ptisp SERVIÇOS DE INTERNET. manual da marca. versão 1.0

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ptisp SERVIÇOS DE INTERNET. manual da marca. versão 1.0"

Transcrição

1 ptisp SERVIÇOS DE INTERNET versão 1.0 manual da marca

2 PTisp manual da marca a marca 1.1. símbolo 1.2. logotipo 2. identidade 2.1. versões 2.2. áreas de proteção 2.3. dimensão mínima 2.4. proteção da marca 2.5. aplicações sobre fundos 3. cor 3.1. paleta principal 3.2. paleta secundária 4. tipografia 4.1. família tipográfica 4.2. fonte 4.3. fonte e aplicação 4.4. maiúsculas mínúsculas 4.5. assinatura Este documento pretende fornecer informação detalhada para a utilização correta da marca, especificações e eemplos de aplicações sobre como a identidade da marca PTisp se implementa. É indispensável a colaboração de todos no cumprimento e aplicação destas normas, de modo a assegurar uma identidade visual coerente e uniforme. 5. aplicações 5.1. vestuário 5.2. objetos 5.3. arte final glossário ficha técnica

3 PTisp manual da marca a marca As marcas de sucesso gerem a sua imagem de forma eficaz através de um conhecimento profundo sobre os seus valores e o caráter que estes veiculam. Na diferença econtramos a distinção por apresentar soluções adaptadas a todos os investimentos ligados aos serviços de internet. Atentos ao progresso das técnicas e estando na vanguarda das ofertas que disponibilizamos, apresentamos quase a totalidade dos servços de internet que você possa desejar. Na essencia da PTisp estão três valores principais: Inovação, Escalabilidade e Compromiso. Estas caracteristicas ajudam a dar forma à marca e orienta-nos na forma de comunicar.

4 PTisp manual da marca 1. a marca símbolo 1.1. boomerang Enquanto empresa dinâmica, na vanguarda do setor dos serviços de internet, a PTisp é possuidor de um símbolo igualmente ágil, como principal representação visual da marca. A PTisp adotou o símbolo de um boomerang como epressão da marca. A cor azul predominante reflete a frescura e suavidade para uma imagem limpa e sempre renovada.

5 PTisp manual da marca 1. a marca logotipo 1.2. símbolo logotipo ptisp SERVIÇOS DE INTERNET nome assinatura O logotipo é constituido pelo símbolo, o nome e a assinatura numa relação fia, como aqui se eemplifica. A símbolo consiste no boomerang, o nome e a assinatura são constituídos por um grupo de letras da mesma família, formando respectivamente as palavras PTisp e Serviços de Internet. Para garantir a consistência visual, o logotipo não deverá nunca ser redesenhado ou de alguma forma modificado. O logotipo terá de ser sempre reproduzido a partir da arte final original.

6 PTisp manual da marca identidade Este capítulo define um conjunto de regras e recomendações que garantem a correta implementação dos elementos básicos da marca. Conhecer a marca é o ponto de partida para a correta aplicação e entendimeto do espírito e da integridade da PTisp.

7 PTisp manual da marca 2. identidade versões 2.1. Policromática PRINCIPAL positivo/negativo Nota: as versões monocromáticas do logotipo PTisp devem ser sempre utilizadas em fundo preto ou branco, e nunca em fundos de cor. Preto e branco SECUNDÁRIA positivo/negativo Alto contraste EXCEÇÃO positivo/negativo Sempre que possível, é recomendado a utilização do logotipo PTisp na sua versão principal policromática. No entanto, algumas técnicas de reprodução ou aplicações podem requerer outras versões da marca. Para reforçar o peso e a visibilidade da marca PTisp, deve ser aplicada, sempre que possível, a versão a cores. Na impossibilidade de reproduzir o logotipo a cores, eistem as versões a preto e branco e de alto contraste. Estas versões devem ser aplicadas quando eistam limitações no uso de cor, ou quando a técnica de reprodução o eija, salvaguardando sempre a melhor leitura do logotipo.

8 PTisp manual da marca 2. identidade logotipo eemplo 1 área de 2.2. O X representa a altura do nome PTisp, do topo do i à base do p. Esta unidade de medida é utilizada para determinar a área de proteção da marca. proteção logotipo com descritivo logotipo eemplo 2 O logotipo PTisp necessita de espaço generoso para aumentar a sua visibilidade e tonificar a sua credibilidade. Para preservar a boa leitura do logotipo PTisp foi definida uma àrea de segurança à sua volta. Esta área tem como referência a medida X, que corresponde à altura do nome PTisp. O espaço livre mínimo ilustrado aplica-se a todas as versões da marca e destina-se a proteger o logotipo de qualquer outro elemento que esteja próimo e possa impedir ou influenciar a sua boa leitura e visibilidade.

9 PTisp manual da marca 2. identidade dimensões para impressão 2.3. dimensão mínima H 12 mm H 10 mm dimensões para suporte digital Nota : a dimensão mínima em píeis da altura do nome é de 15p. Ajustar o logotipo com esta referência. dimensão mínima para aplicação do logotipo. Em aplicações de dimensão inferior utilizar apenas o nome. H 8 mm H 6 mm H 15 p H 4 mm A altura (H) do logotipo PTisp é utilizada como referencia de dimensão em impressão ou numa aplicação digital. A dimensão mínima do logotipo em impressão é definida pela altura de 8mm do nome PTisp. Para dimensões inferiores, a forma principal do logotipo é substituida pelo nome PTisp apenas. A altura mínima do nome é de 4mm. Numa aplicação digital, o nome nunca pode ter uma altura inferior a 15p, esteja integrado no símbolo ou aplicado isoladamente.

10 PTisp manual da marca 2. identidade proteção 2.4. não é permitido alterar as cores do logotipo. não é permitido substituir o tipo de fonte. da marca não é permitido redimensionar/mudar a posição dos elementos pertencentes ao logotipo. não é permitido aplicar efeitos nas cores do nome, como por eemplo degrady. não é permitido utilizar o nome isoladamente em dimensões superiores a 6mm. não é permitido rodar ou utilizar a logotipo na vertical. marca registada da... não é permitido utilizar o logotipo como elemento integrante de um teto. não é permitido apagar elementos que integram o logotipo. O logotipo PTisp é o primeiro ponto de contacto da marca com as pessoas, parceiros e clientes. Procuramos por isso, manter uma abordagem coerente e consistente na representação e aplicação da nossa imagem. Para além, de ser necessário respeitar as orientações dadas nas páginas anteriores, apresentamos diversos eemplos de aplicações não permitidas do logotipo PTisp.

11 PTisp manual da marca 2. identidade proteção da marca não é permitido usar o logotipo em versão monocromática a preto e branco sobre fundos de cor. não é permitido aplicar o logotipo sobre fundo de cor semelhante. não é permitido aplicar molduras ao logotipo. não é permitido colocar o logotipo sobre fundos com teturas. não é permitido utilizar sombreados para dar realce ao logotipo. não é permitido utilizar o nome com ou como outline. É muito importante que a marca PTisp mantenha a sua integridade em qualquer suporte utilizado. Por isso, representam-se nesta como na página anterior alguns alertas para as incorrecções mais frequentes. Este enunciado não pretende abranger todas as possibilidades de má utilização.

12 PTisp manual da marca 2. identidade aplicação sobre fundos versão principal do logotipo policromático sobre fundo em planos claros. versão secundária do logotipo policromático sobre fundo em planos escuros. A grelha a cima apresenta os tons claros e escuros dos fundos onde é permitido aplicar a versão principal do logotipo PTisp. O princípio básico será manter a integridade cromática em situações com o máimo contraste possível. Em situações ecepcionais, quando não for possível aplicar o logotipo PTisp nas versões anteriores indicadas devem ser respeitadas as regras aqui definidas. O logotipo quando aplicado em fundos com estes tons, deve ser representado como mostra a grelha a cima.

