ARTIGO IV PRINCIPAIS PARTES DA CPU

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ARTIGO IV PRINCIPAIS PARTES DA CPU"

Transcrição

1 ARTIGO IV PRINCIPAIS PARTES DA CPU Principais partes da CPU: Nos primeiros computadores as partes da CPU eram construídas separadamente, ou seja, um equipamento fazia o papel de unidade lógica e aritmética e outro fazia o papel de unidade de controle. A partir da miniaturização dos processadores estas partes passaram a ser construídas juntas e com os microprocessadores as unidades lógica e aritmética e de controle passaram a ser construídas em chips de silício que medem poucos centímetros. 1. ULA (unidade lógica e aritmética, UAL unidade aritmética e lógica ou ainda ALU arthmetic logic unit): É principal parte da CPU, porque é quem realmente processa. A ULA realiza as operações lógicas e aritméticas com os dados. Para executar as instruções é conveniente lembrar que há micro instruções gravadas diretamente na ULA (informam como fazer), estes comandos gravados em hardware é chamado de firmware. Normalmente não é necessário conhecimento profundo sobre as unidades internas do processador, porém, vamos tentar compreender algo mais do que o básico Portas lógicas: Quando a corrente passa pelos transistores estes podem ser programados para serem ligados ou desligados e também podem ser programados para controlar a atividade de outros transistores, esta capacidade de controlar a atividade dos outros transistores é chamada de porta. As portas podem ser encadeadas para produzir cálculos simples ou complexos, com diferentes combinações de portas o processador consegue efetuar as operações matemáticas. As portas podem ser: Porta NÃO lógica: A porta NÃO lógica é formada por apenas um transistor e produz como saída sempre o oposto da entrada do transistor anterior. Entrada Saída Porta OU lógica: A porta OU lógica utiliza a comparação de dois transistores e produz 1 se o primeiro ou o segundo transistores forem 1. 1ª Entrada 2ª Entrada Saída Porta E lógica: A porta E lógica utiliza a comparação de dois transistores e produz 1 se o primeiro e o segundo transistores forem 1. 1ª Entrada 2ª Entrada Saída Porta XOR lógica (OU EXCLUSIVO): A porta XOR lógica utiliza a comparação de dois transistores e produz 1 se o primeiro e o segundo transistores forem diferentes.

2 1ª Entrada 2ª Entrada Saída Operações aritméticas: Por meio da combinação das diferentes portas o computador é capaz de realizar as quatro operações básicas: soma, subtração, multiplicação e adição (em verdade só existe soma, porque a subtração é soma de número negativo, a multiplicação é o resultado de somas repetidas e a divisão é a soma repetida de números negativos). As operações de soma de dois números binários, por exemplo, podem ser efetuadas por meio da combinação de uma porta E e uma porta XOR. Para somar números mais complexos é necessário combinar diversas portas Operações lógicas e operadores relacionais: As operações lógicas que a ULA pode realizar são, na verdade, comparações. Comparar números, letras, cores pode ser essencial para a realização das tarefas, pois o computador poderá executar ações com base nos resultados das combinações realizadas. Os programadores utilizam operadores relacionais para representar as combinações. Apesar de as operações lógicas poderem ser resumidas em apenas três (igual, menor e maior), vamos também falar das combinações entre elas e mostrar os respectivos operadores relacionais (=, < e >): Condição de igualdade (=): Compara dois valores para determinar se há igualdade entre eles Condição menor que (<): Compara dois valores para determinar se o primeiro é menor que o segundo Condição maior que (>): Compara dois valores para determinar se o primeiro é maior que o segundo Condição não é igual a (<>): É a combinação entre a condição de menor que e a de maior que. Esta condição compara se um valor é maior ou menor que outro, ou seja, se o primeiro é diferente do segundo. Sabendo que o primeiro é maior ou menor que o segundo saberá que se não é igual ao primeiro Condição de menor ou igual a (<=): Também é uma combinação de duas condições e compara se o primeiro é menor ou igual ao segundo; Condição de maior ou igual a (>=):Também é uma combinação de duas condições e compara se o primeiro é maior ou igual ao segundo. 2. UC (Unidade de controle ou control unit): Coordena os outros componentes internos da CPU para a execução de instruções armazenadas em um programa (buscadas na memória principal). A unidade de controle não processa, ela apenas coordena as partes do processador para que o processamento ocorra da forma mais apropriada, verificando a ordem dos dados e a sincronia entre as outras partes. A UC é responsável por determinar quais etapas do processamento deverão ser executadas em determinado momento.

3 3. Registradores: Tanto a ULA como a UC (o processador como um todo) necessitam de locais de armazenamento temporário de dados. Os registradores armazenam instruções ou dados enquanto não estão sendo processados. São capazes de fornecer os dados ou instruções para a UC ou ULA em velocidades altíssimas porque trabalham na mesma freqüência do processador. Os registradores fazem, então, o papel de apoio às outras partes do processador. Pode-se fazer uma analogia às caixas registrados que guardam os valores que estão sendo subtraídos ou somados pelo operado de caixa. Muito cuidado, pois, apesar de os registradores serem áreas de armazenamento eles não fazem parte da memória principal, fazem parte da própria CPU. Guardam os dados que estão diretamente relacionados com a operação em execução. Já a memória principal armazena os dados que serão processados em seguida. Os registradores, dentro de um escalonamento de memórias, seria a memória que possui a maior velocidade de transferência, ou seja, possui o menor tempo de resposta, porém, também é a mais cara e por isso está presente sempre em pouca quantidade. Os registradores armazenam dados em caráter temporário e são voláteis, ou seja, só armazenam as informações enquanto à energia. 4 Clock (clock de sistema ou freqüência): Dispositivo gerador de pulsos cuja duração é chamada de ciclo de máquina e efetua o sincronismo das fases do processamento. Podemos dizer que o computador tem um relógio interno (não confunda com o relógio que armazena a data e hora) que determina o ritmo de trabalho do computador. Este dispositivo é um pequeno cristal que vibra milhões ou até bilhões de vezes por segundo e assim define os ciclos de trabalho da CPU. A quantidade de vezes em que este pulso se repete em um segundo define a unidade de medida do clock, denominada de freqüência. A unidade de medida usual para a freqüência é o Hertz (Hz), que significa um ciclo por segundo. Normalmente, utiliza-se o clock como elemento auxiliar para determinar a velocidade de uma CPU. No entanto, o clock não é a melhor forma de se aferir o desempenho ou velocidade de um microcomputador em relação a outros de arquitetura diferente, já que é uma medida de freqüência de trabalho e não de velocidade propriamente dita. Cada arquitetura diferente de microprocessador poderá permitir a manipulação de quantidade de dados diferentes a cada ciclo de clock, além do mais, é possível que num mesmo ciclo alguns processadores possam executar mais de uma instrução de máquina (processadores com arquitetura superescalar). Os processadores possuem dois clocks ou duas freqüências, uma medida internamente e a outra medida externamente Clock externo (FSB Front Side Bus) barramento local (de dados): O clock externo determina o ritmo em que o processador se comunica com a memória principal. Já foi visto que o clock externo tem que trabalhar na mesma freqüência da memória principal.

