Assunto/Referência: LPI N.º 002/2014 (Fornecimento e Instalação de Infraestrutura de Medição Avançada - Advanced Metering Infrastructure AMI)

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Assunto/Referência: LPI N.º 002/2014 (Fornecimento e Instalação de Infraestrutura de Medição Avançada - Advanced Metering Infrastructure AMI)"

Transcrição

1 Brasília, 14 de julho de 2014 À TODAS AS EMPRESAS PARTICIPANTES Assunto/Referência: LPI N.º 002/2014 (Fornecimento e Instalação de Infraestrutura de Medição Avançada - Advanced Metering Infrastructure AMI) ADENDO N.º 05 Prezados Senhores, PERGUNTA 01: O apêndice 7 ( Atas de Discussões de Finalização do Contrato e Alterações Acordadas no Contrato ) da Seção VII do edital autoriza que as partes negociem alterações ao edital e ao contrato, e dispõe que as alterações devem substituir as cláusulas relevantes nas CGC, CEC, Requisitos Técnicos. Em qual momento os licitantes devem propor formalmente as alterações? As alterações devem ser apresentadas em formato de cláusulas ou itens (da CGC, CEC e Requisitos Técnicos)? Em que momento os licitantes confirmarão a aceitação das alterações? RESPOSTA 01: O Apêndice 7 (Atas de Discussões de Finalização do Contrato e Alterações Acordadas no Contrato) da Seção VII do Edital não significa que as partes negociarão alterações ao Edital e ao Contrato, antes da assinatura deste último. Trata-se, na verdade, de um apêndice cuja utilização se restringe a eventuais aditamentos contratuais que sejam necessários, sobretudo porque LPI 002/2013 é um certame processado em uma única etapa e não há previsão de utilização de nenhum fator adicional de avaliação de propostas (além do preço). PERGUNTA 02: A cláusula 33.1 a das CGCs (pag. 103) do edital exclui expressamente a responsabilidade do fornecedor por "todas as perdas e danos indiretos e por consequência, perda de uso, perda de produção ou perda de lucros ou custos de juros". A frase continua com os seguintes dizeres:...contanto que esta exclusão não se aplique a qualquer obrigação do Fornecedor em pagar a indenização. Esta frase está incorretamente traduzida do inglês para o português, já que a palavra indenização em português tem um sentido mais amplo que a palavra liquidated damages em inglês (que significa, na realidade, danos liquidados/prefixados no contrato ). A versão traduzida é incoerente por afastar o propósito central da própria cláusula, ao criar uma exceção tão ampla que praticamente exclui a regra, além de criar insegurança jurídica aos licitantes. Solicitamos revisão do texto da referida cláusula, substituindo o termo indenização por danos liquidados/prefixados no contrato. Adendo 005 LPI 002/2014 1

2 RESPOSTA 02: Esclarecemos que fica mantido o texto da referida cláusula nos editais (inglês e português). PERGUNTA 03: A cláusula das CECs (pág. 128) do edital nomeia o mediador Alexandre Magalhães de Mesquita. Ocorre que, no apêndice 2 da seção VII ( Modelos de Formulários ) à pág. 275, existe a informação de que o referido mediador tem relação contratual atual (de 2009 a atual) com o banco financiador do comprador, sendo questionável seu interesse na apreciação de eventuais conflitos entre as partes, podendo ser objeto de arguição de parcialidade futura. Solicitamos excluir essa nomeação prévia, já que está eivada de vício, sendo que a nomeação pode ser feita em comum acordo entre as partes após a instalação do conflito. O edital pode ser adaptado quanto a este ponto, se necessário. RESPOSTA 03: Esclarecemos que não há nenhum vício na indicação do mediador, posto que o Banco não é parte licitação e nem do futuro contrato. O Banco é apenas o financiador, logo, alguém que tenha relação com o Banco não está em situação de conflito de interesse. Além disso, se o licitante discordar do nome do Alexandre Mesquita, pode indicar outro nome já em sua proposta, sem que isso seja considerado um desvio material dos termos do edital. PERGUNTA 04: Com relação a subcontratações, o item 6.3 da IAL do edital dispõe que o Comprador reserva-se ao direito de excluir qualquer Subcontratado proposto da lista, mas não possui uma referência clara aos critérios de exclusão. Solicitamos informar se os critérios de recusa restringem-se àqueles citados no item 6 do IAL do edital ( Qualificações do Licitante ). Se a resposta for negativa, solicitamos esclarecer quais são os critérios de recusa, de forma clara e completa. RESPOSTA 04: O Comprador pode recusar qualquer Subcontratado proposto na lista mediante justificativa. PERGUNTA 05: Com relação ao prazo de atendimento de obrigações de garantia, existe contradição no edital, e um vício intrínseco em sua formulação. A CGC dispõe que durante o Período de Garantia, o Fornecedor deve iniciar o trabalho necessário para corrigir defeitos ou danos no período de 48 horas da notificação. Já na ET-DD-007/2010 ( Instalação de Gateways ), no item 7.1.1, temos o seguinte texto: Caso, no período da garantia, seja necessário refazer os serviços, estes devem ser realizados no prazo de até 12 horas após a sua constatação e formalização por parte do COMPRADOR. É dever informar que os prazos de 12 e 48 horas, a serem executados em cidades espalhadas em 6 Estados, com cobertura territorial considerável, mostram-se inviáveis, inexequíveis, ou oneram excessivamente o preço da proposta, já que para cumpri-lo o fornecedor terá que incluir em seu custo recursos permanentes disponíveis em todas as cidades onde os gateways seriam instalados durante todo o prazo de garantia, o que causará impacto significativo no custo das propostas, de forma desnecessária. Solicitamos manifestar sobre a correção do prazo de atendimento de obrigações de garantia, considerando a natureza do projeto e locais de execução, bem como respeitando a razoabilidade e proporcionalidade do processo licitatório, em prol do bem público. RESPOSTA 05: A CGC estabelece que Durante o Período de Garantia, o Fornecedor deve iniciar o trabalho necessário para corrigir defeitos ou danos no período de 48 horas da notificação. Devendo esse período ser observado para todas as Tecnologias de Informações, Adendo 005 LPI 002/2014 2

3 Materiais, e outros Produtos que compõem o sistema a ser fornecido, que não tenham em suas especificações técnicas, período para correção de danos definido de forma diferente. Para o caso específico dos serviços de instalação dos gateways este tempo para correção de defeitos está claramente definido no item da ET-DD-007/2010, estabelecendo que no período da garantia, se for necessário refazer os serviços, estes devem ser realizados no prazo de até 12 horas após a sua constatação e formalização por parte do COMPRADOR. Este período está adequado, dado que o provedor da infraestrutura de comunicação, a qual inclui todos os equipamentos associados à comunicação inclusive os gateways terá que manter bases operacionais nas áreas de implantação do projeto (não necessariamente em todas as cidades) durante a execução do projeto e mais 36 (trinta e seis) meses após a aceitação integral do sistema, período no qual fará a manutenção e operação da infraestrutura de comunicação. Assim, deve ser entendido que se houver a necessidade de refazer os serviços durante a garantia, estes ocorrerão durante o período de presença provedor da infraestrutura de comunicação nas áreas de implantação do projeto. PERGUNTA 06: Garantia X Aceitação Operacional. O item 29.4 das CEC dispõe que o período de garantia deve ser da data da aceitação operacional. Já o item 7.1 da ET-DD-003/2010 dispõe que o período de garantia deve ser a partir da data de entrega no local indicado no pedido de compra ou (...) após a entrada em operação, prevalecendo o que ocorrer primeiro. Solicitamos esclarecer qual condição prevalece. RESPOSTA 06: Conforme a Condição Especial de Contrato (CEC) para a CGC 29.4, o Período de Garantia (N) deve ser iniciado na data da Aceitação Operacional para o Sistema ou Subsistemas e se estender por: Bens e Serviços: Conforme definido nas especificações técnicas específicas. Sistema de Gestão da Medição, software auxiliares e infraestrutura de comunicação aplicada as Unidades Consumidoras, incluindo todos os equipamentos desta, 24 (vinte e quatro) meses. Assim, para os conjuntos de medição, objetos da especificação técnica ET-DD-003/2010 e que é um subsistema (bens) da solução (sistema), o período de garantia deve contar a partir da data de entrada em operação (aceitação operacional). PERGUNTA 07: Os serviços de telecomunicações (links de internet, links ponto à ponto e chips de dados GPRS/GSM/Edge/3G) serão contratados pelas empresas do grupo Eletrobrás ou será subcontratado pelo fornecedor do AMI? RESPOSTA 07: De acordo com a nota 2 da página 16 da Especificação Técnica ET-DD- 001/2010 os serviços citados nos itens 6.2.7, 6.2.8, 6.2.9, e , deverão ser mantidos e operados pelo FORNECEDOR durante o período de implantação e mais 36 (trinta e seis) meses após a conclusão integral da implantação. Favor observar os referidos itens abaixo: Total dos serviços de conectividade para os gateways a serem fornecidas para aplicação na comunicação das UC de Média Tensão; Total dos serviços de implantação, operação e manutenção dos links de comunicação para a integração do SGM e os sistemas legados dos COMPRADORES; Adendo 005 LPI 002/2014 3

