COMPUTAÇÃO DO USUÁRIO FINAL DO EMC VSPEX

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "COMPUTAÇÃO DO USUÁRIO FINAL DO EMC VSPEX"

Transcrição

1 COMPUTAÇÃO DO USUÁRIO FINAL DO EMC VSPEX Citrix XenDesktop 7 e VMware vsphere 5.1 para até Desktops Virtuais Habilitado por EMC VNX de última geração e Backup EMC EMC VSPEX Resumo Este documento descreve a solução EMC VSPEX Proven Infrastructure para implementações de nuvem privada com o Microsoft XenDesktop e o VNX de última geração da EMC para até desktops virtuais. Dezembro de 2013

2 Copyright 2013 EMC Corporation. Todos os direitos reservados. Publicado no Brasil. Publicado em dezembro de 2013 A EMC assegura que as informações apresentadas neste documento estão corretas. As informações estão sujeitas a alterações sem prévio aviso. As informações nesta publicação são fornecidas no "estado em que se encontram". A EMC Corporation não garante nem representa qualquer tipo de informação contida nesta publicação e especificamente se isenta das garantias implícitas de comercialização ou uso a um propósito específico. O uso, a cópia e a distribuição de qualquer software da EMC descrito nesta publicação exigem uma licença de software. EMC 2, EMC e o logotipo da EMC são marcas registradas ou comerciais da EMC Corporation nos Estados Unidos e em outros países. Todas as outras marcas comerciais aqui utilizadas pertencem a seus respectivos proprietários. Para obter uma lista mais atualizada de produtos da EMC, consulte EMC Corporation Trademarks no site brazil.emc.com. Computação do usuário final do EMC VSPEX Habilitado por EMC VNX de última geração e Backup EMC Número da peça H Computação do usuário final do EMC VSPEX

3 Índice Índice Capítulo 1 Resumo executivo 13 Introdução Público-alvo Objetivo deste guia Necessidades dos negócios Capítulo 2 Visão geral da solução 17 Visão geral da solução Desktop broker Virtualização Computação Rede VMware Armazenamento VNX de última geração da EMC Recursos e aprimoramentos Array híbrido otimizado para flash Capítulo 3 Visão Geral da Tecnologia da Solução 25 Tecnologia da solução Resumo dos componentes-chave Virtualização de desktop Visão geral Citrix XenDesktop Machine Creation Services Citrix Provisioning Services Citrix Personal vdisk Citrix Profile Management Virtualização Visão geral VMware vsphere VMware vcenter VMware vsphere High Availability Computação Visão geral Rede Visão geral Armazenamento Computação do usuário final do EMC VSPEX 3

4 Índice Visão geral EMC VNX Snapshots EMC SnapSure EMC Virtual Provisioning EMC FAST Cache EMC FAST VP (opcional) Compartilhamentos de arquivos do VNX ROBO Backup e recuperação Visão geral EMC Avamar Segurança Autenticação de dois fatores da RSA SecurID Autenticação SecurID Componentes obrigatórios Recursos de computação, memória e armazenamento ShareFile Visão geral ShareFile StorageZones Arquitetura do ShareFile StorageZones Uso de StorageZones com arquiteturas VSPEX Capítulo 4 Visão Geral da Arquitetura da Solução 51 Visão geral da solução Arquitetura da solução Visão geral Arquitetura lógica Componentes-chave Recursos de hardware Recursos de software Dimensionamento para a configuração validada Diretrizes de configuração de servidor Visão geral Virtualização de memória do VMware vsphere para VSPEX Diretrizes de configuração de memória Diretrizes de configuração de rede Visão geral VLAN Habilitar jumbo-frames Agregação de links Diretrizes de configuração de armazenamento Visão geral Computação do usuário final do EMC VSPEX

5 Índice Virtualização de memória do VMware vsphere para VSPEX Componente modular de armazenamento do VSPEX Máximo validado de computação do usuário final do VSPEX Layout de armazenamento para 500 desktops virtuais Layout de armazenamento para desktops virtuais Layout de armazenamento para desktops virtuais Alta disponibilidade e failover Introdução Camada de virtualização Camada de computação Camada de rede Camada de armazenamento Perfil do teste de validação Características do perfil Diretrizes de configuração de ambiente de backup Visão geral Características de backup Layout de backup Diretrizes de dimensionamento Visão geral Carga de Trabalho de Referência Definição de carga de trabalho de referência Aplicando a carga de trabalho de referência Implementando as arquiteturas de referência Visão geral Tipos de recursos Recursos da CPU Recursos de memória Recursos de rede Recursos de armazenamento Recursos de backup Expansão dos ambientes existentes de computação do usuário final do VSPEX Resumo da implementação Avaliação rápida Planilha Requisitos de CPU Requisitos de memória Requisitos de desempenho de armazenamento Requisitos de capacidade de armazenamento Determinação de desktops virtuais de referência equivalentes Ajuste dos recursos de hardware Computação do usuário final do EMC VSPEX 5

6 Índice Capítulo 5 Diretrizes de Configuração do VSPEX 99 Processo de implementação Visão geral Tarefas pré-implementação Visão geral Pré-requisitos de implementação Montar dados de configuração do cliente Visão geral Preparar switches, conectar a rede e configurar switches Visão geral Preparar switches de rede Configure a rede de infraestrutura Configurar a rede de armazenamento (variante FC) Configurar VLANs Concluir o cabeamento de rede Preparar e configurar o storage array Configuração VNX Provisionar armazenamento de dados principal Provisionar armazenamento opcional para dados do usuário Provisionar armazenamento opcional para máquinas virtuais de infraestrutura Instalar e configurar hosts VMware vsphere Visão geral Instalar o vsphere Configurar o sistema de rede do vsphere Jumbo-frames Conectar datastores do VMware Planejar alocações de memória de máquina virtual Configuração de memória Visão geral Gerenciamento de memória do vsphere Conceitos de memória de máquina virtual Instalar e Configurar o Banco de Dados do SQL Server Visão geral Criar uma máquina virtual para o SQL Server Instalar o Microsoft Windows na máquina virtual Instalar o SQL Server Configurar um banco de dados para o VMware vcenter Configurar o banco de dados para o VMware Update Manager Instalar e configurar o VMware vcenter Server Visão geral Criar a máquina virtual host do vcenter Instalar o sistema operacional guest do vcenter Computação do usuário final do EMC VSPEX

7 Índice Criar conexões de ODBC do vcenter Instalar o vcenter Server Aplicar chaves de licença do vsphere Implementar o plug-in do VNX VAAI para NFS (variante NFS) Implementação do PowerPath/VE (Variante FC) Instalar o recurso de gerenciamento unificado do VSI Instalar e configurar a controladora XenDesktop Visão geral Instalar componentes de servidor do XenDesktop Configurar um site Adicionar uma segunda controladora Instalar o Citrix Studio Preparar uma máquina virtual master Provisionar desktops virtuais Instalação e configuração de Citrix Provisioning Services (PVS) apenas Visão geral Configurar um conjunto do PVS Adicionar um segundo servidor PVS Criar um armazenamento do PVS Configurar comunicação de entrada Configurar um arquivo de bootstrap Configurar um TFTP server no VNX Configurar opções de inicialização 66 e 67 no servidor DHCP Preparar a máquina virtual master Provisionar os desktops virtuais Configurar o EMC Avamar Visão geral da configuração do Avamar Adições do GPO ao Avamar Preparação da imagem master do Avamar Definindo conjuntos de dados Definindo agendamentos Ajustar o agendamento de janelas de manutenção Definindo políticas de retenção Criação de grupos e de políticas de grupo Avamar Enterprise Manager: ativar clientes Resumo Capítulo 6 Validação da Solução 153 Visão geral Lista de verificação pós-instalação Implementação e teste de apenas um desktop virtual Verificação da redundância dos componentes da solução Computação do usuário final do EMC VSPEX 7

8 Índice Apêndice A Listas de material 158 Lista de material para 500 desktops virtuais Lista de material para desktops virtuais Lista de material para desktops virtuais Apêndice B Data sheet de configurações do cliente 165 Planilha de configurações do cliente Apêndice C Referências 169 Referências Documentação da EMC Outra documentação Apêndice D Sobre o VSPEX 173 Sobre o VSPEX Computação do usuário final do EMC VSPEX

9 Figuras Índice Figura 1. Next-Generation VNX com otimização multi-core Figura 2. Os processadores ativos/ativos melhoram o desempenho, a resiliência e a eficiência Figura 3. Unisphere Management Suite Figura 4. Componentes da solução Figura 5. Componentes da arquitetura do XenDesktop Figura 6. Flexibilidade da camada de computação Figura 7. Exemplo de projeto de rede altamente disponível Figura 8. Progresso de rebalanceamento do pool de armazenamento Figura 9. Utilização de espaço de thin-lun Figura 10. Examinando a utilização de espaço de pool de armazenamento Figura 11. Definindo limites de utilização de pool de armazenamento Figura 12. Definição de notificações automatizadas para block Figura 13. Fluxo de controle de autenticação para solicitações de acesso ao XenDesktop originárias de uma rede externa Figura 14. Fluxo de controle de autenticação para solicitações do XenDesktop provenientes da rede local Figura 15. Arquitetura lógica: Computação do usuário final do VSPEX para o Citrix XenDesktop com RSA Figura 16. Arquitetura de alto nível do ShareFile Figura 17. Arquitetura lógica: Computação do usuário final do VSPEX para o Citrix XenDesktop com o ShareFile StorageZones Figura 18. Arquitetura lógica para variante NFS Figura 19. Arquitetura lógica para variante FC Figura 20. Consumo de memória de hipervisor Figura 21. Redes necessárias Figura 22. Tipos de disco virtual VMware Figura 23. Layout de armazenamento principal com provisionamento PVS para 500 desktops virtuais Figura 24. Layout de armazenamento principal com provisionamento MCS para 500 desktops virtuais Figura 25. Layout opcional de armazenamento para 500 desktops virtuais Figura 26. Layout de armazenamento principal com provisionamento de PVS para desktops virtuais Figura 27. Layout de armazenamento principal com provisionamento de MCS para desktops virtuais Figura 28. Layout opcional de armazenamento para desktops virtuais Figura 29. Layout de armazenamento principal com provisionamento PVS para desktops virtuais Figura 30. Layout de armazenamento principal com provisionamento de MCS para desktops virtuais Figura 31. Layout opcional de armazenamento para desktops virtuais Figura 32. Alta disponibilidade na camada de virtualização Computação do usuário final do EMC VSPEX 9

10 Índice Figura 33. Fontes de alimentação redundantes Figura 34. Alta disponibilidade de camada de rede Figura 35. Alta disponibilidade da série VNX Figura 36. Exemplo de arquitetura de rede Ethernet Figura 37. Exemplo de arquitetura de rede FC Figura 38. Exibir todos os parâmetros do Data Mover Figura 39. Definir o parâmetro nthread Figura 40. Caixa de diálogo Storage System Properties Figura 41. Crie a caixa de diálogo FAST Cache Figura 42. Ativar FAST Cache na caixa de diálogo Create Storage Pool Figura 43. Configurar o FAST Cache na caixa de diálogo Storage Pool Properties Figura 44. Janela Storage Pool Properties Figura 45. Caixa de diálogo Manage Auto-Tiering Figura 46. Janela LUN Properties: Classificação por níveis Figura 47. Configuração de memória na máquina virtual Figura 48. Caixa de diálogo Configure Bootstrap Figura 49. Configurando o redirecionamento de pastas do Windows Figura 50. Criar um mapeamento de drive de rede Windows para arquivos de usuários Figura 51. Configurar o mapeamento de drive Figura 52. Configurar as configurações comuns de mapeamento de drive Figura 53. Criar um mapeamento de drive de rede Windows para dados de perfis de usuários Figura 54. Menu de ferramentas do Avamar Figura 55. Caixa de diálogo Avamar Manage All Datasets Figura 56. Caixa de diálogo Avamar New Dataset Figura 57. Configurar o conjunto de dados do Avamar Figura 58. Conjunto de dados de perfil de usuários Figura 59. Configurações de exclusão do conjunto de dados de perfis de usuários Figura 60. Conjunto de dados do View-User-Profile: Configurações de opções Figura 61. Conjunto de dados do View-User-Profile: Configurações de opções avançadas Figura 62. Agendamento da janela de backup/manutenção padrão do Avamar Figura 63. Agendamento modificado da janela de backup/manutenção do Avamar Figura 64. Criar um novo grupo de backup do Avamar Figura 65. Configurações do novo grupo de backup Figura 66. Selecionar conjunto de dados de grupo de backup Figura 67. Selecionar um agendamento de grupo de backup Figura 68. Selecionar a política de retenção de grupo de backup Figura 69. Avamar Enterprise Manager Computação do usuário final do EMC VSPEX

11 Índice Figura 70. Avamar Client Manager Figura 71. Caixa de diálogo Avamar Activate Client Figura 72. Menu Avamar Activate Client Figura 73. Configuração do serviço de diretórios do Avamar Figura 74. Avamar Client Manager pós-configuração Figura 75. Avamar Client Manager clients desktop virtual Figura 76. Avamar Client Manager selecionar clients desktop virtual Figura 77. Selecionar grupos do Avamar para adicionar a desktops virtuais Figura 78. Ativar Avamar Clients Figura 79. Confirmar ativação do Avamar Client Figura 80. Prompt de informação 1 para ativação do Avamar Client Figura 81. Prompt de informação 2 para ativação do Avamar Client Figura 82. Avamar Client Manager clientes ativados Tabelas Tabela 1. Limites e configurações no VNX OE Block versão Tabela 2. Recursos mínimos de hardware para dar suporte ao SecurID Tabela 3. Recursos mínimos de hardware para dar suporte ao ShareFile StorageZones com o Storage Center Tabela 4. Armazenamento do VNX recomendado para compartilhamento CIFS do ShareFile StorageZones Tabela 5. Hardware da solução Tabela 6. Software da solução Tabela 7. Configurações que dão suporte a essa solução Tabela 8. Hardware de servidor Tabela 9. Recursos de hardware para rede Tabela 10. Hardware de armazenamento Tabela 11. Número de discos necessários para diferentes números de desktops virtuais Tabela 12. Perfil de ambiente validado Tabela 13. Características do perfil de backup Tabela 14. Características do desktop virtual Tabela 15. Linha da planilha em branco Tabela 16. Recursos do desktop virtual de referência Tabela 17. Exemplo de linha da planilha Tabela 18. Exemplos de aplicativos Tabela 19. Totais dos componentes de recursos de servidor Tabela 20. Planilha em branco do cliente Tabela 21. Visão geral do processo de implementação Tabela 22. Tarefas para a pré-implementação Tabela 23. Lista de verificação de pré-requisitos para implementação Tabela 24. Tarefas de configuração de switches e da rede Computação do usuário final do EMC VSPEX 11

12 Índice Tabela 25. Tarefas de configuração de armazenamento Tabela 26. Tarefas de instalação de servidores Tabela 27. Tarefas de configuração do banco de dados do SQL Server Tabela 28. Tarefas de configuração do vcenter Tabela 29. Tarefas de configuração da controladora XenDesktop Tabela 30. Tarefas de configuração da controladora XenDesktop Tabela 31. Tarefas para integração do Avamar Tabela 32. Tarefas de teste da instalação Tabela 33. Lista de componentes para 500 desktops virtuais Tabela 34. Lista de componentes para desktops virtuais Tabela 35. Lista de componentes para desktops virtuais Tabela 36. Informações comuns do servidor Tabela 37. Informações do servidor do vsphere Tabela 38. Informações do array Tabela 39. Informações sobre a infraestrutura de rede Tabela 40. Informações de VLAN Tabela 41. Contas de serviço Computação do usuário final do EMC VSPEX

13 Capítulo 1: Resumo executivo Capítulo 1 Resumo executivo Este capítulo apresenta os seguintes tópicos: Introdução Público-alvo Objetivo deste guia Necessidades dos negócios Computação do usuário final do EMC VSPEX 13

14 Capítulo 1: Resumo executivo Introdução As arquiteturas modulares e validadas do EMC VSPEX são desenvolvidas com tecnologias comprovadas para criar soluções de virtualização completas, que permitam tomar decisões conscientes ao escolher as camadas de hipervisor, computação e sistema de rede. O VSPEX elimina as sobrecargas de planejamento e configuração de virtualização do servidor. Ao dar início a um processo de virtualização de servidores, implementação de desktops virtuais ou consolidação de TI, o VSPEX agiliza a transformação da TI possibilitando implementações mais rápidas, mais opções, mais eficiência e menos riscos. Esta VSPEX Proven Infrastructure pretende ser um guia abrangente dos aspectos técnicos desta solução. A capacidade do servidor é fornecida em termos genéricos para os requisitos mínimos de CPU, memória e interfaces de rede; os clientes podem selecionar o hardware de servidor e de sistema de rede que atenda ou exceda os mínimos estipulados. Público-alvo Objetivo deste guia Este guia supõe que você tenha o treinamento e o conhecimento necessários para instalar e configurar uma solução de computação de usuário final baseada no Citrix XenDesktop com VMware vsphere como um hipervisor, sistemas de armazenamento da série EMC VNX e a infraestrutura associada, conforme exigido por essa implementação. Referências externas são fornecidas quando aplicável, e você deve estar familiarizado com esses documentos. Você também deve estar familiarizado com as políticas de segurança de infraestrutura e de banco de dados da instalação do cliente. Se você estiver focalizado na venda e no dimensionamento de uma solução de computação final do VSPEX para o Citrix XenDesktop, preste atenção especial nos primeiros quatro capítulos deste documento. Se estiver implementando esta solução, concentre-se nas diretrizes de configuração do Capítulo 5, na validação da solução do Capítulo 6 e nas referências e apêndices apropriados. Este fornece uma introdução inicial à arquitetura de computação do usuário final do VSPEX, uma explicação de como modificar a arquitetura para projetos específicos e instruções de como implementar o sistema com eficiência. A arquitetura de computação do usuário final do VSPEX oferece um sistema capaz de hospedar um grande número de desktops virtuais, com um nível de desempenho consistente. Essa solução é executada na camada de virtualização do vsphere da VMware, com suporte do storage array do VNX altamente disponível e do desktop broker XenDesktop da Citrix. Os componentes de computação e de rede, embora possam ser definidos pelo fornecedor, são projetados para serem redundantes e são suficientemente avançados para manipular as necessidades de processamento e de dados de um grande ambiente de máquina virtual. 14 Computação do usuário final do EMC VSPEX

15 Necessidades dos negócios Capítulo 1: Resumo executivo Os ambientes para 500, e desktops virtuais nesta solução são baseados em uma carga de trabalho definida de desktop. Embora nem todos os desktops virtuais tenham os mesmos requisitos, este guia fornece métodos e informações para ajustar seu sistema de modo que seja econômico quando implementado. Um ambiente menor de 250 desktops virtuais baseado na plataforma EMC VNXe VNXe3300 é descrito em Computação do usuário final do EMC VSPEX para Citrix XenDesktop 5.6 com VMware vsphere 5.1 para até 250 Desktops Virtuais. Uma arquitetura de computação do usuário final ou de desktop virtual é uma oferta de sistema complexa. Este guia facilita sua configuração fornecendo listas de material de software e hardware, orientação e planilhas de dimensionamento passo a passo e etapas de implementação verificada. Testes de validação são fornecidos para garantir que seu sistema esteja funcionando corretamente após a instalação do último componente. Siga a orientação fornecida por este guia para garantir uma implementação de desktop eficiente e sem esforço. Os aplicativos de negócios estão cada vez mais integrados nos ambientes consolidados de computação, rede e armazenamento. A computação do usuário final do VSPEX usando o Citrix reduz a complexidade de configurar cada componente em um modelo de implementação tradicional. Com a computação do usuário final do VSPEX usando Citrix, você pode simplificar o gerenciamento de integração e manter as opções de projeto e implementação do aplicativo. A administração é unificada, enquanto a separação de processos pode ser adequadamente controlada e monitorada. A solução de computação de usuário final do VSPEX para arquitetura Citrix atende às seguintes necessidades de negócios: Fornece uma solução de virtualização completa para usar os recursos dos componentes da infraestrutura unificada Fornece uma solução para a virtualização eficiente de 500, ou desktops virtuais para os diversos casos de uso de clientes Fornece um projeto de referência confiável, flexível e dimensionável Computação do usuário final do EMC VSPEX 15

16 Capítulo 1: Resumo executivo 16 Computação do usuário final do EMC VSPEX

17 Capítulo 2: Visão geral da solução Capítulo 2 Visão geral da solução Este capítulo apresenta os seguintes tópicos: Visão geral da solução Desktop broker Virtualização Computação Rede VMware Armazenamento Computação do usuário final do EMC VSPEX 17

18 Capítulo 2: Visão geral da solução Visão geral da solução Desktop broker Virtualização Computação A solução de computação do usuário final EMC VSPEX para Citrix XenDesktop no VMware vsphere 5.1 fornece uma arquitetura de sistema completa que aceita até desktops virtuais com uma topologia de servidor e rede redundante e armazenamento altamente disponível. Os principais componentes que formam essa solução específica são: desktop broker, virtualização, computação, rede e armazenamento. XenDesktop é a solução de desktop virtual da Citrix que permite que os desktops virtuais sejam executados no ambiente de virtualização vsphere. Possibilita a centralização do gerenciamento de desktops e proporciona mais controle para os departamentos de TI. O XenDesktop permite que os usuários finais se conectem a seus desktops a partir de vários dispositivos por meio de uma conexão de rede. O VMware vsphere é a plataforma de virtualização líder no setor, oferecendo flexibilidade e economia aos usuários finais permitindo a consolidação de conjuntos de servidores grandes e ineficientes em infraestruturas em nuvem ágeis e confiáveis. Os principais componentes do vsphere são o hipervisor do vsphere e o servidor de controle VMware vcenter para gerenciamento do sistema. O hipervisor VMware é executado em um servidor dedicado e permite que vários sistemas operacionais sejam executados no sistema simultaneamente, como máquinas virtuais em uma configuração em cluster. A configuração em cluster é gerenciada como um pool maior de recursos por meio do produto vcenter, permitindo a alocação dinâmica de CPU, memória e armazenamento em todo o cluster. Recursos como o VMware vsphere vmotion, que permitem a uma máquina virtual se mover entre diferentes servidores sem causar interrupções no sistema operacional, e o DRS (Distributed Resource Scheduler), que executa o vmotion automaticamente para balancear cargas, fazem do vsphere uma sólida opção para os negócios. Com o lançamento do vsphere 5.1, um ambiente VMware virtualizado pode hospedar máquinas virtuais com até 64 CPUs virtuais e 1 TB de RAM virtual. O VSPEX oferece a flexibilidade para projetar e implementar os componentes de servidor selecionados pelo fornecedor. A infraestrutura deve estar de acordo com os seguintes atributos: RAM, núcleos de CPU e memória suficientes para comportar o número e os tipos de máquinas virtuais desejados Conexões de rede suficientes para permitir conectividade redundante com switches do sistema Excesso de capacidade para aceitar failover após uma falha do servidor no ambiente 18 Computação do usuário final do EMC VSPEX

19 Capítulo 2: Visão geral da solução Rede O VSPEX oferece a flexibilidade para projetar e implementar os componentes de rede selecionados pelo fornecedor. A infraestrutura deve estar de acordo com os seguintes atributos: Links de rede redundantes para hosts, switches e armazenamento Suporte para agregação de links Isolamento de tráfego com base nas práticas recomendadas aceitas pelo setor VMware O EMC Avamar proporciona a confiança em termos de proteção para acelerar a implementação de uma solução de computação de usuário final do VSPEX. O Avamar permite que os administradores façam backup e gerenciem políticas e componentes da infraestrutura de computação do usuário final centralmente, permitindo que usuários finais recuperem com eficiência seus próprios arquivos, usando uma interface baseada na Web simples e intuitiva. O Avamar move apenas segmentos de dados de subarquivo novos e exclusivos, o que fornece backups completos diários e rápidos. Isso resulta em uma redução de até 90 por cento nos tempos de backup e pode reduzir a largura de banda de rede diária necessária em até 99%. Armazenamento VNX de última geração da EMC A série de armazenamento do VNX fornece acesso a file e block com um conjunto amplo de recursos, fazendo dela uma escolha ideal para qualquer implementação de computação do usuário final. O armazenamento do VNX inclui os seguintes componentes, que são dimensionados para a carga de trabalho da arquitetura de referência mencionada: Portas de adaptador de host (para block): Fornecem conectividade de host por meio do fabric para o array. Data Movers (para file): Dispositivos de front-end que fornecem os serviços de arquivo aos hosts (opcional se forem fornecidos os serviços CIFS/SMB, NFS). Controladoras de armazenamento (SPs): O componente de computação do storage array, que é usado para todos os aspectos da movimentação de dados para fora e para dentro de arrays e entre eles Drives de disco: Spindles de disco e SSDs que contêm os dados de host/aplicativo e seus compartimentos. Obs.: Data Mover refere-se a um componente de hardware do VNX, que tem uma CPU, memória e portas de I/O. Ele habilita os protocolos CIFS (SMB) e NFS no VNX. As soluções de desktop descritas neste guia são baseadas nos storage arrays EMC VNX5400 e EMC VNX5600 respectivamente. O VNX5400 pode dar suporte a, no máximo, 250 drives, e o VNX5600 pode hospedar até 500 drives. Computação do usuário final do EMC VSPEX 19

20 Capítulo 2: Visão geral da solução A série VNX é compatível com uma ampla gama de recursos de classe corporativa, ideais para o ambiente de computação do usuário final, inclusive: EMC Fully Automated Storage Tiering for Virtual Pools (FAST VP) Cache do EMC FAST Desduplicação e compactação de dados em nível de arquivo Desduplicação em blocos Provisionamento thin Replicação Snapshots e checkpoints Retenção em nível de arquivo Gerenciamento de cotas Recursos e aprimoramentos A plataforma de armazenamento unificado VNX otimizada para flash oferece inovação e recursos empresariais para armazenamento de arquivos, blocos e objeto em uma solução única dimensionável e fácil de usar. Ideal para cargas de trabalho mistas em ambientes físicos ou virtuais, o VNX combina hardware avançado e flexível com softwares de proteção, gerenciamento e eficiência avançados para atender às exigências dos ambientes de aplicativos virtualizados de hoje. O VNX inclui muitos recursos e aprimoramentos projetados e baseados no sucesso da primeira geração. Esses recursos e aprimoramentos incluem: Maior capacidade com otimização multi-core com Cache, RAID e FAST Cache multi-core (MCx ) Maior eficiência com um array híbrido otimizado para flash Maior proteção devido ao aumento da disponibilidade dos aplicativos com controladoras de armazenamento ativo-ativo Administração e implementação mais fáceis pelo aumento da produtividade com o EMC Unisphere Management Suite O VSPEX é incorporado com a última geração do VNX para proporcionar ainda mais eficiência, desempenho e dimensionamento. Array híbrido otimizado para flash O VNX é um array híbrido otimizado para flash que fornece uma classificação por níveis automatizada para proporcionar um melhor desempenho para seus dados críticos, ao mesmo tempo em que move, com inteligência, dados menos acessados para discos de menor custo. Nessa abordagem híbrida, uma pequena porcentagem de flash drives no sistema como um todo pode fornecer uma alta porcentagem de I/Os por segundo (IOPS) geral. Um VNX otimizado para flash aproveita todas as vantagens da baixa latência do flash para fornecer otimização econômica e dimensionamento de alto desempenho. O pacote EMC FAST (FAST Cache e FAST VP) organiza dados de block e file em drives heterogêneos e impulsiona os dados mais ativos para armazenamento em cache, garantindo que os clientes nunca tenham que fazer concessões em relação ao custo nem ao desempenho. 20 Computação do usuário final do EMC VSPEX