4 Atualmente alguns processadores já chegaram à freqüência externa de 1066 MHz ou 1,066 GHz de clock externo (Pentium EE), porém, cabe ressaltar que a velocidade real é menor. O que acontece, na Intel, é que eles utilizam uma técnica chamada QDR ou Quad Data Rate (taxa de transferência quadruplicada). Sendo assim, um processador Pentium 4 HT com clock externo declarado pelo fabricante como sendo de 800 MHz é na verdade de 200 MHz só que consegue transferir até quatro palavras a cada ciclo o que faz com tenha um desempenho quatro vezes superior aos 200 MHz reais, por isso é oferecido com a taxa de 800 MHz. A AMD também faz seus truques para que o clock externo pareça maior do que realmente é. A AMD utiliza a técnica chamada DDR ou Double Data Rate (taxa de transferência dobrada), sendo assim o processador AMD Athlon 64 FX com 400MHz de clock externo declarado pelo fabricante em verdade trabalha com 200 MHz, mas transfere o dobro de dados a cada pulso de clock e por isso é vendido como se fosse de 400 MHz Clock interno: O clock interno mede a freqüência do processador, ou seja, é capaz de determinar quantas instruções de máquina o computador será capaz de realizar a cada segundo. Em processadores de mesma arquitetura e clocks internos diferentes, logicamente, o de clock maior poderá efetuar mais instruções a cada segundo e por isso poderá ser considerado mais rápido. Porém, como já afirmado não é correto comparar dois processadores de arquiteturas diferentes utilizando apenas o clock interno. Atualmente (maio/2006) os processadores já possuem clocks internos na ordem de 3,8 GHz (3,8 bilhões de ciclos por segundo) e logo estarão ultrapassando a barreira dos 4 GHz Clock interno x Clock externo: Talvez você já esteja pensando: Mas você não acabou de dizer que o processador terá que se comunicar com a memória na mesma velocidade dela? Em verdade, o processador até pode ser mais lento que a memória (a memória será acessada no ritmo do processador trabalhará mais devagar), o que não pode é aconselhável é o contrário. Mas, então como o clock externo é de 800 MHz e o clock interno já está chegando a 4 GHz? O processador não está com clock maior que a memória? Meu amigo concurseiro, você está coberto de razão... O processador até pode trabalhar internamente a 4 GHz, porém, para se comunicar com a memória terá que ir mais devagar e falar com ela na velocidade que ela entende, por exemplo, 800 MHz. E como faz isso?! Como o processador fica mais devagar? É aí que entra uma outra gambiarrazinha do pessoal da Intel: O Multiplicador do clock interno Multiplicador do clock interno: Até a chegada dos processadores da Intel os processadores tinham clock interno real igual ao clock externo, por isso não havia problema algum. A tecnologia da época permitia que as placas-mães suportassem freqüências até superiores à do clock interno. Porém, com a chegada dos 80486DX2 o clock interno passou a ser construído com freqüência superior à

5 freqüência do barramento de dados e foi necessária a criação do multiplicador do clock. O processador continuou a ser produzido com clocks baixos (para conversar com a memória), mas, internamente poderia trabalhar em ritmo alto (clock interno com fator de multiplicação). Veja só: Aquele processador Pentium 4 HT com clock real de 200 MHz (com quatro palavras a cada pulso de clock que faz parecer 800 MHz) tem internamente clock de 3,8 GHz o que faz você concluir que utiliza um fator de multiplicação de 19 x (200 MHz de clock real x 19 = MHz = 3,8 GHz clock interno). O fator de multiplicação do processador deverá ser definido na hora de configuração do processador na placa-mãe Wait states ou ciclos de espera: Muitas vezes o processador tem que aguardar a memória ou outros dispositivos mais lentos para receber dados ou instruções, então, o processador poderá ficar alguns ciclos à espera dos outros dispositivos. Este tempo que o processador não recebe informações ou instruções é conhecido pelo nome de estados de espera (wait states) e é um tempo inútil para o processamento de dados Formas de compensar a diferença entre clock interno e clock externo (evitar wait states): Para minimizar tão grande diferença entre o clock interno e o clock externo os fabricantes têm procurado técnicas que reduzam o tempo de espera do processador ou aumentem a capacidade de acesso à memória. Atualmente os processadores utilizam as técnicas de transferência dupla ou quádrupla a cada ciclo de clock. Além disso, os processadores têm feito uso cada vez maior da memória cachê interna. Já sabemos que a cachê interna tem freqüência maior que a memória principal, ou seja, mais próxima a do processador e assim, se o dado a ser processado estiver na memória cachê não haverá retardo (ou vai ser menor) Overclock: A técnica de utilizar o clock acima dos valores indicados pelo fabricante é chamada de overclock. O usuário deverá ter cuidado com o problema do aquecimento e ter também a noção de que a vida útil do processador poderá ser diminuída caso utilize o processador com overclock. Existem dois tipos de overclock: interno e externo; O overclock interno é definido aumentando-se o fator de multiplicação do clock interno. O fabricante faz um conjunto de testes e diz: Olha pessoal este processador trabalha muito bem a 3,8 GHz, isso eu garanto. Porém, alguns usuários sabem que este processador é capaz de trabalhar de forma relativamente segura a 4,0 ou 4,2 GHz e assim utilizam um fator de multiplicação do clock interno maior do que o indicado pelo fabricante. Atualmente alguns fabricantes lançam os processadores com o fator de multiplicação do clock interno travado para coibir tal prática! O overclock do barramento externo também é possível, ou seja, alguns usuários também experimentam fazer com que o processador se comunique com a

6 memória além da capacidade aconselhada pelo fabricante, por exemplo: se o processador é vendido com clock externo de 200 MHz, é possível fazê-lo trabalhar, de forma aparentemente segura, a 210 ou 220 MHz. 5. Cachê do processador (cachê interna): Sabe-se que a função da memória cachê é acelerar o processamento. Desde o que os computadores já trazem alguma porção de memória cachê incorporada ao próprio processador. A partir do também foi utilizada uma porção de memória cachê instalada na placa-mãe (externa), esta memória ficou conhecida como L2 e a primeira (interna) como L1. Já faz algum tempo que os processadores incorporaram também a L2 e hoje possuem a L1 e a L2 interna. Alguns processadores mais modernos, de alto desempenho, também já possuem memória cachê nível 3 (L3) interna, aumentando mais ainda a performance do sistema Controlador da memória cachê: Este item faz o gerenciamento de quais dados serão colocados em cachê e levados ao processador. Atualmente os processadores já possuem os controladores de cachê L1 e L2 também incorporados. 6. Unidade de ponto flutuante (conhecida antigamente como co-processador matemático) FPU Float Point Unit: Os computadores não são muito bons para lidar com números fracionários, números muito pequenos ou muito grandes, para este tipo de cálculo a ULA não é bem treinada. Em outras palavras podemos dizer que a ULA não contém instruções específicas para lidar com algumas funções matemáticas mais complexas Co-processador matemático: Os processadores antigos (80286 coprocessador e co-processador 80387) eram auxiliados por outro processador mais especializado para a realização de operações matemáticas complexas. Este outro processador auxiliar ficou conhecido como co-processador matemático Unidade de ponto flutuante: A partir do processador os processadores passaram a incorporar (internamente) a função de co-processamento matemático e, a partir de então, a os processadores receberam mais um componente que passou a ser chamado de unidade de ponto flutuante. Este nome é pertinente à capacidade da unidade realizar cálculos matemáticos complexos.