13 PTisp manual da marca 2. identidade aplicação sobre fundos zona proibida fundo escuro fundo claro Num fundo fotográfico, como a imagem a cima eemplifica, também deve ser mantida a integridade cromática com o máimo contraste possível. As áreas com fundos quentes que possam causar má perceção do logotipo ou impedir a sua legibilidade, devem ser evitadas. Reproduzir o logotipo sobre fundos que não sejam lisos, a sua colocação deve recair sobre as áreas da imagem que possibilitem uma boa leitura, utilizando a versão preto e branco do logotipo caso necessário.

14 PTisp manual da marca cor 3. A paleta de cor PTisp é um elemento importante e epressivo do sistema de identidade. O azul é cor de eleição, reflete a frescura e suavidade para uma imagem limpa e sempre renovada. A reprodução do logotipo PTisp deve seguir, sem ecepção, as indicações apresentadas a seguir.

15 PTisp manual da marca 3. cor paleta principal 3.1. cor utilizado no pt do nome no logotipo PANTONE (PMS) solid coated 3035 C Cores CMYK C:100% M:17% Y:0% K:51% Cores RGB Heachrome R:0 G:89 B:132 # cor utilizado no isp do nome no logotipo PANTONE (PMS) solid coated 298 C Cores CMYK C:69% M:7% Y:0% K:0% Cores RGB Heachrome R:19 G:181 B:234 # 13B5EA cor utilizado na assinatura no logotipo PANTONE (PMS) solid coated 308 C Cores CMYK C:100% M:5% Y:0% K:47% Cores RGB Heachrome R:0 G:104 B:146 # cor degrady utilizado no símbolo no logotipo 3,93 85,96 A paleta de cor principal deriva do logotipo PTisp. As seguintes matizes foram cuidadosamente selecionadas de modo a manter a integridade da marca. A reprodução do logotipo PTisp a cores deve seguir, sem ecepção, as indicações apresentadas. Sempre que possível deve ser utilizado sobre fundo branco de modo a garantir a sua máima legibilidade.

16 PTisp manual da marca 3. cor paleta secundária 3.2. cor utilizado no pt do nome no logotipo Cores PANTONE solid coated black C Cores CMYK C:0% M:13% Y:49% K:93 % Cores RGB Heachrome R:38 G:28 B:2 # 261C02 cor utilizado no isp do nome no logotipo Cores PANTONE solid coated 421 C Cores CMYK C:69% M:7% Y:0% K:0% Cores RGB Heachrome R:19 G:181 B:234 # 13B5EA cor utilizado na assinatura no logotipo Cores PANTONE solid coated 425 C Cores CMYK C:100% M:5% Y:0% K:47% Cores RGB Heachrome R:0 G:104 B:146 # azul degrady utilizado no símbolo no logotipo 3,93 85,96 A paleta de cor secundária deriva do logotipo PTisp. As seguintes matizes foram cuidadosamente selecionadas de modo a manter a integridade da marca. A reprodução do logotipo PTisp a preto e branco deve seguir, sem ecepção, as indicações apresentadas. Sempre que possível deve ser utilizado sobre fundo branco de modo a garantir a sua máima legibilidade.

17 PTisp manual da marca tipografia 4. O tipo de letra que utilizamos na nossa comunicação é distinta e inovadora quanto a própria PTisp. A sua correta utilização são etremamente importantes para uma representação consistente da marca PTisp.

18 PTisp manual da marca 4. tipografia família tipográfica afg 319 A tipografia oficial faz parte da identidade, e deve ser sempre respeitada para que todo o material de comunicação seja coerente. Na comunicação eterna - publicidade, publicações, entre outros - utilizar a tipografia aqui representada. A fonte utilizada no logotipo PTisp é a Flama. Esta segue os prencípios de singularidade, simplicidade e modernidade, para além de ter uma boa legibilidade e suportar bem reduções. Deve ser utilizada em todos os suportes que integrem o logo PTisp.

19 PTisp manual da marca 4. tipografia fonte 4.2. Flama book regular Criada em 2001, a marca PTisp, nasceu pela mão da Empresa Almouroltec, Lda para identificar a actividade da empresa. Flama book italic Criada em 2001, a marca PTisp, nasceu pela mão da Empresa Almouroltec, Lda para identificar a actividade da empresa. FLAMA LIGHT REGULAR abc ABC 123 FLAMA LIGHT ITALIC abc ABC 123 FLAMA BLACK REGULAR abc ABC 123 FLAMA BLACK ITALIC abc ABC 123 FLAMA BOOK REGULAR abc ABC 123 FLAMA BOOK ITALIC abc ABC 123 abcdefghijklmnopqrstuvwyz ABCDEFGHIJKLMNOPQRSTUVWXYZ &# $ ƒ ¹²³ abcdefghijklmnopqrstuvwyz *% \/ - _ ΣΠ + =^<>~ l àáâãäåāăąææçćĉċčďđèéêëẽēĕėęěĝğġģĥħìíîïıĩīĭįĵķ łĺļľñńņňòóôõöōŏőøoeoeŕŗřšśŝşšșßțťŧùúûüũūŭůűų ŵẁẃẅýỳÿyžðþ ÀÁÂÃÄÅĂĄÆÆÇĆĈĊČĎÐÈÉÊËẼĒĔĖĘĚĜĞĠĢĤĦÌ ÍÎÏĪĬĮİĴĶŁĹĻĽĿÑŃŅŇÒÓÔÕÖŌŎŐØOEŔŖŘŠŚŜŞȘȚŤ ŦÙÚÛÜŨŪŬŮŰŲŴẀẂẄÝỲŸYŽÐÞ Flama light regular Flama light italic Flama black regular Flama black italic Criada em 2001, a marca PTisp, nasceu pela mão da Empresa Almouroltec, Lda para identificar a actividade da empresa. Criada em 2001, a marca PTisp, nasceu pela mão da Empresa Almouroltec, Lda para identificar a actividade da empresa. Criada em 2001, a marca PTisp, nasceu pela mão da Empresa Almouroltec, Lda para identificar a actividade da empresa. Criada em 2001, a marca PTisp, nasceu pela mão da Empresa Almouroltec, Lda para identificar a actividade da empresa.

20 PTisp manual da marca 4. tipografia fonte e aplicação Teto Teto em Maiúsculas Selecionada a pensar na utilização como Apesar da PTisp poder ser utilizada tipo de letra robusto, e como tal poderá em maiúsculas para legendas de ser utilizada em título, teto regular ou pequena dimensão, como previamente em legendas. A PTisp recomenda para referido, recomendamos a utilização de teto regular 9 pontos no corpo de letra, minúsculas na maior parte das com 15 pontos de entrelinha. aplicações tipográficas. 21pt Mantemo-nos atentos ao progresso das técnicas e sendo vanguardistas nas ofertas que disponibilizamos, 17pt Mantemo-nos atentos ao progresso das técnicas e sendo vanguardistas nas ofertas que disponibilizamos, apresentamos quase 13pt Mantemo-nos atentos ao progresso das técnicas e sendo vanguardistas nas ofertas que disponibilizamos, apresentamos quase a totalidade dos Serviços de Internet 9pt Mantemo-nos atentos ao progresso das técnicas e sendo vanguardistas nas ofertas que disponibilizamos, apresentamos quase a totalidade dos Serviços de Internet que um cliente possa procurar. Distinguimo-nos por apresentar soluções adaptadas a 6pt Mantemo-nos atentos ao progresso das técnicas e sendo vanguardistas nas ofertas que disponibilizamos, apresentamos quase a totalidade dos Serviços de Internet que um cliente possa procurar. Distinguimo-nos por apresentar soluções adaptadas a todos os investimentos, mas sempre inovadoras, escaláveis e comprometidas num Suporte ao Cliente 24/7. Por , Espessura Legendas Teto em Maiúsculas Apesar de diferentes aplicações requerer diferentes estruturas tipográficas na espessura, normalmente quanto maior a espessura, mais amigável e próima será percecionada. Espessuras mais finas transmitem um tom mais refinado. Nota: Quanto mais fina a espessura da letra, menor a sua legibilidade em corpo reduzido. Por este motivo não é recomendada a utilização da espessura Flama light abaio dos 25 pontos no caso de títulos A fonte Flama é etremamente legível e pode suportar um corpo de letra reduzido. Por essa razão pode ser utilizada em legendas, tanto em maiúsculas como em minúsculas. A fonte não deve ser utilizada com menos de 6 pontos. Apesar da fonte Flama poder ser utilizada em maiúsculas para legendas de pequena dimensão, como previamente referido, recomendamos a utilização de minúsculas na maior parte das aplicações tipográficas.

