Patrick Augusto Gonçalves

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Patrick Augusto Gonçalves pkgoncalves@gmail.com"

Transcrição

1 Single Page Apps com AngularJS Patrick Augusto Gonçalves

2 Vamos Começar do Começo O que são Single Page Apps? Por que usar? O que eu ganho com isso?

3 Modelo Clássico de Aplicações Web

4 Domain Request Request Browser GET / clientes Network GET / clientes Servidor Request Controller HTML Response Response <html> <body> </body> </html> <html> <body> </body> </html> View

5 Modelo Clássico Full Response Cada requisição do browser provoca uma atualização completa da página. Além do código HTML, recursos de imagem, scripts e folhas de estilo também podem ser recarregados, caso nenhuma medida de cache seja utilizada.

6 Modelo Clássico Full Response Tráfego elevado de dados eleva custo de hospedagem em serviços de cloud computing, como Amazon EC2 por exemplo. Apesar de não ser impossível, é mais difícil escalar uma aplicação no modelo clássico devido principalmente ao gerenciamento de sessões de usuários.

7 Existe uma alternadva?

8 Sim!

9 Sim! Single Page Apps

10 Single Page Apps Aplicações ou sites web que utilizam apenas uma página HTML para apresentar os dados e elementos web, sem precisar recarregar completamente a página no momento em que o usuário navega de uma funcionalidade para outra.

11 Single Page Apps Primeira requisição carrega o código HTML da página principal que a partir de então servirá como visão principal ou shell da aplicação. Códigos JavaScript necessários para a execução da aplicação também são carregados neste momento.... assim como folhas de estilo.

12 Single Page Apps Primeira Requisição GET / index.html GET / index.html HTML HTML HTML index.html Browser Próximas Requisições GET /clientes/ 1 Network GET /clientes/ 1 Servidor GET /clientes/ 1 Controller JSON { id: 1, nome: abc, fone: } JSON { id: 1, nome: abc, fone: } { id: 1, nome: abc, fone: } Domain

13 Single Page Apps Primeira Requisição pagina.html Web Browser Servidor

14 Single Page Apps Primeira Requisição GET /pagina.html pagina.html Web Browser Servidor

15 Single Page Apps Primeira Requisição HTTP 200 ok pagina.html Web Browser Servidor

16 Single Page Apps Primeira Requisição pagina.html Web Browser Servidor

17 Single Page Apps Primeira Requisição pagina.html Web Browser Servidor

18 Single Page Apps Primeira Requisição pagina.html Web Browser Servidor

19 Single Page Apps Primeira Requisição pagina.html Web Browser Servidor

20 Single Page Apps Primeira Requisição Web Browser Servidor

21 Single Page Apps Dados são requisitados através de WebServices (REST na maioria) REST Endpoint Banco de Dados Web Browser Servidor

22 Single Page Apps Dados são requisitados através de WebServices (REST na maioria) GET /api/users/1 REST Endpoint Banco de Dados Web Browser Servidor

23 Single Page Apps Dados são requisitados através de WebServices (REST na maioria) GET /api/users/1 REST Endpoint Banco de Dados Web Browser Servidor

24 Single Page Apps Dados são requisitados através de WebServices (REST na maioria) REST Endpoint Banco de Dados Web Browser Servidor

25 Single Page Apps Dados são requisitados através de WebServices (REST na maioria) REST Endpoint Banco de Dados Web Browser Servidor

26 Single Page Apps Dados são requisitados através de WebServices (REST na maioria) HTTP 200 OK REST Endpoint application/json { id: 1, username: auser, } Banco de Dados Web Browser Servidor

27 Single Page Apps Pequenos trechos de código HTML são carregados dinâmicamente. /views/fragment.html Web Browser Servidor

28 Single Page Apps Pequenos trechos de código HTML são carregados dinâmicamente. GET /views/fragment.html /views/fragment.html Web Browser Servidor

29 Single Page Apps Pequenos trechos de código HTML são carregados dinâmicamente. HTTP 200 ok text/html /views/fragment.html Web Browser Servidor

30 Single Page Apps Pequenos trechos de código HTML são carregados dinâmicamente. Web Browser Servidor

31 Single Page Apps Pequenos trechos de código HTML são carregados dinâmicamente. Web Browser Servidor

32 Single Page Apps Pequenos trechos de código HTML são carregados dinâmicamente. Web Browser Servidor

33 Single Page Apps Pequenos trechos de código HTML são carregados dinâmicamente. Web Browser Servidor

34 A primeira página não vai ficar muito pesada?

35 Técnicas de minification, gzip compression e carregamento dinâmico de scripts (AMD) minimizam bastante o problema. Requisições completas no modelo clássico de aplicações web trafegam uma quantidade consideravelmente maior de dados durante sua utilização. Após a primeira requisição, somente dados e fragmentos HTML ainda não carregados são obtidos do servidor.

36 Primeira Requisição

37 Navegação para Segunda Visão

38 Voltando para Primeira Visão

39 Como eu crio então SPAs com AngularJS?

40 Primeiro Passo Fazer download dos arquivos JavaScript que devem ser incluídos na aplicação.

41 Primeiro Passo

42 Primeiro Passo

43 Primeiro Passo

44 Segundo Passo Incluir bibliotecas na página HTML principal da aplicação através das tag <script>.

45 <html> <head> <title>myapp</title> <script type= text/javascript" src="/js/jquery js"> </script> <script type= text/javascript" src="/js/angular.js"> </script> </head> <body> Page Content </body> </html>

46 Terceiro Passo <codificar/>

47 Vamos por partes.

48 AngularJS Building Blocs Template Engine Data Binding Controllers Services Routing Dependency Injection entre outros.

49 Dependency Injection Considerada por muitos como o ponto mais forte do AngularJS. Nos permite injetar dependências em um controlador, serviço ou diretiva da mesma forma que frameworks famosos como o Spring, CDI ou Google Guava fazem na plataforma Java.

50 Dependency Injection - Exemplo Definição de dependência. Injeção de dependência. Código disponível em: hzps://github.com/pkgoncalves/ngstore

51 Template Engine Código HTML comum contendo elementos e atributos específicos do AngularJS. AngularJS renderiza as páginas da aplicação, combinando os elementos de template com os dados presentes no modelo e nos controladores.

52 <html ng-app> <body ng-controller="mycontroller"> <input ng-model="foo" value="bar > <button ng-click="changefoo()">{{buttontext}}</button> <script src="angular.js"> </body> </html>

53 Template Engine Algumas das Diretivas Mais Utilizadas nginclude: inclui conteúdo HTML em uma página existente. ngapp: inicializa uma página HTML como um documento de visão AngularJS. ngmodel: indica a qual propriedade de objeto um campo de formulário está associado. ngclick: indica qual método do controller a aplicação deve executar quando um determinado botão é pressionado. ngif: inclui ou exclui um elemento da página HTML. ngview: indica em qual local o conteúdo das visões da aplicação devem ser renderizadas (routing engine).

54 Template Engine No código HTML, as diretivas aparecem no formato ng-nome-da-diretiva. Camel case é transformado em palavras separadas por traços. ngclick ngmodeloptions ng-click ng-model-options

55 Template Engine A documentação oficial na página do projeto contém uma relação de todas as diretivas disponíveis para utilização em templates.

