ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS SAFETYMAX

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS SAFETYMAX"

Transcrição

1 DOCUMENTAÇÃO (LEGAL) REGULAMENTAR E NORMATIVA APLICÁVEL REGRAS TÉCNICAS DAS INSTALAÇÕES ELÉCTRICAS DE BAIXA TENSÃO - Portaria 949-A/2006 de 11 de Setembro. DIRECTIVA DE BAIXA TENSÃO 2006/95/CE - Decreto Lei 6/2008, de 11 de Janeiro. EN Invólucros vazios para conjuntos de aparelhagem de baixa tensão - Regras gerais. EN Conjuntos de aparelhagem de baixa tensão. Parte 1: Requisitos gerais. EN Caixas e invólucros para aparelhagem eléctrica para instalações eléctricas fixas para uso doméstico e análogo. Parte 22: Regras particulares para caixas de ligação e invólucros. ESPECIFICAÇÕES DO DISTRIBUIDOR DE ENERGIA DIT-C14-100/N Ligação de Clientes de BT Soluções Técnicas Normalizadas. DMA-C62-807/N Materiais para derivações e entradas de BT Portinholas de Baixa Tensão Características e ensaios. DMA-C62-810/N Caixas de distribuição para redes subterrâneas Características e Ensaios DMA-C62-815/N - Materiais para derivações e entradas de BT Portinholas de consumo/ produção 100A/25A Características e ensaios DMA-C Materiais para derivações e entradas BT - Armários de contagem e caixas para transformadores de corrente para pontos de medição dos clientes em BTE INVÓLUCROS VAZIOS Características Técnicas Invólucro normalizado classe II de isolamento para instalação de aparelhagem eléctrica para Baixa Tensão, com caixa base em poliestireno e Aro /porta fabricado em alumínio lacado a branco. não qualificadas, os quais devem ser instaladas em paredes não combustíveis, e estão previstos para instalação embutida (INT) ou saliente (EXT). Os invólucros para contador e portinholas possuem as condições necessárias para serem instalados, também, no exterior da habitação. A série dispõe de uma diversidade de produtos, com facilidade de agrupamento de invólucros (pernos de junção), permite assim obter várias soluções para diversas aplicações. CAIXAS DE CONTADOR As caixas de contagem estão equipadas com sistema de calhas corrediças em alumínio, para fixação do contador monofásico ou trifásico. Permitem instalação de Contadores para BTN (Até 41,4KVA 60 A em trifásico). CAIXAS DE QUADRO E DCP+QUADRO Sistema de chassi amovível com calhas DIN para instalação directa de aparelhagem. Equipado com adaptadores para instalação dos diversos tipos de DCP (Dispositivo de Controlo de Potencia). Dispositivo controlador de potência Aparelho destinado a impedir que a potência contratada possa ser ultrapassada. Permite a incorporação de diferentes marcas de aparelhagem eléctrica. Tampas individuais por rasgo. Barramentos de Terra e Neutro fornecidos com o invólucro, de acordo com o nº de módulos e fixos ao fundo na parte superior e inferior. Etiquetas de identificação fornecidas com o produto. Reforço da Resistência mecânica dos invólucros para aplicação saliente (EXT) nos quadros maiores. Invólucros disponíveis para profundidades 125 e 200 mm. Características Técnicas Tensão de Isolamento Ui 690V Os equipamentos a instalar no interior dos invólucros não deverão ter uma potência de dissipação térmica superior a 75W. As caixas com Reforço da Resistência Mecânica (RRM) são classe II de isolamento, constituídas por invólucro interior em material plástico com um reforço exterior e porta em chapa de aço. Os invólucros destinam-se preferencialmente ao interior da habitação, para locais de passagem acessíveis a pessoas 67

2 PORTINHOLAS PORTINHOLA P100 CAIXA DE DISTRIBUIÇÃO 2E+2S As portinholas P100 são previstas para serem encastradas na parede e para instalação no exterior dos edifícios, para locais de passagem acessíveis a pessoas não qualificadas. Deve ser instalada uma fechadura do tipo cilindro de perfil redondo de acordo com a DMA-E84-002/N, no entanto é fornecida com fechadura triangular plástica (Ref ). A portinhola P100 está equipada com 3 bases de fusíveis 22x58 unipolares para a ligação dos condutores exteriores de fase e base de neutro seccionável para ligação de condutores não preparados. Produto qualificado pela EDP de acordo com a DMA C /N A Caixa de Distribuição 2E + 2S está equipada com 6 bases de fusíveis NH00, permite a derivação de duas canalizações protegidas (ramais) a partir de uma canalização principal. Barra de neutro montada à esquerda, mas com opção de montagem à direita. Inclui fechadura triangular plástica (Ref ). Antes da instalação aconselhamos a consulta prévia ao distribuidor de energia. PORTINHOLA PC/P PORTINHOLA P400 As portinholas P400 são previstas para serem encastradas na parede e para instalação no exterior dos edifícios, para locais de passagem acessíveis a pessoas não qualificadas. A portinhola P400 possui uma fechadura tipo escamoteável de acordo com a DMA-E84-006/N, que permite fechar a porta em baixo, no centro e em cima. Equipada com 3 bases de fusíveis NH2 unipolares e uma base neutro seccionável. Produto qualificado pela EDP de acordo com a DMA C /N A portinhola de consumo/produção está equipada com base de fusível 22X58 3P que se destinam à protecção do circuito da instalação de utilização e base de fusível 10X38 P+N para protecção do circuito de microprodução. Placa de derivação montada com 2 bornes. Inclui fechadura triangular plástica (Ref ). Portinhola PC/P prevista para ser instalada nas soluções A, B, E, conforme especificações técnicas definidas em

3 CARACTERÍSTICAS ELÉCTRICAS PORTINHOLAS Tensão de funcionamento: Ue 230V/400V~ Tipo de sistema de terra (massa): TT Tensão máxima: 400V (entre fases) Formas de separação interna: Forma 1 Tensão de isolamento: Ui 500V Tensão de Impulso: Uimp 6kV Corrente Curto-circuito: ICC 10 ka Grau de poluição: 3 Tipo de conexão: FF- Ambiente: CEM - B Frequência: 50Hz Grau de protecção: IP55 Medidas de protecção contra choques eléctricos: invólucro fechado com classe II 69

