Análise de Circuitos II. Sumário

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Análise de Circuitos II. Sumário"

Transcrição

1

2 Sumário Laboratório de Eletrônica Transformador... 3 Laboratório de Eletrônica Retificador de meia onda... 6 Laboratório de Eletrônica Retificador de onda completa... 8 Laboratório de Eletrônica Retificador de onda completa em ponte I Laboratório de Eletrônica Retificador de onda completa em ponte II Laboratório de Eletrônica Retificador de onda completa com filtro capacitivo Laboratório de Eletrônica Fonte de tensão estabilizada com zener Laboratório de Eletrônica Polarização de transistores I Laboratório de Eletrônica Polarização de transistores II Laboratório de Eletrônica Amplificador de sinais I

3 ESCOLA ELECTRA ANALISE II Laboratório de Eletrônica Transformador Professor: Nome: Data: / / Turma: Objetivo: Material utilizado: Descrição: 1) Montar o circuito abaixo: 2) Alimentar o circuito com 127V AC. 3) Analisar os sinais V P1, de onda e medir: a) Tensão de pico positivo (+V P ) b) Tensão de pico negativo ( V P ) c) Tensão de pico a pico (VV PP ) d) Período (T) e) Freqüência (f) V S1, V S2 e V S1+S2 com o osciloscópio, esboçar sua forma 3

4 4) Calcular: a) Tensão eficaz (V RMS ) b) Nível médio (V MEDIO ) 5) Definir a equação dos sinais V P1, V S1, V S2 e V S1+VS2 6) Calcular a relação de espiras entre o primário e o secundário Conclusão: V P1 V S1 V S2 4

5 V S1+S2 5

6 ESCOLA ELECTRA ANALISE II Laboratório de Eletrônica Retificador de meia onda Professor: Nome: Data: / / Turma: Objetivo: Material utilizado: Descrição: 7) Montar o circuito abaixo: 8) Alimentar o circuito com 127V AC. 9) Analisar os sinais V E, V S e V D1 com o osciloscópio, esboçar sua forma de onda e medir: f) Tensão de pico positivo (+V P ) g) Tensão de pico negativo ( V P ) h) Tensão de pico a pico (VV PP ) i) Período (T) j) Freqüência (f) 6

7 Conclusão: V E f) +V P g) V P h) V PP i) T j) f V S f) +V P g) V P h) V PP i) T j) f V D1 f) +V P g) V P h) V PP i) T j) f 7

8 ESCOLA ELECTRA ANALISE II Laboratório de Eletrônica Retificador de onda completa Professor: Nome: Data: / / Turma: Objetivo: Material utilizado: Descrição: 10) Montar o circuito abaixo: 11) Alimentar o circuito com 127V AC. 12) Analisar os sinais V E1, V E2, V S, V D1 e V D2 com o osciloscópio, esboçar sua forma de onda e medir: k) Tensão de pico positivo (+V P ) l) Tensão de pico negativo ( V P ) m) Tensão de pico a pico (VV PP ) n) Período (T) o) Freqüência (f) 8

9 Conclusão: V E1 k) +V P l) V P m) V PP n) T o) f V E2 V S V D1 9

10 V D2 10

11 Laboratório de Eletrônica Retificador de onda completa em ponte I Professor: Data: / / Nome: Turma: Objetivo: Material utilizado: Descrição: 13) Montar o circuito abaixo: ESCOLA ELECTRA ANALISE II 14) Alimentar o circuito com 127V AC. 15) Analisar os sinais V CD, V EF, V D1, V D2, V D3 e V D4 com o osciloscópio, esboçar sua forma de onda e medir: p) Tensão de pico positivo (+V P ) q) Tensão de pico negativo ( V P ) r) Tensão de pico a pico (VV PP ) s) Período (T) t) Freqüência (f) 11

12 Conclusão: V CD p) +V P q) V P r) V PP s) T t) f V EF V D1 V D2 12

13 V D3 V D4 13

14 Laboratório de Eletrônica Retificador de onda completa em ponte II Professor: Data: / / Nome: Turma: Objetivo: Material utilizado: Descrição: 16) Montar o circuito abaixo: ESCOLA ELECTRA ANALISE II 17) Alimentar o circuito com 127V AC. 18) Analisar os sinais V E1, V E2, V S1, V S2, V D1, V D2, V D3 e V D4 com o osciloscópio, esboçar sua forma de onda e medir: u) Tensão de pico (+V P ) v) Tensão de pico inversa ( V P ) w) Tensão de pico a pico (VV PP ) x) Período (T) y) Freqüência (f) 14

15 Conclusão V E1 u) +V P v) V P w) V PP x) T y) f V E2 V S1 V S2 15

16 V D1 V D2 V D3 V D4 16

17 Laboratório de Eletrônica Retificador de onda completa com filtro capacitivo Professor: Data: / / Nome: Turma: Objetivo: Material utilizado: Descrição: 19) Montar o circuito abaixo: ESCOLA ELECTRA ANALISE II 20) Alimentar o circuito com 127V AC. 21) Analisar os sinais V E1 e V E2 com o osciloscópio, esboçar sua medir: forma de onda e z) Tensão de pico positivo (+V P ) aa) Tensão de pico negativo ( V P ) bb) Tensão de pico a pico (VV PP ) cc) Período (T) dd) Freqüência (f) 22) Com a chave CH1 aberta (retificador sem filtro), analisar o sinal de saída (V S ) com o osciloscópio, esboçar a forma de onda e medir a tensão de pico (+V P ). 23) Calcular a tensão contínua (V DC ). 17

18 24) Medir a tensão contínua (V DC ) da saída com o multímetro. 25) Com a chave CH1 fechada (retificador sem filtro), analisar o sinal de saída (V S ) com o osciloscópio, esboçar a forma de onda e medir a tensão de ripple (V RPP ). 26) Medir a tensão contínua (V DC ) da saída com o multímetro. Conclusão: V E1 z) +V P aa) V P bb) V PP cc) T dd) f V E2 V S sem filtro b) V DC (osciloscópi o) c) V DC (multímetro) 18

19 V S com filtro f) V RPP g) V DC (multímetro) 19

20 Laboratório de Eletrônica Fonte de tensão estabilizada com zener Professor: Data: / / Nome: Turma: Objetivo: Material utilizado: Descrição: 27) Montar o circuito abaixo: ESCOLA ELECTRA ANALISE II 28) Alimentar o circuito com 127V AC. 29) Analisar os sinais de entrada (V E1 e V E2 ) com o osciloscópio, esboçar sua forma de onda e medir: ee) Tensão de pico positivo (+V P ) ff) Tensão de pico negativo ( V P ) gg) Tensão de pico a pico (VV PP ) hh) Período (T) ii) Freqüência (f) 30) Analisar o sinal no capacitor (V C1 ) com o osciloscópio, esboçar sua forma de onda e medir a tensão de ripple (V RPP ). 31) Medir a tensão do capacitor (V DC ) com o multímetro. 32) Analisar o sinal de saída (V S ) com o osciloscópio, esboçar sua forma de onda e medir a tensão de ripple (V RPP ). 20