21 Capítulo 2: Visão geral da solução Os dados geralmente são acessados com mais frequência no momento em que são criados, portanto os novos dados são primeiro armazenados em flash drives para fornecer o melhor desempenho. Como os dados ficam mais velhos e menos ativos com o passar do tempo, o FAST VP move automaticamente os dados de drives de alto desempenho para drives de alta capacidade, com base em políticas definidas pelo cliente. Essa funcionalidade foi aprimorada com granularidade quatro vezes melhor e os novos SSDs do FAST VP baseados na tecnologia emlc (Enterprise Multilevel Cell, célula empresarial de múltiplos níveis) para reduzir o custo por gigabyte. O FAST Cache absorve dinamicamente picos imprevisíveis nas cargas de trabalho do sistema. Todos os casos de uso do VSPEX se beneficiam de maior eficiência. As VSPEX Proven Infrastructures constituem soluções de aplicativos virtualizados, computação de usuário final e nuvem privada. Com o VNX, os clientes podem obter um maior retorno de seu investimento. O VNX fornece desduplicação baseada em bloco, fora de banda, que pode reduzir drasticamente os custos do nível de flash. Otimização do caminho do código MCx do VNX Intel O advento da tecnologia flash foi um catalisador na mudança significante dos requisitos dos sistemas de armazenamento midrange. A EMC reprojetou a plataforma de armazenamento midrange para otimizar, com eficiência, CPUs com vários núcleos e fornecer um sistema de armazenamento do mais alto desempenho ao menor custo do mercado. O MCx distribui todos os serviços de dados do VNX por todos os núcleos até 32, conforme mostrado na Figura 1. A série VNX com MCx melhorou drasticamente o desempenho dos arquivos para aplicativos transacionais, como bancos de dados ou máquinas virtuais por NAS (network-attached storage). Figura 1. Next-Generation VNX com otimização multi-core Cache multi-core O cache é o ativo mais valioso do subsistema de armazenamento; seu uso eficiente é a chave para a eficiência geral da plataforma ao lidar com cargas de trabalho variáveis e mutáveis. O motor do cache foi modularizado para tirar proveito de todos os núcleos disponíveis no sistema. Computação do usuário final do EMC VSPEX 21

22 Capítulo 2: Visão geral da solução RAID multi-core Outra parte importante do novo modelo do MCx é o tratamento da I/O para o armazenamento de back-end permanente HDDs e SSDs. Importantes aprimoramentos de desempenho no VNX se originam da criação de módulos de processamento do gerenciamento de dados de back-end, que permite ao MCx expandir-se facilmente por todos os processadores. Desempenho do VNX Melhorias no desempenho O armazenamento do VNX, habilitado com a arquitetura MCxe, é otimizado para FLASH 1 st e proporciona um desempenho geral sem precedentes, otimizando o desempenho de transações (custo por IOPS), o desempenho da largura de banda (custo por GB) com baixa latência e fornecendo uma eficiência de capacidade excelente (custo por GB). O VNX oferece os seguintes aprimoramentos de desempenho: Até quatro vezes mais transações de arquivos em comparação com arrays de controladoras duplas Desempenho três vezes melhor dos arquivos para aplicativos de transações (por exemplo, Microsoft Exchange no VMware por NFS), com um tempo de resposta 60% melhor Até quatro vezes mais transações OLTP do Oracle e do Microsoft SQL Server Até seis vezes mais máquinas virtuais Controladoras de armazenamento com array ativo-ativo A arquitetura do VNX fornece controladoras de armazenamento de array ativoativo, como mostrado na Figura 2, o que elimina timeouts de aplicativo durante failover de caminho porque os dois caminhos atendem I/O ativamente. Figura 2. Os processadores ativos/ativos melhoram o desempenho, a resiliência e a eficiência O balanceamento de carga também é aprimorado e os aplicativos podem obter uma melhora de até duas vezes no desempenho. O ativo/ativo para block é ideal para aplicativos que requerem os mais altos níveis de disponibilidade e desempenho, mas não exigem classificação por níveis nem serviços de eficiência, como compactação, desduplicação ou snapshot. 22 Computação do usuário final do EMC VSPEX

23 Capítulo 2: Visão geral da solução Com essa versão do VNX, os clientes do VSPEX podem usar VDMs (virtual Data Movers, Data Movers virtuais) e o VNX Replicator para efetuar migrações automatizadas de arquivos e de alta velocidade entre os sistemas. Esse processo migra todos os snapshots e configurações automaticamente e permite que clients continuem trabalhando durante a migração. Obs.: os processadores ativos/ativos só estão disponíveis para LUNs clássicas, não para LUNs de pool. Unisphere Management Suite O EMC Unisphere Management Suite estende a interface fácil de usar do Unisphere para incluir o monitoramento e emissão de relatórios do VNX a fim de validar o desempenho e prever requisitos de capacidade. Conforme mostrado na Figura 3, o pacote também inclui o Unisphere Remote para gerenciamento centralizado de milhares de sistemas VNX e VNXe com um novo suporte para o EMC XtremSW Cache. Figura 3. Unisphere Management Suite Gerenciamento da virtualização VMware Virtual Storage Integrator O VSI (Virtual Storage Integrator) é um plug-in do vcenter sem custos disponível para todos os usuários da VMware com armazenamento da EMC. Os clientes do VSPEX podem usar o VSI para simplificar o gerenciamento do armazenamento virtualizado. Os administradores da VMware podem obter visibilidade para seu armazenamento da VNX usando a mesma interface familiar do vcenter com a qual estão acostumados. Com o VSI, os administradores de TI podem trabalhar mais e em menos tempo. O EMC Virtual Storage Integrator oferece controle de acesso sem igual que permite gerenciar e delegar tarefas de armazenamento com confiança e eficiência. Execute tarefas de gerenciamento diárias com até 90% menos cliques e até 10 vezes mais produtividade. VMware vstorage APIs for Array Integration O VAAI (VMware vstorage APIs for Array Integration) descarrega as funções relacionadas a armazenamento do VMware do servidor ao sistema de armazenamento, permitindo um uso mais eficiente dos recursos de servidor e de rede, o que proporciona um melhor nível de desempenho e consolidação. Computação do usuário final do EMC VSPEX 23

24 Capítulo 2: Visão geral da solução VMware vstorage APIs for Storage Awareness O VASA (VMware vstorage APIs for Storage Awareness) é uma API da VMware que exibe informações sobre armazenamento pelo vcenter. A integração entre a tecnologia VASA e VNX torna o gerenciamento de ambiente de armazenamento virtualizado uma experiência perfeita. 24 Computação do usuário final do EMC VSPEX

25 Capítulo 3: Visão Geral da Tecnologia da Solução Capítulo 3 Visão Geral da Tecnologia da Solução Este capítulo apresenta os seguintes tópicos: Tecnologia da solução Resumo dos componentes-chave Virtualização de desktop Virtualização Computação Rede Armazenamento Backup e recuperação Segurança ShareFile Computação do usuário final do EMC VSPEX 25

26 Capítulo 3: Visão Geral da Tecnologia da Solução Tecnologia da solução Esta solução VSPEX usa storage arrays EMC VNX5400 (para até desktops virtuais) ou VNX5600 (para até desktops virtuais) e o VMware vsphere 5.1 para fornecer o armazenamento e recursos de computadores para um ambiente Citrix XenDesktop 7 de desktops virtuais Windows 7 provisionado pelo Provisioning Services (PVS) ou pelo Machine Creation Services (MCS). A Figura 4 mostra os componentes da solução. Figura 4. Componentes da solução Em especial, o planejamento e o projeto da infraestrutura de armazenamento para o ambiente XenDesktop são uma etapa essencial, porque o armazenamento compartilhado precisa conseguir absorver grandes picos de I/O (input/output) que ocorrem durante um dia de trabalho. Esses picos podem provocar períodos instáveis e imprevisíveis de desempenho do desktop virtual. Os usuários podem se adaptar ao desempenho lento, mas a imprevisibilidade é frustrante e reduz a eficiência. Para garantir o desempenho previsível de computação do usuário final, o sistema de armazenamento deve ser capaz de manipular a carga de pico de I/O dos clients e, ao mesmo tempo, manter um tempo de resposta mínimo. O projeto dessa carga de trabalho envolve a implementação de muitos discos para manipular períodos breves de alta carga de I/O, o que é caro para implementar. Essa solução usa o FAST Cache para reduzir o número de discos necessários. O backup de última geração da EMC oferece proteção aos dados do usuário e recuperação do usuário final. Isso é obtido através do Avamar e de seu client desktop na imagem do desktop. 26 Computação do usuário final do EMC VSPEX

27 Capítulo 3: Visão Geral da Tecnologia da Solução Resumo dos componentes-chave Esta seção descreve brevemente os componentes-chave desta solução. Desktop O deskop broker de virtualização gerencia o provisionamento, a alocação, a manutenção e a eventual remoção de imagens dos desktops virtuais que são fornecidas aos usuários do sistema. Esse software é essencial para habilitar a criação sob demanda de imagens do desktop, permitir a manutenção da imagem sem afetar a produtividade do usuário e impedir que o ambiente cresça de maneira descontrolada. Virtualização A camada de virtualização permite que a implementação física dos recursos seja separada dos aplicativos que os utilizam. Em outras palavras, a visualização dos recursos disponíveis do aplicativo não está mais diretamente vinculada ao hardware. Isso permite muitos recursos-chave no conceito de computação do usuário final. Computação A camada de computação fornece recursos de memória e processamento para o software da camada de virtualização, além das necessidades dos aplicativos em execução na infraestrutura. O programa VSPEX define a quantidade mínima de recursos de camada de computação necessários, mas permite que o cliente implemente os requisitos usando qualquer hardware de computação que atenda a esses requisitos. Rede A camada de rede conecta os usuários do ambiente aos recursos de que precisam, além de conectar a camada de armazenamento à camada de computação. O programa VSPEX define o número mínimo de portas de rede necessárias para a solução e fornece orientação geral sobre a arquitetura de rede, mas permite que o cliente implemente os requisitos usando qualquer hardware de rede que atenda a esses requisitos. Armazenamento A camada de armazenamento é um recurso essencial para a implementação do ambiente de computação do usuário final. Devido à maneira como os desktops são usados, a camada de armazenamento deve ser capaz de absorver grandes picos de atividade transiente sem impacto indevido na experiência do usuário. Esta solução usa o EMC VNX FAST Cache para manipular essa carga de trabalho com eficiência. Backup e recuperação O componente opcional de backup e recuperação da solução fornece proteção de dados, caso os dados do sistema principal sejam excluídos, danificados ou se tornem inutilizáveis. Segurança Os componentes de segurança da RSA oferecem aos clientes opções adicionais para controlar o acesso ao ambiente e garantir que somente usuários autorizados tenham permissão para usar o sistema. A arquitetura da solução fornece detalhes sobre todos os componentes que compõem a arquitetura de referência. Computação do usuário final do EMC VSPEX 27

28 Capítulo 3: Visão Geral da Tecnologia da Solução Virtualização de desktop Visão geral A virtualização de desktop encapsula e entrega o desktop do usuário a um dispositivo client remoto, que pode ser um client thin, client zero, smartphones ou tablet. Ela permite que assinantes de diferentes locais acessem desktops virtuais hospedados em recursos de computação centralizados em datacenters remotos. Nesta solução, o Citrix XenDesktop é usado para provisionar, administrar, intermediar e monitorar o ambiente de virtualização do desktop. Citrix XenDesktop 7 Na arquitetura do XenDesktop 7, os componentes de gerenciamento e de entrega são compartilhados entre o XenDesktop e o XenApp para oferecer uma experiência de gerenciamento unificada aos administradores. A Figura 5 mostra os componentes da arquitetura do XenDesktop 7. Figura 5. Componentes da arquitetura do XenDesktop 7 28 Computação do usuário final do EMC VSPEX

29 Capítulo 3: Visão Geral da Tecnologia da Solução Os componentes da arquitetura do XenDesktop 7 são descritos conforme a seguir: Receiver Instalado em dispositivos de usuário, o Citrix Receiver oferece aos usuários acesso rápido, seguro e de auto-atendimento a documentos, aplicativos e desktops a partir de qualquer um dos dispositivos do usuário, incluindo smartphones, tablets e computadores. O Receiver fornece acesso sob demanda para aplicativos do Windows, Web e de software como serviço (SaaS). StoreFront O StoreFront autentica os usuários em recursos de hospedagem de site e gerencia lojas de desktops e aplicativos que os usuários acessam. Studio Studio é o console de gerenciamento que permite configurar e gerenciar sua implementação, eliminando a necessidade de consoles de gerenciamento separados para gerenciar a entrega de aplicações e desktops. Ele fornece vários assistentes para guiá-lo pelo processo de criação de seu ambiente, criando suas cargas de trabalho para hospedar aplicativos e desktops e atribuindo aplicativos e desktops aos usuários. Controladora de entrega Instalado em servidores no datacenter, o Controlador de entrega consiste em serviços que se comunicam com o hipervisor para distribuir aplicativos e desktops, autenticar e gerenciar o acesso do usuário e intermediar conexões entre os usuários e seus desktops virtuais e aplicativos. O controlador gerencia o estado dos desktops, iniciando e parando-os com base na demanda e na configuração administrativa. Em algumas edições, o controlador permite que você instale gerenciamento de perfil para gerenciar as configurações de personalização de usuários em ambientes Windows virtualizados ou físicos. Cada local tem um ou mais controladores de entrega. Agente de entrega virtual (VDA) Instalado no servidor ou em sistemas operacionais de estação de trabalho, o VDA permite conexões para desktops e aplicativos. Para acesso remoto ao PC, instale o VDA no computador do escritório. Máquinas do SO do servidor Máquinas virtuais ou máquinas físicas com base no sistema operacional Windows Server, usadas para a entrega de aplicativos ou de desktops compartilhados hospedados (HSDS) aos usuários. Máquinas do SO de desktop Máquinas virtuais ou máquinas físicas com base no sistema operacional Windows Desktop, utilizadas para entregar desktops personalizados para usuários ou aplicativos desde sistemas operacionais de desktop. Acesso a PC remoto Dispositivos de usuário que estão incluídos em uma lista branca, permitindo aos usuários acessar os recursos em seus computadores de escritório remotamente, a partir de qualquer dispositivo que esteja executando o Citrix Receiver. Computação do usuário final do EMC VSPEX 29

30 Capítulo 3: Visão Geral da Tecnologia da Solução Machine Creation Services O MCS (Machine Creation Services) é um mecanismo de provisionamento integrado à interface de gerenciamento do XenDesktop, Citrix Studio, para provisionar, gerenciar e desativar os desktops durante o gerenciamento do ciclo de vida dos desktops em um ponto centralizado de gerenciamento. O MCS permite que vários tipos de máquinas sejam gerenciados dentro de um catálogo no Citrix Studio. A personalização do computador é persistente para máquinas que usam o recurso Personal vdisk, enquanto máquinas vdisk não pessoais são apropriadas se as mudanças de desktop devem ser descartadas quando o usuário fizer log-off. Os desktops provisionados usando o MCS compartilham uma imagem de base comum em um catálogo. Por isso, a imagem de base é geralmente acessada com frequência suficiente para usar naturalmente o FAST Cache, onde dados acessados com frequência são promovidos a flash drives, para fornecer tempo de resposta de I/O ideal com menos discos físicos. Citrix Provisioning Services O Citrix PVS tem uma abordagem diferente das soluções tradicionais de imagem de desktop, mudando fundamentalmente a relação entre o hardware e o software que executa nele. Transmitindo uma única imagem de disco compartilhado (vdisk), em vez de copiar as imagens para máquinas individuais de streaming, o PVS permite às organizações reduzir o número de imagens de disco que elas gerenciam. À medida que o número de máquinas continua crescendo, o DVE fornece a eficiência de um gerenciamento centralizado com as vantagens de processamento distribuído. Como as máquinas transmitem os dados do disco dinamicamente em tempo real a partir de uma única imagem compartilhada, a consistência da imagem da máquina é garantida. Além disso, a configuração, as aplicações e até mesmo SO de grandes pools de máquinas podem mudar completamente durante a operação de reinicialização. Nesta solução, o PVS provisiona 500, ou desktops virtuais executando Windows 7. Os desktops são implantados a partir de um único vdisk. Citrix Personal vdisk Citrix Profile Management O recurso Citrix Personal vdisk é introduzido no XenDesktop 5.6. Com o Personal vdisk, os usuários podem preservar as configurações de personalização e aplicativos instalados pelo usuário em uma área de trabalho em pool. Este recurso é executado redirecionando as alterações da máquina virtual em pool do usuário para um Personal vdisk separado. Durante a execução, o conteúdo do Personal vdisk é combinado ao conteúdo da máquina virtual de base para proporcionar uma experiência unificada ao usuário final. Os dados pessoais do vdisk são preservados durante as operações de reinicialização e atualização. O Citrix Profile Management preserva perfis de usuário e os sincroniza dinamicamente com um repositório de perfis remotos. O Profile Management garante que as configurações pessoais sejam aplicadas a desktops e aplicativos, independentemente do local de log-in do usuário ou do dispositivo client. A combinação de Profile Management com desktops em pool fornece a experiência de um desktop dedicado, reduzindo potencialmente, ao mesmo tempo, a quantidade de armazenamento necessário em uma organização. 30 Computação do usuário final do EMC VSPEX

31 Capítulo 3: Visão Geral da Tecnologia da Solução Com o Profile Management, o perfil remoto de um usuário é obtido dinamicamente por download quando o usuário faz log-in em um XenDesktop. O Profile Management faz o download das informações de perfil do usuário somente quando o usuário precisa. Virtualização Visão geral VMware vsphere 5.1 A camada de virtualização é um componente-chave de qualquer solução de computação de usuário final. Ela permite que os requisitos de recursos de aplicativos sejam separados dos recursos físicos subjacentes que os atendem. Isso proporciona maior flexibilidade na camada do aplicativo eliminando o tempo de inatividade do hardware para manutenção, e ainda permitindo que a capacidade física do sistema seja alterada sem afetar os aplicativos hospedados. O VMware vsphere 5.1 é usado para construir a camada de virtualização para esta solução. O vsphere transforma os recursos físicos de um computador, por meio da virtualização da CPU, memória, armazenamento e rede. Essa transformação cria máquinas virtuais totalmente funcionais que executam sistemas operacionais e aplicativos isolados e encapsulados da mesma forma que computadores físicos. Os recursos de alta disponibilidade do vsphere, como o vmotion e Storage vmotion, permitem a migração perfeita de máquinas virtuais e arquivos armazenados de um servidor vsphere para outro, com pouco ou nenhum impacto sobre o desempenho. Acopladas com vsphere DRS e Storage DRS, as máquinas virtuais têm acesso aos recursos apropriados em qualquer ponto no tempo por meio de balanceamento de carga de recursos de computação e armazenamento. VMware vcenter O VMware vcenter é uma plataforma centralizada de gerenciamento para a infraestrutura virtual do VMware. Ele oferece aos administradores uma interface única que pode ser acessada a partir de vários dispositivos para todos os aspectos de monitoramento, gerenciamento e manutenção da infraestrutura virtual. O vcenter também é responsável pelo gerenciamento de alguns dos recursos mais avançados de infraestrutura virtual do VMware, como o vsphere High Availability e o DRS, juntamente com o vmotion e o Update Manager. VMware vsphere High Availability O recurso VMware vsphere High Availability (HA) permite que a camada de virtualização reinicie máquinas virtuais em várias condições de falha automaticamente. Se o sistema operacional da máquina virtual apresentar um erro, a máquina virtual poderá ser reiniciada automaticamente no mesmo hardware. Se o hardware físico apresentar um erro, as máquinas virtuais impactadas poderão ser reiniciadas automaticamente em outros servidores no cluster. Obs.: Para que o vsphere HA reinicie máquinas virtuais em outro hardware, os recursos devem estar disponíveis nesses servidores. Há recomendações específicas na seção Computação. Computação do usuário final do EMC VSPEX 31

32 Capítulo 3: Visão Geral da Tecnologia da Solução Computação O vsphere HA permite que você configure políticas para determinar quais máquinas são reiniciadas automaticamente e em que condições essas operações devem ser executadas. Visão geral A escolha de uma plataforma de servidor para uma VSPEX Proven Infrastructure não se baseia apenas nos requisitos técnicos do ambiente, mas também na capacidade de suporte da plataforma, nas relações existentes com o provedor de servidor, em recursos avançados de desempenho e gerenciamento e em muitos outros fatores. Por isso, as soluções VSPEX são projetadas para execução em uma ampla variedade de plataformas de servidor. Em vez de exigir determinado número de servidores com um conjunto específico de requisitos, o VSPEX descreve um número de núcleos de processador e uma quantidade de RAM que devem ser fornecidos. A solução pode ser implementada com dois ou 20 servidores, e ainda será considerada a mesma solução VSPEX. Por exemplo, suponha que os requisitos da camada de computação para uma determinada implementação sejam 25 núcleos de processador e 200 GB de RAM. É possível que um cliente queira usar servidores white-box com 16 núcleos de processador e 64 GB de memória RAM, enquanto um segundo cliente opte por um servidor avançado com 20 núcleos de processamento e 144 GB de memória RAM. O primeiro cliente precisa de quatro dos servidores, enquanto o segundo cliente precisa de dois, como mostrado na Figura 6. Figura 6. Flexibilidade da camada de computação 32 Computação do usuário final do EMC VSPEX

33 Capítulo 3: Visão Geral da Tecnologia da Solução Obs.: Para permitir alta disponibilidade na camada de computação, cada cliente precisará de um servidor adicional com capacidade suficiente para fornecer uma plataforma de failover no caso de paralisação do hardware. Observe as seguintes práticas recomendadas na camada de computação: Use servidores idênticos ou, pelo menos, compatíveis. O VSPEX implementa tecnologias de alta disponibilidade de nível de hipervisor que podem exigir conjuntos de instruções semelhantes sobre o hardware físico subjacente. Implementando o VSPEX em unidades de servidor idênticas, você pode minimizar problemas de compatibilidade nessa área. Se você estiver implementando alta disponibilidade na camada de hipervisor, então a maior máquina virtual que você criar ficará restrita pelo menor servidor físico do ambiente. Implemente os recursos de alta disponibilidade disponíveis na camada de virtualização para garantir que a camada de computação tenha recursos suficientes para comportar, no mínimo, falhas de um servidor. Isso permite a implementação de upgrades com tempo mínimo de inatividade e a tolerância a falhas em uma só unidade. Dentro dos limites dessas recomendações e práticas recomendadas, a camada de computação para o VSPEX pode ser suficientemente flexível para atender às suas necessidades específicas. A principal restrição é o provisionamento de um número adequado de núcleos de processador e RAM suficientes por núcleo, para atender às necessidades do ambiente de destino. Rede Visão geral A rede de infraestrutura requer conexões de rede redundantes para cada host do vsphere, o storage array, as portas de interconexão de switches e as portas de uplink de switches. Essa configuração fornece redundância e largura de banda de rede adicional. Essa configuração é necessária, independentemente de a infraestrutura de rede da solução já existir ou estar sendo implementada juntamente com outros componentes da solução. Um exemplo deste tipo de topologia de rede altamente disponível está representado na Figura 7. Obs.: O exemplo é para redes baseadas em IP, mas os mesmos princípios subjacentes de múltiplas conexões e eliminação de pontos únicos de falha também se aplicam a redes baseadas em Fibre Channel. Computação do usuário final do EMC VSPEX 33

34 Capítulo 3: Visão Geral da Tecnologia da Solução Figura 7. Exemplo de projeto de rede altamente disponível Essa solução validada utiliza VLANs (Virtual Local Area Networks, redes de área local virtual) para segregar os vários tipos de tráfego de rede visando a melhorar throughput, capacidade de gerenciamento, separação de aplicativos, alta disponibilidade e segurança. As plataformas de armazenamento unificado da EMC fornecem alta disponibilidade de rede ou redundância ao usar agregação de links. A agregação de links permite que várias conexões Ethernet ativas apareçam como um só link, com um endereço MAC único e possivelmente vários endereços IP. Nesta solução, o LACP (Link Aggregation Control Protocol, protocolo de controle de agregação de links) está configurado no VNX, combinando várias portas Ethernet em um só dispositivo virtual. Se um link for perdido na porta Ethernet, realizará o failover para outra porta. Todo o tráfego de rede é distribuído entre os links ativos. 34 Computação do usuário final do EMC VSPEX

35 Capítulo 3: Visão Geral da Tecnologia da Solução Armazenamento Visão geral EMC VNX Snapshots A camada de armazenamento é também um componente-chave de qualquer solução de infraestrutura em nuvem, proporcionando eficiência de armazenamento, flexibilidade de gerenciamento e redução no custo total de propriedade. Esta solução VSPEX utiliza a série VNX para fornecer virtualização na camada de armazenamento. Para obter mais informações, consulte a seção VNX de última geração da EMC. O VNX Snapshots é um recurso de software que cria cópias de dados point-intime. Os snapshots podem ser usados para backups de dados, desenvolvimento e teste de software, realocações, validação de dados e restauração local rápida. Os snapshots do VNX aprimoram a funcionalidade de snapshots do EMC SnapView existente por meio da integração com pools de armazenamento. Obs.: LUNs criadas em grupos RAID físicos, também chamadas de LUNs RAID, são compatíveis apenas com snapshots do SnapView. Essa limitação existe porque o VNX Snapshots exige espaço em pool como parte de sua tecnologia. O VNX Snapshots dá suporte a 256 snapshots graváveis por LUN de pool. Ele é compatível com branching, também chamado de Snap of a Snap, contanto que o número total de snapshots para qualquer LUN principal seja menor que 256, que é o limite rígido. O VNX Snapshots usa a tecnologia ROW (Redirect on Write, redirecionamento na gravação). Essa tecnologia redireciona novas gravações destinadas à LUN principal para um novo local no pool de armazenamento. Esse tipo de implementação é diferente da COFW (copy on first write) usada no SnapView, que mantém as gravações na LUN principal até que os dados originais sejam copiados para o pool reservado de LUNs a fim de preservar um snapshot. Essa versão também é compatível com CGs (Consistency groups, grupos de consistência). Várias LUNs de pool podem ser combinadas em um CG e ter snapshots realizados simultaneamente. Quando o snapshot de um CG é iniciado, todas as gravações nas LUNs do membro são retidas até que seus snapshots tenham sido criados. Normalmente, CGs são utilizados para LUNs que pertençam ao mesmo aplicativo. EMC SnapSure O EMC SnapSure é um recurso de software do EMC VNX File que permite que você crie e gerencie checkpoints que sejam point-in-time, imagens lógicas de um PFS (Production File System). O SnapSure utiliza um princípio COFW. Um PFS consiste em blocos. Quando um bloco dentro do PFS é modificado, uma cópia com o conteúdo original do bloco é salva em um volume separado, chamado de SavVol. Alterações subsequentes feitas no mesmo bloco do FPS não são copiadas para o SavVol. Os blocos originais do PFS no SavVol e os blocos não alterados restantes no PFS são lidos pelo SnapSure de acordo com uma estrutura de rastreamento de dados de bitmap e mapa de blocos. Esses blocos se combinam para fornecer uma imagem point-in-time completa, chamada de checkpoint. Computação do usuário final do EMC VSPEX 35