4 6.2.9 Total dos serviços de implantação, operação e manutenção dos links de comunicação para recepção dos dados de medição no CM de Brasília; Serviços de suporte sob demanda para o SGM. Estima-se que um banco com homens-horas será suficiente para atender as necessidades deste contrato; Total dos serviços, materiais e equipamentos para a implantação, operação e manutenção da infraestrutura de comunicação conforme ET- DD-010/2010. Devem ser considerados como integrante desta infraestrutura os módulos de comunicação que venham a ser instalados com os medidores, quer embarcados nos mesmos, quer adicionados externamente. PERGUNTA 08: Com relação à LPI 002/2014, instruções aos licitantes, IAL 6.1 (a), que define os requisitos de qualificação, solicitamos que a evidência documental comprovando a experiência técnica para o item 7) Execução dos Serviços de Instalação em Campo, possa ser feita por empresa subcontratada, para que possamos fornecer uma melhor estrutura contratual de atendimento aos serviços deste empreendimento. RESPOSTA 08: Conforme definido no item a IAL 6.1 (c), seção I, página 10 do documento de licitação, temos que: Adendo 005 LPI 002/ que, se um Licitante propuser aos Subcontratados os serviços principais se e de acordo com o identificado na FDL, estes Subcontratados devem concordar por escrito para servir ao Licitante sob o(s) Contrato(s) que possa resultar desta licitação; Na FDL para a IAL 6.1 (c), seção II página 41 do documento de licitação, temos que: Se o Licitante propuser usar Subcontratados para a provisão de determinados serviços chave, acordos por escrito pelas empresas propostas para fornecer estes serviços no caso de o(s) contrato(s) resultante(s) desta licitação forem requeridos para os seguintes tipos/categorias de serviços: 1- Serviços de inspeção de UC 2- Instalação de equipamentos (medidores e componentes da infraestrutura de comunicação). Assim, se o licitante propuser a realização de serviços chaves (principais), definidos nos itens 1 e 2 acima, através de subcontratados, deverá no ato da apresentação da proposta já possuir acordos por escritos com os subcontratados, os quais devem atender a todas as condições de qualificação técnica definidas na FDL da IAL 6.1 (a) item 7, seção II, pagina 39 do documento de licitação. PERGUNTA 09: Em relação a ET-DD-004/2010: 9.1. Entendemos que a Eletrobras fará a parametrização dos medidores no armazém do fornecedor ou durante instalação no local de instalação. Favor confirmar entendimento. Resposta: O medidor deve seguir para o local de instalação já parametrizado, portanto este processo deverá ocorrer nas instalações do fornecedor. A execução poderá ser feita por

5 técnicos das COMPRADORAS ou por técnicos do FORNECEDOR sob supervisão de técnicos das COMPRADORAS. Isto será definido no plano de trabalho acordado e finalizado 9.2. Entendemos que para a execução do projeto dentro do prazo estipulado, a Eletrobras disponibilizará funcionários para geração de ordens de serviço e garantir condições de instalação de acordo com o número de equipes disponibilizada pela contratada. Favor confirmar entendimento. Resposta: Correto. 9.3 Qual será o percentual de instalação de Conjuntos de Medição em linha viva? Resposta: Os serviços de instalação de Conjuntos de Medição deverão ser realizados preferencialmente em linha viva. Os casos em que haja impedimento operacional ou de segurança para realização dos serviços em linha viva serão tratados como excepcionalidade e deverão ser submetidos à aprovação das EDE S quanto à necessidade de programação de desligamento Entendemos as instalações não necessariamente precisarão iniciar em paralelo nas seis regionais. Favor confirmar nosso entendimento. Resposta: Correto. O plano de trabalho acordado e finalizado a ser estabelecido com o FORNECEDOR contratado definirá a sequência dos serviços 9.5. Entendemos que será necessário o uso de um caminhão adicional de linha morta para orçamento e transporte dos conjuntos de medição, além do que foi especificado. Favor confirmar o entendimento. Resposta: O içamento do CMed deve ser realizado com o uso do guindauto, o qual pode ser componente de um caminhão que também tenha recursos para trabalhos em linha viva. Assim, o um caminhão pode ser utilizado para instalação em linha viva e em linha morta De quem é a responsabilidade de adaptação da infraestrutura (rebaixamento da linha de BT, remoção de conjuntos antigos, adequação do ambiente interno para instalação de display, substituição/remoção de cruzetas, podas de árvore, realocação de transformador, adequação de estrutura N1/N2) para instalação dos novos conjuntos de medição? Resposta: Informamos que a responsabilidade é do FORNECEDOR No Item 7.2: Para efeitos de equalização, qual será a quantidade de conjuntos a serem instalados em saídas de alimentadores? Resposta: Todos os conjuntos serão instalados no ramal de ligação de UC, não haverá instalação de conjuntos de medição na saída de alimentadores 9.8. No item 7.2 da ET-DD-004/2010, é definido que na instalação de conjuntos de medição em saída de alimentadores o fornecedor deverá fornecer o material descrito, porém estes itens não fazem parte do quantitativo do projeto no ET-DD Adendo 005 LPI 002/2014 5

6 Favor confirmar se o fornecedor deverá fornecer tais materiais. Em caso positivo, entendemos que estes itens deveriam ser incluídos no quantitativo. Resposta: A Especificação Técnica ET-DD-004/2010 é comum para a instalação de conjuntos de medição para Unidades Consumidoras e para saída de alimentadores, entretanto neste projeto só teremos instalação de conjuntos para Unidades Consumidoras 9.9. Entendemos que os conjuntos de medição deverão ser armazenados no armazém do fornecedor. Favor confirmar nosso entendimento. Resposta: Até a sua aplicação todos os equipamentos e materiais deverão ficar armazenados nos almoxarifados do FORNECEDOR PERGUNTA 10: Em relação a ET-DD-017/ Para a instalação de medidores THS foram encontrados dois quantitativos diferentes no anexo do quantitativo geral, tabela da página 4 e tabelas do item 3 (pagina 9 a 14). Favor esclarecer qual o quantitativo correto. Resposta: Para o fornecimento de medidores THS devem ser considerados os quantitativos definidos na tabela da página 4 da ET-DD-017/2010. Os quantitativos constantes das tabelas do item 3 ( páginas 9 a 14) de tal Espeficação Técnica referem-se aos medidores THS que serão aplicados em Unidades Consumidoras ligadas em Média Tensão. A diferença para os quantitativos da página 4 são medidores THS que serão aplicados nas unidades consumidoras de BT com medição indireta. Assim na lista do item 4 da referida Espeficição Técnica devem ser desconsiderados os medidores Trifásicos 2,5 A Para a instalação de medidores de BT foram encontrados dois quantitativos diferentes no anexo do quantitativo geral, tabela da página 4 e tabelas do item 4 (pagina 14). Favor esclarecer qual o quantitativo correto. Resposta: A diferença é a quantidade de medidores Trifásico 2,5 A, que consta na tabela do item 4 (página 14) e que não consta na tabela da página 4, dado que os medidores trifásicos de 2,5 A (medição indireta) já deverão ser fornecidos como THS, conforme esclarecido na resposta anterior. PERGUNTA 11: Em relação a ET-DD-015/2010: Entendemos que as equipes de inspeção do fornecedor deverão possuir Ampstick para a execução do serviço. Favor confirmar nosso entendimento. RESPOSTA 11: Entendimento correto. PERGUNTA 12: Em relação a ET-DD : Entendemos que o fornecedor será responsável pela notificação prévia do desligamento do consumidor para a troca de seu medidor. Favor confirmar nosso entendimento. Caso a responsabilidade seja da compradora será garantida a geração de notificação em quantidades suficientes para a execução de serviços? Adendo 005 LPI 002/2014 6

7 Resposta: A correspondência de comunicação referente a substituição do medidor, conforme definido no no 4º do artigo 73 da Resolução ANEEL 414/2010, será providenciada pelas COMPRADORAS e fornecida junto com a Ordem de serviço ao FORNECEDOR, que será o responsável pela entrega ao responsável pela Unidade Consumidora no ato da realização do serviço. O volume de OS e demais documentos serão ajustados no plano de trabalho acordo e finalizado a ser firmado com o FORNECEDOR contratado, mas será assegurado um volume compatível com cronograma de execução do projeto Como serão ressarcidos os custos de improdutividade gerados pelos consumidores, nos casos em que não permitam a substituição, ausentes ou inexistentes? Resposta: As condições de pagamento estão definidas na seção V Condições Especiais do Contrato para a CGC 12.1 e não haverá ressarcimento por eventuais serviços que não tenham sido concluídos por questões relacionadas com substituição, ausência do responsável da Unidade Consumidora ou inexistência da mesma Entendemos que a Eletrobras liberará o acesso do fornecedor ao MDM e MDC nas instalações da Eletrobras em Brasília, para o monitoramento das instalações e ativação dos equipamentos (aproximadamente uma pessoa para cada dez equipes de campo). Favor confirmar nosso entendimento Resposta: Este acesso deverá ser ajustado entre os fornecedores dos equipamentos de campo e do MDM. Quanto ao acesso ao ambiente a será providenciado pelas COMPRADORAS. PERGUNTA 13: Em relação ao arquivo: LPI _QUANTIDADES_PROJETOS 1 E 2 v3 Favor esclarecer se dentre os pontos listados existem medições instaladas em locais subterrâneos, e qual seria sua quantidade? RESPOSTA 13: Não. PERGUNTA 14: Em relação a CEC e CGC 15.5: Solicitamos esclarecer se será permitido o depósito do código fonte em empresa terceira especializada, a ser acordada entre as partes. RESPOSTA 14: Sim. PERGUNTA 15: O edital, em diversas partes, apresenta previsão de que será aceita para fins de participação no certame tanto a subcontratação quanto a Joint Venture. O item 6.2 da Seção I do edital bem como o item 3.9 da Seção IV do edital apenas estipula o modo pelo qual deve ser apresentado o instrumento de formação e demais documentação caso as empresas optem por participar por meio de Joint Venture. O conceito de Joint venture pode ser entendido como a união de duas ou mais empresas já existentes com o objetivo de iniciar ou realizar uma atividade econômica comum, por um determinado período de tempo e visando, dentre outras motivações, o lucro. As empresas que se juntam são independentes juridicamente e no processo de criação da joint venture podem definir se criam uma nova empresa ou se fazem uma associação (ou seja, o consórcio de empresas). Adendo 005 LPI 002/2014 7