7 7. Etapas do processamento (ciclo de máquina): O processamento, propriamente dito, é efetuado em etapas. Para cada instrução de máquina o processador gastará pelo menos um pulso de clock (atualmente pode ser menos), percorrendo uma série de passos. Embora as etapas do processamento não sejam, normalmente, cobradas em concursos as explicações a seguir serão úteis para entender conceitos como processamento pipeling, arquitetura superescalar e outros. As principais etapas que compõem um ciclo de máquina são divididas em tempo de instrução e tempo de execução Tempo de instrução: Diz respeito às etapas iniciais do processamento, ou seja, é a reunião das etapas de buscar a instrução (e os dados necessários) e interpretar esta instrução para saber qual operação será executada. Vejamos: Captar: A unidade de controle é responsável por obter a instrução que está em memória principal e a colocar em uma memória interna do processador (registrador) Decodificar: A unidade de controle é responsável, ainda, por dizer o que significa a instrução que foi buscada em memória, ou seja, a unidade de controle determina qual operação deverá ser efetuada pela ULA. Nesta etapa a UC também define a localização (em memória) dos dados necessários para a realização da instrução. Por exemplo: Se for para somar dois números ( ) a UC então decodifica a instrução indicando que a operação a ser realizada é a de soma e também identifica em qual posição da memória estão os números 27 e 28 que serão somados Tempo de execução: Diz respeito às etapas finais do ciclo de processamento, ou seja, é a reunião das etapas de execução e registro do resultado Executar: A unidade de controle não executa, porém, é responsável por transferir os dados da memória para os registrados (memória de apoio) da ULA. A ULA é que será responsável por executar a instrução por meio de suas operações aritméticas e lógicas. No nosso exemplo a ULA executa a soma dos números 27 e Armazenar ou registrar: A unidade de controle armazena o resultado (no nosso exemplo o resultado da soma é 55). Enviará para a memória principal se este resultado bastar para completar a instrução do software ou armazenará o resultado em um acumulador caso o resultado seja necessário para executar a próxima instrução de máquina.

8 8. Esquema básico da organização do processador: O dado a ser processado é requerido à memória principal, da memória principal é transferido para a cachê L2 (pela freqüência do clock externo). Daqui para frente (veja o quadro ao lado) a velocidade será definida pelo clock interno. Então, a instrução segue da cachê L2 para a cachê L1 (cachê de instruções) e desta para a unidade de busca que, ao identificar a instrução a ser processada faz a decodificação da mesma e a envia à unidade de execução. A unidade de execução (normalmente a ULA) por sua vez encaminha à cachê L1 (cachê de dados). Da memória cachê L1 de dados a instrução pode retornar à memória principal ou pode ser enviada a um periférico de saída ou a um dispositivo de armazenamento, tudo dependerá da instrução seguinte do software. MEMÓRIA PRINCIPAL CACHÊ L2 CACHÊ L1 DE INSTRUÇÕES BUSCA DECODIFICAÇÃO EXECUÇÃO CACHÊ L1 DE DADOS

ARQUITETURA DE COMPUTADORES - 1866

ARQUITETURA DE COMPUTADORES - 1866 7 Unidade Central de Processamento (UCP): O processador é o componente vital do sistema de computação, responsável pela realização das operações de processamento e de controle, durante a execução de um

Leia mais

Microprocessadores. Prof. Leonardo Barreto Campos 1

Microprocessadores. Prof. Leonardo Barreto Campos 1 Microprocessadores Prof. Leonardo Barreto Campos 1 Sumário Introdução; Arquitetura de Microprocessadores; Unidade de Controle UC; Unidade Lógica Aritméticas ULA; Arquitetura de von Neumann; Execução de

Leia mais

Aula 11 27/10/2008 Universidade do Contestado UnC/Mafra Sistemas de Informação Arquitetura de Computadores Prof. Carlos Guerber PROCESSADOR INTRODUÇÃO

Aula 11 27/10/2008 Universidade do Contestado UnC/Mafra Sistemas de Informação Arquitetura de Computadores Prof. Carlos Guerber PROCESSADOR INTRODUÇÃO Aula 11 27/10/2008 Universidade do Contestado UnC/Mafra Sistemas de Informação Arquitetura de Computadores Prof. Carlos Guerber PROCESSADOR INTRODUÇÃO O processador é um dos componentes que mais determina

Leia mais

Tais operações podem utilizar um (operações unárias) ou dois (operações binárias) valores.

Tais operações podem utilizar um (operações unárias) ou dois (operações binárias) valores. Tais operações podem utilizar um (operações unárias) ou dois (operações binárias) valores. 7.3.1.2 Registradores: São pequenas unidades de memória, implementadas na CPU, com as seguintes características:

Leia mais

Fundamentos de Hardware

Fundamentos de Hardware Fundamentos de Hardware Curso Técnico em Informática SUMÁRIO PROCESSADOR... 3 CLOCK... 4 PROCESSADORES COM 2 OU MAIS NÚCLEOS... 5 NÚCLEOS FÍSICOS E LÓGICOS... 6 PRINCIPAIS FABRICANTES E MODELOS... 6 PROCESSADORES

Leia mais

Processadores. Prof. Alexandre Beletti Ferreira

Processadores. Prof. Alexandre Beletti Ferreira Processadores Prof. Alexandre Beletti Ferreira Introdução O processador é um circuito integrado de controle das funções de cálculos e tomadas de decisão de um computador. Também é chamado de cérebro do

Leia mais

Estrutura de um Computador. Linguagem de Programação Rone Ilídio UFSJ - CAP

Estrutura de um Computador. Linguagem de Programação Rone Ilídio UFSJ - CAP Estrutura de um Computador Linguagem de Programação Rone Ilídio UFSJ - CAP Hardware e Software HARDWARE: Objetos Físicos que compões o computador Circuitos Integrados, placas, cabos, memórias, dispositivos

Leia mais

Processadores clock, bits, memória cachê e múltiplos núcleos

Processadores clock, bits, memória cachê e múltiplos núcleos Processadores clock, bits, memória cachê e múltiplos núcleos Introdução Os processadores (ou CPUs, de Central Processing Unit) são chips responsáveis pela execução de cálculos, decisões lógicas e instruções