21 PTisp manual da marca 4. tipografia maiúsculas minúsculas Nota: Em caso algum a designação PTisp deve ser alterada ou reproduzida de outra forma que não a representada nesta e outras páginas atrás descritas. Título e subtítulos em minúsculas ou maiúsculas/minúsculas num título ou subtítulo em minúsculas, a designação PTisp deve estar em maiúsculas e minúsculas como representada. Título e subtítulos em maiúsculas. NUM TÍTULO OU SUBTÍTULO EM MAIÚSCULAS, A DESIGNAÇÃO PTisp DEVE ESTAR EM MAIÚSCULAS E MINÚSCULAS COMO REPRESENTADA. Teto regular. Em teto regular, a designação PTisp deve ser composta em maiúsculas e minúculas. A tipografia oficial faz parte da identidade, e deve ser sempre respeitada para que todo o material de comunicação seja coerente. Na comunicação eterna - publicidade, publicações, entre outros - utilizar a tipografia aqui representada. A fonte utilizada no logotipo PTisp é a Flama. Esta segue os prencípios de singularidade, simplicidade e modernidade, para além de ter uma boa legibilidade e suportar bem reduções. Deve ser utilizada em todos os suportes que integrem o logo PTisp.

22 PTisp manual da marca 4. tipografia assinatura 4.5. ptisp SERVIÇOS DE INTERNET PT ptisp SERVIÇOS DE INTERNET ptisp EN ptisp INTERNET SERVICES Nota: a assinatura foi cuidadosamente construída e refinada, não a altere ou recrie de modo algum. Não a componha em teto, utilize sempre a respetiva arte-final. Adicionalmente ao logotipo, eiste uma assinatura que reforça de forma eplícita a área a que está associada a nossa marca - Serviços de Internet. Esta assinatura é representante da marca e só pode ser eibida na forma fia ao logotipo PTisp e nunca separadamente. No entanto, eiste total liberdade de representar ou não a assinatura no logotipo PTisp.

23 PTisp manual da marca aplicações Tal como mencionado anteriormente, eistem múltiplos suportes para aplicação da identidade PTisp. Neste capítulo apresentamos um conjunto de eemplos desses suportes. Em sintonia com a nossa preocupação ambiental, a PTisp recomenda fortemente a utilização de materiais, produtos e métodos de produção amigos do ambiente, na seleção e criação de aplicações da identidade da marca como as que aqui se apresentam.

24 PTisp manual da marca 5. aplicações vestuário 5.1. ptisp Frente costas Frente costas A roupa ajustam-se bem à estética divertida e alegre da marca PTisp. Itens como estes podem envolver padrões ou imagens mais compleas. Mas no caso de objetos ou acessórios mais pequenos será melhor utilizar apenas o logotipo simples PTisp. Em casos como estes, as técnicas de reprodução devem determinar o tipo de elementos da marca mais ajustados.

25 PTisp manual da marca 5. aplicações objetos 5.2. CTO chief technical officer Wherever internet can take you Estrada Nacional 3, Constância Portugal p f m. w. Luís Inverno Seja numa caneca ou na criação de um porta-chaves promocional, deve procurar articular, de forma clara e inteligente, o logotipo PTisp. Ou há uma forma criativa de eplorar o dinamismo do logotipo, ou o caminho é manter a simplicidade. Lembre-se de utilizar o logotipo, cor, tipografia, respeitando sempre as suas regras.

26 PTisp manual da marca 5. aplicações arte final 5.3. Para implementar as orientações e especificações incluídas neste documento, devem ser utilizados os materiais corretos. A utilização da arte final original bem como as cores conforme especificado neste documento, é fundamental para assegurar o sucesso e a consistência da identidade PTisp. No sentido de assegurar a consistência visual da marca PTisp, o logotipo deve ser sempre reproduzido a partir da arte final original, e não deve ser alterada em qualquer circunstância. É indispensável a colaboração de todos, na correta aplicação e entendimento da marca PTisp. Em caso de situações que não estejam aqui epressas, é aconselhável contactar o departamento responsável pela definição dos parâmetros do comportamento da marca PTisp. Para fazer download do logotipo PTisp, consulte o site

27 PTisp manual da marca glossário Apresentamos um glossário de termos com as respetivas definições, para ser utilizado como referência na consulta deste manual. RELAÇÃO FIXA: uma relação fia que se estabelece entre elementos gráficos que não podem ser separados (e. logotipo e assinatura). LOGOTIPO: representação visual ou representação gráfica da marca composta pelo símbolo, nome e assinatura. NOME: epressão tipográfica PTisp no centro do logotipo. PMS: sigla do Pantone Matching System, sistema internacional de cor. Para a paleta de cor PTisp, fornece uma referência universal da especificação de cada cor que a compõe, independentemente de como, quem, e onde a aplicação da marca seja reproduzida. TIPOGRAFIA: neste conteto, tipografia é equivalente a família tipográfica - a PTisp utiliza a Flama como família tipográfica. Para questões adicionais referentes à utilização do manual da marca PTisp e/ou sobre a sua identidade, contactar a PTisp empresa ou

28 PTisp manual da marca ficha técnica TÍTULO: Manual da Marca PTisp EDIÇÃO: 1.0 Maio 2012 PROPRIEDADE: PTisp é uma marca registada da AlmourolTec, Lda MORADA: Estrada Nacional Nº 3-9-C Constância TEL: Segunda a Seta, dias úteis das 9:00h - 22:00h FAX: INFO: Informações Gerais WEB: DESIGN E PAGINAÇÃO: Departamento Design e Comunicação PTisp.

MANUAL NORMAS GRÁFICAS. Não há outro assim

MANUAL NORMAS GRÁFICAS. Não há outro assim MARCA COMERCIAL UM COPO O conjunto de elementos remete para a figura de um copo, pelo simbolismo que acarreta este elemento. Um ícone que deixa claro o sector onde a marca se vai destacar. UM CENÁRIO VINHO+MAR+TERRA+MONTES+GÁS

Leia mais

MANUAL DA MARCA Julho 2011

MANUAL DA MARCA Julho 2011 MANUAL DA MARCA Julho 2011 INTRODUÇÃO Esta é a nossa marca. É por meio dela que nos relacionamos com colaboradores, fornecedores, parceiros, consumidores e o mercado. O objetivo deste manual é oferecer

Leia mais

Manual de Identidade Visual. da Universidade Estadual do Paraná UNESPAR. Universidade Estadual do Paraná

Manual de Identidade Visual. da Universidade Estadual do Paraná UNESPAR. Universidade Estadual do Paraná Manual de Identidade Visual da SUMÁRIO O LOGOTIPO VERSÃO PRINCIPAL O logotipo da (Unespar) foi escolhido por meio da realização de um concurso com a participação da comunidade acadêmica: agentes universitários,

Leia mais

MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL

MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL SUMÁRIO Usos corretos e incorretos 3 Fundos corretos e incorretos 6 Cores institucionais 8 Tipografias institucionais 11 Arejamento & Redução mínima 14 Aplicações da marca 17

Leia mais

sumário assinaturas histórico redesign área de proteção padrões cromáticos redução mínima considerações finais

sumário assinaturas histórico redesign área de proteção padrões cromáticos redução mínima considerações finais sumário 04 05 06 07 08 09 10 11 12 histórico redesign assinaturas área de proteção redução mínima padrões cromáticos versões [grayscale e P&B] aplicações [fundos e imagens] considerações finais A LS carregou

Leia mais

Manual de Identidade Visual

Manual de Identidade Visual Manual de Identidade Visual APRESENTAÇÃO Este Manual tem como objetivo estabelecer e consolidar a identidade visual da Secretaria do Tesouro Nacional, garantindo a unicidade no processo comunicativo em

Leia mais

Sumário. Apresentação. 1. Assinaturas. 1.1. Completa. 1.2. Completa em português. 1.3. Completa sem endosso. 1.4. Simples. 1.5. Simples com descritivo

Sumário. Apresentação. 1. Assinaturas. 1.1. Completa. 1.2. Completa em português. 1.3. Completa sem endosso. 1.4. Simples. 1.5. Simples com descritivo Manual de aplicação Sumário Apresentação 1. Assinaturas 1.1. Completa 1.2. Completa em português 1.3. Completa sem endosso 1.4. Simples 1.5. Simples com descritivo 1.6. Produto 1.7. Produto mínima 1.8.