8 Diante do exposto pode-se depreender que existem dois tipos de joint ventures: joint venture contratual (non corporate), na qual não existe a formação de uma nova empresa (não tem personalidade jurídica); e joint venture societária, que implica a criação de uma nova empresa que tem personalidade jurídica própria. No entanto, o edital não deixou claro que serão aceitas as duas formas de participação por meio de joint venture. Destarte, é evidente que apenas o consórcio de empresas é suficiente para fins de participação no certame em tela e, ainda, corroborado pelo fato de que tal instituto é um tipo de joint venture expressamente admitida no edital. Requer-se, assim, diante dos esclarecimentos expostos, seja expressamente previsto no edital que para fins de participação na licitação é possível apenas a constituição de empresas em consórcio sem a necessidade de criação de uma nova empresa, permitindo assim a maior participação no certame sem a restrição da competitividade. RESPOSTA 15: Esclarecemos que será permitida as duas formas de Joint ventures. PERGUNTA 16: ET-DD 002/ : Para garantir a continuidade dos serviços, as fontes dos programas do SGM devem ser entregues mensalmente ao COMPRADOR durante a fase de implantação. Durante a fase de produção e validade da garantia, as atualizações das fontes devem ser entregues imediatamente após sua realização; ET-DD 002/ Durante a entrega das fontes dos programas o FORNECEDOR e o COMPRADOR -las no caso de indisponibilidade de serviços pelo provedor do SGM; Pergunta: Tendo em vista que o objetivo é uma proteção somente no caso de uma extinção da empresa provedora do software para SGM, não garantindo a continuidade dos serviços de suporte. Desta forma poderá ser depositado o código fonte em uma empresa fiduciária terceira a qual, mediante a um acordo confidencial privado somente levara a sua divulgação no caso da empresa provedora do software em questão deixar de exercer a atividade de suporte ao programa. Atendendo a preocupação de Eletrobras, pergunta-se a concordância de tal termo. RESPOSTA 16: Sim, poderá ser entregue a uma empresa fiduciária com sede no Brasil. PERGUNTA 17: ET-DD 001/ Pergunta: Consideramos que os medidores da Amazonas Energia estão nos medidores licenciados para o SGM? Ou este número pode ser acrescido a este valor (descritos nos itens ET-DD 002/ e ET-DD 001/ ), ficando em aproximadamente medidores? RESPOSTA 17: Sim, deve ser considerado incluso nas licenças que devem ser fornecidas com o SGM Adendo 005 LPI 002/2014 8

9 PERGUNTA 18: ET-DD 008/ : Suporte às tecnologias de virtualização Hyper-V, Citrix e VMware; Pergunta: Entendemos que pode ser utilizado outras tecnologias de virtualização com o tanto que esteja certificada para o sistema operacional em específico e garantindo o correto funcionamento do Sistema de Gestão da Medição (SGM) de Unidades Consumidoras (UC) do COMPRADOR. Está correto nosso entendimento? RESPOSTA 18: Sim. A solução proposta deverá observar os seguintes requisitos: Não deve ser proprietária; Não deve ser software livre com código fonte alterado; Possuir no mínimo distribuidores, centros de suporte e centros de treinamento em 3 (três) estados brasileiros; Comprovar a compatibilidade dos demais componentes da solução, através de documentos oficiais dos fabricantes dos itens abaixo: Solução de Storage; Solução de Backup e Segurança dos Dados; Banco de dados Oracle ou Microsoft SQL Server; Software Antivírus; Contemplar treinamento oficial do fabricante do software para Operação do software de virtualização para no mínimo 10 técnicos das distribuidoras; Manter as características do item 6.8.3; As quantidades de licenças a serem fornecidas não se alteram; Manter total compatibilidade e características mínimas com todos os itens solicitados no documento ET-DD 002/2010. PERGUNTA 19: ET-DD 008/ : Compatibilidade: constar na Windows Server Catalog: como compatível com os sistemas operacionais Microsoft Windows Server 2003 e Pergunta: Caso a solução ofertada suporte outro sistema operacional que não Windows, o hardware fornecido ainda assim deve estar nessa lista de compatibilidade? RESPOSTA 19: A solução ofertada deverá ser implementada em sistema operacional Windows para manter a compatibilidade com a infraestrutura já existente nas empresas, minimizando Custo Total de Propriedade-TCO, portanto o hardware deve constar nas referidas listas. PERGUNTA 20: ET-DD 008/ : Cada um dos servidores (Blade) deverá possuir licença de uso do sistema operacional Windows Server 2008 Enterprise Edition 64 bits, em português, com mídias, certificados e atualizado até a última versão disponível na data da entrega dos equipamentos, permitindo downgrade para a versão Windows Server 2003 R2 Enterprise 64 ou 32 bits; Pergunta: Caso a solução ofertada suporte outro sistema operacional que não Windows, o hardware fornecido ainda assim deve conter essa licença? Por que limitar a somente um sistema operacional? Adendo 005 LPI 002/2014 9

10 RESPOSTA 20: A solução ofertada deverá ser implementada em sistema operacional Windows para manter a compatibilidade com a infraestrutura já existente nas empresas, minimizando o TCO, portanto o hardware deve conter as referidas licenças. PERGUNTA 21: T-DD 008/ : Os servidores deverão ser ofertados na arquitetura Blade e dimensionados para atender todas as funcionalidades do SGM, objetivando assim a melhor usabilidade e desempenho a todos os seus usuários, considerando a projeção de usuários simultâneos por módulo do sistema e o quantitativo de pontos de medição interligados ao sistema, bem como também antever o crescimento da base de dados e acesso ao supracitado sistema, de acordo com as informações desta ET. Pergunta: Podem ser ofertadas outras arquiteturas, também expansíveis, que atendem as necessidades do software a ser instalado? RESPOSTA 21: Não. Deverão ser fornecidos na arquitetura especificada na ET devido ao TCO já citado. PERGUNTA 22: ET-DD 002/ : O sistema operacional deve ser o Windows 2008 Server ou superior Pergunta: Caso a solução ofertada suporte outro sistema operacional que não Windows, pode ser instalado outro que não Windows? RESPOSTA 22: Não, a solução ofertada deverá ser implementada em sistema operacional Windows para manter a compatibilidade com a infraestrutura já existente nas empresas, minimizando o Custo Total de Propriedade-TCO PERGUNTA 23: ET-DD 002/ : Todo o ambiente de hardware do subsistema central deve ser compatível com a arquitetura Intel ou semelhante; Pergunta: Caso a solução ofertada suporte outra arquitetura computacional que não Intel, o hardware fornecido ainda assim deve ser compatível? RESPOSTA 23: Sim, a solução ofertada deverá ser implementada em sistema operacional Windows para manter a compatibilidade com a infraestrutura já existente nas empresas, minimizando o TCO. PERGUNTA 24: A licitante iniciou a fabricação e comercialização de seus conjuntos de medição no ano de e soma fornecimentos para CEMIG, ELETROACRE, AMAZONAS ENERGIA, CEAL, CEPISA,CERON, COELCE, AMPLA,COELBA, e exportações para Colômbia e Guatemala, que representam mais de unidades, porém em função da conjuntura do mercado, a licitante não conseguiu fornecer neste período unidades em um único ano para um único cliente. Temos certeza de que os fornecimentos anteriores são suficientes para a qualificação da licitante para este processo e todavia temos plena capacidade de fabricar todas as 915 unidades objeto deste fornecimento, no período solicitado deste processo. Portanto, solicitamos que esta condição para qualificação de fornecedores seja revista, avaliando-se a isonomia e a competitividade deste processo de licitação. RESPOSTA 24: Reavaliando as condições de mercado e visando preservar a concorrência mais abrangente possível, aliado ao fato do objeto da licitação ser uma solução de AMI que envolve Adendo 005 LPI 002/

11 vários itens de fornecimento, ou seja, indicando a presença de consórcios como ofertantes, fica alterada a solicitação contida na IAL 6.1 (a) (2) do documento de licitação, passando a ter a seguinte redação: O licitante deverá apresentar documentação demonstrando que já forneceu pelo menos: I (um mil) conjuntos de medição encapsulados que atenda os requisitos técnicos daqueles requeridos por esta licitação, em um ano (em qualquer período doze meses) durante os últimos cinco anos; ou: II (dois mil) conjuntos de medição encapsulados que atenda os requisitos técnicos daqueles requeridos por esta licitação, durante os últimos cinco anos. As evidências de documentação devem conter: nome do contrato e uma breve descrição dos equipamentos e serviços fornecidos; no caso de uma Join Venture, nome dos membros e a porcentagem sob a responsabilidade de cada um; valor do contrato; datas do início e do término do contrato; nome e endereço do comprador, nome, número de telefone e endereço de do gerente do contrato do comprador. PERGUNTA 25: Por favor, poderiam nos informar se o medidor e gateway a serem utilizados no fornecimento de conjuntos de medição para a aplicação UC, deverão ser os mesmos a serem utilizados nos conjuntos de medição para aplicação de alimentadores, conforme informado nos itens e da ET-DD-003/ Conjunto de Medição 15 kv, 24,2 kv e 36,2 kv descritos abaixo? ET-DD-003/ Conjunto de Medição 15 kv, 24,2 kv e 36,2 Kv Um medidor eletrônico código F1CSL3, conforme ET-DD-005/ Um gateway conforme ET-DD-006/2010 RESPOSTA 25: Conforme item da ET-DD-003/2010, o medidor deve ser eletrônico código F1CSL3, conforme ET-DD-005/2010, assim os medidores deste fornecimento são diferentes dos medidores aplicados nos conjuntos de medição destinados a alimentadores, cujo código é F2DCL3. Quanto o gateway pode ser exatamente o mesmo, observado a necessidade de diferenciação na antena para que se atinja o ganho adequado à transmissão do sinal Esclarecemos que o acesso ao site da Eletrobras foi alterado, conforme abaixo; Onde se lê: Adendo 005 LPI 002/