56 Template Engine

57 Template Engine - Exemplo Repete a tag <tr> para cada elemento da lista clientes. Imprime na tag <td> o id de um objeto cliente. Invoca a função excluir do controlador, passando o objeto cliente como parâmetro. Código disponível em: hzps://github.com/pkgoncalves/ngstore

58 A propósito, o que significa aquele ng antes do nome de cada diretiva?

59 ng = Angular Prefixo reservado. Utilizado para identificar as diretivas implementadas pelo próprio AngularJS. Sim, você pode criar suas próprias diretivas. Mais informações em: https://docs.angularjs.org/guide/directive

60 Um template sozinho não faz verão.

61 Por isso, apresentamos os Controladores.

62 Por isso, apresentamos os Controladores. Ligue agora para para *adquirir o seu. *Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Nullam erat eros, pretium ac fringilla id, ullamcorper eu purus. Cras pellentesque, nunc sed hendrerit convallis, est urna malesuada sem, sit amet aliquet est dolor sed diam. Sed lacinia elementum risus a euismod. Sed condimentum eros eget nisi sodales, eget luctus orci convallis. Aliquam erat volutpat.

63 Controladores No AngularJS, controladores são utilizados para se programar o comportamento das visões. Controladores sempre estão associados a um escopo.

64 Controladores Utilize controladores para: Configurar o estado inicial do escopo de uma visão. Adicionar comportamento ao escopo de uma visão.

65 Controlador - Exemplo Nome do módulo ao qual o controlador será adicionado. Injeção do objeto escopo. Este objeto será também udlizado pelo template para renderização da página. Nome do controlador. Inicialização de variáveis. Código disponível em: hzps://github.com/pkgoncalves/ngstore

66 Roteamento AngularJS possui um mecanismo de roteamento pronto para uso. Deve ser inicializado no momento da configuração inicial de um módulo. Trabalha em conjunto com a diretiva ngview, pois é na área definida por ela que a nova visão será renderizada.

67 Roteamento - Exemplo Definição do módulo. Função de configuração. Devemos declarar a dependência do módulo ngroute e injetar o objeto $routeprovider. Definição de rota. Rota padrão. Executada quando o caminho da URL da aplicação não combina com nenhuma das opções definidas pela função when. Código disponível em: hzps://github.com/pkgoncalves/ngstore

68 Roteamento - Exemplo Rota /clientes

69 Roteamento - Exemplo Rota /clientes/adicionar

70 Roteamento Também é possível definir variáveis em uma rota. Variável id.

71 Roteamento Variável id.

72 Roteamento Para recuperar o valor de uma variável de roteamento no código do controlador utilize o objeto $routeparams. Variável id. Injeção de dependência do objeto $routeparams.

73 Roteamento Para usar o mecanismo de roteamento, o arquivo angular-route.js deve ser adicionado ao projeto.

74 Roteamento

75 Roteamento

76 Roteamento

77 Roteamento

78 Roteamento Finalmente, importar o arquivo angular-route.js na página principal da aplicação.

79 Services São objetos JavaScript que podem ser injetados em controladores ou outros services através do mecanismo de injeção de dependência do AngularJS. Bastante utilizado na organização e reutilização de código em aplicações AngularJS. Utilize o método factory() ou o serviço $provide para registrar seus objetos de serviço.

80 Service - Exemplo Seleção do módulo ao qual o serviço pertencerá. Nome do serviço. Injeção de dependência. Métodos do serviço. Código disponível em: hzps://github.com/pkgoncalves/ngstore

81 Service AngularJS possui muitos serviços prontos para uso. Consulte a relação completa em: https://docs.angularjs.org/api/ng/service

82 Como eu junto tudo isso em uma aplicação então?

83 Aplicação de Exemplo

84 Aplicação de Exemplo Utiliza Node.js como tecnologia Server Side. Node.js implementa as APIs REST e fornece a página principal da aplicação (shell) e demais elementos, como imagens, arquivos de script, CSS e etc.

85 Aplicação de Exemplo Web Browser Servidor Banco de Dados

86 Utilize qualquer plataforma server side para implementar WebServices e fornecer os elementos da sua aplicação.

87

88 Estrutura de Pastas

89 Estrutura de Pastas Existem várias formas de se estruturar o código em uma aplicação AngularJS. Podemos escrever todos os controladores, serviços e configurações em um único arquivo. Podemos criar um único arquivo para armazenar todos os controladores, outro para os serviços e assim por diante. Podemos separar os arquivos da aplicações em estruturas lógicas, uma pasta para controladores, outra para serviços, outra para visões e etc.

90 Estrutura de Pastas Existem várias formas de se estruturar o código em uma aplicação AngularJS. Podemos escrever todos os controladores, serviços e configurações e um único arquivo. Podemos criar um único arquivo para armazenar todos os controladores, outro para os serviços e assim por diante. Podemos separar os arquivos da aplicações em estruturas lógicas, uma pasta para controladores, outra para serviços, outra para visões e etc.

91 Estrutura de Pastas Existem várias formas de se estruturar o código em uma aplicação AngularJS. Podemos escrever todos os controladores, serviços e configurações e um único arquivo. Podemos criar um único arquivo para armazenar todos os controladores, outro para os serviços e assim por diante. Podemos separar os arquivos da aplicações em estruturas lógicas, uma pasta para controladores, outra para serviços, outra para visões e etc.

92 Estrutura de Pastas Existem várias formas de se estruturar o código em uma aplicação AngularJS. Podemos escrever todos os controladores, serviços e configurações e um único arquivo. Podemos criar um único arquivo para armazenar todos os controladores, outro para os serviços e assim por diante. Podemos separar os arquivos da aplicações em estruturas lógicas, uma pasta para controladores, outra para serviços, outra para visões e etc.

93 Estrutura de Pastas Projeto Completo Models Node.js Pastas com recursos JavaScript, CSS e fragmentos HTML. Aplicação AngularJS. Definição de rotas Node.js. Página principal da aplicação.

94 Estrutura de Pastas Detalhamento Controladores AngularJS. Definição do módulo principal. Definição de serviços. Fragmentos HTML (visões).

95 Tudo começa pela página index.

96 /views/index.ejs

97 Adicione as bibliotecas do AngularJS e demais dependências.

98 /views/index.ejs A inclusão da biblioteca JQuery não é obrigatória. Quando ela não é adicionada, o AngularJS utiliza uma versão embutida e simplificada do JQuery.

99 Inclua a diretiva ngapp na tag principal da página. Pode ser até mesmo a própria tag <html>.

100 /views/index.ejs O conteúdo da diretiva ng-app é de livre escolha e deve representar o nome do módulo principal da aplicação.

101 Crie o arquivo JavaScript que irá inicializar o módulo principal da sua aplicação.

102 /public/ngstore- app.js

103 Inclua o arquivo de definição do módulo principal da aplicação na página index.html.

104 /views/index.ejs As tags <script> responsáveis pelo carregamento dos controladores, serviços e demais elementos da sua aplicação, devem de preferência ser incluídos no rodapé da página. Assim o usuário terá a interface completa renderizada no browser enquanto os demais scripts são carregados.

105 Agora utilize a diretiva ngview para definir em qual região da página index.html as demais visões serão renderizadas quando o usuário navegar de uma página para outra.

106 /views/index.ejs

107 Visão de Cadastro de Clientes

108 3 elementos: Fragmento HTML de template; Controlador; Definição de roteamento (url da visão).

