Assessoria Técnica de Tecnologia da Informação - ATTI SIGA SAÚDE - BUSINESS INTELLIGENCE BI SIGA-SP. Manual de Orientação

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Assessoria Técnica de Tecnologia da Informação - ATTI SIGA SAÚDE - BUSINESS INTELLIGENCE BI SIGA-SP. Manual de Orientação"

Transcrição

1 Assessoria Técnica de Tecnologia da Informação - ATTI SIGA SAÚDE - BUSINESS INTELLIGENCE BI SIGA-SP Versão 1 Manual de Orientação

2 Conteúdo 1. Introdução 3 2. Abrangência 4 3. Vagas 5 4. Fila de Espera 7 5. Atendimentos Agendamentos Disposições finais Glossario 16 BI-SIGA Manual de Orientação (Versão 1, 24/01/2012) Pág. 2 / 16

3 1. Introdução O documento a seguir descreve a abrangência para a geração de relatórios estratégicos e gerenciais a partir dos assuntos disponíveis no conjunto de ferramentas de análise gerencial Oracle Business Intelligence 10g. Estes relatórios são baseados em dados coletados do SIGA, tratados e armazenados em tabelas baseadas em modelos multidimensionais que possibilitam uma exploração direcionada e melhoram as condições das análises. As ferramentas de análise e os dados estão armazenados em um servidor exclusivo na PRODAM. A atualização dos dados ocorre conforme programação de cargas divulgadas pela PRODAM (disponível na página de informações do BI). Figura 1 Página de Informações BI SIGA-SP. BI-SIGA Manual de Orientação (Versão 1, 24/01/2012) Pág. 3 / 16

4 2. Abrangência Os assuntos atualmente disponíveis na ferramenta de análise gerencial são: Vagas; Fila de Espera; Atendimento; Agendamento. Observação: Encontra-se em desenvolvimento os assuntos referentes à APAC e VACINAS. Cada assunto disponível possui um escopo específico, e dentro desse escopo é possível realizar inúmeros cruzamentos de informação.. Figura 2 Ilustração simples do ciclo de um cubo. BI-SIGA Manual de Orientação (Versão 1, 24/01/2012) Pág. 4 / 16

5 3. Vagas As informações carregadas seguem as seguintes regras gerais: 1) Data da vaga tendo início em 01/01/2009 2) Vagas Locais e Reguladas 3) Vagas com registros ativos 4) Para a métrica Quantidade de Agendamento somente recuperar situações onde: a. Agenda Local igual (Agendado, Atendido, Presente, Faltoso e Não Atendido); b. Agenda Regulada igual (Marcado, Presente, Realizado, Faltoso, Não Realizado). 5) Para a métrica Quantidade de Atendimento sem Vaga somente recuperar atendimentos que não se originam de vagas ou agendamentos. O assunto da análise de vagas contém o seguinte escopo: Dimensão de análise para o Fato Vaga Data da Vaga (mensal) Hora da Vaga (hora cheia) Estabelecimento de Saúde Procedimento Atividade Profissional (Especialidade) Atividade Profissional e Subespecialidade Entidade (Profissional de Saúde, Atividade Coletiva e Equipamento) Tipo da Agenda (Local e Regulada) Tipo do Atendimento da Agenda (Primeira Vez, Retorno e Reserva Técnica) Tipo da Forma de Atendimento (Normal, Encaixe, Pronto Atendimento) Motivo do NÃO Atendimento (Motivo Impedimento) Situação da Vaga (Ocupada, Livre, Cancelada e Impedida) Indicador se origem é a vaga? (Sim ou Não) BI-SIGA Manual de Orientação (Versão 1, 24/01/2012) Pág. 5 / 16

6 Métricas de análise do Fato Vaga Quantidade de Participante: número de pessoas que podem participar da vaga que está sendo ofertada. Nota: Somente válido para Atividade Coletiva. Quantidade de Vaga Criada: número de vagas total que foram criadas e estão aprovadas e com situação de registro ativo no sistema SIGA. Nota: Conceito referente a Agenda Regulada, na Local o valor é o mesmo da Vaga Ofertada. Quantidade de Vaga Ofertada: número de vagas que estão disponíveis para serem utilizadas no agendamento e visíveis aos usuários do sistema SIGA. Quantidade do Limite de Execução: número máximo de execução para o estabelecimento e procedimento em análise. Esta métrica é válida somente para análise da agenda regulada. Quantidade de Agendamento: número de agendamentos realizados até o momento da carga no SIGA-BI. Nota: Agendamentos e Atendimentos que pertencem a Vagas excluídas pela trilha ou Status não são contados. Quantidade de Atendimento: número de atendimentos realizados até o momento da carga no SIGA-BI e que tiveram origem pela vaga e o agendamento. Nota: Agendamentos e Atendimentos que pertencem a Vagas excluídas pela trilha ou Status não são contados. Quantidade de Atendimento sem Vaga: número de atendimentos realizados até o momento da carga no SIGA-BI e que NÃO tiveram origem pela vaga e o agendamento. O indicador de origem da vaga está marcado como NÃO para estes casos, e a dimensão TIPO FORMA ATENDIMENTO está qualificado como Pronto Atendimento. BI-SIGA Manual de Orientação (Versão 1, 24/01/2012) Pág. 6 / 16

7 4. Fila de Espera Definições do Assunto Fila de Espera As informações carregadas seguem as seguintes regras gerais: 1. Pacientes ATIVOS na fila de espera até a data de referência ao processamento; 2. Pacientes INATIVOS na fila de espera com data de inativação (saída) maior ou igual a 01/01/2012 O assunto da análise de fila de espera contém o seguinte escopo: Dimensão de análise para o Fato Fila de Espera: Data da Referência (mensal) Hora da Referência (hora cheia) Atividade Profissional (Especialidade) Atividade Profissional e Subespecialidade Procedimento Estabelecimento de Saúde Entidade (Profissional de Saúde, Atividade Coletiva e Equipamento) Nota: Entidade neste caso refere-se a pacientes que estão aguardando vaga na agenda de determinado profissional. Caso o paciente não esteja atrelado a uma agenda, o valor retornado será ERRO. Geografia do Paciente Sexo Faixa Etária do Paciente Situação Familiar Raça Escolaridade Nacionalidade Tipo Atendimento da Agenda (1ª Vez, Retorno, Reserva Técnica) Motivo da Inativação Prioridade na Fila de Espera BI-SIGA Manual de Orientação (Versão 1, 24/01/2012) Pág. 7 / 16

8 Métricas de análise da Fato Fila de Espera: Quantidade de Pacientes que Entraram no Mês Quantidade de Pacientes que Saíram no Mês Quantidade de Pacientes Ativos Acumulados até o mês analisado Número Médio de Dias Efetivo em Fila de Espera o A definição para esta métrica é o número de dias decorridos entre a data de entrada na fila de espera até o momento da saída efetiva. Este cálculo se dá em dois passos. Nota: Mês/ano analisado. Exemplo: Em Janeiro existem saídas no dia 03, 05 e 07, mas todas serão processadas como o último dia do Mês, no caso, 31/01. 1º passo: No cubo é disponibilizada uma métrica com o valor de dias multiplicado pela quantidade de agendamentos, resultando em um valor total de dias. 2º passo: Na construção do relatório na ferramenta deve ser feito a divisão do número total de dias pelo número de agendamentos no nível da análise. Número Médio de Dias em Fila de Espera o É o número de dias decorridos entre a data de entrada na fila de espera até a data solicitada para a análise. Esta métrica trata somente os pacientes que estavam ou estão ativos na fila de espera no tempo analisado (Mês/ano). BI-SIGA Manual de Orientação (Versão 1, 24/01/2012) Pág. 8 / 16