12 Leia-se: Atenciosamente, Cleane Vidal Teixeira Presidente da Comissão Especial de Licitação do Projeto Energia+ De acordo: Valdeni Batista Milhomens Especialista em Licitações do Projeto Energia + Adendo 005 LPI 002/

1) QUANTIDADE E DETALHAMENTO DE ESPECIFICAÇÕES DE EQUIPAMENTOS. O item 1.1.1.2 das Condições Gerais do Objeto dispõe o seguinte:

1) QUANTIDADE E DETALHAMENTO DE ESPECIFICAÇÕES DE EQUIPAMENTOS. O item 1.1.1.2 das Condições Gerais do Objeto dispõe o seguinte: 1) QUANTIDADE E DETALHAMENTO DE ESPECIFICAÇÕES DE EQUIPAMENTOS. O item 1.1.1.2 das Condições Gerais do Objeto dispõe o seguinte: 1.1.1.2 Nos CSR, os quais executarão ações comandadas pelo CM e supervisionarão

Leia mais

QUESTIONAMENTOS ACERCA DO EDITAL DO PREGÃO ELETRÔNICO AA Nº 24/2015 - BNDES. Em resposta aos questionamentos formulados, o BNDES esclarece:

QUESTIONAMENTOS ACERCA DO EDITAL DO PREGÃO ELETRÔNICO AA Nº 24/2015 - BNDES. Em resposta aos questionamentos formulados, o BNDES esclarece: QUESTIONAMENTOS ACERCA DO EDITAL DO PREGÃO ELETRÔNICO AA Nº 24/2015 - BNDES Prezado Senhor, Em resposta aos questionamentos formulados, o BNDES esclarece: 1. Item 1.1.2 - Onde podemos encontrar os procedimentos,

Leia mais

MENSAGEM PREGÃO ELETRÔNICO N. 61/2008 ESCLARECIMENTO 2

MENSAGEM PREGÃO ELETRÔNICO N. 61/2008 ESCLARECIMENTO 2 MENSAGEM Assunto: Esclarecimento 2 Referência: Pregão Eletrônico n. 61/2008 Data: 17/12/2008 Objeto: Contratação de empresa especializada para fornecimento de solução informatizada e integrada para o acompanhamento

Leia mais

DIRETORIA DISTRIBUIÇÃO. Assessoria de Gestão do Projeto Energia + BANCO MUNDIAL BANCO INTERNACIONAL PARA A RECONSTRUÇÃO E DESENVOLVIMENTO BIRD

DIRETORIA DISTRIBUIÇÃO. Assessoria de Gestão do Projeto Energia + BANCO MUNDIAL BANCO INTERNACIONAL PARA A RECONSTRUÇÃO E DESENVOLVIMENTO BIRD DIRETORIA DISTRIBUIÇÃO Assessoria de Gestão do Projeto Energia + BANCO MUNDIAL BANCO INTERNACIONAL PARA A RECONSTRUÇÃO E DESENVOLVIMENTO BIRD Loan: 7884 - BR TERMO DE REFERÊNCIA OBJETO: Contratação de

Leia mais

2.2 - Prestação de Serviços de Suporte Técnico Assistido

2.2 - Prestação de Serviços de Suporte Técnico Assistido Anexo I TERMO DE REFERÊNCIA - TR Pregão Eletrônico nº 010/2011 1 DO OBJETO 1.1 - Contratação de empresa para o fornecimento de licenças de uso de software SAP, BusinessObjects Enterprise - BOE, com manutenção

Leia mais

FEDERAÇÃO DO COMÉRCIO DO PARANÁ FECOMÉRCIO/PR SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL SENAC/PR SERVIÇO SOCIAL DO COMÉRCIO SESC/PR

FEDERAÇÃO DO COMÉRCIO DO PARANÁ FECOMÉRCIO/PR SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL SENAC/PR SERVIÇO SOCIAL DO COMÉRCIO SESC/PR FEDERAÇÃO DO COMÉRCIO DO PARANÁ FECOMÉRCIO/PR SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL SENAC/PR SERVIÇO SOCIAL DO COMÉRCIO SESC/PR INSTRUMENTO CONVOCATÓRIO DE LICITAÇÃO SENAC/PE/06/2014 OBJETO: CONTRATAÇÃO

Leia mais

DECRETO N 001 A / 2015 De 02 de janeiro de 2015.

DECRETO N 001 A / 2015 De 02 de janeiro de 2015. DECRETO N 001 A / 2015 De 02 de janeiro de 2015. EMENTA: Regulamenta o Sistema de Registro de Preços SRP previsto no art. 15 da Lei nº 8.666/93, no âmbito do Município de Central Bahia. O PREFEITO DO MUNICÍPIO

Leia mais

ALTERAÇÕES DA MINUTA REVISADA EM MARÇO/2011

ALTERAÇÕES DA MINUTA REVISADA EM MARÇO/2011 CONTROLE DE VERSÃO EILD PADRÃO BRASIL TELECOM S.A. ALTERAÇÕES DA MINUTA REVISADA EM MARÇO/2011 1. Alterações realizadas no corpo do contrato: Alteradas as qualificações da CONTRATADA e CONTRATANTE O Anexo

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA. Ata de Registro de Preços para Subscrição de Software Sistema Operacional da Plataforma Linux.

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA. Ata de Registro de Preços para Subscrição de Software Sistema Operacional da Plataforma Linux. ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA Ata de Registro de Preços para Subscrição de Software Sistema Operacional da Plataforma Linux. DIT/GIS TR ARP Licenças de Software Sistema Operacional Linux.doc 1/ 6 TERMO DE

Leia mais

A seguir, respostas aos questionamentos referentes ao Pregão Presencial nº 17/14:

A seguir, respostas aos questionamentos referentes ao Pregão Presencial nº 17/14: Senhores, A seguir, respostas aos questionamentos referentes ao Pregão Presencial nº 17/14: Questionamento 1: 2. ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS MÍNIMCAS No que diz respeito ao subitem 2.1.2, temos a seguinte

Leia mais

G E S T Ã O D E C O M P R A S P O R R E G I S T R O D E P R E Ç O S. VALDIR AUGUSTO DA SILVA Gestão Estratégica de Compras Portal de Compras

G E S T Ã O D E C O M P R A S P O R R E G I S T R O D E P R E Ç O S. VALDIR AUGUSTO DA SILVA Gestão Estratégica de Compras Portal de Compras G E S T Ã O D E C O M P R A S P O R R E G I S T R O D E P R E Ç O S VALDIR AUGUSTO DA SILVA Gestão Estratégica de Compras Portal de Compras SUMÁRIO O Sistema de Registro de Preços do Governo do Estado

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA - TR Pregão Eletrônico nº 016/2008

TERMO DE REFERÊNCIA - TR Pregão Eletrônico nº 016/2008 CENTRO DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO TERMO DE REFERÊNCIA - TR Pregão Eletrônico nº 016/2008 Anexo II 1 DO OBJETO 1.1 - Prestação de serviços de suporte técnico assistido

Leia mais

Processo Nº 25545/2014 RESPOSTAS A QUESTIONAMENTOS

Processo Nº 25545/2014 RESPOSTAS A QUESTIONAMENTOS Processo Nº 25545/2014 RESPOSTAS A QUESTIONAMENTOS Brasília/DF, 18 de junho de 2014. Objeto Consultoria para desenvolvimento de metodologias e sistemáticas de inteligência para acompanhamento das famílias

Leia mais

Segue abaixo respostas aos questionamentos sobre o Pregão Eletrônico n 78/2014-SRP

Segue abaixo respostas aos questionamentos sobre o Pregão Eletrônico n 78/2014-SRP Prezada Pregoeira, PODER JUDICIÁRIO Segue abaixo respostas aos questionamentos sobre o Pregão Eletrônico n 78/2014-SRP 1. Item 8.7 do Termo de Referencia: 8.7 O monitoramento remoto de alarme deverá ser

Leia mais

Regulamenta o Sistema de Registro de Preços previsto no art. 15 da Lei nº 8.666, de 21 de junho de 1993.

Regulamenta o Sistema de Registro de Preços previsto no art. 15 da Lei nº 8.666, de 21 de junho de 1993. DECRETO N.º 7.892, DE 23 DE JANEIRO DE 2013. Regulamenta o Sistema de Registro de Preços previsto no art. 15 da Lei nº 8.666, de 21 de junho de 1993. A PRESIDENTA DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 3.931, DE 19 DE SETEMBRO DE 2001. Regulamenta o Sistema de Registro de Preços previsto no art. 15 da Lei nº 8.666, de 21

Leia mais

SECRETARIA DA FAZENDA SUPERVISÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DIVISÃO DE SISTEMAS E TECNOLOGIA

SECRETARIA DA FAZENDA SUPERVISÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DIVISÃO DE SISTEMAS E TECNOLOGIA LICITAÇÃO PÚBLICA INTERNACIONAL - LPI N 0 001/CELIC/2014 PROCESSO ADMINISTRATIVO N 0 0122073-14.00/12-0 RESPOSTAS DO CONTRATANTE Respostas aos questionamentos enviados pela empresa STEFANINI ASSESSORIA

Leia mais

CONSULTA PÚBLICA Nº 002/2015. Objeto: TI SECURE WEB GATEWAY, SERVIÇO DE INSTALAÇÃO E TREINAMENTO

CONSULTA PÚBLICA Nº 002/2015. Objeto: TI SECURE WEB GATEWAY, SERVIÇO DE INSTALAÇÃO E TREINAMENTO CONSULTA PÚBLICA Nº 002/2015 TI SECURE WEB GATEWAY, SERVIÇO DE INSTALAÇÃO E TREINAMENTO ESCLARECIMENTOS AOS QUESTIONAMENTOS APRESENTADOS PELAS EMPRESAS INTERESSADAS País: BRASIL Nome do Projeto: PLANO

