7 Teste de Hipóteses

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "7 Teste de Hipóteses"

Transcrição

1 7 Teste de Hipóteses 7-1 Aspectos Gerais 7-2 Fundamentos do Teste de Hipóteses 7-3 Teste de uma Afirmação sobre a Média: Grandes Amostras 7-4 Teste de uma Afirmação sobre a Média : Pequenas Amostras 7-5 Teste de uma Afirmação sobre uma Proporção 1

2 7-1 Aspectos Gerais Definição Hipótese Em Estatística, é uma alegação ou afirmação sobre uma propriedade de uma população 2

3 Regra do Evento Raro para Inferência Estatística Analisar uma amostra para distinguir entre resultados que podem ocorrer facilmente e os que dificilmente ocorrem. A ocorrência de resultados altamente improváveis pode ser explicada pela ocorrência efetiva de um evento raro, ou de que nossa suposição não está correta. 3

4 7-2 Fundamentos do Teste de Hipóteses 4

5 Figura 7-1 Teorema Central do Limite Distribuição Esperada de Médias Amostrais Supondo µ = 98,6 Dados amostrais: z = - 6,64 ou x = 98,20 Médias amostrais prováveis µ x = 98,6 z = - 1,96 ou x = 98,48 z = 1,96 ou x = 98,72 5

6 Componentes de um Teste de Hipóteses Formal 6

7 Hipótese Nula: H 0 Afirmação sobre valor de parâmetro populacional Deve conter a condição de igualdade =,, ou Testar a Hipótese Nula diretamente Rejeitar H 0 ou não rejeitar H 0 7

8 Hipótese Alternativa: H 1 Deve ser verdadeira se H 0 é falsa, <, > oposto da Hipótese Nula. 8

9 Nota sobre a Indicação de suas Próprias Afirmações (Hipóteses) Se você está fazendo uma pesquisa e deseja usar um teste de hipótese para apoiar sua afirmação, esta afirmação deve ser formulada de maneira que se torne a hipótese alternativa (hipótese de pesquisa). 9

10 Nota sobre o Teste de Validade de uma Afirmação Alheia A afirmação original às vezes se torna a hipótese nula (porque contém a igualdade) e por vezes passa a ser a hipótese alternativa (porque não contém a desigualdade). 10

11 Estatística de Teste um valor baseado nos dados amostras que é usado para tomar uma decisão sobre a rejeição da hipótese nula. para grandes amostras, testando afirmações sobre médias populacionais z = x - µ x σ n 11

12 Região Crítica Conjunto de todos os valores da estatística de teste que levam à rejeição da hipótese nula Região Crítica 12

13 Nível de Significância denotado por α é a probabilidade de rejeitar a Hipótese Nula quando ela é verdadeira. são comuns as escolhas 0,05; 0,01 e 0,10. (É tipicamente predeterminado) 13

14 Valores Críticos Valor, ou valores, que separa(m) a região crítica dos valores da estatística de teste que não levam à rejeição da hipótese nula. Rejeita H 0 Não rejeita H 0 Valor Crítico (escore z ) 14

15 Teste Bilateral, Unilateral Esquerdo, Unilateral Direito As caudas em uma distribuição são as regiões extremas delimitadas por valores críticos. 15

16 Teste Bilateral H 0 : µ = 100 H 1 : µ 100 α é dividido igualmente entre as duas caudas da região crítica Significa menor ou maior que Rejeita H 0 Não Rejeita H 0 Rejeita H Valores que são significativamente distantes de

17 Teste Unilateral Direito H 0 : µ 100 H 1 : µ > 100 Pontos à direita Não rejeita H 0 Rejeita H Valores que são significativamente distantes de

18 Teste Unilateral Esquerdo Pontos à Esquerda H 0 : µ 100 H 1 : µ < 100 Rejeita H 0 Não rejeita H 0 Valores que são significativamente distantes de

19 Conclusões no Teste de Hipóteses Testar sempre a hipótese nula 1. Rejeitar a hipótese nula H 0 2. Não rejeitar a hipótese nula H 0 É necessário formular corretamente a conclusão final. Veja Figura

20 FIGURA 7-4 Terminologia das Conclusões Finais Início A afirmação original contém a condição de igualdade? Sim (A afirmação original contém a igualdade e se torna H 0 ) Não (A afirmação original não contém a igualdade e se torna H 1 ) Rejeitar H 0? Sim (Rejeitar H 0 ) Não (Não rejeitar H 0 ) Rejeitar H 0? Sim (Rejeitar H 0 ) Não (Não rejeitar H 0 ) Há evidência suficiente para garantir a rejeição da afirmação de que... (afirmação original). Não há evidência suficiente para garantir a rejeição da afirmação de que... (afirmação original). Os dados amostrais apóiam a afirmação de que...(afirmação original). Não há evidência amostral para apoiar a afirmação de que... (afirmação original). (Único caso em que a afirmação original é rejeitada). (Único caso em que a afirmação original é apoiada 20

21 Aceitar versus Não Rejeitar alguns textos usam aceitar a hipótese nula devemos reconhecer que não estamos provando a hipótese nula estamos dizendo que a evidência amostral não é forte o suficiente para recomendar a rejeição da hipótese nula (tal como um júri decidir que não há evidência suficiente para condenar um acusado) 21

22 Erro Tipo I O erro de rejeitar a hipótese nula quando ela é verdadeira. α (alfa) é usado para representar a probabilidade de um erro tipo I. Exemplo: Rejeitar a afirmação de que a temperatura do corpo é 37ºC, quando aquela média é, de fato, 37ºC. 22

23 Erro Tipo II Erro de não rejeitar a hipótese nula quando ela é falsa. ß (beta) é usado para representar a probabilidade de um erro tipo II. Exemplo: Não rejeitar a afirmação de que a temperatura do corpo é 37ºC, quando aquela é, de fato, falsa (a média não é 37ºC). 23

24 Tabela 7-2 Erros Tipo I e Tipo II Verdadeiro Estado da Natureza A hipótese nula é verdadeira A hipótese nula é falsa Erro tipo I Decisão Decidimos rejeitar a hipótese nula Não rejeitamos a hipótese nula (rejeição de uma H 0 verdadeira) α Decisão correta Decisão correta Erro tipo II (não rejeição de uma H o falsa) β 24

25 Controle dos Erros Tipo I e Tipo II Para α fixo, um aumento do tamanho n da amostra ocasiona uma redução de β. Para um tamanho n, fixo, de amostra, uma diminuição de α acarreta um aumento de β. Reciprocamente, um aumento de α acarreta a diminuição de β. Para reduzir α e β, deve-se aumentar o tamanho da amostra. 25

26 Definição Poder de um Teste de Hipóteses é a probabilidade (1 - β ) de rejeitar um hipótese nula falsa, que é calculada através de um particular nível de significância α e um particular valor de média que é uma alternativa para o valor suposto verdadeiro na hipótese nula. 26

27 7-3 Teste de uma Afirmação sobre uma Média: Grandes Amostras 27

28 Três Métodos Discutidos 1) Método tradicional 2) Método do valor P 3) Intervalos de confiança 28

29 Hipóteses para testar afirmações sobre média populacional 1) A amostra é uma amostra aleatória simples. 2) A amostra é grande (n > 30). a) Aplica-se o Teorema Central do Limite b) Pode-se usar a distribuição normal 3) Se σ é desconhecido, podemos utilizar o desvio-padrão amostral s como uma estimativa para σ. 29

30 Estatística de Teste para Afirmações sobre µ quando n > 30 x - µ x z = σ n O método tradicional (ou clássico) do teste de hipóteses converte uma estatística amostral importante, em uma estatística de teste que é comparada com um valor crítico. 30

