INTEGRAÇÃO DAS CÂMARAS DA BM&FBOVESPA Apresentação para mercado

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "INTEGRAÇÃO DAS CÂMARAS DA BM&FBOVESPA Apresentação para mercado"

Transcrição

1 INTEGRAÇÃO DAS CÂMARAS DA BM&FBOVESPA Apresentação para mercado CLASSIFICAÇÃO DA INFORMAÇÃO (MARQUE COM UM X ): CONFIDENCIAL RESTRITA CONFIDENCIAL USO INTERNO X PÚBLICO

2 AGENDA AMBIENTE DE PÓS-NEGOCIAÇÃO DA BM&FBOVESPA PROJETO DE INTEGRAÇÃO DAS CÂMARAS E NOVO SISTEMA DE RISCO PRINCIPAIS BENEFÍCIOS PARA OS MERCADOS FINANCEIRO E DE CAPITAIS NOVA ARQUITETURA TECNOLÓGICA E DE PROCESSOS NOVA ESTRUTURA DE PARTICIPANTES GOVERNANÇA DO PROJETO, PLANO DE MIGRAÇÃO E CRONOGRAMA

3 AGENDA AMBIENTE DE PÓS-NEGOCIAÇÃO DA BM&FBOVESPA PROJETO DE INTEGRAÇÃO DAS CÂMARAS E NOVO SISTEMA DE RISCO PRINCIPAIS BENEFÍCIOS PARA OS MERCADOS FINANCEIRO E DE CAPITAIS NOVA ARQUITETURA TECNOLÓGICA E DE PROCESSOS NOVA ESTRUTURA DE PARTICIPANTES GOVERNANÇA DO PROJETO, PLANO DE MIGRAÇÃO E CRONOGRAMA

4 PROJETO DE INTEGRAÇÃO DAS CÂMARAS Integração das câmaras Organização do ambiente de pós-negociação por tipo de processo, em vez de tipo de produto Racionalização e padronização de regras, processos, exigências e documentação Estabelecimento de janela de liquidação única para todos os mercados Outros produtos e ativos Derivativos de balcão Ações, ETFs, BDRs Regulamento e Manual Estrutura de participantes Cadastro de participantes e clientes Alocação e repasse Controle de posições e liquidação Títulos públicos Títulos de renda fixa privada Desenvolvimento de modelo de risco integrado e pool único de garantias Administração de risco Pool de garantias Completa modernização e simplificação da infraestrutura tecnológica Empréstimo de títulos Futuros, opções, termos Câmbio pronto interbancário 4

5 AGENDA AMBIENTE DE PÓS-NEGOCIAÇÃO DA BM&FBOVESPA PROJETO DE INTEGRAÇÃO DAS CÂMARAS E NOVO SISTEMA DE RISCO PRINCIPAIS BENEFÍCIOS PARA OS MERCADOS FINANCEIRO E DE CAPITAIS NOVA ARQUITETURA TECNOLÓGICA E DE PROCESSOS NOVA ESTRUTURA DE PARTICIPANTES GOVERNANÇA DO PROJETO, PLANO DE MIGRAÇÃO E CRONOGRAMA

6 PRINCIPAIS BENEFÍCIOS Principais Benefícios para o Mercado Maior eficiência no gerenciamento da liquidez intradiária Janela de liquidação única para todos os mercados dos fluxos a pagar e a receber entre as diversas classes de ativos produtos Economia de liquidez intradiária média da ordem de R$0,5 bilhão Exemplo: Saldo a pagar referente ao mercado de contratos futuros: (-) R$100 milhões Saldo a receber referente ao mercado de ações: (+) 110 milhões Saldo a liquidar perante a clearing integrada: (+) 10 milhões 6

7 PRINCIPAIS BENEFÍCIOS Principais Benefícios para o Mercado Maior eficiência na utilização de capital Novo modelo de avaliação de risco CORE Cálculo do risco do portfolio de forma integrada, abrangendo ativos e contratos negociados, inclusive contratos OTC, assim como garantias depositadas Modelagem integrada e robusta dos riscos de mercado, de liquidez e de fluxo de caixa dos diferentes ativos/contratos/garantias presentes no portfolio Netting de risco entre ativos e contratos que possuem fatores de risco comuns Exemplos: Futuros versus opções; Futuros versus swaps; Opções com diferentes datas de vencimento; Posição short em BTC versus ações depositadas em garantia; Posição short em opções de ações versus ações depositadas em garantia; CORE tem o potencial de ser tornar novo benchmark internacional no que diz respeito a gestão de risco em CCPs. 7

8 PRINCIPAIS BENEFÍCIOS Principais Benefícios para o Mercado Redução de riscos operacionais e aumento da eficiência operacional Simplificação e padronização de inúmeros processos de back office; Eliminação de redundâncias; Maior automatização de processos; Redução de custos de back-office e de infraestrutura de toda a cadeia de participantes; Menor prazo para lançamento de novos produtos e para atendimento a demandas do mercado e regulatórias, em virtude de arquitetura tecnológica mais moderna, compacta e modular. 8

9 PRINCIPAIS BENEFÍCIOS Principais Benefícios para o Mercado Modernização e padronização da infraestrutura tecnológica Renovação tecnológica completa, com adoção de arquitetura de TI de última geração núcleo e módulos Capacidade de processamento de mais de 10 milhões de negócios por dia Capacidade de processamento de risco em tempo real Altíssima disponibilidade HA (high availability) e DR (disaster recovery) Funcionalidade e flexibilidade devido à arquitetura modular e característica multimercado 9

10 AGENDA AMBIENTE DE PÓS-NEGOCIAÇÃO DA BM&FBOVESPA PROJETO DE INTEGRAÇÃO DAS CÂMARAS E NOVO SISTEMA DE RISCO PRINCIPAIS BENEFÍCIOS PARA OS MERCADOS FINANCEIRO E DE CAPITAIS NOVA ARQUITETURA TECNOLÓGICA E DE PROCESSOS NOVA ESTRUTURA DE PARTICIPANTES GOVERNANÇA DO PROJETO, PLANO DE MIGRAÇÃO E CRONOGRAMA

11 NOVA ARQUITETURA Nova arquitetura de processos e sistemas Cadastro de participantes Sistema RTC (Real Time Clearing) CORE Cadastro de instrumentos Apreçamento Tarifação Liquidação SPB e CSD Captura e registro Repasse e alocação Gerenciamento de posições Marcação a mercado Cálculo de valores de liquidação financeira Troca de informações com demais sistemas Adm. Risco Intradiário Adm. de Garantias Tributação Serviços de Informação 11