4 CAIXAS PARA TRANSFORMADORES DE INTENSIDADE (TI S) Caixa para alojamento de TC (transformadores de corrente) nos pontos de medição de clientes BTE ( > 41,4KVA). Equipadas com Barra de cobre 30x10 para incorporar os TC até 300/5A (no caso das 3 fases serão o primário dos TC ). Fabricada de acordo com a DMA-C servidas pelas entradas que delas derivam e devem ser dotadas de tampa com dispositivo de fecho que garanta a sua inviolabilidade. (Fonte: RTIEBT Secção ) As caixas de coluna devem ser facilmente acessíveis ao pessoal do distribuidor de energia e ser instaladas, em regra, entre 2 m e 2,80 m acima do pavimento. (Fonte: RTIEBT Secção ) CARACTERÍSTICAS PLACA DE DERIVAÇÃO CAIXAS DE COLUNA Invólucro para instalar na coluna para derivação para as Instalações eléctricas de utilização, preparadas para entradas trifásicas e para instalação de seccionadores 22X58, 14X51, bases NH (1, 2, 3, 4 Saídas). Produto disponível com profundidade 125 e 200 mm. As caixas de coluna devem ser instaladas nos andares correspondentes às instalações eléctricas (de utilização) CARACTERÍSTICAS ELÉCTRICAS CAIXAS DE COLUNAS e CAIXAS TI s Tensão de funcionamento: Ue 230V/400V Tipo de sistema de terra (massa): TT Tensão máxima: 400V (entre fases) Formas de separação interna: Forma 1 Tensão de isolamento: Ui 500V Tensão de Impulso: Uimp 6kV Tipo de conexão: FF- Ambiente: CEM - B Corrente Curto-circuito: ICC 10 ka Grau de poluição: 3 Frequência: 50Hz Grau de protecção: IP54 Corrente TI s: 250A e 400A Medidas de protecção contra choques eléctricos: invólucro fechado e da classe II 70

5 CAIXA TERMINAL PRINCIPAL TERRA DOCUMENTOS NORMATIVOS APLICÁVEIS EN :2006 Caixas e invólucros para aparelhagem eléctrica para instalações eléctricas fixas para uso doméstico e análogo. Parte 22: Regras particulares para caixas de ligação e invólucros. Portaria 949-A/2006 de 11 de Setembro - Regras Técnicas das Instalações Eléctricas de Baixa Tensão (RTIEBT) CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS DO INVÓLUCRO A Caixa Terminal Principal de Terra faz a ligação entre o Eléctrodo de Terra e a instalação de terras do edifício. A Caixa TPT possui um ligador amovível, que permite a medição do valor de resistência do eléctrodo de terra das massas, conforme definido na parte do RTIEBT. O ligador amovível apenas é desmontável por meio de uma ferramenta, é mecanicamente seguro (parafuso de segurança) para garantir a continuidade eléctrica das ligações à terra. Com fechadura triangular plástica. CAPACIDADE LIGAÇÃO (CX TERRA R-0491) Ref Caixa de medição de terra 1 entrada e 5 saídas -1 Entrada (1 condutor) - 1x25mm2-5 Saídas (5 condutores) 1x25mm2 e 4x16 mm2 Ref Caixa de medição de terra 1 entrada e 1 Saída -1 Entrada (1 condutor) - 1x25mm2-1 Saída (1 condutor) - 1x25mm2 Ref Caixa de medição de terra com 5 entradas e 5 saídas - 5 Entradas (5 condutores) - 1x25mm e 4x16 mm2-5 Saídas (5 condutores) - 1x25mm e 4x16 mm2 As caixas de medição de terra R0491 destinam-se a ligação de condutores não preparados. CAPACIDADE DE LIGAÇÃO (TPT) / ENTRADA Constituída barra 25x6 com 3 entradas para ligação cabo preparado. 1 Entrada (M8) 16 a 70 mm2 2 Entradas (M10) mm2 SAÍDA Constituída barra 25x6 com 5 saídas para ligação de cabo preparado. 5 Saídas (M8) mm2 LIGADOR AMOVÍVEL Barra 25x6 desmontável por meio de ferramenta e parafuso de segurança. Parafuso Segurança / ENTRADA Constituída barra 30x10 com 3 entradas para ligação cabo preparado. 1 Entrada (M8) 16 a 70 mm2 2 Entradas (M10) mm2 SAÍDA Constituída barra 30x10 com 8 saídas para ligação de cabo preparado. 8 Saídas (M8) mm2 LIGADOR AMOVÍVEL Barra 30x10 desmontável por meio de ferramenta e parafuso de segurança. Parafuso Segurança 71

NOVIDADES 2013 ZEMBE E+S

NOVIDADES 2013 ZEMBE E+S fo.z em be.in NOVIDADES 2013 NOVIDADES 2013 CAIXA PORTINHOLA P100 S/ EQUIPAMENTO +32450 CX PORTINHOLA P100 VZ N/Q INT 250x375x200 Portinhola P100 vazia e não qualificada. CAIXA PORTINHOLA 2xP100 +32522

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS 98 99 100 108 116 117 118 120 ESPECIFICAÇÕES GERAIS GRAUS DE PROTECÇÃO ESPECIFICAÇÕES SAFETYMAX ESPECIFICAÇÕES ITED ESPECIFICAÇÕES RAQUITED ESPECIFICAÇÕES CENTRALIZAÇÃO CONTAGEM ESPECIFICAÇÕES QUADRO-COLUNAS

Leia mais

SAFETYMAX CLASSE II DE ISOLAMENTO ITED 1ª EDIÇÃO ATI / ATE / TIPO C / CEMU ITED 2ª EDIÇÃO ATI / ATE / PASSAGEM / CEMU ATI_RACK + CATI

SAFETYMAX CLASSE II DE ISOLAMENTO ITED 1ª EDIÇÃO ATI / ATE / TIPO C / CEMU ITED 2ª EDIÇÃO ATI / ATE / PASSAGEM / CEMU ATI_RACK + CATI SAFETYMAX 08 CLASSE II DE ISOLAMENTO ITED 1ª EDIÇÃO 22 ATI / ATE / TIPO C / CEMU ITED 2ª EDIÇÃO 26 ATI / ATE / PASSAGEM / CEMU ATI_RACK + CATI 30 ITED 1ª E 2ª EDIÇÃO RAQUITED 34 BASTIDOR ITED 1ª E 2ª EDIÇÃO

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS Índices de proteção (IP) 1. IP XX grau de proteção dos invólucros de equipamentos elétricos segundo as normas EN 60529, IEC 60529 1º algarismo: proteção contra corpos sólidos IP 2º algarismo: proteção

Leia mais

Soluções de ligação à rede Miniprodução

Soluções de ligação à rede Miniprodução 1 - Instalação de consumo BT monofásica ou trifásica Instalação de miniprodução monofásica 1A - Esquema de pormenor (multifilar) - Ligação à rede através dos terminais de entrada do contador de miniprodução

Leia mais

Manual de Execução de Trabalhos em Equipamento de Contagem de Energia e de Controlo de Potência em instalações BTN ÍNDICE

Manual de Execução de Trabalhos em Equipamento de Contagem de Energia e de Controlo de Potência em instalações BTN ÍNDICE Manual de Execução de Trabalhos em Equipamento de Contagem de Energia e de Controlo de Potência em instalações BTN ÍNDICE 1. Localização e montagem... 2 1.1. Equipamento de contagem... 2 1.2. Dispositivos

Leia mais

OUTRAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

OUTRAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS OUTRAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS Documento complementar ao Guia de medição, leitura e disponibilização de dados Regras relativas à instalação, manutenção e verificação de equipamentos de medição, cabos e outros

Leia mais

TABELA GERAL DE PREÇOS - TGP2_2014

TABELA GERAL DE PREÇOS - TGP2_2014 TABELA GERAL DE PREÇOS - TGP2_2014 Entrada em vigor: 02 de Maio de 2014. Preços unitários sujeitos a IVA à taxa legal. CONTADOR / CONT+DCP+QUADRO / DCP +302 CX CONTADOR MON/TRIF INT A 28,60 +314 CX CONTADOR