109 Arquivo de template HTML deve ser criado na pasta dedicada ao armazenamento de visões na aplicação.

110

111 /public/app/views/cliente- edit.html

112 Repare na diretiva ng- model no elemento <input>. Ela faz a ligação (data binding) entre um objeto no controlador e os elementos de um formulário. Alterações no formulário alteram o modelo e vice-versa, automaticamente.

113 Após implementado o template, devemos criar o controlador responsável pelos dados e ações da página.

114

115 /public/app/controllers/clienteeditcontroller.js

116 Alguns métodos de ações do controlador estão ligados ao template através da diretiva ng-click.

117 Importe o arquivo JavaScript do controlador na página principal da aplicação.

118 Devemos agora criar um roteamento para permitir que o usuário navegue para o formulário de cadastro de clientes. O roteamento também define qual controlador estará relacionado ao template da visão.

119 /public/app/ngstore- app.js Não se esqueça de injetar o serviço routeprovider. Necessário para definir os roteamentos. Arquivo de template. Controlador. O roteamento deve ser definido na configuração do módulo principal da aplicação ou de um submódulo da aplicação.

120 A navegação para a visão de cadastro de clientes pode ser feita através do elemento <a> do HTML. <a href= #/clientes/adicionar >Novo Cliente</a> O símbolo # é necessário antes do caminho da rota, caso contrário, o navegador irá buscar uma página completa no caminho /clientes/adicionar.

121

122

123 É possível utilizar rotas sem o uso de hashbangs. Para isso utilize o serviço $locationprovider, passando o valor true para o método html5mode. angular.module('storeapp, [ locationprovider ]).config(['$locationprovider', function ($routeprovider) { }]); $locationprovider.html5mode(true);

124 Código da Aplicação de Exemplo Disponível no GitHub em: https://github.com/pkgoncalves/ngstore

125 Patrick Augusto Gonçalves

126 Obrigado!

127

atividade florestal não-madeireira título da categoria com opção de uso de icone

atividade florestal não-madeireira título da categoria com opção de uso de icone buscar no site OK Página inicial links rápidos a fazenda santa maria nononononono não- título em destaque texto complementar Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit. Praesent vestibulum

Leia mais

wireframe do novo site

wireframe do novo site wireframe do novo site home METRÔ PAINÉIS S ANUNCIE QUEM SOMOS Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Nam imperdiet sed eros ut luctus. Suspendisse eu vulputate massa. Nullam dignissim,

Leia mais

Conceitos de Ajax Exemplos de uso do Ajax no braço, muitos exemplos, muito código (HTML, CSS, JavaScript, PHP, XML, JSON)

Conceitos de Ajax Exemplos de uso do Ajax no braço, muitos exemplos, muito código (HTML, CSS, JavaScript, PHP, XML, JSON) Márcio Koch 1 Currículo Formado na FURB em Ciência da Computação Pós graduado em Tecnologias para o desenvolvimento de aplicações web Mestrando em Computação Gráfica na UDESC Arquiteto de software na Senior

Leia mais

[PT_BR] AngularJS na prática

[PT_BR] AngularJS na prática [PT_BR] AngularJS na prática Crie aplicações web com AngularJS Daniel Schmitz e Douglas Lira Esse livro está à venda em http://leanpub.com/livro-angularjs Essa versão foi publicada em 2015-07-06 This is

Leia mais

Associação Carioca de Ensino Superior Centro Universitário Carioca

Associação Carioca de Ensino Superior Centro Universitário Carioca Desenvolvimento de Aplicações Web Lista de Exercícios Métodos HTTP 1. No tocante ao protocolo de transferência de hipertexto (HTTP), esse protocolo da categoria "solicitação e resposta" possui três métodos

Leia mais

Sorriso. Metálico. Ponto de Vista. A Saúde bucal infantil. Entrevista. Comportamento

Sorriso. Metálico. Ponto de Vista. A Saúde bucal infantil. Entrevista. Comportamento Sorriso Entrevista Dr Alisson explica as vantagens dos aparelhos Autoligados Comportamento O que te faz feliz? Fique Ligado Participe, curta, compartilhe e ganhe brindes especiais Escova de dentes: A maior

Leia mais

Scriptlets e Formulários

Scriptlets e Formulários 2 Scriptlets e Formulários Prof. Autor: Daniel Morais dos Reis e-tec Brasil Programação Avançada Para Web Página1 Meta Permitir ao aluno aprender a criar um novo projeto Java para web no Netbeans IDE,

Leia mais

Programando em PHP. Conceitos Básicos

Programando em PHP. Conceitos Básicos Programando em PHP www.guilhermepontes.eti.br lgapontes@gmail.com Conceitos Básicos Todo o escopo deste estudo estará voltado para a criação de sites com o uso dos diversos recursos de programação web

Leia mais

BURIPACK - DESIGN E INTERFACES WEB

BURIPACK - DESIGN E INTERFACES WEB 1 de 5 BURIPACK - DESIGN E INTERFACES WEB BC 41 LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO COM JAVASCRIPT E HTML (32h) Ajudar aos alunos no desenvolvimento do raciocínio lógico, a partir da prática em lógica de programação,

Leia mais

OS CAMINHOS PARA UMA APOSENTADORIA PLANEJADA

OS CAMINHOS PARA UMA APOSENTADORIA PLANEJADA CAPITANIA MULTI CRÉDITO PRIVADO OS CAMINHOS PARA UMA Apresentação de Produto 2º Tri 2009 APOSENTADORIA PLANEJADA Capitânia Asset & Risk Management www.capitania.net Rua Dona Leopoldina, 48 São João -Porto

Leia mais

Lista de Revisão. 3. Analise a afirmativa a seguir como verdadeira ou falsa e justifique.

Lista de Revisão. 3. Analise a afirmativa a seguir como verdadeira ou falsa e justifique. Lista de Revisão 1. Nos sistemas web, geralmente os usuários apresentam dois problemas típicos, a desorientação e a sobrecarga cognitiva. Discorra sobre esses problemas. 2. Apresente as principais diferenças

Leia mais

Introdução ao Javascript

Introdução ao Javascript Programação WEB I Introdução ao Javascript Apresentação da Disciplina,Introdução a linguagem Javascript Objetivos da Disciplina Apresentar os principais conceitos da linguagem Javascript referente à programação

Leia mais

Aplicações Single-page: Caso de implementação com Backbone.js

Aplicações Single-page: Caso de implementação com Backbone.js Aplicações Single-page: Caso de implementação com Backbone.js Autor: Bruno Vitorino - 1402214 Introdução Este artigo pretende fornecer uma pequena introdução ao conceito de aplicações Single- Page e um

Leia mais

Aula 9: Fundamentos do JQuery Fonte: Plano de Aula Oficial da Disciplina

Aula 9: Fundamentos do JQuery Fonte: Plano de Aula Oficial da Disciplina Programação para Internet Rica 1 Aula 9: Fundamentos do JQuery Fonte: Plano de Aula Oficial da Disciplina Objetivo: Capacitar o aluno para o trabalho com o framework JQuery. INTRODUÇÃO JQuery é uma biblioteca

