U.S.J. - AÇÚCAR E ÁLCOOL S/A CNPJ nº /

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "U.S.J. - AÇÚCAR E ÁLCOOL S/A CNPJ nº /"

Transcrição

1 DIÁRIO COMÉRCIO INDÚSTRIA & SERVIÇOS QUARTA-FEIRA, 24 DE JUNHO DE pró-forma Ativo Circulante Caixa e equivalentes de caixa Estoques Não Circulante Realizável a longo prazo Depósitos judiciais Outros investimentos Ativo biológico Imobilizado Intangível U.S.J. - AÇÚCAR E ÁLCOOL S/A CNPJ nº / Senhores Acionistas: Relatório da diretoria Balanços patrimoniais pró-forma em 31 de março de 2015 e 31 de março de 2014 (Em milhares de Reais) pró-forma Passivo Circulante Não circulante Patrimônio líquido Capital social Patrimônio líquido atribuível aos controladores Total do passivo Total do Ativo Total do Passivo e Patrimônio líquido (Em milhares de Reais) Financeiras líquidas ( ) ( ) Resultado antes dos impostos Lucro bruto Imposto de renda e contribuição social (28) Lucro antes das receitas (despesas) Lucro líquido do exercício Resultado atribuível aos: Lucro líquido do exercício Balanços patrimoniais em 31 de de março de 2015 e 31 de março de 2014 (Em milhares de Reais) Ativo Nota Passivo Nota Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa Estoques Não circulante Realizável a longo prazo Não circulante Depósitos judiciais Investimentos Outros investimentos Ativo biológico Imobilizado Intangível Patrimônio líquido Capital social Patrimônio líquido atribuível aos controladores Total do passivo Total do Ativo Total do Passivo e Patrimônio líquido (Em milhares de Reais) Reservas de Reservas de lucros reavaliação Reserva Reserva para Total do em Re- Reserva para aquisição de Ajuste de Lucros Dividendos patrimônio Participação de Patri- Capital ativos contro- serva de lucros investi- participações avaliação acumu- adicionais atribuível aos acionistas não mônio Nota social próprios ladas legal a realizar mentos societárias patrimonial lados propostos controladores controladores líquido Saldos em 31 de março de Outros resultados abrangentes Saldos em 31 de março de Outros resultados abrangentes Mudança em participações em controladas Saldos em 31 de março de (Em milhares de Reais) 1. Contexto operacional: 2. Relação de entidades controladas: Participação acionária Entidade Cidade/Estado-País (Matriz) Encerramento do exercício social Direta Indireta Direta Indireta 2.1 Agro Pecuária Campo Alto S/A: joint venture - (Em milhares de Reais) Fluxo de caixa das atividades operacionais Lucro (Prejuízo) do período (4.241) Ajustes para: Variações nos ativos e passivos (Aumento) ou diminuição dos ativos Aumento ou (diminuição) dos passivos Caixa gerado nas atividades operacionais Fluxo de caixa líquido decorrente das atividades operacionais Fluxo de caixa de atividades de investimentos Fluxo de caixa líquido usado nas atividades de investimentos ( ) ( ) Fluxo de caixa líquido decorrente das (aplicado nas) Aumento (redução) líquido em caixa e equivalentes de caixa ( ) saldo de caixa e equivalentes de caixa Demonstrações de resultados (Em milhares de Reais) Nota Lucro bruto Resultado antes das receitas (despesas) Financeiras líquidas (70.766) (97.236) (71.120) (96.871) 17 Lucro antes dos impostos Imposto de renda e contribuição social (8.654) (3.288) Resultado atribuível aos: Demonstrações de resultados abrangentes (Em milhares de Reais) Nota Resultado atribuível aos: Resultado abrangente do exercício (Em milhares de Reais) Fluxo de caixa das atividades operacionais Nota Ajustes para: Variações nos ativos e passivos (Aumento) ou diminuição dos ativos Aumento ou (diminuição) dos passivos Caixa gerado nas atividades operacionais Fluxo de caixa líquido decorrente das atividades operacionais Fluxo de caixa de atividades de investimentos Fluxo de caixa líquido usado nas atividades de investimentos ( ) ( ) ( ) ( ) Fluxo de caixa líquido decorrente Aumento (redução) líquida em caixa e equivalentes de caixa (35.973) (37.849) caixa e equivalentes de caixa

2 Companhia Agrícola São Jerônimo: Agro Pecuária Nova Louzã S/A: Civesa Veículos S/A: Base de preparação - Declaração de conformidade: - 4. Moeda funcional e moeda de apresentação: 5. Uso de estimativas e julgamentos: - - (i) Julgamentos: - - Nota explicativa n 23Nota explicativa n 24 (ii) Incertezas sobre premissas e estimativas: - - Nota explicativa n 7.5 Nota explicativa n 16Nota explicativa n 21 (iii) Mensuração do valor justo: - - inputs Nível 1: Nível 2: inputs Nível 3: inputs inputs- - Nota explicativa n 16 e Nota explicativa n 236. Base de mensuração: Principais políticas contábeis: - - Notas Explicativas: 7.1 Base de leasing impairment Custos de Base de consolidação - (i) Participação de acionistas não-controladores: - (ii) Controladas: (iii) Perda de controle: (iv) Investimentos em entidades contabilizadas pelo método da equivalência patrimonial: - (joint ventures) (v) Transações eliminadas na consolidação: Investimentos - Controladas e controladas em conjunto: Moeda estrangeira - (i) Transações em moeda estrangeira: (ii) Operações no exterior: - - (iii) Hedge (proteção) de investimento líquido em operação estrangeira: hedge (hedge accounting) - - hedge- hedge hedge hedge - ceiros não derivativos - reconhecimento e desreconhecimento: U.S.J. - AÇÚCAR E ÁLCOOL S/A - (Em milhares de Reais) mensurados pelo valor justo por meio do resultado: - (iii) Ativos - (iv) Empréstimos e recebíveis: - (v) Caixa e equivalentes de caixa: - Esses Pas- - (viii) Capital social - Ações ordinárias: de de hedge: Imobilizado - (i) Reconhecimento e mensuração: - - (impairment)- software (ii) Custos subsequentes: (iii) Depreciação: - Vidas úteis Classe de imobilizado Veículos 2 a 14 anos 2 a 14 anos Ativos biológicos: Ativos intangíveis: (i) Ágio: (ii) Pesquisa e desenvolvimento: - - (iii) Outros ativos intangíveis: (iv) Gastos subsequentes: (v) Amortização: Vidas úteis Classe de imobilizado Softwares 5 a 10 anos 5 a 10 anos Arrendamentos (leasing) - (i) Determinando quando um contrato contém um arrendamento: (ii) Ativos arrendados: (iii) Pagamentos de arrendamentos: Estoques: Os estoques Redução ao valor recuperável (impairment) - Ativos Q UA RTA- F E I R A, 24 DE JUNHO DE DIÁRIO COMÉRCIO INDÚSTRIA & SERVIÇOS - (ii) Ativos (iii) (iv) Investidas contabilizadas pelo método da equivalência patrimonial: Benefícios a empregados - (i) Benefícios de curto prazo a empregados: (iv) Benefícios de término de vínculo empregatício: 7.13 Provisões: - (i) Garantias: - - (ii) Reestruturação: - (iii) Recuperação ambiental de área: (iv) Contratos onerosos: Receita operacional - (i) Venda de produtos: - - (ii) Vendas de açúcar no mercado externo: Free on Board, (iii) Venda de açúcar e etanol no mercado interno: A Ex Works - - (iv) Prestação de serviços: hedge 7.16 Imposto de renda e contribuição social: - - (i) Imposto corrente: - (ii) Imposto diferido: -