Leia mais

電 動 車 輛 充 電 設 施 安 全 技 術 指 引

電 動 車 輛 充 電 設 施 安 全 技 術 指 引 電 動 車 輛 充 電 設 施 安 全 技 術 指 引 Directrizes Técnicas de Segurança de Instalações de Carregamento de Veículos Eléctricos 第 一 條 Artigo 1.º 標 的 Objecto 本 指 引 為 訂 定 安 裝 電 動 車 輛 充 電 設 施 應 遵 守 的 安 全 技 術 條 件 As presentes

Leia mais

WWW.QUITERIOS.PT FECHADURAS BARRAMENTOS REFORÇO PARA CAIXAS ACESSÓRIOS PARA FIBRA ÓPTICA PRATELEIRAS CHASSI PARA ATE ACESSÓRIOS PARA COAXIAL

WWW.QUITERIOS.PT FECHADURAS BARRAMENTOS REFORÇO PARA CAIXAS ACESSÓRIOS PARA FIBRA ÓPTICA PRATELEIRAS CHASSI PARA ATE ACESSÓRIOS PARA COAXIAL ACESSÓRIOS 90 91 91 92 92 94 94 95 95 FECHADURAS BARRAMENTOS REFORÇO PARA CAIXAS ACESSÓRIOS PARA FIBRA ÓPTICA PRATELEIRAS CHASSI PARA ATE ACESSÓRIOS PARA COAXIAL ACESSÓRIOS PARA PAR DE COBRE FERRAMENTAS

Leia mais

5. Instalações de chegada

5. Instalações de chegada 5. Instalações de chegada As instalações de chegada, adiante designadas também por ramais ou simplesmente chegadas, correspondem ao troço de rede eletrifica entre a rede de distribuição de BT e o sistema

Leia mais

Medidor TKE-01. [1] Introdução. [2] Princípio de funcionamento. [5] Precisão. [6] Características Elétricas. [3] Aplicações. [4] Grandeza medida

Medidor TKE-01. [1] Introdução. [2] Princípio de funcionamento. [5] Precisão. [6] Características Elétricas. [3] Aplicações. [4] Grandeza medida [1] Introdução O TKE-01 é um instrumento para instalação em fundo de painel, que permite a medição do consumo de energia ativa (Wh) ou reativa (Varh) em sistema de corrente alternada (CA). A leitura do

Leia mais

DRX caixa moldada Uma linha compacta, versátil e de alto desempenho

DRX caixa moldada Uma linha compacta, versátil e de alto desempenho [ PROTEÇÃO E COMANDO ] Produtos e sistemas DRX caixa moldada Uma linha compacta, versátil e de alto desempenho 1 VANTAGENS Permite a montagem frontal de acessórios elétricos por encaixe simples Fácil conexão

Leia mais

Manual de Execução de Trabalhos em Equipamento de Contagem de Energia em instalações MT e BTE

Manual de Execução de Trabalhos em Equipamento de Contagem de Energia em instalações MT e BTE Manual de Execução de Trabalhos em Equipamento de Contagem de Energia em instalações MT e BTE 1 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. CONTAGEM DE ENERGIA ELÉCTRICA EM MÉDIA E BAIXA TENSÃO ESPECIAL... 3 2.1. Características

Leia mais

CENTRAIS ELÉTRICAS DE RONDÔNIA S.A. CERON PREGÃO MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA ANEXO XIII DO EDITAL

CENTRAIS ELÉTRICAS DE RONDÔNIA S.A. CERON PREGÃO MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA ANEXO XIII DO EDITAL Eletrobrás MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA ANEXO XIII DO EDITAL Anexo XIII do Pregão Eletrônico n 029/2009 Página 1 de 11 ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA TRANSFORMADORES DE CORRENTE AUXILIARES 0,6 KV USO INTERIOR

Leia mais

GUIA TÉCNICO DAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS PARA A ALIMENTAÇÃO DE VEÍCULOS ELÉTRICOS

GUIA TÉCNICO DAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS PARA A ALIMENTAÇÃO DE VEÍCULOS ELÉTRICOS COMISSÃO TÉCNICA DE NORMALIZAÇÃO ELETROTÉCNICA - CTE 64 Instalações Elétricas em Edifícios GUIA TÉCNICO DAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS PARA A ALIMENTAÇÃO DE VEÍCULOS ELÉTRICOS março 2015 ÍNDICE 1 GENERALIDADES

Leia mais

Soluções eléctricas para a residência. Novo quadro eléctrico Mini Pragma

Soluções eléctricas para a residência. Novo quadro eléctrico Mini Pragma Soluções eléctricas para a residência Novo quadro eléctrico Mini Pragma Escolha uma instalação eléctrica atraente que possa ser parte importante na decoração da sua casa Mini Pragma, um quadro eléctrico

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES

MANUAL DE INSTRUÇÕES MANUAL DE INSTRUÇÕES TRANSFORMADOR A SECO ÍNDICE DESCRIÇÃO PÁGINA 1 Instruções para a instalação.................................... 02 2 Instruções para a manutenção..................................

Leia mais

CONJUNTOS CONFIGURÁVEIS XL3 IEC 60439 / IEC 61439 GUIA ESPECIALISTA MUNDIAL EM INFRAESTRUTURAS ELÉTRICAS E TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO PARA EDIFÍCIOS

CONJUNTOS CONFIGURÁVEIS XL3 IEC 60439 / IEC 61439 GUIA ESPECIALISTA MUNDIAL EM INFRAESTRUTURAS ELÉTRICAS E TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO PARA EDIFÍCIOS CONJUNTOS CONFIGURÁVEIS XL3 GUIA IEC 60439 / IEC 61439 ESPECIALISTA MUNDIAL EM INFRAESTRUTURAS ELÉTRICAS E TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO PARA EDIFÍCIOS Conjuntos configuráveis XL 3 Guia de alterações da norma

Leia mais

APARELHOS DE ILUMINAÇÃO ELÉCTRICA E ACESSÓRIOS

APARELHOS DE ILUMINAÇÃO ELÉCTRICA E ACESSÓRIOS APARELHOS DE ILUMINAÇÃO ELÉCTRICA E ACESSÓRIOS Reguladores de fluxo luminoso Condições de instalação Elaboração: DTI Homologação: conforme despacho do CA de 2010-01-20 Edição: 1ª Emissão: EDP Distribuição

Leia mais

A CERTIEL EM 2012. Redes particulares de distribuição de energia elétrica e iluminação exterior. Urgeiriça, 13 de Abril. Jornadas CERTIEL 2012 P 1

A CERTIEL EM 2012. Redes particulares de distribuição de energia elétrica e iluminação exterior. Urgeiriça, 13 de Abril. Jornadas CERTIEL 2012 P 1 A CERTIEL EM 2012 Redes particulares de distribuição de energia elétrica e iluminação exterior Urgeiriça, 13 de Abril CERTIEL 2012 P 1 CERTIEL 2012 P 3 Condomínios fechados Uniformização de critérios Melhores

Leia mais

CCM. Centro de Controle de Motores Conjunto de manobra e controle de baixa tensão. Painéis metálicos fabricados em aço carbono.

