pwc.com/pe Doing Business and Investing in Peru

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "pwc.com/pe Doing Business and Investing in Peru"

Transcrição

1 pwc.com/pe 2015 Doing Business and Investing in Peru

2 2015 Doing Business and Investing in Peru 2

3 Esteban Chong Associado Sênior de Território PwC Peru Prefácio O Peru tem atingido crescimento constante em seu Produto Interno Bruto (PIB) há mais de 14 anos. Ainda que em 2014 este crescimento tenha sido significativamente inferior ao esperado devido a uma redução na atividade dos setores principais chave da economia tais como mineração, construção e fabricação, existem diversas expectativas com relação às possibilidades de atingir números aprimorados nos próximos dois anos. Então, o Banco Central de ReservadelPerú (BCRP) e bem conhecidos especialistas econômicos, têm previsto que o crescimento do PIB em 2015 e 2016 atingirá valores entre 4% e 5%, respectivamente. É relevante mencionar que o investimento brasileiro possui um papel principal em termos de nosso desenvolvimento. Nosso desenvolvimento tem sido um resultado de um ciclo vicioso de investimento, consumo e crescimento onde a participação de empresas brasileiras foi destacável. Diversos exemplos podem ser observados no setor de infraestrutura e em indústrias tais como mineração, aço, produtos de consumo, varejo, dentre outros. Em termos de comércio exterior, o Peru é um dos países mais economicamente liberalizado na região. Adicionalmente, possui um clima favorável para investimento estrangeiro. É importante observar que 85% das exportações são realizadas sob contratos de comércio livre. Atualmente, contratos similares estão sendo negociados e estudados com a Índia, Indonésia e Turquia. Se eles forem concluídos, praticamente todo o comércio do país estará dentro da estrutura destes contratos. Na última década, o alto crescimento econômico do Peru foi amplamente baseado nos preços de matérias-primas, principalmente minerais tais como ouro, cobre prata, zinco, dentre outros, dos quais o Peru é um importante produtos e o Brasil é um mercado relevante para nós. Em reconhecimento ao fato de que tal ciclo está chegando a um fim, o Estado peruano implementou uma série de medidas de forma a continuar a ser um dos países mais atrativos para investimento estrangeiro. Sem dúvidas, uma das ações mais significantes foi à decisão em reduzir a taxa de imposto de renda de 30% para 28% para o ano de 2015, e progressivamente para 26% em A estas medidas devem ser também adicionadas às provisões objetivadas a simplificar o longo e burocrático processo de aprovações prévias e revisões de operações de pesquisa e exploração de recursos naturais e assim como trabalhos de infraestrutura. O objetivo é que tal processo seja mais dinâmico e que as fases anteriores ao início destas atividades sejam completadas o mais rapidamente possível. Ainda existe certo caminho a percorrer neste aspecto e as autoridades líderes estão mostrando sinais de sua preocupação com a facilitação do início de um grande número de projetos que foram atrasados Doing Business and Investing in Peru 3

4 Um aspecto final a destacar dentre estes esforços é o objetivo do Peru em fazer parte da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OECD), um grupo de países, principalmente desenvolvido, que busca promover políticas públicas que geram bem estar para seus cidadãos. Se estes requerimentos forem satisfeitos, o Peru se tornará um membro deste seleto grupo de países no médio prazo. Esta publicação contém as informações mais recentes e confiáveis sobre os principais assuntos de macroeconomia, tributação, corporativos, trabalhistas, financeiros e sociais e dois capítulos são focados em assuntos a serem considerados por investidores brasileiros. Estamos confiantes de que o conteúdo desta publicação será uma ferramenta muito útil para te ajudar em seu processo de tomada de decisão para começar a fazer negócios e investir em nosso país. A PwC possui mais de 90 anos de presença ininterrupta no Peru e experiência significante fornecendo serviços de consultoria de negócios através de suas equipes multidisciplinares para a maioria das empresas brasileiras que investiram no Peru. Nosso relacionamento com a PwC Brasil trabalhando em conjunto em casos específicos foi produtivo e, como exemplo, hoje temos associados e gerentes brasileiros trabalhando na PwC Peru. Gostaríamos de te convidar a fazer parte do sucesso da economia peruana e contar com a PwC para auxiliar sua organização a atingir seus objetivos de investimento e negócios Doing Business and Investing in Peru 4

5 Conteúdos Panorama do país Geografia e clima Sistema Político População Economia Moeda Risco-país e grau de investimento Principais Indústrias Potenciais áreas de crescimento Indicadores econômicos Brasil: investindo no Peru Incentivo de investimentos gerais Vantagens fiscais de investir no Peru do Brasil / Propriedade no Peru Tratado Fiscal Peru - Brasil Vantagens fiscais de investir no Peru do Brasil / Propriedade no Peru 2.5. Evolução comercial Peru - Brasil (Milhões de US$) 2.6. Balança comercial Peru Brasil, (Milhões de US$) 2.7. Peru: Exportações ao Brasil, (Milhões de US$) 2.8. Peru: Importações do Brasil, (Milhões de US$) 2.9. Peru: Principais empresas exportadoras ao Brasil, (Centenas de US$ CIF / % Acionário / Variação) Peru: Principais empresas importando do Brasil, (Centenas de US$ CIF /% Acionário / Variação) Principais produtos tradicionais exportados ao Brasil e o mundo(centenas de US$ FOB/ % Acionário / Variação %) Principais produtos tradicionais importados do Brasil e o mundo(centenas de US$ CIF/% Acionário / Variação %)

6 3. Ambiente de negócios Incentivos para investimento Acordos comerciais Mercado Integrado da America Latina 41 - MILA 3.4. Aliança do Pacífico Legislação trabalhista Relações trabalhistas Custos da Folha de Pagamento para o Empregador no Peru Questões Tributárias Imposto de Renda de Pessoa Jurídica Retenção de Impostos Venda Indireta de Ações Valor de mercado e regras de preço de Transferência Acordos de estabilidade Imposto de Renda de pessoa física Imposto de Renda de pessoa física: isenções tributárias Sociedade Estrangeira Controlada(SEC) Tratados fiscais em vigor Impostos sobre salários Imposto sobre transações financeiras(itf) Doing Business and Investing in Peru 6

7 5.12. Imposto temporário aos ativos líquidos(itan) Imposto sobre Valor Acrescentado (IVA) Sistema de Pagamento Obrigatório de Tributos(SPOT) Recuperação antecipada de IVA Recuperação de IVA em atividades de exploração para mineração e Oil & Gas Saldo positivo de IVA de exportadores Imposto sobre consumos Direitos Aduaneiros Direitos Aduaneiros: Regime de Drawback Questões corporativas Incorporando uma entidade legal no Peru Sociedade Anônima Relações entre acionistas, administradores e autoridades 6.4. Sociedade Comercial de Responsabilidade Limitada(S.R.L.) Sucursal de uma companhia estrangeira Acordo de associação em participação Acordos de consórcio ou joint venture Contabilidade financeira e relatórios 7.1. Aplicação das Normas Internacionais de Relatório Financeiro (IFRS) no Peru Principais diferenças entre as IFRS e o PEGAAP Doing Business and Investing in Peru 7

8 8. 8. Aspectos ambientais e sociais Planejamento Conflitos sociais em Enquadramento legal Fatores chaves e dados Órgãos reguladores Associações Empresariais Serviços profissionais da PwC Peru Doing Business and Investing in Peru 8

