Gerenciando a Cadeia de Suprimentos (Managing the Supply Chain) A Experiência Cargill ( Cargill s Experience)

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Gerenciando a Cadeia de Suprimentos (Managing the Supply Chain) A Experiência Cargill ( Cargill s Experience)"

Transcrição

1 Gerenciando a Cadeia de Suprimentos (Managing the Supply Chain) A Experiência Cargill ( Cargill s Experience) 1 Jose de Ribamar, Ger Qualidade e Food Safety Cargill Amidos e Adoçantes América do Sul

2 Agenda A Cargill no Mundo (Cargill in the World) Gerenciando a Cadeia de Suprimentos (Managing the Supply Chain) Benefícios e aprendizados (Benefits and Learning) 2

3 Mr W. W.Cargill Multinacional Americana (1865) / American Multinational Company (1865) Aprox funcionários / employees Presente em 65 países / present in 65 countries ~ 900 fábricas / ~ 900 plants + US$ 134 bilhões de receita bruta / US$ 134 billions in revenues

4

5 PROCESSO DE GESTAO DE FORNECEDORES E CO FABRICANTES SUPPLIER AND EXTERNAL MANUFACTURER MANAGEMENT PROCESS Risk Assessment Avaliação de Risco Data Visibility Food Safety Assessment Este processo reduz os riscos de Qualidade e Food Safety mantendo pessoas e animais seguros Competency Development Relationship Management 5 Accountability & Collaboration 2011 Cargill, Incorporated. All Rights Reserved.

6 Avaliação de Risco / Risk Assessment Weighting Score Percent Category Score Management Culture 50 25% 12.5 HACCP 36 20% 7.3 PRPs 31 20% 6.2 Audit 50 20% 10.0 Complete & Accurate Checklist 0 5% 0.0 Supply Chain 44 10% 4.4 Total Score > 100% 40.4 Must add to 100% Max Score RISCO INERENTE AO MATERIAL (Material Inherent Risk) - Weighting Score Percent Category Score Management Culture 50 25% 12.5 HACCP 36 20% 7.3 PRPs 31 20% 6.2 Audit 50 20% 10.0 Complete & Accurate Checklist 0 5% 0.0 Supply Chain 44 10% 4.4 Total Score > 100% 40.4 Must add to 100% Max Score ETAPAS PARA MITIGAR O RISCO (CARGILL) (Mitigation Steeps) + USO PRETENDIDO DO MATERIAL (Intended Use) = RISCO GERAL DO MATERIAL (Overall Material Risk) QUESTIONÁRIO FORNECEDOR E CO FABRICANTE ( Questionnaires) + DOCUMENTOS E CHECKLIST FORNECEDOR E CO FABRICANTE (Documents & Checklists) = RISCO GERAL DO FORNECEDOR E CO FABRICANTE (Overall Supplier Risk)

7 Avaliação de Risco / Risk Assessment RISCO GERAL DO MATERIAL ( Overall Material Risk ) Baseado em / Based on: - Risco / Risk - Probabilidade / Likelihood - Severidade / Severity - Mitigação / Mitigation - Uso Pretendido / Intended use ALTO (High) M A T E R I A L Medium Priority Riscos Combinados / Combined Risks: Perfil de risco documentado ( documented risk profile ) Priorizar recursos e ações ( prioritizes resources and actions ) Define a profundidade das ações e avaliações ( Defines appropriate actions and assessments) 7 BAIXO (Low) R I S K Low High SUPPLIER RISK BAIXO (Low) RISCO GERAL DO FORNECEDOR ( Overall Supplier Risk ) Baseado em / Based on: - Questionários / Questionnaires - Documentos / Documents - Checklists / Checklists ALTO (High)

8 Avaliação de Food Safety (Food Safety Assessment) Risco Prioritário (Priority Risk) Auditoria Food Safety Cargill (Cargill Food Safety Audit) Risco Alto (High Risk) Certificação de Food Safety GFSI para Ingredientes (Ingredients GFSI Approved Scheme Certification) Auditoria de Food safety GFSI ou de 3 a parte (GFSI or 3 rd Party Food Safety Audit) OU Auditoria Food Safety Cargill (OR Cargill Food Safety Audit ) Risco Médio (Medium Risk) Auditoria de Food safety GFSI ou de 3 a parte (GFSI or 3 rd Party Food Safety Audit) OU Auditoria Food Safety Cargill (OR Cargill Food Safety Audit ) Risco Baixo (Low Risk) Auditoria apropriada de 3 a parte (Appropriate 3 rd party audit) 8

9 Avaliação de Food Safety (Food Safety Assessment) Aprovado (Approved) Aprov. c/ restrição (Approved with Restriction) Não Aprovado (Not Approved) Desqualificado (Disqualified) Fornecedor passa para estágio de Gestão de Relacionamento Nenhuma Não Conformidade Maior é identificada Os desvios encontrados sao Menores e tratados com ações corretivas Relationship Management No Major nonconformities Minor deviations treated by corrective actions 9 Cargill toma ações adicionais para o recebimento e uso do material, até que todos os desvios Menores tenham sido eliminados Nenhuma Nao Conformidade Maior é identificada Desvios Menores são tratados por plano formal de Ação Corretiva e follow up Cargill takes additional actions for using the material No Major non conformities Minor deviations treated by formal corrective action plan Sistema gestão Food Safety com desvios significativos e necessita correção Material não será utilizado até correção realizada e verificada pela Cargill Pode ocorrer uma ou mais Não Conformidades Maiores e estas tem que ser eliminadas previamente à nova avaliação Cargill Food Safety Management System with significant deviations No material use One or more Major nonconformities (must be closed before new assessment) Cargill nao utilizará o material Ocorrência de uma ou mais Não Conformidades Maiores O Fornecedor / Co Fabricante nao demonstra interesse na correção das Não Conformidades ou indica que não realizará as correções necessárias No material use One or more Major nonconformities Supplier / External Manufacturer indicates no efforts for solving identified gaps

10 Gestão do Relacionamento (Relationship Management) Monitorar, avaliar, comunicar e gerenciar relacionamento com o Fornecedor ( Monitor, Assess, Communicate and Manage Relationship with Supplier) Assegurar que Fornecedor produza consistentemente materiais seguros ( Ensure Suppliers are consistently producing safe materials) Garantir a melhoria contínua ( guarantee continuous improvement) 10

11 PROCESSO DE GESTAO DE FORNECEDORES E CO FABRICANTES SUPPLIER AND EXTERNAL MANUFACTURER MANAGEMENT PROCESS Risk Assessment Avaliação de Risco Data Visibility Food Safety Assessment Este processo reduz os riscos de Qualidade e Food Safety mantendo pessoas e animais seguros Competency Development Relationship Management 11 Accountability & Collaboration 2011 Cargill, Incorporated. All Rights Reserved.