Leia mais

Contrato de Adesão. As partes, acima qualificadas, têm entre si justas e acordadas as seguintes cláusulas e condições:

Contrato de Adesão. As partes, acima qualificadas, têm entre si justas e acordadas as seguintes cláusulas e condições: A Contratada Fundação CPqD Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações, sediada na Rodovia Campinas/Mogi-Mirim (SP-340), Km 118,5, em Campinas SP, inscrita no CNPJ/MF sob o n.º 02.641.663/0001-10

Leia mais

ANEXO X ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA. Pregão para Registro de Preços nº 004/2015

ANEXO X ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA. Pregão para Registro de Preços nº 004/2015 ANEXO X ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA Pregão para Registro de Preços nº 004/2015 1) DO OBJETO Constitui objeto desta especificação a contratação de empresa para o fornecimento de peças originais de reposição de

Leia mais

DECRETO nº. 11.698, de 16 de janeiro de 2009. O PREFEITO MUNICIPAL DE ANANINDEUA, no uso de suas atribuições constitucionais e legais, e ainda:

DECRETO nº. 11.698, de 16 de janeiro de 2009. O PREFEITO MUNICIPAL DE ANANINDEUA, no uso de suas atribuições constitucionais e legais, e ainda: 1 DECRETO nº. 11.698, de 16 de janeiro de 2009 Regulamenta, no âmbito da Administração pública municipal, o Sistema de Registro de Preços previsto no art. 15 da Lei nº. 8.666, de 21 de junho de 1993, e

Leia mais

MENSAGEM PREGÃO ELETRÔNICO N. 052/2010 ESCLARECIMENTO 4

MENSAGEM PREGÃO ELETRÔNICO N. 052/2010 ESCLARECIMENTO 4 MENSAGEM Assunto: Esclarecimento 4 Referência: Pregão Eletrônico n. 052/2010 Data: 19/11/2010 Objeto: Contratação de serviços técnicos especializados de atendimento remoto e presencial a usuários de tecnologia

Leia mais

PERGUNTA 1: RESPOSTA 1: PERGUNTA 2: RESPOSTA 2: PERGUNTA 3: RESPOSTA 3: PERGUNTA - 4:

PERGUNTA 1: RESPOSTA 1: PERGUNTA 2: RESPOSTA 2: PERGUNTA 3: RESPOSTA 3: PERGUNTA - 4: PERGUNTA 1: Em relação ao Anexo II ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS, item 1.20 do Edital que diz Deve ser compatível com os sistemas operacionais Microsoft Windows Server 2003, Microsoft Windows Server 2008 e Linux

Leia mais

Ref: Edital da Concorrência nº. 01/2009. termos do edital, pelas razões a seguir: 1º PEDIDO DE ESCLARECIMENTO:

Ref: Edital da Concorrência nº. 01/2009. termos do edital, pelas razões a seguir: 1º PEDIDO DE ESCLARECIMENTO: Ref: Edital da Concorrência nº. 01/2009 Empresa interessada no certame solicitou PEDIDO DE ESCLLARECI IMENTTO,, aos termos do edital, pelas razões a seguir: 1º PEDIDO DE ESCLARECIMENTO: 1) Com relação

Leia mais

PREGÃO Nº 28/2010 PERGUNTAS E RESPOSTAS

PREGÃO Nº 28/2010 PERGUNTAS E RESPOSTAS Pergunta 1 Qual o valor estimado para a contratação? PREGÃO Nº 28/2010 PERGUNTAS E RESPOSTAS Resposta 1 O valor estimado consta do respectivo processo licitatório, que poderá ser consultado no endereço

Leia mais

OFERTA: SITE INSTITUCIONAL. 1. Definições

OFERTA: SITE INSTITUCIONAL. 1. Definições OFERTA: SITE INSTITUCIONAL 1. Definições OFERTA VIGENTE: Forma(s) de disponibilização do(s) RECURSO(S) ao CONTRATANTE, constante(s) nesse Contrato, válida(s) para o ATO DA CONSULTA. RECURSO: Serviço(s)

Leia mais

Contrato de Serviço (SLA) para [Cliente] por [Provedor]

Contrato de Serviço (SLA) para [Cliente] por [Provedor] Contrato de Serviço (SLA) para [Cliente] por [Provedor] Data Gerador do documento: Gerente de Negociação: Versões Versão Data Revisão Autor Aprovação (Ao assinar abaixo, o cliente concorda com todos os

Leia mais

RESPOSTA AO PEDIDO DE ESCLARECIMENTO 02/2015

RESPOSTA AO PEDIDO DE ESCLARECIMENTO 02/2015 RESPOSTA AO PEDIDO DE ESCLARECIMENTO 02/2015 Trata-se de resposta ao pedido de esclarecimento ao Edital de Licitação do Pregão Eletrônico nº 03/2015- que tem por objeto AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTOS, SISTEMAS

Leia mais

CONSULTA PÚBLICA AA 01/2014 BNDES QUESTIONAMENTO 08

CONSULTA PÚBLICA AA 01/2014 BNDES QUESTIONAMENTO 08 CONSULTA PÚBLICA AA 01/2014 BNDES QUESTIONAMENTO 08 Questionamento 08.1: 1) Considerando que o item 13.1.11. do Anexo I dispõe sobre a possibilidade de fiscalização nos serviços executados. (i) A proponente

Leia mais

NORMA RESSARCIMENTO POR DANO ELÉTRICO

NORMA RESSARCIMENTO POR DANO ELÉTRICO PÁGINA 1 de 7 ÍNDICE DO CONTEÚDO 1. Objetivo 1 2. Norma e Documentos Complementares 1 3. Definições 1/2 4. Condições Gerais 2 5. Procedimentos 3/4/5 6. Anexo 6 7. Ficha de Vida 7 1. Objetivo: Esta norma

Leia mais

Segue abaixo respostas aos questionamentos efetuados: Para fins de definição dos serviços de migração, gentileza nos informar:

Segue abaixo respostas aos questionamentos efetuados: Para fins de definição dos serviços de migração, gentileza nos informar: Prezada Zilene, Segue abaixo respostas aos questionamentos efetuados: Questionamento 01 O edital solicita: O fornecimento dos produtos integrantes do do LOTE 3 compreende os serviços de migração dos dados

Leia mais

EMPRESA MUNICIPAL DE INFORMÁTICA S/A IPLANRIO COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO ESCLARECIMENTO PROCESSO 01.300.493/2012 PE 0101/2013

EMPRESA MUNICIPAL DE INFORMÁTICA S/A IPLANRIO COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO ESCLARECIMENTO PROCESSO 01.300.493/2012 PE 0101/2013 EMPRESA MUNICIPAL DE INFORMÁTICA S/A IPLANRIO COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO ESCLARECIMENTO PROCESSO 01.300.493/2012 PE 0101/2013 1 - No ANEXO II, TERMO DE REFERÊNCIA ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS, Notebooks

Leia mais

3.2. O USUÁRIO poderá alterar sua senha a qualquer momento, assim como criar uma nova chave em substituição a uma chave já existente;

3.2. O USUÁRIO poderá alterar sua senha a qualquer momento, assim como criar uma nova chave em substituição a uma chave já existente; 1. CONTRATO Os termos abaixo se aplicam aos serviços oferecidos pela Sistemas On Line Ltda., doravante designada S_LINE, e a maiores de 18 anos ou menores com permissão dos pais ou responsáveis, doravante

Leia mais

IMPUGNAÇÃO AO EDITAL

IMPUGNAÇÃO AO EDITAL IMPUGNAÇÃO AO EDITAL Pregão Eletrônico n. 327/2012 Superintendência Regional do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes no Estado do Tocantins SR- TO/DNIT. Impugnante: Vivo S/A A (o) Sr.(a)

Leia mais

ANEXO 01 ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA ARMÁRIOS PARA CRMS

ANEXO 01 ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA ARMÁRIOS PARA CRMS Página 1 de 5 ÍNDICE DE REVISÕES REV. DESCRIÇÃO E/OU FOLHAS ATINGIDAS 0 PARA LICITAÇÃO ORIGINAL REV. A REV. B REV. C REV. D REV. E REV. F DATA 01.08.11 25.04.14 EXECUÇÃO JADR AF VERIFICAÇÃO JADR JADR APROVAÇÃO

Leia mais

PEDIDOS DE ESCLARECIMENTOS

PEDIDOS DE ESCLARECIMENTOS PEDIDOS DE ESCLARECIMENTOS EMPRESA: ILION SOLUÇÕES EM INTERNET LTDA. 1 DO PRAZO: item 5.2 f) Prestação de serviços: 5 (cinco) meses, contados a partir da data da Ordem de Serviço. g) Prazo para desenvolvimento:

Leia mais

Contrato de Serviço (SLA) Para Hipermercados Extra Por Esperança_TI S.A

Contrato de Serviço (SLA) Para Hipermercados Extra Por Esperança_TI S.A Esperança_TI S.A S/A Contrato de Serviço (SLA) Para Hipermercados Extra Por Esperança_TI S.A 25/11/2014 Gerador do documento: Gerente de Negociação: Marcos Alves de Oliveira Marcos Antônio de Morais Aprovação

Leia mais

A ESCOLHA DE SISTEMA PARA AUTOMAÇÃO DE BIBLIOTECAS. A decisão de automatizar

A ESCOLHA DE SISTEMA PARA AUTOMAÇÃO DE BIBLIOTECAS. A decisão de automatizar A ESCOLHA DE SISTEMA PARA AUTOMAÇÃO DE BIBLIOTECAS A decisão de automatizar 1 A decisão de automatizar Deve identificar os seguintes aspectos: Cultura, missão, objetivos da instituição; Características

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO E SUPORTE DO LICENCIAMENTO ATLASSIAN JIRA

TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO E SUPORTE DO LICENCIAMENTO ATLASSIAN JIRA TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO E SUPORTE DO LICENCIAMENTO ATLASSIAN JIRA Outubro de 2013 1 1 OBJETO Prestação de Serviço de Manutenção da licença

Leia mais

4.1. 15 (quinze) dias após a entrega do equipamento e aceite da respectiva nota Fiscal pelo CONTRATANTE;

4.1. 15 (quinze) dias após a entrega do equipamento e aceite da respectiva nota Fiscal pelo CONTRATANTE; TERMO DE REFERÊNCIA OBJETIVANDO A LOCAÇÃO DE GERADOR JUSTIFICATIVA PARA CONTRATAÇÃO DO SERVIÇO A realização dos eventos RECGASTRÔ Food Truck no Parque e Mercado do Artesão, ambos no Parque Santana, situado

Leia mais

Termo de Referência. Serviço de envio de mensagens SMS Short Message Service para dispositivos móveis, pelo período de 24 meses.

