NOTA AO SUMÁRIO DO PROSPECTO VISA NUMERO DATADO DE 24 JUNHO 2011, DA AMF. Advertência

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "NOTA AO SUMÁRIO DO PROSPECTO VISA NUMERO 11-260 DATADO DE 24 JUNHO 2011, DA AMF. Advertência"

Transcrição

1 NOTA AO SUMÁRIO DO PROSPECTO VISA NUMERO DATADO DE 24 JUNHO 2011, DA AMF Advertência Este sumário deve ser lido como uma nota introdutória ao prospecto. Em qualquer decisão de investir em valores mobiliários, o investidor deve ter em conta a totalidade do prospecto. Quando um pedido relativo a informação constante do projecto seja apresentado perante um tribunal, o autor do pedido poderá ter de suportar os custos de tradução do prospecto, nos termos da legislação dos Estados Membros da Comunidade Europeia ou dos Estados parte da Espaço Económico Europeu, antes do processo legal poder ter início. As pessoas responsáveis pela apresentação do sumário, incluindo pela respectiva tradução e notificação respondem civilmente pelo mesmo, mas apenas se o sumário quando lido em conjunto com outras partes do prospecto, seja falso, impreciso ou inconsistente.

2 CAPÍTULO A: PLANO DE COMPRA DE ACÇÕES 2003 PARA OS TRABALHADORES DA MICROSOFT CORPORATION, ALTERADO A PARTIR DE 1 DE JULHO DE 2004, E PLANO DE ACÇÕES 2001 DA MICROSOFT CORPORATION, ALTERADO E REFORMULADO A PARTIR DE 18 DE AGOSTO DE 2009 PARA OS TRABALHADORES DE DETERMINADAS SUBSIDIÁRIAS DA AEE (ÁREA ECONÓMICA EUROPEIA) DA MICROSOFT CORPORATION MICROSOFT CORPORATION (a Sociedade ou Microsoft ), uma sociedade de Washington, com sede em One Microsoft Way, Redmond, Washington , U.S.A., está a oferecer aos trabalhadores elegíveis da Microsoft e das suas subsidiárias participantes ( Subsidiárias Participantes ) o direito de comprar as suas acções ordinárias ( Acções Microsoft ) ao abrigo do Plano de Compra de Acções de 2003 para os Trabalhadores (o ESPP ) e/ou o direito de receber Prémios em Acções ( SAs ) que consistem em Acções Microsoft ao abrigo do Plano de Acções Microsoft Corporation 2001 ( Plano de Acções, e em conjunto com o ESPP, os Planos ). O ESPP e o Plano de Acções são planos de capital separados para os de trabalhadores e são oferecidos de forma independente um do outro. As acções da Microsoft estão cotadas no Nasdaq Global Select Market ( Nasdaq ). Quando usados neste prospecto, os termos nós, nosso e a Sociedade significam Microsoft Corporation e as suas subsidiárias. A oferta do ESPP e/ou do Plano de Acções pode ser considerada uma oferta pública de valores mobiliários em conformidade com a Directiva 2003/71/CE do Parlamento Europeu e do Conselho de 4 de Novembro de 2003 (a Directiva dos Prospectos ) nos seguintes países da AEE (Área Económica Europeia): Áustria, Bélgica, República Checa, Dinamarca, Finlândia, França, Alemanha, Grécia, Irlanda, Itália, Holanda, Noruega, Polónia, Portugal, Roménia, Suécia e o Reino Unido. A oferta dos Planos pode também ser feita nos seguintes países da AEE: Bulgária, Chipre, Estónia, Letónia, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Eslováquia, Eslovénia e Espanha. Contudo, esta oferta não é considerada uma oferta pública de valores mobiliários e /ou a obrigação de publicar um prospecto não se aplica à oferta ao abrigo da legislação que implementou a Directiva dos Prospectos nos referidos países. O montante global da oferta dos Planos na AEE é superior a por um período de 12 meses. Este prospecto ficará à disposição dos trabalhadores das subsidiárias da Microsoft estabelecidos nos países acima mencionados onde a oferta dos Planos pode ser considerada uma oferta pública de valores mobiliários nas respectivas sedes dos seus empregadores. I. O ESPP O ESPP é gerido pelo Conselho de Administração da Sociedade (o Conselho ) ou uma comissão nomeada pelo Conselho (a Comissão ). O ESPP é oferecido a trabalhadores elegíveis das empresas que são, directa ou indirectamente, subsidiárias da Microsoft, algumas das quais estão estabelecidas na AEE ( Designadas Subsidiárias AEE ). Trabalhadores que estejam ao serviço de qualquer Subsidiária Participante (incluindo as Designadas Subsidiárias AEE) no último dia útil anterior à Data de Oferta (como está definido abaixo) e por um período superior a cinco meses, em qualquer ano civil estará qualificado para participar na oferta ao abrigo do ESPP, desde que o trabalhador não detenha, no inicio de cada mês, 5% ou mais dos direitos de voto ou do capital social, de qualquer classe de acções da Microsoft ou de uma subsidiária. A participação é limitada a (i) USD do Justo Valor de Mercado das Acções da Microsoft (no momento da Data de Oferta) por ano civil às quais os direitos do ESPP se reportam e (ii) 5% dos direitos de voto da Microsoft ou participações de capital. Aos trabalhadores elegíveis é oferecida a possibilidade de participarem no ESPP, podendo inscrever-se no ESPP ( Trabalhadores Participantes ). Uma vez inscritos, os Trabalhadores Participantes podem comprar as Acções da Microsoft com desconto, durante sucessivos períodos de compra. O ESPP 2

3 funciona em quatro ofertas de três meses por cada ano civil ( Períodos de Compra ), que começam em 1 de Janeiro, 1 de Abril, 1 de Julho e 1 de Outubro ( Data de Oferta ) e expiram em 31 de Março, 30 de Junho, 30 de Setembro e 31 de Dezembro. As Acções da Microsoft são compradas no último dia útil de cada Período de Compra. A participação no ESPP é válida durante o corrente Período de Compra e durante os Períodos de compra subsequentes. Nenhum Trabalhador Participante pode comprar mais do que Acções da Microsoft durante um único Período de Compra. Durante cada Período de Compra de três meses, os Trabalhadores Participantes contribuem para o ESPP através de retenções até 15% do seu salário (i.e., o trabalhador deduz automaticamente este valor do seu salário). As retenções acumuladas são utilizadas para comprar as Acções Microsoft no último dia útil de cada Período de Compra ( Data do Exercício ). O preço de compra por Acção Microsoft é de 90% do Justo Valor de Mercado duma Acção Microsoft na Data do Exercício ( Preço de compra ). Justo Valor de Mercado significa o preço oferecido conforme informação da Nasdaq. Os trabalhadores elegíveis que pretendem participar no ESPP preenchem um protocolo de acordo (o Formulário ) fornecido pela Microsoft e submetem-no à Microsoft, ou a qualquer outra entidade designada pela Microsoft para este fim, antes do início do Período de Compra a que respeita, para a contribuição para o ESPP. Para participar no Período de Compra a começar em 1 de Julho de 2011, os trabalhadores elegíveis devem inscrever-se até 30 de Junho, e para participar no Período se Compra a começar em 1 de Outubro de 2011, os trabalhadores elegíveis devem inscrever-se até 30 de Setembro. Para participação no ESPP, os trabalhadores podem autorizar retenções de um montante entre 1% e 15% da sua remuneração. O Trabalhador Participante especifica no Formulário a percentagem (em percentagem total) que ele/ela autoriza a reter da sua remuneração para o ESPP. O Trabalhador Participante pode, em qualquer momento, durante o Período de Compra alterar a percentagem de retenção autorizada, mas apenas no que respeita ao próximo Período de Compra. Não há encargos para os Trabalhadores Participantes no que respeita à aquisição ou posse de Acções Microsoft ao abrigo do ESPP. As comissões relacionadas com a venda das Acções Microsoft estão descritas na Secção 4.3 do Capítulo E deste prospecto. Os Trabalhadores Participantes assumem o risco de quaisquer flutuações cambiais no momento da (i) sua contribuição para o ESPP através da retenção da sua remuneração e (ii) venda das suas Acções Microsoft. Nenhum Trabalhador Participante tem direito a voto, dividendo, ou outro direito de accionista no que respeita às Acções Microsoft em relação a qualquer oferta ao abrigo do ESPP até as Acções Microsoft terem sido compradas e entregues ao trabalhador Participante. A seguir à entrega das Acções Microsoft, o Trabalhador Participante terá todos os direitos e privilégios dum accionista da Microsoft no que respeita às Acções Microsoft compradas ao abrigo do ESPP. Os direitos ao abrigo do ESPP não podem ser transferidos de nenhuma forma pelos Trabalhadores Participantes senão por testamento ou leis sucessórias. Em 1 de Junho 2011, havia Acções Microsoft permaneciam disponíveis para emissão ao abrigo do ESPP numa base mundial (de um máximo de de Acções Microsoft autorizadas para o tempo de duração do ESPP). Com base nos pressupostos definidos na Secção 6.1 do Capítulo E deste prospecto, durante os próximos 12 meses, um máximo de Acções Microsoft serão oferecidas ao abrigo do ESPP a trabalhadores elegíveis, a partir de 26 de Abril de 2011 nos países da AEE acima referidos onde esta oferta pode ser considerada uma oferta pública de valores mobiliários ao público em conformidade com a Directiva dos Prospectos. 2 2 O máximo de de Acções Microsoft a ser oferecido é baseado no Preço de Mercado das Acções Microsoft de 25,39 USD em 31 de Março de 2011, a mais recente Data do Exercício. A 1 de Junho de 2011, o Preço de Mercado das Acções Microsoft era de 24,43 USD. 3