12 Valores para a Cargill (Values for Cargill) Reduz e previne riscos de Food Safety, protege Consumidores e a marca Cargill ( Reduce and prevent Food Safety risks, protect Consumers and Cargill s brand) Procedimento único Cargill e alinhado com clientes globais (Cargill unique procedure and aligned with global customers) Aumenta relacionamento com Fornecedores ( Increase relationship with suppliers) Processo mais eficaz em custo - sinergia ( More effective process in cost - synergy) 12

13 Desafios para a Cargill (Cargill Challenges) Manter alinhamento Global ( treinamento e modo único de operação) ( Keep global alignment training and unique operational mode) Conscientizar fornecedores para parceria e benefícios ( make Suppliers aware of partnership and benefits) Comunicação interna e melhoria contínua ( Internal communication and continuous improvement) 13

14 Valores para os Clientes (Values for Customers) Reduz e previne riscos de Food Safety na cadeia de suprimentos ( Reduce and prevent Food Safety risks in supply chain) Protege a reputação e a marca do Cliente ( Protect Customer reputation and brand ) Processo global Cargill e alinhado com Clientes globais ( Cargill global process and aligned to global Customers ) Processo alinhado com certificações globais de Food Safety ( Process aligned to global Food Safety System Certifications ) 14

15 Alimento seguro, a toda hora, em todo lugar. Este é o nosso objetivo, esta é a minha responsabilidade! Safe food, every time, everywhere. That is our goal, that is my role! Obrigado! Thank you! Jose de Ribamar, Ger Qualidade e Food Safety Cargill Amidos e Adoçantes América do Sul

The Challenges of Global Food Supply Chains Os Desafios da Cadeia Global de Alimentos. David Acheson, MD Leavitt Partners LLC

The Challenges of Global Food Supply Chains Os Desafios da Cadeia Global de Alimentos. David Acheson, MD Leavitt Partners LLC The Challenges of Global Food Supply Chains Os Desafios da Cadeia Global de Alimentos David Acheson, MD Leavitt Partners LLC Outline Esboço Factors Driving Changes Fatores que impulsionam as mudanças Challenges

Leia mais

ISO 9001:2015 e ISO 14001:2015 versão DIS Principais alterações

ISO 9001:2015 e ISO 14001:2015 versão DIS Principais alterações ISO 9001:2015 e ISO 14001:2015 versão DIS Principais alterações Raquel Silva 02 Outubro 2014 ISO 9001:2015 e ISO 14001:2015 ISO 9001:2015 e ISO 14001:2015 PUBLICAÇÃO DIS: - Draft International Standard

Leia mais

SPICE e ISO 15504. Jorge H C Fernandes 2004

SPICE e ISO 15504. Jorge H C Fernandes 2004 SPICE e ISO 15504 Jorge H C Fernandes 2004 SPICE: Um Framework para a Avaliação Integrada de Processos de Software [SPICE 1] Process Identifies changes to Is examined by Process Assessment Identifies capability

Leia mais

Segurança dos alimentos Industria de lácteos frescos

Segurança dos alimentos Industria de lácteos frescos Segurança dos alimentos Industria de lácteos frescos Zero moment of truth Momento zero da verdade. ÁREAS DE NEGÓCIOS Lácteos frescos Nutrição Infantil Águas Nutrição Médica DANONE MUNDO Presente em

Leia mais

Avenida Presidente Wilson, 231 11 andar 20030-905 Rio de Janeiro- RJ ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO OPERACIONAL

Avenida Presidente Wilson, 231 11 andar 20030-905 Rio de Janeiro- RJ ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO OPERACIONAL ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO OPERACIONAL MARÇO, 2015 ÍNDICE OBJETIVO 3 ESCOPO 3 DEFINIÇÕES Risco Inerente 4 DEFINIÇÕES Risco Operacional 4 DEFINIÇÕES Evento de Risco Operacional 4 FUNÇÕES E RESPONSABILIDADES

Leia mais

OHSAS-18001:2007 Tradução livre

OHSAS-18001:2007 Tradução livre SISTEMAS DE GESTÃO DE SAÚDE E SEGURANÇA OCUPACIONAL - REQUISITOS (OCCUPATIONAL HEALTH AND SAFETY MANAGEMENT SYSTEMS - REQUIREMENTS) OHSAS 18001:2007 Diretrizes para o uso desta tradução Este documento

Leia mais

Riscos e Vantagens na Gestão Global da Cadeia de Suprimentos

Riscos e Vantagens na Gestão Global da Cadeia de Suprimentos Riscos e Vantagens na Gestão Global da Cadeia de Suprimentos Risks and Advantages of Global Supply Chain Management Luiz Evangelista Gerente de Gestão de Ativos Asset Management Manager CHEP do Brasil

Leia mais

Seminário Anexo 19 Gestão de Segurança Operacional

Seminário Anexo 19 Gestão de Segurança Operacional Seminário Anexo 19 Gestão de Segurança Operacional SMS - Desafios de Implementação 2014/01/30 Conteúdos Origens Enquadramento Regulamentar Safety Culture Identificação de perigos Matriz de Risco Safety

Leia mais

Transformação dos negócios de distribuição e os desafios do setor

Transformação dos negócios de distribuição e os desafios do setor Transformação dos negócios de distribuição e os desafios do setor Geraldo Guimarães Jr Diretor para Indústria de Utilities SAP para Utilities Liderança Global no Setor Maior Provedor de Soluções e Aplicações

Leia mais

Maria Segurado Fátima, 25 de Fevereiro de 2008

Maria Segurado Fátima, 25 de Fevereiro de 2008 Alterações da norma OHSAS 18001:2007 Ricardo Teixeira Gestor de Cliente Coordenador Revisão da norma Objectivos da revisão danorma: Esclarecimento da 1.ª edição; Alinhamento com a ISO 14001; Melhoria da

Leia mais

APRESENTAÇÃO APCER. Referenciais aplicáveis a auditorias na área da segurança Alimentar

APRESENTAÇÃO APCER. Referenciais aplicáveis a auditorias na área da segurança Alimentar APRESENTAÇÃO APCER Referenciais aplicáveis a auditorias na área da segurança Alimentar Agenda Quemsomos:aAPCERearedeAgroAlimentarISACert Certificação Agro alimentar: principais referenciais, objetivos,

