O Impacto do MES na Rentabilidade das Indústrias EMEPRO 2009

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O Impacto do MES na Rentabilidade das Indústrias EMEPRO 2009"

Transcrição

1 O Impacto do MES na Rentabilidade das Indústrias Excelência Operacional no Chão de Fábrica EMEPRO 2009

2 PPI-Multitask missão Integrar tecnologia e pessoas para promover a melhoria do desempenho dos processos dos nossos clientes. São 20 de anos de experiência em: Desenvolvimento de sistemas e projetos voltados para o planejamento e controle das atividades industriais e melhoria de produtividade; Projetos de automação, controle e supervisão de processos, máquinas e linhas de produção; Pioneirismo em soluções MES (Manufacturing Execution Systems) no Brasil, com o desenvolvimento do software PC-Factory MES. Para fornecer uma solução MES completa e integrada ao ERP, SCM e Sistemas de Automação: Equipe multidisciplinar, composta por Consultores de Negócio, Engenheiros de Produção, Engenheiros de Automação, Engenheiros de Software, Analistas Programadores e Project Management Professionals (PMPs); Parcerias com empresas fabricantes de sistemas da camada MES, como a ASI Datamyte, Preactor e Astrein e empresas de Automação, como Atos, Elipse e Rockwell.

3 Clientes MES x tipos de produção JOB SHOP ETO MTO SIMISA Diferenciação INTERMITENTE REPETITIVO MTO MTS MTS //AUDILAB ZARAPLAST PROCESSO Volume

4 O Impacto do MES na Rentabilidade

5 Nossa Realidade Crise financeira e retração do crédito Aumento do custo do capital Mudança da prioridade de Aquisições para o resultado das Operações Recessão nos EUA e Europa Expectativa de resultados no Brasil => remessas para cobrir perdas corporativas Pressão para manter os preços devido ao impacto da queda das vendas

6 Nossa Missão = Excelência Operacional Enquanto cortes de custos drásticos podem melhorar os resultados no curto prazo, só a excelência operacional otimiza o uso dos recursos para entregar produtos a preços competitivos de forma sustentável.

7 Nossa Missão Otimizar a utilização dos ativos existentes para reduzir necessidade de novos investimentos Reduzir custos de produção para aumentar margens O que significa proporcionar um impacto positivo tanto no Demonstrativo de Resultados (DRE) como no Balanço Patrimonial da empresa E aumentar a Taxa de Retorno Sobre o Ativo Total (ROA)

8 Nossa Missão x Fórmula DuPont Lucro Vendas Margem Líquida Vendas Ativos Giro do Ativo Lucro Ativos O desafio é reduzir custos, produzir mais, mantendo ou reduzindo ativos Fonte GITMAN, 1997

9 O Caminho para a Excelência Operacional Reduzir os estoques de MP, WIP, SA e PA sem afetar o atendimento dos clientes, reduz o Ativo Circulante Inventário Iniciativas Lean, APS e MES

10 O Caminho para a Excelência Operacional Aumentar o OEE para produzir a mesma quantidade com menos recursos, ou produzir mais com os mesmos recursos, permite otimizar o ativo permanente Máquinas Iniciativas de OEE e MES

11 O Caminho para a Excelência Operacional Transformar ganhos de OEE em redução de custos, aumenta a margem do negócio Custos da Ineficiência Multas por atraso Horas/Turnos Extras Custos da não qualidade Custos de manutenção Etc... Iniciativas de Melhoria Contínua

12 Resultados Top 50 US Manufacturers Remaining 450 US Manufacturers Giro do Ativo Lucratividade ROA 1,3 0,9 8% 2,10% O Aumento do Giro do Ativo promove um aumento significativo da lucratividade e ROA! 12,50% 2,40% Source: Industry week.com article by David Drickhamer

13 Conceito MES

14 CONCEITO MES Manufacturing Execution Systems (MES) geram INFORMAÇÕES que POSSIBILITAM a OTIMIZAÇÃO das atividades de PRODUÇÃO desde a emissão de uma ordem até o despacho de produtos acabados. Utilizando dados precisos e em tempo real; MES é um conjunto integrado de funções estabelecendo uma ligação direta entre o Planejamento e a Execução Fonte: MESA (Manufacturing Enterprise Solutions Association)

15 Funcionalidades do MES ERP SCM Despacho Unidades de Produção Gerenciamento Mão-de- Obra Scheduling Rastreabilidade MES Controle de Documentos Alocação e Status de Recursos Gerenciamento de Manutenção CRM Análise de Desempenho Gerenciamento do Processo PLM Gerenciamento da Qualidade Coleta de Dados Controls Fonte: MESA (Manufacturing Enterprise Solutions Association)

16 Fluxo de Informações ERP<>MES<>Processo Fonte: MESA (Manufacturing Enterprise Solutions Association)

17 Specific Activity Models of Manufacturing Operations Mgmt - ANSI/ISA-95 Part 3 Fonte: Instrumentation, Systems, and Automation Society (ISA)

18 Novo Modelo MESA P2E Fonte: MESA (Manufacturing Enterprise Solutions Association)

19 O papel do MES para a Excelência Operacional

20 Por que MES? DORES 1 Baixa qualidade do apontamento manual de produção e consumo de matéria-prima gera diferença de Inventário, prejudica o cálculo do MRP e o planejamento de Materiais Falta visibilidade do andamento das Ordens de Produção no piso de fábrica, dificultando o atendimento do cliente

21 Coleta de Dados/Aquisição ERP MES Chão de Fábrica RF PC-Factory Database & Application Server Balanças Microterminais Fixos Impressoras. PC-Factory View WEB Machine PLC TCP/IP SCADA TCP/IP Data Collection Devices MES Workstation TCP/IP I/O Module Sensores Coletar dados de produção e sobre o processo, manual ou automaticamente, em tempo real.

22 Foco Coleta de Dados de Materiais Recebimento RF Identificação Armazenagem RF Inventário RF Requisição e Movimentação de Materiais RF Coleta de Produção Identificação de SA/PA Armazenagem RF Embarque RF Inventário RF MP jjj MP O-10 B A MP jjj O-20 C MP jjj A O-30 D MP jjj A PA jjj PA EMB jjj Consumo de MP Código do Material Lote ou No. de Série Quantidade Apontamento por Operação Quantidade de peças Boas Quantidade do Refugo & Retrabalho Reporte de Produção Lote de Produto Acabado Quantidade produzida

23 Data Collection Ordem de Produção Início de Trabalho Quem usa? A Ordem de Produção pode ser impressa com código de barras para apontamento das operações através de leitura do código de barras

24 Data Collection Consumo de Materiais Consumo de Matéria-Prima com Código de Barras Quem usa? Etiquetas com código de barras podem ser utilizadas para registrar o consumo de Matéria-Prima no piso de fábrica e realizar o reporte do Produto Elaborado

25 Data Collection Quantidade Produzida Quantidade Produzida Quem usa? Coleta automática ou apontamento manual de quantidade produzida e refugo, por operação da Ordem de Produção

26 Data Collection Identificação & Report de Materiais Reporte de produção com Código de Barras Quem usa? Etiquetas com código de barras podem ser utilizadas para realizar o reporte do Produto Acabado (Entrada no Estoque)

27 View WEB Production Tracking (Orders) Visualização do andamento da Ordem de Produção Quem usa? O módulo Production Tracking permite controlar em tempo real o fluxo das unidades de produção na forma de ordens/operações.