Leia mais

MANUAL DE NORMAS GRÁFICAS MOD02_PR02_V01

MANUAL DE NORMAS GRÁFICAS MOD02_PR02_V01 MANUAL DE NORMAS GRÁFICAS 1 MOD02_PR02_V01 DATA: Novembro 2015 ELABORADO: Laura Santos APROVADO: Manuel Serejo ASSUNTO: Normas para apresentação de documentos Normas e apresentação dos documentos (word,

Leia mais

selo manual de aplicação 105 anos Rede Federal de educação profissional e tecnológica

selo manual de aplicação 105 anos Rede Federal de educação profissional e tecnológica selo manual de aplicação 105 anos Rede Federal de educação profissional e tecnológica Apresentação Ao apresentar o selo comemorativo dos 105 anos da Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica,

Leia mais

Manual de Identidade Visual. 1º Caderno - Características da logomarca e regras gerais de aplicação.

Manual de Identidade Visual. 1º Caderno - Características da logomarca e regras gerais de aplicação. Manual de Identidade Visual 1º Caderno - Características da logomarca e regras gerais de aplicação. Introdução Este manual apresenta, documenta e normatiza a utilização da identidade visual da Agência

Leia mais

Manual de APLICAÇÃO DE LOGOMARCA

Manual de APLICAÇÃO DE LOGOMARCA Manual de APLICAÇÃO DE LOGOMARCA ÍNDICE Apresentação... 3 Logomarca... 4 Versões em Positivo e Negativo... 5 Especificações de Cores... 6 Normas de Uso... 7 Tamanho Mínimo... 8 Aplicações sobre Fundos...

Leia mais

Universidade do Estado de Mato Grosso MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL & APLICAÇÃO DE MARCA

Universidade do Estado de Mato Grosso MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL & APLICAÇÃO DE MARCA MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL & APLICAÇÃO DE MARCA índice 1. Apresentação 01 8. Área de proteção 07 2. Conceito 02 9. Grade de construção 08 3. Assinatura 03 10. Redução mínima 09 5. Tipologia 04 11. Aplicações

Leia mais

Índice. Porto Business School

Índice. Porto Business School NORMAS GRÁFICAS Índice O presente manual de normas constitui um guia de consulta com um papel fundamental na aplicação da identidade visual da Porto Business School. Apresenta os elementos básicos que

Leia mais

1) MARCA 5) CONTRA INDICAÇÕES

1) MARCA 5) CONTRA INDICAÇÕES Sumário 1) MARCA 1.1) A marca 1.2) Elementos estruturais 1.3) Grade 2) REDUÇÃO E ESPAÇAMENTO 2.1) Redução máxima 2.2) Espaçamento/respiro 3) VERSÕES E VARIAÇÕES 3.1) Versões da marca 3.2) Versão Original

Leia mais

Manual de Uso da Marca do Governo Federal. SECOM / PR Novembro de 2011

Manual de Uso da Marca do Governo Federal. SECOM / PR Novembro de 2011 SECOM / PR 1.1 Introdução 3 1.2 Logomarca do Governo Federal 4 1.3 Proporções e medições 5 1.4 Zona de eclusão 6 1.5 Reduções mínimas 7 1.6 Variantes de cor 8 1.7 Cores da logomarca 9 1.8 Aplicação sobre

Leia mais

Guia de utilização da marca PAN Correspondente no País

Guia de utilização da marca PAN Correspondente no País Guia de utilização da marca PAN Correspondente no País Introdução O Guia de Utilização da marca Pan Correspondente no País, foi desenvolvido para que todos os parceiros tenham uma padronização da utilização

Leia mais

Manual de uso da marca do Governo Federal. SECOM / PR Janeiro de 2015

Manual de uso da marca do Governo Federal. SECOM / PR Janeiro de 2015 Manual de uso da marca do Governo Federal SECOM / PR Manual de uso da marca do Governo Federal 1.1 Introdução 3 1.2 Logomarca do Governo Federal 4 1.3 Proporções e medições 5 1.4 Zona de eclusão 6 1.5

Leia mais

Manual de uso da marca do Governo Federal

Manual de uso da marca do Governo Federal Manual de uso da marca do Governo Federal SECOM / PR - 2011 Manual de uso da marca do Governo Federal 1.1 Introdução 03 1.2 Logomarca do Governo Federal 04 1.3 Proporções e medições 05 1.4 Zona de eclusão

Leia mais

Manual de uso da marca do Governo Federal

Manual de uso da marca do Governo Federal Manual de uso da marca do Governo Federal SECOM / PR - 2011 Manual de uso da marca do Governo Federal 1.1 2.2 Introdução Logomarca Governo Federal 2.1.1 Reduções Mínimas 2.1.2 Variantes do Logo 2.1.3 Cores

Leia mais

M A N U A L D E I D E N T I D A D E V I S U A L

M A N U A L D E I D E N T I D A D E V I S U A L M A N U A L D E I D E N T I D A D E V I S U A L ÍNDICE 1. Considerações Iniciais... 01 2. Apresentação... 02 3. Cores Institucionais... 03 4. Reprodução da Marca... 04 5. Redução da Marca... 05 6. Arejamento

Leia mais

MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL

MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO 1.1 Por que devo utilizar este manual?...04 2. A MARCA 2.1 Logotipo oficial...06 2.2 Redução...06 2.3 Padrão tipográfico...07 2.4 Padrão cromático...08

Leia mais

2 Segmentação de imagens e Componentes conexas

2 Segmentação de imagens e Componentes conexas Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) Departamento Acadêmico de Informática (DAINF) Algoritmos II Professor: Alex Kutzke (alexk@dainf.ct.utfpr.edu.br) Especificação do Primeiro Trabalho Prático

Leia mais

Manual de Identidade Corporativa

Manual de Identidade Corporativa Manual de Identidade Corporativa Marca Universo Aplicações 1 Marca 3 2 Universo 24 3 Aplicações 36 Marca 1 Marca A marca 4 O uso do símbolo 6 Versões da marca 7 Proporções da marca 8 Arejamento 9 Tamanho

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PÓVOA DE LANHOSO - 150915

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PÓVOA DE LANHOSO - 150915 INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA INGLÊS Abril 2016 2016 367 Prova 11º Ano de escolaridade (Decreto-Lei nº 139/2012, de 05 de julho) O presente documento divulga informação relativa à prova

Leia mais

GUIA SOBRE A APLICAÇÃO DOS ASPECTOS LINGUÍSTICOS DA CARTILHA DE ADESÃO À AGENCE UNIVERSITAIRE DE LA FRANCOPHONIE

GUIA SOBRE A APLICAÇÃO DOS ASPECTOS LINGUÍSTICOS DA CARTILHA DE ADESÃO À AGENCE UNIVERSITAIRE DE LA FRANCOPHONIE GUIA SOBRE A APLICAÇÃO DOS ASPECTOS LINGUÍSTICOS DA CARTILHA DE ADESÃO À AGENCE UNIVERSITAIRE DE LA FRANCOPHONIE Adotado pelo conselho associativo da Agence universitaire de la Francophonie 13 de setembro