Termo de Referência. Serviço de envio de mensagens SMS Short Message Service para dispositivos móveis, pelo período de 24 meses. Termo de Referência Serviço de envio de mensagens SMS Short Message Service para dispositivos móveis, pelo período de 24 meses. Termo de Referência [OBJETO] 1 Termo de Referência Serviço de envio de mensagens

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA MANUTENÇÔES EVOLUTIVAS NO SITE PRO-SST DO SESI

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA MANUTENÇÔES EVOLUTIVAS NO SITE PRO-SST DO SESI ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA MANUTENÇÔES EVOLUTIVAS NO SITE PRO-SST DO SESI 1. OBJETO 1.1. Contratação de empresa especializada para executar serviços de manutenção evolutiva, corretiva, adaptativa e normativa

Leia mais

PROCEDIMENTOS DE REALIZAÇÃO DO PROCESSO DE HOMOLOGAÇÃO DE MATERIAIS DE FORNECEDORES NA COPASA

PROCEDIMENTOS DE REALIZAÇÃO DO PROCESSO DE HOMOLOGAÇÃO DE MATERIAIS DE FORNECEDORES NA COPASA PROCEDIMENTOS DE REALIZAÇÃO DO PROCESSO DE HOMOLOGAÇÃO DE MATERIAIS DE FORNECEDORES NA COPASA 1 Solicitação de Abertura do Processo de Homologação 1.1 Os fornecedores interessados em ter seus materiais

Leia mais

MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA CENTRAIS ELÉTRICAS BRASILEIRAS S.A. ELETROBRAS AVISO DE ESCLARECIMENTO Nº 04 EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO DAC Nº 26/2015

MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA CENTRAIS ELÉTRICAS BRASILEIRAS S.A. ELETROBRAS AVISO DE ESCLARECIMENTO Nº 04 EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO DAC Nº 26/2015 MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA CENTRAIS ELÉTRICAS BRASILEIRAS S.A. ELETROBRAS AVISO DE ESCLARECIMENTO Nº 04 EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO DAC Nº 26/2015 A Centrais Elétricas Brasileiras S.A. ELETROBRAS, por

Leia mais

Solicitações de Esclarecimento

Solicitações de Esclarecimento EMPRESA: Accenture REPRESENTANTE: Guilherme Barbosa Rocha Solicitações de Esclarecimento: Item do Solicitações de Esclarecimento Termo de Referência 1.1.1 1. Existe alguma definição por parte da Eletrobras

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS FREQUENTES Sistemática de Registro de Preços Versão: 06/12/2013

PERGUNTAS E RESPOSTAS FREQUENTES Sistemática de Registro de Preços Versão: 06/12/2013 1. O que é Registro de Preços? PERGUNTAS E RESPOSTAS FREQUENTES Sistemática de Registro de Preços Versão: 06/12/2013 O Sistema de Registro de Preços é "o conjunto de procedimentos para seleção de proposta

Leia mais

PREFEITURA DE GOIÂNIA 1 GABINETE DO PREFEITO

PREFEITURA DE GOIÂNIA 1 GABINETE DO PREFEITO PREFEITURA DE GOIÂNIA 1 GABINETE DO PREFEITO DECRETO Nº 612, DE 16 DE MARÇO DE 2007. Dispõe sobre a implantação do Sistema de Registro de Preços nas compras, obras e serviços contratados pelos órgãos da

Leia mais

DECRETO Nº 11.319, DE 13 DE FEVEREIRO DE 2004

DECRETO Nº 11.319, DE 13 DE FEVEREIRO DE 2004 DECRETO Nº 11.319, DE 13 DE FEVEREIRO DE 2004 PUBLICADO NO DIÁRIO OFICIAL Nº 032, DE 17-02-2004 Regulamenta o Sistema de Registro de Preços SRP, previsto no art. 15, da Lei nº 8.666, de 21 de junho de

Leia mais

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE TRABALHO TEMPORÁRIO

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE TRABALHO TEMPORÁRIO PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE TRABALHO TEMPORÁRIO 1. A empresa prestadora de serviços de trabalho temporário pode ter mais de uma atividade econômica? Sim. Desde que a atividade de locação de mão-de-obra

Leia mais

MONTREAL / RIO DE JANEIRO

MONTREAL / RIO DE JANEIRO QUESTIONAMENTOS CONCORRÊNCIA PÚBLICA Nº 001/14 MONTREAL / RIO DE JANEIRO 1 Quanto às certificações solicitadas nos itens 2.3, 2.4, e 2.5 da página 136 do Edital, perguntamos: Dado que a Norma ABNT NBR

Leia mais

Termo de Referência. (Storage) do ambiente de Migração, composta pelo do subsistema de disco IBM DS8300.

Termo de Referência. (Storage) do ambiente de Migração, composta pelo do subsistema de disco IBM DS8300. Termo de Referência Expansão da solução s de armazenamento (Storage) do ambiente de Migração, composta pelo do subsistema de disco IBM DS8300. Termo de Referência Expansão da solução de armazenamento do

Leia mais

Projeto de Redes Top-Down

Projeto de Redes Top-Down Projeto de Redes Top-Down Referência: Slides extraídos (material de apoio) do livro Top-Down Network Design (2nd Edition), Priscilla Oppenheimer, Cisco Press, 2010. http://www.topdownbook.com/ Alterações

Leia mais

SECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO

SECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO Referência: Processo n.º 0.00.002.001198/2014-32 Edital do Pregão Eletrônico nº 43/2014 Contratação de serviços técnicos continuados de operação do sistema de automação, remanejamento e instalação de equipamentos

Leia mais

Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento S/A

Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento S/A PREGÃO PRESENCIAL N. 2010/169 OBJETO: AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTOS DE ARMAZENAMENTO EXTERNO - STORAGE E TAPE LIBRARY. Ref.: Esclarecimentos A unidade de Tape Library será instalada em servidor dedicado a

Leia mais

DECRETO Nº 7.622, DE 20 DE MAIO DE 2005.

DECRETO Nº 7.622, DE 20 DE MAIO DE 2005. DECRETO Nº 7.622, DE 20 DE MAIO DE 2005. Regulamenta o Sistema de Registro de Preços previsto no artigo 15, 3º da Lei nº 8.666, de 21 de junho de 1993 e artigo 11 da Lei Federal nº 10.520, de 17 de julho

Leia mais

Cláudia Araújo Coordenadora Diego Macêdo Programador Marcelo Rodrigues Suporte

Cláudia Araújo Coordenadora Diego Macêdo Programador Marcelo Rodrigues Suporte BCON Sistema de Controle de Vendas e Estoque Declaração de escopo Versão 1.0 Histórico de Revisão Elaborado por: Filipe de Almeida do Amaral Versão 1.0 Aprovado por: Marcelo Persegona 22/03/2011 Time da

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA

ESTADO DE SANTA CATARINA DECRETO N.º 2356/2013 Regulamenta o Sistema de Registro de Preços previsto no art. 15 da Lei nº 8.666, de 21 de junho de 1993, e dá outras providências. Rosane Minetto Selig, Prefeita Municipal de Ouro

Leia mais

PEDIDO DE ESCLARECIMENTO Nº 01 PE Nº 35/2012

PEDIDO DE ESCLARECIMENTO Nº 01 PE Nº 35/2012 PEDIDO DE ESCLARECIMENTO Nº 01 PE Nº 35/2012 Considerando o posicionamento enviado pela área técnica desta CGU-PR, seguem abaixo as respostas ao Pedido de Esclarecimento nº 01 PE nº 35/2012: QUESTIONAMENTOS:

Leia mais

MENSAGEM PREGÃO ELETRÔNICO N. 45/2014 ESCLARECIMENTO N. 2

MENSAGEM PREGÃO ELETRÔNICO N. 45/2014 ESCLARECIMENTO N. 2 MENSAGEM Assunto: Esclarecimento Referência: Pregão Eletrônico n. 45/2014 Data: 06/3/2015 Objeto: Registro de Preços para fornecimento de equipamentos, componentes de solução de rede local, incluindo instalação

Leia mais

Manual de Credenciamento para Emissão de NF-e

Manual de Credenciamento para Emissão de NF-e Manual de Credenciamento para Emissão de NF-e Versão 1.6 Abril/2011 Manaus/AM Sumário Apresentação... 2 Requisitos... 3 Credenciamento... 4 Fase de Homologação... 5 o Fase de Testes... 5 o Fase de Emissão

Leia mais

CONTRATO DE FORNECIMENTO DE GÁS NATURAL CANALIZADO CONTENDO AS CONDIÇÕES GERAIS DE FORNECIMENTO DE GÁS CANALIZADO REFERENTES AOS CLIENTES COMERCIAIS