12 AGENDA AMBIENTE DE PÓS-NEGOCIAÇÃO DA BM&FBOVESPA PROJETO DE INTEGRAÇÃO DAS CÂMARAS E NOVO SISTEMA DE RISCO PRINCIPAIS BENEFÍCIOS PARA OS MERCADOS FINANCEIRO E DE CAPITAIS NOVA ARQUITETURA TECNOLÓGICA E DE PROCESSOS NOVA ESTRUTURA DE PARTICIPANTES GOVERNANÇA DO PROJETO, PLANO DE MIGRAÇÃO E CRONOGRAMA

13 NOVA ESTRUTURA DE PARTICIPANTES Participantes atuais Novos participantes Câmara de Ações Câmara de Derivativos Câmara de Ativos Câmara de Câmbio Câmara de Ações Corretora (plena, regional, renda fixa e balcão) Corretora e Operador Especial de Ativos Banco Participante e Corretora de Câmbio Agente de (pleno e próprio) Câmara de Derivativos (tipos 1, 2 e 3) Câmara de Ativos Câmara de Câmbio Câmara de Ações Câmara de Derivativos Câmara de Ativos Câmara de Ativos Banco Participante Qualificado Participante com Liquidação Direta (PLD) Participante com Liquidação Centralizada (PLC) Máster de Participante com Liquidação Centralizada (PLC) Participante com Liquidação Direta (PLD) 13

14 NOVA ESTRUTURA DE PARTICIPANTES Situação atual Nova situação Câmara de Ações Câmara de Derivativos Nova Câmara Integrada Unificação completa das estruturas de contas 14

15 NOVA ESTRUTURA DE PARTICIPANTES Situação atual Nova situação Câmara de Ações Câmara de Derivativos Nova Câmara Integrada Participante utiliza um único e uma única Corretora para os dois segmentos, mas mantém duas contas para cada cliente, uma para cada segmento 15

16 NOVA ESTRUTURA DE PARTICIPANTES Situação atual Nova situação Câmara de Ações Câmara de Derivativos Nova Câmara Integrada Participante utiliza um único para os dois segmentos 16

17 NOVA ESTRUTURA DE PARTICIPANTES Situação atual Nova situação Câmara de Ações Câmara de Derivativos Nova Câmara Integrada Participante preserva estruturas de contas distintas para os segmentos Bovespa e BM&F 17

18 AGENDA AMBIENTE DE PÓS-NEGOCIAÇÃO DA BM&FBOVESPA PROJETO DE INTEGRAÇÃO DAS CÂMARAS E NOVO SISTEMA DE RISCO PRINCIPAIS BENEFÍCIOS PARA OS MERCADOS FINANCEIRO E DE CAPITAIS NOVA ARQUITETURA TECNOLÓGICA E DE PROCESSOS NOVA ESTRUTURA DE PARTICIPANTES GOVERNANÇA DO PROJETO, PLANO DE MIGRAÇÃO E CRONOGRAMA

19 Governança do Projeto de Integração das Câmaras Definição de modelos Desenvolvimento de TI e gestão da mudança Interação com mercado, BACEN e CVM BM&FBOVESPA MERCADO Validação de modelos e processos e GT-Testes Adaptações internas de TI Certificação e produção paralela Acompanhamento e informação CVM BACEN Análise e aprovação de Regulamento e Manual Grade de alocação de comitentes (ICVM 505) Análise e aprovação do modelo de administração de risco Homologação de sistemas e auditoria de processos e TI 19

20 Grupo de Testes do Projeto IPN (GT-Testes) A BVMF criou o GT-Testes com os seguintes objetivos: Estabelecer um ambiente de comunicação e colaboração entre o mercado e a BM&FBOVESPA para apoiar o processo de testes e a implantação do projeto IPN Permitir que as instituições de mercado participem da avaliação e proponham ações relacionadas aos testes e implantação do projeto Permitir que as instituições de mercado identifiquem e reportem fatores de risco para a homologação e implantação do projeto Facilitar a discussão e o surgimento de propostas que contribuam para a resolução de dificuldades e melhoria do andamento do projeto 20

21 Grupo de Testes do Projeto IPN (GT-Testes) Foram convidadas a integrar o GT-Testes: FEBRABAN, ANBIMA, ABBC, ABBI, AMEC e ANCORD Instituições que integram a Câmara Consultiva de Pós- da BVMF Instituições que integram a Câmara Consultiva de Análise de Risco da BVMF O apoio logístico e operacional do GT-Testes será conduzido pela empresa de consultoria APEL, contratada pela BVMF GT-Testes SPB GT-Testes nova plataforma de operações do SELIC 21

22 CRONOGRAMA DA MIGRAÇÃO DO SEGMENTO BM&F Fase equities seguirá cronograma de implantação semelhante em

23 OBRIGADO!!!

Projeto de Integração das Clearings

Projeto de Integração das Clearings Projeto de Integração das Clearings Início da Fase 2 Clearing de Renda Variável e Renda Fixa Privada A implantação da 2ª Fase do Projeto de Integração das Clearings depende da aprovação dos órgãos reguladores

Leia mais

Projeto IPN Integração do Pós- Negociação

Projeto IPN Integração do Pós- Negociação Projeto IPN Integração do Pós- Negociação Boletim 5ª Reunião do GT-Testes 7 de Fevereiro de 2013 A implantação do IPN depende de prévia autorização dos órgãos reguladores A implantação da integração das

Leia mais

Workshop 4 SINACOR Visão Geral

Workshop 4 SINACOR Visão Geral Workshop 4 SINACOR Visão Geral Dezembro de 2012 A implantação da integração das clearings da BM&FBOVESPA e do novo sistema de risco CORE (Closeout Risk Evaluation) depende de prévia autorização dos órgãos

Leia mais

Diagnóstico da troca de informações entre os Participantes

Diagnóstico da troca de informações entre os Participantes Diagnóstico da troca de informações entre os Participantes Ausência de padronização e automação na troca de informações entre os diversos participantes do mercado Corretoras de valores e de mercadorias

Leia mais

Integração das Clearings da BM&FBOVESPA e Novo Modelo de Risco CORE (Closeout Risk Evaluation)

Integração das Clearings da BM&FBOVESPA e Novo Modelo de Risco CORE (Closeout Risk Evaluation) Integração das Clearings da BM&FBOVESPA e Novo Modelo de Risco CORE (Closeout Risk Evaluation) Outubro de 2014 CLASSIFICAÇÃO DA INFORMAÇÃO (MARQUE COM UM X ): CONFIDENCIAL RESTRITA CONFIDENCIAL USO INTERNO

Leia mais

Workshop 2 Cadastros. Novembro de 2012

Workshop 2 Cadastros. Novembro de 2012 Workshop 2 Cadastros Novembro de 2012 A implantação da integração das clearings da BM&FBOVESPA e do novo sistema de risco CORE (Closeout Risk Evaluation) depende de prévia autorização dos órgãos reguladores.