Leia mais

Gestão de Fornecedores no Grupo EDP E D P V a l o r U n i d a d e d e P r o c u r e m e n t G l o b a l. Lisboa, 21 de Junho de 2016

Gestão de Fornecedores no Grupo EDP E D P V a l o r U n i d a d e d e P r o c u r e m e n t G l o b a l. Lisboa, 21 de Junho de 2016 Gestão de Fornecedores no Grupo EDP E D P V a l o r U n i d a d e d e P r o c u r e m e n t G l o b a l Lisboa, 21 de Junho de 2016 0 0 O Grupo EDP é uma Multinacional Portuguesa Renováveis Portugal Espanha

Leia mais

// gaiato private label

// gaiato private label // gaiato private label // a empresa // the company A Calçado Gaiato é uma empresa prestadora de serviços no setor de calçado, criada em 2000 por Luís Pinto Oliveira e Mário Pinto Oliveira, sócios-fundadores

Leia mais

TARCIO DANIERBE RIBEIRO LEAL

TARCIO DANIERBE RIBEIRO LEAL TARCIO DANIERBE RIBEIRO LEAL AUDITORIA DE RISCOS PARA SUSTENTABILIDADE DE SISTEMAS DE GESTÃO: AMBIENTAL, DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO E DA QUALIDADE. RECIFE PE 2013 Tarcio Danierbe Ribeiro Leal* tarcio.danierbe@tcl.srv.br

Leia mais

O sucesso na Interaçao com o Conselho

O sucesso na Interaçao com o Conselho 24-09-2013 14:45 O sucesso na Interaçao com o Conselho Jose Francisco Moraes QAIP Team Leader IIA Brasil ESTOU PREPARADO PARA: SER PROMOVIDO? Promovido = dar publicidade a uma imagem pessoal desejada Foco

Leia mais

Mitos Desfeitos sobre Prevenção a Perda de Dados

Mitos Desfeitos sobre Prevenção a Perda de Dados Mitos Desfeitos sobre Prevenção a Perda de Dados Vladimir Amarante Principal Systems Engineer CISSP IR B06 - DLP Myths Debunked 1 Mitos sobre Data Loss Prevention Mito #1: Mito #2: Mito #3: Mito #4: Mito

Leia mais

CHECK LIST DE AVALIAÇÃO DE FORNECEDORES Divisão:

CHECK LIST DE AVALIAÇÃO DE FORNECEDORES Divisão: 4.2.2 Manual da Qualidade Está estabelecido um Manual da Qualidade que inclui o escopo do SGQ, justificativas para exclusões, os procedimentos documentados e a descrição da interação entre os processos

Leia mais

OHSAS 18001:2007 SAÚDE E SEGURANÇA OCUPACIONAL. Benefícios, Certificação, Estrutura, Objetivos, Termos e definições da OHSAS 18001.

OHSAS 18001:2007 SAÚDE E SEGURANÇA OCUPACIONAL. Benefícios, Certificação, Estrutura, Objetivos, Termos e definições da OHSAS 18001. OHSAS 18001:2007 SAÚDE E SEGURANÇA OCUPACIONAL ASPECTOS GERAIS Benefícios, Certificação, Estrutura, Objetivos, Termos e definições da OHSAS 18001. Histórico: Normas e Gestão SSO BS 8800 Instituto Britânico

Leia mais

Project Management Activities

Project Management Activities Id Name Duração Início Término Predecessoras 1 Project Management Activities 36 dias Sex 05/10/12 Sex 23/11/12 2 Plan the Project 36 dias Sex 05/10/12 Sex 23/11/12 3 Define the work 15 dias Sex 05/10/12

Leia mais

Greenhouse Gas Protocol: Ferramentas para gestão de emissões na cadeia de valor

Greenhouse Gas Protocol: Ferramentas para gestão de emissões na cadeia de valor Greenhouse Gas Protocol: Ferramentas para gestão de emissões na cadeia de valor Rachel Biderman World Resources Institute (WRI BRASIL) rbiderman@wri.org www.wri.org Greenhouse Gas Protocol Lançado em 1998

Leia mais

FDLI s Brazil Conference

FDLI s Brazil Conference Programa Alimentos Seguros: uma experiência brasileira Food Safety Program: a Brazilian experience FDLI s Brazil Conference Zeide Lúcia Gusmão, MSc. National Coordinator PAS SENAI Nacional Department São

Leia mais

INFORMATION SECURITY IN ORGANIZATIONS

INFORMATION SECURITY IN ORGANIZATIONS INFORMATION SECURITY IN ORGANIZATIONS Ana Helena da Silva, MCI12017 Cristiana Coelho, MCI12013 2 SUMMARY 1. Introduction 2. The importance of IT in Organizations 3. Principles of Security 4. Information

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DE SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE

IMPLANTAÇÃO DE SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IMPLANTAÇÃO DE SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE Luciana de Souza Martins Ferreira Celso Yamamoto reluferreira@ig.com.br celsoyamamoto@uol.com.br Resumo. Este artigo tem como objetivo avaliar os resultados

Leia mais

Gerenciamento do Risco Operacional. Gerenciamento do Risco Operacional

Gerenciamento do Risco Operacional. Gerenciamento do Risco Operacional Gerenciamento do Risco Operacional Controle do documento Data Autor Versão Outubro/2010 Compliance 001 Dezembro/2011 Compliance 002 Dezembro/2012 Compliance 003 Agosto/2014 Compliance 004 Revisão do documento

Leia mais

O Impacto da Gestão da Cadeia de Fornecedores na Sustentabilidade das Organizações

O Impacto da Gestão da Cadeia de Fornecedores na Sustentabilidade das Organizações Webinar O Impacto da Gestão da Cadeia de Fornecedores na Sustentabilidade das Organizações Juliana Scalon 4 de Setembro de 2013 Aprimore o desempenho dos fornecedores Para se sobressair no mercado atual

Leia mais

Gestão da Qualidade em Alimentos. Karla Ananias karla.nutri7@gmail.com

Gestão da Qualidade em Alimentos. Karla Ananias karla.nutri7@gmail.com Gestão da Qualidade em Alimentos Karla Ananias karla.nutri7@gmail.com Gestão da Qualidade em Alimentos. :. 30 de Agosto de 2013 Karla Ananias Nutricionista FANUT/UFG Mestre em Ciência e Tecnologia de Alimentos

Leia mais

MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA SOCIAL SECRETARIA DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR. Sao Paulo May 23, 2002

MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA SOCIAL SECRETARIA DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR. Sao Paulo May 23, 2002 6HFRQG2(&'&RQIHUHQFHRQ 3ULYDWH3HQVLRQVLQ%UD]LO 0LQLVWU\RI6RFLDO6HFXULW\DQG$VVLVWDQFH RI%UD]LO )DELR2KDUD,VKLJDPL 6HFUHWDULDWRI&RPSOHPHQWDU\3HQVLRQ 5RRP'RFXPHQW1ƒ6HVVLRQ Sao Paulo May 23, 2002 6HFRQG2(&'&RQIHUHQFHRQ

Leia mais

Symantec & Jogos Olímpicos Rio 2016. Julho de 2015

Symantec & Jogos Olímpicos Rio 2016. Julho de 2015 Symantec & Jogos Olímpicos Rio 2016 Julho de 2015 JOGOS OLÍMPICOS 5-21 de agosto 10.500 ATLETAS DE PAÍSES 45.000 204 VOLUNTÁRIOS 25.100 PROFISSIONAIS DE MÍDIA CREDENCIADOS 6.700 INTEGRANTES DAS DELEGAÇÕES

Leia mais

Integração de sistemas certificáveis de gestão da qualidade, meio ambiente e segurança do trabalho

Integração de sistemas certificáveis de gestão da qualidade, meio ambiente e segurança do trabalho Integração de sistemas certificáveis de gestão da qualidade, meio ambiente e segurança do trabalho (ISO 9001, ISO 14001 e OHSAS 18001) Prof. Livre Docente Otávio J. Oliveira UNESP CONTEXTUALIZAÇÃO - Diluição

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE INTEGRADA: TRATAMENTO DE ANOMALIAS EM UMA INDÚSTRIA METALÚRGICA. Ana Elisa Peres Magalhães

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE INTEGRADA: TRATAMENTO DE ANOMALIAS EM UMA INDÚSTRIA METALÚRGICA. Ana Elisa Peres Magalhães SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE INTEGRADA: TRATAMENTO DE ANOMALIAS EM UMA INDÚSTRIA METALÚRGICA Ana Elisa Peres Magalhães MONOGRAFIA SUBMETIDA À COORDENAÇÃO DE CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO DA UNIVERSIDADE

Leia mais

Metodologia de implementação e certificação ISO20.000. Garanta a eficiência e a competitividade da sua empresa

Metodologia de implementação e certificação ISO20.000. Garanta a eficiência e a competitividade da sua empresa de implementação e certificação ISO20.000 Garanta a eficiência e a competitividade da sua empresa Por que estas organizações implementaram a ISO20.000? Alinhamento do negócio e TI Redução da exposição

Leia mais

QUEM SOMOS WHO WE ARE

QUEM SOMOS WHO WE ARE QUEM SOMOS A 5PM Consulting é uma empresa de consultoria que atua nos segmentos industrial, construção civil e obras de infraestrutura, fornecendo planejamento, gerenciamento e Follow Up dos empreendimentos.

Leia mais

PLANO DE SEGURANÇA DA ÁGUA - GARANTINDO QUALIDADE E PROMOVENDO A SAÚDE PÚLICA. Eng Roseane Maria Garcia Lopes de Souza

PLANO DE SEGURANÇA DA ÁGUA - GARANTINDO QUALIDADE E PROMOVENDO A SAÚDE PÚLICA. Eng Roseane Maria Garcia Lopes de Souza PLANO DE SEGURANÇA DA ÁGUA - GARANTINDO QUALIDADE E PROMOVENDO A SAÚDE PÚLICA Eng Roseane Maria Garcia Lopes de Souza 2 INDICE 1 Saúde Pública e Saneamento 2 Portaria 2914/2011 3 PSA 3 INDICE 1 Saúde Pública

Leia mais

UNIP UNIVERSIDADE PAULISTA

UNIP UNIVERSIDADE PAULISTA UNIP UNIVERSIDADE PAULISTA GERENCIAMENTO DE REDES Segurança Lógica e Física de Redes 2 Semestre de 2012 NORMAS ABNT ISSO/IEC 27001 E 27002 (Antiga ISSO/IEC 17799) A norma ISO/IEC 27001. A norma ISO/IEC

Leia mais

Gerenciando Mobilidade: Usuários e Dispositivos Seguros

Gerenciando Mobilidade: Usuários e Dispositivos Seguros Gerenciando Mobilidade: Usuários e Dispositivos Seguros Arthur Cesar Oreana Senior Systems Engineer Valor da conectividade Era da Interação Mobilidade e Nuvem Alavancando o Valor da Conectividade 3.0%

Leia mais

Unisys Security Index 2014. Marcelo Neves, Especialista em Segurança e Diretor da Unisys Brasil

Unisys Security Index 2014. Marcelo Neves, Especialista em Segurança e Diretor da Unisys Brasil Unisys Security Index 2014 Marcelo Neves, Especialista em Segurança e Diretor da Unisys Brasil 15 de Maio, 2014 Sobre a Unisys Principal fornecedor de soluções e serviços para ambientes de missão crítica

Leia mais

versão 2.0 do BABOK Cover this area with a picture related to your presentation. It can

versão 2.0 do BABOK Cover this area with a picture related to your presentation. It can Uma visão geral da versão 2.0 do BABOK Cover this area with a picture related to your presentation. It can be humorous. Make sure you look at the Notes Pages for more information about how to use the template.

Leia mais

Auditoria Interna e Governança Corporativa

Auditoria Interna e Governança Corporativa Auditoria Interna e Governança Corporativa Clarissa Schüler Pereira da Silva Gerente de Auditoria Interna TUPY S.A. Programa Governança Corporativa Auditoria Interna Desafios para os profissionais de auditoria

Leia mais

Gestão de Fornecedores

Gestão de Fornecedores Treinamento Presencial: Gestão de Fornecedores Data: 20 de Maio de 2015 Carga horária: 8 horas Local: São Paulo/ SP Procurement Business School Quem somos: Procurement Business School é a mais completa

Leia mais

Seja Bem-Vindo. System Center Family. Inicio: 09:00 Termino: 12:00

Seja Bem-Vindo. System Center Family. Inicio: 09:00 Termino: 12:00 Seja Bem-Vindo System Center Family Inicio: 09:00 Termino: 12:00 Intervalo: 15 minutos Marcelo Sincic Consultor / Instrutor msincic@uol.com.br blog: http://www.marcelosincic.eti.br Microsoft como CPLS

Leia mais

ISO/IEC 20000. Curso e-learning. Sistema de Gerenciamento de Serviços da Tecnologia da Informação

