PBS 1. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS: 2. BENEFÍCIOS: Função: Conduzir água a temperatura ambiente;

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PBS 1. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS: 2. BENEFÍCIOS: Função: Conduzir água a temperatura ambiente;"

Transcrição

1 PS PONT OLS SOL Localização no Wbsit Tigr: Obra Prdial Indústria PS Função: Conduzir água a tmpratura ambint; plicaçõs: Indústrias, piscinas, obras vrticais d grand port. Class IMENSÕES E L 50 90,3 70 5,3 77 6, , 121 7, , ,1 15 1, ,9 9,1 MIO/13 1. CRCTERÍSTICS TÉCNICS: Tubos Fabricados m PVC na cor marrom; Extrmidads com ponta bolsa soldávl; E a mm; Classs d prssão: 12, 15, para prssõs d srviço d kgf/cm ( m.c.a), 7,5kgf/cm ( m.c.a) 10kgf/cm (100 m.c.a), rspctivamnt; s prssõs máximas variam conform tmpratura. plicas a tabla abaixo: TEMPERTUR Obs: Não é rcomndado su uso m tmpraturas supriors a ºC. Conxõs Fabricada com sgmntos d tubos d PVC rforçado xtrnamnt com Fibra d Vidro; Para prssõs d srviço até 10 kgf/cm2(class ); ºC Índic a 35 0, 35 a 5 0,6 5 a 0, 2. ENEFÍCIOS: Slo idntificador d procdência, traz sgurança para o spcificador instalador; Facilidad d instalação: junta soldávl com adsivo, lvza do matrial; Opraçõs d montagm dsmontagm são facilitadas graças à opção da junta flangada. 1/6

2 3. INSTRUÇÕES: 3.1 MONTGEM: SEQÜÊNCI E EXECUÇÃO E JUNT SOLÁVEL: 1) Limpar as suprfícis da bolsa da conxão da ponta do tubo utilizando stopa branca; SEQÜÊNCI E EXECUÇÃO E JUNT FLNGE: 1) Limp a ponta do tubo a bolsa do flang com uma stopa branca; 2) Mdir a profundidad da bolsa da conxão marcar na ponta do tubo; 2) Coloqu o flang livr no tubo, apliqu o adsivo Tigr na bolsa do flang na ponta do tubo; 3) plicar o adsivo Tigr primiro na bolsa dpois na ponta do tubo, imdiatamnt, procdr à montagm da junta; ) Concluída a montagm, limpar o xcsso d adsivo; 3) Com o auxílio d uma pça d madira usando um martlo, introduza o bocal do flang no tubo até atingir su ncosto; ) Coloqu a junta d vdação plana na posição; NOT: Para a soldagm m diâmtros acima d mm, rcomndamos qu a montagm sja fita com auxílio d um ajudant. 5) O alinhamnto dos furos é facilmnt consguido, pois os flangs são livrs; Consumo d dsivo CONSUMO PROXIMO E ESIVO PR EXECUÇÃO S JUNTS PS: Para soldagm da linha PS, rcomnda-s o uso do dsivo Espcial Tigr; itola dsivo (g/junta) 6 7, NOT: O consumo d adsivo constant dsta tabla, é aproximado podrá sofrr variação m função da tmpratura ambint do próprio instalador. Obsrvaçõs: 6) O aprto dos parafusos dvrá sr gradual, procurando-s fixar smpr aqul diamtralmnt oposto ao fixado. Em rlação às furaçõs, os flangs da Linha PS são fabricados d acordo com a NR7669) da NT. Sob consulta, é possívl forncr outros tipos d furaçõs tais como NSI IN; É important qu os flangs a srm unidos m uma instalação sigam o msmo padrão d furação. v-s atntar para a scolha corrta das pças, principalmnt na transição com outros matriais. 2/6

3 3.1. TUULÇÕES ÉRES: Para xcução d instalaçõs com tubulaçõs aéras, são ncssários cuidados spciais quanto ao corrto distanciamnto dos apoios. Os apoios dvrão possuir formato smicircular, com um raio igual ao da tubulação comprimnto igual ao diâmtro do tubo. É convnint qu as juntas dos tubos s situm próximas dos apoios. tabla, a sguir, aprsnta a rcomndação foi calculada para conduzir água a C. itola istância máxima ntr apolos (m) Class 15 1,7 1,9 2,1 2,5 2,9 3,2 3,7 3.2 VEÇÃO: Class 1, 2,0 2,2 2,6 3,1 3, 3,9 s juntas forncidas com os tubos conxõs flangados Tigr são do tipo vdação plana. nl d orracha 3.3 FURÇÃO E PRFUSOS: Por ocasião da montagm dos flangs, é indispnsávl o uso d parafusos arrulas d dimnsõs apropriadas; Quanto à furação, aprsntamos uma tabla com dimnsõs dos flangs normalmnt forncidos pla Tigr fabricados d acordo com a NR 7669 da NT; Sob consulta, podrão sr forncidos outros tipos d furação, tais como: NSI IN. itola dos Tubos E N Rf / itola dos flngs N TRNSPORTE / MNUSEIO: v-s vitar impactos forts atritos com pdras, objtos mtálicos arstas vivas d modo gral; suprfíci d apoio dvrá sr plana, uma vz qu os tubos dvrão sr igualmnt sustntados totalmnt apoiados m toda a sua xtnsão; Nas opraçõs d carga dscarga dv-s vitar choqus, batidas atrito das mbalagns para prvnir qubras /ou rachaduras das lâminas. 3.5 ESTOCGEM: iâm. do disco Esp. do disco 1 17, iâm. da furação Quant. d Parafuso imnsõs rfrnts ao Flang com Furação NR 7669 v sr num local d fácil acsso à sombra, livr d ação dirta ou d xposição contínua ao sol; É muito important qu a strutura d apoio stja m nívl qu as mbalagns stjam totalmnt apoiadas sobr la. iâm. do furo por parafuso itola dos Parafus.. ITENS LINH: TuboPS Class IMENSÕES E,3 5,3 6,1 7, 7,3,9 11, 9,1 11,1 1,3 L daptadorpscombolsarosca d N / E * 7 6 3/6

4 CapPS 2 3 N / E * 7, Curva5 PS R N / E * , Curva90 PS R N / E * FlangLivrcomFurosparaTubosPS FuraçãoNR7669 F 6,2 51,2 5,5 73, 99,5 1, 5,0 1,0,0 2 2,0 30,0 C 125,0 135,0 155,0,0 20,0 295,0 E,0,0,0,0,0,0 df 22,0 2,0 19,0 22,0 29,0 31,0 FlangLivrcomFurosparaTubosPS FuraçãoNSI.5 F 6,2 51,2 5,5 73, 1, 5,0 1,0,0 2 30,0 C 1,7 139,7 152, 190,0 29,0 E,0,0,0,0,0 df 19,1 19,1 19,1 22,2 19,0 2,0 /6

5 FlangLivrsmFurosparaTubosPS E F 6,2 51,2 5,5 73, 99,5 1, 19,0 26,0 2,0 Jolho5 PS N / E * 193 Jolho90 PS N / E * 231,7 Luvadrdu ops d N / E x N 100 / * LuvaPS N / E x N 100 / E* 225 5/6

6 Tê d rdução PS d N / E x N 100 / E* 390 Tê PS N / E * 230 dsivo quathrm isnaga 17g dsivo quathrm isnaga g dsivo Espcial PVC / CPVC Frasco 1g dsivo Espcial PVC / CPVC Frasco 0g Fita Vda Rosca 1mm x 10 m 1mm x 25 m 1mm x 50 m 6/6

Válvula Condicionadora de Vapor Tipo DUP. e válvula de controle de água de resfriamento

Válvula Condicionadora de Vapor Tipo DUP. e válvula de controle de água de resfriamento Válvula Condicionadora d Vapor Tipo DUP válvula d control d água d rsfriamnto Aplicação: Válvula Condicionadora d Vapor para Cntrais Elétricas Procssos Industriais combinada numa unidad com válvula d control

Leia mais

POLÍTICA DA QUALIDADE

POLÍTICA DA QUALIDADE TUBOS E CONEXÕES PD N BR 1 5561 POLI ERG POL GP10 0BK PEA IERG D NB PE 1 00 D R 15 PEA 561 D NB R 15 E 45 0 PN GP10 561 0BK GP1 10 Á GUA PE 1 00B 00 D K PE E 45 100 0 PN DE 4 10 E 50 P SGOT O N 10 ÁGU

Leia mais

NR-35 TRABALHO EM ALTURA

NR-35 TRABALHO EM ALTURA Sgurança Saúd do Trabalho ao su alcanc! NR-35 TRABALHO EM ALTURA PREVENÇÃO Esta é a palavra do dia. TODOS OS DIAS! PRECAUÇÃO: Ato ou fito d prvnir ou d s prvnir; A ação d vitar ou diminuir os riscos através

Leia mais

Desse modo, podemos dizer que as forças que atuam sobre a partícula que forma o pêndulo simples são P 1, P 2 e T.

Desse modo, podemos dizer que as forças que atuam sobre a partícula que forma o pêndulo simples são P 1, P 2 e T. Pêndulo Simpls Um corpo suspnso por um fio, afastado da posição d quilíbrio sobr a linha vrtical qu passa plo ponto d suspnsão, abandonado, oscila. O corpo o fio formam o objto qu chamamos d pêndulo. Vamos

Leia mais

Em cada ciclo, o sistema retorna ao estado inicial: U = 0. Então, quantidade de energia W, cedida, por trabalho, à vizinhança, pode ser escrita:

Em cada ciclo, o sistema retorna ao estado inicial: U = 0. Então, quantidade de energia W, cedida, por trabalho, à vizinhança, pode ser escrita: Máquinas Térmicas Para qu um dado sistma raliz um procsso cíclico no qual rtira crta quantidad d nrgia, por calor, d um rsrvatório térmico cd, por trabalho, outra quantidad d nrgia à vizinhança, são ncssários

Leia mais

NOTA SOBRE INDETERMINAÇÕES

NOTA SOBRE INDETERMINAÇÕES NOTA SOBRE INDETERMINAÇÕES HÉLIO BERNARDO LOPES Rsumo. Em domínios divrsos da Matmática, como por igual nas suas aplicaçõs, surgm com alguma frquência indtrminaçõs, d tipos divrsos, no cálculo d its, sja

Leia mais

No N r o m r a m s a?

No N r o m r a m s a? Normas? EM ALGUMA CERÂMICA... NORMAS? O qu tnho a vr com isso? VENDAS NORMAS??? O qu é isso?...um clint dixou d fchar o pdido porqu o bloco não stava dntro das NORMAS... Grnt Produção...Uma carga d Blocos

Leia mais

ASSUNTO Nº 4 POLARIDADE INSTANTÂNEA DE TRANSFORMADORES

ASSUNTO Nº 4 POLARIDADE INSTANTÂNEA DE TRANSFORMADORES ASSUNTO Nº 4 POLARIDADE INSTANTÂNEA DE TRANSFORMADORES 17 As associaçõs d pilhas ou batrias m séri ou parallo xigm o domínio d suas rspctivas polaridads, tnsõs corrnts. ALGUMAS SITUAÇÕES CLÁSSICAS (pilhas

Leia mais

Experiência n 2 1. Levantamento da Curva Característica da Bomba Centrífuga Radial HERO

Experiência n 2 1. Levantamento da Curva Característica da Bomba Centrífuga Radial HERO 8 Expriência n 1 Lvantamnto da Curva Caractrística da Bomba Cntrífuga Radial HERO 1. Objtivo: A prsnt xpriência tm por objtivo a familiarização do aluno com o lvantamnto d uma CCB (Curva Caractrística

Leia mais

Equilíbrio Térmico. é e o da liga é cuja relação com a escala Celsius está representada no gráfico.

Equilíbrio Térmico. é e o da liga é cuja relação com a escala Celsius está representada no gráfico. Equilíbrio Térmico 1. (Unsp 2014) Para tstar os conhcimntos d trmofísica d sus alunos, o profssor propõ um xrcício d calorimtria no qual são misturados 100 g d água líquida a 20 C com 200 g d uma liga

Leia mais

MÓDULO 4 4.8.1 - PROCEDIMENTOS DE TESTES DE ESTANQUEIDADE PARA LINHAS DE ÁGUA, ESGOTO E OUTROS LÍQUIDOS

MÓDULO 4 4.8.1 - PROCEDIMENTOS DE TESTES DE ESTANQUEIDADE PARA LINHAS DE ÁGUA, ESGOTO E OUTROS LÍQUIDOS MÓDULO 4 4.8.1 - PROCEDIMENTOS DE TESTES DE ESTANQUEIDADE PARA LINHAS DE ÁGUA, ESGOTO E OUTROS LÍQUIDOS Normas Aplicávis - NBR 15.950 Sistmas para Distribuição d Água Esgoto sob prssão Tubos d politilno

Leia mais

Catálogo M2404. PowerTrap. Série GP Série GT. Bomba Mecânica e Purgador Bomba

Catálogo M2404. PowerTrap. Série GP Série GT. Bomba Mecânica e Purgador Bomba Catálogo M404 PowrTrap Mcânica Séri GP Séri GT Rcupração ficaz do Mlhora a ficiência da planta Aumnto da produtividad qualidad dos produtos são, alguns dos bnfícios da drnagm rcupração do, além d rduzir

Leia mais

Catálogo de Perfis Padronizados

Catálogo de Perfis Padronizados Extrusão Gral Catálogo d Prfis P Shaping a lightr futur Frramntaria Estoqu d tarugos rfis Introdução SP no Mundo Fundada m 1963 na Suécia, a Sapa iniciou suas atividads a partir do zro s transformou, m

Leia mais

LINHA FIXA SOLDÁVEL 01 - IRR. * NBR 14654 somente para estes modelos. * Incluir engate metálico. 20* 25* 32* 35 40*

LINHA FIXA SOLDÁVEL 01 - IRR. * NBR 14654 somente para estes modelos. * Incluir engate metálico. 20* 25* 32* 35 40* LINHA FIXA SOLDÁVEL * NBR 14654 somente para estes modelos. TUBO PVC IRRIGAÇÃO PB PN-60 NBR 14654 TUBO PVC IRRIGAÇÃO PB PN-40 NBR 14312 30 3024 * * * 31 33 36 0 30 03 40* 37 1 1 3004 3008 0 1 1 3021 30

Leia mais

Definição de Termos Técnicos

Definição de Termos Técnicos Dfinição d Trmos Técnicos Eng. Adriano Luiz pada Attack do Brasil - THD - (Total Harmonic Distortion Distorção Harmônica Total) É a rlação ntr a potência da frqüência fundamntal mdida na saída d um sistma

Leia mais

Vedação. Climatécnica CONJUNTOS DE GRELHA E FILTRO LINHA PFA 10.000 - IV GERAÇÃO. em poliuretano

Vedação. Climatécnica CONJUNTOS DE GRELHA E FILTRO LINHA PFA 10.000 - IV GERAÇÃO. em poliuretano Climatécnica CONJUNTOS DE GRELHA E FILTRO LINHA PFA 10.000 - IV GERAÇÃO SISTEMA DE PROTEÇÃO INSTALAÇÃO RÁPIDA INSTALAÇÃO SEM USAR FERRAMENTA Corpo injtado m trmoplástico auto-xtinguívl (UL94V0). progrssivo

Leia mais

Contador de electricidade instantâneo

Contador de electricidade instantâneo Contador d lctricidad instantâno Modo d utilização Rf. 54370 Linha d apoio: hotlin@chacon.b CONTEÚDO INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO 1 SEGURANÇA 2 DENTRO DA CAIXA 3 PROCURAR O CABO DE ALIMENTAÇÃO 4 INSTALAÇÃO 6

Leia mais

SISTEMA DE PONTO FLUTUANTE

SISTEMA DE PONTO FLUTUANTE Lógica Matmática Computacional - Sistma d Ponto Flutuant SISTEM DE PONTO FLUTUNTE s máquinas utilizam a sguint normalização para rprsntação dos númros: 1d dn * B ± 0d L ond 0 di (B 1), para i = 1,,, n,

Leia mais

e n e e A SIPAT Integrada 2012 Teófilo Otoni 07 a 11-05-2012

e n e e A SIPAT Integrada 2012 Teófilo Otoni 07 a 11-05-2012 In a n a m t a rn d Prv n çã o d A SIPAT Intgrada 2012 Tófilo Otoni 07 a 11-05-2012 ci d nt S Fnord Cmig Tófilo Otoni Projcl Engnharia Ltda. Rdl Eltrificaçõs Fundação Educacional Nordst Miniro s Gast tmpo

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO

GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO PARA FINS DE CREDENCIAMENTO DE INSTITUIÇÃO DE ENSINO E AUTORIZAÇÃO DE FUNCIONAMENTO DE CURSOS DE EDUCAÇÃO

Leia mais

CARVALHO HOSKEN S/A carvalhohosken.com.br CARVALHO HOSKEN S.A. ENGENHARIA E CONSTRUÇÕES CNPJ: 33.342.023/0001-33

CARVALHO HOSKEN S/A carvalhohosken.com.br CARVALHO HOSKEN S.A. ENGENHARIA E CONSTRUÇÕES CNPJ: 33.342.023/0001-33 Balanço Social Em 31 d dzmbro d 2015 2014 1 - Bas d Cálculo 2015 Valor (Mil rais) 2014 Valor (Mil rais) Rcita líquida (RL) 190.202 292.969 Rsultado opracional (RO) 111.720 (16.955) Rsultado Financiro (29.648)

Leia mais

EC1 - LAB - CIRCÚITOS INTEGRADORES E DIFERENCIADORES

EC1 - LAB - CIRCÚITOS INTEGRADORES E DIFERENCIADORES - - EC - LB - CIRCÚIO INEGRDORE E DIFERENCIDORE Prof: MIMO RGENO CONIDERÇÕE EÓRIC INICII: Imaginmos um circuito composto por uma séri R-C, alimntado por uma tnsão do tipo:. H(t), ainda considrmos qu no

Leia mais

Proposta de Resolução do Exame Nacional de Física e Química A 11.º ano, 2011, 1.ª fase, versão 1

Proposta de Resolução do Exame Nacional de Física e Química A 11.º ano, 2011, 1.ª fase, versão 1 Proposta d Rsolução do Exam Nacional d ísica Química A 11.º ano, 011, 1.ª fas, vrsão 1 Socidad Portugusa d ísica, Divisão d Educação, 8 d Junho d 011, http://d.spf.pt/moodl/ 1. Movimnto rctilíno uniform

Leia mais

INSTRUÇÕES MANUAL DE. Conheça nossos outros produtos. FOGÕES A GÁS Modelos: 600.200 / 432.200 / 420 TV / 205 CT / 205 ST / 226 TV / 226 CT

INSTRUÇÕES MANUAL DE. Conheça nossos outros produtos. FOGÕES A GÁS Modelos: 600.200 / 432.200 / 420 TV / 205 CT / 205 ST / 226 TV / 226 CT Conhça nossos outros produtos * Fogõs a gás * Fogõs a lnha * Fogõs industriais * Cooktops * Fornos létricos * Fornos d mbutir * Frigobars * Frzrs * Climatizadoras d vinho * Epositora d crvjas bbidas *

Leia mais

ANÁLISE CUSTO - VOLUME - RESULTADOS

ANÁLISE CUSTO - VOLUME - RESULTADOS ANÁLISE CUSTO - VOLUME - RESULTADOS 1 Introdução ao tma Exist todo o intrss na abordagm dst tma, pois prmit a rsolução d um conjunto d situaçõs qu s aprsntam rgularmnt na vida das organizaçõs. Estas qustõs

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: CURRÍCULO DE PEDAGOGIA, FORMAÇÃO,EDUCAÇÃO INFANTIL, IDENTIDADE PROFISSIONAL

PALAVRAS-CHAVE: CURRÍCULO DE PEDAGOGIA, FORMAÇÃO,EDUCAÇÃO INFANTIL, IDENTIDADE PROFISSIONAL Govrno do Estado do Rio Grand do Nort Scrtariado d Estado da Educação Cultura - SEEC UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE - UERN Pró-Ritoria d Psquisa Pós-Graduação PROPEG Dpartamnto d Psquisa

Leia mais

Projeto de Magnéticos

Projeto de Magnéticos rojto d Magnéticos rojto d circuitos magnéticos ltrônicos rojto d Magnéticos 1. ntrodução s caractrísticas idais d um componnt magnético são: rsistência nula, capacitância parasita nula, dnsidad d campo

Leia mais

F o l e s S a n f o n a d o s

F o l e s S a n f o n a d o s Fols Sanfonados Protção individualmnt sob mdida sanfonada por sanfonada A protção prfita para o homm para a máquina. A Hnnig projta produz fols sanfonados para máquinasfrramnta há mais d 50 anos. Hoj a

Leia mais

CATÁLOGO TÉCNICO E DE PRODUTOS INFRAESTRUTURA SANEAMENTO ÁGUA E ESGOTO TELEFONIA GÁS

CATÁLOGO TÉCNICO E DE PRODUTOS INFRAESTRUTURA SANEAMENTO ÁGUA E ESGOTO TELEFONIA GÁS TÁLOGO TÉNIO E PROUTOS INFRESTRUTUR SNEMENTO ÁGU E ESGOTO TELEFONI GÁS 1 mprsa qu mais crscu nos últimos 22 anos no stor. Um dos lídrs na fabricação d tubos conxõs do país. 2 Qum somos 3 Produtos Qualificados

Leia mais

Desta maneira um relacionamento é mostrado em forma de um diagrama vetorial na Figura 1 (b). Ou poderia ser escrito matematicamente como:

Desta maneira um relacionamento é mostrado em forma de um diagrama vetorial na Figura 1 (b). Ou poderia ser escrito matematicamente como: ASSOCIAÇÃO EDUCACIONA DOM BOSCO FACUDADE DE ENGENHAIA DE ESENDE ENGENHAIA EÉICA EEÔNICA Disciplina: aboratório d Circuitos Elétricos Circuitos m Corrnt Altrnada EXPEIMENO 9 IMPEDÂNCIA DE CICUIOS SÉIE E

Leia mais

Atrito Estático. de deslizamento. Ela é devida à interacção entre as partículas dos dois corpos em contacto.

Atrito Estático. de deslizamento. Ela é devida à interacção entre as partículas dos dois corpos em contacto. Atrito Estático Introdução Tórica Smpr qu dois corpos stão m contacto como, por xmplo, um livro m cima d uma msa, xist uma força qu s opõ ao movimnto rlativo dos dois corpos. Suponha qu mpurra um bloco

Leia mais

Dinâmica Longitudinal do Veículo

Dinâmica Longitudinal do Veículo Dinâmica Longitudinal do Vículo 1. Introdução A dinâmica longitudinal do vículo aborda a aclração frnagm do vículo, movndo-s m linha rta. Srão aqui usados os sistmas d coordnadas indicados na figura 1.

Leia mais

2 Mbps (2.048 kbps) Telepac/Sapo, Clixgest/Novis e TV Cabo; 512 kbps Cabovisão e OniTelecom. 128 kbps Telepac/Sapo, TV Cabo, Cabovisão e OniTelecom.

2 Mbps (2.048 kbps) Telepac/Sapo, Clixgest/Novis e TV Cabo; 512 kbps Cabovisão e OniTelecom. 128 kbps Telepac/Sapo, TV Cabo, Cabovisão e OniTelecom. 4 CONCLUSÕES Os Indicadors d Rndimnto avaliados nst studo, têm como objctivo a mdição d parâmtros numa situação d acsso a uma qualqur ára na Intrnt. A anális dsts indicadors, nomadamnt Vlocidads d Download

Leia mais

ENGENHARIA DE MANUTENÇÃO. Marcelo Sucena

ENGENHARIA DE MANUTENÇÃO. Marcelo Sucena ENGENHARIA DE MANUTENÇÃO Marclo Sucna http://www.sucna.ng.br msucna@cntral.rj.gov.br / marclo@sucna.ng.br ABR/2008 MÓDULO 1 A VISÃO SISTÊMICA DO TRANSPORTE s A anális dos subsistmas sus componnts é tão

Leia mais

INSTRUÇÕES MANUAL DE. Conheça nossos outros produtos. FOGÕES LENHA Modelos: Nº00, Nº0, Nº1, Nº2.

INSTRUÇÕES MANUAL DE. Conheça nossos outros produtos. FOGÕES LENHA Modelos: Nº00, Nº0, Nº1, Nº2. Conhça nossos outros produtos * Fogõs a gás * Fogõs a lnha * Fogõs industriais * Cooktops * Fornos létricos * Fornos d mbutir * Frigobars * Frzrs * Climatizadoras d vinho * Expositora d crvjas bbidas *

Leia mais

Módulo II Resistores, Capacitores e Circuitos

Módulo II Resistores, Capacitores e Circuitos Módulo laudia gina ampos d arvalho Módulo sistors, apacitors ircuitos sistência Elétrica () sistors: sistor é o condutor qu transforma nrgia létrica m calor. omo o rsistor é um condutor d létrons, xistm

Leia mais

AII. ANEXO II COEFICIENTE DE CONDUTIBILIDADE TÉRMICA IN-SITU

AII. ANEXO II COEFICIENTE DE CONDUTIBILIDADE TÉRMICA IN-SITU ANEXO II Coficint d Condutibilidad Térmica In-Situ AII. ANEXO II COEFICIENTE DE CONDUTIBILIDADE TÉRMICA IN-SITU AII.1. JUSTIFICAÇÃO O conhcimnto da rsistência térmica ral dos componnts da nvolvnt do difício

Leia mais

uma estrutura convencional. Desta forma, o desempenho de um sistema estrutural está diretamente relacionado com o desempenho de suas ligações.

uma estrutura convencional. Desta forma, o desempenho de um sistema estrutural está diretamente relacionado com o desempenho de suas ligações. ISSN 1809-5860 ESTUDO DE UMA LIGAÇÃO VIGA-PILAR UTILIZADA EM GALPÕES DE CONCRETO PRÉ- MOLDADO Anamaria Malachini Miotto 1 & Mounir Khalil El Dbs 2 Rsumo Em gral, as ligaçõs ntr lmntos pré-moldados d concrto

Leia mais

Manual de Instalação e Manutenção. Torniquete Hexa. revisão: 6 data de atualização:16/01/09

Manual de Instalação e Manutenção. Torniquete Hexa. revisão: 6 data de atualização:16/01/09 Manual de Instalação e Manutenção Torniquete Hexa revisão: 6 data de atualização:16/01/09 Índice 1 - Apresentação pg.03 2 - Dimensões principais e vão livre para manutenção pg.04 3.1. Identificação dos

Leia mais

PRODUTOS GERDAU PARA PAREDES DE CONCRETO

PRODUTOS GERDAU PARA PAREDES DE CONCRETO PRODUTOS GERDAU PARA PAREDES DE CONCRETO SISTEMA CONSTRUTIVO PAREDES DE CONCRETO NBR60 PAREDES DE CONCRETO Sistma construtivo m qu as lajs as pards são moldadas m conjunto, formando um lmnto monolítico.

Leia mais

A FERTILIDADE E A CONCEPÇÃO Introdução ao tema

A FERTILIDADE E A CONCEPÇÃO Introdução ao tema A FERTILIDADE E A CONCEPÇÃO Introdução ao tma O ciclo mnstrual tm a missão d prparar o organismo para consguir uma gravidz com êxito. O 1º dia d mnstruação corrspond ao 1º dia do ciclo mnstrual. Habitualmnt,

Leia mais

Planificação de Ciências Naturais. 9.ºAno. Alterações climáticas

Planificação de Ciências Naturais. 9.ºAno. Alterações climáticas Planificação d Ciências Naturais 9.ºAno Altraçõs climáticas Inês Hnriqus Sandra Mnds Tma: Biosfra Aula n.º: 1 Duração: 90 minutos Introdução à unid Altraçõs climáticas. Biosfra, concito importância. Dgração

Leia mais

Paquímetro: O pessoal da empresa está chegando à quarta. Um problema. Erros de leitura

Paquímetro: O pessoal da empresa está chegando à quarta. Um problema. Erros de leitura Paquímetro: conservação A UU L AL A O pessoal da empresa está chegando à quarta aula sobre paquímetro. Nesta aula, todos vão aprender a usar corretamente o paquímetro, quais os possíveis erros de leitura

Leia mais

Física Geral I F -128. Aula 6 Força e movimento II

Física Geral I F -128. Aula 6 Força e movimento II Física Gral I F -18 Aula 6 Força movimnto II Forças Fundamntais da Naturza Gravitacional Matéria ( 1/r ) Eltromagné7ca ( 1/r ) Cargas Elétricas, átomos, sólidos Nuclar Fraca Dcaimnto Radioa7vo bta Nuclar

Leia mais

CONDIÇÕES DE OPERAÇÃO DE TUBOS DE POLIETILENO PE (NORMATIVO) CONDIÇÕES PARA USO DE MATERIAL REPROCESSADO (NORMATIVO)

CONDIÇÕES DE OPERAÇÃO DE TUBOS DE POLIETILENO PE (NORMATIVO) CONDIÇÕES PARA USO DE MATERIAL REPROCESSADO (NORMATIVO) ABR 98 Tubos d politilno PE abp/e001 Espcificação Origm: ISO 4427/96 abp - associação brasilira d tubos poliolfínicos sistmas CTPE - Comissão Técnica d Politilno abp/e001 - Polythyln (PE) pips - Spcification

Leia mais

Instruções para Montagem de Conexões FTX

Instruções para Montagem de Conexões FTX Instruções para Montagem de Conexões FTX - Nunca monte a mangueira totalmente esticada; - Não monte a mangueira girada, pois quando ela receber pressão, poderá se soltar; - Sempre proteja as mangueiras

Leia mais

A prova tem como referência o Programa de PRÁTICAS DE CONTABILIDADE E GESTÃO do 12º Ano de Escolaridade.

A prova tem como referência o Programa de PRÁTICAS DE CONTABILIDADE E GESTÃO do 12º Ano de Escolaridade. Informação - Prova Equivalência à Frquência Práticas Contabilida Gstão Prova Equivalência à Frquência Práticas Contabilida Gstão Duração da prova: 120 minutos / 24.06.2013 12º Ano Escolarida Curso Tcnológico

Leia mais

Manual do Usuário KP1510

Manual do Usuário KP1510 Manual do Usuário KP1510 Kypass Tcnologia Ltda. www.kypass.com.br 2 ÍNDICE 1. Primiros passos... 4 1.1 Considraçõs iniciais... 4 1.2 Espcificaçõs técnicas... 5 1.3 Utilização do snsor biométrico... 6 1.4

Leia mais

INSTRUÇÕES. Os formadores deverão reunir pelo menos um dos seguintes requisitos:

INSTRUÇÕES. Os formadores deverão reunir pelo menos um dos seguintes requisitos: INSTRUÇÕES Estas instruçõs srvm d orintação para o trino das atividads planadas no projto Europu Uptak_ICT2lifcycl: digital litracy and inclusion to larnrs with disadvantagd background. Dvrão sr usadas

Leia mais

GERADOR ELETROSTÁTICO

GERADOR ELETROSTÁTICO GERADOR ELETROSTÁTICO Est artigo irá mostrar como construir um grador ltrostático, projto muito famoso m firas d Ciências. É uma máquina muito intrssant dvido às pqunas faíscas qu gra, dmonstrando claramnt

Leia mais

INSTRUÇÕES MANUAL DE VENAX. Eletrodomésticos Ltda VV100 - VV300 - VV550 VENAX EXPOSITORA DE BEBIDAS. Eletrodomésticos Ltda

INSTRUÇÕES MANUAL DE VENAX. Eletrodomésticos Ltda VV100 - VV300 - VV550 VENAX EXPOSITORA DE BEBIDAS. Eletrodomésticos Ltda Conhça nossos outros produtos * FOGÕES A GÁS * FOGÕES A LENHA * FOGÕES INDUSTRIAIS * COOKTOPS * FORNOS ELÉTRICOS * FORNOS A GÁS E ELÉTRICOS DE EMBUTIR * REFRIGERADORES * FREEZERS * CLIMATIZADORAS DE VINHO

Leia mais

O DESAFIO DE ZERAR UM DÉFICIT D 40 ANOS, RECUPERAR A CAPACIDADE DE INVESTIMENTO E MODERNIZAR A GESTÃO

O DESAFIO DE ZERAR UM DÉFICIT D 40 ANOS, RECUPERAR A CAPACIDADE DE INVESTIMENTO E MODERNIZAR A GESTÃO 9 CONGRESSO INTERNACIONAL DA QUALIDADE E COMPETITIVIDADE FIERGS POA/RS O DESAFIO DE ZERAR UM DÉFICIT D DE 40 ANOS, RECUPERAR A CAPACIDADE DE INVESTIMENTO E MODERNIZAR A GESTÃO Aod Cunha d Moras Junior

Leia mais

ANEXO V SISTEMA DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO

ANEXO V SISTEMA DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO AEXO V SISTEMA DE AVALIAÇÃO DE DESEMPEHO 1. ÍDICES DE AVALIAÇÃO O Sistma d Avaliação d Dsmpnho stá struturado para a avaliação das prmissionárias, d acordo com os sguints índics grais spcíficos constants

Leia mais

DISTRIBUIÇÃO DE PROBABILIDADE DE VALORES EXTREMOS DA PRECIPITAÇÃO MÁXIMA DE 24 HORAS DE BELÉM DO PARÁ

DISTRIBUIÇÃO DE PROBABILIDADE DE VALORES EXTREMOS DA PRECIPITAÇÃO MÁXIMA DE 24 HORAS DE BELÉM DO PARÁ DISTRIBUIÇÃO DE PROBABILIDADE DE VALORES ETREMOS DA MÁIMA DE 24 HORAS DE BELÉM DO PARÁ Mauro Mndonça da Silva Mstrando UFAL Mació - AL -mail: mmds@ccn.ufal.br Ant Rika Tshima Gonçalvs UFPA Blém-PA -mail:

Leia mais

PERFIL DE SAÍDA DOS ESTUDANTES DA 5ª SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL, COMPONENTE CURRICULAR MATEMÁTICA

PERFIL DE SAÍDA DOS ESTUDANTES DA 5ª SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL, COMPONENTE CURRICULAR MATEMÁTICA PERFIL DE SAÍDA DOS ESTUDANTES DA 5ª SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL, COMPONENTE CURRICULAR MATEMÁTICA CONTEÚDOS EIXO TEMÁTICO COMPETÊNCIAS Sistma d Numração - Litura scrita sistma d numração indo-arábico

Leia mais

PSICROMETRIA 1. É a quantificação do vapor d água no ar de um ambiente, aberto ou fechado.

PSICROMETRIA 1. É a quantificação do vapor d água no ar de um ambiente, aberto ou fechado. PSICROMETRIA 1 1. O QUE É? É a quantificação do vapor d água no ar d um ambint, abrto ou fchado. 2. PARA QUE SERVE? A importância da quantificação da umidad atmosférica pod sr prcbida quando s qur, dntr

Leia mais

Tabela 1 - Índice de volume de vendas no comércio varejista (Número índice)

Tabela 1 - Índice de volume de vendas no comércio varejista (Número índice) PESQUISA MENSAL DO COMÉRCIO JULHO DE 2012 A psquisa mnsal do comércio, ralizada plo IBGE, rgistrou um crscimnto positivo d 1,36% no comparativo com o mês d julho d 2012 para o volum d vndas varjista. Podmos

Leia mais

PORTARIA DAAE Nº 0031/10 ANEXO I MANUAL DE INSTALAÇÃO: PADRONIZAÇÃO DAS LIGAÇÕES DE ÁGUA

PORTARIA DAAE Nº 0031/10 ANEXO I MANUAL DE INSTALAÇÃO: PADRONIZAÇÃO DAS LIGAÇÕES DE ÁGUA PORTARIA DAAE Nº 0031/10 ANEXO I MANUAL DE INSTALAÇÃO: PADRONIZAÇÃO DAS LIGAÇÕES DE ÁGUA O Novo Padrão de Ligações Residenciais do DAAE facilita muito sua vida. Algumas vantagens que o Novo Padrão traz

Leia mais

Manual de Instalação dos Bocais em ABS e Metal Cromado

Manual de Instalação dos Bocais em ABS e Metal Cromado Manual de Instalação dos ocais em e Metal romado para piscinas de oncreto Obs 4 OL OGUMELO EM 1- Executar a rede hidráulica antes da concretagem, deixando um pedaço de tubo soldável de Ø50mm (tubo marrom)

Leia mais

CALANDRA MULTIROLO CALANDRA MULTIRROLO CAPACIDADES DE 4 A 18 LENÇÓIS P/ MINUTO SISTEMA DE ROLO E FITAS AQUECIMENTO A VAPOR

CALANDRA MULTIROLO CALANDRA MULTIRROLO CAPACIDADES DE 4 A 18 LENÇÓIS P/ MINUTO SISTEMA DE ROLO E FITAS AQUECIMENTO A VAPOR CALANDRA MULTIROLO ALTA PRODUTIVIDADE COM BAIXO CUSTO OPERACIONAL SISTEMA DE ROLO E FITAS Equipamento projetado para passagem de tecidos planos, projetado para alta produção e qualidade. ALTA PRODUÇÃO:

Leia mais

PROVA DE MATEMÁTICA APLICADA VESTIBULAR 2013 - FGV CURSO DE ADMINISTRAÇÃO RESOLUÇÃO: Profa. Maria Antônia C. Gouveia

PROVA DE MATEMÁTICA APLICADA VESTIBULAR 2013 - FGV CURSO DE ADMINISTRAÇÃO RESOLUÇÃO: Profa. Maria Antônia C. Gouveia PROVA DE MATEMÁTICA APLICADA VESTIBULAR 013 - FGV CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Profa. Maria Antônia C. Gouvia 1. A Editora Progrsso dcidiu promovr o lançamnto do livro Dscobrindo o Pantanal m uma Fira Intrnacional

Leia mais

TÍTULO: ÉTICA CONTÁBIL: UM ESTUDO DE CASO EM ESCRITÓRIOS DE CONTABILIDADE.

TÍTULO: ÉTICA CONTÁBIL: UM ESTUDO DE CASO EM ESCRITÓRIOS DE CONTABILIDADE. TÍTULO: ÉTICA CONTÁBIL: UM ESTUDO DE CASO EM ESCRITÓRIOS DE CONTABILIDADE. CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: CIÊNCIAS CONTÁBEIS INSTITUIÇÃO: UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI AUTOR(ES):

Leia mais

6ª LISTA DE EXERCÍCIOS - DINÂMICA

6ª LISTA DE EXERCÍCIOS - DINÂMICA UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA INSTITUTO DE FÍSICA DEPARTAMENTO DE FÍSICA DA TERRA E DO MEIO AMBIENTE CURSO: FÍSICA GERAL E EXPERIMENTAL I E SEMESTRE: 2008.1 6ª LISTA DE EXERCÍCIOS - DINÂMICA Considr g=10

Leia mais

2.5. Estrutura Diamétrica

2.5. Estrutura Diamétrica F:\MEUS-OCS\LIRO_EF_44\CAP_I_ESTRUTURA-PARTE_4.doc 5.5. Estrutura iamétrica A strutura diamétrica é tamém dnominada d distriuição diamétrica ou distriuição dos diâmtros. Concitua-s distriuição diamétrica

Leia mais

Instruções para Instalação

Instruções para Instalação Instruções para Instalação 1- PARA MARCAR A POSIÇÃO DE COLOCAÇÃO DA FECHADURA NA PORTA: Marque uma linha horizontal na altura que será colocada a fechadura, sugerimos que a maçaneta fique a 1,10m de altura

Leia mais

~ ~ ESTADO DO CEARÁ SECRETARIA DA FAZENDA CONSELHO DE RECURSOS TRIBUTÁRIOS

~ ~ ESTADO DO CEARÁ SECRETARIA DA FAZENDA CONSELHO DE RECURSOS TRIBUTÁRIOS .".,....,. RESOLUÇÃO N 2007 1a CÂMARA DE JULGAMENTO 51 a SESSÃO ORDINÁRIA EM: 20.03.2007 PROCESSO N. 2/5023/2005 AUTO DE INFRAÇÃO N 2/200520854 RECORRENTE: ERALDO MARINHO DA SILVA. RECORRIDO: CÉLULA DE

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Brasília EDITAL Nº 047/RIFB, DE 03 DE SETEMBRO DE 2014

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Brasília EDITAL Nº 047/RIFB, DE 03 DE SETEMBRO DE 2014 EDITAL Nº 047/RIFB, DE 03 DE SETEMBRO DE 2014 REVALIDAÇÃO DE DIPLOMAS E CERTIFICADOS DE CURSOS TÉCNICOS E TECNOLÓGICOS ESTRANGEIROS DE ENSINO, PELO INSITUTO FEDERAL DE BRASÍLIA- IFB. 1. DA ABERTURA 1.1

Leia mais

RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DO TRABALHO TÉCNICO SOCIAL Dezembro/2010

RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DO TRABALHO TÉCNICO SOCIAL Dezembro/2010 [Digit txto] 1 IDENTIFICAÇÃO RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DO TRABALHO TÉCNICO SOCIAL Dzmbro/2010 Programa: Opraçõs Coltivas Contrato CAIXA nº: 0233.389.09/2007 Ação/Modalidad: Construção d unidad habitacional

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE ENGENHARIA DE SÃO CARLOS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE ESTRUTURAS. SET 410 Estruturas de concreto armado II

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE ENGENHARIA DE SÃO CARLOS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE ESTRUTURAS. SET 410 Estruturas de concreto armado II UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE ENGENHARIA DE SÃO CARLOS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE ESTRUTURAS SET 40 Estruturas d concrto armado II Turma - 008 Concrto armado: projto d pilars d acordo com a NBR

Leia mais

CERTIFICAÇÃO DA QUALIDADE SEGUNDO A REVISÃO DA ISO : APONTANDO PARA A VISÃO HOLÍSTICA DA ORGANIZAÇÃO

CERTIFICAÇÃO DA QUALIDADE SEGUNDO A REVISÃO DA ISO : APONTANDO PARA A VISÃO HOLÍSTICA DA ORGANIZAÇÃO CERTIFICAÇÃO DA QUALIDADE SEGUNDO A REVISÃO DA ISO : APONTANDO PARA A VISÃO HOLÍSTICA DA ORGANIZAÇÃO ABSTRACT : Th proposal of this articl is to dmonstrat th volution of th ISO 9000 Standards, to b rviwd

Leia mais

QUÍMICA A. Nível Médio. Nível Básico 4ª LISTA. Material Extra 2011

QUÍMICA A. Nível Médio. Nível Básico 4ª LISTA. Material Extra 2011 QUÍMICA A Nívl Básico 4ª LISTA 01 (UFRN) Na ligação química d um átomo X, alcalinotrroso (2A), com um lmnto Y, prtncnt à família dos halogênios (7A), dvrá havr a formação d cátion ânion, rspctivamnt: a)

Leia mais

INSTRUÇÕES MANUAL DE. Conheça nossos outros produtos. AQUECEDOR A GÁS Modelos: Scaldare

INSTRUÇÕES MANUAL DE. Conheça nossos outros produtos. AQUECEDOR A GÁS Modelos: Scaldare Conhça nossos outros produtos * Fogõs a gás * Fogõs a lnha * Fogõs industriais * Cooktops * Fornos létricos * Fornos d mbutir * Frigobars * Frzrs * Climatizadoras d vinho * Expositora d crvjas bbidas *

Leia mais

SINAMICS/SIMOTICS. SINAMICS V90, SIMOTICS S-1FL6 Instruções de funcionamento compactas. Índice remissivo

SINAMICS/SIMOTICS. SINAMICS V90, SIMOTICS S-1FL6 Instruções de funcionamento compactas. Índice remissivo SINAMICS/SOTICS SINAMICS V9, SOTICS S-FL6 Instruçõs d funcionamnto compactas Índic rmissivo Instruçõs d sgurança... 3. Instruçõs d sgurança grais... 3.2 Instruçõs d sgurança para campos ltromagnéticos

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES Candidatura Electrónica

MANUAL DE INSTRUÇÕES Candidatura Electrónica Concurso Anual d Educadors d Infância d Profssors dos Ensinos Básico Scundário Dircção d Srviços d Rcrutamnto d Pssoal Docnt MANUAL DE INSTRUÇÕES Candidatura Elctrónica Concurso d Contratação LSVLD, Contratados

Leia mais

As Abordagens do Lean Seis Sigma

As Abordagens do Lean Seis Sigma As Abordagns do Lan Sis Julho/2010 Por: Márcio Abraham (mabraham@stcnt..br) Dirtor Prsidnt Doutor m Engnharia d Produção pla Escola Politécnica da Univrsidad d São Paulo, ond lcionou por 10 anos. Mastr

Leia mais

Função: Conduzir água à temperatura ambiente nas instalações prediais de água fria; Aplicações: Instalações prediais em geral.

Função: Conduzir água à temperatura ambiente nas instalações prediais de água fria; Aplicações: Instalações prediais em geral. Função: Conduzir água à temperatura ambiente nas instalações prediais de água fria; Aplicações: Instalações prediais em geral. SETEMBRO/2011 Bitolas: 20, 25, 32, 40,50,60, 75, 85, 110 milímetros; Pressão

Leia mais

NÚMERO 37 7/20 1 3 AÑO 18 SOLUÇÕES DE ARMAZENAGEM 22 996 64 21/2 LIGUE AGORA CONNOSCO

NÚMERO 37 7/20 1 3 AÑO 18 SOLUÇÕES DE ARMAZENAGEM 22 996 64 21/2 LIGUE AGORA CONNOSCO NÚMERO 37 7/20 1 3 AÑO 18 SOLUÇÕES DE ARMAZENAGEM LISBOA 21 415 18 90 PORTO 22 996 64 21/2 LIGUE AGORA CONNOSCO dntro d 7 dias útis rcbrá o su pdido D sgunda a sxta-fria DAS 9:00h às 12:30h das 14:00h

Leia mais

Fisica 2. k = 1/4πε 0 = 9,0 10 9 N.m 2 /C 2. 01. Uma partícula, que se move em linha reta, está sujeita à aceleração a(t), cuja variação

Fisica 2. k = 1/4πε 0 = 9,0 10 9 N.m 2 /C 2. 01. Uma partícula, que se move em linha reta, está sujeita à aceleração a(t), cuja variação Fisica 2 Valors d algumas constants físicas clração da gravidad: 10 m/s 2 Dnsidad da água: 1,0 g/cm 3 Calor spcífico da água: 1,0 cal/g C Carga do létron: 1,6 x 10-19 C Vlocidad da luz no vácuo: 3,0 x

Leia mais

Cortina Plissada. Descrição do Produto. equalizador/puxador tampa trilho inferior trilho inferior tecido celular 1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9.

Cortina Plissada. Descrição do Produto. equalizador/puxador tampa trilho inferior trilho inferior tecido celular 1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. Cortina Plissada 1 2 3 4 5 9 6 8 7 acionamento monocontrole Omnirise Descrição do Produto 1. 2. 3. 4. 5. tampa lateral do trilho suporte de instalação tampa do freio freio/comando corda 6. 7. 8. 9. equalizador/puxador

Leia mais

A VARIAÇÃO ENTRE PERDA & PERCA: UM CASO DE MUDANÇA LINGUÍSTICA EM CURSO?

A VARIAÇÃO ENTRE PERDA & PERCA: UM CASO DE MUDANÇA LINGUÍSTICA EM CURSO? A VARIAÇÃO ENTRE PERDA & PERCA: UM CASO DE MUDANÇA LINGUÍSTICA EM CURSO? Luís Augusto Chavs Frir, UNIOESTE 01. Introdução. Esta é uma psquisa introdutória qu foi concrtizada como um studo piloto d campo,

Leia mais

6. Moeda, Preços e Taxa de Câmbio no Longo Prazo

6. Moeda, Preços e Taxa de Câmbio no Longo Prazo 6. Moda, Prços Taxa d Câmbio no Longo Prazo 6. Moda, Prços Taxa d Câmbio no Longo Prazo 6.1. Introdução 6.3. Taxas d Câmbio ominais Rais 6.4. O Princípio da Paridad dos Podrs d Compra Burda & Wyplosz,

Leia mais

AUTO CENTRAGEM DA PLACA DE RETENÇÃO DE UMA MÁQUINA DE PISTÕES AXIAIS TIPO SWASHPLATE. azevedoglauco@unifei.edu.br

AUTO CENTRAGEM DA PLACA DE RETENÇÃO DE UMA MÁQUINA DE PISTÕES AXIAIS TIPO SWASHPLATE. azevedoglauco@unifei.edu.br AUTO CENTRAGEM DA PLACA DE RETENÇÃO DE UMA MÁQUINA DE PISTÕES AXIAIS TIPO SWASHPLATE Glauco José Rodrigus d Azvdo 1, João Zangrandi Filho 1 Univrsidad Fdral d Itajubá/Mcânica, Av. BPS, 1303 Itajubá-MG,

Leia mais

PSI-2432: Projeto e Implementação de Filtros Digitais Projeto Proposto: Conversor de taxas de amostragem

PSI-2432: Projeto e Implementação de Filtros Digitais Projeto Proposto: Conversor de taxas de amostragem PSI-2432: Projto Implmntação d Filtros Digitais Projto Proposto: Convrsor d taxas d amostragm Migul Arjona Ramírz 3 d novmbro d 2005 Est projto consist m implmntar no MATLAB um sistma para troca d taxa

Leia mais

Florianópolis, 09 de abril de 1998. PORTARIA Nº 0173/GR/98.

Florianópolis, 09 de abril de 1998. PORTARIA Nº 0173/GR/98. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA GABINETE DO REITOR PORTARIAS Florianópolis, 09 d abril d 1998 PORTARIA Nº 0173/GR/98 O Ritor da Univrsidad Fdral d Santa Catarina, no uso d suas atribuiçõs statutárias

Leia mais

Origem dos Jogos Olímpicos

Origem dos Jogos Olímpicos Natal, RN / /04 ALUNO: Nº SÉRIE/ANO: TURMA: TURNO: DISCIPLINA: TIPO DE ATIVIDADE: Profssor: TESTE º Trimstr º M INSTRUÇÕES: Vrifiqu s sua avaliação contém 6 qustõs ( objtivas 04 discursivas). Caso haja

Leia mais

PROJETO DE PILARES DE CONCRETO ARMADO

PROJETO DE PILARES DE CONCRETO ARMADO UNIVERSIDDE FEDERL DO RIO GRNDE DO SUL ESCOL DE ENGENHRI DEPRTMENTO DE ENGENHRI CIVIL PROJETO DE PILRES DE CONCRETO RMDO MÉRICO CMPOS FILHO 014 SUMÁRIO 1 Dimnsõs... 1 1.1 Dimnsõs mínimas das sçõs transvrsais

Leia mais

Soluções FORTLEV para a Sua Obra

Soluções FORTLEV para a Sua Obra Soluções FORTLEV para a Sua Obra 1 2 3 6 9 8 7 5 Soluções para Cuidar da Água 1. Caixa de Polietileno FORTLEV 2. Tanque Fortplus FORTLEV 3. Filtro de Entrada FORTLEV Soluções para Cuidar do Meio Ambiente

Leia mais

Análise em Frequência de Sistemas Lineares e Invariantes no Tempo

Análise em Frequência de Sistemas Lineares e Invariantes no Tempo Anális m Frquência d Sistmas Linars Invariants no Tmpo Luís Caldas d Olivira Rsumo. Rsposta m Frquência 2. Sistmas com Função d Transfrência Racional 3. Sistmas d Fas Mínima 4. Sistmas d Fas Linar Gnralizada

Leia mais

Encontro na casa de Dona Altina

Encontro na casa de Dona Altina Ano 1 Lagdo, Domingo, 29 d junho d 2014 N o 2 Encontro na casa d Dona Altina Na última visita dos studants da UFMG não foi possívl fazr a runião sobr a água. Houv um ncontro com a Associação Quilombola,

Leia mais

Hycamtin GlaxoSmithKline Brasil Ltda. Pó Liófilo Injetável 4 mg

Hycamtin GlaxoSmithKline Brasil Ltda. Pó Liófilo Injetável 4 mg Hycamtin GlaxoSmithKlin Brasil Ltda. Pó Liófilo Injtávl 4 mg LEIA ATENTAMENTE ESTA BULA ANTES DE INICIAR O TRATAMENTO I - IDENTIFICAÇÃO DO Hycamtin cloridrato d topotcana APRESENTAÇÃO Pó liófilo injtávl.

Leia mais

Manual de Montagem e Ajuste de Castanhas

Manual de Montagem e Ajuste de Castanhas Manual de Montagem e Ajuste de Castanhas Materiais Utilizados A montagem e ajuste de pré-carga de uma castanha é um processo bastante simples, é necessário apenas o uso de um alicate e de chaves Allen,

Leia mais

ANEXO NR-12 - SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS

ANEXO NR-12 - SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS ANEXO NR-12 - SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS Princípios Grais 12.1. Esta Norma Rgulamntadora sus anxos dfinm rfrências técnicas, princípios fundamntais mdidas d protção para garantir

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE ALCÁCER DO SAL. 11º Ano. MATEMÁTICA Exercícios de Exames e Testes Intermédios. Ano Letivo de 2012/2013

ESCOLA SECUNDÁRIA DE ALCÁCER DO SAL. 11º Ano. MATEMÁTICA Exercícios de Exames e Testes Intermédios. Ano Letivo de 2012/2013 ESCOLA SECUNDÁRIA DE ALCÁCER DO SAL MATEMÁTICA Exrcícios d Exams Tsts Intrmédios 11º Ano Ano Ltivo d 2012/2013 Trigonomtria 1 Na figura stá rprsntado o quadrado é a amplitud m radianos do ângulo Mostr

Leia mais

Edital de seleção de candidatos para o Doutorado em Matemática para o Período 2015.2

Edital de seleção de candidatos para o Doutorado em Matemática para o Período 2015.2 ] Univrsidad Fdral da Paraíba Cntro d Ciências Exatas da Naturza Dpartamnto d Matmática Univrsidad Fdral d Campina Grand Cntro d Ciências Tcnologia Unidad Acadêmica d Matmática Programa Associado d Pós-Graduação

Leia mais

Lista de Material Escolar 2015 2ª SÉRIE ENSINO MÉDIO Material de Uso Individual Obrigatório

Lista de Material Escolar 2015 2ª SÉRIE ENSINO MÉDIO Material de Uso Individual Obrigatório Lista d Matrial Escolar 205 2ª SÉRIE ENSINO MÉDIO Matrial d Uso Individual Obrigatório Itm Imagm Dscrição Quant. Sugrida LIVROS CASA DE LIVROS OU LIVRE ESCOLHA Custo Formato MATEMÁTICA - DANTE Colção Projto

Leia mais

INSTRUÇÕES MANUAL DE. Conheça nossos outros produtos VENAX VENAX. FOGÕES A LENHA Leia atentamente este manual antes de utilizar o produto

INSTRUÇÕES MANUAL DE. Conheça nossos outros produtos VENAX VENAX. FOGÕES A LENHA Leia atentamente este manual antes de utilizar o produto Conhça nossos outros produtos * FOGÕES A GÁS * FOGÕES A LENHA * FOGÕES INDUSTRIAIS * COOKTOPS * FORNOS ELÉTRICOS * FORNOS A GÁS E ELÉTRICOS DE EMBUTIR * REFRIGERADORES * FREEZERS * CLIMATIZADORAS DE VINHO

Leia mais

PLANO DE ENSINO. DISCIPLINA: Topografia Básica e Planimetria CÓDIGO: AG-43 TURMA: 2013

PLANO DE ENSINO. DISCIPLINA: Topografia Básica e Planimetria CÓDIGO: AG-43 TURMA: 2013 PLANO DE ENSINO CURSO: Agronomia MODALIDADE: Prsncial DISCIPLINA: Topografia Básica Planimtria CÓDIGO: AG-43 TURMA: 2013 ANO/SEMESTRE/ANO: 2014/4º FASE/SÉRIE: 4º sm. CARGA HORÁRIA: 04 horas (smanal) /

Leia mais

INSTRUÇÕES MANUAL DE. Conheça nossos outros produtos. FOGÕES LENHA Modelos: Nº00, Nº0, Nº1, Nº2.

INSTRUÇÕES MANUAL DE. Conheça nossos outros produtos. FOGÕES LENHA Modelos: Nº00, Nº0, Nº1, Nº2. Conhça nossos outros produtos * Fogõs a gás * Fogõs a lnha * Fogõs industriais * Cooktops * Fornos létricos * Fornos d mbutir * Frigobars * Frzrs * Climatizadoras d vinho * Expositora d crvjas bbidas *

Leia mais

INSTRUÇÕES MANUAL DE. Conheça nossos outros produtos. EXPOSITORA DE BEBIDAS Modelos: VV100, VVCD100, VVCD200, VV300, VV330, VV550.

INSTRUÇÕES MANUAL DE. Conheça nossos outros produtos. EXPOSITORA DE BEBIDAS Modelos: VV100, VVCD100, VVCD200, VV300, VV330, VV550. Conhça nossos outros produtos * Fogõs a gás * Fogõs a lnha * Fogõs industriais * Cooktops * Fornos létricos * Fornos d mbutir * Frigobars * Frzrs * Climatizadoras d vinho * Epositora d crvjas bbidas *

Leia mais