Direito Constitucional. TÍTULO I - Dos Princípios Fundamentais art. 1º ao 4º

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Direito Constitucional. TÍTULO I - Dos Princípios Fundamentais art. 1º ao 4º"

Transcrição

1 Direito Constitucional TÍTULO I - Dos Princípios Fundamentais art. 1º ao 4º

2 Constituição A constituição determina a organização e funcionamento do Estado, estabelecendo sua estrutura, a organização de suas instituições e órgãos, a formação dos poderes públicos, forma de governo, a aquisição e limitação de poderes, distribuição de competências,direitos, garantias e deveres do cidadão. Todas as leis infraconstitucionais (inferiores à constituição) devem obediência à constituição em sua interpretação e aplicação. Caso essas normas sejam contraditórias à constituição deverão ser declaradas inconstitucionais e revogadas.

3 Constituição Federal de 1988 Está em vigor no Brasil a Constituição Federal de 1988, a sétima na história do Brasil, promulgada em 5 de outubro de O texto marcou o processo de redemocratização após período de regime militar (1964 a 1985). Em países democráticos, a Constituição é redigida por uma Assembleia Constituinte, formada por representantes escolhidos pelo povo. No Brasil, a Constituição de 1988 foi elaborada pelo Congresso Constituinte, composto por deputados e senadores eleitos democraticamente. Mudanças pontuais no texto da Constituição estão previstas e podem ser feitas através de emenda constitucional, porém há determinadas matérias que a própria Constituição limita modificações. A Constituição de 1988 é marcada pela ampla possibilidade de participação democrática e pela garantia dos direitos humanos, por isso foi designada "Constituição Cidadã".

4 Conceitos importantes O Brasil adota como FORMA DE ESTADO o FEDERALISMO Federalismo: é aquele modelo em que o poder se descentraliza, ou seja, divide-se pelo espaço territorial, gerando governos regionais ou até mesmo locais, caracterizando assim unidades federativas, entes e entidades federada. O Federalismo brasileiro é formado pela união indissolúvel de entes federativos (União, Estados, Municípios e Distrito Federal) para formação de um Estado soberano. Os entes federativos possuem autonomia administrativa (competência para a auto-organização de seus órgãos e serviços), legislativa (competência para editar leis) e política (competência para eleger os integrantes do Executivo e do Legislativo), nos moldes da Constituição Federal.

5 Conceitos importantes A FORMA DE GOVERNO brasileira é a REPÚBLICA República: coletividade política. res publica (coisa pública). Caracteriza-se pelo exercício temporário do poder por mandatários, eleitos direta ou indiretamente pelo povo, tendo seu mandato duração limitada. Quanto ao SISTEMA DE GOVERNO adotamos o PRESIDENCIALISMO: Presidencialismo: rigorosa independência entre os poderes Legislativo, Executivo, exercendo o Presidente da Republica ao mesmo tempo as funções de Chefe de Governo (âmbito interno) e Chefe de Estado (âmbito internacional), apenas possível nos países que adotam a forma republicana.

6 Conceitos importantes A Constituição de 1988 foi PROMULGADA Promulgada: aquela em que o processo de positivação decorre de convenção, são votadas, originam de um órgão constituinte composto de representantes do povo, eleitos para o fim de a elaborar. Não se trata de uma constituição imposta de forma autoritária pelo governante.

7 Conceitos importantes ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO: O Estado Democrático de Direito, que significa a exigência de reger-se por normas democráticas, com eleições, periódicas e pelo povo, bem como o respeito das autoridades públicas aos direitos e garantias fundamentais (Moraes). O Estado Democrático de Direito reúne os princípios do Estado Democrático e do Estado de Direito, não como simples reunião formal dos respectivos elementos, revela um conceito novo que os supera, na medida em que incorpora um componente revolucionário de transformação. Esse modelo de Estado possibilita a participação popular no governo, em todas suas esferas de poder. Esse Estado, portanto, é reflexo da vontade popular, e essa vontade deverá garantir o direito dos grupos vulnerabilizados ou minoritários. Esse modelo de Estado tem como pilar a garantia dos direitos humanos.

8 Art. 1º Art. 1º A República Federativa do Brasil, formada pela união indissolúvel dos Estados e Municípios e do Distrito Federal, constitui-se em Estado Democrático de Direito e tem como fundamentos: I - a soberania; Soberania: significa independência no âmbito internacional. Traduz-se em autodeterminação, em não subordinação a qualquer outra instituição. O Estado vincula-se apenas a tratados, acordos ou convenções internacionais, celebrados com outros Estados, por sua vontade. II - a cidadania; III - a dignidade da pessoa humana; IV - os valores sociais do trabalho e da livre iniciativa; V - o pluralismo político.

9 Art. 2º Art. 2º São Poderes da União, independentes e harmônicos entre si, o Legislativo, o Executivo e o Judiciário. A ideia da separação de poderes para evitar a concentração absoluta de poder nas mão do soberano, comum no Estado absoluto que precede as revoluções burguesas, fundamenta-se com as teorias de John Locke e de Montesquieu. Imaginou-se um mecanismo que evite esta concentração de poderes, onde cada uma das funções do Estado seria de responsabilidade de um órgão ou de um grupo de órgãos. Assim instituíram-se três poderes que reúnem órgãos encarregados primordialmente de funções legislativas, administrativas e judiciárias. Estes poderes são autônomos, porém se interrelacionam. Esse modelo conta com o mecanismo de freios e contrapesos, isto é, a garantia de autonomia de cada poder conjugada à possibilidade de um poder exercer controle (fiscalização) sobre o outro. Outro aspecto importante é o fato de que os Poderes têm funções preponderantes, mas não exclusivas. Desta forma, quem legisla é o legislativo, existindo, entretanto funções normativas, no judiciário e no executivo, como exemplo, elaborar normas administrativa sobre questões internas.

10 Art. 3º Art. 3º Constituem objetivos fundamentais da República Federativa do Brasil: I - construir uma sociedade livre, justa e solidária; II - garantir o desenvolvimento nacional; III - erradicar a pobreza e a marginalização e reduzir as desigualdades sociais e regionais; IV - promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação. - Dica: não confunda os objetivos fundamentais com os fundamentos (art. 1º), os princípios são substantivos, enquanto os objetivos são sempre verbos.

11 Art. 4º Art. 4º A República Federativa do Brasil rege-se nas suas relações internacionais pelos seguintes princípios: I - independência nacional; II - prevalência dos direitos humanos; III - autodeterminação dos povos; IV - não-intervenção; V - igualdade entre os Estados; VI - defesa da paz; VII - solução pacífica dos conflitos; VIII - repúdio ao terrorismo e ao racismo;

12 IX - cooperação entre os povos para o progresso da humanidade; X - concessão de asilo político. Asilo político é o abrigo de estrangeiro que está sendo perseguido por outro país, por razão de dissidência política, por delitos de opinião, ou por crimes que tem ligação com a segurança do Estado, contudo não podem configurar quebra do direito penal comum. Parágrafo único. A República Federativa do Brasil buscará a integração econômica, política, social e cultural dos povos da América Latina, visando à formação de uma comunidade latinoamericana de nações.

DIREITO CONSTITUCIONAL PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS (ARTS 1 AO 4)

DIREITO CONSTITUCIONAL PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS (ARTS 1 AO 4) DIREITO CONSTITUCIONAL PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS (ARTS 1 AO 4) Atualizado até 13/10/2015 PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS (ARTS. 1º AO 4º DA CF88): Todo princípio fundamental é constitucional, mas nem todo princípio

Leia mais

Prof. Dr. Vander Ferreira de Andrade

Prof. Dr. Vander Ferreira de Andrade Prof. Dr. Vander Ferreira de Andrade Organização Estatal Vedação aos entes federativos: I - estabelecer cultos religiosos ou igrejas, subvencioná-los, embaraçar-lhes o funcionamento ou manter com eles

Leia mais

CONSTITUÇÃO DIREITO CONSTITUCIONAL. Conceito Básico CONSTITUIÇÃO E AS DEMAIS ESPÉCIES NORMATIVAS CONSTITUIÇÃO E AS DEMAIS ESPÉCIES NORMATIVAS

CONSTITUÇÃO DIREITO CONSTITUCIONAL. Conceito Básico CONSTITUIÇÃO E AS DEMAIS ESPÉCIES NORMATIVAS CONSTITUIÇÃO E AS DEMAIS ESPÉCIES NORMATIVAS CONSTITUÇÃO DIREITO CONSTITUCIONAL Prof. Eduardo Tanaka Constituição da República Federativa do Brasil, promulgada em 05/10/1988. Constituição Federal CF Carta Magna Lei Maior 1 2 CONSTITUIÇÃO E AS A Constituição

Leia mais

Aula Demonstrativa Princípios Fundamentais.

Aula Demonstrativa Princípios Fundamentais. Olá! Vamos estudar para o concurso de Especialista da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac)? Estou animado com este curso (para os cargos de especialista), pelo fato de que, em direito constitucional,

Leia mais

A Constituição não admite emenda constitucional tendente a abolir a República;

A Constituição não admite emenda constitucional tendente a abolir a República; ssinale a opção correta: onstituição não admite emenda constitucional tendente a abolir a República; vedação de emenda constitucional tendente a abolir os direitos e garantias individuais aplica-se aos

Leia mais

Tripartição dos Poderes do Estado (Separação das funções Estatais)

Tripartição dos Poderes do Estado (Separação das funções Estatais) Tripartição dos Poderes do Estado (Separação das funções Estatais) Prof. Rodrigo Lagares Mestre em Políticas Públicas e Processo TRIPARTIÇÃO DO PODER PODER ESTATAL UNO INDIVISÍVEL A tripartição das funções

Leia mais

NOÇÕES DE DIREITO CONSTITUCIONAL

NOÇÕES DE DIREITO CONSTITUCIONAL NOÇÕES DE DIREITO CONSTITUCIONAL 1 Constituição. 1.1 Conceito, classificações, princípios fundamentais. 2 Direitos e garantias fundamentais. 2.1 Direitos e deveres individuais e coletivos, Direitos sociais,

Leia mais

O ESTADO E A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA NA SOCIEDADE CONTEMPORÂNEA

O ESTADO E A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA NA SOCIEDADE CONTEMPORÂNEA O ESTADO E A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA NA SOCIEDADE CONTEMPORÂNEA ESTADO Conjunto de regras, pessoas e organizações que se separam da sociedade para organizá-la. - Só passa a existir quando o comando da comunidade

Leia mais

AS QUESTÕES DA DEFESA E O CONGRESSO NACIONAL

AS QUESTÕES DA DEFESA E O CONGRESSO NACIONAL AS QUESTÕES DA DEFESA E O CONGRESSO NACIONAL João Paulo Batista Botelho Consultor Legislativo do Senado Federal 10/4/2014 OBJETIVO Apresentar aspectos gerais do Poder Legislativo brasileiro e seu papel

Leia mais

Aula 3 O Estado. Objetivos:

Aula 3 O Estado. Objetivos: Aula 3 O Estado Objetivos: a) Conhecer a estrutura política e jurídica de um Estado; b) Conhecer a estrutura política e jurídica do Estado brasileiro; c) Relacionar o conhecimento da estrutura política

Leia mais

Aula Demonstrativa Princípios Fundamentais.

Aula Demonstrativa Princípios Fundamentais. Bom dia! É muito bom ter a oportunidade de elaborar mais um curso aqui no Ponto. Ainda mais um curso online, hábil a alcançar tantas pessoas que se situam longe dos grandes centros e objetivam passar num

Leia mais

Teoria do Estado 1! 2º semestre 2013! Aula 7 Federalismo! Deisy Ventura! Monitoras: Nathalie Sato (diurno)! e Raísa Ortiz Cetra (noturno)!

Teoria do Estado 1! 2º semestre 2013! Aula 7 Federalismo! Deisy Ventura! Monitoras: Nathalie Sato (diurno)! e Raísa Ortiz Cetra (noturno)! Teoria do Estado 1! 2º semestre 2013! Aula 7 Federalismo! Deisy Ventura! Monitoras: Nathalie Sato (diurno)! e Raísa Ortiz Cetra (noturno)! Unidade na diversidade! h"p://www.youtube.com/watch?v=u8f- kipg_li

Leia mais

Sumário CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL DE 1988... 21 PREÂMBULO... 21. TÍTULO III Da Organização do Estado... 39

Sumário CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL DE 1988... 21 PREÂMBULO... 21. TÍTULO III Da Organização do Estado... 39 CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL DE 1988 CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL DE 1988... 21 PREÂMBULO... 21 TÍTULO I Dos Princípios Fundamentais... 21 TÍTULO II Dos Direitos e Garantias

Leia mais

A CF propugna, de forma específica, a integração econômica, política, social e cultural do Brasil com os povos da América Latina

A CF propugna, de forma específica, a integração econômica, política, social e cultural do Brasil com os povos da América Latina 01 Q369445 Direito Constitucional Princípios Fundamentais da República Ano: 2014 Banca: CESPE Órgão: SUFRAMAProva: Agente Administrativo BETA Acerca da classificação das constituições e dos princípios

Leia mais

Natureza Jurídica. Características. Gerações.

Natureza Jurídica. Características. Gerações. Natureza Jurídica. Características. Gerações. Direitos humanos estão relacionados com a importância da própria pessoa humana. A pessoa humana, que é o bem mais valioso da humanidade, estará acima de qualquer

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular DIREITO CONSTITUCIONAL Ano Lectivo 2015/2016

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular DIREITO CONSTITUCIONAL Ano Lectivo 2015/2016 Programa da Unidade Curricular DIREITO CONSTITUCIONAL Ano Lectivo 2015/2016 1. Unidade Orgânica Direito (1º Ciclo) 2. Curso Direito 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular DIREITO CONSTITUCIONAL (02308)

Leia mais

EIXO FUNDAMENTAL CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC LINHAS DE PESQUISA

EIXO FUNDAMENTAL CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC LINHAS DE PESQUISA CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC LINHAS DE PESQUISA Direito Constitucional e Teoria Geral do Estado * O Poder Constituinte * Processo Legislativo

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE RONDÔNIA

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE RONDÔNIA PATRULHA ELEITORAL TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE RONDÔNIA A palavra república é derivada de RES PUBLICA, expressão latina que significa COISA DO POVO, COISA PÚBLICA, O QUE É DE TODOS. Forma de governo

Leia mais

Objeto de Aprendizagem. Bases Legais do SUS: Leis Orgânicas da Saúde

Objeto de Aprendizagem. Bases Legais do SUS: Leis Orgânicas da Saúde Objeto de Aprendizagem Bases Legais do SUS: Leis Orgânicas da Saúde Bases Legais do SUS: Leis Orgânicas da Saúde Objetivo: Apresentar sucintamente a Lei Orgânica de Saúde nº 8080 de 19 de setembro de 1990,

Leia mais

O PAPEL DOS CONSELHOS MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO NO ÂMBITO DO SNE: DESAFIOS PARA A PRÓXIMA DÉCADA POR: GILVÂNIA NASCIMENTO

O PAPEL DOS CONSELHOS MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO NO ÂMBITO DO SNE: DESAFIOS PARA A PRÓXIMA DÉCADA POR: GILVÂNIA NASCIMENTO O PAPEL DOS CONSELHOS MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO NO ÂMBITO DO SNE: DESAFIOS PARA A PRÓXIMA DÉCADA POR: GILVÂNIA NASCIMENTO "Que tristes os caminhos se não fora a presença distante das estrelas"? (Mario Quintana)

Leia mais

O SISTEMA FEDERATIVO E A INTERVENÇÃO FEDERAL

O SISTEMA FEDERATIVO E A INTERVENÇÃO FEDERAL O SISTEMA FEDERATIVO E A INTERVENÇÃO FEDERAL GUSTAVO GUSMÃO O SISTEMA FEDERATIVO E A INTERVENÇÃO FEDERAL INTRODUÇÃO: O Brasil é uma República Federativa, isto é, uma Federação composta de Estados- membros

Leia mais

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 2015

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 2015 PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 2015, DE Dá nova redação aos arts. 45 e 46 da Constituição Federal para reduzir o número de membros da Câmara dos Deputados e do Senado Federal. As Mesas da Câmara

Leia mais

DEMOCRACIA, ÉTICA E CIDADANIA

DEMOCRACIA, ÉTICA E CIDADANIA DEMOCRACIA, ÉTICA E CIDADANIA Seminário do ENADE Agronomia, Biomedicina, Enfermagem, Farmácia, Fisioterapia, Educação Física, Medicina Veterinária e Estética e Cosmética Profª. Ma. Denise Tatiane Girardon

Leia mais

III Estado Romano de um pequeno grupamento humano ao primeiro império mundial. Características: a) Base familiar de organização; b) Cristianismo.

III Estado Romano de um pequeno grupamento humano ao primeiro império mundial. Características: a) Base familiar de organização; b) Cristianismo. EVOLUÇÃO HISTÓRICA DO ESTADO I Estado Antigo, Oriental ou Teocrático não se distingue o pensamento político da religião, da moral, da filosofia, ou das doutrinas econômicas. Características: a) Natureza

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE RONDÔNIA

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE RONDÔNIA PATRULHA ELEITORAL TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE RONDÔNIA O Brasil tornou-se uma República em 1889, quando um golpe militar liderado pelo Marechal Deodoro da Fonseca tirou D. Pedro II do poder. No Brasil,

Leia mais

A República da Espada. Prof. Thiago História C Aula 08

A República da Espada. Prof. Thiago História C Aula 08 A República da Espada Prof. Thiago História C Aula 08 O Novo Regime Proclamação da República Militares ideário positivista Cafeicultores defesa do federalismo Classe Média desenvolvimento industrial e

Leia mais

Filosofia política na Antiguidade romana: Cícero

Filosofia política na Antiguidade romana: Cícero Filosofia política na Antiguidade romana: Cícero As influências de Platão e Aristóteles no terreno da reflexão política foram marcantes tanto na Antiguidade como na Idade Média. A ideia de que a política

Leia mais

PROGRAMA DE CIÊNCIA POLÍTICA E DIREITO CONSTITUCIONAL

PROGRAMA DE CIÊNCIA POLÍTICA E DIREITO CONSTITUCIONAL João Albuquerque PROGRAMA DE CIÊNCIA POLÍTICA E DIREITO CONSTITUCIONAL (Ano Lectivo de 2010/2011) Faculdade de Direito da Universidade de Macau 2 CAPÍTULO I O POLÍTICO I A noção de Política em sentido

Leia mais

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 TÍTULO IV DA ORGANIZAÇÃO DOS PODERES CAPÍTULO IV DAS FUNÇÕES ESSENCIAIS À JUSTIÇA Seção I Do Ministério Público Art. 127. O Ministério Público é instituição

Leia mais

Fontes do Direitos: Constituição, lei, costumes, jurisprudência, doutrina e contrato. A Constituição Federal e os tópicos da Economia

Fontes do Direitos: Constituição, lei, costumes, jurisprudência, doutrina e contrato. A Constituição Federal e os tópicos da Economia Fontes do Direitos: Constituição, lei, costumes, jurisprudência, doutrina e contrato. A Constituição Federal e os tópicos da Economia No Brasil, vigora o princípio da Supremacia da Constituição, segundo

Leia mais

CENTRO DE INTEGRAÇÃO EMPRESA-ESCOLA CIEE

CENTRO DE INTEGRAÇÃO EMPRESA-ESCOLA CIEE CADERNO DE QUESTÕES Data: 2/07/2016 Horário: 08:00 Duração: 03 (três) horas 20 Questões Específicas de Direito - 01 Questão Subjetiva Nome Completo: R.G.: C.P.F.: Número Inscrição: Assinatura: Data: CONHECIMENTOS

Leia mais

DIREITO CONSTITUCIONAL

DIREITO CONSTITUCIONAL DIREITO CONSTITUCIONAL Aula Inaugural -Teoria Geral da Constituição Profº.. Francisco De Poli de Oliveira OBJETIVOS 1. Conhecer a Teoria Geral da Constituição; 2. Aplicar os conhecimentos aprendidos na

Leia mais

Direito Constitucional 3º semestre Professora Ilza Facundes. Organização do Estado Federação na Constituição de 1988

Direito Constitucional 3º semestre Professora Ilza Facundes. Organização do Estado Federação na Constituição de 1988 Direito Constitucional 3º semestre Professora Ilza Facundes Organização do Estado Federação na Constituição de 1988 a) CARACTERÍSTICAS I. Órgãos representativos: Câmara dos Deputados Representa o Povo

Leia mais

Organização Administrativa BOM DIA!!!

Organização Administrativa BOM DIA!!! BOM DIA!!! 1. Introdução 2. Administração Pública 3. Órgão Público 4. Classificação dos Órgãos 5. Descentralização e Desconcentração 6. Função Pública 7. Cargo Público 8. Agente Público 1. Introdução Regime

Leia mais

ASSEMBLEIA NACIONAL REGULAMENTO INTERNO DA MULHERES PARLAMENTARES CABO-VERDIANAS

ASSEMBLEIA NACIONAL REGULAMENTO INTERNO DA MULHERES PARLAMENTARES CABO-VERDIANAS ASSEMBLEIA NACIONAL REGULAMENTO INTERNO DA REDE DE MULHERES PARLAMENTARES CABO-VERDIANAS REGULAMENTO INTERNO DA REDE DE MULHERES PARLAMENTARES CABO-VERDIANAS Capítulo I Disposições Gerais Artigo 1 (Âmbito)

Leia mais

CF/88 - CONSTITUIÇÃO FEDERAL DO BRASIL DE 1988

CF/88 - CONSTITUIÇÃO FEDERAL DO BRASIL DE 1988 CF/88 - CONSTITUIÇÃO FEDERAL DO BRASIL DE 1988 01. A Constituição Federal, no Artigo 211 e parágrafos 1., 2., 3. e 4., estabelece a organização e competências da União, Estados, Distrito Federal e Municípios

Leia mais

Definição como se transformam votos em poder

Definição como se transformam votos em poder Definição. Sistema eleitoral é o conjunto de regras que define como, em uma determinada eleição, o eleitor pode fazer suas escolhas e como os votos são contabilizados para serem transformados em mandatos.

Leia mais

PRINCÍPIOS CONSTITUCIONAIS QUE REGEM AS RELAÇÕES INTERNACIONAIS

PRINCÍPIOS CONSTITUCIONAIS QUE REGEM AS RELAÇÕES INTERNACIONAIS Dr. Julio Cesar HIDALGO Advogado e Professor de Direito PRINCÍPIOS CONSTITUCIONAIS QUE REGEM AS RELAÇÕES INTERNACIONAIS INTRODUÇÃO A inclusão dos princípios internacionais no nosso texto constitucional

Leia mais

Regimento dos Representantes dos Pais e Encarregados de Educação da Turma

Regimento dos Representantes dos Pais e Encarregados de Educação da Turma Regimento dos Representantes dos Pais e Encarregados de Educação da Turma.é nomeado/eleito na primeira reunião de Pais e Encarregados de Educação da Turma; Tem participação nos Conselhos de Turma; É a

Leia mais

O Que Fazem Deputados Federais, Estaduais, Senadores e o Governador? (competências e âmbito de atuação)

O Que Fazem Deputados Federais, Estaduais, Senadores e o Governador? (competências e âmbito de atuação) O Que Fazem Deputados Federais, Estaduais, Senadores e o Governador? (competências e âmbito de atuação) Patricia Brasil Advogada Delegada do Partido Humanista da Solidariedade Junto ao TRE/SP Especialista

Leia mais

Provas escritas individuais ou provas escritas individuais e trabalho(s)

Provas escritas individuais ou provas escritas individuais e trabalho(s) Programa de DIREITO INTERNACIONAL PÚBLICO 7º período: 2h/s Aula: Teórica EMENTA Aspectos preliminares. Relações entre o sistema interno e o externo de Direito. A sociedade internacional. O Estado. Organizações

Leia mais

Reflexões sobre Reforma Política

Reflexões sobre Reforma Política Reflexões sobre Reforma Política Texto Faculdade Assis Gurgacz Cascavel Paraná 27.Set.2013 Roteiro da Apresentação 1a. Parte: Circunstâncias Históricas 2a. Parte: Identificado os caminhos (doutrina de

Leia mais

CONSTITUIÇÃO DA REPUBLICA PORTUGUESA

CONSTITUIÇÃO DA REPUBLICA PORTUGUESA A MARCELO REBELO DE SOUSA Professor Catedrático da Faculdade de Direito de Lisboa JOSÉ DE MELO ALEXANDRINO Assistente da Faculdade de Direito de Lisboa CONSTITUIÇÃO DA REPUBLICA PORTUGUESA ^ COMENTADA

Leia mais

CONFERÊNCIA REGIONAL DE POLÍTICAS PARA MULHERES

CONFERÊNCIA REGIONAL DE POLÍTICAS PARA MULHERES CONFERÊNCIA REGIONAL DE POLÍTICAS PARA MULHERES Um desafio para a igualdade numa perspectiva de gênero Ituporanga 30/04/04 Conferência Espaço de participação popular para: Conferir o que tem sido feito

Leia mais

PROGRAMA 2º Semestre de 2016

PROGRAMA 2º Semestre de 2016 Disciplina: DES-114 Teoria do Estado I Professores: Cristiane Lucena Carneiro / Yi Shin Tang Número de Horas: 60 Número de Créditos: 04 PROGRAMA 2º Semestre de 2016 A OBJETIVOS DA DISCIPLINA A disciplina

Leia mais

Hugo Goes Direito Previdenciário Módulo 02 Aula Direito Previdenciário para o Concurso do INSS

Hugo Goes Direito Previdenciário Módulo 02 Aula Direito Previdenciário para o Concurso do INSS Hugo Goes Direito Previdenciário Módulo 02 Aula 001-005 Direito Previdenciário para o Concurso do INSS Fontes Hierarquia (ordem de graduação) Autonomia (entre os diversos ramos) Aplicação (conflitos entre

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CINFÃES Ano Letivo 2012/2013 REGIMENTO DA COMISSÃO DE AVALIAÇÃO INTERNA

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CINFÃES Ano Letivo 2012/2013 REGIMENTO DA COMISSÃO DE AVALIAÇÃO INTERNA REGIMENTO DA COMISSÃO DE AVALIAÇÃO INTERNA Regimento da Comissão de Avaliação Interna Preâmbulo O conteúdo do presente Regimento resulta do desenvolvimento de uma conceção de avaliação justa e cooperativa

Leia mais

DEMOCRACIA X DITADURA. Prof. Dieikson de Carvalho

DEMOCRACIA X DITADURA. Prof. Dieikson de Carvalho DEMOCRACIA X DITADURA Prof. Dieikson de Carvalho Característica da Democracia Sufrágio Universal o voto é um direito da maioria da população. O parlamento ou o Congresso é eleito diretamente pelo povo.

Leia mais

CONSTITUIÇÃO FEDERAL E MEIO AMBIENTE

CONSTITUIÇÃO FEDERAL E MEIO AMBIENTE CONSTITUIÇÃO FEDERAL E MEIO AMBIENTE 1. INTRODUÇÃO 1.1. A Constituição Federal, promulgada em 05 de outubro de 1988, foi o primeiro texto constitucional brasileiro a mencionar a palavra meio ambiente.

Leia mais

Audiência Pública de Fiscalização ENERGIPE. O Papel da ANEEL. 6 de outubro de 2004 Aracaju-SE. Eduardo Ellery Diretor

Audiência Pública de Fiscalização ENERGIPE. O Papel da ANEEL. 6 de outubro de 2004 Aracaju-SE. Eduardo Ellery Diretor Audiência Pública de Fiscalização ENERGIPE O Papel da ANEEL 6 de outubro de 2004 Aracaju-SE Eduardo Ellery Diretor Sumário O Papel da ANEEL I. Competências II. Características III. Relacionamento e participação

Leia mais

Estatuto da Frente Parlamentar do Cooperativismo

Estatuto da Frente Parlamentar do Cooperativismo Estatuto da Frente Parlamentar do Cooperativismo CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, NATUREZA, DURAÇÃO, SEDE E FINALIDADE Art. 1º. A Frente Parlamentar do Cooperativismo, Frencoop, é uma entidade civil, de interesse

Leia mais

Princípios e Diretrizes Sistema Único de Saúde

Princípios e Diretrizes Sistema Único de Saúde Princípios e Diretrizes Sistema Único de Saúde 1 DOS PRINCÍPIOS E DIRETRIZES Lei Orgânica da Saúde Lei n. 8.080 de 19 de setembro de 1990. Art. 7º: I - universalidade de acesso aos serviços de saúde em

Leia mais

PODER CONSTITUINTE CF/1824; CF/1937; CF/1967; CF/1891; CF/1934; CF/1946; CF/1988.

PODER CONSTITUINTE CF/1824; CF/1937; CF/1967; CF/1891; CF/1934; CF/1946; CF/1988. Conceito e origem CURSO JURIS DIREITO CONSTITUICONAL PROFESSOR BRUNO PONTES PODER CONSTITUINTE Poder Constituinte é o poder permanente que o povo tem de criar, modificar ou implementar normas de força

Leia mais

PRINCÍPIOS ÉTICOS FUNDAMENTAIS Fábio Konder Comparato. I Introdução

PRINCÍPIOS ÉTICOS FUNDAMENTAIS Fábio Konder Comparato. I Introdução 1 A felicidade PRINCÍPIOS ÉTICOS FUNDAMENTAIS Fábio Konder Comparato I Introdução Objetivo supremo da vida humana: aquele que escolhemos por si mesmo, não como meio de alcançar outros fins. A felicidade

Leia mais

PLANO DE ENSINO EMENTA

PLANO DE ENSINO EMENTA PLANO DE ENSINO FACULDADE: Faculdade de Ciências Jurídicas e Sociais CURSO: Direito Período: 3 o DEPARTAMENTO: Ano: 2016 DISCIPLINA: Direito Constitucional (Teoria Geral da Constituição) CARGA HORÁRIA:

Leia mais

DISPOSIÇÕES CONSTITUCIONAISVISÃO DO PODER LEGISLATIVO DISTRITAL TÍTULO I DO FUNCIONAMENTO CAPÍTULO I DA COMPOSIÇÃO E DA SEDE

DISPOSIÇÕES CONSTITUCIONAISVISÃO DO PODER LEGISLATIVO DISTRITAL TÍTULO I DO FUNCIONAMENTO CAPÍTULO I DA COMPOSIÇÃO E DA SEDE Regimento Interno Ismael Noronha DISPOSIÇÕES CONSTITUCIONAISVISÃO DO PODER LEGISLATIVO DISTRITAL Já caiu em prova A denominação Câmara Legislativa decorre da fusão dos nomes atribuídos às casas legislativas

Leia mais

Prof. Cristiano Lopes

Prof. Cristiano Lopes Prof. Cristiano Lopes Poder Legislativo Federal ü No Brasil vigora o bicameralismo federativo, no âmbito federal. Ou seja, o Poder Legislativo no Brasil, em âmbito federal, é bicameral, isto é, composto

Leia mais

Garantias legais de equilíbrio do exercício do direito de antena durante o processo eleitoral

Garantias legais de equilíbrio do exercício do direito de antena durante o processo eleitoral Garantias legais de equilíbrio do exercício do direito de antena durante o processo eleitoral Por: Cremildo Paca Falar sobre as garantias legais de equilíbrio do direito de antena é um exercício desafiante.

Leia mais

Parte II Espécies Normativas PROCESSO LEGISLATIVO

Parte II Espécies Normativas PROCESSO LEGISLATIVO Parte II Espécies Normativas PROCESSO LEGISLATIVO I. EMENDAS CONSTITUCIONAIS LIMITAÇÕES Expressas Materiais Cláusulas pétreas CF, art. 60, 4º. Circunstanciais CF.art. 60, 1º. Formais Referentes ao processo

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular DIREITO CONSTITUCIONAL Ano Lectivo 2014/2015

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular DIREITO CONSTITUCIONAL Ano Lectivo 2014/2015 Programa da Unidade Curricular DIREITO CONSTITUCIONAL Ano Lectivo 2014/2015 1. Unidade Orgânica Direito (1º Ciclo) 2. Curso Direito 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular DIREITO CONSTITUCIONAL (02308)

Leia mais

VOTO E PARTIDOS POLÍTICOS: OS PRINCÍPIOS BÁSICOS DA DEMOCRACIA Nathássia FORATO 1

VOTO E PARTIDOS POLÍTICOS: OS PRINCÍPIOS BÁSICOS DA DEMOCRACIA Nathássia FORATO 1 VOTO E PARTIDOS POLÍTICOS: OS PRINCÍPIOS BÁSICOS DA DEMOCRACIA Nathássia FORATO 1 RESUMO: A pesquisa, intitulada Voto e Partidos Políticos: Os princípios básicos da democracia - têm como objeto de estudo

Leia mais

Reconhecimento do Estado e do governo O reconhecimento do Estado não é ato constitutivo, mas declaratório da qualidade estatal Pode ser expresso ou

Reconhecimento do Estado e do governo O reconhecimento do Estado não é ato constitutivo, mas declaratório da qualidade estatal Pode ser expresso ou Soberania A soberania pressupõe um conjunto de competências que, apesar de não serem ilimitadas, não encontram poder superior no direito internacional 1 Características Reconhecimento do Estado e do governo

Leia mais

Manual. Representantes dos pais e encarregados de educação da turma e da sala

Manual. Representantes dos pais e encarregados de educação da turma e da sala Manual Representantes dos pais e encarregados de educação da turma e da sala Reuniões de Turma As reuniões com os diretores de turma (no 2.º e 3.º ciclos do ensino básico e no ensino secundário) ou com

Leia mais

Diminuir o número de círculos de 22 para 2. Diminuir o número de deputados de 230 para 181. Só exige alteração de 3 artigos da Lei Eleitoral

Diminuir o número de círculos de 22 para 2. Diminuir o número de deputados de 230 para 181. Só exige alteração de 3 artigos da Lei Eleitoral RESUMO DA PROPOSTA Diminuir o número de círculos de 22 para 2 Diminuir o número de deputados de 230 para 181 Só exige alteração de 3 artigos da Lei Eleitoral DOIS PROBLEMAS DA LEI ACTUAL Desrespeito pelo

Leia mais

Princípios da Administração Pública

Princípios da Administração Pública Princípios da Administração Pública PRINCÍPIO DA LEGALIDADE Conceito: Ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa senão em virtude de lei (art. 5º, II da CF). O Princípio da legalidade

Leia mais

DIREITO CONSTITUCIONAL

DIREITO CONSTITUCIONAL DIREITO CONSTITUCIONAL PEÇA PROFISSIONAL O governo brasileiro, preocupado com os índices crescentes de ataques terroristas no mundo, vinculou-se à Convenção sobre os Direitos Humanos das Vítimas de Atividades

Leia mais

TÍTULO VIII PODER LOCAL

TÍTULO VIII PODER LOCAL TÍTULO VIII PODER LOCAL CAPÍTULO I Princípios gerais Artigo 235.º Autarquias locais 1. A organização democrática do Estado compreende a existência de autarquias locais. 2. As autarquias locais são pessoas

Leia mais

TEMPO DE JUSTIÇA A REFORMA DA CONSTITUIÇÃO DA REPUBLICA PORTUGUESA E DO ESTATUTO DA ORDEM DOS ADVOGADOS

TEMPO DE JUSTIÇA A REFORMA DA CONSTITUIÇÃO DA REPUBLICA PORTUGUESA E DO ESTATUTO DA ORDEM DOS ADVOGADOS TEMPO DE JUSTIÇA A REFORMA DA CONSTITUIÇÃO DA REPUBLICA PORTUGUESA E DO ESTATUTO DA ORDEM DOS ADVOGADOS Visa esta comunicação submeter a reflexão alguns pontos que me parece oportuno debater, acerca da

Leia mais

Cidadania Europeia. Direção-Geral da Educação Av. 24 de Julho, n.º Lisboa Tel

Cidadania Europeia. Direção-Geral da Educação Av. 24 de Julho, n.º Lisboa Tel Este documento foi elaborado pela Direção-Geral da Educação em parceria com a Pro Dignitate - Fundação de Direitos Humanos, por ocasião do Seminário conjunto realizado no âmbito do Ano Europeu dos Cidadãos

Leia mais

IUS RESUMOS. Teoria Geral dos Direitos Fundamentais Parte III. Organizado por: Elaine Cristina Ferreira Gomes

IUS RESUMOS. Teoria Geral dos Direitos Fundamentais Parte III. Organizado por: Elaine Cristina Ferreira Gomes Teoria Geral dos Direitos Fundamentais Parte III Organizado por: Elaine Cristina Ferreira Gomes SUMÁRIO I. TEORIA GERAL DOS DIREITOS FUNDAMENTAIS - PARTE III... 4 1. A Constituição de 1988 e os direitos

Leia mais

REDE DE CONTROLE DA GESTÃO PÚBLICA PARANÁ. Regimento Interno TÍTULO I DA CONSTITUIÇÃO E DOS OBJETIVOS

REDE DE CONTROLE DA GESTÃO PÚBLICA PARANÁ. Regimento Interno TÍTULO I DA CONSTITUIÇÃO E DOS OBJETIVOS TÍTULO I DA CONSTITUIÇÃO E DOS OBJETIVOS Art. 1º. A Rede de Controle da Gestão Pública, constituída como espaço colegiado e permanente no âmbito do Estado do Paraná, formada por órgãos/instituições integrantes

Leia mais

Parte I Compreensão dos Fundamentos da Ciência Política, Estado, Governo e Administração Pública, 9

Parte I Compreensão dos Fundamentos da Ciência Política, Estado, Governo e Administração Pública, 9 Sumário Apresentação, xiii Estrutura do livro, xv Introdução, 1 Debate sobre Governo e Administração Pública, 1 Gestão Pública no Brasil, 3 Reforma e Modernização do Estado, 4 Papel do Estado no Mundo

Leia mais

Ministério da Integração Nacional

Ministério da Integração Nacional Protocolo Conjunto para Proteção Integral a Crianças e Adolescentes, Pessoas Idosas e Pessoas com Deficiência em Situação de Riscos e Desastres Portaria Interministerial Nº 02 de 06 de Dezembro de 2012

Leia mais

GLAP Sorocaba Grupo Local de Ação Política

GLAP Sorocaba Grupo Local de Ação Política São Paulo, Maio de 2016 GLAP Sorocaba Grupo Local de Ação Política PROJETO DE LEI PARLAMENTAR INCLUSÃO DA DISCIPLINA CIDADANIA NO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO DO ESTADO DE SÃO PAULO Alexandre Ogusuko Coordenador

Leia mais

Como pensa o examinador em provas para a Magistratura do TJ-RS? MAPEAMENTO DAS PROVAS - DEMONSTRAÇÃO -

Como pensa o examinador em provas para a Magistratura do TJ-RS? MAPEAMENTO DAS PROVAS - DEMONSTRAÇÃO - Curso Resultado Um novo conceito em preparação para concursos! Como pensa o examinador em provas para a Magistratura do TJ-RS? MAPEAMENTO DAS PROVAS - DEMONSTRAÇÃO - Trabalho finalizado em julho/2015.

Leia mais

DA JUSTIÇA DE PAZ: sua história e as funções do Juiz de Paz no novo ordenamento jurídico brasileiro pós Constituição da República de 1988.

DA JUSTIÇA DE PAZ: sua história e as funções do Juiz de Paz no novo ordenamento jurídico brasileiro pós Constituição da República de 1988. DA JUSTIÇA DE PAZ: sua história e as funções do Juiz de Paz no novo ordenamento jurídico brasileiro pós Constituição da República de 1988. Arthur de Almeida Quaresma (Oficial de Registro Civil de Barão

Leia mais

COMISSÃO ESPECIAL PEC Nº 80-A, DE 2015 (PROCURADORIAS DE ESTADOS E MUNICÍPIOS)

COMISSÃO ESPECIAL PEC Nº 80-A, DE 2015 (PROCURADORIAS DE ESTADOS E MUNICÍPIOS) COMISSÃO ESPECIAL PEC Nº 80-A, DE 2015 (PROCURADORIAS DE ESTADOS E MUNICÍPIOS) Acrescenta o art. 132-A à Constituição da República, e os parágrafos 1º, 2º 3º ao artigo 69 do Ato das Disposições Constitucionais

Leia mais

EMAIL/FACE: prof.fabioramos@hotmail.com www.facebook.com/prof.fabioramos 1

EMAIL/FACE: prof.fabioramos@hotmail.com www.facebook.com/prof.fabioramos 1 DIREITOS POLÍTICOS Prof. Fábio Ramos prof.fabioramos@hotmail.com Conjunto de normas que disciplinam as formas de exercício da soberania popular. Princípio da Soberania Popular: Art. 1º, par. único: Todo

Leia mais

SEFAZ/CE AULA 00. Direito Constitucional

SEFAZ/CE AULA 00. Direito Constitucional Direito Constitucional 5. Princípios Fundamentais da Constituição Brasileira. 1. Constituição. Conceito. Classificação. Aplicabilidade das normas constitucionais 2. Poder Constituinte. Conceito, finalidade,

Leia mais

http://bd.camara.leg.br Dissemina os documentos digitais de interesse da atividade legislativa e da sociedade. ISONOMIA ENTRE ENTES FEDERADOS MÁRCIO SILVA FERNANDES Consultor Legislativo da Área I Direito

Leia mais

AULA 1: ORGANIZAÇÃO DOS PODERES

AULA 1: ORGANIZAÇÃO DOS PODERES AULA 1: ORGANIZAÇÃO DOS PODERES EMENTÁRIO DE TEMAS: São Poderes da União, independentes e harmônicos entre si, o Legislativo, o Executivo e o Judiciário (Art. 2º, da CRFB/88) Organização dos Poderes: separação

Leia mais

ABRIL DE Apoio

ABRIL DE Apoio PROPOSTA DE TRABALHO CAMPANHA CONTRA AS PRÁTICAS ANTI-SINDICAIS ABRIL DE 2008 Apoio I. IDENTIFICAÇÃO DO PROJ ETO Título: Campanha Sindical contra as Práticas Anti-Sindicais (PAS) Duração do Projeto: 24

Leia mais

O Século das Luzes HISTÓRIA 01 AULA 25 PROF. THIAGO

O Século das Luzes HISTÓRIA 01 AULA 25 PROF. THIAGO O Século das Luzes HISTÓRIA 01 AULA 25 PROF. THIAGO Contexto Revolução Científica do século XVII Galileu Galilei, René Descartes e Isaac Newton Concepção racionalista do mundo Leis Naturais Crise do Antigo

Leia mais

NICOLAU RODRIGUES DA SILVEIRA Advogado OAB/RS nº Mantenedora das Faculdades Integradas de Taquara FACCAT

NICOLAU RODRIGUES DA SILVEIRA Advogado OAB/RS nº Mantenedora das Faculdades Integradas de Taquara FACCAT VIII SEMINÁRIO SUL BRASILEIRO DE PREVIDÊNCIA PÚBLICA CONSELHO FISCAL DO RPPS OBRIGAÇÕES E RESPONSABILIDADE S NICOLAU RODRIGUES DA SILVEIRA Advogado OAB/RS nº 29383 Presidente do Conselho Deliberativo da

Leia mais

ESCOLA BÁSICA DOS 2º E 3º CICLOS DOS LOUROS ASSOCIAÇÃO DE PAIS E ENCAREGADOS DE EDUCAÇÃO

ESCOLA BÁSICA DOS 2º E 3º CICLOS DOS LOUROS ASSOCIAÇÃO DE PAIS E ENCAREGADOS DE EDUCAÇÃO CAPITULO I ARTIGO 1.º (Denominação, natureza, sede e âmbito) 1. A Associação adopta a designação de Associação de Pais e Encarregados de Educação da Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos dos Louros. 2. É uma

Leia mais

ESTATUTO CONSELHO DA MULHER EXECUTIVA DE UBIRATÃ. Capitulo I. Denominação e criação

ESTATUTO CONSELHO DA MULHER EXECUTIVA DE UBIRATÃ. Capitulo I. Denominação e criação ESTATUTO CONSELHO DA MULHER EXECUTIVA DE UBIRATÃ. Capitulo I. Denominação e criação Artigo 1º. O Conselho da Mulher Executiva a Associação Comercial e Empresarial de Ubiratã, é um órgão de expressão da

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO ESTRUTURA CURRICULAR STRICTO SENSU (por área de concentração-baseada na Res. Vigente do CCEPE)

PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO ESTRUTURA CURRICULAR STRICTO SENSU (por área de concentração-baseada na Res. Vigente do CCEPE) NOME DO CURSO: DIREITO NÍVEL: [ x ] MESTRADO [ ] DOUTORADO LINHA DE PESQUISA: 1 ESTADO, CONSTITUCIONALIZAÇÃO E DIREITOS HUMANOS PERÍODO DE VIGÊNCIA: para alunos MATRICULADOS a partir de 03 / 2013 DO CURSO

Leia mais

Leituras Preliminares: um ponto de partida CONFERÊNCIA MUNDIAL CONTRA O RACISMO, A DISCRIMINAÇÃO RACIAL, A XENOFOBIA E A INTOLERÂNCIA CORRELATA

Leituras Preliminares: um ponto de partida CONFERÊNCIA MUNDIAL CONTRA O RACISMO, A DISCRIMINAÇÃO RACIAL, A XENOFOBIA E A INTOLERÂNCIA CORRELATA Leituras Preliminares: um ponto de partida CONFERÊNCIA MUNDIAL CONTRA O RACISMO, A DISCRIMINAÇÃO RACIAL, A XENOFOBIA E A INTOLERÂNCIA CORRELATA FUNDAÇÃO FORD IIDH Instituto Interamericano de Direitos Humanos

Leia mais

PORTARIA INTERMINISTERIAL MS/ME Nº 3.019, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2007

PORTARIA INTERMINISTERIAL MS/ME Nº 3.019, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2007 PORTARIA INTERMINISTERIAL MS/ME Nº 3.019, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2007 Dispõe sobre o Programa Nacional de Reorientação da Formação Profissional em Saúde - Pró-Saúde - para os cursos de graduação da área

Leia mais

CONTROLE DE CONTEÚDO - ASSEMBLEIA LEGISLATIVA SÃO PAULO - TÉCNICO LEGISLATIVO DIREITO

CONTROLE DE CONTEÚDO - ASSEMBLEIA LEGISLATIVA SÃO PAULO - TÉCNICO LEGISLATIVO DIREITO CONTROLE DE CONTEÚDO - ASSEMBLEIA LEGISLATIVA SÃO PAULO - TÉCNICO LEGISLATIVO DIREITO LÍNGUA PORTUGUESA 1 Leitura e análise de textos. Estruturação do texto e dos parágrafos. Significação contextual de

Leia mais

1. Fontes Materiais do Direito do Trabalho:

1. Fontes Materiais do Direito do Trabalho: 1 DIREITO DO TRABALHO PONTO 1: Fontes Materiais do Direito do Trabalho PONTO 2: Fontes Formais do Direito do Trabalho PONTO 3: Princípios 1. Fontes Materiais do Direito do Trabalho: Na idade média começaram

Leia mais

AUDITOR FISCAL DO TRABALHO

AUDITOR FISCAL DO TRABALHO Direito Constitucional 1 Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. 1.1 Princípios fundamentais. 2 Aplicabilidade das normas constitucionais. 2.1 Normas de eficácia plena, contida e limitada.

Leia mais

02/11/2016 ÓRGÃO E ENTIDADE, DESCONCENTRAÇÃO E DESCENTRALIZAÇÃO ÓRGÃO E ENTIDADE, DESCONCENTRAÇÃO E DESCENTRALIZAÇÃO

02/11/2016 ÓRGÃO E ENTIDADE, DESCONCENTRAÇÃO E DESCENTRALIZAÇÃO ÓRGÃO E ENTIDADE, DESCONCENTRAÇÃO E DESCENTRALIZAÇÃO ÓRGÃO E ENTIDADE, DESCONCENTRAÇÃO E DESCENTRALIZAÇÃO ÓRGÃO E ENTIDADE, DESCONCENTRAÇÃO E DESCENTRALIZAÇÃO Lei 9.784/99: Art. 1º, 2º. Para os fins desta Lei, consideram-se: I - órgão - a unidade de atuação

Leia mais

CURSO FORMAÇÃO CIDADÃ DEMOCRACIA REPRESENTATIVA. Victor Barau

CURSO FORMAÇÃO CIDADÃ DEMOCRACIA REPRESENTATIVA. Victor Barau CURSO FORMAÇÃO CIDADÃ DEMOCRACIA REPRESENTATIVA Victor Barau 1- O Conceito da palavra Democracia Democracia demos = povo, e kratos = autoridade Origem Conceito Moderno: Revoluções Francesa e Americana.

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 6885, DE (Do Sr. Ademir Camilo)

PROJETO DE LEI Nº 6885, DE (Do Sr. Ademir Camilo) 09/03/2010 CÂMARA Projeto de Lei pretende disciplinar procedimento de intervenção nos Poderes dos Estados, DF e Municípios Ante a relevância e atualidade do tema, o Dep. Ademir Camilo (PDT/MG) apresentou,

Leia mais

O TRÂNSITO É TÃO IMPORTANTE PARA A VIDA NACIONAL QUE COSTITUI UM NOVO DIREITO, FUNDAMENTAIS, QUE DIZEM COM A PRÓPRIA

O TRÂNSITO É TÃO IMPORTANTE PARA A VIDA NACIONAL QUE COSTITUI UM NOVO DIREITO, FUNDAMENTAIS, QUE DIZEM COM A PRÓPRIA A RESPONSABILIDADE DOS PREFEITOS NA MUNICIPALIZAÇÃO DO TRÂNSITO Prof. Dr. José Leles de Souza Cetran/SC 1 O TRÂNSITO É TÃO IMPORTANTE PARA A VIDA NACIONAL QUE COSTITUI UM NOVO DIREITO, CITADO DENTRE OS

Leia mais

Políticas Públicas e Inclusão Social

Políticas Públicas e Inclusão Social Políticas Públicas e Inclusão Social Apresentação Ementa Propõe a problematização e discussão crítica acerca das Políticas Públicas e Sistemas de Saúde. A partir da perspectiva da PROMOÇÃO DA SAÚDE discute

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE ARAÇOIABA DA SERRA

PREFEITURA MUNICIPAL DE ARAÇOIABA DA SERRA DECRETO Nº. 1491, DE 10 DE JANEIRO DE 2013. Institui a Mesa Permanente de Negociação com os Servidores Municipais - MESA e dá outras providências.. MARA LÚCIA FERREIRA DE MELO, Prefeita Municipal da Cidade

Leia mais

Simulado IBAMA Rua das Marrecas, 15, Centro CEP Rio de Janeiro RJ / Telefax: / /

Simulado IBAMA Rua das Marrecas, 15, Centro CEP Rio de Janeiro RJ / Telefax: / / Simulado IBAMA 2012 Fala pessoal, tudo certo? A prova tá chegando, hein? Ansiosos? Relaxem, quanto antes vier a prova, antes virá também a nossa vitória... Para revisar aqueles últimos detalhes em constitucional,

Leia mais

MATEMÁTICA. ÍNDICE Potenciação... 2

MATEMÁTICA. ÍNDICE Potenciação... 2 MATEMÁTICA ÍNDICE Potenciação... 2 1 2 Atualidades Matemática Potenciação Quando multiplicamos várias vezes um número por ele mesmo, podemos escrever essa multiplicação como uma potência, a fim de reduzir

Leia mais