ISO/IEC 20000. Curso e-learning. Sistema de Gerenciamento de Serviços da Tecnologia da Informação Curso e-learning ISO/IEC 20000 Sistema de Gerenciamento de Serviços da Tecnologia da Informação Este é um curso independente desenvolvido pelo TI.exames em parceria com a CONÊXITO CONSULTORIA que tem grande

Leia mais

Palestra Informativa Sistema da Qualidade NBR ISO 9001:2000

Palestra Informativa Sistema da Qualidade NBR ISO 9001:2000 Palestra Informativa Sistema da Qualidade NBR ISO 9001:2000 ISO 9001:2000 Esta norma considera de forma inovadora: problemas de compatibilidade com outras normas dificuldades de pequenas organizações tendências

Leia mais

Session 8 The Economy of Information and Information Strategy for e-business

Session 8 The Economy of Information and Information Strategy for e-business Session 8 The Economy of Information and Information Strategy for e-business Information economics Internet strategic positioning Price discrimination Versioning Price matching The future of B2C InformationManagement

Leia mais

Marcos Paganini Mattiuzzo Janeiro - 2012

Marcos Paganini Mattiuzzo Janeiro - 2012 Marcos Paganini Mattiuzzo Janeiro - 2012 5 minutos de História e Teoria Percepção e Realidade Suporte de Tecnologia da Informação Kimberly Clark Brasil Iniciativas em gestão de processos Situação atual

Leia mais

Modelos de Tomada de Decisão e de Gestão em Pesquisa e Desenvolvimento

Modelos de Tomada de Decisão e de Gestão em Pesquisa e Desenvolvimento Modelos de Tomada de Decisão e de Gestão em Pesquisa e Desenvolvimento EATON CORPORATION ENGINEERING CENTER OF EXCELLENCE (CoE) MATERIALS ENGINEERING DORIVAL MUNHOZ JR. 11/JUNHO/2007 Best Practice Methodology

Leia mais

Mapeamento entre os requisitos da ISO 9001:2008 e da ISO FDIS 9001:2015 Guia de Mapeamento

Mapeamento entre os requisitos da ISO 9001:2008 e da ISO FDIS 9001:2015 Guia de Mapeamento ISO Revisions New and Revised Mapeamento entre os requisitos da ISO 9001:2008 e da ISO FDIS 9001:2015 Guia de Mapeamento Introdução Este documento faz uma comparação entre a ISO 9001:2008 e o ISO 9001:2015

Leia mais

Governação Novo Código e Exigências da Função Auditoria

Governação Novo Código e Exigências da Função Auditoria Novo Código e Exigências da Função Auditoria Fórum de Auditoria Interna - IPAI 19 de Junho de 2014 Direito societário e auditoria interna fontes legais 1. CSC artigo 420,º, n.º 1, i) - fiscalizar a eficácia

Leia mais

Palavras-chaves: Auditoria. Controle Interno. Sarbanes Oxley. Planejamento Estratégico. Gestão de Riscos Corporativos. Processo de Negócio.

Palavras-chaves: Auditoria. Controle Interno. Sarbanes Oxley. Planejamento Estratégico. Gestão de Riscos Corporativos. Processo de Negócio. GESTÃO DE PROCESSOS DE NEGÓCIO: a participação dos controles internos na gestão estratégica corporativa Nome: Ricardo Alexandre Gonçalves de Moura (Auditor especialista em revisão de controles internos

Leia mais

Sistemas de Informação Gerencial. Aula 6. Contextualização. Organização da Disciplina. Organização da Aula. Prof. Me.

Sistemas de Informação Gerencial. Aula 6. Contextualização. Organização da Disciplina. Organização da Aula. Prof. Me. Sistemas de Informação Gerencial Aula 6 Contextualização Prof. Me. Claudio Nogas Organização da Disciplina Buscaremos por meio da apresentação de conceitos e exemplos gerar conhecimentos sobre Sistemas

Leia mais

IT Governance e ISO/IEC 20000. Susana Velez

IT Governance e ISO/IEC 20000. Susana Velez IT Governance e ISO/IEC 20000 Susana Velez Desafios de TI Manter TI disponível Entregar valor aos clientes Gerir os custos de TI Gerir a complexidade Alinhar TI com o negócio Garantir conformidade com

Leia mais

AÇÃO NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL: Belo Horizonte Dezembro de 2012

AÇÃO NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL: Belo Horizonte Dezembro de 2012 AÇÃO NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL: Belo Horizonte Dezembro de 2012 A implantação do SGSO nos Aeroclubes e Escolas de Aviação Civil Objetivos Esclarecer sobre o processo de confecção do Manual de Gerenciamento

Leia mais

A NOVA ERA DA GESTÃO DE RISCOS

A NOVA ERA DA GESTÃO DE RISCOS Francesco De Cicco Abril, 2012 A NOVA ERA DA GESTÃO DE RISCOS AGENDA A nova definição de Risco e sua importância para as organizações. Os novos documentos internacionais e brasileiros de referência em

Leia mais

Procedimento Sistêmico N⁰ do procedimento: PS 03

Procedimento Sistêmico N⁰ do procedimento: PS 03 1/ 5 Nº revisão Descrição da Revisão 00 Emissão do documento baseado nos requisitos da ISO 9001:2008 01 Adequação as normas ISO 14001:2004 e OHSAS 18001:2007, inclusão das auditorias de manutenção e alteração

Leia mais

The Secure Cloud. Gerir o risco e entregar valor num mundo virtual. C l o u d C o m p u t i n g F ó r u m 2 0 11 S e t e m b r o 2 0 11

The Secure Cloud. Gerir o risco e entregar valor num mundo virtual. C l o u d C o m p u t i n g F ó r u m 2 0 11 S e t e m b r o 2 0 11 The Secure Cloud Gerir o risco e entregar valor num mundo virtual C l o u d C o m p u t i n g F ó r u m 2 0 11 S e t e m b r o 2 0 11 Agenda Novas dimensões de governo e gestão do SI Entender e endereçar

Leia mais

DEPARTMENT NAME. Aluízio Felix Eng. de Minas Mine Services felix@mmsi.com

DEPARTMENT NAME. Aluízio Felix Eng. de Minas Mine Services felix@mmsi.com Aluízio Felix Eng. de Minas Mine Services felix@mmsi.com 2011 2011 Modular Modular 2011 Modular Mining Mining Mining Systems, Systems, Systems, IncInc. Inc Legal Notice The contents of these materials

Leia mais

Uma visão geral da versão 2.0 do BABOK

Uma visão geral da versão 2.0 do BABOK Uma visão geral da versão 2.0 do BABOK Cover this area with a picture related to your presentation. It can be humorous. Make sure you look at the Notes Pages for more information about how to use the template.