Leia mais

Campus Capivari Análise e Desenvolvimento de Sistemas (ADS) Prof. André Luís Belini E-mail: prof.andre.luis.belini@gmail.com /

Campus Capivari Análise e Desenvolvimento de Sistemas (ADS) Prof. André Luís Belini E-mail: prof.andre.luis.belini@gmail.com / Campus Capivari Análise e Desenvolvimento de Sistemas (ADS) Prof. André Luís Belini E-mail: prof.andre.luis.belini@gmail.com / andre.belini@ifsp.edu.br MATÉRIA: ICO Aula N : 09 Tema: Unidade Central de

Leia mais

Técnicas de Manutenção de Computadores

Técnicas de Manutenção de Computadores Técnicas de Manutenção de Computadores Professor: Luiz Claudio Ferreira de Souza Processadores É indispensável em qualquer computador, tem a função de gerenciamento, controlando todas as informações de

Leia mais

CPU - Significado CPU. Central Processing Unit. Unidade Central de Processamento

CPU - Significado CPU. Central Processing Unit. Unidade Central de Processamento CPU - Significado CPU Central Processing Unit Unidade Central de Processamento CPU - Função Na CPU são executadas as instruções Instrução: comando que define integralmente uma operação a ser executada

Leia mais

Unidade Central de Processamento

Unidade Central de Processamento Unidade Central de Processamento heloar.alves@gmail.com Site: heloina.com.br 1 CPU A Unidade Central de Processamento (UCP) ou CPU (Central Processing Unit), também conhecida como processador, é responsável

Leia mais

INSTITUTO DE EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, I.P.

INSTITUTO DE EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, I.P. INSTITUTO DE EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, I.P. Centro de Emprego e Formação Profissional da Guarda Curso: Técnico de Informática Sistemas (EFA-S4A)-NS Trabalho Realizado Por: Igor_Saraiva nº 7 Com

Leia mais

Informática I. Aula 4. http://www.ic.uff.br/~bianca/informatica1/ Aula 4-11/09/2006 1

Informática I. Aula 4. http://www.ic.uff.br/~bianca/informatica1/ Aula 4-11/09/2006 1 Informática I Aula 4 http://www.ic.uff.br/~bianca/informatica1/ Aula 4-11/09/2006 1 Ementa Histórico dos Computadores Noções de Hardware e Software Microprocessadores Sistemas Numéricos e Representação

Leia mais

AULA4: PROCESSADORES. Figura 1 Processadores Intel e AMD.

AULA4: PROCESSADORES. Figura 1 Processadores Intel e AMD. AULA4: PROCESSADORES 1. OBJETIVO Figura 1 Processadores Intel e AMD. Conhecer as funcionalidades dos processadores nos computadores trabalhando suas principais características e aplicações. 2. INTRODUÇÃO

Leia mais

CPU Fundamentos de Arquitetura de Computadores. Prof. Pedro Neto

CPU Fundamentos de Arquitetura de Computadores. Prof. Pedro Neto Fundamentos de Arquitetura de Computadores Prof. Pedro Neto Aracaju Sergipe - 2011 Conteúdo 4. i. Introdução ii. O Trabalho de um Processador iii. Barramentos iv. Clock Interno e Externo v. Bits do Processador

Leia mais

Hardware. Objetivos da aula. Fornecer exemplos de processadores Intel. Esclarecer as diferenças e as tecnologias embutidas nos processadores Intel.

Hardware. Objetivos da aula. Fornecer exemplos de processadores Intel. Esclarecer as diferenças e as tecnologias embutidas nos processadores Intel. Hardware UCP Unidade Central de Processamento Características dos processadores Intel Disciplina: Organização e Arquitetura de Computadores Prof. Luiz Antonio do Nascimento Faculdade Nossa Cidade Objetivos

Leia mais

Universidade Tuiuti do Paraná UTP Faculdade de Ciências Exatas - FACET

Universidade Tuiuti do Paraná UTP Faculdade de Ciências Exatas - FACET Universidade Tuiuti do Paraná UTP Faculdade de Ciências Exatas - FACET Hardware de Computadores Questionário II 1. A principal diferença entre dois processadores, um deles equipado com memória cache o

Leia mais

U E S C. Introdução à Ciência da Computação

U E S C. Introdução à Ciência da Computação U E S C Introdução à Ciência da Computação Roteiro Unidades componentes de hardware CPU UC; ULA; Cache; Registradores. Introdução Informática é a ciência que desenvolve e utiliza a máquina para tratamento,

Leia mais

Automação e Computadores

Automação e Computadores Automação e Computadores MICROCOMPUTADORES Curso Profissional de Técnico de Eletrónica, Automação e Computadores O Computador Hardware Unidades Funcionais de um Sistema Informático Dispositivos de Entrada

Leia mais

Processadores. Guilherme Pontes

Processadores. Guilherme Pontes Processadores Guilherme Pontes Já sabemos o básico! Como já sabemos, o processador exerce uma das mais importantes funções do computador. Vamos agora nos aprofundar em especificações mais técnicas sobre

Leia mais

Sistemas Computacionais II Professor Frederico Sauer

Sistemas Computacionais II Professor Frederico Sauer Sistemas Computacionais II Professor Frederico Sauer Livro-texto: Introdução à Organização de Computadores 4ª edição Mário A. Monteiro Livros Técnicos e Científicos Editora. Atenção: Este material não

Leia mais

O que é Arquitetura de Computadores?

O que é Arquitetura de Computadores? O que é Arquitetura de Computadores? Forças Coordenação de um conjunto de níveis de abstração de um computador sobre um grande conjunto de forças de mudança Arquitetura de Computadores = Arquitetura de

Leia mais

O processador é composto por: Unidade de controlo - Interpreta as instruções armazenadas; - Dá comandos a todos os elementos do sistema.

O processador é composto por: Unidade de controlo - Interpreta as instruções armazenadas; - Dá comandos a todos os elementos do sistema. O processador é composto por: Unidade de controlo - Interpreta as instruções armazenadas; - Dá comandos a todos os elementos do sistema. Unidade aritmética e lógica - Executa operações aritméticas (cálculos);

Leia mais

Sistemas Operacionais. Prof. M.Sc. Sérgio Teixeira. Aula 03 Conceitos de Hardware e Software parte 01. Cursos de Computação

Sistemas Operacionais. Prof. M.Sc. Sérgio Teixeira. Aula 03 Conceitos de Hardware e Software parte 01. Cursos de Computação Cursos de Computação Sistemas Operacionais Prof. M.Sc. Sérgio Teixeira Aula 03 Conceitos de Hardware e Software parte 01 Referência: MACHADO, F.B. ; MAIA, L.P. Arquitetura de Sistemas Operacionais. 4.ed.