28 View WEB Material Tracking (Genealogy) Rastreabilidade Quem usa? O módulo Material Tracking permite rastrear a movimentação de materiais, gerando a genealogia do produto acabado.

29 View WEB Material Tracking (Inventory) Controle dos Saldos de WIP ou Estoque Quem usa? O módulo Material Tracking permite controlar em tempo real os saldos de WIP e Estoque

30 Por que MES? DORES 2 Demora na tomada de ação para resolver problemas durante o turno (Paradas por Manutenção, Problemas de Qualidade, Falta de Materiais...) 1 Baixa qualidade do apontamento manual de produção e consumo de matéria-prima gera diferença de Inventário, prejudica o cálculo do MRP e o planejamento de Materiais Falta visibilidade do andamento das Ordens de Produção no piso de fábrica, dificultando o atendimento do cliente

31 Foco Coleta de Dados de Recursos Automação da Coleta de Dados em processos repetitivos Coleta de dados de Produção Paradas, Performance, Qualidade Manutenção Processo MP O-10 IHM O-20 O-30 PA PLC MES Workstation

32 Data Collection Alocação e Status de Recursos Identificação do Motivo da Parada Quem usa? Ao utilizar a MES Workstation, para justificar o motivo da parada do recurso, o operador pode também inserir comentários, ou informar horário retroativo.

33 Data Collection Painel de Produção Gestão à Vista da Produção: Meta x Real Road Map 2009 Quem usa? Display de produção para indicar a Meta de Produção x Realizado no Turno, assim como o status atual do recurso e indicadores de desempenho.

34 View WEB Alocação e Status de Recursos Monitoramento On-line das máquinas Quem usa? O monitoramento on-line permite o acompanhamento em tempo real do status dos recursos produtivos e disponibiliza históricos detalhados de todos os eventos ocorridos.

35 Alarm Engine - Paradas e Perda de Velocidade Alarm Engine net-send; SMS Quem usa? Alarmes são disparados, permitindo o reconhecimento imediato dos eventos que causam perdas de disponibilidade e performance.

36 Data Collection Manutenção Registro da Ocorrência de Manutenção Quem usa? Mantenedor Mantenedor Mantenedor Mantenedor Mantenedor Mantenedor Mantenedor Mantenedor Alarmes de manutenção permitem controlar paradas de manutenção que não receberam ocorrência (registro da falha). O controle das ocorrências de manutenção pode ser feito de modo stand-alone ou integrado com o sistema de Gerenciamento da Manutenção da empresa.

37 Data Collection Add-on CEP On-Line Controle Estatístico de Processo Quem usa? Coleta de dados manual ou automática permite o controle do processo através de medição e carta de controle de variáveis. Alarmes indicam tendência das variáveis saírem dos limites de controle.

38 Por que MES? DORES 3 2 Não existe uma base de conhecimento das principais perdas de produção, que levam a baixa produtividade e conseqüentemente ao aumento do custo industrial e redução da capacidade produtiva Demora na tomada de ação para resolver problemas durante o turno (Paradas por Manutenção, Problemas de Qualidade, Falta de Materiais...) 1 Baixa qualidade do apontamento manual de produção e consumo de matéria-prima gera diferença de Inventário, prejudica o cálculo do MRP e o planejamento de Materiais Falta visibilidade do andamento das Ordens de Produção no piso de fábrica, dificultando o atendimento do cliente

39 View WEB Pareto de Paradas Análise das Paradas Quem usa? O Pareto de Paradas aponta os principais motivos de paradas para priorizar as iniciativas de melhoria de disponibilidade.

40 View WEB Pareto de Perdas de Velocidade Análise de Perdas de Velocidade Quem usa? O Pareto de perdas de velocidade permite avaliar os principais motivos de perda de performance.

41 View WEB Pareto de Qualidade Análise de Perdas de Refugo e Retrabalho por Recurso Quem usa? O Pareto de refugo e retrabalho, permite avaliar os motivos de maior incidência para ação da equipe de qualidade.

42 Por que MES? DORES Desconhece a sua eficiência e conseqüentemente a real capacidade produtiva Necessita de ganhos sustentáveis de produtividade para manutenção da competitividade e rentabilidade do negócio Não existe uma base de conhecimento das principais perdas de produção, que levam a baixa produtividade e conseqüentemente ao aumento do custo industrial e redução da capacidade produtiva Demora na tomada de ação para resolver problemas durante o turno (Paradas por Manutenção, Problemas de Qualidade, Falta de Materiais...) 1 Baixa qualidade do apontamento manual de produção e consumo de matéria-prima gera diferença de Inventário, prejudica o cálculo do MRP e o planejamento de Materiais Falta visibilidade do andamento das Ordens de Produção no piso de fábrica, dificultando o atendimento do cliente

43 Conceito OEE TEMPO TOTAL 24 HORAS X 365 DIAS TEMPO DISPONÍVEL TEMPO OPERACIONAL TEMPO TRABALHADO TEMPO PRODUTIVO BRUTO PARADA NÃO PLANEJADA PARADA PLANEJADA TEMPO FORA DE TURNO TEMPO PERDIDO POR VARIAÇÃO DE RITMO TEMPO PRODUTIVO LÍQUIDO TEMPO PERDIDO POR PEÇAS A RETRABALHAR TEMPO PERDIDO POR PEÇAS REFUGADAS

44 Conceito OEE FTT = TEMPO PRODUTIVO LÍQUIDO TEMPO PRODUTIVO BRUTO PERFORMANCE = TEMPO PRODUTIVO BRUTO TEMPO TRABALHADO UTILIZAÇÃO = TEMPO TRABALHADO TEMPO OPERACIONAL DISPONIBILIDADE = TEMPO TRABALHADO TEMPO DISPONÍVEL Produtividade = FTT x Performance x Utilização OEE (overall equipment efectiveness) = FTT x Performance x Disponibilidade AE AE (asset (asset efectiveness) efectiveness) = OEE OEE x Tempo Tempo Disponível Disponível Tempo Tempo Total Total

45 View WEB Indicadores de Desempenho Análise do OEE e Produtividade de Mão de Obra Quem usa? O gráfico de Sumarização de Tempos permite visualizar a participação de cada uma das principais perdas de produção, segundo o conceito do OEE.

46 View WEB Análise de Eficiência de Setup O Relatório Comparativo de Setup indica a eficiência do setup por produto e recurso. Quem usa?

47 View WEB Indicadores de Manutenção Análise de Confiabilidade e Manutenabilidade Quem usa? O relatório de disponibilidade técnica de manutenção, MTTR e MTBF, permite priorizar as ações de melhoria da manutenção e de confiabilidade dos equipamentos.

48 View Web- Add-on CEP On-line Análise de Capacidade do Processo Quem usa? Qualidade Qualidade No Histograma é possível analisar a normalidade da distribuição, bem como todos cálculos de Capacidade do Processo Controlado (Cp, CpK, etc)

49 Por que MES? DORES 5 Alto mix de produtos e falta de visibilidade da programação da produção, dificulta a promessa de entrega, aumenta a incidência de setup, horas extras e níveis de estoque, e ainda ocorrem atrasos e multas Desconhece a sua eficiência e conseqüentemente a real capacidade produtiva Necessita de ganhos sustentáveis de produtividade para manutenção da competitividade e rentabilidade do negócio Não existe uma base de conhecimento das principais perdas de produção, que levam a baixa produtividade e conseqüentemente ao aumento do custo industrial e redução da capacidade produtiva Demora na tomada de ação para resolver problemas durante o turno (Paradas por Manutenção, Problemas de Qualidade, Falta de Materiais...) 1 Baixa qualidade do apontamento manual de produção e consumo de matéria-prima gera diferença de Inventário, prejudica o cálculo do MRP e o planejamento de Materiais Falta visibilidade do andamento das Ordens de Produção no piso de fábrica, dificultando o atendimento do cliente

50 Finite Capacity Scheduling Gráfico de Gantt Quem usa? Comercial Comercial PPCP PPCP Presidente Presidente O APS programa a produção com o o conceito capacidade finita. Gera programas de produção confiáveis que levam em consideração a real capacidade dos recursos.

