!"#$%&'#()*+,-%.&/#)(*+0%+1*0"2+!*0*2.&*)2+3"4%&#*5%#.*)2+ 6"&+!&).7&)"2+89*-).*.)4"2+

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "!"#$%&'#()*+,-%.&/#)(*+0%+1*0"2+!*0*2.&*)2+3"4%&#*5%#.*)2+ 6"&+!&).7&)"2+89*-).*.)4"2+"

Transcrição

1 "#$%&'#()*+,-%.&/#)(*+0%+1*0"2+*0*2.&*)2+3"4%&#*5%#.*)2+ 6"&+&).7&)"2+89*-).*.)4"2+ + :*9-"+;+<;+:)#." =>? =>? =>C >+D9)2+E-$&%0"+<)0*-+ 0%+*&4*-F" =+ " #$%&$'(')*+,&*,-'$.')*/.01*('0*2%(341'56%728##+9:;<=> <.%)*=',*.$% <= F <.%)*=',*.$% <= L M*3'$1'(*,1%)*2.H,I.')'2%(341'56% <.%)* =',*.$% <= "#$%&'$"()*$+,%-./(*012#$-3/ #%5#%0/+&/(-0&45%8$12/ "#$%&'$( "#$% &'&() &)(%(*+% ',-(.+)/*$. 0#(.1$*2 3)/.(%% +/ &()4/)5 '* '6+/5'+(7./5&')$%/*8(+9((*)(./)7%7'+'8'%(%'*7:6'-$+'+$;('%%$2*5(*+ /4.'+(2/)$(%<8'%(7/*4$;(./*7$+$/*%="#(7(%.)$8(75(+#/7/-/2>6%(%/*-> $*4/)5'+$/* 4)/5.$;$- $7(*+$4$.'+$/*?46-- *'5( '*7 +/ %$56-'+( %$5&-(./2*$+$;( )(%&/*%(% +#)/62# +#( 6%( /4 -/2$.'- /&()'+$/*%< #(6)$%+$.% '*7$*7$.'+/)%<$*/)7()+/(%+'8-$%#'*7+/7(%.)$8(+#(-$*1%8(+9((*)(./)7% /4 &()%/*'- $*4/)5'+$/*= "#( &)/&/%(7 &)/.(76)( '%%$%+% $* 7(.$%$/*A5'1$*2 8> '--/9$*2 +#( 5'*'2() +/ (%+'8-$%# +#( '..(&+'*.( -$5$+% 4/) :6'-$4$(7 $*4/)5'+$/*= )*#+,-(,%+(')+$2/'&)(%(*+'653)/.(%%/7(0/*4()B*.$',-(+)C*$.'&')'' )('-$D'EF/7'./5&')'EF/'6+/5'+$D'7'(*+)()(2$%+)/%7(8'%(%7(7'7/%( '+)$86$EF/ :6'-$+'+$;' 7(.'+(2/)$'%<./5 8'%( (5.$*././*7$EG(% (%+'8(-(.$7'%= H 5(+/7/-/2$' 7(%.)$+' 6+$-$D' '&(*'% $*4/)5'EG(% 7( $7(*+$4$.'EF/.$;$-?*/5(./5&-(+/ ( 7'+' 7( &')' %$56-') )(%&/%+'%./2*$+$;'% %$5&-(%< &/) 5($/ 7/ (5&)(2/ 7( /&()'EG(% -I2$.'%< #(6)J%+$.'% ( $*7$.'7/)(%<./5 / /8K(+$;/ 7( (%+'8(-(.() ( :6'-$4$.') /% ;J*.6-/%(*+)(/%)(2$%+)/%7($*4/)5'EG(%&(%%/'$%=L&)/.(7$5(*+/&)/&/%+/ '6M$-$'*/&)/.(%%/7(.$%I)$/'/&()5$+$):6(/2(%+/)(%+'8(-(E'/%-$5$+(%7( '.($+'EF/&')''$*4/)5'EF/:6'-$4$.'7'= =; ++G#.&"09HI"+ 8 O%N*$,% 3%004. '1$.P4.56%,% * (',41*,56% )* ).N*$0'0 P'0*0 )*.,Q%$('56% )* M*,1$* *01'0R 3%)*S0* (*,I.%,'$ % 2')'01$% )* #*00%'0 ;T0.I'0 72#;> * % 2')'01$% )* )*.)*,1.Q.I'56%'1$.P4T)%0Q4,I.%,'(,'0P'0*0%$.&.,'.0I%(%I-'N*03$.(U$.'0C+01'0 803

2 "#$%"%&"'()$ *+,-"./$ ) *0"1/2/$3 *40 1)5)$ )6*0)7/#24 /-7&6 2)$%)$ #+6)04$ 2) "2)#%"8"./' :/1))$%0/#7)"0/; < =.4#.)*'94 2/ )$%0/%>7"/ B"#$%C 84" )$%/,)-)."2/ #/ 1"7D#."/ "6)#%4 2) E)8406/ 4.400"24 #/ 2>./2/ 2) <FFG; H)$%) *)0I )& /.0"/'94 2/$ /7D#."/$ 0)7&-/240/$ 8)2)0/"$ [Brasil 2012]3 4 J&) 2)6/#24&/.0"/'942)#41/$,/$)$2)"#8406/'94)$*).I8"./$$4,0)4$)%400)7&-/24; H4./$4 2/ 0)7&-/'94 24$ *-/#4$ 2) $/+2) B$/+2) $&*-)6)#%/0C3 / =7D#."/ H/."4#/-2)K/+2)K&*-)6)#%/0B=HKC/%&/)6&66)0./24J&)2)1)&-%0/*/$$/0ELMG,"-:()$ )6 NGOG NG<NR; = 0)7&-/'94 4,$)01/ /$ 0)-/'()$ )#%0) 4$,)#)8"."S0"4$ B*)$$4/$C3 4*)0/240/$ 2) 3 /7)#%)$ *0)$%/240)$2)$)01"'4$B*048"$$"4#/"$2)$/+2)3.-I#"./$3-/,40/%T0"4$3:4$*"%/"$C)4&%0/$ )6*0)$/$/%&/#%)$#)-); K)7&#24 4 U-/#4 V"0)%40 2) W).#4-47"/ 2) Q#8406/'94 2/ =HK P=HK NG<NR3 *04*4$%4 */0/ 4 *)0I424 2) NG<N / NG<X3 2)#%0) 4&%0/$ 6)%/$3.4#$%/ / 2)6/#2/ *40 /2)J&/'9424$*042&%4$)$)01"'4$2)WQ/4*/209424)Y?41)/"2)#%"8"./'94&#I14./ &#I14.4$ &#"1)0$/"$ ) / 2)6/#2/ *40 1/-"2/'94 2/$ "#8406/'()$ 2),)#)8"."S0"4$ 0).),"2/$2/$4*)0/240/$2)*-/#4$2)$/+2); Z [/2/$%04 2) \)#)8"."S0"4$ 2/ =HK B[\C.4#%>6 "#8406/'()$ J&) *42)6 *)06"%"01/-"2/'94.46/,/$)24[U];=-7&6/$2"8".&-2/2)$3)#%0)%/#%43*42)64.400)0 #/"2)#%"8"./'9424$"#2"1I2&4$32)#%0))-/$)#.4#%0/6Y$)4$"#2"1I2&4$6)#40)$2)<M /#4$J&)*42)6)$%/00)7"$%0/24$.46/$"#8406/'()$24#+6)042)[U]24%"%&-/024 *-/#4 2) $/+2) 4& 6)$64 /$ *)$$4/$ J&) %"1)0/6 /-%)0/'94 2) #46)$ 2)1"24 / 6&2/#'/$#4)$%/24."1"-; V)$2) 4 /#4 NGGG 2"1)0$/$ 1)0$()$ 2) $"$%)6/$ */0/ 0)7"$%04 2) 2/24$ 2),)#)8"."S0"4$ 840/6 &6 *0"6)"04 646)#% [/2/$%04 2) \)#)8"."S0"4$ B[\C 4 $"$%)6/ )14-&"& */0/.4#$%"%&"0 4 K"$%)6/ 2) Q#8406/'94 2) \)#)8"."S0"4$BKQ\C;]4"#406/%"5/2///%&/-"5/'946)#$/-4,0"7/%T0"/*)-/$4*)0/240/$ P=HK NG<OR3 2)8"#"#24 J&) 4$,)#)8"."S0"4$ *42)6 %)0 6/"$ 2) &6 1I#.& *)0/240/$ B0)-/'94 <^HC ) %/6,>6 6/"$ 2) &6 0)-/."4#/6)#%4 2)#%04 2/ 6)$6/ 4*)0/240/; = =HK /4-4#74 24$ /#4$ %)6,&$./24 $4-&'()$ */0/ / J&/-"8"./'94 24$ 0)7"$%04$#/$,/$)$2)2/24$24KQ\;U/0/)$%/,)-).)04$.0&5/6)#%4$2),/$)$2)2/24$ 741)0#/6)#%/"$ 840/6 "6*-)6)#%/2/$ "#%)08/.)$.46 _"#"$%>0"4 2/ K/+2)3 _"#"$%>0"4 2/ U0)1"2D#."/ ) 4 _"#"$%>0"4 2/ ]/5)#2/ P=HK NG<N/R; =$ J&)$%()$ /%)#2"2/$840/60)-/%"1/$`$,/$)$24[/2/$%04H/."4#/-2)a$&S0"4$24KaKB[/2KaKC3 24H+6)042)Q2)#%"8"./'9424W0/,/-:/240BHQWC)24[U]30)$*).%"1/6)#%); b"$%40"./6)#%) 1"#:/6 $)#24 )6*0)7/24$ 6>%424$ 2)%)06"#I$%".4$ #4$.0&5/6)#%4$2/$,/$)$2)2/24$;Silva et al. (2006) apresenta uma revisão sistemática sobre a utilização do método de record linkage no NG<G3 #4 U04c)%4 2) E))$%0&%&0/'94 24 [/2/$%04 2) \)#)8"."S0"4$ /*T$ /J&"$"'94 2/$,/$)$ 24 [/2KaK ) 24 [U] P=HK NG<N/R 840/6 )d*)0"6)#%/24$ 4$ "2)#%"8"./240)$ [U] )e4& UQK.464 8/%40 2),-4./7)6; V"8)0) 2/ 6)%424-47"/ )6*0)7/2/ #4 /#4 /#%)0"40 *40 )$%/,)-).)03 /*T$ 4 *04.)$$4 2)%)06"#I$%".4 2) < =.:/1))$%0/#7)"0/4.400)J&/#24&6/%0",&%42)&6/0)-/'94840.:/1)*0"6S0"/)64&%0/0)-/'94; 804

3 "#$%&'()*" " #$%&'(')$*+,-$'-./&'0'1$*+,-,23'4.'3,.-,5(&'4,/,4.-,6./.0'1'73',.8%$-$&$-./$81'4./&,1,4,13'&93',-.1,/0'34$*+,-$2$3'-$-../&3.,83.:'8&3,8; <, $/, -. "=>= 0,3$4 3.$(')$-,8 -,'8 13%)$4./&,8 -. 6$ $-,8;? LL#M 4'(JD.8 -. IN/1%(,8 $&'I,8 COM#POQ -, &,&$(E RS<B 0$&,3 -. 6(,1$:.4 0,'.423.:$-,, /54.3, 0,3$4 %&'(')$-$8 2$3$ I$('-$*D.8 $8 '/0,34$*D.8 -$ -$&$ -. /$81'4./&, -, 6./.0'1'73',., 23'4.'3,., 5(&'4, /,4. 0,/.&')$-,8 RS<B "=>"$T; U4 8.:%'4./&, 0,34$.8&$6.(.1'-,8 3.($1',/$4./&,8,68.3I$/-,V8. 13'&93',8 +,(#%&%(%&-"./. +,(0&%(%&-".;?8 13'&93',8 W%$/&'&$&'I,8./I,(I.3$4 $.81,(J$ -. 1$42,8 2$3$ 1,42$3$*+,.,8 13'&93',8 W%$('&$&'I,8.423.:$3$4&91/'1$8-.0,/.&')$*+,-./,4.8# '$(%4$I$3'$*+,-$%&'(')$-$ '/-'IN-%, /&.8 /, 1$-$8&3, 1,4 2($/, -. 8$5-.#J$I'$1'/1,IN/1%(,8 1,/&3$&%$'8$&'I,8/,BAF.4-.).463,-."=>=RG'/&,"=>>T;?8&.8&.80,3$41,/&'/%$V S1,/&3'6%'*+,-.8&.&3$6$(J,3.0.3.V8.[$23.8./&$*+,-.%4$31$6,%*,&.\3'1, /1'$3'$4$,4.84,1'-$-+,;S8 '/0,34$*D.8 2$3$ 23.2$3$*+, -.8&..8&%-, 0,3$4,6&'-$8.42.8W%'8$.4-,1%4./&,8,0'1'$'8-'82,/'6'(')$-,8/,8'&.-$S<B#2,3&$/&,# -'82,/NI.($,256('1,; U4 8.:%'-$# 8+, $23.8./&$-,8 $82.1&,8 8,63.,8 1,/1.'&,8. $ 4.&,-,(,:'$ -. 1,/0.3]/1'$.(.&3^/'1$-.-$-,81$-$8&3$'82,313'&93',8W%$('&$&'I,8;H'/$(4./&.#8.3+, $23.8./&$-$8$81,/1(%8D.8,6&'-$8; " #$%&'()%*+,-./'0(1%+*,-2'-3,2$4- <$1,42%&$*+,#&.48'-,.K2(,3$-,,3.($1',/$4./&,-.6$ :$/-,V8.$ _.,3'$-.1$2"34/5&#6(7$RH.((.:'.B%/&.3>`M`T#/$W%$(8.6%81$&3$&$3,23,6(.4$-, 2,88'6'('-$-.,% /+, -, ,8 -$ 1,42$3$*+, 2$3.$-$ /&$3.4 $ 4.84$ 2.88,$,%.I./&,#,%8./+,J723,I$88%0'1'./&.82$3$a%8&'0'1$3W%$(W%.3%4$-.8&$8 -.1'8D.8.4/NI.'8.8&'2%($-,8-..33,;?8$%&,3.8$23.8./&$4.8&$8&3]8-.1'8D.81,4,b 3.($1',/$-,C0&#6cS>E#1,4%4$2,88NI.((':$*+,C:"..&;0$/0&#6cS"E./+,3.($1',/$-, C#"#<0&#6cSLE; Y4 23,1.88, -. 1,/0.3]/1'$.(.&3^/'1$ $ 1,42$3$*+, $%&,4$&')$-$./&3.,83.:'8&3,8-.6$8.8-.-$-,8.$&3'6%.4V8.1$&.:,3'$8W%$('&$&'I$8; G$3$ 8%$ 3.$(')$*+,,68.3I$4V8. $8 1'/1, 1,/-'*D ,/')$-$8 CI.3 d%$-3, >E; S8 &3]823'4.'3$88+,1,/-'*D.8/ '$8$,23,1.88,-.1,/0.3]/1'$;SW%$3&$2.34'&.$ 1,42$3$*+,. $ 1,/8,('-$*+, %(&$-,8; S5(&'4$1,/-'*+,-.0'/. W%.,23,1.88, -.I.8.3.K.1%&$-,4.1e/'1$.23.1'8$4./&.; 805

4 Pode-se argumentar que os itens 1, 2, 3 e 5 seriam suficientes para caracterizar um processo de conferência eletrônica entre registros, mas, sem o item 4, não seria possível avaliar a qualidade de uma informação valendo-se de uma escala. Quadro 1: Condições para o Processo de Conferência Eletrônica Nº CONDIÇÃO DEFINIÇÃO 1 Coerência em princípio 2 Potencialidade de Variação 3 Racionalização de Inconsistências 4 Qualificação Comparável Dados dois registros distintos de informações, existe um conjunto de atributos comuns que, em princípio, garante que esses dois registros referenciem à mesma entidade (no mundo real). Caso esses dois registros possuam esse conjunto de atributos, serão chamados de coerentes em princípio (para essa entidade). Dados dois registros coerentes em princípio, pode existir um conjunto de atributos que podem apresentar variações, denominados atributos análogos. Esses atributos representam propriedades ou características da entidade referenciada no mundo real que podem ser comparadas. Caso esses dois registros possuam esse conjunto de atributos, serão chamados de potencialmente variantes. A existência de um conhecimento a priori com potencial de apresentar pelo menos uma explicação que sirva de justificativa plausível para que dois registros coerentes em princípio sejam potencialmente variantes. Uma função que atribua um grau comparável (relação de ordem total ou parcial) para uma explicação preferível entre dois registros coerentes em princípio 5 Execução Automática Os itens de 1 a 4 são de natureza algorítmica A seguir apresenta-se uma metodologia que segue os princípios supracitados. "#" $%&'(')'*+,-./,)+&,&+0, "#$% &'$()(*(+,% )'-,.' /& 01(2'##( 0%1% '#$%3'*'2'1 ' 4/%*,-,2%1 (# 56.2/*(# '.$1'(#1'+,#$1(#)',.-(1&%78'#0'##(%,#91'*%2,(.%)%#%(#,.),56)/(#:'4/'(3#'15% $%3'*%#),#$,.$%#9-(.$'#)')%)(#),#$,.$%#:?"#$'#56.2/*(##A('#$%3'*'2,)(#0'*%2B%5' '#$1%.+',1% ' % 4/%*,-,2%7A( C %$1,3/6)% %0D# % %5%*,%7A( )%# #,&,*%1,)%)'# ' )%# ),-'1'.7%#'.$1'(#%$1,3/$(#%.E*(+(#.(#1'+,#$1(#),#$,.$(#? F(1%& '#$%3'*'2,)(# 2(&( 01CG1'4/,#,$(# 0%1% 1'%*,H%7A( )'#$% 2(.-'1=.2,% '*'$1>.,2%I J'K,#$=.2,%)%2B%5''#$1%.+',1%2(&/&)'.$1')(,#1'+,#$1(#)',.-(1&%7A(L J*+/.#%$1,3/$(#2(&/.#'&%&3(#(#1'+,#$1(#4/'1'-'1'.2,%&2%1%2$'16#$,2%# (/01(01,')%)'#)%'.$,)%)',)'.$,-,2%)%0'*%2B%5''#$1%.+',1%L J)'-,.,7A()%#2%$'+(1,%#0(1+'#$(19(/0(1'#0'2,%*,#$%#:? M'#$' '#$/)(N -(1%& '&01'+%)%# %0'.%# %#,.-(1&%78'# 2(.$,)%# '& 2%&0(# 2(.$'.)( %./&'1%7A( )( <;F 92(&( 2B%5' '#$1%.+',1%:N (.(&' 2(&0*'$( )(#,.),56)/(#'%#1'#0'2$,5%#)%$%#)'.%#2,&'.$(?J)'-,.,7A()'2%$'+(1,%#0'*(+'#$(1 '#$%3'*'2'(#*,&,$'#/$,*,H%)(#.%#'$%0%#)'2*%##,-,2%7A(')')'2,#A(?O+'1%)%/&% 806

5 "#$%&%$%'"()*+$%,*-+.%&/%*%"'%/%-"$&%##+0+$%12,$,3/,#'%-"#"+#.45"+#6"#$#%&#7 "%'('&#%&#)*"$&#7"%'('&#%&#)*$+"7(%"%'('&#%&#7(%"#$#%&#7,-.(,+89:%*%%"'%/%-" -"$+#2, 0,*%3 "#'%;"&"$+-,# -,+# "#'%-,#< %$"+'%12, " *"="+12,9 ># '*?# /*+3"+*%# $%'"(,*+%# -"0+.+-%#.% "'%/% -" $&%##+0+$%12, 6"#$#%&#7 "%'('&#%&#) *"$&#7 "%'('&#%&#) *$+"8 0,*%3 "#'%;"&"$+-%# /%*%, "#'%-, -" %$"+'%12,9 ># A&'+3%# 6(%"#$#%&#7,-.(,+8 0,*%3 "#'%;"&"$+-%# /%*%, "#'%-, -" *"="+12,9 > $%'"(,*+% $&%##+0+$%-% $,3, "#'%-,-"*"="+12,9 /*"#".'"#.,# #/#0#%&"9 :%*% *"%&+D%12, -, /*,$"##%3".',7"##"#"&"3".',##2,,;'+-,#-%;%#"-"-%-,#7*"$";".-,%-".,3+.%12, -" &"1#%9 F".,3+.%G#" /,* -" $%*%$'"*"# #"3"&J%.1%8 (&,;%& ".'*" *"(+#'*,# 3"#3, /%* "3/*"(%.-, %&(,*+'3,#.,# $%3/,# -".,3"# " -%'%#9 B,3, 3E'*+$%#7 0,*%3 "3/*"(%-%# % -+#'P.$+% % /%*'+* -% $,.'%("3 -,.A3"*, 34.+3, -" 6/,*+.#"*12,7 '*%.#/,#+12, -" -,+# -,#$%*%$'"*"#-"$%-%&"1#%7."3-,#"#/%1,#"3;*%.$,89 F"#'%$%G#" 0,+ "#'%;"&"$+-% % /*"$"-?.$+% /%*% $%'"(,*+D%12, -,#.,3"# /"&%# *"(*%# -" $,(.+'+5%# #+3/&"#9 :,* "H"3/&,7 3"#3, #,;*" 5%*+%1L"# #,$+%&3".'" %$"+'%#7 $,3,., $%#, -" -%./()'0%12(, ".5,&5" % 0,*3%'%12, -,# -%-,# 6"#'%;"&"$+3".', 3,-"&,/%-*2,87%"&+3+.%12,-"#+.%+#-+%$*4'+$,#"%*"3,12,-""#/%1,#"3 8$%66'9'&%12(,/"&,#&+3+%*"#"#'%;"&"$+-,#/"&,("#',*/%*%$%'"(,*+D%12,-,# /%*"#-"*"(+#'*,#*"&%$+,.%-,#]"7 :#&'62(, %$"+'%12, -, /%*"%3".', -,# *"(+#'*,# *"&%$+,.%-,#7 807

6 " #$%&'(()*'+,% (' -+-&-) #'.) -/'+,-0-&)12% /% 345 '* )*6)( )( 6)('( 75-89$) :;< 3$-)=('> '+,2%> 9*) +%?),)6'.)< 4)$) &)/) /%-( $'8-(,$%( +)(,)6'.)( $'0'$'+&-)/)(> &)(% #%((9)* *'(*) '(,$)+8'-$)> A &$-)/% 9* +%?% $'8-(,$% +) +%?),)6'.)< B* -/'+,-0-&)/%$ C+-&% A 8'$)/% ('+/% &%*#%(,% /%( /%-( $'8-(,$%( &%*#)$)/%( 7$'.)&-%+)*'+,% :EFG +% &)(% 8'+A$-&% ('$-) FEF;< H +%?),)6'.))$*)I'+)$D)(-+0%$*)1J'(/%#$%&'((%/'K9).-0-&)12%/%#)$/'$'8-(,$%(< "( $L,9.%( #)$) )( &),'8%$-)( '(,2% )#$'('+,)/%( +%( M9)/$%( N ' O< " ).8%$-,*% (-*#.-0-&)/%#)$))K9).-0-&)12%/'+%*'(A)#$'('+,)/%+%H+'P%:< QR-/'H+'P%: Figura 1: Algoritmo básico do processo de conferência eletrônica. S* ('89-/)> %&%$$' ) ',)#) /' #)/$%+-I)12% ' )?'$-0-&)12% /) 'P-(,T+&-) /' (-*-.)$-/)/')6(%.9,)'+,$'%(+%*'(+%$*).-I)/%(&%*#.',%(')(/),)(/'+)(&-*'+,% +)(/9)(,)6'.)(< F) ',)#) /' %#'$)1J'( )#.-&)=(' % &%+U9+,% /' $'8$)( K9' #'$*-,'* ) &),'8%$-I)12% /)( -+0%$*)1J'( &%+0%$*' %(.-*-)$'( '(,)6'.'&-/%( #'.% 8'(,%$ 7V)6'.):;<S(,'&%+U9+,%/'$'8$)(0%-&%+(,$9W/%'*#$'8)+/%=('(-*6%.%8-))+D.%8)X /% "#$%&'(#)'&*+> K9' A 9()/% '* )8T+&-)( /' )?).-)12% /' $-(&% YZ,)+/)$/ [ 4 N\:O]< F)',)#)/'&.)((-0-&)12%%&%$$')&),'8%$-I)12%<S(,)*-+-*-I)7%9'.-*-+);) +'&'((-/)/' /' &%*#.'*'+,)12% /' -+0%$*)1J'( ' )#'$0'-1%) % #$%&'((% /'.-*-)$ /' /'&-(2% #)$) &%+(-/'$)$ 9* /','$*-+)/% $'8-(,$% &%*% &%+0-D?'. %9 +2% 7#)$) 9* /','$*-+)/% #$%&'((% 4%$ 'P'*#.%> '(,)6'.'&'+/% K9' +%*'( -/T+,-&%( &)$)&,'$-I)* ) -/'+,-0-&)12% /) (-,9)12% #%((W? $,)+,%>#'.) H#-%$(-,9)12%A$'#$'('+,)/)#'.% = )#%$ 9*)8$)+/'/-(&$'#_+&-)'+,$'+%*'('/),)(< F) C.,-*) ',)#) )&%+,'&' ) /'&-(2% (%6$' ) )&'-,)12% 7%9 $'U'-12%; /% #)$')*'+,% /%( $'8-(,$%( $'.)&-%+)/%(> ('89+/% &$-,A$-%( '(,)6'.'&-/%( #'.% 8'(,%$ 7V)6'.)N;< "#"#$%&'()*$+)()$,)-&'.(/0)12.$3&$4.5&*$ 3)(%%(+%*'(+%$*).-I)/%(&%*#.',%(+2%('U)*-/T+,-&%(>&).&9.)=(')^^` '+,$'%(#$-*'-$%(+%*'(7,-./01;/'&)/)+%*'&%*#.',%/')*6%(%($'8-(,$%(<F'(,' #$%&'((%>(2%#%((W?'-(,$T(/'&-(J'(K9)+,%X&%*#)$)12%/%(#$-*'-$%(+%*'(E 808

7 "#$%&'($)'*+ "#$$%&' ( '&$'( )*(+,( -#$ "*,'&,*#$.#'&$ #/0,-#$ -#$.#'&$.#*'(1,2(-#$3#'"1&0#$4,'**&-"#."(/"0 1"#$%&'($)'*+ $%)&*&' 5%& #$ "*,'&,*#$.#'&$ (6(1,(-#$ $&7(' 6(*,(89&$ -# "*,'&,*#.#'& -( "&$$#(.# '%.-# *&(1: "#,$: ("&$(* -( ';0*,3( <<= $&* -,+&*&.0& -& 2&*#: %' (1)#*,0'# -&,-&.0,+,3(8># -& $,',1(*,-(-& 3#'#: "#* &?&'"1#: ( +#.&0,2(8># FA*(31& )&*(( '&$'(0*(.$3*,8>#+#.;0,3(Q 23'01"#$%&'($)'*+5%(.-#.>#("*&$&.0('.&.R%'($&'&1R(.8(&.0*&$,Q0 0 $&*>#(.(1,$(-#$,.,3,(1'&.0&"#*&$5%&'($R&%*S$0,3#$QM($#.>#(3#.0&8(,-&.0,+,3(8># -& "(-*># -& *&1(3,#.('&.0#.( &0("( (.0&*,#* $&*T &?&3%0(-( ( &0("( -& 3T13%1# -#$ &$3#*&$Q U$ 3(0&)#*,($ $># &$0(/&1&3,-($ "#* #"&*(89&$ 1V),3($: R&%*S$0,3($ #% "&1# 3T13%1#-&&$3#*&$QU$R&%*S$0,3($0&$0('*&)*($$,'"1&$-&#"&*(89&$3#'"#$%&'(A$( 3T13%1#$-&&$3#*&$$>#&$0(/&1&3,-#$"#*-#,$,.-,3(-#*&$W 4()&%$)'10 50 ';0*,3( -& <<= -#$.#'&$.#*'(1,2(-#$ 3#'"1&0#$ -,6,-,-# "&1#.X'&*#-&3(*(30&*&$-#'(,#*.#'&.#*'(1,2(-#3#'"1&0#4 4()&%$)'10 60 ';0*,3( -& <<= -#$.#'&$.#*'(1,2(-#$ 3#'"1&0#$ -,6,-,-# "&1#.X'&*#-&")*+%-#.#'&3#''(,#*5%(.0,-(-&-&")*+% "81$*09$1$0%$/"8'1&:$;3'0)"0)$/$*00 C&$0& 0*(/(1R#: $& "*&$$%"9& 5%& ($ -(0($ -& %' *&),$0*# &.3#.0*('Y$&.# +#*'(0#<<ZZUUUU:#.-&<<;#-,(-#'[$$&'"*&3#'-#,$-S),0#$:ZZ;#'[$ $&'"*&3#'-#,$-S),0#$:UUUU;#(.#$&'"*&3#'5%(0*#-S),0#$Q C( 3#'"(*(8># -& %' "(* -& -(0($ -&.($3,'&.0#: $># "#$$S6&,$ ($ $&)%,.0&$ $,0%(89&$W "#$%&'($)$*+*&"*&$&.0(')*(+,3('&.0&('&$'(-(0(4,'**&-"#."(/"01"#$%&'($)$*+$%)&*&'5%&"&1#'&.#$%'(-(0($$&7((-(0( -&.($3,'&.0#-("&$$#(.#'%.-#*&(1:"#,$-,+&*&'-&%'-S),0##%-&%'( 0*(.$"#$,8>#-&-#,$-S),0#$\';0*,3(-&<<=]I^Q 23'0 1"#$%&'($)$*+ 5%(.-# ($ -(0($ ("*&$&.0(' (10&*(8># -& '(,$ -& %' &1&'&.0#\';0*,3(-&<<=_I^Q U$ 3(0&)#*,($ $># &$0(/&1&3,-($ "#* %'( #"&*(8># 1V),3( #% "&1# 3T13%1# -& &$3#*&$: $&.-# &$0& X10,'# *&(1,2(-# &'"*&)(.-# ( -,$0`.3,( -&<('&*(%Y=&6&.$R0&,..(-(0(-&. 0*,3(-(0( -*#J^Q 6757<0=#$**&>&%$;3'0"0?"%&*3'00 M#'# "a-& $&* #/$&*6(-#.($ $&89&$ (.0&*,#*&$: # *&$%10(-# -($ *&)*($ -& 5%(1,+,3(8>#-&.#'&$&-(0($"#-&*,(',.-,3(*($$&)%,.0&$$,0%(89&$W*&1(3,#.(-#\b^: "#$$,6&1'&.0&*&1(3,#.(-#\Ob^:.>#*&1(3,#.(-#\Cb^QL.0%,0,6('&.0&:$&"&*3&/&%' )*(-,&.0&5%(1,0(0,6#3*&$3&.0&-&Cb"($$(.-#"#*Ob(0;b\#/$&*6(8>#5%&6(1&0(.0# "(*((6(1,(8>#-&%'"(*-&.#'&$#%-&-(0($-&.($3,'&.0#^QA"*#-%0#3(*0&$,(.#-# 809

8 Quadro 2: Conferência eletrônica para qualificação dos nomes "#$%&'()*"+'()$*%,-.%/)+'0)*1,"2)+'-/342-5)+ 6789:;8< "#$%&' ( ) "#$%&'7$-*"-$)+'()*"+'",%5-)4%/)+ 6789:;8< *+,-./0%&' /+$, %2510%&36&343,/+41+&+//%2'2+2+& ,90%43134+:; AAA *+,-./0%&' /+$, %2510%&36&343,/+41+&+//%2'2+2+& ,90%43134+:; AAA *+,-./0%&' /+$, %2510%&36/+41+&+//%2'2+2+& ,90%43134+: AA *+,-./0%&' 134+: A D12%&'23-E EFG3,4+13/2+/%4%9'-%2'2+ HHH D12%&'23-E +10-+EF+IFG2+/%4%9'-%2'2+ HH D12%&'23-E 4'%3-J,+IFG2+/%4%9'-%2'2+;<31032+<'-'2' H "#$%&'7$-*"-$)+'()*"+'7)++-C",*"42"'",%5-)4%/)+ 6789:;8< *+,-./0%&' -+0%-'0323/3/+/<'73/+4B-'1&323/134+/13-4'9%K'23/&34<9+03/ LLL *+,-./0%&' *+,-./0%&' 13-4'9%K'23/&34<9+03/,0%9%K'<'-'&34<'-'783'&'2+%'&31&'0+1'2'& //+$,%10+/ / 23/134+/13-4'9%K'23/&34<9+03/M<-%4+%-3134+N%1%&%'%/% %O-%'/+?90%43134+;-+0%-'0323/3/+/<'73/+4B-'1&323/134+/13-4'9%K'23/ &34<9+03/ LL L D12%&'23-E EPG3,4+13/2+/%4%9'-%2'2+ QQQ D12%&'23-I 4'%/J,+ 2+/%4%9'-%2'2+ QQ "#$%&' 2+ /%4%9'-%2'2+6 Q "#$%&'7$-*"-$)+'()*"+'(D)'",%5-)4%/)+ 6789:;8< *+,-./0%&' ( R <3-T6UNU:N6UNVU:N6UNWU:N6VUNU:N6VUNVU:N6VUNWU:N6WUNU:N6WUNVU:N6WUN WU:XY6UNU:2+130''/%0,'783%2+'9++/<+-'2'N<3%//+/'B+J,+N'<-%1&.<%3N3/<'-+/ 2+ '0-%B,03/ &34<'-'23/ /83 2+ &'-'&0+-./0%&'/ 2' 4+/4' +10%2' ,123-+'9YZ+>0-+433<3/03[3<'-6WUNWU:NJ,+-+<-+/+10''/%0,'7831'J,'

9 "#$ %&'#&()*+*,$-$.*)$+*+% &%- /*)* &#-%, &%- /*)* +*(*,0 #1,%2*0 1-*,$(1*34# '#&()5)$*6%,/%)*+*7 8&(1$($9*-%&(%0 (*-:;-,% /%)'%:% /*,,*&+# /#) C '*,# $&(%)-%+$5)$#0 /#+%,%) $&(%)/)%(*+# '#-# *,$(1*34# &* =1*. 1- (;'&$'# '#-%(%1 /%=1%&#, %))#, %&=1*&(# *.$-%&(*9*1-+#,)%<$,()#,+%1-+#,,$,(%-*,+%$&"#)-*3D%,0-*,=1%($&E**'%,,# 6,$&"#)-*3D%,+*/%,,#*>)%"%)%&'$*+*%-)%<$,()#,+%'*+*,()#,+$,($&(#,A&#-#-%&(# +#/)%%&'E$-%&(#7 F&*.#<*-%&(%0/*)**,'.*,,%,%,(*:%.%'$+*,/%)'%:%G,%1-<)*+$%&(%=1*.$(*($9# ')%,'%&(%/*)**'#-/*)*34#%&()%+#$,&#-%,0,%&+#%,(*,)%/)%,%&(*+*,/#)F0H0I0 J0K%L0&%,(*#)+%-7F'.*,,%F,$<&$"$'*'#))%,/#&+M&'$*>"#$%&'A/%)"%$(*N/*)**, '.*,,%,H%I"#)*-1($.$O*+*,E%1)P,($'*,0'#-#1,%-,1/)%,,4#+%%,/*3#,%-:)*&'#0 /*)**,'#))%,/#&+M&'$*,N&*,'.*,,%,J%K0,4#1($.$O*+#,$&+$'*+#)%,N%*'.*,,%L; *()$:1P+* '*,# *, *:#)+*<%&, *&(%)$#)%, &4# '#&,%<1$)%- %&'#&()*) '#))%,/#&+M&'$*7 8&(%)&*-%&(% * '*+* '.*,,%0 # &Q-%)# +%.%()*, $&+$'* 1- *1-%&(# +* =1*.$+*+%0 /#) %R%-/.#S*,1:'.*,,%III/#,,1$1-*=1*.$+*+%-%.E#)+#=1%II0=1%/#,,1$1-* =1*.$+*+% -%.E#) +# =1% *,1:'.*,,% I7 F '.*,,% F % * '.*,,% L,4# */)%,%&(*-,1:+$9$,D%,0/#$,)%/)%,%&(*-#,+#$,%R()%-#,+%%R'%.M&'$*%+%'#))1/34#+#,+*+#,0 )%,/%'($9*-%&(%7 F, '.*,,%, T0 U % G )%/)%,%&(*-0 &%,(* #)+%-0 1- <)*+$%&(% +%')%,'%&(% +% =1*.$+*+%/*)* G Quadro 3: Conferência eletrônica para qualificação dos datas "#$%&'(%)%*'"+%,-./%0%*'102/)-,%* VW<$'* G T "#$%&'(%)%*'4.**-A"+B"/)"'"+%,-./%0%* X;()$'*+*(*,%*/%&*,1-*#/%)*34#"#$%R%'1(*+* U "#$%&'(%)%*'=C.'"+%,-./%0%* X;()$'*+*(*,%-*$,1-*#/%)*34#"#$%R%'1(*+* G C /)#+1(# '*)(%,$*&# +# '#&21&(# +*,,1:'.*,,%, +% =1*.$"$'*34# +% /*)%, +% &#-%, % +% /*)%, +% +*(*, /#+%,%) #:,%)9*+# &* Y*:%.* Z7 K.% ; )%/)%,%&(*+# /%.* '#&'*(%&*34# +#, )W(1.#, *()$:1P+#, *#, &#-%, % 6, +*(*,0 )%,/%'($9*-%&(% >/#) %R%-/.#0FTA7?*,Y*:%.*,Z%[0*+$,/#,$34#+*,'#)%,$&+$'*1-<)*+$%&(%=1*.$(*($9# ')%,'%&(%0")1(#+%1-*/#&+%)*34#/#)1-%,/%'$*.$,(*0+%LG/*,,*&+#/#)JJJU*(; FT7?* Y*:%.* Z0 *, '#)%, )%/)%,%&(*- # /*)($'$#&*-%&(# %- <)1/#,0 '#&"#)-% %,(*:%.%'$+# /%.# <%,(#)0 +%9$+*-%&(% &#-$&*+#, /#)S '#%)%&(%0 '#&,$,(%&(% "#)(%0 '#&,$,(%&(% ")*'#0 $&'#&,$,(%&(%0 $&'#%)%&(% % +Q9$+*7 \%)$"$'*G,% =1%0 &%,(% '*,#0 # )%,1.(*+#+* 811

10 "#$%"$&'$()*+),-()($.$#"$/-()0$1-($&"-)&(2*+$).2&($#)34252-&426,-&$)#7-%'280 ) #$.#$%$&')342 ()% "2#$% &) ')/$,) & "2&'9&+)0 %$&(2 $1-($&'$ *+$ 2"2##$+ ($%"2&'-&+-()($&))'#-/+-342()%"2#$%:; Tabela 1: Conferência Eletrônica: etapa de classificação <)=)/$,)>0)%"2#$%#$.#$%$&')?+?.)#'-"-2&)?$&'2"2&%-%'$&'$$?"#$%&'( 2+ )#*#$&'( A($&'-5-")6%$ *+$ ) *+$?)-% ).#$%$&') (-5-"+,()($.)#)#$B$ )"$-')342:8$%')/$,$"-().$,2%#C'+,2%DDDE0DDE0DF0 GGGE$GGF0($&2?-&)())#+$'(,-#,$.-#%#)/$.&'(;<$%'$")%20.)#)2/'$&342($+?) Tabela 2: Conferência Eletrônica: etapa de decisão "# $%&'()*+,*,-./0/(1%*2)3).%* A demanda por validação das informações recebidas das operadoras de planos de saúde foi um fator motivador para concepção da metodologia QUALISDATA. A partir da experimentação e da prática no pareamento de registros feita nos anos de 2010 e 2011, foi sendo aperfeiçoado o modelo conceitual do Processo de Conferência Eletrônica. A metodologia proposta simula um processo de conferência de informações observando registros pareados, pois apresenta flexibilidade cognitiva para qualificação de comparações entre registros de informação. As categorizações entre registros possibilitam a qualificação sendo apresentados como letras e símbolos para representar percepções qualitativas para a tomada de decisão de gestores (aceitação ou rejeição de semelhança). D$%') $').)0 -($&'-5-"2+6%$ *+$ ) *+$?)-% ).#$%$&') (-5-"+,()($.)#)#$B$ )"$-')342:8$%')/$,$"-().$,2%#C'+,2%DDDE0DDE0DF0GGGE$GGF; 812

11 Uma característica inovadora, é que esta metodologia não pressupõe que os registros oriundos de uma base de dados sejam melhores, ou piores, que os de outra base. A qualidade é somente auferida pela categorização qualitativa em função de uma resposta cognitiva representada pela racionalização de inconsistências (comparações, heurísticas e indicadores). "#$%&%'(#)(*+%',#$%&,%%&,-$#.*$%',*/*012&%0#+#3#&&4(%*&$%&$#561+%',#& 136#3#&*78#$%&#)-78#3161$*/*0-)$1$%9,*01'1-,*)*:178#$#01$1&,6#$%'#+%&;*&,# 9.%+36%<#$%51&%&$%$1$#&*$%',*/*01$1&=%&,15%)%0%'$#06*,96*#&3161-+<%61$#6$% 51'0# $% '#+%&>? +#$%)1<%+ %&,1,4&,*01 3#$%6*1 &%6(*6 0#+# 3#',# $% 316,*$ %&,-$#&$%"#$%&'()/-,-6#&> "#"$%&'()*+ ANS (2012) Plano Diretor de Tecnologia de Informação de-contas/contratos_de_gestao/pdti_ans_ pdf, Janeiro. ANS (2012a / index.php / aans / transparencia-institucional /prestacao-de-contas / 161-relatoriosde-gestao, Janeiro. ANS (2013). SIB - Manual de instalação, histórico de versão e outros arquivos /198-manual-de-instalacao-historico-de-versao-e-outros-arquivos-sib, Janeiro. Brasil (2012). Agências reguladoras. Estrutura do Estado. Dezembro. IESS (2012). Envelhecimento populacional e os desafios para o sistema de saúde brasileiro. Instituto de Estudos de Saúde Suplementar - São Paulo, SP, Janeiro. InCor (2008) Componentes de Fonetização. Unidade de Pesquisa e Desenvolvimento. Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, Janeiro. Fellegi, I.P. and Sunter, A.B. (1969). A Theory for Record Linkage Journal of the American Statistical Association, Vol. 64, No. 328, pp , Dezembro. Oracle (2013). SOUNDEX. Oracle Database SQL Language Reference. Ver.11g, Janeiro. Pinto, P. C.V., Santos, S.A., Barone, J.A.S., Pinheiro, J.I.P., Fu D.I.M. (2011) Aplicação de Métodos Computacionais para Avaliação da Qualidade das Informações do Cadastro de Beneficiários no SIB/ANS. VIII Congresso Brasileiro de Epidemiologia. CD-ROM. Standard & (2013). What are credit ratings and how do they work? Guide to Credit Rating Essentials, SP_CreditRatingsGuide.pdf Janeiro> 813

12 814

! "#" $ %&& ' ( )%*)&&&& "+,)-. )/00*&&& 1+,)-. )/00*&2) (5 (6 7 36 " #89 : /&*&

! # $ %&& ' ( )%*)&&&& +,)-. )/00*&&& 1+,)-. )/00*&2) (5 (6 7 36  #89 : /&*& ! "#" %&& ' )%*)&&&& "+,)-. )/00*&&& 1+,)-. )/00*&2) 3 4 5 6 7 36 " #89 : /&*& #" + " ;9" 9 E" " """

Leia mais

Controle do Professor

Controle do Professor Controle do Professor Compensou as faltas CURSO: CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO DISCIPLINA: GEOMETRIA ANALÍTICA VETORIAL E INTRODUÇÃO À ÁLGEBRA LINEAR SÉRIE: 2º ANO TRABALHO DE COMPENSAÇÃO DE FALTAS DOS ALUNOS

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO ESCOLHA A ÚNICA ALTERNATIVA CERTA, ASSINALANDO-A COM X NOS PARÊNTESES

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO ESCOLHA A ÚNICA ALTERNATIVA CERTA, ASSINALANDO-A COM X NOS PARÊNTESES MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO DECEx DEPA COLÉGIO MILITAR DO RIO DE JANEIRO (Casa de Thomaz Coelho/1889 9º Ano SubSeção de Matemática 1 a PARTE Múltipla Escolha Álgebra e Geometria ESCOLHA A

Leia mais

! &! $ '()*+,-./01234435 #78!99

! &! $ '()*+,-./01234435 #78!99 1 ! ""#$ %! &! $ '()*+,-./01234435 634432 #78!99 #:;&9 2 !" # " $!" %" # $ &'()*+(,$$#% -.*/0(1)2)3425 3 Marcelo O. Coutinho de Lima 4 )*+, 9 82 "! 9!2 $ $ $?$@; *7 A> =" " ); B$" 9 $

Leia mais

"* + "* + ")"* + ")"* +

* + * + )* + )* + * + * + %& '( %& '( )* + )* + ),-./ 0 ( ( ),1.2./ 0 ( ( 0(0*33** 0(7 4 % & % &' % ( ) * & )+ ', + ---. % / -. + +) /0.- 1 2. 0. 3 + (4 % 7 +4 -' & 1 1' *88** 1&0 % ' % 1 9 1 1 1 % (4 (4 +272 4 1 & 9+

Leia mais

Tabela de Vinculação de pagamento Manteve o mesmo nome DDM SIAFI-TABELA-VINCULA-PAGAMENTO

Tabela de Vinculação de pagamento Manteve o mesmo nome DDM SIAFI-TABELA-VINCULA-PAGAMENTO Segue abaixo dados das DDMs que mudaram para o PCASP, tanto as que mudaram de nome como as que mantiveram o mesmo nome. Para estas, os campos que serão excluídos (em 2015) estão em vermelho e os campos

Leia mais

! $&% '% "' ' '# ' %, #! - ' # ' ' * '. % % ' , '%'# /%, 0! .!1! 2 / " ') # ' + 7*' # +!!! ''+,!'#.8.!&&%, 1 92 '. # ' '!4'',!

! $&% '% ' ' '# ' %, #! - ' # ' ' * '. % % ' , '%'# /%, 0! .!1! 2 /  ') # ' + 7*' # +!!! ''+,!'#.8.!&&%, 1 92 '. # ' '!4'',! "#$%% $&% '% "' ' '# '"''%(&%') '*'+&%'# ),'#+# ' %, # - ' # ' "%'''' ' * '. % % ', '%'# ''''') /%, 0.1 2 / " ') 33*&,% *"'",% '4'5&%64'' # ' + 7*' # + "*''''' 12''&% '''&")#'35 ''+,'#.8.&&%, 1 92 '. #

Leia mais

3.6 TRIÂNGULOS. Definição: Dados três pontos A, B e C, no plano e não-colineares, a figura formada pelos segmentos AB, BC e AC chamamos de triângulo.

3.6 TRIÂNGULOS. Definição: Dados três pontos A, B e C, no plano e não-colineares, a figura formada pelos segmentos AB, BC e AC chamamos de triângulo. 21 3.6 TRIÂNGULOS Definição: Dados três pontos A, B e C, no plano e não-colineares, a figura formada pelos segmentos AB, BC e AC chamamos de triângulo. Propriedades P1. Num triângulo qualquer, a soma das

Leia mais

Diretor Executivo Márcio Augusto Magalhães. Diretor Departamento de Administração Márcio Wamilton Magalhães. Diretor de Operações Adriano de Magalhães

Diretor Executivo Márcio Augusto Magalhães. Diretor Departamento de Administração Márcio Wamilton Magalhães. Diretor de Operações Adriano de Magalhães Diretor Executivo Márcio Augusto Magalhães Diretor Departamento de Administração Márcio Wamilton Magalhães Diretor de Operações Adriano de Magalhães Manual de Abastecimento de Água pág. 2 !"!#$$ %"&'()*%+,%-%+,%./&01

Leia mais

&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&'

&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&' ! " #$$# ! " #$$# %! ' () #' (( * + ), (# -. / 0# () -. 1 234 3 5 3 0' (0 -. 1 1 6$ (7-. 1 - - 6,!" # 8( #( - 1 80 ## -!+ 8, #) -. ') #0 -. 1 ', #0( -. '' #0# - ($$ #0) - ($# $!"% ($, )(-! 9 (#$ )#- %

Leia mais

Técnico Desporto: Jorge Vicente

Técnico Desporto: Jorge Vicente Técnico Desporto: Jorge Vicente Évora, 2010 !!" # $ %!! "#$%&''$(&#&)*$+$*,$#+-$ &$''() * $$!+,- $#.+/0$&#+1(&2+'& 3#&)*$(&4$5&*'./ '0*!$ $ 11 2 '6#+67,)+'')%$8&(+,9,)%+' $.8&6)/0$&&'&*5$15).&*6$')'6&.:6)%$(+&#;$#.+*%&

Leia mais

!"#"$%& '( &)*$+,-& '( +!,& ".!(,()/"'& "& (."!/"0()/& '( (&1!"23" '& ()/!& '( 34)*3", +0")",( "/+!"3,'" )35(!,3'"'( ('(!"$ '&,.6!

!#$%& '( &)*$+,-& '( +!,& .!(,()/'& & (.!/0()/& '( (&1!23 '& ()/!& '( 34)*3, +0),( /+!3,' )35(!,3''( ('(!$ '&,.6! !"#"$%& '( &)*$+,-& '( +!,& ".!(,()/"'& "& (."!/"0()/& '( (&1!"23" '& ()/!& '( 34)*3", +0")",( "/+!"3,'" )35(!,3'"'( ('(!"$ '&,.6!3/& ")/& *&0&!(7+3,3/&."!*3"$."!" " &#/()8-& '& 1!"+ '( "*%"!($ (0 (&1!"23"!3()/"'&!!$9+'3&+3:;")&/($$3

Leia mais

%./ Z.W;E[\]^C_` B H H

%./ Z.W;E[\]^C_` B H H 1 3 1 7 1 7 1 7 1 7 1 7 1 7 1 7 1 7 1 7 1 7! 1 7! 1 7" 1 7 1 7 1 7! 1 7 1 7 1 7 1 7 1 7 1 7 1 7!"# $%&' 1 7 1 7' 1 7 1 7 1 7 1 7( 1 7) 1 7!!" 1 7 1 7 1 7 1 7 *+,-./# $%&' 1 7 1 701' 1 7 1 7 1 7"#) 1 7!!!!

Leia mais

!"#$% "& ' ( ) *! " # $ +,-./01 & ' % " & ' 9 : ; < = BC DE 9 : ; F<=>GHIJKLMN8 % "&'9:;O"B PQRS I T U V W # X B 5 Y 8 ")*'56Z[

!#$% & ' ( ) *!  # $ +,-./01 & ' %  & ' 9 : ; < = BC DE 9 : ; F<=>GHIJKLMN8 % &'9:;OB PQRS I T U V W # X B 5 Y 8 )*'56Z[ !"#$%&' ()*+,-. /! " # $ % & ' ( ) * +,-./01230* 456789 :;*45#$ 0?%&@AB'CDE> 0*0 FG.HIJK0LMNO-!"HIPQRS0T2UV W X #$0WY 01* #$%&45#$!" #$% & '%! % "!" #$%!$ &'$ $ $ () *)+) #"$'",))-. /00"0) '1 )).' '%!0

Leia mais

NPQV Variável Educação Prof. Responsáv el : Ra ph a el B i c u d o

NPQV Variável Educação Prof. Responsáv el : Ra ph a el B i c u d o NPQV Variável Educação Prof. Responsáv v el :: Ra ph aa el BB ii cc uu dd o ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NA ÁREA DE EDUCAÇÃO 2º Semestre de 2003 ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NA ÁREA DE EDUCAÇÃO As atividades realizadas

Leia mais

SEGURO FATURAMENTO AGRÍCOLA. Condições Gerais

SEGURO FATURAMENTO AGRÍCOLA. Condições Gerais SEGURO FATURAMENTO AGRÍCOLA Condições Gerais VERSÃO 1.3 CNPJ 28.196.889/0001-43 Processo SUSEP nº 15414.001668/2011-41 Condições Gerais Seguro Faturamento Agrícola versão 1.3 / Processo SUSEP nº 15414.001668/2011-41

Leia mais

Módulo Elementos Básicos de Geometria - Parte 3. Circunferência. Professores: Cleber Assis e Tiago Miranda

Módulo Elementos Básicos de Geometria - Parte 3. Circunferência. Professores: Cleber Assis e Tiago Miranda Módulo Elementos Básicos de Geometria - Parte Circunferência. 8 ano/e.f. Professores: Cleber Assis e Tiago Miranda Elementos Básicos de Geometria - Parte. Circunferência. 1 Exercícios Introdutórios Exercício

Leia mais

Álgebra de Boole. Este material é uma adaptação das notas de aula dos professores Edino Fernandes, Juliano Maia, Ricardo Martins e Luciana Guedes

Álgebra de Boole. Este material é uma adaptação das notas de aula dos professores Edino Fernandes, Juliano Maia, Ricardo Martins e Luciana Guedes Álgebra de Boole Este material é uma adaptação das notas de aula dos professores Edino Fernandes, Juliano Maia, Ricardo Martins e Luciana Guedes Álgebra de Boole Álgebra Booleana ou Álgebra de Boole Conjunto

Leia mais

REGISTRO ELETRÔNICO DE SAÚDE CONECTIVIDADE E INFORMAÇÃO ON-LINE NA REDE DE ATENÇÃO À SAÚDE

REGISTRO ELETRÔNICO DE SAÚDE CONECTIVIDADE E INFORMAÇÃO ON-LINE NA REDE DE ATENÇÃO À SAÚDE REGISTRO ELETRÔNICO DE SAÚDE CONECTIVIDADE E INFORMAÇÃO ON-LINE NA REDE DE ATENÇÃO À SAÚDE Clique para editar Marizélia o nome Leão do Moreira autor Gerente da Gerência Executiva de Clique Padronização

Leia mais

Ministério da Cultura Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional Departamento de Planejamento e Administração Coordenação-Geral de

Ministério da Cultura Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional Departamento de Planejamento e Administração Coordenação-Geral de Ministério da Cultura Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional Departamento de Planejamento e Administração Coordenação-Geral de Tecnologia da Informação!" !" $%& '( ) %) * +, - +./0/1/+10,++$.(2

Leia mais

José Valente de Oliveira e Fernando Lobo. Introdução à. Programação de Computadores em Java

José Valente de Oliveira e Fernando Lobo. Introdução à. Programação de Computadores em Java José Valente de Oliveira e Fernando Lobo Introdução à Programação de Computadores em Java José Valente de Oliveira e Fernando Lobo The Ualg Informatics Lab Universidade do Algarve Índice...4 CONCEITOS

Leia mais

r a t (I), ht rs (II) e (III) r s t r a

r a t (I), ht rs (II) e (III) r s t r a 01 De T 1 e T 3, temos: a h r s h r a t (I), ht rs (II) e (III) r s t r a De T e T 3, temos: h b s s b s b t (IV) e (V) r s t r h De (III) e (V): b h h a b (VI) h a Somando (I) e (IV) temos: r s at bt

Leia mais

ANEXO I FORMULÁRIO DE SOLICITAÇÃO DE RECONHECIMENTO PELA ANS DE PESSOAS JURÍDICA PARA ATUAR COMO ENTIDADE ACREDITADORA DE SERVIÇOS DE SAÚDE NO QUALISS

ANEXO I FORMULÁRIO DE SOLICITAÇÃO DE RECONHECIMENTO PELA ANS DE PESSOAS JURÍDICA PARA ATUAR COMO ENTIDADE ACREDITADORA DE SERVIÇOS DE SAÚDE NO QUALISS ANEXO I FORMULÁRIO DE SOLICITAÇÃO DE RECONHECIMENTO PELA ANS DE PESSOAS JURÍDICA PARA ATUAR COMO ENTIDADE ACREDITADORA DE SERVIÇOS DE SAÚDE NO QUALISS ACREDITADORA NO QUALISS reconhecimento para atuar

Leia mais

Siemens AG 2009 SIRIUS SENTRON SIVACON. Catálogo LV 90 2009. Baixa Tensão Corte, protecção e comando. Answers for industry.

Siemens AG 2009 SIRIUS SENTRON SIVACON. Catálogo LV 90 2009. Baixa Tensão Corte, protecção e comando. Answers for industry. SIRIUS SENTRON SIVACON Catálogo LV 90 2009 Baixa Tensão Corte, protecção e comando Answers for industry. Interruptores de corte em carga, sistemas de barramentos SENTRON 8US Introdução Tipo 3NP 1 3K 3NJ4

Leia mais

Matemática A RESOLUÇÃO GRUPO I. ,, h é um vetor diretor da reta r. Teste Intermédio de Matemática A. Versão 2. Teste Intermédio.