21 33) Medir a tensão da saídaa (V DC ) com o multímetro. 34) Ligar uma carga na saída e repetir os passos 4, 5, 6 e 7. Conclusão: V E1 ee) +V P ff) V P gg) V PP hh) T ii) f V E2 e) F V C a) V RPP (s/ carga) b) V DC (s/ carga) (multímetro) c) V RPP (c/ carga) d) V DC (c/ carga) (multímetro) 21

22 V S a) V RPP (s/ carga) b) V DC (s/ carga) (multímetro) c) V RPP (c/ carga) d) V DC (c/ carga) (multímetro) 22

23 ESCOLA ELECTRA ANALISE II Laboratório de Eletrônica Polarização de transistores I Professor: Nome: Data: / / Turma: Objetivo: Material utilizado: Descrição: 35) Montar o circuito abaixo: 36) Ajustar a fonte de alimentação (V CC ) para 10V. 37) Medir: jj) Tensão em R B (V RB ) e R C (V RC ) kk) Tensão entre coletor e base (V CB ) ll) Tensão entre base e emissor (V BE ) mm) Tensão entre coletor e emissor (V CE ) nn) Corrente de base (I B ), coletor (I C ) e emissor (I E ) 38) Calcular os parâmetros α e β 39) Calcular a potência dissipada (P D ) 40) Calcular os pontos de corte e saturação 41) Esboçar o gráfico I C = f( (V CE ) 23

24 ESCOLA ELECTRA ANALISE II Laboratório de Eletrônica Polarização de transistores II Professor: Nome: Data: / / Turma: Objetivo: Material utilizado: Descrição: 42) Montar o circuito abaixo: 43) Ajustar a fonte de alimentação (V CC ) para 10V. 44) Medir: oo) Tensão em R B1 (V RB1 ), R B2 (V RB2 ), R E (V RE ) e R C (V RC ) pp) Tensão entre coletor e base (V CB ) qq) Tensão entre base e emissor (V BE ) rr) Tensão entre coletor e emissor (V CE ) ss) Corrente de R B1 (I RB1 ) e R B2 (I RB2 ), tt) Corrente de base (I B ), coletor (I C ) e emissor (I E ) 45) Calcular os parâmetros α e β 46) Calcular a potência dissipada (P D ) 47) Calcular os pontos de corte e saturação 48) Esboçar o gráfico I C = f( (V CE ) 24

25 ESCOLA ELECTRA ANALISE II Laboratório de Eletrônica Amplificador de sinais I Professor: Nome: Data: / / Turma: Objetivo: Material utilizado: Descrição: 49) Montar o circuito abaixo: 50) Ajustar a fonte de alimentação (V CC ) para 10V. 51) Inserir um sinal senoidal de 1KHz, 100mVpp na entrada do amplificador. 52) Medir o sinal na base de Q1. 53) Medir o sinal no coletor de Q1. 54) Medir o sinal na saída do amplificador. 55) Calcular o ganho A V do circuito. 56) Esboçar o gráfico de saída do amplificador em papel milimetrado. 25

26 Conclusão V ENTRADA jj) +V P kk) V P ll) V PP mm) T nn) f V BASE h) +V P i) V P j) V PP k) T l) f V COLETOR f) +V P g) V P h) V PP i) T j) f V SAÍDA f) +V P g) V P h) V PP i) T j) f 26

Eletrônica Geral Curso Técnico de Automação Industrial Lista 4 Análise de circuitos a diodos c.a.

Eletrônica Geral Curso Técnico de Automação Industrial Lista 4 Análise de circuitos a diodos c.a. Eletrônica Geral Curso Técnico de Automação Industrial Lista 4 Análise de circuitos a diodos c.a. 1. A Figura abaixo apresenta o oscilograma da forma de onda de tensão em um determinado nó de um circuito

Leia mais

ELETRÔNICA I. Apostila de Laboratório. Prof. Francisco Rubens M. Ribeiro

ELETRÔNICA I. Apostila de Laboratório. Prof. Francisco Rubens M. Ribeiro ELETRÔNICA I Apostila de Laboratório Prof. Francisco Rubens M. Ribeiro L E E UERJ 1996 Prática 01 - Diodo de Silício 1 - Objetivo: Levantamento da característica estática VxI do diodo de Si, com o auxílio

Leia mais

Aula Prática 01. O Amplificador Diferencial e Aplicações

Aula Prática 01. O Amplificador Diferencial e Aplicações Aula Prática 01 I - Objetivos O objetivo desta aula prática é estudar o amplificador diferencial, suas propriedades e aplicações. A técnica adotada é reforçar a noção de associação de amplificadores em

Leia mais

Experiência : RETIFICADORES MONOFÁSICOS COM FILTRO CAPACITIVO E ESTABILIZAÇÃO

Experiência : RETIFICADORES MONOFÁSICOS COM FILTRO CAPACITIVO E ESTABILIZAÇÃO ( ) Prova ( ) Prova Semestral ( ) Exercícios ( ) Prova Modular ( ) Segunda Chamada ( ) Exame Final ( ) Prática de Laboratório ( ) Aproveitamento Extraordinário de Estudos Nota: Disciplina: Turma: Aluno

Leia mais

A seguir, uma demonstração do livro. Para adquirir a versão completa em papel, acesse:

A seguir, uma demonstração do livro. Para adquirir a versão completa em papel, acesse: A seguir, uma demonstração do livro. Para adquirir a versão completa em papel, acesse: www.pagina10.com.br ELETRÔNICA, princípios e aplicações 2 Capítulo 8 Amplificador de Sinais Sumário do capítulo: 8.1

Leia mais

Aula de Laboratório: DIODO

Aula de Laboratório: DIODO Aula de Laboratório: DIODO I.1 - Teste do estado de funcionamento de um diodo Utilizando a função apropriada do multímetro, meça a condutividade dos diodos fornecidos em ambos os sentidos de polarização.

Leia mais

LABORATÓRIO ATIVIDADES 2013/1

LABORATÓRIO ATIVIDADES 2013/1 LABORATÓRIO ATIVIDADES 2013/1 RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NO LABORATÓRIO MÓDULO I ELETRICIDADE BÁSICA TURNO NOITE CURSO TÉCNICO EM AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL CARGA HORÁRIA EIXO TECNOLÓGICO CONTROLE

Leia mais

Manual de Identidade Visual. Programa de Avaliação de Desempenho dos Técnico-Administrativos em Educação da UFJF

Manual de Identidade Visual. Programa de Avaliação de Desempenho dos Técnico-Administrativos em Educação da UFJF Manual de Identidade Visual Apresentação e Variações Manual de Identidade Visual Apresentação e Variações Manual de Identidade Visual Apresentação e Variações Manual de Identidade Visual Apresentação e

Leia mais

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SANTA CATARINA DEPARTAMENTO DE ELETRÔNICA Eletrônica Básica e Projetos Eletrônicos

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SANTA CATARINA DEPARTAMENTO DE ELETRÔNICA Eletrônica Básica e Projetos Eletrônicos CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SANTA CATARINA DEPARTAMENTO DE ELETRÔNICA Eletrônica Básica e Projetos Eletrônicos AULA LAB 04 DIODOS ZENER, LEDS E TRANSISTORES BIPOLARES 1 INTRODUÇÃO Os componentes

Leia mais

Folha 5 Transístores bipolares.

