recepção? Rev Bras Ci Mov, 22 (3), Palao, J., Manzanares, P. e Valadés, D. (2014). Anthropometric, physical, and age differences by the players position and the performance level in volleyball. J Hum Kinet, 44 (-), Peeri, M., Sharif, R., e Matinhomaee, H. (2013). Relations of some corporeal properties with performance of volleyball players who participated in Japan world competitions. Eur J Exp Bio, 3 (5), Petroski, E., Del Fraro, J., Fidelix, Y., Silva, D., Pires Neto, C., Dourado, A. et al. (2013). Características antropométricas, morfológicas e somatotípicas de atletas da seleção brasileira masculina de voleibol: estudo descritivo de 11 anos. Rev Bras Cineantropom Desempenho Hum, 15 (2), Sterkowicz-Przybycien, K., Sterkowicz, S., e Zak, S. (2014). Sport skill level and gender with relation to age, physical development and special fitness of the participants of Olympic volleyball tournament Beijing Coll Antropol, 38 (2), Tili, M., e Giatsis, G. (2011). The height of the men`s winners FIVB beach volleyball in relation to specialization and court dimensions. J Hum Sport Exerc, 6 (3),

Copa do Mundo de Futebol: desempenho dos países sedes, 1930 a 2010

Copa do Mundo de Futebol: desempenho dos países sedes, 1930 a 2010 Copa do Mundo de Futebol: desempenho dos países sedes, 1930 a 2010 La Copa del Mundo de Fútbol: rendimiento de los países sedes, 1930 a 2010 Soccer World Cup: performance of the home countries, 1930 to

Leia mais

III SEMINÁRIO DE ATLETISMO JUVENIL III SEMINÁRIO DE ATLETISMO JUVENIL

III SEMINÁRIO DE ATLETISMO JUVENIL III SEMINÁRIO DE ATLETISMO JUVENIL III SEMINÁRIO DE ATLETISMO JUVENIL 1 www.fpatletismo.pt III SEMINÁRIO DE ATLETISMO JUVENIL Organização da Carreira Desportiva no Atletismo 2 www.fpatletismo.pt Treino com Jovens: Análise da Situação Actual

Leia mais

É constituída por 12 jogadores: -6 jogadores efetivos -6 jogadores suplentes -Até 2 líberos

É constituída por 12 jogadores: -6 jogadores efetivos -6 jogadores suplentes -Até 2 líberos Regras básicas de vôlei Vôlei é um desporto praticado numa quadra dividida em duas partes por uma rede, possuindo duas equipes de seis jogadores em cada lado. O objetivo da modalidade é fazer passar a

Leia mais

LIVE SPORTS MARKETING

LIVE SPORTS MARKETING LIVE SPORTS MARKETING A Live Sports Marketing é uma agência que existe desde 2006 e presta serviços de consultoria e assessoria de marketing esportivo para empresas e marcas que queiram utilizar e se beneficiar

Leia mais

INFLUENCIA DA FLEXIBILIDADE NO SALTO VERTICAL EM ATLETAS DE VOLEIBOL MASCULINO

INFLUENCIA DA FLEXIBILIDADE NO SALTO VERTICAL EM ATLETAS DE VOLEIBOL MASCULINO ROGER MARCHESE INFLUENCIA DA FLEXIBILIDADE NO SALTO VERTICAL EM ATLETAS DE VOLEIBOL MASCULINO Artigo apresentado como Trabalho de Conclusão de Curso em Especialização em Ciência do Treinamento Desportivo

Leia mais

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TÉNIS DE MESA

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TÉNIS DE MESA PLANO DE ATIVIDADES 2012 FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TÉNIS DE MESA DESENVOLVIMENTO DA PRÁTICA DESPORTIVA ALTO RENDIMENTO E SELEÇÕES NACIONAIS FORMAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS MARKETING, COMUNICAÇÃO & IMAGEM 1.-

Leia mais

C.C.R.E.7 DE SETEMBRO CAMPEONATO DE VERÃO VOLEI DE PRAIA

C.C.R.E.7 DE SETEMBRO CAMPEONATO DE VERÃO VOLEI DE PRAIA VOLEI DE PRAIA 2014 VOLEI DE PRAIA DUPLAS Art.1º - O Campeonato de Verão de Vôlei de Praia de Duplas do C.C.R.E. 7 de Setembro obedecerá as regras oficiais adotadas pela CBV e pelo que dispuser este regulamento.

Leia mais

Nº ATLETA DATA DE NASC MATRÍCULA 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10

Nº ATLETA DATA DE NASC MATRÍCULA 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 PRÓ-REITORIA DE ENSINO IV JOGOS DO IFCE - SOBRAL 0 MODALIDADE: BASQUETEBOL FEMININO Nº ATLETA DATA DE NASC MATRÍCULA 9 0 PRÓ-REITORIA DE ENSINO IV JOGOS DO IFCE - SOBRAL 0 MODALIDADE: BASQUETEBOL MASCULINO

Leia mais

O jogo do Mico no ensino das Funções Orgânicas: o lúdico como estratégia no PIBID

O jogo do Mico no ensino das Funções Orgânicas: o lúdico como estratégia no PIBID O jogo do Mico no ensino das Funções Orgânicas: o lúdico como estratégia no PIBID Danilo Augusto Matos 1, Vinícius Nunes dos Santos 1, Daniela Marques Alexandrino 2*, Maria Celeste Passos Silva Nascimento

Leia mais

Emissão Original: 04/12/13

Emissão Original: 04/12/13 COPA VERDE/2014 REGULAMENTO ESPECÍFICO DA COMPETIÇÃO CAPÍTULO I Da Denominação e Participação Art. 1º A Copa Verde de 2014, doravante denominada Copa, é regida por dois regulamentos mutuamente complementares

Leia mais

FATORES RELACIONADOS COM O NÍVEL DE ANSIEDADE EM ATLETAS DE FUTEBOL FEMININO

FATORES RELACIONADOS COM O NÍVEL DE ANSIEDADE EM ATLETAS DE FUTEBOL FEMININO FATORES RELACIONADOS COM O NÍVEL DE ANSIEDADE EM ATLETAS DE FUTEBOL FEMININO (FACTORS RELATED TO THE ANXIETY LEVEL IN FOOTBALL FEMALE ATHLETES) Marcos Vinicius Dias Munhóz 1 ; Claudia Teixeira-Arroyo 1,2

Leia mais

Richard Way aborda a plataforma Canadian Sport For Life para melhorar a qualidade do esporte e a atividade física no Canadá