Leia mais

Arquitetura Genérica

Arquitetura Genérica Arquitetura Genérica Antes de tudo, vamos revisar o Modelo Simplificado do Funcionamento de um Computador. Modelo Simplificado do Funcionamento de um Computador O funcionamento de um computador pode ser

Leia mais

ULA Sinais de Controle enviados pela UC

ULA Sinais de Controle enviados pela UC Solução - Exercícios Processadores 1- Qual as funções da Unidade Aritmética e Lógica (ULA)? A ULA é o dispositivo da CPU que executa operações tais como: Adição Subtração Multiplicação Divisão Incremento

Leia mais

Microprocessadores II - ELE 1084

Microprocessadores II - ELE 1084 Microprocessadores II - ELE 1084 CAPÍTULO III OS PROCESSADORES 3.1 Gerações de Processadores 3.1 Gerações de Processadores Primeira Geração (P1) Início da arquitetura de 16 bits CPU 8086 e 8088; Arquiteturas

Leia mais

Sistema de Computação

Sistema de Computação Sistema de Computação Máquinas multinível Nível 0 verdadeiro hardware da máquina, executando os programas em linguagem de máquina de nível 1 (portas lógicas); Nível 1 Composto por registrados e pela ALU

Leia mais

Visão Geral da Arquitetura de Computadores. Prof. Elthon Scariel Dias

Visão Geral da Arquitetura de Computadores. Prof. Elthon Scariel Dias Visão Geral da Arquitetura de Computadores Prof. Elthon Scariel Dias O que é Arquitetura de Computadores? Há várias definições para o termo arquitetura de computadores : É a estrutura e comportamento de

Leia mais

HARDWARE Montagem e Manutenção de Computadores Instrutor: Luiz Henrique Goulart 15ª AULA OBJETIVOS: PROCESSADORES EVOLUÇÃO / GERAÇÕES BARRAMENTO (BITS) FREQÜÊNCIA (MHZ) OVERCLOCK ENCAPSULAMENTO APOSTILA

Leia mais

Introdução a Ciência da Computação Unidade V Hardware - Arquitetura de um Sistema de Computação - Processador. Processador. Introdução.

Introdução a Ciência da Computação Unidade V Hardware - Arquitetura de um Sistema de Computação - Processador. Processador. Introdução. Introdução a Ciência da Computação Unidade V Hardware - Arquitetura de um Sistema de Computação - Processador Processador - Introdução - - Instrução de máquina - Ciclo da instrução - - Função de processamento

Leia mais

O quê um Processador e qual a sua função?

O quê um Processador e qual a sua função? O quê um Processador e qual a sua função? O processador é um chip de silício responsável pela execução das tarefas atribuídas ao computador. Os processadores (ou CPUs, de Central Processing Unit) são responsáveis

Leia mais

AULA1 Introdução a Microprocessadores gerais

AULA1 Introdução a Microprocessadores gerais AULA1 Introdução a Microprocessadores gerais Disciplina: Aplicações Avançadas de Microprocessadores (AAM) Prof. Eduardo Henrique Couto ehcouto@hotmail.com 2014/1 Apresentação do Professor: Cronograma:

Leia mais

Introdução a Informática. Prof.: Roberto Franciscatto

Introdução a Informática. Prof.: Roberto Franciscatto Introdução a Informática Prof.: Roberto Franciscatto 3.1 EXECUÇÃO DAS INSTRUÇÕES A UCP tem duas seções: Unidade de Controle Unidade Lógica e Aritmética Um programa se caracteriza por: uma série de instruções

Leia mais

1.3. Componentes dum sistema informático HARDWARE SOFTWARE

1.3. Componentes dum sistema informático HARDWARE SOFTWARE 1.3. Componentes dum sistema informático Computador Sistema Informático HARDWARE SOFTWARE + Periféricos Sistema Operativo Aplicações HARDWARE - representa todos os componentes físicos de um sistema informático,

Leia mais

ORGANIZACÃO DE COMPUTADORES PROCESSADORES CHIPS TRANSISTORES

ORGANIZACÃO DE COMPUTADORES PROCESSADORES CHIPS TRANSISTORES PROCESSADORES CHIPS TRANSISTORES O que é um chip? - conhecido como circuito integrado; - pequeno e fino pedaço de silício no qual os transistores, que formam o microprocessador, foram encapsulados; - processadores

Leia mais

AULA 1. Informática Básica. Gustavo Leitão. gustavo.leitao@ifrn.edu.br. Disciplina: Professor: Email:

AULA 1. Informática Básica. Gustavo Leitão. gustavo.leitao@ifrn.edu.br. Disciplina: Professor: Email: AULA 1 Disciplina: Informática Básica Professor: Gustavo Leitão Email: gustavo.leitao@ifrn.edu.br Estudo de caso Empresa do ramo de seguros Presidência RH Financeiro Vendas e Marketing TI CRM Riscos Introdução

Leia mais

Sumário. Velocidade do processador. Velocidade do processador. Velocidade do processador. Velocidade do processador. Manutenção de Hardware.

Sumário. Velocidade do processador. Velocidade do processador. Velocidade do processador. Velocidade do processador. Manutenção de Hardware. Manutenção de Hardware Sumário CPU Clock Interno e Externo Palavra binária Cronologia dos processadores Multiplicação de clock Tipos de soquetes e famílias de processadores Tecnologias proprietárias de

Leia mais

Sumário. Manutenção de Hardware. Clock

Sumário. Manutenção de Hardware. Clock Manutenção de Hardware CPU Reinaldo Gomes reinaldo@cefet-al.br Clock Interno e Externo Sumário Palavra binária Cronologia dos processadores Multiplicação de clock Tipos de soquetes e famílias de processadores

Leia mais

INSTALAÇÃO e MANUTENÇÃO de MICRO COMPUTADORES

INSTALAÇÃO e MANUTENÇÃO de MICRO COMPUTADORES INSTALAÇÃO e MANUTENÇÃO de MICRO COMPUTADORES 2010/2011 1 Processador O microprocessador, popularmente conhecido como processador, é um circuito integrado que realiza as funções de cálculo e tomada de

Leia mais

Componentes de um computador típico

Componentes de um computador típico Componentes de um computador típico Assim como em um videocassete, no qual é necessário ter o aparelho de vídeo e uma fita contendo o filme que será reproduzido, o computador possui a parte física, chamada

Leia mais

Guilherme Pina Cardim. Relatório de Sistemas Operacionais I

Guilherme Pina Cardim. Relatório de Sistemas Operacionais I Guilherme Pina Cardim Relatório de Sistemas Operacionais I Presidente Prudente - SP, Brasil 30 de junho de 2010 Guilherme Pina Cardim Relatório de Sistemas Operacionais I Pesquisa para descobrir as diferenças

Leia mais

A história do Processadores O que é o processador Características dos Processadores Vários tipos de Processadores

A história do Processadores O que é o processador Características dos Processadores Vários tipos de Processadores A história do Processadores O que é o processador Características dos Processadores Vários tipos de Processadores As empresas mais antigas e ainda hoje no mercado que fabricam CPUs é a Intel, AMD e Cyrix.