Folha 5 Transístores bipolares. Folha 5 Transístores bipolares. 1. Considere um transístor npn que possui uma queda de potencial base emissor de 0.76 V quando a corrente de colector é de 10 ma. Que corrente conduzirá com v BE = 0.70

Leia mais

Conversores Estáticos

Conversores Estáticos Conversores Estáticos Circuitos Retificadores Monofásicos 08/03/2009 www.corradi.junior.nom.br Sinal Senoidal Os circuitos eletrônicos podem trabalhar com tensões e correntes continuas e alternadas. Um

Leia mais

Introdução teórica Aula 8: Fonte de Tensão Regulada. Regulador LM7805. Fonte de tensão regulada. EEL7011 Eletricidade Básica Aula 8 EEL/CTC/UFSC

Introdução teórica Aula 8: Fonte de Tensão Regulada. Regulador LM7805. Fonte de tensão regulada. EEL7011 Eletricidade Básica Aula 8 EEL/CTC/UFSC Introdução teórica Aula 8: Fonte de Tensão Regulada Regulador LM7805 78xx é o nome de uma popular família de reguladores positivos de tensão. É um componente comum em muitas fontes de alimentação. Eles

Leia mais

Prof. Rogério Eletrônica Geral 1

Prof. Rogério Eletrônica Geral 1 Prof. Rogério Eletrônica Geral 1 Apostila 3 Continuação de Diodos III - CIRCUITOS COM DIODOS 1 - Sinal senoídal Um dos sinais elétricos alternados mais comuns é o senoídal. O sinal senoídal pode ser representado

Leia mais

EXERCÍCIOS DE PREPARAÇÃO B1i EXERCÍCIO REFERENTE À AULA DE AMPLIFICADORES DIFERENCIAIS.

EXERCÍCIOS DE PREPARAÇÃO B1i EXERCÍCIO REFERENTE À AULA DE AMPLIFICADORES DIFERENCIAIS. EXERCÍCIOS DE PREPARAÇÃO B1i Exercícios Preparação B1i EXERCÍCIO REFERENTE À AULA DE AMPLIFICADORES DIFERENCIAIS. Exercício Resolvido : Projetar a polarização de um amplificador diferencial, segundo os

Leia mais

Eletrônica de Potência. Centro de Formação Profissional Orlando Chiarini - CFP / OC Pouso Alegre MG Inst.: Anderson

Eletrônica de Potência. Centro de Formação Profissional Orlando Chiarini - CFP / OC Pouso Alegre MG Inst.: Anderson Eletrônica de Potência Centro de Formação Profissional Orlando Chiarini - CFP / OC Pouso Alegre MG Inst.: Anderson Conversores CA / CC Conversores CA /CC O fornecimento de energia elétrica é feito, essencialmente,

Leia mais

AMPLIFICADOR PUSH-PULL CLASSE B

AMPLIFICADOR PUSH-PULL CLASSE B AMPLIFICADOR PUSH-PULL CLASSE B OBJETIVOS: a) analisar o funcionamento básico de um amplificador push-pull; b) entender e explicar o significado de push-pull; c) entender o significado de distorção por

Leia mais

Eletrônica Aula 07 CIN-UPPE

Eletrônica Aula 07 CIN-UPPE Eletrônica Aula 07 CIN-UPPE Amplificador básico Amplificador básico É um circuito eletrônico, baseado em um componente ativo, como o transistor ou a válvula, que tem como função amplificar um sinal de

Leia mais

Roteiro para experiências de laboratório. AULA 4: Retificadores. Alunos: 2-3-

Roteiro para experiências de laboratório. AULA 4: Retificadores. Alunos: 2-3- Campus SERRA COORDENADORIA DE AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL Disciplinas: ELETRÔNICA BÁSICA e ELETRICIDADE GERAL Turmas: AM1 e AN1 - Período: 2012-1 Professores: Bene Regis Figueiredo Tatiane Policario Chagas Vinícius

Leia mais

Universidade Federal de Juiz de Fora - Laboratório de Eletrônica 22

Universidade Federal de Juiz de Fora - Laboratório de Eletrônica 22 Universidade Federal de Juiz de Fora - Laboratório de Eletrônica 22 1 Título Prática 1 - Fonte de Alimentação Regulável 2 Objetivos Desenvolvimento de uma fonte de alimentação regulável. 3 Fundamentos

Leia mais

DOBRADORES DE TENSÃO

DOBRADORES DE TENSÃO DOBRADORES DE TENSÃO 1 DOBRADORES DE TENSÃO OBJETIVOS: Entender o funcionamento dos dobradores de tensão; calcular as tensões na saída dos dobradores de tensão. INTRODUÇÃO TEÓRICA Um dobrador de tensão

Leia mais

Universidade Federal de São João del-rei. Material Teórico de Suporte para as Práticas

Universidade Federal de São João del-rei. Material Teórico de Suporte para as Práticas Universidade Federal de São João del-rei Material Teórico de Suporte para as Práticas 1 Amplificador Operacional Um Amplificador Operacional, ou Amp Op, é um amplificador diferencial de ganho muito alto,

Leia mais

AMPLIFICADOR EMISSOR COMUM

AMPLIFICADOR EMISSOR COMUM AMPLIFICADOR EMISSOR COMUM OBJETIVOS: a) analisar o funcionamento de um amplificador na configuração emissor comum; b) analisar a relação de fase entre a entrada e a saída de um sinal. INTRODUÇÃO TEÓRICA

Leia mais

ELETRONICA ANALÓGICA By W. L. Miranda. Fontes de alimentação CA/CC.

