Energia elétrica e combustível elevam o custo de vida em São Paulo

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Energia elétrica e combustível elevam o custo de vida em São Paulo"

Transcrição

1 1 São Paulo, 09 de março de NOTA À IMPRENSA Energia elétrica e combustível elevam o custo de vida em São Paulo Em fevereiro, o custo de vida no município de São Paulo aumentou 1,40% em relação a janeiro, segundo cálculo do DIEESE Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos. Habitação (2,19%), Transporte (3,14%), Alimentação (0,88%) e Saúde (1,26%) contribuíram com 1,38 pontos percentuais (p.p.) (Tabela 1 e Gráfico 1). A Habitação mostrou uma alta de 2,19%, entre janeiro e fevereiro. A elevação de 3,14% no subgrupo operação do domicílio deveu-se ao reajuste de energia elétrica de 13,87% e dos serviços domésticos (2,26%). Já o aumento do IPTU (0,09%), da locação (0,42%) e do condomínio (3,18%) foram os responsáveis pela alta de 1,54% no subgrupo locação, impostos e condomínios. No subgrupo conservação do domicílio (0,17%), ocorreu alta do material de construção de 0,37%. A taxa de 3,14% verificada no grupo Transporte resultou da alta nos combustíveis (7,77%), que fazem parte do subgrupo transporte individual (4,60%). O reajuste do álcool foi de 8,44%, o da gasolina, 7,54% e do diesel, 7,16%. No transporte coletivo (0,24%), apenas o transporte escolar aumentou (5,69%). No grupo Saúde, o aumento de 1,26% deveu-se ao aumento na assistência médica (1,52%), principalmente pelos reajustes das consultas médicas (1,04%) e dos seguros e convênios (1,63%). O grupo Alimentação variou 0,88% devido às altas nos três subgrupos: alimentação fora do domicílio subiu 1,36%, os alimentos in natura e semielaborados, 1,02%, e os produtos da indústria alimentícia, 0,36%. A desagregação dos itens que compõem o subgrupo produtos in natura e semielaborados (1,02%), incluídos nas despesas com Alimentação (0,88%), revelou alta na maioria dos produtos:

2 2 TABELA 1 Índice do Custo de Vida (ICV-DIEESE) Taxas, contribuições e porcentagens por grupos e subgrupos Município de São Paulo fevereiro de 2015 Grupos e subgrupos Variação (%) Contribuição (p.p.) Ponderação (%) Total Geral 1,40 1,40 100,00. Alimentação 0,88 0,28 31,46.. In natura e semielaborados 1,02 0,15 14,47.. Indústria da alimentação 0,36 0,04 10,25.. Fora do domicílio 1,36 0,09 6,74. Habitação 2,19 0,48 21,76.. Locação, impostos e condomínio 1,54 0,09 6,16.. Operação do domicílio 3,14 0,38 11,98.. Conservação do domicílio 0,17 0,01 3,62. Equipamento Doméstico 0,14 0,00 2,16.. Eletrodomésticos 0,14 0,00 0,92.. Utensílios 0,69 0,00 0,42.. Móveis 0,05 0,00 0,69.. Rouparia -1,14 0,00 0,13. Transporte 3,14 0,44 14,00.. Individual 4,60 0,43 9,33.. Coletivo 0,24 0,01 4,68. Vestuário -0,71-0,01 2,04.. Roupas -0,72-0,01 1,06.. Calçados -0,45 0,00 0,85. Educação e Leitura 0,12 0,01 8,54.. Educação 0,12 0,01 8,11.. Leitura 0,00 0,00 0,42. Saúde 1,26 0,18 14,32.. Assistência médica 1,52 0,18 11,78.. Medicamentos e produtos farmacêuticos -0,03 0,00 2,50. Recreação -0,39 0,00 0,99.. Produtos -0,96 0,00 0,50.. Serviços 0,19 0,00 0,49. Despesas Pessoais 0,91 0,04 4,32.. Higiene e beleza 1,92 0,04 2,03.. Fumo e acessórios 0,01 0,00 2,29. Despesas Diversas -0,98 0,00 0,41

3 3 4,00% GRÁFICO 1 Índice do Custo de Vida (ICV-DIEESE) Taxas dos grupos Município de São Paulo fevereiro de ,14% 3,00% 2,19% 2,00% 1,40% 1,26% 1,00% 0,88% 0,00% Total Geral. Habitação. Transporte. Alimentação. Saúde Legumes (17,56%) tomate (17,67%), pepino (23,24%), vagem (23,88%) e chuchu (36,04%) registraram as maiores altas; Hortaliças (7,56%) houve acréscimo nos preços de todas as hortaliças pesquisadas, com destaque para couve-flor (9,84%) e alface (8,20%); Grãos (2,38%) o feijão carioquinha aumentou 6,39% e, em menor intensidade, o arroz, 0,74% e outros grãos, 0,11%; Raízes e Tubérculos (0,76%) a batata - que vinha apresentando taxas expressivas - recuou -5,75% pela normalização da oferta. As altas foram observadas ainda na cebola (10,31%) e na cenoura (13,60%); Aves e ovos (0,46%) enquanto o preço das aves diminuiu -0,83%, o dos ovos aumentou 6,33%; Carnes (0,33%) houve aumento da carne bovina (0,39%) e retração na suína (-0,91%);

4 4 Leite in natura o leite variou -0,24%; Frutas (-1,87%) as maiores reduções aconteceram no abacate (- 14,48%), maçã (-13,66%), limão (-11,61%), maracujá (-11,29%) e pera (-10,19%). As altas mais importantes foram anotadas no kiwi (19,47%) e laranja (2,57%). No subgrupo indústria da alimentação (0,36%), as altas que mais se destacaram foram: óleos de cozinha (2,00%), salsicha (1,95%), refrigerantes (1,53%) e café em pó (1,25%). Houve diminuição nas taxas do leite longa vida (-2,33%) e queijos (-0,96%). Na alimentação fora do domicílio (1,36%), os reajustes foram de 1,65% nas refeições principais e de 0,99% nos lanches matinais e vespertinos. Índices por estrato de renda 1 Além do índice geral, o DIEESE calcula mais três indicadores de inflação, segundo tercis da renda das famílias paulistanas. As taxas por estrato em fevereiro foram: 1,24%, para o estrato 1, que reúne as famílias com menor nível de rendimento; 1,36% para o estrato 2, cujas famílias possuem rendimento intermediário e 1,46% para o estrato 3, onde estão as famílias de maior poder aquisitivo. As taxas dos estratos inferiores apresentaram maiores decréscimos em relação a janeiro: no 1º estrato, a redução foi de -1,31 p.p., no 2º estrato, de -1,05 p.p. e para o 3º estrato, de -0,65 p.p.. TABELA 2 Índice do Custo de Vida (ICV-DIEESE) Taxa Geral e por estrato de renda Município de São Paulo janeiro e fevereiro de 2015 Índices Janeiro/2015 (%) Fevereiro/2015 (%) Diferença (p.p.) Geral 2,25 1,40-0,85 Estrato 1 2,55 1,24-1,31 Estrato 2 2,41 1,36-1,05 Estrato 3 2,11 1,46-0,65 1 O estrato 1 corresponde à estrutura de gastos de 1/3 das famílias mais pobres (renda média = R$ 377,49); o estrato 2 contempla os gastos das famílias com nível intermediário de rendimento (renda média = R$ 934,17) e o 3º estrato reúne aquelas de maior poder aquisitivo (renda média = R$ 2.792,90). Todas as rendas médias são referentes a valores de 1996.

5 5 Resultados da inflação nas taxas por estrato As taxas de inflação por estrato de renda resultam da forma como as famílias distribuem seus gastos, que variam segundo o poder aquisitivo e o comportamento dos preços de bens e serviços (Tabela 3 e Gráfico 2). TABELA 3 Índice do Custo de Vida (ICV-DIEESE) Taxas e contribuições: geral e por estrato de renda Município de São Paulo fevereiro de 2015 Grupos Geral Estrato 1 Estrato 2 Estrato 3 Taxa (%) Contribuição (p.p.) Taxa (%) Contribuição (p.p.) Taxa (%) Contribuição (p.p.) Taxa (%) Contribuição (p.p.) Total Geral 1,40 1,40 1,24 1,24 1,36 1,36 1,46 1,46. Habitação 2,19 0,48 2,54 0,58 2,27 0,49 2,03 0,44. Transporte 3,14 0,44 1,63 0,17 2,76 0,38 3,55 0,53. Alimentação 0,88 0,28 0,84 0,34 0,88 0,32 0,91 0,24. Saúde 1,26 0,18 0,94 0,10 1,17 0,14 1,35 0,22. D. Pessoais 0,91 0,04 0,69 0,04 0,86 0,04 1,02 0,04. Educação 0,12 0,01 0,12 0,00 0,10 0,01 0,12 0,01. Equipamentos 0,14 0,00 0,55 0,01 0,12 0,00 0,12 0,00. Recreação -0,39 0,00 0,03 0,00-0,38 0,00-0,40 0,00. D. Diversas -0,98 0,00-1,04 0,00-1,03 0,00-0,94 0,00. Vestuário -0,71-0,01-0,56-0,01-0,69-0,02-0,80-0,01 Resultado, principalmente, do reajuste das tarifas de energia elétrica, o aumento do grupo Habitação teve maior impacto para as famílias de baixa renda: para o estrato 1, a taxa foi de 2,54% e a contribuição de 0,58 p.p.; para o estrato 2, a taxa foi de 2,27%, com 0,49 p.p. de impacto e para o 3, 2,03% de aumento e contribuição de 0,44 p.p.. Já o reajuste dos combustíveis, incluídos no grupo Transporte, teve impacto maior para as famílias de maior renda: estrato 1, variação de 1,63% e contribuição de 0,17 p.p.; estrato 2, 2,76% e 0,38 p.p. e estrato 3, 3,55% e 0,53 p.p.. As altas na Alimentação acabam tendo maior impacto para os consumidores de baixa renda, uma vez que os alimentos in natura e semielaborados têm maior peso na estrutura de gastos destas famílias: para o 1º estrato, a alta foi de 0,84% e a contribuição de 0,34 p.p.; para o 2º, 0,88% e 0,32 p.p.. Já no 3º estrato, o aumento foi de 0,91% e a contribuição de 0,24 p.p..

6 6 Os aumentos do grupo Saúde atingem, com mais intensidade, as famílias de maior renda, uma vez que houve reajuste das consultas médicas e dos seguros e convênios. No estrato 1, a taxa verificada foi de 0,94% e a contribuição de 0,10 p.p.; no estrato 2, a variação foi 1,17%, com contribuição de 0,14 p.p.; e no 3, 1,35% e 0,22 p.p.. GRÁFICO 2 Índice do Custo de Vida (ICV-DIEESE) Contribuições para o índice geral e por estrato de renda Município de São Paulo fevereiro de ,00% Estrato 1 Estrato 2 Estrato 3 Geral 1,50% 1,40% 1,00% 0,48% 0,44% 0,50% 0,28% 0,18% 0,00% Total Geral. Habitação. Transporte. Alimentação. Saúde Inflação acumulada Em 12 meses, ou seja, de março de 2014 a fevereiro de 2015, o ICV-DIEESE acumulou taxa de 7,90%. Ao se considerar os diferentes estratos, as variações anuais foram decrescentes na medida em que cresce o poder aquisitivo: para o 1º, 8,67%; o 2º, 8,35% e o 3º, 7,49%. Neste ano, observou-se inflação acumulada de 3,69%, sendo maior para os estratos iniciais: 1º (3,82%), 2º (3,80%) e 3º (3,60%) (Tabela 4).

7 7 Comportamento dos preços em 2015 eles: Em 2015, três grupos registraram taxas superiores à variação de 3,69% ao ano. São Transporte (8,43%) os produtos e serviços que apresentaram maiores reajustes foram metrô (17,10%), trem de subúrbio (16,67%), ônibus municipal (16,67%), ônibus intermunicipal (16,49%), álcool (11,66%), táxi (9,88%), gasolina (7,90%) e diesel (7,56%); Educação e Leitura (6,80%) a alta taxa do grupo deve-se às novas mensalidades escolares praticadas a partir de janeiro deste ano, que ficaram, em média, 8,67% acima das de 2014; Despesas Pessoais (4,79%) o aumento de 7,86% nos cigarros no primeiro mês do ano determinou a variação deste grupo em Taxas próximas ao índice do ano foram observadas na Habitação (3,24%), consequência do reajuste na energia elétrica, serviço público que compõe o subgrupo operação do domicílio (4,72%) e na Alimentação (2,67%), devido principalmente aos alimentos in natura e semielaborados (4,05%). O grupo Habitação (3,24%) apresentou variações positivas para subgrupos: operação do domicílio (4,72%); locação, impostos e condomínio (1,98%) e conservação (0,56%). As taxas mais elevadas ocorreram para energia elétrica (13,87%), água e esgoto (6,50%), gás de botijão (4,29%) e condomínio (4,19%). A Alimentação acumulou alta de 2,67%. Os subgrupos apresentaram as seguintes taxas: produtos in natura e semielaborados (4,05%), alimentação fora do domicílio (2,63%) e indústria da alimentação (0,80%). Em destaque estão os alimentos in natura com as maiores variações positivas ou negativas: chuchu (68,17%); batata (39,83%); pepino (34,39%); feijão (32,76%); vagem (27,77%); cenoura (25,31%); cebola (24,54%); abobrinha (22,75%); tomate (22,56%); abacate (-20,36%) e limão (-43,29%). Comportamento dos preços nos últimos 12 meses Quatro dos 10 grupos que compõem o ICV-DIEESE apresentaram taxas superiores ao índice geral (7,90%) entre março de 2014 e fevereiro de 2015, a saber: Transporte (9,85%), Alimentação (9,40%), Educação e Leitura (8,43%) e Habitação (8,24%).

8 8 O grupo Transporte registrou taxa acumulada nos últimos 12 meses de 9,85%. Os maiores reajustes do transporte coletivo (14,79%) ocorreram para o metrô (17,10%), ônibus municipal (16,67%), ônibus intermunicipal (16,49%) e táxi (9,88%). Já a variação de 7,63% no subgrupo transporte individual deveu-se aos aumentos dos combustíveis: diesel (11,28%), gasolina (11,00%) e álcool (8,18%). As taxas dos subgrupos da Alimentação (9,40%) foram as seguintes: indústria da alimentação (5,72%); alimentação fora do domicílio (9,87%) e produtos in natura e semielaborados (11,91%). Os alimentos in natura que se destacaram pelas maiores variações nestes 12 meses foram os legumes e as raízes e tubérculos: batata (50,06%), cebola (34,96%), tomate (34,16%), vagem (31,67%), abobrinha (24,88%), pepino (21,78%) e pimentão (21,64%). Entre os produtos industrializados, com importância entre os hábitos de consumo do paulistano, destacaram-se: feijão (38,63%); carne bovina (17,16%); chá (16,94%); pertences de feijoada (14,59%); leite de coco (14,19%); carne suína (13,04%); azeitonas (10,89%); tempero pronto (10,82%); ovos (10,26%); linguiça (10,20%); cerveja (10,06%); sal (9,55%); arroz (9,26%); refrigerantes (9,04%) e café (8,47%). No subgrupo alimentação fora do domicílio, ocorreu aumento tanto na refeição principal (9,37%), quanto nos lanches matinais e vespertinos (10,53%). Os subgrupos da Educação e Leitura (8,43%) apresentaram os seguintes reajustes: educação (8,52%) e leitura (6,86%). Enquanto foi observada taxa acumulada de 10,19% para o subgrupo operação do domicílio do grupo Habitação (8,24%), nos outros dois as variações foram menores: locação, impostos e condomínio (5,08%) e conservação do domicílio (7,34%). Isto porque os maiores reajustes ocorreram nos itens eletricidade (34,52%); produtos de limpeza doméstica (8,37%) e serviços domésticos (6,71%), que fazem parte da operação no domicílio.

9 9 TABELA 4 Índice do Custo de Vida (ICV-DIEESE) Taxas acumuladas por grupo e subgrupo Geral e por estrato de renda - Município de São Paulo Grupos e Variação no Ano (jan/2015 a ) (%) Variação Anual (mar/2014 a ) (%) subgrupos Geral Estrato 1 Estrato 2 Estrato 3 Geral Estrato 1 Estrato 2 Estrato 3 Total Geral 3,69 3,82 3,80 3,60 7,90 8,67 8,35 7,49.Alimentação 2,67 2,62 2,67 2,62 9,40 9,58 9,72 9,06.In natura e semielaborados. 4,05 3,78 4,06 4,06 11,91 12,44 12,50 11,18.Indústria da alimentação 0,80 0,91 0,80 0,75 5,72 5,53 5,63 5,81.Fora do domicílio 2,63 2,74 2,47 2,66 9,87 9,71 10,42 9,73.Habitação 3,24 4,35 3,67 2,82 8,24 9,66 8,84 7,60.Locação, impostos e condomínio 1,98 1,81 1,64 2,15 5,08 4,66 4,58 5,34.Operação do domicílio 4,72 6,33 5,43 3,95 10,19 12,37 11,20 8,99.Conservação 0,56 0,38 0,69 0,55 7,34 7,36 7,32 7,37.Equipamento Doméstico -0,15 0,35-0,25-0,11-0,43-0,58-1,16 0,09.Eletrodomésticos -0,59 0,00-0,62-0,54-2,08-2,80-2,98-1,09.Utensílios 1,06 0,44 1,38 1,20 4,40 5,44 4,62 4,07.Móveis 0,12 1,29-0,21 0,07-1,11-1,76-1,11-1,10.Rouparia -2,31-1,64-2,12-2,71 0,24 2,33-2,43 1,30.Transporte 8,43 11,01 10,09 7,40 9,85 12,41 11,32 8,88.Individual 5,82 6,88 6,20 5,65 7,63 8,93 8,07 7,41.Coletivo 14,29 12,71 15,11 14,66 14,79 13,83 15,45 14,87.Vestuário -0,99-0,96-0,89-1,11-0,04-0,01 0,26-0,25.Roupas -1,22-1,21-1,19-1,34-1,21-1,40-0,87-1,36.Calçados -0,49-0,46-0,44-0,52 1,98 1,97 1,86 2,06.Educação e Leitura 6,80 5,85 6,31 6,97 8,43 7,61 7,80 8,63.Educação 7,11 6,02 6,62 7,30 8,52 7,72 7,89 8,72.Leitura 1,18 1,66 1,35 1,10 6,86 4,81 6,32 7,05.Saúde 1,62 1,10 1,35 1,79 5,07 4,86 4,90 5,17.Assistência médica 1,95 1,65 1,76 2,04 5,22 5,03 5,11 5,27.Medicamentos e produtos farmacêuticos -0,01-0,03 0,00-0,01 4,34 4,49 4,20 4,38.Recreação 0,47 0,84 0,58 0,43 2,53 5,61 3,26 2,09.Produtos -1,00 0,33-1,07-1,08-4,72 1,21-4,83-5,14.Serviços 1,96 1,55 2,16 1,94 10,91 12,43 12,01 10,28.Despesas Pessoais 4,79 5,25 5,03 4,54 7,43 7,38 7,52 7,45.Higiene e beleza 1,70 1,68 1,77 1,72 6,96 6,63 7,08 7,07.Fumo e acessórios 7,76 7,72 7,76 7,78 7,87 7,87 7,86 7,87.Despesas diversas 0,91 0,96 0,96 0,86 7,43 7,42 7,40 7,42

10 10 Índice do Custo de Vida no Município de São Paulo - ICV-DIEESE Fevereiro de 2015 Índice Geral GRUPOS E SUBGRUPOS VARIAÇÃO CONTRIBUIÇÃO PONDERAÇÃO TOTAL GERAL 1,4022% 1,4022% 100,0000%. Alimentação 0,8752% 0,2754% 31,4624%.. Produtos in natura e semielaborados 1,0150% 0,1468% 14,4676%.. Indústria da alimentação 0,3589% 0,0368% 10,2520%.. Alimentação fora do domicílio 1,3605% 0,0917% 6,7429%. Habitação 2,1924% 0,4771% 21,7611%.. Locação, impostos e condomínio 1,5381% 0,0948% 6,1606%.. Operação do domicílio 3,1412% 0,3762% 11,9770%.. Conservação do domicílio 0,1688% 0,0061% 3,6235%. Equipamentos Domésticos 0,1430% 0,0031% 2,1589%.. Eletrodomésticos e equipamentos 0,1400% 0,0013% 0,9239%.. Utensílios domésticos 0,6904% 0,0029% 0,4192%.. Móveis 0,0525% 0,0004% 0,6872%.. Rouparia -1,1367% -0,0015% 0,1286%. Transporte 3,1400% 0,4397% 14,0047%.. Individual 4,5963% 0,4287% 9,3264%.. Coletivo 0,2369% 0,0111% 4,6782%. Vestuário -0,7090% -0,0145% 2,0392%.. Roupas -0,7234% -0,0077% 1,0644%.. Calçados -0,4480% -0,0038% 0,8534%. Educação e Leitura 0,1171% 0,0100% 8,5358%.. Educação 0,1233% 0,0100% 8,1109%.. Leitura 0,0000% 0,0000% 0,4249%. Saúde 1,2571% 0,1800% 14,3170%.. Assistência médica 1,5238% 0,1795% 11,7792%.. Medicamentos e produtos farmacêuticos -0,0336% -0,0008% 2,4978%. Recreação -0,3870% -0,0038% 0,9896%.. Produtos -0,9576% -0,0047% 0,4954%.. Serviços 0,1851% 0,0009% 0,4942%. Despesas Pessoais 0,9072% 0,0392% 4,3231%.. Higiene e beleza 1,9211% 0,0391% 2,0337%.. Fumo e acessórios 0,0064% 0,0001% 2,2894%. Despesas diversas -0,9804% -0,0040% 0,4083%.. Animais -1,1420% -0,0040% 0,3505%.. Comunicação 0,0000% 0,0000% 0,0578% * Valores de junho de 1996, quando foi introduzida a ponderação atual do ICV

11 11 Índice do Custo de Vida no Município de São Paulo ICV-DIEESE Fevereiro de 2015 Estrato 1 - Famílias com renda inferior (renda média = R$ 377,49*) (em%) GRUPOS E SUBGRUPOS VARIAÇÃO CONTRIBUIÇÃO PONDERAÇÃO Total Geral 1,2379% 1,2379% 100,0000%. Alimentação 0,8440% 0,3426% 40,5955%.. Produtos in natura e semielaborados 1,0293% 0,2177% 21,1488%.. Indústria da alimentação 0,3902% 0,0557% 14,2841%.. Alimentação fora do domicílio 1,3407% 0,0692% 5,1626%. Habitação 2,5392% 0,5802% 22,8511%.. Locação, impostos e condomínio 1,3682% 0,0796% 5,8192%.. Operação do domicílio 3,5544% 0,4959% 13,9531%.. Conservação do domicílio 0,1510% 0,0046% 3,0788%. Equipamento Doméstico 0,5477% 0,0111% 2,0301%.. Eletrodomésticos e equipamentos 0,5246% 0,0049% 0,9388%.. Utensílios domésticos 0,1439% 0,0006% 0,4341%.. Móveis 1,0364% 0,0056% 0,5431%.. Rouparia -0,0513% -0,0001% 0,1140%. Transporte 1,6251% 0,1714% 10,5441%.. Individual 5,6680% 0,1611% 2,8421%.. Coletivo 0,1333% 0,0103% 7,7020%. Vestuário -0,5631% -0,0123% 2,1901%.. Roupas -0,4919% -0,0053% 1,0703%.. Calçados -0,4771% -0,0049% 1,0357%. Educação e leitura 0,1176% 0,0046% 3,8885%.. Educação 0,1221% 0,0046% 3,7477%.. Leitura 0,0000% 0,0000% 0,1408%. Saúde 0,9435% 0,1022% 10,8352%.. Assistência médica 1,4228% 0,1040% 7,3079%.. Medicamentos e produtos farmacêuticos -0,0496% -0,0017% 3,5272%. Recreação 0,0262% 0,0001% 0,5697%.. Produtos 0,0449% 0,0001% 0,3319%.. Serviços 0,0000% 0,0000% 0,2378%. Despesas Pessoais 0,6896% 0,0420% 6,0977%.. Higiene e beleza 1,7510% 0,0417% 2,3811%.. Fumo e acessórios 0,0096% 0,0004% 3,7166%. Despesas Diversas -1,0401% -0,0041% 0,3980%.. Animais -1,1420% -0,0041% 0,3625%.. Comunicação 0,0000% 0,0000% 0,0355% * Valores de junho de 1996, quando foi introduzida a ponderação atual do ICV

12 12 Índice do Custo de Vida no Município de São Paulo ICV-DIEESE Fevereiro de 2015 Estrato 2 - Famílias com renda intermediária (renda média = R$ 934,17*) (em%) GRUPOS E SUBGRUPOS VARIAÇÃO CONTRIBUIÇÃO PONDERAÇÃO TOTAL GERAL 1,3615% 1,3615% 100,0000%. Alimentação 0,8772% 0,3193% 36,3962%.. Produtos in natura e semielaborados 1,0979% 0,2002% 18,2375%.. Indústria da alimentação 0,3708% 0,0468% 12,6113%.. Alimentação fora do domicílio 1,3029% 0,0723% 5,5473%. Habitação 2,2714% 0,4935% 21,7279%.. Locação, impostos e condomínio 1,2549% 0,0685% 5,4562%.. Operação do domicílio 3,2970% 0,4174% 12,6589%.. Conservação do domicílio 0,2129% 0,0077% 3,6128%. Equipamentos Domésticos 0,1193% 0,0029% 2,4158%.. Eletrodomésticos e equipamentos 0,1819% 0,0020% 1,0945%.. Utensílios domésticos 1,0864% 0,0043% 0,3941%.. Móveis -0,1505% -0,0012% 0,7813%.. Rouparia -1,5170% -0,0022% 0,1459%. Transporte 2,7602% 0,3771% 13,6636%.. Individual 5,0285% 0,3654% 7,2669%.. Coletivo 0,1834% 0,0117% 6,3967%. Vestuário -0,6895% -0,0163% 2,3693%.. Roupas -0,6879% -0,0077% 1,1259%.. Calçados -0,4581% -0,0050% 1,0915%. Educação e Leitura 0,1040% 0,0052% 4,9743%.. Educação 0,1102% 0,0052% 4,6944%.. Leitura 0,0000% 0,0000% 0,2799%. Saúde 1,1673% 0,1432% 12,2671%.. Assistência médica 1,5271% 0,1422% 9,3091%.. Medicamentos e produtos farmacêuticos -0,0240% -0,0007% 2,9057%. Recreação -0,3756% -0,0031% 0,8331%.. Produtos -0,9759% -0,0039% 0,4013%.. Serviços 0,1821% 0,0008% 0,4319%. Despesas Pessoais 0,8566% 0,0431% 5,0314%.. Higiene e beleza 1,9524% 0,0429% 2,1994%.. Fumo e acessórios 0,0057% 0,0002% 2,8320%. Despesas diversas -1,0333% -0,0033% 0,3214%.. Animais -1,1420% -0,0033% 0,2908%.. Comunicação 0,0000% 0,0000% 0,0306% * Valores de junho de 1996, quando foi introduzida a ponderação atual do ICV

13 13 Índice do Custo de Vida no Município de São Paulo - ICV-DIEESE Fevereiro de 2015 Estrato 3 - Famílias com renda superior (renda média = R$ 2.792,90*) (em%) GRUPOS E SUBGRUPOS VARIAÇÃO CONTRIBUIÇÃO PONDERAÇÃO Total Geral 1,4639% 1,4639% 100,0000%. Alimentação 0,9053% 0,2416% 26,6923%.. Produtos in natura e semielaborados 1,0032% 0,1078% 10,7415%.. Indústria da alimentação 0,3314% 0,0273% 8,2483%.. Alimentação fora do domicílio 1,3833% 0,1065% 7,7025%. Habitação 2,0339% 0,4436% 21,8124%.. Locação, impostos e condomínio 1,6764% 0,1100% 6,5638%.. Operação do domicílio 2,8529% 0,3278% 11,4916%.. Conservação do domicílio 0,1534% 0,0058% 3,7571%. Equipamentos Domésticos 0,1168% 0,0025% 2,1065%.. Eletrodomésticos e equipamentos 0,0747% 0,0006% 0,8563%.. Utensílios domésticos 0,7838% 0,0034% 0,4399%.. Móveis -0,0173% -0,0001% 0,6847%.. Rouparia -1,2016% -0,0015% 0,1256%. Transporte 3,5451% 0,5300% 14,9495%.. Individual 4,4156% 0,5184% 11,7408%.. Coletivo 0,3598% 0,0115% 3,2087%. Vestuário -0,8024% -0,0145% 1,8133%.. Roupas -0,8750% -0,0089% 1,0197%.. Calçados -0,4239% -0,0029% 0,6801%. Educação e Leitura 0,1176% 0,0131% 11,1489%.. Educação 0,1238% 0,0131% 10,5905%.. Leitura 0,0000% 0,0000% 0,5585%. Saúde 1,3484% 0,2192% 16,2541%.. Assistência médica 1,5403% 0,2184% 14,1786%.. Medicamentos e produtos farmacêuticos -0,0341% -0,0007% 2,0311%. Recreação -0,4042% -0,0047% 1,1659%.. Produtos -1,0327% -0,0060% 0,5789%.. Serviços 0,2156% 0,0013% 0,5870%. Despesas Pessoais 1,0243% 0,0372% 3,6306%.. Higiene e beleza 1,9820% 0,0371% 1,8715%.. Fumo e acessórios 0,0054% 0,0001% 1,7591%. Despesas Diversas -0,9351% -0,0040% 0,4265%.. Animais -1,1420% -0,0040% 0,3492%.. Comunicação 0,0000% 0,0000% 0,0773% * Valores de junho de 1996, quando foi introduzida a ponderação atual do ICV

14 14 Variações acumuladas dos itens componentes do ICV-DIEESE Índice Geral Grupos e Mensal Trimestral Semestral No Ano Anual subgrupos fev/15 dez/2014 a set/2014 a jan/2015 a mar/2014 a Total Geral 1,4022% 4,2285% 5,5377% 3,6872% 7,8985%.Alimentação 0,8752% 3,7810% 6,4291% 2,6714% 9,3961%.In natura e semielaborados 1,0150% 6,3736% 10,7563% 4,0511% 11,9093%.Indústria da alimentação 0,3589% 0,8688% 1,7054% 0,8023% 5,7179%.Fora do domicílio 1,3605% 2,8903% 4,9985% 2,6263% 9,8747%.Habitação 2,1924% 3,2923% 4,4616% 3,2430% 8,2404%.Locação, impostos e condomínio 1,5381% 2,0165% 3,5482% 1,9848% 5,0772%.Operação do domicílio 3,1412% 4,7417% 5,9213% 4,7175% 10,1922%.Conservação 0,1688% 0,7201% 1,2527% 0,5625% 7,3389%.Equipamento Doméstico 0,1430% -0,2048% 0,1867% -0,1499% -0,4251%.Eletrodomésticos 0,1400% -0,7296% -0,5331% -0,5888% -2,0763%.Utensílios 0,6904% 0,9452% 1,8147% 1,0576% 4,4040%.Móveis 0,0525% 0,2086% 0,4965% 0,1200% -1,1112%.Rouparia -1,1367% -2,3231% -1,4984% -2,3131% 0,2395%.Transporte 3,1400% 9,0495% 9,1036% 8,4305% 9,8529%.Individual 4,5963% 6,6995% 6,7762% 5,8242% 7,6282%.Coletivo 0,2369% 14,2857% 14,2857% 14,2857% 14,7887%.Vestuário -0,7090% -0,8246% -0,1712% -0,9921% -0,0435%.Roupas -0,7234% -1,0861% -0,1767% -1,2223% -1,2087%.Calçados -0,4480% -0,2416% 0,2524% -0,4859% 1,9826%.Educação e Leitura 0,1171% 6,8217% 7,5697% 6,7953% 8,4320%.Educação 0,1233% 7,1347% 7,7364% 7,1067% 8,5159%.Leitura 0,0000% 1,1758% 4,4817% 1,1758% 6,8615%.Saúde 1,2571% 2,1154% 2,5905% 1,6157% 5,0732%.Assistência médica 1,5238% 2,5618% 3,0948% 1,9541% 5,2212%.Medicamentos e produtos farmacêuticos -0,0336% 0,0024% 0,2073% -0,0104% 4,3376%.Recreação -0,3870% 0,2941% 3,0955% 0,4681% 2,5343%.Produtos -0,9576% -1,5325% -1,6541% -0,9971% -4,7233%.Serviços 0,1851% 2,1727% 8,2786% 1,9638% 10,9076%.Despesas Pessoais 0,9072% 5,2832% 5,6956% 4,7945% 7,4319%.Higiene e beleza 1,9211% 2,6758% 3,4798% 1,7030% 6,9557%.Fumo e acessórios 0,0064% 7,7606% 7,7850% 7,7601% 7,8661%.Despesas Diversas -0,9804% 0,8789% 4,0652% 0,9064% 7,4329%.Animais -1,1420% 1,0270% 4,7756% 1,0593% 7,8184%.Comunicação 0,0000% 0,0000% 0,0000% 0,0000% 5,1793%