Richard Way aborda a plataforma Canadian Sport For Life para melhorar a qualidade do esporte e a atividade física no Canadá Richard Way aborda a plataforma Canadian Sport For Life para melhorar a qualidade do esporte e a atividade física no Canadá A conferência Canadian Sport for Life: Uma nação inspirada a se movimentar, apresentada

Leia mais

TÁTICAS BÁSICAS DO VOLEIBOL TÁTICAS BÁSICAS DO VOLEIBOL SISTEMAS TÁTICOS

TÁTICAS BÁSICAS DO VOLEIBOL TÁTICAS BÁSICAS DO VOLEIBOL SISTEMAS TÁTICOS TÁTICAS BÁSICAS DO VOLEIBOL TÁTICAS BÁSICAS DO VOLEIBOL SISTEMAS TÁTICOS Para o melhor entendimento técnico e tático das definições sobre os sistemas de jogo adotados no voleibol, é necessário, em primeiro

Leia mais

ORGANIZAÇÃO E ADMINISTRAÇÃO DA EDUCAÇÃO FÍSICA Aula 25/08

ORGANIZAÇÃO E ADMINISTRAÇÃO DA EDUCAÇÃO FÍSICA Aula 25/08 FUNDAÇÃO PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS - FUPAC FACULDADE UNIPAC DE CIÊNCIAS JURÍDICAS, CIÊNCIAS SOCIAIS, LETRAS E SAÚDE DE UBERLÂNDIA. Rua Tiradentes, nº. 66 Centro Uberlândia/MG - Telefax: (34) 3291-2100

Leia mais

INFORMAÇÕES IMPORTANTES PARA OS TIMES E TENISTAS!

INFORMAÇÕES IMPORTANTES PARA OS TIMES E TENISTAS! INFORMAÇÕES IMPORTANTES PARA OS TIMES E TENISTAS! Qualifying Dia 8 de Novembro ATENÇÃO! Os times inscritos no Futebol Masculino categoria livre e os tenistas inscritos no Tênis categoria A disputarão o

Leia mais

O ALCANCE DE ATAQUE E BLOQUEIO E A PERFORMANCE DE ATLETAS DE VOLEIBOL FEMININO DO CAMPEONATO MUNDIAL DE 2006

O ALCANCE DE ATAQUE E BLOQUEIO E A PERFORMANCE DE ATLETAS DE VOLEIBOL FEMININO DO CAMPEONATO MUNDIAL DE 2006 O ALCANCE DE ATAQUE E BLOQUEIO E A PERFORMANCE DE ATLETAS DE VOLEIBOL FEMININO DO CAMPEONATO MUNDIAL DE 2006 Natalia Kopp 1 ; Fábio Heitor Alves Okazaki 2 ; Victor Hugo Alves Okazaki 3 ; Birgit Keller

Leia mais

FATORES RELEVANTES DO ÊXITO INTERNACIONAL DO VOLEIBOL BRASILEIRO MADE JÚNIOR MIRANDA UEG-ESEFFEGO/PUC-GO/FAPEG/Goiânia, Goiás, Brasil madejr@ig.com.

FATORES RELEVANTES DO ÊXITO INTERNACIONAL DO VOLEIBOL BRASILEIRO MADE JÚNIOR MIRANDA UEG-ESEFFEGO/PUC-GO/FAPEG/Goiânia, Goiás, Brasil madejr@ig.com. 1 FATORES RELEVANTES DO ÊXITO INTERNACIONAL DO VOLEIBOL BRASILEIRO MADE JÚNIOR MIRANDA UEG-ESEFFEGO/PUC-GO/FAPEG/Goiânia, Goiás, Brasil madejr@ig.com.br O êxito do voleibol brasileiro pode ser analisado

Leia mais

REGULAMENTO ESPECÍFICO JERNS JEES 2015

REGULAMENTO ESPECÍFICO JERNS JEES 2015 REGULAMENTO ESPECÍFICO BASQUETEBOL JERNS JEES 2015 1 REGULAMENTO ESPECÍFICO BASQUETEBOL JERNS JEES 2015 CATEGORIA MIRIM 1. A Competição de Basquetebol será realizada de acordo com as regras oficiais da

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA PREPARAÇÃO FÍSICA NO BASQUETE

A IMPORTÂNCIA DA PREPARAÇÃO FÍSICA NO BASQUETE A IMPORTÂNCIA DA PREPARAÇÃO FÍSICA NO BASQUETE RESUMO ESTELA KAMILA LORENZETTI LEMKE ELIZANGELA REGINA REIS FACULDADE CENTRO MATOGROSSENSE FACEM RUA RUI BARBOSA Nº 380 estela.personal@hotmail.com elizreis82@hotmail.com

Leia mais

Informações gerais e novidades

Informações gerais e novidades INFORMATIVO Nº 001 DO VII JOGOS FENACEF Informações gerais e novidades Você está recebendo em primeira mão o informativo nº 001 do VII Jogos Fenacef! É aqui que começa a vitória de seus atletas: com planejamento

Leia mais

XIV COPA SMEL DE FUTSAL 2016

XIV COPA SMEL DE FUTSAL 2016 XIV COPA SMEL DE FUTSAL 2016 Regulamento Geral XIV COPA SMEL DE FUTSAL CAPÍTULO I - DOS OBJETIVOS Art. 1º - A XIV COPA SMEL DE FUTSAL tem por objetivo principal o congraçamento geral dos participantes

Leia mais

REGULAMENTO DE PROVA OFICIAL VOLEIBOL XXI TNG

REGULAMENTO DE PROVA OFICIAL VOLEIBOL XXI TNG REGULAMENTO DE PROVA OFICIAL Voleibol Misto I. DISPOSIÇÕES INICIAIS Artigo 1º Âmbito O estipulado neste Regulamento define como se rege a modalidade de Voleibol Misto no XXI Torneio Internacional Prof.