CONTRATO DE FORNECIMENTO DE GÁS NATURAL CANALIZADO CONTENDO AS CONDIÇÕES GERAIS DE FORNECIMENTO DE GÁS CANALIZADO REFERENTES AOS CLIENTES COMERCIAIS CONTRATO DE FORNECIMENTO DE GÁS NATURAL CANALIZADO CONTENDO AS CONDIÇÕES GERAIS DE FORNECIMENTO DE GÁS CANALIZADO REFERENTES AOS CLIENTES COMERCIAIS DA CEG 1.º PARTES a) CEG: COMPANHIA DISTRIBUIDORA DE

Leia mais

CONDIÇÕES DE FORNECIMENTO

CONDIÇÕES DE FORNECIMENTO CONDIÇÕES DE FORNECIMENTO I - Formalização e Aceitação do Pedido 1.1 - O Aceite será automático caso o fornecedor não faça uma recusa parcial ou total, Por escrito no prazo de 2(dois) após o recebimento

Leia mais

CENTRAIS ELÉTRICAS DE RONDÔNIA S/A COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO

CENTRAIS ELÉTRICAS DE RONDÔNIA S/A COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO Assunto: NOTA DE ESCLARECIMENTO N.º 03 Processo: CONCORRÊNCIA N.º 001/2010 Objeto: CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS BÁSICOS E EXECUTIVOS DE SUBESTAÇÕES E LINHAS DE TRANSMISSÃO DO SISTEMA

Leia mais

PROGRAMA IMOBILIG - MANUAL DE ORIENTAÇÃO E PROCEDIMENTOS

PROGRAMA IMOBILIG - MANUAL DE ORIENTAÇÃO E PROCEDIMENTOS PROGRAMA IMOBILIG - MANUAL DE ORIENTAÇÃO E PROCEDIMENTOS Sumário 1. Objetivo... 3 2. Premissas básicas... 3 3. Compromissos da CEEE-D... 3 4. Compromissos da Imobiliária... 3 5. Serviços disponíveis através

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO PÚBLICA DE FORNECEDORES 007/2015 - ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA

EDITAL DE SELEÇÃO PÚBLICA DE FORNECEDORES 007/2015 - ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA EDITAL DE SELEÇÃO PÚBLICA DE FORNECEDORES 007/2015 - ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA 1. IDENTIFICAÇÃO Coordenação: Profª. Ingrid Eleonora Schreiber Jansch Pôrto Centro de Empreendimentos em Informática da

Leia mais

MANUAL FORNECEDORES. Santo Ângelo (RS) 16/09/2015 REV.02

MANUAL FORNECEDORES. Santo Ângelo (RS) 16/09/2015 REV.02 Santo Ângelo (RS) 16/09/2015 REV.02 MANUAL FORNECEDORES A Fundimisa Fundição e Usinagem Ltda pretende com este Manual aprimorar a relação com seus fornecedores e padronizar informações entre as partes.

Leia mais

1ª CHAMADA PÚBLICA PARA INCENTIVO DA GERAÇÃO CONFORME PORTARIA MME Nº 44, DE 10 DE MARÇO DE 2015

1ª CHAMADA PÚBLICA PARA INCENTIVO DA GERAÇÃO CONFORME PORTARIA MME Nº 44, DE 10 DE MARÇO DE 2015 1ª CHAMADA PÚBLICA PARA INCENTIVO DA GERAÇÃO CONFORME PORTARIA MME Nº 44, DE 10 DE MARÇO DE 2015 A (DISTRIBUIDORA), nos termos da Portaria do Ministério de Minas e Energia - MME, nº 44, de 10 de março

Leia mais

Dar exclusividade de parceria a FURNAS, por si e suas afiliadas, no caso de participação nos Leilões promovidos pela ANEEL.

Dar exclusividade de parceria a FURNAS, por si e suas afiliadas, no caso de participação nos Leilões promovidos pela ANEEL. 1 OBJETO Constitui objeto desta Chamada Pública a seleção de potenciais parceiros privados detentores de capital, direitos, projetos e/ou oportunidades de negócio na área de energia, que considerem como

Leia mais

Importância do GED. Implantação de um Sistema de GED

Importância do GED. Implantação de um Sistema de GED Implantação de um Sistema de GED Gerenciamento Eletrônico de Documentos Importância do GED O GED tem uma importante contribuição na tarefa da gestão eficiente da informação; É a chave para a melhoria da

Leia mais

QUESTIONAMENTO(S) ACERCA DO EDITAL DO PREGÃO ELETRÔNICO AA Nº 22/2015 - BNDES. Em resposta aos questionamentos formulados, o BNDES esclarece:

QUESTIONAMENTO(S) ACERCA DO EDITAL DO PREGÃO ELETRÔNICO AA Nº 22/2015 - BNDES. Em resposta aos questionamentos formulados, o BNDES esclarece: QUESTIONAMENTO(S) ACERCA DO EDITAL DO PREGÃO ELETRÔNICO AA Nº 22/2015 - BNDES Prezado(a) Senhor(a), Em resposta aos questionamentos formulados, o BNDES esclarece: 1. Sobre o item 18.1. A prestação do serviço

Leia mais

QUESTIONAMENTOS B QUESTIONAMENTO 02

QUESTIONAMENTOS B QUESTIONAMENTO 02 QUESTIONAMENTOS B RESPOSTA: O edital previu, nos subitens 5.1.1. e 5.2. das Condições Gerais da Contratação Anexo 1 do edital, compensações financeiras e penalizações, por eventuais atrasos, e descontos,

Leia mais

INTELIG TELECOMUNICAÇÕES LTDA

INTELIG TELECOMUNICAÇÕES LTDA ILMO (A). SR.(A) PREGOEIRO (A) DA COMISSÃO DE LICITAÇÃO DO MINISTÉRIO DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SUBSECRETARIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE RE URSOS LOGÍSTICOS

Leia mais

Manual de Credenciamento para Emissão do CT-e

Manual de Credenciamento para Emissão do CT-e Manual de Credenciamento para Emissão do CT-e Versão 1.0 Outubro/2009 Manaus/AM Sumário Apresentação... 2 Conceitos Básicos... 3 Requisitos... 5 Credenciamento... 6 Fase de Homologação... 7 o Fase de Testes...

Leia mais

1ª CHAMADA PÚBLICA PARA INCENTIVO DA GERAÇÃO, CONFORME PORTARIA MME Nº 44, DE 10 DE MARÇO DE 2015.

1ª CHAMADA PÚBLICA PARA INCENTIVO DA GERAÇÃO, CONFORME PORTARIA MME Nº 44, DE 10 DE MARÇO DE 2015. EDITAL 1ª CHAMADA PÚBLICA PARA INCENTIVO DA GERAÇÃO, CONFORME PORTARIA MME Nº 44, DE 10 DE MARÇO DE 2015. A Companhia Energética de Alagoas CEAL, doravante chamada DISTRIBUIDORA, nos termos da Portaria

Leia mais

Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento PNUD CONCORRÊNCIA PÚBLICA INTERNACIONAL Nº 02430/2008

Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento PNUD CONCORRÊNCIA PÚBLICA INTERNACIONAL Nº 02430/2008 Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento PNUD CONCORRÊNCIA PÚBLICA INTERNACIONAL Contratação de empresa especializada em tecnologia da informação para o desenvolvimento de Sistema Nacional de

Leia mais

ESCLARECIMENTO nº 01

ESCLARECIMENTO nº 01 ESCLARECIMENTO nº 01 PROCESSO Nº 149/2010 PREGÃO PRESENCIAL Nº 004/2010 Segue esclarecimento formulado por licitante e a respectiva resposta, com base na informação prestada pela área gestora (DETIN):

Leia mais

TERCEIRA ATA DE DIVULGAÇÃO DE RESPOSTAS AOS QUESTIONAMENTOS FORMULADOS POR EMPRESA INTERESSADA NA CONCORRÊNCIA Nº 1/2014 DA SAC/PR

TERCEIRA ATA DE DIVULGAÇÃO DE RESPOSTAS AOS QUESTIONAMENTOS FORMULADOS POR EMPRESA INTERESSADA NA CONCORRÊNCIA Nº 1/2014 DA SAC/PR PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE AVIAÇÃO CIVIL TERCEIRA ATA DE DIVULGAÇÃO DE RESPOSTAS AOS QUESTIONAMENTOS FORMULADOS POR EMPRESA INTERESSADA NA CONCORRÊNCIA Nº 1/2014 DA SAC/PR Objeto da Concorrência

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA CONTRATAÇÃO DE PLANO DE SAÚDE COLETIVO POR ADESÃO. Edição: 25/02/14

MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA CONTRATAÇÃO DE PLANO DE SAÚDE COLETIVO POR ADESÃO. Edição: 25/02/14 MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA CONTRATAÇÃO DE PLANO DE SAÚDE COLETIVO POR ADESÃO Edição: 25/02/14 Direito de migrar para plano individual ou familiar aproveitando carência do plano coletivo empresarial Os beneficiários

Leia mais

Para/To: N o de páginas/n o of. pages: 06 De/From: Silvana Luz Simões Data/Date: 28 / 08/ 2007 Ref.: Solicitação de proposta ATT.:

Para/To: N o de páginas/n o of. pages: 06 De/From: Silvana Luz Simões Data/Date: 28 / 08/ 2007 Ref.: Solicitação de proposta ATT.: MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - CNPq DAD/CGADM/COINF/SERVIÇO DE LICITAÇÃO SELIC SEPN 507, Bloco B, Ed. Sede CNPq, Sala 211, CEP: 70.740-901,

Leia mais

Processo de declaração de conformidade de software PEM

Processo de declaração de conformidade de software PEM Processo de declaração de conformidade de software PEM Dezembro, 2012 Versão 1,0 Os direitos de autor deste trabalho pertencem à SPMS e a informação nele contida é confidencial. Este trabalho não pode