Matemática A RESOLUÇÃO GRUPO I. ,, h é um vetor diretor da reta r. Teste Intermédio de Matemática A. Versão 2. Teste Intermédio. Teste Intermédio de Matemática A Versão Teste Intermédio Matemática A Versão Duração do Teste: 9 minutos 6...º Ano de Escolaridade DecretoLei n.º 74/4 de 6 de março RESLUÇÃ GRUP I. Resposta (D) s vetores

Leia mais

Semelhança e Congruência de Triângulos

Semelhança e Congruência de Triângulos Resumo: Palavras-chave: Introdução Congruência e Semelhança de Triângulos Através de Modelos Um modelo concreto é proposto para ser utilizado pelo aluno em sala de aula, de maneira a compreender os conceitos

Leia mais

!"#$ %&' ()*+, +,*-./( * ( (

!#$ %&' ()*+, +,*-./( * ( ( 1 3 1 7 1 7 1 7 /456 1 7 1 7 1 7 & & 1 7 1 7 1 7 1 7 1 7 1 7 1 7! 1 7" 1 7 1 7# 1 7 1 7 1 7$ 1 7 1 7%& 1 7 1 7 1 7 1 7 1 7 1 7 1 7 1 7 @ 1 7 1 7 1 7 1 7 1 7 1 7 1 7!"#$ 1 7 1 7 1 7%&' 1 7!" 78.+/ 0 9:

Leia mais

1ª Aula. Introdução à Geometria Plana GEOMETRIA. 3- Ângulos Consecutivos: 1- Conceitos Primitivos: a) Ponto A. b) Reta c) Semi-reta

1ª Aula. Introdução à Geometria Plana GEOMETRIA. 3- Ângulos Consecutivos: 1- Conceitos Primitivos: a) Ponto A. b) Reta c) Semi-reta 1ª Aula 3- Ângulos Consecutivos: Introdução à Geometria Plana 1- Conceitos Primitivos: a) Ponto A Na figura, os ângulos AÔB e BÔC são consecutivos, portanto AÔC=AÔB+AÔC b) Reta c) Semi-reta d) Segmento

Leia mais

'!"( )*+%, ( -. ) #) 01)0) 2! ' 3.!1(,,, ".6 )) -2 7! 6)) " ) 6 #$ ))!" 6) 8 "9 :# $ ( -;!: (2. ) # )

'!( )*+%, ( -. ) #) 01)0) 2! ' 3.!1(,,, .6 )) -2 7! 6))  ) 6 #$ ))! 6) 8 9 :# $ ( -;!: (2. ) # ) !" #$%&& #% 1 !"# $%& '!"( )*+%, ( -. ) #) /)01 01)0) 2! ' 3.!1(,,, " 44425"2.6 )) -2 7! 6)) " ) 6 #$ ))!" 6) 4442$ ))2 8 "9 :# $ ( -;!: (2. ) # ) 44425"2 ))!)) 2() )! ()?"?@! A ))B " > - > )A! 2CDE)

Leia mais

O EMPREITEIRO. Copatrocínio

O EMPREITEIRO. Copatrocínio KH T M W TÃ G A N F NAL UC Lp D CA -A 1200 ÁT X A JT - / A ã 5 1 0 2 D m 26 A A ç p 27 MW c áb fz h C J F g c h Lb 290/ -116 6 1 0 y 2 w h çã f pc G pc m D x f L ª 4 G c M A Jg q A b é C gh H V V g ã M

Leia mais

MATEMÁTICA 7º ANO SEMELHANÇA DE TRIÂNGULOS

MATEMÁTICA 7º ANO SEMELHANÇA DE TRIÂNGULOS MATEMÁTICA 7º ANO SEMELHANÇA DE TRIÂNGULOS CRITÉRIOS DE SEMELHANÇA DE TRIÂNGULOS CRITÉRIO AA: Dois triângulos são semelhantes se dois ângulos de um são iguais a dois ângulos do outro. CRITÉRIO LAL: Dois

Leia mais

3. Dois topógrafos, ao medirem a largura de um rio, obtiveram as medidas mostradas no desenho abaixo. Determine a largura do rio.

3. Dois topógrafos, ao medirem a largura de um rio, obtiveram as medidas mostradas no desenho abaixo. Determine a largura do rio. Lista de Exercícios - 02 Pré Universitário Uni-Anhanguera Aluno (a): Nº. Professor: Flávio Série: Disciplina: Matemática Data da entrega: 25/03/2014 Observação: A lista deverá apresentar capa e enunciados.

Leia mais

Estudo de alternativas para a remoção dos metais pesados em águas no semiárido

Estudo de alternativas para a remoção dos metais pesados em águas no semiárido XVI Semana de Iniciação Científica e II Semana de Extensão de 21 a 26 de outubro de 2013 ISSN: 1983-8174 Universidade Regional do Cariri - URCA - Crato, Ceará Estudo de alternativas para a remoção dos

Leia mais

Apostila 01 Fundamentação da Teoria da Computação e Linguagens Formais

Apostila 01 Fundamentação da Teoria da Computação e Linguagens Formais Cursos: Bacharelado em Ciência da Computação e Bacharelado em Sistemas de Informação Disciplinas: (1493A) Teoria da Computação e Linguagens Formais, (4623A) Teoria da Computação e Linguagens Formais e

Leia mais

Avaliação 1 - MA13-2015.2 - Gabarito. Sendo dados os segmentos de medidas a e b, descreva como construir com régua e compasso a medida ab.

Avaliação 1 - MA13-2015.2 - Gabarito. Sendo dados os segmentos de medidas a e b, descreva como construir com régua e compasso a medida ab. MESTRADO PROFISSIONAL EM MATEMÁTICA EM REDE NACIONAL Avaliação 1 - MA13-2015.2 - Gabarito Questão 01 [ 2,00 pts ] Sendo dados os segmentos de medidas a e b, descreva como construir com régua e compasso

Leia mais

PROJETOHORTAEMCASA. Manualdo. Apoio. Realização CDHU PREFEITUR A DE SÃO PAULO VERDE E MEIO AMBIENTE. Instituto GEA

PROJETOHORTAEMCASA. Manualdo. Apoio. Realização CDHU PREFEITUR A DE SÃO PAULO VERDE E MEIO AMBIENTE. Instituto GEA M RJETHRTAEMCAA CM LANTAR E CLHER ALIMENT EM CAA 201 A Rzçã Ch Dvv Hb Ub CDHU I GEA é b REFEITUR A DE Ã AUL VERDE E MEI AMBIENTE FhTé Ebçã Tx Agô Jé Lz Ch T Nh Rh Rvã A M Dg Lz Egá j Nh Rh Rq L R Rf Tv

Leia mais

EXERCÍCIOS RESOLVIDOS ESTUDO DA RETA

EXERCÍCIOS RESOLVIDOS ESTUDO DA RETA 1 EXERCÍCIOS RESOLVIDOS ESTUDO DA RETA 1. SEJA O CUBO DADO NA FIGURA ABAIXO CUJOS VÉRTICES AB PERTENCEM À LT. PERGUNTA-SE: A) QUE TIPO DE RETAS PASSA PELAS ARESTAS EF, EC, EG. B) QUE TIPO DE RETAS PASSA

Leia mais

!" "! # $ % & '!! % #(! % ) #**! + (, - - #. % %! % % - #+ / $ 0% % 1 1 * 2 & #

! ! # $ % & '!! % #(! % ) #**! + (, - - #. % %! % % - #+ / $ 0% % 1 1 * 2 & # " " # $ % & ' % #( % ) #** + (, - - #. % % % % - #+ ' % & # / $ 0% % 1 1 * 2 & # 0 +& 3$.41(5$6# 7 3$(25$6 # 2 % / #$ ( 8 19(# ) $ 4%0 0 #+&$ 3$.41(5$6#0 3$. 41( 5$6# 7 3:*; 5$6# $ 9. < 1 = + 2 # Revista

Leia mais

! " # $ % % & ' ( ) ' * * +

!  # $ % % & ' ( ) ' * * + ! " # $ % % & ' ( ) ' * * + , - $ '. ! " $ & & - 0 $ $ 0 $ 3 4 5 4 3 ) 7 8 7 # % ' " ( ) * +,./ " ( $,,, ) 1 2 1 ' % 2 " % % ' %( 6 ' ( ( $ $ " !!. / '! % - :,! 3!3 ; % - ( *# 3)! ) < ; = 9 # 3!!3 33

Leia mais

Projetos e-saúde e RES. 30 de outubro de 2015

Projetos e-saúde e RES. 30 de outubro de 2015 Projetos e-saúde e RES 30 de outubro de 2015 1 PROJETOS e-saúde e RES Mudanças e desafios do setor da Saúde Suplementar 2 Marizélia Leão Moreira Gerente da Gerência Executiva de Padronização e Interoperabilidade

Leia mais

A LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS NA CIDADE DE CRATO-CE: O USO EM CONTEXTOS RELIGIOSOS

A LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS NA CIDADE DE CRATO-CE: O USO EM CONTEXTOS RELIGIOSOS XVI Semana de Iniciação Científica e II Semana de Extensão de 21 a 26 de outubro de 213 ISSN: 1983-8174 Universidade Regional do Cariri - URCA - Crato, Ceará A LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS NA CIDADE DE

Leia mais

Parcerias Negociais. CSH300 Remessa CSH310 Retorno. Versão 1.2

Parcerias Negociais. CSH300 Remessa CSH310 Retorno. Versão 1.2 Parcerias Negociais CSH300 Remessa CSH310 Retorno Versão 1.2 12/03/2014 1 - Introdução Este manual apresenta o padrão para troca de arquivos entre Empresas e o Banco para confirmação de informações na

Leia mais

PRÓ-REITORIA ACADÊMICA COORDENAÇÃO PARA ASSUNTOS EDUCACIONAIS PLANO DE ENSINO

PRÓ-REITORIA ACADÊMICA COORDENAÇÃO PARA ASSUNTOS EDUCACIONAIS PLANO DE ENSINO PRÓ-REITORIA ACADÊMICA COORDENAÇÃO PARA ASSUNTOS EDUCACIONAIS DISCIPLINA: METODOLOGIA DA PESQUISA Código: UR2024 Semestre letivo e ano em que será ministrada: 2º/2012 I DADOS DE IDENTIFICAÇÃO 1. Universidade

Leia mais

Aula 01 Conceito de Banco de Dados e SGBD

Aula 01 Conceito de Banco de Dados e SGBD Aula 01 Conceito de Banco de Dados e SGBD Dado: conjunto de símbolos arranjados a fim de representar a informação fora da mente humana. Elemento de Dado: subconjunto de símbolos que compõem um dado com

Leia mais

COMPANHIA DOCAS DE IMBITUBA Administração do Porto de Imbituba

COMPANHIA DOCAS DE IMBITUBA Administração do Porto de Imbituba COMPAHIA DOCAS DE IMBITUBA Administração do Porto de Imbituba!" #$ %& ' ( ) ESCLARECIMETOS IICIAIS. A Audiência Pública é um instrumento de participação popular, aberta a qualquer interessado, tendo por

Leia mais

2 Conceitos da qualidade em saúde

2 Conceitos da qualidade em saúde 2 Conceitos da qualidade Avaliação da Satisfação do Utente/Cliente Escola Superior de Saúde do Vale do Sousa Qualidade clínica como a articulação de 4 elementos - Desempenho profissional (qualidade técnica)

Leia mais

Módulo Elementos Básicos de Geometria Plana - Parte 2. Congruência de Triângulos e Aplicações. Professores Cleber Assis e Tiago Miranda

Módulo Elementos Básicos de Geometria Plana - Parte 2. Congruência de Triângulos e Aplicações. Professores Cleber Assis e Tiago Miranda Módulo Elementos Básicos de Geometria Plana - Parte 2 Congruência de Triângulos e Aplicações. 8 ano E.F. Professores Cleber Assis e Tiago Miranda Elementos Básicos de Geometria Plana - Parte 2. Congruência

Leia mais

GERAÇÃO DE EMPREGO E RESPONSABILIDADE SOCIAL DAS EMPRESAS INSTALADAS NA REGIÃO METROPOLITANA DO CARIRI

GERAÇÃO DE EMPREGO E RESPONSABILIDADE SOCIAL DAS EMPRESAS INSTALADAS NA REGIÃO METROPOLITANA DO CARIRI XVI Semana de Iniciação Científica e II Semana de Extensão De 21 a 26 de outubro de 2013 ISSN: 1983-8174 Universidade Regional do Cariri - URCA - Crato, Ceará GERAÇÃO DE EMPREGO E RESPONSABILIDADE SOCIAL

Leia mais

!" " #$ %&%!" " #$ %&' $ () *+ ),-., ".! /0. " 1 2 " 1

!  #$ %&%!  #$ %&' $ () *+ ),-., .! /0.  1 2  1 !" " #$ %&%!" " #$ %&' $ ( +,-., ".! /0. " 1 2 " 1, 3456 7 8 2 9 8, %: ; < 9= %% %& 2 4 %& 2 4 %& %& " %' > %.? < 9= %.!2?%1 20#4+ "@2 A%1?%B C#4 4 %D 4E%8 "0#0+ &: 2 " @ A&: &: ;(C&: < &% 2 >?&& Renato