ELETRONICA ANALÓGICA By W. L. Miranda. Fontes de alimentação CA/CC. ELETRONICA ANALÓGICA By W. L. Miranda Fontes de alimentação CA/CC. 1 - Considerações de projeto: a) 1º Caso: Isolamento entre rede domiciliar CA e a carga. Neste caso, a fase, o neutro ou o aterramento

Leia mais

CURSO: QUALIDADE DA ENERGIA ELÉTRICA

CURSO: QUALIDADE DA ENERGIA ELÉTRICA Distúrbios Relativos à QE 1,5 Tensão [PU] 1 0,5 0-0,5-1 -1,5 Tempo CURSO: QUALIDADE DA ENERGIA ELÉTRICA WWW.ENGEPOWER.COM TEL: 11 3579-8777 PROGRAMA DO CURSO DE: QUALIDADE DA ENERGIA ELÉTRICA DIRIGIDO

Leia mais

MII 2.1 MANUTENÇÃO DE CIRCUITOS ELETRÔNICOS ANALÓGICOS RETIFICAÇÃO

MII 2.1 MANUTENÇÃO DE CIRCUITOS ELETRÔNICOS ANALÓGICOS RETIFICAÇÃO MII 2.1 MANUTENÇÃO DE CIRCUITOS ELETRÔNICOS ANALÓGICOS RETIFICAÇÃO Contextualização Retificação Muitos circuitos eletrônicos necessitam de corrente contínua para operar. Porém, as companhias de energia

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS TRANSISTORES BIPOLARES DE JUNÇÃO Parte 1

LISTA DE EXERCÍCIOS TRANSISTORES BIPOLARES DE JUNÇÃO Parte 1 Campus Serra COORDENADORIA DE AUTOMAÇÂO INDUSTRIAL Disciplina: ELETRÔNICA BÁSICA Professores: Bene Régis Figueiredo Turma AN1 Vinícius Secchin de Melo Turma AM1 LISTA DE EXERCÍCIOS TRANSISTORES BIPOLARES

Leia mais

Influência de parâmetros semicondutores. estruturais, dos materiais e das 2.1 Introdução: interfaces no comportamento

Influência de parâmetros semicondutores. estruturais, dos materiais e das 2.1 Introdução: interfaces no comportamento Professor: José Américo de Sousa Moura, DSc. Disciplina: Eletrônica Analógica Carga Horária: 60 hs Turma: E6 Pág. 1 de 5 EMENTA: Fontes de alimentação. Transistores de Efeito de Campo MOS. Transistores

Leia mais

Amplificadores de Potência Classe A

Amplificadores de Potência Classe A Universidade do Estado de Santa Catarina CCT Centro de Ciências Tecnológicas Amplificadores de Potência Classe A Professor: Disciplina: Celso José Faria de Araújo Eletrônica Analógica I Joinville SC Introdução

Leia mais

Guia de Aulas Práticas de Eletrônica Analógica e Digital AULA PRÁTICA 05 CIRCUITOS A DIODOS. 1. OBJETIVOS: Estudar diversas aplicações para os diodos

Guia de Aulas Práticas de Eletrônica Analógica e Digital AULA PRÁTICA 05 CIRCUITOS A DIODOS. 1. OBJETIVOS: Estudar diversas aplicações para os diodos AULA PRÁTICA 05 CIRCUITOS A DIODOS 1. OBJETIVOS: Estudar diversas aplicações para os diodos 2. PRÉ-REQUISITOS: Capítulo 2 do livro texto. 3. RESUMO TEÓRICO: O diodo, apesar de ser o dispositivo semicondutor

Leia mais

NPQV Variável Educação Prof. Responsáv el : Ra ph a el B i c u d o

NPQV Variável Educação Prof. Responsáv el : Ra ph a el B i c u d o NPQV Variável Educação Prof. Responsáv v el :: Ra ph aa el BB ii cc uu dd o ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NA ÁREA DE EDUCAÇÃO 2º Semestre de 2003 ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NA ÁREA DE EDUCAÇÃO As atividades realizadas

Leia mais

PARTE 1. Transistores como Chave de Potência Introdução Projeto (transistor como chave de potência)

PARTE 1. Transistores como Chave de Potência Introdução Projeto (transistor como chave de potência) Exp. 3 Dispositivos de Potência B 1 PARTE 1. Transistores como Chave de Potência 1.1. Introdução Esta parte da experiência tem como objetivo estudar o comportamento de transistores operando como chaves.

Leia mais

AULA LAB 04 PRINCÍPIOS DE CORRENTE ALTERNADA E TRANSFORMADORES 2 MEDIÇÃO DE VALORES MÉDIO E EFICAZ COM MULTÍMETRO

AULA LAB 04 PRINCÍPIOS DE CORRENTE ALTERNADA E TRANSFORMADORES 2 MEDIÇÃO DE VALORES MÉDIO E EFICAZ COM MULTÍMETRO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE ELETRÔNICA CURSO TÉCNICO DE ELETRÔNICA Eletrônica Básica AULA LAB 04 PRINCÍPIOS DE CORRENTE ALTERNADA E TRANSFORMADORES

Leia mais

Universidade Federal de Juiz de Fora Laboratório de Eletrônica CEL037

Universidade Federal de Juiz de Fora Laboratório de Eletrônica CEL037 Universidade Federal de Juiz de Fora Laboratório de Eletrônica CEL037 1 Título Prática 1 Fonte de Alimentação Regulável 2 Objetivos Estudo de algumas topologias e desenvolvimento de uma fonte de alimentação

Leia mais

OBJETIVOS: Entender como funciona um transistor, através de seus dois parâmetros: o Alfa (α) e o Beta (β). INTRODUÇÃO TEÓRICA

OBJETIVOS: Entender como funciona um transistor, através de seus dois parâmetros: o Alfa (α) e o Beta (β). INTRODUÇÃO TEÓRICA ALFA E BETA OBJETIVOS: Entender como funciona um transistor, através de seus dois parâmetros: o Alfa (α) e o Beta (β). INTRODUÇÃO TEÓRICA A maioria dos circuitos elétricos opera com sinais elétricos, que

Leia mais

EXERCÍCIOS DE PREPARAÇÃO DE EL - III B2

EXERCÍCIOS DE PREPARAÇÃO DE EL - III B2 EXERCÍCIOS DE PREPARAÇÃO DE EL - III B2 Exercício Resolvido : Determinar a resposta em freqüência do amplificador de pequeno sinal a JFET e a impedância de entrada e de saída, sabendo-se que : V DD 5V,

Leia mais

ELETRÔNICA ANALÓGICA CEL099. Prof. Pedro S. Almeida

ELETRÔNICA ANALÓGICA CEL099. Prof. Pedro S. Almeida ELETRÔNICA ANALÓGICA CEL099 Prof. Pedro S. Almeida pedro.almeida@ufjf.edu.br Circuitos de Aplicação de Diodos 2 Conteúdo Circuitos Retificadores Retificador de Meia-Onda Retificador de Onda-Completa a

Leia mais

Universidade Federal de Juiz de Fora Laboratório de Eletrônica CEL 037 Página 1 de 5

Universidade Federal de Juiz de Fora Laboratório de Eletrônica CEL 037 Página 1 de 5 Universidade Federal de Juiz de Fora Laboratório de Eletrônica CEL 037 Página 1 de 5 1 Título Prática 4 Circuitos retificadores 2 Objetivos Estudo e montagem de diferentes circuitos retificadores. 3 Fundamentos