Leia mais

Inteligência Artificial Aplicada a Robôs Reais

Inteligência Artificial Aplicada a Robôs Reais Inteligência Artificial Aplicada a Robôs Reais Prof. Dr. Eduardo Simões Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação USP Cópias das Transparências: http://www.icmc.usp.br/~simoes/seminars/semi.html

Leia mais

V JOGOS DOS APOSENTADOS DA CAIXA DO ESTADO DE SÃO PAULO. PARCERIA APEA/SP e APCEF/SP REGULAMENTO GERAL - 2015

V JOGOS DOS APOSENTADOS DA CAIXA DO ESTADO DE SÃO PAULO. PARCERIA APEA/SP e APCEF/SP REGULAMENTO GERAL - 2015 V JOGOS DOS APOSENTADOS DA CAIXA DO ESTADO DE SÃO PAULO PARCERIA APEA/SP e APCEF/SP PERÍODO: 26 e 27/09/2015 LOCAL: CECOM - APCEF/SP REGULAMENTO GERAL - 2015 CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art.1º-

Leia mais

CAMPEONATO PAULISTA UNIVERSITÁRIO 2015 NOTA OFICIAL RUGBY

CAMPEONATO PAULISTA UNIVERSITÁRIO 2015 NOTA OFICIAL RUGBY CAMPEONATO PAULISTA UNIVERSITÁRIO 2015 NOTA OFICIAL RUGBY Informações e inscrições: Kallel Brandão (11)97118-3872 kallel@fupe.com.br www.fupe.com.br www.juesp.com.br INFORMAÇÕES BÁSICAS Local: CEPEUSP

Leia mais

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo, Editora Atlas, 2002....

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo, Editora Atlas, 2002.... GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo, Editora Atlas, 2002.... 1 Como encaminhar uma Pesquisa? A pesquisa é um projeto racional e sistemático com objetivo de proporcionar respostas

Leia mais

REGULAMENTO ESPECÍFICO XADREZ 2013-2017

REGULAMENTO ESPECÍFICO XADREZ 2013-2017 REGULAMENTO ESPECÍFICO XADREZ 2013-2017 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO P.2 2. ESCALÕES ETÁRIOS P.3 3. CONSTITUIÇÃO DAS EQUIPAS P.3 4. REGULAMENTO TÉCNICO-PEDAGÓGICO P.3 4.1. FASE LOCAL P.4 4.2. FASE REGIONAL P.5

Leia mais

EVENTOS NACIONAIS: Equipamentos: Eventos onde as regras serão observadas: Responsabilidade: Patch: PATCH COSTURADO Patch COSTURADO costura

EVENTOS NACIONAIS: Equipamentos: Eventos onde as regras serão observadas: Responsabilidade: Patch: PATCH COSTURADO Patch COSTURADO costura EVENTOS NACIONAIS: Este documento baseado no JUDOGUI REQUERIMENTS AND JUDOGUI CONTROL PROCEDURE da Federação Internacional de Judô FIJ, visa estabelecer o padrão nacional para a utilização dos judoguis

Leia mais

VI FESTIVAL DE XADREZ DE GAIA. Academia de Xadrez de Gaia - Organização de Actividades (em parceria) A decorrer em Vila Nova de Gaia

VI FESTIVAL DE XADREZ DE GAIA. Academia de Xadrez de Gaia - Organização de Actividades (em parceria) A decorrer em Vila Nova de Gaia VI FESTIVAL DE XADREZ DE GAIA Academia de Xadrez de Gaia - Organização de Actividades (em parceria) A decorrer em Vila Nova de Gaia IX PROFIGAIA OPEN de 18 a 26 de Julho (GaiaHotel ****) 3º TORNEIO INTERNACIONAL

Leia mais

Planeamento. Avaliação

Planeamento. Avaliação Planeamento e Avaliação Planeamento e Avaliação Definição de Planeamento Fases de Planeamento Plano vs Projecto Relatório O quê? PLANEAMENTO Planear uma actividade, evento ou projecto, significa responder

Leia mais

1 TORNEIO 4X4 DE VOLEIBOL/ 2016

1 TORNEIO 4X4 DE VOLEIBOL/ 2016 DATA E LOCAL: /2016 (RTA-FEIRA), GINÁSIO DO CERMAG/. IDADE LIVRE. CATEGORIAS: FEMININO (INÍCIO AS 08:00 HORAS)/MASCULINO (INÍCIO AS 12:00 HORAS)/MISTO (INÍCIO AS 16:00 HORAS). ALTURA DA REDE: MASCULINO

Leia mais

INFORMAÇÕES PARA CONVTE DE EVENTOS

INFORMAÇÕES PARA CONVTE DE EVENTOS INFORMAÇÕES PARA CONVTE DE EVENTOS 1. Nome do evento; 2. Data/período; 3. Local (endereço completo); 4. Organização; 5. Patrocinadores; 6. Apoiadores; 7. Programação (horário, distâncias e categorias);

Leia mais

O VOLEIBOL COMO CONTEÚDO ESCOLAR DA EDUCAÇÃO FÍSICA: TER OU NÃO SER Sonia Maria Soares Barbosa de Sousa Ana Maria da Silva Rodrigues

O VOLEIBOL COMO CONTEÚDO ESCOLAR DA EDUCAÇÃO FÍSICA: TER OU NÃO SER Sonia Maria Soares Barbosa de Sousa Ana Maria da Silva Rodrigues O VOLEIBOL COMO CONTEÚDO ESCOLAR DA EDUCAÇÃO FÍSICA: TER OU NÃO SER Sonia Maria Soares Barbosa de Sousa Ana Maria da Silva Rodrigues RESUMO: O conteúdo voleibol, enquanto prática desportiva nas escolas

Leia mais

PRODUÇÃO DE CONHECIMENTO EM VOLEIBOL

PRODUÇÃO DE CONHECIMENTO EM VOLEIBOL PRODUÇÃO DE CONHECIMENTO EM VOLEIBOL Gabriel Weiss Maciel Universidade do Estado de Santa Catarina, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil Henrique Cabral Faraco Universidade do Estado de Santa Catarina,

Leia mais

Colégio Adventista de Rio Preto. Prof. Daniel Prandi Prof. Sheila Molina

Colégio Adventista de Rio Preto. Prof. Daniel Prandi Prof. Sheila Molina Colégio Adventista de Rio Preto Prof. Daniel Prandi Prof. Sheila Molina Futebol de Salão - Futsal Caracterização: É um jogo coletivo desportivo, entre duas equipes, sendo cada uma constituída por doze

Leia mais

Esportes de Rebatida. Aula 1. Voleibol, vôlei de praia e voleibol sentado. Rio 2016 Versão 1.0

Esportes de Rebatida. Aula 1. Voleibol, vôlei de praia e voleibol sentado. Rio 2016 Versão 1.0 Esportes de Rebatida Aula 1 Voleibol, vôlei de praia e voleibol sentado Rio 2016 Versão 1.0 Objetivos 1 Apresentar três esportes da categoria REBATIDA e suas principais regras. 2 Conhecer a história desses

Leia mais

PERCEPÇÃO DE APOIO SOCIAL PARA A PRÁTICA DE ATIVIDADE FÍSICA EM INDIVÍDUOS OBESOS

PERCEPÇÃO DE APOIO SOCIAL PARA A PRÁTICA DE ATIVIDADE FÍSICA EM INDIVÍDUOS OBESOS 110. ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( X) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA PERCEPÇÃO DE APOIO SOCIAL PARA A PRÁTICA DE ATIVIDADE

Leia mais

VOLEIBOL. 11. O Jogador que executa o saque, deve estar em qual posição? 1) Em que ano foi criado o voleibol? a) 1997. a) posição número 6.