9 1. Panorama do país 2015 Doing Business and Investing in Peru 9

10 1. Panorama do país 1.1. Geografia e Clima Influenciado pela Cordilheira dos Andes e duas correntes marítimas, a Peruana ou Humboldt e El Nino, o Peru é um dos mais ricos ambientes geográficos. Encontra-se entre os 17 países com maior biodiversidade no mundo, como resultado de sua variedade de ecossistemas, climas, fauna, recursos genéticos e culturas ancestrais vivas. O Peru está localizado na parte central e ocidental da América do Sul, seu território inclui 200 milhas de águas no Oceano Pacifico e, é o terceiro maior país da América do Sul, após Brasil e Argentina. Área Continental: 1 285,215.6 km 2. Fronteiras Divisão políticoadministrativa Capital Norte: Oceano Pacífico (Mar do Equador), República do Equador e República da Colômbia. Leste: República Federativa do Brasil e República Federativa da Bolívia. Sul: República do Chile e Oceano Pacífico (Mar do Chile). Oeste: Oceano Pacífico. 24 ministérios 195 províncias, incluindo a Província Constitucional de Callao. 1,848 distritos. Lima. A Capital Histórica é a cidade de Cusco. Costa: Compreende 11.7% da área total. Consiste numa variedade de paisagens tais como vales, rios, desertos, uma floresta árida na costa desértica ao norte, e ecossistemas de mangues e encostas. Planalto: Consiste na Cordilheira dos Andes. Cobre 28.4% do território nacional. A paisagem Andina possui uma configuração heterogênea, destacando-se picos, profundos desfiladeiros, estreitos vales e amplas planícies. Regiões Naturais Floresta: Cobre 59.9% do território nacional e está divida em duas áreas, Selva Alta ou encostas montanhosas e Selva Baixa ou Bacia Amazônica. O primeiro caracteriza-se pela presença de acentuadas e arborizadas montanhas e desfiladeiros profundos; o segundo é coberto por uma exuberante vegetação tropical e um largo sistema hidrográfico, os quais pertencem a Bacia Amazônica. Águas territoriais: Correspondem ao mar adjacente à costa, como também ao leito e solos marinhos a uma distancia de 200 milhas náuticas. Biodiversidade Peru é o quarto país em área de florestas tropicais, o primeiro em espécies de plantas de propriedades reconhecidas e o primeiro em espécies nativas domesticadas. É ainda o primeiro em variedades de peixes, terceiro em anfíbios e mamíferos. Possui 84 das 104 faunas e flora do planeta, 18.5% das espécies de pássaros, 9.0% das espécies animais, 7.8% do cultivo de plantas e 10% das espécies de flora. Identificou-se: 515 espécies de mamíferos, 1,816 espécies de pássaros, 418 espécies de répteis, 449 espécies de anfíbios, 1,300 espécies de peixes continentais e 1,070 espécies de peixes marinhos; assim como 25,000 espécies de plantas. Clima Peru possui 28 dos 32 tipos climáticos mundiais. Fonte: INEI, MINAM, CPP. Website of the Peruvian Government Doing Business and Investing in Peru 10

11 1. Panorama do país 1.2. Sistema Político Peru é uma República Presidencialista com democracia representativa e sistema multipartidário. Seu governo é baseado na segregação de poderes e organizado em três níveis. Nesse contexto, a estrutura do estado é composta pelo Poder Executivo, Legislativo e Judiciário, assim como 17 órgãos constitucionais autônomos independentes, governos regionais e governos locais. Além disso, a base fundamental para a ordem Jurídica do Estado é a constituição política, a qual prevalece sobre as normas legais. Poder Executivo Presidente da República O Presidente é o chefe de Estado e do Governo, seu mandato tem duração de cinco anos, não sendo permitida a reeleição imediata. Ollanta Humala Tasso é o Presidente Constitucional da República até 28 de Julho de 2016 Conselhos de Ministros Legislações Aplicáveis Este é composto pelo Presidente do Conselho de Ministros e Ministros. Designados e destituídos pelo Presidente da República. Atualmente, o Peru possui18 ministros. Decretos legislativos, decretos emergenciais, Resoluções do Supremo, Resoluções Ministeriais, Resoluções Vice-ministeriais, Resoluções do Diretório e Resoluções de organismos públicos. Poder Legislativo Congresso Legislações Aplicáveis Orgãos Jurisdicionais Representantes do Poder Legislativo, é unicameral, composto por 130 congressistas, eleitos por um período de 5 anos. O mandato do atual Congresso é válido até Julho de Leis e Resoluções. Judiciário Constituem o Judiciário e possuem poder exclusivo de administrar a justiça. Tais órgãos compreendem a Suprema Corte, Tribunais Superiores, Juiz de Paz e Cortes Especializadas Mistas Órgãos do Governo e da Administração Consiste no Presidente do Tribunal Superior, o qual também é o Presidente e o mais alto representante do judiciário, o plenário do Supremo Tribunal, o Conselho Executivo, Administração Geral e Conselho Executivo Distrital. Organismos Constitucionais Independentes São entidades de direito público com autonomia econômica, funcional, técnica e financeira; governadas por suas próprias leis e que executam funções especializadas no Estado. Incluem entre outras, a Superintendência de Administradores de Bancos, Seguros e Fundos de Pensão (SBS), o Banco Central da Reserva do Peru (BCRP); o Tribunal Constitucional (TC), Jurado Nacional de Eleições (JNE), e a Controladoria Geral da República. Governos Regionais Atualmente são 26 governos regionais, estruturados em 24 estados, a Província Constitucional de Callao e a Municipalidade Metropolitana de Lima. Seus representantes são eleitos por um período de 4 anos Governos Locais Conduzem a admistracao pública em cada uma das províncias, distritos e vilas do Peru, através de municipalidades. Seus representantes são eleitos através do voto popular por 4 anos. Fonte: CPP 2015 Doing Business and Investing in Peru 11

12 1. Panorama do país 1.3. População O Peru possui a quinta maior população da América Latina, após Brasil, México, Colômbia e Argentina. A população em 30 de Junho de 2014 estava estimada em habitantes, significando uma média anual de crescimento de 1.1%. Três quartos da população vive em zonas urbanas e um quarto em zonas rurais. Em 2021, o ano bicentenário da independência, a projeção da população excede 33 milhões e até 2050 atingirá uma população de de habitantes. Peru: Piramide Populacional, 2014 Projeção 2021 Faixa Etária Homens Mulheres Fonte: INEI. 5% 4% 3% 2% 1% 0% 1% 2% 3% 4% 5% 2015 Doing Business and Investing in Peru 12

13 Panorama do país 1.4. Economia O Peru apresentou um crescimento impressionante na última década, e atualmente é a sexta maior economia da América do Sul, mensurada através de seu Produto Interno Bruto (PIB) baseado na Paridade do Poder de Compra (PPC), segundo IMF; encontra-se ainda em sétimo lugar entre os 20 melhores países e mercados inexplorados do mundo para investimentos, de acordo com a revista Bloomberg Market. Tal posição é uma resposta ao seu sólido desempenho macroeconômico e ao modelo econômico adotado em Este modelo é baseado na economia de mercado, um papel secundário do Estado, a livre iniciativa de investimentos privados, estabilidade macroeconômica, liberalização do comércio, a promoção de investimentos internos e externos, o incentivo a competição livre, estabilidade legal e inclusão social. A politica de promoção de investimentos estrangeiros é baseada no principio do tratamento nacional. América do Sul: PIB 2014 baseado na Paridade de Poder de Compra (PPC) - Moeda Dolares Internacionais Brazil 3, Argentina Colombia Venezuela Chile Peru Ecuador Bolivia Uruguay Paraguay Fonte: IMF World Economic Outlook October 2014 (Forecasts) Bloomberg Markets: Os 20 mercados mais emergentes, Fonte: Bloomberg China South Korea Malaysia Chile Thailand Panama Peru Latvia Poland Czech Rep. Colombia Turkey Hungary Russia Brazil Philippines Mexico South Africa Morocco 2015 Doing Business and Investing in Peru 13

14 1. Panorama do país Apesar do Peru ter sofrido uma desaceleração na taxa de seu PIB em 2014, a tendência é que haja uma reversão em O governo peruano emitiu diversos pacotes a fim de conter a desaceleração das taxas de crescimento, tais como redução de impostos e aumento de investimentos públicos em projetos de infraestrutura. Adicionalmente, fatores como aumento de investimentos privados em infraestrutura e redução nos preços do petróleo terão um impacto positivo no PIB Peruano. PIB Real do Peru: Taxas de Crescimento (%) 5.0% 6.3% 7.5% 8.5% 9.1% 8.5% 6.5% 6.0% 5.8% 4.0% 2.5% 1.0% Fonte: BCRP, APOYO Consultoria (Forecasts) (F) 2015(F) O crescimento da economia peruana foi possível devido ao alto e progressivo fluxo de investimentos e aumentos de produtividade. Projetos de mineração e hidrocarbonetos foram a chave para o aproveitamento favorável do cenário do preço de metais, reduzindo o custo com energia. O investimento em infraestrutura permitiu aperfeiçoar a conexão elétrica e a cobertura de todo país. Esses investimentos foram acompanhados de muitos outros na agroindústria, serviços, etc. Países da América Latina: Investimentos em % do PIB Fonte: IMF Peru Chile Mexico Colombia Brazil 2015 Doing Business and Investing in Peru 14