Leia mais

Manual de Identidade Visual

Manual de Identidade Visual Manual de Identidade Visual ÍNDICE APRESENTAÇÃO OBJETIVO DO MANUAL 1ASSINATURA ESCALA DE CORES TIPOGRAFIA DE APOIO 2APLICAÇÃO COMUNICAÇÃO INSTITUCIONAL PEÇAS GRAFICAS 2.1 Arejamento/Proteção 2.2 Redução

Leia mais

Projeto de Lei n.º 359/XII/2ª

Projeto de Lei n.º 359/XII/2ª Projeto de Lei n.º 359/XII/2ª Procede à 7.ª alteração da Lei n.º 5/2004, de 10 de Fevereiro, que estabelece o regime jurídico aplicável às redes e serviços de comunicações eletrónicas e aos recursos e

Leia mais

AMPLIFICADOR COLETOR COMUM OU SEGUIDOR DE EMISSOR

AMPLIFICADOR COLETOR COMUM OU SEGUIDOR DE EMISSOR AMPLIFICADOR COLETOR COMUM OU SEGUIDOR DE EMISSOR OBJETIVOS: Estudar o funcionamento de um transistor na configuração coletor comum ou seguidor de emissor; analisar a defasagem entre os sinais de entrada

Leia mais

Circuitos retificadores com diodos

Circuitos retificadores com diodos Circuitos retificadores com diodos Introdução Dentre as principais aplicações do diodo, esta a retificação, ou seja, converter um sinal alternado em continuo, isto se faz necessário porque as maiorias

Leia mais

CAPÍTULO 5 TRANSISTORES BIPOLARES

CAPÍTULO 5 TRANSISTORES BIPOLARES CAPÍTULO 5 TRANSSTORES BPOLARES O transistor é um dispositivo semicondutor de três terminais, formado por três camadas consistindo de duas camadas de material tipo "n", de negativo, e uma de tipo "p",

Leia mais

AMPLIFICADORES DE POTÊNCIA

AMPLIFICADORES DE POTÊNCIA INSTITUTO FDRAL D DUCAÇÃO, CIÊNCIA TCNOLOGIA D SANTA CATARINA - CAMPUS FLORIANÓPOLIS DPARTAMNTO ACADÊMICO D LTRÔNICA AMPLIFICADORS D POTÊNCIA 1. Introdução Uma das principais aplicações dos amplificadores

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio de Técnico em Eletrônica. Qualificação: Técnico em Eletrônica

Plano de Trabalho Docente Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio de Técnico em Eletrônica. Qualificação: Técnico em Eletrônica Plano de Trabalho Docente 2014 ETEC Monsenhor Antônio Magliano Ensino Técnico Código: 088 Município: Garça Área Profissional: Controle e Sistemas Industriais. Habilitação Profissional: Técnica de Nível

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 514/XII/3.ª

PROJETO DE LEI N.º 514/XII/3.ª Grupo Parlamentar PROJETO DE LEI N.º 514/XII/3.ª ESTABELECE QUE A TAXA MUNICIPAL DE DIREITOS DE PASSAGEM PASSA A SER PAGA DIRETAMENTE PELAS OPERADORAS DE COMUNICAÇÕES ELETRÓNICAS E PREVÊ SANÇÕES PARA O

Leia mais

O Amplificador Operacional 741. p. 2/2

O Amplificador Operacional 741. p. 2/2 p. 1/2 Resumo O Amplificador Operacional 741 Circuito de Polarização e circuito de protecção contra curto-circuito O andar de Entrada O Segundo andar e andar de Saída Polarização do 741 Análise de pequeno

Leia mais

INSTRUMENTAÇÃO ELECTRÓNICA EXERCÍCIOS FILTROS

INSTRUMENTAÇÃO ELECTRÓNICA EXERCÍCIOS FILTROS INSTRUMENTAÇÃO ELECTRÓNICA EXERCÍCIOS FILTROS 1. Num determinado sinal oriundo de um transdutor, observouse a presença de ruído de 100 Hz com a amplitude de 50 mvpp. O sinal de interesse pode apresentar

Leia mais

ASSOCIAÇÃO EDUCACIONAL DOM BOSCO CAPÍTULO 2 TRANSISTORES BIPOLARES (BJT)

ASSOCIAÇÃO EDUCACIONAL DOM BOSCO CAPÍTULO 2 TRANSISTORES BIPOLARES (BJT) 1 CAPÍTULO 2 INTRODUÇÃO TRANSISTORES IPOLARES (JT) O transistor é o componente mais importante do mundo da eletrônica, serviu de base para impulsionar a explosão tecnológica, na área da eletrônica e da

Leia mais

Escola Superior de Tecnologia

Escola Superior de Tecnologia Escola Superior de Tecnologia Departamento de Engenharia Electrotécnica Electrónica I 1º Trabalho de Laboratório Características V-I do díodo de silício, do díodo Zener e do díodo emissor de luz - LED

Leia mais

ELETRÔNICA I 2312A PROF. ALCEU FERREIRA ALVES 3ª LISTA DE EXERCÍCIOS CIRCUITOS COM DIODOS 15/09/2008

ELETRÔNICA I 2312A PROF. ALCEU FERREIRA ALVES 3ª LISTA DE EXERCÍCIOS CIRCUITOS COM DIODOS 15/09/2008 ELETRÔNIA I 2312A PROF. ALEU FERREIRA ALVES 3ª LISTA DE EXERÍIOS IRUITOS OM DIODOS 15/09/2008 * Para resolução da lista, considerar diodos ideais e tensão de rede 115V, exceto quando especificado contrário.

Leia mais

A figura 1 apresenta um esboço da polarização de um J-FET canal N: junção PN inversamente polarizada, VGS 0, e VDS positivo (VDS > 0).

A figura 1 apresenta um esboço da polarização de um J-FET canal N: junção PN inversamente polarizada, VGS 0, e VDS positivo (VDS > 0). EXPERIMENTO N O 06 Transistor de Efeito de Campo OBJETIVO: Estudar o funcionamento do J-FET MATERIAIS: Instrumentos: Osciloscópio duplo traço Gerador de funções Materiais (responsabilidade do aluno): Fonte

Leia mais

Lista de Exercícios Amplificadores Operacionais

Lista de Exercícios Amplificadores Operacionais Lista de Exercícios Amplificadores Operacionais Para solução dos exercícios, suponha o amplificador operacional ideal e a alimentação simétrica de 12V. 1- Para os circuitos abaixo, diga qual configuração

Leia mais

Cálculos para Reticação de Onda

Cálculos para Reticação de Onda Cálculos para Reticação de Onda Prof. Dr. Marcelo de Oliveira Rosa 1 de agosto de 11 Resumo Este documento objetiva fornecer um material documentado das equações envolvidas na determinação de tensões DC,

Leia mais

28/10/2010 IFBA. CELET Coordenação do Curso Técnico em Eletrônica Professor: Edvaldo Moraes Ruas, EE. Vitória da Conquista, 2010.