Leia mais

((NG))EMPRESA VERT((CL))

((NG))EMPRESA VERT((CL)) ((TITULO))ATA DA CONSULTA PÚBLICA Nº 04/2015 (PERGUNTAS E RESPOSTAS) CONTRATAÇÃO DA ATUALIZAÇÃO TECNOLÓGICA DO ATUAL AMBIENTE VMWARE VSPHERE PARA A SOLUÇÃO VMWARE VCLOUD SUITE, SENDO COMPOSTA PELA ATUALIZAÇÃO

Leia mais

Contrato para Compra de Investimento No. [referência da SOCIEDADE]

Contrato para Compra de Investimento No. [referência da SOCIEDADE] Contrato para Compra de Investimento No. [referência da SOCIEDADE] Entre [ ].. representada pelas pessoas devidamente autorizadas nomeadas na página de assinatura do presente CONTRATO, doravante denominada

Leia mais

DIÁRIO OFICIAL EDIÇÃO Nº 030224 de 30/06/2004

DIÁRIO OFICIAL EDIÇÃO Nº 030224 de 30/06/2004 DIÁRIO OFICIAL EDIÇÃO Nº 030224 de 30/06/2004 GABINETE DO GOVERNADOR D E C R E T O Nº 1.093, DE 29 DE JUNHO DE 2004 Institui, no âmbito da Administração Pública Estadual, o Sistema de Registro de Preços

Leia mais

QUESTIONAMENTOS ACERCA DO EDITAL DO PREGÃO ELETRÔNICO AA Nº 42/2012 - BNDES. Em resposta aos questionamentos formulados, o BNDES esclarece:

QUESTIONAMENTOS ACERCA DO EDITAL DO PREGÃO ELETRÔNICO AA Nº 42/2012 - BNDES. Em resposta aos questionamentos formulados, o BNDES esclarece: QUESTIONAMENTOS ACERCA DO EDITAL DO PREGÃO ELETRÔNICO AA Nº 42/2012 - BNDES Prezada Senhora, Em resposta aos questionamentos formulados, o BNDES esclarece: 1. EDITAL - Item 4.12.4 inciso I - Qual documento

Leia mais

Número: TERMO DE REFERÊNCIA PRL 001/2012. Data: PRL Gerência do Programa Luz para Todos 26/01/2012 1.0 - OBJETO/FINALIDADE:

Número: TERMO DE REFERÊNCIA PRL 001/2012. Data: PRL Gerência do Programa Luz para Todos 26/01/2012 1.0 - OBJETO/FINALIDADE: 1.0 - OBJETO/FINALIDADE: Aquisição de 7.812 Unidades de Medição Eletrônica de Energia Elétrica, 1 elemento, 1 fase, 3 fios, 240V e 15(100)A para implantação em padrões de entrada de unidades consumidoras

Leia mais

DEPARTAMENTO GERAL DE ADMINISTRAÇÃO E FINANÇAS Coordenadoria de Apoio Logístico Departamento de Apoio Operacional TERMO DE REFERÊNCIA

DEPARTAMENTO GERAL DE ADMINISTRAÇÃO E FINANÇAS Coordenadoria de Apoio Logístico Departamento de Apoio Operacional TERMO DE REFERÊNCIA Processo n.º E-04/. /2012. Contratação de empresa para fornecimento e instalação de sistema de gerenciamento de tráfego para elevadores do prédio da SEFAZ, localizado na Avenida Presidente Vargas, 670

Leia mais

NORMA CONTROLE DO PARQUE DE INFORMÁTICA

NORMA CONTROLE DO PARQUE DE INFORMÁTICA CONTROLE DO PARQUE DE INFORMÁTICA Data: 17 de dezembro de 2009 Pág. 1 de 13 SUMÁRIO SUMÁRIO 2 1. INTRODUÇÃO 3 2. FINALIDADE 3 3. ÂMBITO DE APLICAÇÃO 3 4. PADRONIZAÇÃO DOS RECURSOS DE T.I. 4 5. AQUISIÇÃO

Leia mais

URL amigável e otimização mínima para os mecanismos de busca. O sistema é integrado ao Google Analytics para auxiliar a medição do número de acessos.

URL amigável e otimização mínima para os mecanismos de busca. O sistema é integrado ao Google Analytics para auxiliar a medição do número de acessos. 1 - A AGÊNCIA Fundada em 1999, a Link e Cérebro é uma empresa 100% nacional sediada em São Paulo SP. Nossa missão é aproximar nossos clientes do seu público alvo através da internet. O corpo técnico conta

Leia mais

Cartilha de Extensão de Benefício do Plano Empresarial aos Beneficiários.

Cartilha de Extensão de Benefício do Plano Empresarial aos Beneficiários. Cartilha de Extensão de Benefício do Plano Empresarial aos Beneficiários. Contributários demitidos ou exonerados sem justa causa e/ou aposentados. www.saolucassaude.com.br 01_ DIREITOS E DEVERES DO BENEFICIÁRIO

Leia mais

RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE VENÂNCIO AIRES CONTROLE INTERNO

RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE VENÂNCIO AIRES CONTROLE INTERNO 01/06 1 DOS OBJETIVOS 1.1 Definir normas para elaboração dos contratos de aquisição de materiais, prestação de serviços gerais e prestação de serviços e obras de engenharia. 1.2 Normatizar os procedimentos

Leia mais

Conforme previsto no item VIII do edital de Pregão nº 44/2009, apresentamos nosso pedido de esclarecimentos sobre a licitação, conforme segue:

Conforme previsto no item VIII do edital de Pregão nº 44/2009, apresentamos nosso pedido de esclarecimentos sobre a licitação, conforme segue: Quanto aos questionamentos apresentados pela empresa LORENO, passamos a responder o seguinte: Conforme previsto no item VIII do edital de Pregão nº 44/2009, apresentamos nosso pedido de esclarecimentos

Leia mais

3. Documentos de referência Manual de Eventos Item 3

3. Documentos de referência Manual de Eventos Item 3 Sumário 1. Objetivo 2. Envolvidos 3. Documentos de referência 4. Definições e codificações 5. Ciclo do processo 6. Fluxograma 7. Lista das Atividades e das responsabilidades 8. Arquivos 9. Anexos 1. Objetivo

Leia mais

Declaração de Escopo

Declaração de Escopo 1/9 Elaborado por: Adriano Marra, Bruno Mota, Bruno Leite, Janaina Versão: 1.4 Lima, Joao Augusto, Paulo Takagi, Ricardo Reis. Aprovado por: Porfírio Carlos Roberto Junior 24/08/2010 Time da Equipe de

Leia mais

Manual de Orientação para Contratação de Planos de Saúde

Manual de Orientação para Contratação de Planos de Saúde Operadora: Unimed Curitiba Sociedade Cooperativa de Médicos CNPJ: 75.055.772/0001-20 Nº de registro na ANS: 30470-1 Site: http://www.unimedcuritiba.com.br Tel:(41) 3019-2000 Exclusivo para liberações de

Leia mais

AdminIP. Manual do Usuário Módulo Administrador IES

AdminIP. Manual do Usuário Módulo Administrador IES 2 AdminIP Manual do Usuário Módulo Administrador IES Brasília 2012 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 4 1 SISTEMA ADMINIP... 4 1.1 O que é o AdminIP?... 4 1.2 Quem opera?... 4 1.3 Onde acessar?... 5 1.4 Como acessar?...

Leia mais

SOLICITAÇÃO DE COTAÇÃO

SOLICITAÇÃO DE COTAÇÃO SOLICITAÇÃO DE COTAÇÃO Brasília, 10 de Janeiro de 2013. Prezadas Senhoras, Prezados Senhores, A ONU Mulheres Entidade das Nações Unidas para a Igualdade de Gênero e o Empoderamento das Mulheres solicita

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. 1. Objeto. 2. Antecedentes. 3. Objeto da Licitação

TERMO DE REFERÊNCIA. 1. Objeto. 2. Antecedentes. 3. Objeto da Licitação TERMO DE REFERÊNCIA 1. Objeto 1.1. Contratação de empresa especializada em auditoria de tecnologia da informação e comunicações, com foco em segurança da informação na análise de quatro domínios: Processos

Leia mais

1. Alterar os itens 1.3, 1.3.1, 1.5 e 1.5.1 e acrescentar item 1.3.2 da Cláusula Primeira do Contrato, com a seguinte redação:

1. Alterar os itens 1.3, 1.3.1, 1.5 e 1.5.1 e acrescentar item 1.3.2 da Cláusula Primeira do Contrato, com a seguinte redação: PRIMEIRO ADITIVO AO CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS E FORNECIMENTO DE INFRA-ESTRUTURA DE ACESSO A SERVIÇOS INTERNET DE BANDA ESTREITA DIAL PROVIDER Pelo presente instrumento particular, de um lado, na

Leia mais

PERGUNTAS MAIS FREQUENTES CERTIFICAÇÃO NBR ISO/IEC 27001

PERGUNTAS MAIS FREQUENTES CERTIFICAÇÃO NBR ISO/IEC 27001 PERGUNTAS MAIS FREQUENTES CERTIFICAÇÃO NBR ISO/IEC 27001 Através da vasta experiência, adquirida ao longo dos últimos anos, atuando em Certificações de Sistemas de Gestão, a Fundação Vanzolini vem catalogando

Leia mais

TERMO DE USO TERMOS DE USO DO CLIENTE

TERMO DE USO TERMOS DE USO DO CLIENTE TERMO DE USO TERMOS DE USO DO CLIENTE A) APLICABILIDADE 1. Os presentes termos de uso são aplicáveis aos Usuários da INTERNET POOL COMÉRCIO ELETRONICO LTDA, inscrita no CNPJ/MF sob o nº 09.491.113/0001-01,

Leia mais