3 DIÁRIO COMÉRCIO INDÚSTRIA & SERVIÇOS QUARTA-FEIRA, 24 DE JUNHO DE Novas normas e interpretações ainda não adotadas: IFRS 9 Financial Instruments (Instrumentos Financeiros): IAS 39 Financial Instruments: Recognition and Measurement - hedge- IFRS 15 Revenue from Contracts with Customers (Receita de Contratos com Clientes): Agricultura: Plantas Produtivas (alterações a IAS 16 e IAS 41): Estas - Accounting for Aquisitions of Interests in Joint Operations - IFRS 14 - Regulatory Deferral Accounts Accounting for Aquisitions of Interests in Joint Operations 9. Caixa e equivalentes de caixa Equivalentes de caixa Percentual de remuneração a taxa CDI Aplicação em moeda estrangeira Contas a receber Idade da carteira Saldo no início do período 12. Estoques Produtos acabados Etanol Veículo Veículo usado Peças de veículos Impostos a recuperar PIS COFINS IRRF IRPJ Adiantamentos a fornecedores Vencimentos nas safras 2014 Total Outras contas a receber Despesas antecipadas U.S.J. - AÇÚCAR E ÁLCOOL S/A - (Em milhares de Reais) 16. Ativo biológico: Cana-de-açúcar Saldo em 31 de março de Saldo em 31 de março de Saldo em 31 de março de / / / / / / Lavouras de cana-de-açúcar: Riscos regulatórios e ambientais: Riscos de oferta e demanda: Riscos climáticos e outras: Investimentos: Acionistas minoritários Aquisições de ações da Civesa Veículos S/A Data N de Ações Total Participação acionária Entidade Local Após aquisição Antes da aquisição 17.1 Outros investimentos Composição dos saldos Investimentos Civesa Veículos S/A Movimentação dos saldos - Agro Pecuária Agro Pecuária Cia Agrícola Civesa SJC Bio- Nova Louzã S/A Campo Alto S/A São Jerônimo Veículos S/A energia Ltda. (i) Total Ativos totais totais Imobilizado Movimentação do custo Custo Edifícios mentos industriais mentos agrícolas Veículos imobilizações industrial Terrenos andamento a fornecedores Total Saldo em 31 de março de Adições Saldo em 31 de março de Adições Saldo em 31 de março de Movimentação da depreciação Depreciação Edifícios mentos industriais mentos agrícolas Veículos imobilizações industrial Terrenos andamento a fornecedores Total Saldo em 31 de março de Saldo em 31 de março de Saldo em 31 de março de contábil líquido Em 31 de março de Em 31 de março de Movimentação do custo Custo Edifícios mentos industriais mentos agrícolas Veículos imobilizações industrial Terrenos andamento a fornecedores Total Saldo em 31 de março de Adições Saldo em 31 de março de Adições Saldo em 31 de março de Movimentação da depreciação Depreciação Edifícios mentos industriais mentos agrícolas Veículos imobilizações industrial Terrenos andamento a fornecedores Total Saldo em 31 de março de Saldo em 31 de março de Saldo em 31 de março de contábil líquido Em 31 de março de Em 31 de março de Provisão para redução no valor recuperável: 18.6 Garantias: - - Modalidade do Financiamento Garantia Fornecedores Taxa de juros Moeda nacional: Leasing Moeda estrangeira: Taxa de juros Taxa de juros Moeda nacional: Leasing Moeda estrangeira: Vencimentos nas safras 2015 Total Obrigações contratuais Financiamentos e empréstimos: 20.3 Garantias:

4 20 U.S.J. - AÇÚCAR E ÁLCOOL S/A - (Em milhares de Reais) Modalidade Garantia Nível 2: Nível 3: ceiros: Leasing (i) Estrutura de gerenciamento de risco: Ajuste a valor presente: (ii) Risco de crédito: - Movimentação das Saldo em Paga- Atualização Saldo em contingências - consolidado 31/03/2014 mentos monetária 31/03/2015 PIS e COFINS Movimentação das Saldo em Paga- Atualização Saldo em contingências - controladora 31/03/2014 mentos monetária 31/03/2015 a. Contingências - a.1 Contingências com risco de perda possível: - - Trabalhista Tributárias Cíveis Trabalhista Tributárias Cíveis 22. Patrimônio líquido Capital social: Reserva de lucros - Reserva legal: É constituída a Reserva de lucros a realizar: Reserva para investimentos: - - Reserva para aquisição de participações societárias: 22.3 Ajuste de Avaliação Patrimonial: - - a ações Reservas de reavaliação: Dividendos: Descrição Base de cálculo - Representado pelo saldo de lucros acumulados após o lucro líquido do exercício Dividendos adicionais propostos Ativos Nota contábil justo contábil justo justo por meio do resultado Caixa e equivalentes de caixa pelo custo amortizado justo por meio do resultado 2014 Ativos Nota contábil justo contábil justo justo por meio do resultado Caixa e equivalentes de caixa pelo custo amortizado justo por meio do resultado (i) Hierarquia do valor justo: Ativos Nota 31/03/2015 Nível 1 Nível 2 31/03/2015 Nível 1 Nível 2 Caixa e equivalentes de caixa Ativos Nota 31/03/2014 Nível 1 Nível 2 31/03/2014 Nível 1 Nível 2 Caixa e equivalentes de caixa Mensuração do valor justo: inputs- inputs Nível 1: Caixa e equivalentes de caixa Contas a receber e outras contas a receber: Caixa e equivalentes de caixa: - (iii) Risco de liquidez: caixa ano anos anos 5 anos caixa ano anos anos 5 anos caixa ano anos anos 5 anos caixa ano anos anos 5 anos - (iv) Risco de mercado: - Risco cambial: - Exposição ao risco cambial: - Exposição em dólar - Ativa Nota Caixa e equivalentes de caixa Total Exposição em dólar - Passiva Nota Total Termo de moeda - NDF e Data da Data do Nocional em Nocional justo Instituição Operação emissão vencimento USD (mil) em R$ em R$ Análise de sensibilidade ao risco cambial: - Cenários 25% 50% 25% 50% Risco de taxa de juros: Q UA RTA- F E I R A, 24 DE JUNHO DE DIÁRIO COMÉRCIO INDÚSTRIA & SERVIÇOS Exposição ao risco de taxa de juros: taxas CDI. Análise de sensibilidade ao risco de taxa de juros: - Risco de expo- Instrumentos Financeiros sição em R$ Provável II III Ativo Passivo Saldo Posições Venci- Libor de Swap Inicio mento Nocional USD Spread CDI Spread contábil Risco de oscilação dos preços de - - Futuros e opções de Commodities e Posições Ativas - Vendidas Referência meses 12 Meses Justo Posições Passivas - Vendidas Referência meses 12 Meses Justo Análise de sensibilidade dos preços de commodities: Cenários Provável 25% 50% 25% 50% Cenários Provável 25% 50% 25% 50% Risco operacional: - - Risco de estrutura de capital: - accounting): - - Budget Capta- VP Prin- Data em USD ções no Juros cipal Rolaprevista (mil) exterior PPE Bond Bond ACC gem jun/ jul/ set/ out/ dez/ jan/ jun/ jul/ set/ out/ dez/ jan/ jun/ jul/ dez/ jan/ jun/ jul/ nov/ jan/ jun/ jul/ dez/ jan/ jun/ jul/ set/ out/ nov/ dez/ jan/ jun/ jul/ hedge: -