9 Dimensão de análise para o Fato Fila de Espera Detalhe: Data da Entrada (data real) Hora da Entrada (hora real) Data da Saída (data última alteração para registro igual I ) Hora da Saída (hora última alteração para registro igual I ) Nota: Registros ativos retornam data de saída como 31/12/1899. Atividade Profissional (Especialidade) Atividade Profissional e Subespecialidade Procedimento Estabelecimento de Saúde Paciente Geografia do Paciente Faixa Etária do Paciente Entidade (Profissional de Saúde, Atividade Coletiva e Equipamento) Situação Familiar Escolaridade Tipo Atendimento da Agenda (1ª Vez, Retorno, Reserva Técnica) Prioridade na Fila de Espera CID Motivo da Inativação Situação da Fila de Espera Métricas de análise do Fato Fila de Espera Detalhe: Quantidade de Diagnósticos Quantidade de Pacientes (Contagem Distinta) Número de Dias Efetivo em Fila de Espera o A definição para esta métrica é o número de dias decorridos entre a data de entrada na fila de espera até o momento da saída efetiva. Número de Dias em Fila de Espera o É o número de dias decorridos entre a data de entrada na fila de espera até a data da última carga. Esta métrica trata somente os pacientes que ainda estão ativos na fila de espera. Nota: Na fato da fila de espera detalhe só existe a última situação da FILA Importante: Os tempos médios disponibilizados referem-se apenas a data de entrada na fila e data de saída da fila, ou data de entrada na fila até o Mês/Ano corrente (no caso de pacientes que aguardam na fila). BI-SIGA Manual de Orientação (Versão 1, 24/01/2012) Pág. 9 / 16

10 5. Atendimentos Definições do Assunto Atendimento As informações carregadas seguem as seguintes regras gerais: 1. Data de atendimento com início em 01/01/2009 O assunto da análise de atendimento contém o seguinte escopo: Dimensão de análise para o Fato Atendimento: Data do Atendimento (diário) Hora do Atendimento (hora cheia) Estabelecimento de Saúde Executante Profissional de Saúde Executante CBO do Profissional Executante Paciente Sexo Raça Escolaridade Nacionalidade Situação Familiar Natureza da Procura Programa de Saúde (Atendimento Geral, MP, Feridas, Vacina) Faixa Etária do Paciente Geografia do Paciente Métricas de análise para o Fato Atendimento: Quantidade de Pacientes (Contagem Distinta) Quantidade de Atendimentos (Soma) BI-SIGA Manual de Orientação (Versão 1, 24/01/2012) Pág. 10 / 16

11 Dimensão de análise para o Fato Atendimento por Procedimento: Data do Atendimento (diário) Hora do Atendimento (hora cheia) Estabelecimento de Saúde Executante Profissional de Saúde Executante CBO do Profissional Executante Procedimento Atividade Profissional (Especialidade) Paciente Sexo Raça Escolaridade Nacionalidade Situação Familiar Natureza da Procura Programa de Saúde (Atendimento Geral, MP, Feridas, Vacina) Faixa Etária do Paciente Geografia do Paciente Métricas de análise para o Fato Atendimento por Procedimento: Quantidade de Pacientes (Contagem Distinta) Quantidade de Procedimentos (Soma) BI-SIGA Manual de Orientação (Versão 1, 24/01/2012) Pág. 11 / 16

12 Dimensão de análise para o Fato Atendimento por Diagnóstico: Data do Atendimento (diário) Hora do Atendimento (hora cheia) Estabelecimento de Saúde Executante Profissional de Saúde Executante CBO do Profissional Executante Procedimento Atividade Profissional (Especialidade) Paciente Sexo Raça Escolaridade Nacionalidade Situação Familiar Natureza da Procura Programa de Saúde (Atendimento Geral, MP, Feridas, Vacina) Faixa Etária do Paciente Geografia do Paciente CID Indicador de CID Principal (Sim, Não) Nota: Procedimento e Atividade Profissional (Especialidade) atualmente não possuem informações, mas as dimensões estão disponíveis para futuro desenvolvimento (SIGA). Métricas de análise para o Fato Atendimento por Diagnóstico: Quantidade de Pacientes (Contagem Distinta) Quantidade de Diagnósticos (Soma) Nota: Existem registros no banco sem o campo CID Preenchido, que estão incluídos e podem ser tratados no relatório. Quantidade de Procedimentos (Contagem Distinta, Futuro desenvolvimento) BI-SIGA Manual de Orientação (Versão 1, 24/01/2012) Pág. 12 / 16

13 6. Agendamentos Definições do Assunto Agendamento As informações carregadas seguem as seguintes regras gerais: 1. Data da vaga no agendamento superior ou igual a 01/01/ Agendamentos com base na data da vaga até o Mês e Ano Corrente. O assunto da análise de agendamento contém o seguinte escopo: Dimensão de análise: Data do Agendamento (diário) Data da Vaga (diário) Hora do Agendamento (hora completa) Hora da Vaga (hora completa) Estabelecimento de Saúde Executante Estabelecimento de Saúde Solicitante Profissional de Saúde Executante Profissional de Saúde Solicitante CBO do Profissional Executante CBO do Profissional Solicitante Procedimento Atividade Profissional (Especialidade) Atividade Profissional e Subespecialidade Entidade (Atividade Coletiva, Profissional Saúde e Equipamento) Paciente Sexo Raça Escolaridade Nacionalidade Situação Familiar Natureza da Procura Tipo da Agenda Tipo do Atendimento da Agenda Tipo Motivo Cancelamento Tipo STATUS do Agendamento Tipo da Situação da Programação da Agenda Faixa Etária do Paciente Geografia do Paciente CID BI-SIGA Manual de Orientação (Versão 1, 24/01/2012) Pág. 13 / 16

14 Fato de agendamento: Quantidade de Pacientes (Contagem Distinta) Quantidade de Agendamentos (Soma) Quantidade Média de Dias de Agendamento (Número médio de dias corridos entre a data de agendamento e a data da vaga). Importante: O tempo médio disponibilizado refere-se apenas a data da vaga e a data do agendamento. Em breve o Assunto Agendamento irá disponibilizar o tempo médio completo, ou seja, o tempo desde a solicitação (que pode ser APAC, FILA ou CMC) até a data da vaga. BI-SIGA Manual de Orientação (Versão 1, 24/01/2012) Pág. 14 / 16

15 7. Disposições finais Em caso de dúvidas, sugestões ou solicitação de criação de relatórios: Ana 3397 ramal 2283 ; Dra ramal 2266; Mauricio 3397 ramal 2265; Vicente 3397 ramal BI-SIGA Manual de Orientação (Versão 1, 24/01/2012) Pág. 15 / 16

