12 - Dados Estruturados Vetores, Matrizes e Strings

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "12 - Dados Estruturados Vetores, Matrizes e Strings"

Transcrição

1 12 - Dados Estruturados Vetores, Matrizes e Strings Unesp Campus de Guaratinguetá Curso de Programação Computadores Prof. Aníbal Tavares Profa. Cassilda Ribeiro Ministrado por: Prof. André Amarante Vetores, Matrizes e Strings 1

2 12.1 Dados Estruturados: Array Array - Definição Vetor ou Array é a forma mais familiar de dados estruturados. Um array é um conjunto de componentes do mesmo tipo, que podem ser acessados individualmente a partir de um único nome. Vetores, Matrizes e Strings 2

3 12.1 Array - Problema Dada uma relação de 5 estudantes, imprimir o número de matrícula de cada estudante, cuja nota é maior do que a média da classe. Vetores, Matrizes e Strings 3

4 12.1 Array - Problema 1 o. Algoritmo Início algoritmo Leia(num1,nota1,num2,nota2,num3,nota3,num4, nota4,num5,nota5) media (nota1+nota2+nota3+nota4+nota5) / 5.0 Se nota1 > media então escreva (num1) Se nota2 > media então escreva (num2) Se nota3 > media então escreva (num3) Se nota4 > media então escreva (num4) Se nota5 > media então escreva (num5) Fim algoritmo Vetores, Matrizes e Strings 4

5 12.1 Array - Solução 1 1. Uma variável para cada número de matrícula 100 variáveis 2. Uma variável para cada nota variáveis testes Vetores, Matrizes e Strings 5

6 12.1 Array - Definição Como estes dados têm uma relação entre si, podemos declará-los com um nome ÚNICO para todos os 100 elementos. Seja, por ex, um conjunto de 100 números = Lista Lista[0] Lista[3] Lista[99] Vetores, Matrizes e Strings 6

7 12.1 Array - Definição O elemento do vetor tem todas as características de uma variável e pode aparecer em expressões e atribuições. Lista[2] Lista[3] + Lista[20] Para somar todos os elementos da Lista: soma 0 para i 0 até 99 faça soma soma + Lista[i] Vetores, Matrizes e Strings 7

8 12.1Array - Características As características básicas de um Array são: é uma estrutura homogênea, isto é, é formada de elementos do mesmo tipo todos os elementos da estrutura são igualmente acessíveis, isto é, o tempo e o tipo de procedimento para acessar qualquer um dos elementos do Array são iguais cada elemento componente desta estrutura tem um nome próprio segundo sua posição no conjunto Vetores, Matrizes e Strings 8

9 Array - Solução 2 2 o. Algoritmo Início algoritmo Para i 0 até 4 faça Leia(num[i],nota[i]) soma 0,0 Para i 0 até 4 faça soma soma + nota[i] media soma/5 Para i 0 até 4 faça Se (nota[i] > media) então escrever (num[i]) Fim algoritmo Vetores, Matrizes e Strings 9

10 12.1 Dados Estruturados: Declaração de Vetores Na linguagem C a declaração do array é feita juntamente com as demais variáveis, e é preciso dizer qual é o tipo de dado que será armazenado no array. A declaração de um vetor com uma única dimensão é feita do seguinte modo: tipo nome_variavel[no. de elementos] Exemplo 1: int val[ 5 ]; Cria um vetor de nome val, de tamanho 5 e cujos elementos são do tipo int. val[0] val[1] val[2] val[3] val[4] Os índices variam de 0 até 4 Vetores, Matrizes e Strings 10

11 12.1 Dados Estruturados: Declaração de Vetores Observações: 1) O acesso a cada elemento do vetor é feito através de uma indexação da variável val. 2) Em C, a indexação de um vetor varia de zero a n-1, onde n representa a dimensão do vetor. Assim: Mas: val [0] acessa o primeiro elemento de val val [1] acessa o segundo elemento de val... val [4] acessa o último elemento de v val[5] está ERRADO (invasão de memória) Vetores, Matrizes e Strings 11

12 12.1 Dados Estruturados: Declaração de Vetores Exemplo 2: Para declarar um vetor com 50 números reais float custo[50]; float - Tipo de cada elemento do vetor 50 - No. de elementos do vetor custo - Nome do vetor custo[i] Aquilo que está na posição índice i do vetor custo Exemplo 3: Coloque o valor 34.6 na primeira posição do vetor custo e o valor 56.7 na última posição: custo[0] = 34.6; custo[49] = 56.7; Exemplo 4:Coloque no quarto elemento do vetor o dobro do valor do segundo elemento: custo[3] = 2* custo[1]; Vetores, Matrizes e Strings 12

13 12.1 Dados Estruturados: Declaração de Vetores A Linguagem C permite que se faça a declaração do vetor ao mesmo tempo que atribuição de valores iniciais. Exemplo 5: int val[5] = {3, 2, 6, 4, 5}; aqui foi declarado um vetor de inteiros com 5 elementos e atribuído a ele os valores entre chaves val[0] O acesso e a modificação dos elementos do vetor é feito diretamente sobre a variável. Exemplo 6: val[1] = val[1] + 1; val[3] = val[1]+ val[3]; val[0] val[1] val[2] val[3] val[4] val[1] val[2] val[3] val[4] Vetores, Matrizes e Strings 13

14 12.1 Dados Estruturados: Declaração de Vetores OBS:Se um vetor for declarado com n elementos e forem atribuídos inicialmente ao vetor, apenas k valores (k<n), então os primeiros k elementos do vetor serão iniciados com os respectivos valores e os restantes serão inicializados com ZERO. Exemplo 7: Suponha a seguinte declaração: int v3[10] = {10,33,45}; Neste caso os três primeiros elementos do vetor v3 (índices 0, 1 e 2) recebem os valores 10, 33 e 45 respectivamente. e todos os demais elementos recebem o valor ZERO Assim a declaração acima é equivalentes à: int v3[10] = {10,33,45,0,0,0,0,0,0,0}; Vetores, Matrizes e Strings 14