Leia mais

29/3/2011. Primeira unidade de execução (pipe U): unidade de processamento completa, capaz de processar qualquer instrução;

29/3/2011. Primeira unidade de execução (pipe U): unidade de processamento completa, capaz de processar qualquer instrução; Em 1993, foi lançada a primeira versão do processador Pentium, que operava a 60 MHz Além do uso otimizado da memória cache (tecnologia já amadurecida) e da multiplicação do clock, o Pentium passou a utilizar

Leia mais

Capítulo 4. MARIE (Machine Architecture Really Intuitive and Easy)

Capítulo 4. MARIE (Machine Architecture Really Intuitive and Easy) Capítulo 4 João Lourenço Joao.Lourenco@di.fct.unl.pt Faculdade de Ciências e Tecnologia Universidade Nova de Lisboa 2007-2008 MARIE (Machine Architecture Really Intuitive and Easy) Adaptado dos transparentes

Leia mais

PROCESSADOR. Montagem e Manutenção de Microcomputadores (MMM).

PROCESSADOR. Montagem e Manutenção de Microcomputadores (MMM). PROCESSADOR Montagem e Manutenção de Microcomputadores (MMM). INTRODUÇÃO O processador é o C.I. mais importante do computador. Ele é considerado o cérebro do computador, também conhecido como uma UCP -

Leia mais

FUNDAMENTOS DE HARDWARE PROCESSADORES. Professor Carlos Muniz

FUNDAMENTOS DE HARDWARE PROCESSADORES. Professor Carlos Muniz FUNDAMENTOS DE HARDWARE Processadores Apesar de ser o componente principal de um microcomputador, o processador depende da ajuda dos demais componentes. Caso apenas um componente apresente baixo desempenho,

Leia mais

3. Arquitetura Básica do Computador

3. Arquitetura Básica do Computador 3. Arquitetura Básica do Computador 3.1. Modelo de Von Neumann Dar-me-eis um grão de trigo pela primeira casa do tabuleiro; dois pela segunda, quatro pela terceira, oito pela quarta, e assim dobrando sucessivamente,

Leia mais

PROCESSADORES. Introdução. O que é processador? 1/10

PROCESSADORES. Introdução. O que é processador? 1/10 1/10 PROCESSADORES Introdução Os processadores (ou CPU, de Central Processing Unit - Unidade Central de Processamento) são chips responsáveis pela execução de cálculos, decisões lógicas e instruções que

Leia mais

CENTRAL PRCESSING UNIT

CENTRAL PRCESSING UNIT Processador O processador, também chamado de CPU ( CENTRAL PRCESSING UNIT) é o componente de hardware responsável por processar dados e transformar em informação. Ele também transmite estas informações

Leia mais

Prof. Daniel Gondim danielgondimm@gmail.com. Informática

Prof. Daniel Gondim danielgondimm@gmail.com. Informática Prof. Daniel Gondim danielgondimm@gmail.com Informática Componentes de um SC CPU CPU É um circuito integrado que controla as funções de cálculos e tomadas de decisões de um computador (cérebro). E realizam

Leia mais

CP C U P U - Un U i n da d d a e d e Ce C n e t n ral a de d e Pr P oc o es e sam a e m n e t n o o Pr P oc o es e sad a o d r o Aula 03

CP C U P U - Un U i n da d d a e d e Ce C n e t n ral a de d e Pr P oc o es e sam a e m n e t n o o Pr P oc o es e sad a o d r o Aula 03 CPU - Unidade Central de Processamento Processador Aula 03 A CPU (Unid. Central de Processamento A unidade Central de Processamento, a CPU (Central Processing Unit), atua como o cérebro do sistema, processando

Leia mais

ARQUITETURA DE COMPUTADORES

ARQUITETURA DE COMPUTADORES ARQUITETURA DE COMPUTADORES Aula 08: UCP Características dos elementos internos da UCP: registradores, unidade de controle, decodificador de instruções, relógio do sistema. Funções do processador: controle

Leia mais

Unidade Central de Processamento (CPU) Processador. Renan Manola Introdução ao Computador 2010/01

Unidade Central de Processamento (CPU) Processador. Renan Manola Introdução ao Computador 2010/01 Unidade Central de Processamento (CPU) Processador Renan Manola Introdução ao Computador 2010/01 Componentes de um Computador (1) Computador Eletrônico Digital É um sistema composto por: Memória Principal

Leia mais

Edeyson Andrade Gomes

Edeyson Andrade Gomes Sistemas Operacionais Conceitos de Arquitetura Edeyson Andrade Gomes www.edeyson.com.br Roteiro da Aula Máquinas de Níveis Revisão de Conceitos de Arquitetura 2 Máquina de Níveis Máquina de níveis Computador

Leia mais

Microcontroladores e Microprocessadores

Microcontroladores e Microprocessadores Microcontroladores e Microprocessadores Arquitetura Von Neumann e Arquitetura Harvard Prof. Samuel Cavalcante Conteúdo Componentes básicos de um computador Processamento Unidades de Entrada/Saída (I/O)

Leia mais

Introdução à Computação: Arquitetura von Neumann

Introdução à Computação: Arquitetura von Neumann Introdução à Computação: Arquitetura von Neumann Beatriz F. M. Souza (bfmartins@inf.ufes.br) http://inf.ufes.br/~bfmartins/ Computer Science Department Federal University of Espírito Santo (Ufes), Vitória,

Leia mais

Informática. Aulas: 01 e 02/12. Prof. Márcio Hollweg. www.conquistadeconcurso.com.br. Visite o Portal dos Concursos Públicos WWW.CURSOAPROVACAO.COM.

Informática. Aulas: 01 e 02/12. Prof. Márcio Hollweg. www.conquistadeconcurso.com.br. Visite o Portal dos Concursos Públicos WWW.CURSOAPROVACAO.COM. Informática Aulas: 01 e 02/12 Prof. Márcio Hollweg UMA PARCERIA Visite o Portal dos Concursos Públicos WWW.CURSOAPROVACAO.COM.BR Visite a loja virtual www.conquistadeconcurso.com.br MATERIAL DIDÁTICO EXCLUSIVO

Leia mais

CPU Unidade Central de Processamento. História e progresso

CPU Unidade Central de Processamento. História e progresso CPU Unidade Central de Processamento História e progresso O microprocessador, ou CPU, como é mais conhecido, é o cérebro do computador e é ele que executa todos os cálculos e processamentos necessários,

Leia mais

Fundamentos em Informática

Fundamentos em Informática Fundamentos em Informática 04 Organização de Computadores nov/2011 Componentes básicos de um computador Memória Processador Periféricos Barramento Processador (ou microprocessador) responsável pelo tratamento

Leia mais

A Intel e a AMD são os mais conhecidos fabricantes de processadores ambos tiveram a sua evolução em termos de fabrico de processadores

A Intel e a AMD são os mais conhecidos fabricantes de processadores ambos tiveram a sua evolução em termos de fabrico de processadores A Intel e a AMD são os mais conhecidos fabricantes de processadores ambos tiveram a sua evolução em termos de fabrico de processadores De seguida mencionamos a evolução de ambos os fabricantes Intel 8086