Leia mais

MANUAL DE USO DE MARCA

MANUAL DE USO DE MARCA MANUAL DE USO DE MARCA INTRODUÇÃO A MARCA FAPEU A marca é um dos bens mais preciosos de uma empresa. Ela existe para ser vista e lembrada pelos consumidores, identificando-se com os produtos, serviços

Leia mais

Arte Sacra é destaque no Salão de Negócios do Minas Trend 2013. Frutacor lança coleção Inverno 2014. Confira o festival de Jazz no CCCP

Arte Sacra é destaque no Salão de Negócios do Minas Trend 2013. Frutacor lança coleção Inverno 2014. Confira o festival de Jazz no CCCP Arte Sacra é destaque no Salão de Negócios do Minas Trend 2013 Frutacor lança coleção Inverno 2014 Fashion City Brasil participará da Fenim Confira o festival de Jazz no CCCP Bodytech loren ipsum ad vitor

Leia mais

T12design MÓVEIS DE ALTO PADRÃO. Manual de Identidade Visual T12 Design

T12design MÓVEIS DE ALTO PADRÃO. Manual de Identidade Visual T12 Design Índice Capítulo Apresentação... O logo e seus elementos... Variações cromáticas... Reduções e reservas... Aplicação em fundos de cor... Tipografias de apoio... Usos indevidos... Cartão de Visita... Pág.

Leia mais

A Database State Machine Approach. Luís Silva m2086 Fábio Beirão m2199

A Database State Machine Approach. Luís Silva m2086 Fábio Beirão m2199 A Database State Machine Approach Luís Silva m2086 Fábio Beirão m2199 Introdução Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Integer eget lacus vitae lorem varius pretium quis nec diam. Nulla

Leia mais

Web Design. Prof. Felippe

Web Design. Prof. Felippe Web Design Prof. Felippe 2015 Sobre a disciplina Fornecer ao aluno subsídios para o projeto e desenvolvimento de interfaces de sistemas Web eficientes, amigáveis e intuitivas. Conceitos fundamentais sobre

Leia mais

WEBDESIGN. Professor: Paulo Trentin paulo@paulotrentin.com.br http://www.paulotrentin.com.br Escola CDI de Videira

WEBDESIGN. Professor: Paulo Trentin paulo@paulotrentin.com.br http://www.paulotrentin.com.br Escola CDI de Videira WEBDESIGN Professor: Paulo Trentin paulo@paulotrentin.com.br http://www.paulotrentin.com.br Escola CDI de Videira 1 CDI - Curso de Webdesign - Prof. Paulo Trentin Objetivos para esta aula Debater sobre

Leia mais

d ce R E V I S T A D I G I TA L

d ce R E V I S T A D I G I TA L d ce R E V I S T A D I G I TA L Doce Revista Digital Há 25 anos no mercado, a imagem da Doce Revista é marcada pelo jornalismo ágil e independente. É a única publicação nacional voltada exclusivamente

Leia mais

R.Boquino Manual de Identidade Visual

R.Boquino Manual de Identidade Visual R.Boquino Manual de Identidade Visual Normas padrão para construção e uso correto da marca. Comunicação institucional padrão Apresentação 3 Envelope 36 18 Conceito da marca 4 Envelope 34 19 Marca 5 Envelope

Leia mais

DOCUMENTAÇÃO DO FRAMEWORK - versão 2.0

DOCUMENTAÇÃO DO FRAMEWORK - versão 2.0 DOCUMENTAÇÃO DO FRAMEWORK - versão 2.0 Índice 1 - Objetivo 2 - Descrição do ambiente 2.1. Tecnologias utilizadas 2.2. Estrutura de pastas 2.3. Bibliotecas já incluídas 3 - Características gerais 4 - Criando

Leia mais

Arquitetura de Informação - 7

Arquitetura de Informação - 7 Arquitetura de Informação - 7 Ferramentas para Web Design Prof. Ricardo Ferramentas para Web Design 1 Ícone Imagem Banner Logotipo Título 1 Título 2 Tabela Disclaimer Título 1 Título 2 Ícone Ícone Imagem

Leia mais

Desenvolvimento de Aplicações para Internet Aula 11

Desenvolvimento de Aplicações para Internet Aula 11 Desenvolvimento de Aplicações para Internet Aula 11 Celso Olivete Júnior olivete@fct.unesp.br www.fct.unesp.br/docentes/dmec/olivete jquery Na aula passada: Selecionando atributos Manipulando CSS Inserindo

Leia mais

Modelo Canônico de Relatório Técnico e/ou Científico com abntex2

Modelo Canônico de Relatório Técnico e/ou Científico com abntex2 Equipe abntex2 Modelo Canônico de Relatório Técnico e/ou Científico com abntex2 Brasil 2013, v-1.7.1 Equipe abntex2 Modelo Canônico de Relatório Técnico e/ou Científico com abntex2 Modelo canônico de

Leia mais

Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Prof. Felippe Scheidt IFPR Campus Foz do Iguaçu 2014/2

Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Prof. Felippe Scheidt IFPR Campus Foz do Iguaçu 2014/2 Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Prof. Felippe Scheidt IFPR Campus Foz do Iguaçu 2014/2 Objetivo. O objetivo da disciplina é conhecer os princípios da programação de

Leia mais

Ambiente. Clique nas imagens para download (menos os navegadores )

Ambiente. Clique nas imagens para download (menos os navegadores ) Márcio Koch 1 Ambiente 2 Clique nas imagens para download (menos os navegadores ) Bibliografia Silva, Maurício S. Ajax com jquery: Requisições AJAX com a simplicidade da jquery. São Paulo: Notatec, 2009.

Leia mais

O código JavaScript deve ser colocado entre tags de comentário para ficar escondido no caso de navegadores antigos que não reconhecem a linguagem.

O código JavaScript deve ser colocado entre tags de comentário para ficar escondido no caso de navegadores antigos que não reconhecem a linguagem. 1 - O que é JAVASCRIPT? É uma linguagem de script orientada a objetos, usada para aumentar a interatividade de páginas Web. O JavaScript foi introduzido pela Netscape em seu navegador 2.0 e posteriormente

Leia mais

Wireframes. Definição. Wireframes

Wireframes. Definição. Wireframes Wireframes Guilhermo Reis www.guilhermo.com 2 Definição Wireframes Diagrama que representa todos os elementos de uma página, definindo esses elementos, a hierarquia entre eles, agrupamentos e suas importâncias

Leia mais

Aula 03 - Projeto Java Web

Aula 03 - Projeto Java Web Aula 03 - Projeto Java Web Para criação de um projeto java web, vá em File/New. Escolha o projeto: Em seguida, na caixa Categorias selecione Java Web. Feito isso, na caixa à direita selecione Aplicação

Leia mais

jquery André Tavares da Silva andre.silva@udesc.br

jquery André Tavares da Silva andre.silva@udesc.br jquery André Tavares da Silva andre.silva@udesc.br jquery jquery é uma biblioteca em JavaScript; Seu objetivo é simplificar a programação em JavaScript; jquery foi desenvolvida para ser de aprendizado

Leia mais

DICAS DE BOOTSTRAP 3

DICAS DE BOOTSTRAP 3 WEB DEV ACADEMY DICAS DE BOOTSTRAP 3 Uma coleção de dicas rápidas para você trabalhar com o framework mais popular da Web Ruan Carvalho Bem-vindo ao Ebook de Dicas do Bootstrap! O conteúdo deste guia está