4 II. O PLANO DE ACÇÕES Um SA representa uma promessa sem garantia para emitir gratuitamente Acções Microsoft para trabalhadores elegíveis conforme definido no Plano de Acções (incluindo trabalhadores das Designadas Subsidiárias AEE) ( Premiados ) posteriormente, de acordo com um programa de aquisição (i.e., a imposição de uma única restrição, descrita abaixo, que prescreve ao longo de um determinado período de tempo). O número de tais trabalhadores elegíveis é semelhante ao número de trabalhadores elegíveis para participar no ESPP. A Microsoft determina a aquisição e o número de Premiados que terão direito a Acções Microsoft quando a Microsoft concede os SAs. A Microsoft determina com o seu próprio critério quando os SAs são concedidos e a quem. Se é concedido um SAs a um Premiado, o Premiado receberá imediatamente um contrato SA enviado pela Microsoft que contém os termos do prémio (p.ex., o programa de aquisição, quantos SAs vai receber, etc.). Não há período de subscrição para os SAs. Existiam Acções Microsoft disponíveis para emitir ao abrigo do Plano de Acções a partir de 1 de Junho de 2011 (de Acções Microsoft autorizadas desde o início do Plano de Acções, incluindo um plano anterior). A Microsoft emite novas Acções Microsoft para liquidar exercícios e aquisições de prémios concedidos ao abrigo dos seus planos de acções. O Premiado deve manter-se ininterruptamente empregado por uma entidade do grupo Microsoft até à respectiva data de aquisição, momento em que adquirirá o SA e as Acções Microsoft serão automaticamente emitidas ao Premiado. O Premiado não paga nenhuma compensação em dinheiro para receber os SAs ou as Acções Microsoft na aquisição. Se o Premiado cessar funções antes dos SAs estarem completamente adquiridos, a parte não investida do prémio vence e é cancelada (i.e., o Premiado nunca receberá as acções correspondentes aos SAs não adquiridos) excepto no caso de morte ou invalidez conforme descrito no Plano de Acções. 3 Na aquisição, as Acções Microsoft são emitidas sem mais restrições e o Premiado é livre de vender as Acções Microsoft a qualquer momento. O valor das Acções Microsoft subjacente aos SAs é igual ao justo valor de mercado das Acções Microsoft conforme cotação da Nasdaq dessa data. Os SAs não são transmissíveis nem transferíveis pelo Premiado a não ser por testamento ou leis sucessórias ou por determinação do Conselho. PARA UMA DESCRIÇÃO COMPLETA DO ESPP E DO PLANO DE ACÇÕES, O LEITOR É CONVIDADO A REVER OS PLANOS EM ANEXO NA EXPOSIÇÃO I E EXPOSIÇÃO II DESTE PROSPECTO. 3 Esta excepção foi aprovada pela Comissão de Compensação da Microsoft em 18 de Agosto de 2009 como parte da revisão do Plano de Acções. É a única emenda ao Plano de Acções aprovado nesta data que afecta os SAs cobertos por este prospecto. 4

5 CAPÍTULO B: ORGANIZAÇÃO E ACTIVIDADES RESPEITANTES À MICROSOFT CORPORATION I. DESCRIÇÃO GERAL DA MICROSOFT A Microsoft gera receita através do desenvolvimento, fabricação, licenciamento e suporte a uma vasta gama de produtos de software e serviços para diversos tipos de dispositivos informáticos. Os seus produtos de software e serviços incluem sistemas operativos para computadores pessoais, servidores, e dispositivos inteligentes; aplicações de servidores para ambientes de computação distribuída; aplicações de produtividade; aplicativos de soluções de negócios; aplicações informáticas de alta performance; desenvolvimento de ferramentas de software; e jogos de vídeo. A Microsoft presta serviços de consultoria, suporte de produtos e soluções, e a Microsoft forma e certifica sistemas integradores e produtores de computadores. A Microsoft também desenha e vende hardware, incluindo a consola Xbox 360 o Kinect para Xbox 360, e acessórios, Windows Phone, e produtos Microsoft PC hardware. As ofertas e informações online são entregues aos consumidores através do Bing, Windows Live, Xbox LIVE, Microsoft Office Web Apps, os seus portais MSN e canais, e para as empresas através das ofertas Microsoft Online Services, tais como Microsoft Dynamics CRM Online, Exchange Online, e SharePoint Online, e através do Windows Azure e SQL Azure. Microsoft possibilita a entrega de publicidade online através da sua vasta gama de propriedades media digital e no Bing através da sua própria plataforma adcenter. O quadro seguinte apresenta as receitas por segmentos para os anos fiscais terminados em 30 de Junho de 2010, 2009 e 2008: (Em milhões de USD) Ano Terminado em 30 de Junho Receitas Windows & Windows Live Division $ $ $ Server and Tools Online Services Division Microsoft Business Division Entertainment and Devices Division Não atribuídos e outros Consolidado $ $ $ II. INFORMAÇÃO GERAL RESPEITANTE AO CAPITAL SOCIAL DA MICROSOFT A partir de 31 de Março de 2011 a Microsoft foi autorizada a emitir Acções Microsoft com o valor nominal 0, USD por acção. Em 21 de Abril de 2011 existiam Acções Microsoft emitidas e em circulação. Não existiram alterações materiais no número de Acções Microsoft emitidas e em circulação desde aquela data. O quadro seguinte mostra, em partir de 31 de Dezembro de 2010, os accionistas conhecidos da Microsoft que detêm mais de 5% das Acções Microsoft em circulação. Beneficiário efectivo representa deter o poder de voto e decisão de investimento. Cada um dos accionistas da Microsoft tem direito a um voto por cada Acção Microsoft que detenha. 5

6 Nome William H. Gates III c/o Microsoft Corporation One Microsoft Way Redmond, Washington , USA Montante e Natureza do Beneficiário Efectivo Percentagem ,0% Baseado nos pressupostos estabelecidos na Secção 6.1 do Capítulo E deste prospecto, um máximo de de Acções Microsoft será oferecido em conformidade com o ESPP ao abrigo deste prospecto. A quantia máxima de diluição em resultado da oferta será aproximadamente 0,003%, e o rendimento líquido da Microsoft em relação à oferta seria aproximadamente de ,80 USD. III. FACTORES DE RISCO Apresentadas abaixo estão sínteses de certos riscos, incertezas e outros factores que podem afectar os resultados futuros da Microsoft. A descrição total destes e doutros riscos está incluída no Capítulo D deste prospecto. Os factores de risco abaixo apresentados deverão ser lidos em conjunto com os outros factores de risco do Capítulo D. Os desafios ao modelo de negócio da Microsoft podem reduzir as suas receitas e margens operacionais. A Microsoft enfrenta uma intensa concorrência. As vulnerabilidades de segurança nos produtos e serviços da Microsoft podem levar à redução das receitas ou a pedidos de indemnização. A Microsoft está sujeita a litígios por parte do governo e das actividades reguladoras que afectam a forma como a Microsoft desenha e comercializa os seus produtos. A Microsoft faz investimentos significativos em novos produtos e serviços que podem não ser rentáveis. A Microsoft dirige um negócio global que a expõe a riscos adicionais. Acontecimentos catastróficos ou condições geopolíticas podem afectar negativamente o negócio da Microsoft. IV DESENVOLVIMENTOS RECENTES Em 28 de Abril de 2011 a Microsoft anunciou no terceiro trimestre uma receita de 16,43 mil milhões de USD para o trimestre que terminou em 31 de Março de 2011, um aumento de 13% em relação a idêntico período do ano anterior. O resultado operacional, ganho líquido, e ganhos diluídos por acção para o trimestre foram de 5,71 mil milhões de USD, 5,23 mil milhões de USD e 0,61 USD por acção, o que representa aumentos de 10%, 31% e 36%, respectivamente, quando comparados com o mesmo período do ano anterior. Os ganhos diluídos por acção têm incluído um benefício fiscal de 0,05 USD, essencialmente, relacionado com o acordo com o U.S. Internal Revenue Service (Serviço de Receita Interna dos EU) para liquidação de parte dos serviços de auditoria de exercícios fiscais dos anos 2004 a Para mais informação veja Exposição III. 1 Baseado num Plano 13G/A apresentado por Mr. Gates à SEC em 14 de Fevereiro de

7 A 11 de Fevereiro de 2011, a Microsoft e a Nokia anunciaram uma aliança estratégica para a criação de novos produtos e serviços móveis e expandir a implementação em novos mercados de produtos e serviços já existentes. A 21 de Abril de 2011, as partes celebraram um acordo escrito com vista à formalização desta parceria. A Microsoft irá licenciar à Nokia e a Nokia irá adoptar Windows Phone como principal smartphone da Nokia. A Microsoft irá receber um royalty num valor competitivo da Nokia pela plataforma Windows Phone, com um valor mínimo que reflecte os volumes elevados que a Novia prece comercializar. A Microsoft também disponibilizará à Nokia as ferramentas necessárias para acelerar o desenvolvimento do Windows e plataformas relacionadas com o Windows. A Microsoft e a Nokia irão colaborar no desenvolvimento conjunto de aplicações. A infraestrutura Microsoft s Windows Marketplace prestará apoio a nova aplicação loja da marca Nokia. Participantes no âmbiente Windows Phone ecosystem poderão beneficiar dos acordos de pagamento que a Nokia tem estabelecidos com operadors em todo o mundo. Em 10 de Maio de 2011, a Microsoft e a Skype Global S.à r.l ( Skype ) anunciaram que tinham chegado a um acordo definitivo ao abrigo do qual a Microsoft adquiriria a Skype, uma sociedade de comunicações da internet por 8,5 mil milhões de USD em dinheiro. A aquisição está sujeita a aprovações legais e outras condições de encerramento habituais. A Microsof espera obter todas as autorizações regulamentares exigidas no decorrer do ano Para mais informação veja Exposição IV. V. APRESENTAÇÃO VISUAL DOS DOCUMENTOS O endereço na internet da Microsoft é No seu site para Relações com Investidores, a Microsoft disponibiliza gratuitamente uma variedade de informação para investidores, incluindo o seu Relatório anual no Formulário 10-K, relatórios trimestrais no Formulário 10- Q, relatórios correntes no Formulário 8-K, e qualquer alteração a estes relatórios, logo que seja possível à Microsoft pôr tal material em suporte digital e o forneça à SEC (www.sec.gov). O Relatório Anual da Microsoft no Formulário 10-K para o ano fiscal terminado em 30 de Junho de 2010, arquivado na SEC em 30 de Julho de 2010 ( Microsoft s Form 10-K ), Relatório Trimestral no Formulário 10-Q para o trimestre terminado em 31 de Março de 2011, arquivado na SEC em 28 de Abril de 2011 ( Microsoft s Form 10-Q ) e o Relatório Definitivo aos Accionistas, arquivado na SEC a 30 de Setembro de 2010 ( Microsoft s Proxy Statement ), referidos neste prospecto, podem ser obtidos gratuitamente quando solicitado por um trabalhador. A Microsoft espera depois do fecho do mercado a 21 de Julho de 2011 publicar os seus resultados do trimestre e ano fiscal terminado em 30 de Junho de O relatório anual no Formulário 10-K para o ano fiscal terminado em 30 de Junho de 2011 será arquivado na SEC no máximo até 29 de Agosto de Estes documentos estarão disponíveis nos Web sites da Microsoft e SEC acima indicados. 7

8 CAPÍTULO C: INFORMAÇÃO FINANCEIRA RESPEITANTE À MICROSOFT CORPORATION PARA OS ANOS FISCAIS TERMINADOS EM 30 DE JUNHO DE 2010, 2009 E 2008 E PARA OS TRIMESTRES TERMINADOS EM 31 DE MARÇO DE 2011 E 2010 Os dados financeiros seleccionados que a Microsoft apresenta neste prospecto foram preparados de acordo com os princípios gerais de contabilidade aceites nos Estados Unidos ( U.S. GAAP ). São em parte derivados de e devem ser lidos em conjunto com a Discussão e Análise da Administração, das Condições Financeiras e Resultados Operacionais e Demonstrações Financeiras consolidadas e notas que aparecem respectivamente nas páginas e do Formulário 10-K da Microsoft, e as suas demonstrações financeiras consolidadas e notas respectivas relacionadas e Discussão e Análise da Administração, das Condições Financeiras e Resultados Operacionais que aparecem respectivamente nas páginas 3 27 e do Formulário 10-Q da Microsoft. DADOS FINANCEIROS SELECCIONADOS DE TRÊS ANOS (em milhões de USD, excepto os dados por acção) Ano Fiscal Terminado em 30 Junho Receitas $ $ $ Receitas operacionais $ $ $ (c) Resultado Líquido $ $ $ (c) Ganho Diluído por acção $ 2,10 $ 1,62 $ 1,87 Dividendos pagos declarados por acção $ 0,52 $ 0,52 $ 0,44 Caixa e seus equivalentes $ $ $ Investimentos a curto prazo (incluindo valores mobiliários penhorados de 62, e milhões de USD) $ $ $ Total de activos $ $ $ Obrigações de longo prazo $ (a) $ (b) $ Capital Próprio $ $ $ (a) (b) (c) Inclui 1,25 mil milhões de USD de títulos de dívida convertíveis emitidos em Junho 2010 e $3.75 mil milhões de valores mobiliários de dívida emitidos em Maio de Ver Nota 12 Dívidas nas Notas Explicativas das Demonstrações Financeiras nas páginas do Formulário 10-K da Microsoft. Inclui 3,75 mil milhões de USD de títulos de dívida emitidos em Maio de Ver Nota 12 Dívidas nas Notas Explicativas das Demonstrações Financeiras nas páginas do Formulário 10-K da Microsoft. Inclui despesa de 1,4 mil milhões de USD (899 milhões de Euros) respeitantes à multa imposta pela Comissão Europeia em Fevereiro de DADOS FINANCEIROS SELECCIONADOS DE UM TRIMESTRE (em milhões de USD, excepto por valor de acção em USD não auditado) Dados das Demonstrações dos resultados Três Meses a Terminar a 31 Março Nove Meses a Terminar a 31 Março Receitas $ $ $ $ Total despesas operacionais Ganhos operacionais Resultado líquido $ $ $ $ Ganhos por acção Base $ 0,62 $ 0,46 $ 2,03 $ 1,61 8

9 Três Meses a Terminar a 31 Março Nove Meses a Terminar a 31 Março Diluído $ 0,61 $ 0,45 $ 2,01 $ 1,59 Dividendos pagos declarados por acção ordinária $ 0,16 $ 0,13 $ 0,48 $ 0,39 Dados do Balanço 31 Março Junho 2010 * Caixa e seus equivalentes $ $ Investimentos a curto prazo (incluindo valores mobiliários emprestados de e 62 milhões de USD) Total de activos Obrigações de longo prazo Total capital próprio * Referente às Demonstrações Financeiras Auditadas que constam do Formulário 10-K da Microsoft. 9

NOTA AO SUMÁRIO DO PROSPECTO VISA NUMERO 12-301 DATADO DE 27 JUNHO 2012, DA AMF. Advertência

NOTA AO SUMÁRIO DO PROSPECTO VISA NUMERO 12-301 DATADO DE 27 JUNHO 2012, DA AMF. Advertência NOTA AO SUMÁRIO DO PROSPECTO VISA NUMERO 12-301 DATADO DE 27 JUNHO 2012, DA AMF Advertência Este sumário deve ser lido como uma nota introdutória ao prospecto. Em qualquer decisão de investir em valores

Leia mais

CISCO SYSTEMS, INC. 170 West Tasman Drive San Jose, California, 95134-1706, U.S.A.

CISCO SYSTEMS, INC. 170 West Tasman Drive San Jose, California, 95134-1706, U.S.A. CISCO SYSTEMS, INC. 170 West Tasman Drive San Jose, California, 95134-1706, U.S.A. PLANO INTERNACIONAL DE AQUISIÇÃO DE AÇÕES PELOS TRABALHADORES ( IESPP ) (SUB- PLANO DO PLANO DE AQUISIÇÃO DE AÇÕES PELOS

Leia mais

Documento de Divulgação. Introdução

Documento de Divulgação. Introdução Abbott Laboratórios, Lda. Estrada de Alf ragide, 67 Alf rapark Edif icio D 2610-008 Amadora Portugal Contribuinte nº 500 006 148 Reg. C.R.C. Amadora Capital Social: 3.396.850 Tel. (351) 214 727 100 Fax.

Leia mais

HEWLETT PACKARD ENTERPRISE COMPANY 3000 Hanover Street Palo Alto, CA 94304, U.S.A.

HEWLETT PACKARD ENTERPRISE COMPANY 3000 Hanover Street Palo Alto, CA 94304, U.S.A. HEWLETT PACKARD ENTERPRISE COMPANY 3000 Hanover Street Palo Alto, CA 94304, U.S.A. PLANO DE AQUISIÇÃO DE AÇÕES PELOS TRABALHADORES DA HEWLETT PACKARD ENTERPRISE COMPANY PARA 2015 (O "ESPP") Prospeto para

Leia mais

NORMA CONTABILÍSTICA E DE RELATO FINANCEIRO 15 INVESTIMENTOS EM SUBSIDIÁRIAS E CONSOLIDAÇÃO

NORMA CONTABILÍSTICA E DE RELATO FINANCEIRO 15 INVESTIMENTOS EM SUBSIDIÁRIAS E CONSOLIDAÇÃO NORMA CONTABILÍSTICA E DE RELATO FINANCEIRO 15 INVESTIMENTOS EM SUBSIDIÁRIAS E CONSOLIDAÇÃO Esta Norma Contabilística e de Relato Financeiro tem por base a Norma Internacional de Contabilidade IAS 27 Demonstrações

Leia mais

HBL15 Trabalhar na Irlanda do Norte: Subsídio de Alojamento Um folhetim informativo do Executivo de Alojamento para Trabalhadores Migrantes

HBL15 Trabalhar na Irlanda do Norte: Subsídio de Alojamento Um folhetim informativo do Executivo de Alojamento para Trabalhadores Migrantes HBL15 Trabalhar na Irlanda do Norte: Subsídio de Alojamento Um folhetim informativo do Executivo de Alojamento para Trabalhadores Migrantes Este folheto explica as regras que se aplicam ao Benefício de

Leia mais

(Avisos) PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS COMISSÃO

(Avisos) PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS COMISSÃO 7.6.2008 C 141/27 V (Avisos) PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS COMISSÃO Convite à apresentação de propostas de 2008 Programa Cultura (2007-2013) Execução das seguintes acções do programa: projectos plurianuais

Leia mais

SEPA - Single Euro Payments Area

SEPA - Single Euro Payments Area SEPA - Single Euro Payments Area Área Única de Pagamentos em euros APOIO PRINCIPAL: APOIO PRINCIPAL: Contexto O que é? Um espaço em que consumidores, empresas e outros agentes económicos poderão efectuar

Leia mais

Fusões e cisões transfronteiras

Fusões e cisões transfronteiras Fusões e cisões transfronteiras Fusões e cisões transfronteiras Consulta organizada pela Comissão Europeia (DG MARKT) INTRODUÇÃO Observações preliminares O presente questionário tem por objetivo recolher

Leia mais

3. CARTÕES DE CRÉDITO E DE DÉBITO (PARTICULARES) (ÍNDICE)

3. CARTÕES DE CRÉDITO E DE DÉBITO (PARTICULARES) (ÍNDICE) 3.1. Cartões de crédito Comissões (Euros) Redes onde o cartão é aceite 1. Anuidades 1 1.º Titular Outros Titulares 2. Emissão de cartão 1 3. Substituição de cartão 2 4. Inibição do cartão 5. Pagamentos

Leia mais

3. Substituiçã o de cartão. 4. Inibição do cartão. 2. Emissão do Cartão. Isento Isento -- -- 25,00 (4) Ver Nota (2).

3. Substituiçã o de cartão. 4. Inibição do cartão. 2. Emissão do Cartão. Isento Isento -- -- 25,00 (4) Ver Nota (2). 3. CARTÕES DE CRÉDITO E DE DÉBITO (CLIENTES PARTICULARES) - FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Entrada em vigor: 04-agosto-2015 3.1. Cartões de Crédito Designação do cartão Redes onde o cartão é aceite Barclays

Leia mais

Definições (parágrafo 9) 9 Os termos que se seguem são usados nesta Norma com os significados

Definições (parágrafo 9) 9 Os termos que se seguem são usados nesta Norma com os significados Norma contabilística e de relato financeiro 14 Concentrações de actividades empresariais Esta Norma Contabilística e de Relato Financeiro tem por base a Norma Internacional de Relato Financeiro IFRS 3

Leia mais

SECÇÃO A INTRODUÇÃO E AVISOS

SECÇÃO A INTRODUÇÃO E AVISOS I. Sumário Nota preliminar Os sumários são constituídos por requisitos de divulgação designados "Elementos". Estes Elementos encontram-se ordenados nas Secções A E (A.1 E.7). Este sumário contém todos

Leia mais

NOTA INFORMATIVA SINGLE EURO PAYMENTS AREA. 1. O que é a SEPA?

NOTA INFORMATIVA SINGLE EURO PAYMENTS AREA. 1. O que é a SEPA? 1 NOTA INFORMATIVA 1. O que é a SEPA? Para harmonização dos sistemas de pagamento no espaço europeu no sentido de impulsionar o mercado único, foi criada uma Área Única de Pagamentos em Euro (denominada

Leia mais

NORMA CONTABILISTICA E DE RELATO FINANCEIRO 14 CONCENTRAÇÕES DE ACTIVIDADES EMPRESARIAIS. Objectivo ( 1) 1 Âmbito ( 2 a 8) 2

NORMA CONTABILISTICA E DE RELATO FINANCEIRO 14 CONCENTRAÇÕES DE ACTIVIDADES EMPRESARIAIS. Objectivo ( 1) 1 Âmbito ( 2 a 8) 2 NORMA CONTABILISTICA E DE RELATO FINANCEIRO 14 CONCENTRAÇÕES DE ACTIVIDADES EMPRESARIAIS Esta Norma Contabilística e de Relato Financeiro tem por base a Norma Internacional de Contabilidade IFRS 3 Concentrações

Leia mais

NÚMERO: 003/2010 DATA: 29/09/2010 ASSUNTO: PALAVRAS CHAVE: PARA: CONTACTOS:

NÚMERO: 003/2010 DATA: 29/09/2010 ASSUNTO: PALAVRAS CHAVE: PARA: CONTACTOS: NÚMERO: 003/2010 DATA: 29/09/2010 ASSUNTO: PALAVRAS CHAVE: PARA: CONTACTOS: Acesso a cuidados de saúde programados na União Europeia, Espaço Económico Europeu e Suiça. Procedimentos para a emissão do Documento

Leia mais

GUIA do ESTUDANTE ERASMUS+ 2015-2016

GUIA do ESTUDANTE ERASMUS+ 2015-2016 GUIA do ESTUDANTE ERASMUS+ 2015-2016 Esclarecimentos de dúvidas/informações adicionais: Carolina Peralta/Isabel Silva Gabinete de Relações Internacionais - GRI Rua de Santa Marta, 47, 1º Piso sala 112-1169-023

Leia mais

O valor da remuneração do Depósito Indexado não poderá ser inferior a 0%. O Depósito garante na Data de Vencimento a totalidade do capital aplicado.

O valor da remuneração do Depósito Indexado não poderá ser inferior a 0%. O Depósito garante na Data de Vencimento a totalidade do capital aplicado. Designação Depósito Indexado PSI 20 Classificação Caracterização do Produto Garantia de Capital Garantia de Remuneração Factores de Risco Instrumentos ou variáveis subjacentes ou associados Perfil de cliente

Leia mais

Preçário AGENCIA DE CAMBIOS CENTRAL, LDA AGÊNCIAS DE CÂMBIOS. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS. Data de Entrada em vigor: 27-Abr-2015

Preçário AGENCIA DE CAMBIOS CENTRAL, LDA AGÊNCIAS DE CÂMBIOS. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS. Data de Entrada em vigor: 27-Abr-2015 Preçário AGENCIA DE CAMBIOS CENTRAL, LDA AGÊNCIAS DE CÂMBIOS Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS O Preçário completo da Agência de Câmbios Central, Lda., contém o Folheto de e Despesas (que incorpora

Leia mais

S. R. MINISTÉRIO DAS FINANÇAS e da ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

S. R. MINISTÉRIO DAS FINANÇAS e da ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA RELATÓRIO SOBRE A CONCESSÃO DE GARANTIAS PESSOAIS PELO ESTADO PARA O REFORÇO DA ESTABILIDADE FINANCEIRA E DA DISPONIBILIZAÇÃO DE LIQUIDEZ NOS MERCADOS FINANCEIROS O presente Relatório é elaborado nos termos

Leia mais

Recarga de Celular Internacional Para os Consumidores e Distribuidores

Recarga de Celular Internacional Para os Consumidores e Distribuidores Recarga de Celular Internacional Para os Consumidores e Distribuidores Março 2015 O que é CY.SEND? CY.SEND é um provedor internacional de recarga de telefonia móvel pré-pago localizado na Suíça para os

Leia mais

Emitente: Descrição do Emitente: Oferta: Vencimento:

Emitente: Descrição do Emitente: Oferta: Vencimento: RESUMO DA OFERTA Este resumo tem de ser visto como uma introdução a este Prospecto. Qualquer decisão de investimento em quaisquer Acções Preferenciais deve basear-se numa avaliação deste Prospecto como

Leia mais

S. R. MINISTÉRIO DAS FINANÇAS

S. R. MINISTÉRIO DAS FINANÇAS RELATÓRIO SOBRE REGIME DE CAPITALIZAÇÃO PÚBLICA PARA O REFORÇO DA ESTABILIDADE FINANCEIRA E DA DISPONIBILIZAÇÃO DE LIQUIDEZ NOS MERCADOS FINANCEIROS (REPORTADO A 25 DE MAIO DE 2012) O presente Relatório

Leia mais

ANÚNCIO PRELIMINAR DE LANÇAMENTO DE OFERTA PÚBLICA GERAL DE AQUISIÇÃO DE ACÇÕES REPRESENTATIVAS DO CAPITAL SOCIAL DA PORTUGAL TELECOM, SGPS, SA.

ANÚNCIO PRELIMINAR DE LANÇAMENTO DE OFERTA PÚBLICA GERAL DE AQUISIÇÃO DE ACÇÕES REPRESENTATIVAS DO CAPITAL SOCIAL DA PORTUGAL TELECOM, SGPS, SA. SONAECOM, S.G.P.S., S.A. Sociedade Aberta Sede: Lugar do Espido, Via Norte, Maia Pessoa Colectiva nº 502 028 351 Matriculada na Conservatória de Registo Comercial da Maia sob o nº 45 466 Capital Social

Leia mais

Regulamento da CMVM n.º 9/2007 Comercialização Pública de Contratos Relativos ao Investimento em Bens Corpóreos

Regulamento da CMVM n.º 9/2007 Comercialização Pública de Contratos Relativos ao Investimento em Bens Corpóreos Regulamento da CMVM n.º 9/2007 Comercialização Pública de Contratos Relativos ao Investimento em Bens Corpóreos Ao abrigo do disposto no n.º 5 do artigo 9.º, no n.º 2 do artigo 10.º, nos artigos 11.º e

Leia mais

Reembolso em espécie das prestações acumuladas na Previdência Profissional ao deixar definitivamente a Suíça a partir de 1 de Junho de 2007

Reembolso em espécie das prestações acumuladas na Previdência Profissional ao deixar definitivamente a Suíça a partir de 1 de Junho de 2007 Sicherheitsfonds BVG Geschäftsstelle Postfach 1023 3000 Bern 14 Tel. +41 31 380 79 71 Fax +41 31 380 79 76 Fonds de garantie LPP Organe de direction Case postale 1023 3000 Berne 14 Tél. +41 31 380 79 71

Leia mais

ANÚNCIO PRELIMINAR DE LANÇAMENTO DE OFERTA PÚBLICA GERAL DE AQUISIÇÃO DE ACÇÕES REPRESENTATIVAS DO CAPITAL SOCIAL DO BANCO BPI, S.A.

ANÚNCIO PRELIMINAR DE LANÇAMENTO DE OFERTA PÚBLICA GERAL DE AQUISIÇÃO DE ACÇÕES REPRESENTATIVAS DO CAPITAL SOCIAL DO BANCO BPI, S.A. BANCO COMERCIAL PORTUGUÊS,S.A. Sociedade Aberta Sede: Praça D.João I,, Porto Mat. CRC Porto: 40.043 NIPC: 501.525.882 Capital Social Registado: 3.257.400.827 Euros ANÚNCIO PRELIMINAR DE LANÇAMENTO DE OFERTA

Leia mais

GOLDEN VISA Junho 2013 AUTORIZAÇÃO DE RESIDÊNCIA ATRAVÉS DE INVESTIMENTO EM PORTUGAL

GOLDEN VISA Junho 2013 AUTORIZAÇÃO DE RESIDÊNCIA ATRAVÉS DE INVESTIMENTO EM PORTUGAL GOLDEN VISA Junho 2013 AUTORIZAÇÃO DE RESIDÊNCIA ATRAVÉS DE INVESTIMENTO EM PORTUGAL Portugal já está a atribuir os Golden Residence Permit a cidadãos não- Europeus no caso de realização de determinados

Leia mais

Condições Particulares de Distribuição Atrium Investimentos Sociedade Financeira de Corretagem, S.A.

Condições Particulares de Distribuição Atrium Investimentos Sociedade Financeira de Corretagem, S.A. Condições Particulares de Distribuição Atrium Investimentos Sociedade Financeira de Corretagem, S.A. I. Identificação do Distribuidor A Atrium Investimentos Sociedade Financeira de Corretagem, S.A. (doravante,

Leia mais

ALVES RIBEIRO - INVESTIMENTOS FINANCEIROS, SGPS, S.A. ANEXO ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS INDIVIDUAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2008 (Montantes em Euros, excepto quando expressamente indicado) 1. NOTA INTRODUTÓRIA

Leia mais

CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA. Bruxelas, 27 de Abril de 2007 (02.05) (OR. en) 9032/07 SCH-EVAL 90 SIRIS 79 COMIX 427

CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA. Bruxelas, 27 de Abril de 2007 (02.05) (OR. en) 9032/07 SCH-EVAL 90 SIRIS 79 COMIX 427 CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA Bruxelas, 27 de Abril de 2007 (02.05) (OR. en) 9032/07 SCH-EVAL 90 SIRIS 79 COMIX 427 NOTA de: para: Assunto: Presidência Grupo de Avaliação de Schengen Projecto de decisão do

Leia mais

EMPRÉSTIMO OBRIGACIONISTA GALP ENERGIA 2013/2018 FICHA TÉCNICA. Galp Energia, SGPS, S.A. Euro. 100.000 (cem mil euros) por Obrigação.

EMPRÉSTIMO OBRIGACIONISTA GALP ENERGIA 2013/2018 FICHA TÉCNICA. Galp Energia, SGPS, S.A. Euro. 100.000 (cem mil euros) por Obrigação. EMPRÉSTIMO OBRIGACIONISTA GALP ENERGIA 2013/2018 FICHA TÉCNICA ENTIDADE EMITENTE: MODALIDADE: MOEDA: MONTANTE DA EMISSÃO: REPRESENTAÇÃO: VALOR NOMINAL: PREÇO DE SUBSCRIÇÃO: Galp Energia, SGPS, S.A. Emissão

Leia mais

PROSPECTO INFORMATIVO Depósito Indexado - Produto Financeiro Complexo

PROSPECTO INFORMATIVO Depósito Indexado - Produto Financeiro Complexo Designação Caixa Eurostoxx Down maio 2015_PFC Classificação Produto Financeiro Complexo Depósito Indexado Caracterização do Produto Garantia de Capital O Caixa Eurostoxx Down maio 2015 é um depósito indexado

Leia mais

CONDIÇÕES FINAIS. Banco BPI, S.A. (constituído com responsabilidade limitada na República Portuguesa) através do seu escritório em Lisboa

CONDIÇÕES FINAIS. Banco BPI, S.A. (constituído com responsabilidade limitada na República Portuguesa) através do seu escritório em Lisboa CONDIÇÕES FINAIS Banco BPI, S.A. (constituído com responsabilidade limitada na República Portuguesa) através do seu escritório em Lisboa Emissão até EUR 100.000.000 de Obrigações a Taxa Fixa BPI RENDIMENTO

Leia mais

7. PROTOCOLO RELATIVO AOS PRIVILÉGIOS E IMUNIDADES DA UNIÃO EUROPEIA

7. PROTOCOLO RELATIVO AOS PRIVILÉGIOS E IMUNIDADES DA UNIÃO EUROPEIA 16.12.2004 PT Jornal Oficial da União Europeia C 310/261 7. PROTOCOLO RELATIVO AOS PRIVILÉGIOS E IMUNIDADES DA UNIÃO EUROPEIA AS ALTAS PARTES CONTRATANTES, CONSIDERANDO QUE, ao abrigo do artigo III 434.

Leia mais

E R A S M U S + ERASMUS+ Faculdade de Farmácia Universidade de Lisboa. Apresentação

E R A S M U S + ERASMUS+ Faculdade de Farmácia Universidade de Lisboa. Apresentação ERASMUS+ Faculdade de Farmácia Universidade de Lisboa Apresentação ERASMUS+ - Ensino Superior O Erasmus+ é o novo programa da UE dedicado à educação, formação, juventude e desporto. O programa tem início

Leia mais

BOLSA INTERNACIONAL DE ENTRADA MARIE CURIE

BOLSA INTERNACIONAL DE ENTRADA MARIE CURIE ANEXO III DISPOSIÇÕES ESPECÍFICAS BOLSA INTERNACIONAL DE ENTRADA MARIE CURIE III. 1 - Definições FASE DE ENTRADA Para além das previstas no artigo II.1, aplicam-se à presente convenção de subvenção as

Leia mais

PROGRAMA EQUITY FIRST PRODUCT SUMÁRIO. Citibank International plc

PROGRAMA EQUITY FIRST PRODUCT SUMÁRIO. Citibank International plc PROGRAMA EQUITY FIRST PRODUCT SUMÁRIO Citibank International plc Valores Mobiliários auto-call Escalator até 50.000.000 euros associados aos Índices EURO STOXX 50 SM, Nikkei 225 e S&P 500 com vencimento

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS. Tomador do seguro A entidade que celebra o contrato de seguro com a VICTORIA e que assume a obrigação de pagamento do prémio.

CONDIÇÕES GERAIS. Tomador do seguro A entidade que celebra o contrato de seguro com a VICTORIA e que assume a obrigação de pagamento do prémio. CONDIÇÕES GERAIS 1 Definições Para efeitos deste Contrato, entende-se por: 1.1 Partes envolvidas no contrato Empresa de seguros VICTORIA - Seguros de Vida, S.A., entidade que emite a apólice e que, mediante

Leia mais

A solução. para os seus problemas. na Europa. ec.europa.eu/solvit

A solução. para os seus problemas. na Europa. ec.europa.eu/solvit A solução para os seus problemas na Europa ec.europa.eu/solvit CONHEÇA OS SEUS DIREITOS Viver, trabalhar ou viajar em qualquer país da UE é um direito fundamental dos cidadãos europeus. As empresas também

Leia mais

PME Investe VI. Linha de Crédito Micro e Pequenas Empresas

PME Investe VI. Linha de Crédito Micro e Pequenas Empresas PME Investe VI Linha de Crédito Micro e Pequenas Empresas Objectivos Esta Linha de Crédito visa facilitar o acesso ao crédito por parte das micro e pequenas empresas de todos os sectores de actividade,

Leia mais

Direcção-Geral da Saúde Circular Informativa

Direcção-Geral da Saúde Circular Informativa Ministério da Saúde Direcção-Geral da Saúde Circular Informativa Assunto: Cartão Europeu de Seguro de Doença Nº: 20/DSPCS DATA: 18/05/04 Para: Todos os serviços dependentes do Ministério da Saúde Contacto

Leia mais

2. Emissão de. Outros Titulares. seguintes. 1.º ano. Anos. cartão. Grátis 28,85 -- -- -- 19,23 26,44. Grátis 28,85 -- -- -- 19,23 26,44

2. Emissão de. Outros Titulares. seguintes. 1.º ano. Anos. cartão. Grátis 28,85 -- -- -- 19,23 26,44. Grátis 28,85 -- -- -- 19,23 26,44 11.1. Cartões de crédito Designação do Redes onde o é aceite 1.º Titular Outros Titulares de (5) (1) 5. Recuperação de valores em divida (6) Millennium bcp Business Silver 28,85 19,23 26,44 Millennium

Leia mais

CONVOCATÓRIA DA ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA DE ACCIONISTAS EDP RENOVÁVEIS, S.A.

CONVOCATÓRIA DA ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA DE ACCIONISTAS EDP RENOVÁVEIS, S.A. CONVOCATÓRIA DA ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA DE ACCIONISTAS EDP RENOVÁVEIS, S.A. Os Senhores Administradores decidiram unanimemente convocar a Assembleia Geral Ordinária de Accionistas da EDP Renováveis,

Leia mais

Vale Projecto - Simplificado

Vale Projecto - Simplificado IDIT Instituto de Desenvolvimento e Inovação Tecnológica Vale Projecto - Simplificado VALES Empreendedorismo e Inovação Associados Parceiros / Protocolos IDIT Enquadramento Vale Projecto - Simplificado

Leia mais

Comunicado de imprensa

Comunicado de imprensa Comunicado de imprensa 6 de maio de 2015 Resultados Alstom 2014/15 Nível recorde de pedidos ( 10 bilhões) e carteira de pedidos ( 28 bilhões) Resultado operacional em alta de 20% Forte geração de fluxo

Leia mais

CASSTM NOTA 376/03 ANEXO 2REV

CASSTM NOTA 376/03 ANEXO 2REV CASSTM NOTA 376/03 ANEXO 2REV DOCUMENTO 3 DIREITOS E OBRIGAÇÕES DOS TITULARES DOS CARTÕES EUROPEUS DE SEGURO DE DOENÇA OU DE DOCUMENTOS EQUIVALENTES NA SEQUÊNCIA DAS ALTERAÇÕES DO PONTO I DA ALÍNEA A)

Leia mais

Ordem de Constituição de EUA RETORNO ABSOLUTO 60-120

Ordem de Constituição de EUA RETORNO ABSOLUTO 60-120 Ordem de Constituição de EUA RETORNO ABSOLUTO 60-120 Identificação do Cliente Nº. de Conta D.O. Nome Completo Morada Localidade Telefone E-mail Cód.Postal O Cliente abaixo assinado solicita a constituição

Leia mais

PARVEST USA LS30. Prospecto simplificado Abril de 2008

PARVEST USA LS30. Prospecto simplificado Abril de 2008 PARVEST USA LS30 Subfundo da SICAV PARVEST, Sociedade de Investimento de Capital Variável O subfundo Parvest USA LS30 foi lançado a 30 de Outubro de 2007. Prospecto simplificado Abril de 2008 Este prospecto

Leia mais

Millennium bcp 2 Julho 2011

Millennium bcp 2 Julho 2011 Preçário de Títulos Na contratação de serviços de investimento em valores mobiliários, os investidores devem analisar atentamente o preçário para calcular os encargos totais previsíveis do investimento

Leia mais

a) Quanto, quando e a que título o investidor paga ou pode pagar? b) Quanto, quando e a que título o investidor recebe ou pode receber?

a) Quanto, quando e a que título o investidor paga ou pode pagar? b) Quanto, quando e a que título o investidor recebe ou pode receber? Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Um investimento responsável exige que conheça as suas implicações e que esteja disposto a aceitá-las PFC Valorização Retalho Entidade

Leia mais

JPMorgan Funds JF Hong Kong Fund (o Sub-Fundo )

JPMorgan Funds JF Hong Kong Fund (o Sub-Fundo ) JPMorgan Funds JF Hong Kong Fund (o Sub-Fundo ) prospecto simplificado janeiro de 2007 Sub-Fundo do JPMorgan Funds (o Fundo ), SICAV constituída nos termos da lei do Grão-Ducado do Este prospecto simplificado

Leia mais

Instituto de Seguros de Portugal e Comissão do Mercado de Valores Mobiliários.

Instituto de Seguros de Portugal e Comissão do Mercado de Valores Mobiliários. Mod. Versão 65.01 Informação actualizada a: 04/04/2011 Designação Comercial: Fidelity Poupança Data de início de Comercialização: 01/02/2007 Empresa de Seguros Entidade Comercializadora Autoridades de

Leia mais

CUSTÓDIA (POR SEMESTRE OU NA DATA DA LIQUIDAÇÃO DA CONTA TÍTULO) (*) EURO IMPOSTO Em todas as Bolsas 12,00 IVA

CUSTÓDIA (POR SEMESTRE OU NA DATA DA LIQUIDAÇÃO DA CONTA TÍTULO) (*) EURO IMPOSTO Em todas as Bolsas 12,00 IVA 1. CONTAS DE TÍTULOS CUSTÓDIA (POR SEMESTRE OU NA DATA DA LIQUIDAÇÃO DA CONTA TÍTULO) (*) Em todas as Bolsas 12,00 (*) - Aplicável a todas as Contas Títulos com saldo médio diário superior a zero unidades

Leia mais

Preçário ONEY - INSTITUIÇÃO FINANCEIRA DE CRÉDITO, S.A. Instituição Financeira de Crédito

Preçário ONEY - INSTITUIÇÃO FINANCEIRA DE CRÉDITO, S.A. Instituição Financeira de Crédito Preçário ONEY - INSTITUIÇÃO FINCEIRA DE CRÉDITO, S.A. Instituição Financeira de Crédito Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Data

Leia mais

PROSPECTO SIMPLIFICADO (actualizado a 31 de Dezembro de 2008) Designação: Liberty PPR Data início de comercialização: 19 de Abril de 2004

PROSPECTO SIMPLIFICADO (actualizado a 31 de Dezembro de 2008) Designação: Liberty PPR Data início de comercialização: 19 de Abril de 2004 PROSPECTO SIMPLIFICADO (actualizado a 31 de Dezembro de 2008) Designação: Liberty PPR Data início de comercialização: 19 de Abril de 2004 Empresa de Seguros Entidades comercializadoras Autoridades de Supervisão

Leia mais

Linha de Crédito PME Crescimento 2015 - Respostas a questões das Instituições de Crédito - Versão v.1

Linha de Crédito PME Crescimento 2015 - Respostas a questões das Instituições de Crédito - Versão v.1 1. Condições a Observar pelas Empresas Beneficiárias Condições genéricas: 1.1. Localização (sede social) em território nacional; inclui Regiões Autónomas da Madeira e Açores, bem como Portugal Continental.

Leia mais

PROSPECTO SIMPLIFICADO JUNHO DE 2005

PROSPECTO SIMPLIFICADO JUNHO DE 2005 PARVEST Absolute Return Plus (Euro) Sub-fundo da PARVEST, Sociedade Luxemburguesa de Investimento de Capital Variável (a seguir designada por "SICAV") Constituída no dia 27 de Março de 1990 PROSPECTO SIMPLIFICADO

Leia mais

PARTE 1 RESUMO 1. INFORMAÇÕES SOBRE A ROCHE 2. ESTRATÉGIA

PARTE 1 RESUMO 1. INFORMAÇÕES SOBRE A ROCHE 2. ESTRATÉGIA PARTE 1 RESUMO O resumo deve ser lido como uma introdução a este prospecto de títulos (o Prospecto ). Qualquer decisão de investir em quaisquer Genussscheine deve ter em consideração o Prospecto como um

Leia mais

Auxílio estatal N 254/2002 Portugal Linha de crédito bonificada a investimentos do sector turístico.

Auxílio estatal N 254/2002 Portugal Linha de crédito bonificada a investimentos do sector turístico. COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 26.07.2002 C (2002) 2943 Assunto: Auxílio estatal N 254/2002 Portugal Linha de crédito bonificada a investimentos do sector turístico. Excelência, PROCEDIMENTO Por carta n.º

Leia mais

Artigo 1.º Imunidade de jurisdição e insusceptibilidade de busca, apreensão, requisição, perda ou qualquer outra forma de ingerência

Artigo 1.º Imunidade de jurisdição e insusceptibilidade de busca, apreensão, requisição, perda ou qualquer outra forma de ingerência Resolução da Assembleia da República n.º 21/2002 Decisão dos Representantes dos Governos dos Estados- Membros da União Europeia, reunidos no Conselho, de 15 de Outubro de 2001, Relativa aos Privilégios

Leia mais

SONAECOM - S.G.P.S., S.A.