Leia mais

ISO 9001:2015 Avaliações de Transição Manual do Cliente

ISO 9001:2015 Avaliações de Transição Manual do Cliente ISO Revisio ISO Revisions Latest update New ISO 9001:2015 Avaliações de Transição Manual do Cliente ISO 9001:2015 - Transition Assessments ISO Revisions Introdução Como um cliente certificado do BSI, você

Leia mais

Francisco César Borges Blois. Estudo do suprimento de válvulas acionadas manualmente para a Petrobras. Dissertação de Mestrado

Francisco César Borges Blois. Estudo do suprimento de válvulas acionadas manualmente para a Petrobras. Dissertação de Mestrado Francisco César Borges Blois Estudo do suprimento de válvulas acionadas manualmente para a Petrobras Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada como requisito parcial para obtenção do grau de Mestre

Leia mais

The. Carbon Disclosure Project

The. Carbon Disclosure Project The Carbon Disclosure Project Iniciativa de relevância internacional CDP 2011 5000 Corporações globais O maior projeto global ligando: Mudanças Climáticas + Mercado financeiro 550 Investidores globais

Leia mais

T16 Maturidade em segurança Cultura, conformidade e capital

T16 Maturidade em segurança Cultura, conformidade e capital T16 Maturidade em segurança Cultura, conformidade e capital Renato Mota Gerente de Produtos Safety, Sensores e Controles Industriais Functional Safety Engineer (TÜV Rheiland, #5658/12 Machinery) Rev 5058-CO900C

Leia mais

Programa Intel Technology Provider. Manual externo 2014

Programa Intel Technology Provider. Manual externo 2014 Manual externo 2014 Visão geral do Programa Intel Technology Provider O que é o ITP? Níveis de parceiros Pilares e benefícios do Programa O que esperar para 2014? Pontos do ITP Reconhecimento por treinamento

Leia mais

IDC IT & Internet Security 2008. Rui Shantilal (rui.shantilal@oni.pt)

IDC IT & Internet Security 2008. Rui Shantilal (rui.shantilal@oni.pt) IDC IT & Internet Security 2008 Rui Shantilal (rui.shantilal@oni.pt) Security Practice Manager Agenda Definição de Risco Percepção geral de Risco Modelo de Abordagem de Risco Melhores práticas Definição

Leia mais

APLICAÇÃO DA AUDITORIA BASEADA EM RISCOS (ABR) PARA DEFINIÇÃO DAS AÇÕES DO PAINT

APLICAÇÃO DA AUDITORIA BASEADA EM RISCOS (ABR) PARA DEFINIÇÃO DAS AÇÕES DO PAINT APLICAÇÃO DA AUDITORIA BASEADA EM RISCOS (ABR) PARA DEFINIÇÃO DAS AÇÕES DO PAINT Junho - 2015 ROTEIRO DA APRESENTAÇÃO Ações do Plano Anual de Atividades de Auditoria Interna (PAINT) Gestão de riscos: um

Leia mais

ANNUAL REPORT 2011-12-13

ANNUAL REPORT 2011-12-13 ANNUAL REPORT 2011-12-13 Member organizationʼs name: Beraca Sabará Quimicos e Ingredientes - Divisão HPC Main address: Rua Emilia Marengo, 682 segundo andar Jardim Analia Franco, São Paulo SP Brasil CEP

Leia mais

Aplicando Pontos de Função na Definição de um Sistema de Indicadores BIT

Aplicando Pontos de Função na Definição de um Sistema de Indicadores BIT Aplicando Pontos de Função na Definição de um Sistema de Indicadores BIT Eduardo Alves de Oliveira eduaopec@yahoo.com.br SERPRO - Serviço Federal de Processamento de Dados Rua Pacheco Leão, 1235 - Fundos

Leia mais

AVALIAÇÃO E SELEÇÃO DE FORNECEDORES

AVALIAÇÃO E SELEÇÃO DE FORNECEDORES VERIFICAÇÃO APROVAÇÃO ARQUIVO SQ SIGLA DA UO SULOG RUBRICA SIGLA DA UO G-SCQ RUBRICA 1 OBJETIVO Definir os requisitos e procedimentos mínimos para avaliação e seleção de fornecedores, assegurando fontes

Leia mais

Reunião Anual do Colégio de Indústria da Ordem dos Farmacêuticos

Reunião Anual do Colégio de Indústria da Ordem dos Farmacêuticos Generalidades Enquadramento regulamentar Origens das mudanças Tipos de mudanças Processo de controlo de modificações Notificação Avaliação Implementação Clientes, fornecedores e autoridades Mudanças rápidas

Leia mais

ANAC SAFETY CASE AO CONCEITO INTRODUÇÃO. Simpósio de Gerenciamento da Segurança Operacional 29/04/2014

ANAC SAFETY CASE AO CONCEITO INTRODUÇÃO. Simpósio de Gerenciamento da Segurança Operacional 29/04/2014 ANAC INTRODUÇÃO Simpósio de Gerenciamento da Segurança Operacional! AO CONCEITO 29/04/2014 DE SAFETY CASE A Ausência de Acidentes não é Garantia de Segurança E, mesmo que fosse como demonstrar a segurança

Leia mais

MASTER IN PROJECT MANAGEMENT

MASTER IN PROJECT MANAGEMENT MASTER IN PROJECT MANAGEMENT PROJETOS E COMUNICAÇÃO PROF. RICARDO SCHWACH MBA, PMP, COBIT, ITIL Atividade 1 Que modelos em gestão de projetos estão sendo adotados como referência nas organizações? Como

Leia mais

Sistemas de Gestão Ambiental O QUE MUDOU COM A NOVA ISO 14001:2004

Sistemas de Gestão Ambiental O QUE MUDOU COM A NOVA ISO 14001:2004 QSP Informe Reservado Nº 41 Dezembro/2004 Sistemas de Gestão O QUE MUDOU COM A NOVA ISO 14001:2004 Material especialmente preparado para os Associados ao QSP. QSP Informe Reservado Nº 41 Dezembro/2004

Leia mais

Cloud para o Brasil Cloud Services

Cloud para o Brasil Cloud Services Cloud para o Brasil Como as ofertas da Capgemini endereçam os principais pontos levantados pela pesquisa exclusiva We orchestrate your Cloud Services Current Market Situation with Cloud 2 Current Market

Leia mais

O Módulo Risk Manager fornece workflow para tratamento dos riscos identificados nas avaliações e priorização das ações.