36 Capítulo 3: Visão Geral da Tecnologia da Solução Um checkpoint reflete o estado de um PFS no momento em que o checkpoint foi criado. O SnapSure é compatível com estes tipos de checkpoints: Checkpoints somente leitura: Sistemas de arquivos somente leitura criados a partir de um PFS Checkpoints graváveis: Sistemas de arquivos de leitura/gravação criados a partir de um checkpoint somente leitura O SnapSure pode manter um máximo de 96 checkpoints somente leitura e 16 checkpoints graváveis por PFS, ao mesmo tempo que permite aos aplicativos do PFS acesso contínuo a dados em tempo real. Obs.: Cada checkpoint gravável associa-se a um checkpoint somente leitura, o que é chamado de checkpoint da linha de base. Cada checkpoint da linha de base só pode ter um checkpoint gravável associado. Para obter informações detalhadas, consulte o documento do produto Como usar o VNX SnapSure. EMC Virtual Provisioning O EMC Virtual Provisioning permite que as empresas reduzam os custos de armazenamento, aumentando a utilização da capacidade, simplificando o gerenciamento do armazenamento e reduzindo o tempo de inatividade dos aplicativos. O Virtual Provisioning também ajuda as empresas a reduzir os requisitos de energia e refrigeração e a diminuir despesas de capital. O Virtual Provisioning oferece provisionamento baseado em pool implementando LUNs de pool que podem ser thin ou thick. Thin-LUNs oferecem armazenamento sob demanda, que maximiza a utilização de seu armazenamento alocando espaço apenas conforme necessário. Thick-LUNs oferecem alto desempenho e desempenho previsível para seus aplicativos. Ambos os tipos de LUNs se beneficiam dos recursos que facilitam o uso do provisionamento baseado em pool. Pools e LUNs de pool são, também, os componentes modulares dos serviços de dados avançados, como FAST VP, snapshots do VNX e compactação. LUNs de pool também são compatíveis com uma variedade de recursos adicionais, como redução de LUN, expansão on-line e configuração de User Capacity Threshold (limite de capacidade de usuário). O Virtual Provisioning permite que você expanda a capacidade de um pool de armazenamento a partir da GUI do Unisphere depois de os discos serem conectados fisicamente ao sistema. Sistemas VNX têm a capacidade de rebalancear os elementos de dados alocados em todos os drives membros para usar novos drives após o pool ser expandido. A função de rebalanceamento inicia automaticamente e é executada em segundo plano após uma ação de expansão. É possível monitorar o progresso de uma operação de rebalanceamento na guia General da janela Pool Properties no Unisphere, conforme mostrado na Figura Computação do usuário final do EMC VSPEX

37 Capítulo 3: Visão Geral da Tecnologia da Solução Figura 8. Progresso de rebalanceamento do pool de armazenamento Expansão de LUN Use a expansão de LUN de pool para aumentar a capacidade de LUNs existentes. Isso permite o provisionamento de capacidades maiores à medida que as necessidades dos negócios crescerem. A família VNX tem a capacidade de expandir uma LUN de pool sem interromper o acesso do usuário. A expansão da LUN de pool pode ser feita com apenas alguns cliques, e a capacidade ampliada fica disponível imediatamente. No entanto, não é possível expandir uma LUN de pool se ela for parte de uma operação de proteção de dados ou migração de LUN. Por exemplo, LUNs de snapshot ou LUNs em migração não podem ser expandidas. Redução da LUN Use a redução de LUN para diminuir a capacidade de thin-luns existentes. O VNX pode reduzir LUNs de pool. Essa capacidade só está disponível para LUNs com Windows Server 2008 e posterior. O processo de redução consiste nestas etapas: 1. Reduzir o sistema de arquivos do Windows Disk Management. 2. Reduzir a LUN de pool usando uma janela de comando e o utilitário DISKRAID. O utilitário está disponível por meio do VDS Provider, parte do pacote EMC Solutions Enabler. O novo tamanho de LUN é exibido assim que o processo de redução é concluído. Uma tarefa em segundo plano recupera o espaço excluído ou reduzido e o devolve para o pool de armazenamento. Depois que a tarefa está concluída, qualquer outra LUN naquele pool pode usar o espaço recuperado. Para obter informações mais detalhadas sobre a expansão/redução de LUNs, consulte o White Paper EMC VNX Virtual Provisioning Applied Technology. Computação do usuário final do EMC VSPEX 37

38 Capítulo 3: Visão Geral da Tecnologia da Solução Alertas de usuário por meio da configuração de Capacity Threshold Você deve configurar alertas proativos ao usar um sistema de arquivos ou pools de armazenamento baseados em thin-pools. Monitore esses recursos para que o armazenamento fique disponível para provisionamento quando necessário e para que seja possível evitar escassez de capacidade. A Figura 9 explica por que o provisionamento com thin-pools requer monitoramento. Figura 9. Utilização de espaço de thin-lun Monitore os seguintes valores para utilização de thin-pool: Capacidade total é a capacidade física total disponível em todas as LUNs no pool. Alocação total é a capacidade física total atribuída atualmente para todas as LUNs de pool. Capacidade atribuída é o total de capacidade relatada pelo host suportada pelo pool. Capacidade sobrecarregada é o volume de capacidade de usuário configurado para LUNs que excede a capacidade física de um pool. A alocação total nunca poderá exceder a capacidade total. No entanto, caso ela chegue perto disso, adicione armazenamento aos pools de modo proativo antes que o limite rígido seja atingido. 38 Computação do usuário final do EMC VSPEX

39 Capítulo 3: Visão Geral da Tecnologia da Solução A Figura 10 mostra a caixa de diálogo Storage Pool Properties no Unisphere, que exibe parâmetros como Free, Percent Full, Total Allocation e Total Subscription da capacidade física, Percent Subscribed and Oversubscribed By da capacidade virtual. Figura 10. Examinando a utilização de espaço de pool de armazenamento Quando a capacidade do pool de armazenamento se esgota, qualquer solicitação de alocação de espaço adicional em LUNs com provisionamento thin apresenta falha. Geralmente, os aplicativos que tentam gravar dados nessas LUNs também apresentam falha e o resultado provável é uma paralisação. Para evitar essa situação, monitore a utilização de pool e seja avisado quando os limites forem atingidos. Configure o Percentage Full Threshold para permitir que buffer suficiente faça uma correção antes que ocorra uma situação de paralisação. Para editar essa configuração, clique na guia Advanced da caixa de diálogo Storage Pool Properties, conforme exibido no 40 Figura 11. Esse alerta só fica ativo se houver uma ou mais thin-luns no pool, pois thin-luns são a única forma de sobrecarregar um pool. Se o pool só tiver thick-luns, o alerta não ficará ativo, pois não haverá risco de falta de espaço devido a sobrecarga. Você também pode especificar o valor para o Percent Full Threshold, que é igual à Total Allocation/Total Capacity, quando um pool é criado. Computação do usuário final do EMC VSPEX 39

40 Capítulo 3: Visão Geral da Tecnologia da Solução Figura 11. Definindo limites de utilização de pool de armazenamento Visualização de alertas clicando em Alert no Unisphere. A Figura 12 exibe o Unisphere Event Monitor Wizard, no qual você também pode selecionar a opção de receber alertas por , serviço de pager ou trap SNMP. Figura 12. Definição de notificações automatizadas para block A Tabela 1 lista as informações sobre limites e suas configurações. Tabela 1. Limites e configurações no VNX OE Block versão 33 Tipo de limite Faixa de limite Padrão de limite Severidade dos alertas Efeito colateral Configurável pelo usuário 1% a 84% 70% Advertência Nenhum Fontes de dados N/D 85% Crítico Limpa o alerta configurável pelo usuário 40 Computação do usuário final do EMC VSPEX

41 Capítulo 3: Visão Geral da Tecnologia da Solução Permitir que a alocação total exceda 90% da capacidade total faz com que você corra o risco de esgotar o espaço e afetar todos os aplicativos que usem thin- LUNs no pool. EMC FAST Cache EMC FAST VP (opcional) Compartilhamento s de arquivos do VNX ROBO O EMC FAST Cache, parte da EMC FAST Suite, permite que flash drives sejam usados como uma camada de cache expandida para o array. O FAST Cache é um cache para o array todo, que não causa interrupções, disponível para armazenamento de file e block. Os dados acessados com frequência são copiados para o FAST Cache em incrementos de 64 KB. As próximas leituras e/ou gravações feitas no fragmento são executadas pelo FAST Cache. Isso permite imediata promoção de dados muito ativos para flash drives. Isso melhora significantemente os tempos de resposta para os dados ativos e reduz pontos de acesso de dados que podem ocorrer na LUN. O EMC FAST VP, que faz parte da EMC FAST Suite, permite que você classifique dados automaticamente por níveis por meio de vários tipos de drives para aproveitar diferenças no desempenho e na capacidade. O FAST VP é aplicado no nível do pool de armazenamento do bloco e se ajusta automaticamente onde os dados são armazenados, com base na frequência de acesso. Dados acessados com frequência são promovidos a níveis mais altos de armazenamento em incrementos de 256 MB, enquanto os dados acessados raramente podem ser migrados para um nível inferior, proporcionando economia. Este rebalanceamento de unidades de dados de 256 MB, ou fatias, é feito como parte de uma operação de manutenção agendada regularmente. Em muitos ambientes, é importante ter um local comum para armazenar arquivos acessados por muitos indivíduos diferentes. Isso é implementado como compartilhamentos de arquivos CIFS ou NFS a partir de um servidor de arquivos. Os storage arrays do VNX podem fornecer esse serviço em conjunto com gerenciamento centralizado, integração de client, opções avançadas de segurança e recursos de melhoria da eficiência. Para obter mais informações, consulte Como configurar e gerenciar CIFS no VNX. Organizações ROBO (Remote Office/Branch Office) geralmente preferem manter dados e aplicativos perto dos usuários para fornecer melhor desempenho e reduzir a latência. Nesses ambientes, os departamentos de TI precisam equilibrar os benefícios do suporte local com a necessidade de manter controle central. É necessário que o armazenamento e os sistemas locais sejam administrados com facilidade pela equipe local, mas também deem suporte a ferramentas de agregação flexível e gerenciamento remoto que minimizem as demandas desses recursos locais. Com o VSPEX, é possível acelerar a implantação de aplicativos no ROBO. Os clientes também podem aproveitar o Unisphere Remote para consolidar o monitoramento, os alertas do sistema e a geração de relatórios de centenas de locais, ao mesmo tempo em que mantêm a simplicidade da operação e a funcionalidade do armazenamento unificado para gerentes locais. Computação do usuário final do EMC VSPEX 41

42 Capítulo 3: Visão Geral da Tecnologia da Solução Backup e recuperação Visão geral EMC Avamar Backup e recuperação protegem os dados ao fazer backup dos arquivos ou volumes de dados conforme um agendamento definido e a restauração dos dados do backup em caso de recuperação executada após um desastre. Nesta solução VSPEX, o Avamar é usado para criar a pilha, que comporta até máquinas virtuais. O EMC Avamar fornece métodos para backup de desktops virtuais usando operações tanto em nível de imagem quanto com base em guest. O Avamar executa o mecanismo de desduplicação no nível de VMDK (Virtual Machine Disk, disco da máquina virtual) para backup de imagem e em nível de arquivo para backups baseados em guest. A proteção em nível de imagem possibilita que os clients de backup façam cópia de todos os discos virtuais e arquivos de configuração associados ao desktop virtual específico em caso de falha de hardware, corrupção ou exclusão acidental de um desktop virtual. O Avamar reduz significantemente o tempo de backup e recuperação do desktop virtual ao utilizar o CBT (Change Block Tracking, rastreamento de blocos alterados) tanto para backup quanto para recuperação. A proteção baseada em guest é executada como as soluções tradicionais de backup. O backup baseado em guest pode ser usado em qualquer máquina virtual executando um sistema operacional para o qual o client backup do Avamar esteja disponível. Ele permite o controle granular do conteúdo e dos padrões de inclusão e exclusão. Isso pode ser utilizado para impedir perda de dados devido a erros do usuário, como exclusão acidental de arquivo. A instalação do agente de desktop/laptop no sistema a ser protegido permite o autoatendimento do usuário final na capacidade de recuperação de seus dados. Essa solução foi testada com backups baseados em guest. Segurança Autenticação de dois fatores da RSA SecurID A autenticação de dois fatores do RSA SecurID pode proporcionar maior segurança ao ambiente de computação do usuário final do VSPEX, exigindo que o usuário se autentique com duas informações, chamadas coletivamente de senha, que consiste em: Algo que o usuário conheça: Um PIN, que é usado como qualquer outro PIN ou senha Algo que o usuário tenha: Um código de token, especificado por um "token" físico ou de software, que muda a cada 60 segundos O caso de uso típico implementa o SecurID para autenticar usuários que acessam recursos protegidos de uma rede externa ou pública. Solicitações de acesso originárias de uma rede de segurança são autenticadas por mecanismos tradicionais que envolvem o Active Directory ou LDAP. 42 Computação do usuário final do EMC VSPEX

43 Capítulo 3: Visão Geral da Tecnologia da Solução A funcionalidade SecurID é gerenciada pelo RSA Authentication Manager, que também controla as funções administrativas, tais como a atribuição de tokens a usuários, gerenciamento de usuário e alta disponibilidade. O dispositivo de rede Citrix NetScaler e o Citrix Storefront permitem a integração simplificada do SecurID no ambiente XenDesktop. Autenticação SecurID Para solicitações externas de acesso ao ambiente de computação do usuário final do VSPEX com Citrix XenDesktop, é solicitado ao usuário um userid, a senha do SecurID e a senha do Active Directory em uma única caixa de diálogo. Após a autenticação bem-sucedida, o usuário será conectado diretamente a seu desktop virtual. A solicitação de autenticação interna é realizada apenas no Active Directory. A Figura 13 descreve o fluxo de autenticação para uma solicitação externa de acesso ao ambiente XenDesktop. Figura 13. Fluxo de controle de autenticação para solicitações de acesso ao XenDesktop originárias de uma rede externa Obs.: Políticas de autenticação definidas no AGEE (Access Gateway Enterprise Edition) do NetScaler controlam a autenticação no SecurID e no Active Directory. Computação do usuário final do EMC VSPEX 43

44 Capítulo 3: Visão Geral da Tecnologia da Solução A Figura 14 descreve o fluxo de autenticação de acesso interno. A autenticação do Active Directory é iniciada no Citrix Storefront. Figura 14. Fluxo de controle de autenticação para solicitações do XenDesktop provenientes da rede local Obs.: Os usuários só são autenticados no Active Directory. Componentes obrigatórios A ativação do SecurID para soluções VSPEX é descrita em Proteção da computação de usuário final do EMC VSPEX com o RSA SecurID Citrix XenDesktop 7 e Guia de Projeto do VMware vsphere 5.1 para até desktops virtuais. Os seguintes componentes são necessários: RSA SecurID Authentication Manager (versão 8.0): Usado para configurar e gerenciar o ambiente do SecurID e atribuir tokens aos usuários, o Authentication Manager 8,0 está disponível como um dispositivo virtual em execução no host do VMware vsphere. Tokens do SecurID para todos os usuários: O SecurID requer algo que o usuário conhece (um PIN) combinado com um código em constante mudança de um "token" de propriedade do usuário. Os tokens do SecurID podem ser físicos, exibindo em intervalos de 60 segundos um novo código que o usuário deve informar com um PIN, ou baseado em software, em que o usuário fornece um PIN e o código do token é fornecido conforme programação. Os tokens de hardware e software são registrados com o Authentication Manager por meio de "registros de token" fornecidos em um CD ou outra mídia. Dispositivo de rede Citrix NetScaler (versão 10 ou mais recente): A funcionalidade do gateway de acesso do NetScaler gerencia solicitações de autenticação de acesso à RSA SecurID (primário) e ao Active Directory (secundário) provenientes de redes públicas ou externas. O NetScaler também oferece o recurso de balanceamento de carga com suporte de alta disponibilidade aos servidores Authentication Manager e Citrix Storefront. Citrix Storefront (versão 2.0 ou superior): O Storefront fornece autenticação e outros serviços e apresenta os desktops dos usuários aos clients Citrix ou móveis baseados em navegador. 44 Computação do usuário final do EMC VSPEX

45 Capítulo 3: Visão Geral da Tecnologia da Solução Citrix Receiver: O Receiver fornece uma interface com a qual o usuário interage com o desktop virtual ou outro ambiente Citrix virtual como o XenApp ou o XenServer. No contexto desta solução, o client usuário é considerado um ponto periférico de usuário genérico, portanto, versões do client Receiver e opções de otimização para elas não são abordadas. Recursos de computação, memória e armazenamento A Figura 15 mostra o ambiente de computação do usuário final do VSPEX para o XenDesktop com infraestrutura adicional para dar suporte ao SecurID. Todos os componentes necessários podem ser executados em uma configuração redundante, de alta disponibilidade em dois ou mais hosts vsphere com um mínimo de 12 núcleos de CPU e 10 GB de RAM. Figura 15. Arquitetura lógica: Computação do usuário final do VSPEX para o Citrix XenDesktop com RSA Computação do usuário final do EMC VSPEX 45

46 Capítulo 3: Visão Geral da Tecnologia da Solução A Tabela 2 lista os recursos mínimos de hardware para suportar o SecurID. Tabela 2. Recursos mínimos de hardware para dar suporte ao SecurID Componente CPU (núcleos) Memória (GB) Disco (GB) Referência RSA Authentication Manager Citrix NetScaler Citrix Storefront Guia de Desempenho e Dimensionamento do RSA Authentication Manager Guia sobre Como Começar do Citrix NetScaler VPX ShareFile Visão geral ShareFile StorageZones O ShareFile é um serviço de compartilhamento e armazenamento de arquivos baseado em nuvem integrado para armazenamento e segurança de classe empresarial. O ShareFile permite aos usuários compartilhar documentos de forma segura com outros usuários. Os usuários do ShareFile incluem funcionários e usuários que estão fora do diretório empresarial (conhecido como clients). O ShareFile StorageZones permite às empresas compartilhar arquivos em toda a organização, atendendo às questões de conformidade e de regulamentação. O StorageZones permite aos clientes manter seus dados em sistemas de armazenamento que estão no local. Facilita o compartilhamento de grandes arquivos com criptografia completa e oferece a capacidade de sincronizar arquivos com vários dispositivos. Mantendo os dados nos locais e mais perto dos usuários do que os dados que residem na nuvem pública, o StorageZones pode fornecer melhor desempenho e maior segurança. Os principais recursos disponíveis aos usuários do ShareFile StorageZones são: Uso do StorageZones com ou no lugar do armazenamento em nuvem gerenciado pelo ShareFile. Capacidade de configurar o Citrix CloudGateway Enterprise para integrar os serviços do ShareFile com o Citrix Receiver para autenticação do usuário e provisionamento de usuários. Reconciliação automatizada entre a nuvem do ShareFile e a implantação do StorageZones de uma organização. Verificações de vírus automatizadas de arquivos carregados. Recuperação de arquivo do backup do Storage Center (o Storage Center é o componente de servidor do StorageZones). O StorageZones permite navegar pelos registros do arquivo de uma determinada data e hora e marcar os arquivos e pastas a serem restaurados a partir do backup do Storage Center. 46 Computação do usuário final do EMC VSPEX

47 Capítulo 3: Visão Geral da Tecnologia da Solução Arquitetura do ShareFile StorageZones A Figura 16 mostra a arquitetura de alto nível do ShareFile StorageZones. Figura 16. Arquitetura de alto nível do ShareFile A arquitetura de alto nível do ShareFile consiste nos seguintes componentes: Client: Acessa o serviço ShareFile por meio de uma das ferramentas nativas, como um navegador, por meio do Citrix Receiver, ou diretamente por meio da API. Painel de controle: Executa funções como armazenamento de arquivos, pastas e informações de conta, controle de acesso, relatórios e várias outras funções de intermediação. O Control Plane reside em vários datacenters Citrix localizados em todo o mundo. StorageZones: Define os locais onde os dados são armazenados. A alta disponibilidade requer pelo menos dois Storage Centers para StorageZones. O StorageZones deve usar um único compartilhamento de arquivos para todos os seus Storage Centers. O ShareFile Storage Center estende o armazenamento em nuvem do ShareFile SaaS, fornecendo à sua conta do ShareFile armazenamento privado no local, ou seja, no StorageZones. O armazenamento no local do ShareFile é diferente do armazenamento em nuvem pelo seguinte: O armazenamento em nuvem gerenciado pelo ShareFile é um sistema de armazenamento público de vários locatários mantido pela Citrix. Um ShareFile Storage Center é um sistema de armazenamento de um único locatário privado mantido pelo cliente, que pode ser usado apenas por contas de clientes aprovados. Por padrão, o ShareFile armazena dados no armazenamento em nuvem seguro gerenciado pelo ShareFile. O recurso Storage Center permite que você configure o StorageZones privado no local. O StorageZones define os locais onde os dados são armazenados. O StorageZones permite a otimização do desempenho através da localização de armazenamento de dados perto de usuários. Computação do usuário final do EMC VSPEX 47

48 Capítulo 3: Visão Geral da Tecnologia da Solução Com base nos requisitos de desempenho e conformidade da organização, considere o número de StorageZones e onde melhor localizá-los. Por exemplo, se os usuários estiverem na Europa, o armazenamento dos arquivos em um Storage Center localizado na Europa fornece benefícios de desempenho e de conformidade. Em geral, a atribuição de usuários para o local de StorageZones que está mais próximo a eles geograficamente é a melhor prática para otimizar o desempenho. O Storage Center é um serviço da Web que controla todas as operações de HTTPS de usuários finais e o subsistema de controle do ShareFile. O subsistema de controle do ShareFile manipula todas as operações não relacionadas ao conteúdo do arquivo, tais como autenticação, autorização navegação de arquivos, configuração, metadados, envio e solicitação de arquivos e balanceamento de carga. O subsistema de controle também executa exames de estado do Storage Center e impede que os servidores off-line enviem solicitações. O subsistema de controle do ShareFile é mantido em datacenters Citrix Online. O subsistema de armazenamento do ShareFile manipula operações relacionadas ao conteúdo do arquivo, como uploads, downloads e verificação antivírus. Ao criar StorageZones, você está criando um subsistema de armazenamento privado para os dados do ShareFile. Para uma implantação de produção do ShareFile, a melhor prática é utilizar pelo menos dois servidores com o Storage Center instalado para alta disponibilidade. Ao instalar o Storage Center, você cria um StorageZone. Você pode, então, instalar o Storage Center em outro servidor e uni-lo ao mesmo StorageZone. Storage Centers que pertencem ao mesmo StorageZones devem usar o mesmo compartilhamento de arquivos para armazenamento. Uso de StorageZones com arquiteturas VSPEX Esta seção descreve a computação de usuário final VSPEX para o ambiente XenDesktop com infraestrutura adicional para sustentar o StorageZones com Storage Center, como mostrado na Figura 17. A capacidade do servidor é especificada em termos genéricos para os requisitos mínimos de CPU e memória. Você pode selecionar o hardware do servidor e de rede que atenda ou supere os mínimos expressos. O armazenamento recomendado oferece uma arquitetura altamente disponível para a sua implantação do StorageZones. 48 Computação do usuário final do EMC VSPEX

49 Capítulo 3: Visão Geral da Tecnologia da Solução Figura 17. Arquitetura lógica: Computação do usuário final do VSPEX para o Citrix XenDesktop com o ShareFile StorageZones Servidor Um ambiente de produção de alta disponibilidade requer no mínimo dois servidores (máquinas virtuais) com o Storage Center instalado. A Tabela 3 resume os requisitos de CPU e memória para implementar o ShareFile StorageZones com o Storage Center. Tabela 3. Recursos mínimos de hardware para dar suporte ao ShareFile StorageZones com o Storage Center CPU (núcleos) Memória (GB) Referência 2 4 Requisitos de sistema do Storage Center no site de Citrix edocs. Rede Fornece portas de rede suficientes para sustentar os dois requisitos de servidores Storage Center adicionais. Os componentes de rede podem ser implementados usando redes IP de 1 Gb ou 10 Gb, desde que a largura de banda e a redundância sejam suficientes para atender aos requisitos listados. Computação do usuário final do EMC VSPEX 49

50 Capítulo 3: Visão Geral da Tecnologia da Solução Armazenamento O ShareFile StorageZones requer um compartilhamento CIFS para fornecer armazenamento de dados privados para o Storage Center. O VNX pode fornecer acesso a file e block com um conjunto amplo de recursos, fazendo dele uma escolha ideal para qualquer implementação de StorageZones. A série VNX é compatível com uma ampla gama de recursos de classe corporativa, ideais para o armazenamento de StorageZones, inclusive: FAST VP FAST Cache Compactação de dados e desduplicação de arquivos Provisionamento thin Replicação Checkpoints Retenção em nível de arquivo Gerenciamento de cotas A Tabela 4 fornece o armazenamento do VNX necessário para o compartilhamento CIFS do StorageZones. Tabela 4. Armazenamento do VNX recomendado para compartilhamento CIFS do ShareFile StorageZones Armazenamento Configuração Observações Compartilhamen to do CIFS Para 500 usuários: 2 Data Movers (somente variante CIFS ativo/standby) 8 discos NL-SAS de 3,5 polegadas, 2 TB, RPM Para usuários: 2 Data Movers (somente variante CIFS ativo/standby) 16 discos NL-SAS de 3,5 polegadas, 2 TB, RPM Para usuários: 2 Data Movers (somente variante CIFS ativo/standby) 24 discos NL-SAS de 3,5 polegadas, 2 TB, RPM A configuração assume que cada usuário utiliza 10 GB de espaço de armazenamento privado. 50 Computação do usuário final do EMC VSPEX

51 Capítulo 4: Visão Geral da Arquitetura da Solução Capítulo 4 Visão Geral da Arquitetura da Solução Este capítulo apresenta os seguintes tópicos: Visão geral da solução Arquitetura da solução Diretrizes de configuração de servidor Diretrizes de configuração de rede Diretrizes de configuração de armazenamento Alta disponibilidade e failover Perfil do teste de validação Diretrizes de configuração de ambiente de backup Diretrizes de dimensionamento Implementando as arquiteturas de referência Avaliação rápida Computação do usuário final do EMC VSPEX 51

52 Capítulo 4: Visão Geral da Arquitetura da Solução Visão geral da solução O VSPEX elimina muitas sobrecargas de planejamento e configuração de virtualização de servidor incorporando testes abrangentes de interoperabilidade, funcionais e de desempenho realizados pela EMC. O VSPEX acelera sua transformação de TI para computação baseada em nuvem permitindo uma implementação mais rápida, com mais opções, maior eficiência e menor risco. Este capítulo inclui um guia completo para os principais aspectos dessa solução. A capacidade do servidor é especificada em termos genéricos para os requisitos mínimos necessários de CPU, memória e interfaces de rede; você pode escolher o hardware de servidor e sistema de rede que atenda ou exceda os requisitos mínimos estipulados. A arquitetura de armazenamento especificada, juntamente com o cumprimento dos requisitos de sistema de servidor e rede descritos, foi validada pela EMC para oferecer altos níveis de desempenho e uma arquitetura altamente disponível para sua implementação de computação do usuário final. Cada VSPEX Proven Infrastructure validada pela EMC proporciona o balanceamento de armazenamento, rede e recursos de computação necessários para um determinado número de desktops virtuais. Na prática, cada tipo de desktop virtual tem seu próprio conjunto de requisitos que raramente se enquadram em uma ideia predefinida do que seria um desktop virtual. Em qualquer discussão sobre computação do usuário final, uma carga de trabalho de referência deve ser definida previamente. Nem todos os servidores executam as mesmas tarefas e é impraticável criar uma referência que leve em conta todas as combinações possíveis de características das cargas de trabalho. Arquitetura da solução Visão geral A solução VSPEX End-User Computing para até desktops virtuais foi validada em três pontos de referência diferentes. Essas configurações definidas formam a base para criar uma solução personalizada. Esses pontos de escala são definidos em termos da carga de trabalho de referência. Obs.: O VSPEX usa o conceito de uma carga de trabalho de referência para descrever e definir uma máquina virtual. Por isso, um desktop físico ou virtual em um ambiente existente pode não ser igual a um desktop virtual em uma solução VSPEX. Avalie sua carga de trabalho em termos de referência para chegar a um ponto de escala apropriado. O process Aplicando a carga de trabalho de referência Aplicando a carga de trabalho de referência. 52 Computação do usuário final do EMC VSPEX