Leia mais

Modelo Lógico: Tabelas, Chaves Primárias e Estrangeiras

Modelo Lógico: Tabelas, Chaves Primárias e Estrangeiras Modelo Lógico: Tabelas, Chaves Primárias e Estrangeiras Apresentar a próxima etapa da modelagem de dados: o modelo lógico e os conceitos de tabelas, chaves primárias e estrangeiras e como o banco de dados

Leia mais

PROPOSTA PARA EVENTOS. Serviços de Multimédia Integrada em POS. Proposta N. PT.2016PEV16

PROPOSTA PARA EVENTOS. Serviços de Multimédia Integrada em POS. Proposta N. PT.2016PEV16 PROPOSTA PARA EVENTOS Serviços de Multimédia Integrada em POS Proposta N. PT.2016PEV16 CONTEUDO 1. CONTACTOS...2 2. APRESENTAÇÃO...2 3. Proposta Comercial e Condições de Pagamento - PACK EVENTO - ALUGUER...3

Leia mais

MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL

MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL INTRODUÇÃO O Manual de Identidade Visual pretende ser o documento básico de referência para criação das mensagens visuais da empresa, como pastas, cartões de visita, papéis

Leia mais

Software PHC com MapPoint 2007

Software PHC com MapPoint 2007 Software PHC com MapPoint 2007 Descritivo completo A integração entre o Software PHC e o Microsoft MapPoint permite a análise de informação geográfica (mapas, rotas e análise de dispersão), baseada em

Leia mais

MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL DO VALE-CULTURA

MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL DO VALE-CULTURA MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL DO VALE-CULTURA 01 Este manual estabelece as regras de aplicação e orienta o uso da marca do programa Vale-Cultura, instituído pela lei nº 12.761, de 27 de dezembro de 2012.

Leia mais

MANUAL DE IDENTIDADE

MANUAL DE IDENTIDADE MANUAL DE IDENTIDADE COMUNICAÇÃO 1 Assinatura Oficial - 3 O Valor de Uma Marca - 4 Marcas Institucionais - 7 Elementos da Identidade - 9 Não Conformes - 10 Fontes Padrões - 12 Cores Institucionais - 13

Leia mais

Informação Prova de Equivalência à Frequência - 2015. Agrupamento de Escolas de ANTÓNIO NOBRE. DISCIPLINA: Inglês CÓDIGO DA PROVA: 358

Informação Prova de Equivalência à Frequência - 2015. Agrupamento de Escolas de ANTÓNIO NOBRE. DISCIPLINA: Inglês CÓDIGO DA PROVA: 358 DISCIPLINA: Inglês CÓDIGO DA PROVA: 358 CICLO: Secundário ANO DE ESCOLARIDADE: 12º Introdução O presente documento visa divulgar as características da prova de exame de equivalência à frequência da disciplina

Leia mais

Manual de uso da Marca

Manual de uso da Marca Manual de uso da Marca Manual de Uso da Marca Para uma marca se estabelecer ser facilmente reconhecida e distinguida das demais,ela precisa ter consistência e uniformidade em todos os seus momentos de

Leia mais

T.I. para o DealerSuite: Servidores Versão: 1.1

T.I. para o DealerSuite: Servidores Versão: 1.1 T.I. para o DealerSuite: Servidores Versão: 1.1 Lista de Figuras T.I. para o Dealer Suite: Servidores Figura 1 Tela Principal do ESXi...4 Figura 2 Tela VMware Player...5 Figura 3 Arquivo /etc/exports do

Leia mais

Atividade de Treinamento. Documentando Programas no SPDSW. HI Tecnologia Indústria e Comércio Ltda. Documento de acesso Público

Atividade de Treinamento. Documentando Programas no SPDSW. HI Tecnologia Indústria e Comércio Ltda. Documento de acesso Público Atividade de Treinamento HI Tecnologia Indústria e Comércio Ltda. Documento de acesso Público EAT.01005 Versão 1.0 24 de Novembro de 2014 Atividade de Treinamento Ref: EAT.01005 Rev: 1 Arquivo: EAT0100500.odt

Leia mais

Tratores. Informações gerais sobre tratores. Recomendações. Distância do eixo

Tratores. Informações gerais sobre tratores. Recomendações. Distância do eixo Informações gerais sobre tratores Informações gerais sobre tratores Os tratores foram projetados para puxar semirreboques e são, portanto, equipados com uma quinta roda para possibilitar a fácil troca

Leia mais

Mini-MBA de Especialização de Marketing Coordenador/Formador: José Guimarães

Mini-MBA de Especialização de Marketing Coordenador/Formador: José Guimarães Mini-MBA de Especialização de Marketing Coordenador/Formador: José Guimarães Índice Duração Total... 2 Destinatários... 2 Perfil de saída... 2 Pré-Requisitos... 3 Objetivo Geral... 3 Objetivos Específicos...

Leia mais

Manual de Identidade Corporativa

Manual de Identidade Corporativa Manual de Identidade Corporativa Ìndice: I. Introdução 3 II. O Logótipo 4 III. Tamanhos Máximos e Mínimos 5 IV. Cores 6 V. Tipos de Letra 7 VI. Como utilizar o logótipo 8 VII. Utilizar o logótipo em tons

Leia mais

Manual da Identidade Visual Engenharia de Produção - UFSM

Manual da Identidade Visual Engenharia de Produção - UFSM Manual da Identidade Visual Engenharia de Produção - UFSM Apresentação Este é um manual da identidade visual do redesenho da marca do curso de Engenharia de Produção da UFSM. O redesenho da marca foi solicitado

Leia mais

GTMMI, Lda. Condições Gerais de Venda

GTMMI, Lda. Condições Gerais de Venda GTMMI, Lda. Condições Gerais de Venda Estas Condições Gerais de Venda anulam automaticamente todas as anteriores. EXCEPTO QUANDO EXPRESSAMENTE ACORDADO EM CONTRÁRIO POR ESCRITO, TODAS AS VENDAS ESTÃO SUJEITAS

Leia mais

Manual de Normas Gráficas MANUAL DE NORMAS GRÁFICAS

Manual de Normas Gráficas MANUAL DE NORMAS GRÁFICAS Manual de Normas Gráficas MANUAL 1 MANUAL 2 Manual de Normas Gráficas Este manual contém as regras básicas de utilização dos elementos fundamentais de design da marca Ceramics Portugal does it better e

Leia mais

Manual de Identidade Visual CRI Genética

Manual de Identidade Visual CRI Genética Manual de Identidade Visual CRI Genética Normas e Padrões de Utilização Apresentação A marca é o maior patrimônio de uma empresa. Nela estão depositadas toda sua força e história. A forma como você escreve

Leia mais

CONSELHO MUNICIPAL DE POLITICAS SOBRE DROGAS - COMAD REGULAMENTO

CONSELHO MUNICIPAL DE POLITICAS SOBRE DROGAS - COMAD REGULAMENTO EDITAL Nº 01 / 2014 - DISPÕE SOBRE A REGULAMENTAÇÃO DO CONCURSO PARA ESCOLHA DA LOGOMARCA DO. REGULAMENTO O Conselho Municipal de Políticas sobre Drogas do município de Santos convida os universitários

Leia mais

LOGOTIPO OU LOGOMARCA?