Leia mais

Projeto IPN Integração do Pós- Negociação Boletim da 14ª Reunião do GT-Testes 26 de setembro de 2013

Projeto IPN Integração do Pós- Negociação Boletim da 14ª Reunião do GT-Testes 26 de setembro de 2013 Projeto IPN Integração do Pós- Negociação Boletim da 14ª Reunião do GT-Testes 26 de setembro de 2013 A implantação da integração das clearings da BM&FBOVESPA e do novo sistema de risco CORE (Closeout Risk

Leia mais

IPN - Integração da Pós Negociação

IPN - Integração da Pós Negociação IPN - Integração da Pós Negociação IPN Integração da Pós Negociação Manual Operacional da (Fase 1 Derivativos financeiros e de commodities e ouro disponível) Fevereiro / 2014 Índice IPN Integração da Pós

Leia mais

Programa IPN Certificação com o Mercado

Programa IPN Certificação com o Mercado Programa IPN Certificação com o Mercado A implantação da integração das clearings da BM&FBOVESPA e do novo sistema de risco CORE (Closeout Risk Evaluation) depende de prévia autorização dos órgãos reguladores

Leia mais

MANUAL DE CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL

MANUAL DE CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL MANUAL DE CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL Março 2015 1 ÍNDICE INTRODUÇÃO... 3 CAPÍTULO 1 CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL... 5 CAPÍTULO 2 ÁREAS DE CONHECIMENTO... 6 Operações... 6 Back Office... 6 Compliance... 7 Risco...

Leia mais

Projeto de Integração das Clearings

Projeto de Integração das Clearings Projeto de Integração das Clearings Workshop Técnico Fase 2 Clearing de Renda Variável e Renda Fixa Privada A implantação da Fase 2 do Projeto de Integração das Clearings depende da aprovação dos órgãos

Leia mais

PROJETO DE INTEGRAÇÃO DAS CLEARINGS FASE 2

PROJETO DE INTEGRAÇÃO DAS CLEARINGS FASE 2 PROJETO DE INTEGRAÇÃO DAS CLEARINGS FASE 2 Workshop Empréstimo de Ativos 31/08/2015 Clearing de Renda Variável e Renda Fixa Privada A implantação da Fase 2 do Projeto de Integração das Clearings depende

Leia mais

Esclarecimentos sobre a conta máster Segmento Bovespa

Esclarecimentos sobre a conta máster Segmento Bovespa Esclarecimentos sobre a conta máster Segmento Bovespa Diretoria Executiva das Clearings, Depositária e de Risco 02/03/2011 CLASSIFICAÇÃO DA INFORMAÇÃO (MARQUE COM UM X ): CONFIDENCIAL RESTRITA CONFIDENCIAL

Leia mais

ENTIDADES AUTO-REGULADORAS DO MERCADO ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO

ENTIDADES AUTO-REGULADORAS DO MERCADO ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO BM&FBOVESPA A BM&FBOVESPA é muito mais do que um espaço de negociação: lista empresas e fundos; realiza negociação de ações, títulos, contratos derivativos; divulga cotações; produz índices de mercado;

Leia mais

CORE CloseOut Risk Evaluation Apresentação para mercado

CORE CloseOut Risk Evaluation Apresentação para mercado CORE CloseOut Risk Evaluation Apresentação para mercado Novembro de 2012 A implantação da integração das clearings da BM&FBOVESPA e do novo sistema de risco CORE (Closeout Risk Evaluation) depende de prévia

Leia mais

Projeto IPN Integração do Pós- Negociação

Projeto IPN Integração do Pós- Negociação Projeto IPN Integração do Pós- Negociação 8ª Reunião do GT-Testes 9 de Maio de 2013 Posição sobre as providências acordadas na realizada em 11-abr-2013 Posição sobre as providências acordadas na realizada

Leia mais

A Importância do Mercado Secundário

A Importância do Mercado Secundário A Importância do Mercado Secundário Apresentação ao Conselho Superior de Estudos Avançados CONSEA da FIESP Agosto / 2015 Agosto/2015 Confidencial Restrita Confidencial Uso Interno X Público 1 Sobre a BM&FBOVESPA

Leia mais

Telas de controle de posições e de liquidação

Telas de controle de posições e de liquidação Workshop Certificação Fase 5 Telas de controle de posições e de liquidação Agosto de 2013 A implantação da integração das clearings da BM&FBOVESPA e do novo sistema de risco CORE (Closeout Risk Evaluation)

Leia mais

Integração da Infraestrutura de Pós Negociação AVALIAÇÃO DE IMPACTOS Fevereiro de 2013 versão 2.1

Integração da Infraestrutura de Pós Negociação AVALIAÇÃO DE IMPACTOS Fevereiro de 2013 versão 2.1 Integração da Infraestrutura de Pós Negociação Fevereiro de 2013 versão 2.1 A IMPLANTAÇÃO DA INTEGRAÇÃO DAS CLEARINGS DA BM&FBOVESPA E DO NOVO SISTEMA DE RISCO CORE (CLOSEOUT RISK EVALUATION) DEPENDE DE

Leia mais

DEBATE PROMOVIDO PELA CVM SOBRE O RELATÓRIO DA OXERA CONSULTING

DEBATE PROMOVIDO PELA CVM SOBRE O RELATÓRIO DA OXERA CONSULTING DEBATE PROMOVIDO PELA CVM SOBRE O RELATÓRIO DA OXERA CONSULTING 29/06/12 CLASSIFICAÇÃO DA INFORMAÇÃO (MARQUE COM UM X ): CONFIDENCIAL RESTRITA CONFIDENCIAL USO INTERNO x PÚBLICO i. INTRODUÇÃO ii. CONSIDERAÇÕES

Leia mais

Perguntas e Respostas sobre Gerenciamento de Risco

Perguntas e Respostas sobre Gerenciamento de Risco Perguntas e Respostas sobre Gerenciamento de Risco 36 questões com gabarito FICHA CATALOGRÁFICA (Catalogado na fonte pela Biblioteca da BM&FBOVESPA Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros) GERENCIAMENTO

Leia mais

GPD Gestão de Posições em Derivativos

GPD Gestão de Posições em Derivativos 2010 GPD Gestão de Posições em Derivativos BMF&Bovespa Versão 1.00 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. O NOVO SISTEMA... 3 3. Lista de Referência... 5 3.1 Definições... 5 3.1.1 CAB Central de Atendimento BM&FBOVESPA...

Leia mais

Concurso 2011. Prof. Cid Roberto. As bolsas de valores são instituições administradoras de mercados. prof.bancario@gmail.com

Concurso 2011. Prof. Cid Roberto. As bolsas de valores são instituições administradoras de mercados. prof.bancario@gmail.com Concurso 2011 Prof. Cid Roberto prof.bancario@gmail.com Bolsa de Valores As bolsas de valores são instituições administradoras de mercados. Comunidade Conhecimentos Bancários (orkut) 8ª aula Início da

Leia mais

Implantação da Conta Máster no Segmento Bovespa. Diretoria Executiva das Clearings, Depositária e de Risco

Implantação da Conta Máster no Segmento Bovespa. Diretoria Executiva das Clearings, Depositária e de Risco Implantação da Conta Máster no Segmento Bovespa Diretoria Executiva das Clearings, Depositária e de Risco Setembro/2010 1 AGENDA O que é a conta máster Titulares de conta máster Contas a serem vinculadas

Leia mais

Apresentação dos Resultados do 2T13

Apresentação dos Resultados do 2T13 Apresentação dos Resultados do 2T13 09 de agosto de 2013 Considerações Iniciais Esta apresentação pode conter certas declarações que expressam expectativas, crenças e previsões da administração sobre eventos

Leia mais

Conteúdo Programático. Agente Autônomo de Investimentos (ANCORD)

Conteúdo Programático. Agente Autônomo de Investimentos (ANCORD) Conteúdo Programático Agente Autônomo de Investimentos (ANCORD) 1. A atividade do agente autônomo de investimento Instrução CVM 497 Diferenciação das atividades do agente autônomo, administração de carteiras,

Leia mais

Mirae Asset Securities (Brasil) C.T.V.M. Ltda www.miraeasset.com.br

Mirae Asset Securities (Brasil) C.T.V.M. Ltda www.miraeasset.com.br ENTIDADES AUTORREGULADORAS DO MERCADO ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO BM&FBOVESPA A BM&FBOVESPA é uma companhia de capital brasileiro formada, em 2008, a partir da integração das operações da Bolsa de Valores

Leia mais

Perguntas e Respostas sobre Liquidação Normas e Regulamentos

Perguntas e Respostas sobre Liquidação Normas e Regulamentos Perguntas e Respostas sobre Liquidação Normas e Regulamentos 60 questões com gabarito FICHA CATALOGRÁFICA (Catalogado na fonte pela Biblioteca da BM&FBOVESPA Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros) LIQUIDAÇÃO

Leia mais

Projeto de Integração das Clearings

Projeto de Integração das Clearings Projeto de Integração das Clearings Workshop Técnico SINACOR Fase 2 Clearing de Renda Variável e Renda Fixa Privada A implantação da Fase 2 do Projeto de Integração das Clearings depende da aprovação dos

Leia mais

Roteamento de ordens do CME Group para a BM&FBOVESPA (do Globex para o PUMA Trading System BM&FBOVESPA)

Roteamento de ordens do CME Group para a BM&FBOVESPA (do Globex para o PUMA Trading System BM&FBOVESPA) Roteamento de ordens do CME Group para a BM&FBOVESPA (do Globex para o PUMA Trading System BM&FBOVESPA) Para negociar os contratos BM&FBOVESPA via roteamento, o investidor usuário do CME Globex deverá:

Leia mais

Diretoria de Assuntos Internacionais Gerência-Executiva de Normatização de Câmbio e Capitais Estrangeiros

Diretoria de Assuntos Internacionais Gerência-Executiva de Normatização de Câmbio e Capitais Estrangeiros Diretoria de Assuntos Internacionais Gerência-Executiva de Normatização de Câmbio e Capitais Estrangeiros Geraldo Magela Siqueira Rio de Janeiro 16 / 17 de março de 2010 Contextualização As novas condições

Leia mais

Workshop Certificação Fase 7 Mensagens de alocação, repasse, controle de posições e de liquidação

Workshop Certificação Fase 7 Mensagens de alocação, repasse, controle de posições e de liquidação Workshop Certificação Fase 7 Mensagens de alocação, repasse, controle de posições e de liquidação Outubro de 2013 A implantação da integração das clearings da BM&FBOVESPA e do novo sistema de risco CORE

Leia mais

INSTITUTO EDUCACIONAL BM&FBOVESPA CERTIFICAÇÃO DOS PROFISSIONAIS PQO ROTEIRO DE ESTUDOS ÁREA DE RISCO

INSTITUTO EDUCACIONAL BM&FBOVESPA CERTIFICAÇÃO DOS PROFISSIONAIS PQO ROTEIRO DE ESTUDOS ÁREA DE RISCO INSTITUTO EDUCACIONAL BM&FBOVESPA CERTIFICAÇÃO DOS PROFISSIONAIS PQO ROTEIRO DE ESTUDOS ÁREA DE RISCO 1. Tributação no mercado financeiro 1.1. Tributação de cotistas de fundo de investimento 1.2. Tributação

Leia mais

Míni de Ibovespa WEBTRADING. É acessível. É descomplicado. É para você.

Míni de Ibovespa WEBTRADING. É acessível. É descomplicado. É para você. Míni de Ibovespa WEBTRADING É acessível. É descomplicado. É para você. WEBTRADING O futuro em um clique Com apenas um clique, você pode negociar minicontratos. O acesso ao WTr é simples, rápido e seguro.

Leia mais

b) Público-alvo Profissionais que queiram atuar como Agentes Distribuidores de Derivativos ADD.

b) Público-alvo Profissionais que queiram atuar como Agentes Distribuidores de Derivativos ADD. TREINAMENTO DE AGENTE DISTRIBUIDOR DE DERIVATIVOS MODALIDADE ONLINE a) Objetivo Atender à demanda de todos que queiram atuar no mercado financeiro como agentes distribuidores de derivativos, oferecendo

Leia mais

Míni de Dólar WEBTRADING. É acessível. É descomplicado. É para você.

Míni de Dólar WEBTRADING. É acessível. É descomplicado. É para você. Míni de Dólar WEBTRADING É acessível. É descomplicado. É para você. FUTURO WEBTRADING EM UM CLIQUE O futuro em um clique Com apenas um clique, você pode negociar minicontratos. O acesso ao WTr é simples,

Leia mais

Diretoria de Relações com Investidores

Diretoria de Relações com Investidores Diretoria de Relações com Investidores São Paulo, SP Janeiro/2016 Confidencial Restrita Confidencial Uso Interno X Público 1 Considerações Iniciais Esta apresentação pode conter certas declarações que

Leia mais

MERCADO DE CAPITAIS. Bolsas de Valores ou de Mercadorias. Cronologia da criação dos mercados de bolsas no mundo e no Brasil

MERCADO DE CAPITAIS. Bolsas de Valores ou de Mercadorias. Cronologia da criação dos mercados de bolsas no mundo e no Brasil MERCADO DE CAPITAIS Prof. Msc. Adm. José Carlos de Jesus Lopes Bolsas de Valores ou de Mercadorias São centros de negociação onde reúnem-se compradores e vendedores de ativos padronizados (ações, títulos

Leia mais

CALL com Mercado Projeto Integração das Clearings Processos de Liquidação 03/07/2013

CALL com Mercado Projeto Integração das Clearings Processos de Liquidação 03/07/2013 CALL com Mercado Projeto Integração das Clearings Processos de Liquidação 03/07/2013 A implantação da integração das clearings da BM&FBOVESPA e do novo sistema de risco CORE (Closeout Risk Evaluation)

Leia mais

Altíssima disponibilidade em serviços críticos Elie Augusto Bautzer Calabres Diretor de Infraestrutura BM&FBOVESPA

Altíssima disponibilidade em serviços críticos Elie Augusto Bautzer Calabres Diretor de Infraestrutura BM&FBOVESPA Altíssima disponibilidade em serviços críticos Elie Augusto Bautzer Calabres Diretor de Infraestrutura BM&FBOVESPA Modelo evolutivo de Governança, com a integração de processo e ferramentas de gestão de

Leia mais

Preparatório para Certificação da ANBIMA CPA 10

Preparatório para Certificação da ANBIMA CPA 10 Preparatório para Certificação da ANBIMA CPA 10 Programa 2012 OBJETIVO: Habilitar os candidatos à Certificação Profissional ANBIMA CPA-10 a participarem do exame reunindo os conhecimentos necessários.

Leia mais

Prof. Cid Roberto. Concurso 2012

Prof. Cid Roberto. Concurso 2012 Prof. Cid Roberto Concurso 2012 Grupo Conhecimentos Bancários no Google http://goo.gl/gbkij Comunidade Conhecimentos Bancários (orkut) http://goo.gl/4a6y7 São realizadas por bancos de investimentos e demais

Leia mais

A Indústria de Fundos de Investimento no Brasil. Luiz Calado Gerente de Certificação da ANBID

A Indústria de Fundos de Investimento no Brasil. Luiz Calado Gerente de Certificação da ANBID A Indústria de Fundos de Investimento no Brasil Luiz Calado Gerente de Certificação da ANBID A ANBID A ANBID Associação Nacional dos Bancos de Investimentos Criada em 1967, é a maior representante das

Leia mais

Curso de CPA 10 CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL ANBIMA SÉRIE 10. www.eadempresarial.net.br. www.eadempresarial.net.br - 18 3303-0383

Curso de CPA 10 CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL ANBIMA SÉRIE 10. www.eadempresarial.net.br. www.eadempresarial.net.br - 18 3303-0383 Curso de CPA 10 CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL ANBIMA SÉRIE 10 www.eadempresarial.net.br SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL Uma conceituação bastante abrangente de sistema financeiro poderia ser a de um conjunto de

Leia mais

1) Consulta da ANBIMA

1) Consulta da ANBIMA Fórum BC SPB Princípios para Infraestruturas de Mercado Padronização da Comunicação Ref: Consulta do BC sobre Subsídios para a Estratégia de Adoção de Padrões de Comunicação Internacionalmente Aceitos

Leia mais

O F Í C I O C I R C U L A R. Participantes dos Mercados da BM&FBOVESPA (BVMF) Segmentos BOVESPA e BM&F

O F Í C I O C I R C U L A R. Participantes dos Mercados da BM&FBOVESPA (BVMF) Segmentos BOVESPA e BM&F 02 de agosto de 2010 028/2010-DP O F Í C I O C I R C U L A R Participantes dos Mercados da BM&FBOVESPA (BVMF) Segmentos BOVESPA e BM&F Ref.: Nova Política de Tarifação de Operações para Investidores de

Leia mais

Diretoria de Assuntos Internacionais Gerência-Executiva de Normatização de Câmbio e Capitais Estrangeiros

Diretoria de Assuntos Internacionais Gerência-Executiva de Normatização de Câmbio e Capitais Estrangeiros Diretoria de Assuntos Internacionais Gerência-Executiva de Normatização de Câmbio e Capitais Estrangeiros Thelma Lúcia Pacheco Gerente do Projeto - Gence Lucio Hellery Holanda Oliveira Gerente Alterno

Leia mais

1. PRINCÍPIOS BÁSICOS DE ECONOMIA, FINANÇAS E ESTATÍSTICA

1. PRINCÍPIOS BÁSICOS DE ECONOMIA, FINANÇAS E ESTATÍSTICA CONTEÚDO CURSO PREPARATÓRIO PARA A REALIZAÇÃO DE PROVA DE CERTIFICAÇÃO PARA RESPONSÁVEIS PELA GESTÃO DOS RECURSOS DOS REGIMES PRÓPRIOS DE PREVIDÊNCIA SOCIAL RPPS (CPA-20, CPA-10 e ANCOR) 1. PRINCÍPIOS

Leia mais

Painel CVM: Segmentação de Investidores na BM&FBOVESPA

Painel CVM: Segmentação de Investidores na BM&FBOVESPA Painel CVM: Segmentação de Investidores na BM&FBOVESPA DIRETORIA COMERCIAL E DE DESENVOLVIMENTO DE MERCADO SUPERINTENDÊNCIA DE ANÁLISE DE PROJETOS E MERCADOS Segmentação de Investidores na BM&FBOVESPA

Leia mais

O F ÍC I O C I R C U L A R. Participantes dos Mercados da BM&FBOVESPA (BVMF) Segmento BOVESPA

O F ÍC I O C I R C U L A R. Participantes dos Mercados da BM&FBOVESPA (BVMF) Segmento BOVESPA 09 de agosto de 2010 030/2010-DP O F ÍC I O C I R C U L A R Participantes dos Mercados da BM&FBOVESPA (BVMF) Segmento BOVESPA Ref.: Acesso ao Sistema Eletrônico de Negociação Implantação dos Modelos de

Leia mais

C O M U N I C A D O E X T E R N O. Participantes dos Mercados da BM&FBOVESPA (BVMF) Segmentos BOVESPA e BM&F

C O M U N I C A D O E X T E R N O. Participantes dos Mercados da BM&FBOVESPA (BVMF) Segmentos BOVESPA e BM&F 03 de março de 2010 002/2010-DP C O M U N I C A D O E X T E R N O Participantes dos Mercados da BM&FBOVESPA (BVMF) Segmentos BOVESPA e BM&F Ref.: Lançamento do Sinacor+ em Março de 2010. Como é de conhecimento

Leia mais

FEBRABAN Auditoria Contínua em Tesouraria. Indicadores Chaves de Risco na Função de Tesouraria: Abordagem World-Class

FEBRABAN Auditoria Contínua em Tesouraria. Indicadores Chaves de Risco na Função de Tesouraria: Abordagem World-Class RISK MANAGEMENT & REGULATORY SERVICES FEBRABAN Auditoria Contínua em Tesouraria Indicadores Chaves de Risco na Função de Tesouraria: Abordagem World-Class Novembro 2003 Risk Management & Regulatory Services

Leia mais

Mercado Secundário de Valores Mobiliários: Negociação e Pós-Negociação

Mercado Secundário de Valores Mobiliários: Negociação e Pós-Negociação Mercado Secundário de Valores Mobiliários: Negociação e Pós-Negociação As opiniões e conclusões externadas nesta apresentação são de inteira responsabilidade do palestrante, não refletindo, necessariamente,

Leia mais

Guia de Certificação SINCAD para o SINACOR

Guia de Certificação SINCAD para o SINACOR Guia de Certificação SINCAD para o SINACOR Sumário Pré-requisitos... 4 Configurações de Negócio...4 Instituição Financeira...4 Cenário A1.1... 6 Cenário A1.2... 16 Cenário A1.3... 17 Cenário A1.4... 26

Leia mais

Aldo Luiz Mendes Diretor de Política Monetária

Aldo Luiz Mendes Diretor de Política Monetária Aldo Luiz Mendes Diretor de Política Monetária Banco Central do Brasil Conferência ICMA no Brasil Hotel Tívoli São Paulo 8.5.2014 1 A regulação europeia e os mercados financeiros no Brasil 2 Compromissos

Leia mais

POLÍTICA CORPORATIVA DE PREVENÇÃO E COMBATE AO FINANCIAMENTO DO TERRORISMO, À LAVAGEM E À OCULTAÇÃO DE BENS, DIREITOS E VALORES

POLÍTICA CORPORATIVA DE PREVENÇÃO E COMBATE AO FINANCIAMENTO DO TERRORISMO, À LAVAGEM E À OCULTAÇÃO DE BENS, DIREITOS E VALORES POLÍTICA CORPORATIVA DE PREVENÇÃO E COMBATE AO FINANCIAMENTO DO TERRORISMO, À LAVAGEM E À OCULTAÇÃO DE BENS, DIREITOS E VALORES Classificação das Informações 5/5/2015 Confidencial [ ] Uso Interno [ X ]

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS CAGEPREV - FUNDAÇÃO CAGECE DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA Vigência: 01/01/2013 a 31/12/2017 1. OBJETIVOS A Politica de Investimentos tem como objetivo

Leia mais

Capítulo 11 Estrutura e Processo de Liquidação na CBLC

Capítulo 11 Estrutura e Processo de Liquidação na CBLC Capítulo 11 Estrutura e Processo de Liquidação na CBLC 11.1 Apresentação do capítulo O objetivo deste capítulo é apresentar definições, características, estrutura e aspectos operacionais de liquidação

Leia mais

Simulado CPA 10 Completo

Simulado CPA 10 Completo Simulado CPA 10 Completo Question 1. O SELIC é um sistema informatizado que cuida da liquidação e custódia de: ( ) Certificado de Depósito Bancário ( ) Contratos de derivativos ( ) Ações negociadas em

Leia mais

DESAFIOS E PERSPECTIVAS PARA A INDÚSTRIA DE FUNDOS IMOBILIÁRIOS NO BRASIL

DESAFIOS E PERSPECTIVAS PARA A INDÚSTRIA DE FUNDOS IMOBILIÁRIOS NO BRASIL DESAFIOS E PERSPECTIVAS PARA A INDÚSTRIA DE FUNDOS IMOBILIÁRIOS NO BRASIL Valdery Albuquerque 2ª Conferência Internacional de Crédito Imobiliário De 17 a 19 de março de 2010 Índice 1. Conceitos e Características

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS CAGEPREV - FUNDAÇÃO CAGECE DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PLANO DE BENEFÍCIO DE CONTRIBUIÇÃO VARIÁVEL Vigência: 01/01/2013 a 31/12/2017 1. OBJETIVOS A Política de Investimentos tem

Leia mais

CALL com Mercado Projeto Integração das Clearings Processo de Certificação 07/06/2013

CALL com Mercado Projeto Integração das Clearings Processo de Certificação 07/06/2013 CALL com Mercado Projeto Integração das Clearings Processo de Certificação 07/06/2013 A implantação da integração das clearings da BM&FBOVESPA e do novo sistema de risco CORE (Closeout Risk Evaluation)

Leia mais

CALL com Mercado Projeto Integração das Clearings

CALL com Mercado Projeto Integração das Clearings CALL com Mercado Projeto Integração das Clearings Call sobre Processos de Liquidação 10/05/2013 DD/MM/AAAA A implantação da integração das clearings da BM&FBOVESPA e do novo sistema de risco CORE (Closeout

Leia mais

O CRSFN e as instituições do Mercado

O CRSFN e as instituições do Mercado Ano 04 Nº 22 Julho/Agosto de 2014 O CRSFN e as instituições do Mercado Francisco Satiro Souza Junior, representante da Ancord, no CRSFN Conselho de Recursos do Sistema Financeiro Nacional, membro titular,

Leia mais

atividade a prática de operações de arrendamento As sociedades de arrendamento mercantil são

atividade a prática de operações de arrendamento As sociedades de arrendamento mercantil são Arrendamento mercantil ou leasing é uma operação em que o proprietário de um bem cede a terceiro o uso desse bem por prazo determinado, recebendo em troca uma contraprestação. No que concerne ao leasing,

Leia mais

Perfil do Investidor Brasileiro Experiências e Atuação Educacional da Bolsa

Perfil do Investidor Brasileiro Experiências e Atuação Educacional da Bolsa Perfil do Investidor Brasileiro Experiências e Atuação Educacional da Bolsa Daniel Pfannemüller Superintendente do Instituto Educacional BM&FBOVESPA Mar/2015 Confidencial Restrita Confidencial Uso Interno

Leia mais

Expectativas da BSM quanto ao cumprimento das regras de acesso da BM&FBOVESPA Regulação e Autorregulação

Expectativas da BSM quanto ao cumprimento das regras de acesso da BM&FBOVESPA Regulação e Autorregulação Painel 1: 9h45 11h15 Expectativas da BSM quanto ao cumprimento das regras de acesso da BM&FBOVESPA Regulação e Autorregulação Alexandre Segala Romano Alexandre Tamura Anderson Pegoraro Silva Hanna Miyashita

Leia mais

AULA 04. Estrutura do Sistema Financeiro Nacional. Subsistema Operativo III

AULA 04. Estrutura do Sistema Financeiro Nacional. Subsistema Operativo III AULA 04 Estrutura do Sistema Financeiro Nacional Subsistema Operativo III SCTVM As sociedades corretoras de títulos e valores mobiliários (SCTVM) são pessoas jurídicas auxiliares do Sistema Financeiro

Leia mais

Regulação das atividades de registro e de depósito centralizado de ativos financeiros

Regulação das atividades de registro e de depósito centralizado de ativos financeiros Regulação das atividades de registro e de depósito centralizado de ativos financeiros Workshop Banco Central do Brasil Junho 2015 Junho/2015 1 Confidencial Uso Interno Público Agenda 1. Quais os serviços

Leia mais

E-book de Fundos de Investimento

E-book de Fundos de Investimento E-book de Fundos de Investimento O QUE SÃO FUNDOS DE INVESTIMENTO? Fundo de investimento é uma aplicação financeira que funciona como se fosse um condomínio, onde as pessoas somam recursos para investir

Leia mais

Formador de Mercado DEP Diretoria de Engenharia de Produtos

Formador de Mercado DEP Diretoria de Engenharia de Produtos Formador de Mercado DEP Diretoria de Engenharia de Produtos FORMADOR Março/2015 DE MERCADO Confidencial Restrita Confidencial Uso Interno Público 1 Agenda Papel do Formador de Mercado (FM) Relações de

Leia mais

CORE CloseOut Risk Evaluation

CORE CloseOut Risk Evaluation CORE CloseOut Risk Evaluation Outubro/2012 CLASSIFICAÇÃO DA INFORMAÇÃO (MARQUE COM UM X ): CONFIDENCIAL RESTRITA CONFIDENCIAL USO INTERNO X PÚBLICO AGENDA MODELAGEM DE RISCO EM CÂMARAS MULTIATIVOS E MULTIMERCADOS

Leia mais

Projeto de Integração das Clearings

Projeto de Integração das Clearings Projeto de Integração das Clearings Workshop SINACOR Fase 2 Clearing de Renda Variável e Renda Fixa Privada A implantação da Fase 2 do Projeto de Integração das Clearings depende da aprovação dos órgãos

Leia mais

PRAZOS E RISCOS DE INVESTIMENTO. Proibida a reprodução.

PRAZOS E RISCOS DE INVESTIMENTO. Proibida a reprodução. Proibida a reprodução. A Planner oferece uma linha completa de produtos financeiros e nossa equipe de profissionais está preparada para explicar tudo o que você precisa saber para tomar suas decisões com

Leia mais

Instruções de preenchimento. Perfis para os Participantes da Câmara de Ativos. Perfis para os Participantes da Câmara de Câmbio

Instruções de preenchimento. Perfis para os Participantes da Câmara de Ativos. Perfis para os Participantes da Câmara de Câmbio Instruções de preenchimento O participante deve: 1. Assinalar com X o seu perfil (ou perfis) em cada câmara para realização dos testes do Novo Cadastro Selic, sendo que os participantes podem se cadastrar

Leia mais

RELATÓRIO DE GESTÃO DE RISCOS. Introdução

RELATÓRIO DE GESTÃO DE RISCOS. Introdução - 1 - RELATÓRIO DE GESTÃO DE RISCOS Introdução A Administração acredita que a gestão efetiva de riscos é vital para o sucesso da Instituição e conseqüentemente mantém um ambiente de gerenciamento de riscos

Leia mais

BM&FBOVESPA protege plataformas de negócios com soluções CA Service Assurance

BM&FBOVESPA protege plataformas de negócios com soluções CA Service Assurance CUSTOMER SUCCESS STORY BM&FBOVESPA protege plataformas de negócios com soluções CA Service Assurance PERFIL DO CLIENTE Indústria: Serviços financeiros Companhia: BM&FBOVESPA Empregados: 1.400+ Faturamento

Leia mais

Mercado de Capitais e seu Papel Indutor no Desenvolvimento do Agronegócio

Mercado de Capitais e seu Papel Indutor no Desenvolvimento do Agronegócio Mercado de Capitais e seu Papel Indutor no Desenvolvimento do Agronegócio Fabio Dutra Diretor Comercial e de Desenvolvimento de Mercados 16/06/2015 1 AGENDA DESAFIOS DO AGRONEGÓCIO MERCADO DE CAPITAIS

Leia mais

Programa Detalhado da Certificação Profissional ANBID Série 10. Programa Detalhado da Certificação Profissional ANBID Série 10 3º versão

Programa Detalhado da Certificação Profissional ANBID Série 10. Programa Detalhado da Certificação Profissional ANBID Série 10 3º versão Programa Detalhado da Certificação Profissional ANBID Série 10 Programa Detalhado da Certificação Profissional ANBID Série 10 3º versão 0 Programa Detalhado da Certificação Profissional ANBID SÉRIE 10-3º

Leia mais

Programa Detalhado da Certificação Profissional ANBID Série 10

Programa Detalhado da Certificação Profissional ANBID Série 10 Programa Detalhado da Certificação Profissional ANBID Série 10 Programa Detalhado da Certificação Profissional ANBID SÉRIE 10 - Versão 5.4 OBJETIVOS DA CPA-10 A CPA 10 é uma importante parte do Programa

Leia mais

A CVM e a Autorregulação no Mercado de Capitais

A CVM e a Autorregulação no Mercado de Capitais A CVM e a Autorregulação no Mercado de Capitais A Lei nº 6.385/76 define os mandatos legais da CVM: Desenvolvimento do Mercado (art 4º. Incisos I e II); Eficiência e Funcionamento do Mercado (art. 4º,

Leia mais

Infraestrutura de Post-Trade da. Oportunidades e Desafios da Integração

Infraestrutura de Post-Trade da. Oportunidades e Desafios da Integração Infraestrutura de Post-Trade da Bm&Fbovespa Oportunidades e Desafios da Integração Este White Paper foi preparado pela equipe técnica da Diretoria Executiva das Clearings, Depositária e de Risco da BM&FBOVESPA,

Leia mais

Os Segmentos de Listagem da BM&FBOVESPA para Pequenas e Médias Empresas 15/10/13

Os Segmentos de Listagem da BM&FBOVESPA para Pequenas e Médias Empresas 15/10/13 Os Segmentos de Listagem da BM&FBOVESPA para Pequenas e Médias Empresas 15/10/13 Apresentação no Congresso de Governança Corporativa do IBGC 14 e 15 de outubro de 2013 Projeto Ofertas Menores Resumo do

Leia mais

Sistema de Pagamentos Brasileiro (SPB)

Sistema de Pagamentos Brasileiro (SPB) Sistema de Pagamentos Brasileiro (SPB) Conceito e panorama geral O Sistema de Pagamentos Brasileiro é o conjunto de procedimentos, regras, instrumentos e operações integradas que dão suporte à movimentação

Leia mais

R E G R A S E P A R Â M E T R O S D E A T U A Ç Ã O D A G E R A Ç Ã O F U T U R O C O R R E T O R A D E V A L O R E S S. A.

R E G R A S E P A R Â M E T R O S D E A T U A Ç Ã O D A G E R A Ç Ã O F U T U R O C O R R E T O R A D E V A L O R E S S. A. 1 R E G R A S E P A R Â M E T R O S D E A T U A Ç Ã O D A G E R A Ç Ã O F U T U R O C O R R E T O R A D E V A L O R E S S. A. VERSÃO E APROVAÇÃO Emissão: Janeiro/2010 Revisão: 21/01/2013-13/03/2013 Válido

Leia mais

FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO COM FOCO EM TÍTULOS DE CRÉDITO IMOBILIÁRIO ESTRUTURADO REIT RIVIERA FII

FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO COM FOCO EM TÍTULOS DE CRÉDITO IMOBILIÁRIO ESTRUTURADO REIT RIVIERA FII FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO COM FOCO EM TÍTULOS DE CRÉDITO IMOBILIÁRIO ESTRUTURADO REIT RIVIERA FII Crédito lastreado em imóveis, alta rentabilidade e fluxo de caixa constante, com a solidez do concreto.

Leia mais

a) mercados de derivativos, tais como, exemplificativamente, índices de ações, índices de preços, câmbio (moedas), juros;

a) mercados de derivativos, tais como, exemplificativamente, índices de ações, índices de preços, câmbio (moedas), juros; CREDIT SUISSE HEDGINGGRIFFO 1. Públicoalvo LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS dezembro/2013 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o CSHG EQUITY HEDGE LEVANTE FUNDO DE INVESTIMENTO

Leia mais

MANUAL DO GERENCIAMENTO DE RISCOS DE MERCADO

MANUAL DO GERENCIAMENTO DE RISCOS DE MERCADO MANUAL DO GERENCIAMENTO DE RISCOS DE MERCADO Introdução O Gerenciamento do Risco de Mercado no Grupo Didier Levy, considerando as empresas BEXS Banco de Câmbio S/A e BEXS Corretora de Câmbio S/A está fundamentado

Leia mais

Curso Preparatório ANBIMA - CPA-10 Curso Preparatório ANBIMA - CPA-20

Curso Preparatório ANBIMA - CPA-10 Curso Preparatório ANBIMA - CPA-20 Solange Honorato Curso Preparatório ANBIMA - CPA-10 Curso Preparatório ANBIMA - CPA-20 E Solange Honorato Facilitadora Certificação Profissional ANBIMA - CPA-10 Destina-se aos profissionais que desempenham

Leia mais

[POLÍTICA DE INVESTIMENTOS]

[POLÍTICA DE INVESTIMENTOS] [POLÍTICA DE INVESTIMENTOS] Este documento aborda o processo de seleção e alocação de valores mobiliários da Interinvest Data de Publicação: Abril de 2012 Política de Investimentos 1. Conteúdo do Documento

Leia mais

VALORA GESTÃO DE INVESTIMENTOS LTDA

VALORA GESTÃO DE INVESTIMENTOS LTDA MANUAL DE GERENCIAMENTO DE LIQUIDEZ VALORA GESTÃO DE INVESTIMENTOS LTDA Elaborado pelo Oficial de Compliance: Misak Pessoa Neto Data: 25/01/2016 Versão: 1.3 1 Sumário 1. Objetivo... 3 2. Princípios Gerais...

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS DO SEGMENTO BOVESPA: AÇÕES, FUTUROS E DERIVATIVOS DE AÇÕES. Capítulo Revisão Data

MANUAL DE PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS DO SEGMENTO BOVESPA: AÇÕES, FUTUROS E DERIVATIVOS DE AÇÕES. Capítulo Revisão Data 4 / 106 DEFINIÇÕES AFTER-MARKET período de negociação que ocorre fora do horário regular de Pregão. AGENTE DE COMPENSAÇÃO instituição habilitada pela CBLC a liquidar operações realizadas pelas Sociedades

Leia mais

CAIXA FI INSTITUCIONAL AÇÕES BDR NIVEL I

CAIXA FI INSTITUCIONAL AÇÕES BDR NIVEL I CAIXA FI INSTITUCIONAL AÇÕES BDR NIVEL I 1 Por que investir em fundo de AÇÕES BDR NIVEL I? Viabiliza o acesso das instituições reguladas pela Resolução CMN 3792/09 a investimentos no exterior; Estrutura

Leia mais

Roteiro Específico OC 046/2010 07/10/2010

Roteiro Específico OC 046/2010 07/10/2010 OC 046/2010 07/10/2010 Índice 1. CAPTAR E MANTER CLIENTES... 4 2. GERENCIAR NEGÓCIO... 5 3. EECUTAR ORDENS... 6 4. COMPENSAR E LIQUIDAR... 6 5. FUNÇÃO TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO... 7 GLOSSÁRIO... 8 2 Definições

Leia mais

Fundo multimercado que tem como objetivo buscar rentabilidade acima do Certificado de Depósito Interbancário - CDI.

Fundo multimercado que tem como objetivo buscar rentabilidade acima do Certificado de Depósito Interbancário - CDI. LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS 1. Público-alvo dezembro/2013 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o CSHG VERDE FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO.

Leia mais

Comitê Consultivo de Educação Programa TOP Derivativos II

Comitê Consultivo de Educação Programa TOP Derivativos II 30/11/2015 segunda-feira 08h40 09h00 Credenciamento 09h00 09h30 Abertura: Equipe Instituto Educacional e CVM 09h30 10h30 CVM e a regulação derivativos CVM 11h00 13h00 CVM e a regulação derivativos CVM

Leia mais

Resumo da Demonstração de Resultados (em R$ milhões) Variação 3T15 3T14

Resumo da Demonstração de Resultados (em R$ milhões) Variação 3T15 3T14 BM&FBOVESPA ANUNCIA OS RESULTADOS DO TERCEIRO TRIMESTRE DE 2015 VALOR DE MERCADO R$20,1 bilhões (30/09/2015) AÇÕES EM CIRCULAÇÃO Média ponderada: 1.787.049.094 do período: 1.782.094.906 RATINGS Standard

Leia mais

Conheça o mercado da Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F)

Conheça o mercado da Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) 1) OBJETIVO A BM&F foi criada para desenvolver, organizar e operacionalizar mercados livres e transparentes para negociação de títulos e/ou contratos que possuam como referência ativos financeiros, índices,

Leia mais

Mercado de Capitais. Renda Variável. Mercado Primário de Ações. Mercado Primário - ETAPAS. Mercado Primário - ETAPAS

Mercado de Capitais. Renda Variável. Mercado Primário de Ações. Mercado Primário - ETAPAS. Mercado Primário - ETAPAS Mercado Primário de Ações Mercado de Capitais Renda Variável Mestrando: Paulo Jordão. 03/04/2012 Venda direta aos investidores através de ofertas públicas (IPOs) ou subscrição particular; Motivos: Expansão

Leia mais

Capítulo 14 Cadastro, Segmentos BM&F e Bovespa

Capítulo 14 Cadastro, Segmentos BM&F e Bovespa Capítulo 14 Cadastro, Segmentos BM&F e Bovespa 14.1 Apresentação do capítulo O objetivo deste capítulo é apresentar os principais procedimentos e documentos de cadastro e monitoramento de participantes

Leia mais