CCM. Centro de Controle de Motores Conjunto de manobra e controle de baixa tensão. Painéis metálicos fabricados em aço carbono. Centro de Controle de Motores Conjunto de manobra e controle de baixa tensão Painéis metálicos fabricados em aço carbono. Definição ( montado): é uma combinação de dispositivos e equipamentos de manobra,

Leia mais

GERADORES DE EMERGÊNCIA ACCIONADOS POR MOTORES DE COMBUSTÃO

GERADORES DE EMERGÊNCIA ACCIONADOS POR MOTORES DE COMBUSTÃO República de Angola Ministério da Energia e Águas GERADORES DE EMERGÊNCIA ACCIONADOS POR MOTORES DE COMBUSTÃO Emissão: MINEA/DNEE Dezembro 2010 Av. Cónego Manuel das Neves, 234 1º - Luanda ÍNDICE 1 OBJECTIVO...

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO ELÉTRICO. COREN Subseção de Floriano

MEMORIAL DESCRITIVO ELÉTRICO. COREN Subseção de Floriano MEMORIAL DESCRITIVO ELÉTRICO COREN Subseção de Floriano ÍNDICE 1. OBJETIVO 2. NORMAS TÉCNICAS 3. DESCRIÇÃO DOS SITEMAS 3.1. Entradas de energia e telefone 3.2. Quadros de distribuição local 3.3. Dispositivos

Leia mais

Especificação Quadro Autoportante de Baixa Tensão

Especificação Quadro Autoportante de Baixa Tensão Especificação Quadro Autoportante de Baixa Tensão Descrição: QUADRO AUTO-PORTANTE ATÉ 4000A Local de Aplicação QGBT Modelo Fabricante: Fabricante Alternativo Normas NBR 6808, IEC 60439-1 Aplicáveis Critério

Leia mais

CLASSES DE ISOLAMENTO EM QUADROS ELÉTRICOS

CLASSES DE ISOLAMENTO EM QUADROS ELÉTRICOS COMISSÃO TÉCNICA DE NORMALIZAÇÃO ELETROTÉCNICA - CTE 64 Instalações Elétricas em Edifícios CLASSES DE ISOLAMENTO EM QUADROS ELÉTRICOS Respostas a perguntas frequentes Dezembro 2012 Índice de perguntas

Leia mais

Barramentos e Blocos de Distribuição

Barramentos e Blocos de Distribuição Barramentos e Blocos de Distribuição www.siemens.com.br/barramentoseblocos Barramentos 5ST3 7 O sistema de barramento 5ST3 7 com ligação tipo pino pode ser usado com os disjuntores DIN 5SX, 5SY, 5SL6 e

Leia mais

CATÁLOGO ARMÁRIOS E CAIXAS ISOLANTES EM POLIESTER - CAIXAS DE PROTECÇÃO E SECCIONAMENTO (PORTINHOLAS)

CATÁLOGO ARMÁRIOS E CAIXAS ISOLANTES EM POLIESTER - CAIXAS DE PROTECÇÃO E SECCIONAMENTO (PORTINHOLAS) CATÁLOGO ARMÁRIOS E CAIXAS ISOLANTES EM POLIESTER 1 - ENERGIA 1.1 - SÉRIE ADE - ARMÁRIOS DE DISTRIBUIÇÃO - MACIÇOS 1.2 - SÉRIE CPV - ACESSÓRIOS - CAIXAS DE PROTECÇÃO E SECCIONAMENTO (PORTINHOLAS) 1.3 -

Leia mais

BHR5 - SECCIONADORAS "SOB CARGA" FUSÍVEIS NH

BHR5 - SECCIONADORAS SOB CARGA FUSÍVEIS NH BHR5 - SECCIONADORAS "SOB CARGA" FUSÍVEIS NH Página 1 BHR5 - SECCIONADORAS "SOB CARGA" - FUSÍVEIS NH -proteção e comando de instalações elétricas em Baixa Tensão (BT). -prevista para incorporar fusíveis

Leia mais

quadro plus Armário de distribuição principal IP 55

quadro plus Armário de distribuição principal IP 55 Armário de distribuição principal quadro plus Para uma maior flexibilidade até 600 A A oferta quadro plus da Hager é a solução ideal para realizar armários de distribuição principal para edifícios terciários

Leia mais

COMANDO E SINALIZAÇÃO 22,5mm - LINHA LAY5

COMANDO E SINALIZAÇÃO 22,5mm - LINHA LAY5 COMANDO E SINALIZAÇÃO 22,5mm - LINHA LAY5 Conformidade IEC60947-5-1 VDE0660 CENELEC EN50007 Tensão nominal de isolação UI 600V Frontal IP65 Grau de proteção IEC60529 Frontal c/ capa protetora IP66 Terminais

Leia mais

ESTRATIFICADOS DE FIBRA DE VIDRO, S.A. Na evolução dos compósitos, a imagem da

ESTRATIFICADOS DE FIBRA DE VIDRO, S.A. Na evolução dos compósitos, a imagem da Tabela de Preços 2008 V I D R O P O L Fabrico de Armários e Caixas para : Energia, Telecomunicações, Gás e Água em Poliéster reforçado a Fibra de Vidro, auto-extinguivel, resistente aos agentes químicos,

Leia mais

Disciplina: Eletrificação Rural

Disciplina: Eletrificação Rural UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS DEPARTAMENTO DE SOLOS E ENGENHARIA AGRÍCOLA Disciplina: Eletrificação Rural Unidade 10 Planejamento na utilização da energia elétrica no meio rural:

Leia mais

PADRÃO DE ENTRADA DA UNIDADE CONSUMIDORA COM CAIXA MODULAR DE POLICARBONATO INDIVIDUAL E COLETIVO

PADRÃO DE ENTRADA DA UNIDADE CONSUMIDORA COM CAIXA MODULAR DE POLICARBONATO INDIVIDUAL E COLETIVO CSUMIDORA COM CAIXA MODULAR DE POLICARBATO INDIVIDUAL E COLETIVO 1. OBJETIVO Padronizar entrada da unidade consumidora com a caixa tipo modular, fabricado em policarbonato e tampa transparente, para medição

Leia mais

TTW01-QD Painéis Totalmente Testados Quadros de Distribuição

TTW01-QD Painéis Totalmente Testados Quadros de Distribuição Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas TTW01-QD Painéis Totalmente Testados Quadros de Distribuição TTA/PTTA Painéis Totalmente Testados * NBR IEC 60439-1/3 * Quadros de Distribuição

Leia mais

Planilha de Orçamento - GLOBAL Obra: 091107 - CONSTRUÇÃO NOVA SUBESTAÇÃO 300kVA Endereço: Av. Ildefonso simões Lopes, 2791

Planilha de Orçamento - GLOBAL Obra: 091107 - CONSTRUÇÃO NOVA SUBESTAÇÃO 300kVA Endereço: Av. Ildefonso simões Lopes, 2791 Página 1 de 5 1. PROJETOS 1. 3. APROVAÇÃO DE PROJETO EM ORGÃO PUBLICO 1. 3. 4. PROJETO ELÉTRICO (subestação).1 APROVAÇÃO DE PROJETO NA CONCESSIONÁRIA LOCAL 1,00 UN 1.800,00 1.800,00 200,00 200,00 2.000,00

Leia mais

PROJETO DE UMA INSTALAÇÃO DE UTILIZAÇÃO

PROJETO DE UMA INSTALAÇÃO DE UTILIZAÇÃO PROJETO DE UMA INSTALAÇÃO DE UTILIZAÇÃO (RESUMO) Instalações tipo C são instalações abastecidas a partir da rede pública de baixa tensão. Estas instalações são certificadas pela Certiel Associação Certificadora

Leia mais

Calhasxxxxxx. em alumínio. Catálogo Geral 2015-2016

Calhasxxxxxx. em alumínio. Catálogo Geral 2015-2016 93 Calhasxxxxxx em alumínio Catálogo Geral 2015-2016 113 CALHAS 93 EM ALUMÍNIO Calhas 93 em alumínio Para instalar mecanismos em ambientes onde se requer acabamentos em alumínio Liberdade de eleição de

Leia mais

Caixa de passagem Ex e / Ex tb

Caixa de passagem Ex e / Ex tb Tomadas/Plugs Painéis Caixa de passagem Ex e / Ex tb Segurança aumentada, tempo e jatos potentes d água. Características Construtivas Caixa de passagem e ligação fabricada em liga de alumínio fundido copper

Leia mais

110,5 x 22,5 x 114 (term. mola)

110,5 x 22,5 x 114 (term. mola) Supervisão de parada de emergência e monitoramento de portas Supervisão de sensores de segurança magnéticos codificados Entrada para 1 ou 2 canais Categoria de Segurança até 4 conforme EN 954-1 Para aplicações

Leia mais

Folha de dados - SRB 201ZHX3-24VDC

Folha de dados - SRB 201ZHX3-24VDC 11.09.2012-02:01:05h Folha de dados - SRB 201ZHX3-24VDC Comandos bimanual / Supervisão de comandos bimanuais de acordo com a norma EN 574 III A / SRB 201ZHX3 Supervisão de comandos bimanuais de acordo

Leia mais

ENERGIA SOLAR EDP AGORA MAIS DO QUE NUNCA, O SOL QUANDO NASCE É PARA TODOS MANUAL DO UTILIZADOR

ENERGIA SOLAR EDP AGORA MAIS DO QUE NUNCA, O SOL QUANDO NASCE É PARA TODOS MANUAL DO UTILIZADOR AGORA MAIS DO QUE NUNCA, O SOL QUANDO NASCE É PARA TODOS MANUAL DO UTILIZADOR A ENERGIA DO SOL CHEGOU A SUA CASA Com a solução de energia solar EDP que adquiriu já pode utilizar a energia solar para abastecer

Leia mais

INSTRUÇÕES GERAIS ARMÁRIO ATI V2.2

INSTRUÇÕES GERAIS ARMÁRIO ATI V2.2 INSTRUÇÕES GERAIS ARMÁRIO ATI V2.2 MANUAL ITED 1ª EDIÇÃO Para mais informações ou sugestões, contacte o seu distribuidor. Edição 10 Pag 1/8 Mod.100/2 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO...3 2. DOCUMENTOS NORMATIVOS APLICADOS...3

Leia mais

TRANSFORMADORES DE MEDIDA

TRANSFORMADORES DE MEDIDA TRANSFORMADORES DE MEDIDA Transformadores de tensão MT e de 60 kv Características e ensaios Elaboração: DNT Homologação: conforme despacho do CA de 2007-02-13 Edição: 2ª. Substitui a edição de Outubro

Leia mais

Canaletas PVC DLP & Acessórios

Canaletas PVC DLP & Acessórios Centro de Suporte Técnico T 0800-11 11-8008 servmercado@piallegrand.com.br Canaletas PVC DLP & Acessórios CONTEÚDOS PÁGINAS 1.Linha 1 a 2 2.Acessórios de acabamento 3 a 5 3.Acessórios complementares 6

Leia mais

Calhasxxxxxx. emxxxxxcor U23X cinzento RAL 7035. Cumprir o RTIEBT. Catálogo Geral 2015-2016. Indicado para intempérie

Calhasxxxxxx. emxxxxxcor U23X cinzento RAL 7035. Cumprir o RTIEBT. Catálogo Geral 2015-2016. Indicado para intempérie 73 Calhasxxxxxx UV Indicado para intempérie emxxxxxcor U23X cinzento RAL 7035 Cumprir o RTIEBT Catálogo Geral 2015-2016 47 CALHAS 73 EM U23X COR CINZENTO RAL 7035 Calhas 73 em U23X cor cinzento RAL 7035

Leia mais

projecto de postos de transformação

projecto de postos de transformação 123 Henrique Ribeiro da Silva Dep. de Engenharia Electrotécnica (DEE) do Instituto Superior de Engenharia do Porto (ISEP) projecto de postos de transformação {2.ª Parte - Postos em Cabine} Os postos de

Leia mais

ITEM SERVIÇOS UNID. QUANT.

ITEM SERVIÇOS UNID. QUANT. 01 PARTE I 01.01 IMPLANTAÇÃO DO CANTEIRO 01.02 LOCAÇÕES 01.02.00.00.001 ALUGUEL DE CONTAINER PARA DEPÓSITO / ALMOXARIFADO / GUARDA DE EQUIPAMENTOS MES 3,000 01.02.00.00.002 ALUGUEL DE CONTAINER PARA ESCRITÓRIO

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Pato Branco Departamento de Projetos e Obras MEMORIAL DESCRITIVO

Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Pato Branco Departamento de Projetos e Obras MEMORIAL DESCRITIVO Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Pato Branco Departamento de Projetos e Obras PR UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ MEMORIAL DESCRITIVO EXECUÇÃO DE ADEQUAÇÃO

Leia mais

ENERGIA EM SUA CASA CONHEÇA AS NORMAS E FAÇA UMA INSTALAÇÃO CORRETA E 100% SEGURA.

ENERGIA EM SUA CASA CONHEÇA AS NORMAS E FAÇA UMA INSTALAÇÃO CORRETA E 100% SEGURA. ENERGIA EM SUA CASA Recon BT/2013 Regulamentação para o Fornecimento de Energia Elétrica a Consumidores em Baixa Tensão CONHEÇA AS NORMAS E FAÇA UMA INSTALAÇÃO CORRETA E 100% SEGURA. Regulamentação para

Leia mais

Dimensionamento de Colunas

Dimensionamento de Colunas Dimensionamento de Colunas Calcular a potência total ST: Moradia Potência a contratar [kva] T1 6.90 ou 10.35 T2 10.35 ou 13.80 T3 10.35 ou 13.80 T4 13.80 ou 17.25 T5 17.25 Trifásico S T = S habita ções

Leia mais

Classificação dos locais das instalações eléctricas

Classificação dos locais das instalações eléctricas Classificação dos locais das instalações eléctricas Quando se concebe uma instalação eléctrica devem avaliar-se as condições ambientais dos vários locais, para que a selecção dos equipamentos e das canalizações

Leia mais

manualredesprediais anexos simbologia

manualredesprediais anexos simbologia manualredesprediais anexos B simbologia Anexo B G R U P O 1 CANALIZAÇÕES 1.1 Água fria destinada a consumo 1.2 Água quente destinada a consumo (em caso de existir circuito de retorno, este traço corresponde

Leia mais

INSTRUÇÕES GERAIS ARMÁRIO ATI

INSTRUÇÕES GERAIS ARMÁRIO ATI INSTRUÇÕES GERAIS ARMÁRIO ATI GERAÇÃO 3.1 Para mais informações ou sugestões, contacte o seu distribuidor. Edição 8 Pag 1/8 Mod.100/2 ÍNDICE índice...2 1. Introdução...3 2. Documentos normativos aplicados...3

Leia mais

Instalações Elétricas de BT I. Odailson Cavalcante de Oliveira

Instalações Elétricas de BT I. Odailson Cavalcante de Oliveira Instalações Elétricas de BT I Odailson Cavalcante de Oliveira Componentes das instalações Componente: podem ser materiais, acessórios, dispositivos, instrumentos, equipamentos, máquinas, conjuntos, partes

Leia mais

Invólucros de Distribuição Elétrica de Baixa Tensão. Pragma St A flexibilidade que procurava

Invólucros de Distribuição Elétrica de Baixa Tensão. Pragma St A flexibilidade que procurava Invólucros de Distribuição Elétrica de Baixa Tensão Pragma St A flexibilidade que procurava 1 Pragma ST Simplesmente eficaz 2 Pragma ST - Quadros de Distribuição Elétrica de Baixa Tensão Índice Panorama

Leia mais

SIMBOX XF. Design Segurança Fácil instalação. Quadros de distribuição de energia. A melhor opção em quadros de distribuição de energia.

SIMBOX XF. Design Segurança Fácil instalação. Quadros de distribuição de energia. A melhor opção em quadros de distribuição de energia. Fabricado no Brasil SIMBOX XF Quadros de distribuição de energia A melhor opção em quadros de distribuição de energia. Design Segurança Fácil instalação www.siemens.com.br/simboxxf SIMBOX XF Por fora muito

Leia mais

REGRAS BÁSICAS PARA EXECUÇÃO DE INSTALAÇÕES ELÉCTRICAS DE BT EM EDIFÍCIOS

REGRAS BÁSICAS PARA EXECUÇÃO DE INSTALAÇÕES ELÉCTRICAS DE BT EM EDIFÍCIOS Critérios de aceitação/rejeição: o trabalho é considerado bem executado se cumprir o estabelecido no presente documento, caso contrário não é aceite, devendo proceder-se às correcções necessárias. Nota:

Leia mais

CONDIÇÕES A OBSERVAR PARA O ESTEBELECIMENTO DE POSTO DE TRANSFORMACÃO PRIVATIVO

CONDIÇÕES A OBSERVAR PARA O ESTEBELECIMENTO DE POSTO DE TRANSFORMACÃO PRIVATIVO CONDIÇÕES A OBSERVAR PARA O ESTEBELECIMENTO DE POSTO DE TRANSFORMACÃO PRIVATIVO 1 CONDIÇÕES PRÉVIAS Antes de iniciar qualquer trabalho de montagem, ou antes de adquirir um posto de transformação (PT),

Leia mais

Instruções de segurança VEGAPULS PS61.D****D/H/K/ L/P/F/G/M/B/I****

Instruções de segurança VEGAPULS PS61.D****D/H/K/ L/P/F/G/M/B/I**** Instruções de segurança VEGAPULS PS61.D****D/H/K/ L/P/F/G/M/B/I**** NCC 15.0167 X Ex d ia IIC T6 T1 Ga/Gb, Gb 0044 Document ID: 50548 Índice 1 Validade... 3 2 Geral... 3 3 Dados técnicos... 3 4 Condições

Leia mais

Instalações Elétricas de BT. Odailson Cavalcante de Oliveira

Instalações Elétricas de BT. Odailson Cavalcante de Oliveira Instalações Elétricas de BT Odailson Cavalcante de Oliveira Circuito Monofásico A tensão monofásica refere-se a tensão entre fase e neutro. v = 2Vsen ωt - valor instantâneo de tensão i = 2Isen ωt φ - valor

Leia mais

Dados Técnicos. DADOS DE ENTRADA Fronius Galvo 2.0-5. Potência CC máxima para cos φ=1. Máx. corrente de entrada. Min.

Dados Técnicos. DADOS DE ENTRADA Fronius Galvo 2.0-5. Potência CC máxima para cos φ=1. Máx. corrente de entrada. Min. Dados Técnicos DADOS DE ENTRADA Fronius Galvo 2.0-5 Potência CC máxima para cos φ=1 2,650 W Máx. corrente de entrada 16.6 A Máx. tensão de entrada 24.8 A Faixa de tensão MPP 165 V Min. tensão de entrada

Leia mais

Novas Práticas de Engenharia. SINER Engenharia SINER Service SINER Eletromecânica SINER Investimentos Outubro de 2013

Novas Práticas de Engenharia. SINER Engenharia SINER Service SINER Eletromecânica SINER Investimentos Outubro de 2013 Novas Práticas de Engenharia Ribeirão Preto, 30 de outubro de 2013 Clique para editar o SINER título mestre Mário Martins Assessor de Diretoria (011) 4181-6999 ramal 703 (016) 3951-9340 ramal 703 (011)

Leia mais

INSTRUÇÕES DE INSTALAÇÃO para a GOLD LP

INSTRUÇÕES DE INSTALAÇÃO para a GOLD LP INSTRUÇÕES DE INSTALAÇÃO para a GOLD LP O documento foi originalmente escrito em sueco. A Swegon reserva-se o direito de alterar as especificações. www.swegon.com 1 1. INSTALAÇÃO 1.4 Montar a unidade de

Leia mais

Sistema de repartição e aparelhagem modular. Clario. Merlin Gerin. Building a New Electric World

Sistema de repartição e aparelhagem modular. Clario. Merlin Gerin. Building a New Electric World Sistema de repartição e aparelhagem modular Clario Merlin Gerin Building a New Electric World Clario Funções e Capítulo 1 Índice...1 Apresentação...2 Pentes Clario... 8 Características...8 Referências...9

Leia mais

1 Circuitos Pneumáticos

1 Circuitos Pneumáticos 1 Circuitos Pneumáticos Os circuitos pneumáticos são divididos em várias partes distintas e, em cada uma destas divisões, elementos pneumáticos específicos estão posicionados. Estes elementos estão agrupados

Leia mais

W o r l d w i d e P a r t n e r

W o r l d w i d e P a r t n e r GE Consumer & Industrial Power Protection W o r l d w i d e P a r t n e r Série CB Contactores até 45kW NOVIDADE Série PB Unidades de Comando e Sinalização GE imagination at work Série CB Contactores Tipo

Leia mais

MS1122 v3.0 Instalação e Considerações Importantes

MS1122 v3.0 Instalação e Considerações Importantes MS1122 v3.0 Instalação e Considerações Importantes O conteúdo deste documento é destinado a quem já possui algum conhecimento e deseja utilizar algumas REDEs comerciais disponíveis... V3.0 R2 Operadoras

Leia mais

REGULADOR ACOPLÁVEL Tipo MODULAR 112 G 3/8 - G 1/2

REGULADOR ACOPLÁVEL Tipo MODULAR 112 G 3/8 - G 1/2 Série : Modular P REGULAOR ACOPLÁVEL G /8 - G 1/ Aparelhos de tratamento de ar destinados a serem utilizados em atmosferas explosivas, poeirentas ou gasosas, segundo a directiva ATEX 9/9/CE MOO E PROTECÇÃO

Leia mais

QUADROS DE OBRA ( QO )

QUADROS DE OBRA ( QO ) INDÚSTRIA DE QUADROS ELÉCTRICOS QUADROS DE OBRA ( QO ) 1 CAMPO DE APLICAÇÃO Para instalações destinadas à construção de novos edifícios, trabalhos de reparação, modificação, ampliações ou demolições de

Leia mais

PARA LOCAIS PROFISSIONAIS Novos quadros XL³ 125

PARA LOCAIS PROFISSIONAIS Novos quadros XL³ 125 PARA LOCAIS PROFISSIONAIS Novos quadros XL³ 15 1 3 XL³ 15 ATÉ 15 A DE 1 A 4 FILAS DE 18 MÓDULOS Calha extraível sem ferramenta: cablagem facilitada CABLAGEM FACILITADA EXTRAINDO AS CALHAS As novas funcionalidades

Leia mais

JORNADAS CERTIEL 2010

JORNADAS CERTIEL 2010 JORNADAS CERTIEL 2010 ABRIL DE 2010 NORTE CENTRO LISBOA E VALE DO TEJO ALENTEJO ALGARVE ÁREAS DE INTERVENÇÃO INDÚSTRIA E RECURSOS GEOLÓGICOS QUALIDADE COMÉRCIO, SERVIÇOS E TURISMO ENERGIA ENERGIA COMBUSTÍVEIS

Leia mais

Edição Data Alterações em relação à edição anterior. 4ª 03/07/2009 Alteração do critério de aplicação e nos desenhos do ANEXO I.

Edição Data Alterações em relação à edição anterior. 4ª 03/07/2009 Alteração do critério de aplicação e nos desenhos do ANEXO I. Especificação Sucinta de entro de Medição para 6 Medidores M-6 (Tipo ) Processo Planejamento, Ampliação e Melhoria da Rede Elétrica Atividade Planeja o Desenvolvimento da Rede ódigo Edição Data VR.-00.079

Leia mais

Siemens AG 2009 SIRIUS SENTRON SIVACON. Catálogo LV 90 2009. Baixa Tensão Corte, protecção e comando. Answers for industry.

Siemens AG 2009 SIRIUS SENTRON SIVACON. Catálogo LV 90 2009. Baixa Tensão Corte, protecção e comando. Answers for industry. SIRIUS SENTRON SIVACON Catálogo LV 90 2009 Baixa Tensão Corte, protecção e comando Answers for industry. Interruptores de corte em carga, sistemas de barramentos SENTRON 8US Introdução Apresentação geral

Leia mais

Dados técnicos. necessário. Consumo de corrente Placa de medição não abrangida 3 ma Placa de medição abrangida

Dados técnicos. necessário. Consumo de corrente Placa de medição não abrangida 3 ma Placa de medição abrangida 0102 Designação para encomenda Características Para montagem na caixa Montagem directa em accionamentos normais Directivas europeias para máquinas cumpridas Certificado de verificação de modelos TÜV99

Leia mais

Distribuição Industrial: Interruptores de corte em carga Dilos/Fulos

Distribuição Industrial: Interruptores de corte em carga Dilos/Fulos G onsumer & Industrial Power Protection atálogo Industrial istribuição Industrial: Interruptores de corte em carga ilos/ulos G imagination at work istribuição industrial.2 Interruptores de corte em carga.6

Leia mais

APARELHAGEM DE EMBEBER

APARELHAGEM DE EMBEBER Interruptor Unipolar METALIZADA - Prata A Série APOLO 000 prima pelas linhas direitas e traços elegantes. O seu design actual confere um toque minimalista e de requinte à sua decoração. Disponível em cores

Leia mais

Especificação Disjuntores Baixa Tensão

Especificação Disjuntores Baixa Tensão Especificação Disjuntores Baixa Tensão Descrição: DISJUNTOR MICROPROCESSADO Local de Aplicação: QGBT Modelo: Fabricante: Fabricante Alternativo: Normas NBR-5361 / 8176, IEC-947-2 Aplicáveis Critério de

Leia mais

INSTALAÇÕES AT E MT. SUBESTAÇÕES DE DISTRIBUIÇÃO

INSTALAÇÕES AT E MT. SUBESTAÇÕES DE DISTRIBUIÇÃO INSTALAÇÕES AT E MT. SUBESTAÇÕES DE DISTRIBUIÇÃO Armários de comando e controlo Características Elaboração: GTRPT Homologação: conforme despacho do CA de 2007-02-13 Edição: 1ª Emissão: EDP Distribuição

Leia mais

Terminal de Operação Cimrex 69

Terminal de Operação Cimrex 69 Descrição do Produto O Cimrex 69 agrega as mais novas tecnologias e a mais completa funcionalidade de terminais de operação. Possui visor de cristal líquido gráfico colorido de 5,7 sensível ao toque (

Leia mais

arente Linha Aparente p a A h Lin

arente Linha Aparente p a A h Lin Linha Aparente Linha Aparente Linha Aparente Canaleta metálica... 03 Tampa de encaixe... 03 Tampa de pressão... 14 Canaleta meia-lua... 21 Poste condutor... 22 Tampa de encaixe A Linha Aparente da Valemam

Leia mais

GESTRA. GESTRA Steam Systems. NRR 2-2e. Manual de Instruções 818464-00 Regulador de nível NRR 2-2e

GESTRA. GESTRA Steam Systems. NRR 2-2e. Manual de Instruções 818464-00 Regulador de nível NRR 2-2e GESTRA GESTRA Steam Systems Manual de Instruções 818464-00 Regulador de nível Dimensões Fig. 2 Fig. 1 Tampa transparente Rede (ver placa de características) Equipado com R m Regulador de esvaziamento Prefer

Leia mais

Tecnologias de Acesso Plataforma Elevatória por Cremalheira Engº Rafael Thalheimer

Tecnologias de Acesso Plataforma Elevatória por Cremalheira Engº Rafael Thalheimer Tecnologias de Acesso Plataforma Elevatória por Cremalheira Engº Rafael Thalheimer 1) DESCRIÇÃO DO EQUIPAMENTO A plataforma elevatória por cremalheira está baseada no princípio de transmissão através de

Leia mais

COMISSÃO TÉCNICA DE NORMALIZAÇÃO ELETROTÉCNICA CTE 64 Instalações Elétricas em Edifícios

COMISSÃO TÉCNICA DE NORMALIZAÇÃO ELETROTÉCNICA CTE 64 Instalações Elétricas em Edifícios COMISSÃO TÉCNICA DE NORMALIZAÇÃO ELETROTÉCNICA CTE 64 Instalações Elétricas em Edifícios ESQUEMAS TIPO DE UNIDADES DE PRODUÇÃO PARA AUTOCONSUMO (UPAC) março 2015 A secção 712: Instalações Solares Fotovoltaicas

Leia mais

Sunny String Monitor - Cabinet

Sunny String Monitor - Cabinet Sunny String Monitor - Cabinet Dados Técnicos O Sunny String Monitor-Cabinet, ou SSM-C na sua forma abreviada, da SMA monitoriza, de forma pormenorizada, o seu gerador fotovoltaico, de acordo com os padrões

Leia mais

Uma unidade industrial moderna

Uma unidade industrial moderna Uma unidade industrial moderna A AL foi constituída em 9 de Abril de 1984 e alterada para Sociedade Anónima em 6 de Novembro de 1996. Somos uma empresa sólida com largos anos de experiência no sector eléctrico

Leia mais

LINHA Bt200. Conjunto de Manobra e Controle de Baixa Tensão. Bt200

LINHA Bt200. Conjunto de Manobra e Controle de Baixa Tensão. Bt200 LINHA LINHA CARACTERÍSTICAS CONSTRUTIVAS Dimensões Altura: 2400mm., Largura: 600/700/800mm., Profundidade: 600/800mm. Outras configurações conforme consulta; Estrutura fabricada em chapa de 2,65mm. (12MSG),

Leia mais

Equipamentos de manobra. Chaves Seccionadoras e Comutadoras Answers for industry.

Equipamentos de manobra. Chaves Seccionadoras e Comutadoras Answers for industry. Equipamentos de manobra Chaves Seccionadoras e Comutadoras Answers for industry. s A Índice Seccionadores S31 - tetrapolares... 2 Seccionadores S32, Ergon - tripolares e tetrapolares... 3 Seccionadores

Leia mais

Quadros de distribuição de energia elétrica

Quadros de distribuição de energia elétrica Catálogo Técnico Quadros de distribuição de energia elétrica de embutir de sobrepor 206-01/2009-0 Quadros de distribuição de energia elétrica Linha Luxury ÍNDICE Características técnicas...2 Acessórios...4

Leia mais

Produtos de Baixa Tensão. Chaves seccionadoras Linhas XLP e XLBM Modernidade que faz a diferença

Produtos de Baixa Tensão. Chaves seccionadoras Linhas XLP e XLBM Modernidade que faz a diferença Produtos de Baixa Tensão Chaves seccionadoras Linhas XLP e XLBM Modernidade que faz a diferença pparatus Chaves seccionadoras overviewsob carga com base fusível Linha XLP XLP000 (-pole) pparatus overview

Leia mais

Catalogo Técnico. Disjuntor Motor BDM-NG

Catalogo Técnico. Disjuntor Motor BDM-NG Catalogo Técnico Disjuntor Motor BDM-NG Disjuntores-Motor BDM-NG Generalidade: O disjuntor-motor BDM-NG,Tripolar, são termomagnéticos compactos e limitadores de corrente. Ideal para o comando e a proteção

Leia mais

Redes de Distribuição de Baixa Tensão (versão 1/2015)

Redes de Distribuição de Baixa Tensão (versão 1/2015) Redes de Distribuição de Baixa Tensão (versão 1/2015) 1. Parâmetros Elétricos... 2 2. Redes subterrâneas de BT... 3 2.1. Dimensionamento... 3 2.2. Equipamentos... 4 2.3. Cabos elétricos... 7 2.4. Comprimentos

Leia mais

SITUAÇÃO FÍSICA PARA CONCESSÃO DE ESPAÇOS COMERCIAIS

SITUAÇÃO FÍSICA PARA CONCESSÃO DE ESPAÇOS COMERCIAIS 1 ANEXO I ITUAÇÃO FÍICA PARA CONCEÃO DE EPAÇO COMERCIAI Instruções de preenchimento: Para preenchimento desta ficha sugere-se a participação das equipes Comercial, Manutenção, TI, Meio ambiente, Operações

Leia mais

Módulo 8 Entradas Digitais 24 Vdc Monitorado. Os seguintes produtos devem ser adquiridos separadamente para possibilitar a utilização do produto:

Módulo 8 Entradas Digitais 24 Vdc Monitorado. Os seguintes produtos devem ser adquiridos separadamente para possibilitar a utilização do produto: Descrição do Produto O módulo, integrante da Série Ponto, possui 8 pontos de entrada digital +24 Vdc isolada e monitorada, é indicado para aplicações onde a situação de linha rompida necessita ser detectada

Leia mais

2. Critério do limite da queda de tensão (qualquer carga):

2. Critério do limite da queda de tensão (qualquer carga): 4 Dimensionamento de Circuitos de Motores 2. Critério do limite da queda de tensão (qualquer carga): 23 4 Dimensionamento de Circuitos de Motores 24 Exemplo de aplicação 4.4(3.7): 4(3 Calcular a seção

Leia mais

painéis, gabinetes e sistemas de barramentos

painéis, gabinetes e sistemas de barramentos 20/2013 alta segurança na baixa tensão Normas Desde o início de suas atividades no Brasil, o compromisso com a qualidade de seus produtos e a conformidade dos mesmos com as normas internacionais, tem

Leia mais

NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO

NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO 1ª EDIÇÃO MAIO - 2013 DIRETORIA DE ENGENHARIA SUPERINTENDÊNCIA DE PLANEJAMENTO E PROJETOS GERÊNCIA DE NORMATIZAÇÃO E TECNOLOGIA FICHA TÉCNICA Coordenação: Celso Nogueira da

Leia mais

INSTRUÇÕES GERAIS ARMÁRIO ATI V3.2

INSTRUÇÕES GERAIS ARMÁRIO ATI V3.2 INSTRUÇÕES GERAIS ARMÁRIO ATI V3.2 Para mais informações ou sugestões, contacte o seu distribuidor. Edição 4 Pag 1/8 Mod.100/2 ÍNDICE ÍNDICE...2 1. INTRODUÇÃO...3 2. DOCUMENTOS NORMATIVOS APLICADOS...3

Leia mais

Edição Data Alterações em relação à edição anterior. Nome dos grupos

Edição Data Alterações em relação à edição anterior. Nome dos grupos Especificação Sucinta de entro de Medição para 6 Medidores M-6 Processo Planejamento, Ampliação e Melhoria da Rede Elétrica Atividade Planeja o Desenvolvimento da Rede ódigo Edição Data VR.-00.223 2ª Folha

Leia mais

VACUTAP VM VERSATILIDADE E GARANTIA DE FUTURO IMBATÍVEIS. TRANSFORMER CONTROL

VACUTAP VM VERSATILIDADE E GARANTIA DE FUTURO IMBATÍVEIS. TRANSFORMER CONTROL VACUTAP VM VERSATILIDADE E GARANTIA DE FUTURO IMBATÍVEIS. TRANSFORMER CONTROL Vacutap VM Vacutap VM Capacidade inigualável na operação em rede e na indústria. 2 A tarefa: confiabilidade máxima com custos

Leia mais