51 Só Tecnologia Não Basta

52 FAZER Mudança Comportamental ESFORÇO COMPORTAMENTO TEMPO PROCESSO PARTICIPATIVO QUERER PROCESSO IMPOSITIVO ATITUDE CONHECIMENTO SABER

53 MES E PRODUTIVIDADE PLANEJAMENTO MONITORAMENTO MEDIÇÃO AVALIAÇÃO Atendimento ao Programa COLETA DE DADOS Metas de Indicadores Metas de Produção SINOPTICO DE STATUS DAS LINHAS ACOMPANHAMENTO DE VARIAÇÃO DE RITMO CÁLCULO DE INDICADORES: - PERFORMANCE - FTT - DISPONIBILIDADE - OEE ESTRATIFICAÇÃO DE MOTIVOS DE PARADA E DE VARIAÇÃO ANÁLISE DE ATINGIMENTO DE METAS ANÁLISE DE TENDÊNCIAS TOMADA TOMADA DE DE AÇÃO AÇÃO TOMADA TOMADA DE DE TOMADA TOMADA DE DE AÇÃO AÇÃO AÇÃO AÇÃO TREINAMENTO TOMADA TOMADA DE DE AÇÃO AÇÃO

54 BENEFÍCIOS E RESULTADOS

55 Benefícios Operacionais Redução do tempo de produção e tempos de espera Redução de material em processo Melhoria da qualidade Melhoria de produtividade Minimização de papel Redução de tempo de digitação Tomadas de decisões mais rápidas Fonte: MESA (Manufacturing Enterprise Solutions Association)

56 Benefícios Corporativos Aumento do retorno sobre ativos Aumento do retorno sobre investimentos em TI e automação Melhoria do atendimento Redução do custo operacional Redução de devoluções Menor custo de inventário Sincronização com a demanda Tomadas de decisões mais rápidas Fonte: MESA (Manufacturing Enterprise Solutions Association)

57 Resultados do MES USO GANHOS OPERACIONAIS 5 APS Melhoria de 80% na Performace de Entrega 4 3 Pró-ação Aumento de 15% na produtividade média 2 Melhoria Contínua Reação Aumento de 16% do OEE nos primeiros 4 meses do projeto, gerando um ganho equivalente a 1,5 mês de produção no primeiro ano. Redução das paradas por manutenção para apenas 3% 1 Qualidade da Informação Redução de diferenças de inventário: de 10% para 0,5% Redução de 11% do estoque de matérias primas

58 PERGUNTAS Marcelo F. Pinto Comercial

Integração de Sistemas Industriais com a Suíte GE Proficy

Integração de Sistemas Industriais com a Suíte GE Proficy Integração de Sistemas Industriais com a Suíte GE Proficy Ricardo Caruso Vieira Aquarius Software 1. Introdução Há mais de duas décadas, a indústria investe intensamente em sistemas ERP (Enterprise Resource

Leia mais

Integração de Sistemas Industriais com a Suíte GE Proficy

Integração de Sistemas Industriais com a Suíte GE Proficy Integração de Sistemas Industriais com a Suíte GE Proficy Ricardo Caruso Vieira Aquarius Software Revista Cadware Ed.22 versão online 1. Introdução Há mais de duas décadas, a indústria investe intensamente

Leia mais

MI02 - Manufatura Inteligente, trazendo resultados para o cliente

MI02 - Manufatura Inteligente, trazendo resultados para o cliente MI02 - Manufatura Inteligente, trazendo resultados para o cliente Core Business Soluções para controle e gestão de processos. Mercados Alvo Alimentos; Nutrição animal; Polímeros; Química Auto peças. Unidade

Leia mais

Sistemas de controle e gerenciamento de produção para o aumento da eficiência e produtividade nas indústrias

Sistemas de controle e gerenciamento de produção para o aumento da eficiência e produtividade nas indústrias Sistemas de controle e gerenciamento de produção para o aumento da eficiência e produtividade nas indústrias Roberto Campos MAXMES Agenda Introdução Definição de Métricas M de Operações e KPIs Sistemas

Leia mais

Tecnologia da Informação: Otimizando Produtividade e Manutenção Industrial

Tecnologia da Informação: Otimizando Produtividade e Manutenção Industrial Tecnologia da Informação: Otimizando Produtividade e Manutenção Industrial Por Christian Vieira, engenheiro de aplicações para a América Latina da GE Fanuc Intelligent Platforms, unidade da GE Enterprise

Leia mais

Ortems. Agile Manufacturing Software ADV ANCE D PLANN ING AND DE TAI LED SCH EDUL ING - AP S

Ortems. Agile Manufacturing Software ADV ANCE D PLANN ING AND DE TAI LED SCH EDUL ING - AP S ADV ANCE D PLANN ING AND DE TAI LED SCH EDUL ING - AP S QUEM SOMOS Empresa criada no Brasil no ano de 1996 como joint-venture da SORMA SpA Itália, proprietária de um software ERP para indústrias. Realizou

Leia mais

COMO MELHORAR O DESEMPENHO DAS LINHAS DE. Edson Donisete da Silva, Carlos Roberto Sponteado Aquarius Software

COMO MELHORAR O DESEMPENHO DAS LINHAS DE. Edson Donisete da Silva, Carlos Roberto Sponteado Aquarius Software COMO MELHORAR O DESEMPENHO DAS LINHAS DE PRODUÇÃO Edson Donisete da Silva, Carlos Roberto Sponteado Aquarius Software Objetivo Apresentar conceitos e ferramentas atuais para melhorar eficiência da produção

Leia mais

PIMS & MES Process Information Management Systems & Manufacturing Execution Systems

PIMS & MES Process Information Management Systems & Manufacturing Execution Systems PIMS & MES Process Information Management Systems & Manufacturing Execution Systems Prof. Ricardo J. Rabelo UFSC Universidade Federal de Santa Catarina DAS Departamento de Automação e Sistemas SUMÁRIO

Leia mais

PIMS Process Information Management System

PIMS Process Information Management System INTRODUÇÃO O setor industrial vem sofrendo constantes pressões para alcançar a excelência operacional, objetivando garantir sua competitividade. Algumas das principais pressões observadas são: redução

Leia mais

Advanced Planning and Scheduling

Advanced Planning and Scheduling Advanced Planning and Scheduling Por Soraya Oliveira e Raquel Flexa A importância do planejamento Uma cadeia de suprimentos é composta por diversos elos conectados que realizam diferentes processos e atividades

Leia mais

INNOVA. Soluções de software que capacitam os processadores de aves a...

INNOVA. Soluções de software que capacitam os processadores de aves a... INNOVA Soluções de software que capacitam os processadores de aves a... Maximizar o rendimento e a produtividade Estar em conformidade com os padrões de qualidade e garantir a segurança dos alimentos Obter

Leia mais

TECNOLOGIA NC-MES. Coleta de dados no chão de fábrica. ApontamentoS PRECISOS Coleta de dados no local e no momento de origem

TECNOLOGIA NC-MES. Coleta de dados no chão de fábrica. ApontamentoS PRECISOS Coleta de dados no local e no momento de origem Supervisão e monitoração da produção Análise de perdas, falhas e causas Indicadores de desempenho OEE e TRS O chão de fábrica em tempo real Mesmo quando todas as variáveis são idênticas mesmo produto,

Leia mais

PRODUTIVIDADE PARA O MUNDO REAL. APS Excellence Day Rio de Janeiro, 24 de junho de 2015

PRODUTIVIDADE PARA O MUNDO REAL. APS Excellence Day Rio de Janeiro, 24 de junho de 2015 PRODUTIVIDADE PARA O MUNDO REAL. APS Excellence Day Rio de Janeiro, 24 de junho de 2015 Confidencialidade, Propriedade Intelectual e Marca Registrada Apresentação Renato Mendes renato.mendes@mezasoft.com

Leia mais

CEP - DA. Controle Estatístico do Processo

CEP - DA. Controle Estatístico do Processo CEP - DA Controle Estatístico do Processo Principais Funcionalidades Automatiza as rotinas do Controle Estatístico do Processo A solução para CEP da Directa Automação, composta de software e hardware,

Leia mais

MES e Eficiência de Linhas de Produção

MES e Eficiência de Linhas de Produção MES e Eficiência de Linhas de Produção por Edson Donisete da Silva e Carlos Roberto Sponteado Melhora constante no processo produtivo. Aumento da qualidade do produto que é entregue ao cliente final. Redução

Leia mais

Automação: rentabilidade e qualidade 16º Encafé - 2008

Automação: rentabilidade e qualidade 16º Encafé - 2008 Automação: elemento fundamental para a rentabilidade e qualidade AUTOMAÇÃO É ESSENCIAL PARA O DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO O setor de automação possui papel central no desenvolvimento econômico mundial, com

Leia mais

EVOLUÇÃO DO CONCEITO DE MES

EVOLUÇÃO DO CONCEITO DE MES MAXMES EVOLUÇÃO DO CONCEITO DE MES White Paper Maxmes # 01 07/2009 MAXMES www.maxmes.com.br 1.0 Introdução A AMR Research conceituou o MES em 1990 como um sistema de informação que residia entre a automação

Leia mais

Sistemas para Gestão e Inovação

Sistemas para Gestão e Inovação Sistemas para Gestão e Inovação empresa A ACCION é uma empresa de software, inovação, relacionamento e suporte à gestão. O nome ACCION, tem origem na vocação de nossa empresa: AÇÃO! Nos segmentos que atuamos,

Leia mais

ESTUDO DE CASO EM GERENCIAMENTO DE PRODUÇÃO: EFICIÊNCIA/OEE.

ESTUDO DE CASO EM GERENCIAMENTO DE PRODUÇÃO: EFICIÊNCIA/OEE. artigo gerenciamento de produção ESTUDO DE CASO EM GERENCIAMENTO DE PRODUÇÃO: EFICIÊNCIA/OEE. Luis Phillipe F. Machado (luis.machado@techplus.com.br), Coordenador de Projetos; e Samarone Guimarães Ruas

Leia mais

OTIMIZAÇÃO AVÍCOLA. Mix ótimo de Venda Rendimento de Fábrica Otimização Remessa de Ração Otimização de Apanha

OTIMIZAÇÃO AVÍCOLA. Mix ótimo de Venda Rendimento de Fábrica Otimização Remessa de Ração Otimização de Apanha OTIMIZAÇÃO AVÍCOLA Mix ótimo de Venda Rendimento de Fábrica Otimização Remessa de Ração Otimização de Apanha VISÃO GERAL DA SOLUÇÃO Gestão do Desempenho Gerenciamento de indicadores BI Otimização Campo

Leia mais

A certificação CS&OP-P

A certificação CS&OP-P A certificação CS&OP-P Em mercados competitivos o profissional que dominar o processo de S&OP possuirá grande diferencial estratégico e vantagem competitiva no ambiente de negócios. Neste cenário onde

Leia mais

Universidade do Estado de Santa Catarina UDESC Centro de Ciências Tecnológicas CCT Engenharia de Produção e Sistemas Sistemas de Informação (SIN)

Universidade do Estado de Santa Catarina UDESC Centro de Ciências Tecnológicas CCT Engenharia de Produção e Sistemas Sistemas de Informação (SIN) Universidade do Estado de Santa Catarina UDESC Centro de Ciências Tecnológicas CCT Engenharia de Produção e Sistemas Sistemas de Informação (SIN) SISTEMAS COM ERP Profº Adalberto J. Tavares Vieira ERP

Leia mais

CS&OP-P Certified S&OP Professional

CS&OP-P Certified S&OP Professional A achain é uma empresa especializada nas áreas de Supply Chain, Value Chain e Demand Chain Management, com atuação nas modalidades de serviços de treinamento e apoio administrativo. Missão achain: Proporcionar

Leia mais

Indicadores de Desempenho do SGQ

Indicadores de Desempenho do SGQ Módulo 3: Indicadores de Desempenho do SGQ Instrutor: Henrique Pereira Indicadores de Desempenho do SGQ Partes interessadas: Quem são? Quais são suas necessidades? Como monitorar e medir os processos:

Leia mais

Objetivo da Aula. Enterprise Resource Planning - ERP. Descrever os sistemas ERP, seus módulos e possíveis aplicações e tendências 23/4/2010

Objetivo da Aula. Enterprise Resource Planning - ERP. Descrever os sistemas ERP, seus módulos e possíveis aplicações e tendências 23/4/2010 Enterprise Resource Planning - ERP Objetivo da Aula Descrever os sistemas ERP, seus módulos e possíveis aplicações e tendências 2 1 Sumário Informação & TI Sistemas Legados ERP Classificação Módulos Medidas

Leia mais

CONCEITOS RELACIONADOS ÀS ATIVIDADES A SEREM DESENVOLVIDAS NOS EPISÓDIOS 1, 2 E 3.

CONCEITOS RELACIONADOS ÀS ATIVIDADES A SEREM DESENVOLVIDAS NOS EPISÓDIOS 1, 2 E 3. CONCEITOS RELACIONADOS ÀS ATIVIDADES A SEREM DESENVOLVIDAS NOS EPISÓDIOS 1, 2 E 3. PROBLEMA: É UM OBSTÁCULO QUE ESTÁ ENTRE O LOCAL ONDE SE ESTÁ E O LOCAL EM QUE SE GOSTARIA DE ESTAR. ALÉM DISSO, UM PROBLEMA

Leia mais

Observação: As caixas em vermelho representam módulos adicionais.

Observação: As caixas em vermelho representam módulos adicionais. Fenícia Gestão ERP Introdução O FENÍCIA GESTÃO ERP é uma solução integrada, personalizável, de gerenciamento corporativo, que se destaca pela sua robustez aliada ao alto grau de tecnologia e conhecimento

Leia mais

São mais de 20 anos no mercado

São mais de 20 anos no mercado São mais de 20 anos no mercado No mercado há mais de 20 anos, o CEM é um software de cálculo de esquadrias equipado com recursos de alta tecnologia que otimiza processos e alcança os melhores resultados.

Leia mais

Otimize seus negócios e ganhe produtividade

Otimize seus negócios e ganhe produtividade Otimize seus negócios e ganhe produtividade Diferenciais O software Fenícia ERP é uma solução completa, especialmente desenvolvida para atender a pequenas e médias empresas que cobre todos os processos

Leia mais

Sistemas de Administração e Gestão da Produção

Sistemas de Administração e Gestão da Produção Sistemas de Administração e Gestão da Produção Izabel Cristina Zattar izabelzattar@netvision.com.br www.grima.ufsc.br/izabel/index.html Os 3 Grandes Níveis do Planejamento Horizonte de detalhamento Diário/Semanal

Leia mais

Recursos Humanos Prof. Angelo Polizzi. Logística Empresarial e Sistema Integrado. Objetivos do Tema. Logística

Recursos Humanos Prof. Angelo Polizzi. Logística Empresarial e Sistema Integrado. Objetivos do Tema. Logística Recursos Humanos Prof. Angelo Polizzi e Sistema Integrado Objetivos do Tema Apresentar: Uma visão da logística e seu desenvolvimento com o marketing. A participação da logística como elemento agregador

Leia mais

EcoEMOS. produção com inteligência. www.durr.com

EcoEMOS. produção com inteligência. www.durr.com EcoEMOS produção com inteligência www.durr.com EcoEMOS facilidade no controle da controle da producão produção Na Dürr, nós trabalhamos de forma contínua para aperfeiçoar nossos produtos, sistemas e conceitos

Leia mais

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM http://www.t2ti.com Projeto T2Ti ERP 2.0. Bloco Suprimentos. WMS Gerenciamento de Armazém

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM http://www.t2ti.com Projeto T2Ti ERP 2.0. Bloco Suprimentos. WMS Gerenciamento de Armazém Bloco Suprimentos WMS Gerenciamento de Armazém Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre o Módulo WMS, que se encontra no Bloco Suprimentos. Todas informações aqui disponibilizadas foram

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO PARA CURTUMES

SISTEMA DE GESTÃO PARA CURTUMES SISTEMA DE GESTÃO PARA CURTUMES FAST4WEB COMÉRCIO E SOFTWARE LTDA RUA: PRIMEIRO DE MARÇO, 785 403 SÃO LEOPOLDO - RS I Apresentação - A Empresa A Fast4Web atua a mais de cinco anos no mercado obtendo ótimos

Leia mais

Adicionando valor na produção

Adicionando valor na produção Adicionando valor na produção Em um mercado global altamente competitivo e em constantes transformações, a otimização do resultado dos processos de produção é fundamental. Pressões ambientais e de custo,

Leia mais

Apresentação da Empresa

Apresentação da Empresa Apresentação da Empresa Somos uma empresa especializada em desenvolver e implementar soluções de alto impacto na gestão e competitividade empresarial. Nossa missão é agregar valor aos negócios de nossos

Leia mais

TOTVS COLABORAÇÃO 2.0 FISCAL powered by NeoGrid

TOTVS COLABORAÇÃO 2.0 FISCAL powered by NeoGrid TOTVS COLABORAÇÃO 2.0 FISCAL powered by NeoGrid Recebimento de NF-e e CT-e Emissão de NF-e, CT-e, MDF-e e NFS-e Integração nativa com o seu ERP Exija a solução que é o melhor investimento para a gestão

Leia mais

Ricardo Paulino Gerente de Processos e Estratégia

Ricardo Paulino Gerente de Processos e Estratégia Ricardo Paulino Gerente de Processos e Estratégia Agenda Sobre a Ferrettigroup Brasil O Escritório de Processos Estratégia Adotada Operacionalização do Escritório de Processos Cenário Atual Próximos Desafios

Leia mais

T11 - Manufatura Inteligente Integrando sistemas para o aumento da Produtividade

T11 - Manufatura Inteligente Integrando sistemas para o aumento da Produtividade T11 - Manufatura Inteligente Integrando sistemas para o aumento da Produtividade PUBLIC PUBLIC - 5058-CO900H Desafios Tradicionais de Manufatura Dados de chão de fábrica tipicamente usados somente para

Leia mais

3) Descreva resumidamente a função do módulo de Compras do ERP da Microsiga e qual é a sua relação com o conceito de e-procurement.

3) Descreva resumidamente a função do módulo de Compras do ERP da Microsiga e qual é a sua relação com o conceito de e-procurement. Professor:José Alves Disciplina:SIG/ Atividade Nota Nome Aluno(a) Nºs Exercícios SIG 1) Defina, com suas palavras, o que é ERP? 2) Marque V para as afirmações verdadeiras em relação a um ERP e F para as

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DO MES PARA MELHORIA DE PRODUTIVIDADE EM UMA LINHA DE FABRICAÇÃO DE COMPRESSORES DE ELETRODOMÉSTICOS

IMPLANTAÇÃO DO MES PARA MELHORIA DE PRODUTIVIDADE EM UMA LINHA DE FABRICAÇÃO DE COMPRESSORES DE ELETRODOMÉSTICOS IMPLANTAÇÃO DO MES PARA MELHORIA DE PRODUTIVIDADE EM UMA LINHA DE FABRICAÇÃO DE COMPRESSORES DE ELETRODOMÉSTICOS Débora Padovani 1 Carlos Frajuca 2 João Sinohara da Silva Sousa 3 As importantes transformações

Leia mais

Gestão Integrada de Ativos e Serviços IBM Maximo Asset Management

Gestão Integrada de Ativos e Serviços IBM Maximo Asset Management Gestão Integrada de Ativos e Serviços IBM Maximo Asset Management Gestão de ativos e serviços Services Value Assets VISIBILIDADE, CONTROLE E AUTOMAÇÃO Foco no negócio Maximizar ROE Maximizar ROA Maximizar

Leia mais

Apresentação de Resultados 1T11 17 de Maio de 2011

Apresentação de Resultados 1T11 17 de Maio de 2011 Apresentação de Resultados 1T11 17 de Maio de 2011 Relações com Investidores Agenda 1. Destaques 2. Evolução das Receitas e Custos Hardware Software Serviços 3. Despesas e Margens 4. Investimentos e Caixa

Leia mais

Gerência da Informação nos Processos de Automação Industrial

Gerência da Informação nos Processos de Automação Industrial Gerência da Informação nos Processos de Automação Industrial Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica Redes Industriais Professor Affonso Alessandro J. de Souza / Affonso Guedes Objetivos Discorrer

Leia mais

GESTÃO EM PRODUÇÃO E SERVIÇOS

GESTÃO EM PRODUÇÃO E SERVIÇOS UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO ESCOLA POLITÉCNICA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA INDUSTRIAL MBA GESTÃO EM PRODUÇÃO E SERVIÇOS DISCIPLINAS E EMENTAS SINTONIZANDO PERCEPÇÕES E UNIFORMIZANDO A LINGUAGEM

Leia mais

CompuStream Representação

CompuStream Representação Por Maximilian Immo Orm Gorissen Gerenciamento dos técnicos de campo Uma visão estratégica do business intelligence associado às operações de serviço a produtos. Nos últimos anos, o conceito de atendimento

Leia mais

FENICIA GESTÃO ERP Enterprise Resource Planning (Planejamento dos Recursos da Empresa)

FENICIA GESTÃO ERP Enterprise Resource Planning (Planejamento dos Recursos da Empresa) FENICIA GESTÃO ERP Enterprise Resource Planning (Planejamento dos Recursos da Empresa) O FENÍCIA GESTÃO ERP é uma solução integrada, personalizável, de gerenciamento corporativo, que se destaca pela sua

Leia mais

Maximo EAM GESTÃO INTELIGENTE DE ATIVOS

Maximo EAM GESTÃO INTELIGENTE DE ATIVOS Maximo EAM GESTÃO INTELIGENTE DE ATIVOS Herbert De Carvalho MAXIMO EAM Sales IBM Corporation Tivoli Software +55 11 2322.6738 (phone) +55 11 9 8134.3131 (cel) herbert.carvalho@br.ibm.com Agenda Introdução

Leia mais

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM http://www.t2ti.com Projeto T2Ti ERP 2.0 Autor: Marco Polo Viana. Bloco Suprimentos

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM http://www.t2ti.com Projeto T2Ti ERP 2.0 Autor: Marco Polo Viana. Bloco Suprimentos Bloco Suprimentos Controle de Produção PCP Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre o Módulo Controle de Produção PCP, que se encontra no Bloco Suprimentos. Todas informações aqui disponibilizadas

Leia mais

Sistemas de Informações. SCM Supply Chain Management

Sistemas de Informações. SCM Supply Chain Management Sistemas de Informações SCM Supply Chain Management Fontes Bozarth, C.; Handfield, R.B. Introduction to Operations and Supply Chain Management. Prentice Hall. 2nd. Edition Objetivos Fluxos de Informação

Leia mais

Apresentação da Empresa

Apresentação da Empresa STRAIGHT MANUFACTURE Consultoria Logística e Industrial Apresentação da Empresa 1 Apresentação pessoal Bruno S. Ferreira Sócio-diretor da Responsável pelas áreas de: Logística Produtividade industrial

Leia mais

Sistemas de Apoio. Prof.: Luiz Mandelli Neto. Sistemas de Apoio. ERP (Enterprise Resource Planning) PLANEJAMENTO DE RECURSOS EMPRESARIAIS

Sistemas de Apoio. Prof.: Luiz Mandelli Neto. Sistemas de Apoio. ERP (Enterprise Resource Planning) PLANEJAMENTO DE RECURSOS EMPRESARIAIS Sistemas de Apoio Prof.: Luiz Mandelli Neto Sistemas de Apoio ERP (Enterprise Resource Planning) PLANEJAMENTO DE RECURSOS EMPRESARIAIS Mapa de TI da cadeia de suprimentos Estratégia Planejamento Operação

Leia mais

artigo SUPPLY CHAIN Ricardo Caruso Vieira (rcaruso@aquarius.com.br), Departamento de Serviços Especiais da Aquarius Software Ltda.

artigo SUPPLY CHAIN Ricardo Caruso Vieira (rcaruso@aquarius.com.br), Departamento de Serviços Especiais da Aquarius Software Ltda. O PAPEL DA AUTOMAÇÃO NA GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS Ricardo Caruso Vieira (rcaruso@aquarius.com.br), Departamento de Serviços Especiais da Aquarius Software Ltda. INTRODUÇÃO Peter Drucker, um dos pensadores

Leia mais

Migração de sistemas antigos. Avançando para um futuro competitivo

Migração de sistemas antigos. Avançando para um futuro competitivo Migração de sistemas antigos Avançando para um futuro competitivo A automação e controle é um dos mais importantes investimentos para garantir o sucesso da manufatura de qualquer indústria. Porém, por

Leia mais

Integração entre Sistemas de Seqüenciamento e ERP para solução de problemas de alteração de ordens de produção devido a eventos inesperados

Integração entre Sistemas de Seqüenciamento e ERP para solução de problemas de alteração de ordens de produção devido a eventos inesperados Integração entre Sistemas de Seqüenciamento e ERP para solução de problemas de alteração de ordens de produção devido a eventos inesperados Helio Galvão Ciffoni, Ramon Hoshino & Walid Nicolas Assad Malisoft

Leia mais

Gerenciamento Integrado de Ferramentas de Corte

Gerenciamento Integrado de Ferramentas de Corte Gerenciamento Integrado de Ferramentas de Corte DESAFIOS DA INDÚSTRIA Eng. Jardel Lemos do Prado jardel.prado@adeptmec.com Eng. Rafael B. Mundim mundim@ita.br SUMÁRIO Histórico 1900-2000 Definição do Gerenciamento

Leia mais

CONCEITOS E FUNÇÕES DO PLANEJAMENTO, DA PROGRAMAÇÃO E DO CONTROLE DA PRODUÇÃO PPCP (Petrônio Garcia Martins / Fernando Piero Martins Capítulo 7)

CONCEITOS E FUNÇÕES DO PLANEJAMENTO, DA PROGRAMAÇÃO E DO CONTROLE DA PRODUÇÃO PPCP (Petrônio Garcia Martins / Fernando Piero Martins Capítulo 7) CONCEITOS E FUNÇÕES DO PLANEJAMENTO, DA PROGRAMAÇÃO E DO CONTROLE DA PRODUÇÃO PPCP (Petrônio Garcia Martins / Fernando Piero Martins Capítulo 7) A ESTRATÉGIA DA MANUFATURA E O SISTEMA PPCP: A estratégia

Leia mais

Soluções baseadas no SAP Business One BX PRODUCTION BX PRODUCTION. Software de Gestão para Manufatura Discreta e Repetitiva.

Soluções baseadas no SAP Business One BX PRODUCTION BX PRODUCTION. Software de Gestão para Manufatura Discreta e Repetitiva. Brochura BX PRODUCTION Soluções baseadas no SAP Business One BX PRODUCTION Software de Gestão para Manufatura Discreta e Repetitiva SAP Business One para manufatura discreta e repetitiva A combinação de

Leia mais

Por que utilizar o modelo ITIL

Por que utilizar o modelo ITIL Por que utilizar o modelo ITIL... O que não é definido não pode ser controlado... O que não é controlado não pode ser medido... O que não é medido não pode ser melhorado Empregado para definir, controlar,

Leia mais

Enterprise Asset Management [EAM] Maximize o retorno sobre os ativos empresariais.

Enterprise Asset Management [EAM] Maximize o retorno sobre os ativos empresariais. Enterprise Asset Management [EAM] Maximize o retorno sobre os ativos empresariais. No atual cenário econômico, organizações do mundo inteiro enfrentam uma pressão enorme para gerir seus ativos proativamente

Leia mais

MANUFATURA DE ALTO DESEMPENHO COM PLM, MES/MOM E ERP

MANUFATURA DE ALTO DESEMPENHO COM PLM, MES/MOM E ERP MANUFATURA DE ALTO DESEMPENHO COM PLM, MES/MOM E ERP ProIndústria-Fórum 2012 02 03 de outubro Excelência Operacional na Manufatura Luiz Egreja Engenheiro Eletricista pela EFEI com MBA pela FIA/FEA - USP

Leia mais

Sistema de gestão. Sistema de Gestão ERP

Sistema de gestão. Sistema de Gestão ERP Sistema de gestão ERP MÓDULOS E CLIENTES Os módulos podem ser adquiridos separadamente, conforme a sua necessidade. ÁREA COMERCIAL ÁREA ADMINISTRATIVA FINANCEIRA ÁREA PRODUÇÃO E SUPRIMENTOS ÁREA FISCAL

Leia mais

Introdução ao Sistema ERP

Introdução ao Sistema ERP Introdução ao Sistema ERP Parte 1- Introdução ao ERP - Benefícios básicos de um sistema ERP - Dificuldades de implantação - ERP e a realidade da pequena empresa brasileira Parte 2 Sistema Genesis-ERP da

Leia mais

Sistema Binário. Aula - 10 CRM (Customer Relationship Management Gerenciamento das relações com os clientes ) Faculdades Integradas Campos Salles

Sistema Binário. Aula - 10 CRM (Customer Relationship Management Gerenciamento das relações com os clientes ) Faculdades Integradas Campos Salles Sistema Binário Faculdades Integradas Campos Salles Aula - 10 CRM (Customer Relationship Management Gerenciamento das relações com os clientes ) Carlos Antonio José Oliviero São Paulo - 2012 Sistema Binário

Leia mais

5.4 Manufacturing Resources Planning

5.4 Manufacturing Resources Planning 5.4 Manufacturing Resources Planning 5.4 Manufacturing Resources Planning O Planejamento dos Recursos de Manufatura (Manufacturing Resourdes Panning, em inglês, ou MRP II) representa um esforço para expandir

Leia mais

OTIMIZAÇÃO DA PROGRAMAÇÃO E SEQUENCIAMENTO DA PRODUÇÃO EM UM TRATAMENTO TÉRMICO COM A UTILIZAÇÃO DE SISTEMAS DE CAPACIDADE FINITA

OTIMIZAÇÃO DA PROGRAMAÇÃO E SEQUENCIAMENTO DA PRODUÇÃO EM UM TRATAMENTO TÉRMICO COM A UTILIZAÇÃO DE SISTEMAS DE CAPACIDADE FINITA OTIMIZAÇÃO DA PROGRAMAÇÃO E SEQUENCIAMENTO DA PRODUÇÃO EM UM TRATAMENTO TÉRMICO COM A UTILIZAÇÃO DE SISTEMAS DE CAPACIDADE FINITA Izabel C. Zattar, Carlos M. Sacchelli, M. Eng. Instituto Superior de Tecnologia

Leia mais

Infor ERP SyteLine Visão Geral. Edgar Eler Arquiteto de Sistemas

Infor ERP SyteLine Visão Geral. Edgar Eler Arquiteto de Sistemas Infor ERP SyteLine Visão Geral Edgar Eler Arquiteto de Sistemas Sobre a Mag-W A Mag-W foi criada especialmente para trazer ao mercado o que há de melhor em soluções corporativas de Tecnologia da Informação

Leia mais

CA Infrastructure Management Resolvendo os problemas mais complexos de TI

CA Infrastructure Management Resolvendo os problemas mais complexos de TI CA Infrastructure Management Resolvendo os problemas mais complexos de TI As empresas são confrontadas com iniciativas críticas de TI 1. Transformação das Atividades de TI Reestruturar e consolidar os

Leia mais

Sistemas Integrados ASI - II

Sistemas Integrados ASI - II Sistemas Integrados ASI - II SISTEMAS INTEGRADOS Uma organização de grande porte tem muitos tipos diferentes de Sistemas de Informação que apóiam diferentes funções, níveis organizacionais e processos

Leia mais

Lean Six Sigma Uma estratégia de sucesso para enfrentar crises, falta de competitividade e aumentar a lucratividade das empresas e organizações.

Lean Six Sigma Uma estratégia de sucesso para enfrentar crises, falta de competitividade e aumentar a lucratividade das empresas e organizações. Lean Six Sigma Uma estratégia de sucesso para enfrentar crises, falta de competitividade e aumentar a lucratividade das empresas e organizações. O atual cenário econômico no Brasil não é dos melhores e

Leia mais

Proposta de novos Indicadores para Gestão em Setores de Manutenção

Proposta de novos Indicadores para Gestão em Setores de Manutenção SEGeT Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia 1 Proposta de novos Indicadores para Gestão em Setores de Manutenção RESUMO Atualmente, as organizações vêm buscando incessantemente novas ferramentas

Leia mais

LMA, Solução em Sistemas

LMA, Solução em Sistemas LMA, Solução em Sistemas Ao longo dos anos os sistemas para gestão empresarial se tornaram fundamentais, e por meio dessa ferramenta as empresas aperfeiçoam os processos e os integram para uma gestão mais

Leia mais

Papel e importância dos sistemas LIMS na indústria moderna

Papel e importância dos sistemas LIMS na indústria moderna Papel e importância dos sistemas LIMS na indústria moderna Georgio Raphaelli Labsoft Tecnologia E-mail: georgior@gmail.com Resumo: Um bom sistema de uso diário, produzido especificamente para laboratórios

Leia mais

Módulos QM de sistemas ERP ou MES x Sistemas LIMS

Módulos QM de sistemas ERP ou MES x Sistemas LIMS Módulos QM de sistemas ERP ou MES x Sistemas LIMS Módulos de controle ou gestão da qualidade de sistemas ERP ou MES X sistemas para automação e gestão de laboratórios LIMS e suas diferenças conceituais

Leia mais

SCM Supply Chain Management Desafio na Integração de clientes e fornecedores

SCM Supply Chain Management Desafio na Integração de clientes e fornecedores SCM Supply Chain Management Desafio na Integração de clientes e fornecedores OBJETIVOS Principais desafios de Supply Chain enfrentados pelas indústrias Premissas para criação de valor na comunicação interempresas

Leia mais

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO @ribeirord FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Rafael D. Ribeiro, M.Sc,PMP. rafaeldiasribeiro@gmail.com http://www.rafaeldiasribeiro.com.br Sistemas de Informação Sistemas de Apoio às Operações Sistemas

Leia mais

Leia dicas infalíveis para aumentar a produtividade do seu time e se manter competitivo no mercado da construção civil.

Leia dicas infalíveis para aumentar a produtividade do seu time e se manter competitivo no mercado da construção civil. Leia dicas infalíveis para aumentar a produtividade do seu time e se manter competitivo no mercado da construção civil. 2 ÍNDICE SOBRE O SIENGE INTRODUÇÃO 01 PROMOVA A INTEGRAÇÃO ENTRE AS ÁREAS DE SUA

Leia mais

Portfólio de Treinamentos. Exo Excelência Operacional // 2014

Portfólio de Treinamentos. Exo Excelência Operacional // 2014 Portfólio de Treinamentos Exo Excelência Operacional // 2014 Treinamentos Exo Excelência Operacional A Exo Excelência Operacional traz para você e sua empresa treinamentos fundamentais para o desenvolvimento

Leia mais

Controlador de Bombas modelo ABS PC 242 Monitoramento e Controle de Bombas e Estações de Bombeamento

Controlador de Bombas modelo ABS PC 242 Monitoramento e Controle de Bombas e Estações de Bombeamento Controlador de Bombas modelo ABS PC 242 Monitoramento e Controle de Bombas e Estações de Bombeamento Um Único Dispositivo para Monitoramento e Controle Há várias formas de melhorar a eficiência e a confiabilidade

Leia mais

ERP & BI ENTENTENDO A BUSCA CONSTANTE DAS EMPRESAS POR UM SISTEMA QUE FORNEÇA INFORMAÇÕES CONFIÁVEIS PARA TOMADA DE DECISÃO*

ERP & BI ENTENTENDO A BUSCA CONSTANTE DAS EMPRESAS POR UM SISTEMA QUE FORNEÇA INFORMAÇÕES CONFIÁVEIS PARA TOMADA DE DECISÃO* ERP & BI ENTENTENDO A BUSCA CONSTANTE DAS EMPRESAS POR UM SISTEMA QUE FORNEÇA INFORMAÇÕES CONFIÁVEIS PARA TOMADA DE DECISÃO* RESUMO Marilia Costa Machado - UEMG - Unidade Carangola Graciano Leal dos Santos

Leia mais

Consultoria em TI PARA LIBERDADE, NÃO TEM PORQUÊ. TEM SOLICON.

Consultoria em TI PARA LIBERDADE, NÃO TEM PORQUÊ. TEM SOLICON. Consultoria em TI PARA LIBERDADE, NÃO TEM PORQUÊ. TEM SOLICON. Portifólio Missão Atender as necessidades de nossos clientes e garantir o retorno de seus investimentos, implementando os melhores serviços

Leia mais

INFORMAÇÕES GERENCIADAS

INFORMAÇÕES GERENCIADAS INFORMAÇÕES GERENCIADAS Gerenciamento de projeto sobre o qual é possível criar Soluções Primavera para engenharia e construção ORACLE É A EMPRESA Melhore o desempenho de projeto, a lucratividade e os resultados

Leia mais

O que é e-ppcp? Funcionalidades adicionadas:

O que é e-ppcp? Funcionalidades adicionadas: e-ppcp / e-kanban 1 O que é e-ppcp? O e-ppcp é um aplicativo desenvolvido em ABAP/4 pela IntegrationSys para adicionar ao ERP SAP funcionalidades para suportar efetivamente o planejamento e operação de

Leia mais

A Organização orientada pela demanda. Preparando o ambiente para o Drummer APS

A Organização orientada pela demanda. Preparando o ambiente para o Drummer APS A Organização orientada pela demanda. Preparando o ambiente para o Drummer APS Entendendo o cenário atual As organizações continuam com os mesmos objetivos básicos: Prosperar em seus mercados de atuação

Leia mais

Estudo de Viabilidade

Estudo de Viabilidade Estudo de Viabilidade PGE: Plastic Gestor Empresarial Especificação de Requisitos e Validação de Sistemas Recife, janeiro de 2013 Sumário 1. Motivação... 1 2. Introdução: O Problema Indentificado... 2

Leia mais

DISTRIBUIÇÃO E ARMAZENAGEM

DISTRIBUIÇÃO E ARMAZENAGEM DISTRIBUIÇÃO E ARMAZENAGEM WMS WAREHOUSE MANAGEMENT SYSTEM SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE ARMAZÉM/DEP M/DEPÓSITO WMS Software de gerenciamento de depósito que auxilia as empresas na busca de melhorias nos

Leia mais

RESUMO DA SOLUÇÃO Aperfeiçoando o planejamento de capacidade com o uso do gerenciamento de desempenho de aplicativos

RESUMO DA SOLUÇÃO Aperfeiçoando o planejamento de capacidade com o uso do gerenciamento de desempenho de aplicativos RESUMO DA SOLUÇÃO Aperfeiçoando o planejamento de capacidade com o uso do gerenciamento de desempenho de aplicativos como posso assegurar uma experiência excepcional para o usuário final com aplicativos

Leia mais

Controle e Gestão de processos industriais Case:

Controle e Gestão de processos industriais Case: Controle e Gestão de processos industriais Case: Core Business Soluções para controle e gestão de processos. A pluralidade de conhecimentos dos profissionais da Libracom permite ir mais longe na busca

Leia mais

ERP ENTERPRISE RESOURCE PLANNING

ERP ENTERPRISE RESOURCE PLANNING INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL CÂMPUS CANOAS ERP ENTERPRISE RESOURCE PLANNING RENAN ROLIM WALENCZUK Canoas, Agosto de 2014 SUMÁRIO 1 INTODUÇÃO...03 2 ERP (ENTERPRISE

Leia mais

Sistema de gestão. Sistema de Gestão ERP

Sistema de gestão. Sistema de Gestão ERP Sistema de gestão ERP MÓDULOS E CLIENTES Os módulos podem ser adquiridos separadamente, conforme a sua necessidade. ÁREA COMERCIAL ÁREA ADMINISTRATIVA FINANCEIRA ÁREA PRODUÇÃO E SUPRIMENTOS ÁREA FISCAL

Leia mais

Sistema de gestão. Sistema de Gestão ERP

Sistema de gestão. Sistema de Gestão ERP Sistema de gestão ERP Módulo MÓDULOS E CLIENTES Os módulos podem ser adquiridos separadamente, conforme a sua necessidade. COMERCIAL ADMINISTRATIVA FINANCEIRA PEDIDOS EXPORTAÇÃO CONTAS A RECEBER TELEMARKETING

Leia mais

Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Turismo. Conteúdo Programático. Administração Geral / 100h

Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Turismo. Conteúdo Programático. Administração Geral / 100h Administração Geral / 100h O CONTEÚDO PROGRAMÁTICO BÁSICO DESTA DISCIPLINA CONTEMPLA... Administração, conceitos e aplicações organizações níveis organizacionais responsabilidades Escola Clássica história

Leia mais

Curso de Engenharia de Produção. Manutenção dos Sistemas de Produção

Curso de Engenharia de Produção. Manutenção dos Sistemas de Produção Curso de Engenharia de Produção Manutenção dos Sistemas de Produção Introdução: As Atividades de Manutenção devem ser pensadas estrategicamente de maneira a contribui para resultado da empresa rumo a Excelência

Leia mais

15/09/2011. Historico / Conceito. Lean Production é um programa corporativo ADMINISTRAÇÃO DA PRODUÇÃO II. Evolucao do Conceito LEAN THINKING

15/09/2011. Historico / Conceito. Lean Production é um programa corporativo ADMINISTRAÇÃO DA PRODUÇÃO II. Evolucao do Conceito LEAN THINKING Historico / Conceito Lean : década de 80 James Womack (MIT) Projeto de pesquisa: fabricantes de motores automotivos; ADMINISTRAÇÃO DA PRODUÇÃO II Lean Production é um programa corporativo composto por

Leia mais

Software de gerenciamento de trabalho

Software de gerenciamento de trabalho Software de gerenciamento de trabalho Software de gerenciamento de trabalho GoalPost O software de gerenciamento de trabalho (LMS) GoalPost da Intelligrated fornece informações sob demanda para medir,

Leia mais

Ambientação nos conceitos

Ambientação nos conceitos Ambientação em Gestão de Projetos Maria Lúcia Almeida Ambientação nos conceitos Gestão de áreas funcionais e gestão de projetos Qualquer um pode ser gerente de projetos? Qual a contribuição da gestão de

Leia mais

APRESENTAÇÃO DA EMPRESA

APRESENTAÇÃO DA EMPRESA APRESENTAÇÃO DA EMPRESA Sumário 1. Quem somos 2. Nossa missão 3. O que fazemos 4. Internet 5. Service-Desk 6. Outsourcing de Impressão 7. Nossos principais Clientes 1. Quem somos Atuando a mais de 8 anos

Leia mais

LINX GESTÃO DE LOJAS E FRANQUIAS

LINX GESTÃO DE LOJAS E FRANQUIAS LINX GESTÃO DE LOJAS E FRANQUIAS LINX GESTÃO DE LOJAS E FRANQUIAS Sistema completo de gestão, com a experiência de quem atende as maiores redes de franquias do país. Maior fornecedora de software de gestão

Leia mais

Software para Controle Estatístico do Processo (CEP)

Software para Controle Estatístico do Processo (CEP) Software para Controle Estatístico do Processo (CEP) A FERRAMENTA CEP: "CEP é uma poderosa ferramenta de monitoramento e controle dos parâmetros vitais de processo e de produto, objetivando buscar a estabilização

Leia mais