LOGOTIPO OU LOGOMARCA? E-book para Empreendedores LOGOTIPO OU LOGOMARCA? Dicas para criar um( a ) logo de sucesso www.logovia.com.br A equipe do Logovia deseja que a leitura deste e-book seja agravável e que expanda seu entendimento

Leia mais

janeiro. 2015 Manual de normas Marca Transportes de Lisboa

janeiro. 2015 Manual de normas Marca Transportes de Lisboa janeiro. 2015 Manual de normas Marca Transportes de Lisboa Marca Transportes de Lisboa Símbolo/logotipo símbolo logotipo Composto pelo nome transportes de no tipo Metrolis Regular e Lisboa no tipo Metrolis

Leia mais

Manual de Normas Gráficas. COMPETE - Programa Operacional Factores de Competitividade

Manual de Normas Gráficas. COMPETE - Programa Operacional Factores de Competitividade Manual de Normas Gráficas COMPETE - Programa Operacional Factores de Competitividade > Índice A Marca 05 Identidade 06. Logótipo 08. Versões 09. Margem de Segurança 10. Dimensão Mínima 11. A Cor 12 Suportes

Leia mais

SÃO JOÃO 2015 BAHIATURSA MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL

SÃO JOÃO 2015 BAHIATURSA MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL BAHIATURSA MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL 1 MARCA - EVOLUÇÃO Para esta versão foi feita uma atualização da marca já existente do São João da Bahia. A nova versão possui traços mais simples, remetendo aos

Leia mais

MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL

MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL Confiabilidade Confiabilidade será nossa palavra-chave: todas as nossas ações serão no sentido de conquistar o reconhecimento da OniSat como uma grande empresa na área de rastreamento.

Leia mais

1 Assinatura 2 Cores 3 Tipografia 4 Estacionário

1 Assinatura 2 Cores 3 Tipografia 4 Estacionário 1 Assinatura 2 Cores 3 Tipografia 4 Estacionário 1 Assinatura A imagem corporativa/imagem global de todos os materias que têm a imagem da empresa registam uma primeira impressão sobre a empresa, quer perante

Leia mais

Regulamento Interno Férias Desportivas Verão 15

Regulamento Interno Férias Desportivas Verão 15 2015 Regulamento Interno Férias Desportivas Verão 15 Junta de Freguesia de Fermentelos Índice NOTA JUSTIFICATIVA... 2 CAPÍTULO I... 3 Missão... 3 Artigo 1º... 3 CAPÍTULO II... 3 Objeto... 3 Artigo 2º...

Leia mais

Módulo 6: Desenho Industrial

Módulo 6: Desenho Industrial Nota: Este módulo requer cerca de 2 horas de estudo. Você encontrará espaços convenientes para fazer os intervalos de estudo após cada seção principal. Módulo 6: Desenho Industrial Objetivos Ao final deste

Leia mais

EDITAL DA III COMPETIÇÃO PONTE DE MACARRÃO

EDITAL DA III COMPETIÇÃO PONTE DE MACARRÃO EDITAL DA III COMPETIÇÃO PONTE DE MACARRÃO 1. Disposições gerais 1.1. Tema do concurso Modalidade: Ponte de Macarrão 1.1.1. A tarefa proposta é a construção e o teste de carga de uma ponte treliçada, utilizando

Leia mais

,QVWDODomR. Dê um duplo clique para abrir o Meu Computador. Dê um duplo clique para abrir o Painel de Controle. Para Adicionar ou Remover programas

,QVWDODomR. Dê um duplo clique para abrir o Meu Computador. Dê um duplo clique para abrir o Painel de Controle. Para Adicionar ou Remover programas ,QVWDODomR 5HTXLVLWRV0tQLPRV Para a instalação do software 0RQLWXV, é necessário: - Processador 333 MHz ou superior (700 MHz Recomendado); - 128 MB ou mais de Memória RAM; - 150 MB de espaço disponível

Leia mais

MODELO DE DECLARAÇÃO DE RECEITAS E DESPESAS

MODELO DE DECLARAÇÃO DE RECEITAS E DESPESAS APÊNDICE 2 MODELO DE DECLARAÇÃO DE RECEITAS E DESPESAS (nota de primeira página) Projecto n :... Título do projecto:...... Nome completo do Beneficiário:... Morada:...... Formulário financeiro apresentado

Leia mais

Clube Automovel de Lousada REGULAMENTO TÉCNICO. II Edição TROFÉU DE RESISTENCIAS CLUBE AUTOMOVEL DE LOUSADA

Clube Automovel de Lousada REGULAMENTO TÉCNICO. II Edição TROFÉU DE RESISTENCIAS CLUBE AUTOMOVEL DE LOUSADA Clube Automovel de Lousada REGULAMENTO TÉCNICO II Edição TROFÉU DE RESISTENCIAS CLUBE AUTOMOVEL DE LOUSADA Aprovado em 18/02/2015 1 Os concorrentes, que pretendam, participar nas provas do Troféu de resistência

Leia mais

ÍNDICE. 1. Marca 1.1 Valores 1.2 Conceito visual

ÍNDICE. 1. Marca 1.1 Valores 1.2 Conceito visual 09.05.2013 ÍNDICE 1. Marca 1.1 Valores 1.2 Conceito visual 2. Elementos Visuais 2.1 Construção 2.2 Área de protecção 2.3 Dimensão mínima 2.4 Tipografia 2.5 Cores 2.6 Marca Registada 3. Assinatura 3.1 Conceito

Leia mais

Manual de Identidade Visual

Manual de Identidade Visual Manual de Identidade Visual Introdução O manual da marca Ligue 180 tem a função de ordenar e padronizar o signo que distingue e diferencia o serviço, compreendendo os padrões e regras de aplicação da marca.

Leia mais

Gestão Documental. Gestão Documental

Gestão Documental. Gestão Documental Alcides Marques, 2007 Actualizado por Ricardo Matos em Junho de 2009 Neste capítulo pretende-se analisar a temática da, começando por apresentar um breve resumo dos conceitos subjacentes e apresentando

Leia mais

Comandos de Eletropneumática Exercícios Comentados para Elaboração, Montagem e Ensaios

Comandos de Eletropneumática Exercícios Comentados para Elaboração, Montagem e Ensaios Comandos de Eletropneumática Exercícios Comentados para Elaboração, Montagem e Ensaios O Método Intuitivo de elaboração de circuitos: As técnicas de elaboração de circuitos eletropneumáticos fazem parte

Leia mais

Análise Qualitativa no Gerenciamento de Riscos de Projetos

Análise Qualitativa no Gerenciamento de Riscos de Projetos Análise Qualitativa no Gerenciamento de Riscos de Projetos Olá Gerente de Projeto. Nos artigos anteriores descrevemos um breve histórico sobre a história e contextualização dos riscos, tanto na vida real

Leia mais

Manual de Identidade Visual

Manual de Identidade Visual Manual de Identidade Visual CLIPTECH Apresentação O objetivo deste Manual de Identidade Visual é possibilitar que a CLIPTECH se comunique de forma organizada e padronizada, para seus membros, setores afins

Leia mais

GUIA PRÁTICO PESSOA SINGULAR ALTERAÇÃO DE DADOS INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

GUIA PRÁTICO PESSOA SINGULAR ALTERAÇÃO DE DADOS INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO PESSOA SINGULAR ALTERAÇÃO DE DADOS INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Pessoa Singular Alteração de Dados (1006 v4.27) PROPRIEDADE Instituto da Segurança Social,

Leia mais

Manual FIEB 05.07.06 16:17 Page 1. Manual de Identificaçã o Visual do Sistema FIEB

Manual FIEB 05.07.06 16:17 Page 1. Manual de Identificaçã o Visual do Sistema FIEB Manual FIEB 05.07.06 16:17 Page 1 Manual de Identificaçã o Visual do Sistema FIEB Manual FIEB 05.07.06 16:17 Page 2 Capítulo 1 Apresentação das Marcas 07 Marca Corporativa/Entidades 13 Marcas Combinadas

Leia mais

MANUAL DO INSTALADOR XD EM AMBIENTES MICROSOFT WINDOWS

MANUAL DO INSTALADOR XD EM AMBIENTES MICROSOFT WINDOWS MANUAL DO INSTALADOR XD EM AMBIENTES MICROSOFT WINDOWS Está disponível a partir da versão 2014.73 do XD Rest/Pos/Disco um novo formato no instalador em ambientes Microsoft Windows. O instalador passa a

Leia mais

Manual de Identidade Visual da Marca

Manual de Identidade Visual da Marca Manual de Identidade Visual da Marca Introdução O SND - Sistema Nacional de Debêntures surgiu de uma parceria entre a ANDIMA e a CETIP com a missão de criar as condições ideais para o desenvolvimento do

Leia mais

Profa. Cleide de Freitas. Unidade II PLANO DE NEGÓCIOS

Profa. Cleide de Freitas. Unidade II PLANO DE NEGÓCIOS Profa. Cleide de Freitas Unidade II PLANO DE NEGÓCIOS O que vimos na aula anterior Ideias e Oportunidades Oportunidades x Experiência de mercado O que é um plano de negócios? Identificação e análise de

Leia mais

Pack1 R$ 199,00 (em 2 parcelas de R$ 99,50) (50% de entrada e 50% antes da entrega das artes finais)

Pack1 R$ 199,00 (em 2 parcelas de R$ 99,50) (50% de entrada e 50% antes da entrega das artes finais) 1 de 8 11/07/2012 14:14 Você esta na área de Criando e Produzindo o seu Logotipo "passo a passo". Analise conosco o processo de produção e valores de seu Logotipo e Identificação corporativa e dê imediatamente

Leia mais

GUIA DE DIGITALIZAÇÃO ÓTIMA

GUIA DE DIGITALIZAÇÃO ÓTIMA Condições para obter os melhores resultados de digitalização O processo de digitalização é afetado por fatores ambientais, pela configuração e calibração do digitalizador, bem como pelo objeto a digitalizar.

Leia mais

www.sysdevsolutions.com Driver Next Versão 1.0 de 07-03-2011 Português

www.sysdevsolutions.com Driver Next Versão 1.0 de 07-03-2011 Português Driver Next Versão 1.0 de 07-03-2011 Português Índice Configuração dos documentos no Backofficce... 3 O Driver ERP Next... 6 Configurações principais... 6 Configurações do vendedor... 7 Configurações do

Leia mais

Implementação de um serviço de correio eletrônico na Intranet do Pólo de Touros utilizando o ambiente SQUIRELMAIL e POSTFIX em um Servidor Linux

Implementação de um serviço de correio eletrônico na Intranet do Pólo de Touros utilizando o ambiente SQUIRELMAIL e POSTFIX em um Servidor Linux UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE ESCOLA AGRÍCOLA DE JUNDIAÍ - EAJ CURSO TÉCNICO DE INFORMÁTICA Projeto das Disciplinas de Sistemas Operacionais de Redes e Projeto de Redes Implementação de um

Leia mais

Guia de Uso DAMARCA V1.0 - Maio. 2011

Guia de Uso DAMARCA V1.0 - Maio. 2011 Guia de Uso DAMARCA V1.0 - Maio. 2011 Apresentação 3 Elementos da marca 4 Versões de uso preferencial 5 Cores 6 Aplicação em substrato metalizado 7 Versão degradê 8 Versões em P&B 9 Área de não interferência

Leia mais

Instruções para utilização dos Fóruns pelo Grupo dos Consensos Psiquiátricos para Clínicos Gerais 2005

Instruções para utilização dos Fóruns pelo Grupo dos Consensos Psiquiátricos para Clínicos Gerais 2005 Instruções para utilização dos Fóruns pelo Grupo dos Consensos Psiquiátricos para CONTEÚDO Pág. 1 Introdução 3 2 - Aceder ao site 2.1 Entrar em www.saude-mental.net 3 2.3 Introdução do seu login e password

Leia mais

O programa da disciplina em causa preconiza atividades linguísticas, estratégias e tarefas reportadas a usos comunicativos da língua.

O programa da disciplina em causa preconiza atividades linguísticas, estratégias e tarefas reportadas a usos comunicativos da língua. INFORMAÇÃO Prova de Equivalência à Frequência INGLÊS 2016 11º Ano de Escolaridade O presente documento divulga informação relativa à Prova de Equivalência à Frequência da disciplina de Inglês, a realizar

Leia mais

Política de uso. AR SSL Corporativa. DAGSer Diretoria Adjunta de Gestão de Serviços. Versão 1.0

Política de uso. AR SSL Corporativa. DAGSer Diretoria Adjunta de Gestão de Serviços. Versão 1.0 Política de uso AR SSL Corporativa DAGSer Diretoria Adjunta de Gestão de Serviços Versão 1.0 Outubro de 2014 Sumário 1. Apresentação... 3 2. Definições... 3 3. Público alvo... 4 4. Credenciamento... 4

Leia mais

1. Objectivo. 2. Destinatários. 3. Localização. 4. Horário de funcionamento. 5. Montagem e desmontagem. 6. Condições. 7.

1. Objectivo. 2. Destinatários. 3. Localização. 4. Horário de funcionamento. 5. Montagem e desmontagem. 6. Condições. 7. F e i r a d e P r o d u t o s R e g i o n a i s 2 0 1 3 - Regulamento A Feira de Produtos Regionais, inserida no programa da Feira das Colheitas de Arouca, irá decorrer entre os dias 26 e 29 de Setembro.

Leia mais

Análise Orientada a Objetos (AOO)

Análise Orientada a Objetos (AOO) "Antes de imprimir pense em sua responsabilidade e compromisso com o MEIO AMBIENTE." Engenharia de Software Análise Orientada a s () Givanaldo Rocha de Souza givanaldo.rocha@ifrn.edu.br http://docente.ifrn.edu.br/givanaldorocha

Leia mais

DECISÕES. (Texto relevante para efeitos do EEE)

DECISÕES. (Texto relevante para efeitos do EEE) 14.10.2015 L 267/5 DECISÕES DECISÃO DE EXECUÇÃO (UE) 2015/1842 DA COMISSÃO de 9 de outubro de 2015 relativa às especificações técnicas para a configuração, conceção e formato das advertências de saúde

Leia mais

OI CLOUD SEJA BEM-VINDO!

OI CLOUD SEJA BEM-VINDO! OI CLOUD SEJA BEM-VINDO! O QUE É O OI CLOUD? O Oi Cloud é um serviço de armazenamento, compartilhamento e sincronização de arquivos. Esses arquivos ficarão acessíveis a partir de qualquer dispositivo,

Leia mais

PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA À OPERAÇÃO E ADMINISTRAÇÃO DO SISTEMA INFORMÁTICO

PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA À OPERAÇÃO E ADMINISTRAÇÃO DO SISTEMA INFORMÁTICO PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA À OPERAÇÃO E ADMINISTRAÇÃO DO SISTEMA INFORMÁTICO DEPARTAMENTO TECNICO OUTSOURCING Rua da Eira, nº18 Letra I e J Algés de Cima 1495-050 Algés Portugal Tel.:

Leia mais

1. Ajustando a iluminação. 2. Posição da câmera e da pessoa a ser fotografada

1. Ajustando a iluminação. 2. Posição da câmera e da pessoa a ser fotografada Diretriz para a produção de fotos digitais de qualidade para utilização no Sistema de Gestão e Controle de Pessoal - GECOPE do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal, através do SISGESEC Orientações

Leia mais

Memória Descritiva. Curso: Tripulante de Ambulância de Transporte. Fundamentação:

Memória Descritiva. Curso: Tripulante de Ambulância de Transporte. Fundamentação: Curso: Tripulante de Ambulância de Transporte Fundamentação: O socorro e o transporte de vítimas de doença súbita e/ou trauma é executado por vários elementos que têm de ter conhecimentos técnicos que

Leia mais

MANUAL MANUAL DE USO DA MARCA SELO SOLAR

MANUAL MANUAL DE USO DA MARCA SELO SOLAR MANUAL MANUAL DE USO DA MARCA SELO SOLAR ÍNDICE 01. Uso do Manual 02. Construção da marca 03. Área de proteção 04. Dimensão minima 05. Especificações Cromáticas 06. Uso em monocromia 07. Tipografia 08.