VOLEIBOL. 11. O Jogador que executa o saque, deve estar em qual posição? 1) Em que ano foi criado o voleibol? a) 1997. a) posição número 6. VOLEIBOL 1) Em que ano foi criado o voleibol? a) 1997 b) 2007 c) 1996 d) 1975 e)1895 2. Quem inventou o voleibol? a) William G. Morgan b) Pelé c) Roberto Carlos d) Ronaldinho Gaúcho e) Michael Jackson

Leia mais

CAMPEONATO DE ESTRADA DO FAIAL

CAMPEONATO DE ESTRADA DO FAIAL 1 INDICE Competição Pág. CAMPEONATO DE ESTRADA DO FAIAL 3 TAÇA ADIF VEL/BARR E TAÇA ADIF SALTOS 4 1ª PROVA OBSERVAÇÃO INVERNO ADIF + TORNEIO DE BENJAMINS 6 CAMPEONATO CORTA-MATO DO FAIAL 1ª 7 TORNEIO DE

Leia mais

PERFIL ESTATÍSTICO DOS ARMADORES DE BASQUETEBOL: um estudo com participantes do Campeonato Mundial de Basquetebol - 2010

PERFIL ESTATÍSTICO DOS ARMADORES DE BASQUETEBOL: um estudo com participantes do Campeonato Mundial de Basquetebol - 2010 Artigo Original Cinergis ISSN 2177-4005 PERFIL ESTATÍSTICO DOS ARMADORES DE BASQUETEBOL: um estudo com participantes do Campeonato Mundial de Basquetebol - 2010 Eduardo Barbabela Castro de Carvalho 1,

Leia mais

ESPORTE E CIDADANIA, PROGRAMA MEDALHA DE OURO GINÁSTICA DE TRAMPOLIM E ARTÍSTICA

ESPORTE E CIDADANIA, PROGRAMA MEDALHA DE OURO GINÁSTICA DE TRAMPOLIM E ARTÍSTICA ESPORTE E CIDADANIA, PROGRAMA MEDALHA DE OURO GINÁSTICA DE TRAMPOLIM E ARTÍSTICA Projeto enviado por Lúcia de Fátima Albuquerque Silva - Juíza de Direito Titular da Vara Criminal e da Infância e da Juventude

Leia mais

REGIMENTO ESPECÍFICO BASQUETEBOL. Câmara Municipal de Lisboa e Juntas de Freguesia Olisipíadas 2ª edição

REGIMENTO ESPECÍFICO BASQUETEBOL. Câmara Municipal de Lisboa e Juntas de Freguesia Olisipíadas 2ª edição REGIMENTO ESPECÍFICO BASQUETEBOL Câmara Municipal de Lisboa e Juntas de Freguesia Olisipíadas 2ª edição Índice Preâmbulo 5 Artigo 1.º Escalões Etários, Dimensões do Campo, Bola, Tempo de Jogo e Variantes

Leia mais

Regras básicas e fudamentos do volei

Regras básicas e fudamentos do volei Regras básicas e fudamentos do volei História do volei O criador do voleibol foi o americano William George Morgan. Isto ocorreu em 9 de fevereiro de 1895. O volei foi criado com o intuito de ser um esporte

Leia mais

DA FINALIDADE: Homens só poderão substituir homens e mulheres só poderão substituir mulheres.

DA FINALIDADE: Homens só poderão substituir homens e mulheres só poderão substituir mulheres. DA FINALIDADE: Art. 1º - Os JOGOS DE VERÃO ARCO SPM 2013 MODALIDADE VOLEIBOL 4X4, tem como finalidade principal, promover o congraçamento das equipes e o aumento da adesão à prática de exercícios físicos

Leia mais

Campeonato Europeu de Judo para Cegos e Baixa Visão 2015 IBSA European Judo Championship 2015

Campeonato Europeu de Judo para Cegos e Baixa Visão 2015 IBSA European Judo Championship 2015 Campeonato Europeu de Judo para Cegos e Baixa Visão 2015 IBSA European Judo Championship 2015 Portugal 26 a 29 de novembro de 2015 Pavilhão Multiusos de Odivelas Apresentação O Campeonato Europeu de Judo

Leia mais

Proposta Wizard Nova Veneza

Proposta Wizard Nova Veneza Proposta Wizard Nova Veneza Sobre a Wizard Com uma metodologia totalmente diferenciada, a Wizard aposta em cursos que acompanham as características particulares de cada aluno, preparando-o para aproveitar

Leia mais

E Nas extremidades da rede existem duas antenas que delimitam o espaço aéreo de jogo.

E Nas extremidades da rede existem duas antenas que delimitam o espaço aéreo de jogo. V O L E I B O L A quadra de jogo A quadra de voleibol mede 18 x 9 metros e é demarcada por linhas de 5 centímetros de espessura. Possui uma linha central que divide a quadra em duas áreas com 9 x 9 metros.

Leia mais

DIMENSÕES DE PESQUISA EM ENGENHARIA DE SOFTWARE

DIMENSÕES DE PESQUISA EM ENGENHARIA DE SOFTWARE ESPECIAL Engenharia de Software DIMENSÕES DE PESQUISA EM ENGENHARIA DE SOFTWARE por Paulo Borba DECISÕES IMPORTANTES A SEREM TOMADAS NOS PROJETOS E NA CARREIRA DE UM PESQUISADOR EM ENGENHARIA DE SOFTWARE.