15 1. Panorama do país 1.5. Moeda A moeda oficial do Peru é o Nuevo Sol (S/.). O país opera sob o sistema de flutuação controlada, no qual o Banco Central do Peru (BCRP) apenas interveem com a finalidade de estabilização. Desta forma, em 30 de Janeiro de 2015, a taxa de cambio média do sistema bancário era de S/.3.000, enquanto a taxa de cambio média apresentada pelo mercado informal era de S/.3.007, demonstrando que quase não há diferença entre os dois. (Fonte: BCRP). Entretanto, é importante ressaltar que a intervenção do BCRP no mercado cambial não significa um compromisso com uma taxa de cambio específica, uma vez que esta poderá não estar consistente com a meta inflacionária, reduzindo desta forma a credibilidade da política monetária. Tal fato permitiu a moeda peruana registrar menos volatilidade quando comparada a outras moedas da região. Taxas de Cambio na América Latina, (index; 2005 = 100) Peru Chile Colombia Mexico Brazil 60 Fonte: CEPAL J-03 S-03 M-04 J-05 S-05 M-06 J-07 S-07 M-08 J-09 S-09 M-10 J-11 S-11 M-12 J Doing Business and Investing in Peru 15

16 1. Panorama do país 1.6.Risco-país e grau de investimento Políticas econômicas responsáveis e sólidas concederam o grau de investimento ao país e confiança de investidores. Comparação do grau de investimento América Latina País S&P Fitch Moddy s Chile AA- A+ Aa3 Peru BBB+ BBB+ A3 Mexico BBB+ BBB+ A3 Brasil BBB- BBB Baa2 Colombia BBB BBB Baa3 Bolivia B- BB- Ba3 Equador B B Caa1 Venezuela B- B Caa1 Argentina CCC- CC Caa1 Fonte: Standard & Poor s, Fitch Ratings and Moody s. Updated on September 2014 Melhores países para negócios - América Latina Ranking PAL Ranking mundial Fonte: Forbes (Dec. 2013) Países 1 22 Chile 2 52 Uruguai 3 53 Peru 4 55 Costa Rica 5 61 Panamá 6 63 México 7 66 Colômbia 2015 Doing Business and Investing in Peru 16

17 1. Panorama do país World Bank Doing Business Ranking América Latina, 2015 Regional Doing Business Ranking Lugar Países 1 Colômbia 2 Peru 3 México 4 Chile 5 Uruguai Colômbia 34 Equador 115 Peru 35 Chile 41 Venezuela 182 Guyana 123 Surinam 162 Brasil 120 Bolivia 157 Paraguay 92 Uruguai 82 Argentina 124 Fonte: Doing Business 2015 Países com as melhores conjunturas econômicas América Latina Peru Paraguai Bolívia Colômbia 119 Uruguai 102 México 95 Chile Equador Argentina Brasil Venezuela 20 Fonte: Getulio Vargas Foundation (Jan. 2015) 2015 Doing Business and Investing in Peru 17

18 1. Panorama do país 1.7. Principais Industrias As principais indústrias do Peru estiveram historicamente concentradas na produção de mercadorias: agricultura, pesca, mineração e hidrocarbonetos. Entretanto, a partir de 1990, o país tem também apresentado um crescimento em suas atividades manufatureiras, particularmente no setor têxtil e na indústria de materiais de construção (estruturas metálicas, cimento, plásticos, entre outros). Além disso, o próprio sector de construção tem progressivamente se tornado importante para o PIB peruano durante a última década Mineração O setor de mineração no Peru é um dos principais impulsionadores do impressionante crescimento apresentado pelo país nos últimos anos. Gerou, em média, aproximadamente, 58% do total de exportações, 16% das receitas fiscais, e 14.4% do PIB, devido ao preço favorável dos produtos. Atualmente o Peru é o sétimo maior produtor de minérios do mundo, ficando mundialmente em terceiro na produção de cobre, zinco, estanho, e zinco. Apesar de a indústria ter registrado uma desaceleração devido aos baixos preços do mercado, as projeções para investimentos neste setor ainda ficam em torno de US$63.9 bilhões. Estes valores incluem importantes projetos como Las Bambas (MMG), Constancia (Hudbay), Expansão de Cerro Verde (Freeport), e Quellaveco (Freeport). Investimentos em Mineração (US$ milhões) 8,503 9,724 8,643 7,243 4,069 2,822 1,014 1,086 1,610 1,249 1, Fonte: MINEM Doing Business and Investing in Peru 18

19 1. Panorama do país Principais Projetos de Mineração (US$ milhões) Fase Nome do Projeto Companhia Investimento Expansão Cerro Verde Expansion Freeport 4,600 Toromocho Chinalco 3,500 La Bambas MMG 10,000 EFS Aprovado - Quellaveco Anglo American 3,300 Construcão Constancia Hudbay 1,800 Tía María Southern Peru 1,400 Apurimac Ferrum Apurimac Ferrum 3,300 Exploração Haquira Minera Antares 2,800 Cañariaco Cañariaco Cooper 1,599 Fonte: MINEM 2015 Doing Business and Investing in Peru 19

20 1. Panorama do país Manufaturas O setor manufatureiro representa 15% do total do PIB peruano. Apesar de ter sido afetado como um todo pela economia global em 2014, as previsões de crescimento do Banco Central para o setor em 2015 e 2016 (3.7% e 4.7%) levam em consideração uma recuperação em ambos, bens de consumo e bens intermediários de capital, em linha com a recuperação da economia global e o aumento na demanda externa para bens manufaturados alternativos. A indústria peruana é sólida pois é menos protegida e tornou - se mais competitiva para o benefício dos consumidores. A liberalização do comércio foi um dos benefícios para tal indústria, fazendo com que esta se reconvertesse e concentrasse em setores que possuem vantagens comparativas. Desta maneira, nos últimos 10 anos o PIB manufatureiro cresceu a taxa média de 5.9% ao ano, e exportações manufatureiras cresceram a taxa média de 17.7% ao ano, devido principalmente a acordos comerciais firmados pelo país Exportação de Produtos Têxteis (FOB US$ milhões) 1,990 2,177 1,926 1,495 1,561 Fonte: BCRP Exportação de Produtos Manufaturados de Pesca (FOB US$ milhões) 1,049 1,017 1, Fonte: BCRP Doing Business and Investing in Peru 20

21 1. Panorama do país Construção O setor da construção é uma das mais dinâmicas atividades da economia peruana. Nos últimos 10 anos, com uma taxa de crescimento anual de 11.1%, tem constantemente excedido o ritmo de crescimento do PIB total. Esse resultado é baseado no progresso de construções de novos trabalhos, projetos de investimentos, e edificações, assim como outras construções executadas pelo setor público e privado. A intenção do país em minimizar as lacunas de infraestrutura também impulsionaram o crescimento deste setor consideravelmente. Esta é uma prioridade devido à necessidade de reduzir custos de logística e aperfeiçoar a integração do país para mercados globais a fim de obter melhores condições competitivas. O Ministério de Transportes e Comunicação projetaram um total de investimentos em projetos de infraestrutura de transportes até 2017 de US$17,700 milhões (trabalhos públicos e APP), o que proporciona diversas oportunidades de investimento tanto para empreiteiras quanto para operadores. Crescimento do PIB de Construção(%) 18% 17% 17% 16% 15% 9% 7% 4% 9% Fonte: BCRP Investimentos em Infraestrutura de Transportes Programados para 2016 Infraestrutura US$ milhões Estradas 11, Ferrovias 5, Aeroportos Portos Hidroviário Total 17, Fonte: Ministry of Transports and Communication/ Proinversión 2015 Doing Business and Investing in Peru 21

22 1. Panorama do país 1.8. Potenciais áreas de crescimento Eletricidade Maior potencial energético: vasta disponibilidade de recursos hidráulicos e gás natural tornaram possível atender a demanda de eletricidade a nível nacional. Maioria da energia gerada em 2013 é proveniente de recursos hidráulicos (53%) assim como gás natural (46%). O restante (1%) é derivado de recursos renováveis. Recursos a serem explorados e descobertos: há outros recursos renováveis de energia abundantes a serem explorados, tais como solar, eólicos, biomassa e geotérmico. A produção de energia tem crescido a uma taxa média de 6.62% nos últimos 10 anos. Um Crescimento na demanda semelhante é esperado até Agro negócios Alto desempenho na agricultura: cana de açúcar (2o), aspargo, azeitona (3o), alcachofras (4o), uvas (6o), e abacate (11o). Atividades temporárias nos mais importantes mercados. Espera-se que os atuais 100,000 hectares dedicados a agricultura de exportação dupliquem-se como resultado do grande número de projetos de irrigação e expansão da agricultura. Mais de US$4,000 milhões na exportação de produtos frescos e processados vendidos para mais de 145 países. Produtos orgânicos e naturais com grande potencial para exportação Petroquímicos Em 2013, a produção de gás natural sofreu um aumento, alcançando 430,559 milhões de pés cúbicos, devido a crescente demanda por usinas de energia e aumento de consumo interno e comercial de veículos a gás natural. O Peru é a única fonte sustentável de gás natural no Pacífico Sul Americano. O Peru possui aproximadamente milhões de hectares de reserva de petróleo ainda não explorados, o que poderia tornar o país em um potencial centro petroquímico. A industria petroquímica integra o processo de upstream na produção de gás natural e outros líquidos de hidrocarbonetos, criando significante valor adicionado. Entre os principais produtos produzidos pela industria petroquímica estão, fertilizantes, plásticos e detergentes. Potenciais investimentos de US$8,650 milhões relacionados a construção de três plantas de amônio, duas de nitrato de amônio, duas plantas de ureia, e uma de etileno Doing Business and Investing in Peru 22