53 Capítulo 4: Visão Geral da Arquitetura da Solução Arquitetura lógica Os diagramas de arquitetura nesta seção mostram o layout dos principais componentes nas soluções para as duas variantes de armazenamento: NFS e Fibre Channel (FC). A Figura 18 mostra a arquitetura lógica da variante NFS, onde 10 GbE transportam todo o tráfego de rede. Figura 18. Arquitetura lógica para variante NFS Obs.: Os componentes de sistema de rede da solução podem ser implementados usando redes IP de 1 Gb ou 10 Gb, desde que a largura de banda e a redundância sejam suficientes para atender aos requisitos listados. Computação do usuário final do EMC VSPEX 53

54 Capítulo 4: Visão Geral da Arquitetura da Solução A Figura 19 representa a arquitetura lógica da variante FC, onde uma FC SAN transporta o tráfego de armazenamento e 1 GbE transporta o tráfego de rede. Figura 19. Arquitetura lógica para variante FC Obs.: Os componentes de sistema de rede da solução podem ser implementados usando redes IP de 1 Gb ou 10 Gb, desde que a largura de banda e a redundância sejam suficientes para atender aos requisitos listados. Componenteschave A seguir, estão os componentes principais das soluções. Controladora Citrix XenDesktop 7 Usamos 1 dois controladores de entrega Citrix XenDesktop para oferecer entrega de desktop virtual redundante, autenticar usuários, gerenciar o conjunto de ambientes de desktop virtual dos usuários e intermediar conexões entre usuários e seus desktops virtuais. Servidor de provisionamento Citrix Foram utilizados dois servidores Citrix PVS para fornecer serviços de fluxo redundantes para transmitir imagens de desktop de vdisks, conforme necessário, para dispositivos de destino. Nesta solução, vdisks são armazenados em um compartilhamento CIFS que é hospedado pelo sistema de armazenamento VNX. Desktops virtuais Desktops virtuais executando o Windows 7 são provisionados usando MCS e PVS. 1 Neste guia, "nós" refere-se à equipe de engenharia de Soluções EMC que validou a solução. 54 Computação do usuário final do EMC VSPEX

55 VMware vsphere 5.1 Capítulo 4: Visão Geral da Arquitetura da Solução O VMware vsphere oferece uma camada de virtualização comum para hospedar um ambiente de servidor. A Tabela 14 na página 89 lista as especificações do ambiente validado. O VMware VSphere 5.1 fornece uma infraestrutura altamente disponível por meio de recursos como: vmotion: fornece migração em tempo real de máquinas virtuais em um cluster de infraestrutura virtual, sem tempo de inatividade de máquinas virtuais ou interrupção de serviço Storage vmotion: fornece migração em tempo real de arquivos em disco de máquinas virtuais em storage arrays e entre eles, sem tempo de inatividade de máquinas virtuais ou interrupção de serviço. vsphere HA: detecta e fornece recuperação rápida para uma máquina virtual com falha em um cluster Distributed Resource Scheduler: Fornece balanceamento de carga de capacidade de computação em um cluster Storage Distributed Resource Scheduler (SDRS): Fornece balanceamento de carga entre vários datastores, com base no uso do espaço e latência de I/O VMware vcenter Server 5.1 o vcenter Server fornece uma plataforma dimensionável e extensível que forma a base do gerenciamento de virtualização do cluster VMware vsphere 5.1. Todos os hosts do vsphere e suas máquinas virtuais são gerenciados pelo vcenter. Microsoft SQL Server vcenter Server, controladores XenDesktop e servidores de provisionamento exigem um serviço de banco de dados para armazenar os detalhes de configuração e de monitoramento. Um Microsoft SQL Server 2008 R2 executado em um Windows 2008 R2 Server é usado para essa finalidade. Servidor do Active Directory Os serviços do Active Directory são necessários para que os vários componentes da solução funcionem corretamente. O Microsoft AD Directory Service executado em um servidor Windows Server 2012 é utilizado para este fim. Servidor DHCP O servidor DHCP gerencia centralmente o esquema de endereços IP de desktops virtuais. Esse serviço está hospedado na mesma máquina virtual do controlador de domínio e do servidor DNS. O Microsoft DHCP Service executado em um servidor com Windows 2012 é usado com essa finalidade. Servidor DNS Os serviços DNS são necessários para que os vários componentes da solução executem a resolução de nomes. O Microsoft DNS Service executado em um servidor Windows Server 2012 é utilizado para este fim. Computação do usuário final do EMC VSPEX 55

56 Capítulo 4: Visão Geral da Arquitetura da Solução EMC Virtual Storage Integrator for VMware vsphere O EMC VSI para VMware vsphere (VSI) é um plug-in para o vsphere Client que fornece gerenciamento de armazenamento para arrays EMC diretamente do client. O VSI é altamente personalizável e ajuda a fornecer uma interface de gerenciamento unificada. Redes IP/armazenamento Todo o tráfego de rede é realizado pela rede Ethernet padrão com conexão e switches redundantes. O tráfego do usuário e de gerenciamento é transportado por uma rede compartilhada, enquanto o tráfego de armazenamento NFS é transportado por uma sub-rede privada sem roteamento. Rede IP A infraestrutura de rede Ethernet fornece conectividade IP entre desktops virtuais, clusters vsphere e armazenamento VNX. Para a variante NFS, a infraestrutura de IP permite que servidores vsphere acessem datastores NFS no VNX e fluxo contínuo de desktop de servidores PVS com grande largura de banda e baixa latência. Isso também permite que os usuários de desktops redirecionem seus perfis e diretórios de usuário para compartilhamentos do CIFS mantidos centralmente no VNX. Rede FC Para a variante FC, o tráfego de armazenamento entre todos os hosts vsphere e o sistema de armazenamento VNX é transportado por uma rede FC. Todo o restante do tráfego é transportado pela rede IP. Array EMC VNX5400 Um array VNX5400 fornece armazenamento ao apresentar datastores NFS/FC a hosts vsphere para até desktops virtuais. Array EMC VNX5600 Um array VNX5600 fornece armazenamento ao apresentar datastores NFS/FC a hosts vsphere para até desktops virtuais. Os storage arrays da série VNX incluem os seguintes componentes: SPs suportam dados de bloco com tecnologia de I/O UltraFlex que suporta protocolos FC, iscsi e Fibre Channel over Ethernet (FCoE). As SPs oferecem acesso a todos os hosts externos e aos arquivos do array VNX. O DPE (Disk-Processor Enclosure) tem 3U de tamanho e hospeda cada uma das controladoras de armazenamento, bem como a primeira bandeja de discos. Esse fator-forma é usado no VNX5300 e no VNX5500. Data Movers (ou X-Blades) acessam dados do back-end e dão acesso ao host usando a mesma tecnologia de I/O UltraFlex que dá suporte aos protocolos Network File System (NFS), Common Internet File System (CIFS), Multi-Path File System (MPFS) e Parallel NFS (pnfs). Os X-Blades de cada array são dimensionáveis e fornecem redundância para garantir que não haja nenhum ponto de falha. O DME (Data Mover enclosure) tem 2U de tamanho e hospeda os Data Movers. Em forma, o DME é semelhante ao SPE, sendo usado em todos os modelos VNX que dão suporte a arquivos. 56 Computação do usuário final do EMC VSPEX

57 Capítulo 4: Visão Geral da Arquitetura da Solução As fontes de alimentação em standby têm 1U de tamanho e fornecem energia suficiente a cada controladora de armazenamento para garantir que qualquer dado em trânsito seja transferido para a área do compartimento em caso de falta de energia. Isso garante que as gravações não sejam perdidas. Após o array ser reiniciado, é feita a reconciliação e a persistência das gravações pendentes. As Control Stations têm 1U de tamanho e oferecem funções de gerenciamento aos componentes relacionados ao arquivo, denominados X-Blades. A Control Station é responsável pelo failover do X-Blade. Opcionalmente, a Control Station pode ser configurada com uma Control Station secundária correspondente para garantir redundância sobre o array VNX. Os DAEs (Disk-Array Enclosures) hospedam os drives usados no array. EMC Avamar O software Avamar fornece a plataforma para proteção das máquinas virtuais. Essa estratégia de proteção utiliza desktops virtuais persistentes. Ela também utiliza proteção de imagem e recuperações do usuário final. Recursos de hardware A Tabela 5 lista o hardware usado nesta solução. Tabela 5. Hardware da solução Hardware Configuração Observações Servidores para desktops virtuais Memória: SO do desktop: 2 GB de RAM por desktop: 1 TB de RAM em todos os servidores para 500 desktops virtuais 2 TB de RAM em todos os servidores para desktops virtuais 4 TB de RAM em todos os servidores para desktops virtuais SO do servidor: 0,6 GB de RAM por desktop: 300 GB de RAM entre todos os servidores para 500 desktops virtuais 600 GB de RAM entre todos os servidores para desktops virtuais 1,2 TB de RAM entre todos os servidores para desktops virtuais Capacidade total do servidor necessária para hospedar desktops virtuais Computação do usuário final do EMC VSPEX 57

58 Capítulo 4: Visão Geral da Arquitetura da Solução Hardware Configuração Observações CPU: SO do desktop: 1 vcpu por desktop (8 desktops por núcleo): 63 núcleos em todos os servidores para 500 desktops virtuais 125 núcleos entre todos os servidores para desktops virtuais 250 núcleos entre todos os servidores para desktops virtuais SO do servidor: 0,2 vcpu por desktop (5 desktops por núcleo): 100 núcleos entre todos os servidores para 500 desktops virtuais 200 núcleos entre todos os servidores para desktops virtuais 400 núcleos entre todos os servidores para desktops virtuais Rede: 6 NICs de 1 GbE por servidor independente para 500 desktops virtuais 3 NICs de 10 GbE por chassi de blade ou 6 NICs de 1 GbE por servidor independente para 1.000/2.000 desktops Infraestrutura de rede Capacidade mínima de switch para a variante NFS: 2 switches físicos 6 portas de 1 GbE por servidor vsphere ou 3 portas de 10 GbE por chassi de blade 1 porta de 1 GbE por Control Station para gerenciamento 2 portas de 10 GbE por Data Mover para dados Capacidade mínima de switch para a variante FC: 2 portas de 1 GbE por servidor vsphere 4 portas FC de 4/8 Gb para back-end de VNX 2 portas FC de 4/8 Gb por servidor vsphere Configuração de LAN (Local Area Network, rede de área local) redundante Configuração de LAN/SAN redundante 58 Computação do usuário final do EMC VSPEX

59 Capítulo 4: Visão Geral da Arquitetura da Solução Hardware Configuração Observações Comum: 2 interfaces de 10 GbE por Data Mover 2 portas FC de 8 Gb por controladora de armazenamento (somente variante FC) Para 500 desktops virtuais: 2 Data Movers (somente variante NFS ativa/standby) Discos SAS de 3,5 polegadas, 600 GB, RPM Número de drives PvD Não PvD HSD PVS MCS flash drives de 100 GB, 3,5 polegadas Para desktops virtuais: 2 Data Movers (somente variante NFS ativa/standby) Discos SAS de 3,5 polegadas, 600 GB, RPM Número de drives PvD Não PvD HSD Armazenamento compartilhado VNX para desktops virtuais Armazenamento PVS MCS flash drives de 100 GB, 3,5 polegadas Para desktops virtuais: 2 Data Movers (somente variante NFS ativa/standby) Discos SAS de 3,5 polegadas, 600 GB, RPM Número de drives PvD Não PvD HSD PVS MCS flash drives de 3,5 polegadas, 100 GB Para 500 desktops virtuais: 16 discos NL-SAS de 3,5 polegadas, 2 TB, RPM Para desktops virtuais: 24 discos NL-SAS de 3,5 polegadas, 2 TB, RPM Para desktops virtuais: 48 discos NL-SAS de 3,5 polegadas, 2 TB, RPM Opcional para dados do usuário Computação do usuário final do EMC VSPEX 59

60 Capítulo 4: Visão Geral da Arquitetura da Solução Hardware Configuração Observações Infraestrutura compartilhada Backup EMC de última geração Servidores para a infraestrutura do cliente Para 500 desktops virtuais: 5 discos SAS de 3,5 polegadas, 600 GB, RPM Para desktops virtuais: 5 discos SAS de 3,5 polegadas, 600 GB, RPM Para desktops virtuais: 5 discos SAS de 3,5 polegadas, 600 GB, RPM Na maioria dos casos, um ambiente de cliente já terá serviços de infraestrutura configurados, como o Active Directory e DNS,. A configuração desses serviços está além do escopo deste documento. Se essa solução estiver sendo implementada sem infraestrutura existente, um número mínimo de servidores adicionais será necessário: 2 servidores físicos 20 GB de RAM por servidor 4 núcleos de processador por servidor 2 de 1 GbE por servidor Avamar: 1 nó utility Gen4 1 nó de reposição Gen4 de 3,9 TB 3 nós de armazenamento Gen4 de 3,9 TB Número mínimo necessário: 2 servidores físicos 20 GB de RAM por servidor 4 núcleos de processador por servidor 2 de 1 GbE por servidor Opcional para armazenamento de infraestrutura Os serviços podem ser migrados para o VSPEX após a implementação, mas devem existir antes de o VSPEX ser implementado Esses servidores e as funções que desempenham podem já existir no ambiente do cliente 60 Computação do usuário final do EMC VSPEX

61 Capítulo 4: Visão Geral da Arquitetura da Solução Recursos de software A Tabela 6 lista o software usado nesta solução. Tabela 6. Software da solução Software Configuração O VNX5400 ou VNX5600 (armazenamento compartilhado, sistemas de arquivos) VNX OE para arquivos Versão VNX OE para block Versão 33 ( ) EMC VSI para VMware vsphere: Gerenciamento de armazenamento unificado EMC VSI para VMware vsphere: Storage Viewer 5,6 5,6 Virtualização de desktop XenDesktop Controladora do XenDesktop Sistema operacional para controladora XenDesktop Microsoft SQL Server Versão 7 Platinum Edition Windows Server 2008 R2 Standard Edition Versão 2008 R2 Standard Edition Backup de última geração Avamar 7.0 VMware vsphere vsphere Server 5.1 vcenter Server 5.1 Sistema operacional para vcenter Server Plug-in VAAI (vstorage API for Array Integration, API do vstorage para a integração de arrays) (somente variante NFS) PowerPath Virtual Edition (somente variante FC) Windows Server 2008 R2 Standard Edition Desktops virtuais Obs.: Além do SO de base, o software foi usado para validação da solução e não é necessário. Sistema operacional básico Microsoft Windows 7 Enterprise (32 bits) SP1 Windows Server 2008 R2 SP1 Standard Edition Microsoft Office Office Enterprise 2007 Versão 12 Internet Explorer Adobe Reader 9.1 Adobe Flash Player Computação do usuário final do EMC VSPEX 61

62 Capítulo 4: Visão Geral da Arquitetura da Solução Software Configuração Bullzip PDF Printer FreeMind Dimensionamento para a configuração validada Ao selecionar servidores para essa solução, o núcleo do processador deverá atender ou exceder o desempenho da família Intel Nehalem em 2,66 GHz. À medida que servidores com velocidades superiores de processador, maior desempenho e maior densidade de núcleo tornam-se disponíveis, você consolidar os servidores, desde que o total de núcleo e memória exigido seja atendido e um número suficiente de servidores seja incorporado para dar suporte ao nível necessário de alta disponibilidade. Assim como os servidores, a velocidade e a quantidade de NICs (Network Interface Card, placas de interface de rede) também podem ser consolidadas desde que os requisitos gerais de largura de banda para essa solução e a redundância suficiente necessária para dar suporte à alta disponibilidade sejam mantidos. A Tabela 7 mostra as configurações de cada servidor com dois soquetes de quatro núcleos e 128 GB de memória RAM, e mais dois de 10 GbE por cada chassi de blade que dá suporte a essa solução. Tabela 7. Configurações que dão suporte a essa solução Tipo de desktop Número de servidores Número de desktops virtuais Total de núcleos Total de RAM SO do desktop TB TB TB SO do servidor GB GB ,2 TB Conforme mostrado na Tabela 7, o SO do desktop requer o mínimo de um núcleo para dar suporte a oito desktops virtuais e um mínimo de 2 GB de RAM para cada. O equilíbrio correto de memória e núcleos para o número esperado de desktops virtuais compatível com um servidor também deve ser levado em consideração. Por exemplo, um servidor para dar suporte a 24 desktops virtuais requer um mínimo de três núcleos, mas também um mínimo de 48 GB de RAM. Os switches de rede IP usados para implementar essa arquitetura de referência devem ter uma capacidade mínima de backplane de 96 (para 500 desktops virtuais), 192 (para desktops virtuais) ou 320 (para desktops virtuais) Gb/s sem bloqueios e dar suporte aos seguintes recursos: Controle de fluxo Ethernet IEEE 802.1x Marcação de VLAN 802.1q Agregação de links de Ethernet por meio de protocolo de controle de agregação de links IEEE 802.1ax (802.3ad) 62 Computação do usuário final do EMC VSPEX

63 Recurso de gerenciamento de SNMP Jumbo-frames Capítulo 4: Visão Geral da Arquitetura da Solução A quantidade e o tipo de switches escolhidos devem aceitar alta disponibilidade; escolher um fornecedor de rede com base na disponibilidade de peças, serviços e contratos de suporte também é recomendado. Além dos recursos acima, a configuração da rede deve incluir o seguinte: Um mínimo de dois switches para dar suporte à redundância Fontes de alimentação redundantes Um mínimo de 40 portas de 1 GbE (para 500 desktops virtuais), 2 portas de 1 GbE e 14 de 10 GbE (para desktops virtuais), ou 2 portas de 1 GbE e 22 de 10 GbE (para desktops virtuais), distribuídas para alta disponibilidade As portas de uplink apropriadas para conectividade do cliente O uso de portas de 10 GbE deve se alinhar com uso de portas no servidor e no armazenamento, tendo em mente os requisitos gerais de rede para essa solução e um nível de redundância para dar suporte à alta disponibilidade. Além disso, considere NICs de servidor adicionais e conexões de armazenamento, com base em requisitos do cliente ou de implementação específica. A infraestrutura de gerenciamento (Active Directory, DNS, DHCP e SQL Server) pode ser compatível em dois servidores semelhantes aos anteriormente definidos, mas exige um mínimo de 20 GB de RAM em vez de 128 GB. Diretrizes de configuração de servidor descrevem o layout de armazenamento em disco. Diretrizes de configuração de servidor Visão geral Quando você projeta e ordena as camadas de computação e servidor da solução VSPEX, deve considerar os vários fatores que podem alterar a compra final. De uma perspectiva de virtualização, se a carga de trabalho de um sistema for bem compreendida, recursos como ballooning de memória e compartilhamento transparente de página poderão reduzir as exigências de memória agregada. Se o pool de desktops virtuais não tiver um alto nível de pico ou uso simultâneo, o número de vcpus poderá ser reduzido. Por outro lado, se os aplicativos que estiverem sendo implementados usarem, por natureza, muitos recursos de computação, o número de CPUs e memória adquirido talvez tenha que ser maior. Computação do usuário final do EMC VSPEX 63

64 Capítulo 4: Visão Geral da Arquitetura da Solução A Tabela 8 oferece detalhes de configuração para os servidores de desktop virtual e hardware de rede. Tabela 8. Hardware de servidor Servidores para desktops virtuais CPU Memória Rede Configuração SO do desktop: 1 vcpu por desktop (8 desktops por núcleo): 63 núcleos em todos os servidores para 500 desktops virtuais 125 núcleos entre todos os servidores para desktops virtuais 250 núcleos entre todos os servidores para desktops virtuais SO do servidor: 0,2 vcpu por desktop (5 desktops por núcleo): 100 núcleos entre todos os servidores para 500 desktops virtuais 200 núcleos entre todos os servidores para desktops virtuais 400 núcleos entre todos os servidores para desktops virtuais SO do desktop: 2 GB de RAM por desktop: 1 TB de RAM em todos os servidores para 500 desktops virtuais 2 TB de RAM em todos os servidores para desktops virtuais 4 TB de RAM entre todos os servidores para desktops virtuais Reserva de 2 GB de RAM por host do vsphere SO do servidor: 0,6 GB de RAM por desktop: 300 GB de RAM entre todos os servidores para 500 desktops virtuais 600 GB de RAM entre todos os servidores para desktops virtuais 1,2 TB de RAM entre todos os servidores para desktops virtuais Reserva de 2 GB de RAM por host do vsphere 6 NICs de 1 GbE por servidor para 500 desktops virtuais 3 NICs de 10 GbE por chassi de blade ou 6 NICs de 1 GbE por servidor independente para desktops virtuais 3 NICs de 10 GbE por chassi de blade ou 6 NICs de 1 GbE por servidor independente para desktops virtuais Virtualização de memória do VMware vsphere para VSPEX O VMware vsphere 5 tem uma série de recursos avançados que ajudam a maximizar o desempenho e a utilização geral de recursos. O gerenciamento de memória é o mais importante desses recursos. Esta seção descreve alguns desses recursos e os itens que você precisa para considerar ao usá-los no ambiente. 64 Computação do usuário final do EMC VSPEX

65 Capítulo 4: Visão Geral da Arquitetura da Solução Em geral, você pode considerar máquinas virtuais em um só hipervisor consumindo memória como um pool de recursos. A Figura 20 mostra um exemplo do consumo de memória no nível do hipervisor. Figura 20. Consumo de memória de hipervisor Superalocação de memória A superalocação de memória ocorre quando é alocada mais memória às máquinas virtuais do que a quantidade de memória fisicamente presente em um host VMware vsphere. Com o uso de técnicas sofisticadas, como ballooning e compartilhamento transparente de página, o vsphere pode manipular a superalocação de memória sem nenhuma degradação de desempenho. No entanto, se estiver ativamente usando mais memória do que a presente no servidor, o vsphere pode recorrer a trocar partes da memória de uma máquina virtual. Acesso não uniforme à memória O vsphere usa um balanceador de carga NUMA (Non-Uniform Memory Access, acesso não uniforme à memória) para atribuir um nó de base a uma máquina virtual. Como a memória da máquina virtual é atribuída a partir do nó de base, o acesso à memória é local e proporciona o melhor desempenho possível. Os aplicativos que não aceitam diretamente o NUMA também se beneficiam desse recurso. Computação do usuário final do EMC VSPEX 65

66 Capítulo 4: Visão Geral da Arquitetura da Solução Compartilhamento transparente de página As máquinas virtuais que executam sistemas operacionais e aplicativos semelhantes têm geralmente conjuntos idênticos de conteúdo da memória. O compartilhamento de página permite que o hipervisor recupere cópias redundantes e mantenha apenas uma cópia, o que libera o consumo total de memória do host. Se a maioria de suas máquinas virtuais de aplicativos executar o mesmo sistema operacional e binários de aplicativo, o uso total de memória poderá ser reduzido para aumentar as taxas de consolidação. Ballooning de memória Usando um driver de ballooning carregado no sistema operacional guest, o hipervisor pode recuperar memória física do host, se os recursos de memória estiverem em conflito de acesso. Isso é realizado com pouco ou nenhum impacto no desempenho do aplicativo. Diretrizes de configuração de memória Esta seção fornece diretrizes para a alocação de memória a máquinas virtuais. As diretrizes descritas aqui levam em conta a sobrecarga de memória do vsphere e as configurações de memória da máquina virtual. Sobrecarga de memória do vsphere A virtualização dos recursos de memória tem sobrecarga associada. A sobrecarga de espaço de memória tem dois componentes: Sobrecarga fixa de sistema para o VMkernel Sobrecarga adicional para cada máquina virtual A quantidade de memória de sobrecarga adicional para o VMkernel é fixa, enquanto cada máquina virtual depende do número de CPUs virtuais e a memória configurada para o sistema operacional guest. Alocação de memória a máquinas virtuais O dimensionamento adequado da memória de uma máquina virtual em arquiteturas VSPEX é baseado em vários fatores. Com o número de serviços de aplicativo e casos de uso disponíveis, a determinação de uma configuração adequada para um ambiente requer a criação de uma configuração de linha de base, testes e ajustes, conforme discutido mais adiante neste guia. A Tabela 14 na página 89 destaca os recursos utilizados por uma máquina virtual única. 66 Computação do usuário final do EMC VSPEX

67 Capítulo 4: Visão Geral da Arquitetura da Solução Diretrizes de configuração de rede Visão geral Esta seção fornece diretrizes para efetuar uma configuração de rede redundante e altamente disponível. Estas diretrizes levam em conta jumbo-frames, VLAN e LACP (Link Aggregation Control Protocol, protocolo de controle de agregação de links) no armazenamento unificado da EMC. A Tabela 9 oferece requisitos de recurso de rede detalhados. Tabela 9. Recursos de hardware para rede Componente Configuração Infraestrutura de rede Capacidade mínima de switches Block 2 switches físicos 2 portas x 10 GbE por servidor vsphere 1 porta de 1 GbE por Control Station para gerenciamento 2 x portas FC/CEE/10GbE por servidor vsphere para rede de armazenamento 2 portas FC/CEE/10 GbE por SP para dados de desktop 2 portas de 10 GbE por Data Mover para dados de usuário File 2 switches físicos 4 portas de 10 GbE por servidor vsphere 1 porta de 1 GbE por Control Station para gerenciamento 2 portas de 10 GbE por Data Mover para dados Obs.: A solução pode usar uma infraestrutura de rede de 1 Gb, desde que os requisitos subjacentes de largura de banda e redundância sejam atendidos. VLAN É uma prática recomendada isolar o tráfego de rede para que o tráfego entre hosts e armazenamento e hosts e clients, bem como o tráfego de gerenciamento, todos se movam por meio de redes isoladas. Em alguns casos, o isolamento físico pode ser necessário por razões de conformidade normativa ou de política, mas em muitos casos o isolamento lógico usando VLANs é suficiente. Esta solução exige, no mínimo, três VLANs, conforme mostrado na Figura 21: ACESSO DO CLIENT Armazenamento Gerenciamento A rede de acesso do client é para os usuários do sistema, ou clients, para se comunicarem com a infraestrutura. A rede de armazenamento é usada para comunicação entre a camada de computação e a camada de armazenamento. A rede de gerenciamento fornece aos administradores uma forma dedicada de acessar as conexões de gerenciamento no storage array, nos switches de rede e nos hosts. Computação do usuário final do EMC VSPEX 67

68 Capítulo 4: Visão Geral da Arquitetura da Solução Figura 21. Redes necessárias Obs.: Algumas práticas recomendadas exigem isolamento de rede adicional para o tráfego de cluster, a comunicação de camada de virtualização e outros recursos. Essas redes adicionais podem ser implementadas, se necessário, mas elas não são obrigatórias. Obs.: Se a opção de rede de armazenamento FC for escolhida para a implementação, práticas recomendadas e princípios de projeto semelhantes serão aplicáveis. Habilitar jumbo-frames Defina a MTU a (jumbo-frames) para obter armazenamento e tráfego de migração eficientes. Agregação de links A agregação de links é parecida com um canal Ethernet, mas utiliza o padrão LACP IEEE 802.3ad. O IEEE 802.3ad padrão aceita agregações de link com duas ou mais portas. Todas as portas na agregação devem ter a mesma velocidade e ser full duplex. Nesta solução, o LACP é configurado no VNX, combinando várias portas Ethernet em um só dispositivo virtual. Se um link for perdido na porta Ethernet, realizará o failover para outra porta. Todo o tráfego de rede é distribuído entre os links ativos. 68 Computação do usuário final do EMC VSPEX