28/10/2010 IFBA. CELET Coordenação do Curso Técnico em Eletrônica Professor: Edvaldo Moraes Ruas, EE. Vitória da Conquista, 2010. IFBA CELET Coordenação do Curso Técnico em Eletrônica Professor: Edvaldo Moraes Ruas, EE Vitória da Conquista, 2010 1 a Parte Introdução Amplificador Diferencial 1 Amplificador Diferencial A fabricação

Leia mais

1. TRANSISTOR DE JUNÇÃO BIPOLAR

1. TRANSISTOR DE JUNÇÃO BIPOLAR 1. TRANSSTOR DE JUNÇÃO POLAR Criado em 1947 (ell Telephone). Mais leve, menor, sem perdas por aquecimento, mais robusto e eficiente que a válvula. 6.1 Construção - Dispositivo semicondutor formado por

Leia mais

Parte 3 Fontes Chaveadas Circuitos auxiliares (snubber, partida, fonte, etc)

Parte 3 Fontes Chaveadas Circuitos auxiliares (snubber, partida, fonte, etc) Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina Departamento Acadêmico de Eletrônica Projeto de Fontes Chaveadas Parte 3 Fontes Chaveadas Circuitos auxiliares (snubber, partida, fonte,

Leia mais

Introdução. (Eletrônica 1) GRECO-CIN-UFPE Prof. Manoel Eusebio de Lima

Introdução. (Eletrônica 1) GRECO-CIN-UFPE Prof. Manoel Eusebio de Lima Introdução (Eletrônica 1) GRECO-CIN-UFPE Prof. Manoel Eusebio de Lima O que são sistemas eletrônicos? Sistemas elétricos, como os circuitos da sua casa, usam corrente elétrica para alimentar coisas como

Leia mais

Figura 1 Várias formas de ondas repetitivas: (a) onda cosseno, (b) onda seno, (c) onda triangular (d) onda quadrada

Figura 1 Várias formas de ondas repetitivas: (a) onda cosseno, (b) onda seno, (c) onda triangular (d) onda quadrada ASSOCIAÇÃO EDUCACIONAL DOM BOSCO FACULDADE DE ENGENHARIA DE RESENDE ENGENHARIA ELÉTRICA ELETRÔNICA Disciplina: Laboratório de Circuitos Elétricos Corrente Alternada 1. Objetivo Uma medida elétrica é a

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica do RS Faculdade de Engenharia

Pontifícia Universidade Católica do RS Faculdade de Engenharia Pontifícia Universidade atólica do RS Faculdade de Engenharia EXPERÊN 5: PONTE RETFDOR TRFÁS DODOS - PONTE DE GRETZ OBJETVO Verificar qualitativa e quantitativamente o comportamento do retificador trifásico

Leia mais

O TRANSISTOR COMO CHAVE ELETRÔNICA E FONTE DE CORRENTE

O TRANSISTOR COMO CHAVE ELETRÔNICA E FONTE DE CORRENTE O TRANSISTOR COMO CHAVE ELETRÔNICA E FONTE DE CORRENTE OBJETIVOS: Analisar o comportamento de um transistor no corte e na saturação e sua utilização como chave eletrônica. I - Transistor como chave eletrônica:

Leia mais

Conteúdo: - Alfabeto - letras k, w, y e vogais - Uso do dicionário FORTALECENDO SABERES CONTEÚDO E HABILIDADES APRENDER A APRENDER I DESAFIO DO DIA

Conteúdo: - Alfabeto - letras k, w, y e vogais - Uso do dicionário FORTALECENDO SABERES CONTEÚDO E HABILIDADES APRENDER A APRENDER I DESAFIO DO DIA CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA A I Conteúdo: - Alfabeto - letras k, w, y e vogais - Uso do dicionário 2 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA A I Habilidades:

Leia mais

III. Análise de Pequenos Sinais do BJT. Anexo

III. Análise de Pequenos Sinais do BJT. Anexo III Anexo Análise de Pequenos Sinais do BJT Meta deste capítulo Relembrar os principais conceitos e técnicas envolvidos na análise de pequenos sinais de transistores bipolares objetivos Apresentar a importância

Leia mais

13. Electrónica transístores bipolares

13. Electrónica transístores bipolares 13. Electrónica transístores 13.1. bipolares omponente activo saída com maior potência do que entrada O excesso de potência vem da fonte de alimentação ipolar = com duas polaridades 13.1 É constituído

Leia mais

Concurso Público para Cargos Técnico-Administrativos em Educação UNIFEI 13/06/2010

Concurso Público para Cargos Técnico-Administrativos em Educação UNIFEI 13/06/2010 Questão 21 Conhecimentos Específicos - Técnico em Eletrônica Calcule a tensão Vo no circuito ilustrado na figura ao lado. A. 1 V. B. 10 V. C. 5 V. D. 15 V. Questão 22 Conhecimentos Específicos - Técnico

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2016 Ensino Técnico Plano de Curso nº 233 aprovado pela portaria Cetec nº 172 de 13/09/2013 Etec Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Controle e

Leia mais

ELETRÔNICA CIRCUITOS ESPECIAIS CAPÍTULO

ELETRÔNICA CIRCUITOS ESPECIAIS CAPÍTULO CIRCUITOS ESPECIAIS Limitador (Ceifador) Positivo Negativo Polarizado Grampeador Multiplicador Dobrador Triplicador Quadriplicador Positivo Negativo Detector de Pico a Pico 1 LIMITADOR O limitador (ceifador)

Leia mais

Capítulo. Meta deste capítulo Relembrar os principais circuitos de polarização de transistores bipolares.

Capítulo. Meta deste capítulo Relembrar os principais circuitos de polarização de transistores bipolares. 2 Polarização Capítulo de Transistores Meta deste capítulo Relembrar os principais circuitos de polarização de transistores bipolares objetivos Apresentar a importância dos circuitos de polarização; Analisar

Leia mais

4.3 Multiplicador de Tensão

4.3 Multiplicador de Tensão 4.3 Multiplicador de Tensão Esse circuito possibilita a obtenção de uma tensão contínua de saída que é múltiplo inteiro do valor de pico de uma tensão de entrada, que neste caso é alternada (quadrada ou

Leia mais

Transistor de Junção Bipolar (TJB)

Transistor de Junção Bipolar (TJB) Transistor de Junção Bipolar (TJB) 25-abr-11 1 DEFINIÇÃO : O termo TRANSISTOR vem da expressão em inglês TRANSfer resistor (resistor de transferência), como era conhecido pelos seus inventores. É um componente

Leia mais

Utilizando-se da curva de transferência podemos resolver o problema graficamente e assim temos :