5 DIÁRIO COMÉRCIO INDÚSTRIA & SERVIÇOS QUARTA-FEIRA, 24 DE JUNHO DE U.S.J. - AÇÚCAR E ÁLCOOL S/A - (Em milhares de Reais) Saldo inicial Não realizado Realizado Total Operação Total IRPJ e CSLL Total líquido (54.622) ( ) (11.910) ( ) e Commodities Hedge Accounting Commodities Hedge Accounting 24. Imposto de renda e contribuição social diferidos: Hedge accounting Leasing Hedge accounting Leasing Efeito líquido Hedge Accounting Leasing Efeito líquido Hedge accounting Maria Carolina Ometto Fontanari - - Responsabilidade da Administração sobre - Responsabilidade dos auditores U.S.J. Agro Agro Companhia Civesa - Açúcar Pecuária Pecuária Agrícola Veíe Álcool Campo Nova São culos Conso- S/A Alto S/A Louzã S/A Jerônimo S/A. lidado Hedge accounting Imposto de renda e contribuição social pela Imposto de renda e contribuição social do período (8.654) (3.288) 25. Receita operacional líquida: - Etanol Veículos novos Veículos usados Total Despesas operacionais por natureza Reconciliação com as despesas operacionais 27. Outras receitas (despesas) operacionais líquidas Variação cambial líquida Variação cambial ativa Caixa e equivalentes de caixa Total variação cambial ativa Variação cambial passiva Total variação cambial passiva (40.884) (73.547) (40.884) (73.547) Variação cambial líquida A Diretoria Maria Virginia Ometto Budoya Narciso Fernando Bertholdi independentes: Operações com partes relacionadas: 30.3 Operações com pessoal chave: Principais saldos e transações que afetaram o resultado: Saldo de ativo e passivo Saldo Saldo Ativo circulante Outras contas a receber Civesa Veículos S/A Adiantamentos a fornecedores (Nota explicativa n 14) Civesa Veículos S/A Ativo não circulante Outras contas a receber Outras contas a receber total (Nota explicativa n 15) Passivo circulante Fornecedores (Nota explicativa n 19) Adiantamento de clientes Outras contas a pagar Passivo não circulante Adiantamento de clientes Outras contas a pagar Outras contas a pagar total Líquido (8.903) Venda de bens e serviços Arrendamento de unidade cogeradora de energia Indenizações trabalhistas Rateio de gastos corporativos Civesa Veículos S/A Imobilizado 31. Compromissos futuros: - - pelo CONSECANA. 33. Aspectos ambientais: - - Carlos Alberto Orzari - Opinião: KPMG Auditores Independentes CRC 2SP014428/O-6

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ AMBEV S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ AMBEV S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 8 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ CENTRAIS ELETRICAS BRASILEIRAS SA Versão : 1. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ CENTRAIS ELETRICAS BRASILEIRAS SA Versão : 1. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 8 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Restoque Comércio e Confecções de Roupas S.A. Balanço Patrimonial Consolidado em 31 de dezembro de 2014 Em milhares de reais

Restoque Comércio e Confecções de Roupas S.A. Balanço Patrimonial Consolidado em 31 de dezembro de 2014 Em milhares de reais Restoque Comércio e Confecções de Roupas S.A. Balanço Patrimonial Consolidado em 31 de dezembro de 2014 Em milhares de reais Ativo Passivo e Patrimônio Líquido Circulante R$ Circulante R$ Caixa e equivalentes

Leia mais

Gas Brasiliano Distribuidora S.A.

Gas Brasiliano Distribuidora S.A. Balanço patrimonial em 31 de março (não auditado) Ativo 2016 2015 Passivo e patrimônio líquido 2016 2015 Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa 78.050 132.536 Fornecedores 23.096 19.064 Contas

Leia mais

31/03/ /12/ /03/ /12/2015 Caixa e Bancos Aplicações financeiras

31/03/ /12/ /03/ /12/2015 Caixa e Bancos Aplicações financeiras NOTAS EXPLICATIVAS DAS INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS - ITR (Em milhares de Reais, exceto quando indicado de outra forma) 1 - CONTEXTO OPERACIONAL Bicicletas Monark S.A. ( Companhia ) tem por objetivo a industrialização

Leia mais

Raízen Combustíveis S.A. Informações Financeiras Consolidadas Condensadas em 31 de dezembro de 2013 e relatório sobre a revisão de Informações

Raízen Combustíveis S.A. Informações Financeiras Consolidadas Condensadas em 31 de dezembro de 2013 e relatório sobre a revisão de Informações Informações Financeiras Consolidadas Condensadas em 31 de dezembro de 2013 e relatório sobre a revisão de Informações Financeiras Consolidadas Condensadas Relatório sobre a revisão de informações financeiras

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ AES TIETE ENERGIA S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ AES TIETE ENERGIA S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 7 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL - ANEXO 14

BALANÇO PATRIMONIAL - ANEXO 14 ATIVO Exercício Atual PASSIVO Exercício Atual ATIVO CIRCULANTE 652.201,35 PASSIVO CIRCULANTE 236.288,68 Caixa e Equivalentes de Caixa 652.201,35 Obrigações Trabalhistas, Previdenciárias e Assistenciais

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 E 2008 ATIVO CIRCULANTE

BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 E 2008 ATIVO CIRCULANTE BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 E 2008 A T I V O 31.12.2009 31.12.2008 ATIVO CIRCULANTE 77.677 45.278 DISPONIBILIDADES 46 45 APLICAÇÕES INTERFINANCEIRAS DE LIQUIDEZ 1.641 314 APLICAÇÕES EM

Leia mais

ENCERRAMENTO DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS 17/01/2013 LUCIANO PERRONE