23 1. Panorama do país 1.9. Indicadores Econômicos Moeda Nuevo Sol (S/.) Produto Interno Bruto (PIB) 2014 US$ 271 bilhões PIB per capita 2014 US$ 6,895 PIB baseado em PPC 2014 US$ 368 bilhões PIB per capita baseado PPC 2014 US$ 11,735 Taxa de Crescimento Anual % Salário Mínimo S/. 750 (US$ 242 a taxa de cambio de S/ ) Consumo Privado (como % do PIB) % Consumo Público (como % do PIB) % Investimento Fixo Bruto (como % do PIB) % Dívida Pública (como % do PIB) % Taxa de Desemprego % População abaixo da linha de pobreza % Índice de Preços em Lima Dezembro % Reservas Internacionais Líquidas (RIN) US$ 64,107 milhões Investimento Estrangeiro Direto (IED) 2014 US$ 9.3 bilhões (previsto) Exportações 2014 US$ 39,326 milhões Importações 2014 US$ 40,807 milhões RIN/M T 0.9% RIN/dívidas curto prazo RIN/PIB % Dívida Pública Bruta / PIB % Dívida Pública Líquida / PIB % Dívida Pública Bruta / PIB T 18.5 Dívida Pública Líquida / PIB T Doing Business and Investing in Peru 23

24 2. Brasil: investindo no Peru 2015 Doing Business and Investing in Peru 24

25 2. Brasil: investindo no Peru Incentivo de investimentos gerais O Peru oferece um ambiente de negócios atrativo e favorável para investimento estrangeiro. Os padrões de tratamento de investimento estrangeiro no Peru são baseados no princípio de tratamento nacional, que é, os investidores estrangeiros possuem os mesmos direitos sobre seus investimentos que um investidor local. Não existe requerimento de autorização prévia para investimentos estrangeiros. Isto é permitido sem restrições na vasta maioria das atividades econômicas e a aquisição de ações pertencentes a investidores locais é totalmente permitida. Os investidores possuem o direito de organizar e realizar suas atividades em quaisquer das formas de negócios vislumbradas pela lei. O respeito ao investimento estrangeiro é garantido na Constituição Política e em outra legislação complementar (tratamento não discriminatório, competição livre, proteção de propriedade privada, remessa livre de royalties, dentre outros). Adicionalmente, o Peru participa do Comitê de investimento da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OECD) Promove a implementação das Diretrizes OECD para Empresas Multinacionais. Ademais, a estrutura legal para promoção de investimento fornece regimes especiais, tais como Acordo de Estabilidade legal/fiscal Doing Business and Investing in Peru 25

26 2. Brasil: investindo no Peru 2.2. Vantagens fiscais de investir no Peru do Brasil / Propriedade no Peru Acordos atuais que simplificam as transações entre o Peru e o Brasil Acordo entre Peru e Brasil para evitar a dupla tributação Acordo assinado entre o Peru e o Brasil para evitar tributação dupla no imposto de renda. Tratados entre Peru e Brasil Principais objetivos do Acordo de Complementação Econômica N.º 58: - Fixar a estrutura legal e institucional de forma a facilitar o livre movimento de produtos e serviços de exportação. - Criar uma área de comércio livre. - Promover investimento direto estrangeiro entre agentes econômicos do Peru e do Mercado Comum do Sul (MERCOSUR). - Promover cooperação econômica e complementar, comércio, energia, ciência e tecnologia. ACE N 58: Isenção dos direitos aduaneiros Mercosur: Tratamento migratório favorável Para residentes dos países membros do Mercosur: - Residência temporária por 2 anos. Pode se tornar permanente se requerido. - Processo migratório mais rápido: menos requerimentos de documentação e legalização. - Reportar às autoridades migratórias uma vez que a residência temporária expire não é requerido Doing Business and Investing in Peru 26

CONHECENDO O CHILE ATRAVÉS DE SEU SETOR SERVIÇOS. www.prochile.gob.cl

CONHECENDO O CHILE ATRAVÉS DE SEU SETOR SERVIÇOS. www.prochile.gob.cl CONHECENDO O CHILE ATRAVÉS DE SEU SETOR SERVIÇOS www.prochile.gob.cl O Chile surpreende pela sua variada geografia. Suas montanhas, vales, desertos, florestas e milhares de quilômetros de costa, o beneficiam

Leia mais

BRASIL Comércio Exterior

BRASIL Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC BRASIL Comércio Exterior Novembro de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

CONHECENDO O CHILE ATRAVÉS DE SEU SETOR INDÚSTRIAS. www.prochile.gob.cl

CONHECENDO O CHILE ATRAVÉS DE SEU SETOR INDÚSTRIAS. www.prochile.gob.cl CONHECENDO O CHILE ATRAVÉS DE SEU SETOR INDÚSTRIAS www.prochile.gob.cl O Chile surpreende pela sua variada geografia. Suas montanhas, vales, desertos, florestas e milhares de quilômetros de costa, o beneficiam

Leia mais

Aspectos recentes do Comércio Exterior Brasileiro

Aspectos recentes do Comércio Exterior Brasileiro Aspectos recentes do Comércio Exterior Brasileiro Análise Economia e Comércio / Integração Regional Jéssica Naime 09 de setembro de 2005 Aspectos recentes do Comércio Exterior Brasileiro Análise Economia

Leia mais

Oportunidades de Mercado na Visão do Serviço Florestal Brasileiro

Oportunidades de Mercado na Visão do Serviço Florestal Brasileiro Oportunidades de Mercado na Visão do Serviço Florestal Brasileiro - 2º Congresso Florestal do Tocantins - André Luiz Campos de Andrade, Me. Gerente Executivo de Economia e Mercados do Serviço Florestal

Leia mais

América Latina. Diferentes oportunidades

América Latina. Diferentes oportunidades América Latina Diferentes oportunidades Casa da América Latina Missão: estreitar relações culturais, cientificas e económicas entre AL e Portugal e vice-versa. Fundada em 1998, como uma divisão da Câmara

Leia mais

Perspectivas da Economia Brasileira

Perspectivas da Economia Brasileira Perspectivas da Economia Brasileira CÂMARA DOS DEPUTADOS Ministro Guido Mantega Comissão de Fiscalização Financeira e Controle Comissão de Finanças e Tributação Brasília, 14 de maio de 2014 1 Economia

Leia mais

Negócios Internacionais

Negócios Internacionais Negócios Internacionais Capítulo 3.3 Integração da Economia Regional e Acordos Cooperativos International Business 10e Daniels/Radebaugh/Sullivan 2004 Prentice Hall, Inc Objectivos do Capítulo Definir

Leia mais

Apimec Florianópolis. Dezembro 2013

Apimec Florianópolis. Dezembro 2013 Apimec Florianópolis Dezembro 2013 Exoneração de Responsabilidades Esta apresentação não constitui uma oferta, convite ou pedido de qualquer forma, para a subscrição ou compra de ações ou qualquer outro

Leia mais

Resumo dos resultados da enquete CNI

Resumo dos resultados da enquete CNI Resumo dos resultados da enquete CNI Brasil - México: Interesse empresarial para ampliação do acordo bilateral Março 2015 Amostra da pesquisa No total foram recebidos 45 questionários de associações sendo

Leia mais

Desafios do Brasil contemporâneo Infraestrutura, produtividade, reformas e pacto federativo

Desafios do Brasil contemporâneo Infraestrutura, produtividade, reformas e pacto federativo Desafios do Brasil contemporâneo Infraestrutura, produtividade, reformas e pacto federativo A grande janela de oportunidades (O Brasil decola) A grande janela de oportunidades Linha do tempo das conquistas

Leia mais

Mercado em Foco: Chile

Mercado em Foco: Chile Mercado em Foco: Chile EXPOMIN, 2014 Breve estudo com informações sobre as perspectivas de negócios da economia do Chile. Apresentamos também uma análise do comércio exterior de máquinas e equipamentos

Leia mais

Brasil e América do Sul

Brasil e América do Sul Brasil e América do Sul Brasil Linha do equador Tropico de Capricórnio O Brasil é o quinto país mais extenso e populoso do mundo. É a sétima maior economia mundial. É um país capitalista à apresenta propriedade

Leia mais

Empresas aéreas continuam a melhorar a rentabilidade Margem de lucro líquida de 5,1% para 2016

Empresas aéreas continuam a melhorar a rentabilidade Margem de lucro líquida de 5,1% para 2016 COMUNICADO No: 58 Empresas aéreas continuam a melhorar a rentabilidade Margem de lucro líquida de 5,1% para 2016 10 de dezembro de 2015 (Genebra) - A International Air Transport Association (IATA) anunciou

Leia mais

ROSÁRIO MARQUES Internacionalizar para a Colômbia Encontro Empresarial GUIMARÃES 19/09/2014

ROSÁRIO MARQUES Internacionalizar para a Colômbia Encontro Empresarial GUIMARÃES 19/09/2014 ROSÁRIO MARQUES Internacionalizar para a Colômbia Encontro Empresarial GUIMARÃES 19/09/2014 REPÚBLICA DA COLÔMBIA POPULAÇÃO 48 Milhões SUPERFÍCIE 1.141.748 Km2 CAPITAL Bogotá 7,3 milhões PRINCIPAIS CIDADES

Leia mais

ARGENTINA Comércio Exterior

ARGENTINA Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC ARGENTINA Comércio Exterior Agosto de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

Encontro de Bancos Centrais de países de língua portuguesa

Encontro de Bancos Centrais de países de língua portuguesa Encontro de Bancos Centrais de países de língua portuguesa Antônio Gustavo Matos do Vale Diretor de Liquidações e Desestatização 4 de outubro de 2010 1 Evolução recente da economia brasileira O momento

Leia mais

O Desafio do Aumento da Produtividade na Indústria para Conquistar um Mercado Global

O Desafio do Aumento da Produtividade na Indústria para Conquistar um Mercado Global O Desafio do Aumento da Produtividade na Indústria para Conquistar um Mercado Global Jorge A r bache U n i v e r s i d a d e d e B r a s í l i a S E M P E X 2 0 1 4 M a c e i ó, 2 2 / 5 / 2 0 1 4 0,45

Leia mais

Investindo em um gigante em expansão

Investindo em um gigante em expansão Investindo em um gigante em expansão Revolução econômica transforma a China no grande motor do crescimento mundial Marienne Shiota Coutinho, sócia da KPMG no Brasil na área de International Corporate Tax

Leia mais

PAÍSES BAIXOS Comércio Exterior

PAÍSES BAIXOS Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC PAÍSES BAIXOS Comércio Exterior Outubro de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

PERÚ Indicadores e Informação relevantes

PERÚ Indicadores e Informação relevantes Road Show dos Embaixadores às Regiões PERÚ Indicadores e Informação relevantes 1 PERÚ 2 1. Indicadores relevantes População: 30 milhões Produto Interno Bruto 2012 (PIB): US$ 196,000 milhões PIB per capita

Leia mais

Brasil Transacções Comerciais & Financeiras

Brasil Transacções Comerciais & Financeiras Pq do Ibirapuera, São Paulo/ SP Brasil Transacções Comerciais & Financeiras Banco Caixa Geral Brasil S.A. /Grupo Caixa Geral de Depósitos Out/2009 A Economia Brasileira 2 A Economia Brasileira SEDE BCG-Brasil:

Leia mais

Resumo Aula-tema 05: Análise Comparativa do Desenvolvimento Econômico da Índia e da China

Resumo Aula-tema 05: Análise Comparativa do Desenvolvimento Econômico da Índia e da China Resumo Aula-tema 05: Análise Comparativa do Desenvolvimento Econômico da Índia e da China Esta aula tratará da análise comparativa do processo de desenvolvimento da China e da Índia, países que se tornaram

Leia mais

Chile um sócio a longo prazo. Pedro Asenjo Comitê de Investimentos Estrangeiros

Chile um sócio a longo prazo. Pedro Asenjo Comitê de Investimentos Estrangeiros Chile um sócio a longo prazo Pedro Asenjo Comitê de Investimentos Estrangeiros Um sócio a longo prazo Nova política de atração de IED Temas Um ambiente de negócios maduro País de oportunidades Investimento

Leia mais

A importância dos Bancos de Desenvolvimento

A importância dos Bancos de Desenvolvimento MISSÃO PERMANENTE DA REPÚBLICA DE ANGOLA JUNTO AO OFÍCIO DAS NAÇÕES UNIDAS REPRESENTAÇÃO COMERCIAL GENEBRA - SUÍÇA NOTA DE TRABALHO A importância dos Bancos de Desenvolvimento G E NEBRA A OS 5 DE Segundo

Leia mais

27/09/2011. Integração Econômica da América do Sul: Perspectiva Empresarial

27/09/2011. Integração Econômica da América do Sul: Perspectiva Empresarial 27/09/2011 Integração Econômica da América do Sul: Perspectiva Empresarial Estrutura da apresentação Perspectiva empresarial Doing Business 2011 Investimentos Estrangeiros e Comércio Exterior Complementaridade

Leia mais

COMPETITIVIDADE NO SETOR FLORESTAL

COMPETITIVIDADE NO SETOR FLORESTAL COMPETITIVIDADE NO SETOR FLORESTAL 15/03/2012 Joésio D. P. Siqueira Vice-Presidente STCP 1/29 A STCP Conquistas recentes Clientes de 38 países das Américas, África, Europa, Ásia e Oceania 17 escritórios

Leia mais

2005 Corretora em Nova York. Diversificação do portfólio. 2007 Expansão em Investment Bank, Consignado e Cartões. Estrutura acionária 3

2005 Corretora em Nova York. Diversificação do portfólio. 2007 Expansão em Investment Bank, Consignado e Cartões. Estrutura acionária 3 VISÃO GERAL - 2T5 Histórico 99 Início das operações como banco múltiplo 2002 Agência em Nassau 2005 Corretora em Nova York 2009 Início da parceria estratégica com o Banco do Brasil 205 BV Promotora (Consignado

Leia mais

Parte A: Documentação e Legislação Básicas da Gestão Fiscal

Parte A: Documentação e Legislação Básicas da Gestão Fiscal QUESTIONÁRIO PARA AS AUTORIDADES NACIONAIS TRANSPARÊNCIA NA GESTÃO DAS RECEITA DOS RECURSOS NATURAIS O objetivo deste questionário é colher informações sobre a gestão dos recursos naturais, com ênfase

Leia mais

BRASIL Perspectivas para o Comércio Exterior

BRASIL Perspectivas para o Comércio Exterior BRASIL Perspectivas para o Comércio Exterior Welber Barral Junho 2012 Brasil: Acordos Internacionais Multilateral Agreements World Trade Organization Agreements. Regional and Bilateral Agreements MERCOSUR

Leia mais

Organizações internacionais Regionais

Organizações internacionais Regionais Organizações internacionais Regionais Percurso 4 Geografia 9ºANO Profª Bruna Andrade e Elaine Camargo Os países fazem uniões a partir de interesses comuns. Esses interesses devem trazer benefícios aos

Leia mais

ÁREA DE MILHO CRESCEU 4,9% NA SAFRA 2012/2013, A MAIOR DESDE 1937, INDICANDO QUE O PAÍS COLHERIA UMA SAFRA RECORDE ESTE ANO

ÁREA DE MILHO CRESCEU 4,9% NA SAFRA 2012/2013, A MAIOR DESDE 1937, INDICANDO QUE O PAÍS COLHERIA UMA SAFRA RECORDE ESTE ANO GRÃOS: SOJA, MILHO, TRIGO e ARROZ TENDÊNCIAS DOS MERCADOS PARA 2012/2013 NO BRASIL E NO MUNDO Carlos Cogo Setembro/2012 PRODUÇÃO MUNDIAL DEVE RECUAR 4,1% NA SAFRA 2012/2013 ESTOQUES FINAIS MUNDIAIS DEVEM

Leia mais

Missão Empresarial EUA Flórida. 21 a 26 de Março 2015

Missão Empresarial EUA Flórida. 21 a 26 de Março 2015 Missão Empresarial EUA Flórida 21 a 26 de Março 2015 Apoiamos empresas a ter sucesso nos mercados internacionais Sobre nós Na Market Access prestamos serviços de apoio à exportação e internacionalização.

Leia mais

Cada grupo irá explorar os blocos econômicos que serão definidos em sala de aula.

Cada grupo irá explorar os blocos econômicos que serão definidos em sala de aula. Trabalho 01 dividido em 2 partes 1ª Parte Cada grupo irá explorar os blocos econômicos que serão definidos em sala de aula. 2ª Parte Perguntas que serão expostas após a apresentação da 1ª Parte, e que

Leia mais

América Latina: quadro natural e exploração dos recursos naturais

América Latina: quadro natural e exploração dos recursos naturais Yiannos1/ Dreamstime.com América Latina: quadro natural e exploração dos recursos naturais Imagem de satélite do continente americano. Allmaps Allmaps Divisão Política (por localização) América do Norte

Leia mais

ANEXO I QUADRO COMPARATIVO DOS GOVERNOS LULA E fhc

ANEXO I QUADRO COMPARATIVO DOS GOVERNOS LULA E fhc ANEXO I QUADRO COMPARATIVO DOS GOVERNOS LULA E fhc Mercadante_ANEXOS.indd 225 10/4/2006 12:00:02 Mercadante_ANEXOS.indd 226 10/4/2006 12:00:02 QUADRO COMPARATIVO POLÍTICA EXTERNA Fortalecimento e expansão

Leia mais

PROPOSTAS DA INDÚSTRIA PARA AS ELEIÇÕES 2014

PROPOSTAS DA INDÚSTRIA PARA AS ELEIÇÕES 2014 PROPOSTAS DA INDÚSTRIA PARA AS ELEIÇÕES 2014 Propostas para os candidatos Desde as eleições de 1994, a CNI apresenta à sociedade e aos candidatos sugestões para melhorar o desempenho da economia. Propostas

Leia mais

Agenda para Aumento da Competitividade Internacional CNI - FIESP Ministro Guido Mantega

Agenda para Aumento da Competitividade Internacional CNI - FIESP Ministro Guido Mantega Agenda para Aumento da Competitividade Internacional CNI - FIESP Ministro Guido Mantega Brasília, 29 de setembro de 2014 1 A Crise mundial reduziu os mercados Baixo crescimento do comércio mundial, principalmente

Leia mais

COREIA DO NORTE Comércio Exterior

COREIA DO NORTE Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC COREIA DO NORTE Comércio Exterior Dezembro de 2014 Índice. Dados

Leia mais

Blocos Econômicos. MERCOSUL e ALCA. Charles Achcar Chelala

Blocos Econômicos. MERCOSUL e ALCA. Charles Achcar Chelala Blocos Econômicos MERCOSUL e ALCA Charles Achcar Chelala Blocos Econômicos Tendência recente, com origens na década de 50, com a CEE Comunidade Econômica Européia Em 2007 fez 50 anos Objetivos Fortalecer

Leia mais

Investimentos Florestais: A Alternativa Natural

Investimentos Florestais: A Alternativa Natural Investimentos Florestais: A Alternativa Natural Investimentos Florestais: A Alternativa Natural Atualmente, o mercado financeiro é caracterizado por altos níveis de volatilidade e incerteza- o que não

Leia mais

GRUPO DE ECONOMIA / FUNDAP

GRUPO DE ECONOMIA / FUNDAP O mercado de câmbio brasileiro, no primeiro bimestre de 2014 Grupo de Economia / Fundap O ano de 2014 começou com um clima bem agitado nos mercados financeiros internacionais, com o anúncio feito pelo

Leia mais

NOTA SOBRE O COMÉRCIO EXTERIOR NA AMÉRICA DO SUL

NOTA SOBRE O COMÉRCIO EXTERIOR NA AMÉRICA DO SUL fevereiro 2010 NOTA SOBRE O COMÉRCIO EXTERIOR NA AMÉRICA DO SUL Paulo Roberto Delgado * Gracia Maria Viecelli Besen* Na presente década, verificou-se forte expansão do comércio externo nos países da América

Leia mais

Ambiente de Negócios e Reformas Institucionais no Brasil

Ambiente de Negócios e Reformas Institucionais no Brasil Ambiente de Negócios e Reformas Institucionais no Brasil Fernando Veloso IBRE/FGV Book Launch of Surmounting the Middle Income Trap: The Main Issues for Brazil (IBRE/FGV e ILAS/CASS) Beijing, 6 de Maio

Leia mais

Estudo dos países da América Latina e América Central

Estudo dos países da América Latina e América Central Empresa têxtil E M P R E S A T Ê X T I L Estudo dos países da América Latina e América Central Produtos considerados: 6003.33.00/6006.31.00/6006.21.00/6006.22.00/6006.23.00/6006.42.00 1. Exportações brasileiras

Leia mais

EXERCÍCIOS DE REVISÃO PARA A PROVA DE RECUPERAÇÃO - SIMULADO OBS: GABARITO NO FINAL DOS EXERCÍCIOS. QUALQUER DÚVIDA DEIXAR MENSAGEM NO FACEBOOK

EXERCÍCIOS DE REVISÃO PARA A PROVA DE RECUPERAÇÃO - SIMULADO OBS: GABARITO NO FINAL DOS EXERCÍCIOS. QUALQUER DÚVIDA DEIXAR MENSAGEM NO FACEBOOK EXERCÍCIOS DE REVISÃO PARA A PROVA DE RECUPERAÇÃO - SIMULADO OBS: GABARITO NO FINAL DOS EXERCÍCIOS. QUALQUER DÚVIDA DEIXAR MENSAGEM NO FACEBOOK 1. A vegetação varia de local para local baseada, sobretudo,

Leia mais

de Investimento em Angola e Cabo Verde

de Investimento em Angola e Cabo Verde Conferência Client Perspectivas name appearse Oportunidades here de Investimento em Angola e Cabo Verde PwC Conferência Estruturas de Investimento: Cabo Verde Leendert Verschoor Agenda Introdução 1 Ficha

Leia mais

Metodologia. Pesquisa Quantitativa Coleta de dados: Público Alvo: Amostra: 500 entrevistas realizadas. Campo: 16 a 29 de Setembro de 2010

Metodologia. Pesquisa Quantitativa Coleta de dados: Público Alvo: Amostra: 500 entrevistas realizadas. Campo: 16 a 29 de Setembro de 2010 Metodologia Pesquisa Quantitativa Coleta de dados: Através de e-survey - via web Público Alvo: Executivos de empresas associadas e não associadas à AMCHAM Amostra: 500 entrevistas realizadas Campo: 16

Leia mais

Raízen Combustíveis S.A.

Raízen Combustíveis S.A. Balanço patrimonial consolidado e condensado (Em milhares de reais, exceto quando indicado de outra forma) Ativo 30.06.2014 31.03.2014 Passivo 30.06.2014 31.03.2014 Circulante Circulante Caixa e equivalentes

Leia mais

Políticas Públicas. Lélio de Lima Prado

Políticas Públicas. Lélio de Lima Prado Políticas Públicas Lélio de Lima Prado Política Cambial dez/03 abr/04 ago/04 dez/04 abr/05 ago/05 Evolução das Reservas internacionais (Em US$ bilhões) dez/05 abr/06 ago/06 dez/06 abr/07 ago/07 dez/07

Leia mais

Soluções Integradas em Petróleo, Gás e Energia BRASIL

Soluções Integradas em Petróleo, Gás e Energia BRASIL BRASIL O Brasil possui uma economia sólida, construída nos últimos anos, após a crise de confiança que o país sofreu em 2002, a inflação é controlada, as exportações sobem e a economia cresce em ritmo

Leia mais

POLÓNIA Relações bilaterais Polónia - Portugal

POLÓNIA Relações bilaterais Polónia - Portugal POLÓNIA Relações bilaterais Polónia - Portugal Visita da missão de PPP do Ministério da Economia da Polónia a Portugal Bogdan Zagrobelny Primeiro Conselheiro EMBAIXADA DA POLÓNIA DEPARTAMENTO DE PROMOÇÃO

Leia mais

Geografia/Profª Carol

Geografia/Profª Carol Geografia/Profª Carol Recebe essa denominação porque parte dos territórios dos países platinos que constituem a região é banhada por rios que compõem a bacia hidrográfica do Rio da Prata. Países: Paraguai,

Leia mais

RELATÓRIO DA BALANÇA DE PAGAMENTOS E DA POSIÇÃO DE INVESTIMENTO INTERNACIONAL, 2011

RELATÓRIO DA BALANÇA DE PAGAMENTOS E DA POSIÇÃO DE INVESTIMENTO INTERNACIONAL, 2011 RELATÓRIO DA BALANÇA DE PAGAMENTOS E DA POSIÇÃO DE INVESTIMENTO INTERNACIONAL, 2011 I. BALANÇA DE PAGAMENTOS A estatística da Balança de Pagamentos regista as transacções económicas ocorridas, durante

Leia mais

Petrobras aprova Plano de Negócios 2010-2014

Petrobras aprova Plano de Negócios 2010-2014 1 Petrobras aprova Plano de Negócios 2010-2014 O Conselho de Administração aprovou o Plano de Negócios 2010-2014, com investimentos totais de US$ 224 bilhões, representando a média de US$ 44,8 bilhões

Leia mais

PORTUGAL - INDICADORES ECONÓMICOS. Evolução 2005-2011 Actualizado em Setembro de 2011. Unid. Fonte 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 Notas 2011

PORTUGAL - INDICADORES ECONÓMICOS. Evolução 2005-2011 Actualizado em Setembro de 2011. Unid. Fonte 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 Notas 2011 Evolução 2005-2011 Actualizado em Setembro de 2011 Unid. Fonte 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 Notas 2011 População a Milhares Hab. INE 10.563 10.586 10.604 10.623 10.638 10.636 10.643 2º Trimestre

Leia mais

Antonio Vieira Monteiro Chefe do País, Portugal

Antonio Vieira Monteiro Chefe do País, Portugal Antonio Vieira Monteiro Chefe do País, Portugal O Banco Santander Totta, S.A. ("Santander Totta") e o Banco Santander, S.A. ( Santander ) advertem que esta apresentação contém declarações sobre o futuro.

Leia mais

Perspectivas para a Inflação

Perspectivas para a Inflação Perspectivas para a Inflação Carlos Hamilton Araújo Setembro de 213 Índice I. Introdução II. Ambiente Internacional III. Condições Financeiras IV. Atividade V. Evolução da Inflação 2 I. Introdução 3 Missão

Leia mais

Comércio (Países Centrais e Periféricos)

Comércio (Países Centrais e Periféricos) Comércio (Países Centrais e Periféricos) Considera-se a atividade comercial, uma atividade de alto grau de importância para o desenvolver de uma nação, isso se dá pela desigualdade entre o nível de desenvolvimento

Leia mais

Imagem Corporativa Marta Telles marta.telles@imagemcorporativa.com.br Tel: (11) 3526-4508. Márcia Avruch marcia.avruch@br.pwc.com Tel.

Imagem Corporativa Marta Telles marta.telles@imagemcorporativa.com.br Tel: (11) 3526-4508. Márcia Avruch marcia.avruch@br.pwc.com Tel. Press Release Date 1º de outubro de 2013 Contato Imagem Corporativa Marta Telles marta.telles@imagemcorporativa.com.br Tel: (11) 3526-4508 Márcia Avruch marcia.avruch@br.pwc.com Tel. (11) 3674-3760 Pages

Leia mais

PANORAMA ENERGÉTICO INTERNACIONAL

PANORAMA ENERGÉTICO INTERNACIONAL SENADO FEDERAL COMISSÃO DE RELAÇÕES EXTERIORES E DEFESA NACIONAL AGENDA RUMOS DA POLÍTICA EXTERNA BRASILEIRA 2011-2012 PANORAMA ENERGÉTICO INTERNACIONAL Prof. Dr. Rex Nazaré Alves 19 de setembro de 2011

Leia mais

SUMÁRIO EXECUTIVO INTRODUÇÃO SETOR EXTERNO. O Cenário Internacional

SUMÁRIO EXECUTIVO INTRODUÇÃO SETOR EXTERNO. O Cenário Internacional SUMÁRIO EXECUTIVO INTRODUÇÃO Durante 2004, o PIB da América Latina e do Caribe deverá crescer em torno de 4,5%, o que significa um aumento de 3,0% do produto per capita. A recuperação das economias da

Leia mais

Palestra: Macroeconomia e Cenários. Prof. Antônio Lanzana 2012

Palestra: Macroeconomia e Cenários. Prof. Antônio Lanzana 2012 Palestra: Macroeconomia e Cenários Prof. Antônio Lanzana 2012 ECONOMIA MUNDIAL E BRASILEIRA SITUAÇÃO ATUAL E CENÁRIOS SUMÁRIO I. Cenário Econômico Mundial II. Cenário Econômico Brasileiro III. Potencial

Leia mais

Derivativos Oportunidades e Alternativas de Proteção. 17 de setembro de 2008

Derivativos Oportunidades e Alternativas de Proteção. 17 de setembro de 2008 Derivativos Oportunidades e Alternativas de Proteção 17 de setembro de 2008 Presença Global do Unibanco O Unibanco é um dos maiores conglomerados financeiros do Brasil, presente nos principais centros

Leia mais

BRASIL. Francisca Peixoto

BRASIL. Francisca Peixoto BRASIL Francisca Peixoto INTRODUÇÃO BRASIL Um dos principais fornecedores de alimentos e matériasprimas do mundo Dotação única em recursos naturais Política agropecuária alinhada com estratégia nacional

Leia mais

HAITI Comércio Exterior

HAITI Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC HAITI Comércio Exterior Outubro de 2015 Tabela 1 Principais Indicadores

Leia mais

Kevin Anselmo (Duke) +1-919-660-7722 kevin.anselmo@duke.edu. CFOs: Queda no Otimismo Preocupação com Câmbio e Política Econômica

Kevin Anselmo (Duke) +1-919-660-7722 kevin.anselmo@duke.edu. CFOs: Queda no Otimismo Preocupação com Câmbio e Política Econômica CFO Panorama Global dos Negócios Queda acentuada do otimismo no Brasil, preocupação com câmbio e alta da taxa de juros estão entre os principais resultados da pesquisa. -------------------------------------------

Leia mais

Sistema Financeiro e os Fundamentos para o Crescimento

Sistema Financeiro e os Fundamentos para o Crescimento Sistema Financeiro e os Fundamentos para o Crescimento Henrique de Campos Meirelles Novembro de 20 1 Fundamentos macroeconômicos sólidos e medidas anti-crise 2 % a.a. Inflação na meta 8 6 metas cumpridas

Leia mais

Anuário Estatístico de Turismo - 2013

Anuário Estatístico de Turismo - 2013 Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2013 Volume 40 Ano base 2012 Guia de leitura Guia de leitura O Guia de Leitura tem o propósito de orientar

Leia mais

Anuário Estatístico de Turismo - 2012

Anuário Estatístico de Turismo - 2012 Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2012 Volume 39 Ano base 2011 Sumário I Turismo receptivo 1. Chegadas de turistas ao Brasil - 2010-2011

Leia mais

FIT FOR A NEW ERA ECONOMIA DAS LÍNGUAS PORTUGUESA E ESPANHOLA LÍNGUA, COMÉRCIO EXTERNO E INVESTIMENTO ESTRANGEIRO PERSPECTIVAS EMPRESARIAIS

FIT FOR A NEW ERA ECONOMIA DAS LÍNGUAS PORTUGUESA E ESPANHOLA LÍNGUA, COMÉRCIO EXTERNO E INVESTIMENTO ESTRANGEIRO PERSPECTIVAS EMPRESARIAIS LÍNGUA, COMÉRCIO EXTERNO E Paternoster Square Londres ECONOMIA DAS LÍNGUAS PORTUGUESA E ESPANHOLA INVESTIMENTO ESTRANGEIRO PERSPECTIVAS EMPRESARIAIS Francisco Cary 19 de Maio de 2011 O Mercado dos Países

Leia mais

CAZAQUISTÃO Comércio Exterior

CAZAQUISTÃO Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC CAZAQUISTÃO Comércio Exterior Agosto de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

Sede Nacional Sede N a N ci c o i nal l - SP

Sede Nacional Sede N a N ci c o i nal l - SP Brasil: Potência ou Colônia? Uma reflexão necessária... Sede Nacional Sede Nacional -SP Fundação: 1937- origem em um sindicato têxtil; Possui 1.500 empresas associadas e representa 4,5 mil empresas; O

Leia mais

Mercados Energéticos: Los Desafíos del Nuevo Milenio. Extensión NEA

Mercados Energéticos: Los Desafíos del Nuevo Milenio. Extensión NEA Mercados Energéticos: Los Desafíos del Nuevo Milenio. Extensión NEA INTEGRAÇÃO ENERGÉTICA NA AMÉRICA LATINA Norberto Medeiros dxcb-cme,brasil Agosto / 2002 Para discutir os recursos energéticos e a integração

Leia mais

Aliança do Pacífico: integração e crescimento

Aliança do Pacífico: integração e crescimento Aliança do Pacífico: integração e crescimento Juan Ruiz BBVA Research Economista chefe para América do Sul Ciclo de Conferências DE / BBVA - Alianza del Pacífico Lisboa, 1 de Outubro de 213 Índice 1 Um

Leia mais

A Redução do Fluxo de Investimento Estrangeiro Direto e as Implicações para o Brasil

A Redução do Fluxo de Investimento Estrangeiro Direto e as Implicações para o Brasil A Redução do Fluxo de Investimento Estrangeiro Direto e as Implicações para o Brasil Análise Economia e Comércio Bernardo Erhardt de Andrade Guaracy 30 de outubro de 2003 A Redução do Fluxo de Investimento

Leia mais

INSS Diretoria de Benefícios

INSS Diretoria de Benefícios IV CONFERÊNCIA BRASILEIROS NO MUNDO INSS Diretoria de Benefícios Praia do Forte, 20 de novembro de 2013 ACORDOS INTERNACIONAIS Globalização Principais objetivos ou finalidades dos Acordos Internacionais

Leia mais

MB ASSOCIADOS CENÁRIO MACROECONÔMICO BRASILEIRO. Sergio Vale Economista-chefe

MB ASSOCIADOS CENÁRIO MACROECONÔMICO BRASILEIRO. Sergio Vale Economista-chefe MB ASSOCIADOS CENÁRIO MACROECONÔMICO BRASILEIRO Sergio Vale Economista-chefe I. Economia Internacional II. Economia Brasileira Comparação entre a Grande Depressão de 30 e a Grande Recessão de 08/09 Produção

Leia mais

INDICADORES FINANCEIROS

INDICADORES FINANCEIROS Relatório 2014 Um Olhar para o Futuro DESEMPENHO ECONÔMICO ECONÔMICA www.fibria.com.br/r2014/desempenho-economico/ 126 INDICADORES FINANCEIROS A Fibria encerrou 2014 com lucro líquido de R$ 163 milhões,

Leia mais

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Março 2013

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Março 2013 Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Março 2013 As exportações em março apresentaram aumento de +27,85% em relação a fevereiro. O valor exportado superou novamente a marca de US$ 1 bilhão, atingindo

Leia mais

Perspectivas da Economia Brasileira

Perspectivas da Economia Brasileira Perspectivas da Economia Brasileira Márcio Holland Secretário de Política Econômica Ministério da Fazenda Caxias do Sul, RG 03 de dezembro de 2012 1 O Cenário Internacional Economias avançadas: baixo crescimento

Leia mais

Pós-Venda Internacional. Programa Brazil Machinery Solutions Setembro de 2013

Pós-Venda Internacional. Programa Brazil Machinery Solutions Setembro de 2013 Pós-Venda Internacional Programa Brazil Machinery Solutions Setembro de 2013 POR QUE COLÔMBIA? Por que Colômbia? A Colômbia é um dos países mais promissores da América do Sul na atualidade. Com uma perspectiva

Leia mais

Perspectivas da economia em 2012 e medidas do Governo Guido Mantega Ministro da Fazenda

Perspectivas da economia em 2012 e medidas do Governo Guido Mantega Ministro da Fazenda Perspectivas da economia em 2012 e medidas do Governo Guido Mantega Ministro da Fazenda Comissão de Assuntos Econômicos do Senado Federal Brasília, 22 de maio de 2012 1 A situação da economia internacional

Leia mais

Administração Financeira: princípios, fundamentos e práticas brasileiras

Administração Financeira: princípios, fundamentos e práticas brasileiras Administração Financeira: princípios, fundamentos e práticas brasileiras Prof. Onivaldo Izidoro Pereira Finanças Corporativas Ambiente Econômico Em suas atividades uma empresa relacionase com: Clientes

Leia mais

REINO UNIDO Comércio Exterior

REINO UNIDO Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC REINO UNIDO Comércio Exterior Setembro de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

Aula 01. Balanço de Pagamentos

Aula 01. Balanço de Pagamentos 1. Conceito Aula 01 Balanço de Pagamentos O Balanço de Pagamentos (BP) é um registro sistemático das transações comerciais e financeiras de um país com Exterior, entre residentes e não residentes de um

Leia mais

Perspectiva de crescimento para América Latina Paulo Funchal

Perspectiva de crescimento para América Latina Paulo Funchal Perspectiva de crescimento para América Latina Paulo Funchal Foco na América Latina Grant Thornton International Business Report (IBR) Grant Thornton Global Dynamism Index (GDI) The Economist Intelligence

Leia mais

Apresentação para Investidores. Novembro de 2014

Apresentação para Investidores. Novembro de 2014 Apresentação para Investidores Novembro de 2014 1 Agenda Diferenciais Gerdau Estratégia Destaques Operacionais e Financeiros Perspectivas Diferenciais Gerdau Mais de 110 anos de atuação no mercado do aço

Leia mais

ISSN 1517-6576 CGC 00 038 166/0001-05 Relatório de Inflação Brasília v 3 n 3 set 2001 P 1-190 Relatório de Inflação Publicação trimestral do Comitê de Política Monetária (Copom), em conformidade com o

Leia mais

PANORAMA DA ECONOMIA RUSSA

PANORAMA DA ECONOMIA RUSSA PANORAMA DA ECONOMIA RUSSA A Federação da Rússia é o maior país do mundo, com 17 milhões de km2. O censo de 2001 revelou uma população de 142,9 milhões de habitantes, 74% dos quais vivendo nos centros

Leia mais

O indicador do clima econômico piorou na América Latina e o Brasil registrou o indicador mais baixo desde janeiro de 1999

O indicador do clima econômico piorou na América Latina e o Brasil registrou o indicador mais baixo desde janeiro de 1999 14 de maio de 2014 Indicador IFO/FGV de Clima Econômico da América Latina¹ O indicador do clima econômico piorou na América Latina e o Brasil registrou o indicador mais baixo desde janeiro de 1999 O indicador

Leia mais

Análise CEPLAN Clique para editar o estilo do título mestre. Recife, 17 de agosto de 2011.

Análise CEPLAN Clique para editar o estilo do título mestre. Recife, 17 de agosto de 2011. Análise CEPLAN Recife, 17 de agosto de 2011. Temas que serão discutidos na VI Análise Ceplan A economia em 2011: Mundo; Brasil; Nordeste, com destaque para Pernambuco; Informe sobre mão de obra qualificada.

Leia mais

Relatório Mensal. Janeiro de 2015. Cenário Internacional:

Relatório Mensal. Janeiro de 2015. Cenário Internacional: Relatório Mensal Janeiro de 2015 Cenário Internacional: EUA O diagnóstico dos membros do Federal Open Market Comittee (Fomc) sobre a atividade econômica é positivo: os EUA estão crescendo mais que a previsão,

Leia mais

MERCADO ECONÓMICO EM ANGOLA PERSPECTIVA DE EVOLUÇÃO

MERCADO ECONÓMICO EM ANGOLA PERSPECTIVA DE EVOLUÇÃO MERCADO ECONÓMICO EM ANGOLA PERSPECTIVA DE EVOLUÇÃO Mercado Economico em Angola - 2015 Caracterização Geográfica de Angola Caracterização da economia Angolana Medidas para mitigar o efeito da redução do

Leia mais

O BRASIL E O MUNDO. Mailson da Nóbrega. Ciclo de Grandes Conferências 2010. Fundação Calouste Gulbenkian. Lisboa, 6 de setembro de 2010

O BRASIL E O MUNDO. Mailson da Nóbrega. Ciclo de Grandes Conferências 2010. Fundação Calouste Gulbenkian. Lisboa, 6 de setembro de 2010 O BRASIL E O MUNDO Mailson da Nóbrega Ciclo de Grandes Conferências 2010 Fundação Calouste Gulbenkian Lisboa, 6 de setembro de 2010 Avanços institucionais: um novo Brasil Democracia consolidada Judiciário

Leia mais

VALOR E PARTICIPAÇÃO DAS EXPORTAÇÕES, POR FATOR AGREGADO E PAÍS DE DESTINO

VALOR E PARTICIPAÇÃO DAS EXPORTAÇÕES, POR FATOR AGREGADO E PAÍS DE DESTINO VALOR E PARTICIPAÇÃO DAS EXPORTAÇÕES, POR FATOR AGREGADO E PAÍS DE DESTINO 1 - CHINA 2 - ESTADOS UNIDOS 2014 34.292 84,4 4.668 11,5 1.625 4,0 6.370 23,6 5.361 19,8 13.667 50,6 2013 38.973 84,7 5.458 11,9

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Julho 2012 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS GRADUADOS

Leia mais