15 12.1 Dados Estruturados: Vetor - Problemas Programa 1: Criar um programa com um vetor de 10 inteiros tal que seus elementos são da forma v[i] = i+1. Imprimir o vetor. Programa 1 Usando vetores main() // incluir <stdio.h> e <stdlib.h> { int i; int v[10]; // Colocando valores em v. for(i=0; i < 10; i++) v[i] = i + 1; // Mostra os elementos de v -> v[i]. for(i=0; i < 10; i++) printf( %d ", v[i]); puts( ); // Mostra os indices i de v[i]. for(i=0; i < 10; i++) printf( v[%d] ", i); } // fim programa 1 2 v[0] v[1] V [ i ] = i + 1; Vetores, Matrizes e Strings 15 9 v[8] 10 v[9] printf( %d,v[i]); printf( v[%d],i);

16 12.1 Dados Estruturados: Vetor - Problemas Programa 2 : Fazer um programa que leia um conjunto de 10 elementos numéricos,a partir do teclado, armazene-os no vetor A e depois os imprima. #include <stdlib.h> #include <stdio.h> main() { int A[10]; int I; // inicio printf("digite os 10 elementos do vetor; sendo um em cada linha\n"); for (I=0; I< 10;I++)// ler o vetor scanf("%d",&a[i]); printf("vetor lido\n"); for (I=0; I<10;I++) // imprimir vetor printf("a[%d] = %d\n", I, A[I]); system("pause"); } Vetores, Matrizes e Strings 16

17 12.1 Dados Estruturados: Vetor - Problemas Programa 2 Exemplo de Execução Vetores, Matrizes e Strings 17

18 12.1 Dados Estruturados: Vetor - Problemas Programa 3: Criar um programa que armazene em um vetor os 10 primeiros termos da seqüência de Fibonacci. Imprimir o vetor. F(n)=F(n-1)+F(n-2) onde: n=0,1,2, 3,... e F(0) = F(1) = 1 Espiral de Fibonacci E I Programa 3 Fibonacci main() // incluir <stdio.h> e <stdlib.h> { int i; int v[10]; v[1] = v[0] = 1; // Colocando valores em v. for(i=2; i < 10; i++) v[i] = v[i-1] + v[i-2]; // Mostra os elementos de v -> v[i]. for(i=0; i < 10; i++) printf( %d ", v[i]); puts( ); // Mostra os indices i de v[i]. for(i=0; i < 10; i++) printf( v[%d] ", i); } // fim programa Vetores, Matrizes e Strings 18 I E

19 12.1 Dados Estruturados: Vetor - Problemas Programa 4 : Dada uma relação de 5 estudantes, imprimir a a nota do estudante cuja nota é maior que a média da classe. Etapas de Resolução 1. Ler e armazenar notas. 2. Calcular a média. 3. Exibir notas > média. O programa ao lado pode ser melhorado com o uso dos comandos const ou ainda define //Programa 4 Notas Maiores main() // incluir <stdio.h> e <stdlib.h> {int i; float v[5], media = 0.0; // Colocar valores em v. for(i=0; i < 5; i++) { printf( Insira Nota %d:,i+1); scanf( %f,&v[i]); } for(i=0; i < 5; i++) // Cálculo média. media=media+v[i]; media=media/5; printf( Media = %f \n, media); for(i=0; i < 5; i++) // Ver v[i]>media. if (v[i] > media) printf( v[%d] = %f \n", i+1,v[i]); } // fim programa Vetores, Matrizes e Strings 19

20 12.1 Dados Estruturados: Vetor - Problemas Programa 4 Exemplo de Execução Vetores, Matrizes e Strings 20

21 12.1 Vetor: Definição de Constantes Ao se escrever um programa, deve-se fazê-lo de modo que uma pequena alteração nos dados não provoque grandes transformações no código. O programa 4, por exemplo, foi escrito para rodar com um vetor de 5 elementos. Para que ele possa ser executado para um vetor de 40 elementos (40 alunos), é preciso alterar todas as ocorrências do número 5 pelo número 40. A solução para esse problema é a utilização de constantes, que uma vez alteradas, propagam o novo valor por todas as ocorrências. Uma constante nada mais é que um nome correspondendo a um valor fixo, isto é que não pode ser alterado ao longo da execução do programa. Vetores, Matrizes e Strings 21

22 12.1 Vetor: Definição de Constantes A definição de constantes pode ser feita de duas maneiras distintas: Através da palavra reservada const const tipo simbolo =valor; Através da diretiva de pré processamento #define #define simbolo valor OBS: As constantes declaradas com o #define devem ser feitas imediatamente após as linhas dos #includes. As constantes declaradas com o const podem ser feitas após os #includes ou após o main(). Pode-se então, reescrever o programa 4, usando constantes. Vetores, Matrizes e Strings 22

23 12.1 Vetor - Constantes - Uso do comando #define //Problema 4 Notas Maiores #include <stdio.h> #define n 5 //sem ponto e virgula main() { int i; float v[n], media = 0.0; // Colocar valores em v. for(i=0; i < n; i++) { printf( Insira Nota %d:,i+1); scanf( %f,&v[i]); } for(i=0; i < n; i++)// Cálculo média. media=media + v[i]; media=media/n; for(i=0; i < n; i++) // Ver v[i]>media. if (v[i] > media) printf( v[%d] = %f \n", i+1,v[i]); } // fim programa Quando o define é utilizado,o compilador substitui todas as ocorrências do símbolo pelo valor definido. Às constantes definidas com o símbolo #define chamam-se constantes simbólicas. Com a declaração: #define n 5 Em todo lugar onde aparecer a variável n, ela terá o valor constante igual a 5 Vetores, Matrizes e Strings 23

24 12.1 Vetor- Constantes - Uso do comando const O qualificador const permite ao programador informar que o valor de uma variável particular não deve ser modificado. Ou seja, a constante obtida com const existe fisicamente em uma dada posição de memória. Exemplo de declaração: const int n=5; //Problema 4 Notas Maiores //usando const #include <stdio.h> main() { const int n = 5; int i; float v[n], media = 0.0; // Colocar valores em v. for(i=0; i < n; i++) { printf( Insira Nota %d:,i+1); scanf( %f,&v[i]); } for(i=0; i < n; i++)// Cálculo média. media=media+v[i]; media=media/n; for(i=0; i < n; i++) //Ver v[i]>media. if (v[i] > media) printf( v[%d] = %f \n", i+1,v[i]); } // fim programa Vetores, Matrizes e Strings 24

25 Unesp-Campus de Guaratinguetá 12 - Vetores FIM Aula 12 Referências dos slides Curso de Programação de Computadores Prof. Aníbal Tavares Profa. Cassilda Ribeiro Prof. Décio Mourão Prof. Galeno Sena Vetores, Matrizes e Strings 25