Leia mais

5 Detalhes da Implementação

5 Detalhes da Implementação Detalhes da Implementação 101 5 Detalhes da Implementação Neste capítulo descreveremos detalhes da implementação do Explorator que foi desenvolvido usando o paradigma MVC 45 e o paradigma de CoC 46 (Convention

Leia mais

MANUAL DE REGRAS BÁSICAS. CAPAS MESTRADO Instituto Politécnico de Viana do Castelo

MANUAL DE REGRAS BÁSICAS. CAPAS MESTRADO Instituto Politécnico de Viana do Castelo INSTITUTO POLITÉCNICO MANUAL DE REGRAS BÁSICAS CAPAS MESTRADO Instituto Politécnico de Viana do Castelo Capa Tese de Mestrado INSTITUTO POLITÉCNICO Dimensões da capa: A4+lombada variável+a4 Papel: Coché

Leia mais

rumo ao HTTP 2.0 o que vem por aí e o que você pode utilizar já com SPDY

rumo ao HTTP 2.0 o que vem por aí e o que você pode utilizar já com SPDY rumo ao HTTP 2.0 o que vem por aí e o que você pode utilizar já com SPDY Luiz Corte Real @srsaude Sérgio Lopes @sergio_caelum m a ç n la to n e review HTTP em 5 slides $ telnet www.caelum.com.br 80 Trying

Leia mais

Index. RGB: 44-72-114 Hex: #2C4872. RGB: 0-168-89 Hex: #00A859. RGB: 96-96-98 Hex: #606062

Index. RGB: 44-72-114 Hex: #2C4872. RGB: 0-168-89 Hex: #00A859. RGB: 96-96-98 Hex: #606062 Index RGB: 174-51-54 Hex: #Ae3336 RGB: 44-72-114 Hex: #2C4872 RGB: 0-168-89 Hex: #00A859 RGB: 168-207-69 RGB: 210-226-139 RGB: 75-75-77 Hex: #A8CF45 Hex: #D2E28B Hex: #4B4B4D RGB: 96-96-98 Hex: #606062

Leia mais

GUIA SIMPLIFICADO DA LOGOMARCA

GUIA SIMPLIFICADO DA LOGOMARCA GUIA SIMPLIFICADO DA LOGOMARCA 1 2 Introdução 04 A logomarca 05 Variantes de cor 06 Dimensões mínimas 07 Área de não-interferência 08 Usos incorretos 09 Cores institucionais 10 Tipografia Grafismo 11 12

Leia mais

PROPOSTA DE DESENVOLVIMENTO INTERNET PARA CARTÃO SUL

PROPOSTA DE DESENVOLVIMENTO INTERNET PARA CARTÃO SUL PROPOSTA DE DESENVOLVIMENTO INTERNET PARA CARTÃO SUL I. Objetivos e Descrição Redesign do website que a empresa possui, acrescentando novos recursos, informações mais detalhadas dos produtos e serviços,

Leia mais

Práticas de Desenvolvimento de Software

Práticas de Desenvolvimento de Software Aula 8. 13/04/2015. Práticas de Desenvolvimento de Software Aula 8 - Arquitetura e infraestrutura de aplicações Web. Oferecimento Modelo cliente-servidor (1) Cliente Rede scheme://domain:port/path?query_string#fragment_id

Leia mais

Normas para envio de artigos:

Normas para envio de artigos: NORMAS PARA ENVIO DE ARTIGOS Formatação da página: recuo superior e da lateral esquerda de 3 cm. Recuo inferior e da lateral direita de 2,5 cm, conforme a formatação deste documento. Título: fonte Arial,

Leia mais

AJAX é baseado nos seguintes padrões WEB: JavaScript, XML, HTML, CSS.

AJAX é baseado nos seguintes padrões WEB: JavaScript, XML, HTML, CSS. AJAX AJAX é acrônimo de Asynchronous JavaScript And XML. É um tipo de programação que se tornou popular in 2005 pela Google (com Google Suggest). AJAX não é uma nova linguagem de programação, mas uma nova

Leia mais

PROGRAMAÇÃO PARA INTERNET RICA FUNDAMENTOS DO JQUERY

PROGRAMAÇÃO PARA INTERNET RICA FUNDAMENTOS DO JQUERY PROGRAMAÇÃO PARA INTERNET RICA FUNDAMENTOS DO JQUERY Prof. Dr. Daniel Caetano 2012-1 Objetivos Introduzir o framework JQuery Capacitar para a construção de documentos JQuery simples Compreender os mecanismos

Leia mais

MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL ECOBRAZ

MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL ECOBRAZ Sumário Sumário 1. Apresentação 2. O logo e seus elementos...... 3. Variações Cromáticas 4. Reduções e Reservas 5. Aplicação em fundo de cor 6. Tipografias de apoio 7. Usos indevidos..................

Leia mais

Programação Web Prof. Wladimir

Programação Web Prof. Wladimir Programação Web Prof. Wladimir Linguagem de Script e PHP @wre2008 1 Sumário Introdução; PHP: Introdução. Enviando dados para o servidor HTTP; PHP: Instalação; Formato básico de um programa PHP; Manipulação

Leia mais

Manual de Integração Via Gadget. Passo a passo para realizar a integração entre websites e a plataforma Virtual Target.

Manual de Integração Via Gadget. Passo a passo para realizar a integração entre websites e a plataforma Virtual Target. Manual de Integração Via Gadget Passo a passo para realizar a integração entre websites e a plataforma Virtual Target. Manual de Integração Via Gadget 1. Introdução 1.1. O que é? Virtual Target Gadgets

Leia mais

AJAX no GASweb. Mas e afinal, para que usamos o AJAX?

AJAX no GASweb. Mas e afinal, para que usamos o AJAX? Nível - Avançado AJAX no GASweb Por: Pablo Hadler AJAX (Asynchronous Javascript and XML) foi criado com o princípio de ser uma maneira rápida e otimizada de podermos fazer requisições Web, sendo esta totalmente

Leia mais

WWW - World Wide Web

WWW - World Wide Web WWW World Wide Web WWW Cap. 9.1 WWW - World Wide Web Idéia básica do WWW: Estratégia de acesso a uma teia (WEB) de documentos referenciados (linked) em computadores na Internet (ou Rede TCP/IP privada)

Leia mais

Olá! Vamos conhecer todas as aplicações e usos da sua Marca e de todos os elementos que formam sua identidade?