O Módulo Risk Manager fornece workflow para tratamento dos riscos identificados nas avaliações e priorização das ações. GRC - Governança, Riscos e Compliance já é uma realidade nas organizações. Sua adoção, no entanto, implica no desenvolvimento e na manutenção de um framework que viabilize a integração e colaboração entre

Leia mais

UBIQUITOUS COLLABORATION. http://www.trprocess.com

UBIQUITOUS COLLABORATION. http://www.trprocess.com UBIQUITOUS COLLABORATION http://www.trprocess.com Our Company TR PROCESS SMART PROCESS EXPERTS A expressão Smart Process Application, como utilizamos hoje, foi definida e utilizada em seus relatórios pelos

Leia mais

Prof. Guido Carim Júnior

Prof. Guido Carim Júnior Sistema de Gestão da Segurança Operacional (SGSO) : fundamentos e requisitos Prof. Guido Carim Júnior 28 de maio de 2010 Objetivo Apresentar os fundamentos de um sistema de gestão (de segurança) como meio

Leia mais

EDUCAÇÃO PARA CONSCIENTIZAÇÃO DE SEGURANÇA ISABEL SILVA ENTERPRISE SALES

EDUCAÇÃO PARA CONSCIENTIZAÇÃO DE SEGURANÇA ISABEL SILVA ENTERPRISE SALES EDUCAÇÃO PARA CONSCIENTIZAÇÃO DE SEGURANÇA ISABEL SILVA ENTERPRISE SALES UMA HISTÓRIA HACKER Baseado em fatos reais Smart security on demand 2012 Uma História Hacker 3 Passo 1: Mídia Social 4 Passo 2:

Leia mais

25º. WCARS World Continuous Auditing and Reporting Symposium. Monitoramento Contínuo e Auditoria Contínua. Luís Pires

25º. WCARS World Continuous Auditing and Reporting Symposium. Monitoramento Contínuo e Auditoria Contínua. Luís Pires 25º. WCARS World Continuous Auditing and Reporting Symposium Monitoramento Contínuo e Auditoria Contínua Luís Pires 1 Agenda Monitoramento Contínuo Auditoria Contínua 2 NECESSIDADES DE NEGÓCIO 2008: Economia

Leia mais

MUDANÇAS NA ISO 9001: A VERSÃO 2015

MUDANÇAS NA ISO 9001: A VERSÃO 2015 MUDANÇAS NA ISO 9001: A VERSÃO 2015 Está em andamento o processo de revisão da Norma ISO 9001: 2015, que ao ser concluído resultará na mudança mais significativa já efetuada. A chamada família ISO 9000

Leia mais

SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO NBR ISO/IEC 27002: 2005 (antiga NBR ISO/IEC 17799) NBR ISO/IEC 27002:2005 (Antiga NBR ISO/IEC 17799); 27002:2013. Metodologias e Melhores Práticas em SI CobiT; Prof. Me. Marcel

Leia mais

Workshop 2 Changes in Automotive Industry: New Markets Different Technologies?

Workshop 2 Changes in Automotive Industry: New Markets Different Technologies? Organization: Cooperation: Workshop 2 Changes in Automotive Industry: New Markets Different Technologies? Volkswagen do Brasil Cologne, August 25 th, 2008 Volkswagen do Brasil Present in Brazil since 1953

Leia mais

Faro. Enriching our city brand

Faro. Enriching our city brand Faro Enriching our city brand 1 2 3 establish a strategy to value our identity1 st Step evaluation supported by studies and similar work / statistical and qualitative analysis / tourists, visitors and

Leia mais

Módulo 2. Sistemas de gestão, normas OHSAS 18001/2, benefícios, certificação, estrutura, objetivos, termos e definições da OHSAS 18001, exercícios.

Módulo 2. Sistemas de gestão, normas OHSAS 18001/2, benefícios, certificação, estrutura, objetivos, termos e definições da OHSAS 18001, exercícios. Módulo 2 Sistemas de gestão, normas OHSAS 18001/2, benefícios, certificação, estrutura, objetivos, termos e definições da OHSAS 18001, exercícios. História das normas de sistemas de gestão de saúde e segurança

Leia mais

QUALITY ASSURANCE. Com a Auditoria Interna da Telefônica Vivo se Estruturou para Obter a Certificação Internacional do IIA

QUALITY ASSURANCE. Com a Auditoria Interna da Telefônica Vivo se Estruturou para Obter a Certificação Internacional do IIA QUALITY ASSURANCE Com a Auditoria Interna da Telefônica Vivo se Estruturou para Obter a Certificação Internacional do IIA Viviane Souza Miranda CCSA Diretora de Auditoria Interna Telefônica Vivo Índice

Leia mais

Food Safety System Certification 22000. fssc 22000

Food Safety System Certification 22000. fssc 22000 Food Safety System Certification 22000 fssc 22000 CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DE SEGURANÇA DOS ALIMENTOS 22000 O esquema de certificação de sistema de gestão da segurança dos alimentos - FSSC 22000

Leia mais

Análise de Risco na Validação de Sistemas Computadorizados

Análise de Risco na Validação de Sistemas Computadorizados Análise de Risco na Validação de Sistemas Computadorizados Meg Lima Andrade Agenda Objetivos; Conceito de Sistemas Computadorizados; Conceito de Risco; Identificação de Riscos; Avaliação de Riscos; Classificação;

Leia mais

3 Metodologia de Gerenciamento de Riscos

3 Metodologia de Gerenciamento de Riscos 3 Metodologia de Gerenciamento de Riscos Este capítulo tem como objetivo a apresentação das principais ferramentas e metodologias de gerenciamento de riscos em projetos, as etapas do projeto onde o processo

Leia mais

ISO 9001 O que significa para quem compra?

ISO 9001 O que significa para quem compra? ISO 9001 O que significa para quem compra? Introdução Como alguém que é responsável pelas decisões de compra, você pode ter visto ou usado bens e serviços que utilizam referências a ISO 9001 como propaganda.

Leia mais

V1 1. Este documento prove indicadores adicionais para levar o processo da classificação das florestas ou

V1 1. Este documento prove indicadores adicionais para levar o processo da classificação das florestas ou Indicadores para Florestas de Alto Valor de Conservação (FAVC) no Brasil: uma guia elaborada pela SCS para prover melhorar o processo de avaliação das FAVC. Tema de este documento V1 1 Este documento prove

Leia mais

Simulado ITIL V3 Português Sicoob

Simulado ITIL V3 Português Sicoob Simulado ITIL V3 Português Sicoob Dezembro 2009 1 de 40 A Implementação do Gerenciamento de Serviços Baseados na ITIL requer preparação e planejamento do uso eficaz e eficiente de quais dos seguintes?

Leia mais

Sistema de Gestão da Qualidade e Biossegurança em Laboratórios de Analises Clínicas Pontos Críticos

Sistema de Gestão da Qualidade e Biossegurança em Laboratórios de Analises Clínicas Pontos Críticos Sistema de Gestão da Qualidade e Biossegurança em Laboratórios de Analises Clínicas Pontos Críticos Maria Emilia Aracema maria.aracema@saude.gov.br CGLAB/SVS/MS 24 Abril 2013 Conceito: Década de 50 Japão

Leia mais

Certificação ISO/IEC 27001. SGSI - Sistema de Gestão de Segurança da Informação. A Experiência da DATAPREV

Certificação ISO/IEC 27001. SGSI - Sistema de Gestão de Segurança da Informação. A Experiência da DATAPREV Certificação ISO/IEC 27001 SGSI - Sistema de Gestão de Segurança da Informação A Experiência da DATAPREV DATAPREV Quem somos? Empresa pública vinculada ao Ministério da Previdência Social, com personalidade

Leia mais

A sua Organização já está preparada para o novo Código dos Contratos Públicos (CCP, DL 18/2008)?

<Insert Picture Here> A sua Organização já está preparada para o novo Código dos Contratos Públicos (CCP, DL 18/2008)? A sua Organização já está preparada para o novo Código dos Contratos Públicos (CCP, DL 18/2008)? Sessão Aberta Homero Silveira - Sector Público e Saúde Contratação Pública agenda

Leia mais

Rodrigo Corrêa Torres. Avaliação de Portfolios de Contratos de Compra e Venda de Energia Elétrica: Uma Abordagem pela Teoria de Opções

Rodrigo Corrêa Torres. Avaliação de Portfolios de Contratos de Compra e Venda de Energia Elétrica: Uma Abordagem pela Teoria de Opções Rodrigo Corrêa Torres Avaliação de Portfolios de Contratos de Compra e Venda de Energia Elétrica: Uma Abordagem pela Teoria de Opções Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada ao Programa de Pós-graduação

Leia mais

ANÁLISE DOS REQUISITOS NORMATIVOS PARA A GESTÃO DE MEDIÇÃO EM ORGANIZAÇÕES

ANÁLISE DOS REQUISITOS NORMATIVOS PARA A GESTÃO DE MEDIÇÃO EM ORGANIZAÇÕES V CONGRESSO BRASILEIRO DE METROLOGIA Metrologia para a competitividade em áreas estratégicas 9 a 13 de novembro de 2009. Salvador, Bahia Brasil. ANÁLISE DOS REQUISITOS NORMATIVOS PARA A GESTÃO DE MEDIÇÃO

Leia mais

Normas de Segurança da Informação Processo de Certificação ISO 27001:2006. Ramon Gomes Brandão Janeiro de 2009

Normas de Segurança da Informação Processo de Certificação ISO 27001:2006. Ramon Gomes Brandão Janeiro de 2009 Normas de Segurança da Informação Processo de Certificação ISO 27001:2006 Ramon Gomes Brandão Janeiro de 2009 Agenda Elementos centrais da Seg. da Informação O Par ABNT:ISO 27001 e ABNT:ISO 17799 Visão

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO ANALISTA DE SISTEMA ÊNFASE GOVERNANÇA DE TI ANALISTA DE GESTÃO RESPOSTAS ESPERADAS PRELIMINARES

CONCURSO PÚBLICO ANALISTA DE SISTEMA ÊNFASE GOVERNANÇA DE TI ANALISTA DE GESTÃO RESPOSTAS ESPERADAS PRELIMINARES CELG DISTRIBUIÇÃO S.A EDITAL N. 1/2014 CONCURSO PÚBLICO ANALISTA DE GESTÃO ANALISTA DE SISTEMA ÊNFASE GOVERNANÇA DE TI RESPOSTAS ESPERADAS PRELIMINARES O Centro de Seleção da Universidade Federal de Goiás

Leia mais

ISO 9001 Relatórios. A importância do risco em gestao da qualidade. Abordando a mudança. ISO Revisions. ISO Revisions

ISO 9001 Relatórios. A importância do risco em gestao da qualidade. Abordando a mudança. ISO Revisions. ISO Revisions ISO 9001 Relatórios A importância do risco em gestao da qualidade Abordando a mudança BSI Group BSI/UK/532/SC/1114/en/BLD Contexto e resumo da revisão da ISO 9001:2015 Como uma Norma internacional, a ISO

Leia mais

ESTRUTURAÇÃO DOS PROCESSOS DE COMUNICAÇÃO EM PROJETOS, PROGRAMAS E PORTFÓLIOS CONSULTORIA

ESTRUTURAÇÃO DOS PROCESSOS DE COMUNICAÇÃO EM PROJETOS, PROGRAMAS E PORTFÓLIOS CONSULTORIA ESTRUTURAÇÃO DOS PROCESSOS DE COMUNICAÇÃO EM PROJETOS, PROGRAMAS E PORTFÓLIOS CONSULTORIA SOBRE A CONSULTORIA Assegure melhores resultados em seus projetos com uma estrutura de comunicação simples, efetiva,

Leia mais

Políticas de Segurança da Informação. Aécio Costa

Políticas de Segurança da Informação. Aécio Costa Aécio Costa A segurança da informação é obtida a partir da implementação de um conjunto de controles adequados, incluindo políticas, processos, procedimentos, estruturas organizacionais e funções de software

Leia mais

Faça você mesmo: Do Projeto 3D às Ferramentas de Fabricação Digital

Faça você mesmo: Do Projeto 3D às Ferramentas de Fabricação Digital Faça você mesmo: Do Projeto 3D às Ferramentas de Fabricação Digital Raul Arozi Moraes Technical Specialist AUBR-63 Inovação e Colaboração Móvel Sobre a Autodesk +10 milhões usuários em mais de 800,000

Leia mais

Case Educação Corporativa Volvo

Case Educação Corporativa Volvo Case Educação Corporativa Volvo Rubens Cieslak Especialista em Educação Corporativa e Desenvolvimento de Lideranças da Volvo do Brasil. 26 anos de experiência em RH: Recrutamento, T&D e Educ. Corporativa;

Leia mais