Leia mais

MATEMÁTICA - 3o ciclo Áreas e Volumes (9 o ano) Propostas de resolução

MATEMÁTICA - 3o ciclo Áreas e Volumes (9 o ano) Propostas de resolução MATEMÁTICA - o ciclo Áreas e Volumes (9 o ano) Propostas de resolução Exercícios de provas nacionais e testes intermédios 1. Como planificação da superfície lateral de cilindro é um retângulo, cujas medidas

Leia mais

Qualificação de Fornecedores na Sabesp

Qualificação de Fornecedores na Sabesp Qualificação de Fornecedores na Sabesp Objetivo Mostrar ao mercado nacional e internacional, o interesse da Sabesp em fomentar a participação do maior número possível de fornecedores de materiais e equipamentos

Leia mais

Desafios e Perspectivas para a Saúde Suplementar

Desafios e Perspectivas para a Saúde Suplementar Desafios e Perspectivas para a Saúde Suplementar Lenise Barcellos de Mello Secchin Chefe de Gabinete São Paulo, 06 de maio de 2016. Agência Nacional de Saúde Suplementar - ANS Agência reguladora federal

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular GESTÃO DO CONHECIMENTO Ano Lectivo 2015/2016

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular GESTÃO DO CONHECIMENTO Ano Lectivo 2015/2016 Programa da Unidade Curricular GESTÃO DO CONHECIMENTO Ano Lectivo 2015/2016 1. Unidade Orgânica Ciências da Economia e da Empresa (2º Ciclo) 2. Curso Mestrado em Gestão de Recursos Humanos e Análise Organizacional

Leia mais

&' ( ')* + !,)-!,. *#)*!( 3,$#4 /! !!! "# $% &' ( ') * "#!+ * "#*,$,,- "#./$ 0 "#"$%1$2 " "#34,(, "0 "#$%$%( 3 "#+ $ 30 "#0+((

&' ( ')* + !,)-!,. *#)*!( 3,$#4 /! !!! # $% &' ( ') * #!+ * #*,$,,- #./$ 0 #$%1$2  #34,(, 0 #$%$%( 3 #+ $ 30 #0+(( ! "#$# 1 % &' ( ')* +!,)-!,. *#)*!( /,$0)-!1 (,2)-!!! 3,$#4 /! "# $% &' ( ') * "#!+ * "#*,$,,- "#./$ 0 "#"$%1$2 " "#34,(, "0 "#$%$%( 3 "#+ $ 30 "#0+(( 2 "2 5 $5(') 5 (5$'(') (+$') 6.$') 78 6$7$% 55 55$

Leia mais

TISS WTI jul/2014

TISS WTI jul/2014 TISS 3.02.00 jul/2014 RN 305 IN 51-2012 TISS Institui o Padrão obrigatório para Troca de Informações na Saúde Suplementar Agentes de Troca ANS Operadoras Prestadores Objetivos Padronizar Subsidiar ações

Leia mais

Nota10 ESCOLAS DA DIVERSIDADE

Nota10 ESCOLAS DA DIVERSIDADE A fl Clg, Al Glbg: l g q PÁGINA 8 N10 A 13 ú 48 bl//jh 2013 Pblçã l Fçã AlMl Bl ESCOLAS DA DIVERSIDADE Pj Fçã AlMl Bl úbl b blh lã ç fê l l l PÁGINAS 4 E 5 ARUIVO FUNDAÇÃO ARCELORMITTAL BRASIL O l Jé f

Leia mais

Tópicos Quem é é a a PP aa nn dd ui t t?? PP oo rr qq ue um CC aa bb ea men tt oo PP er ff oo rr ma nn cc e? dd e AA ll tt a a Qua ll ii dd aa dd e e PP aa nn dd ui t t NN et ww oo rr k k II nn ff rr aa

Leia mais

Manobra e Proteção de Motores. sirius. Métodos de Partida

Manobra e Proteção de Motores. sirius. Métodos de Partida anobra e Proteção de otores sirius étodos de Partida étodos de partida Índice Páginas Partida direta coordenada com fusível... e Partida direta com reversão coordenada com fúsivel... 5 e 6 Partida estrela-triângulo

Leia mais

ATIVIDADE: METODOS DE DIVISÃO DE SEGMENTOS E DA CIRCUFERENCIA.

ATIVIDADE: METODOS DE DIVISÃO DE SEGMENTOS E DA CIRCUFERENCIA. ANEXO 7 Referente a Ação 7 5. ATIVIDADE DE PREPARAÇÃO DOS BOLSISTAS ALUNOS MINI-CURSO Construções Geométricas: Esta atividade foi desenvolvida na Universidade com o objetivo de habilitar os bolsistas em

Leia mais

IMPORTAÇÃO DO CADASTRO DE PESSOAS

IMPORTAÇÃO DO CADASTRO DE PESSOAS IMPORTAÇÃO DO CADASTRO DE PESSOAS 1. Objetivo: 1. Esta rotina permite importar para o banco de dados do ibisoft Empresa o cadastro de pessoas gerado por outro aplicativo. 2. O cadastro de pessoas pode

Leia mais

Rita Alexandra Manso Araújo. As relações negociais entre jornalistas e fontes: o caso da Saúde. Universidade do Minho Instituto de Ciências Sociais

Rita Alexandra Manso Araújo. As relações negociais entre jornalistas e fontes: o caso da Saúde. Universidade do Minho Instituto de Ciências Sociais Rita Alexandra Manso Araújo As relações negociais entre jornalistas e fontes: o caso da Saúde UMinho 2012 Rita Alexandra Manso Araújo As relações negociais entre jornalistas e fontes: o caso da Saúde Universidade

Leia mais

Faculdade de Economia Universidade Nova de Lisboa Semestre de Inverno 2010/2011. Cálculo I. Caderno de exercícios 2

Faculdade de Economia Universidade Nova de Lisboa Semestre de Inverno 2010/2011. Cálculo I. Caderno de exercícios 2 Faculdade de Economia Universidade Nova de Lisboa Semestre de Inverno 2010/2011 Cálculo I Caderno de exercícios 2 Paulo Corte-Real Ernesto Freitas Claudia Alves David Antunes Silvia Guerra 1 0 12,+,3,456)

Leia mais

Gazeta de Coimbra , 1º trimestre Publicado por: J. R. A. URL persistente:

Gazeta de Coimbra , 1º trimestre Publicado por: J. R. A. URL persistente: Gz b - 7 º b : J L : :h://bb/b/b-gh-6/h; :h://hh/06/87 : 6-J-07 8:4:05 çã Bb b õ çã çõ Bb h:///-/ f x f çõ q ç zçã z ) ) ç çã ç z q ) ) ) f zçã b q b ó x çã ó q fz- h b! Jã b b b b L _ L! L h fh b- ç q

Leia mais

RELAÇÃO DE PRODUTOS UNIMED-RIO

RELAÇÃO DE PRODUTOS UNIMED-RIO RELAÇÃO DE PRODUTOS UNIMED-RIO Itens sinalizados em cinza: Por questões contratuais o Nome Comercial foi exibido conforme Ofício protocolizado na ANS no dia 27/12/2013. Nr.Registro/ 467667120 Unimed Alfa

Leia mais

Linguagens e Autômatos

Linguagens e Autômatos 167657 - Controle para Automação Curso de Graduação em Engenharia de Controle e Automação Departamento de Engenharia Elétrica Universidade de Brasília Linguagens e Autômatos Geovany A. Borges gaborges@ene.unb.br

Leia mais

Níveis descritivos de testes estatísticos de variabilidade como medidas de similaridade entre objetos em análises de agrupamento

Níveis descritivos de testes estatísticos de variabilidade como medidas de similaridade entre objetos em análises de agrupamento Níveis descritivos de testes estatísticos de variabilidade como medidas de similaridade entre objetos em análises de agrupamento Luiz Roberto Martins Pinto 1 Leonardo Evangelista Moraes 2 Priscila Ramos

Leia mais

REGULAÇÃO NO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE SUS. Setembro/2010

REGULAÇÃO NO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE SUS. Setembro/2010 MINISTÉRIO DA SAÚDE Secretaria de Atenção à Saúde Departamento de Regulação, Avaliação e Controle de Sistemas Coordenação Geral de Regulação e Avaliação REGULAÇÃO NO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE SUS Setembro/2010

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Ensino Técnico. Qualificação: Auxiliar Administrativo

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Ensino Técnico. Qualificação: Auxiliar Administrativo Administração Central Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico Etec : ETEC PAULINO BOTELHO Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: GESTÃO E NEGÓCIOS Habilitação Profissional: Técnico em

Leia mais

!"#$%&'#$()&*+*$ $"#,+$-*!#+)!& &'-&.*$#!.!/&0,+ $)",+

!#$%&'#$()&*+*$ $#,+$-*!#+)!& &'-&.*$#!.!/&0,+ $),+ !"#$%&'#$()&*+*$ $"#,+$-*!#+)!& &'-&.*$#!.!/&0,+ $)",+ )!1-'&.*$+'#&"*+"-'!234!+"*+"#&*+*&&5!& &#&*&&#-&.!/&0,+6*$1)!.*$ APRESENTAÇÃO...6 I - PROCEDIMENTOS INICIAIS...6 II - PROCEDIMENTOS DE UTILIZAÇÃO...7

Leia mais

Projetos e Metas do Intercâmbio Nacional para 2017

Projetos e Metas do Intercâmbio Nacional para 2017 Projetos e Metas do Intercâmbio Nacional para 2017 Carla Sales Ingressou no sistema Unimed em 1995 Unimed do Brasil; Participou dos processos ligados ao atendimento durante a Criação da Central Nacional

Leia mais

Câmara dos Deputados Praça 3 Poderes Consultoria Legislativa Anexo III - Térreo Brasília - DF

Câmara dos Deputados Praça 3 Poderes Consultoria Legislativa Anexo III - Térreo Brasília - DF Henrique Leonardo Medeiros Consultor Legislativo da Área II Direito Civil e Processual Civil, Direito Penal e Processual Penal, de Família, do Autor, de Sucessões, Internacional Privado Câmara dos Deputados

Leia mais

CPV especializado na ESPM ESPM Resolvida Prova E 10/novembro/2013

CPV especializado na ESPM ESPM Resolvida Prova E 10/novembro/2013 CPV especializado na ESPM ESPM Resolvida Prova E 0/novembro/03 Matemática. As soluções da equação x + 3 x = 3x + são dois números: x + 3 a) primos b) positivos c) negativos d) pares e) ímpares x + 3 x

Leia mais

!"#$%& '!!!(!)!"#*+&,$!+!)!!% -"#'.!$ ' &/-+!'!&$!"#

!#$%& '!!!(!)!#*+&,$!+!)!!% -#'.!$ ' &/-+!'!&$!# !"#$%& '!!!(!)!"#*+&,$!+!)!!% -"#'.!$ ' &/-+!'!&$!"# 011+!' $.$ '!$2 -!' ).*'2&%'34431 3 5 6 - +78*-! -!-' ). &!! +-!&- ' 9)$)! & +$ : -! -!-' - +781 5 ).;'!*34431 1;)1!"#?&!'@5-('!''!)'!-' ' $)1.!&!

Leia mais

!"#!$%& '(!)*+,*!-!.& / ##0*+(#0*+1#0*& 2 *-!)$%3!4!'!& 5 %0'#3!3& 6!%-!'4! 0-!*-!!#!'!& #$!#! *!& / *-!)*-!!*& /1 " / 89 /'*!(!):* / 0**;0%!

!#!$%& '(!)*+,*!-!.& / ##0*+(#0*+1#0*& 2 *-!)$%3!4!'!& 5 %0'#3!3& 6!%-!'4! 0-!*-!!#!'!& #$!#! *!& / *-!)*-!!*& /1  / 89 /'*!(!):* / 0**;0%! !"#!$% '(!)*+,*!-!. / ##0*+(#0*+1#0* 2 *-!)$%3!4!'! 5 %0'#3!3 6!%-!'4! 0-!*-!!#!'! 7 '3-#!*03 #$!#! *! / *-!)*-!!* /1 " / 89 /'*!(!):* / 0**;0%!'* //*#$0(=!)>? @7" ! " # $! % " ' "

Leia mais

! "# $%&'( ) *'*&%( +,$ -.

! # $%&'( ) *'*&%( +,$ -. ! "# $%&'( ) *'*&%( +,$ -.!! "#$%/!%% //++/%0&% /0/)%1& %#%% 1($2! %3 4 5*5 &6 %27&89..+:-;>->1?@>

Leia mais

Relatório Mensal - janeiro a julho

Relatório Mensal - janeiro a julho ACOMPANHE NOSSA GESTÃO 2016 Relatório Mensal - janeiro a julho ANS nº 30731-9 BALANÇO DOS PRIMEIROS SETE MESES A partir desse mês, a Cabergs Saúde apresentará, periodicamente, os seus principais números.

Leia mais

Expressões Regulares e Gramáticas Regulares

Expressões Regulares e Gramáticas Regulares Universidade Católica de Pelotas Escola de informática 053212 Linguagens Formais e Autômatos TEXTO 2 Expressões Regulares e Gramáticas Regulares Prof. Luiz A M Palazzo Março de 2007 Definição de Expressão

Leia mais

Matemática: Trigonometria Vestibulares UNICAMP

Matemática: Trigonometria Vestibulares UNICAMP Matemática: Trigonometria Vestibulares 015-011 - UNICAMP 1. (Unicamp 015) A figura abaixo exibe um círculo de raio r que tangencia internamente um setor circular de raio R e ângulo central θ. a) Para θ

Leia mais

Módulo Elementos Básicos de Geometria - Parte 3. Pontos Notáveis no Triângulo. Professores Cleber Assis e Tiago Miranda

Módulo Elementos Básicos de Geometria - Parte 3. Pontos Notáveis no Triângulo. Professores Cleber Assis e Tiago Miranda Módulo Elementos Básicos de Geometria - Parte 3 Pontos Notáveis no Triângulo. 8 ano/e.f. Professores Cleber Assis e Tiago Miranda Elementos Básicos de Geometria - Parte 3. Pontos Notáveis no Triângulo.

Leia mais

$35(6(17$d 2Ã&/Ë1,&$ 'LDJQyVWLFRÃ FOtQLFR &ROHGRFROLWtDVH &ROHFLVWLWH 3DQFUHDWLWH &ROHGRFROLWtDVH HP UHVROXomR &ROHFLVWLWH 3DQFUHDWLWH &ROHGRFROLWtDVH HP UHVROXomR &yolfdãeloldu (FRJUDILD &ROpGRFRÃ!ÃÃFP

Leia mais

Cartão Nacional de Saúde no âmbito da Saúde Suplementar

Cartão Nacional de Saúde no âmbito da Saúde Suplementar Cartão Nacional de Saúde no âmbito da Saúde Suplementar GEPIN/GGISS/DIDES Rio das Ostras RJ julho/2012 Cartão Nacional de Saúde (CNS) O que é? Documento numerado para cadastro de usuários de serviços de

Leia mais

Aplicação da Escala Europeia de Comparabilidade de Classificações (Decreto Lei Nº 42/2005)

Aplicação da Escala Europeia de Comparabilidade de Classificações (Decreto Lei Nº 42/2005) Aplicação da Escala Europeia de Comparabilidade de Classificações (Decreto Lei Nº 42/2005) 1. Nota Introdutória Decorre da implementação do Processo de Bolonha ao Ensino Superior Português, através do

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio de Técnico em Eletrônica. Qualificação: Técnico em Eletrônica

Plano de Trabalho Docente Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio de Técnico em Eletrônica. Qualificação: Técnico em Eletrônica Plano de Trabalho Docente 2014 ETEC Monsenhor Antônio Magliano Ensino Técnico Código: 088 Município: Garça Área Profissional: Controle e Sistemas Industriais. Habilitação Profissional: Técnica de Nível

Leia mais

GABARITO COMENTADO SIMULADO PRE VESTIBULAR INTENSIVO

GABARITO COMENTADO SIMULADO PRE VESTIBULAR INTENSIVO GABARITO COMENTADO SIMULADO PRE VESTIBULAR INTENSIVO Resposta da questão 1: Como 900 360 180, segue que o atleta girou duas voltas e meia. Resposta da questão : O ângulo percorrido pelo ponteiro das horas

Leia mais

Tipos de Estudos Científicos e Níveis de Evidência

Tipos de Estudos Científicos e Níveis de Evidência Tipos de Estudos Científicos e Níveis de Evidência Francisco Batel Marques, PhD Professor, School of Pharmacy, University of Coimbra Director, CHAD Centro de Avaliação de Tecnologias em Saúde e Investigação

Leia mais

ODP TC. Observatório da Despesa Pública. Manual de Identidade Visual

ODP TC. Observatório da Despesa Pública. Manual de Identidade Visual ODP TC Manual de Identidade Visual Apresentação O é a unidade de produção de informações estratégicas para o Ministério da Transparência, Fiscalização e Controladoria-Geral da União - CGU e tem como principal

Leia mais

Telecomunicações Básico

Telecomunicações Básico Telecomunicações Básico Prof. MSc. Eng. ! "!"!"#$ %!"# #% # $ &# #!% '($ ) ) *+, ) $-!.) / 0 1#() 0!2) $% & '() * %# ') % &# /) *%+,,%-, 334-3564.7 &3897.%& / /% 0 0% 1 0 :'( : : $00'( :'(;< : 4.*6 :4.*6

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA PARA SERVIÇOS DE QUALIFICAÇÃO INSTITUCIONAL EM MICROFINANÇAS (RATING) FINANCEIRO E SOCIAL

TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA PARA SERVIÇOS DE QUALIFICAÇÃO INSTITUCIONAL EM MICROFINANÇAS (RATING) FINANCEIRO E SOCIAL TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA PARA SERVIÇOS DE QUALIFICAÇÃO INSTITUCIONAL EM MICROFINANÇAS (RATING) FINANCEIRO E SOCIAL Projeto ABCRED (contrato BNDES nº 13.2.0613.1) 1) Objetivo

Leia mais

Algoritmos de Compressão sem Perdas

Algoritmos de Compressão sem Perdas Algoritmos de Compressão sem Perdas (continuação) Aula 08 Diogo Pinheiro Fernandes Pedrosa Universidade Federal Rural do Semiárido Departamento de Ciências Exatas e Naturais Curso de Ciência da Computação

Leia mais

MÓDULO 13. Fatoração. Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias MATEMÁTICA. *, é: 4. Um possível valor de a +

MÓDULO 13. Fatoração. Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias MATEMÁTICA. *, é: 4. Um possível valor de a + ITA_Modulos 3a6 prof 03/03/0 4:9 Página I Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias MATEMÁTICA MÓDULO 3 Fatoração. Prove que se a e b são dois números reais então a + b ab a, b (a b) (a b) 0

Leia mais

Rodrigo Vilaça Diretor-Executivo da ANTF!! "#$% % '. /(, '0(1(1 +

Rodrigo Vilaça Diretor-Executivo da ANTF!! #$% % '. /(, '0(1(1 + Rodrigo Vilaça Diretor-Executivo da ANTF!! "#$% &' '&('( )*+',- % '. /(, '0(1(1 + ,. 1 ( ( 1( 3334+5(,4,.,. ( 1 3334&4,. '(+"( 33340,4,46. (. 2 ('. 1( 3334(4,46 33340(,4,46 33344,46 !! "#$ 1( ',- &/ 7,18

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular NEGOCIAÇÃO Ano Lectivo 2014/2015

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular NEGOCIAÇÃO Ano Lectivo 2014/2015 Programa da Unidade Curricular NEGOCIAÇÃO Ano Lectivo 2014/2015 1. Unidade Orgânica Ciências da Economia e da Empresa (1º Ciclo) 2. Curso Gestão de Recursos Humanos 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular

Leia mais

GOVERNANÇA CORPORATIVA E GESTÃO DE RISCOS

GOVERNANÇA CORPORATIVA E GESTÃO DE RISCOS FÓRUM DE PRESIDENTES DO SISTEMA UNIMED Central Nacional Unimed GOVERNANÇA CORPORATIVA E GESTÃO DE RISCOS SÃO PAULO AGO/2012 UNIMED SANTA CATARINA Edevard J de Araujo Presidente SISTEMA UNIMED EM SANTA

Leia mais

Geometria plana. Índice. Polígonos. Triângulos. Congruência de triângulos. Semelhança de triângulos. Relações métricas no triângulo retângulo

Geometria plana. Índice. Polígonos. Triângulos. Congruência de triângulos. Semelhança de triângulos. Relações métricas no triângulo retângulo Índice Geometria plana Polígonos Triângulos Congruência de triângulos Semelhança de triângulos Relações métricas no triângulo retângulo Quadriláteros Teorema de Tales Esquadros de madeira www.ser.com.br

Leia mais

ANEXO DE SOLICITAÇÃO DE ÓRTESES, PRÓTESES E MATERIAIS ESPECIAIS - OPME

ANEXO DE SOLICITAÇÃO DE ÓRTESES, PRÓTESES E MATERIAIS ESPECIAIS - OPME Logo da Empresa ANEXO DE SOLICITAÇÃO DE ÓRTESES, PRÓTESES E MATERIAIS ESPECIAIS - OPME 2- Nº Guia no Prestador 12345678901234567890 1 - Registro ANS 3 - Número da Guia Referenciada 4 - Senha 5 - Data da

Leia mais

Diagnóstico de Vulnerabilidades através da Injecção de Ataques

Diagnóstico de Vulnerabilidades através da Injecção de Ataques Diagnóstico de Vulnerabilidades através da Injecção de Ataques, Covilhã, Portugal João Antunes 1, Nuno Neves 1, Miguel Correia 1, Paulo Veríssimo 1, Rui Neves 2 1 Faculdade de Ciências da Universidade

Leia mais

Pos. Designação Tipo Medida Material 1 RETENTORES CB 4 X 11 X 6 2 RETENTORES CB 4 X 11 X 6 VITON 3 RETENTORES CB 4 X 12 X 6 4 RETENTORES CB 4 X 12 X

Pos. Designação Tipo Medida Material 1 RETENTORES CB 4 X 11 X 6 2 RETENTORES CB 4 X 11 X 6 VITON 3 RETENTORES CB 4 X 12 X 6 4 RETENTORES CB 4 X 12 X 1 RETENTORES CB 4 X 11 X 6 2 RETENTORES CB 4 X 11 X 6 VITON 3 RETENTORES CB 4 X 12 X 6 4 RETENTORES CB 4 X 12 X 6 VITON 5 RETENTORES CB 4,5 0X 16 X 7 6 RETENTORES CB 4,8 X 22 X 7 7 RETENTORES CC 5 X 15

Leia mais

VCMH/IESS. Variação de Custos Médico-Hospitalares. Edição: Janeiro de 2016 Data-base: Junho de 2015 SUMÁRIO EXECUTIVO

VCMH/IESS. Variação de Custos Médico-Hospitalares. Edição: Janeiro de 2016 Data-base: Junho de 2015 SUMÁRIO EXECUTIVO Variação de Custos Médico-Hospitalares Edição: Janeiro de 2016 Data-base: Junho de 2015 SUMÁRIO EXECUTIVO O VCMH/IESS O índice VCMH/IESS para planos individuais atingiu 17,1% no período de 12 meses terminados

Leia mais

Leitura e Interpretação de Desenho Técnico Mecânico. Módulo I. Aula 01

Leitura e Interpretação de Desenho Técnico Mecânico. Módulo I. Aula 01 Leitura e Interpretação de Desenho Técnico Mecânico Módulo I Aula 01 Introdução O homem se comunica por vários meios. Os mais importantes são a fala, a escrita e o desenho. O desenho artístico é uma forma

Leia mais