Olá! Vamos conhecer todas as aplicações e usos da sua Marca e de todos os elementos que formam sua identidade? Olá! Vamos conhecer todas as aplicações e usos da sua Marca e de todos os elementos que formam sua identidade? Índice O que é a Marca? Conceito 4 Personalidade da Marca 5 Como ela é? Marca Principal Versão

Leia mais

Desenvolvedor Web Docente André Luiz Silva de Moraes

Desenvolvedor Web Docente André Luiz Silva de Moraes Roteiro 2: Introdução a Linguagem HTML Neste roteiro é explorada a linguagem HTML. A linguagem HTML (Hypertext Markup Language) é amplamente utilizada na construção de páginas de internet e é responsável

Leia mais

WEBDESIGN. Professor: Paulo Marcos Trentin - paulo@paulotrentin.com.br http://www.paulotrentin.com.br Escola CDI de Videira

WEBDESIGN. Professor: Paulo Marcos Trentin - paulo@paulotrentin.com.br http://www.paulotrentin.com.br Escola CDI de Videira WEBDESIGN Professor: Paulo Marcos Trentin - paulo@paulotrentin.com.br http://www.paulotrentin.com.br Escola CDI de Videira Formulários e JavaScript Como visto anteriormente, JavaScript pode ser usada para

Leia mais

EMBRACE THE FUTURE SERVIÇO PÓS-VENDA ONDE ESTAMOS NEGÓCIO ÁREAS DE EDIFÍCIO PLATINUM MOÇAMBIQUE

EMBRACE THE FUTURE SERVIÇO PÓS-VENDA ONDE ESTAMOS NEGÓCIO ÁREAS DE EDIFÍCIO PLATINUM MOÇAMBIQUE MENU EMBRACE THE FUTURE ÁREAS DE NEGÓCIO SERVIÇO PÓS-VENDA ONDE ESTAMOS EM DESTAQUE PORTUGAL MARROCOS ARGÉLIA EDIFÍCIO PLATINUM GANA ANGOLA ARGENTINA O Grupo Ramos Ferreira vai ser responsável, em parceria

Leia mais

SOCALOR saunas Manual de Identidade Visual

SOCALOR saunas Manual de Identidade Visual Manual de Identidade Visual Normas padrão para construção e uso correto da marca. Comunicação institucional padrão Apresentação 3 Envelope 36 18 Conceito da marca 4 Envelope 34 19 Marca 5 Envelope 32 20

Leia mais

Pacote de desenvolvimento ASP.NET MVC

Pacote de desenvolvimento ASP.NET MVC Pacote de desenvolvimento ASP.NET MVC Guilherme Cardozo Pinto cardozogp@gmail.com Ijacson Nogueira Dionizio ijacson_dionizio@hotmail.com Leandro Duarte Valente Nunes son.leandro@yahoo.com.br RESUMO Com

Leia mais

Desenvolvimento de Sites com PHP e Mysql Docente André Luiz Silva de Moraes

Desenvolvimento de Sites com PHP e Mysql Docente André Luiz Silva de Moraes Roteiro 2: Introdução a Linguagem HTML Desenvolvimento de Sites com PHP e Mysql Neste roteiro é explorada a linguagem HTML. A linguagem HTML (Hypertext Markup Language) é amplamente utilizada na construção

Leia mais

mkdir /srv/www/default/html/calculadora/imagens mkdir /srv/www/default/html/calculadora/blocos

mkdir /srv/www/default/html/calculadora/imagens mkdir /srv/www/default/html/calculadora/blocos Programando em PHP www.guilhermepontes.eti.br lgapontes@gmail.com Criando uma Calculadora Primeiramente deve se criar uma estrutura para armazenar os arquivos necessários para o funcionamento da calculadora.

Leia mais

@sergio_caelum sergiolopes.org

@sergio_caelum sergiolopes.org HTTP/2 @sergio_caelum sergiolopes.org review HTTP em 5 slides $ telnet www.caelum.com.br 80 Trying 64.233.171.121... Connected to ghs.googlehosted.com. Escape character is '^]'. GET / HTTP/1.1 Host: www.caelum.com.br

Leia mais

Produto: Webscan Relatório II Programas desenvolvidos, testados e documentados

Produto: Webscan Relatório II Programas desenvolvidos, testados e documentados Produto: Webscan Relatório II Programas desenvolvidos, testados e documentados Sérgio Oliveira Campos Contrato N : 2008/000514 Sumário 1 Introdução 1 2 Bibliotecas Utilizadas 2 2.1 Reconhecimento de Texto

Leia mais

Acessando um Banco de Dados

Acessando um Banco de Dados Acessando um Banco de Dados Introdução Agora que você já está craque em JSP e já instalou seu servidor, vamos direto para a parte prática! Neste tutorial vamos aprender a acessar um banco de dados. Para

Leia mais

HTML / JAVASCRIPT. A versão atual é o HTML5 (seus predecessores imediatos são HTML 4.01, XHTML 1.1, etc.).

HTML / JAVASCRIPT. A versão atual é o HTML5 (seus predecessores imediatos são HTML 4.01, XHTML 1.1, etc.). HTML / JAVASCRIPT Estamos iniciando o estudo do HTML através das TAGS (comandos) para construir formulários. Isso facilitará a continuidade dos nossos estudos da linguagem de programação JavaScript, a

Leia mais

Use a Cabeça! FREEMAN, Eric e Elisabeth. HTML com CSS e XHTML BASHMAN, Brian / SIERRA Kathy / BATES, Bert. Servlets & JSP

Use a Cabeça! FREEMAN, Eric e Elisabeth. HTML com CSS e XHTML BASHMAN, Brian / SIERRA Kathy / BATES, Bert. Servlets & JSP Use a Cabeça! FREEMAN, Eric e Elisabeth. HTML com CSS e XHTML BASHMAN, Brian / SIERRA Kathy / BATES, Bert. Servlets & JSP Software cliente: browser e outros Protocolo HTTP Infraestrutura de transporte

Leia mais

advisor senior seu sucesso nosso compromisso senior advisor

advisor senior seu sucesso nosso compromisso senior advisor senior advisor COACHING FINANCEIRO BRANDING SERVIÇOS CONTÁBEIS COACHING FINANCEIRO SERVIÇOS CONTÁBEIS BRANDING A Senior Advisor é uma consultoria multidisciplinar, que tem como foco principal, auxiliar

Leia mais

ANEXO 11. Framework é um conjunto de classes que colaboram para realizar uma responsabilidade para um domínio de um subsistema da aplicação.

ANEXO 11. Framework é um conjunto de classes que colaboram para realizar uma responsabilidade para um domínio de um subsistema da aplicação. ANEXO 11 O MATRIZ Para o desenvolvimento de sites, objeto deste edital, a empresa contratada obrigatoriamente utilizará o framework MATRIZ desenvolvido pela PROCERGS e disponibilizado no início do trabalho.

Leia mais

Programação web Prof. Wladimir

Programação web Prof. Wladimir Programação web Prof. Wladimir Linguagem PHP Cookie e Sessão @wre2008 1 Sumário Header; Cookie; Sessão; Exemplos. @wre2008 2 Header Esta função permite que um script php redirecione para outra página.

Leia mais

Sistemas para internet e software livre

Sistemas para internet e software livre Sistemas para internet e software livre Metodologia de modelagem de aplicações WEB Image: FreeDigitalPhotos.net Domínio: Elementos de aplicação WEB Páginas Web Scripts Formulários Applets e ActiveX Motivação

Leia mais

PROGRAMAÇÃO PARA INTERNET. Fonte: Raul Paradeda

PROGRAMAÇÃO PARA INTERNET. Fonte: Raul Paradeda PROGRAMAÇÃO PARA INTERNET Introdução à AJAX Fonte: Raul Paradeda INTRODUÇÃO Para entender o que é o AJAX é necessário ter o prévio conhecimento de: HTML / XHTML; Javascript; CSS; XML. INTRODUÇÃO Ao pesquisar

Leia mais

JSF e PrimeFaces. Professor: Ricardo Luis dos Santos IFSUL Campus Sapucaia do Sul

JSF e PrimeFaces. Professor: Ricardo Luis dos Santos IFSUL Campus Sapucaia do Sul JSF e PrimeFaces Professor: Ricardo Luis dos Santos IFSUL 2015 Agenda Introdução Desenvolvimento Web Java Server Faces Exercício 2 Introdução Ao longo dos anos diversas linguagens de programação foram

Leia mais

O atacante pode roubar a sessão de um usuário legítimo do sistema, que esteja previamente autenticado e realizar operações que o mesmo poderia.