15 15 Variações acumuladas dos itens componentes do ICV-DIEESE Estrato 1 Grupos e Mensal Trimestral Semestral No Ano Anual subgrupos fev/15 dez/2014 a set/2014 a jan/2015 a mar/2014 a Total Geral 1,2379% 4,4158% 5,7377% 3,8158% 8,6681%.Alimentação 0,8440% 3,8093% 6,2237% 2,6241% 9,5797%.In natura e semielaborados 1,0293% 6,0201% 9,7956% 3,7771% 12,4382%.Indústria da alimentação 0,3902% 0,9776% 1,6987% 0,9127% 5,5346%.Fora do domicílio 1,3407% 2,9544% 5,0768% 2,7376% 9,7141%.Habitação 2,5392% 4,4197% 5,2381% 4,3464% 9,6638%.Locação, impostos e condomínio 1,3682% 1,8676% 3,4511% 1,8060% 4,6628%.Operação do domicílio 3,5544% 6,3550% 6,8868% 6,3267% 12,3705%.Conservação 0,1510% 0,6607% 1,2655% 0,3770% 7,3589%.Equipamento Doméstico 0,5477% 0,1341% 0,4114% 0,3456% -0,5839%.Eletrodomésticos 0,5246% -0,0987% 0,1432% 0,0012% -2,7975%.Utensílios 0,1439% 0,3740% 1,2999% 0,4433% 5,4365%.Móveis 1,0364% 0,6889% 0,3598% 1,2915% -1,7606%.Rouparia -0,0513% -1,4768% -0,4621% -1,6366% 2,3331%.Transporte 1,6251% 11,3228% 11,3016% 11,0082% 12,4093%.Individual 5,6680% 7,9239% 7,8527% 6,8762% 8,9272%.Coletivo 0,1333% 12,7051% 12,7051% 12,7051% 13,8264%.Vestuário -0,5631% -0,8201% -0,2187% -0,9562% -0,0130%.Roupas -0,4919% -1,1657% -0,3493% -1,2130% -1,3987%.Calçados -0,4771% -0,2069% 0,2716% -0,4608% 1,9686%.Educação e Leitura 0,1176% 5,9706% 6,7653% 5,8508% 7,6073%.Educação 0,1221% 6,1397% 6,9448% 6,0151% 7,7152%.Leitura 0,0000% 1,6576% 2,1988% 1,6576% 4,8140%.Saúde 0,9435% 1,5162% 1,9311% 1,1049% 4,8575%.Assistência médica 1,4228% 2,2591% 2,7512% 1,6522% 5,0335%.Medicamentos e produtos farmacêuticos -0,0496% -0,0111% 0,2484% -0,0269% 4,4889%.Recreação 0,0262% 0,8622% 5,1849% 0,8393% 5,6078%.Produtos 0,0449% 0,3122% 1,7443% 0,3346% 1,2076%.Serviços 0,0000% 1,6402% 10,3961% 1,5523% 12,4313%.Despesas Pessoais 0,6896% 5,5269% 5,8392% 5,2538% 7,3763%.Higiene e beleza 1,7510% 2,3306% 3,0321% 1,6844% 6,6280%.Fumo e acessórios 0,0096% 7,7202% 7,7528% 7,7184% 7,8699%.Despesas Diversas -1,0401% 0,9336% 4,3265% 0,9628% 7,4215%.Animais -1,1420% 1,0270% 4,7756% 1,0593% 7,8184%.Comunicação 0,0000% 0,0000% 0,0000% 0,0000% 3,5709%

16 16 Variações acumuladas dos itens componentes do ICV-DIEESE Estrato 2 Grupos e Mensal Trimestral Semestral No Ano Anual subgrupos fev/15 dez/2014 a set/2014 a jan/2015 a mar/2014 a Total Geral 1,3615% 4,4265% 5,7994% 3,8026% 8,3455%.Alimentação 0,8772% 3,9066% 6,5977% 2,6700% 9,7232%.In natura e semielaborados 1,0979% 6,3810% 10,7097% 4,0583% 12,4988%.Indústria da alimentação 0,3708% 0,8228% 1,6474% 0,7970% 5,6324%.Fora do domicílio 1,3029% 3,1416% 5,3167% 2,4735% 10,4175%.Habitação 2,2714% 3,7420% 4,7362% 3,6721% 8,8447%.Locação, impostos e condomínio 1,2549% 1,6936% 3,2730% 1,6401% 4,5771%.Operação do domicílio 3,2970% 5,4537% 6,3410% 5,4273% 11,1999%.Conservação 0,2129% 0,9272% 1,4020% 0,6897% 7,3184%.Equipamento Doméstico 0,1193% -0,3657% -0,1371% -0,2545% -1,1616%.Eletrodomésticos 0,1819% -0,9424% -1,1235% -0,6203% -2,9817%.Utensílios 1,0864% 1,3916% 2,2649% 1,3841% 4,6227%.Móveis -0,1505% 0,0323% 0,4429% -0,2123% -1,1088%.Rouparia -1,5170% -2,8143% -2,1251% -2,1153% -2,4282%.Transporte 2,7602% 10,6628% 10,6929% 10,0886% 11,3166%.Individual 5,0285% 7,1893% 7,2413% 6,2024% 8,0714%.Coletivo 0,1834% 15,1051% 15,1051% 15,1051% 15,4453%.Vestuário -0,6895% -0,7314% -0,0324% -0,8914% 0,2622%.Roupas -0,6879% -1,0432% -0,1990% -1,1931% -0,8740%.Calçados -0,4581% -0,2348% 0,4674% -0,4356% 1,8613%.Educação e Leitura 0,1040% 6,3509% 7,1198% 6,3057% 7,8045%.Educação 0,1102% 6,6642% 7,2956% 6,6160% 7,8942%.Leitura 0,0000% 1,3548% 4,2523% 1,3548% 6,3229%.Saúde 1,1673% 1,8362% 2,2600% 1,3532% 4,8997%.Assistência médica 1,5271% 2,3986% 2,8825% 1,7616% 5,1063%.Medicamentos e produtos farmacêuticos -0,0240% 0,0126% 0,2421% 0,0022% 4,1954%.Recreação -0,3756% 0,3534% 3,5700% 0,5848% 3,2638%.Produtos -0,9759% -1,7594% -1,9948% -1,0726% -4,8276%.Serviços 0,1821% 2,3755% 9,2682% 2,1566% 12,0101%.Despesas Pessoais 0,8566% 5,4225% 5,8309% 5,0290% 7,5151%.Higiene e beleza 1,9524% 2,6112% 3,4651% 1,7723% 7,0772%.Fumo e acessórios 0,0057% 7,7602% 7,7824% 7,7594% 7,8645%.Despesas Diversas -1,0333% 0,9273% 4,2964% 0,9563% 7,4046%.Animais -1,1420% 1,0270% 4,7756% 1,0593% 7,8184%.Comunicação 0,0000% 0,0000% 0,0000% 0,0000% 3,6677%

17 17 Variações acumuladas dos itens componentes do ICV-DIEESE Estrato 3 Grupos e Mensal Trimestral Semestral No Ano Anual subgrupos fev/15 dez/2014 a set/2014 a jan/2015 a mar/2014 a Total Geral 1,4639% 4,0768% 5,3433% 3,6005% 7,4946%.Alimentação 0,9053% 3,5736% 6,2737% 2,6157% 9,0625%.In natura e semielaborados 1,0032% 6,3728% 11,1364% 4,0558% 11,1813%.Indústria da alimentação 0,3314% 0,8194% 1,7058% 0,7452% 5,8104%.Fora do domicílio 1,3833% 2,7912% 4,8896% 2,6618% 9,7308%.Habitação 2,0339% 2,8519% 4,1724% 2,8187% 7,5996%.Locação, impostos e condomínio 1,6764% 2,1634% 3,6661% 2,1463% 5,3437%.Operação do domicílio 2,8529% 3,9732% 5,4535% 3,9531% 8,9906%.Conservação 0,1534% 0,6451% 1,1869% 0,5461% 7,3737%.Equipamento Doméstico 0,1168% -0,0916% 0,4018% -0,1094% 0,0869%.Eletrodomésticos 0,0747% -0,5525% -0,1149% -0,5367% -1,0942%.Utensílios 0,7838% 1,0402% 1,8959% 1,2046% 4,0651%.Móveis -0,0173% 0,1805% 0,4594% 0,0728% -1,0981%.Rouparia -1,2016% -2,3390% -1,5516% -2,7134% 1,3009%.Transporte 3,5451% 8,0871% 8,1655% 7,4037% 8,8849%.Individual 4,4156% 6,4831% 6,5792% 5,6469% 7,4144%.Coletivo 0,3598% 14,6620% 14,6620% 14,6620% 14,8716%.Vestuário -0,8024% -0,9189% -0,2384% -1,1094% -0,2488%.Roupas -0,8750% -1,1787% -0,1650% -1,3422% -1,3619%.Calçados -0,4239% -0,2405% 0,1329% -0,5199% 2,0637%.Educação e Leitura 0,1176% 6,9875% 7,7196% 6,9705% 8,6312%.Educação 0,1238% 7,3164% 7,8919% 7,2985% 8,7155%.Leitura 0,0000% 1,1042% 4,5482% 1,1042% 7,0536%.Saúde 1,3484% 2,3145% 2,8144% 1,7910% 5,1684%.Assistência médica 1,5403% 2,6443% 3,1934% 2,0437% 5,2742%.Medicamentos e produtos farmacêuticos -0,0341% 0,0017% 0,1627% -0,0115% 4,3829%.Recreação -0,4042% 0,2736% 2,7403% 0,4268% 2,0939%.Produtos -1,0327% -1,5980% -1,8420% -1,0832% -5,1355%.Serviços 0,2156% 2,1659% 7,6336% 1,9423% 10,2789%.Despesas Pessoais 1,0243% 5,1671% 5,6136% 4,5407% 7,4517%.Higiene e beleza 1,9820% 2,8668% 3,6730% 1,7209% 7,0737%.Fumo e acessórios 0,0054% 7,7821% 7,8033% 7,7822% 7,8653%.Despesas Diversas -0,9351% 0,8376% 3,8683% 0,8638% 7,4159%.Animais -1,1420% 1,0270% 4,7756% 1,0593% 7,8184%.Comunicação 0,0000% 0,0000% 0,0000% 0,0000% 5,6548%

Custo de vida não se altera em junho

Custo de vida não se altera em junho 1 São Paulo, 07 de julho de 2014. NOTA À IMPRENSA Custo de vida não se altera em junho O custo de vida no município de São Paulo, em junho, não apresentou variação em relação a maio, segundo cálculo do

Leia mais

Inflação em São Paulo acumula 10,00% em 12 meses

Inflação em São Paulo acumula 10,00% em 12 meses 1 São Paulo, 7 de agosto de 2015. NOTA À IMPRENSA Inflação em São Paulo acumula 10,00% em 12 meses Em julho, o índice de custo de vida no município de São Paulo aumentou 0,95% em relação a junho, segundo

Leia mais

Dezembro dá trégua na inflação

Dezembro dá trégua na inflação 1 São Paulo, 8 de janeiro de 2013. NOTA À IMPRENSA Dezembro dá trégua na inflação O aumento do custo de vida em dezembro, no município de São Paulo, foi de 0,43%, taxa menor em 0,14 ponto percentual (pp.)

Leia mais

Baixa renda é mais beneficiada com a queda na taxa do ICV

Baixa renda é mais beneficiada com a queda na taxa do ICV 1 São Paulo, 07 de agosto de 2013. Baixa renda é mais beneficiada com a queda na taxa do ICV NOTA À IMPRENSA Em julho, o custo de vida no município de São Paulo registrou variação de 0,09%, segundo cálculo

Leia mais

Alimentos respondem pela inflação em agosto

Alimentos respondem pela inflação em agosto SÃO PAULO, 02 DE SETEMBRO DE 2004. Alimentos respondem pela inflação em agosto A alta nos preços dos alimentos foi o principal fator para que o Índice do Custo de Vida (ICV), calculado pelo DIEESE - Departamento

Leia mais

Em março, preços voltam a subir

Em março, preços voltam a subir Em março, preços voltam a subir SÃO PAULO, 08 DE MARÇO DE 2004 Em março, o conjunto de bens e serviços que compõem o Índice do Custo de Vida (ICV), calculado pelo DIEESE - Departamento Intersindical de

Leia mais

Diminui ritmo de reajustes dos preços dos alimentos

Diminui ritmo de reajustes dos preços dos alimentos 1 São Paulo, 06 de junho de 2014. NOTA À IMPRENSA Diminui ritmo de reajustes dos preços dos alimentos Em maio, o custo de vida no município de São Paulo aumentou 0,14%, segundo cálculo do DIEESE Departamento

Leia mais

Alimentos e combustíveis pressionam a inflação em março

Alimentos e combustíveis pressionam a inflação em março 1 São Paulo, 07 de abril de 2014. NOTA À IMPRENSA Alimentos e combustíveis pressionam a inflação em março Em março, a variação do custo de vida no município de São Paulo foi de 0,81%, segundo cálculo do

Leia mais

ICV-DEESE fica em 6,04%, em 2013

ICV-DEESE fica em 6,04%, em 2013 1 São Paulo, 8 de janeiro de 2014. ICV-DEESE fica em 6,04%, em 2013 NOTA À IMPRENSA Em 2013, o Índice do Custo de Vida ICV calculado pelo DIEESE Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos

Leia mais

Alimentos, combustíveis e mensalidades escolares pressionam o Custo de Vida em São Paulo

Alimentos, combustíveis e mensalidades escolares pressionam o Custo de Vida em São Paulo 1 São Paulo, 12 de fevereiro de 2016. NOTA À IMPRENSA Alimentos, combustíveis e mensalidades escolares pressionam o Custo de Vida em São Paulo No primeiro mês do ano, o Índice do Custo de Vida no município

Leia mais

IGP-M registra variação de 0,51% em março

IGP-M registra variação de 0,51% em março Segundo Decêndio Março de 2014 IGP-M registra variação de 0,51% em março O Índice Geral de Preços Mercado (IGP-M) variou 0,51%, em março. Em fevereiro, o índice variou 1,29%. Em março de 2015, a variação

Leia mais

Apesar de menor, deflação continua

Apesar de menor, deflação continua 1 São Paulo, 06 de julho de 2006. NOTA À IMPRENSA Apesar de menor, deflação continua Pelo terceiro mês consecutivo, o Índice do Custo de Vida (ICV) calculado pelo DIEESE - Departamento Intersindical de

Leia mais

Setembro O IPC no mês de setembro registrou variação positiva de 0,36%.

Setembro O IPC no mês de setembro registrou variação positiva de 0,36%. Setembro 2015 O IPC no mês de setembro registrou variação positiva de 0,36%. O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) de Salvador apresentou, em agosto, variação positiva de 0,36%, superior à apurada em

Leia mais

Cesta básica mais barata em 14 cidades

Cesta básica mais barata em 14 cidades 1 São Paulo, 03 de outubro de 2013 NOTA À IMPRENSA Cesta básica mais barata em 14 cidades Em setembro, 14 das 18 capitais onde o DIEESE (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos)

Leia mais

Preço da cesta básica diminui em quinze cidades

Preço da cesta básica diminui em quinze cidades 1 São Paulo, 07 de julho de 2015. NOTA À IMPRENSA Preço da cesta básica diminui em quinze cidades O valor do conjunto de bens alimentícios básicos diminuiu em 15 das 18 cidades onde o DIEESE - Departamento

Leia mais

Preço da carne sobe em todas as capitais

Preço da carne sobe em todas as capitais 1 São Paulo, 07 de outubro de 2014. NOTA À IMPRENSA Preço da carne sobe em todas as capitais Em setembro, os preços do conjunto de bens alimentícios essenciais diminuíram em 11 das 18 cidades onde o DIEESE

Leia mais

Preço da cesta básica aumenta em 13 cidades

Preço da cesta básica aumenta em 13 cidades 1 São Paulo, 07 de abril de 2015. NOTA À IMPRENSA Preço da cesta básica aumenta em 13 cidades Das 18 capitais onde o DIEESE - Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos - realiza

Leia mais

Custo da Cesta básica tem comportamento diferenciado nas capitais pesquisadas

Custo da Cesta básica tem comportamento diferenciado nas capitais pesquisadas 1 São Paulo, 04 de novembro de 2015. NOTA à IMPRENSA Custo da Cesta básica tem comportamento diferenciado nas capitais pesquisadas Em outubro, entre as 18 capitais onde o DIEESE - Departamento Intersindical

Leia mais

JANEIRO Em janeiro de 2015 IPC de Salvador registra elevação de 1,65%

JANEIRO Em janeiro de 2015 IPC de Salvador registra elevação de 1,65% JANEIRO 2015 Em janeiro de 2015 IPC de Salvador registra elevação de 1,65% O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) de Salvador apresentou, em janeiro, incremento de 1,65%, variação superior à apurada no

Leia mais

IGP-M registra variação de 0,33% em abril

IGP-M registra variação de 0,33% em abril Segundo Decêndio Março de 2014 IGP-M registra variação de 0,33% em abril O Índice Geral de Preços Mercado (IGP-M) variou 0,33%, em abril. Em março, o índice variou 0,51%. Em abril de 2015, a variação foi

Leia mais

Alimentos e eletricidade respondem pela deflação em São Paulo

Alimentos e eletricidade respondem pela deflação em São Paulo Alimentos e eletricidade respondem pela deflação em São Paulo Pelo segundo mês consecutivo, o custo de vida no município de São Paulo registrou taxa negativa de 0,17%, segundo cálculo do DIEESE - Departamento

Leia mais

Onze capitais registram alta na cesta básica

Onze capitais registram alta na cesta básica 1 São Paulo, 04 de outubro de 2006 NOTA À IMPRENSA Onze capitais registram alta na cesta básica Após três meses com retração no custo dos gêneros essenciais em 14 capitais, em setembro houve predominância

Leia mais

Custo da Cesta Básica tem comportamento diferenciado nas capitais pesquisadas

Custo da Cesta Básica tem comportamento diferenciado nas capitais pesquisadas 1 São Paulo, 06 de outubro de 2016 NOTA À IMPRENSA Custo da Cesta Básica tem comportamento diferenciado nas capitais pesquisadas Em setembro, o custo do conjunto de alimentos básicos apresentou comportamento

Leia mais

Cesta básica volta a subir na maior parte das capitais

Cesta básica volta a subir na maior parte das capitais 1 São Paulo, 02 de setembro de 2011 Cesta básica volta a subir na maior parte das capitais NOTA À IMPRENSA Ao contrário do que ocorreu em julho, quando 14 cidades registraram queda no preço dos gêneros

Leia mais

Cesta básica diminui em 13 cidades

Cesta básica diminui em 13 cidades 1 São Paulo, 06 de outubro de 2015. NOTA à IMPRENSA Cesta básica diminui em 13 cidades Em setembro, o conjunto de bens alimentícios básicos teve seu valor reduzido em 13 das 18 cidades em que o DIEESE

Leia mais

Cesta básica sobe em todas as capitais

Cesta básica sobe em todas as capitais 1 São Paulo, 04 de setembro de 2007. NOTA À IMPRENSA Cesta básica sobe em todas as capitais Todas as 16 capitais onde o DIEESE Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos realiza

Leia mais

Cesta básica de Porto Alegre registra variação de 1,43% em abril de 2016

Cesta básica de Porto Alegre registra variação de 1,43% em abril de 2016 1 Cesta básica de Porto Alegre registra variação de 1,43% em abril de 2016 Porto Alegre, 11 de maio de 2016. NOTA À IMPRENSA Em abril de 2016, a Cesta Básica de Porto Alegre calculada pelo DIEESE registrou

Leia mais

Custo da Cesta Básica aumenta em 17 cidades

Custo da Cesta Básica aumenta em 17 cidades 1 São Paulo, 06 de junho de 2016. NOTA À IMPRENSA Custo da Cesta Básica aumenta em 17 cidades Em maio, houve elevação do custo do conjunto de alimentos básicos em 17 das 27 capitais brasileiras, de acordo

Leia mais

Nove capitais têm queda no preço da cesta

Nove capitais têm queda no preço da cesta 1 São Paulo, 04 de setembro de 2009. NOTA À IMPRENSA Nove capitais têm queda no preço da cesta Nove capitais brasileiras seis delas do Nordeste registraram, em agosto, retração no custo da cesta básica,

Leia mais

Nove cidades têm alta no preço da cesta

Nove cidades têm alta no preço da cesta 1 São Paulo, 5 de novembro de 2012 Nota à imprensa Nove cidades têm alta no preço da cesta Em outubro, o preço dos gêneros alimentícios essenciais aumentou em nove das 17 capitais onde o DIEESE - Departamento

Leia mais

Pelo segundo mês consecutivo, feijão, manteiga e leite elevam o custo da cesta básica

Pelo segundo mês consecutivo, feijão, manteiga e leite elevam o custo da cesta básica 1 São Paulo, 04 de agosto de 2016 NOTA À IMPRENSA Pelo segundo mês consecutivo, feijão, manteiga e leite elevam o custo da cesta básica O custo do conjunto de alimentos básicos aumentou em 22 das 27 capitais

Leia mais

ALIMENTOS ESSENCIAIS SOBEM EM TODAS AS CAPITAIS

ALIMENTOS ESSENCIAIS SOBEM EM TODAS AS CAPITAIS São Paulo, 01 de junho de 2005. ALIMENTOS ESSENCIAIS SOBEM EM TODAS AS CAPITAIS Todas as 16 capitais nas quais o DIEESE Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Sócio-Econômicos realiza mensalmente

Leia mais

Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos

Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos Escritório Regional da Bahia Rua do Cabral, 15 - Nazaré CEP 40.055.010 Salvador Bahia Telefone: (71) 3242-7880 Fax: (71) 3326-9840 E-mail: erba@dieese.org.br Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos

Leia mais

15 capitais apresentaram redução no custo da Cesta Básica

15 capitais apresentaram redução no custo da Cesta Básica 1 São Paulo, 11 de maio de 2016. NOTA À IMPRENSA 15 capitais apresentaram redução no custo da Cesta Básica Em abril, em 15 das 27 capitais do Brasil houve redução do custo do conjunto de alimentos básicos

Leia mais

Cesta básica de Porto Alegre registra queda de 2,14% em dezembro

Cesta básica de Porto Alegre registra queda de 2,14% em dezembro Porto Alegre, 04 de janeiro de 2017 Cesta básica de Porto Alegre registra queda de 2,14% em dezembro NOTA À IMPRENSA Em dezembro de 2016, a Cesta Básica de Porto Alegre calculada pelo DIEESE registrou

Leia mais

Preço da cesta sobe em 14 capitais

Preço da cesta sobe em 14 capitais 1 São Paulo, 01 de novembro de 2006 NOTA À IMPRENSA Preço da cesta sobe em 14 capitais Quatorze capitais registraram aumento no preço da cesta básica, em outubro, de acordo com a Pesquisa Nacional da Cesta

Leia mais

IPC REGISTRA TAXA DE 2,09 EM JANEIRO DE 2016

IPC REGISTRA TAXA DE 2,09 EM JANEIRO DE 2016 IPC REGISTRA TAXA DE 2,09 EM JANEIRO DE 2016 A Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas do Pará Fapespa divulga o Índice de Preços ao Consumidor (IPC), das famílias com rendimentos entre 1 e 8

Leia mais

Cesta básica: preços aumentam em 16 capitais

Cesta básica: preços aumentam em 16 capitais 1 São Paulo, 04 de abril de 2014. NOTA À IMPRENSA Cesta básica: preços aumentam em 16 capitais Em março, os preços dos gêneros alimentícios essenciais subiram em 16 das 18 capitais onde o DIEESE - Departamento

Leia mais

Índices de Preços ao Consumidor IPC

Índices de Preços ao Consumidor IPC Índices de Preços ao Consumidor IPC Apesar da desaceleração, inflação em fevereiro permanece muito acima da meta ANDRÉ LUIS SQUARIZE CHAGAS (*) Em fevereiro, o IPC-Fipe registrou alta de 1,22%, com desaceleração

Leia mais

Valor da cesta básica aumenta em todas as capitais em 2015

Valor da cesta básica aumenta em todas as capitais em 2015 1 São Paulo, 08 de janeiro de 2016. NOTA À IMPRENSA Valor da cesta básica aumenta em todas as capitais em 2015 Em 2015, o valor acumulado da cesta básica aumentou em todas as 18 capitais onde o DIEESE

Leia mais

A inflação frente ao câmbio e preços internacionais

A inflação frente ao câmbio e preços internacionais São Paulo, 08 de outubro de 2008. NOTA À IMPRENSA A inflação frente ao câmbio e preços internacionais Entre outubro de 2007 e setembro último, a inflação medida pelo ICV-DIEESE foi de 6,79%, com forte

Leia mais

ÍNDICE NACIONAL DE PREÇOS AO CONSUMIDOR (INPC) E A CESTA BÁSICA MARÇO/2010

ÍNDICE NACIONAL DE PREÇOS AO CONSUMIDOR (INPC) E A CESTA BÁSICA MARÇO/2010 1. INTRODUÇÃO O Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (IPECE) apresenta os resultados do Índice Nacional de Preços ao Consumidor para a Região Metropolitana de Fortaleza. O Índice Nacional

Leia mais

BOLETIM MENSAL 30 - Nº Nº

BOLETIM MENSAL 30 - Nº Nº BOLETIM MENSAL Ano Ano 30 32 - Nº Nº 11 10 Novembro 1 Outubro - - 2016 2014 Universidade Federal de Viçosa Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes Departamento de Economia ÍNDICE DE PREÇOS AO CONSUMIDOR

Leia mais

Custo da cesta básica aumenta na maior parte das capitais do Brasil

Custo da cesta básica aumenta na maior parte das capitais do Brasil 1 São Paulo, 9 de setembro de 2016 NOTA À IMPRENSA Custo da cesta básica aumenta na maior parte das capitais do Brasil Em agosto, houve aumento no custo do conjunto de alimentos básicos em 18 das 27 capitais

Leia mais

MAIORIA DAS CAPITAIS TEM REDUÇÃO NO CUSTO DA CESTA BÁSICA

MAIORIA DAS CAPITAIS TEM REDUÇÃO NO CUSTO DA CESTA BÁSICA NOTA À IMPRENSA São Paulo, 04 de julho de 2005. MAIORIA DAS CAPITAIS TEM REDUÇÃO NO CUSTO DA CESTA BÁSICA Diferentemente de maio, quando todas as 16 capitais onde o DIEESE Departamento Intersindical de

Leia mais

ÍNDICES DE PREÇOS DO COMÉRCIO DA REGIÃO METROPOLITANA DE FORTALEZA (CE) - OUTUBRO

ÍNDICES DE PREÇOS DO COMÉRCIO DA REGIÃO METROPOLITANA DE FORTALEZA (CE) - OUTUBRO Elaboração: Francisco Estevam Martins de Oliveira, Estatístico ÍNDICES DE PREÇOS DO COMÉRCIO DA REGIÃO METROPOLITANA DE FORTALEZA (CE) - OUTUBRO 2016 - SUMÁRIO 1. RESULTADOS SINTÉTICOS DA PESQUISA... 2

Leia mais

Produto Interno Bruto Estado de São Paulo Fevereiro de 2016

Produto Interno Bruto Estado de São Paulo Fevereiro de 2016 Produto Interno Bruto Estado de São Paulo Fevereiro de 2016 Diretoria Adjunta de Análise e Disseminação de Informações Gerência de Indicadores Econômicos Em fevereiro de 2016, no acumulado de 12 meses,

Leia mais

Cesta básica mais barata em 10 capitais

Cesta básica mais barata em 10 capitais 1 São Paulo, 04 de julho 2013. NOTA À IMPRENSA Cesta básica mais barata em 10 capitais Pelo segundo mês consecutivo, houve predomínio de retração nos preços dos produtos alimentícios essenciais nas capitais

Leia mais

Índice de Preço no Consumidor. Folha de informação Rápida - I Trimestre 2015

Índice de Preço no Consumidor. Folha de informação Rápida - I Trimestre 2015 Índice de Preço no Consumidor Folha de informação Rápida - I Trimestre 2015 Abril-2015 1 Índice I.PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS DO ÍNDICE... 4 1 - Amostra de bens e serviços seleccionados... 4 2 - Amostra

Leia mais

Publicação mensal do Instituto de Pesquisas Econômicas e Sociais

Publicação mensal do Instituto de Pesquisas Econômicas e Sociais IPES Cesta Básica de Caxias do Sul Publicação mensal do Instituto de Pesquisas Econômicas e Sociais CESTA BÁSICA DE CAXIAS DO SUL Julho de 2010 Cesta Básica de Caxias do Sul, jul./10 UNIVERSIDADE DE CAXIAS

Leia mais

IPES CESTA BÁSICA CAXIAS DO SUL. Fevereiro de Cesta Básica de Caxias do Sul. Publicação mensal do Instituto de Pesquisas Econômicas e Sociais

IPES CESTA BÁSICA CAXIAS DO SUL. Fevereiro de Cesta Básica de Caxias do Sul. Publicação mensal do Instituto de Pesquisas Econômicas e Sociais IPES Cesta Básica de Caxias do Sul Publicação mensal do Instituto de Pesquisas Econômicas e Sociais CESTA BÁSICA DE CAXIAS DO SUL Fevereiro 2016 Fevereiro de 2016 UNIVERSIDADE DE CAXIAS DO SUL REITOR Prof.

Leia mais

Valor da cesta básica aumenta em todas as capitais em 2013

Valor da cesta básica aumenta em todas as capitais em 2013 1 São Paulo, 09 de janeiro de 2014. NOTA À IMPRENSA Valor da cesta básica aumenta em todas as capitais em 2013 Em 2013, o valor da cesta básica aumentou nas 18 capitais onde o DIEESE - Departamento Intersindical

Leia mais

IGP-M. Abril/ de abril de Secretaria de Política Econômica

IGP-M. Abril/ de abril de Secretaria de Política Econômica IGP-M Abril/2016 28 de abril de 2016 abr 99 out 99 abr 00 out 00 abr 01 out 01 abr 02 out 02 abr 03 out 03 abr 04 out 04 abr 05 out 05 abr 06 out 06 abr 07 out 07 abr 08 out 08 abr 09 out 09 abr 10 out

Leia mais

Custo da Cesta Básica oscila nas capitais do Brasil

Custo da Cesta Básica oscila nas capitais do Brasil 1 Curitiba, 14 de março de 2016. NOTA À IMPRENSA Custo da Cesta Básica oscila nas capitais do Brasil Em fevereiro de 2016, o custo do conjunto de alimentos básicos aumentou em 13 capitais do Brasil e diminuiu

Leia mais

BOLETIM MENSAL 30 - Nº Nº

BOLETIM MENSAL 30 - Nº Nº BOLETIM MENSAL Ano 30 Ano - Nº 31 11 - Nº 05 Novembro Maio - 2014-2015 1 Universidade Federal de Viçosa Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes Departamento de Economia ÍNDICE DE PREÇOS AO CONSUMIDOR

Leia mais

BOLETIM DA CESTA BÁSICA DE IJUÍ 1

BOLETIM DA CESTA BÁSICA DE IJUÍ 1 BOLETIM DA CESTA BÁSICA DE IJUÍ 1 Ano 6 - N 5 Maio de 2016 LEA Laboratório de Economia Aplicada www.projetos.unijui.edu.br/economia Resumo - Comunicado para a Imprensa Os dados da coleta de preços nos

Leia mais

Índice de Preços ao Consumidor - Brasília IPCA - INPC

Índice de Preços ao Consumidor - Brasília IPCA - INPC Índice de Preços ao Consumidor - Brasília IPCA - INPC Agosto de 2016 1 1 GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL Rodrigo Rollemberg Governador Renato Santana Vice-Governador SECRETARIA DE ESTADO DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO

Leia mais

BOLETIM DA CESTA BÁSICA DE SANTA ROSA 1

BOLETIM DA CESTA BÁSICA DE SANTA ROSA 1 BOLETIM DA CESTA BÁSICA DE SANTA ROSA 1 Ano 1 - N 6 Junho de 2015 Laboratório de Gestão Laboratório de Economia Aplicada Resumo - Comunicado para a Imprensa Os dados da coleta de preços nos principais

Leia mais

Chapecó tem aumento de 2,50% em fevereiro no valor do Cesto de produtos básicos

Chapecó tem aumento de 2,50% em fevereiro no valor do Cesto de produtos básicos Publicação mensal do curso de Ciências Econômicas da Universidade Comunitária da Região de Chapecó Ano 20, Nº 2 Fevereiro/2015 Chapecó tem aumento de 2,50% em fevereiro no valor do Cesto de produtos básicos

Leia mais

Índice de Preços ao Consumidor - Brasília IPCA - INPC Maio de 2016

Índice de Preços ao Consumidor - Brasília IPCA - INPC Maio de 2016 Índice de Preços ao Consumidor - Brasília IPCA - INPC Maio de 2016 1 1 Imagem disponível em www.google.com.br/imagem 1 GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL Rodrigo Rollemberg Governador Renato Santana

Leia mais

IPES CESTA BÁSICA CAXIAS DO SUL. Outubro de Cesta Básica de Caxias do Sul. Publicação mensal do Instituto de Pesquisas Econômicas e Sociais

IPES CESTA BÁSICA CAXIAS DO SUL. Outubro de Cesta Básica de Caxias do Sul. Publicação mensal do Instituto de Pesquisas Econômicas e Sociais IPES Cesta Básica de Caxias do Sul Publicação mensal do Instituto de Pesquisas Econômicas e Sociais CESTA BÁSICA DE CAXIAS DO SUL Outubro 2015 Outubro de 2015 UNIVERSIDADE DE CAXIAS DO SUL REITOR Prof.

Leia mais

IGP-M. Outubro/ de outubro de Secretaria de Política Econômica

IGP-M. Outubro/ de outubro de Secretaria de Política Econômica IGP-M Outubro/2015 29 de outubro de 2015 out 98 abr 99 out 99 abr 00 out 00 abr 01 out 01 abr 02 out 02 abr 03 out 03 abr 04 out 04 abr 05 out 05 abr 06 out 06 abr 07 out 07 abr 08 out 08 abr 09 out 09

Leia mais

BOLETIM MENSAL Ano 29 No 03 Março 2013

BOLETIM MENSAL Ano 29 No 03 Março 2013 BOLETIM MENSAL Ano 29 N o 03 Março 2013 Apoio: UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS, LETRAS E ARTES DEPARTAMENTO DE ECONOMIA ÍNDICE DE PREÇOS AO CONSUMIDOR DE VIÇOSA (IPC-VIÇOSA) Coordenador

Leia mais

BOLETIM DA CESTA BÁSICA DE IJUÍ 1

BOLETIM DA CESTA BÁSICA DE IJUÍ 1 BOLETIM DA CESTA BÁSICA DE IJUÍ 1 Ano 6 - N 8 - Agosto de 2016 LEA Laboratório de Economia Aplicada www.projetos.unijui.edu.br/economia Resumo - Comunicado para a Imprensa Os dados da coleta de preços

Leia mais

IPES CESTA BÁSICA CAXIAS DO SUL. Janeiro de Cesta Básica de Caxias do Sul. Publicação mensal do Instituto de Pesquisas Econômicas e Sociais

IPES CESTA BÁSICA CAXIAS DO SUL. Janeiro de Cesta Básica de Caxias do Sul. Publicação mensal do Instituto de Pesquisas Econômicas e Sociais IPES Cesta Básica de Caxias do Sul Publicação mensal do Instituto de Pesquisas Econômicas e Sociais CESTA BÁSICA DE CAXIAS DO SUL Janeiro 2016 Janeiro de 2016 UNIVERSIDADE DE CAXIAS DO SUL REITOR Prof.

Leia mais

Em 2007, cesta básica tem forte alta

Em 2007, cesta básica tem forte alta 1 São Paulo, 07 de janeiro de 2008. NOTA À IMPRENSA Em 2007, cesta básica tem forte alta Todas as 16 capitais onde o DIEESE Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos realiza,

Leia mais

IPES CESTA BÁSICA CAXIAS DO SUL. Julho de Cesta Básica de Caxias do Sul. Publicação mensal do Instituto de Pesquisas Econômicas e Sociais

IPES CESTA BÁSICA CAXIAS DO SUL. Julho de Cesta Básica de Caxias do Sul. Publicação mensal do Instituto de Pesquisas Econômicas e Sociais IPES Cesta Básica de Caxias do Sul Publicação mensal do Instituto de Pesquisas Econômicas e Sociais CESTA BÁSICA DE CAXIAS DO SUL Julho 2015 Julho de 2015 UNIVERSIDADE DE CAXIAS DO SUL REITOR Prof. Evaldo

Leia mais

OConsumidor Amplo (IPCA) do Instituto Brasileiro

OConsumidor Amplo (IPCA) do Instituto Brasileiro R E S E N H A D E C O N J U N T U R A ÍNDICE DE PREÇO NA REGIÃO METROPOLITANA DA GRANDE VITÓRIA 1 Em outubro a inflação mensal medida pelo IPCA na RMGV registrou um aumento de +0,44%, percentual próximo

Leia mais

Cesta Básica de Manaus apresenta alta pelo 5º mês consecutivo

Cesta Básica de Manaus apresenta alta pelo 5º mês consecutivo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos Escritório Regional do Amazonas Rua Duque de Caxias, 958, sala 17 Praça 14 de Janeiro CEP 69.020.141 Manaus- AM eram@dieese.org.br Manaus,

Leia mais

IGP-M. Junho/ de junho de Secretaria de Política Econômica

IGP-M. Junho/ de junho de Secretaria de Política Econômica IGP-M Junho/2016 29 de junho de 2016 jun 99 dez 99 jun 00 dez 00 jun 01 dez 01 jun 02 dez 02 jun 03 dez 03 jun 04 dez 04 jun 05 dez 05 jun 06 dez 06 jun 07 dez 07 jun 08 dez 08 jun 09 dez 09 jun 10 dez

Leia mais

BOLETIM MENSAL Ano 25 No 10 Outubro 2009

BOLETIM MENSAL Ano 25 No 10 Outubro 2009 BOLETIM MENSAL Ano 25 N o 10 Outubro 2009 Apoio: UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS, LETRAS E ARTES DEPARTAMENTO DE ECONOMIA ÍNDICE DE PREÇOS AO CONSUMIDOR DE VIÇOSA (IPC-VIÇOSA)

Leia mais

INPC DE FORTALEZA Janeiro/2009

INPC DE FORTALEZA Janeiro/2009 GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ SECRETARIA DO PLANEJAMENTO E GESTÃO (SEPLAG) Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (IPECE) INPC DE FORTALEZA /2009 Fortaleza, Fevereiro/2009 GOVERNO DO ESTADO

Leia mais

ÍNDICE DE PREÇOS AO CONSUMIDOR DE GOVERNADOR VALADARES (IPC- GV)

ÍNDICE DE PREÇOS AO CONSUMIDOR DE GOVERNADOR VALADARES (IPC- GV) UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CAMPUS DE GOVERNADOR VALADARES DEPARTAMENTO DE ECONOMIA ÍNDICE DE PREÇOS AO CONSUMIDOR DE GOVERNADOR VALADARES (IPC- GV) EQUIPE TÉCNICA Coordenador Geral Thiago Costa

Leia mais

IPES CESTA BÁSICA CAXIAS DO SUL. Abril de Cesta Básica de Caxias do Sul. Publicação mensal do Instituto de Pesquisas Econômicas e Sociais

IPES CESTA BÁSICA CAXIAS DO SUL. Abril de Cesta Básica de Caxias do Sul. Publicação mensal do Instituto de Pesquisas Econômicas e Sociais IPES Cesta Básica de Caxias do Sul Publicação mensal do Instituto de Pesquisas Econômicas e Sociais CESTA BÁSICA DE CAXIAS DO SUL Abril 2016 Abril de 2016 UNIVERSIDADE DE CAXIAS DO SUL REITOR Prof. Evaldo

Leia mais

Análise: O preço dos alimentos nos últimos 3 anos e 4 meses

Análise: O preço dos alimentos nos últimos 3 anos e 4 meses 1 São Paulo, 7 de maio de 2008. NOTA À IMPRENSA Análise: O preço dos alimentos nos últimos 3 anos e 4 meses O comportamento recente do preço dos alimentícios tem sido motivo de preocupação, uma vez que

Leia mais

COMENTÁRIOS comércio varejista comércio varejista ampliado

COMENTÁRIOS comércio varejista comércio varejista ampliado COMENTÁRIOS Em junho de 2015, o comércio varejista nacional registrou variação de -0,4% no volume de vendas frente ao mês imediatamente anterior, na série livre de influências sazonais, quinta taxa negativa

Leia mais

Publicação mensal do Instituto de Pesquisas Econômicas e Sociais

Publicação mensal do Instituto de Pesquisas Econômicas e Sociais IPESCesta Básica de Caxias do Sul Publicação mensal do Instituto de Pesquisas Econômicas e Sociais CESTA BÁSICA DE CAXIAS DO SUL Abril - 2013 Abril de 2013 UNIVERSIDADE DE CAXIAS DO SUL REITOR Prof. Isidoro

Leia mais

Cesta básica apresenta alta em junho

Cesta básica apresenta alta em junho Brasília, 04 de julho de 2013. Cesta básica apresenta alta em junho NOTA À IMPRENSA Em junho, o custo da Cesta Básica no Distrito Federal, segundo Pesquisa realizada pelo DIEESE - Departamento Intersindical

Leia mais

IGP-M. Fevereiro/ de fevereiro de Secretaria de Política Econômica

IGP-M. Fevereiro/ de fevereiro de Secretaria de Política Econômica IGP-M Fevereiro/2016 26 de fevereiro de 2016 fev 99 ago 99 fev 00 ago 00 fev 01 ago 01 fev 02 ago 02 fev 03 ago 03 fev 04 ago 04 fev 05 ago 05 fev 06 ago 06 fev 07 ago 07 fev 08 ago 08 fev 09 ago 09 fev

Leia mais

Cesta Básica. Boletim Dezembro

Cesta Básica. Boletim Dezembro Cesta Básica Boletim Dezembro - 2011 O custo da cesta básica na cidade de Ilhéus aumentou 1,19%, de R$206,00 em novembro passou para R$208,45 em dezembro (Tabela 1). A elevação de 18,85% no preço da banana

Leia mais

Tabela 1. Grupos Peso (%) TOTAL 100,00

Tabela 1. Grupos Peso (%) TOTAL 100,00 15 Abril 2016 1 INTRODUÇÃO Os indicadores de inflação a nível nacional se tornaram uma ferramenta crucial para avaliar a estabilidade econômica do país, sobretudo após o lançamento do plano Real, em 1994.

Leia mais

CESTA BÁSICA DE CAMPINAS: dezembro de 2007

CESTA BÁSICA DE CAMPINAS: dezembro de 2007 CESTA BÁSICA DE CAMPINAS: dezembro de 2007 Cândido Ferreira da Silva Filho 1 Introdução A pesquisa da cesta básica de Campinas, atividade de extensão realizada pela PUC Campinas, acompanha a evolução dos

Leia mais

Diretoria de Pesquisas Coordenação de Índices de Preços - COINP. Sistema Nacional de Índices de Preços ao Consumidor SNIPC.

Diretoria de Pesquisas Coordenação de Índices de Preços - COINP. Sistema Nacional de Índices de Preços ao Consumidor SNIPC. Diretoria de Pesquisas Coordenação de Índices de Preços - COINP Sistema Nacional de Índices de Preços ao Consumidor SNIPC setembro 2012 Data 05/10/2012 IPCA IPCA setembro 0,57 % agosto 0,41 % IPCA - Série

Leia mais

BOLETIM MENSAL Ano 27 No 07 Julho 2011

BOLETIM MENSAL Ano 27 No 07 Julho 2011 BOLETIM MENSAL Ano 27 N o 07 Julho 2011 Apoio: UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS, LETRAS E ARTES DEPARTAMENTO DE ECONOMIA ÍNDICE DE PREÇOS AO CONSUMIDOR DE VIÇOSA (IPC-VIÇOSA) Coordenador

Leia mais

Custo da cesta básica se eleva em dezembro no Distrito Federal

Custo da cesta básica se eleva em dezembro no Distrito Federal Brasília, 7 de janeiro de 2013. NOTA À IMPRENSA Custo da cesta básica se eleva em dezembro no Distrito Federal O custo da cesta básica no Distrito Federal em dezembro de 2012 totalizou R$ 275,95, valor

Leia mais

Publicação mensal do Instituto de Pesquisas Econômicas e Sociais

Publicação mensal do Instituto de Pesquisas Econômicas e Sociais IPES Cesta Básica de Caxias do Sul Publicação mensal do Instituto de Pesquisas Econômicas e Sociais CESTA BÁSICA DE CAXIAS DO SUL Setembro de 2009 Cesta Básica de Caxias do Sul, set./09 l UNIVERSIDADE

Leia mais

UNIVERSIDADE DE CAXIAS DO SUL CENTRO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS, ECONÔMICAS E ADMINISTRATIVAS INSTITUTO DE PESQUISAS ECONÔMICAS E SOCIAIS CESTA BÁSICA

UNIVERSIDADE DE CAXIAS DO SUL CENTRO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS, ECONÔMICAS E ADMINISTRATIVAS INSTITUTO DE PESQUISAS ECONÔMICAS E SOCIAIS CESTA BÁSICA UNIVERSIDADE DE CAXIAS DO SUL CENTRO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS, ECONÔMICAS E ADMINISTRATIVAS INSTITUTO DE PESQUISAS ECONÔMICAS E SOCIAIS CESTA BÁSICA 1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10. de Caxias do Sul JANEIRO

Leia mais

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC Fevereiro 2015

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC Fevereiro 2015 ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC Fevereiro 2015 Rio de Janeiro, 06 de março de 2015 SISTEMA NACIONAL DE ÍNDICES DE PREÇOS AO CONSUMIDOR COMENTÁRIOS Fevereiro 2015 ÍNDICE NACIONAL DE

Leia mais

BOLETIM MENSAL Ano 24 No 12 Dezembro 2008

BOLETIM MENSAL Ano 24 No 12 Dezembro 2008 BOLETIM MENSAL Ano 24 N o 12 Dezembro 2008 Apoio: UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS, LETRAS E ARTES DEPARTAMENTO DE ECONOMIA ÍNDICE DE PREÇOS AO CONSUMIDOR DE VIÇOSA (IPC-VIÇOSA)

Leia mais

Índice de Preço no Consumidor. Folha de informação Rápida - IV Trimestre 2014

Índice de Preço no Consumidor. Folha de informação Rápida - IV Trimestre 2014 Índice de Preço no Consumidor Folha de informação Rápida - IV Trimestre 2014 Janeiro-2015 1 Índice I.PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS DO ÍNDICE... 4 1 - Amostra de bens e serviços seleccionados... 4 2 - Amostra

Leia mais

BOLETIM MENSAL Ano 30 No 03 Março 2014

BOLETIM MENSAL Ano 30 No 03 Março 2014 BOLETIM MENSAL Ano 30 N o 03 Março 2014 Apoio: UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS, LETRAS E ARTES DEPARTAMENTO DE ECONOMIA ÍNDICE DE PREÇOS AO CONSUMIDOR DE VIÇOSA (IPC-VIÇOSA) Coordenador

Leia mais

IPCA setembro 2014 Data 08/10/2014

IPCA setembro 2014 Data 08/10/2014 Diretoria de Pesquisas Coordenação de Índices de Preços - COINP Sistema Nacional de Índices de Preços ao Consumidor SNIPC IPCA setembro 2014 Data 08/10/2014 IPCA Setembro 0,57 % Agosto 0,25 % IPCA Regiões

Leia mais

ÍNDICE NACIONAL DE PREÇOS AO CONSUMIDOR (INPC) E A CESTA BÁSICA FEVEREIRO/2011

ÍNDICE NACIONAL DE PREÇOS AO CONSUMIDOR (INPC) E A CESTA BÁSICA FEVEREIRO/2011 1. INTRODUÇÃO O Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (IPECE) apresenta os resultados do Índice Nacional de Preços ao Consumidor e a Cesta Básica para a Região Metropolitana de Fortaleza.

Leia mais

ÍNDICE NACIONAL DE PREÇOS AO CONSUMIDOR (INPC) E A CESTA BÁSICA DEZEMBRO/2010

ÍNDICE NACIONAL DE PREÇOS AO CONSUMIDOR (INPC) E A CESTA BÁSICA DEZEMBRO/2010 1. INTRODUÇÃO O Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (IPECE) apresenta os resultados do Índice Nacional de Preços ao Consumidor e a Cesta Básica para a Região Metropolitana de Fortaleza.

Leia mais

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC dezembro 2013

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC dezembro 2013 ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC dezembro 2013 Rio de Janeiro, 10 de janeiro de 2014 SISTEMA NACIONAL DE ÍNDICES DE PREÇOS AO CONSUMIDOR COMENTÁRIOS Dezembro 2013 1. No mês 1.1 - ÍNDICE

Leia mais

dá por meio de sete itens, conforme a estrutura de pesos apresentada na Tabela 1.

dá por meio de sete itens, conforme a estrutura de pesos apresentada na Tabela 1. z 16 1 Maio 2016 INTRODUÇÃO Os indicadores de inflação a nível nacional se tornaram uma ferramenta crucial para avaliar a estabilidade econômica do país, sobretudo após o lançamento do plano Real, em 1994.

Leia mais

SALVADOR REGISTRA ALTA DE 0,39% NO IPC DO MÊS DE ABRIL

SALVADOR REGISTRA ALTA DE 0,39% NO IPC DO MÊS DE ABRIL ABRIL 2014 Governo do Estado da Bahia Jaques Wagner Secretaria do Planejamento Seplan José Sérgio Gabrielli Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia SEI José Geraldo dos Reis Santos Diretoria

Leia mais

Indicadores IBGE. Sistema Nacional de Índices de Preços ao Consumidor IPCA INPC. fevereiro de 2012

Indicadores IBGE. Sistema Nacional de Índices de Preços ao Consumidor IPCA INPC. fevereiro de 2012 Indicadores IBGE Sistema Nacional de Índices de Preços ao Consumidor IPCA INPC fevereiro de 2012 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE Presidenta da República Dilma Rousseff Ministra do

Leia mais

CESTA BÁSICA do Município de Catalão-GO

CESTA BÁSICA do Município de Catalão-GO BOLETIM Janeiro 2016 CESTA BÁSICA do Município de Catalão-GO Mês de Referência: 01/2016 Mês de Divulgação: 02/2016 Profa. Dra. Michelle da Silva Borges; Karen Brina Borges de Deus; Luciene Maria Borges

Leia mais

IGP-M. Janeiro/ de janeiro de Secretaria de Política Econômica

IGP-M. Janeiro/ de janeiro de Secretaria de Política Econômica IGP-M Janeiro/2016 28 de janeiro de 2016 jan 99 jul 99 jan 00 jul 00 jan 01 jul 01 jan 02 jul 02 jan 03 jul 03 jan 04 jul 04 jan 05 jul 05 jan 06 jul 06 jan 07 jul 07 jan 08 jul 08 jan 09 jul 09 jan 10

Leia mais