Programação: Vetores

Programação: Vetores Programação de Computadores I Aula 09 Programação: Vetores José Romildo Malaquias Departamento de Computação Universidade Federal de Ouro Preto 2011-1 1/62 Motivação Problema Faça um programa que leia

Leia mais

Curso de Introdução à Liguagem de. Grupo PET-Tele. Universidade Federal Fluminense. July 16, 2012

Curso de Introdução à Liguagem de. Grupo PET-Tele. Universidade Federal Fluminense. July 16, 2012 urso de à urso de à Universidade Federal Fluminense July 16, 2012 Indrodução urso de à O é uma linguagem de programação criada por Dennis Ritchie, em 1972 e que continua a ser muito utilizada até os dias

Leia mais

Linguagem C: Introdução

Linguagem C: Introdução Linguagem C: Introdução Linguagem C É uma Linguagem de programação genérica que é utilizada para a criação de programas diversos como: Processadores de texto Planilhas eletrônicas Sistemas operacionais

Leia mais

Programação Básica. Estrutura de um algoritmo

Programação Básica. Estrutura de um algoritmo Programação Básica Estrutura de um algoritmo Código-fonte Como vimos na aula anterior um algoritmo pode ser representado usando um fluxograma Um algoritmo pode também ser representado usando texto Esse

Leia mais

Introdução à Programação. Introdução a Linguagem C. Prof. José Honorato F. Nunes

Introdução à Programação. Introdução a Linguagem C. Prof. José Honorato F. Nunes Introdução à Programação Introdução a Linguagem C Prof. José Honorato F. Nunes honorato.nunes@ifbaiano.bonfim.edu.br Resumo da aula Introdução Variáveis Tipos de dados Operadores e Expressões: Operadores

Leia mais

1) Operadores de auto incremento ++ e auto decremento --

1) Operadores de auto incremento ++ e auto decremento -- Aula 09 - Operadores de auto incremento e auto decremento, atribuição múltipla, atribuição na declaração, atribuição resumida e algumas regras de boa programação. 1) Operadores de auto incremento ++ e

Leia mais

Variáveis, Tipos de Dados e Operadores

Variáveis, Tipos de Dados e Operadores ! Variáveis, Tipos de Dados e Operadores Engenharias Informática Aplicada 2.o sem/2013 Profa Suely (e-mail: smaoki@yahoo.com) VARIÁVEL VARIÁVEL É um local lógico, ligado a um endereço físico da memória

Leia mais

Introdução a Programação de Jogos

Introdução a Programação de Jogos Introdução a Programação de Jogos Aula 03 Introdução a Linguagem C Edirlei Soares de Lima Estrutura de um Programa C Inclusão de bibliotecas auxiliares: #include Definição

Leia mais

Fundamentos de Programação. Linguagem C++ aula II - Variáveis e constantes. Prof.: Bruno Gomes

Fundamentos de Programação. Linguagem C++ aula II - Variáveis e constantes. Prof.: Bruno Gomes Fundamentos de Programação Linguagem C++ aula II - Variáveis e constantes Prof.: Bruno Gomes 1 Variáveis Representa uma porção da memória que pode ser utilizada pelo programa para armazenar informações

Leia mais

Vetores e Matrizes. Conceito. Conceito. Conceito. Conceito. Conceito. Variáveis Compostas Homogêneas. Matriz

Vetores e Matrizes. Conceito. Conceito. Conceito. Conceito. Conceito. Variáveis Compostas Homogêneas. Matriz Variáveis Compostas Homogêneas São conhecidas na linguagem C como matrizes. Vetores e es É um conjunto de variáveis do mesmo tipo, acessíveis com um único nome e armazenadas de forma contínua na memória.

Leia mais

17 - Funções e Procedimentos em C Programação Modular

17 - Funções e Procedimentos em C Programação Modular 17 - Funções e Procedimentos em C Programação Modular Unesp Campus de Guaratinguetá Curso de Programação Computadores Prof. Aníbal Tavares Profa. Cassilda Ribeiro Ministrado por: Prof. André Amarante 17

Leia mais

Estruturas da linguagem C. 1. Identificadores, tipos primitivos, variáveis e constantes, operadores e expressões.

Estruturas da linguagem C. 1. Identificadores, tipos primitivos, variáveis e constantes, operadores e expressões. 1 Estruturas da linguagem C 1. Identificadores, tipos primitivos, variáveis e constantes, operadores e expressões. Identificadores Os identificadores seguem a duas regras: 1. Devem ser começados por letras

Leia mais

7. Dados Estruturados Vetores, Matrizes e Strings

7. Dados Estruturados Vetores, Matrizes e Strings 7. Dados Estruturados Vetores, Matrizes e Strings Unesp Campus de Guaratinguetá 7. Dados Estruturados: Array Array - Definição Vetor ou Array é a forma mais familiar de dados estruturados. Curso: Programação

Leia mais

Computação I (MAB120) DCC/UFRJ

Computação I (MAB120) DCC/UFRJ Computação I (MAB120) DCC/UFRJ Aula 12: vetores 13 de maio de 2016 Objetivos dessa aula Apresentar o conceito de Tipos Compostos Homogêneos Apresentar o conceito de vetores Apresentar as operações básicas

Leia mais

MC-102 Aula 10 Vetores

MC-102 Aula 10 Vetores MC-102 Aula 10 Vetores Instituto de Computação Unicamp 15 de Setembro de 2016 Roteiro 1 Introdução 2 Vetores Definição de Vetores Vetores Como usar Vetores e a Memória Vetores Exemplos 3 Informações Extras:

Leia mais

1ª Lista de Exercícios

1ª Lista de Exercícios Universidade Federal do Rio de Janeiro Data: 26/04/05 Disciplina: Computação I 1ª Lista de Exercícios 1) Faça um programa, em pseudo-código, que peça ao usuário que informe n números reais e então calcule

Leia mais

Lógica e Linguagem de Programação Convertendo um algoritmo em pseudocódigo para a linguagem C Professor: Danilo Giacobo

Lógica e Linguagem de Programação Convertendo um algoritmo em pseudocódigo para a linguagem C Professor: Danilo Giacobo Lógica e Linguagem de Programação Convertendo um algoritmo em pseudocódigo para a linguagem C Professor: Danilo Giacobo Este documento explica como transformar um algoritmo escrito na forma pseudocódigo

Leia mais

Vetores Unimensionais

Vetores Unimensionais Vetores Unimensionais Objetivos Entender a importância e a necessidade do uso de Vetores Definição de Manipulação de Vetores Inserir elementos em um vetor (usando laços ou não) Imprimir elementos de um

Leia mais

Tabela T1: Tags para comandos de impressão.

Tabela T1: Tags para comandos de impressão. O que é um nome? O que chamamos rosa não cheiraria igualmente doce em outro nome? W. Shakespeare. PRINTF O comando printf é capaz de imprimir uma mensagem na tela, bem como o comando puts, que além de

Leia mais

<identificador>[<tamanho>]: <tipo>;

<identificador>[<tamanho>]: <tipo>; Vetores e Constantes Imagine uma situação na qual fosse necessário armazenar 100 valores para processamento. Por exemplo, pode ser necessário armazenar as notas de 100 provas de uma turma de alunos. Uma

Leia mais

5. Vetores e alocação dinâmica

5. Vetores e alocação dinâmica 5. Vetores e alocação dinâmica W. Celes e J. L. Rangel 5.1. Vetores A forma mais simples de estruturarmos um conjunto de dados é por meio de vetores. Como a maioria das linguagens de programação, C permite

Leia mais

Linguagem C Controle do Fluxo de Execução. Lógica de Programação

Linguagem C Controle do Fluxo de Execução. Lógica de Programação Linguagem C Controle do Fluxo de Execução Lógica de Programação Caro(a) aluno(a), Aqui começaremos a escrever os nossos primeiros programas em uma Linguagem de Programação. Divirta-se!!! Estrutura Seqüencial

Leia mais

O vetor é provavelmente um dos mais simples e importantes tipos agregados. Através do seu uso, podemos

O vetor é provavelmente um dos mais simples e importantes tipos agregados. Através do seu uso, podemos Cláudio C. Rodrigues Faculdade da Computação -UFU LINGUAGEM C 04: VETORES, STRINGS E MATRIZES Faculdade da Computação - UFU 1 Introdução & Objetivo O vetor é provavelmente um dos mais simples e importantes

Leia mais

Estrutura de Programas e Tipos de Dados Simples

Estrutura de Programas e Tipos de Dados Simples SSC0101 - ICC1 Teórica Introdução à Ciência da Computação I Estrutura de Programas e Tipos de Dados Simples Prof. Vanderlei Bonato: vbonato@icmc.usp.br Prof. Claudio Fabiano Motta Toledo: claudio@icmc.usp.br

Leia mais

LP II Estrutura de Dados

LP II Estrutura de Dados LP II Estrutura de Dados Linguagem C Seleção e Repetição Prof. José Honorato F. Nunes honorato.nunes@ifbaiano.bonfim.edu.br Resumo da aula Estruturas de Seleção Simples Composta Aninhada Estruturas de

Leia mais

Estrutura básica de um programa Instruções do Programa Sintaxe das instruções Diretivas apenas o contexto Variáveis e Constantes Tipos e modificadores

Estrutura básica de um programa Instruções do Programa Sintaxe das instruções Diretivas apenas o contexto Variáveis e Constantes Tipos e modificadores Objetivo: Estruturar uma sequencia de comandos em Linguagem C Estrutura básica de um programa Instruções do Programa Sintaxe das instruções Diretivas apenas o contexto Variáveis e Constantes Tipos e modificadores

Leia mais

Algoritmos e Estruturas de Dados II IEC013

Algoritmos e Estruturas de Dados II IEC013 Algoritmos e Estruturas de Dados II IEC013 Linguagem C -Vetores e Matrizes- Prof. César Melo Todos os créditos ao Prof. Leandro Galvão Variáveis Compostas São um conjunto de variáveis identificadas por

Leia mais

INTRODUÇÃO A LINGUAGEM C

INTRODUÇÃO A LINGUAGEM C INTRODUÇÃO A LINGUAGEM C Aula 01 Programação em Microinformática Prof. Allbert Velleniche de Aquino Almeida E-mail: professor@allbert.com.br Site: http://www.allbert.com.br Histórico O C nasceu na década

Leia mais

MC102 Algoritmos e Programação de Computadores

MC102 Algoritmos e Programação de Computadores MC102 Algoritmos e Programação de Computadores Instituto de Computação UNICAMP Primeiro Semestre de 2014 Roteiro 1 Maior número 2 Soma de n números 3 Fatorial 4 Máximo Divisor Comum (MDC) 5 Números primos

Leia mais

Métodos Computacionais

Métodos Computacionais Métodos Computacionais Objetivos da Disciplina e Introdução a Linguagem C Construções Básicas Objetivos da Disciplina Objetivo Geral Discutir técnicas de programação e estruturação de dados para o desenvolvimento

Leia mais

Computação para Informática - Prof. Adriano Joaquim de Oliveira Cruz Segunda Aula Prática - 3 de setembro de 2010

Computação para Informática - Prof. Adriano Joaquim de Oliveira Cruz Segunda Aula Prática - 3 de setembro de 2010 Computação para Informática - Prof. Adriano Joaquim de Oliveira Cruz Segunda Aula Prática - 3 de setembro de 2010 1 Introdução O objetivo desta aula prática é exercitar o uso de variáveis de vários tipos

Leia mais

LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO. PROFª. M.Sc. JULIANA H Q BENACCHIO

LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO. PROFª. M.Sc. JULIANA H Q BENACCHIO LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO PROFª. M.Sc. JULIANA H Q BENACCHIO Primeiro programa em C #include int main() { int num1, num2, result; scanf("%d",&num1); scanf("%d",&num2); result = num1 + num2; printf("%d",

Leia mais

Algoritmos e Estruturas de Dados I (DCC/003) 2013/1. Estruturas Básicas. Aula Tópico 4

Algoritmos e Estruturas de Dados I (DCC/003) 2013/1. Estruturas Básicas. Aula Tópico 4 Algoritmos e Estruturas de Dados I (DCC/003) 2013/1 Estruturas Básicas Aula Tópico 4 1 Problema 3 Exibir o maior número inteiro que pode ser representado no computador. 2 Qual o maior número inteiro? Para

Leia mais

Estruturas de Decisão. Adaptado de Deise Saccol

Estruturas de Decisão. Adaptado de Deise Saccol Estruturas de Decisão Adaptado de Deise Saccol 1 ESTRUTURAS DE DECISÃO Comandos de decisão ou desvio fazem parte das técnicas de programação, para construir estruturas de algoritmos que não são totalmente

Leia mais

Introdução a linguagem C. Introdução à Programação 06/07

Introdução a linguagem C. Introdução à Programação 06/07 Introdução a linguagem C Introdução à Programação 06/07 A LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO C A linguagem C foi criada, na década de setenta, por Dennis M. Ritchie; Apesar de se considerar uma linguagem de alto

Leia mais

Linguagem C. Programação Estruturada. Modularização (Funções) Prof. Luis Nícolas de Amorim Trigo

Linguagem C. Programação Estruturada. Modularização (Funções) Prof. Luis Nícolas de Amorim Trigo Programação Estruturada Linguagem C Modularização (Funções) Prof. Luis Nícolas de Amorim Trigo nicolas.trigo@ifsertao-pe.edu.br Sumário Introdução Por que usar funções? Escopo de Variáveis Declarando uma

Leia mais

Linguagem de Programação

Linguagem de Programação Linguagem de Programação Vetores e Strings int vetor[] / rand() / #define / char string[] / gets() Gil Eduardo de Andrade Vetores Introdução Um vetor pode ser definido como é um conjunto de elementos (variáveis)

Leia mais

Introdução à Linguagem C

Introdução à Linguagem C Introdução à Linguagem C 1 Histórico da Linguagem C Criada por Denis Ritchie, na década de 1970, para uso em um computador DEC PDP-11 em Unix C++ é uma extensão da linguagem C O sistema Unix é escrito

Leia mais

Linguagem C Funções. André Tavares da Silva.

Linguagem C Funções. André Tavares da Silva. Linguagem C Funções André Tavares da Silva andre.silva@udesc.br Funções É uma coleção de comandos identificados por um nome (identificador); As funções executam ações e podem retornar valores; main, printf

Leia mais

Estrutura de Seleção Múltipla Switch

Estrutura de Seleção Múltipla Switch Estrutura de Seleção Múltipla Switch Disciplina: Algoritmos e Programação Luciano Moraes Da Luz Brum Universidade Federal do Pampa Unipampa Campus Bagé Email: lucianobrum18@gmail.com Horários de atendimento:

Leia mais

Estrutura de um Algoritmo, Variáveis, Comandos de Entrada e Saída e Expressões Aritméticas

Estrutura de um Algoritmo, Variáveis, Comandos de Entrada e Saída e Expressões Aritméticas Estrutura de um Algoritmo, Variáveis, Comandos de Entrada e Saída e Expressões Aritméticas Estrutura de um Programa em Linguagem Algorítmica Nesse curso nós vamos utilizar a linguagem algorítmica para

Leia mais

Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Computação. Linguagem C: funções

Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Computação. Linguagem C: funções Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Computação Linguagem C: funções Prof. Renato Pimentel 1 Linguagem C: funções Definição: blocos de código que podem ser chamados de dentro de um programa.

Leia mais

Aula 12- Variáveis e valores reais

Aula 12- Variáveis e valores reais Aula 12- Variáveis e valores reais Até agora todos os nossos problemas continham apenas valores inteiros e portanto variáveis do tipo int. Para resolver problemas que usam valores com parte fracionária,

Leia mais

Como construir um compilador utilizando ferramentas Java

Como construir um compilador utilizando ferramentas Java Como construir um compilador utilizando ferramentas Java p. 1/2 Como construir um compilador utilizando ferramentas Java Aula 1 - Introdução Prof. Márcio Delamaro delamaro@icmc.usp.br Como construir um

Leia mais

Anhanguera Educacional S.A. Centro Universitário Ibero-Americano

Anhanguera Educacional S.A. Centro Universitário Ibero-Americano O C++ foi inicialmente desenvolvido por Bjarne Stroustrup durante a década de 1980 com o objetivo de melhorar a linguagem de programação C, mantendo a compatibilidade com esta linguagem. Exemplos de Aplicações

Leia mais

Exercícios - Questões Objetivas

Exercícios - Questões Objetivas Exercícios - Questões Objetivas Apresentação 02 - Tipos de Dados 1. O nome de uma variável é criado por um programador devendo seguir algumas regras, são listas de nomes válidos, EXCETO: a) Nota1, Nota2,

Leia mais

Algoritmos e Programação Parte 02 Vetores e Matrizes

Algoritmos e Programação Parte 02 Vetores e Matrizes Parte 02 Vetores e Matrizes o Algoritmos e Programação Vetores Estrutura de Dados Homogênea e Estática o Unidimensional o Exemplo : Prédio com um apartamento por andar Conjunto habitacional com apenas

Leia mais

Tipos Abstratos de Dados

Tipos Abstratos de Dados Tipos Abstratos de Dados Prof. Túlio Toffolo http://www.toffolo.com.br BCC202 Aula 03 Algoritmos e Estruturas de Dados I Qual a diferença entre um algoritmo e um programa? Algoritmos e Estruturas de Dados

Leia mais

1 Resumo: Matrizes. 2.1 Como declarar uma matriz IME/USP. Departamento de Ciência da Computação

1 Resumo: Matrizes. 2.1 Como declarar uma matriz IME/USP. Departamento de Ciência da Computação Departamento de Ciência da Computação MAC2166 Introdução a Computação IME/USP Matrizes 1 Resumo: Matrizes são estruturas bi-dimensionais utilizadas para armazenar dados de um mesmo tipo. Para declarar

Leia mais

Módulo 1. Introdução. AEDS I C++ (Rone Ilídio)

Módulo 1. Introdução. AEDS I C++ (Rone Ilídio) Módulo 1 Introdução AEDS I C++ (Rone Ilídio) Introdução Linguagens de Programação Fonte Compilador Executável SO I Hardware C++ - Características Evolução do C, ou seja, possui a mesma sintaxe É uma linguagem

Leia mais

Tipos Abstratos de Dados. Estrutura de Dados

Tipos Abstratos de Dados. Estrutura de Dados Tipos Abstratos de Dados Tipo Abstrato de Dados ou TAD Idéia principal: desvincular o tipo de dado (valores e operações) de sua implementação: O que o tipo faz e não como ele faz! Vantagens da desvinculação:

Leia mais

Estruturas de Repetição. for() while() do-while() break; continue;

Estruturas de Repetição. for() while() do-while() break; continue; Estruturas de Repetição for() while() do-while() break; continue; 1 Auto-Ajuda (!) Como ajudar a solucionar erros básicos do meu programa? Verificar os ; Verificar se não há comandos em maiúsculas; Verificar

Leia mais

Introdução a Linguagem C

Introdução a Linguagem C Introdução a Linguagem C Rafael Silva Guimarães Instituto Federal do Espírito Santo rafaelg@ifes.edu.br http://rafaelguimaraes.net 22 de Dezembro de 2014 Rafael Silva Guimarães Introdução a Linguagem C

Leia mais

Modulo 9: Você define como éo dado... Struct e typedef

Modulo 9: Você define como éo dado... Struct e typedef PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES V - TCC- 00.323 Modulo 9: Você define como éo dado... Struct e typedef Aura -Erick aconci@ic.uff.br, erickr@id.uff.br Roteiro P1, Trabalho 5 e 6 Struct: Introdução; Criando

Leia mais

Algoritmos e Estruturas de Dados I. Universidade Federal de São João del-rei Pedro Mitsuo Shiroma Sala 119 Bloco 3

Algoritmos e Estruturas de Dados I. Universidade Federal de São João del-rei Pedro Mitsuo Shiroma Sala 119 Bloco 3 Algoritmos e Estruturas de Dados I Universidade Federal de São João del-rei Pedro Mitsuo Shiroma Sala 119 Bloco 3 Laboratório de AEDS 1 Aula 01 Linguagens de Programação Cada linguagem de programação obedece

Leia mais

Matrizes. DCC 119 Algoritmos

Matrizes. DCC 119 Algoritmos Matrizes DCC 119 Algoritmos Matrizes: vetores multidimensionais Assim como os vetores, as matrizes são estruturas de dados homogêneas. Podem ser construídas dos diversos tipos básicos primitivos (real,

Leia mais

Estrutura do programa

Estrutura do programa Linguagem C Estrutura do programa Exemplo: #include #include main() { printf( Ola, mundo! ); system( pause ); }

Leia mais

Curso de C. Introdução by Arnaldo V. Moura e Daniel F. Ferber 3/10/ :43 AM

Curso de C. Introdução by Arnaldo V. Moura e Daniel F. Ferber 3/10/ :43 AM Curso de C Introdução 1 Introdução Roteiro: Recordando Algoritmos Linguagem de Programação O computador Instruções de Máquina Níveis de Abstração Compilação 2 Algoritmos Recordando: Algoritmo: conjunto

Leia mais

7. Dados Estruturados Vetores, Matrizes e Strings

7. Dados Estruturados Vetores, Matrizes e Strings 7. Dados Estruturados Vetores, Matrizes e Strings Unesp Campus de Guaratinguetá Curso: Programação de Computadores Prof. Aníbal Tavares Profa. Cassilda Ribeiro 1 7.1 Dados Estruturados: Array Array - Definição!

Leia mais

Funções de Entrada e Saída

Funções de Entrada e Saída inicio Escrita no ecrã (Saída de dados) Escrever( introduza o valor do raio ) Raio Leitura do valor do raio S Raio < 0 N O utilizador insere o valor do raio (Entrada de dados do teclado) Escrita no ecrã

Leia mais

A Linguagem C. A forma de um programa em C

A Linguagem C. A forma de um programa em C A Linguagem C Criada em 1972 por D. M. Ritchie e K. Thompson. Tornou-se uma das mais importantes e populares, principalmente pela portabilidade e flexibilidade. Foi projetada para o desenvolvimento de

Leia mais

Linguagens de Programação PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES. Linguagem C. Linguagem C Estrutura Básica. Constante (literais) Linguagem C Primeiro Programa

Linguagens de Programação PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES. Linguagem C. Linguagem C Estrutura Básica. Constante (literais) Linguagem C Primeiro Programa Linguagens de Programação PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES Linguagem C - Introdução Linguagens de Máquina Representação numérica Difícil utilização e compreensão Específica para cada máquina Linguagens Simbólicas(Assembly)

Leia mais

PROGRAMAÇÃO DE MICROPROCESSADORES 2009 / 2010

PROGRAMAÇÃO DE MICROPROCESSADORES 2009 / 2010 Departamento de Engenharia Electrotécnica PROGRAMAÇÃO DE MICROPROCESSADORES 2009 / 2010 Mestrado Integrado em Engenharia Electrotécnica e Computadores 1º ano 2º semestre Trabalho nº 5 Funções e Vectores

Leia mais

Linguagem de Programação

Linguagem de Programação Linguagem de Programação aula 4 Engenharia Elétrica e Engenharia de Automação Introdução à Computação 1.o sem/2013 Profa Suely (e-mail: smaoki@yahoo.com) Programas Programas são seqüências de instruções

Leia mais

BCC202 - Estrutura de Dados I

BCC202 - Estrutura de Dados I BCC202 - Estrutura de Dados I Aula 03: Tipos Abstratos de Dados (TADs) Reinaldo Fortes Universidade Federal de Ouro Preto, UFOP Departamento de Ciência da Computação, DECOM Website: www.decom.ufop.br/reifortes

Leia mais

Introdução à Programação

Introdução à Programação Introdução à Programação Variáveis em C Slides da Profa. Roseli Romero Comandos de Entrada e Saída O objetivo de escrevermos programas é em última análise, a obtenção de resultados (Saídas) depois da elaboração

Leia mais

Conceito de procedimentos e funções

Conceito de procedimentos e funções Tópicos Introdução Como funcionam as funções Declaração de funções Exemplo de funções 1 Introdução As funções, são unidades de código desenhadas para cumprir uma determinada tarefa. Até agora, já utilizamos

Leia mais

Computação L2. Linguagem C++ Observação: Material Baseado na Disciplina Computação Eletrônica.

Computação L2. Linguagem C++ Observação: Material Baseado na Disciplina Computação Eletrônica. Computação L2 Linguagem C++ ovsj@cin.ufpe.br Observação: Material Baseado na Disciplina Computação Eletrônica. Alfabeto São os símbolos ( caracteres ) permitidos na linguagem: Letras (maiúsculas e minúsculas);

Leia mais

Conceitos Básicos. Professor: Juliano Lucas Gonçalves.

Conceitos Básicos. Professor: Juliano Lucas Gonçalves. Conceitos Básicos Professor: Juliano Lucas Gonçalves juliano.goncalves@ifsc.edu.br Agenda Revisão Algoritmos Memória, variáveis e constantes Estrutura básica de um algoritmo em pseudocódigo 2 O que já

Leia mais

Alocação de Memória. Lucas Ferrari de Oliveira Professor Adjunto Universidade Federal do Paraná (UFPR)

Alocação de Memória. Lucas Ferrari de Oliveira Professor Adjunto Universidade Federal do Paraná (UFPR) Alocação de Memória Linguagem de Programação Estruturada 1 Alocação dinâmica e ponteiros Lucas Ferrari de Oliveira Professor Adjunto Universidade Federal do Paraná (UFPR) Sumario Introdução Alocação Estática

Leia mais

Apresentação da ferramenta de programação. Comandos de entrada e saída. Prof. Alex Camargo

Apresentação da ferramenta de programação. Comandos de entrada e saída. Prof. Alex Camargo UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS BAGÉ ALGORITMOS E PROGRAMAÇÃO Apresentação da ferramenta de programação. Comandos de entrada e saída Prof. Alex Camargo alexcamargoweb@gmail.com Linguagem C A linguagem

Leia mais

Exercícios: Arquivos

Exercícios: Arquivos Universidade Federal de Uberlândia - UFU Faculdade de Computação - FACOM Lista de exercícios de programação em linguagem C Exercícios: Arquivos 1. Codifique, compile e execute um programa que: (a) crie/abra

Leia mais

PROGRAMAÇÃO DE MICROPROCESSADORES 2011 / 2012

PROGRAMAÇÃO DE MICROPROCESSADORES 2011 / 2012 Departamento de Engenharia Electrotécnica PROGRAMAÇÃO DE MICROPROCESSADORES 2011 / 2012 Mestrado Integrado em Engenharia Electrotécnica e Computadores 1º ano 1º semestre Trabalho nº 5 Funções http://tele1.dee.fct.unl.pt/pm

Leia mais

Introdução à Linguagem C. Adaptado de slides das Profas. Patrícia Jaques, Mônica Py, Deise Saccol e Vania Bogorny

Introdução à Linguagem C. Adaptado de slides das Profas. Patrícia Jaques, Mônica Py, Deise Saccol e Vania Bogorny Introdução à Linguagem C Adaptado de slides das Profas. Patrícia Jaques, Mônica Py, Deise Saccol e Vania Bogorny 1 Histórico da Linguagem C Criada por Denis Ritchie, na década de 1970, para uso em um computador

Leia mais

Exercícios sobre algoritmos

Exercícios sobre algoritmos Exercícios sobre algoritmos Exercícios envolvendo estruturas de decisão Fazer um algoritmo para: 1) Receber um número do usuário e mostrar se esse número é par ou não par 2) Receber 3 valores numéricos,

Leia mais

CONCEITOS DE ALGORITMOS

CONCEITOS DE ALGORITMOS CONCEITOS DE ALGORITMOS Fundamentos da Programação de Computadores - 3ª Ed. 2012 Editora Prentice Hall ISBN 9788564574168 Ana Fernanda Gomes Ascênsio Edilene Aparecida Veneruchi de Campos Algoritmos são

Leia mais

GABARITO Questão a b c d e

GABARITO Questão a b c d e Documento gerado por Contato: smarttest@smarttest.com.br Instituto Federal Catarinense Curso: Engenharia Mecânica Turma: 2016/Turma Extra Disciplina: Informática para Engenharia Docente: Ricardo Antonello

Leia mais

Linguagem C. Eliane Pozzebon

Linguagem C. Eliane Pozzebon Linguagem C Eliane Pozzebon Material de Apoio de C Site da disciplina: http://www.univasf.edu.br/~eliane.pozzebon Slides de aulas Exercícios Dev-C++: um ambiente de programação interativo e gratuito para

Leia mais

Resolução de Algoritmos

Resolução de Algoritmos Resolução de Algoritmos Disciplina: Algoritmos e Programação Luciano Moraes Da Luz Brum Universidade Federal do Pampa Unipampa Campus Bagé Email: lucianobrum18@gmail.com Tópicos Resolução dos exercícios

Leia mais

Algoritmos e Estruturas de Dados

Algoritmos e Estruturas de Dados Algoritmos e Estruturas de Dados Introdução Prof. Sinaide Nunes Bezerra Vídeoaulas e exercícios em linguagem C, acesse www.mathgraph.com.br 1 de novembro de 2015 Sumário 1 Introdução

Leia mais

Algoritmos e Estruturas de Dados I. Passagem de Parâmetros. Pedro O.S. Vaz de Melo

Algoritmos e Estruturas de Dados I. Passagem de Parâmetros. Pedro O.S. Vaz de Melo Algoritmos e Estruturas de Dados I Passagem de Parâmetros Pedro O.S. Vaz de Melo A passagem de parâmetros Toda função define um processamento a ser realizado. Este processamento depende dos valores dos

Leia mais

Lógica de Programação Atividade Avaliativa 1 RESPOSTAS

Lógica de Programação Atividade Avaliativa 1 RESPOSTAS Lógica de Programação Atividade Avaliativa 1 RESPOSTAS Avaliação individual. A interpretação das questões faz parte da avaliação. Não é permitida conversa bem como troca de materiais entre os alunos; 1)

Leia mais

Linguagem C. Programação Estruturada. Estrutura de Dados Homogêneas. Prof. Luis Nícolas de Amorim Trigo

Linguagem C. Programação Estruturada. Estrutura de Dados Homogêneas. Prof. Luis Nícolas de Amorim Trigo Programação Estruturada Linguagem C Estrutura de Dados Homogêneas Prof. Luis Nícolas de Amorim Trigo nicolas.trigo@ifsertao-pe.edu.br Sumário Introdução Exercícios 2 1 Introdução [ 1 3 ] A manipulação

Leia mais

Programação de Computadores I Conhecendo a Linguagem C. Prof. Ramon Figueiredo Pessoa

Programação de Computadores I Conhecendo a Linguagem C. Prof. Ramon Figueiredo Pessoa Programação de Computadores I Conhecendo a Linguagem C Prof. Ramon Figueiredo Pessoa 1 Variáveis e tipos Variáveis são simplesmente posições de memória que o compilador aloca ao programa Mas quantas posições

Leia mais

Agenda. O que é um array. Declaração de um array. Instanciação de um array. Acessando os elementos de um array. O tamanho de um array (length)

Agenda. O que é um array. Declaração de um array. Instanciação de um array. Acessando os elementos de um array. O tamanho de um array (length) Arrays em Java 1 Agenda O que é um array Declaração de um array Instanciação de um array Acessando os elementos de um array O tamanho de um array (length) Arrays multi-dimensionais 2 O que é um Array?

Leia mais

INFORMÁTICA APLICADA AULA 03 LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO C++

INFORMÁTICA APLICADA AULA 03 LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO C++ UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO CURSO: Bacharelado em Ciências e Tecnologia INFORMÁTICA APLICADA AULA 03 LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO C++ Profª ª Danielle Casillo OPERADORES Um operador é um símbolo

Leia mais

Modularização: Funções em C

Modularização: Funções em C Modularização: Funções em C Notas de Aula Prof. Francisco Rapchan www.geocities.com/chicorapchan Muitas vezes um problema grande pode ser resolvido mais facilmente se for dividido em pequenas partes. Tratar

Leia mais

Hello World. Linguagem C. Tipos de Dados. Palavras Reservadas. Operadores Aritméticos. Pré e pós incremento e pré e pós decremento

Hello World. Linguagem C. Tipos de Dados. Palavras Reservadas. Operadores Aritméticos. Pré e pós incremento e pré e pós decremento Hello World Linguagem C printf("hello world!\n"); main é a função principal, a execução do programa começa por ela printf é uma função usada para enviar dados para o vídeo Palavras Reservadas auto double

Leia mais

Fábio Rodrigues / Israel Lucania

Fábio Rodrigues / Israel Lucania Fábio Rodrigues / Israel Lucania Variável é um local na memória principal, isto é, um endereço que armazena um conteúdo. Em linguagem de alto nível nos é permitido dar nomes a esse endereço, facilitando

Leia mais

INFORMÁTICA APLICADA AULA 05 LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO C++

INFORMÁTICA APLICADA AULA 05 LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO C++ UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO CURSO: Bacharelado em Ciências e Tecnologia INFORMÁTICA APLICADA AULA 05 LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO C++ Profª ª Danielle Casillo LAÇOS Laços são comandos da linguagem

Leia mais

Tipos Abstratos de Dados

Tipos Abstratos de Dados Tipos Abstratos de Dados Prof. Rui Jorge Tramontin Jr. UDESC - Rui J. Tramontin Jr. 1 Índice Introdução Definição de Tipos Abstratos de Dados Exemplos de TADs Implementação de TADs Implementação em C Exemplo

Leia mais

Vetores. Vanessa Braganholo

Vetores. Vanessa Braganholo Vetores Vanessa Braganholo vanessa@ic.uff.br Exemplo Motivacional } Programa para auxiliar a escrever Parabéns! nas melhores provas de uma disciplina com 3 alunos } Ler os nomes e as notas de 3 alunos

Leia mais

Funções em C. Lucas Ferrari de Oliveira Professor Adjunto. Linguagem de Programação Estruturada I. Universidade Federal do Paraná

Funções em C. Lucas Ferrari de Oliveira Professor Adjunto. Linguagem de Programação Estruturada I. Universidade Federal do Paraná em C Linguagem de Programação Estruturada I Lucas Ferrari de Oliveira Professor Adjunto Universidade Federal do Paraná Sumário Funções: Conceitos; Forma Geral das funções; Regras de Escopo; Argumentos

Leia mais

Linguagem C. Prof.ª Márcia Jani Cícero

Linguagem C. Prof.ª Márcia Jani Cícero Linguagem C Prof.ª Márcia Jani Cícero A estrutura Básica de um Programa em C Consiste em uma ou várias funções ou programas. main( ) // primeira função a ser executada // inicia a função // termina a função

Leia mais

Introdução à Computação

Introdução à Computação Introdução à Computação Linguagem C Aula de hoje Introdução Vetores (revisão) Relacionamento entre vetores e ponteiros Professor: André de Carvalho Definição: coleção de valores de dados individuais com

Leia mais

Introdução à Algoritmos INF 1005 e INF Programação I

Introdução à Algoritmos INF 1005 e INF Programação I Introdução à Algoritmos INF 1005 e INF1004 - Programação I Pontifícia Universidade Católica Departamento de Informática 1 Algoritmo: Conceito Sequência finita e não ambígua de passos para a solução de

Leia mais

ALGORITMOS 3ª Aula. 3. Introdução Tipos de dados, variáveis e operadores Tipos de dados

ALGORITMOS 3ª Aula. 3. Introdução Tipos de dados, variáveis e operadores Tipos de dados 3. Introdução Segundo alguns especialistas, qualquer programa de computador pode ser escrito utilizando apenas três estruturas básicas: Seqüência, Condição e Repetição. Isto significa que, na construção

Leia mais

Algoritmos. Algoritmos. Linguagem de programação. Conceitos. Conceitos. Conceitos. Sintaxe do comando para incluir bibliotecas no programa:

Algoritmos. Algoritmos. Linguagem de programação. Conceitos. Conceitos. Conceitos. Sintaxe do comando para incluir bibliotecas no programa: Algoritmos Algoritmos Leandro Tonietto Unisinos ltonietto@unisinos.br http://www.inf.unisinos.br/~ltonietto/inf/pg1/algoritmosi_java.pdf Mar-2008 Possuem sintaxe flexível e são mais úteis para descrição

Leia mais

Faculdade Anglo-Americano Curso de Ciência da Computação Linguagem de Programação. Lista de Exercícios 1

Faculdade Anglo-Americano Curso de Ciência da Computação Linguagem de Programação. Lista de Exercícios 1 Faculdade Anglo-Americano Curso de Ciência da Computação Linguagem de Programação Lista de Exercícios 1 1. O programa seguinte tem vários erros em tempo de compilação. Encontre-os. Main() int a=1; b=2,

Leia mais

Algoritmos e Técnicas de Programação

Algoritmos e Técnicas de Programação Algoritmos e Técnicas de Programação Introdução a Algoritmos Jonathan Pereira Jonathan.pereira@ifrn.edu.br Sumário Introdução a algoritmos Linguagem de programação Elaboração de programas Sumário Introdução

Leia mais