O atacante pode roubar a sessão de um usuário legítimo do sistema, que esteja previamente autenticado e realizar operações que o mesmo poderia. Explorando e tratando a falha de Cross-site-scripting (XSS) 1 D E D E Z E M B R O D E 2 0 1 5 Muito pouco falada e com alto nível crítico dentro das vulnerabilidades relatadas, o Cross-site-scripting (XSS)

Leia mais

Conceitos de extensões Joomla!

Conceitos de extensões Joomla! capítulo 1 Conceitos de extensões Joomla! Entendendo o que é extensão Extensão pode ser entendida como uma pequena aplicação desenvolvida com regras de construção estabelecidas pelo ambiente Joomla!. É

Leia mais

Introdução à Tecnologia Web 2010 HTML HyperText Markup Language XHTML extensible HyperText Markup Language Elementos da Seção do Cabeçalho

Introdução à Tecnologia Web 2010 HTML HyperText Markup Language XHTML extensible HyperText Markup Language Elementos da Seção do Cabeçalho IntroduçãoàTecnologiaWeb2010 HTML HyperTextMarkupLanguage XHTML extensiblehypertextmarkuplanguage ElementosdaSeçãodoCabeçalho ProfªMSc.ElizabeteMunzlinger www.elizabete.com.br ProfªMSc.ElizabeteMunzlinger

Leia mais

espaço publicitário SEJA FELIZ o poder da alegria dentário? pág.9 tratá-la? pág.9 saúde? pág.9 TEM IDADE CERTA para uso do aparelho

espaço publicitário SEJA FELIZ o poder da alegria dentário? pág.9 tratá-la? pág.9 saúde? pág.9 TEM IDADE CERTA para uso do aparelho edição 01 ano 01 Fevereiro de 2015 Publicação bimestral com distribuição gratuita no Circuito das Águas Paulista www.circuitosaude.com.br SEJA FELIZ o poder da alegria pág.7 TEM IDADE CERTA para uso do

Leia mais

Ajax Asynchronous JavaScript and Xml

Ajax Asynchronous JavaScript and Xml Ajax Asynchronous JavaScript and Xml Ajax permite construir aplicações Web mais interactivas, responsivas, e fáceis de usar que aplicações Web tradicionais. Numa aplicação Web tradicional quando se prime

Leia mais

Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Mato Grosso do Sul. Manual de Marca NORMAS GRÁFICAS E APLICAÇÕES

Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Mato Grosso do Sul. Manual de Marca NORMAS GRÁFICAS E APLICAÇÕES Manual de Marca NORMAS GRÁFICAS E APLICAÇÕES Federação do Comércio de Bens e de Serviços do Estado do Mato Grosso do Sul aguardamos envio de uma imagem de mato grosso do sul Manual de Marca NORMAS GRÁFICAS

Leia mais

HAT Programação Auditoria Pós. 12.1.x. abril de 2015. Versão: 2.0

HAT Programação Auditoria Pós. 12.1.x. abril de 2015. Versão: 2.0 HAT Programação Auditoria Pós 12.1.x abril de 2015 Versão: 2.0 1 Sumário 1 Introdução... 3 2 Visão do Processo... 3 3 Serviço... 5 4 Dataset... 7 5 Formulário Principal AuditoriaPos... 9 6 Arquitetura

Leia mais

O que é Ajax? Asynchronous JavaScript and XML (JavaScript Assíncrono e XML)

O que é Ajax? Asynchronous JavaScript and XML (JavaScript Assíncrono e XML) Ajax O que é Ajax? Asynchronous JavaScript and XML (JavaScript Assíncrono e XML) É uma técnica para criar páginas web fáceis e dinâmicas; Permite que páginas web sejam atualizadas de forma assíncrona através

Leia mais

Desenvolvendo Websites com PHP

Desenvolvendo Websites com PHP Desenvolvendo Websites com PHP Aprenda a criar Websites dinâmicos e interativos com PHP e bancos de dados Juliano Niederauer 19 Capítulo 1 O que é o PHP? O PHP é uma das linguagens mais utilizadas na Web.

Leia mais

wireframe homepage Onde buscar ajuda para animais carentes onde denunciar maus tratos Feiras de doação por todo o Brasil Apadrinhe um cão

wireframe homepage Onde buscar ajuda para animais carentes onde denunciar maus tratos Feiras de doação por todo o Brasil Apadrinhe um cão wireframe homepage tipo Quem somos Doações em dinheiro Onde r ajuda para animais carentes equipe Doações em mantimentos onde denunciar maus tratos banner 720 álbum x 160 de fotos Doaçòes medicinais Feiras

Leia mais

Instalação do Sistema de Atendimento ao Cidadão - SAC

Instalação do Sistema de Atendimento ao Cidadão - SAC Instalação do Sistema de Atendimento ao Cidadão - SAC É necessário 1. Ter um servidor web configurado para php 2. Banco de Dados PostgreSql 3. Conexão com a internet 4. Navegador com suporte a HTML 5 Como

Leia mais

Ferramenta: Spider-CL. Manual do Usuário. Versão da Ferramenta: 1.1. www.ufpa.br/spider

Ferramenta: Spider-CL. Manual do Usuário. Versão da Ferramenta: 1.1. www.ufpa.br/spider Ferramenta: Spider-CL Manual do Usuário Versão da Ferramenta: 1.1 www.ufpa.br/spider Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 14/07/2009 1.0 15/07/2009 1.1 16/07/2009 1.2 20/05/2010 1.3 Preenchimento

Leia mais

0,5 pelo negrito das palavras ID, Nome, E-mail e Analisar em outro momento.

0,5 pelo negrito das palavras ID, Nome, E-mail e Analisar em outro momento. IFES - Campus Cachoeiro de Itapemirim-ES Curso Técnico em Informática Disciplina: Programação Web Professor: Flávio Izo e Rafael Vargas Data: 07/04/2015 Aluno: GABARITO Valor: 12,5 Conteúdo: HTML + Formulários

Leia mais

Universidade Federal do Espírito Santo CCA UFES. Centro de Ciências Agrárias CCA UFES Departamento de Computação. Ajax

Universidade Federal do Espírito Santo CCA UFES. Centro de Ciências Agrárias CCA UFES Departamento de Computação. Ajax Universidade Federal do Espírito Santo Centro de Ciências Agrárias CCA UFES Departamento de Computação Universidade Federal do Espírito Santo CCA UFES Ajax Desenvolvimento de Sistemas para WEB Site: http://jeiks.net

Leia mais

Material de apoio a aulas de Desenvolvimento Web. Tutorial Java WEB JSP & HTML & CSS & CLASSE & OBJETOS. AAS - www.aas.pro.