SONAECOM - S.G.P.S., S.A. SONAECOM - S.G.P.S., S.A. Sociedade com o capital aberto ao investimento do público Sede: Lugar do Espido - Via Norte - Maia sob o n.º único de matrícula e Pessoa Colectiva n.º 502 028 351 Capital Social:

Leia mais

O PÓS-GUERRA E A CRIAÇÃO DA 1ª COMUNIDADE

O PÓS-GUERRA E A CRIAÇÃO DA 1ª COMUNIDADE O PÓS-GUERRA E A CRIAÇÃO DA 1ª COMUNIDADE Durante muito tempo os países da Europa andaram em guerra. A segunda Guerra Mundial destruiu grande parte do Continente Europeu. Para evitar futuras guerras, seria

Leia mais

DIREITO COMUNITÁRIO. Aula 4 As revisões dos instrumentos fundamentais: o aprofundamento 2

DIREITO COMUNITÁRIO. Aula 4 As revisões dos instrumentos fundamentais: o aprofundamento 2 DIREITO COMUNITÁRIO Aula 4 As revisões dos instrumentos fundamentais: o aprofundamento 2 As revisões dos tratados fundadores 07/02/1992: Assinatura do Tratado sobre a União Européia,, em Maastricht; 20/10/1997:

Leia mais

Constituição de Aplicação EURO-AMÉRICA 16%

Constituição de Aplicação EURO-AMÉRICA 16% Constituição de Aplicação EURO-AMÉRICA 16% Identificação do Cliente Nº. de Conta D.O. Nome Completo Morada Localidade Telefone E-mail Montante a aplicar (em Euro) no EURO-AMÉRICA 16%: Extenso O Cliente

Leia mais

É UM CIDADÃO EUROPEU A RESIDIR NA BÉLGICA? Então venha votar no dia 25 de Maio de 2014 para o Parlamento Europeu!

É UM CIDADÃO EUROPEU A RESIDIR NA BÉLGICA? Então venha votar no dia 25 de Maio de 2014 para o Parlamento Europeu! F É UM CIDADÃO EUROPEU A RESIDIR NA BÉLGICA? Então venha votar no dia 25 de Maio de 2014 para o Parlamento Europeu! 1 QUEM PODE VOTAR A 25 DE MAIO DE 2014? Para poder participar nesta eleição na qualidade

Leia mais

GLOSSÁRIO. Auditoria Geral do Mercado de Valores Mobiliários 39

GLOSSÁRIO. Auditoria Geral do Mercado de Valores Mobiliários 39 GLOSSÁRIO Activo subjacente: activo que serve de base a outros instrumentos financeiros, como sejam os futuros, as opções e os warrants autónomos. Assembleia geral: órgão das sociedades anónimas em que

Leia mais

SEMINÁRIO EXPORTAR, EXPORTAR, EXPORTAR. Viana do Castelo, 11de Fevereiro

SEMINÁRIO EXPORTAR, EXPORTAR, EXPORTAR. Viana do Castelo, 11de Fevereiro SEMINÁRIO EXPORTAR, EXPORTAR, EXPORTAR Viana do Castelo, 11de Fevereiro www.cosec.pt COSEC Companhia de Seguro de Créditos, S.A. 2014 Índice Sobre a COSEC Seguro de Créditos Soluções à medida em resumo

Leia mais

PARTE A: INFORMAÇÕES DE CARÁCTER GERAL

PARTE A: INFORMAÇÕES DE CARÁCTER GERAL Crédit Agricole Funds - EUROSTOCKS O Crédit Agricole Funds é um OICVM umbrella constituído ao abrigo da Parte I da Lei de 20 de Dezembro de 2002, conforme alterada Sede social: 39, Allée Scheffer, L-2520

Leia mais

Glossário sobre Planos e Fundos de Pensões

Glossário sobre Planos e Fundos de Pensões Glossário sobre Planos e Fundos de Pensões Associados Benchmark Beneficiários Beneficiários por Morte CMVM Comissão de Depósito Comissão de Gestão Comissão de Transferência Comissão Reembolso (ou resgate)

Leia mais

SUL AMÉRICA FUNDO MÚTUO DE PRIVATIZAÇÃO - FGTS CARTEIRA LIVRE

SUL AMÉRICA FUNDO MÚTUO DE PRIVATIZAÇÃO - FGTS CARTEIRA LIVRE SUL AMÉRICA FUNDO MÚTUO DE PRIVATIZAÇÃO - FGTS CARTEIRA LIVRE REGULAMENTO CAPÍTULO I - DO FUNDO Artigo 1º - O SUL AMÉRICA FUNDO MÚTUO DE PRIVATIZAÇÃO -- FGTS CARTEIRA LIVRE, doravante designado abreviadamente

Leia mais

O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:378383-2013:text:pt:html

O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:378383-2013:text:pt:html 1/6 O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:378383-2013:text:pt:html Polónia-Varsóvia: Contrato-quadro para desenvolvimento de Intranet com base em SharePoint, sistema

Leia mais

CONVOCATÓRIA DA ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA DE ACIONISTAS EDP RENOVÁVEIS, S.A.

CONVOCATÓRIA DA ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA DE ACIONISTAS EDP RENOVÁVEIS, S.A. CONVOCATÓRIA DA ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA DE ACIONISTAS EDP RENOVÁVEIS, S.A. Os Senhores Administradores decidiram unanimemente convocar a Assembleia Geral Ordinária de Acionistas da EDP Renováveis, S.A.,

Leia mais

RELATÓRIO & CONTAS Liquidação

RELATÓRIO & CONTAS Liquidação Fundo Especial de Investimento Aberto CAIXA FUNDO RENDIMENTO FIXO IV (em liquidação) RELATÓRIO & CONTAS Liquidação RELATÓRIO DE GESTÃO DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS RELATÓRIO DO AUDITOR EXTERNO CAIXAGEST Técnicas

Leia mais

Através da sua rede de Balcões do Banco Espírito Santo, S.A.. Instituto de Seguros de Portugal e Comissão do Mercado de Valores Mobiliários.

Através da sua rede de Balcões do Banco Espírito Santo, S.A.. Instituto de Seguros de Portugal e Comissão do Mercado de Valores Mobiliários. Mod. Versão 91-60 Informação actualizada a: 19/04/2011 Designação Comercial: Operação de Capitalização T- 1ª Série (ICAE- Não Normalizado) Período de Comercialização: de17/12/2008 a 17/12/20 Empresa de

Leia mais

Eurovida Companhia de Seguros de Vida, S.A., sociedade anónima pertencente ao Grupo Banco Seguros

Eurovida Companhia de Seguros de Vida, S.A., sociedade anónima pertencente ao Grupo Banco Seguros Data início de comercialização: 2007/05 por tempo indeterminado Empresa de Companhia de Seguros de Vida, S.A., sociedade anónima pertencente ao Grupo Banco Seguros Popular, com sede social na - 1099-090

Leia mais

Ordem de Constituição de Aplicação Conjunta de DEPÓSITO BOLSA GARANTIDO EUA E JAPÃO e SUPER DEPÓSITO BIG 6%

Ordem de Constituição de Aplicação Conjunta de DEPÓSITO BOLSA GARANTIDO EUA E JAPÃO e SUPER DEPÓSITO BIG 6% Ordem de Constituição de Aplicação Conjunta de DEPÓSITO BOLSA GARANTIDO EUA E JAPÃO e SUPER DEPÓSITO BIG 6% Identificação do Cliente Nº. de Conta D.O. Nome Completo Morada Localidade Nº Contribuinte Telefone

Leia mais

MERCADO DE CAPITAIS. Entrada em vigor: 18-Mar-2013. Valores Mobiliários

MERCADO DE CAPITAIS. Entrada em vigor: 18-Mar-2013. Valores Mobiliários Na contratação de serviços de investimento em valores mobiliários, os investidores não qualificados devem analisar atentamente o preçário para calcular os encargos totais previsíveis do investimento a

Leia mais

Companhia de Seguros Açoreana, S.A. PROSPECTO INFORMATIVO INVESTSEGURO

Companhia de Seguros Açoreana, S.A. PROSPECTO INFORMATIVO INVESTSEGURO Companhia de Seguros Açoreana, S.A. PROSPECTO INFORMATIVO INVESTSEGURO Dezembro de 2004 1/6 Parte I Informações sobre a empresa de seguros 1. Denominação ou firma da empresa de seguros: Companhia de Seguros

Leia mais

A QUEM PODE DAR ORDENS PARA INVESTIMENTO COMO E ONDE SÃO EXECUTADAS

A QUEM PODE DAR ORDENS PARA INVESTIMENTO COMO E ONDE SÃO EXECUTADAS COMISSÃO DO MERCADO DE VALORES MOBILIÁRIOS COMISSÃO DO MERCADO DE VALORES MOBILIÁRIOS A QUEM PODE DAR ORDENS PARA INVESTIMENTO COMO E ONDE SÃO EXECUTADAS NOVEMBRO DE 2007 CMVM A 1 de Novembro de 2007 o