Leia mais

I - Política de Privacidade e Segurança II - Direitos de Autor III - Termos e Condições de Utilização. Política de Privacidade e Segurança

I - Política de Privacidade e Segurança II - Direitos de Autor III - Termos e Condições de Utilização. Política de Privacidade e Segurança I - Política de Privacidade e Segurança II - Direitos de Autor III - Termos e Condições de Utilização 1 / 6 I - POLÍTICA DE PRIVACIDADE E SEGURANÇA Declaração de Privacidade As "Termas das Caldas de Aregos",

Leia mais

MANUAL DE APLICAÇÃO DA MARCA

MANUAL DE APLICAÇÃO DA MARCA MANUAL DE APLICAÇÃO DA MARCA 1. APRESENTAÇÃO Este manual apresenta, documenta e normatiza a utilização da identidade visual do Circo Crescer e Viver e de seu selo comemorativo de 10 anos. É fundamental

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 469 DE 11 DE DEZEMBRO DE 2013.

RESOLUÇÃO Nº 469 DE 11 DE DEZEMBRO DE 2013. RESOLUÇÃO Nº 469 DE 11 DE DEZEMBRO DE 2013. Altera dispositivos e os Anexos da Resolução CONTRAN nº 402, de 26 de abril de 2012, com redação dada pelas Deliberações nº 104 de 24 de dezembro de 2010 e nº

Leia mais

ÁGUAS DO CENTRO ALENTEJO, S.A. PROGRAMA DE PROCEDIMENTO

ÁGUAS DO CENTRO ALENTEJO, S.A. PROGRAMA DE PROCEDIMENTO ÁGUAS DO CENTRO ALENTEJO, S.A. PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE LIMPEZA E DESOBSTRUÇÃO DE INFRAESTRUTURAS DA AdCA PROGRAMA DE PROCEDIMENTO Página 1 de 11 ÁGUAS DO CENTRO ALENTEJO, S.A. PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE

Leia mais

CENTRO DE HISTÓRIA DA ARTE E INVESTIGAÇÃO ARTÍSTICA MANUAL DE NORMAS GRÁFICAS

CENTRO DE HISTÓRIA DA ARTE E INVESTIGAÇÃO ARTÍSTICA MANUAL DE NORMAS GRÁFICAS MANUAL DE NORMAS GRÁFICAS CYMK (coated euro) PANTONE (solid mate) RGB C 0% M 0% Y 0% K 10 0% C 0% M 0% Y 0% K 50% Pantone Black M 100% Pantone Black M 50% R 0% G 0% B 0% R 156% G 156 % B 156% UNIVERSO

Leia mais

JOVENS EMPREENDEDORES Búzio

JOVENS EMPREENDEDORES Búzio Jovens Empreendedores 2015/2016 Jovens Empreendedores 2015/2016 Jovens Empreendedores 2015/2016 Jovens Empreendedores 2015/2016 Jovens Empreendedores 2015/2016 Jovens CONCURSO JOVENS EMPREENDEDORES Búzio

Leia mais

3.2. Bibliotecas. Biblioteca Professor Antônio Rodolpho Assenço, campus Asa Sul: Os espaços estão distribuídos da seguinte forma:

3.2. Bibliotecas. Biblioteca Professor Antônio Rodolpho Assenço, campus Asa Sul: Os espaços estão distribuídos da seguinte forma: 1 3.2. Bibliotecas Contam as Faculdades UPIS com a Biblioteca Professor Antônio Rodolpho Assenço e a Biblioteca do Campus II, que atuam como centros dinâmicos de informação, atendendo o corpo docente e

Leia mais

Exemplo COMO FAZER UM TRABALHO ESCOLAR O QUE DEVE CONSTAR EM UM TRABALHO ESCOLAR? Um Trabalho Escolar que se preze, de nível fundamental, deve conter:

Exemplo COMO FAZER UM TRABALHO ESCOLAR O QUE DEVE CONSTAR EM UM TRABALHO ESCOLAR? Um Trabalho Escolar que se preze, de nível fundamental, deve conter: COMO FAZER UM TRABALHO ESCOLAR O QUE DEVE CONSTAR EM UM TRABALHO ESCOLAR? Um Trabalho Escolar que se preze, de nível fundamental, deve conter: 1. Capa 2. Folha de Rosto 3. Sumário 4. Introdução 5. Texto

Leia mais

REGULAMENTO DO ARQUIVO MUNICIPAL DE FRONTEIRA

REGULAMENTO DO ARQUIVO MUNICIPAL DE FRONTEIRA REGULAMENTO DO ARQUIVO MUNICIPAL DE FRONTEIRA Preâmbulo No processamento da política de reorganização dos serviços municipais e no caso particular do Arquivo do Município de Fronteira, pretende-se com

Leia mais

Fundamentos de Bancos de Dados 3 a Prova Caderno de Questões

Fundamentos de Bancos de Dados 3 a Prova Caderno de Questões Fundamentos de Bancos de Dados 3 a Prova Caderno de Questões Prof. Carlos A. Heuser Dezembro de 2009 Duração: 2 horas Prova com consulta Questão 1 (Construção de modelo ER) Deseja-se projetar a base de

Leia mais

Manual de Normas Gráficas

Manual de Normas Gráficas Manual de Normas Gráficas Este manual estabelece as normas básicas de utilização da marca Observatório do QREN nas situações mais comuns. O cumprimento destas normas fortalece a marca e evita a incorrência

Leia mais

EMPRESAS 2.1 2.2 2.3 2.4 2.5 2.6 2.6

EMPRESAS 2.1 2.2 2.3 2.4 2.5 2.6 2.6 II EMPRESAS 2.1 Termo de Adesão 2.2 Formulário de Identificação 2.3 Autorização de uso de imagem organizacional 2.4 Autorização de uso de imagem pessoal 2.5 Questionário 2.6 Diretrizes para o envio de

Leia mais

MODELAGENS. Modelagem Estratégica

MODELAGENS. Modelagem Estratégica Material adicional: MODELAGENS livro Modelagem de Negócio... Modelagem Estratégica A modelagem estratégica destina-se à compreensão do cenário empresarial desde o entendimento da razão de ser da organização

Leia mais

GAM Gestão de Acessibilidade ao Medicamento. Manual de Utilizador Front-Office

GAM Gestão de Acessibilidade ao Medicamento. Manual de Utilizador Front-Office GAM Gestão de Acessibilidade ao Medicamento Manual de Utilizador Front-Office Aviso de Propriedade e Confidencialidade Este documento é propriedade do INFARMED, I.P., e toda a informação nele incluído

Leia mais

CRIAÇÃO DE TABELAS NO ACCESS. Criação de Tabelas no Access

CRIAÇÃO DE TABELAS NO ACCESS. Criação de Tabelas no Access CRIAÇÃO DE TABELAS NO ACCESS Criação de Tabelas no Access Sumário Conceitos / Autores chave... 3 1. Introdução... 4 2. Criação de um Banco de Dados... 4 3. Criação de Tabelas... 6 4. Vinculação de tabelas...

Leia mais

Linha de Crédito PME CRESCIMENTO 2014 (Condições da Linha)

Linha de Crédito PME CRESCIMENTO 2014 (Condições da Linha) Linha de Crédito PME CRESCIMENTO 2014 (Condições da Linha) Linha de Crédito Bonificada com Garantia Mútua (atualizado a 30 de abril de 2014) UNIÃO EUROPEIA Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional Enquadramento

Leia mais

Fundamentos de Programação. Diagrama de blocos

Fundamentos de Programação. Diagrama de blocos Fundamentos de Programação Diagrama de blocos Prof. M.Sc.: João Paulo Q. dos Santos E-mail: joao.queiroz@ifrn.edu.br Página: http://docente.ifrn.edu.br/joaoqueiroz/ O processo de desenvolvimento (programação),

Leia mais

PROJECTO FUNDAMENTAÇÃO

PROJECTO FUNDAMENTAÇÃO PROJECTO FUNDAMENTAÇÃO No seguimento das propostas apresentadas por esta Direcção Regional de Educação para o Plano de Acompanhamento dos Centros de Recursos TIC (CRTIC) no ano de 2011, com uma linha orientadora

Leia mais