Material de apoio a aulas de Desenvolvimento Web. Tutorial Java WEB JSP & HTML & CSS & CLASSE & OBJETOS. AAS - www.aas.pro. Material de apoio a aulas de Desenvolvimento Web Tutorial Java WEB JSP & HTML & CSS & CLASSE & OBJETOS AAS - www.aas.pro.net Março-2012 Este pequeno tutorial tem como objetivo conduzir o programador passo-a-passo

Leia mais

Universidade Federal do Espírito Santo CCA UFES. Centro de Ciências Agrárias CCA UFES Departamento de Computação. JavaScript

Universidade Federal do Espírito Santo CCA UFES. Centro de Ciências Agrárias CCA UFES Departamento de Computação. JavaScript Universidade Federal do Espírito Santo Centro de Ciências Agrárias CCA UFES Departamento de Computação Universidade Federal do Espírito Santo CCA UFES JavaScript Desenvolvimento de Sistemas para WEB Site:

Leia mais

Wireframes. 2006 Guilhermo Reis www.guilhermo.com

Wireframes. 2006 Guilhermo Reis www.guilhermo.com Wireframes 2006 Guilhermo Reis www.guilhermo.com 2 Definição Wireframes Diagrama que representa todos os elementos de uma página, definindo esses elementos, a hierarquia entre eles, agrupamentos e suas

Leia mais

Boas Práticas de Desenvolvimento Seguro

Boas Práticas de Desenvolvimento Seguro Boas Práticas de Desenvolvimento Seguro Julho / 2.012 Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 29/07/2012 1.0 Versão inicial Ricardo Kiyoshi Página 2 de 11 Conteúdo 1. SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

Leia mais

Utilizando Janelas e Frames

Utilizando Janelas e Frames Utilizando Janelas e Frames Aprenderemos agora algumas técnicas mais específicas para fazer o JavaScript trabalhar com várias partes das páginas e navegadores da Web. Controlando janelas com objetos Já

Leia mais

Conteúdo Dinâmico. Introdução. Interação Browser x Servidor Web. Interação Browser x Servidor Web

Conteúdo Dinâmico. Introdução. Interação Browser x Servidor Web. Interação Browser x Servidor Web Introdução Formulários rios & Conteúdo Dinâmico Mário Antonio Meireles Teixeira Dept o. de Informática - UFMA A Web surgiu inicialmente como uma nova forma de comunicação de informações, fazendo uso de

Leia mais

Introdução ao HTML 5 e Implementação de Documentos

Introdução ao HTML 5 e Implementação de Documentos Linguagem de Programação para Web Introdução ao HTML 5 e Implementação de Documentos Prof. Mauro Lopes 1-31 20 Objetivo Iremos aqui apresentar a estrutura básica de um documento HTML e iremos também apresentar

Leia mais

Finalizando o Pedido (Tarefa G) Prof. Fellipe Aleixo (fellipe.aleixo@ifrn.edu.br)

Finalizando o Pedido (Tarefa G) Prof. Fellipe Aleixo (fellipe.aleixo@ifrn.edu.br) Finalizando o Pedido (Tarefa G) Prof. Fellipe Aleixo (fellipe.aleixo@ifrn.edu.br) Feedback do Cliente Com os itens no carrinho é hora de permitir a finalização da venda Operação conhecida como "Check Out"

Leia mais

1- ASP.NET - HTML Server Controls

1- ASP.NET - HTML Server Controls 1- ASP.NET - HTML Server Controls Os controles de servidor - Server Controls - HTML são tags HTML padrão, com exceção de possuirem o atributo : runat="server". Vejamos um código que ilustra isto: O atributo

Leia mais

Informática I. Aula 6. http://www.ic.uff.br/~bianca/informatica1/ Aula 6-12/09/2007 1

Informática I. Aula 6. http://www.ic.uff.br/~bianca/informatica1/ Aula 6-12/09/2007 1 Informática I Aula 6 http://www.ic.uff.br/~bianca/informatica1/ Aula 6-12/09/2007 1 Ementa Noções Básicas de Computação (Hardware, Software e Internet) HTML e Páginas Web Internet e a Web Javascript e

Leia mais

Construindo portais com Plone. Módulo 3 Templates

Construindo portais com Plone. Módulo 3 Templates Construindo portais com Plone Módulo 3 Templates Templates l Quando o Plone vai mostrar uma página, duas perguntas precisam ser respondidas: Ø O que será mostrado? Isto é, quais conteúdos serão buscados

Leia mais

jquery Apostila Básica

jquery Apostila Básica jquery Apostila Básica INTRODUÇÃO 3 CAPÍTULO 1 POR ONDE INICIAR 3 CAPÍTULO 2 MEU PRIMEIRO SCRIPT! 4 EXERCÍCIOS...5 CAPÍTULO 3 ADICIONANDO CSS 6 EXERCÍCIOS...7 CAPÍTULO 4 MODIFICANDO APENAS PARTE DO DOCUMENTO

Leia mais

Exibindo o Catálogo (Tarefa C) Prof. Fellipe Aleixo (fellipe.aleixo@ifrn.edu.br)

Exibindo o Catálogo (Tarefa C) Prof. Fellipe Aleixo (fellipe.aleixo@ifrn.edu.br) Exibindo o Catálogo (Tarefa C) Prof. Fellipe Aleixo (fellipe.aleixo@ifrn.edu.br) Iteração C1: CRIANDO A LISTAGEM DO CATÁLOGO Feedback do Cliente O cliente foi queseonado sobre prioridades Gostaria de ver

Leia mais

Potenciais de Aplicação da Metodologia AJAX

Potenciais de Aplicação da Metodologia AJAX SEGeT Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia 1 Potenciais de Aplicação da Metodologia AJAX Bruno Simões Kleverson Pereira Marcos Santos Eduardo Barrere Associação Educacional Dom Bosco - AEDB RESUMO

Leia mais

LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO WEB

LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO WEB LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO WEB GABRIELA TREVISAN Formulários e Aula 3 Relembrando HTML 5 Tag Form o Utilizada para marcar a região do formulário. o Os atributos mais importantes são o method e o action.

Leia mais

Controle de acesso. http://www.larback.com.br. .com.br

Controle de acesso. http://www.larback.com.br. .com.br http://www.larback Controle de acesso Construiremos um sistema simples para cadastro de links. O sistema terá uma página pública (onde serão exibidos os links) e uma área administrativa, onde os usuários

Leia mais

Desenvolvimento de Aplicações para Internet

Desenvolvimento de Aplicações para Internet Desenvolvimento de Aplicações para Internet Aula 03 Celso Olivete Júnior olivete@fct.unesp.br Na aula de hoje... Javascript: introdução, operadores lógicos e matemáticos, comandos condicionais. Javascript:

Leia mais

Ajax Asynchronous JavaScript and Xml

Ajax Asynchronous JavaScript and Xml Ajax Asynchronous JavaScript and Xml Ajax permite construir aplicações Web mais interativas, responsivas, e fáceis de usar que aplicações Web tradicionais. Numa aplicação Web tradicional quando se prime

Leia mais

Vamos iniciar a nossa exploração do HTTP baixando um arquivo em HTML simples - bastante pequeno, que não contém objetos incluídos.

Vamos iniciar a nossa exploração do HTTP baixando um arquivo em HTML simples - bastante pequeno, que não contém objetos incluídos. Wireshark Lab: HTTP Versão 1.1 2005 KUROSE, J.F & ROSS, K. W. Todos os direitos reservados 2008 BATISTA, O. M. N. Tradução e adaptação para Wireshark. Tendo molhado os nossos pés com o Wireshark no laboratório

Leia mais