ENCERRAMENTO DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS 17/01/2013 LUCIANO PERRONE ENCERRAMENTO DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS 17/01/2013 LUCIANO PERRONE Introdução Enquadramento conforme as Novas Normas Contábeis IFRS. SOCIEDADES ANÔNIMAS DE CAPITAL ABERTO SOCIEDADES DE GRANDE PORTE

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ ALPARGATAS SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ ALPARGATAS SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 8 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/ CIA DE PARTICIPAÇÕES ALIANÇA DA BAHIA Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/ CIA DE PARTICIPAÇÕES ALIANÇA DA BAHIA Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ CENTRAIS ELETRICAS BRASILEIRAS SA Versão : 1. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ CENTRAIS ELETRICAS BRASILEIRAS SA Versão : 1. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 8 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 28 DE FEVEREIRO DE 2011 (Em R$ Mil)

CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 28 DE FEVEREIRO DE 2011 (Em R$ Mil) CNPJ 47.902.648/0001-17 CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 28 DE FEVEREIRO DE 2011 ATIVO PASSIVO ATIVO CIRCULANTE PASSIVO CIRCULANTE Caixa e Bancos 46 Fornecedores 41.785 Aplicações Financeiras 5.541 Provisão

Leia mais

COMPANHIA DE SANEAMENTO DE SERGIPE - DESO CNPJ / BALANÇO PATRIMONIAL - EM R$. 1,00

COMPANHIA DE SANEAMENTO DE SERGIPE - DESO CNPJ / BALANÇO PATRIMONIAL - EM R$. 1,00 COMPANHIA DE SANEAMENTO DE SERGIPE DESO CNPJ. 13.018.171/000190 BALANÇO PATRIMONIAL EM R$. 1,00 A T I V O 31.12.2007 31.12.2006 ATIVO CIRCULANTE 138.417.550 134.143.301 Caixa e Bancos 1.286.238 3.838.555

Leia mais

Sumário Capítulo 1 Escrituração contábil

Sumário Capítulo 1 Escrituração contábil Sumário Capítulo 1 Escrituração contábil 01 1.1 Conceito 01 1.2 Métodos de escrituração 01 1.2.1 Método das partidas dobradas 02 1.2.1.1 Funcionamento das contas nas partidas dobradas 04 1.3 Normas legais

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/ GUARARAPES CONFECÇÕES SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/ GUARARAPES CONFECÇÕES SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

Nivelamento de Conceitos Contábeis

Nivelamento de Conceitos Contábeis Nivelamento de Conceitos Contábeis Demonstrações Contábeis Balanço Patrimonial - BP Demonstração de Resultado do Exercício - DRE Demonstração dos Fluxos de Caixa DFC Substituiu a Demonstração das Origens

Leia mais

DFC DEMONSTRAÇÃO DE FLUXO DE CAIXA

DFC DEMONSTRAÇÃO DE FLUXO DE CAIXA DFC DEMONSTRAÇÃO DE FLUXO DE CAIXA Base Legal CPC 03 e Seção 07 da NBC TG 1.000 O presente auto estudo embasará os conceitos e procedimentos técnicos contemplados no CPC 03 (IFRS Integral) e na Seção 07

Leia mais

INTL FCSTONE Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda. Relatório Anual do Agente Fiduciário. Exercício 2014

INTL FCSTONE Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda. Relatório Anual do Agente Fiduciário. Exercício 2014 ALL AMÉRICA LATINA LOGÍSTICA MALHA NORTE S.A. 6ª. Emissão de Debêntures INTL FCSTONE Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda. Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício 2014 6ª. Emissão

Leia mais

ATIVO

ATIVO BALANÇO PATRIMONIAL DOS SEMESTRES FINDOS EM 30 DE JUNHO CONTROLADORA CONSOLIDADO ATIVO CIRCULANTE Numerário disponível 5.803 1.361 17.311 8.292 Aplicações no mercado aberto 1.216.028 665.948 1.216.530

Leia mais

PERMANENTE

PERMANENTE BALANÇO PATRIMONIAL EM 30 DE JUNHO DE 2009 E 2008 A T I V O 30.06.2009 30.06.2008 ATIVO CIRCULANTE 62.969 46.291 DISPONIBILIDADES 46 47 APLICAÇÕES INTERFINANCEIRAS DE LIQUIDEZ 13.419 593 APLICAÇÕES EM

Leia mais

IAS 1 Apresentação das Demonstrações Contábeis

IAS 1 Apresentação das Demonstrações Contábeis IAS 1 Apresentação das Demonstrações Contábeis CPC 26 / NBC TG 26 Apresentação das Demonstrações Contábeis FAS 205 Histórico Emitida em 1997, já foi revisada em 2003,2004,2005 e 2007 Substituiu: IAS 1

Leia mais

ESTUDO DE CASO. Os Novos Ajustes da Lei

ESTUDO DE CASO. Os Novos Ajustes da Lei ESTUDO DE CASO Os Novos Ajustes da Lei 11.638 Os Novos Ajustes da Lei 11.638 As demonstrações financeiras foram elaboradas com base nas práticas contábeis adotadas no Brasil e normas da Comissão de Valores

Leia mais

Instituto CCR. Demonstrações Financeiras Referentes ao Exercício de 31 de dezembro de 2015

Instituto CCR. Demonstrações Financeiras Referentes ao Exercício de 31 de dezembro de 2015 Demonstrações Financeiras Referentes ao Exercício de 31 de dezembro de 2015 Balanço patrimonial em 31 de dezembro de 2015 (Em Reais) Ativo 2015 2014 Passivo 2015 2014 Circulante Circulante Caixa e equivalentes

Leia mais

Diário Oficial. Índice do diário Outros. Prefeitura Municipal de Ribeira do Amparo. Outros - BALANÇO ANUAL Páginas:

Diário Oficial. Índice do diário Outros. Prefeitura Municipal de Ribeira do Amparo. Outros - BALANÇO ANUAL Páginas: Páginas: 48 Índice do diário Outros Outros - BALANÇO ANUAL 2015 Página 1 Outros Outros BALANÇO ANUAL 2015 - BA (Poder Executivo) DCA-Anexo I-AB Balanço Patrimonial - Ativo e Passivo Padrao Balanço Patrimonial

Leia mais

Relatório da Administração Engetec Participações em Engenharia e Construção S.A.

Relatório da Administração Engetec Participações em Engenharia e Construção S.A. Relatório da Administração Engetec Participações em Engenharia e Construção S.A. Senhores Acionistas, Em cumprimento as disposições estatuárias, submetemos a apreciação de V.Sas. o relatório anual da administração

Leia mais

Cosan S.A. Indústria e Comércio. Demonstrações financeiras intermediárias em 31 de março de 2016

Cosan S.A. Indústria e Comércio. Demonstrações financeiras intermediárias em 31 de março de 2016 Demonstrações financeiras intermediárias Demonstrações financeiras intermediárias Conteúdo Relatório dos auditores independentes sobre a revisão das demonstrações financeiras intermediárias.... 3 Balanços

Leia mais

Características. P A S S I V O Origem dos recursos aplicados no Ativo

Características. P A S S I V O Origem dos recursos aplicados no Ativo Balanço Patrimonial conteúdo - características aplicação de recursos - Ativo origem de recursos - Passivo estrutura geral estrutura do Ativo estrutura do Passivo Características Principal demonstrativo

Leia mais

Informações Contábeis Trimestrais. Magnesita Refratários S.A.