Leia mais

NORMA CONTABILISTICA E DE RELATO FINANCEIRO 2 DEMONSTRAÇÃO DE FLUXOS DE CAIXA. Objectivo ( 1) 2 Âmbito ( 2) 2 Definições ( 3 a 6) 2

NORMA CONTABILISTICA E DE RELATO FINANCEIRO 2 DEMONSTRAÇÃO DE FLUXOS DE CAIXA. Objectivo ( 1) 2 Âmbito ( 2) 2 Definições ( 3 a 6) 2 NORMA CONTABILISTICA E DE RELATO FINANCEIRO 2 DEMONSTRAÇÃO DE FLUXOS DE CAIXA Esta Norma Contabilística e de Relato Financeiro tem por base a Norma Internacional de Contabilidade IAS 7 Demonstrações de

Leia mais

4Pro. Telemóvel Telefone Internet Televisão

4Pro. Telemóvel Telefone Internet Televisão 4Pro A oferta mais competitiva, desenhada para empresas e profissionais que lhe garante os melhores resultados 2 cartões de telemóvel com comunicações ilimitadas para todas as redes nacionais, para uma

Leia mais

Notas sobre o formulário Acto de Oposição

Notas sobre o formulário Acto de Oposição INSTITUTO DE HARMONIZAÇÃO NO MERCADO INTERNO (IHMI) Marcas, Desenhos e Modelos Notas sobre o formulário Acto de Oposição 1. Observações gerais 1.1 Utilização do formulário O formulário pode ser obtido

Leia mais

Preçário ONEY - INSTITUIÇÃO FINANCEIRA DE CRÉDITO, S.A. Instituição Financeira de Crédito

Preçário ONEY - INSTITUIÇÃO FINANCEIRA DE CRÉDITO, S.A. Instituição Financeira de Crédito Preçário ONEY - INSTITUIÇÃO FINCEIRA DE CRÉDITO, S.A. Instituição Financeira de Crédito Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Data

Leia mais

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Um investimento responsável exige que conheça as suas implicações e que esteja disposto a aceitá-las. Designação: VICTORIA PPR Acções

Leia mais

Atualidades. Blocos Econômicos, Globalização e União Européia. 1951 - Comunidade Européia do Carvão e do Aço (CECA)

Atualidades. Blocos Econômicos, Globalização e União Européia. 1951 - Comunidade Européia do Carvão e do Aço (CECA) Domínio de tópicos atuais e relevantes de diversas áreas, tais como política, economia, sociedade, educação, tecnologia, energia, ecologia, relações internacionais, desenvolvimento sustentável e segurança

Leia mais

REGULAMENTO JOGO DA BOLSA 2014

REGULAMENTO JOGO DA BOLSA 2014 REGULAMENTO JOGO DA BOLSA 2014 1. INTRODUÇÃO 1.1 O Jogo da Bolsa 2014 é um passatempo organizado pelo Jornal de Negócios Online em parceria com a GoBulling - Banco Carregosa Online, com o Alto Patrocínio

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA EM MATÉRIA DE CRÉDITO AOS CONSUMIDORES INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL A. ELEMENTOS DE IDENTIFICAÇÃO

FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA EM MATÉRIA DE CRÉDITO AOS CONSUMIDORES INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL A. ELEMENTOS DE IDENTIFICAÇÃO FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA EM MATÉRIA DE CRÉDITO AOS CONSUMIDORES INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL A. ELEMENTOS DE IDENTIFICAÇÃO 1. Identificação da instituição de crédito 1.1. Denominação Banco BPI, Sociedade

Leia mais

Conceitos básicos de negociação em CFDs

Conceitos básicos de negociação em CFDs Conceitos básicos de negociação em CFDs N.º 808 10 20 20 ApoioCliente@GoBulling.com www.bancocarregosa.com/gobulling www.facebook.com/gobulling Advertências Específicas ao Investidor: Pode implicar a perda

Leia mais

REGULAMENTADO SESSÃO ESPECIAL DE MERCADO. Apuramento dos Resultados da Oferta Pública de Subscrição das Obrigações FC PORTO SAD 2014-2017

REGULAMENTADO SESSÃO ESPECIAL DE MERCADO. Apuramento dos Resultados da Oferta Pública de Subscrição das Obrigações FC PORTO SAD 2014-2017 SESSÃO ESPECIAL DE MERCADO REGULAMENTADO Apuramento dos Resultados da Oferta Pública de Subscrição das Obrigações FC PORTO SAD 2014-2017 4 de Junho de 2014 Não dispensa a consulta do prospecto e respectiva

Leia mais

CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA. Bruxelas, 11 de Julho de 2007 (18.07) (OR. en) 11722/07 SCH-EVAL 131 SIRIS 133 COMIX 659

CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA. Bruxelas, 11 de Julho de 2007 (18.07) (OR. en) 11722/07 SCH-EVAL 131 SIRIS 133 COMIX 659 CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA Bruxelas, 11 de Julho de 2007 (18.07) (OR. en) 11722/07 SCH-EVAL 131 SIRIS 133 COMIX 659 NOTA de: para: Assunto: Presidência Grupo de Avaliação de Schengen Projecto de decisão

Leia mais

Activo subjacente: activo que serve de base a outros instrumentos financeiros, como sejam os futuros, as opções e os warrants autónomos.

Activo subjacente: activo que serve de base a outros instrumentos financeiros, como sejam os futuros, as opções e os warrants autónomos. GLOSSÁRIO Activo subjacente: activo que serve de base a outros instrumentos financeiros, como sejam os futuros, as opções e os warrants autónomos. Assembleia geral: órgão das sociedades anónimas em que

Leia mais

NEGOCIAÇÕES DE ADESÃO DA BULGÁRIA E DA ROMÉNIA À UNIÃO EUROPEIA

NEGOCIAÇÕES DE ADESÃO DA BULGÁRIA E DA ROMÉNIA À UNIÃO EUROPEIA NEGOCIAÇÕES DE ADESÃO DA BULGÁRIA E DA ROMÉNIA À UNIÃO EUROPEIA Bruxelas, 31 de Março de 2005 (OR. en) AA 23/2/05 REV 2 TRATADO DE ADESÃO: ACTA FINAL PROJECTO DE ACTOS LEGISLATIVOS E OUTROS INSTRUMENTOS

Leia mais

Número de acções detidas detidas indirectamente % Total sobre o capital. directamente

Número de acções detidas detidas indirectamente % Total sobre o capital. directamente Estrutura Capital Salvo se indicação em contrário, as respostas reportam à situação a 31 de Dezembro do ano #### Contacto da sociedade para esclarecimento: Nome Telefone E mail Quesito Identificação da

Leia mais

A PRESENTE OFERTA PÚBLICA DE DISTRIBUIÇÃO FOI OBJECTO DE REGISTO PRÉVIO NA COMISSÃO DO MERCADO DE VALORES MOBILIÁRIOS (CMVM) SOB O Nº 9.

A PRESENTE OFERTA PÚBLICA DE DISTRIBUIÇÃO FOI OBJECTO DE REGISTO PRÉVIO NA COMISSÃO DO MERCADO DE VALORES MOBILIÁRIOS (CMVM) SOB O Nº 9. CIMPOR Cimentos de Portugal, SGPS, S.A. Sociedade Aberta Sede: Rua Alexandre Herculano, 35, em Lisboa Capital Social: 672.000.000 de Euros Matriculada na Conservatória do Registo Comercial de Lisboa sob

Leia mais

O presente documento é uma tradução do sumário do prospecto do Plano de Acções para os Empregados do Grupo DHV ("O Prospecto") da exclusiva

O presente documento é uma tradução do sumário do prospecto do Plano de Acções para os Empregados do Grupo DHV (O Prospecto) da exclusiva O presente documento é uma tradução do sumário do prospecto do Plano de Acções para os Empregados do Grupo DHV ("O Prospecto") da exclusiva responsabilidade da DHV Holding B.V. O Prospecto foi aprovado

Leia mais

OS BENEFÍCIOS DO RENTING NAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO.

OS BENEFÍCIOS DO RENTING NAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO. OS BENEFÍCIOS DO RENTING NAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO. ÍNDICE INTRODUÇÃO OS BENEFÍCIOS DO RENTING VANTAGENS FISCAIS O RENTING REDUZ CUSTOS PERMITE MANTER A LIQUIDEZ E AS LINHAS DE CRÉDITO INTACTAS FINANCIAMENTO

Leia mais

RELATÓRIO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU E AO CONSELHO. sobre os passivos implícitos com impacto potencial nos orçamentos públicos

RELATÓRIO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU E AO CONSELHO. sobre os passivos implícitos com impacto potencial nos orçamentos públicos COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 30.6.2015 COM(2015) 314 final RELATÓRIO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU E AO CONSELHO sobre os passivos implícitos com impacto potencial nos orçamentos públicos PT PT RELATÓRIO

Leia mais

Informações Fundamentais Destinadas aos Investidores (IFI)

Informações Fundamentais Destinadas aos Investidores (IFI) Informações Fundamentais Destinadas aos Investidores (IFI) O presente documento fornece as informações fundamentais destinadas aos investidores sobre este Fundo. Não é material promocional. Estas informações

Leia mais