Leia mais

Disciplina: Introdução à Engenharia da Computação

Disciplina: Introdução à Engenharia da Computação Colegiado de Engenharia de Computação Disciplina: Introdução à Engenharia da Computação Aulas 08 (semestre 2011.2) Prof. Rosalvo Ferreira de Oliveira Neto, M.Sc. rosalvo.oliveira@univasf.edu.br 2 Hardware

Leia mais

O hardware é a parte física do computador, como o processador, memória, placamãe, entre outras. Figura 2.1 Sistema Computacional Hardware

O hardware é a parte física do computador, como o processador, memória, placamãe, entre outras. Figura 2.1 Sistema Computacional Hardware 1 2 Revisão de Hardware 2.1 Hardware O hardware é a parte física do computador, como o processador, memória, placamãe, entre outras. Figura 2.1 Sistema Computacional Hardware 2.1.1 Processador O Processador

Leia mais

2. A influência do tamanho da palavra

2. A influência do tamanho da palavra 1. Introdução O processador é o componente vital do sistema de computação, responsável pela realização das operações de processamento (os cálculos matemáticos etc.) e de controle, durante a execução de

Leia mais

Estrutura de um Computador

Estrutura de um Computador SEL-0415 Introdução à Organização de Computadores Estrutura de um Computador Aula 7 Prof. Dr. Marcelo Andrade da Costa Vieira MODELO DE VON NEUMANN PRINCÍPIOS A arquitetura de um computador consiste de

Leia mais

Capacidade = 512 x 300 x 20000 x 2 x 5 = 30.720.000.000 30,72 GB

Capacidade = 512 x 300 x 20000 x 2 x 5 = 30.720.000.000 30,72 GB Calculando a capacidade de disco: Capacidade = (# bytes/setor) x (méd. # setores/trilha) x (# trilhas/superfície) x (# superfícies/prato) x (# pratos/disco) Exemplo 01: 512 bytes/setor 300 setores/trilha

Leia mais

Universidade Tuiuti do Paraná Faculdade de Ciências Exatas Hardware. Arquitetura básica de Processadores. Profº André Luiz andreluizsp@gmail.

Universidade Tuiuti do Paraná Faculdade de Ciências Exatas Hardware. Arquitetura básica de Processadores. Profº André Luiz andreluizsp@gmail. Universidade Tuiuti do Paraná Faculdade de Ciências Exatas Hardware Arquitetura básica de Processadores Profº André Luiz andreluizsp@gmail.com 1 Microprocessador Ao comprar um desktop ou notebook, quase

Leia mais

HARDWARE COMPONENTES BÁSICOS E FUNCIONAMENTO. Wagner de Oliveira

HARDWARE COMPONENTES BÁSICOS E FUNCIONAMENTO. Wagner de Oliveira HARDWARE COMPONENTES BÁSICOS E FUNCIONAMENTO Wagner de Oliveira SUMÁRIO Hardware Definição de Computador Computador Digital Componentes Básicos CPU Processador Memória Barramento Unidades de Entrada e

Leia mais

Componentes de um Computador: Modelo Von Neumann

Componentes de um Computador: Modelo Von Neumann Componentes de um Computador: Modelo Von Neumann Modelo de Von Neumann O nome refere-se ao matemático John Von Neumann que foi considerado o criador dos computadores da forma que são projetados até hoje.

Leia mais

Unidade 10: A Unidade Lógica Aritmética e as Instruções em Linguagem de Máquina Prof. Daniel Caetano

Unidade 10: A Unidade Lógica Aritmética e as Instruções em Linguagem de Máquina Prof. Daniel Caetano Arquitetura e Organização de Computadores 1 Unidade 10: A Unidade Lógica Aritmética e as Instruções em Linguagem de Máquina Prof. Daniel Caetano Objetivo: Apresentar as funções o mecanismo de atuação da

Leia mais

Escola. Europeia de. Ensino. Profissional ARQUITETURA DE COMPUTADORES

Escola. Europeia de. Ensino. Profissional ARQUITETURA DE COMPUTADORES Escola Europeia de t Ensino Profissional ARQUITETURA DE COMPUTADORES TRABALHO REALIZADO: ANDRÉ RIOS DA CRUZ ANO LETIVO: 2012/ 2013 TÉCNICO DE GESTÃO DE EQUIPAMENTOS INFORMÁTICOS 2012 / 2013 3902 Escola

Leia mais

Organização Básica do Computador

Organização Básica do Computador Organização Básica do Computador Modelo de Von Neumann MEMÓRIA ENTRADA ARITMÉTICA LÓGICA SAÍDA CONTROLE Modelo de Von Neumann Introduziu o conceito do computador controlado por programa armazenado. Todo

Leia mais

R S Q 0 0 1 0 1 0 1 0 0 1 1 0 Tabela 17 - Tabela verdade NOR

R S Q 0 0 1 0 1 0 1 0 0 1 1 0 Tabela 17 - Tabela verdade NOR 19 Aula 4 Flip-Flop Flip-flops são circuitos que possuem a característica de manter os bits de saída independente de energia, podem ser considerados os princípios das memórias. Um dos circuitos sequenciais

Leia mais

Informática para Banca IADES. Hardware e Software

Informática para Banca IADES. Hardware e Software Informática para Banca IADES Conceitos Básicos e Modos de Utilização de Tecnologias, Ferramentas, Aplicativos e Procedimentos Associados ao Uso de Informática no Ambiente de Escritório. 1 Computador É

Leia mais

MOTAGEM E MANUTENÇÃO Hardware. Professor: Renato B. dos Santos

MOTAGEM E MANUTENÇÃO Hardware. Professor: Renato B. dos Santos MOTAGEM E MANUTENÇÃO Hardware Professor: Renato B. dos Santos 1 O computador é composto, basicamente, por duas partes:» Hardware» Parte física do computador» Elementos concretos» Ex.: memória, teclado,

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO MANUTENÇÃO

IDENTIFICAÇÃO MANUTENÇÃO IDENTIFICAÇÃO MANUTENÇÃO ESTRUTURA DOS MICROS PADRÃO PC AULA 01 Sobre aula 1 Números binários e hexadecimais Dispositivos digitais e analógicos Circuitos integrados Estrutura dos micros padrão PC Micros

Leia mais

Trabalho de: Alexandre / Paulo / Rui

Trabalho de: Alexandre / Paulo / Rui Trabalho de: Alexandre / Paulo / Rui Índice 1 - CPU-Processador 2 - Chipset Intel/AMD 3 - Cache 4 - Núcleo 5 - CISC/RISC 1. CPU / Processador A unidade central de processamento ou CPU (Central Processing

Leia mais

ENIAC (Electronic Numerical Integrator Analyzer and Computer)

ENIAC (Electronic Numerical Integrator Analyzer and Computer) No final do século XIX os computadores mecânicos, que realizavam cálculos através de um sistema de engrenagens, acionado por uma manivela ou outro sistema mecânico qualquer. PROF. MARCEL SANTOS SILVA O

Leia mais

www.concursosdeti.com.br 1 Fundamentos da Computação Prof. Bruno Guilhen www.concursosdeti.com.br

www.concursosdeti.com.br 1 Fundamentos da Computação Prof. Bruno Guilhen www.concursosdeti.com.br Fundamentos da Computação Prof. Bruno Guilhen www.concursosdeti.com.br AULA 01 O Bit e o Byte Definições: Bit (Binary Digit) é a menor unidade de informação que circula dentro do sistema computacional.