Informações Contábeis Trimestrais. Magnesita Refratários S.A. Informações Contábeis Trimestrais Magnesita Refratários S.A. 30 de setembro de 2016 com Relatório dos Auditores Independentes Índice Magnesita Refratários S.A. Relatório sobre a revisão de informações

Leia mais

Disciplina: Noções de Contabilidade para Administradores (EAC0111) Turmas: 01 e 02 Tema 4: Balanço Patrimonial Prof.: Márcio Luiz Borinelli

Disciplina: Noções de Contabilidade para Administradores (EAC0111) Turmas: 01 e 02 Tema 4: Balanço Patrimonial Prof.: Márcio Luiz Borinelli USP/FEA/EAC Curso de Graduação em Administração Disciplina: Noções de Contabilidade para Administradores (EAC0111) Turmas: 01 e 02 Tema 4: Balanço Patrimonial Prof.: Márcio Luiz Borinelli 1 DEMONSTRAÇÕES

Leia mais

https://www.rad.cvm.gov.br/enet/frmprotocolo.aspx?codigoinstituicao=1&numero...

https://www.rad.cvm.gov.br/enet/frmprotocolo.aspx?codigoinstituicao=1&numero... ENET Protocolo Página 1 de 1 https://www.rad.cvm.gov.br/enet/frmprotocolo.aspx?codigoinstituicao=1&numero... 15/08/2011 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial

Leia mais

ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS em IFRS

ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS em IFRS ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS em 27/06/2013 LUCIANO PERRONE Introdução Enquadramento conforme as Novas Normas Contábeis. SOCIEDADES ANÔNIMAS DE CAPITAL ABERTO SOCIEDADES DE GRANDE PORTE INTEGRAL

Leia mais

COMPANHIA ENERGÉTICA DE ALAGOAS - CEAL CNPJ / BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO DE 2000 E DE 1999 (Em Milhares de Reais) ATIVO

COMPANHIA ENERGÉTICA DE ALAGOAS - CEAL CNPJ / BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO DE 2000 E DE 1999 (Em Milhares de Reais) ATIVO BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO DE 2000 E DE 1999 (Em Milhares de Reais) ATIVO Legislação Societária CIRCULANTE Numerário disponível 8.081 6.646 Consumidores e revendedores 83.995 67.906 Devedores

Leia mais

ELETROBRÁS TERMONUCLEAR S.A. ELETRONUCLEAR CNPJ: / DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS EM 31/09/2005

ELETROBRÁS TERMONUCLEAR S.A. ELETRONUCLEAR CNPJ: / DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS EM 31/09/2005 ELETROBRÁS TERMONUCLEAR S.A. CNPJ: 42.540.2 11/000 1-6 7 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS EM 31/09/2005 BALANÇO PATRIMONIAL EM 30 DE SETEMBRO A T I V O 2005 2004 CIRCULANTE Numerário disponível 805 12.378 Aplicações

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO DAS ORIGENS E APLICAÇÕES DE RECURSOS (DOAR)

DEMONSTRAÇÃO DAS ORIGENS E APLICAÇÕES DE RECURSOS (DOAR) 1 de 8 31/01/2015 14:50 DEMONSTRAÇÃO DAS ORIGENS E APLICAÇÕES DE RECURSOS (DOAR) Até 31.12.2007, a Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos (DOAR) era obrigatória para as companhias abertas e

Leia mais

EXERCICIOS SOBRE DFC. As demonstrações contábeis da Empresa Cosmos, sociedade anônima de capital aberto, em X2, eram os seguintes:

EXERCICIOS SOBRE DFC. As demonstrações contábeis da Empresa Cosmos, sociedade anônima de capital aberto, em X2, eram os seguintes: EXERCICIOS SOBRE DFC As demonstrações contábeis da Empresa Cosmos, sociedade anônima de capital aberto, em 31.12.X2, eram os seguintes: ATIVO X1 X2 PASSIVO X1 X2 Disponível 3.000 1.500 Fornecedores 54.000

Leia mais

PRINCIPAIS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS

PRINCIPAIS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS PRINCIPAIS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Prof. Flávio Smania Ferreira 5 termo ADMINISTRAÇÃO GERAL e-mail: flavioferreira@live.estacio.br blog: http://flaviosferreira.wordpress.com Demonstrações Contábeis: Representa

Leia mais

Capítulo Planejamento Orçamentário DESENVOLVIMENTO DE UM MODELO DE ORÇAMENTO. Aspectos preliminares importantes. Planejamento orçamentário

Capítulo Planejamento Orçamentário DESENVOLVIMENTO DE UM MODELO DE ORÇAMENTO. Aspectos preliminares importantes. Planejamento orçamentário Capítulo 16 DESENVOLVIMENTO DE UM MODELO DE ORÇAMENTO 16.1 Planejamento Orçamentário 16.1 Planejamento orçamentário 16.2 Elaboração de quadros orçamentários 16.3 Projeções de resultados Administração Financeira:

Leia mais

Demonstrações Financeiras

Demonstrações Financeiras Demonstrações Financeiras 75º edição 1 de Abril de 214 à 31 de março de 215 Balanço Anual Ativos Ativos circulante Caixa Títulos a receber Contas a receber mobiliários Produtos Materia-Prima Trabalhos

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL AÇÃO SOCIAL NOSSA SENHORA APARECIDA DO MANTIQUEIRA CNPJ:

BALANÇO PATRIMONIAL AÇÃO SOCIAL NOSSA SENHORA APARECIDA DO MANTIQUEIRA CNPJ: Folha 59 BALANÇO PATRIMONIAL (Valores expressos em milhares de reais) ATIVO 2009 2008 PASSIVO 2009 2008 CIRCULANTE CIRCULANTE Caixa 13 2.938 Empréstimos e financiamentos Banco 3.874 6.202 Fornecedores

Leia mais

É com uma grande satisfação que apresentamos para vocês um Plano de Contas Atualizado para Provas de Contabilidade Geral (Contas Patrimoniais).

É com uma grande satisfação que apresentamos para vocês um Plano de Contas Atualizado para Provas de Contabilidade Geral (Contas Patrimoniais). Olá, meus amigos! Tudo bem? É com uma grande satisfação que apresentamos para vocês um Plano de Contas Atualizado para Provas de Contabilidade Geral (Contas Patrimoniais). O plano foi elaborado pelo nosso

Leia mais

Cosan S.A. Indústria e Comércio. Demonstrações financeiras do exercício findo em 31 de dezembro de 2015

Cosan S.A. Indústria e Comércio. Demonstrações financeiras do exercício findo em 31 de dezembro de 2015 Demonstrações financeiras do exercício findo em 31 de dezembro de 2015 Demonstrações financeiras Em 31 de dezembro de 2015 Conteúdo Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras....