69 Diretrizes de configuração de armazenamento Capítulo 4: Visão Geral da Arquitetura da Solução Visão geral O vsphere permite mais de um método de uso de armazenamento ao hospedar máquinas virtuais. As soluções descritas nesta seção e nesta seção e na Tabela 10 foram testadas utilizando o NFS, e o layout de armazenamento descrito está de acordo com todas as práticas recomendadas atuais. Clientes e arquitetos instruídos podem fazer modificações com base em sua compreensão do uso de sistemas e de carga, se necessário. Tabela 10. Hardware de armazenamento Configuração Comum: 2 interfaces de 10 GbE por Data Mover 2 portas FC de 8 Gb por SP (somente variante FC) Observações Para 500 desktops virtuais: 2 Data Movers (somente variante NFS ativa/standby) Discos SAS de 3,5 polegadas, 600 GB, RPM Número de drives PvD Não PvD HSD PVS MCS flash drives de 100 GB, 3,5 polegadas Para desktops virtuais: 2 Data Movers (somente variante NFS ativa/standby) Discos SAS de 3,5 polegadas, 600 GB, RPM Número de drives PvD Não PvD HSD PVS Armazenamento compartilhado VNX para desktops virtuais MCS flash drives de 100 GB, 3,5 polegadas Para desktops virtuais: 2 Data Movers (somente variante NFS ativa/standby) Discos SAS de 3,5 polegadas, 600 GB, RPM Número de drives PvD Não PvD HSD PVS MCS flash drives de 3,5 polegadas, 100 GB Computação do usuário final do EMC VSPEX 69

70 Capítulo 4: Visão Geral da Arquitetura da Solução Configuração Para 500 desktops virtuais: 16 discos NL-SAS de 3,5 polegadas, 2 TB, RPM Para desktops virtuais: 24 discos NL-SAS de 3,5 polegadas, 2 TB, RPM Para desktops virtuais: 48 discos NL-SAS de 3,5 polegadas, 2 TB, RPM Para 500 desktops virtuais: 5 discos SAS de 3,5 polegadas, 600 GB, RPM Para desktops virtuais: 5 discos SAS de 3,5 polegadas, 600 GB, RPM Para desktops virtuais: 5 discos SAS de 3,5 polegadas, 600 GB, RPM Observações Opcional para dados do usuário Opcional para armazenamento de infraestrutura Virtualização de memória do VMware vsphere para VSPEX O vsphere fornece virtualização de armazenamento no nível de host. Ele virtualiza o armazenamento físico e apresenta o armazenamento virtualizado à máquina virtual. Uma máquina virtual armazena seu sistema operacional e todos os outros arquivos relacionados às atividades da máquina virtual em um disco virtual. O disco virtual é um arquivo ou vários arquivos. O VMware usa uma controladora SCSI virtual para apresentar discos virtuais ao sistema operacional guest em execução nas máquinas virtuais. O disco virtual reside em um datastore. Dependendo do tipo usado, o disco virtual pode residir em qualquer um armazenamento de dados ou de um datastore VMFS ou NFS, como detalhado na Figura 22. Figura 22. Tipos de disco virtual VMware VMFS O VMFS é um sistema de arquivos em cluster que fornece virtualização de armazenamento otimizada para máquinas virtuais. Ele pode ser implementado em qualquer local baseado em SCSI ou armazenamento em rede. 70 Computação do usuário final do EMC VSPEX

71 Capítulo 4: Visão Geral da Arquitetura da Solução Mapeamento de dispositivo bruto O VMware oferece RDM (Raw Device Mapping, mapeamento de dispositivos brutos). O RDM permite que uma máquina virtual acesse diretamente um volume no armazenamento físico e possa ser usado apenas com FC ou iscsi. NFS O VMware também dá suporte ao uso de sistemas de arquivos NFS a partir de sistemas externos de armazenamento NAS ou dispositivos como datastores de máquina virtual. Nesta solução VSPEX, o VMFS é usado para a variante de FC; NFS é usado como variante de NFS. Componente modular de armazenamento do VSPEX O dimensionamento do sistema de armazenamento para atender à IOPS do servidor virtual é um processo complicado. Quando o I/O chega ao storage array, vários componentes, como o Data Mover (para armazenamento baseado em arquivo), SPs, cache DRAM (dynamic random access memory) de back-end, FAST Cache (se utilizado) e discos, servem tal I/O. Os clientes precisam considerar vários fatores no planejamento e dimensionamento de seu sistema de armazenamento, a fim de equilibrar capacidade, desempenho e custo para seus aplicativos. O VSPEX usa uma abordagem de componente modular para reduzir a complexidade. Um componente modular é um conjunto de spindles de disco que consegue dar suporte a um número determinado de desktops virtuais na arquitetura VSPEX. Cada componente modular combina vários spindles de disco para criar um pool de armazenamento que dê suporte às necessidades do ambiente de computação do usuário final. Três componentes modulares (500, e desktops) são atualmente verificados na série VNX e fornecem uma solução flexível para dimensionamento VSPEX. A Tabela 11 mostra uma simples lista de discos necessários para dar suporte a diferentes escalas de configuração, excluindo necessidades de hot spare. Obs.: Se uma configuração for iniciada com o componente modular de 500 desktops para MCS, ele poderá ser expandido para o componente modular de desktops, adicionando dez drives SAS correspondentes e permitindo a redistribuição do pool. Para obter detalhes sobre expansão de pool e redistribuição, consulte o White Paper EMC VNX Virtual Provisioning Applied Technology. Tabela 11. Número de discos necessários para diferentes números de desktops virtuais Desktops virtuais Plataforma Flash drives (FAST Cache) Drives SAS drives (PVS/Não PvD) Drives SAS drives (PVS/PvD) Drives SAS drives (MCS/Não PvD) 500 VNX VNX VNX Drives SAS drives (MCS/PvD) Máximo validado de computação do usuário final do VSPEX As configurações de computação para o usuário final VSPEX são validadas nas plataformas VNX5400 e VNX5600. Cada plataforma tem capacidades diferentes em termos de processadores, memória e discos. Para cada array, há uma recomendação de configuração máxima de computação do usuário final do VSPEX. Conforme detalhado na Tabela 11, o máximo recomendado para VNX5400 é de desktops, e o máximo recomendado para VNX5600 é de desktops. Computação do usuário final do EMC VSPEX 71

72 Capítulo 4: Visão Geral da Arquitetura da Solução Layout de armazenamento para 500 desktops virtuais Layout de armazenamento de núcleo com provisionamento PVS A Figura 23 mostra o layout dos discos que são necessários para armazenar 500 desktops virtuais com provisionamento de PVS. Este layout pode ser utilizado com aleatório, estático, Personal vdiskk e hospedado com opções de provisionamento de desktop compartilhado. Esse layout não inclui espaço para dados do perfil do usuário. Figura 23. Layout de armazenamento principal com provisionamento PVS para 500 desktops virtuais Visão geral do layout de armazenamento de núcleo com provisionamento PVS A configuração principal seguinte é utilizada na arquitetura de referência para 500 máquinas de desktop virtual: Quatro discos SAS (0_0_0 a 0_0_3) são usados para o ambiente operacional VNX. A série VNX não requer um drive hot spare dedicado. Os discos 1_0_4 e 1_1_5 são discos não ligados que podem ser usados como hot spares quando necessário. Esses discos são marcados como hot spares na Figura 23. Oito discos SAS (1_0_7 a 1_0_14) no pool de armazenamento 1 do RAID 10 são usados para armazenar desktops virtuais. O FAST Cache é habilitado para o pool inteiro. Para NAS, 10 LUNs de 200 GB são provisionadas a partir do pool para fornecer o armazenamento necessário para criar dois sistemas de arquivos NFS. Os sistemas de arquivos são apresentados para os servidores vsphere como dois datastores NFS. Para FC, duas LUNs de 1 TB são provisionadas a partir do pool para serem apresentadas aos servidores vsphere como dois datastores VMFS. Dois flash drives (1_0_5 e 1_0_6) são usados para o FAST Cache. Não há LUNs configuráveis pelo usuário nesses drives. 72 Computação do usuário final do EMC VSPEX

73 Capítulo 4: Visão Geral da Arquitetura da Solução Cinco discos SAS (1_1_0 a 1_1_4) no pool de armazenamento 2 do RAID 5 são usados para armazenar vdisks de PVS e imagens TFTP. O FAST Cache é habilitado para o pool inteiro. Os discos 0_0_4 a 0_0_24 e 1_0_0 a 1_0_3 e 1_0_6 a 1_0_14 são utilizados. Eles não foram usados para testar essa solução. Obs.: Drives maiores podem ser substituídos para fornecer mais capacidade. Para satisfazer as recomendações de carga, os drives devem ser todos de RPM e do mesmo tamanho. Se tamanhos diferentes forem usados, os algoritmos de layout de armazenamento poderão gerar resultados abaixo do ideal. Layout de armazenamento de núcleo com provisionamento MCS A Figura 24 mostra o layout dos discos que são necessários para armazenar 500 desktops virtuais com provisionamento de MCS. Este layout pode ser utilizado com aleatório, estático, Personal vdiskk e hospedado com opções de provisionamento de desktop compartilhado. Esse layout não inclui espaço para dados do perfil do usuário. Figura 24. Layout de armazenamento principal com provisionamento MCS para 500 desktops virtuais Visão geral do layout de armazenamento de núcleo com provisionamento MCS A configuração principal seguinte é utilizada na arquitetura de referência para 500 máquinas de desktop virtual: Quatro discos SAS (0_0_0 a 0_0_3) são usados para o ambiente operacional VNX. A série VNX não requer um drive hot spare dedicado. Os discos 1_0_4 e 1_1_2 são discos não ligados que podem ser usados como hot spares quando necessário. Esses discos são marcados como hot spares na Figura 24. Dez discos SAS (1_0_5 a 1_0_14) no pool de armazenamento 1 do RAID 5 são usados para armazenar desktops virtuais. O FAST Cache é habilitado para o pool inteiro. Computação do usuário final do EMC VSPEX 73

74 Capítulo 4: Visão Geral da Arquitetura da Solução Para NAS, dez LUNs de 400 GB são provisionadas a partir do pool para fornecer o armazenamento necessário para criar dois sistemas de arquivos NFS. Os sistemas de arquivos são apresentados para os servidores vsphere como dois datastores NFS. Para FC, duas LUNs de 2 TB são provisionadas a partir do pool para serem apresentadas aos servidores vsphere como dois datastores VMFS. Obs.: Se o Personal vdisk for implementado, a metade dos drives (dez discos SAS de 500 desktops) será suficiente para atender ao requisito de desempenho. No entanto, a capacidade do desktop será reduzida em 50 por cento. Se o seu requisito de capacidade ambiente for atendido, implemente o Personal vdisk com provisionamento MCS com 10 drives SAS de 500 desktops. Dois flash drives (1_0_0 e 1_1_1) são usados para o FAST Cache. Não há LUNs configuráveis pelo usuário nesses drives. Os discos 0_0_4 a 0_0_24 e 1_0_0 a 1_0_3 e 1_1_3 a 1_1_14 não são utilizados. Eles não foram usados para testar essa solução. Obs.: Drives maiores podem ser substituídos para fornecer mais capacidade. Para satisfazer as recomendações de carga, os drives devem ser todos de RPM e do mesmo tamanho. Se tamanhos diferentes forem usados, os algoritmos de layout de armazenamento poderão gerar resultados abaixo do ideal. Layout opcional de armazenamento Nos testes de validação da solução, o espaço de armazenamento para dados do usuário foi alocado no array VNX como mostrado na Figura 25. Esse armazenamento é adicional ao armazenamento principal mostrado anteriormente. Se o armazenamento de dados do usuário existir em algum outro lugar do ambiente de produção, esse armazenamento não será necessário. Figura 25. Layout opcional de armazenamento para 500 desktops virtuais Visão geral do layout opcional de armazenamento O layout de armazenamento opcional é usado para armazenar os servidores de infraestrutura, perfis de usuário e diretórios domésticos, e Personal vdisks. 74 Computação do usuário final do EMC VSPEX

75 Capítulo 4: Visão Geral da Arquitetura da Solução Usamos a configuração opcional seguinte na arquitetura de referência para 500 desktops virtuais: A série VNX não requer um drive hot spare dedicado. O disco 0_2_14 é um disco não ligado que pode ser usado como um hot spare quando necessário. Esse disco é marcado como um hot spare na Figura 25. Cinco discos SAS (0_2_0 a 0_2_4) no pool de armazenamento 6 do RAID 5 são usados para armazenar as máquinas virtuais da infraestrutura. Uma LUN de 1 TB ou um sistema de arquivos NFS é extraído do pool para apresentar-se aos servidores vsphere como um datastore NFS ou VMFS. 16 discos NL-SAS (0_2_5 a 0_2_13 e 1_2_0 a 1_2_6) no pool de armazenamento 4 do RAID 6 são usados para armazenar dados do usuário e perfis de roaming. Dez LUNs de 1 TB cada são provisionadas a partir do pool para fornecer o armazenamento necessário para criar dois sistemas de arquivos CIFS. Se vários tipos de drives foram implementados, o FAST VP pode ser habilitado para classificar dados por níveis automaticamente, para aproveitar as diferenças de desempenho e capacidade. O FAST VP é aplicado no nível do pool de armazenamento do bloco e se ajusta automaticamente onde os dados são armazenados, com base na frequência de acesso. Dados acessados com frequência são promovidos a níveis mais altos de armazenamento em incrementos de 1 GB, enquanto os dados acessado raramente podem ser migrados para um nível inferior, proporcionando economia. Este rebalanceamento de unidades de dados de 1 GB, ou fatias, é feito como parte de uma operação de manutenção agendada regularmente. O FAST VP não é recomendado para armazenamento de desktop virtual, mas pode fornecer melhorias de desempenho quando implementado em dados do usuário e perfis de roaming. Oito discos SAS (1_2_7 a 1_2_14) no pool de armazenamento 5 do RAID 10 são usados para armazenar o Personal vdisks. O FAST Cache é habilitado para o pool inteiro. Para NAS, 10 LUNs de 200 GB são provisionadas a partir do pool para fornecer o armazenamento necessário para criar dois sistemas de arquivos NFS. Os sistemas de arquivos são apresentados para os servidores vsphere como dois datastores NFS. Para FC, duas LUNs de 1 TB são provisionadas a partir do pool para serem apresentadas aos servidores vsphere como dois datastores VMFS. Layout de armazenamento para desktops virtuais Layout de armazenamento de núcleo com provisionamento PVS A Figura 26 mostra o layout dos discos que são necessários para armazenar desktops virtuais com provisionamento de PVS. Este layout pode ser utilizado com aleatório, estático, Personal vdiskk e hospedado com opções de provisionamento de desktop compartilhado. Esse layout não inclui espaço para dados do perfil do usuário. Computação do usuário final do EMC VSPEX 75

76 Capítulo 4: Visão Geral da Arquitetura da Solução Figura 26. Layout de armazenamento principal com provisionamento de PVS para desktops virtuais Visão geral do layout de armazenamento de núcleo com provisionamento PVS A configuração principal seguinte é utilizada na arquitetura de referência para máquinas de desktop virtual: Quatro discos SAS (0_0_0 a 0_0_3) são usados para o ambiente operacional VNX. A série VNX não requer um drive hot spare dedicado. Os discos 1_0_4 e 1_0_7 são discos não ligados que podem ser usados como hot spares quando necessário. Esses discos são marcados como hot spares na Figura discos SAS (1_0_8 a 1_0_14 e 1_1_0 a 1_1_8 no pool de armazenamento 1 do RAID 10 são usados para armazenar desktops virtuais. O FAST Cache é habilitado para o pool inteiro. Para NAS, dez LUNs de 400 GB são provisionadas a partir do pool para fornecer o armazenamento necessário para criar quatro sistemas de arquivos NFS. Os sistemas de arquivos são apresentados aos servidores vsphere como quatro datastores NFS. Para FC, quatro LUNs de 1 TB são provisionadas a partir do pool para serem apresentadas aos servidores vsphere como quatro datastores VMFS. Dois flash drives (1_0_5 e 1_0_6) são usados para o FAST Cache. Não há LUNs configuráveis pelo usuário nesses drives. Cinco discos SAS (1_1_9 a 1_1_13) no pool de armazenamento 2 do RAID 5 são usados para armazenar vdisks de PVS e imagens TFTP. O FAST Cache é habilitado para o pool inteiro. Os discos 0_0_4 a 0_0_24 e 1_0_0 a 1_0_3 e 1_1_14 não são utilizados. Eles não foram usados para testar essa solução. 76 Computação do usuário final do EMC VSPEX

77 Capítulo 4: Visão Geral da Arquitetura da Solução Obs.: Drives maiores podem ser substituídos para fornecer mais capacidade. Para satisfazer as recomendações de carga, os drives devem ser todos de RPM e do mesmo tamanho. Se tamanhos diferentes forem usados, os algoritmos de layout de armazenamento poderão gerar resultados abaixo do ideal. Layout de armazenamento de núcleo com provisionamento MCS A Figura 27 mostra o layout dos discos que são necessários para armazenar desktops virtuais com provisionamento de MCS. Este layout pode ser utilizado com aleatório, estático, Personal vdiskk e hospedado com opções de provisionamento de desktop compartilhado. Esse layout não inclui espaço para dados do perfil do usuário. Figura 27. Layout de armazenamento principal com provisionamento de MCS para desktops virtuais Visão geral do layout de armazenamento de núcleo com provisionamento MCS Usamos a seguinte configuração principal na arquitetura de referência para máquinas de desktop virtual: Quatro discos SAS (0_0_0 a 0_0_3) são usados para o ambiente operacional VNX. A série VNX não requer um drive hot spare dedicado. Os discos 1_0_4 e 1_1_2 são discos não ligados que podem ser usados como hot spares quando necessário. Esses discos são marcados como hot spares na Figura discos SAS (1_0_5 a 1_0_14 e 1_1_3 a 1_1_12) no pool de armazenamento 1 do RAID 5 são usados para armazenar desktops virtuais. O FAST Cache é habilitado para o pool inteiro. Para NAS, dez LUNs de 800 GB são provisionadas a partir do pool para fornecer o armazenamento necessário para criar quatro sistemas de arquivos NFS. Os sistemas de arquivos são apresentados aos servidores vsphere como quatro datastores NFS. Para FC, quatro LUNs de 2 TB são provisionadas do pool para serem apresentadas aos servidores vsphere como quatro datastores VMFS. Computação do usuário final do EMC VSPEX 77

78 Capítulo 4: Visão Geral da Arquitetura da Solução Obs.: Se o Personal vdisk for implementado, a metade dos drives (dez discos SAS de desktops) será suficiente para atender ao requisito de desempenho. No entanto, a capacidade do desktop será reduzida em 50 por cento. Se o seu requisito de capacidade ambiente for atendido, implemente o Personal vdisk com provisionamento MCS com 10 drives SAS de desktops. Dois flash drives (1_0_0 e 1_1_1) são usados para o FAST Cache. Não há LUNs configuráveis pelo usuário nesses drives. Os discos 0_0_4 a 0_0_24 e 1_0_0 a 1_0_3 e 1_1_13 a 1_1_14 não são utilizados. Eles não foram usados para testar essa solução. Obs.: Drives maiores podem ser substituídos para fornecer mais capacidade. Para satisfazer as recomendações de carga, os drives devem ser todos de RPM e do mesmo tamanho. Se tamanhos diferentes forem usados, os algoritmos de layout de armazenamento poderão gerar resultados abaixo do ideal. Layout opcional de armazenamento Nos testes de validação da solução, o espaço de armazenamento para dados do usuário foi alocado no array VNX como mostrado na Figura 28. Esse armazenamento é adicional ao armazenamento principal mostrado anteriormente. Se o armazenamento de dados do usuário existir em algum outro lugar do ambiente de produção, esse armazenamento adicional não será necessário. Figura 28. Layout opcional de armazenamento para desktops virtuais 78 Computação do usuário final do EMC VSPEX

79 Visão geral do layout opcional de armazenamento Capítulo 4: Visão Geral da Arquitetura da Solução O layout de armazenamento opcional é usado para armazenar os servidores de infraestrutura, perfis de usuário e diretórios domésticos, e Personal vdisks. Usamos a configuração opcional seguinte na arquitetura de referência para desktops virtuais: A série VNX não requer um drive hot spare dedicado. Os discos 0_2_14 e 0_3_14 são discos não ligados que podem ser usados como hot spares quando necessário. Esses discos são marcados como hot spare na Figura 28. Cinco discos SAS (0_2_0 a 0_2_4) no pool de armazenamento 6 do RAID 5 são usados para armazenar as máquinas virtuais da infraestrutura. Uma LUN de 1 TB é provisionada a partir do pool para ser apresentada aos servidores vsphere como um datastore. 24 discos NL-SAS (0_2_5 a 0_2_13 e 1_2_0 a 1_2_14) no pool de armazenamento 4 do RAID 6 são usados para armazenar dados do usuário e perfis de roaming. Dez LUNs de 2 TB cada são provisionadas a partir do pool para fornecer o armazenamento necessário para criar dois sistemas de arquivos CIFS. Se vários tipos de drives foram implementados, o FAST VP pode ser ativado para alinhar dados automaticamente, para aproveitar as diferenças de desempenho e capacidade. O FAST VP é aplicado no nível do pool de armazenamento do bloco e se ajusta automaticamente onde os dados são armazenados, com base na frequência de acesso. Dados acessados com frequência são promovidos a níveis mais altos de armazenamento em incrementos de 1 GB, enquanto os dados acessado raramente podem ser migrados para um nível inferior, proporcionando economia. Este rebalanceamento de unidades de dados de 1 GB, ou fatias, é feito como parte de uma operação de manutenção agendada regularmente. O FAST VP não é recomendado para armazenamento de desktop virtual, mas pode fornecer melhorias de desempenho quando implementado em dados do usuário e perfis de roaming. 16 discos SAS (0_3_0 a 0_3_13 e 1_3_0 a 1_3_1 no pool de armazenamento 5 do RAID 10 são usados para armazenar os Personal vdisks. O FAST Cache é habilitado para o pool inteiro. Para NAS, dez LUNs de 400 GB são provisionadas a partir do pool para fornecer o armazenamento necessário para criar quatro sistemas de arquivos NFS. Os sistemas de arquivos são apresentados aos servidores vsphere como quatro datastores NFS. Para FC, quatro LUNs de 1 TB são provisionadas a partir do pool para serem apresentadas aos servidores vsphere como quatro datastores VMFS. Layout de armazenamento para desktops virtuais Layout de armazenamento de núcleo com provisionamento PVS A Figura 29 mostra o layout dos discos que são necessários para armazenar desktops virtuais com provisionamento de PVS. Este layout pode ser utilizado com aleatório, estático, Personal vdiskk e hospedado com opções de provisionamento de desktop compartilhado. Esse layout não inclui espaço para dados do perfil do usuário. Computação do usuário final do EMC VSPEX 79

80 Capítulo 4: Visão Geral da Arquitetura da Solução Figura 29. Layout de armazenamento principal com provisionamento PVS para desktops virtuais Visão geral do layout de armazenamento de núcleo com provisionamento PVS Usamos a seguinte configuração principal na arquitetura de referência para máquinas de desktop virtual: Quatro discos SAS (0_0_0 a 0_0_3) são usados para o ambiente operacional VNX. A série EMC VNX não requer um drive hot spare dedicado. Os discos 1_0_4, 1_1_14 e 0_2_2 são discos não ligados que podem ser usados como hot spares quando necessário. Esses discos são marcados como hot spares na Figura discos SAS (1_0_5 a 1_0_14, 0_1_0 a 0_1_14 e 1_1_0 a 1_1_6) no pool de armazenamento 1 do RAID 10 são usados para armazenar desktops virtuais. O FAST Cache é habilitado para o pool inteiro. Para NAS, dez LUNs de 800 GB são provisionadas a partir do pool para fornecer o armazenamento necessário para criar oito sistemas de arquivos NFS. Os sistemas de arquivo são apresentados para os vsphere Servers como oito datastores NFS. Para FC, oito LUNs de 1 TB são provisionadas a partir do pool para serem apresentadas aos servidores vsphere como oito datastores VMFS. Quatro flash drives (1_1_12 a 1_1_13 e 0_2_0 a 0_2_1) são usados para o FAST Cache. Não há LUNs configuráveis pelo usuário nesses drives. 80 Computação do usuário final do EMC VSPEX

81 Capítulo 4: Visão Geral da Arquitetura da Solução Cinco discos SAS (1_1_7 a 1_1_11) no pool de armazenamento 2 do RAID 5 são usados para armazenar vdisks de PVS e imagens TFTP. O FAST Cache é habilitado para o pool inteiro. Os discos 0_0_4 a 0_0_24, 1_0_0 a 1_0_3 e 0_2_3 a 0_2_14 não são usados. Eles não foram usados para testar essa solução. Obs.: Drives maiores podem ser substituídos para fornecer mais capacidade. Para satisfazer as recomendações de carga, os drives devem ser todos de RPM e do mesmo tamanho. Se tamanhos diferentes forem usados, os algoritmos de layout de armazenamento poderão gerar resultados abaixo do ideal. Layout de armazenamento de núcleo com provisionamento MCS A Figura 30 mostra o layout dos discos que são necessários para armazenar desktops virtuais com provisionamento de MCS. Este layout pode ser utilizado com aleatório, estático, Personal vdiskk e hospedado com opções de provisionamento de desktop compartilhado. Esse layout não inclui espaço para dados do perfil do usuário. Figura 30. Layout de armazenamento principal com provisionamento de MCS para desktops virtuais Computação do usuário final do EMC VSPEX 81

82 Capítulo 4: Visão Geral da Arquitetura da Solução Visão geral do layout de armazenamento de núcleo com provisionamento MCS A configuração principal seguinte é utilizada na arquitetura de referência para máquinas de desktop virtual: Quatro discos SAS (0_0_0 a 0_0_3) são usados para o ambiente operacional VNX. A série EMC VNX não requer um drive hot spare dedicado. Os discos 1_0_4, 0_0_2 e 0_2_5 são discos não ligados que podem ser usados como hot spares quando necessário. Esses discos são marcados como hot spares na Figura discos SAS (1_0_5 a 1_0_14, 0_1_3 a 0_1_14, 1_1_2 a 1_1_14 e 0_2_0 a 0_2_4) no pool de armazenamento 1 do RAID 5 são usados para armazenar desktops virtuais. O FAST Cache é habilitado para o pool inteiro. Para NAS, dez LUNs de GB são provisionadas a partir do pool para fornecer o armazenamento necessário para criar oito sistemas de arquivos NFS. Os sistemas de arquivo são apresentados para os vsphere Servers como oito datastores NFS. Para FC, oito LUNs de 2 TB são provisionadas a partir do pool para serem apresentadas aos servidores vsphere como oito datastores VMFS. Obs.: Se o Personal vdisk for implementado, a metade dos drives (dez discos SAS de desktops) será suficiente para atender ao requisito de desempenho. No entanto, a capacidade do desktop será reduzida em 50 por cento. Se o seu requisito de capacidade ambiente for atendido, implemente o Personal vdisk com provisionamento MCS com 20 drives SAS de desktops. Quatro flash drives (0_1_0 a 0_1_1 e 1_1_0 a 1_1_1) são usados para o FAST Cache. Não há LUNs configuráveis pelo usuário nesses drives. Os discos 0_0_4 a 0_0_24 e 1_0_0 a 1_0_3 e 0_2_6 a 0_2_14 não são utilizados. Eles não foram usados para testar essa solução. Obs.: Drives maiores podem ser substituídos para fornecer mais capacidade. Para satisfazer as recomendações de carga, os drives devem ser todos de RPM e do mesmo tamanho. Se tamanhos diferentes forem usados, os algoritmos de layout de armazenamento poderão gerar resultados abaixo do ideal. Layout opcional de armazenamento Nos testes de validação da solução, o espaço de armazenamento para dados do usuário foi alocado no array VNX como mostrado na Figura 31. Esse armazenamento é adicional ao armazenamento principal mostrado acima. Se o armazenamento de dados do usuário existir em algum outro lugar do ambiente de produção, esse armazenamento adicional não será necessário. 82 Computação do usuário final do EMC VSPEX

83 Capítulo 4: Visão Geral da Arquitetura da Solução Figura 31. Layout opcional de armazenamento para desktops virtuais Visão geral do layout opcional de armazenamento O layout de armazenamento opcional é usado para armazenar os servidores de infraestrutura, perfis de usuário e diretórios domésticos, e Personal vdisks. A configuração opcional seguinte é utilizada na arquitetura de referência para desktops virtuais: A série VNX não requer um drive hot spare dedicado. Os discos 1_2_14, 0_4_9 e 0_5_12 a 0_5_13 são discos não ligados que podem ser usados como hot spares quando necessário. Esses discos são marcados como hot spare na Figura 31. Cinco discos SAS (1_2_0 a 1_2_4) no pool de armazenamento 6 do RAID 5 são usados para armazenar as máquinas virtuais da infraestrutura. Uma LUN de 1 TB é provisionada a partir do pool para ser apresentada aos servidores vsphere como um datastore. Computação do usuário final do EMC VSPEX 83

84 Capítulo 4: Visão Geral da Arquitetura da Solução Alta disponibilidade e failover 48 discos NL-SAS (1_2_5 a 1_2_13, 0_3_0 a 0_3_14, 1_3_0 a 1_3_14 e 0_4_0 a 0_4_8) no pool de armazenamento 4 do RAID 6 são usados para armazenar dados do usuário e perfis de roaming. Dez LUNs de 4 TB cada são provisionadas a partir do pool para fornecer o armazenamento necessário para criar dois sistemas de arquivos CIFS. Se vários tipos de drives foram implementados, o FAST VP pode ser ativado para alinhar dados automaticamente, para aproveitar as diferenças de desempenho e capacidade. O FAST VP é aplicado no nível do pool de armazenamento do bloco e se ajusta automaticamente onde os dados são armazenados, com base na frequência de acesso. Dados acessados com frequência são promovidos a níveis mais altos de armazenamento em incrementos de 1 GB, enquanto os dados acessado raramente podem ser migrados para um nível inferior, proporcionando economia. Este rebalanceamento de unidades de dados de 1 GB, ou fatias, é feito como parte de uma operação de manutenção agendada regularmente. O FAST VP não é recomendado para armazenamento de desktop virtual, mas pode fornecer melhorias de desempenho quando implementado em dados do usuário e perfis de roaming. 32 discos SAS (0_4_10 a 0_4_14, 1_4_0 a 1_4_14 e 0_5_0 a 0_5_11) no pool de armazenamento 5 do RAID 10 são usados para armazenar os Personal vdisks. O FAST Cache é habilitado para o pool inteiro. Para NAS, dez LUNs de 800 GB são provisionadas a partir do pool para fornecer o armazenamento necessário para criar oito sistemas de arquivos NFS. Os sistemas de arquivo são apresentados para os vsphere Servers como oito datastores NFS. Para FC, oito LUNs de 1 TB são provisionadas a partir do pool para serem apresentadas aos servidores vsphere como oito datastores VMFS. Introdução Camada de virtualização Essa solução VSPEX fornece um infraestrutura de armazenamento, rede e servidor virtualizado altamente disponível. Quando implementada de acordo com este guia, fornece a capacidade de sobreviver à maioria das falhas de uma só unidade com o mínimo de impacto, ou nenhum, nas operações de negócios. A EMC recomenda que você configure a alta disponibilidade na camada de virtualização e permita que o hipervisor reinicie automaticamente as máquinas virtuais que apresentarem falhas. A Figura 32 mostra a camada de hipervisor respondendo a uma falha na camada de computação. Figura 32. Alta disponibilidade na camada de virtualização A implementação de alta disponibilidade na camada de virtualização garante que, mesmo na eventualidade de uma falha de hardware, a infraestrutura tentará manter o maior número possível de serviços em execução. 84 Computação do usuário final do EMC VSPEX

85 Capítulo 4: Visão Geral da Arquitetura da Solução Camada de computação Essa solução oferece flexibilidade quanto ao tipo de servidor a ser usado na camada de computação, mas é recomendável utilizar servidores de nível corporativo projetados para o datacenter. Conecte esses servidores, com fontes de alimentação redundantes, conforme mostrado na Figura 33, para separar as unidades de distribuição de alimentação (PDUs) de acordo com as práticas recomendadas do fornecedor do servidor. Figura 33. Fontes de alimentação redundantes A EMC recomenda que você configure a alta disponibilidade na virtualização. Isso significa que a camada de computação precisa ser configurada com recursos suficientes para que o número total de recursos disponíveis atenda às necessidades do ambiente, mesmo no caso de falha do servidor, como demonstrado na Figura 32. Camada de rede Os recursos avançados de sistema de rede da série VNX fornecem proteção contra falhas de conexão de rede no array. Cada host do vsphere tem várias conexões para as redes Ethernet de usuário e armazenamento para proteger contra falhas de link. Conforme mostrado na Figura 34, essas conexões devem ser distribuídas entre vários switches Ethernet para proteção contra falhas de componentes na rede. Figura 34. Alta disponibilidade de camada de rede Computação do usuário final do EMC VSPEX 85

86 Capítulo 4: Visão Geral da Arquitetura da Solução Ao projetar a rede sem pontos únicos de falha, você pode garantir que a camada de computação seja capaz de acessar o armazenamento e se comunicar com os usuários, mesmo se um componente falhar. Camada de armazenamento A série VNX foi projetada para ter disponibilidade de 99,999% pelo uso de componentes redundantes por todo o array. Todos os componentes do array podem continuar a operar em caso de falha de hardware. A configuração do disco RAID no array fornece proteção contra perda de dados causadas por falhas de discos individuais e os drives hot spare disponíveis podem ser alocados dinamicamente para substituir um disco com falha. Isso é mostrado na Figura 35. Figura 35. Alta disponibilidade da série VNX Os storage arrays EMC são projetados para serem altamente disponíveis por padrão. Quando eles são configurados de acordo com as instruções dos guias de instalação, as falhas de unidade única não resultam em perda de dados nem na falta de disponibilidade. 86 Computação do usuário final do EMC VSPEX

87 Capítulo 4: Visão Geral da Arquitetura da Solução Perfil do teste de validação Características do perfil A solução VSPEX foi validada com o perfil de ambiente detalhado na Tabela 12. Tabela 12. Perfil de ambiente validado Característica do perfil Número de desktops virtuais SO do desktop virtual vcpu por desktop virtual Número de desktops virtuais por núcleo de CPU RAM por desktop virtual Método de provisionamento de desktops Armazenamento médio disponível para cada desktop virtual Média de IOPS por desktop virtual em estado estacionário Média de pico de IOPS por desktop virtual durante tempestades de inicialização Número de datastores para armazenar desktops virtuais Número de desktops virtuais por datastore Tipo de RAID e disco para datastores Tipo de disco e RAID para compartilhamentos CIFS para hospedar perfis de roaming e diretórios base de usuário (opcional para dados do usuário) Valor 500 para 500 desktops virtuais para desktops virtuais para desktops virtuais SO do desktop: Windows 7 Enterprise (32 bits) SP1 SO do servidor: Windows Server 2008 R2 SP1 SO do desktop: Uma vcpu SO do servidor: 0,2 vcpus SO do desktop: 8 SO do servidor: 5 SO do desktop: 2 GB SO do servidor: 0,6 GB PVS MCS 4 GB (PVS) 8 GB (MCS) 8 IOPS 60 IOPS (variante MCS/NFS) 8 IOPS (variante PVS/NFS) 116 IOPS (variante MCS/FC) 14 IOPS (variante PVS/FC) 2 para 500 desktops virtuais 4 para desktops virtuais 8 para desktops virtuais 250 Discos SAS de 3,5 polegadas, 600 GB, RPM, RAID 5 Discos NL-SAS de 3,5 polegadas, 2 TB, RPM, RAID 6 Computação do usuário final do EMC VSPEX 87

88 Capítulo 4: Visão Geral da Arquitetura da Solução Diretrizes de configuração de ambiente de backup Visão geral Características de backup Esta seção fornece diretrizes para configurar o ambiente de backup e recuperação para esta solução VSPEX. A Tabela 13 mostra como dimensionamos o perfil de ambiente de backup de três pilhas nesta solução VSPEX. Tabela 13. Características do perfil de backup Característica do perfil Dados do usuário Valor 5 TB para 500 desktops virtuais 10 TB para desktops virtuais 20 TB para desktops virtuais Obs.: 10 GB por desktop Taxa de alteração diária para dados do usuário Dados do usuário 2% Retenção por tipos de dados Nº diário 30 retenções diárias Nº semanal Quatro retenções semanais Nº mensal Uma retenção mensal Layout de backup O Avamar oferece várias opções de implementação dependendo do caso de uso específico e das necessidades de recuperação. Neste caso, a solução é implementada com um Avamar Data Store. Isso permite fazer backup dos dados não estruturados do usuário diretamente no sistema Avamar para recuperação simples no nível de arquivo. Essa solução de backup unifica o processo de backup com o software e sistema com desduplicação e atinge os mais altos níveis de desempenho e eficiência. Diretrizes de dimensionamento Visão geral As seções a seguir fornecem definições da carga de trabalho de referência usada para dimensionar e implementar as arquiteturas VSPEX discutidas neste guia. Elas fornecem orientação sobre como relacionar essas cargas de trabalho de referência a cargas de trabalho reais do cliente e como isso pode alterar a entrega final do servidor e da perspectiva de rede. Você pode modificar a definição de armazenamento adicionando drives para maior capacidade e desempenho, além de recursos como o FAST Cache para desktops e FAST VP para melhor desempenho de dados do usuário. Os layouts de disco foram criados para comportar o número adequado de desktops virtuais com o nível de desempenho definido. Diminuir o número de unidades recomendadas ou rebaixar um tipo de array pode resultar em menor IOPS por desktop e uma experiência de usuário reduzida por causa do maior tempo de resposta. 88 Computação do usuário final do EMC VSPEX

89 Capítulo 4: Visão Geral da Arquitetura da Solução Carga de Trabalho de Referência Definição de carga de trabalho de referência Cada VSPEX Proven Infrastructure faz o balanceamento do armazenamento, da rede e dos recursos de computação necessários para um determinado número de máquinas virtuais validadas pela EMC. Na prática, cada máquina virtual tem seu próprio conjunto de requisitos que raramente se enquadram em uma ideia predefinida do que seria uma máquina virtual. Em qualquer discussão sobre infraestruturas virtuais, é importante, primeiramente, definir uma carga de trabalho de referência. Nem todos os servidores executam as mesmas tarefas e é impraticável construir uma referência que leve em conta todas as combinações possíveis de características das cargas de trabalho. Definimos uma carga de trabalho de referência do cliente representativo. Pela comparação entre o uso real do cliente com essa carga de trabalho de referência, é possível inferir a arquitetura de referência ideal. Para a solução de computação do usuário final VSPEX, a carga de trabalho de referência é definida como um único desktop virtual que pode ser implantado usando um desktop ou SO do servidor. No caso de um SO de desktop, cada usuário acessa uma máquina virtual dedicada que é alocada a uma vcpu e 2 GB de RAM. Para um SO de servidor, cada máquina virtual é alocada a quatro vcpus e 12 GB de RAM, e é compartilhada entre 20 sessões de desktop virtual. A Tabela 14 mostra as características do desktop virtual de referência. Tabela 14. Características do desktop virtual Característica Valor Sistema operacional do desktop virtual SO do desktop: Microsoft Windows 7 Enterprise Edition (32 bits) SP1 SO do servidor: Windows Server 2008 R2 SP1 Processadores virtuais por desktop virtual RAM por desktop virtual Capacidade de armazenamento disponível por desktop virtual* Média de IOPS por desktop virtual em estado estacionário SO do desktop: Uma vcpu SO do servidor: 0,2 vcpus SO do desktop: 2 GB SO do servidor: 0,6 GB 4 GB (PVS) 8 GB (MCS) 8 * A capacidade de armazenamento disponível é calculada com base nos drives usados nesta solução. Mais espaço pode ser adquirido com a adição de mais drives ou utilizando um drive da mesma classe com maior capacidade. Essa definição de desktop é baseada em dados de usuários que residem em armazenamento compartilhado. O perfil de I/O é definido pelo uso de uma estrutura de teste que opera em todos os desktops simultaneamente, com carga estacionária gerada pelo uso constante de aplicativos de escritório, como navegadores, software de produtividade administrativa e outros utilitários task worker padrão. Computação do usuário final do EMC VSPEX 89

90 Capítulo 4: Visão Geral da Arquitetura da Solução Aplicando a carga de trabalho de referência Você pode ter de considerar outros fatores, além do número de desktops compatível (500, e 2.000), ao decidir qual solução de computação do usuário final implementar. Simultaneidade As cargas de trabalho usadas para validar soluções VSPEX presumem que todos os usuários de desktops estarão ativos o tempo todo. Testamos a arquitetura para desktops com desktops, todos gerando cargas de trabalho paralelamente, todos inicializados ao mesmo tempo etc. Se o cliente espera ter usuários, mas somente 50% estarão conectados em dado momento em razão de diferenças de fuso horário ou turnos alternados, os 600 usuários ativos do total de usuários poderão ter suporte da arquitetura para desktops. Cargas de trabalho de desktops mais pesadas A carga de trabalho definida na Tabela 14 e usada para testar essas configurações de computação do usuário final do VSPEX é considerada como uma carga típica de funcionário administrativo. Entretanto, alguns clientes podem pensar que seus usuários têm um perfil mais ativo. Por exemplo, se uma organização tiver 800 usuários e, devido a aplicativos corporativos personalizados, cada usuário gerar 12 IOPS, em comparação com 8 IOPS utilizados na carga de trabalho do VSPEX, a configuração precisará de IOPS (ou seja, 800 usuários * 12 IOPS por desktop). A configuração para desktops poderia ser insuficiente nesse caso, pois ela foi classificada para IOPS (1.000 desktops * 8 IOPS por desktop). Esse cliente deveria migrar para a solução de desktops. Implementando as arquiteturas de referência Visão geral Tipos de recursos As arquiteturas de referência requerem um conjunto de hardware disponível para as necessidades de CPU, memória, rede e armazenamento do sistema. Esses são apresentados como requisitos gerais, independentes de qualquer implementação particular. Esta seção descreve algumas considerações para a implementação dos requisitos. As arquiteturas de referência definem os requisitos de hardware para a solução em termos dos seguintes tipos básicos de recursos: Recursos da CPU Recursos de memória Recursos de rede Recursos de armazenamento As seções a seguir descrevem os tipos de recursos, como eles são usados nas arquiteturas de referência e as principais considerações para sua implementação no ambiente de um cliente. 90 Computação do usuário final do EMC VSPEX

91 Capítulo 4: Visão Geral da Arquitetura da Solução Recursos da CPU As arquiteturas definem o número necessário de núcleos de CPU, mas não definem um tipo nem uma configuração específica. Presume-se que as novas implementações utilizem revisões recentes de tecnologias de processador comum, e presume-se que elas terão um desempenho similar ou melhor que o dos sistemas usados para validar a solução. Em qualquer sistema em operação, é importante monitorar a utilização dos recursos e fazer as adaptações necessárias. Supõe-se que com o desktop virtual de referência e os recursos de hardware necessários nas arquiteturas de referência, não haverá mais de oito CPUs virtuais para cada núcleo de processador físico (relação 8:1) quando o SO do desktop é usado. Na maioria dos casos, isso proporciona um nível adequado de recursos para os desktops virtuais hospedados. No entanto, essa relação poderá não ser adequada em todos os casos de uso. Monitore a utilização da CPU na camada do hipervisor para determinar se são necessários mais recursos. Recursos de memória Cada desktop virtual na arquitetura de referência é definido como tendo 2 GB de memória dedicada a uma única instância do SO de desktop. Em um ambiente virtual, não é incomum provisionar desktops virtuais com mais memória do que o hipervisor contém fisicamente, em razão de restrições no orçamento. A técnica de superalocação de memória aproveita o fato de que cada desktop virtual não utiliza totalmente a quantidade de memória alocada a ele. A superatribuição do uso de memória até certo ponto faz sentido nos negócios. O administrador é responsável por monitorar proativamente a taxa de superatribuição para que ela não distancie o gargalo do servidor e se torne uma carga para o subsistema de armazenamento. Se o VMware vsphere ficar sem memória em sistemas operacionais guest, terá início a paginação, resultando em atividade extra de I/O para os arquivos VSwap. Se o subsistema de armazenamento estiver dimensionado corretamente, aumentos ocasionais devidos à atividade VSwap poderão não causar problemas de desempenho, pois os picos temporários de carga poderão ser absorvidos. Entretanto, se a taxa de superatribuição de memória for muito alta, fazendo com que o subsistema de armazenamento seja gravemente impactado por uma sobrecarga contínua de atividade VSwap, será necessário adicionar mais discos, não por causa dos requisitos de capacidade, mas em razão da demanda de maior desempenho. Nesse ponto, cabe ao administrador decidir se é mais econômico adicionar mais memória física ao servidor ou aumentar a quantidade de armazenamento. Como os módulos de memória são uma commodity, a primeira opção provavelmente será a menos onerosa. Validamos esta solução com memória atribuída estatisticamente e sem superalocação de recursos de memória. Caso a superalocação de memória seja usada em um ambiente real, monitore regularmente a utilização de memória do sistema e a atividade associada de I/O de arquivo de página para garantir que nenhum déficit de memória cause resultados inesperados. Recursos de rede A arquitetura de referência descreve os requisitos mínimos do sistema. Se for necessária largura de banda adicional, será importante adicionar recursos tanto no storage array quanto no host de hipervisor para atender aos requisitos. As opções de conectividade de rede no servidor dependerão do tipo de servidor. Os storage arrays têm um número de portas de rede incluídas e a opção de adicionar portas usando módulos de I/O EMC FLEX. Computação do usuário final do EMC VSPEX 91

92 Capítulo 4: Visão Geral da Arquitetura da Solução Para fins de referência no ambiente validado, a EMC supõe que cada desktop virtual gera 8 IOPS, com um tamanho médio de 4 KB. Cada desktop virtual gera pelo menos 32 KB/s de tráfego na rede de armazenamento. Em um ambiente classificado para 500 desktops virtuais, isso se compara a um mínimo de aproximadamente 16 MB/s. Esse valor está dentro dos limites das redes de gigabits. Entretanto, isso não leva em conta outras operações. Por exemplo, é necessária largura de banda adicional para: Tráfego de rede de usuário Migração de desktop virtual Operações administrativas e de gerenciamento Os requisitos variam, dependendo de como o ambiente está sendo usado. Dessa maneira, não é prático fornecer números concretos nesse contexto. No entanto, a rede descrita na arquitetura de referência para cada solução deve ser suficiente para manipular cargas de trabalho médias nos casos de uso acima. Independentemente dos requisitos de tráfego de rede, tenha sempre, pelo menos, duas conexões físicas de rede compartilhadas para uma rede lógica, de modo que uma falha em um só link não afete a disponibilidade do sistema. Projete a rede de maneira que a largura de banda agregada em caso de falha seja suficiente para acomodar toda a carga de trabalho. Recursos de armazenamento As arquiteturas de referência contêm layouts para os discos usados na validação do sistema. Cada layout equilibra a capacidade de armazenamento disponível com o recurso de desempenho dos drives. Existem poucas camadas para considerar durante a verificação do dimensionamento do armazenamento. Especificamente, o array tem um conjunto de discos que são atribuídos a um pool de armazenamento. A partir desse pool de armazenamento, os datastores podem ser provisionados para o cluster do vsphere. Cada camada tem uma configuração específica definida para a solução e documentada no Capítulo 5. Geralmente, é aceitável substituir os tipos de drives por um tipo que tenha mais capacidade e com as mesmas características de desempenho ou substituir por drives com maior desempenho e a mesma capacidade. Da mesma forma, é aceitável alterar a colocação dos drives nas gavetas de drive para estar em conformidade com as disposições novas ou atualizadas de gavetas de drives. Em outros casos em que for necessário desviar-se do número e do tipo propostos de drives especificados ou do pool e dos layouts de datastores especificados, verifique se o layout de destino fornece os mesmos recursos ou até mesmo mais recursos para o sistema. Recursos de backup A solução descreve o armazenamento do backup (inicial e crescimento) e as necessidades de retenção do sistema. Outras informações podem ser reunidas para dimensionar ainda mais o Avamar, inclusive necessidades de ausência de fita, especificações de RPO e RTO, bem como necessidades de replicação de ambientes com vários locais. 92 Computação do usuário final do EMC VSPEX

93 Capítulo 4: Visão Geral da Arquitetura da Solução Expansão dos ambientes existentes de computação do usuário final do VSPEX Resumo da implementação A solução de computação do usuário final VSPEX dá suporte a um modelo de implementação flexível, onde é fácil expandir o seu ambiente à medida que as necessidades de negócios mudam. As configurações de componente modular apresentadas nesta solução podem ser combinadas para formar maiores implementações. Por exemplo, você pode implementar a configuração de desktops, iniciando com essa configuração ou com a configuração de 500 desktops e expandindo-o quando necessário. Da mesma forma, você pode implementar a configuração de desktops todos de uma vez ou gradualmente, expandindo os recursos de armazenamento à medida que são necessários. Os requisitos declarados nas arquiteturas de referência são os que a EMC considera o conjunto mínimo de recursos para manipular as cargas de trabalho necessárias com base na definição declarada de um desktop virtual de referência. Em qualquer implementação de cliente, a carga de um sistema variará no decorrer do tempo conforme os usuários interagirem com o sistema. No entanto, se os desktops virtuais do cliente diferirem significativamente da definição de referência e variarem no mesmo grupo de recursos, poderá ser necessário adicionar mais desses recursos ao sistema. Avaliação rápida Planilha Uma avaliação do ambiente do cliente ajuda a assegurar que seja implementada a solução VSPEX correta. Esta seção fornece uma planilha fácil de usar para simplificar os cálculos de dimensionamento e ajudar a avaliar o ambiente do cliente. Primeiro, resuma os tipos de usuário que você planeja migrar para o ambiente de computação do usuário final do VSPEX. Para cada grupo, determine o número de CPUs virtuais, a quantidade de memória, o desempenho de armazenamento necessário, a capacidade de armazenamento necessária e o número de desktops virtuais de referência no pool de recursos. A seção Aplicando a carga de trabalho de referência fornece exemplos deste processo. Preencha uma linha da planilha para cada aplicativo, como mostrado na Tabela 15. Tabela 15. Linha da planilha em branco Aplicativo CPU (CPUs virtuais) Memória (GB) IOPS Desktops virtuais de referência equivalentes Nº de usuários Total de desktops de referência Exemplo de tipo de usuário Requisitos de recursos Desktops de referência equivalentes Computação do usuário final do EMC VSPEX 93

94 Capítulo 4: Visão Geral da Arquitetura da Solução Preencha os requisitos de recursos do tipo de usuário. A linha requer entradas em três recursos diferentes: CPU, memória e IOPS. Requisitos de CPU Requisitos de memória O desktop virtual de referência supõe que mais aplicativos de desktop são otimizados para uma só CPU. Se um tipo de usuário precisar de um desktop com várias CPUs virtuais, modifique a contagem de desktops virtuais proposta para justificar os recursos adicionais. Por exemplo, se 100 desktops estiverem sendo virtualizados, mas 20 usuários precisarem de duas CPUs em vez de uma, considere que o pool precisará fornecer 120 desktops virtuais de capacidade. A memória desempenha um papel fundamental para assegurar a funcionalidade e o desempenho dos aplicativos. Portanto, cada grupo de desktops terá diferentes destinos para a quantidade de memória disponível aceitável. Como no cálculo da CPU, se um grupo de usuários precisar de recursos de memória adicionais, simplesmente ajuste o número de desktops planejados para acomodar os requisitos de recursos adicionais. Por exemplo, se você tem 200 desktops que serão virtualizados usando o SO do desktop, mas cada um deles precisa de 4 GB de memória, em vez dos 2 GB fornecidos no desktop virtual de referência, planeje 400 desktops virtuais de referência. Requisitos de desempenho de armazenamento Requisitos de capacidade de armazenamento Determinação de desktops virtuais de referência equivalentes Os requisitos de desempenho de armazenamento para desktops são normalmente o aspecto de desempenho menos compreendido. O desktop virtual de referência usa uma carga de trabalho gerada por uma ferramenta reconhecida pelo setor para executar uma ampla variedade de aplicativos de produtividade de escritório que deve representar a maioria das implementações de desktops virtuais. Os requisitos de capacidade de armazenamento de um desktop podem variar muito dependendo dos tipos de aplicativos em uso e das políticas específicas do cliente. Os desktops virtuais apresentados nesta solução contam com armazenamento compartilhado adicional para dados de perfis e documentos de usuários. Esse requisito é coberto como um componente opcional que pode ser atendido com a adição de hardware de armazenamento específico da arquitetura de referência ou de compartilhamentos de arquivos existentes no ambiente. Com todos os recursos definidos, determine um valor apropriado para a linha "Desktops virtuais de referência equivalentes" na Tabela 15 usando as relações da Tabela 16. Arredonde todos os valores para cima para o número inteiro mais próximo. 94 Computação do usuário final do EMC VSPEX

95 Capítulo 4: Visão Geral da Arquitetura da Solução Tabela 16. Recursos do desktop virtual de referência Tipo de desktop Recurso Valor para o desktop virtual de referência Relacionamento entre requisitos e desktops virtuais de referência equivalentes SO do desktop CPU 1 Desktops virtuais de referência equivalentes = requisitos de recursos Memória 2 Desktops virtuais de referência equivalentes = (requisitos de recursos)/2 IOPS 8 Desktops virtuais de referência equivalentes = (requisitos de recursos)/8 SO do servidor CPU 0.2 Desktops virtuais de referência equivalentes = (requisitos de recursos)/0,2 Memória 0.6 Desktops virtuais de referência equivalentes = (requisitos de recursos)/0,6 IOPS 8 Desktops virtuais de referência equivalentes = (requisitos de recursos)/8 Por exemplo, se um grupo de 100 usuários precisar de duas CPUs virtuais e 12 IOPS por desktop descrito anteriormente em uma implementação de SO do desktop, juntamente com 8 GB de memória, descreva-os como precisando de dois desktops de referência de CPU, quatro desktops de referência de memória e dois desktops de referência de IOPS com base nas características do desktop virtual na Tabela 14. Insira esses números na linha Desktops de referência equivalentes, conforme mostrado na Tabela 17. Use o valor máximo na linha para preencher a coluna Desktops de referência equivalentes. Multiplique o número de desktops virtuais de referência equivalentes pelo número de usuários para chegar ao total de recursos necessários para esse tipo de usuário. Tabela 17. Exemplo de linha da planilha Tipo de usuário CPU (CPUs virtuais) Memória (GB) IOPS Desktops virtuais de referência equivalentes Nº de usuários Total de desktops de referência Exemplo de tipo de usuário Requisitos de recursos Desktops de referência equivalentes Depois de completar a planilha para cada tipo de usuário a ser migrado para a infraestrutura virtual, calcule o número total de desktops de referência virtual necessários no pool, calculando a soma da coluna Total, conforme mostrado na Tabela 18. Computação do usuário final do EMC VSPEX 95

96 Capítulo 4: Visão Geral da Arquitetura da Solução Tabela 18. Exemplos de aplicativos Tipo de usuário CPU (CPUs virtuais) Memória (GB) IOPS Desktops virtuais de referência equivalentes Nº de usuários Total de desktops de referência Usuários pesados Usuários moderados Usuários típicos Requisitos de recursos Desktops de referência equivalentes Requisitos de recursos Desktops de referência equivalentes Requisitos de recursos Desktops de referência equivalentes Total 900 As soluções VSPEX End-User Computing definem tamanhos discretos de pools de recursos. Para esse conjunto de soluções, os tamanhos de pool são 500, e No caso da Tabela 18, o cliente requer 900 desktops virtuais de capacidade do pool. Portanto, o pool de desktops virtuais fornece recursos suficientes para as necessidades atuais, bem como margem de crescimento. Ajuste dos recursos de hardware Na maioria dos casos, você pode dimensionar o hardware recomendado para servidores e armazenamento apropriadamente com base no processo descrito previamente. Entretanto, em alguns casos, talvez seja necessário personalizar ainda mais os recursos de hardware disponíveis. Uma descrição completa da arquitetura do sistema está além do escopo deste guia; entretanto, personalizações adicionais podem executadas neste momento. Recursos de armazenamento Em alguns aplicativos, separar algumas cargas de trabalho de armazenamento de outras cargas de trabalho pode ser necessário. Os layouts de armazenamento das arquiteturas VSPEX colocam todos os desktops virtuais em um só pool de recursos. Para conseguir a separação da carga de trabalho, compre drives de discos adicionais para cada grupo que precisa de isolamento de carga de trabalho e adicione-os a um pool dedicado. Não é apropriado reduzir o tamanho do pool de recursos de armazenamento principal para dar suporte ao isolamento ou reduzir a capacidade do pool sem orientação adicional além deste guia. Os layouts de armazenamento apresentados neste guia foram projetados para equilibrar diversos fatores diferentes em termos de alta disponibilidade, desempenho e proteção de dados. A alteração dos componentes do pool pode ter impactos significativos difíceis de prever em outras áreas do sistema. 96 Computação do usuário final do EMC VSPEX

97 Recursos de servidor Capítulo 4: Visão Geral da Arquitetura da Solução Na solução VSPEX End-User Computing, é possível personalizar os recursos de hardware do servidor de modo mais eficaz. Para isso, primeiro totalize os requisitos de recursos para os componentes do servidor, conforme mostrado na Tabela 19. Observe a inclusão das colunas Total de recursos da CPU e Total de recursos de memória. Tipo de usuário Usuários pesados Tabela 19. Requisitos de recursos Totais dos componentes de recursos de servidor CPU (CPUs virtuais) Memória (GB) Nº de usuários Total de recursos de CPU Total de recursos de memória (GB) Usuários moderados Usuários típicos Requisitos de recursos Requisitos de recursos Total Nesse exemplo, a arquitetura de destino precisou de 700 CPUs virtuais e GB de memória. Com as suposições declaradas de 8 desktops por núcleo de processador físico em uma implementação de SO do desktop, e nenhum superprovisionamento de memória, isso se traduz em 88 núcleos de processador físico e GB de memória. Em contraste, o pool de recursos para desktops virtuais pede GB de memória e, pelo menos, 125 núcleos de processador físico. Nesse ambiente, você pode implementar a solução de modo eficaz com menos recursos de servidor. Obs.: tenha em mente os requisitos de alta disponibilidade ao personalizar o hardware do pool de recursos. A Tabela 20 fornece uma planilha em branco para a coleta de informações sobre o cliente. Computação do usuário final do EMC VSPEX 97

98 Capítulo 4: Visão Geral da Arquitetura da Solução Tabela 20. Planilha em branco do cliente Tipo de usuário CPU (CPUs virtuais) Memória (GB) IOPS Desktops virtuais de referência equivalentes Nº de usuários Total de desktops de referência Requisitos de recursos Desktops de referência equivalentes Requisitos de recursos Desktops de referência equivalentes Requisitos de recursos Desktops de referência equivalentes Requisitos de recursos Desktops de referência equivalentes Requisitos de recursos Desktops de referência equivalentes Requisitos de recursos Desktops de referência equivalentes Total 98 Computação do usuário final do EMC VSPEX

99 Capítulo 5: Diretrizes de Configuração do VSPEX Capítulo 5 Diretrizes de Configuração do VSPEX Este capítulo apresenta os seguintes tópicos: Processo de implementação Tarefas pré-implementação Montar dados de configuração do cliente Preparar switches, conectar a rede e configurar switches Preparar e configurar o storage array Instalar e configurar hosts VMware vsphere Configuração de memória Instalar e Configurar o Banco de Dados do SQL Server Instalar e configurar o VMware vcenter Server Instalar e configurar a controladora XenDesktop Instalação e configuração de Citrix Provisioning Services (PVS) apenas Configurar o EMC Avamar Resumo Computação do usuário final do EMC VSPEX 99

100 Capítulo 5: Diretrizes de Configuração do VSPEX Processo de implementação Visão geral A Tabela 21 descreve as fases do processo de implementação da solução. Após o término da implementação, a infraestrutura do VSPEX estará pronta para a integração com a rede e com a infraestrutura de servidores existente do cliente. Tabela 21. Visão geral do processo de implementação Fase Descrição Referência 1 Verificar pré-requisitos. Tarefas pré-implementação 2 Obter as ferramentas de implementação. 3 Reunir dados de configuração do cliente. 4 Montar em rack e conectar os componentes. 5 Configurar os switches e as redes, conectar à rede do cliente. Tarefas pré-implementação Tarefas pré-implementação Documentação do fornecedor Preparar switches, conectar a rede e configurar switches 6 Instale e configure o VNX Preparar e configurar o storage array 7 Configurar datastores das máquinas virtuais. Preparar e configurar o storage array 8 Instalar e configurar os servidores. Instalar e configurar o VMware vcenter Server 9 Configure o SQL Server (usado pelo vcenter, XenDesktop e PVS). 10 Instalar e configurar o vcenter e o sistema de rede de máquinas virtuais. Instalar e Configurar o Banco de Dados do SQL Server Instalar e configurar o VMware vcenter Server 11 Configurar a controladora XenDesktop. Instalar e configurar a controladora XenDesktop 12 Testar e instalar. Capítulo 6: Validação da Solução Tarefas pré-implementação Visão geral As tarefas pré-implementação incluem procedimentos que não estão diretamente relacionados à instalação e à configuração do ambiente, mas cujos resultados serão necessários no momento da instalação. Exemplos de tarefas de préimplementação são o conjunto de nomes de host, endereços IP, IDs de VLAN, chaves de licença, mídia de instalação etc. Certifique-se de executar essas tarefas, conforme mostrado na Tabela 22, antes da visita ao cliente, para diminuir o tempo necessário no local. 100 Computação do usuário final do EMC VSPEX

101 Capítulo 5: Diretrizes de Configuração do VSPEX Tabela 22. Tarefas para a pré-implementação Tarefa Descrição Referência Reunir documentos Reunir ferramentas Reunir dados Reúna os documentos relacionados, listados nas referências. Eles são usados por todo o texto deste guia para fornecer detalhes sobre procedimentos de configuração e práticas recomendadas de implementação dos vários componentes da solução. Reúna as ferramentas necessárias e opcionais para a implementação. Use a Tabela 23 para confirmar que todo o equipamento, o software e todas as licenças apropriadas estejam disponíveis antes do processo de implementação. Reúna os dados de configuração específicos do cliente quanto ao sistema de rede, à nomenclatura e às contas necessárias. Especifique essas informações na planilha de dados de configuração do cliente para referência durante o processo de implementação. Documentação da EMC Outra documentação Lista de verificação de prérequisitos na Tabela 23 Apêndice B Pré-requisitos de implementação Preencha a Planilha de Configuração do VNX Block para a variante FC ou a Planilha do VNX File e Unified para variante NFS, disponíveis no site de Suporte on-line da EMC, a fim de oferecer as informações mais completas específicas a array. A Tabela 23 discrimina os requisitos de hardware, software e de licença para a solução. Para obter informações adicionais, consulte as tabelas de hardware e software neste guia. Tabela 23. Requisito Hardware Lista de verificação de pré-requisitos para implementação Descrição Servidores físicos para hospedar desktops virtuais: Capacidade de servidor físico suficiente para hospedar desktops Servidores VMware vsphere 5.1 para hospedar servidores de infraestrutura virtual Obs.: Esse requisito pode estar coberto pela infraestrutura existente. Sistema de rede: Capacidade de porta de switch e recursos necessários para a computação do usuário final EMC VNX: storage array multiprotocolo com o layout de disco necessário Software Mídia de instalação do VMware vsphere 5.1 Mídia de instalação do VMware vcenter Server 5.1 Mídia de instalação do Citrix XenDesktop 7 Computação do usuário final do EMC VSPEX 101

102 Capítulo 5: Diretrizes de Configuração do VSPEX Requisito Descrição Mídia de instalação do Citrix Provisioning Services 7 EMC VSI for VMware vsphere: Unified Storage Management Para obter mais informações, visite o site de suporte on-line da EMC. Mídia de instalação do Microsoft Windows Server 2008 R2 (SO sugerido para VMware vcenter e controladora Citrix Desktop) Mídia de instalação do Microsoft Windows Server 2012 (AD/DHCP/DNS/Hypervisor) Mídia de instalação do Microsoft Windows 7 SP1 Mídia de instalação do Microsoft SQL Server 2008 R2 Obs.: Esse requisito pode já ter sido satisfeito pela infraestrutura existente. Software: Somente variante FC Software: Apenas variante NFS EMC PowerPath Para obter mais informações, visite o site de suporte on-line da EMC. Plug-in do EMC vstorage API for Array Integration Para obter mais informações, visite o site de suporte on-line da EMC. Licenças Chave de licença do VMware vcenter 5.1 Chaves de licença do VMware vsphere 5.1 Desktop Arquivos de licença do Citrix XenDesktop 7 Chaves de licença do Microsoft Windows Server 2008 R2 Standard (ou mais recente) Chaves de licença do Microsoft Windows Server 2012 Standard (ou mais recente) Obs.: Este requisito pode estar coberto no Microsoft KMS (Key Management Server) existente. Chaves de licença do Microsoft Windows 7 Obs.: Este requisito pode estar coberto por um Microsoft KMS existente. Chave de licença do Microsoft SQL Server Obs.: Esse requisito pode já ter sido satisfeito pela infraestrutura existente. Licenças: Somente variante FC Arquivos de licença do EMC PowerPath/VE 102 Computação do usuário final do EMC VSPEX

103 Capítulo 5: Diretrizes de Configuração do VSPEX Montar dados de configuração do cliente Visão geral Para reduzir o tempo no local, reúna informações, como endereços IP e nomes de host, como parte do processo de planejamento. O Apêndice B fornece um modo de manter um registro das informações importantes. Esse formulário pode ser expandido ou recolhido, conforme necessário. É possível adicionar, modificar e registrar informações à medida que a implementação progredir. Além disso, preencha a Planilha de Configuração do VNX Block para a variante FC ou a Planilha do VNX File e Unified para a variante NFS, disponíveis no site de suporte on-line da EMC, para oferecer as informações específicas de array mais abrangentes. Preparar switches, conectar a rede e configurar switches Visão geral Esta seção apresenta os requisitos da infraestrutura de rede necessários para dar suporte a essa arquitetura. A Tabela 24 destaca as tarefas a concluir com referências para mais informações. Tabela 24. Tarefas de configuração de switches e da rede Tarefa Descrição Referência Configure a rede de infraestrutura Configurar a rede de armazenamento (variante FC) Configurar VLANs Concluir o cabeamento de rede Configure o storage array e o sistema de rede da infraestrutura de host do vsphere conforme especificado em Arquitetura da solução. Configure as portas de FC switch, o zoneamento para o storage array e os hosts do vsphere. Configure VLANs públicas e privadas conforme a necessidade. Conecte as portas de interconexão dos switches. Conecte as portas do VNX. Conecte as portas do servidor do vsphere. Guia de configuração do fornecedor Guia de configuração do switch do fornecedor Guia de configuração do switch do fornecedor Guia de configuração do fornecedor Preparar switches de rede Configure a rede de infraestrutura Para obter níveis validados de desempenho e alta disponibilidade, essa solução requer a capacidade de switches estabelecida na tabela Hardware da solução (Tabela 5 na página 57). Se a infraestrutura existente atender aos requisitos, não será necessária a instalação de um novo hardware. A rede de infraestrutura requer conexões de rede redundantes para cada host do vsphere, o storage array, as portas de interconexão de switches e as portas de uplink de switches. Essa configuração fornece redundância e largura de banda de rede adicional. Essa configuração é necessária, independentemente de a infraestrutura de rede da solução já existir ou estar sendo implementada juntamente com outros componentes da solução. Computação do usuário final do EMC VSPEX 103

104 Capítulo 5: Diretrizes de Configuração do VSPEX A Figura 36 mostra um exemplo de infraestrutura Ethernet redundante para essa solução. O diagrama ilustra o uso de switches redundantes e links para garantir que não existam pontos únicos de falha na conectividade de rede. Figura 36. Exemplo de arquitetura de rede Ethernet Configurar a rede de armazenamento (variante FC) A rede FC da infraestrutura requer links e FC switches redundantes para cada host do vsphere e o storage array. Essa configuração fornece redundância e largura de banda de rede de armazenamento adicional. Cada host do vsphere está conectado aos dois FC switches, e cada switch está conectado a cada uma das controladoras de armazenamento no storage array. Coloque cada conexão FC entre o storage array e o host do vsphere em uma zona FC separada. 104 Computação do usuário final do EMC VSPEX

105 Capítulo 5: Diretrizes de Configuração do VSPEX A Figura 37 fornece um exemplo de uma arquitetura de rede FC. Figura 37. Exemplo de arquitetura de rede FC Configurar VLANs Concluir o cabeamento de rede Certifique-se de ter um número adequado de portas de switch para o storage array e hosts vsphere configurados com um mínimo de três VLANs para: Sistema de rede de máquinas virtuais, gerenciamento vsphere e tráfego CIFS (redes voltadas para o cliente, que podem ser separadas, se necessário) Sistema de rede NFS (rede privada) vmotion (rede privada) Certifique-se de que todos os servidores da solução, os storage arrays, as interconexões de switches e os uplinks de switch tenham conexões redundantes e estejam conectados em infraestruturas de switch separadas. Verifique se há uma conexão completa à rede existente do cliente. Obs.: Neste momento, o novo equipamento está sendo conectado à rede existente do cliente. Certifique-se de que interações inesperadas não causem problemas de serviço na rede do cliente. Computação do usuário final do EMC VSPEX 105

COMPUTAÇÃO DO USUÁRIO FINAL DO EMC VSPEX

COMPUTAÇÃO DO USUÁRIO FINAL DO EMC VSPEX Guia da VSPEX Proven Infrastructure COMPUTAÇÃO DO USUÁRIO FINAL DO EMC VSPEX Citrix XenDesktop 7 e Microsoft Hyper-V Server 2012 para até 2.000 Desktops Virtuais Habilitado por EMC VNX de última geração

Leia mais

EMC VSPEX END-USER COMPUTING

EMC VSPEX END-USER COMPUTING Infraestrutura comprovada do VSPEX EMC VSPEX END-USER COMPUTING Citrix XenDesktop 5.6 com VMware vsphere 5.1 para até 250 Desktops Virtuais Habilitado por EMC VNX e Backup EMC de Última geração EMC VSPEX

Leia mais

EMC VSPEX END-USER COMPUTING

EMC VSPEX END-USER COMPUTING GUIA DE PROJETO EMC VSPEX END-USER COMPUTING Citrix XenDesktop 7.1 e Microsoft Hyper-V Habilitado por EMC VNXe3200 e EMC Powered Backup EMC VSPEX Resumo Este descreve como criar uma solução EMC VSPEX End-User

Leia mais

NUVEM PRIVADA DO EMC VSPEX

NUVEM PRIVADA DO EMC VSPEX Proven Infrastructure Guide NUVEM PRIVADA DO EMC VSPEX VMware vsphere 5.5 para até 1.000 Máquinas Virtuais Habilitado por Microsoft Windows Server 2012 R2, série VNX da EMC e EMC Powered Backup EMC VSPEX

Leia mais

EMC VSPEX PRIVATE CLOUD

EMC VSPEX PRIVATE CLOUD Infraestrutura comprovada EMC VSPEX PRIVATE CLOUD Microsoft Windows Server 2012 R2 com Hyper-V para até 200 Máquinas Virtuais Habilitado pelo EMC VNXe3200 e pelo EMC Data Protection EMC VSPEX Resumo Este

Leia mais

EMC VSPEX END-USER COMPUTING Citrix XenDesktop 7.6 e VMware vsphere com EMC XtremIO

EMC VSPEX END-USER COMPUTING Citrix XenDesktop 7.6 e VMware vsphere com EMC XtremIO GUIA DE IMPLEMENTAÇÃO EMC VSPEX END-USER COMPUTING Citrix XenDesktop 7.6 e VMware vsphere com EMC XtremIO Habilitado por EMC Isilon, EMC VNX e EMC Data Protection EMC VSPEX Resumo Este descreve as etapas

Leia mais

EMC VSPEX END-USER COMPUTING Citrix XenDesktop 7.5 e VMware vsphere com EMC XtremIO

EMC VSPEX END-USER COMPUTING Citrix XenDesktop 7.5 e VMware vsphere com EMC XtremIO GUIA DE IMPLEMENTAÇÃO EMC VSPEX END-USER COMPUTING Citrix XenDesktop 7.5 e VMware vsphere com EMC XtremIO Habilitado por EMC VNX e EMC Data Protection EMC VSPEX Resumo Este descreve as etapas de alto nível

Leia mais

FAMÍLIA EMC VPLEX. Disponibilidade contínua e mobilidade de dados nos datacenters e entre eles

FAMÍLIA EMC VPLEX. Disponibilidade contínua e mobilidade de dados nos datacenters e entre eles FAMÍLIA EMC VPLEX Disponibilidade contínua e mobilidade de dados nos datacenters e entre eles GARANTINDO DISPONIBILIDADE CONTÍNUA E MOBILIDADE DE DADOS PARA APLICATIVOS ESSENCIAIS A infraestrutura de armazenamento

Leia mais

EMC VSPEX PARA MICROSOFT EXCHANGE 2013 VIRTUALIZADO COM VMWARE VSPHERE

EMC VSPEX PARA MICROSOFT EXCHANGE 2013 VIRTUALIZADO COM VMWARE VSPHERE GUIA DE IMPLEMENTAÇÃO EMC VSPEX PARA MICROSOFT EXCHANGE 2013 VIRTUALIZADO COM VMWARE VSPHERE EMC VSPEX Resumo Este descreve, em um alto nível, as etapas necessárias para implementar uma organização do

Leia mais

EMC VSPEX. Guia da Proven Infrastructure

EMC VSPEX. Guia da Proven Infrastructure Guia da Proven Infrastructure NUVEM PRIVADA DO EMC VSPEX Microsoft Windows Server 2012 R2 com Hyper-V para até 1.000 Máquinas Virtuais Habilitado pela série VNX da EMC e pelo EMC Powered Backup EMC VSPEX

Leia mais

ACELERANDO A TRANSFORMAÇÃO DA TI COM A SOLUÇÃO EMC DE ARMAZENAMENTO UNIFICADO E BACKUP DE ÚLTIMA GERAÇÃO

ACELERANDO A TRANSFORMAÇÃO DA TI COM A SOLUÇÃO EMC DE ARMAZENAMENTO UNIFICADO E BACKUP DE ÚLTIMA GERAÇÃO ACELERANDO A TRANSFORMAÇÃO DA TI COM A SOLUÇÃO EMC DE ARMAZENAMENTO UNIFICADO E BACKUP DE ÚLTIMA GERAÇÃO A virtualização, em particular, a VMware, transformou a maneira como as empresas encaram suas estratégias

Leia mais

O EMC XTREMCACHE ACELERA O ORACLE

O EMC XTREMCACHE ACELERA O ORACLE White paper O EMC XTREMCACHE ACELERA O ORACLE EMC XtremSF, EMC XtremCache, EMC VNX, EMC FAST Suite, Oracle Database 11g O XtremCache estende o flash ao servidor O FAST Suite automatiza a inserção do armazenamento

Leia mais

Consolidação inteligente de servidores com o System Center

Consolidação inteligente de servidores com o System Center Consolidação de servidores por meio da virtualização Determinação do local dos sistemas convidados: a necessidade de determinar o melhor host de virtualização que possa lidar com os requisitos do sistema

Leia mais

EMC VSPEX PARA MICROSOFT SHAREPOINT 2013 VIRTUALIZADO

EMC VSPEX PARA MICROSOFT SHAREPOINT 2013 VIRTUALIZADO GUIA DE PROJETO EMC VSPEX PARA MICROSOFT SHAREPOINT 2013 VIRTUALIZADO EMC VSPEX Resumo Este descreve como projetar recursos do Microsoft SharePoint 2013 virtualizado na EMC VSPEX Proven Infrastructure

Leia mais

EMC VSPEX PARA MICROSOFT SQL SERVER 2012 VIRTUALIZADO

EMC VSPEX PARA MICROSOFT SQL SERVER 2012 VIRTUALIZADO GUIA DE PROJETO EMC VSPEX PARA MICROSOFT SQL SERVER 2012 VIRTUALIZADO EMC VSPEX Resumo Este descreve como projetar recursos do Microsoft SQL Server virtualizado na EMC VSPEX Proven Infrastructure para

Leia mais

EMC VSPEX END-USER COMPUTING

EMC VSPEX END-USER COMPUTING GUIA DE PROJETO EMC VSPEX END-USER COMPUTING VMware Horizon View 6.0 e VMware vsphere para até 500 Desktops Virtuais Habilitado por EMC VNXe3200 e EMC Data Protection EMC VSPEX Resumo Este descreve como

Leia mais

Avaliação da plataforma de armazenamento multiprotocolo EMC Celerra NS20

Avaliação da plataforma de armazenamento multiprotocolo EMC Celerra NS20 Avaliação da plataforma de armazenamento multiprotocolo EMC Celerra NS20 Relatório elaborado sob contrato com a EMC Corporation Introdução A EMC Corporation contratou a Demartek para realizar uma avaliação

Leia mais

ARMAZENAMENTO E COMPUTAÇÃO

ARMAZENAMENTO E COMPUTAÇÃO EMC SCALEIO SAN de servidor convergente definida por software PRINCÍPIOS BÁSICOS Apenas software Arquitetura convergida de camada única Capacidade de expansão linear Desempenho e capacidade sob demanda

Leia mais

EMC VSPEX PRIVATE CLOUD:

EMC VSPEX PRIVATE CLOUD: EMC VSPEX PRIVATE CLOUD: VMware vsphere e EMC ScaleIO EMC VSPEX Resumo Este documento descreve a solução EMC VSPEX Proven Infrastructure para implementações de nuvem privada com a tecnologia VMware vsphere

Leia mais

EMC VSPEX END-USER COMPUTING

EMC VSPEX END-USER COMPUTING GUIA DE IMPLEMENTAÇÃO EMC VSPEX END-USER COMPUTING VMware Horizon View 6.0 e VMware vsphere para até 500 desktops virtuais Habilitado por EMC VNXe3200 e EMC Data Protection EMC VSPEX Resumo Este descreve

Leia mais

EMC VSPEX END-USER COMPUTING

EMC VSPEX END-USER COMPUTING GUIA DE PROJETO EMC VSPEX END-USER COMPUTING Habilitado por EMC VNX e EMC Data Protection EMC VSPEX Resumo Este descreve como criar uma solução EMC VSPEX End-User Computing para Citrix XenDesktop 7.5.

Leia mais

EMC VSPEX PARA MICROSOFT SQL SERVER 2012 VIRTUALIZADO COM VMWARE VSPHERE

EMC VSPEX PARA MICROSOFT SQL SERVER 2012 VIRTUALIZADO COM VMWARE VSPHERE EMC VSPEX PARA MICROSOFT SQL SERVER 2012 VIRTUALIZADO COM VMWARE VSPHERE EMC VSPEX Resumo Este descreve as etapas de alto nível necessárias para implementar um conjunto do Microsoft SQL Server em uma EMC

Leia mais

GERENCIAMENTO CENTRALIZADO DELL POWERVAULT DL 2000 BASEADO EM TECNOLOGIA SYMANTEC

GERENCIAMENTO CENTRALIZADO DELL POWERVAULT DL 2000 BASEADO EM TECNOLOGIA SYMANTEC GERENCIAMENTO CENTRALIZADO DELL POWERVAULT DL 2000 BASEADO EM TECNOLOGIA SYMANTEC RESUMO EXECUTIVO O PowerVault DL2000, baseado na tecnologia Symantec Backup Exec, oferece a única solução de backup em

Leia mais

EMC VSPEX PARA MICROSOFT EXCHANGE 2013 VIRTUALIZADO COM MICROSOFT HYPER-V

EMC VSPEX PARA MICROSOFT EXCHANGE 2013 VIRTUALIZADO COM MICROSOFT HYPER-V GUIA DE IMPLEMENTAÇÃO EMC VSPEX PARA MICROSOFT EXCHANGE 2013 VIRTUALIZADO COM MICROSOFT HYPER-V EMC VSPEX Resumo Este descreve, em um alto nível, as etapas necessárias para implementar uma organização

Leia mais

EMC VSPEX PARA MICROSOFT EXCHANGE 2013 VIRTUALIZADO

EMC VSPEX PARA MICROSOFT EXCHANGE 2013 VIRTUALIZADO GUIA DE PROJETO EMC VSPEX PARA MICROSOFT EXCHANGE 2013 VIRTUALIZADO EMC VSPEX Resumo Este descreve como projetar recursos do Microsoft Exchange Server 2013 virtualizado em uma EMC VSPEX Proven Infrastructure

Leia mais

EMC VSPEX END-USER COMPUTING

EMC VSPEX END-USER COMPUTING GUIA DE IMPLEMENTAÇÃO EMC VSPEX END-USER COMPUTING VMware Horizon View 6.0 e VMware vsphere com EMC XtremIO Habilitado por EMC Isilon, EMC VNX e EMC Data Protection EMC VSPEX Resumo Este descreve as etapas

Leia mais

AMBIENTES DE MISSÃO CRÍTICA ORACLE COM VMAX 3

AMBIENTES DE MISSÃO CRÍTICA ORACLE COM VMAX 3 AMBIENTES DE MISSÃO CRÍTICA ORACLE COM VMAX 3 PRINCÍPIOS BÁSICOS DE MISSÃO CRÍTICA Avançado Armazenamento híbrido com níveis de serviço com desempenho otimizado por flash em escala para cargas de trabalho

Leia mais

EMC VSPEX END-USER COMPUTING:

EMC VSPEX END-USER COMPUTING: GUIA DE PROJETO EMC VSPEX END-USER COMPUTING: Habilitado por EMC Isilon, EMC VNX e EMC Data Protection EMC VSPEX Resumo Este descreve como criar uma solução EMC VSPEX End-User Computing para Citrix XenDesktop

Leia mais

arcserve Unified Data Protection Resumo da solução de virtualização

arcserve Unified Data Protection Resumo da solução de virtualização arcserve Unified Data Protection Resumo da solução de virtualização Hoje a virtualização de servidores e desktops é uma realidade não só nas empresas, mas em todos os tipos de negócios. Todos concordam

Leia mais

SISTEMA DE ARMAZENAMENTO (STORAGE)

SISTEMA DE ARMAZENAMENTO (STORAGE) SISTEMA DE ARMAZENAMENTO (STORAGE) Possuir capacidade instalada, livre para uso, de pelo menos 5.2 (cinco ponto dois) TB líquidos em discos SAS/FC de no máximo 600GB 15.000RPM utilizando RAID 5 (com no

Leia mais

Guia de Introdução ao Symantec Protection Center. Versão 2.0

Guia de Introdução ao Symantec Protection Center. Versão 2.0 Guia de Introdução ao Symantec Protection Center Versão 2.0 Guia de Introdução ao Symantec Protection Center O software descrito neste documento é fornecido sob um contrato de licença e pode ser usado

Leia mais

FAMÍLIA EMC VNX. Armazenamento unificado de última geração, otimizado para aplicativos virtualizados

FAMÍLIA EMC VNX. Armazenamento unificado de última geração, otimizado para aplicativos virtualizados FAMÍLIA EMC VNX Armazenamento unificado de última geração, otimizado para aplicativos virtualizados FUNDAMENTOS Armazenamento unificado multiprotocolo para arquivos, blocos e objetos Novas e potentes CPUs

Leia mais

Avaliação do sistema de armazenamento EMC CLARiiON AX4

Avaliação do sistema de armazenamento EMC CLARiiON AX4 Avaliação do sistema de armazenamento EMC CLARiiON AX4 Relatório elaborado sob contrato com a EMC Corporation Introdução A EMC Corporation contratou a Demartek para realizar uma avaliação prática do novo

Leia mais

EMC VSPEX PARA ORACLE DATABASE 11g OLTP (Online Transaction Processing, processamento de transações on-line)

EMC VSPEX PARA ORACLE DATABASE 11g OLTP (Online Transaction Processing, processamento de transações on-line) GUIA DE PROJETO EMC VSPEX PARA ORACLE DATABASE 11g OLTP (Online Transaction Processing, processamento de transações on-line) EMC VSPEX Resumo Este descreve como projetar recursos do Oracle Database virtualizado

Leia mais

Clique. Microsoft. Simples.