Utilizando-se da curva de transferência podemos resolver o problema graficamente e assim temos : ELETRÔNICA III EXERCÍCIO REFERENTE À AULA - 6 2003 AMPLIFICADORES DE PEQUENOS SINAIS RESPOSTA EM FREQÜÊNCIA. Exercício Resolvido : Determinar a resposta em freqüência do amplificador de pequeno sinal a

Leia mais

Colectânea de Problemas

Colectânea de Problemas Teoria dos Circuitos e Fundamentos de Electrónica Mestrado em Engenharia Física Tecnológica (MEFT) Mestrado em Engenharia Biomédica (MEBiom) Colectânea de Problemas 1 Teoria dos Circuitos 2 Circuitos com

Leia mais

Noções de corrente alternada

Noções de corrente alternada Noções de corrente alternada Corrente alternada, ou CA (em inglês AC) é uma corrente elétrica cuja intensidade e sentido variam periodicamente, ao contrário da corrente contínua cuja direção permanece

Leia mais

Fontes de Tensão e Corrente

Fontes de Tensão e Corrente CAPÍTULO 2 Fontes de Tensão e Corrente Prof. Dr. ebastião Gomes dos antos Filho 2.2 CARACTRÍTCA D UM CRCUTO RGULADOR Um circuito regulador de tensão (ou corrente) normalmente é alimentado por uma fonte

Leia mais

Aula 6 Circuitos em Corrente Alternada Prof. Marcio Kimpara

Aula 6 Circuitos em Corrente Alternada Prof. Marcio Kimpara ELETRICIDADE Aula 6 Circuitos em Corrente Alternada Prof. Marcio Kimpara Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Tensão (e/ou corrente) contínua Corrente contínua CC (ou DC - do inglês direct current)

Leia mais

TERMOS DE REFERÊNCIA 001

TERMOS DE REFERÊNCIA 001 TERMOS DE REFERÊNCIA 001 CONSULTORIA TÉCNICA PARA PREPARAR INFORMAÇÕES PARA SUBISIDIAR O MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO DE RESULTADOS DAS POLÍTICAS PÚBLICAS RELACIONADAS COM O ODM #7 1. Objetivo Contratação

Leia mais

IFBA. CELET Coordenação do Curso Técnico em Eletrônica Professor: Edvaldo Moraes Ruas, EE. Vitória da Conquista

IFBA. CELET Coordenação do Curso Técnico em Eletrônica Professor: Edvaldo Moraes Ruas, EE. Vitória da Conquista IFBA 1 a Parte CELET Coordenação do Curso Técnico em Eletrônica Professor: Edvaldo Moraes Ruas, EE Vitória da Conquista - 2009 JFET s - estrutura e símbolo Transistor de junção por efeito de campo (Junction

Leia mais

PROVA DE CONHECIMENTOS TÉCNICOS CÓD. 09

PROVA DE CONHECIMENTOS TÉCNICOS CÓD. 09 8 PROVA DE CONHECIMENTOS TÉCNICOS CÓD. 09 QUESTÃO 21: Você vai fazer uma medida de tensão continua de 250V no painel de máquina, usando um multímetro. Qual é a escala correta a ser selecionada? a) 200

Leia mais

CAPÍTULO 3 - CIRCUITOS RETIFICADORES ELETRÔNICA ANALÓGICA AULA 04

CAPÍTULO 3 - CIRCUITOS RETIFICADORES ELETRÔNICA ANALÓGICA AULA 04 CAPÍTULO 3 - CIRCUITOS RETIFICADORES ELETRÔNICA Aluno turma ELETRÔNICA ANALÓGICA AULA 04 1- Retificadores Todos os aparelhos eletrônicos necessitam de corrente contínua para funcionar, todavia, a rede

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica do RS Faculdade de Engenharia

Pontifícia Universidade Católica do RS Faculdade de Engenharia Pontifícia Universidade Católica do S Faculdade de Engenharia LABOATÓIO DE ELETÔNICA DE POTÊNCIA Experiência 8: Ponte etificadora Monofásica a Tiristor (Totalmente Controlada). Objetivos: Verificar qualitativa

Leia mais

SOLUÇÃO DOS EXERCÍCIOS REFERENTES A FET DIVISOR DE TENSÃO E AUTOPOLARIZAÇÃO ANÁLISE CC.

SOLUÇÃO DOS EXERCÍCIOS REFERENTES A FET DIVISOR DE TENSÃO E AUTOPOLARIZAÇÃO ANÁLISE CC. SOLUÇÃO DOS EXERCÍCIOS REFERENTES A FET DIVISOE TENSÃO E AUTOPOLARIZAÇÃO ANÁLISE CC. 1.o Para o Amplificador a seguir, calcular : DADOS : I DSS = 6mA V P = - 4 V V DD = 12 V = 1K Pede-se : a) ( I Dq,V

Leia mais

Electrónica II Amplificadores de Potência

Electrónica II Amplificadores de Potência Introdução Os amplificadores são normalmente compostos por vários andares em cascata: entrada e intermédios operam com pequenos sinais. ao andar de saída é solicitada uma potência suficientemente elevada

Leia mais

CAPÍTULO V I APLICAÇÕES DOS AMPLIFICADORES OPERACIONAIS

CAPÍTULO V I APLICAÇÕES DOS AMPLIFICADORES OPERACIONAIS CAPÍTULO V I APLICAÇÕES DOS AMPLIFICADORES OPERACIONAIS Neste capítulo, o objetivo é o estudo das aplicações com os Amplificadores Operacionais realizando funções matemáticas. Como integração, diferenciação,

Leia mais

PREFEITURA MU ICIPAL DE PALMAS SECRETARIA MU ICIPAL DE GOVER O

PREFEITURA MU ICIPAL DE PALMAS SECRETARIA MU ICIPAL DE GOVER O LEI COMPLEMENTAR Nº 273, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2012. Altera o art. 59 da Lei nº 386, de 17 de fevereiro de 1993, e dá outras providências. O PREFEITO DE PALMAS Faço saber que a Câmara Municipal de Palmas

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE ENGENHARIA ELÉTRICA E INFORMÁTICA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA ELETRÔNICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE ENGENHARIA ELÉTRICA E INFORMÁTICA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA ELETRÔNICA UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE ENGENHARIA ELÉTRICA E INFORMÁTICA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA ELETRÔNICA LISTA DE EXERCICIOS #8 (1) FONTE DE CORRENTE COM CARGA ATERRADA (A) Encontre

Leia mais

Seja o quadripolo abaixo. Lembrando que analise deste sistema pode ser feito por parâmetros híbridos, determine os lembrando que:

Seja o quadripolo abaixo. Lembrando que analise deste sistema pode ser feito por parâmetros híbridos, determine os lembrando que: Exercício 1: Seja o quadripolo abaixo. Lembrando que analise deste sistema pode ser feito por parâmetros híbridos, determine os lembrando que: A - h 11 = 12 Ohms, h 12 = 1/3, h 21 = -2/3 e h 22 = 1/9S

Leia mais

Teoria Geral de Osciladores

Teoria Geral de Osciladores Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina Departamento Acadêmico de Eletrônica Osciladores e Multivibradores Teoria Geral de Osciladores Florianópolis, março de 2012. Prof.