Leia mais

Os 7 Melhores Modelos de COACHING em GRUPO

Os 7 Melhores Modelos de COACHING em GRUPO Os 7 Melhores Modelos de COACHING em GRUPO Olá, aqui é o Wilton Neto tudo bem?! E... Coaching em Grupo é muito divertido! Parabéns e obrigado por baixar do Manual com os 7 Melhores Modelos de Coaching

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO E DESCRIÇÃO ANALÍTICA DO SAQUE POR CIMA NUMA PARTIDA DE VOLEIBOL

CARACTERIZAÇÃO E DESCRIÇÃO ANALÍTICA DO SAQUE POR CIMA NUMA PARTIDA DE VOLEIBOL CARACTERIZAÇÃO E DESCRIÇÃO ANALÍTICA DO SAQUE POR CIMA NUMA PARTIDA DE VOLEIBOL DIOGO GRANDE Rua João Budel, n.º 8806, casa 7 Butiatuvinha Curitiba/PR Fone: (41) 3372 4154 E-mail: diogog.com@terra.com.br

Leia mais

CABO FRIO VOLEI MASTER 2015 CIDADE DE CABO FRIO - RJ Dias 04, 05, 06 e 07 de Junho de 2015 VOLEIBOL DO RIO DE JANEIRO CABO FRIO VOLEI MASTER 2015

CABO FRIO VOLEI MASTER 2015 CIDADE DE CABO FRIO - RJ Dias 04, 05, 06 e 07 de Junho de 2015 VOLEIBOL DO RIO DE JANEIRO CABO FRIO VOLEI MASTER 2015 REALIZAÇÃO APOIO ASSOCIAÇÃO MASTER DE VOLEIBOL DO RIO DE JANEIRO AMAVOLEI CABO FRIO VOLEI MASTER 2015 VOLEIBOL DE QUADRA PREFEITURA MUNICIPAL DE CABO FRIO SECRETARIA DE ESPORTES DE CABO FRIO Regulamento

Leia mais

Seminário Rugby Juvenil

Seminário Rugby Juvenil Seminário Rugby Juvenil Lisboa, 29 Outubro 2005 Escola de Rugby Projecto Operacional Formar e competir, sem formação todos os projectos futuros serão postos em causa. Sem competição não poderá haver progresso

Leia mais

Protocolo de Imprensa e Acesso das Equipes ao Campo de jogo no Campeonato Brasileiro da Série A

Protocolo de Imprensa e Acesso das Equipes ao Campo de jogo no Campeonato Brasileiro da Série A Protocolo de Imprensa e Acesso das Equipes ao Campo de jogo no Campeonato Brasileiro da Série A A. Supervisores de protocolo são pessoas indicadas pelas federações e orientadas pela CBF para coordenar

Leia mais

CAMPEONATO PAULISTA DE PRECISÃO DE ATERRAGEM II COPA BRASIL DE PRECISÃO DE ATERRAGEM

CAMPEONATO PAULISTA DE PRECISÃO DE ATERRAGEM II COPA BRASIL DE PRECISÃO DE ATERRAGEM CAMPEONATO PAULISTA DE PRECISÃO DE ATERRAGEM II COPA BRASIL DE PRECISÃO DE ATERRAGEM Vera Cruz SP, de 19 a 22 Jun 2014 Boletim Informativo 002 A. Finalidade Regulamentar as provas e as atividades a serem

Leia mais

Políticas públicas, Pobreza Urbana e Território

Políticas públicas, Pobreza Urbana e Território Políticas públicas, Pobreza Urbana e Território Eduardo Marques DCP/USP e CEM/CEBRAP www.centrodametropole.org.br Sumário da apresentação 1. Porque usar a dimensão territorial nas políticas sociais 2.

Leia mais

APOIO: 1ª COPA FUNILÂNDIA SESCON/MG

APOIO: 1ª COPA FUNILÂNDIA SESCON/MG 1ª COPA FUNILÂNDIA SESCON/MG VOLEIBOL 2015 CARTA CONVITE A Prefeitura Municipal de Funilândia em parceria com a SESCON/MG e a MACKSSUD convida todas as entidades esportivas a participarem da 1ª COPA FUNILÂNDIA

Leia mais

Características do professor brasileiro do ensino fundamental: diferenças entre o setor público e o privado

Características do professor brasileiro do ensino fundamental: diferenças entre o setor público e o privado Características do professor brasileiro do ensino fundamental: diferenças entre o setor público e o privado Luiz Guilherme Dácar da Silva Scorzafave RESUMO - Esse artigo realiza uma análise descritiva

Leia mais

Esportes de Interação com a Natureza

Esportes de Interação com a Natureza Esportes de Interação com a Natureza Aula 4 Ciclismo, ciclismo BMX e paraciclismo Rio 2016 Versão 1.0 Objetivos 1 Apresentar mais três esportes da categoria ESPORTES DE INTERAÇÃO COM A NATUREZA e suas

Leia mais

COPA DO BRASIL DE FUTEBOL FEMININO/ 2014 REGULAMENTO ESPECÍFICO DA COMPETIÇÃO. CAPÍTULO I Da Denominação e Participação

COPA DO BRASIL DE FUTEBOL FEMININO/ 2014 REGULAMENTO ESPECÍFICO DA COMPETIÇÃO. CAPÍTULO I Da Denominação e Participação COPA DO BRASIL DE FUTEBOL FEMININO/ 2014 CAPÍTULO I Da Denominação e Participação Art. 1º A Feminino 2014, doravante denominada Copa, é regida por dois regulamentos mutuamente complementares identificados

Leia mais

Programação Futsal Máster - JOGOS DO SESI 2016

Programação Futsal Máster - JOGOS DO SESI 2016 Programação Futsal Máster - JOGOS DO SESI 2016 - A identificação do atleta deverá ser apresentada antes do início de cada jogo: CTPS ou Carteira do SESI dentro da validade. - Cada equipe deve apresentar

Leia mais

A elaboração da presente dissertação foi apoiada, em parte, por um financiamento da Junta Nacional de Investigação Científica e Tecnológica, no

A elaboração da presente dissertação foi apoiada, em parte, por um financiamento da Junta Nacional de Investigação Científica e Tecnológica, no Dissertação de Mestrado em Psicologia, especialização em Psicologia Desportiva, sob a orientação conjunta do Prof. Doutor José Fernando da Silva Azevedo Cruz e do Prof. Doutor Leandro da Silva Almeida.

Leia mais

PLANO DE CARREIRA CONSOLIDAÇÃO DO PROFISSIONAL COMO CONSULTOR (CONT.) CONSOLIDAÇÃO DO PROFISSIONAL COMO CONSULTOR. Tripé: Sustentação conceitual;

PLANO DE CARREIRA CONSOLIDAÇÃO DO PROFISSIONAL COMO CONSULTOR (CONT.) CONSOLIDAÇÃO DO PROFISSIONAL COMO CONSULTOR. Tripé: Sustentação conceitual; CONSOLIDAÇÃO DO PROFISSIONAL COMO CONSULTOR (CONT.) Consultoria Organizacional Prof. Ms. Carlos William de Carvalho CONSOLIDAÇÃO DO PROFISSIONAL COMO CONSULTOR 2.2 FORMA DE ATUAÇÃO PROFISSIONAL: EMPRESA

Leia mais

OS INDICADORES TÉCNICOS DO JOGO E A CLASSIFICAÇÃO: UM ESTUDO SOBRE O 16º CAMPEONATO NACIONAL DE BASQUETEBOL MASCULINO.

OS INDICADORES TÉCNICOS DO JOGO E A CLASSIFICAÇÃO: UM ESTUDO SOBRE O 16º CAMPEONATO NACIONAL DE BASQUETEBOL MASCULINO. OS INDICADORES TÉCNICOS DO JOGO E A CLASSIFICAÇÃO: UM ESTUDO SOBRE O 16º CAMPEONATO NACIONAL DE BASQUETEBOL MASCULINO. Resumo *João Paulo Ferreira Dantas **José Carlos de B. V. Filho Os objetivos deste

Leia mais

Liga CDLPC- Basquetebol - 5.º /6.º Anos

Liga CDLPC- Basquetebol - 5.º /6.º Anos Informações Gerais Os torneios disputar-se-ão em sistema de campeonato, ao longo do ano letivo. De acordo com o número de equipas participantes, poderá haver uma fase final em sistema de playoffs. A data

Leia mais

ABERTAS AS INSCRIÇÕES PARA COPA DE FUTEBOL CIDADE DE SÃO BERNARDO 2015

ABERTAS AS INSCRIÇÕES PARA COPA DE FUTEBOL CIDADE DE SÃO BERNARDO 2015 ABERTAS AS INSCRIÇÕES PARA COPA DE FUTEBOL CIDADE DE SÃO BERNARDO 2015 A PARTIR DO DIA 06/07/2015 ATÉ 14/07/2015. HORÁRIO DE ATENDIMENTO DAS 08H00 ÁS 12H00 E das 13H30 ás 17H00. REGULAMENTO Da Organização

Leia mais

COP- Arrow Serviços de Tecnologia Ltda.

COP- Arrow Serviços de Tecnologia Ltda. COP- Arrow Serviços de Tecnologia Ltda. Período coberto pela sua Comunicação de Progresso (COP) De: 02/02/2016 A: 31/12/2016 Declaração de Apoio 02/02/2015 Aos participantes do Pacto Global: Tenho o prazer

Leia mais

Em busca do espírito olímpico: maturação biológica e iniciação esportiva no minibasquetebol

Em busca do espírito olímpico: maturação biológica e iniciação esportiva no minibasquetebol Em busca do espírito olímpico: maturação biológica e iniciação esportiva no minibasquetebol Nelson Schneider Todt Faculdade de Educação Física e Ciências do Desporto Pontifícia Universidade Católica do

Leia mais

Rodrigo Claudino Diogo 1, Valéria A. Ribeiro de Lima 2, Vanusa Maria de Paula 3, Rosymeire Evangelista Dias 4

Rodrigo Claudino Diogo 1, Valéria A. Ribeiro de Lima 2, Vanusa Maria de Paula 3, Rosymeire Evangelista Dias 4 A formação docente em Ciência, Tecnologia, Sociedade e Educação Ambiental TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NA SALA DE AULA: PRODUÇÃO DE VÍDEOS POR MEIO DE SMARTPHONES COMO UMA POSSIBILIDADE VIÁVEL

Leia mais

1 Thiago de Souza Aranha Duarte (ARANHA) Nascimento: 25/09/81 (29 anos) Santos (SP)

1 Thiago de Souza Aranha Duarte (ARANHA) Nascimento: 25/09/81 (29 anos) Santos (SP) Medley/Campinas Elenco temporada 2011/2012 1 Thiago de Souza Aranha Duarte (ARANHA) Nascimento: 25/09/81 (29 anos) Santos (SP) Altura: 1m95 Última equipe: Pinheiros / Sky Principais resultados: Bicampeão

Leia mais

ASSOCIAÇÃO EDUCAÇÃO ESPORTIVA DAS ARTES CULTURA E SOCIAL DRAGOES DO NORTE CNPJ- 07-042-748/0001-04 ESPIGÃO DO OESTE Fone 69-84004877 0u 81284007

ASSOCIAÇÃO EDUCAÇÃO ESPORTIVA DAS ARTES CULTURA E SOCIAL DRAGOES DO NORTE CNPJ- 07-042-748/0001-04 ESPIGÃO DO OESTE Fone 69-84004877 0u 81284007 Às Academias, Clubes e Associações ferderações. RONDÔNIA 01 DE MARÇO 2015. CONVITE A Associação dragoes do norte de Artes Marciais tem a honra de convidá-los para participarem da 1ª OPEN DE KARATÊ GOJU-RYU

Leia mais

MARCUS LINS COSTA MELO RESULTADOS DO ATAQUE DA SELEÇÃO MASCULINA INFANTO-JUVENIL DE VOLEIBOL

MARCUS LINS COSTA MELO RESULTADOS DO ATAQUE DA SELEÇÃO MASCULINA INFANTO-JUVENIL DE VOLEIBOL MARCUS LINS COSTA MELO RESULTADOS DO ATAQUE DA SELEÇÃO MASCULINA INFANTO-JUVENIL DE VOLEIBOL UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA FISIOTERAPIA E TERAPIA OCUPACIONAL Belo Horizonte

Leia mais

A Conexão Japão Brasil 1 5 D E N O V E M B R O D E 2 0 1 4 E M B AI X AD O R D O J AP Ã O N O B R AS I L K U N I O U M E D A

A Conexão Japão Brasil 1 5 D E N O V E M B R O D E 2 0 1 4 E M B AI X AD O R D O J AP Ã O N O B R AS I L K U N I O U M E D A A Conexão Japão Brasil 1 5 D E N O V E M B R O D E 2 0 1 4 E M B AI X AD O R D O J AP Ã O N O B R AS I L K U N I O U M E D A 1. O Brasil visto pelo Japão 1. Valores fundamentais Compartilhamos valores

Leia mais

Lucas Euzébio Machado. Jogos Multijogador em Massa DISSERTAÇÃO DE MESTRADO. Informática DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA

Lucas Euzébio Machado. Jogos Multijogador em Massa DISSERTAÇÃO DE MESTRADO. Informática DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA Lucas Euzébio Machado Técnicas de Distribuição para Jogos Multijogador em Massa DISSERTAÇÃO DE MESTRADO DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA Programa de Pós graduação em Informática Rio de Janeiro Agosto de 2005

Leia mais

3ª Copa Interestadual de Tênis de Mesa Pernambuco 2014

3ª Copa Interestadual de Tênis de Mesa Pernambuco 2014 3ª Copa Interestadual de Tênis de Mesa Pernambuco 2014 A Federação Pernambucana de Tênis de Mesa, tem a honra de convidar a todos os Atletas, Técnicos e Dirigentes de Federações e Clubes filiados a CBTM,

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE BOM DESPACHO-MG PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO - EDITAL 001/2009 CARGO: PROFESSOR NÍVEL III EDUCAÇÃO FÍSICA CADERNO DE PROVAS

PREFEITURA MUNICIPAL DE BOM DESPACHO-MG PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO - EDITAL 001/2009 CARGO: PROFESSOR NÍVEL III EDUCAÇÃO FÍSICA CADERNO DE PROVAS CADERNO DE PROVAS 1 A prova terá a duração de duas horas, incluindo o tempo necessário para o preenchimento do gabarito. 2 Marque as respostas no caderno de provas, deixe para preencher o gabarito depois

Leia mais

TÍTULO: A IMPORTÂNCIA DA ESPECIFICIDADE NO TREINAMENTO DO FUTEBOL CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: EDUCAÇÃO FÍSICA

TÍTULO: A IMPORTÂNCIA DA ESPECIFICIDADE NO TREINAMENTO DO FUTEBOL CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: EDUCAÇÃO FÍSICA TÍTULO: A IMPORTÂNCIA DA ESPECIFICIDADE NO TREINAMENTO DO FUTEBOL CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: EDUCAÇÃO FÍSICA INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE JAGUARIÚNA AUTOR(ES): RODRIGO

Leia mais

JOSÉ ROBERTO DA SILVA. Técnico de Futebol Profissional CREFSP 048776

JOSÉ ROBERTO DA SILVA. Técnico de Futebol Profissional CREFSP 048776 JOSÉ ROBERTO DA SILVA Técnico de Futebol Profissional CREFSP 048776 PERFIL BRASILEIRO CASADO IDADE: 42 ANOS DATA DE NASCIMENTO: 25/10/69 NATURAL DE PRESIDENTE PRUDENTE IDIOMA: ESPANHOL, INGLÊS LIDERANÇA

Leia mais

OLITA REGULAMENTO GERAL

OLITA REGULAMENTO GERAL OLITA REGULAMENTO GERAL OLIMPÍADAS INTERNAS DO ITAMIRIM De 6 de Novembro a 02 de Dezembro / 2011 AGENDA DATA HORA EVENTO LOCAL 22 de agosto Início da divulgação do evento e Regulamento Geral Itamirim 3

Leia mais

Monday, August 26, 13

Monday, August 26, 13 O QUE MOTIVA UM ATLETA? O MESMO QUE TODOS NÓS, DESAFIO. Estamos sempre atrás de um desafio, que nos motive a alcançar nossos objetivos e crescimento. OS DESAFIOS DE UM CICLISTA PROBLEMAS DA VIDA NORMAL

Leia mais

VOLEIBOL 7ºano. Voleibol HISTÓRICO E REGRAS. Origem e Evolução: William Morgan 1895 ACM s Tênis Minonette 07/05/2013. Brasil 1915 Pernambuco

VOLEIBOL 7ºano. Voleibol HISTÓRICO E REGRAS. Origem e Evolução: William Morgan 1895 ACM s Tênis Minonette 07/05/2013. Brasil 1915 Pernambuco VOLEIBOL 7ºano. HISTÓRICO E REGRAS Profª SHEILA - Prof. DANIEL Origem e Evolução: William Morgan 1895 ACM s Tênis Minonette Brasil 1915 Pernambuco Colégio Marista ou ACM s São Paulo 1916 1954 CBV 1982

Leia mais

PLURI Especial Porque estádios tão vazios? Parte 5

PLURI Especial Porque estádios tão vazios? Parte 5 PLURI Especial Porque estádios tão vazios? Parte 5 Brasil, País do ingresso mais caro do Mundo PLURI Consultoria Pesquisa, Valuation, Gestão e marketing Esportivo. Curitiba-PR Twitter: @pluriconsult www.facebook/pluriconsultoria

Leia mais

Confederação Brasileira de Voleibol PREPARAÇÃO FÍSICA Prof. Rommel Milagres SAQUAREMA Dezembro 2013

Confederação Brasileira de Voleibol PREPARAÇÃO FÍSICA Prof. Rommel Milagres SAQUAREMA Dezembro 2013 Confederação Brasileira de Voleibol PREPARAÇÃO FÍSICA Prof. Rommel Milagres SAQUAREMA Dezembro 2013 CURRICULUM VITAE Chefe do Departamento e Preparação Física do Minas Tênis Clube desde 1978 Preparador

Leia mais

Profa. Dra. Simone Meyer Sanches I WORKSHOP DE CORRIDA Instituto de Biociências USP

Profa. Dra. Simone Meyer Sanches I WORKSHOP DE CORRIDA Instituto de Biociências USP Profa. Dra. Simone Meyer Sanches I WORKSHOP DE CORRIDA Instituto de Biociências USP ORCAMPI/UNIMED CLUBE DE ATLETISMO BM&FBOVESPA 50 anos da Psicologia INTEGRANTES DA EQUIPE TÉCNICA E MÉDICA DO ATLETISMO

Leia mais

https://wwws.cnpq.br/curriculoweb/pkg_impcv.trata

https://wwws.cnpq.br/curriculoweb/pkg_impcv.trata https://wwwscnpqbr/curriculoweb/pkg_impcvtrata Page 1 of 8 Paulo Cesar do Nascimento Formado em Educação Física na Universidade Federal de Santa Catarina Suas preferências dentro de sua área de atuação

Leia mais

1ª Copa Contabilizar na Rede de Futebol Society - 2012

1ª Copa Contabilizar na Rede de Futebol Society - 2012 1ª1ª Copopa Conontababililizar na Rede de Futetebobol Societyety - 2012012 1ª Copa Contabilizar na Rede de Futebol Society - 2012 Esta Copa tem como o principal objetivo a melhor integração e confraternização

Leia mais

EFDeportes.com, Revista Digital. Buenos Aires - Año 16 - Nº 158 - Julio de 2011. http://www.efdeportes.com/

EFDeportes.com, Revista Digital. Buenos Aires - Año 16 - Nº 158 - Julio de 2011. http://www.efdeportes.com/ Motivos para a prática do handebol no município de Rebouças, PR 1 Motivos para la práctica del balonmano en el municipio de Rebouzas, PR Reasons for the practice of handball in the city of Rebouças, PR

Leia mais

PLANO DIRETOR DE TIRO COM ARCO OLÍMPICO EM 2016.... PENSAMENTOS e AMBIÇÕES SEM LIMITE... = logo BAF=

PLANO DIRETOR DE TIRO COM ARCO OLÍMPICO EM 2016.... PENSAMENTOS e AMBIÇÕES SEM LIMITE... = logo BAF= PLANO DIRETOR DE TIRO COM ARCO OLÍMPICO EM 2016... PENSAMENTOS e AMBIÇÕES SEM LIMITE... = logo BAF= =logos= COB FITA Tiro com Arco Mundial Ministério do Esporte Peter Nieuwenhuis, janeiro de 2011. Conteúdo;

Leia mais

PROGRAMA PARA A VALORIZAÇÃO DE INICIATIVAS CULTURAIS VAI SECRETARIA MUNICIPAL DA CULTURA São Paulo, Janeiro de 2012.

PROGRAMA PARA A VALORIZAÇÃO DE INICIATIVAS CULTURAIS VAI SECRETARIA MUNICIPAL DA CULTURA São Paulo, Janeiro de 2012. PROGRAMA PARA A VALORIZAÇÃO DE INICIATIVAS CULTURAIS VAI SECRETARIA MUNICIPAL DA CULTURA São Paulo, Janeiro de 2012 Design D Kebrada 2. Dados do projeto 2.1 Nome do projeto Design D Kebrada 2.2 Data e

Leia mais

Copa Marista Internacional de Ginástica Rítmica. 26 a 29 de novembro de 2015

Copa Marista Internacional de Ginástica Rítmica. 26 a 29 de novembro de 2015 Copa Marista Internacional de Ginástica Rítmica 26 a 29 de novembro de 2015 O Colégio Marista em parceria com a GORBA tem a grata satisfação de convidar V.Sª. para participar da Copa Marista Internacional

Leia mais

MODELAGENS. Modelagem Estratégica

MODELAGENS. Modelagem Estratégica Material adicional: MODELAGENS livro Modelagem de Negócio... Modelagem Estratégica A modelagem estratégica destina-se à compreensão do cenário empresarial desde o entendimento da razão de ser da organização

Leia mais

DISTRIBUIÇÕES ESPECIAIS DE PROBABILIDADE DISCRETAS

DISTRIBUIÇÕES ESPECIAIS DE PROBABILIDADE DISCRETAS VARIÁVEIS ALEATÓRIAS E DISTRIBUIÇÕES DE PROBABILIDADES 1 1. VARIÁVEIS ALEATÓRIAS Muitas situações cotidianas podem ser usadas como experimento que dão resultados correspondentes a algum valor, e tais situações

Leia mais

EQUIPE RIDE DVULG MEMBROS 2016. www.ridedvulg.com.br. (32) 9 8428-6956 Contato@ridedvulg.com.br

EQUIPE RIDE DVULG MEMBROS 2016. www.ridedvulg.com.br. (32) 9 8428-6956 Contato@ridedvulg.com.br MEMBROS 2016 EQUIPE RIDE DVULG Missão: - promover a prática do ciclismo de competição buscando descobrir novos talentos para o esporte - ter uma equipe de ciclismo competitiva - participar das etapas e

Leia mais

PROGRAMA DE VOLUNTÁRIOS DO FMDH MANUAL DO CANDIDATO

PROGRAMA DE VOLUNTÁRIOS DO FMDH MANUAL DO CANDIDATO PROGRAMA DE VOLUNTÁRIOS DO FMDH MANUAL DO CANDIDATO O Programa de Voluntários do FÓRUM MUNDIAL DE DIREITOS HUMANOS FMDH lhe da às boas vindas! Apresentamos, a seguir, orientações aos interessados em atuar

Leia mais

"A importância dos factores psicológicos no rendimento desportivo"

A importância dos factores psicológicos no rendimento desportivo "A importância dos factores psicológicos no rendimento desportivo" Dr. Rolando Andrade, psicólogo da Seleção Nacional/Liberty Seguros Ao longo das últimas décadas, o número de investigações em torno dos

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE FORMIGA UNIFOR CURSO DE BACHARELADO EM EDUCAÇÃO FÍSICA IÚRI CARVALHO FERREIRA

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE FORMIGA UNIFOR CURSO DE BACHARELADO EM EDUCAÇÃO FÍSICA IÚRI CARVALHO FERREIRA 0 CENTRO UNIVERSITÁRIO DE FORMIGA UNIFOR CURSO DE BACHARELADO EM EDUCAÇÃO FÍSICA IÚRI CARVALHO FERREIRA A IMPORTÂNCIA DO TRABALHO DE IMPULSÃO VERTICAL EM VOLEIBOLISTAS COMO DIFERENCIAL DOS ATLETAS DE ALTO

Leia mais

Mário Pedro Lisboa, 10 de Outubro de 1998

Mário Pedro Lisboa, 10 de Outubro de 1998 Mário Pedro Lisboa, 10 de Outubro de 1998 O Atletismo jogado O tipo de trabalho proposto destina-se a crianças dos 9 aos 11 anos de ambos os sexos, as sessões de trabalho tem a duração aproximada de 2h

Leia mais

Caracterização da personalidade em atletas brasileiros

Caracterização da personalidade em atletas brasileiros Caracterização da personalidade em atletas brasileiros Maurício Gattás Bara Filho mgbara@terra.com.br Grupo Estudos Olímpicos Universidade Federal de Juiz de Fora, Brasil 0 Abstract Studies about athletes

Leia mais

CRISTOVÃO PEDRO MAIA

CRISTOVÃO PEDRO MAIA CRISTOVÃO PEDRO MAIA COMPARAÇÃO A MOTIVAÇÃO PARA A PRÁTICA ESPORTIVA ETRE DUAS EQUIPES PROFISSIOAIS DE FUTSAL DA CATEGORIA ADULTO Artigo apresentado como Trabalho de Conclusão de Curso em Especialização

Leia mais

FEDERAÇÃO MINEIRA DE VOLEIBOL

FEDERAÇÃO MINEIRA DE VOLEIBOL FEDERAÇÃO MINEIRA DE VOLEIBOL ASSESSORIA REGIONAL - AR-1 / 2013. www.proesportes.com NOVO e-mail: ar1@proesportes.com Telefax: (34) 3234-7916 - Uberlândia-MG Nota Oficial: 010/2013 Aos Clubes Vinculados

Leia mais

TORNEIO REGIONAL INTER ASSOCIAÇÕES SUB

TORNEIO REGIONAL INTER ASSOCIAÇÕES SUB ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DE ANGRA DO HEROÍSMO TORNEIO REGIONAL INTER ASSOCIAÇÕES SUB 14 FUTEBOL Angra do Heroísmo 10, 11 e 12 de Junho de 2016 ESTRUTURA ORGÂNICA DIREÇÃO - CARLOS FONTES 969 148 800 GABINETE

Leia mais