Clique. Microsoft. Simples. ARMAZENAMENTO UNIFICADO EMC PARA APLICATIVOS MICROSOFT VIRTUALIZADOS Clique. Microsoft. Simples. Microsoft SQL Server Os bancos de dados do Microsoft SQL Server alimentam os aplicativos essenciais de sua

Leia mais

Como usar a nuvem para continuidade dos negócios e recuperação de desastres

Como usar a nuvem para continuidade dos negócios e recuperação de desastres Como usar a nuvem para continuidade dos negócios e recuperação de desastres Há diversos motivos para as empresas de hoje enxergarem o valor de um serviço de nuvem, seja uma nuvem privada oferecida por

Leia mais

EMC VSPEX PARA ORACLE DATABASE 11g OLTP VIRTUALIZADO

EMC VSPEX PARA ORACLE DATABASE 11g OLTP VIRTUALIZADO GUIA DE IMPLEMENTAÇÃO EMC VSPEX PARA ORACLE DATABASE 11g OLTP VIRTUALIZADO EMC VSPEX Resumo Este descreve as etapas de alto nível e as práticas recomendadas necessárias para implementar a EMC VSPEX Proven

Leia mais

EMC VSPEX PARA MICROSOFT SQL SERVER 2012 VIRTUALIZADO COM MICROSOFT HYPER-V

EMC VSPEX PARA MICROSOFT SQL SERVER 2012 VIRTUALIZADO COM MICROSOFT HYPER-V GUIA DE IMPLEMENTAÇÃO EMC VSPEX PARA MICROSOFT SQL SERVER 2012 VIRTUALIZADO COM MICROSOFT HYPER-V EMC VSPEX Resumo Este descreve, em um alto nível, as etapas necessárias para implementar várias instâncias

Leia mais

EMC VSPEX PRIVATE CLOUD

EMC VSPEX PRIVATE CLOUD Guia de Infraestrutura Comprovada EMC VSPEX PRIVATE CLOUD Microsoft Windows Server 2012 R2 com Hyper-V para até 700 máquinas Virtuais Habilitado por EMC XtremIO e EMC Data Protection EMC VSPEX Resumo Este

Leia mais

Proteção de ambientes Citrix XenServer com Arcserve

Proteção de ambientes Citrix XenServer com Arcserve Proteção de ambientes Citrix XenServer com Arcserve Desafios do cliente Hoje em dia, você enfrenta desafios como acordos de nível de serviço exigentes e limitações de equipe e orçamento. Você procura maneiras

Leia mais

EMC VSPEX PARA MICROSOFT SQL SERVER 2012 VIRTUALIZADO

EMC VSPEX PARA MICROSOFT SQL SERVER 2012 VIRTUALIZADO GUIA DE PROJETO EMC VSPEX PARA MICROSOFT SQL SERVER 2012 VIRTUALIZADO EMC VSPEX Resumo Este descreve como projetar recursos do Microsoft SQL Server virtualizado na nuvem privada do EMC VSPEX apropriada

Leia mais

EMC UNIFIED INFRASTRUCTURE MANAGER

EMC UNIFIED INFRASTRUCTURE MANAGER EMC UNIFIED INFRASTRUCTURE MANAGER Facilite a transição para uma infraestrutura em nuvem privada ou híbrida nos Vblock Systems Crie um ambiente único e virtualizado Provisione como uma só infraestrutura

Leia mais

FAMÍLIA EMC VNX. Armazenamento unificado de última geração, otimizado para aplicativos virtualizados PRINCIPAIS BENEFÍCIOS.

FAMÍLIA EMC VNX. Armazenamento unificado de última geração, otimizado para aplicativos virtualizados PRINCIPAIS BENEFÍCIOS. FAMÍLIA EMC VNX Armazenamento unificado de última geração, otimizado para aplicativos virtualizados PRINCIPAIS BENEFÍCIOS Armazenamento unificado para file, block e objetos A otimização de vários núcleos

Leia mais

Otimização do Gerenciamento de Datacenters com o Microsoft System Center

Otimização do Gerenciamento de Datacenters com o Microsoft System Center Otimização do Gerenciamento de Datacenters com o Microsoft System Center Aviso de Isenção de Responsabilidade e Direitos Autorais As informações contidas neste documento representam a visão atual da Microsoft

Leia mais

Symantec NetBackup 7 O que há de novo e tabela de comparação de versões

Symantec NetBackup 7 O que há de novo e tabela de comparação de versões Symantec 7 O que há de novo e tabela de comparação de versões O 7 permite a padronização das operações de backup e recuperação em ambientes físicos e virtuais com menos recursos e menos riscos, pois oferece

Leia mais

TRANSFORME SUA INFRAESTRUTURA DE BANCO DE DADOS

TRANSFORME SUA INFRAESTRUTURA DE BANCO DE DADOS TRANSFORME SUA INFRAESTRUTURA DE BANCO DE DADOS Bancos de dados como Oracle e SQL Server demandam latência consistentemente baixa e um desempenho excepcional de I/O para responder instantaneamente a consultas/transações

Leia mais

Symantec Backup Exec.cloud

Symantec Backup Exec.cloud Proteção automática, contínua e segura que faz o backup dos dados na nuvem ou usando uma abordagem híbrida, combinando backups na nuvem e no local. Data Sheet: Symantec.cloud Somente 2% das PMEs têm confiança

Leia mais

EMC SYMMETRIX VMAX 10K

EMC SYMMETRIX VMAX 10K EMC SYMMETRIX VMAX 10K Avançado, confiável, inteligente e eficiente O MAIS ACESSÍVEL ARMAZENAMENTO TIER-1 O sistema de armazenamento EMC Symmetrix VMAX 10K é uma nova classe de armazenamento corporativo

Leia mais

Resumo da solução de virtualização

Resumo da solução de virtualização Resumo da solução de virtualização A virtualização de servidores e desktops se tornou muito difundida na maioria das organizações, e não apenas nas maiores. Todos concordam que a virtualização de servidores

Leia mais

Detecção e investigação de ameaças avançadas. INFRAESTRUTURA

Detecção e investigação de ameaças avançadas. INFRAESTRUTURA Detecção e investigação de ameaças avançadas. INFRAESTRUTURA DESTAQUES A infraestrutura do RSA Security Analytics Arquitetura modular para coleta distribuída Baseada em metadados para indexação, armazenamento

Leia mais

Veritas Storage Foundation da Symantec

Veritas Storage Foundation da Symantec Veritas Storage Foundation da Symantec Gerenciamento de armazenamento heterogêneo on-line O Veritas Storage Foundation oferece uma solução completa para o gerenciamento de armazenamento heterogêneo on-line.

Leia mais

DELL POWERVAULT SÉRIE MD ARMAZENAMENTO DE DADOS MODULAR ARMAZENAMENTO DE DADOS DELL POWERVAULT SÉRIE MD

DELL POWERVAULT SÉRIE MD ARMAZENAMENTO DE DADOS MODULAR ARMAZENAMENTO DE DADOS DELL POWERVAULT SÉRIE MD ARMAZENAMENTO DE DADOS MODULAR ARMAZENAMENTO DE DADOS DELL POWERVAULT SÉRIE MD Simplificação da TI O Dell série MD pode simplificar a TI, otimizando sua arquitetura de armazenamento de dados e garantindo

Leia mais

Plataforma na nuvem do CA AppLogic para aplicativos corporativos

Plataforma na nuvem do CA AppLogic para aplicativos corporativos FOLHA DE PRODUTOS: CA AppLogic Plataforma na nuvem do CA AppLogic para aplicativos corporativos agility made possible O CA AppLogic é uma plataforma de computação na nuvem pronta para o uso que ajuda a

Leia mais

GUIA DE DESCRIÇÃO DO PRODUTO

GUIA DE DESCRIÇÃO DO PRODUTO GUIA DE DESCRIÇÃO DO PRODUTO EMC CLOUDARRAY INTRODUÇÃO Atualmente, os departamentos de TI enfrentam dois desafios de armazenamento de dados críticos: o crescimento exponencial dos dados e uma necessidade

Leia mais

NUVEM PRIVADA DO EMC VSPEX

NUVEM PRIVADA DO EMC VSPEX Guia de Proven Infrastructure NUVEM PRIVADA DO EMC VSPEX VMware vsphere5.5 para até 100 máquinas virtuais Habilitado por Microsoft Windows Server 2012, EMC VNXe e EMC Powered Backup EMC VSPEX Resumo Este

Leia mais

R E S U M O E X E C U T I V O. Oferecido por: EMC. Laura DuBois Agosto de 2013

R E S U M O E X E C U T I V O. Oferecido por: EMC. Laura DuBois Agosto de 2013 Matriz global: 5 Speen Street Framingham, MA 01701 EUA Tel.: +1 508-872-8200 Fax: +1 508-935-4015 www.idc.com B O L E T I M I N F O R M A T I V O R e v e l a n d o o p o d e r d o f l a s h c o m o V N

Leia mais

Proteção de ambientes Microsoft Hyper-V 3.0 com Arcserve

Proteção de ambientes Microsoft Hyper-V 3.0 com Arcserve Proteção de ambientes Microsoft Hyper-V 3.0 com Arcserve Desafios do cliente Hoje em dia, você enfrenta desafios como acordos de nível de serviço exigentes e limitações de equipe e orçamento. Você procura

Leia mais

Serviço de Desenho e Implementação de Volume Virtual de HP Storage

Serviço de Desenho e Implementação de Volume Virtual de HP Storage Serviço de Desenho e Implementação de Volume Virtual de HP Storage Serviços HP CarePack Dados técnicos A configuração correta de hardware de armazenamento é crucial para ajudar a melhorar a eficácia dos

Leia mais

PROPOSIÇÃO DE VALOR:

PROPOSIÇÃO DE VALOR: Caro Cliente, Na economia atual, você não pode permitir ineficiências ou sobreprovisionamento de nenhum recurso - recursos inativos custam dinheiro, recursos mal utilizados custam oportunidades. Você precisa

Leia mais

UNIFIED DATA PROTECTION RESUMO DA SOLUÇÃO

UNIFIED DATA PROTECTION RESUMO DA SOLUÇÃO UNIFIED DATA PROTECTION RESUMO DA SOLUÇÃO arcserve UDP Impulsionadas pelo aumento no volume dos dados e os avanços da tecnologia como a virtualização, as arquiteturas atuais para proteção dos dados deixam

Leia mais

Benefícios do Windows Server 2008 R2 Hyper-V para SMB

Benefícios do Windows Server 2008 R2 Hyper-V para SMB Benefícios do Windows Server 2008 R2 Hyper-V para SMB Sumário Introdução... 3 Windows Server 2008 R2 Hyper-V... 3 Live Migration... 3 Volumes compartilhados do Cluster... 3 Modo de Compatibilidade de Processador...

Leia mais

FileMaker Pro 12. Utilização de uma Conexão de Área de Trabalho Remota com o

FileMaker Pro 12. Utilização de uma Conexão de Área de Trabalho Remota com o FileMaker Pro 12 Utilização de uma Conexão de Área de Trabalho Remota com o FileMaker Pro 12 2007 2012 FileMaker Inc. Todos os direitos reservados. FileMaker Inc. 5201 Patrick Henry Drive Santa Clara,

Leia mais

FileMaker Pro 14. Utilização de uma Conexão de Área de Trabalho Remota com o FileMaker Pro 14

FileMaker Pro 14. Utilização de uma Conexão de Área de Trabalho Remota com o FileMaker Pro 14 FileMaker Pro 14 Utilização de uma Conexão de Área de Trabalho Remota com o FileMaker Pro 14 2007-2015 FileMaker, Inc. Todos os direitos reservados. FileMaker Inc. 5201 Patrick Henry Drive Santa Clara,

Leia mais

FileMaker Pro 13. Utilização de uma Conexão de Área de Trabalho Remota com o FileMaker Pro 13

FileMaker Pro 13. Utilização de uma Conexão de Área de Trabalho Remota com o FileMaker Pro 13 FileMaker Pro 13 Utilização de uma Conexão de Área de Trabalho Remota com o FileMaker Pro 13 2007-2013 FileMaker Inc. Todos os direitos reservados. FileMaker Inc. 5201 Patrick Henry Drive Santa Clara,

Leia mais

Symantec NetBackup for VMware

Symantec NetBackup for VMware Visão geral A virtualização de servidor é a maior tendência modificadora na área de TI atual. Os departamentos de TI, que dependem do orçamento, estão se apressando para aderir à virtualização por vários

Leia mais

Backup e recuperação para ambientes VMware com o EMC Avamar 6.0

Backup e recuperação para ambientes VMware com o EMC Avamar 6.0 White paper Backup e recuperação para ambientes VMware com o EMC Avamar 6.0 Análise detalhada Resumo Com o ritmo sempre crescente dos ambientes virtuais implantados na nuvem, os requisitos de proteção

Leia mais

Licenciamento de estações de trabalho Windows para Ambientes VDI

Licenciamento de estações de trabalho Windows para Ambientes VDI Microsoft VDI e Windows VDA Perguntas Frequentes Licenciamento de estações de trabalho Windows para Ambientes VDI Como a Microsoft licencia o Windows das estações de trabalho em ambientes virtuais? A Microsoft

Leia mais

Online Help StruxureWare Data Center Expert

Online Help StruxureWare Data Center Expert Online Help StruxureWare Data Center Expert Version 7.2.7 Appliance virtual do StruxureWare Data Center Expert O servidor do StruxureWare Data Center Expert 7.2 está agora disponível como um appliance

Leia mais

SOLUÇÃO EMC VSPEX PARA INFRAESTRUTURA COMO SERVIÇO COM O VMWARE VCLOUD SUITE

SOLUÇÃO EMC VSPEX PARA INFRAESTRUTURA COMO SERVIÇO COM O VMWARE VCLOUD SUITE GUIA DE PROJETO E IMPLEMENTAÇÃO SOLUÇÃO EMC VSPEX PARA INFRAESTRUTURA COMO SERVIÇO COM O VMWARE VCLOUD SUITE EMC VSPEX Resumo Este descreve como desenvolver recursos do VMware vcloud Suite virtualizado

Leia mais

Kaspersky Security for Virtualization. Overview

Kaspersky Security for Virtualization. Overview Kaspersky Security for Virtualization Overview Idéia da Virtualização Executar um sistema operacional como um programa dentro de outro sistema operacional Executar vários sistemas operacionais no mesmo

Leia mais

Família Dell PowerVault MD. Armazenamento. modular. A família de storage Dell PowerVault MD

Família Dell PowerVault MD. Armazenamento. modular. A família de storage Dell PowerVault MD Família Dell PowerVault MD Armazenamento modular A família de storage Dell PowerVault MD Família Dell PowerVault MD A escolha acessível A família Dell PowerVault MD é uma escolha de armazenamento acessível

Leia mais

EMC SYMMETRIX VMAX 10K

EMC SYMMETRIX VMAX 10K EMC SYMMETRIX VMAX 10K O EMC Symmetrix VMAX 10K com o ambiente operacional Enginuity oferece uma arquitetura de scale-out de várias controladoras com consolidação e eficiência para a empresa. O VMAX 10K

Leia mais

Symantec Backup Exec 2012

Symantec Backup Exec 2012 Melhor Backup para todos Data Sheet: Backup e recuperação após desastres Visão geral O é um produto integrado que protege ambientes físicos e virtuais, simplifica o backup e a recuperação após desastres

Leia mais

Soluções de Gerenciamento de Clientes e de Impressão Universal

Soluções de Gerenciamento de Clientes e de Impressão Universal Soluções de Gerenciamento de Clientes e de Impressão Universal Guia do Usuário Copyright 2007 Hewlett-Packard Development Company, L.P. Windows é uma marca registrada nos Estados Unidos da Microsoft Corporation.

Leia mais

utilização da rede através da eliminação de dados duplicados integrada e tecnologia de archiving.

utilização da rede através da eliminação de dados duplicados integrada e tecnologia de archiving. Business Server Backup e recuperação abrangentes criados para a pequena empresa em crescimento Visão geral O Symantec Backup Exec 2010 for Windows Small Business Server é a solução de proteção de dados

Leia mais

Documento técnico de negócios

Documento técnico de negócios Documento técnico de negócios Manual de proteção de dados para armazenamento totalmente em flash Principais considerações para o comprador de armazenamento com experiência em tecnologia Documento técnico

Leia mais

Backup e recuperação EMC Avamar para ambientes VMware

Backup e recuperação EMC Avamar para ambientes VMware Backup e recuperação EMC Avamar para ambientes VMware Resumo Este white paper descreve componentes das soluções VMware vsphere e VMware View e discute as opções de proteção desses ambientes usando o EMC

Leia mais

Proteção de ambientes VMware vsphere/esx com Arcserve

Proteção de ambientes VMware vsphere/esx com Arcserve Proteção de ambientes VMware vsphere/esx com Arcserve Desafios do cliente Hoje em dia, você enfrenta desafios como acordos de nível de serviço exigentes e limitações de equipe e orçamento. Você procura

Leia mais

Especificações da oferta Gerenciamento de dispositivos distribuídos: Gerenciamento de ativos

Especificações da oferta Gerenciamento de dispositivos distribuídos: Gerenciamento de ativos Visão geral do Serviço Especificações da oferta Gerenciamento de dispositivos distribuídos: Gerenciamento de ativos Os Serviços de gerenciamento de dispositivos distribuídos ajudam você a controlar ativos

Leia mais

FAMÍLIA EMC RECOVERPOINT

FAMÍLIA EMC RECOVERPOINT FAMÍLIA EMC RECOVERPOINT Solução econômica para proteção de dados e recuperação de desastres local e remota FUNDAMENTOS Maximize a proteção de dados de aplicativos e a recuperação de desastres Proteja

Leia mais

Informe técnico: Virtualização de endpoints Symantec Endpoint Virtualization Suite Otimização dinâmica do espaço de trabalho

Informe técnico: Virtualização de endpoints Symantec Endpoint Virtualization Suite Otimização dinâmica do espaço de trabalho Informe técnico: Virtualização de endpoints Otimização dinâmica do espaço de trabalho Visão geral O é uma solução poderosa e flexível com foco na produtividade do usuário, independentemente dos equipamentos,

Leia mais

A Cisco no seu data center. A infraestrutura ideal para os ambientes e aplicativos da Microsoft

A Cisco no seu data center. A infraestrutura ideal para os ambientes e aplicativos da Microsoft A Cisco no seu data center A infraestrutura ideal para os ambientes e aplicativos da Microsoft Simplifique a TI... Modernize sua empresa DATA CENTER Desafios Eficiência da equipe de TI Interrupção não

Leia mais

PÚBLICA, PRIVADA OU HÍBRIDA: QUAL É A MELHOR NUVEM PARA SEUS APLICATIVOS?

PÚBLICA, PRIVADA OU HÍBRIDA: QUAL É A MELHOR NUVEM PARA SEUS APLICATIVOS? PÚBLICA, PRIVADA OU HÍBRIDA: QUAL É A MELHOR NUVEM PARA SEUS APLICATIVOS? As ofertas de nuvem pública proliferaram, e a nuvem privada se popularizou. Agora, é uma questão de como aproveitar o potencial

Leia mais

O Datacenter Virtualizado e Definido por Software. Thiago Bessa Senior Systems Engineer tbessa@vmware.com

O Datacenter Virtualizado e Definido por Software. Thiago Bessa Senior Systems Engineer tbessa@vmware.com O Datacenter Virtualizado e Definido por Software Thiago Bessa Senior Systems Engineer tbessa@vmware.com Desafios de uma nova era Eras da tecnologia de TI Mainframe Cliente-servidor Nuvem-móvel Expectativas

Leia mais

CA Protection Suites Proteção Total de Dados

CA Protection Suites Proteção Total de Dados CA Protection Suites Proteção Total de Dados CA. Líder mundial em software para Gestão Integrada de TI. CA Protection Suites Antivírus Anti-spyware Backup Migração de dados Os CA Protection Suites oferecem

Leia mais

Benefícios e processos relacionados à migração e servidores dedicados para cloud servers. Juliano Simões. Diretor de Tecnologia

Benefícios e processos relacionados à migração e servidores dedicados para cloud servers. Juliano Simões. Diretor de Tecnologia Benefícios e processos relacionados à migração e servidores dedicados para cloud servers Juliano Simões Diretor de Tecnologia Agenda Comparar o modelo de servidor dedicado, orientado ao hardware, com os

Leia mais

Microsoft Azure. Softmanager Soluções em TI. ModernBiz

Microsoft Azure. Softmanager Soluções em TI. ModernBiz Microsoft Azure Softmanager Soluções em TI ModernBiz Programação ModernBiz: seu caminho para a empresa moderna Visão geral do Microsoft Azure Principais soluções de negócios Hospede seus aplicativos na

Leia mais

Executando o Modo Windows XP com Windows Virtual PC

Executando o Modo Windows XP com Windows Virtual PC Executando o Modo Windows XP com Windows Virtual PC Um guia para pequenas empresas Conteúdo Seção 1: Introdução ao Modo Windows XP para Windows 7 2 Seção 2: Introdução ao Modo Windows XP 4 Seção 3: Usando

Leia mais

Backup e recuperação para VMware usando o armazenamento EMC Data Domain com desduplicação

Backup e recuperação para VMware usando o armazenamento EMC Data Domain com desduplicação Backup e recuperação para VMware usando o armazenamento EMC Data Domain com desduplicação Planejamento de práticas recomendadas Resumo O método VMware oferece benefícios extraordinários, mas que podem

Leia mais

Roteamento e Comutação

Roteamento e Comutação Roteamento e Comutação Design de Rede Local Design Hierárquico Este design envolve a divisão da rede em camadas discretas. Cada camada fornece funções específicas que definem sua função dentro da rede

Leia mais

Forefront Server Security Management Console: Gerenciamento Simplificado da Segurança para Mensagens e Colaboração White Paper

Forefront Server Security Management Console: Gerenciamento Simplificado da Segurança para Mensagens e Colaboração White Paper Forefront Server Security Management Console: Gerenciamento Simplificado da Segurança para Mensagens e Colaboração White Paper Outubro de 2007 Resumo Este white paper explica a função do Forefront Server

Leia mais

EXIN Cloud Computing Fundamentos

EXIN Cloud Computing Fundamentos Exame Simulado EXIN Cloud Computing Fundamentos Edição Maio 2013 Copyright 2013 EXIN Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode ser publicado, reproduzido, copiado ou armazenada

Leia mais

FTIN Formação Técnica em Informática Módulo Sistema Proprietário Windows AULA 05. Prof. André Lucio

FTIN Formação Técnica em Informática Módulo Sistema Proprietário Windows AULA 05. Prof. André Lucio FTIN Formação Técnica em Informática Módulo Sistema Proprietário Windows AULA 05 Prof. André Lucio Competências da aula 5 Backup. WSUS. Serviços de terminal. Hyper-v Aula 04 CONCEITOS DO SERVIÇO DE BACKUP

Leia mais

W H I T E P A P E R A c e d a a o p o d e r d o f l a s h c o m o V N X d e ú l t i m a g e r a ç ã o a t i v a d o p o r M C x

W H I T E P A P E R A c e d a a o p o d e r d o f l a s h c o m o V N X d e ú l t i m a g e r a ç ã o a t i v a d o p o r M C x Sede global: 5 Speen Street Framingham, MA 01701 EUA Tel.: 508-872-8200 Fax: 508-935-4015 www.idc.com W H I T E P A P E R A c e d a a o p o d e r d o f l a s h c o m o V N X d e ú l t i m a g e r a ç ã

Leia mais

Apresentação resumida

Apresentação resumida New Generation Data Protection Powered by AnyData Technology Apresentação resumida Para obter apresentação completa ou mais informações ligue (11) 3441 0989 ou encaminhe e-mail para vendas@dealerse.com.br

Leia mais

Cisco UCS Mini: solução avançada com recursos corporativos

Cisco UCS Mini: solução avançada com recursos corporativos Resumo da solução Cisco UCS Mini: solução avançada com recursos corporativos Você deseja uma solução de computação unificada para a sua empresa de médio ou pequeno porte ou para o padrão avançado do seu

Leia mais

Windows 2008 Server. Windows 2008 Server IFSP Boituva Prof. Sérgio Augusto Godoy. www.profsergiogodoy.com sergiogutogodoy@hotmail.

Windows 2008 Server. Windows 2008 Server IFSP Boituva Prof. Sérgio Augusto Godoy. www.profsergiogodoy.com sergiogutogodoy@hotmail. Windows 2008 Server IFSP Boituva Prof. Sérgio Augusto Godoy www.profsergiogodoy.com sergiogutogodoy@hotmail.com Windows 2008 Server Construído sob o mesmo código do Vista Server Core (Instalação somente

Leia mais

CA ARCserve Backup PERGUNTAS MAIS FREQUENTES: ARCSERVE BACKUP R12.5

CA ARCserve Backup PERGUNTAS MAIS FREQUENTES: ARCSERVE BACKUP R12.5 PERGUNTAS MAIS FREQUENTES: ARCSERVE BACKUP R12.5 CA ARCserve Backup Este documento aborda as perguntas mais freqüentes sobre o CA ARCserve Backup r12.5. Para detalhes adicionais sobre os novos recursos

Leia mais

Gestão de Armazenamento

Gestão de Armazenamento Gestão de Armazenamento 1. Introdução As organizações estão se deparando com o desafio de gerenciar com eficiência uma quantidade extraordinária de dados comerciais gerados por aplicativos e transações

Leia mais