U.E.F.S DEPARTAMENTO: CIÊNCIAS EXATAS PROGRAMA DE DISCIPLINA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "U.E.F.S DEPARTAMENTO: CIÊNCIAS EXATAS PROGRAMA DE DISCIPLINA"

Transcrição

1 U.E.F.S DEPARTAMENTO: CIÊNCIAS EXATAS PROGRAMA DE DISCIPLINA CÓDIGO DISCIPLINA EXA 303 FÍSICA III CARGA HORÁRIA CRÉDITOS REQUISITOS T P EXA MATEMÁTICA II EXA FÍSICA II E TOT EMENTA Visa iniciar o aluno ao estudo da eletricidade e ó- tica geométrica. OBJETIVOS UNIDADE I - Citar alguns fenômenos que evidenciam a propagação retilínea da luz. - Diferenciar raio luminoso de feixe luminoso. - Caracterizar a cor refletida por um corpo. - Definir reflexão especular e reflexão difusa. - Enunciar as leis da reflexão. - Traçar diagramas sobre formação de imagens num espelho plano. - Caracterizar as imagens formadas nos espelhos côncavos e conve- xos. - Determinar gráfica e analiticamente a posição da imagem de um objeto em função da posição de objeto em relação ao espelho. - Definir refração da luz. - Enunciar índice de refração absoluto e relativo. - Calcular índice de refração de um meio. - Calcular a velocidade de propagação da luz em um meio em função de seu índice de refração de um meio. - Definir o que seja uma lente. - Diferenciar uma lente convergente de uma lente divergente. - Citar as aplicações sobre as lentes. - Resolver problemas. UNIDADE II - Explicar a teoria atômica da matéria. - Explicar o fenômeno da Eletrização por atrito, contato e indução.

2 OBJETIVOS - Conceituar potencial elétrico e superfície equipotencial. - Calcular a diferença de potencial. - Enunciar energia potencial elétrica de uma carga. - Aplicar os conceitos. - Conceituar corrente elétrica. - Conceituar resistência e resistividade. - Enunciar a lei de Ohm. - Diferenciar um condutor ôhmico e não ôhmico. - Associar resistor. - Aplicar os conceitos de associação em resolução de circuitos. - Analisar a Lei de Coulomb. - Determinar forca entre cargas. - Conceituar campo elétrico uniforme e não uniforme. - Determinar a intensidade do campo elétrico. - Definir campo elétrico. - Resolver problemas. METODOLOGIA 1 - Exposição dialogada. 2 - Discussão com pequenos grupos e também todo o grupo. 3 - Estudo dirigido. AVALIAÇÃO A avaliação será feita através de provas escritas e desempenho das aulas práticas e discussão de problemas. Será atribuído peso as pro- vas / escritas e peso 2 no desempenho das aulas práticas. UNIDADE I: 1 - Introdução a ótica geométrica. 2 - Reflexão da luz: noções teóricas. 3 - Espelhos planos. 4 - Espelhos esféricos. 5 - Refração da luz: noções teóricas. 6 - Estudo das lentes e suas aplicações práticas. UNIDADE II: 1 - Estrutura atômica. 2 - Processos de eletrização. 3 - Lei de Coulomb. 4 - Potencial elétrico e superfícies equipotenciais. 5 - Diferença de potencial elétrico e energia elétrica. 6 - Corrente elétrica. 7 - Resistência elétrica. 8 - Lei de Ohm. 9 - Condutores ôhmicos e não ôhmicos Associação de resistência Campo elétrico.

3 ROTEIRO DE ÓTICA E ELETRICIDADE LABORATÓRIO DE ÓTICA(CONJUNTO BENDER) 01. Mostragem de material (Bender) aos alunos acompanhado do catá- logo do mesmo, verificando montagem e função de cada peça da caixa, chamando a atenção para a montagem da lâmpada e do con- densador - pag. 08 a Montagem de banco ótico curto - pag Montagem de banco ótico longo - pag. 27 e Propagação de luz - pag Formação de imagem e propagação retilínea - pag Mostrar através dessa experiência o funcionamento de uma câmara escura. - Alterar as distâncias di e do (cálculo teórico e comprovação experimental) verificando as grandezas das imagens. 06. Um corpo na trajetória da luz - pag Mostrar através desta experiência a interferência de um meio transparente, translúcido ou opaco, na trajetória da luz. Obs. A experiência no. 06 corresponde a 2a. aula será mos- trada e discutida antes da referência no Sombras - pag Mostrar nessa experiência as regiões e formações de sombra e penumbra. 08. Lei da reflexão - pag Mostrar através dessa experiência as leis da reflexão. 09. A imagem de um espelho - pag Mostrar a forma de imagem em um espelho plano. - Verificar a simetria da imagem e objeto em um espelho plano. 10. Dois espelhos paralelos - pag Dois espelhos em ângulos - pag Mostrar primeiro a experiência da pag. 36 e depois faz-se um raciocínio para quando o ângulo entre os espelhos for de Oo (zero graus) pag Dois espelhos em angulo fixo. Mostrar a trajetória do raio de luz quando incide entre dois espelhos formando um determinado ângulo - pag O espelho côncavo e o convexo - pag Mostrar através desta experiência um espelho côncavo e o convexo, o foco, a distância focal, como determinamos o fo- co, o comportamento dos raios quando incidem em um espelho côncavo e convexo, o centro de curvatura. Mostrar também o foco real (côncavo) e o foco virtual (convexo) obtenção. 14. Determinar o raio de um espelho côncavo - pag. 41 e Mostrar como se calcula o raio de um espelho côncavo. 15. As imagens dos espelhos esféricos - pag Mostrar a obtenção das imagens no espelho côncavo, quando o objeto assume várias posições em relação ao vértice (fazer medidas das distâncias p e p' bem como Ho e He). Fazer exer- cícios para uma comprovação experimental. 16. Mudança do meio: Refração - pag Mostrar o fenômeno da Refração - colocar água e depois água salgada ou outro líquido, verificando o que acontece com o raio luminoso quando atravessa meios de substâncias diferen- tes. 17. Refração num vidro de faces paralelas - pag Mostrar o comportamento de um raio luminoso quando atravessa um vidro de faces paralelas.