Leia mais

INTRODUÇÃO. São propostas as práticas que deverão ser feita em 1 dia de aula prática (uma aula com duração de 50 minutos).

INTRODUÇÃO. São propostas as práticas que deverão ser feita em 1 dia de aula prática (uma aula com duração de 50 minutos). INTRODUÇÃO Este guia foi desenvolvido para as aulas práticas de Eletrônica e Instrumentação do Curso de Graduação em Engenharia Mecânica da Universidade Kroton/Anhanguera. São propostas as práticas que

Leia mais

6.071 Lab 3 - Transistores

6.071 Lab 3 - Transistores 1 Pré-laboratório, Semana 1 6.071 Lab 3 - Transistores 8 de abril de 2002 Por favor, leia integralmente o laboratório antes de ir à sessão de laboratório. Este laboratório se baseia no laboratório 2. Fizemos

Leia mais

Prof. Dr. Alceu Ferreira Alves

Prof. Dr. Alceu Ferreira Alves UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO Campus Universitário de Bauru FACULDADE DE ENGENHARIA www.feb.unesp.br Prof. Dr. Alceu Ferreira Alves 2015 LABORATÓRIO DE ELETRÔNICA I PROGRAMAÇÃO

Leia mais

Universidade Tecnológica Federal do Paraná Departamento Acadêmico de Eletrotécnica Engenharias Eletrônica 1 ET74C Profª Elisabete N Moraes

Universidade Tecnológica Federal do Paraná Departamento Acadêmico de Eletrotécnica Engenharias Eletrônica 1 ET74C Profª Elisabete N Moraes EXERCÍCIOS--2ª VERIFICAÇÃO DE APRENDIZAGEM 1. Para a polarização do emissor, a tensão no emissor é 0,7V abaixo da: a)tensão na base b)tensão no emissor c)tensão no coletor d)tensão na referência 2. Com

Leia mais

Eletrônica e Circuitos Digitais. Circuitos Retificadores

Eletrônica e Circuitos Digitais. Circuitos Retificadores Eletrônica e Circuitos Digitais Circuitos Retificadores 1 ) Objetivo 2 ) Introdução Teórica 3 ) Lista de Materiais 4 ) Procedimento Material e Resultados 5 ) Discussão/Conclusão 1 ) Objetivo A experiência

Leia mais

FONTE ESTABILIZADA SIMÉTRICA 5,12 E -12V

FONTE ESTABILIZADA SIMÉTRICA 5,12 E -12V CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLOGICA DE SANTA CATARINA CURSO TÉCNICO DE ELETRÔNICA ELETRÔNICA BÁSICA FONTE ESTABILIZADA SIMÉTRICA 5,12 E -12V Equipe: João Heracto de Matos Valdo Rickes Paixão INDICE

Leia mais

Manual pra quê? O que move uma marca? Ela é movida pela CONFIANÇA E PERCEPÇÃO DE VALOR POR SEUS CONSUMIDORES.

Manual pra quê? O que move uma marca? Ela é movida pela CONFIANÇA E PERCEPÇÃO DE VALOR POR SEUS CONSUMIDORES. Manual pra quê? O que move uma marca? Ela é movida pela CONFIANÇA E PERCEPÇÃO DE VALOR POR SEUS CONSUMIDORES. E a marca HEAVYLOAD transmite essa confiança e, também, cria essa percepção! Em cada momento

Leia mais

Prof. Dr. Alceu Ferreira Alves

Prof. Dr. Alceu Ferreira Alves UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO Campus Universitário de Bauru FACULDADE DE ENGENHARIA www.feb.unesp.br Prof. Dr. Alceu Ferreira Alves 2013 LABORATÓRIO DE ELETRÔNICA I PROGRAMAÇÃO

Leia mais

Fig. 1 (a) Diagrama de Amplitude e (b) diagrama de fase de um filtro passa-baixo (um polo em s=ω o

Fig. 1 (a) Diagrama de Amplitude e (b) diagrama de fase de um filtro passa-baixo (um polo em s=ω o Fig. 1 (a) Diagrama de Amplitude e (b) diagrama de fase de um filtro passa-baixo (um polo em s=ω o ). 0 Fig. 2 (a) Diagrama de Amplitude e (b) diagrama de fase de um filtro passa-alto (um zero em s=0 e

Leia mais

2 Topologias básicas de conversores CC-CC com isolação

2 Topologias básicas de conversores CC-CC com isolação Fontes Chaveadas Cap 2 opologias básicas de conversores CC-CC com isolação J A Pomilio 2 opologias básicas de conversores CC-CC com isolação m muitas aplicações é necessário que a saída esteja eletricamente

Leia mais

V L V L V θ V L = V E + I L + θ +... V E I L θ

V L V L V θ V L = V E + I L + θ +... V E I L θ DISCIPLINA CIRCUITOS ELETRÔNICOS Circuitos Eletrônicos Módulo um: Estudo dos reguladores de tensões. Objetivo: Este módulo de ensino o aluno de aprender o conceito de regulador. É mostrado que para ter

Leia mais

Lab.04 Osciloscópio e Gerador de Funções

Lab.04 Osciloscópio e Gerador de Funções Lab.04 Osciloscópio e Gerador de Funções OBJETIVOS Capacitar o aluno a utilizar o osciloscópio e o gerador de funções; Usar o osciloscópio para observar e medir formas de onda de tensão e de corrente.

Leia mais

COORDENADORIA DE ELETROTÉCNICA ELETRÔNICA BÁSICA - LISTA DE EXERCÍCIOS DIODOS SEMICONDUTORES. II III IV Dopagem com impureza. II Lado da junção a) N

COORDENADORIA DE ELETROTÉCNICA ELETRÔNICA BÁSICA - LISTA DE EXERCÍCIOS DIODOS SEMICONDUTORES. II III IV Dopagem com impureza. II Lado da junção a) N COORDENADORIA DE ELETROTÉCNICA ELETRÔNICA BÁSICA - LISTA DE EXERCÍCIOS DIODOS SEMICONDUTORES 1. Associe as informações das colunas I, II, III e IV referentes às características do semicondutor I II III

Leia mais

EXPERIMENTS MANUAL Manual de Experimentos Manual de Experimentos 1

EXPERIMENTS MANUAL Manual de Experimentos Manual de Experimentos 1 SEMICONDUCTOR III Semiconductor III Semicondutor III M-1105A *Only illustrative image./imagen meramente ilustrativa./imagem meramente ilustrativa. EXPERIMENTS MANUAL Manual de Experimentos Manual de Experimentos

Leia mais