Leia mais

COMEÇAM A SURGIR DÚVIDAS:

COMEÇAM A SURGIR DÚVIDAS: INTRODUÇÃO Olá pessoal, a proposta deste material não é formar técnicos na área de informática, mas sim repassar conceitos, macetes e dicas que auxiliem na preparação para concursos públicos. Peço desculpas

Leia mais

O básico sobre overclock

O básico sobre overclock O básico sobre overclock Se você chegou até aqui, já deve ter percebido que a frequência de operação dos processadores (e também das memórias e outros circuitos) não é fixa, mas sim definida pela combinação

Leia mais

Aula 06. Memórias RAM

Aula 06. Memórias RAM Aula 06 Memórias RAM Memória RAM As memórias RAM são responsáveis por armazenar as informações que estão em uso no computador, fazendo com que o acesso aos dados seja mais rápido. 17/01/2013 2 Encapsulamento

Leia mais

20/09/2009 TRANSFORMANDO DADOS EM. PROCESSANDO DADOS George Gomes Cabral SISTEMAS NUMÉRICOS INFORMAÇÕES

20/09/2009 TRANSFORMANDO DADOS EM. PROCESSANDO DADOS George Gomes Cabral SISTEMAS NUMÉRICOS INFORMAÇÕES TRANSFORMANDO DADOS EM INFORMAÇÕES Em geral, parece que os computadores nos entendem porque produzem informações que nós entendemos. Porém, tudo o que fazem é reconhecer dois estados físicos distintos

Leia mais

Introdução aos Computadores

Introdução aos Computadores Os Computadores revolucionaram as formas de processamento de Informação pela sua capacidade de tratar grandes quantidades de dados em curto espaço de tempo. Nos anos 60-80 os computadores eram máquinas

Leia mais

ARQUITETURA DE COMPUTADORES

ARQUITETURA DE COMPUTADORES 01001111 01110010 01100111 01100001 01101110 01101001 01111010 01100001 11100111 11100011 01101111 00100000 01100100 01100101 00100000 01000011 01101111 01101101 01110000 01110101 01110100 01100001 01100100

Leia mais

FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA: ARQUITETURA DE COMPUTADORES

FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA: ARQUITETURA DE COMPUTADORES FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA: ARQUITETURA DE COMPUTADORES Prof. Ms. Carlos José Giudice dos Santos cpgcarlos@yahoo.com.br www.oficinadapesquisa.com.br ESQUEMA EXTERNO DE UM MICROCOMPUTADOR Agora que

Leia mais

Evolução das CPUs: Dual e Quad Core

Evolução das CPUs: Dual e Quad Core Evolução das CPUs: Dual e Quad Core Cesar Sposito Mário J. Filho Rodrigo Ferrassa... os computadores sequenciais estão se aproximando do limite físico fundamental em sua energia potencial computacional.

Leia mais

Capítulo 1 Os Computadores e a Sua Arquitetura

Capítulo 1 Os Computadores e a Sua Arquitetura Capítulo 1 Os Computadores e a Sua Arquitetura Neste capítulo nós trataremos de alguns conceitos básicos sobre o modelo de arquitetura dos computadores modernos, seus componentes e suas principais funções.

Leia mais

Capítulo 3. Avaliação de Desempenho. 3.1 Definição de Desempenho

Capítulo 3. Avaliação de Desempenho. 3.1 Definição de Desempenho 20 Capítulo 3 Avaliação de Desempenho Este capítulo aborda como medir, informar e documentar aspectos relativos ao desempenho de um computador. Além disso, descreve os principais fatores que influenciam

Leia mais

Componentes de um Sistema de Computador

Componentes de um Sistema de Computador Componentes de um Sistema de Computador HARDWARE: unidade responsável pelo processamento dos dados, ou seja, o equipamento (parte física) SOFTWARE: Instruções que dizem o que o computador deve fazer (parte

Leia mais

ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES MÓDULO 8

ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES MÓDULO 8 ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES MÓDULO 8 Índice 1. A Organização do Computador - Continuação...3 1.1. Processadores - II... 3 1.1.1. Princípios de projeto para computadores modernos... 3 1.1.2. Paralelismo...

Leia mais

PROCESSADORES. Introdução 25/04/2012. Professor Marlon Marcon

PROCESSADORES. Introdução 25/04/2012. Professor Marlon Marcon PROCESSADORES Professor Marlon Marcon Introdução Também conhecido como microprocessador, CPU ou UCP, trabalha como o cérebro do computador Responsável por processar as informações utilizando outros componentes

Leia mais

Hardware de Computadores

Hardware de Computadores Placa Mãe Hardware de Computadores Introdução Placa-mãe, também denominada mainboard ou motherboard, é uma placa de circuito impresso eletrônico. É considerado o elemento mais importante de um computador,

Leia mais

MANUTENÇÃO DE MICRO. Mário Gomes de Oliveira

MANUTENÇÃO DE MICRO. Mário Gomes de Oliveira MANUTENÇÃO DE MICRO Mário Gomes de Oliveira 1 IRQ Pedido de atenção e de serviço feito à CPU, para notificar a CPU sobre a necessidade de tempo de processamento. 2 IRQ (Interrupt Request line ou Linha

Leia mais

Curso EFA Técnico/a de Informática - Sistemas. Óbidos

Curso EFA Técnico/a de Informática - Sistemas. Óbidos Curso EFA Técnico/a de Informática - Sistemas Óbidos MÓDULO 769 Arquitectura interna do computador Carga horária 25 2. PROCESSADOR (UNIDADE CENTRAL DE PROCESSAMENTO CPU) Formadora: Vanda Martins 3 O processador

Leia mais

Hardware Fundamental

Hardware Fundamental Hardware Fundamental Arquitectura de Computadores 10º Ano 2006/2007 Unidade de Sistema Um computador é um sistema capaz de processar informação de acordo com as instruções contidas em programas. Na década

Leia mais

Organização e Arquitetura de Computadores I. de Computadores

Organização e Arquitetura de Computadores I. de Computadores Universidade Federal de Campina Grande Departamento de Sistemas e Computação Curso de Bacharelado em Ciência da Computação Organização e Arquitetura de I Organização Básica B de (Parte V, Complementar)

Leia mais

Organização de Computadores

Organização de Computadores Organização de Computadores SUMÁRIO Arquitetura e organização de computadores Hardware Software SUMÁRIO Arquitetura e organização de computadores Terminologia básica Hardware Software Arquitetura e organização

Leia mais