16 8. Glossário Business Intelligence: O termo Business Intelligence (BI) pode ser traduzido como Inteligência de negócios, e refere-se ao processo de coleta, organização, análise, compartilhamento e monitoramento de informações que oferecem suporte a gestão de negócios. Dimensões: Estabelecem a organização dos dados, determinando possíveis consultas/cruzamentos. Cada dimensão pode ainda ter seus elementos, chamados membros, organizados em diferentes níveis hierárquicos. A dimensão tempo, por exemplo, pode possuir duas hierarquias: calendário gregoriano (com os níveis ano, mês e dia) e calendário fiscal (com os níveis ano, semana e dia); Medidas: São os valores a serem analisados, como médias, totais e quantidades; Fatos: São os dados a serem agrupados, contendo os valores de cada medida para cada combinação das dimensões existentes. O tamanho da tabela que contém os fatos merece atenção especial do analista; Hierarquia: Uma estrutura em árvore lógica que organiza os membros de uma dimensão, de forma a que cada membro tenha um membro ascendente e zero ou mais membros descendentes. Nível: Numa hierarquia, os dados podem ser organizados em níveis de detalhe (granularidade) superiores e inferiores, como, por exemplo, níveis de Ano, Trimestre, Mês e Dia numa hierarquia de Tempo. Cubo: Uma estrutura de dados que agrega as medidas pelos níveis e hierarquias de cada uma das dimensões. Os cubos combinam várias dimensões com dados resumidos. Os cubos não são "cubos" no sentido estritamente matemático porque não têm necessariamente lados iguais. No entanto, é uma metáfora apropriada ao conceito. BI-SIGA Manual de Orientação (Versão 1, 24/01/2012) Pág. 16 / 16

Índice. Business Intelligence Pentaho

Índice. Business Intelligence Pentaho Manual de Sistema Índice Introdução:... 3 Conceito:... 3 1 - Acessando o Sistema... 4 1.1 - Tela inicial... 5 2 - Analisando um Cubo... 6 2.1 Acessando o Cubo... 6 2.2 - Montando Uma Visão... 7 3 - Navegando

Leia mais

Tópicos Avançados Business Intelligence. Banco de Dados Prof. Otacílio José Pereira. Unidade 10 Tópicos Avançados Business Inteligence.

Tópicos Avançados Business Intelligence. Banco de Dados Prof. Otacílio José Pereira. Unidade 10 Tópicos Avançados Business Inteligence. Tópicos Avançados Business Intelligence Banco de Dados Prof. Otacílio José Pereira Unidade 10 Tópicos Avançados Business Inteligence Roteiro Introdução Níveis organizacionais na empresa Visão Geral das

Leia mais

Assessoria Técnica de Tecnologia da Informação - ATTI. Projeto de Informatização da. Secretaria Municipal de Saúde do. Município de São Paulo

Assessoria Técnica de Tecnologia da Informação - ATTI. Projeto de Informatização da. Secretaria Municipal de Saúde do. Município de São Paulo Assessoria Técnica de Tecnologia da Informação - ATTI Projeto de Informatização da Secretaria Municipal de Saúde do Município de São Paulo Agendamento Regulado Unidades Solicitantes Manual de Operação

Leia mais

TOTVS BA Guia de Customização Linha Logix

TOTVS BA Guia de Customização Linha Logix TOTVS BA Guia de Customização Linha Logix Guia de Customização Sumário Título do documento 1. Objetivo... 3 2. Introdução... 3 3. Customização... 3 2 TOTVS BA Linha Logix Guia de Customização Projeto/Versão:

Leia mais

Curso Data warehouse e Business Intelligence

Curso Data warehouse e Business Intelligence Curso Data warehouse e Business Intelligence Fundamentos, Metodologia e Arquitetura Apresentação Os projetos de Data Warehouse e Business Intelligence são dos mais interessantes e complexos de desenvolver

Leia mais

NOVIDADES DA VERSÃO 2.10 DO SANKHYA-W. Atividade Descrição Versão Abrangência

NOVIDADES DA VERSÃO 2.10 DO SANKHYA-W. Atividade Descrição Versão Abrangência NOVIDADES DA VERSÃO 2.10 DO SANKHYA-W Atividade Descrição Versão Abrangência Nota de complemento Geração de nota de complemento através do Sankhya-W. Informações da Sankhya/Jiva no Os e-mails de NF-e enviados

Leia mais

INSTRUÇÃO DE TRABALHO PARA INFORMAÇÕES GERENCIAIS

INSTRUÇÃO DE TRABALHO PARA INFORMAÇÕES GERENCIAIS INSTRUÇÃO DE TRABALHO PARA INFORMAÇÕES GERENCIAIS Asia Shipping Transportes Internacionais Ltda. como cópia não controlada P á g i n a 1 7 ÍNDICE NR TÓPICO PÁG. 1 Introdução & Política 2 Objetivo 3 Responsabilidade

Leia mais

Curso Data warehouse e Business Intelligence Fundamentos, Metodologia e Arquitetura

Curso Data warehouse e Business Intelligence Fundamentos, Metodologia e Arquitetura Curso Data warehouse e Business Intelligence Fundamentos, Metodologia e Arquitetura Apresentação Os projetos de Data Warehouse e Business Intelligence são dos mais interessantes e complexos de desenvolver

Leia mais

Inteligência de Negócios na Saúde BI-SIGA

Inteligência de Negócios na Saúde BI-SIGA Inteligência de Negócios na Saúde BI-SIGA /BI SIGA Deborah Pimenta Ferreira 2013 deborahc@prefeitura.sp.gov.br 1 Sumário Sumário... 1 Introdução... 2 Gestão do Conhecimento... 2 Equipes envolvidas no projeto

Leia mais

Manual Operacional SIGA

Manual Operacional SIGA SMS - ATTI Julho -2012 Conteúdo Sumário... 2... 3 Consultar Registros... 4 Realizar Atendimento... 9 Adicionar Procedimento... 11 Não Atendimento... 15 Novo Atendimento... 16 Relatórios Dados Estatísticos...

Leia mais

Sistema de Informação

Sistema de Informação Sistema de Informação Prof. Marcos Monteiro MBA, ITIL, Perito Computação Forense Sistema de Informação Um sistema de informação (SI) coleta,armazena, analisa, e dissemina informações com um objetivo específico

Leia mais

Processos e Threads (partes I e II)

Processos e Threads (partes I e II) Processos e Threads (partes I e II) 1) O que é um processo? É qualquer aplicação executada no processador. Exe: Bloco de notas, ler um dado de um disco, mostrar um texto na tela. Um processo é um programa

Leia mais

Modelando um Data Warehouse GRIMALDO OLIVEIRA

Modelando um Data Warehouse GRIMALDO OLIVEIRA Modelando um Data Warehouse GRIMALDO OLIVEIRA Sobre Grimaldo Grimaldo Oliveira grimaldo_lopes@hotmail.com Formação Mestre em Tecnologias Aplicadas a Educação pela Universidade do Estado da Bahia. Especialização

Leia mais

Como Configurar Tabelas Básicas do OASIS (Informações Básicas)

Como Configurar Tabelas Básicas do OASIS (Informações Básicas) Como Configurar Tabelas Básicas do OASIS (Informações Básicas) O OASIS foi desenvolvido de forma parametrizada para poder atender às diversas particularidades de cada usuário. No OASIS também, foi estabelecido

Leia mais

Agendamento para Importação de Notas Fiscais

Agendamento para Importação de Notas Fiscais LIBERAÇÃO DE ATUALIZAÇÃO CORDILHEIRA VERSÃO 2 (Orientamos aos clientes que utilizam banco de dados SQL, para efetuarem a atualização preferencialmente após o encerramento das atividades do dia, acessando

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DE CANOAS SUPERINTENDÊNCIA DE PROJETOS E SISTEMAS

TERMO DE REFERÊNCIA FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DE CANOAS SUPERINTENDÊNCIA DE PROJETOS E SISTEMAS FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DE CANOAS SUPERINTENDÊNCIA DE PROJETOS E SISTEMAS CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA EM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO PARA FORNECIMENTO DE LICENÇA

Leia mais

Nutrição e dietética:

Nutrição e dietética: O sistema permite o cadastro de vários almoxarifados, e controla os estoques separadamente de cada um, bem como o cadastro de grupos de estocagem, visando o agrupamento dos insumos estocáveis, classificados

Leia mais

Aplicação A. Aplicação B. Aplicação C. Aplicação D. Aplicação E. Aplicação F. Aplicação A REL 1 REL 2. Aplicação B REL 3.

Aplicação A. Aplicação B. Aplicação C. Aplicação D. Aplicação E. Aplicação F. Aplicação A REL 1 REL 2. Aplicação B REL 3. Sumário Data Warehouse Modelagem Multidimensional. Data Mining BI - Business Inteligence. 1 2 Introdução Aplicações do negócio: constituem as aplicações que dão suporte ao dia a dia do negócio da empresa,

Leia mais

Business Intelligence. BI CEOsoftware Partner YellowFin

Business Intelligence. BI CEOsoftware Partner YellowFin Business Intelligence BI CEOsoftware Partner YellowFin O que é Business Intelligence Business Intelligence (BI) é a utilização de uma série de ferramentas para coletar, analisar e extrair informações,

Leia mais

TUTORIAL DE USO DO BUSINESS INTELLIGENCE (BI) PARA O HÓRUS-ESPECIALIZADO

TUTORIAL DE USO DO BUSINESS INTELLIGENCE (BI) PARA O HÓRUS-ESPECIALIZADO MINISTÉRIO DA SAÚDE Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos Departamento de Assistência Farmacêutica Coordenação Geral do Componente Especializado da Assistência Farmacêutica TUTORIAL

Leia mais

WebAnalytics. presença digital

WebAnalytics. presença digital WebAnalytics presença digital 1. WebAnalytics O que é WA Monitoramento e reporte sobre o uso das mídias digitais para que se possa ter melhor entendimento entre as interações dos visitantes e as ações

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOLUÇÃO INTEGRADA DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS PARA O ESTADO DE MINAS GERAIS PREGÃO ELETRÔNICO N 1501122000006/2014

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOLUÇÃO INTEGRADA DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS PARA O ESTADO DE MINAS GERAIS PREGÃO ELETRÔNICO N 1501122000006/2014 GOVERNO DO ESTADO DE MINAS GERAIS PERGUNTAS E RESPOSTAS SOLUÇÃO INTEGRADA DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS PARA O ESTADO DE MINAS GERAIS PREGÃO ELETRÔNICO N 1501122000006/2014 PERGUNTAS 01 - SMEPN - Modelagem

Leia mais

A importância da. nas Organizações de Saúde

A importância da. nas Organizações de Saúde A importância da Gestão por Informações nas Organizações de Saúde Jorge Antônio Pinheiro Machado Filho Consultor de Negócios www.bmpro.com.br jorge@bmpro.com.br 1. Situação nas Empresas 2. A Importância

Leia mais

Módulo 5. Implementando Cubos OLAP

Módulo 5. Implementando Cubos OLAP Módulo 5. Implementando Cubos OLAP Objetivos Compreender a importância da manipulação correta da segurança nos dados. Conhecer as operações que podem ser realizadas na consulta de um cubo. Entender o uso

Leia mais

Pagina Inicial do Sistema. Disponibiliza todos os menus do Sistema;

Pagina Inicial do Sistema. Disponibiliza todos os menus do Sistema; Introdução Sistema desenvolvido com o objetivo de agilizar e controlar o fluxo de solicitações de consultas especializadas dos municípios, automatizar o agendamento de consultas para diversas especialidades

Leia mais

Manual Ilustrado TOTVS Controle de Infecção Hospitalar Apoio Gerencial

Manual Ilustrado TOTVS Controle de Infecção Hospitalar Apoio Gerencial Manual Ilustrado TOTVS Controle de Infecção Hospitalar Apoio Gerencial Março 2014 Índice Título do documento 1. Como utilizar esse material em seus estudos?... 4 2. Introdução... 4 3. Relatórios Descritivos...

Leia mais

TOTVS Controle de Infecção Hospitalar Manual Ilustrado - Apoio Gerencial. 11.8x. março de 2015. Versão: 3.0

TOTVS Controle de Infecção Hospitalar Manual Ilustrado - Apoio Gerencial. 11.8x. março de 2015. Versão: 3.0 TOTVS Controle de Infecção Hospitalar Manual Ilustrado - Apoio Gerencial 11.8x março de 2015 Versão: 3.0 1 Sumário 1 Como utilizar esse material em seus estudos?... 4 2 Introdução... 4 3 Relatórios Descritivos...

Leia mais

Autor: Júlio Battisti www.juliobattisti.com.br

Autor: Júlio Battisti www.juliobattisti.com.br Autor: Júlio Battisti www.juliobattisti.com.br Livro: Aprenda com Júlio Battisti: Excel 2010 Avançado, Análise de Dados e Cenários, Tabelas e Gráficos Dinâmicos, Macros e Programação VBA - Através de Exemplos

Leia mais

SIGA Saúde. Sistema Integrado de Gestão da Assistência à Saúde. Manual operacional. Módulo Agenda Agendamento Local

SIGA Saúde. Sistema Integrado de Gestão da Assistência à Saúde. Manual operacional. Módulo Agenda Agendamento Local SIGA Saúde Sistema Integrado de Gestão da Assistência à Saúde Manual operacional Módulo Agenda Agendamento Local Sumário Introdução... 3 Agendamento... 4 Pesquisa de vagas... 5 Perfil de Agenda... 6 Dados

Leia mais

Orquestra BPM. Template Recrutamento e Seleção. Manual de Instalação

Orquestra BPM. Template Recrutamento e Seleção. Manual de Instalação Orquestra BPM Template Recrutamento e Seleção Manual de Instalação P á g i n a 2 Introdução Template pode ser definido como um modelo, molde ou padrão, por exemplo, de documentos, sites e blogs. Com relação

Leia mais

MANUAL DE SISTEMA. Página1

MANUAL DE SISTEMA. Página1 Página1 Página2 Sumário 1 Configurações Recomendadas... 3 2 Passo a Passo... 4 2.1. Visão inicial do Sistema Presença 4 2.2. Solicitar Acesso 5 2.3. Substituição do Operador Municipal Máster 7 2.4. Acessar

Leia mais

Chapter 3. Análise de Negócios e Visualização de Dados

Chapter 3. Análise de Negócios e Visualização de Dados Chapter 3 Análise de Negócios e Visualização de Dados Objetivos de Aprendizado Descrever a análise de negócios (BA) e sua importância par as organizações Listar e descrever brevemente os principais métodos

Leia mais

Modelo Funcional Essencial

Modelo Funcional Essencial Modelo Funcional Essencial Análise e Projeto - 1 Tem como objetivo definir o que o sistema deve fazer, ou seja, as funções que deve realizar para atender seus usuários. Na análise essencial fazemos essa

Leia mais

GSAN. Módulo Gerencial. Documentação de Funcionalidades Incluídas e Alteradas

GSAN. Módulo Gerencial. Documentação de Funcionalidades Incluídas e Alteradas GSAN Módulo Gerencial Documentação de Funcionalidades Incluídas e Alteradas Data de Atualização: 26/02/2014 1 Introdução Este documento contém a documentação de funcionalidades incluídas e alteradas do

Leia mais

CONTRA CONTROLE DE ACESSOS E MODULARIZADOR DE SISTEMAS

CONTRA CONTROLE DE ACESSOS E MODULARIZADOR DE SISTEMAS MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO SUBSECRETARIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE MODERNIZAÇÃO E INFORMÁTICA CONTRA CONTROLE DE ACESSOS E MODULARIZADOR DE SISTEMAS MANUAL

Leia mais

Manual Ilustrado Menu Pronto Atendimento

Manual Ilustrado Menu Pronto Atendimento Junho - 2014 Índice Título do documento 1. Objetivos... 3 2. Introdução... 3 3. Painel de Classificação de Risco... 4 3.1. Configurando a Unidade... 5 3.2. Cadastrando Agenda para Médicos Plantonistas...

Leia mais

Curso Superior de Tecnologia em Banco de Dados Disciplina: Projeto de Banco de Dados Relacional II Prof.: Fernando Hadad Zaidan

Curso Superior de Tecnologia em Banco de Dados Disciplina: Projeto de Banco de Dados Relacional II Prof.: Fernando Hadad Zaidan Faculdade INED Curso Superior de Tecnologia em Banco de Dados Disciplina: Projeto de Banco de Dados Relacional II Prof.: Fernando Hadad Zaidan 1 Unidade 4.3 2 1 BI BUSINESS INTELLIGENCE BI CARLOS BARBIERI

Leia mais

Business Intelligence e ferramentas de suporte

Business Intelligence e ferramentas de suporte O modelo apresentado na figura procura enfatizar dois aspectos: o primeiro é sobre os aplicativos que cobrem os sistemas que são executados baseados no conhecimento do negócio; sendo assim, o SCM faz o

Leia mais

BI Gerenciamento e Monitoramento de Informações Processuais

BI Gerenciamento e Monitoramento de Informações Processuais Tribunal de Justiça de Pernambuco Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicação BI Gerenciamento e Monitoramento de Informações Processuais Manual do Usuário Recife - 2014 Histórico de Alterações

Leia mais

srbo@ufpa.br www.ufpa.br/srbo

srbo@ufpa.br www.ufpa.br/srbo CBSI Curso de Bacharelado em Sistemas de Informação BI Prof. Dr. Sandro Ronaldo Bezerra Oliveira srbo@ufpa.br www.ufpa.br/srbo Tópicos Especiais em Sistemas de Informação Faculdade de Computação Instituto

Leia mais

CPqD Gestão Pública. Gestão Escolar Guia de treinamento. Versão do produto: 4.0.0 Edição do documento: 2.0 Abril de 2010

CPqD Gestão Pública. Gestão Escolar Guia de treinamento. Versão do produto: 4.0.0 Edição do documento: 2.0 Abril de 2010 CPqD Gestão Pública Gestão Escolar Guia de treinamento Versão do produto: 4.0.0 Edição do documento: 2.0 Abril de 2010 CPqD Gestão Pública Gestão Escolar Guia de treinamento Versão do produto: 4.0.0 Edição

Leia mais

Manual de usuário MaxDialer Versão 1.0.2

Manual de usuário MaxDialer Versão 1.0.2 Manual de usuário MaxDialer Versão 1.0.2 1 Sumário 1. Introdução... 3 2. LOGIN... 3 3. Cadastro... 3 3.1. Máquinas... 4 3.2. Tipo Telefone... 5 3.3. Feriados... 6 3.4. Campanhas... 7 3.5. Usuários... 16

Leia mais

Treinamento Business Objects (BO) Confecção de Relatórios 1 etapa Facilitador: Fabio Alberto Paiva Xavier

Treinamento Business Objects (BO) Confecção de Relatórios 1 etapa Facilitador: Fabio Alberto Paiva Xavier Treinamento Business Objects (BO) Confecção de Relatórios 1 etapa Facilitador: Fabio Alberto Paiva Xavier 29 de Outubro 2010 Objetivos do Treinamento: Ao final deste treinamento, é esperado que os participantes

Leia mais

Manual de Utilização das Funções Básicas do Sistema ClinicWeb

Manual de Utilização das Funções Básicas do Sistema ClinicWeb Manual de Utilização das Funções Básicas do Sistema ClinicWeb Dezembro/2012 2 Manual de Utilização das Funções Básicas do Sistema ClinicWeb Sumário de Informações do Documento Título do Documento: Resumo:

Leia mais

Auto Treinamento. Versão 10.05.13

Auto Treinamento. Versão 10.05.13 Auto Treinamento Versão 10.05.13 Sumário 1. OBJETIVO... 3 2. CONCEITO DE BUSINESS INTELLIGENCE... 3 3. REALIZANDO CONSULTAS NO BI-PUBLIC... 4 3.2. Abrindo uma aplicação... 4 3.3. Seleções... 6 3.4. Combinando

Leia mais

Utilização do sistema de transcrição de notas fiscais de serviços

Utilização do sistema de transcrição de notas fiscais de serviços Utilização do sistema de transcrição de notas fiscais de serviços Departamento de Logística Integrada Versão 1.0 novembro/2008 Utilização do sistema de transcrição de notas fiscais de serviços. Preferencialmente

Leia mais

SISTEMAS INTERFACEADOS COM O SISREG

SISTEMAS INTERFACEADOS COM O SISREG SISTEMAS INTERFACEADOS COM O SISREG CADSUS WEB CNES SIGTAP SIA - BPA Médico Regulador Unidade Solicitante Central de Regulação Unidade Executante Secretarias Municipais de Saúde ou similares Estabelecimentos

Leia mais

Uma análise de ferramentas de modelagem e gerência de metadados aplicadas ao projeto de BI/DW-UFBA

Uma análise de ferramentas de modelagem e gerência de metadados aplicadas ao projeto de BI/DW-UFBA Universidade Federal da Bahia Instituto de Matemática Departamento de Ciência da Computação MATA67 Projeto Final II Uma análise de ferramentas de modelagem e gerência de metadados aplicadas ao projeto

Leia mais

Sistemas de Informação em Saúde. Informatização da Atenção Básica Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo (SMS-SP)

Sistemas de Informação em Saúde. Informatização da Atenção Básica Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo (SMS-SP) Sistemas de Informação em Saúde Informatização da Atenção Básica Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo (SMS-SP) Contato Cláudio Giulliano Alves da Costa, MD, MSc. Secretaria Municipal de Saúde de

Leia mais

Companhia de Tecnologia da Informação do Estado de Minas Gerais - Prodemge. Manual do Usuário. Versão 1.1. ExpressoMG

Companhia de Tecnologia da Informação do Estado de Minas Gerais - Prodemge. Manual do Usuário. Versão 1.1. ExpressoMG Companhia de Tecnologia da Informação do Estado de Minas Gerais - Prodemge Manual do Usuário Versão 1.1 ExpressoMG 14/10/2015 Sumário 1. Apresentação... 4 1.1 Objetivos do Manual... 4 1.2 Público Alvo...

Leia mais

ATTI - ASSESSORIA TÉCNICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

ATTI - ASSESSORIA TÉCNICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO ATTI - ASSESSORIA TÉCNICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO A Secretaria Municipal da Saúde, visando a modernização da gestão, investiu na implantação de um Sistema Integrado de Gestão da Assistência à Saúde,

Leia mais

Definition of a Measurement Guide for Data Warehouse Projects

Definition of a Measurement Guide for Data Warehouse Projects Definition of a Measurement Guide for Data Warehouse Projects Claudia Hazan Serviço Federal de Processamento de Dados (SERPRO) SGAN Quadra 601 Modulo V Brasilia, DF, CEP: 70836-900 BRAZIL 1 Agenda Cenário:

Leia mais

Governo do Estado do Pará Secretaria de Estado da Fazenda

Governo do Estado do Pará Secretaria de Estado da Fazenda Manual do Usuário Sistema Notapará Programa Nota Fiscal Cidadã Objetivo: Estabelecer orientações aos usuários do sistema Notapará, tais como: usabilidade, funcionalidade e navegabilidade. Manual do Usuário

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME Secretaria Nacional de Renda de Cidadania. CONTRATAÇÃO DE CONSULTOR MODALIDADE: Produto

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME Secretaria Nacional de Renda de Cidadania. CONTRATAÇÃO DE CONSULTOR MODALIDADE: Produto MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME Secretaria Nacional de Renda de Cidadania CONTRATAÇÃO DE CONSULTOR MODALIDADE: Produto Nº do Termo de Referência no Plano de Aquisições: 2 B 5 Acordo

Leia mais

Módulo 2. Definindo Soluções OLAP

Módulo 2. Definindo Soluções OLAP Módulo 2. Definindo Soluções OLAP Objetivos Ao finalizar este módulo o participante: Recordará os conceitos básicos de um sistema OLTP com seus exemplos. Compreenderá as características de um Data Warehouse

Leia mais

Aplicação de Data Warehousing no Cadastro de Ficha Limpa do TSE

Aplicação de Data Warehousing no Cadastro de Ficha Limpa do TSE Aplicação de Data Warehousing no Cadastro de Ficha Limpa do TSE Mateus Ferreira Silva, Luís Gustavo Corrêa Lira, Marcelo Fernandes Antunes, Tatiana Escovedo, Rubens N. Melo mateusferreiras@gmail.com, gustavolira@ymail.com,

Leia mais

Interatividade aliada a Análise de Negócios

Interatividade aliada a Análise de Negócios Interatividade aliada a Análise de Negócios Na era digital, a quase totalidade das organizações necessita da análise de seus negócios de forma ágil e segura - relatórios interativos, análise de gráficos,

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO E TECNOLOGIA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO E TECNOLOGIA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO E TECNOLOGIA TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA - CONSULTOR POR PRODUTO OEI/TOR/FNDE/CGETI

Leia mais

Sistemas de Apoio à Decisão (SAD) - Senado

Sistemas de Apoio à Decisão (SAD) - Senado Sistemas de Apoio à Decisão (SAD) - Senado DW OLAP BI Ilka Kawashita Material preparado :Prof. Marcio Vitorino Sumário OLAP Data Warehouse (DW/ETL) Modelagem Multidimensional Data Mining BI - Business

Leia mais

Contrato nº xxx/201x ANEXO 1 Acesso ao estudo do BI (Business Intelligence) Municípios - XXXXXX

Contrato nº xxx/201x ANEXO 1 Acesso ao estudo do BI (Business Intelligence) Municípios - XXXXXX Contrato nº xxx/201x ANEXO 1 Acesso ao estudo do BI (Business Intelligence) Municípios - XXXXXX 1. Resumo Executivo Disponibilizar acesso ao estudo do BI (Business Intelligence) da CELEPAR, baseado nas

Leia mais

1. Funcionalidades TMN

1. Funcionalidades TMN 1. Funcionalidades TMN Uma TMN pretende suportar uma ampla variedade de áreas gerenciais que abrange o planejamento, instalação, operação, administração, manutenção e provisionamento de serviços de telecomunicações.

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME Secretaria Nacional de Renda de Cidadania. CONTRATAÇÃO DE CONSULTOR MODALIDADE: Produto

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME Secretaria Nacional de Renda de Cidadania. CONTRATAÇÃO DE CONSULTOR MODALIDADE: Produto MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME Secretaria Nacional de Renda de Cidadania CONTRATAÇÃO DE CONSULTOR MODALIDADE: Produto Nº do Termo de Referência no Plano de Aquisições: 2 B 4 Acordo

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE PLUG-INS KETTLE PARA GERAÇÃO DE MONDRIAN SCHEMA A PARTIR DE BASES RELACIONAIS, UTILIZANDO A METODOLOGIA AGILE ROLAP.

DESENVOLVIMENTO DE PLUG-INS KETTLE PARA GERAÇÃO DE MONDRIAN SCHEMA A PARTIR DE BASES RELACIONAIS, UTILIZANDO A METODOLOGIA AGILE ROLAP. DESENVOLVIMENTO DE PLUG-INS KETTLE PARA GERAÇÃO DE MONDRIAN SCHEMA A PARTIR DE BASES RELACIONAIS, UTILIZANDO A METODOLOGIA AGILE ROLAP. Eduardo Cristovo de Freitas Aguiar (PIBIC/CNPq), André Luís Andrade

Leia mais

Portfólio de Serviços

Portfólio de Serviços Portfólio de Serviços A empresa A FollowUp é uma empresa que presta serviços em Tecnologia da Informação (TI). O principal foco é o outsourcing de serviços de análise e desenvolvimento de sistemas computacionais.

Leia mais

ORIENTAÇÕES BÁSICAS DE COMO FATURAR PROCEDIMENTOS DE TFD

ORIENTAÇÕES BÁSICAS DE COMO FATURAR PROCEDIMENTOS DE TFD ORIENTAÇÕES BÁSICAS DE COMO FATURAR PROCEDIMENTOS DE TFD Os procedimentos de Tratamento Fora do Domicilio são registrados no sistema de BPA Boletim de Produção Ambulatorial, de forma Individualizada, conforme

Leia mais

Governança da Capacidade de TI

Governança da Capacidade de TI Coordenadoria de Tecnologia da Informação Documentos Formais Governança da Sumário 1 Introdução... 03 2 Políticas do Documento de Governança da... 04 3 Governança da... 05 4 Principais Serviços para Governança

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE ATIVOS DE TI GERENCIAMENTO DE CONFIGURAÇÃO

ADMINISTRAÇÃO DE ATIVOS DE TI GERENCIAMENTO DE CONFIGURAÇÃO 1 ADMINISTRAÇÃO DE ATIVOS DE TI GERENCIAMENTO DE CONFIGURAÇÃO 2 INFRAESTRUTURA DE TI Para garantir o atendimento às necessidades do negócio, a área de TI passou a investir na infraestrutura do setor, ampliando-a,

Leia mais

Aula 15. Tópicos Especiais I Sistemas de Informação. Prof. Dr. Dilermando Piva Jr.

Aula 15. Tópicos Especiais I Sistemas de Informação. Prof. Dr. Dilermando Piva Jr. 15 Aula 15 Tópicos Especiais I Sistemas de Informação Prof. Dr. Dilermando Piva Jr. Site Disciplina: http://fundti.blogspot.com.br/ Conceitos básicos sobre Sistemas de Informação Conceitos sobre Sistemas

Leia mais

Parametrização e configuração da ferramenta IBM Algo One ALM Base e outro Dúvida: Esclarecimento: 1. Dúvida: Esclarecimento: Dúvida:

Parametrização e configuração da ferramenta IBM Algo One ALM Base e outro Dúvida: Esclarecimento: 1. Dúvida: Esclarecimento: Dúvida: 1 Dúvida: Sobre Conciliar contabilmente os saldos da rubricas contábeis... e Consultar o resultado da conciliação..., entendemos que o Banco deseja que seja desenvolvido um relatório que concilie, com

Leia mais

Glossário Apresenta a definição dos termos, siglas e abreviações utilizadas no contexto do projeto Citsmart.

Glossário Apresenta a definição dos termos, siglas e abreviações utilizadas no contexto do projeto Citsmart. Apresenta a definição dos termos, siglas e abreviações utilizadas no contexto do projeto Citsmart. Versão 1.6 15/08/2013 Visão Resumida Data Criação 15/08/2013 Versão Documento 1.6 Projeto Responsáveis

Leia mais

Síntese das discussões do fórum Livro-APF: Dezembro/2010. Link: http://br.groups.yahoo.com/group/livro-apf/message/3313

Síntese das discussões do fórum Livro-APF: Dezembro/2010. Link: http://br.groups.yahoo.com/group/livro-apf/message/3313 Assunto: Dados derivados Data: 02/12/2010 Síntese das discussões do fórum Livro-APF: Dezembro/2010 Link: http://br.groups.yahoo.com/group/livro-apf/message/3313 Cenário: Existem vários relatórios, nos

Leia mais

Subsecretaria de Contabilidade Pública. Coordenação-Geral de Contabilidade e Custos da União. Tesouro Gerencial

Subsecretaria de Contabilidade Pública. Coordenação-Geral de Contabilidade e Custos da União. Tesouro Gerencial Subsecretaria de Contabilidade Pública Coordenação-Geral de Contabilidade e Custos da União Tesouro Gerencial Brasília Novembro/2014 Objetivos do Curso O aluno deve ser capaz de: 1) Identificar as diferenças/semelhanças

Leia mais

Documento de Requisitos Sistema WEB GEDAI

Documento de Requisitos Sistema WEB GEDAI Universidade Federal de São Carlos Centro de Ciências Exatas e de Tecnologia Departamento de Computação GEDAI-Grupo de Estudo e Desenvolvimento em Automação Industrial Documento de Requisitos Sistema WEB

Leia mais

Apresentação do Portfólio da ITWV Soluções Inteligentes em Tecnologia

Apresentação do Portfólio da ITWV Soluções Inteligentes em Tecnologia P ORTFÓ FÓLIO Apresentação do Portfólio da ITWV Soluções Inteligentes em Tecnologia versão 1.1 ÍNDICE 1. A EMPRESA... 3 2. BI (BUSINESS INTELLIGENCE)... 5 3. DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS... 6 3.1. PRODUTOS

Leia mais

Porque eu preciso entender este assunto?

Porque eu preciso entender este assunto? Porque eu preciso entender este assunto? Para entender como um computador consegue executar várias tarefas simultaneamente e qual o impacto que isso pode ter em meus programas! Os programas de ontem...

Leia mais

Manual Operacional SIGA

Manual Operacional SIGA SMS - ATTI Maio -2013 Conteúdo Sumário... 2 PPD -IPD... 3 Adicionar Paciente... 4 Laudo Médico... 6 Avaliação do Enfermeiro... 11 Visita Domiciliar... 14 Dados do Paciente no Programa... 16 Histórico do

Leia mais

1.Introdução. 2. Posicionamento

1.Introdução. 2. Posicionamento 1.Introdução 1.1 Finalidade Este documento tem o objetivo de demonstrar as necessidades e problemas que a rede de clínicas de vacinação IMUNIZA encontra em seu dia a dia, propondo após um levantamento

Leia mais

BUSINESS INTELLIGENCE, O ELEMENTO CHAVE PARA O SUCESSO DAS ORGANIZAÇÕES.

BUSINESS INTELLIGENCE, O ELEMENTO CHAVE PARA O SUCESSO DAS ORGANIZAÇÕES. Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 88 BUSINESS INTELLIGENCE, O ELEMENTO CHAVE PARA O SUCESSO DAS ORGANIZAÇÕES. Andrios Robert Silva Pereira, Renato Zanutto

Leia mais

versa A solução definitiva para o mercado livreiro. Aumente a eficiência de seu negócio Tenha uma solução adequada para cada segmento

versa A solução definitiva para o mercado livreiro. Aumente a eficiência de seu negócio Tenha uma solução adequada para cada segmento Aumente a eficiência de seu negócio O Versa é um poderoso software de gestão de negócios para editoras, distribuidoras e livrarias. Acessível e amigável, o sistema foi desenvolvido especificamente para

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOLUÇÃO INTEGRADA DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS PARA O ESTADO DE MINAS GERAIS PREGÃO ELETRÔNICO N 1501122000006/2014

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOLUÇÃO INTEGRADA DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS PARA O ESTADO DE MINAS GERAIS PREGÃO ELETRÔNICO N 1501122000006/2014 GOVERNO DO ESTADO DE MINAS GERAIS PERGUNTAS E RESPOSTAS SOLUÇÃO INTEGRADA DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS PARA O ESTADO DE MINAS GERAIS PREGÃO ELETRÔNICO N 1501122000006/2014 PERGUNTAS 01 - SMEPN - Modelagem

Leia mais

GERENCIAL SEPLAG CARTILHA AGENDA. Sumário

GERENCIAL SEPLAG CARTILHA AGENDA. Sumário CARTILHA AGENDA GERENCIAL SEPLAG 2012 Sumário 1. A Agenda Gerencial 2. Como Utilizar 3. Criação de Usuário 4. Criando um Projeto 5. Criando uma meta: 6. Criando uma Tarefa 7. Calendário 8. Mensagens ou

Leia mais

Prova de Conceito Arquitetura BI

Prova de Conceito Arquitetura BI Prova de Conceito Arquitetura BI ANEXO V PROVA DE CONCEITO ARQUITETURA BI Pág. 1/22 1 Considerações Iniciais Essa Prova de Conceito POC será destinada ao fornecedor ganhador para comprovar o atendimento

Leia mais

Módulo Medicina e Segurança do Trabalho Exames Periódicos

Módulo Medicina e Segurança do Trabalho Exames Periódicos Módulo Medicina e Segurança do Trabalho Exames Periódicos Logix 10 Sumário Sumário... 2 Texto Introdutório... 3 Fluxo dos Subprocessos que compõem o Módulo... 3 Fluxo SubProcessos Exames Periódicos...

Leia mais

GENS S.A. Metodologia de Desenvolvimento Padrões de uso para o Sistema Gemini Versão Reduzida Relatório Análise de Causa

GENS S.A. Metodologia de Desenvolvimento Padrões de uso para o Sistema Gemini Versão Reduzida Relatório Análise de Causa GENS S.A. Metodologia de Desenvolvimento Padrões de uso para o Sistema Gemini Versão Reduzida Relatório Análise de Causa 1. Relatório de Análise de Causa Quando utilizar? O template deve ser utilizado

Leia mais

BI Citsmart Fornece orientações necessárias para instalação, configuração e utilização do BI Citsmart.

BI Citsmart Fornece orientações necessárias para instalação, configuração e utilização do BI Citsmart. 16/08/2013 BI Citsmart Fornece orientações necessárias para instalação, configuração e utilização do BI Citsmart. Versão 1.0 19/12/2014 Visão Resumida Data Criação 19/12/2014 Versão Documento 1.0 Projeto

Leia mais

Padrões de Contagem de Pontos de Função

Padrões de Contagem de Pontos de Função Padrões de Contagem de Pontos de Função Contexto Versão: 1.0.0 Objetivo O propósito deste documento é apresentar os padrões estabelecidos para utilização da técnica de Análise de Pontos de Função no ambiente

Leia mais

MBA Inteligência Competitiva Com ênfase em BI/CPM. Metadados

MBA Inteligência Competitiva Com ênfase em BI/CPM. Metadados MBA Inteligência Competitiva BI/CPM 1 Data Warehousing PÓS-GRADUAÇÃO MBA Inteligência Competitiva Com ênfase em BI/CPM Metadados Andréa Cristina Montefusco (36927) Hermes Abreu Mattos (36768) Robson Pereira

Leia mais

Sistema Operacional. Processo e Threads. Prof. Dr. Márcio Andrey Teixeira Sistemas Operacionais

Sistema Operacional. Processo e Threads. Prof. Dr. Márcio Andrey Teixeira Sistemas Operacionais Sistema Operacional Processo e Threads Introdução a Processos Todos os computadores modernos são capazes de fazer várias coisas ao mesmo tempo. Enquanto executa um programa do usuário, um computador pode

Leia mais

Treinamento Auditor Fiscal. Instrutor: Jaime Naves Gestora: Adriana Nunes

Treinamento Auditor Fiscal. Instrutor: Jaime Naves Gestora: Adriana Nunes Treinamento Auditor Fiscal Instrutor: Jaime Naves Gestora: Adriana Nunes Conceito: O Auditor Fiscal WEB é uma solução que permite a usuários de qualquer segmento empresarial realizar auditorias sobre os

Leia mais

Uma análise multidimensional dos dados estratégicos da empresa usando o recurso OLAP do Microsoft Excel

Uma análise multidimensional dos dados estratégicos da empresa usando o recurso OLAP do Microsoft Excel Uma análise multidimensional dos dados estratégicos da empresa usando o recurso OLAP do Microsoft Excel Carlos Alberto Ferreira Bispo (AFA) cafbispo@siteplanet.com.br Daniela Gibertoni (FATECTQ) daniela@fatectq.com.br

Leia mais

Companhia de Processamento de Dados do Município de São Paulo. Acessando e manipulando Cubos OLAP Utilizando o MS Excel 2000/XP

Companhia de Processamento de Dados do Município de São Paulo. Acessando e manipulando Cubos OLAP Utilizando o MS Excel 2000/XP Companhia de Processamento de Dados do Município de São Paulo Acessando e manipulando Cubos OLAP Utilizando o MS Excel 2000/XP Setembro/2003 Para acessar e manipular os dados existentes nos denominados

Leia mais

Universidade Federal de Mato Grosso. Secretaria de Tecnologias da Informação e Comunicação. SISCOFRE Sistema de Controle de Frequência MANUAL

Universidade Federal de Mato Grosso. Secretaria de Tecnologias da Informação e Comunicação. SISCOFRE Sistema de Controle de Frequência MANUAL Universidade Federal de Mato Grosso Secretaria de Tecnologias da Informação e Comunicação SISCOFRE Sistema de Controle de Frequência MANUAL Versão 2.1 2013 Cuiabá MT Sumário Usuários do SISCOFRE... 3 Fases

Leia mais

RESUMO DA SOLUÇÃO CA ERwin Modeling. Como eu posso gerenciar a complexidade dos dados e aumentar a agilidade dos negócios?

RESUMO DA SOLUÇÃO CA ERwin Modeling. Como eu posso gerenciar a complexidade dos dados e aumentar a agilidade dos negócios? RESUMO DA SOLUÇÃO CA ERwin Modeling Como eu posso gerenciar a complexidade dos dados e aumentar a agilidade dos negócios? O CA ERwin Modeling fornece uma visão centralizada das principais definições de

Leia mais

SIGEP WEB - Gerenciador de Postagens dos Correios Manual do Usuário

SIGEP WEB - Gerenciador de Postagens dos Correios Manual do Usuário MANUAL DO USUÁRIO 2 ÍNDICE 1. PRÉ REQUISITOS PARA UTILIZAÇÃO DO SIGEP WEB 04 2. PROCEDIMENTOS PARA DOWNLOAD DO SISTEMA 04 3. INSTALANDO O SIGEP WEB 07 4. CONFIGURAÇÕES DO SISTEMA 09 COMPARTILHANDO O BANCO

Leia mais

Introdução. Formação Informática Para Estatísticos Na DPINE. Formação Informática Para Estatísticos Na DPINE. Usar Tabelas Dinâmicas em EXCEL

Introdução. Formação Informática Para Estatísticos Na DPINE. Formação Informática Para Estatísticos Na DPINE. Usar Tabelas Dinâmicas em EXCEL Usar Tabelas Dinâmicas em EXCEL Introdução Neste Módulo aprendemos o importante recurso de Tabelas Dinâmicas e Gráficos Dinâmicos. Aprendemos a criar tabelas dinâmicas, a aplicar filtros e a fazer análise

Leia mais

Agendador de Rotinas

Agendador de Rotinas Agendador de Rotinas Agendamento para Importação de Notas Fiscais É possível parametrizar o agendamento para importação de notas fiscais de entrada, saída e conhecimento de transporte, para todas as empresas

Leia mais

MANUAL DE USO DO SISTEMA DE APOIO À IMPLANTAÇÃO DE POLÍTICAS EM SAÚDE - SAIPS

MANUAL DE USO DO SISTEMA DE APOIO À IMPLANTAÇÃO DE POLÍTICAS EM SAÚDE - SAIPS MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA MANUAL DE USO DO SISTEMA DE APOIO À IMPLANTAÇÃO DE POLÍTICAS EM SAÚDE - SAIPS COMPONENTE: HABILITAÇÃO DE CUSTEIO DO PROGRAMA

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOLUÇÃO INTEGRADA DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS PARA O ESTADO DE MINAS GERAIS PREGÃO ELETRÔNICO N 1501122000006/2014

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOLUÇÃO INTEGRADA DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS PARA O ESTADO DE MINAS GERAIS PREGÃO ELETRÔNICO N 1501122000006/2014 GOVERNO DO ESTADO DE MINAS GERAIS PERGUNTAS E RESPOSTAS SOLUÇÃO INTEGRADA DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS PARA O ESTADO DE MINAS GERAIS PREGÃO ELETRÔNICO N 1501122000006/2014 PERGUNTAS 01 - SMEPN - Modelagem

Leia mais

AGORA ORACLE AO SEU ALCANCE

AGORA ORACLE AO SEU ALCANCE A performance que você necessita no preço que você quer! Agora, produtos de infra-estrutura tecnológica ao seu alcance. Existem alternativas que proporcionam às pequenas e médias empresa permanecerem no

Leia mais