Leia mais

Incoplast Embalagens do Nordeste Ltda.

Incoplast Embalagens do Nordeste Ltda. Balanço patrimonial Em milhares de reais Ativo Passivo e patrimônio líquido Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa (Nota 8) 14.328 11.786 Fornecedores (Nota 15) 36.761 33.641 Contas a receber

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ AÇÚCAR GUARANI S/A / CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ AÇÚCAR GUARANI S/A / CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 31/12/28 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS

Leia mais

Sumário. Capítulo 2. Conceitos Básicos...1. Patrimônio Contabilidade_Geral_Resumida_cap_00.indd 9 14/10/ :44:34

Sumário. Capítulo 2. Conceitos Básicos...1. Patrimônio Contabilidade_Geral_Resumida_cap_00.indd 9 14/10/ :44:34 Sumário Capítulo 1 Conceitos Básicos...1 1. Contabilidade: Conceitos, Objeto, Objetivo, Finalidade e Campo de Aplicação...1 2. Usuários da Informação Contábil...2 3. Principais Tipos de Sociedades Existentes

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ VULCABRAS AZALEIA S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ VULCABRAS AZALEIA S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente 6 Demonstração

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ M DIAS BRANCO SA IND E COM DE ALIMENTOS Versão : 1. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ M DIAS BRANCO SA IND E COM DE ALIMENTOS Versão : 1. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 7 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Contabilidade na crise: O impacto da política monetária na preparação dos balanços e seus reflexos para acionistas. Edison Carlos Fernandes

Contabilidade na crise: O impacto da política monetária na preparação dos balanços e seus reflexos para acionistas. Edison Carlos Fernandes Contabilidade na crise: O impacto da política monetária na preparação dos balanços e seus reflexos para acionistas Edison Carlos Fernandes Esta exposição não trata ou propõe teoria sobre política econômica;

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/ ODONTOPREV S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/ ODONTOPREV S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 7 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ MINUPAR PARTICIPACOES SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ MINUPAR PARTICIPACOES SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

Demonstrações financeiras Fertilizantes Heringer S.A.

Demonstrações financeiras Fertilizantes Heringer S.A. Demonstrações financeiras Fertilizantes Heringer S.A. Em com relatório dos auditores independentes Demonstrações financeiras Índice Relatório dos auditores independentes... 1 Demonstrações financeiras

Leia mais

Demonstrações financeiras Cosan S.A. Indústria e Comércio. 31 de março de 2012 e 2011 com relatório dos auditores independentes

Demonstrações financeiras Cosan S.A. Indústria e Comércio. 31 de março de 2012 e 2011 com relatório dos auditores independentes Demonstrações financeiras Cosan S.A. Indústria e Comércio com relatório dos auditores independentes COSAN S.A. INDÚSTRIA E COMÉRCIO DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS Índice Relatório dos auditores independentes...

Leia mais

CONTABILIDADE GERAL PARA AUDITOR-FISCAL DA RFB. Prof. Marcondes Fortaleza

CONTABILIDADE GERAL PARA AUDITOR-FISCAL DA RFB. Prof. Marcondes Fortaleza CONTABILIDADE GERAL PARA AUDITOR-FISCAL DA RFB Prof. Marcondes Fortaleza Professor Marcondes Fortaleza Auditor-Fiscal da Receita Federal do Brasil, tendo exercido anteriormente o cargo de Analista-Tributário

Leia mais

Demonstrações Contábeis

Demonstrações Contábeis Demonstrações Contábeis 1º Trimestre 2016 DFS/DEGC/DIRE/DIAN ABRIL/2016 RELATÓRIO DE INFORMAÇÕES GERENCIAS DATAPREV COMPARATIVO 1T2015 X 1T2016 Responsáveis pela elaboração da apresentação: Jorge Sebastião

Leia mais

Biosev Bioenergia S.A.

Biosev Bioenergia S.A. Demonstrações Financeiras Individuais e Consolidadas Referentes ao Exercício Findo em 31 de Março de 2016 e Relatório dos Auditores Independentes Deloitte Touche Tohmatsu Auditores Independentes BALANÇO

Leia mais

Celulose Irani S.A. Demonstrações Financeiras Referentes aos Exercícios Findos em 31 de Dezembro de 2015 e de 2014

Celulose Irani S.A. Demonstrações Financeiras Referentes aos Exercícios Findos em 31 de Dezembro de 2015 e de 2014 Celulose Irani S.A. Demonstrações Financeiras Referentes aos Exercícios Findos em 31 de Dezembro de 2015 e de 2014 Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras individuais e

Leia mais

PRIMEIROS IMPACTOS DAS NORMAS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE PARA AS SOCIEDADES COOPERATIVAS

PRIMEIROS IMPACTOS DAS NORMAS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE PARA AS SOCIEDADES COOPERATIVAS PRIMEIROS IMPACTOS DAS NORMAS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE PARA AS SOCIEDADES COOPERATIVAS A Lei 11.638, instituída em 2007, estabeleceu que as práticas contábeis no Brasil devem estar em consonância

Leia mais

ITG 1000 PME s Giovana Garcia

ITG 1000 PME s Giovana Garcia ITG 1000 PME s Giovana Garcia Você bem preparado para o futuro da profissão. 1 RESOLUÇÃO CFC N.º 1.418/12 Aprova a ITG 1000 Modelo Contábil para Microempresa e Empresa de Pequeno Porte. X RESOLUÇÃO CFC

Leia mais

Demonstrações Financeiras Tegma Gestão Logística S.A. 31 de dezembro de 2014 com Relatório dos Auditores Independentes

Demonstrações Financeiras Tegma Gestão Logística S.A. 31 de dezembro de 2014 com Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações Financeiras Tegma Gestão Logística S.A. 31 de dezembro de 2014 com Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações financeiras 31 de dezembro de 2014 Índice Relatório dos auditores independentes

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/ SUZANO HOLDING S.A. (EX-NEMOFEFFER S.A.) Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/ SUZANO HOLDING S.A. (EX-NEMOFEFFER S.A.) Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

2. APRESENTAÇÃO E ELABORAÇÃO DAS INFORMAÇÕES CONTÁBEIS Apresentação das informações contábeis intermediárias individuais

2. APRESENTAÇÃO E ELABORAÇÃO DAS INFORMAÇÕES CONTÁBEIS Apresentação das informações contábeis intermediárias individuais TEREOS INTERNACIONAL S.A. NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS INTERMEDIÁRIAS INDIVIDUAIS PARA O PERIODO DE NOVE MESES FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2014 (Valores expressos em milhões de reais

Leia mais

ÁPICE SECURITIZADORA S.A. 1ª Emissão de Certificados de Recebíveis Imobiliários. 65ª Série

ÁPICE SECURITIZADORA S.A. 1ª Emissão de Certificados de Recebíveis Imobiliários. 65ª Série ÁPICE SECURITIZADORA S.A. 1ª Emissão de Certificados de Recebíveis Imobiliários 65ª Série Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2015 Data Base 31/12/2015 PARTICIPANTES EMISSORA INSTITUIÇÃO

Leia mais

Demonstrações Financeiras Comil Ônibus S.A.