4 18. Lei da refração - pag Mostrar ou melhor comprovar nessa experiência a lei da re- fração calculando o índice de relação do meio, no caso o vi- dro. 19. Lei da refração na água - pag Ângulo limite e reflexão total - pag Mostrar o que seja o ângulo limite e a reflexão total. 21. A refração na água - pag. 5l. 22. Reflexão total num prisma de 90o. (noventa graus) - pag Refração num prisma - pag Desvio mínimo num prisma - pag. 55. EXPERIÊNCIAS SOBRE LENTES 25. Lente convergentes - pag Mostrar através desta experiência o que seja uma lente con- vergente através dos raios que incidem sobre ela. 26. Lentes divergentes - pag. 57. (idem). 27. A lente forma imagens - pag. 58 e Mostrar a formação da imagem neste tipo de lente. 28. Como medir a distância focal - pag. 60 e Verificação dos seis casos da imagem - pag Distância focal de uma lente divergente - pag Verificar como se determina experimentalmente a distância focal em uma lente divergente. 31. Máquina fotográfica - pag Mostrar nessa experiência o mecanismo de uma máquina fotográ- fica. 33. O projetor - pag A lupa - pag O microscópio - pag Nas experiências 33, 34 e 35 mostrar aos alunos a confecção desses aparelhos e sua utilidade. Experiências de Eletricidade (conjunto Bender). ELETROSTÁTICA E ELETRODINÂMICA 01. Mostragem de material Bender com o qual os alunos irão traba- lhar - pag. 11 e 16. Objetivos 02. Atração - pag Verificar uma atração e repulsão. 03. Repulsão - pag Funciona cargas elétricas, verificar ele- tricidade positiva e negativa. 04. Eletricidade positiva e negativa - pag. 39, 40, Princípio de eletroscópio - pag O nosso eletroscópio - pag O eletroscópio - Influência - pag Carga por contacto - pag Carga por indução - pag Carga por atrito - pag Condutos e isolantes - pag Isolador em estática e em dinâmica - pag Considerações teóricas sobre a corrente - pag Watt - pag Regra para ligar instrumentos - pag Circuito de lâmpadas diferentes em série - pag Circuito de lâmpadas diferente em paralelo - pag Ligação curiosa - pag. 63.

5 19. Duas chaves para uma lâmpada - pag. 64 e Efeito de corrente - aquecimento - pag. 66, 67 e O fusível - pag Efeitos químicos - pag. 71, 72 e Eletrólise - pag. 74 e Noções de resistências elétrica - pag Queda de voltagem num fio de resistência - pag Como medir a resistência elétrica. 27. O 1o. fator da resistência - comprimento - pag O 2o. fator de resistência - a grossura - pag O 3o. fator de resistência - a qualidade do fio - pag O padrão da resistência - o Ohm - pag Amperagem e resistência - pag Lei de Ohm - pag Verificação da lei Ohm - pag. 94 e A resistência de uma lâmpada - pag Resistência e temperatura - pag. 97 e Resistência e sentido de corrente - pag Resistência em série e em paralelo - pag. 103 e 104. REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA 01. HALLIDAY, David e RESNICK, Robert. Física, Livros Técnicos e Científicos Ltda - Vol. 3 e FERENCE JR - LENON - STEPHENSON - Curso de Física, Editora Ed- gard Blucher Ltda. 03. RAMALHO - IVAN - NICOLAU TOLEDO - Os Fundamentos da Física, Vol. 2 e BONJORNO, José Roberto e outros - Física - Vol. 2 e FERRARO, Nicolau Gilberto e outros - Aulas de Física - Vol MORETO, Vasco Pedro - Física em Módulos de Ensino. 07. ALONSO & FINN - Física, Um Curso Universitário - Editora Edgard Blucher Ltda - Vol. 2.

Exercicios de Física Unesp 1ª e 2ª fase FINAL DE ANO:

Exercicios de Física Unesp 1ª e 2ª fase FINAL DE ANO: Exercicios de Física Unesp 1ª e 2ª fase FINAL DE ANO: 1) Uma pequena esfera de massa m, eletrizada com uma carga eletrica q > 0, esta presa a um ponto fixo P por um fio isolante, numa regiao do espaco

Leia mais

ENSINO FUNDAMENTAL - CIÊNCIAS 9º ano- UNIDADE 4 - CAPÍTULO 2. questão347. Um objeto verde absorve ou reflete a luz verde?

ENSINO FUNDAMENTAL - CIÊNCIAS 9º ano- UNIDADE 4 - CAPÍTULO 2. questão347. Um objeto verde absorve ou reflete a luz verde? ENSINO FUNDAMENTAL - CIÊNCIAS 9º ano- UNIDADE 4 - CAPÍTULO 2 questão346. Defina o que é a luz. questão347. Um objeto verde absorve ou reflete a luz verde? questão348. O que é isotropia? questão349. Em

Leia mais

Corrente elétrica, potência, resistores e leis de Ohm

Corrente elétrica, potência, resistores e leis de Ohm Corrente elétrica, potência, resistores e leis de Ohm Corrente elétrica Num condutor metálico em equilíbrio eletrostático, o movimento dos elétrons livres é desordenado. Em destaque, a representação de

Leia mais

Um espelho é uma superfície muito lisa e que permita alto índice de reflexão da luz que incide sobre ele. Espelhos possuem formas variadas:

Um espelho é uma superfície muito lisa e que permita alto índice de reflexão da luz que incide sobre ele. Espelhos possuem formas variadas: * 16/03/16 Um espelho é uma superfície muito lisa e que permita alto índice de reflexão da luz que incide sobre ele. Espelhos possuem formas variadas: * *Definição *Um espelho plano é aquele em que a superfície

Leia mais

Exercícios LENTES e VISÃO DUDU

Exercícios LENTES e VISÃO DUDU Exercícios LENTES e VISÃO DUDU 1. Sherlock Holmes neste dia usava seu cachimbo e uma instrumento ótico que permitia uma análise ainda mais nítida da cena do crime. a)sabendo que no texto acima o instrumento

Leia mais

Cor e frequência. Frequência ( ) Comprimento de onda ( )

Cor e frequência. Frequência ( ) Comprimento de onda ( ) Aula Óptica Luz visível A luz que percebemos tem como característica sua freqüência que vai da faixa de 4.10 14 Hz ( vermelho) até 8.10 14 Hz (violeta). Esta faixa é a de maior emissão do Sol, por isso

Leia mais

PLANO DE ENSINO ANUAL 2014

PLANO DE ENSINO ANUAL 2014 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃOAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE RORAIMA CEDUC - CENTRO DE EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO GERAL DA EDUCAÇÃO BÁSICA COLÉGIO DE APLICAÇÃO PLANO DE ENSINO ANUAL 2014 DISCIPLINA SÉRIE TURMA ANO LETIVO

Leia mais

Óptica. Estudo da luz, como sendo a onda eletromagnética pertencentes à faixa do espectro visível (comprimento de 400 nm até 700 nm).

Óptica. Estudo da luz, como sendo a onda eletromagnética pertencentes à faixa do espectro visível (comprimento de 400 nm até 700 nm). Óptica Estudo da luz, como sendo a onda eletromagnética pertencentes à faixa do espectro visível (comprimento de 400 nm até 700 nm). Fenômenos ópticos Professor: Éder (Boto) Sobre a Luz O que emite Luz?

Leia mais

ROTEIRO DE AULA PRÁTICA ÓTICA

ROTEIRO DE AULA PRÁTICA ÓTICA ROTEIRO DE AULA PRÁTICA ÓTICA 1- REFLEXÃO DA LUZ ESPELHO PLANO S 1. Montar o equipamento. 2. Colocar na fonte de luz uma placa de 5 fendas (fixação por encaixe). 3. Ligar a fonte de luz em 12V. 4. Colocar

Leia mais

Laboratório Virtual Kit Óptico

Laboratório Virtual Kit Óptico Laboratório Virtual Kit Óptico Reflexão A luz nem sempre se propaga indefinidamente em linha reta: em algumas situações eles podem se quebrar, como acontece quando um espelho é colocado em seu caminho.

Leia mais

MÓDULO 9. A luz branca, que é a luz emitida pelo Sol, pode ser decomposta em sete cores principais:

MÓDULO 9. A luz branca, que é a luz emitida pelo Sol, pode ser decomposta em sete cores principais: A COR DE UM CORPO MÓDULO 9 A luz branca, que é a luz emitida pelo Sol, pode ser decomposta em sete cores principais: luz branca vermelho alaranjado amarelo verde azul anil violeta A cor que um corpo iluminado

Leia mais

ÓPTICA GEOMÉTRICA. A luz é uma forma de energia que se propaga a uma altíssima velocidade: c=300.000 Km/s

ÓPTICA GEOMÉTRICA. A luz é uma forma de energia que se propaga a uma altíssima velocidade: c=300.000 Km/s ÓPTICA GEOMÉTRICA ÓPTICA GEOMÉTRICA A luz é uma forma de energia que se propaga a uma altíssima velocidade: c=300.000 Km/s Neste tópico, vamos estudar a Óptica sem levar em conta a natureza da luz, e sim

Leia mais

FÍSICA - 2 o ANO MÓDULO 17 ELETRODINÂMICA: CORRENTE ELÉTRICA, RESISTORES E LEI DE OHM

FÍSICA - 2 o ANO MÓDULO 17 ELETRODINÂMICA: CORRENTE ELÉTRICA, RESISTORES E LEI DE OHM FÍSICA - 2 o ANO MÓDULO 17 ELETRODINÂMICA: CORRENTE ELÉTRICA, RESISTORES E LEI DE OHM A B FALTA DE CARGAS NEGATIVAS EXCESSO DE CARGAS NEGATIVAS A V A + - B V B U = V A - V B E A B U = V A - V B A + - B

Leia mais

TÉCNICO DE LABORATÓRIO/FÍSICA

TÉCNICO DE LABORATÓRIO/FÍSICA TÉCNICO DE LABORATÓRIO/FÍSICA REQUISITO DE QUALIFICAÇÃO PARA INGRESSO NO CARGO: ESCOLARIDADE: Ensino Médio Profissionalizante nas áreas de Eletricidade, Eletrônica, Eletrotécnica ou Mecânica ou Ensino

Leia mais

Espelhos Esféricos. Definições e Elementos:

Espelhos Esféricos. Definições e Elementos: Definições e Elementos: Calota Esférica. Espelho Esférico é uma calota esférica na qual uma das faces é refletora. Espelho Côncavo Superfície refletora interna. Espelho Convexo Superfície refletora externa.

Leia mais

REFLEXÃO EM ESPELHOS CURVOS

REFLEXÃO EM ESPELHOS CURVOS REFLEXÃO EM ESPELHOS CURVOS Fernando Tamariz Luna Universidade Estadual de Santa Cruz- UESC, Departamento de Ciências Exatas e Tecnológicas - DCET, curso de Física, Bacharelado e Licenciatura. 4to Laboratório

Leia mais

Disciplina: Eletrificação Rural. Unidade 2 Conceitos básicos de eletricidade voltados às instalações elétricas.

Disciplina: Eletrificação Rural. Unidade 2 Conceitos básicos de eletricidade voltados às instalações elétricas. UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS DEPARTAMENTO DE SOLOS E ENGENHARIA AGRÍCOLA Disciplina: Eletrificação Rural Unidade 2 Conceitos básicos de eletricidade voltados às instalações

Leia mais

Defeitos da visão. http://www.ideiasnacaixa.com/laboratoriovirtual/

Defeitos da visão. http://www.ideiasnacaixa.com/laboratoriovirtual/ Defeitos da visão http://www.ideiasnacaixa.com/laboratoriovirtual/ Olho Humano Formação da Imagem no Olho Humano CRISTALINO Como uma lente biconvexa no globo ocular. NERVO ÓTICO Leva as sensações luminosas

Leia mais

LENTES E ESPELHOS. O tipo e a posição da imagem de um objeto, formada por um espelho esférico de pequena abertura, é determinada pela equação

LENTES E ESPELHOS. O tipo e a posição da imagem de um objeto, formada por um espelho esférico de pequena abertura, é determinada pela equação LENTES E ESPELHOS INTRODUÇÃO A luz é uma onda eletromagnética e interage com a matéria por meio de seus campos elétrico e magnético. Nessa interação, podem ocorrer alterações na velocidade, na direção

Leia mais

1 - Introdução: Princípios da ótica geométrica

1 - Introdução: Princípios da ótica geométrica ÓTICA GEOMÉTRICA 1 - Introdução: Princípios da ótica geométrica Princípio da propagação retilínea da luz Princípio da independência dos raios luminosos Princípio da reversibilidade dos raios luminosos

Leia mais

04. Com base na lei da ação e reação e considerando uma colisão entre dois corpos A e B, de massas m A. , sendo m A. e m B. < m B.

04. Com base na lei da ação e reação e considerando uma colisão entre dois corpos A e B, de massas m A. , sendo m A. e m B. < m B. 04. Com base na lei da ação e reação e considerando uma colisão entre dois corpos A e B, de massas m A e m B, sendo m A < m B, afirma-se que 01. Um patrulheiro, viajando em um carro dotado de radar a uma

Leia mais

INTRODUÇÃO À ÓPTICA GEOMÉTRICA 411EE

INTRODUÇÃO À ÓPTICA GEOMÉTRICA 411EE 1 T E O R I A 1. SOMBRA Define se sombra como uma região do espaço desprovida de luz. Uma sombra é produzida quando um objeto opaco impede que raios de luz provenientes de uma fonte luminosa iluminem uma

Leia mais

1-Eletricidade básica

1-Eletricidade básica SENAI 1 1-Eletricidade básica 1.1 - Grandezas Elétricas: 1.1 - Carga Elétrica, Tensão Elétrica, Corrente Elétrica, Resistência Elétrica; 1.2 - Leis de Ohm: 1.2.1-1 a Lei de Ohm 1.2.2 múltiplos e submúltiplos

Leia mais

Professor (a): Pedro Paulo S. Arrais Aluno (a): Série: 1ª Data: / / 2016. LISTA DE FÍSICA I

Professor (a): Pedro Paulo S. Arrais Aluno (a): Série: 1ª Data: / / 2016. LISTA DE FÍSICA I Ensino Médio Unid. São Judas Tadeu Professor (a): Pedro Paulo S. Arrais Aluno (a): Série: 1ª Data: / / 2016. LISTA DE FÍSICA I Orientações: - A lista deverá ser respondida na própria folha impressa ou

Leia mais

0.1 Introdução Conceitos básicos

0.1 Introdução Conceitos básicos Laboratório de Eletricidade S.J.Troise Exp. 0 - Laboratório de eletricidade 0.1 Introdução Conceitos básicos O modelo aceito modernamente para o átomo apresenta o aspecto de uma esfera central chamada

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO PLANO DE ENSINO Ano Semestre letivo 2015 Segundo 1. Identificação Código 1.1 Disciplina: Laboratório de Ensino de Física

Leia mais

11ºano MÓDULO 1. Material a utilizar: esferográfica preta ou azul, máquina de calcular

11ºano MÓDULO 1. Material a utilizar: esferográfica preta ou azul, máquina de calcular 11ºano MÓDULO 1 Matriz da Prova de Equivalência à Frequência (Decreto-lei nº 74/2004) PROVA ESCRITA E PRÁTICA DE FÍSICA E QUÍMICA APLICADA 11º E 12º anos Vertente Imagem Código da Prova 815 1ª Fase / 2ªFase

Leia mais

FÍSICA EXPERIMENTAL 3001

FÍSICA EXPERIMENTAL 3001 FÍSICA EXPERIMENTAL 3001 EXPERIÊNCIA 1 CIRCUITO RLC EM CORRENTE ALTERNADA 1. OBJETIOS 1.1. Objetivo Geral Apresentar aos acadêmicos um circuito elétrico ressonante, o qual apresenta um máximo de corrente

Leia mais

Lista de Revisão Óptica na UECE e na Unifor Professor Vasco Vasconcelos

Lista de Revisão Óptica na UECE e na Unifor Professor Vasco Vasconcelos Lista de Revisão Óptica na UECE e na Unifor Professor Vasco Vasconcelos 0. (Unifor-998. CE) Um objeto luminoso está inicialmente parado a uma distância d de um espelho plano fixo. O objeto inicia um movimento

Leia mais

3º Ensino Médio Trabalho de Física Data /08/09 Professor Marcelo

3º Ensino Médio Trabalho de Física Data /08/09 Professor Marcelo Nome 3º Ensino Médio Trabalho de Física Data /08/09 Professor Marcelo Em física, corrente elétrica é o movimento ordenado de partículas portadoras de cargas elétricas. Microscopicamente as cargas livres

Leia mais

Óptica Geométrica 9º EF

Óptica Geométrica 9º EF Óptica Geométrica 9º EF Fonte de luz Estrelas Lâmpada acesa Lua Lâmpada apagada Fonte Primária Fonte Secundária Classificação de fontes de luz Quanto a emissão a) Fonte Primária (luminoso): produz a luz

Leia mais

3B SCIENTIFIC PHYSICS

3B SCIENTIFIC PHYSICS 3B SCIENTIFIC PHYSICS Kit de ótica laser de demonstração U17300 e kit complementar Manual de instruções 1/05 ALF Índice de conteúdo Página Exp - N Experiência Kit de aparelhos 1 Introdução 2 Fornecimento

Leia mais

FÍSICA. A) 2 J B) 6 J C) 8 J D) 10 J E) Zero. A) 6,2x10 6 metros. B) 4,8x10 1 metros. C) 2,4x10 3 metros. D) 2,1x10 9 metros. E) 4,3x10 6 metros.

FÍSICA. A) 2 J B) 6 J C) 8 J D) 10 J E) Zero. A) 6,2x10 6 metros. B) 4,8x10 1 metros. C) 2,4x10 3 metros. D) 2,1x10 9 metros. E) 4,3x10 6 metros. FÍSICA 16) Numa tempestade, ouve-se o trovão 7,0 segundos após a visualização do relâmpago. Sabendo que a velocidade da luz é de 3,0x10 8 m/s e que a velocidade do som é de 3,4x10 2 m/s, é possível afirmar

Leia mais

Índice de Refração. c v. n =

Índice de Refração. c v. n = Refração da Luz O que é Refração? É um fenômeno que ocorre quando a luz passa através da interface que separa dois meios, ocasionando uma mudança na direção de propagação. A refração é decorrente de uma

Leia mais

TC de Revisão Final Unifor - 2012.1. Prof. Vasco Vasconcelos

TC de Revisão Final Unifor - 2012.1. Prof. Vasco Vasconcelos TC de Revisão Final Unifor - 2012.1 Prof. Vasco Vasconcelos 1. (Ufpa 2011) Belém tem sofrido com a carga de tráfego em suas vias de trânsito. Os motoristas de ônibus fazem frequentemente verdadeiros malabarismos,

Leia mais

Volume 8 óptica. Capítulo 49 Espelhos Planos

Volume 8 óptica. Capítulo 49 Espelhos Planos Volume 8 óptica Vídeo 49.1 Vídeo 49.2 Vídeo 49.3 Vídeo 49.4 Vídeo 49.5 Vídeo 49.6 Vídeo 49.7 Vídeo 49.8 Vídeo 49.9 Capítulo 49 Espelhos Planos Um feixe de micro-ondas refletido por uma placa metálica plana

Leia mais

REFLEXÃO E SUAS LEIS:

REFLEXÃO E SUAS LEIS: TÍTULO: CONFECÇÃO DE UM KIT DIDÁTICO PARA O ENSINO DE ÓPTICA PARA OS ALUNOS DO ENSINO MÉDIO. AUTORES: Pedro Luiz do Nascimento (dfisica@df.ufpb.br); Moisés Pereira Ribeiro Júnior (takapy@bol.com.br); Francelino

Leia mais

Exercícios de Óptica

Exercícios de Óptica Exercícios de Óptica PROFESSOR WALESCKO 22 de dezembro de 2005 Sumário 1 Exercícios 1 2 UFRGS 11 3 Gabarito 24 1 Exercícios 1. A figura abaixo representa um raio de luz que incide no espelho plano E e

Leia mais

Lista de Óptica - Wladimir

Lista de Óptica - Wladimir 1. (Ufg 2014) A figura a seguir representa um dispositivo óptico constituído por um laser, um espelho fixo, um espelho giratório e um detector. A distância entre o laser e o detector é d = 1,0 m, entre

Leia mais

Física Experimental III

Física Experimental III Física Experimental III Unidade 4: Circuitos simples em corrente alternada: Generalidades e circuitos resistivos http://www.if.ufrj.br/~fisexp3 agosto/26 Na Unidade anterior estudamos o comportamento de

Leia mais

Gráfico da tensão em função da intensidade da corrente elétrica.

Gráfico da tensão em função da intensidade da corrente elétrica. . Introdução A corrente elétrica consiste no movimento ordenado de elétrons e é formada quando há uma diferença de potencial (V) em um fio condutor elétrico. Esse movimento, por sua vez, fica sujeito a

Leia mais

A LEITURA DO TEXTO ABAIXO SERÁ NECESSÁRIA PARA A RESOLUÇÃO DAS QUESTÕES:

A LEITURA DO TEXTO ABAIXO SERÁ NECESSÁRIA PARA A RESOLUÇÃO DAS QUESTÕES: 1) Classificar as afirmativas abaixo em V pra verdadeiras e F para falsas, de acordo com a forma de eletrização dos corpos em: positiva, negativa ou neutro. a) (V)Um corpo é eletrizado positivamente quando

Leia mais

Primeira lista de física para o segundo ano 1)

Primeira lista de física para o segundo ano 1) Primeira lista de física para o segundo ano 1) Dois espelhos planos verticais formam um ângulo de 120º, conforme a figura. Um observador está no ponto A. Quantas imagens de si mesmo ele verá? a) 4 b) 2

Leia mais

ÓPTICA GEOMÉTRICA PREGOLINI

ÓPTICA GEOMÉTRICA PREGOLINI ÓPTICA GEOMÉTRICA PREGOLINI ÓPTICA GEOMÉTRICA É a parte da Física que estuda os fenômenos relacionados com a luz e sua interação com meios materiais quando as dimensões destes meios é muito maior que o

Leia mais

Física Experimental - Óptica - EQ192.

Física Experimental - Óptica - EQ192. Índice Remissivo... 3 Abertura... 6 Guarantee / Garantia... 7 Certificado de Garantia Internacional... 7 As instruções identificadas no canto superior direito da página pelos números que se iniciam pelos

Leia mais

IFRN - Campus Parnamirim Curso de eletricidade turma de redes de Computadores 2011.2. Figura 35 Relé eletromecânico

IFRN - Campus Parnamirim Curso de eletricidade turma de redes de Computadores 2011.2. Figura 35 Relé eletromecânico Figura 35 Relé eletromecânico Figura 36 Aplicação para o relé eletromecânico INFORMAÇÕES IMPORTANTES SOBRE OS INDUTORES Três conclusões muito importantes podem ser tiradas em relação ao comportamento do

Leia mais

Resolução Comentada Fuvest - 1ª fase 2014

Resolução Comentada Fuvest - 1ª fase 2014 Resolução Comentada Fuvest - 1ª fase 2014 01 - Em uma competição de salto em distância, um atleta de 70kg tem, imediatamente antes do salto, uma velocidade na direção horizontal de módulo 10m/s. Ao saltar,

Leia mais

Valores eternos. MATÉRIA PROFESSOR(A) ---- ----

Valores eternos. MATÉRIA PROFESSOR(A) ---- ---- Valores eternos. TD Recuperação ALUNO(A) MATÉRIA Física II PROFESSOR(A) Fernando ANO SEMESTRE DATA 2º 1º Julho/2013 TOTAL DE ESCORES ESCORES OBTIDOS ---- ---- 1. Considere a figura ao lado. Com base no

Leia mais

Como n lente = n meioa, não há refração. Ou seja, o sistema óptico não funciona como lente.

Como n lente = n meioa, não há refração. Ou seja, o sistema óptico não funciona como lente. 01 Como n lente = n meioa, não há refração. Ou seja, o sistema óptico não funciona como lente. Como n lente < n meiob, a lente de bordas finas opera como lente divergente. Resposta: A 1 02 A gota de água

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES DO MILIOHMÍMETRO MODELO MO-1200

MANUAL DE INSTRUÇÕES DO MILIOHMÍMETRO MODELO MO-1200 MANUAL DE INSTRUÇÕES DO MILIOHMÍMETRO MODELO MO-1200 julho 2009 Leia cuidadosamente as instruções contidas neste manual antes de iniciar o uso do medidor ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 1 2. REGRAS DE SEGURANÇA...

Leia mais

ÓPTICA GEOMÉTRICA MENU DE NAVEGAÇÃO LENTES ESFÉRICAS. LENTES CONVERGENTES Elementos

ÓPTICA GEOMÉTRICA MENU DE NAVEGAÇÃO LENTES ESFÉRICAS. LENTES CONVERGENTES Elementos LENTES ESFÉRICAS ÓPTICA GEOMÉTRICA MENU DE NAVEGAÇÃO Clique em um item abaixo para iniciar a apresentação LENTES CONVERGENTES Elementos Propriedades Construção Geométrica de Imagens LENTES DIVERGENTES

Leia mais

www.fisicanaveia.com.br

www.fisicanaveia.com.br www.fisicanaveia.com.br Lentes Esféricas Lentes Esféricas: construção Biconvexa Lentes Esféricas: construção PLANO-CONVEXA Lentes Esféricas: construção CÔNCAVO-CONVEXA Lentes Esféricas: construção BICÔNCAVA

Leia mais

Óptica Geométrica Ocular Séries de Exercícios 2009/2010

Óptica Geométrica Ocular Séries de Exercícios 2009/2010 Óptica Geométrica Ocular Séries de Exercícios 2009/2010 2 de Junho de 2010 Série n.1 Propagação da luz 1. A velocidade da luz amarela de sódio num determinado líquido é 1, 92 10 8 m/s. Qual o índice de

Leia mais

Física (Eletricidade e Eletromagnetismo) Automação Industrial Segundo Semestre APRESENTAÇÃO DO CURSO. Prof. Dr. Sérgio Turano de Souza

Física (Eletricidade e Eletromagnetismo) Automação Industrial Segundo Semestre APRESENTAÇÃO DO CURSO. Prof. Dr. Sérgio Turano de Souza Física (Eletricidade e Eletromagnetismo) Automação Industrial Segundo Semestre APRESENTAÇÃO DO CURSO Prof. Dr. Sérgio Turano de Souza FATEC ITAQUERA Faculdade de Tecnologia de Itaquera Prof. Miguel Reale

Leia mais

Biofísica Bacharelado em Biologia

Biofísica Bacharelado em Biologia Biofísica Bacharelado em Biologia Prof. Dr. Sergio Pilling PARTE A Capítulo 4 Luz como uma onda, refração, polarização, difracão e interferência. Formação de imagens e instrumentos óticos. Objetivos: Nesta

Leia mais

SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 4 PROBABILIDADE E GEOMETRIA

SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 4 PROBABILIDADE E GEOMETRIA SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 4 PROBABILIDADE E GEOMETRIA Leitura e Análise de Texto O π e a agulha de Buffon O estudo da probabilidade, aparentemente, não tem uma ligação direta com a Geometria. A probabilidade

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE CIÊNCIAS INTEGRADAS DO PONTAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE CIÊNCIAS INTEGRADAS DO PONTAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE CIÊNCIAS INTEGRADAS DO PONTAL Física Experimental IV Lentes Delgadas Objetivo Determinar as distâncias focais de lentes delgadas convergentes e divergentes.

Leia mais

ELECTRÓNICA I. APARELHOS DE MEDIDA Guia de Montagem do Trabalho Prático

ELECTRÓNICA I. APARELHOS DE MEDIDA Guia de Montagem do Trabalho Prático Escola de Engenharia Dep. Electrónica Industrial 1/8 APARELHOS DE MEDIDA Guia de do Trabalho Prático 1. O OSCILOSCÓPIO OBJECTIVO Familiarização com os instrumentos a usar nos trabalhos práticos posteriores

Leia mais

Física: Óptica. c) preto. d) violeta. e) vermelho. Resp.: c. Questões de treinamento para a banca Cesgranrio elaborada pelo prof.

Física: Óptica. c) preto. d) violeta. e) vermelho. Resp.: c. Questões de treinamento para a banca Cesgranrio elaborada pelo prof. Física: Óptica Questões de treinamento para a banca Cesgranrio elaborada pelo prof. Alex Regis Questão 01 Com relação às afirmações: I. A luz amarelada e a luz verde têm a mesma freqüência. II. No interior

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS 1º ANO ACADÊMICO PROF. FELIPE KELLER TURMAS: 1C01 a 1C10 Lista para a prova da 1UL

LISTA DE EXERCÍCIOS 1º ANO ACADÊMICO PROF. FELIPE KELLER TURMAS: 1C01 a 1C10 Lista para a prova da 1UL LISTA DE EXERCÍCIOS 1º ANO ACADÊMICO PROF. FELIPE KELLER TURMAS: 1C01 a 1C10 Lista para a prova da 1UL 1 (Unirio) Durante a final da Copa do Mundo, um cinegrafista, desejando alguns efeitos especiais,

Leia mais

ÓPTICA GEOMÉTRICA. Lista de Problemas

ÓPTICA GEOMÉTRICA. Lista de Problemas Universidade Federal do Rio Grande do Sul Instituto de Física Departamento de Física FIS01044 UNIDADE II ÓPTICA GEOMÉTRICA Lista de Problemas Problemas extraídos de HALLIDAY, D., RESNICK, R., WALKER, J.

Leia mais

Avaliação Teórica II Seleção Final 2015 Olimpíadas Internacionais de Física 16 de Abril 2015

Avaliação Teórica II Seleção Final 2015 Olimpíadas Internacionais de Física 16 de Abril 2015 Caderno de Questões Teoria II Instruções 1. Este caderno de questões contém NOVE folhas, incluindo esta com as instruções. Confira antes de começar a resolver a prova. 2. A prova é composta por QUATRO

Leia mais

Comprovar na prática, através das experiências, a veracidade das duas leis de Ohm.

Comprovar na prática, através das experiências, a veracidade das duas leis de Ohm. Disciplina: Experiência: Eletricidade e Magnetismo Leis de Ohm Objetivo Comprovar na prática, através das experiências, a veracidade das duas leis de Ohm. Introdução Teórica Georg Simon Ohm (1857 1854)

Leia mais

FÍSICA. Prof. Luis Campos AULA 1

FÍSICA. Prof. Luis Campos AULA 1 FÍSICA Prof. Luis Campos AULA 1 1. Do fundo de um poço, um observador de altura desprezível contempla um avião, que está 500 m acima de seus olhos. No instante em que a aeronave passa sobre a abertura

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE SENSORES CAPACITIVOS PARA MEDIR UMIDADE DO SOLO.

UTILIZAÇÃO DE SENSORES CAPACITIVOS PARA MEDIR UMIDADE DO SOLO. UTILIZAÇÃO DE SENSORES CAPACITIVOS PARA MEDIR UMIDADE DO SOLO. Silveira, Priscila Silva; Valner Brusamarello. Universidade Federal do Rio Grande do Sul UFRGS Av. Osvaldo Aranha, 103 - CEP: 90035-190 Porto

Leia mais

1. Analisa a seguinte imagem e responde às questões que se seguem:

1. Analisa a seguinte imagem e responde às questões que se seguem: C.F.Q. 8ºA Outubro 1 1. Analisa a seguinte imagem e responde às questões que se seguem: 1.1. Qual é o detetor de luz? O olho. 1.2. Qual é o recetor de luz? A bola. 1.3. De que cor veremos a bola se ela

Leia mais

Aplicações Diferentes Para Números Complexos

Aplicações Diferentes Para Números Complexos Material by: Caio Guimarães (Equipe Rumoaoita.com) Aplicações Diferentes Para Números Complexos Capítulo II Aplicação 2: Complexos na Geometria Na rápida revisão do capítulo I desse artigo mencionamos

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Considerando a interdependência das várias áreas de conhecimento dentro da Física, julgue os itens a seguir. 61 A temperatura de um cubo de gelo a 0 ºC, ao ser colocado em um

Leia mais

Atividade experimental - Tema: Luz

Atividade experimental - Tema: Luz 1 Problema: As plantas precisam de luz? 1. Nesta experiência desafiamos-te a observar uma planta aquática a produzir bolhinhas de oxigénio graças à luz que nelas incide. Observa a instalação e regista

Leia mais

Disciplina: FÍSICA 3º Trimestre Ensino Médio

Disciplina: FÍSICA 3º Trimestre Ensino Médio Disciplina: FÍSICA 3º Trimestre Ensino Médio Nome: Nº.: Série: 2ª Turma: Data: /10/2012 Professora BERENICE HELENA WIENER STENSMANN Assunto: Revisando polígrafos 11, e12 COM GABARITO 01 - (UFC CE) O índice

Leia mais

Formação de imagens por superfícies esféricas

Formação de imagens por superfícies esféricas UNIVESIDADE FEDEAL DO AMAZONAS INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS DEPATAMENTO DE FÍSICA Laboratório de Física Geral IV Formação de imagens por superfícies esféricas.. Objetivos:. Primeira parte: Espelho Côncavo

Leia mais

TEORIA 08/12/2014. Reflexão. Refração INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO REFLEXÃO E REFRACÃO RAIOS INTRODUÇÃO 1 1 = 2 2 O ÍNDICE DE REFRAÇÃO

TEORIA 08/12/2014. Reflexão. Refração INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO REFLEXÃO E REFRACÃO RAIOS INTRODUÇÃO 1 1 = 2 2 O ÍNDICE DE REFRAÇÃO ÍNDICE DE REFRAÇÃ INTRDUÇÃ Ótica Lentes Esféricos DEFIJI Semestre204-2 Quando a luz passa de um meio para outro, sua velocidade aumenta ou diminui devido as diferenças das estruturas atômicas das duas

Leia mais

O que é uma lente esférica?

O que é uma lente esférica? O que é uma lente esférica? É um sistema constituído de dois dioptros esféricos ou um dioptro esférico e um plano, nos quais a luz sofre duas refrações consecutivas. Classificação das lentes 1. Quanto

Leia mais

1 Circuitos Pneumáticos

1 Circuitos Pneumáticos 1 Circuitos Pneumáticos Os circuitos pneumáticos são divididos em várias partes distintas e, em cada uma destas divisões, elementos pneumáticos específicos estão posicionados. Estes elementos estão agrupados

Leia mais

Atira mais em cima! O pessoal está reunido na casa de Gaspar e

Atira mais em cima! O pessoal está reunido na casa de Gaspar e A U A UL LA Atira mais em cima! O pessoal está reunido na casa de Gaspar e Alberta. O almoço acabou e todos conversam em torno da mesa. - Eu soube que você está interessado em ótica - diz Gaspar a Ernesto.

Leia mais

)tvlfd,, 0,(QJ4XtPLFD. ²ž6HPHVWUH ÐSWLFD

)tvlfd,, 0,(QJ4XtPLFD. ²ž6HPHVWUH ÐSWLFD )tvlfd,, 0,(QJ4XtPLFD Óptica Geométrica ²ž6HPHVWUH ÐSWLFD Exercício 1: Um feixe de luz cujo comprimento de onda é 650 nm propaga-se no vazio. a) Qual é a velocidade da luz desse feixe ao propagar-se num

Leia mais

Apostila de Física 39 Lentes Esféricas

Apostila de Física 39 Lentes Esféricas Apostila de Física 39 Lentes Esféricas 1.0 Definições Lente Sistemas ópticos de maior importância em nossa civilização. Lente esférica Sistema óptico constituído por 3 meios homogêneos e transparentes

Leia mais

Kit de ótica. Material. Montagem

Kit de ótica. Material. Montagem Som, Luz e Materiais Kit de ótica Um pouco de história Embora as propriedades óticas de ampliação e redução de objetos convexos e côncavos transparentes fossem conhecidas desde a Antiguidade, as lentes,

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE INSTRUMENTOS ÓTICOS

ASSOCIAÇÃO DE INSTRUMENTOS ÓTICOS ASSOCIAÇÃO DE INSTRUMENTOS ÓTICOS Neste artigo, a Equipe SEI aborda um assunto que é bastante cobrado nos concursos militares: a associação de instrumentos óticos. Você encontrará um resumo teórico, dois

Leia mais

MATRIZ DE REFERÊNCIA COMPONENTE CURRICULAR:

MATRIZ DE REFERÊNCIA COMPONENTE CURRICULAR: I. MECÂNICA Conteúdo 1. Introdução à Física - Sistemas métricos. Conversão de unidades de medida. Notação científica. Ordem de grandeza. Operações com algarismos significativos. Regras de arredondamento.

Leia mais

Imagens ópticas (1)ë - Dióptros

Imagens ópticas (1)ë - Dióptros Imagens ópticas (1)ë - Dióptros Dióptros Dióptro : sistema óptico constituído por dois meios transparentes homogéneos, separados por uma superfície bem definida. Se a superfície de separação é plana, chama-se-lhe

Leia mais

Lista de Óptica ESPELHOS ESFÉRICOS. João Paulo I

Lista de Óptica ESPELHOS ESFÉRICOS. João Paulo I Lista de Óptica ESPELHOS ESFÉRICOS 1) Assinale a alternativa que preenche corretamente as lacunas do enunciado abaixo, na ordem em que aparecem. Para que os seguranças possam controlar o movimento dos

Leia mais

Aluno: Disciplina: FÍSICA. Data: ELETROSTÁTICA

Aluno: Disciplina: FÍSICA. Data: ELETROSTÁTICA LISTA DE EXERCÍCIOS ELETRICIDADE ENSINO MÉDIO Aluno: Série: 3 a Professor: EDUARDO Disciplina: FÍSICA Data: ELETROSTÁTICA 1) (Unicamp-SP) Duas cargas elétricas Q 1 e Q 2 atraem-se quando colocadas próximas

Leia mais

MÓDULO DE RECUPERAÇÃO

MÓDULO DE RECUPERAÇÃO DISCIPLINA Física II 2º ANO ENSINO MÉDIO MÓDULO DE RECUPERAÇÃO ALUNO(A) Nº TURMA TURNO Manhã 1º SEMESTRE DATA / / 01- A figura representa um feixe de raios paralelos incidentes numa superfície S e os correspondentes

Leia mais

Conteúdo programático por disciplina Matemática 6 o ano

Conteúdo programático por disciplina Matemática 6 o ano 60 Conteúdo programático por disciplina Matemática 6 o ano Caderno 1 UNIDADE 1 Significados das operações (adição e subtração) Capítulo 1 Números naturais O uso dos números naturais Seqüência dos números

Leia mais

PLANIFICAÇÕES. Módulo F3 Luz e PowerPoint; 10h (12 sessões Avaliação

PLANIFICAÇÕES. Módulo F3 Luz e PowerPoint; 10h (12 sessões Avaliação PLANIFICAÇÕES CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE MULTIMÉDIA PLANIFICAÇÃO DA DISCIPLINA DE FÍSICA 10º ANO DE ESCOLARIDADE MATERIAIS MODALIDADES METAS/OBJETIVOS ATIVIDADES E ESTRATÉGIAS CURRICULARES E DE PROGRAMÁTICOS

Leia mais

ÓPTICA. Conceito. Divisões da Óptica. Óptica Física: estuda os fenômenos ópticos que exigem uma teoria sobre a natureza das ondas eletromagnéticas.

ÓPTICA. Conceito. Divisões da Óptica. Óptica Física: estuda os fenômenos ópticos que exigem uma teoria sobre a natureza das ondas eletromagnéticas. ÓPTICA Conceito A óptica é um ramo da Física que estuda os fenomenos relacionados a luz ou, mais amplamente, a radiação eletromagnética, visível ou não. A óptica explica os fenômenos de reflexão, refração

Leia mais

TIPOS DE REFLEXÃO Regular Difusa

TIPOS DE REFLEXÃO Regular Difusa Reflexão da luz TIPOS DE REFLEXÃO Regular Difusa LEIS DA REFLEXÃO RI = raio de luz incidente i normal r RR = raio de luz refletido i = ângulo de incidência (é formado entre RI e N) r = ângulo de reflexão

Leia mais

ÓPTICA GEOMÉTRICA MENU DE NAVEGAÇÃO. LENTES ESFÉRICAS LENTES CONVERGENTES Elementos

ÓPTICA GEOMÉTRICA MENU DE NAVEGAÇÃO. LENTES ESFÉRICAS LENTES CONVERGENTES Elementos ÓPTICA GEOMÉTRICA MENU DE NAVEGAÇÃO Clique em um item abaixo para iniciar a apresentação LENTES ESFÉRICAS LENTES CONVERGENTES Elementos Propriedades Construção Geométrica de Imagens LENTES DIVERGENTES

Leia mais

www.e-lee.net Temática Circuitos Eléctricos Capítulo Teoria dos Circuitos DIPOLO ELÉCTRICO INTRODUÇÃO

www.e-lee.net Temática Circuitos Eléctricos Capítulo Teoria dos Circuitos DIPOLO ELÉCTRICO INTRODUÇÃO Temática Circuitos Eléctricos Capítulo Teoria dos Circuitos DIPOLO ELÉCTRICO INTRODUÇÃO Nesta secção, introduz-se a noção de dipolo eléctrico, define-se corrente eléctrica i que o percorre e tensão u aos

Leia mais

Módulo VI Luz e Príncipios da Óptica Geométrica

Módulo VI Luz e Príncipios da Óptica Geométrica Módulo VI Luz e Príncipios da Óptica Geométrica Luz: O omem sempre necessitou de luz para enxergar as coisas a seu redor: luz do Sol, de toca, de vela, de lâmpada. Mas afinal, o que é luz? Luz : é uma

Leia mais

VNT. Manual de Instruções. VISOR DE NÍVEL Tipo Transparente TECNOFLUID

VNT. Manual de Instruções. VISOR DE NÍVEL Tipo Transparente TECNOFLUID Português VNT VISOR DE NÍVEL Tipo Transparente Manual de Instruções Leia este manual atentamente antes de iniciar a operação do seu aparelho. Guarde-o para futuras consultas. Anote o modelo e número de

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO PARÁ FÍSICA PROSEL/PRISE 1ª ETAPA 1 MECÂNICA COMPETÊNCIAS

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO PARÁ FÍSICA PROSEL/PRISE 1ª ETAPA 1 MECÂNICA COMPETÊNCIAS 1.1 Conceitos fundamentais: Posição, deslocamento, velocidade e aceleração. 1.2 Leis de Newton e suas Aplicações. 1.3 Trabalho, energia e potência. 1.4 Momento linear e impulso. UNIVERSIDADE DO ESTADO

Leia mais

PROF.: PAULO GOMES MATÉRIA: STR1 MOURA LACERDA

PROF.: PAULO GOMES MATÉRIA: STR1 MOURA LACERDA PROF.: PAULO GOMES MATÉRIA: STR1 MOURA LACERDA TEORIA Princípios básicos de transmissão a. Sinais de radiofreqüência (RF) Possuem freqüências acima de 100 KHz e são usados pelas emissoras para transportar

Leia mais

DEFIJI Semestre2014-1 10:07:19 1 INTRODUÇÃO

DEFIJI Semestre2014-1 10:07:19 1 INTRODUÇÃO 1 DEFIJI Semestre2014-1 Ótica Lentes Esféricos Prof. Robinson 10:07:19 1 O ÍNDICE DE REFRAÇÃO INTRODUÇÃO Quando a luz passa de um meio para outro, sua velocidade aumenta ou diminui devido as diferenças

Leia mais

Exercícios Visão Humana -1.

Exercícios Visão Humana -1. Exercícios Visão Humana -1. 1. Para que alguém, com o olho normal, possa distinguir um ponto separado de outro, é necessário que as imagens desses pontos, que são projetadas em sua retina, estejam separadas

Leia mais

Circuitos eléctricos Profª Helena Lança Ciências Físico-Química 9ºano

Circuitos eléctricos Profª Helena Lança Ciências Físico-Química 9ºano Profª Helena Lança Ciências Físico-Química 9ºano Um circuito eléctrico é um caminho por onde passa a corrente eléctrica. É constituído obrigatoriamente por um gerador e um receptor, podendo-se também intercalar

Leia mais

REFLEXÃO DA LUZ: ESPELHOS 412EE TEORIA

REFLEXÃO DA LUZ: ESPELHOS 412EE TEORIA 1 TEORIA 1 DEFININDO ESPELHOS PLANOS Podemos definir espelhos planos como toda superfície plana e polida, portanto, regular, capaz de refletir a luz nela incidente (Figura 1). Figura 1: Reflexão regular

Leia mais

A disciplina de Eletricidade Geral garante ao educando subsídios para o entendimento das grandezas elétricas e seus fenômenos.

A disciplina de Eletricidade Geral garante ao educando subsídios para o entendimento das grandezas elétricas e seus fenômenos. I. Dados Identificadores Curso Tecnologia em Mecatrônica Industrial Disciplina Eletricidade Geral Professor Rogério Campos Semestre / Módulo Eletricidade Período Noturno Módulo 3GMTECA Carga Horária Semanal:

Leia mais

Carga elétrica, condutores e isolantes, unidades de medida, v, i, potência e energia

Carga elétrica, condutores e isolantes, unidades de medida, v, i, potência e energia Carga elétrica, condutores e isolantes, unidades de medida, v, i, potência e energia 1) Uma minúscula esfera de metal que contém 1,075.10²² átomos está com uma falta de elétrons de 3,12.10 18 elétrons.

Leia mais