31 Método Tradicional (ou Clássico) de Teste de Hipóteses Figura Identificar a afirmação ou hipótese específica a ser testada e colocá-la em forma simbólica. 2. Dar a forma simbólica que deve ser verdadeira quando a afirmação original é falsa. 3. Das 2 expressões simbólicas obtidas até agora, a hipótese nula H0 é a que contém a condição de igualdade. H1 é a outra afirmação. 4. Escolher o nível de significância α com base na gravidade de um erro tipo I. Tomar α pequeno se as conseqüências da rejeição de uma H0 verdadeira são sérias. São muito comuns os valores de 0,05 e 0, Identificar a estatística relevante para este teste e determinar sua distribuição amostral. 6. Determinar a estatística de teste, os valores críticos e a região crítica. Esboçar um gráfico e incluir a estatística de teste, o(s) valor(es) crítico(s) e a região crítica. 7. Rejeitar H0 se a estatística de teste está na região crítica. Não rejeitar H0 se a estatística de teste não está na região crítica. 8. Reformular a decisão precedente em termos simples, não-técnicos. (Ver Figura 7-4) 31

32 Critério de Decisão (Passo 7) Rejeitar a hipótese nula se a estatística de teste está na região crítica Não rejeitar a hipótese nula se a estatística de teste não está na região crítica. 32

33 Método do Valor P para o Teste de Hipóteses Similar ao método tradicional a principal diferença é a maneira pela qual é tomada a decisão para rejeitar a hipótese nula. o procedimento encontra a probabilidade (Valor P) de obter um resultado e rejeita-se a hipótese nula se esta probabilidade é muito baixa. 33

34 Método do Valor P para o Teste de Hipóteses Definição Valor P (ou valor de probabilidade) é a probabilidade de obter um valor da estatística amostral de teste no mínimo tão extremo como o que resulta dos dados amostrais, na suposição de a hipótese nula ser verdadeira. 34

35 Valor P Valores P pequenos (tais como 0,05 ou menor) Interpretação Resultados amostrais incomuns. Diferença significante da hipótese nula. Valores P grandes (acima de 0,05 ) Os resultados amostrais não são incomuns. Não é uma diferença significante da hipótese nula. 35

36 Figura 7-8 Determinação dos Valores P Início Unilateral esquerdo Que tipo de teste? Bilateral Unilateral direito Valor P = área à esquerda da estatística de teste À esquerda Valor P = 2 vezes a área à esquerda da estatística de teste A estatística de teste está à direita ou à esquerda do centro? À direita Valor P = 2 vezes a área à direita da estatística de teste Valor P = área à direita da estatística de teste Valor P Valor P é duas vezes esta área Valor P é duas vezes esta área Valor P µ µ Estatística de teste Estatística de teste µ Estatística de teste µ Estatística de teste 36

37 Procedimento é o mesmo, exceto para os passos 6 e 7 Passo 6: Achar o valor P (como mostrado na Figura 7-8) Passo 7: Reportar o valor P. Rejeitar a hipótese nula se o valor P é no máximo igual ao nível de significância α. Não rejeitar a hipótese nula se o valor P é maior do que o nível de significância α. 37

38 Teste de Afirmações com Intervalos de Confiança Uma estimativa intervalar de um parâmetro populacional contém os valores prováveis daquele parâmetro. Devemos, por conseguinte, rejeitar uma afirmação de que o parâmetro populacional tenha um valor que não está compreendido no intervalo de confiança. 38

39 Razão Subjacente do Teste de Hipóteses Se, sob uma dada suposição observada, a probabilidade de obtermos a amostra é excepcionalmente pequena, concluímos que a suposição provavelmente não é correta. Ao testarmos uma afirmação, fazemos uma suposição (hipótese nula) que contém a igualdade. Comparamos então a suposição com os dados amostrais, e formulamos uma das conclusões seguintes: 39

40 Razão Subjacente do Teste de Hipóteses Se os resultados amostrais podem ocorrer facilmente quando a suposição (hipótese nula) é verdadeira, atribuímos ao acaso a discrepância relativamente pequena entre a suposição e os resultados amostrais. Se os resultados amostrais não são susceptíveis de ocorrer com facilidade quando a suposição (hipótese nula) é verdadeira, explicamos a discrepância relativamente grande entre a suposição e os resultados amostrais concluindo que a suposição não é verdadeira. 40

41 7-4 Teste de uma Afirmação sobre uma Média: Pequenas Amostras 41

42 Hipóteses para testar afirmação sobre média populacional 1) A amostra é uma amostra aleatória simples. 2) A amostra é pequena (n 30). 3) O valor do desvio-padrão populacional σ é desconhecido. 4) A população original tem distribuição essencialmente normal. 42

43 Estatística de Teste para uma Distribuição t- Student t = x -µ x s n Valores tabelados Valores Críticos Graus de liberdade = n -1 Valores t críticos à esquerda da média são negativos. 43

44 Propriedades Importantes da Distribuição t de Student 1. A distribuição t de Student é diferente para cada tamanho de amostra. 2. A distribuição t de Student tem a mesma forma geral de sino da distribuição normal. Sua forma mais aberta reflete a maior variabilidade esperada em pequenas amostras. 3. A distribuição t de Student tem média t = 0 (tal como a distribuição normal padronizada que tem média z = 0). 4. O desvio-padrão da distribuição t de Student varia com o tamanho da amostra, e é maior do que 1 (ao contrário da distribuição normal padronizada, em que σ = 1). 5. À medida que o tamanho n da amostra aumenta, a distribuição t de Student se aproxima da distribuição normal. Para valores de n > 30, as diferenças são tão pequenas que podemos usar os valores críticos z em lugar de elaborar uma tabela muito maior de valores críticos de t. (Os valores na base da Tabela A-3 são iguais aos valores críticos z correspondentes da distribuição normal padronizada.) 44

45 Figura 7-11 Escolha entre a Distribuição Normal e a Distribuição t ao Testar uma Afirmação sobre a Média Populacional µ Início Use a distribuição normal com n > 30? Não Sim x - µ Z = x σ/ n (Se σ é desconhecido, use s.) A distribuição da população é essencialmente normal? (Trace um histograma.) Não Use métodos não-paramétricos, que não exijam uma distribuição normal. Sim σ é conhecido? Não Use a distribuição t de Student com x - µ t x = s/ n Use a distribuição normal com x - µ Z = x σ/ n (Este caso é raro.) 45

46 7-5 Teste de uma Afirmação sobre uma Proporção 46

47 Hipóteses para testar afirmação sobre proporção populacional 1) A amostra é uma amostra aleatória simples. 2) São verificadas as condições para um experimento binomial. 3) As condições np 5 e n(1-p) 5 são ambas satisfeitas, de modo que a distribuição binomial das proporções amostrais pode ser aproximada por uma distribuição normal com µ = np e σ = np(1-p) 47

48 Notação n = número de provas p = x/n (proporção amostral) p = proporção populacional (usada na hipótese nula) q = 1 - p 48

49 Estatística para Teste de uma Afirmação sobre uma Proporção p - p z = pq n 49

50 Método do Valor P Conforme descrito anteriormente Rejeitar a hipótese nula se o valor P é menor ou igual ao nível de significância α. 50

51 p algumas vezes é dado diretamente 10% dos carros esportes observados são vermelhos está expresso como p = 0,10 p algumas vezes deve ser calculado 96 das donas de casa pesquisadas tem TV à cabo e 54 não, é calculado usando x n 96 (96+54) p = = = 0,64 51

52 Estatística para Teste de uma Afirmação sobre uma Proporção z = p - p pq n x np x - µ x - np z = = = n n = p - p σ npq npq pq n n 52

53 8 Inferências com Base em Duas Amostras 8-1 Aspectos Gerais 8-2 Inferências sobre Duas Médias: Amostras Independentes e Grandes 8-3 Inferências sobre Duas Médias: Amostras Dependentes 53

54 8-1 Aspectos Gerais Há muitas situações importantes em que se faz necessário comparar dois conjuntos de dados amostrais. 54

55 8-2 Inferências sobre Duas Médias: Amostras Independentes e Grandes 55

56 Definições Duas Amostras: Independentes Os valores amostrais escolhidos de uma população não tem qualquer relação com os valores amostrais extraídos da outra população. Se os valores de uma amostra estão relacionados com os valores de outra amostra, as amostras são dependentes. Estas amostras são freqüentemente chamadas amostras ligadas ou amostras emparelhadas. 56

57 Suposições 1. As duas amostras são independentes. 2. Os tamanhos das duas amostras são grandes. Ou seja, n 1 > 30 e n 2 > Ambas as amostras são amostras aleatórias simples. 57

58 Teste de Hipóteses Estatística de Teste para Duas Médias: Amostras Independentes e Grandes z = (x 1 - x 2 ) - (µ 1 -µ 2 ) σ2. σ n n

59 Teste de Hipóteses Estatística de Teste para Duas Médias: Amostras Independentes e Grandes σ 1 e σ 2 : P-valor: Se σ 1 e σ 2 não são conhecidos, utilizar em seu seu lugar s 1 e s 2 desde que ambas as amostras sejam grandes. Usar o valor calculado da estatística de teste z, e determinar o P-valor através do mesmo procedimento resumido na Figura 7-8. Valores críticos: Baseado no nível de significância α, determinar os valores críticos através do processo apresentado na Seção

60 Coca versus Pepsi Conjunto de dados fornece pesos (em libras) de amostras de Coca e Pepsi (regulares). As estatísticas amostrais estão mostradas abaixo. Use o nível de significância de 0,01 para testar a afirmação que o peso médio da Coca regular é diferente do peso médio da Pepsi regular. Coca Pepsi n x 0, ,82410 s 0, ,

61 Coca Versus Pepsi 61

62 Afirmação: µ 1 µ 2 H o : µ 1 = µ 2 H 1 : µ 1 µ 2 Coca Versus Pepsi α = 0,01 Rejeitar H 0 Não rejeitar H 0 Rejeitar H 0 Z = - 2,575 Z = 2,575 µ 1 - µ 2 = 0 ou Z = 0 62

63 Coca Versus Pepsi Estatística de Teste para Duas Médias: Amostras Independentes e Grandes z = (0, ,82410) - 0 0, , = - 4,63 63

64 Afirmação: µ 1 µ 2 Coca Versus Pepsi H o : µ 1 = µ 2 H 1 : µ 1 µ 2 α = 0,01 Há evidência significativa para apoiar a afirmação que há uma diferença entre os pesos médios da Coca e da Pepsi. Rejeita H 0 Não rejeita H 0 Rejeita H 0 Rejeita-se a Hipótese Nula Dados amostrais: z = - 4,63 Z = - 2,575 Z = 2,575 µ 1 - µ 2 = 0 ou Z = 0 64

65 Intervalos de Confiança (x 1 - x 2 ) - E < (µ 1 -µ 2 ) < (x 1 - x 2 ) + E onde E = z α/ 2 σ2 σ n n

66 8-3 Inferências sobre Duas Médias: Amostras Dependentes 66

67 Suposições 1. Os dados amostrais consistem de amostras emparelhadas (amostras dependentes de duas populações). 2. As amostras são amostras aleatórias simples. 3. Se o número de pares de dados amostrais é pequeno (n 30), então a população de diferenças dos valores pareados deve ser aproximadamente normalmente distribuídas. 67

68 Notação para Amostras Dependentes µ d = média das diferenças d para a população de dados emparelhados d s d n = valor médio das diferenças d para os dados amostrais emparelhados (igual à média dos valores de x - y ) = desvio-padrão das diferenças d para os dados amostrais emparelhados. = número de pares de dados. 68

69 Estatística de Teste para Dados Amostrais EmparelhadosTest Statistic for Matched Pairs of Sample Data t = d - µ d s d n onde graus de liberdade = n

70 Valores Críticos Se n 30, os valores críticos são determinados através da Tabela A-3 (distribuição t de student). Se n > 30, os valores críticos são determinados através da Tabela A- 2 (distribuição normal). 70

71 Intervalos de Confiança d - E < µ d < d + E onde E = t α/ 2 s d n graus de liberdade = n -1 71

72 Quanto Estudantes de Estatística (homens) Exageram sua Altura? Usando os dados amostrais da Tabela 8-1 (com o outlier excluído), construir uma estimativa de um intervalo de 95% de confiança de µ d, que é a média das diferenças entre as alturas relatadas pelos alunos(homens) e suas alturas medidas. 72

73 Tabela 8-1 Alturas Relatadas e Medidas (em polegadas) de Estudantes de Estatística Estudante A B C D E F G H I J K L Altura ,25 66, Relatada Altura 66,8 73,9 74,3 66,1 67,2 67,9 69,4 69,9 68,6 67,9 67,6 68,8 Medida Diferença 1,2 0,1 7,95 0,4 1,8 0,1 1,6 0,1 1,4-0,9 0,4 1,2 outlier 73

74 Quanto Estudantes de Estatística (homens) Exageram em sua Altura? d = 0, s = 0, n = 11 t α/2 = 2,228 (determinado através da Tabela A-3 com 10 graus de liberdade e 0,05 bilateral) 74

75 Quanto Estudantes de Estatística (homens) Exageram sua Altura? E = t α/ 2 s d n 0, (2,228)( ) E = 11 = 0,

76 Quanto Estudantes de Estatística (homens) Exageram sua Altura? 0,12 < µ d < 1,23 A longo prazo, 95% de tais amostras levarão a limites do intervalo de confiança que contêm efetivamente a verdadeira média populacional das diferenças. Note que os limites do intervalo de confiança não contém 0, o que indica que o verdadeiro valor de µ d é significativamente diferente de. Há evidência suficiente para apoiar a afirmação de que há diferença entre as alturas relatadas e as alturas medidas de estudantes do sexo masculino. 76

AULA 07 Inferência a Partir de Duas Amostras

AULA 07 Inferência a Partir de Duas Amostras 1 AULA 07 Inferência a Partir de Duas Amostras Ernesto F. L. Amaral 10 de setembro de 2012 Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas (FAFICH) Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) Fonte: Triola,

Leia mais

Estimação parâmetros e teste de hipóteses. Prof. Dr. Alberto Franke (48)

Estimação parâmetros e teste de hipóteses. Prof. Dr. Alberto Franke (48) Estimação parâmetros e teste de hipóteses Prof. Dr. Alberto Franke (48) 91471041 Intervalo de confiança para média É um intervalo em que haja probabilidade do verdadeiro valor desconhecido do parâmetro

Leia mais

Testes de Hipótese para uma única Amostra - parte I

Testes de Hipótese para uma única Amostra - parte I Testes de Hipótese para uma única Amostra - parte I 26 de Junho de 2014 Objetivos Ao final deste capítulo você deve ser capaz de: Estruturar problemas de engenharia como testes de hipótese. Entender os

Leia mais

Intervalos de Confiança - Amostras Pequenas

Intervalos de Confiança - Amostras Pequenas Intervalos de Confiança - Amostras Pequenas Teste de Hipóteses para uma Média Jorge M. V. Capela, Marisa V. Capela, Instituto de Química - UNESP Araraquara, SP capela@iq.unesp.br Araraquara, SP - 2016

Leia mais

DE ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICA APLICADA)

DE ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICA APLICADA) 1. Sabe-se que o nível de significância é a probabilidade de cometermos um determinado tipo de erro quando da realização de um teste de hipóteses. Então: a) A escolha ideal seria um nível de significância

Leia mais

Fernando de Pol Mayer

Fernando de Pol Mayer Fernando de Pol Mayer Laboratório de Estatística e Geoinformação (LEG) Departamento de Estatística (DEST) Universidade Federal do Paraná (UFPR) Este conteúdo está disponível por meio da Licença Creative

Leia mais

Estimativas e Tamanhos de Amostras

Estimativas e Tamanhos de Amostras Estimativas e Tamanhos de Amostras 1 Aspectos Gerais 2 Estimativa de uma Média Populacional: Grandes Amostras 3 Estimativa de uma Média Populacional: Pequenas Amostras 4 Tamanho Amostral Necessário para

Leia mais

Estatística e Probabilidade

Estatística e Probabilidade Teste de hipóteses Objetivo: Testar uma alegação sobre um parâmetro: Média, proporção, variação e desvio padrão Exemplos: - Um hospital alega que o tempo de resposta de sua ambulância é inferior a dez

Leia mais

TESTES DE HIPÓTESES. Conceitos, Testes de 1 proporção, Testes de 1 média

TESTES DE HIPÓTESES. Conceitos, Testes de 1 proporção, Testes de 1 média TESTES DE HIPÓTESES Conceitos, Testes de 1 proporção, Testes de 1 média 1 Testes de Hipóteses População Conjectura (hipótese) sobre o comportamento de variáveis Amostra Decisão sobre a admissibilidade

Leia mais

Estimação e Testes de Hipóteses

Estimação e Testes de Hipóteses Estimação e Testes de Hipóteses 1 Estatísticas sticas e parâmetros Valores calculados por expressões matemáticas que resumem dados relativos a uma característica mensurável: Parâmetros: medidas numéricas

Leia mais

TESTES DE HIPÓTESES. HIPÓTESES: São suposições que fazemos para testar a fixação de decisões, que poderão ser verdadeiras ou não.

TESTES DE HIPÓTESES. HIPÓTESES: São suposições que fazemos para testar a fixação de decisões, que poderão ser verdadeiras ou não. TESTES DE HIPÓTESES HIPÓTESES: São suposições que fazemos para testar a fixação de decisões, que poderão ser verdadeiras ou não. HIPÓTESES ESTATÍSTICA: Hipótese Nula (H 0 ): a ser validada pelo teste.

Leia mais

Testes de Hipóteses Paramétricos

Testes de Hipóteses Paramétricos Testes de Hipóteses Paramétricos Carla Henriques Departamento de Matemática Escola Superior de Tecnologia de Viseu Introdução Exemplos Testar se mais de metade da população irá consumir um novo produto

Leia mais

Capítulo 8 Teste de Hipótese. Seção 8-1 Visão Geral. Definições

Capítulo 8 Teste de Hipótese. Seção 8-1 Visão Geral. Definições Capítulo 8 Teste de Hipótese 8-1 Visão Geral 8-2 Fundamentos do Teste de Hipótese 8-3 Testando Afirmações sobre uma Proporção 8-4 Testando Afirmações sobre uma Média: σ Conhecido 8-5 Testando Afirmações

Leia mais

Teste de hipóteses. Estatística Aplicada Larson Farber

Teste de hipóteses. Estatística Aplicada Larson Farber 7 Teste de hipóteses Estatística Aplicada Larson Farber Seção 7.1 Introdução ao teste de hipóteses Uma hipótese estatística é uma alegação sobre uma população. A hipótese nula H 0 contém uma alternativa

Leia mais

INFERÊNCIA ESTATÍSTICA. ESTIMAÇÃO PARA A PROPORÇÃO POPULACIONAL p

INFERÊNCIA ESTATÍSTICA. ESTIMAÇÃO PARA A PROPORÇÃO POPULACIONAL p INFERÊNCIA ESTATÍSTICA ESTIMAÇÃO PARA A PROPORÇÃO POPULACIONAL p Objetivo Estimar uma proporção p (desconhecida) de elementos em uma população, apresentando certa característica de interesse, a partir

Leia mais

Intervalos de Confiança

Intervalos de Confiança Intervalos de Confiança INTERVALOS DE CONFIANÇA.1 Conceitos básicos.1.1 Parâmetro e estatística Parâmetro é a descrição numérica de uma característica da população. Estatística é a descrição numérica de

Leia mais

Exemplo 1: Sabemos que a média do nível sérico de colesterol para a população de homens de 20 a 74 anos é 211 mg/100ml.

Exemplo 1: Sabemos que a média do nível sérico de colesterol para a população de homens de 20 a 74 anos é 211 mg/100ml. Exemplo 1: Sabemos que a média do nível sérico de colesterol para a população de homens de 20 a 74 anos é 211 mg/100ml. O nível médio de colesterol da subpopulação de homens que são fumantes hipertensos

Leia mais

Testes de hipóteses com duas amostras CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICA APLICADA. Módulo: ESTIMATIVA E TESTE DE HIPÓTESE.

Testes de hipóteses com duas amostras CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICA APLICADA. Módulo: ESTIMATIVA E TESTE DE HIPÓTESE. CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICA APLICADA Módulo: ESTIMATIVA E TESTE DE HIPÓTESE slide Testes de hipóteses com duas amostras slide Larson/Farber 4th ed Descrição - Testar a diferença entre médias

Leia mais

HEP-5800 BIOESTATÌSTICA

HEP-5800 BIOESTATÌSTICA HEP-58 BIOESTATÌSTICA UNIDADE IV INFERÊNCIA ESTATÍSTICA: TESTES DE HIPÓTESES Nila Nunes da Silva Regina I. T. Bernal I. QUADRO CONCEITUAL São procedimentos estatísticos que consistem em usar dados de amostras

Leia mais

Testes de Hipóteses. Prof. Adriano Mendonça Souza, Dr. Departamento de Estatística - PPGEMQ / PPGEP - UFSM

Testes de Hipóteses. Prof. Adriano Mendonça Souza, Dr. Departamento de Estatística - PPGEMQ / PPGEP - UFSM Testes de Hipóteses Prof. Adriano Mendonça Souza, Dr. Departamento de Estatística - PPGEMQ / PPGEP - UFSM Testes de hipóteses O Teste de Hipótese é uma regra de decisão para aceitar ou rejeitar uma hipótese

Leia mais

Testes de Hipóteses Estatísticas

Testes de Hipóteses Estatísticas Capítulo 5 Slide 1 Testes de Hipóteses Estatísticas Resenha Hipótese nula e hipótese alternativa Erros de 1ª e 2ª espécie; potência do teste Teste a uma proporção; testes ao valor médio de uma v.a.: σ

Leia mais

Universidade Federal do Paraná Seminário de Bioestatistica. Teste de Wilcoxon. Danielle Pierin Olivia Cleto

Universidade Federal do Paraná Seminário de Bioestatistica. Teste de Wilcoxon. Danielle Pierin Olivia Cleto Universidade Federal do Paraná Seminário de Bioestatistica Teste de Wilcoxon Danielle Pierin Olivia Cleto Teste de Postos com Sinais de Wilcoxon para Pares Combinados Esse teste é usado com dados amostrais

Leia mais

Profa.: Patricia Maria Bortolon, D.Sc. Statistics for Managers Using Microsoft Excel, 5e 2008 Pearson Prentice-Hall, Inc. Chap 9-1

Profa.: Patricia Maria Bortolon, D.Sc. Statistics for Managers Using Microsoft Excel, 5e 2008 Pearson Prentice-Hall, Inc. Chap 9-1 MÉTODOS QUANTITATIVOS APLICADOS À CONTABILIDADE Profa.: Patricia Maria Bortolon, D.Sc. Statistics for Managers Using Microsoft Excel, 5e 2008 Pearson Prentice-Hall, Inc. Chap 9-1 Fundamentos de Testes

Leia mais

Conceitos Básicos Teste t Teste F. Teste de Hipóteses. Joel M. Corrêa da Rosa

Conceitos Básicos Teste t Teste F. Teste de Hipóteses. Joel M. Corrêa da Rosa 2011 O 1. Formular duas hipóteses sobre um valor que é desconhecido na população. 2. Fixar um nível de significância 3. Escolher a Estatística do Teste 4. Calcular o p-valor 5. Tomar a decisão mediante

Leia mais

Inferência Estatística Básica. Teste de Hipóteses para uma média populacional Cálculo do Valor p

Inferência Estatística Básica. Teste de Hipóteses para uma média populacional Cálculo do Valor p Inferência Estatística Básica Teste de Hipóteses para uma média populacional Cálculo do Valor p Exemplo 1 Um restaurante compra frangos abatidos inteiros com peso médio de 3 Kg há vários anos de um mesmo

Leia mais

NOÇÕES DE TESTE DE HIPÓTESES (I) Teste de hipóteses para a proporção populacional

NOÇÕES DE TESTE DE HIPÓTESES (I) Teste de hipóteses para a proporção populacional NOÇÕES DE TESTE DE HIPÓTESES (I) Teste de hipóteses para a proporção populacional Métodos Estatísticos Métodos Estatísticos Estatística Descritiva Inferência Estatística Estimação Teste de Hipóteses TESTE

Leia mais

PODER DO TESTE. Poder do Teste e Tamanho de Amostra para Testes de Hipóteses

PODER DO TESTE. Poder do Teste e Tamanho de Amostra para Testes de Hipóteses PODER DO TESTE Poder do Teste e Tamanho de Amostra para Testes de Hipóteses 1 Tipos de erro num teste estatístico Realidade (desconhecida) Decisão do teste aceita H rejeita H H verdadeira decisão correta

Leia mais

Distribuição T - Student. Prof. Herondino S. F.

Distribuição T - Student. Prof. Herondino S. F. Distribuição T - Student Prof. Herondino S. F. Distribuição T-Student A distribuição T de Student é uma distribuição de probabilidade estatística, publicada por um autor que se chamou de Student, pseudônimo

Leia mais

Teste de Hipótese e Intervalo de Confiança

Teste de Hipótese e Intervalo de Confiança Teste de Hipótese e Intervalo de Confiança Suponha que estamos interessados em investigar o tamanho da ruptura em um músculo do ombro... para determinar o tamanho exato da ruptura, é necessário um exame

Leia mais

rio de Guerra Eletrônica EENEM 2008 Estatística stica e Probabilidade 1/59

rio de Guerra Eletrônica EENEM 2008 Estatística stica e Probabilidade 1/59 ITA - Laboratório rio de Guerra Eletrônica EENEM 2008 Estatística stica e Probabilidade Aula 06: Intervalo de Confiança e Teste de Hipótese 1/59 população probabilidade (dedução) inferência estatística

Leia mais

1. Hipótese nula H0 é uma hipótese que contém uma afirmação de igualdade, tal como, = ou.

1. Hipótese nula H0 é uma hipótese que contém uma afirmação de igualdade, tal como, = ou. Aula 8 Testes de hipóteses Introdução Teste de hipótese é um processo que usa estatísticas amostrais para testar a afirmação sobre o valor de um parâmetro populacional. Pesquisas em campos tais como medicina,

Leia mais

Inferência Estatística. Teoria da Estimação

Inferência Estatística. Teoria da Estimação Inferência Estatística Teoria da Estimação Os procedimentos básicos de inferência Estimação: usamos o resultado amostral para estimar o valor desconhecido do parâmetro Teste de hipótese: usamos o resultado

Leia mais

PROJETO E ANÁLISES DE EXPERIMENTOS (PAE) INTRODUÇÃO AOS MÉTODOS ESTATÍSTICOS EM ENGENHARIA

PROJETO E ANÁLISES DE EXPERIMENTOS (PAE) INTRODUÇÃO AOS MÉTODOS ESTATÍSTICOS EM ENGENHARIA PROJETO E ANÁLISES DE EXPERIMENTOS (PAE) INTRODUÇÃO AOS MÉTODOS ESTATÍSTICOS EM ENGENHARIA VARIABILIDADE NA MEDIDA DE DADOS CIENTÍFICOS Se numa pesquisa, desenvolvimento de um processo ou produto, o valor

Leia mais

7. Testes de Hipóteses

7. Testes de Hipóteses 7. Testes de Hipóteses Suponha que você é o encarregado de regular o engarrafamento automatizado de leite numa determinada agroindústria. Sabe-se que as máquinas foram reguladas para engarrafar em média,

Leia mais

TESTES DE HIPÓTESES. O procedimento básico de um teste de hipóteses pode ser decomposto em quatro fases: i) Definição das hipóteses.

TESTES DE HIPÓTESES. O procedimento básico de um teste de hipóteses pode ser decomposto em quatro fases: i) Definição das hipóteses. 227 TESTES DE HIPÓTESES Objectivo: Verificar se os dados amostrais (ou estimativas obtidas a partir deles) são ou não compatíveis com determinadas populações (ou com valores previamente fixados dos correspondentes

Leia mais

Medidas de Dispersão ou variabilidade

Medidas de Dispersão ou variabilidade Medidas de Dispersão ou variabilidade A média - ainda que considerada como um número que tem a faculdade de representar uma série de valores - não pode, por si mesma, destacar o grau de homogeneidade ou

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA

ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA Departamento Matemática Curso Engenharia do Ambiente 2º Semestre 1º Folha Nº 5: Testes Paramétricos Probabilidades e Estatística 1. O director comercial de uma cadeia de lojas pretende comparar duas técnicas

Leia mais

Teste de hipóteses para uma média populacional com variância conhecida e desconhecida

Teste de hipóteses para uma média populacional com variância conhecida e desconhecida Teste de hipóteses para uma média populacional com variância conhecida e desconhecida Teste de hipóteses para uma média populacional com variância conhecida Tomando-se como exemplo os dados de recém-nascidos

Leia mais

Princípios de Bioestatística Teste de Hipóteses

Princípios de Bioestatística Teste de Hipóteses 1/36 Princípios de Bioestatística Teste de Hipóteses Enrico A. Colosimo/UFMG http://www.est.ufmg.br/ enricoc/ Depto. Estatística - ICEx - UFMG Tabela 2/36 3/36 Exemplo A concentração de certa substância

Leia mais

Teste de Hipóteses. Enrico A. Colosimo/UFMG enricoc/ Depto. Estatística - ICEx - UFMG 1/24

Teste de Hipóteses. Enrico A. Colosimo/UFMG  enricoc/ Depto. Estatística - ICEx - UFMG 1/24 1/24 Introdução à Bioestatística Teste de Hipóteses Enrico A. Colosimo/UFMG http://www.est.ufmg.br/ enricoc/ Depto. Estatística - ICEx - UFMG 2/24 Exemplo A concentração de certa substância no sangue entre

Leia mais

Teste de hipóteses. Testes de Hipóteses. Valor de p ou P-valor. Lógica dos testes de hipótese. Valor de p 31/08/2016 VPS126

Teste de hipóteses. Testes de Hipóteses. Valor de p ou P-valor. Lógica dos testes de hipótese. Valor de p 31/08/2016 VPS126 3/8/26 Teste de hipóteses Testes de Hipóteses VPS26 Ferramenta estatística para auxiliar no acúmulo de evidências sobre uma questão Média de glicemia de um grupo de animais é diferente do esperado? Qual

Leia mais

Testes de Hipótese para uma única Amostra - parte II

Testes de Hipótese para uma única Amostra - parte II Testes de Hipótese para uma única Amostra - parte II 2012/02 1 Teste para média com variância conhecida 2 3 Objetivos Ao final deste capítulo você deve ser capaz de: Testar hipóteses para média de uma

Leia mais

Inferência Estatística

Inferência Estatística Inferência Estatística Profa Alcione Miranda dos Santos Departamento de Saúde Pública UFMA Núcleo de Estatística e Informática HUUFMA email: alcione.miranda@terra.com.br Inferência Estatística Inferências

Leia mais

Testes de Significância Estatística para Avaliação de Algoritmos

Testes de Significância Estatística para Avaliação de Algoritmos Testes de Significância Estatística para Avaliação de Algoritmos Prof. Eduardo R. Hruschka Departamento de Ciências de Computação Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) Universidade de

Leia mais

ESTIMAÇÃO POR INTERVALO DE CONFIANÇA. Profª Sheila Oro 1

ESTIMAÇÃO POR INTERVALO DE CONFIANÇA. Profª Sheila Oro 1 ESTIMAÇÃO POR INTERVALO DE CONFIANÇA Profª Sheila Oro 1 DEFINIÇÃO Um itervalo de confiança (ou estimativa intervalar) é uma faixa (ou um intervalo) de valores usada para se estimar o verdadeiro valor de

Leia mais

NOÇÕES DE TESTE DE HIPÓTESES (I) Teste de hipóteses para a proporção populacional

NOÇÕES DE TESTE DE HIPÓTESES (I) Teste de hipóteses para a proporção populacional NOÇÕES DE TESTE DE HIPÓTESES (I) Teste de hipóteses para a proporção populacional Estimação Teste de Hipóteses Qual é a probabilidade de "cara no lançamento de uma moeda? A moeda é honesta ou desequilibrada?

Leia mais

Testes de Hipóteses. Professor: Josimar Vasconcelos Contato: ou

Testes de Hipóteses. Professor: Josimar Vasconcelos Contato: ou Testes de Hipóteses Professor: Josimar Vasconcelos Contato: josimar@ufpi.edu.br ou josimar@uag.ufrpe.br http://prof-josimar.blogspot.com.br/ Universidade Federal do Piauí UFPI Campus Senador Helvídio Nunes

Leia mais

Estatística Indutiva

Estatística Indutiva Estatística Indutiva MÓDULO 7: INTERVALOS DE CONFIANÇA 7.1 Conceitos básicos 7.1.1 Parâmetro e estatística Parâmetro é a descrição numérica de uma característica da população. Estatística é a descrição

Leia mais

Poder do teste e Tamanho de Amostra

Poder do teste e Tamanho de Amostra Estatística para Cursos de Engenharia e Informática Pedro Alberto Barbetta / Marcelo Menezes Reis / Antonio Cezar Bornia São Paulo: Atlas, 24 Poder do teste e Tamanho de Amostra APOIO: Fundação de Ciência

Leia mais

9 Correlação e Regressão. 9-1 Aspectos Gerais 9-2 Correlação 9-3 Regressão 9-4 Intervalos de Variação e Predição 9-5 Regressão Múltipla

9 Correlação e Regressão. 9-1 Aspectos Gerais 9-2 Correlação 9-3 Regressão 9-4 Intervalos de Variação e Predição 9-5 Regressão Múltipla 9 Correlação e Regressão 9-1 Aspectos Gerais 9-2 Correlação 9-3 Regressão 9-4 Intervalos de Variação e Predição 9-5 Regressão Múltipla 1 9-1 Aspectos Gerais Dados Emparelhados há uma relação? se há, qual

Leia mais

Estatística Inferencial

Estatística Inferencial statística Inferencial A ou inferencial compreende a stimação e o Teste de hipótese. Na verdade, a estatística inferencial forma a base das atividades de controle da qualidade e também pode auxiliar na

Leia mais

Universidade Federal do Pará Instituto de Tecnologia. Estatística Aplicada I

Universidade Federal do Pará Instituto de Tecnologia. Estatística Aplicada I 8/8/05 Universidade Federal do Pará Instituto de Tecnologia Estatística Aplicada I Prof. Dr. Jorge Teófilo de Barros Lopes Campus de Belém Curso de Engenharia Mecânica 8/08/05 06:55 ESTATÍSTICA APLICADA

Leia mais

AULA 10 Estimativas e Tamanhos Amostrais

AULA 10 Estimativas e Tamanhos Amostrais 1 AULA 10 Estimativas e Tamanhos Amostrais Ernesto F. L. Amaral 18 de setembro de 2012 Metodologia de Pesquisa (DCP 854B) Fonte: Triola, Mario F. 2008. Introdução à estatística. 10 ª ed. Rio de Janeiro:

Leia mais

Intervalos de Confiança

Intervalos de Confiança Intervalos de Confiança Carla Henriques e Nuno Bastos Departamento de Matemática Escola Superior de Tecnologia de Viseu Carla Henriques e Nuno Bastos (DepMAT) Intervalos de Confiança 2010/2011 1 / 33 Introdução

Leia mais

Probabilidade e Estatística. Estimação de Parâmetros Intervalo de Confiança

Probabilidade e Estatística. Estimação de Parâmetros Intervalo de Confiança Probabilidade e Estatística Prof. Dr. Narciso Gonçalves da Silva http://páginapessoal.utfpr.edu.br/ngsilva Estimação de Parâmetros Intervalo de Confiança Introdução A inferência estatística é o processo

Leia mais

mat.ufrgs..ufrgs.br br/~viali/ mat.ufrgs..ufrgs.br

mat.ufrgs..ufrgs.br br/~viali/ mat.ufrgs..ufrgs.br Prof. Lorí Viali, Dr. http://www. ://www.mat mat.ufrgs..ufrgs.br br/~viali/ viali@mat mat.ufrgs..ufrgs.br Média Uma amostra Proporção Variância Dependentes Diferença de médias m Duas amostras Independentes

Leia mais

Aula 7. Testes de Hipóteses Paramétricos (II)

Aula 7. Testes de Hipóteses Paramétricos (II) Aula 7. Testes de Hipóteses Paramétricos (II) Métodos Estadísticos 008 Universidade de Averio Profª Gladys Castillo Jordán IC e TH para comparação de valores médios µ X e µ Y de duas populações Normais.

Leia mais

Aula 7. Testes de Hipóteses Paramétricos (II)

Aula 7. Testes de Hipóteses Paramétricos (II) Aula 7. Testes de Hipóteses Paramétricos (II) Métodos Estadísticos 008 Universidade de Averio Profª Gladys Castillo Jordán IC e TH para comparação de valores médios µ X e µ Y de duas populações Normais.

Leia mais

Nessa situação, a média dessa distribuição Normal (X ) é igual à média populacional, ou seja:

Nessa situação, a média dessa distribuição Normal (X ) é igual à média populacional, ou seja: Pessoal, trago a vocês a resolução da prova de Estatística do concurso para Auditor Fiscal aplicada pela FCC. Foram 10 questões de estatística! Não identifiquei possibilidade para recursos. Considero a

Leia mais

Prof. Adriano Mendonça Souza, Dr. Departamento de Estatística PPGEMQ / PPGEP - UFSM

Prof. Adriano Mendonça Souza, Dr. Departamento de Estatística PPGEMQ / PPGEP - UFSM Prof. Adriano Mendonça Souza, Dr. Departamento de Estatística PPGEMQ / PPGEP - UFSM Noções básicasb de Inferência Estatística descritiva inferencial População - Parâmetros desconhecidos (reais) Amostra

Leia mais

Inferência Estatística

Inferência Estatística Metodologia de Diagnóstico e Elaboração de Relatório FASHT Inferência Estatística Profa. Cesaltina Pires cpires@uevora.pt Plano da Apresentação Duas distribuições importantes Normal T- Student Estimação

Leia mais

Probabilidade e Estatística

Probabilidade e Estatística Probabilidade e Estatística TESTES DE HIPÓTESES (ou Testes de Significância) Estimação e Teste de Hipóteses Estimação e teste de hipóteses (ou significância) são os aspectos principais da Inferência Estatística

Leia mais

Lecture 3a Testes de Hipótese

Lecture 3a Testes de Hipótese Métodos Quantitativos em Contabilidade I Programa de Pós-Graduação em Controladoria e Contabilidade Lucas Barros lucasbarros@usp.br Henrique Castro hcastro@usp.br Universidade de São Paulo 1 of 19 Lecture

Leia mais

Hipóteses. Hipótese. É uma pressuposição de um determinado problema.

Hipóteses. Hipótese. É uma pressuposição de um determinado problema. Bioestatística Aula 7 Teoria dos Teste de Hitóteses Prof. Tiago A. E. Ferreira 1 Hipóteses Hipótese É uma pressuposição de um determinado problema. Uma vez formulada, a hipótese estará sujeita a uma comprovação

Leia mais

CORRELAÇÃO. Flávia F. Feitosa

CORRELAÇÃO. Flávia F. Feitosa CORRELAÇÃO Flávia F. Feitosa BH1350 Métodos e Técnicas de Análise da Informação para o Planejamento Junho de 2015 Revisão Inferência Estatística: Método científico para tirar conclusões sobre os parâmetros

Leia mais

MAE Introdução à Probabilidade e Estatística II Resolução Lista 5

MAE Introdução à Probabilidade e Estatística II Resolução Lista 5 MAE 229 - Introdução à Probabilidade e Estatística II Resolução Lista 5 Professor: Pedro Morettin e Profa. Chang Chian Exercício 1 (a) De uma forma geral, o desvio padrão é usado para medir a dispersão

Leia mais

AULA 02 Distribuição de Probabilidade Normal

AULA 02 Distribuição de Probabilidade Normal 1 AULA 02 Distribuição de Probabilidade Normal Ernesto F. L. Amaral 20 de agosto de 2012 Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas (FAFICH) Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) Fonte: Triola, Mario

Leia mais

Aula 8. Teste Binomial a uma proporção p

Aula 8. Teste Binomial a uma proporção p Aula 8. Teste Binomial a uma proporção p Métodos Estadísticos 2008 Universidade de Averio Profª Gladys Castillo Jordán Teste Binomial a uma Proporção p Seja p ˆ = X n a proporção de indivíduos com uma

Leia mais

HEP Bioestatística

HEP Bioestatística HEP 57800 Bioestatística DATA Aula CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 05/03 Terça 1 Níveis de mensuração, variáveis, organização de dados, apresentação tabular 07/03 Quinta 2 Apresentação tabular e gráfica 12/03 Terça

Leia mais

POPULAÇÃO X AMOSTRA INTRODUÇÃO À BIOESTATÍSTICA TIPOS DE VARIÁVEIS CLASSIFICAÇÃO DAS VARIÁVEIS CLASSIFICAÇÃO DAS VARIÁVEIS 1) TIPOS DE VARIÁVEIS

POPULAÇÃO X AMOSTRA INTRODUÇÃO À BIOESTATÍSTICA TIPOS DE VARIÁVEIS CLASSIFICAÇÃO DAS VARIÁVEIS CLASSIFICAÇÃO DAS VARIÁVEIS 1) TIPOS DE VARIÁVEIS POPULAÇÃO X AMOSTRA INTRODUÇÃO À BIOESTATÍSTICA População (N) representa o conjunto de todas as unidades experimentais que apresentam características em comum Amostra (n) representa uma parte do todo.

Leia mais

Aula 6. Testes de Hipóteses Paramétricos (I)

Aula 6. Testes de Hipóteses Paramétricos (I) Aula 6. Testes de Hipóteses Paramétricos (I) Métodos Estadísticos 2008 Universidade de Averio Profª Gladys Castillo Jordán Teste de Hipóteses Procedimento estatístico que averigua se os dados sustentam

Leia mais

Teste de hipótese. Tatiene Souza / UFPB May 9, Souza Teste de hipótese May 9, / 37

Teste de hipótese. Tatiene Souza / UFPB May 9, Souza Teste de hipótese May 9, / 37 Teste de hipótese Tatiene Souza / UFPB tatiene@de.ufpb.br May 9, 2016 Souza Teste de hipótese May 9, 2016 1 / 37 O que vamos aprender? Introdução prática aos testes de hipótese; Como estabelecer as hipótese

Leia mais

PROBABILIDADE E ESTATÍSTICA. Profa. Dra. Yara de Souza Tadano

PROBABILIDADE E ESTATÍSTICA. Profa. Dra. Yara de Souza Tadano PROBABILIDADE E ESTATÍSTICA Profa. Dra. Yara de Souza Tadano yaratadano@utfpr.edu.br Aula 7 11/2014 Variáveis Aleatórias Variáveis Aleatórias Probabilidade e Estatística 3/41 Variáveis Aleatórias Colete

Leia mais

Exercícios Resolvidos

Exercícios Resolvidos Exercícios Resolvidos R10.1) Velocidade média na estrada Sergio afirma que Raquel dirige seu carro na estrada a uma velocidade média superior a 100 km/h, enquanto Raquel discorda, afirmando dirigir na

Leia mais

Definição. Os valores assumidos pelos estimadores denomina-se estimativas pontuais ou simplesmente estimativas.

Definição. Os valores assumidos pelos estimadores denomina-se estimativas pontuais ou simplesmente estimativas. 1. Inferência Estatística Inferência Estatística é o uso da informção (ou experiência ou história) para a redução da incerteza sobre o objeto em estudo. A informação pode ou não ser proveniente de um experimento

Leia mais

1.1. Definições importantes

1.1. Definições importantes Parte I. Inferência Estatística Trata-se do processo de se obter informações sobre uma população a partir dos resultados observados numa amostra. De um modo geral, tem-se uma população com um grande número

Leia mais

Pedro Alberto Barbetta / Marcelo Menezes Reis / Antonio Cezar Bornia São Paulo: Atlas, 2004

Pedro Alberto Barbetta / Marcelo Menezes Reis / Antonio Cezar Bornia São Paulo: Atlas, 2004 Estatística para Cursos de Engenharia e Informática Pedro Alberto Barbetta / Marcelo Menezes Reis / Antonio Cezar Bornia São Paulo: Atlas, 2004 Cap. 8 Testes de hipóteses APOIO: Fundação de Ciência e Tecnologia

Leia mais

Bioestatística CE001 Prof. Fernando de Pol Mayer Departamento de Estatística DEST Exercícios: inferência Nome: GABARITO

Bioestatística CE001 Prof. Fernando de Pol Mayer Departamento de Estatística DEST Exercícios: inferência Nome: GABARITO Bioestatística CE001 Prof. Fernando de Pol Mayer Departamento de Estatística DEST Exercícios: inferência Nome: GABARITO GRR: Observação: em todos os problemas que envolvem teste de hipótese, é necessário

Leia mais

MAE Introdução à Probabilidade e Estatística II Resolução Lista 4

MAE Introdução à Probabilidade e Estatística II Resolução Lista 4 MAE 9 - Introdução à Probabilidade e Estatística II Resolução Lista 4 Professor: Pedro Morettin e Profa. Chang Chian Exercício 1 Antes de testar se a produtividade média dos operários do período diurno

Leia mais

Em aplicações práticas é comum que o interesse seja comparar as médias de duas diferentes populações (ambas as médias são desconhecidas).

Em aplicações práticas é comum que o interesse seja comparar as médias de duas diferentes populações (ambas as médias são desconhecidas). Em aplicações práticas é comum que o interesse seja comparar as médias de duas diferentes populações (ambas as médias são desconhecidas). Na comparação de duas populações, dispomos de duas amostras, em

Leia mais

Instituto Tecnológico de Aeronáutica Divisão de Engenharia Mecânica-Aeronáutica. MOQ-13 Probabilidade e Estatística

Instituto Tecnológico de Aeronáutica Divisão de Engenharia Mecânica-Aeronáutica. MOQ-13 Probabilidade e Estatística Instituto Tecnológico de Aeronáutica Divisão de Engenharia Mecânica-Aeronáutica MOQ-13 Probabilidade e Estatística Profa. Denise Beatriz Ferrari www.mec.ita.br/ denise denise@ita.br 16/11/2011 Testes de

Leia mais

MB-210 Probabilidade e Estatística

MB-210 Probabilidade e Estatística Instituto Tecnológico de Aeronáutica Divisão de Engenharia Mecânica-Aeronáutica MB-210 Probabilidade e Estatística Profa. Denise Beatriz Ferrari www.mec.ita.br/ denise denise@ita.br 2o. semestre/2013 Testes

Leia mais

Teste Qui-quadrado. Dr. Stenio Fernando Pimentel Duarte

Teste Qui-quadrado. Dr. Stenio Fernando Pimentel Duarte Dr. Stenio Fernando Pimentel Duarte Exemplo Distribuição de 300 pessoas, classificadas segundo o sexo e o tabagismo Tabagismo Fumante (%) Não Fumante (%) Masculino 92 (46,0) 108 (54,0) Sexo Feminino 38

Leia mais

Estatística stica na Pesquisa Clínica

Estatística stica na Pesquisa Clínica Estatística stica na Pesquisa Clínica Thaïs s Cocarelli Sthats Consultoria Estatística stica NAPesq (HC-FMUSP) Alguns conceitos Estudos observacionais e experimentais Exploração e apresentação de dados

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 X 39,0 39,5 39,5 39,0 39,5 41,5 42,0 42,0 Y 46,5 65,5 86,0 100,0 121,0 150,5 174,0 203,0 A tabela acima mostra as quantidades, em milhões

Leia mais

Teste de % de defeituosos para 1 amostra

Teste de % de defeituosos para 1 amostra DOCUMENTO OFICIAL DO ASSISTENTE DO MINITAB Este documento é de uma série de papéis que explicam a pesquisa conduzida por estatísticos da Minitab para desenvolver os métodos e as verificações de dados usadas

Leia mais

TESTES NÃO PARAMÉTRICOS (para mediana/média)

TESTES NÃO PARAMÉTRICOS (para mediana/média) MAE212: Introdução à Probabilidade e à Estatística II - Profas. Beti e Chang (2012) 1 TESTES NÃO PARAMÉTRICOS (para mediana/média) Os métodos de estimação e testes de hipóteses estudados até agora nessa

Leia mais

Testes de Hipóteses. Henrique Dantas Neder

Testes de Hipóteses. Henrique Dantas Neder Testes de Hipóteses Henrique Dantas Neder Vimos no capítulo anterior como construir intervalos de conança para parâmetros da população. Um outro procedimento muito utilizado em inferência é o estabelecimento

Leia mais

AULA 09 Regressão. Ernesto F. L. Amaral. 17 de setembro de 2012

AULA 09 Regressão. Ernesto F. L. Amaral. 17 de setembro de 2012 1 AULA 09 Regressão Ernesto F. L. Amaral 17 de setembro de 2012 Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas (FAFICH) Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) Fonte: Triola, Mario F. 2008. Introdução à

Leia mais

Cálculo das Probabilidades e Estatística I

Cálculo das Probabilidades e Estatística I Cálculo das Probabilidades e Estatística I Prof a. Juliana Freitas Pires Departamento de Estatística Universidade Federal da Paraíba - UFPB juliana@de.ufpb.br Introdução O curso foi dividido em três etapas:

Leia mais

Teste de % de defeituosos para 2 amostras

Teste de % de defeituosos para 2 amostras RESUMO DO ASSISTENTE DO MINITAB Este artigo é parte de uma série de artigos explicam a pesquisa conduzida pelos estatísticos do Minitab para desenvolver os métodos e verificações de dados usados no Assistente

Leia mais

Testes de Hipóteses para uma Única Amostra

Testes de Hipóteses para uma Única Amostra Roteiro Testes de Hipóteses para uma Única Amostra 1. Introdução 2. Testes para a Média i. População normal com variância conhecida ii. População normal com variância desconhecida 3. Testes para a Variância

Leia mais

Capítulo 6 Estatística não-paramétrica

Capítulo 6 Estatística não-paramétrica Capítulo 6 Estatística não-paramétrica Slide 1 Teste de ajustamento do Qui-quadrado Testes de independência e de homogeneidade do Qui-quadrado Testes dos sinais e de Wilcoxon Teste de Mann-Whitney Teste

Leia mais

CE001 - BIOESTATÍSTICA TESTE DO QUI-QUADRADO

CE001 - BIOESTATÍSTICA TESTE DO QUI-QUADRADO CE001 - BIOESTATÍSTICA TESTE DO QUI-QUADRADO Ana Paula Araujo Correa Eder Queiroz Newton Trevisan DEFINIÇÃO É um teste de hipóteses que se destina a encontrar um valor da dispersão para duas variáveis

Leia mais

Intervalos Estatísticos para uma única Amostra - parte I

Intervalos Estatísticos para uma única Amostra - parte I Intervalos Estatísticos para uma única Amostra - parte I Intervalo de confiança para média 14 de Janeiro Objetivos Ao final deste capítulo você deve ser capaz de: Construir intervalos de confiança para

Leia mais

ICMS/PE 2014 Resolução da Prova de Estatística Professor Fábio Amorim. ICMS PE 2014: Resolução da prova de Estatística Prof.

ICMS/PE 2014 Resolução da Prova de Estatística Professor Fábio Amorim. ICMS PE 2014: Resolução da prova de Estatística Prof. ICMS/PE 2014 Resolução da Prova de Estatística Professor Fábio Amorim 1 de 6 Pessoal, segue a resolução das questões de Estatística da prova realizada pela SEFAZ-PE, para o cargo de Auditor Fiscal do Tesouro

Leia mais

Estatística II Aula 2. Prof.: Patricia Maria Bortolon, D. Sc.

Estatística II Aula 2. Prof.: Patricia Maria Bortolon, D. Sc. Estatística II Aula Prof.: Patricia Maria Bortolon, D. Sc. Distribuições Amostrais ... vocês lembram que: Antes de tudo... Estatística Parâmetro Amostra População E usamos estatíticas das amostras para

Leia mais

MÉTODOS QUANTITATIVOS PARA CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO EXPERIMENTAL

MÉTODOS QUANTITATIVOS PARA CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO EXPERIMENTAL MÉTODOS QUANTITATIVOS PARA CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO EXPERIMENTAL Pedro Henrique Bragioni Las Casas Pedro.lascasas@dcc.ufmg.br Apresentação baseada nos slides originais de Jussara Almeida e Virgílio Almeida

Leia mais

Coleta e Modelagem dos Dados de Entrada

Coleta e Modelagem dos Dados de Entrada Slide 1 Módulo 02 Coleta e Modelagem dos Dados de Entrada Prof. Afonso C. Medina Prof. Leonardo Chwif Três Etapas Coleta Tratamento Inferência Coleta dos Dados 1. Escolha adequada da variável de estudo

Leia mais