Demonstrações Financeiras Comil Ônibus S.A. Demonstrações Financeiras Comil Ônibus S.A. Exercícios findos em com Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações financeiras Índice Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações

Leia mais

31 de Dezembro de 2015 Demonstrações Contábeis Completas IFRS

31 de Dezembro de 2015 Demonstrações Contábeis Completas IFRS 31 de Dezembro de 2015 Demonstrações Contábeis Completas IFRS ÍNDICE RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS CONSOLIDADAS 3 BALANÇO PATRIMONIAL CONSOLIDADO 5 DEMONSTRAÇÃO

Leia mais

Sumário. Capítulo Considerações Iniciais Exercícios Resolvidos para a Fixação de Conteúdo...19

Sumário. Capítulo Considerações Iniciais Exercícios Resolvidos para a Fixação de Conteúdo...19 Sumário Capítulo 1 A Elaboração das Demonstrações Contábeis...1 1.1. Considerações Iniciais...1 1.2. Exercícios Resolvidos para a Fixação de Conteúdo...19 Capítulo 2 As Demonstrações Contábeis e a Legislação

Leia mais

I SIMPÓSIO MINEIRO DE CONTABILIDADE APLICADA NO SETOR PÚBLICO

I SIMPÓSIO MINEIRO DE CONTABILIDADE APLICADA NO SETOR PÚBLICO I SIMPÓSIO MINEIRO DE CONTABILIDADE APLICADA NO SETOR PÚBLICO A CONVERGÊNCIA DAS NORMAS INTERNACIONAIS AO SETOR PÚBLICO MARIA DA CONCEIÇAO BARROS DE REZENDE SITUAÇAO DA CONTABILIDADE PÚBLICA NO BRASIL

Leia mais

Incoplast Embalagens do Nordeste Ltda.

Incoplast Embalagens do Nordeste Ltda. Balanço patrimonial Em milhares de reais Ativo Passivo e patrimônio líquido Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa (Nota 8) 13.836 21.277 Fornecedores (Nota 15) 46.346 43.890 Contas a receber

Leia mais

Banco Santander (Brasil) S.A.

Banco Santander (Brasil) S.A. Banco Santander (Brasil) S.A. Demonstrações Financeiras Intermediárias Consolidadas Preparadas de Acordo com as Normas de Contabilidade Internacional IFRS 30 de Setembro de 2016 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS

Leia mais

MENDES JUNIOR ENGENHARIA S/A 8ª Emissão de Debêntures. Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2015 Data Base 31/12/2015

MENDES JUNIOR ENGENHARIA S/A 8ª Emissão de Debêntures. Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2015 Data Base 31/12/2015 MENDES JUNIOR ENGENHARIA S/A 8ª Emissão de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2015 Data Base 31/12/2015 PARTICIPANTES EMISSORA COORDENADOR(ES) ESCRITURADOR LIQUIDANTE MENDES JUNIOR

Leia mais

Modelo de Plano de Contas Detalhado

Modelo de Plano de Contas Detalhado Modelo de Plano de Contas Detalhado Código da Conta Descrição da Conta 1. A T I V O 1.1 ATIVO CIRCULANTE 1.1.01 DISPONÍVEL 1.1.01.01 Caixa 1.1.01.02 Bancos c/ Movimento 1.1 01.03 Aplicações Financeiras

Leia mais

Nova Fronteira Bioenergia S.A. Demonstrações financeiras individuais e consolidadas em 31 de março de 2014 e relatório dos auditores independentes

Nova Fronteira Bioenergia S.A. Demonstrações financeiras individuais e consolidadas em 31 de março de 2014 e relatório dos auditores independentes Nova Fronteira Bioenergia S.A. Demonstrações financeiras individuais e consolidadas em 31 de março de 2014 e relatório dos auditores independentes Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações

Leia mais

Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2015

Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2015 KPDS 144568 Conteúdo Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras 3 Balanços patrimoniais 5 Demonstrações de resultados 6 Demonstrações de resultados abrangentes 7 Demonstrações

Leia mais

Balanço Patrimonial. Circulante Compreende obrigações exigíveis que serão liquidadas até o final do próximo exercício social.

Balanço Patrimonial. Circulante Compreende obrigações exigíveis que serão liquidadas até o final do próximo exercício social. Demonstrações Financeiras Demonstrações Financeiras Professor: Roberto César Balanço Patrimonial ATIVO Circulante Compreende contas que estão constantemente em giro - em movimento, sua conversão em dinheiro

Leia mais

Demonstrações Financeiras Azul Linhas Aéreas Brasileiras S.A.

Demonstrações Financeiras Azul Linhas Aéreas Brasileiras S.A. Demonstrações Financeiras Azul Linhas Aéreas Brasileiras S.A. com Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações financeiras Índice Relatório dos auditores independentes... 1 Demonstrações financeiras

Leia mais

Informações contábeis Intermediárias em 30 de abril de 2013 e 31 de janeiro de 2014

Informações contábeis Intermediárias em 30 de abril de 2013 e 31 de janeiro de 2014 Agropecuária Nossa Senhora do Carmo S.A. em 30 de abril de 2013 e 31 de janeiro de 2014 KPDS 81417 Conteúdo Relatório sobre a revisão das informações contábeis intermediárias 3 Balanços patrimoniais 5

Leia mais

TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o primeiro semestre de 2004

TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o primeiro semestre de 2004 Resultado Consolidado para o primeiro semestre de 2004 Publicação, 26 de julho de 2004 (07 páginas) Para maiores informações, contatar: Charles E. Allen TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A., SP, Brasil.

Leia mais

Informações Consolidadas

Informações Consolidadas METALÚRGICA GERDAU S.A. e empresas controladas Desempenho da Gerdau no 2 o trimestre As Demonstrações Financeiras Consolidadas da Metalúrgica Gerdau S.A. são apresentadas em conformidade com as normas

Leia mais

Demonstrações financeiras individuais e consolidadas em 31 de março de 2014 e relatório dos auditores independentes

Demonstrações financeiras individuais e consolidadas em 31 de março de 2014 e relatório dos auditores independentes Demonstrações financeiras individuais e consolidadas em 31 de março de 2014 e relatório dos auditores independentes Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras Aos Administradores

Leia mais

c) Pressupõe-se que a empresa esteja atrasando um tipo de obrigação. Qual seria, mais provavelmente?

c) Pressupõe-se que a empresa esteja atrasando um tipo de obrigação. Qual seria, mais provavelmente? 1-Estruture o Balanço Patrimonial da Cia Alfa com os dados a seguir (em $ milhões - empresa comercial): (não há problema se sobrarem linhas...) Caixa 100; Ações de Outras Companhias 1.000; Fornecedores

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/ UNICASA INDUSTRIA DE MOVEIS S.A. Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/ UNICASA INDUSTRIA DE MOVEIS S.A. Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2015

Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2015 KPDS 143872 Conteúdo Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras 3 Balanços patrimoniais 5 Demonstrações de resultados 6 Demonstrações de resultados abrangentes 7 Demonstrações

Leia mais

Relatório da Administração Queiroz Galvão Desenvolvimento Imobiliário S.A.

Relatório da Administração Queiroz Galvão Desenvolvimento Imobiliário S.A. Relatório da Administração Queiroz Galvão Desenvolvimento Imobiliário S.A. Aos acionistas De acordo com as normas, estamos apresentando para sua consideração o relatório anual de administração, e relacionado

Leia mais

Demonstrações Contábeis Suzano Holding S.A. 31 de dezembro de 2013 e 2012 com Relatório dos Auditores Independentes

Demonstrações Contábeis Suzano Holding S.A. 31 de dezembro de 2013 e 2012 com Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações Contábeis Suzano Holding S.A. com Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações contábeis Índice Relatório dos auditores independentes... 1 Demonstrações contábeis auditadas Relatório

Leia mais

Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2014

Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2014 KPDS 112837 Conteúdo Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras 3 Balanços patrimoniais 5 Demonstrações de resultados 6 Demonstrações de resultados abrangentes 7 Demonstrações

Leia mais

PEPC 2016 CAPACITADORA: 100 % AUDIT (PE-00028) CONTATO: EPC Auditores QTG BCB SUSEP. EPC Responsável Técnico.

PEPC 2016 CAPACITADORA: 100 % AUDIT (PE-00028) CONTATO: EPC Auditores QTG BCB SUSEP. EPC Responsável Técnico. CAPACITADORA: 100 % AUDIT (PE-00028) CONTATO: 3242-2406 COACH CONTÁBIL PE-01023 40h 40 40 40 0 CAPACITADORA: 4M TREINAMENTOS EMPRESARIAIS E ASESSORIA (PE-00022) CONTATO: 3465.7495 CREDITOS PIS/PASEP E

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ BRASILAGRO CIA BRAS PROPRIEDADES AGRICOL / CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ BRASILAGRO CIA BRAS PROPRIEDADES AGRICOL / CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/9/29 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS PELA

Leia mais

Demonstrações financeiras Cosan Limited

Demonstrações financeiras Cosan Limited Demonstrações financeiras Cosan Limited 31 de março de 2012 e 2011 com relatório dos auditores independentes Tradução livre do original em Inglês DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS. Índice Relatório dos auditores

Leia mais

Votorantim Siderurgia S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2015 e relatório dos auditores independentes

Votorantim Siderurgia S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2015 e relatório dos auditores independentes Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2015 e relatório dos auditores independentes Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras Aos Administradores e Acionistas Votorantim

Leia mais

Cosan S.A. Indústria e Comércio. Demonstrações financeiras do exercício findo em em 31 de dezembro de 2014 e relatório dos auditores independentes

Cosan S.A. Indústria e Comércio. Demonstrações financeiras do exercício findo em em 31 de dezembro de 2014 e relatório dos auditores independentes Demonstrações financeiras do exercício findo em em 31 de dezembro de 2014 e relatório dos auditores independentes Demonstrações financeiras Conteúdo Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações

Leia mais

Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2015 e 2014

Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2015 e 2014 KPDS 148909 Conteúdo Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras 3 Balanços patrimoniais 5 Demonstrações de resultados 6 Demonstrações de resultados abrangentes 7 Demonstração

Leia mais

Oficina Técnica. Adoção Inicial das Novas Normas Contábeis. Setembro Elaborado por: Walter Luiz Quaglio

Oficina Técnica. Adoção Inicial das Novas Normas Contábeis. Setembro Elaborado por: Walter Luiz Quaglio Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Tel. (11) 3824-5400, 3824-5433 (teleatendimento), fax (11) 3824-5487 Email: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva,

Leia mais

Safra Fundo de Investimento em Ações Vale do Rio Doce (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações Financeiras em 31 de março de 2004 e em 30

Safra Fundo de Investimento em Ações Vale do Rio Doce (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações Financeiras em 31 de março de 2004 e em 30 Safra Fundo de Investimento em Ações Vale do Rio Doce Demonstrações Financeiras em 31 de março de 2004 e em 30 de setembro de 2003 e parecer dos auditores independentes Parecer dos auditores independentes

Leia mais

8.000 ATIVO CIRCULANTE

8.000 ATIVO CIRCULANTE BALANÇO PATRIMONIAL DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO Ativo X0 X1 Receita de Vendas 8.000 ATIVO CIRCULANTE 500 2.150 (-) CPV -5.000 Caixa 100 1.000 Lucro Bruto 3.000 Bancos 200 100 (-) Despesas financeiras -1.500

Leia mais

ÍNDICE 2 BALANÇOS PATRIMONIAIS 4 DEMONSTRAÇÕES DE RESULTADOS 5 RESULTADOS ABRANGENTES 8 DEMONSTRAÇÕES DAS MUTAÇÕES DO

ÍNDICE 2 BALANÇOS PATRIMONIAIS 4 DEMONSTRAÇÕES DE RESULTADOS 5 RESULTADOS ABRANGENTES 8 DEMONSTRAÇÕES DAS MUTAÇÕES DO ÍNDICE 1 RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS 2 BALANÇOS PATRIMONIAIS 4 DEMONSTRAÇÕES DE RESULTADOS 5 RESULTADOS ABRANGENTES 6 DEMONSTRAÇÕES DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO

Leia mais

CPC 18 INVESTIMENTO EM CONTROLADA E COLIGADA. Prof. Mauricio Pocopetz

CPC 18 INVESTIMENTO EM CONTROLADA E COLIGADA. Prof. Mauricio Pocopetz CPC 18 INVESTIMENTO EM CONTROLADA E COLIGADA Prof. Mauricio Pocopetz OBJETIVOS O objetivo deste Pronunciamento é estabelecer: a contabilização de investimentos em coligadas e em controladas; e definir

Leia mais

Ativo Passivo e patrimônio líquido

Ativo Passivo e patrimônio líquido Balanço patrimonial em 31 de dezembro Em milhares de reais Controlada Controlada Ativo 2015 2014 2015 2014 Passivo e patrimônio líquido 2015 2014 2015 2014 Circulante Circulante Caixa e equivalentes de

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/ Harpia Ômega Participações S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/ Harpia Ômega Participações S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

BFB LEASING S.A. - ARRENDAMENTO MERCANTIL

BFB LEASING S.A. - ARRENDAMENTO MERCANTIL BFB LEASING S.A. - ARRENDAMENTO MERCANTIL 4ª Emissão de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2003 BFB LEASING S.A. - ARRENDAMENTO MERCANTIL 4ª Emissão de Debêntures Relatório Anual

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/ BROOKFIELD INCORPORAÇÕES S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/ BROOKFIELD INCORPORAÇÕES S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais