Regimento Interno ALERJ

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Regimento Interno ALERJ"

Transcrição

1 Regimento Interno ALERJ Legislação das Casas Legislativas Questão 1: CEPERJ Esp Leg NS (ALERJ)/ALERJ/Assessoramento às Comissões/2011 A Mesa Diretora da Assembleia Legislativa é órgão colegiado que atua na direção dos trabalhos legislativos e dos serviços administrativos, sendo formada por um Presidente e: a) quatro Vice Presidentes, quatro Secretários e quatro Suplentes b) um Vice Presidente, seis Secretários e seis Suplentes c) dois Vice Presidentes, três Secretários e três Suplentes d) três Vice Presidentes, quatro Secretários e quatro Suplentes e) cinco Vice Presidentes, cinco Secretários e cinco Suplentes Questão 2: CEPERJ Esp Leg NS (ALERJ)/ALERJ/Assessoramento às Comissões/2011 O Presidente da Assembleia é o representante da referida Casa Legislativa, sendo certo que, dentre as suas atribuições, não se inclui: a) desempatar as votações ostensivas b) autorizar o Deputado a falar da bancada c) convocar as sessões da Assembleia d) aplicar censura verbal a Deputado e) presidir a Comissão de Saúde Questão 3: CEPERJ Esp Leg NS (ALERJ)/ALERJ/Assessoramento às Comissões/2011 São consideradas Comissões Permanentes compostas por sete membros as seguintes: a) Constituição e Justiça; Educação; Saúde b) Obras Públicas; Ciência e Tecnologia; Servidores Públicos c) Direitos Humanos e Cidadania; Defesa do Consumidor; Defesa do Meio Ambiente d) Cultura; Defesa Civil; Defesa dos Direitos da Mulher e) Saneamento Ambiental; Esporte e Lazer; Segurança Alimentar Questão 4: CEPERJ Esp Leg NS (ALERJ)/ALERJ/Assessoramento às Comissões/2011 Nos termos do Regimento Interno da Assembleia Legislativa, a licença de Governador para ausentar se do Estado deve receber parecer prévio da(s) Comissão(ões) de: a) Orçamento, Finanças, Tributação, Fiscalização Financeira e Controle b) Trabalho, Legislação Social e Seguridade Social c) Constituição e Justiça d) Servidores Públicos e) Indicações Legislativas Questão 5: CEPERJ Esp Leg NS (ALERJ)/ALERJ/Assessoramento às Comissões/2011 Matérias relacionadas aos temas urbanismo, arquitetura e ordenação do território constitui atribuição, nos termos do Regimento Interno, da(s) Comissão(ões) de: a) Obras Públicas b) Minas e Energia c) Política Urbana, Habitação e Assuntos Fundiários d) Economia, Indústria e Comércio e) Defesa Civil Questão 6: CEPERJ Esp Leg NS (ALERJ)/ALERJ/Assessoramento às Comissões/2011 No concernente ao método de votação aplicado na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, em obediência ao seu Regimento Interno, é correto afirmar que: a) As emendas destacadas serão votadas em bloco por assunto. b) A emenda com pareceres divergentes não será objeto de votação. c) As emendas com parecer favorável serão votadas individualmente. d) O Presidente poderá determinar a votação por capítulos ou títulos. e) O plenário poderá deferir, a requerimento, a votação por grupo de artigos. 1/5

2 Questão 7: CEPERJ Esp Leg NS (ALERJ)/ALERJ/Assessoramento às Comissões/2011 Nos termos do Regimento Interno da Assembleia Legislativa, quanto aos temas preferência, precedência ou prejudicialidade, é correto afirmar que: a) Aprovado o substitutivo, passa se imediatamente à votação das emendas ao projeto originário. b) Serão votadas, pela ordem, as emendas supressivas, as substitutivas, as modificativas e as aditivas. c) A rejeição ao projeto originário implica a votação das emendas apresentadas, quando o plenário assim decidir. d) As emendas com subemendas serão votadas em grupo, salvo autorização do Presidente da Assembleia. e) As subemendas substitutivas serão votadas em último lugar em relação às respectivas emendas. Questão 8: CEPERJ Esp Leg NS (ALERJ)/ALERJ/Assessoramento às Comissões/2011 A Assembleia Legislativa, nos termos da Constituição Estadual, deve indicar um candidato para integrar o Tribunal de Contas do Estado. Consoante as normas do Regimento Interno da Assembleia, a indicação dos candidatos para concorrer ao referido cargo deverá ocorrer pelo(a): a) Presidente da Assembleia b) Primeiro Vice Presidente c) Secretário Geral d) Mesa Diretora e) Plenário Questão 9: CEPERJ Esp Leg NS (ALERJ)/ALERJ/Assessoramento às Comissões/2011 Dentre as competências da Comissão de Orçamento, Finanças, Fiscalização Financeira e Controle não se inclui: a) examinar e emitir parecer sobre as contas anualmente apresentadas pelo Governador b) opinar sobre assuntos que digam respeito ao desenvolvimento científico do Estado c) opinar sobre projetos de lei relativos ao plano plurianual e às diretrizes orçamentárias d) interpor representações e recursos das decisões do Tribunal de Contas, solicitando sustação de contrato impugnado e) requerer relatórios, informações, balanços e inspeções sobre contas de órgãos da administração estadual Questão 10: CEPERJ Esp Leg NS (ALERJ)/ALERJ/Assessoramento às Comissões/2011 A Assembleia Legislativa pode instituir Comissão Parlamentar de Inquérito com poderes de investigação próprios das autoridades judiciais. Quanto a essa Comissão, é correto afirmar que: a) Não poderá atuar no recesso parlamentar, salvo autorização do Presidente da Assembleia. b) A reunião para realizar atos instrutórios deve ocorrer com, no mínimo, dez Deputados integrantes da Comissão. c) Não poderá ocorrer a criação de Comissão Parlamentar de Inquérito caso existam em andamento pelo menos dez outras no âmbito da Assembleia. d) Poderá requerer a convocação de Deputados e Secretários de Estado e tomar depoimentos de autoridades estaduais. e) O parlamentar integrante da Comissão poderá requisitar técnicos especializados na área federal para realizar perícias. Questão 11: CEPERJ Esp Leg NM (ALERJ)/ALERJ/Digitador/2011 A votação pelo processo simbólico, nos termos do Regimento Interno da ALERJ, será conduzida pelo Presidente, que convida os Deputados que são a favor a proceder do seguinte modo: a) levantar a mão direita b) permanecer de pé diante dos seus assentos c) dirigir se ao microfone do plenário e apresentar voto d) permanecer sentados nos seus lugares e) contar os votos por filas Questão 12: CEPERJ Esp Leg NM (ALERJ)/ALERJ/Digitador/2011 No encaminhamento da votação, o Deputado terá um período de tempo para falar sem apartes. Esse período corresponde a: a) cinco minutos b) dez minutos c) quinze minutos d) vinte minutos e) trinta minutos Questão 13: CEPERJ Esp Leg NM (ALERJ)/ALERJ/Digitador/2011 Considera se período de sessão ordinária da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, nos termos do seu Regimento Interno, aquele compreendido entre: a) 1º. de janeiro e 31 de dezembro 2/5

3 b) 1º. de julho e 30 de novembro c) 1º. de agosto e 31 de dezembro d) 1º. de fevereiro e 31 de dezembro e) 1º. de junho e 31 de outubro Questão 14: CEPERJ Esp Leg NM (ALERJ)/ALERJ/Digitador/2011 O Deputado Estadual eleito deve apresentar à Mesa Diretora da Assembleia Legislativa, até 31 de janeiro do ano da instalação de cada legislatura, nos termos do Regimento Interno: a) diploma emitido pela Justiça Eleitoral b) certificados de escolaridade que possuir c) comprovação de regularidade eleitoral d) documento que comprove sua residência fixa e) declaração de idoneidade moral Questão 15: CEPERJ Esp Leg NM (ALERJ)/ALERJ/Digitador/2011 Salvo motivo de força maior ou enfermidade, nos termos do Regimento Interno, a posse do Deputado deve ocorrer no prazo de: a) setenta dias b) quarenta dias c) trinta dias d) vinte dias e) dez dias Questão 16: CEPERJ Esp Leg NM (ALERJ)/ALERJ/Digitador/2011 A eleição da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa, nos termos do seu Regimento Interno, segue os seguintes parâmetros: a) o mandato corresponderá a quatro anos, sem reeleição b) o mandato corresponderá a dois anos, com reeleição c) o mandato corresponderá a um ano, com reeleição d) o mandato corresponderá a cinco anos, sem reeleição e) o mandato corresponderá a três anos, sem reeleição Questão 17: CEPERJ Esp Leg NM (ALERJ)/ALERJ/Digitador/2011 Na eleição para a Mesa Diretora, nos termos do Regimento Interno, a votação em primeiro escrutínio obedecerá ao seguinte critério: a) maioria absoluta b) maioria simples c) unanimidade d) dois terços e) um terço Questão 18: CEPERJ Esp Leg NM (ALERJ)/ALERJ/Digitador/2011 Nos termos do Regimento Interno, a Liderança é considerada quando o Deputado atua: a) em nome do partido com mais de dez integrantes b) como Presidente da Casa Legislativa c) representando a Mesa Diretora d) em nome de partidos, mesmo sem Bloco Parlamentar e) em plenário, através de partido com representação unitária Questão 19: CEPERJ Esp Leg NM (ALERJ)/ALERJ/Digitador/2011 Com relação ao Bloco Parlamentar, é correto afirmar que: a) É restrita a participação de dois partidos por Bloco. b) Permanece formado para além da legislatura em que surgiu. c) Mantém as prerrogativas das lideranças partidárias originárias. d) Não será admitida a formação de Bloco com menos de três Deputados. e) Após a formação do Bloco, a diminuição do número de parlamentares não tem efeito. 3/5

4 Questão 20: CEPERJ Esp Leg NM (ALERJ)/ALERJ/Digitador/2011 Nos termos do Regimento Interno da Assembleia, o Governador do Estado poderá indicar Deputados na condição de Líderes do Governo, da seguinte maneira: a) designando um líder e um suplente b) designando um líder sem suplente c) nomeando um líder sem suplente d) indicando um líder, um vice líder e um suplente e) indicando um líder e dois vice líderes 4/5

5 Gabarito 1) A 2) E 3) A 4) C 5) C 6) E 7) B 8) D 9) B 10) D 11) D 12) B 13) C 14) A 15) C 16) B 17) A 18) E 19) D 20) E 5/5

Prof. Cristiano Lopes

Prof. Cristiano Lopes Prof. Cristiano Lopes Poder Legislativo Federal ü No Brasil vigora o bicameralismo federativo, no âmbito federal. Ou seja, o Poder Legislativo no Brasil, em âmbito federal, é bicameral, isto é, composto

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS

REGIMENTO INTERNO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS Rodada #1 Regimento Interno da Câmara Professor Julio Ponte Assuntos da Rodada REGIMENTO INTERNO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS: 1. Disposições Preliminares. 1.1 Sede. 1.2 Sessões Legislativas. 1.3 Sessões Preparatórias.

Leia mais

LEI MUNICIPAL N 013/97. SÚMULA: Dispõe sobre a Instituição do Conselho Municipal de Saúde e dá outras providencias.

LEI MUNICIPAL N 013/97. SÚMULA: Dispõe sobre a Instituição do Conselho Municipal de Saúde e dá outras providencias. LEI MUNICIPAL N 013/97 SÚMULA: Dispõe sobre a Instituição do Conselho Municipal de Saúde e dá outras providencias. A Câmara Municipal de Carlinda, no uso de suas atribuições legais aprovou e eu, Geraldo

Leia mais

Direito Constitucional TJ/RJ Prof. Carlos Andrade

Direito Constitucional TJ/RJ Prof. Carlos Andrade Direito Constitucional TJ/RJ Prof. Carlos Andrade 19. Segundo a Constituição Federal, os tratados e convenções internacionais sobre direitos humanos que forem aprovados, em cada Casa do Congresso Nacional,

Leia mais

Professora Susanna Schwantes

Professora Susanna Schwantes SESSÕES CÂMARA DE VEREADORES LEGISLATURA = IGUAL AO MANDATO DOS VEREADORES 4 ANOS Cada Legislatura possui 4 sessões legislativas. Sessão Legislativa Ordinária = 1º a 3º de janeiro, 1º de fevereiro a 5

Leia mais

Art. 2º Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação. Vitória da Conquista, Sala de Reuniões do CONSU, 14 de agosto de 2013.

Art. 2º Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação. Vitória da Conquista, Sala de Reuniões do CONSU, 14 de agosto de 2013. Salvador, Bahia Quarta-feira 4 de Setembro de 2013 Ano XCVII N o 21.227 RES. RESOLUÇÃO CONSU N.º 07/2013 O Conselho Universitário - CONSU da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB, no uso de

Leia mais

DISPOSIÇÕES CONSTITUCIONAISVISÃO DO PODER LEGISLATIVO DISTRITAL TÍTULO I DO FUNCIONAMENTO CAPÍTULO I DA COMPOSIÇÃO E DA SEDE

DISPOSIÇÕES CONSTITUCIONAISVISÃO DO PODER LEGISLATIVO DISTRITAL TÍTULO I DO FUNCIONAMENTO CAPÍTULO I DA COMPOSIÇÃO E DA SEDE Regimento Interno Ismael Noronha DISPOSIÇÕES CONSTITUCIONAISVISÃO DO PODER LEGISLATIVO DISTRITAL Já caiu em prova A denominação Câmara Legislativa decorre da fusão dos nomes atribuídos às casas legislativas

Leia mais

ESPÉCIES NORMATIVAS E PROCESSO LEGISLATIVO. Maira L. de Souza Melo

ESPÉCIES NORMATIVAS E PROCESSO LEGISLATIVO. Maira L. de Souza Melo ESPÉCIES NORMATIVAS E PROCESSO LEGISLATIVO Maira L. de Souza Melo ESPÉCIES NORMATIVAS Art.18 da CE: Emenda Constitucional Lei Complementar Lei Ordinária Lei Delegada Decreto Legislativo Resolução NORMAS

Leia mais

Regimento Interno da Assembleia Legislativa do RJ. Aula 0

Regimento Interno da Assembleia Legislativa do RJ. Aula 0 Aula 0 Regimento Interno da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro Funcionamento Professor Julio Ponte www.pontodosconcursos.com.br www.facebook.com/professorjulioponte 1 de 31 Aula Conteúdo Programático

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS RESOLUÇÃO N o 14/2013, DE 02 DE JULHO DE 2013 Reedita, com alterações, a Resolução n o 03/2006, de 29 de junho de 2006, que aprovou o Regimento do Centro de Microscopia da UFMG. O CONSELHO UNIVERSITÁRIO

Leia mais

LEI Nº , DE 28 DE DEZEMBRO DE 2015

LEI Nº , DE 28 DE DEZEMBRO DE 2015 Orçamento do Estado 2016 Governo do Estado de São Paulo LEI Nº 16.083, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2015 Orça a Receita e fixa a Despesa do Estado para o exercício de 2016. O GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO:

Leia mais

EDITAL DE CONVOCAÇÃO Nº 01/2017

EDITAL DE CONVOCAÇÃO Nº 01/2017 1 EDITAL DE CONVOCAÇÃO Nº 01/2017 O Diretor Clínico do Hospital das Clínicas Samuel Libânio - HCSL faz saber aos membros do Corpo Clínico desta Instituição que estão abertas as inscrições para as eleições

Leia mais

CURSO BÁSICO SOBRE A ATIVIDADE PARLAMENTAR

CURSO BÁSICO SOBRE A ATIVIDADE PARLAMENTAR CURSO BÁSICO SOBRE A ATIVIDADE PARLAMENTAR Parceria entre a Escola do Legislativo e a Procuradoria-Geral NOÇÕES SOBRE O REGIMENTO INTERNO Instrutora: Dra. Ruth Barros Pettersen da Costa Março, 2015 NOÇÕES

Leia mais

CRONOGRAMA DE REUNIÕES 2011

CRONOGRAMA DE REUNIÕES 2011 CRONOGRAMA DE REUNIÕES 2011 23.02 (4ª) / 09h 23.02 (4ª) / às 16h SOLENIDADE DE ABERTURA OFICIAL DOS TRABALHOS DA COMISSÃO 1- Disposições Preliminares Da Competência do Município 02.03 (4ª) / 16.03 (4ª)

Leia mais

EDITAL N 13 - CTAG/IFB DE 1 DE NOVEMBRO DE 2016 ELEIÇÃO DE REPRESENTANTES DOCENTE E TÉCNICO-ADMINISTRATIVO PARA O CONSELHO GESTOR DO CAMPUS TAGUATINGA

EDITAL N 13 - CTAG/IFB DE 1 DE NOVEMBRO DE 2016 ELEIÇÃO DE REPRESENTANTES DOCENTE E TÉCNICO-ADMINISTRATIVO PARA O CONSELHO GESTOR DO CAMPUS TAGUATINGA EDITAL N 13 - CTAG/IFB DE 1 DE NOVEMBRO DE 2016 ELEIÇÃO DE REPRESENTANTES DOCENTE E TÉCNICO-ADMINISTRATIVO PARA O CONSELHO GESTOR DO CAMPUS TAGUATINGA A Comissão para eleição do Conselho Gestor do Instituto

Leia mais

REGULAMENTO DA COMISSÃO DE BANCAS DA ESCOLA PAULISTA DE POLÍTICA, ECONOMIA E NEGÓCIOS (EPPEN)/UNIFESP

REGULAMENTO DA COMISSÃO DE BANCAS DA ESCOLA PAULISTA DE POLÍTICA, ECONOMIA E NEGÓCIOS (EPPEN)/UNIFESP REGULAMENTO DA COMISSÃO DE BANCAS DA ESCOLA PAULISTA DE POLÍTICA, ECONOMIA E NEGÓCIOS (EPPEN)/UNIFESP Dispõe sobre as atribuições Comissão de Bancas Examinadoras da EPPEN/UNIFESP, sua composição e condução

Leia mais

Preâmbulo. O presente regulamento define as regras a observar no procedimento concursal para a eleição do

Preâmbulo. O presente regulamento define as regras a observar no procedimento concursal para a eleição do ESCOLA SECUNDÁRIA JOSÉ SARAMAGO-MAFRA Regulamento para o Procedimento Concursal de Eleição do Diretor para o Quadriénio 2015-2019 Preâmbulo O presente regulamento define as regras a observar no procedimento

Leia mais

TRE/RN CICLO DE PALESTRAS

TRE/RN CICLO DE PALESTRAS 01 Vereador: Papel Constitucional e Sistema de Eleição Juiz JAILSOM LEANDRO DE SOUSA 02 Quem é o vereador? O Vereador é o Membro do Poder Legislativo Municipal. 03 Qual é o papel do Vereador? O papel do

Leia mais

HIDERALDO LUIZ DE ALMEIDA Presidente da Diretoria Executiva da ASCT

HIDERALDO LUIZ DE ALMEIDA Presidente da Diretoria Executiva da ASCT EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE ELEIÇÃO GERAL DA DIRETORIA EXECUTIVA E CONSELHO FISCAL DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS SERVIDORES DO MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO ASCT O Presidente da Diretoria Executiva

Leia mais

O PAPEL DO LEGISLATIVO NO PROCESSO ORÇAMENTÁRIO. Ari Vainer Outubro de 2012

O PAPEL DO LEGISLATIVO NO PROCESSO ORÇAMENTÁRIO. Ari Vainer Outubro de 2012 O PAPEL DO LEGISLATIVO NO PROCESSO ORÇAMENTÁRIO Ari Vainer Outubro de 2012 I - INTRODUÇÃO AS FASES DO PROCESSO ORÇAMENTÁRIO 1 Elaboração da Proposta Orçamentária; 2 Análise, Votação e Aprovação da Lei

Leia mais

Demonstrativo da Despesa por Órgãos e Funções - Anexo IX

Demonstrativo da Despesa por Órgãos e Funções - Anexo IX Legislativa Judiciária Essencial à Justiça Administração Segurança Pública 49.350.000 02 - Secretaria 7.590.239 Municipal de Governo 03 - Gabinete 884.465 do Vice-Prefeito 04 - Procuradoria 16.522.000Geral

Leia mais

CONSELHO GERAL - REGIMENTO -

CONSELHO GERAL - REGIMENTO - CONSELHO GERAL - REGIMENTO - 2013-2017 Aprovado em reunião plenária de 30 de outubro de 2013 Preâmbulo O Regimento do Conselho Geral do Agrupamento de Escolas de Carcavelos tem por objetivo definir os

Leia mais

Direito Eleitoral. Da Apuração nos Tribunais Regionais. Professor Pedro Kuhn.

Direito Eleitoral. Da Apuração nos Tribunais Regionais. Professor Pedro Kuhn. Direito Eleitoral Da Apuração nos Tribunais Regionais Professor Pedro Kuhn www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Eleitoral DA APURAÇÃO NOS TRIBUNAIS REGIONAIS CAPÍTULO III DA APURAÇÃO NOS TRIBUNAIS REGIONAIS

Leia mais

PELA REDUÇÃO DO SALARIO DOS DEPUTADOS ESTADUAIS DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO JÁ!

PELA REDUÇÃO DO SALARIO DOS DEPUTADOS ESTADUAIS DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO JÁ! PROJETO DE EMENDA CONSTITUCIONAL DE INICIATIVA POPULAR Projeto de Iniciativa Popular de Emenda à Constituição do Estado do Espírito Santo, que altera os Art.49, 2º e art. 26, IV, a a,b,c,d,e,f. PELA REDUÇÃO

Leia mais

Regulamento do Processo Eleitoral para o Conselho Geral

Regulamento do Processo Eleitoral para o Conselho Geral Regulamento do Processo Eleitoral para o Conselho Geral Artigo 1º Objeto 1. O presente Regulamento aplica-se exclusivamente ao processo eleitoral para os membros do Conselho Geral, de acordo com o regime

Leia mais

Regulamento para o Procedimento Concursal de Eleição do Diretor para o Quadriénio

Regulamento para o Procedimento Concursal de Eleição do Diretor para o Quadriénio AGRUPAMENTO DE ESCOLAS PROFESSOR ARMANDO DE LUCENA MALVEIRA Regulamento para o Procedimento Concursal de Eleição do Diretor para o Quadriénio 2017-2021 Preâmbulo O presente regulamento define as regras

Leia mais

CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DO IDOSO DE AREAL/ RJ RESOLUÇÃO N º 001/2016

CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DO IDOSO DE AREAL/ RJ RESOLUÇÃO N º 001/2016 CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DO IDOSO DE AREAL/ RJ RESOLUÇÃO N º 001/2016 O CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DO IDOSO do município de Areal, no âmbito de ação e conforme preceitua sua Lei de Criação

Leia mais

MÁRIO ELESBÃO LIMA DA SILVA

MÁRIO ELESBÃO LIMA DA SILVA MÁRIO ELESBÃO LIMA DA SILVA 2016 Silva-Regimento Interno da Camara dos Deputados Comentado-1ed.indd 3 08/08/2016 08:12:26 Resolução nº 17, de 1989 REGIMENTO INTERNO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS TÍTULO I DISPOSIÇÕES

Leia mais

DEVEM SER ESCOLHIDOS ATRAVÉS DE AUDIÊNCIA PÚBLICA CONVOCADA POR EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO

DEVEM SER ESCOLHIDOS ATRAVÉS DE AUDIÊNCIA PÚBLICA CONVOCADA POR EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO PARA ELEIÇÃO DOS REPRESENTANTES DAS INSTITUIÇÕES E/OU ASSOCIAÇÕES ARTÍSTICAS E CULTURAIS E DA SOCIEDADE CIVIL, COM NOTÓRIA PARTICIAPÇÃO EM ATIVIDADES CULTURAIS PARA COMPOSIÇÃO

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO RESOLUÇÃO N 4.056, DE 19 DE FEVEREIRO DE 2013

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO RESOLUÇÃO N 4.056, DE 19 DE FEVEREIRO DE 2013 UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO RESOLUÇÃO N 4.056, DE 19 DE FEVEREIRO DE 2013 Dispõe sobre as NORMAS DO PROCESSO DE CONSULTA À COMUNIDADE DA UNIRIO PARA INDICAÇÃO DE DIRIGENTES

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Santa Maria da Feira

Agrupamento de Escolas de Santa Maria da Feira Agrupamento de Escolas de Santa Maria da Feira - 151660 Regulamento Interno 2015 Capítulo II ORGANIZAÇÃO FUNCIONAL E ADMINISTRATIVA Artigo 3º ÓRGÃOS DE ADMINISTRAÇÃO E GESTÃO Nos termos do regime de autonomia,

Leia mais

PARLAMENTO DOS JOVENS E N S I N O B Á S I C O E S E C U N D Á R I O

PARLAMENTO DOS JOVENS E N S I N O B Á S I C O E S E C U N D Á R I O PARLAMENTO DOS JOVENS E N S I N O B Á S I C O E S E C U N D Á R I O O QUE É? O programa Parlamento dos Jovens é uma iniciativa da Assembleia da República (AR) dirigida aos jovens do 2.º e do 3.º ciclos

Leia mais

Agrupamento de Escolas Júdice Fialho Portimão Conselho Geral REGIMENTO. Artigo 1º Objeto Artigo 2º Definição Artigo 3º Composição...

Agrupamento de Escolas Júdice Fialho Portimão Conselho Geral REGIMENTO. Artigo 1º Objeto Artigo 2º Definição Artigo 3º Composição... Agrupamento de Escolas Júdice Fialho Portimão Conselho Geral REGIMENTO Índice Artigo 1º Objeto... 2 Artigo 2º Definição... 2 Artigo 3º Composição... 2 Artigo 4º Eleição... 2 Artigo 5º Competências... 3

Leia mais

Ata da Quadragésima Quarta Reunião Ordinária

Ata da Quadragésima Quarta Reunião Ordinária 126 Ata da Quadragésima Quarta Reunião Ordinária Ata da 44ª Reunião Ordinária da Câmara Municipal de Itajubá, realizada aos dezesseis dias do mês de dezembro de dois mil e treze as treze horas e trinta

Leia mais

Conselho das Comunidades Portuguesas

Conselho das Comunidades Portuguesas Regulamento Interno do Conselho Regional das Comunidades Portuguesas na América do Norte Aprovado nos termos do número 3 do artigo 39.º-A e do número 1 do artigo 39.º-C da Lei n.º 66- A/2007, de 11 de

Leia mais

Grupos Parlamentares de Amizade

Grupos Parlamentares de Amizade Grupos Parlamentares de Amizade Resolução da Assembleia da República n.º 6/2003, de 24 de janeiro (TP), com as alterações introduzidas pela Resolução da Assembleia da República n.º 26/2010, de 30 de março

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 033/2014, DE 30 DE ABRIL DE 2014

RESOLUÇÃO Nº 033/2014, DE 30 DE ABRIL DE 2014 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS Conselho Superior Rua Ciomara Amaral de Paula, 167 Bairro Medicina 37550-000 - Pouso Alegre/MG Fone: (35)

Leia mais

RESOLUÇÃO CEAFI N. 01/2015, de 13 de agosto de 2015.

RESOLUÇÃO CEAFI N. 01/2015, de 13 de agosto de 2015. RESOLUÇÃO CEAFI N. 01/2015, de 13 de agosto de 2015. Altera o Regimento Interno da Comissão Especial de Acompanhamento e Fiscalização dos Programas de Bolsas da Secretaria de Estado da Educação de Santa

Leia mais

REGIMENTO INTERNO NORMA Nº 02/ DO REGULAMENTO ELEIÇÕES DA DIRETORIA EXECUTIVA E CONSELH0 FISCAL

REGIMENTO INTERNO NORMA Nº 02/ DO REGULAMENTO ELEIÇÕES DA DIRETORIA EXECUTIVA E CONSELH0 FISCAL REGIMENTO INTERNO NORMA Nº 02/2010 - DO REGULAMENTO ELEIÇÕES DA DIRETORIA EXECUTIVA E CONSELH0 FISCAL Art. 1º - Este Regulamento fixa normas para eleição da Diretoria Executiva e Conselho Fiscal da, de

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE SAÚDE MENTAL. Regulamento Interno

CONSELHO NACIONAL DE SAÚDE MENTAL. Regulamento Interno Aprovadoo na Reunião de 24.set.2014 Por unanimidade dos presentes CONSELHO NACIONAL DE SAÚDE MENTAL Regulamento Interno Artigo 1º Composição do Conselho Nacional de Saúde Mental 1 O Conselho Nacional de

Leia mais

REDE DE CONTROLE DA GESTÃO PÚBLICA PARANÁ. Regimento Interno TÍTULO I DA CONSTITUIÇÃO E DOS OBJETIVOS

REDE DE CONTROLE DA GESTÃO PÚBLICA PARANÁ. Regimento Interno TÍTULO I DA CONSTITUIÇÃO E DOS OBJETIVOS TÍTULO I DA CONSTITUIÇÃO E DOS OBJETIVOS Art. 1º. A Rede de Controle da Gestão Pública, constituída como espaço colegiado e permanente no âmbito do Estado do Paraná, formada por órgãos/instituições integrantes

Leia mais

LEI N o 1043/2014 SÚMULA: Estima a Receita e fixa a Despesa para o Exercício Financeiro de 2015.

LEI N o 1043/2014 SÚMULA: Estima a Receita e fixa a Despesa para o Exercício Financeiro de 2015. LEI N o 1043/2014 SÚMULA: Estima a Receita e fixa a Despesa para o Exercício Financeiro de 2015. A CÂMARA MUNICIPAL DE VEREADORES DE CRUZEIRO DO IGUAÇU - ESTADO DO PARANÁ, no uso de suas atribuições legais

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE MATEUS LEME

PREFEITURA MUNICIPAL DE MATEUS LEME Página 00001 Lei nº 2.420, de 01 de Dezembro de 2008 Estima a receita e fixa a despesa do Município de Mateus Leme, MG, para o exercício financeiro de 2009. O povo do Município de Mateus Leme, por seus

Leia mais

9. ORGANIZAÇÂO ADMINISTRATIVA

9. ORGANIZAÇÂO ADMINISTRATIVA 9. ORGANIZAÇÂO ADMINISTRATIVA 9.1 Estrutura Organizacional, Instâncias de Decisão e Organograma Institucional e Acadêmico (conforme Estatuto e Regimento Geral). O Instituto Federal de Ciência e Tecnologia

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL CONSELHO UNIVERSITÁRIO DECISÃO Nº 88/96 D E C I D E TÍTULO I DO CONSELHO TÍTULO II DO FUNCIONAMENTO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL CONSELHO UNIVERSITÁRIO DECISÃO Nº 88/96 D E C I D E TÍTULO I DO CONSELHO TÍTULO II DO FUNCIONAMENTO DECISÃO Nº 88/96 O, em sessão de 18.10.96, D E C I D E aprovar o seu Regimento Interno, como segue: TÍTULO I DO CONSELHO Art.1º- O Conselho Universitário - CONSUN - é o órgão máximo de função normativa,

Leia mais

Agrupamento de Escolas José Estêvão. Regulamento da Eleição e Designação dos Membros do Conselho Geral

Agrupamento de Escolas José Estêvão. Regulamento da Eleição e Designação dos Membros do Conselho Geral Agrupamento de Escolas José Estêvão Regulamento da Eleição e Designação dos Membros do Conselho Geral Secção I Disposições gerais Artigo 1º Objeto O presente regulamento estabelece as condições e procedimentos

Leia mais

CONTROLE DE CONTEÚDO SENADO FEDERAL ANALISTA LEGISLATIVO PROCESSO LEGISLATIVO

CONTROLE DE CONTEÚDO SENADO FEDERAL ANALISTA LEGISLATIVO PROCESSO LEGISLATIVO CONTROLE DE CONTEÚDO SENADO FEDERAL ANALISTA LEGISLATIVO PROCESSO LEGISLATIVO PORTUGUÊS 1 Leitura, compreensão e análise de textos. Inferência (informações explícitas e implícitas). Tipologia textual:

Leia mais

Processo Seletivo para Designação de Função Comissionada em Liderança Partidária

Processo Seletivo para Designação de Função Comissionada em Liderança Partidária Processo Seletivo para Designação de Função Comissionada em Liderança Partidária Regulamento O Diretor do Centro de Formação, Treinamento e Aperfeiçoamento dos servidores da Câmara dos Deputados, no uso

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE FINANÇAS

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE FINANÇAS REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE FINANÇAS I DEFINIÇÃO Este Regimento Interno, organizado em conformidade com o Estatuto Social da Ser Educacional S.A. ( Companhia ), estabelece procedimentos a serem observados

Leia mais

PROPOSTAS DE ALTERAÇÕES ESTATUTÁRIAS

PROPOSTAS DE ALTERAÇÕES ESTATUTÁRIAS PROPOSTAS DE ALTERAÇÕES ESTATUTÁRIAS Obs : as diferenças entre o Estatuto atual e as alterações propostas estão destacadas em negrito e grifadas Esta primeira parte das alterações têm como justificativa

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE PERNAMBUCO PRÓ-REITORIA DE ENSINO

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE PERNAMBUCO PRÓ-REITORIA DE ENSINO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE PERNAMBUCO PRÓ-REITORIA DE ENSINO REGIMENTO INTERNO DO FÓRUM PERMANENTE DOS CURSOS TÉCNICOS DO IFPE RECIFE, 2014 INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA

Leia mais

EDITAL Nº 22/2016, DE 13 DE SETEMBRO DE 2016 PROCESSO Nº /

EDITAL Nº 22/2016, DE 13 DE SETEMBRO DE 2016 PROCESSO Nº / PROCESSO Nº 23232.000999/2016-34 EDITAL DE CONVOCAÇÃO ELEITORAL PARA ESCOLHA DOS REPRESENTANTES DOS SERVIDORES DOCENTES, TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS E DISCENTES NAS COMISSÕES ELEITORAIS DE CAMPUS PARA ESCOLHA

Leia mais

OAB 2ª Fase Direito Constitucional Meta 8 Cristiano Lopes

OAB 2ª Fase Direito Constitucional Meta 8 Cristiano Lopes OAB 2ª Fase Direito Constitucional Meta 8 Cristiano Lopes 2012 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. META 8 LEITURA OBRIGATÓRIA Legislação: CF, art. 5 o, LXIX e LXX;

Leia mais

Prefeitura Municipal de Valente-BA. A Prefeitura Municipal de Valente, Estado Da Bahia, Visando a Transparência dos Seus Atos Vem PUBLICAR.

Prefeitura Municipal de Valente-BA. A Prefeitura Municipal de Valente, Estado Da Bahia, Visando a Transparência dos Seus Atos Vem PUBLICAR. ANO. 2013 DIÁRIO DO MUNICÍPIO DE VALENTE - BAHIA 1 A Prefeitura Municipal de Valente, Estado Da Bahia, Visando a Transparência dos Seus Atos Vem PUBLICAR. LEI N.º 598, DE. Valente - Bahia Gestor: Ismael

Leia mais

Autonomia e Gestão Novos Desafios

Autonomia e Gestão Novos Desafios Autonomia e Gestão Novos Desafios Francisco Oliveira Reforço da participação das famílias e comunidades na direcção estratégica da Escola Reforçar a liderança das Escolas Reforço da autonomia das Escolas

Leia mais

REGULAMENTO PARA A ELEIÇÃO DOS REPRESENTANTES DOS PAIS E ENCARREGADOS DE EDUCAÇÃO NO CONSELHO GERAL Biénio 2015/ /17

REGULAMENTO PARA A ELEIÇÃO DOS REPRESENTANTES DOS PAIS E ENCARREGADOS DE EDUCAÇÃO NO CONSELHO GERAL Biénio 2015/ /17 REGULAMENTO PARA A ELEIÇÃO DOS REPRESENTANTES DOS PAIS E ENCARREGADOS DE EDUCAÇÃO NO CONSELHO GERAL Biénio 2015/16 2016/17 Nota Justificativa: Com o objetivo de regular o processo eleitoral de eleição

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 75/99 - CEPE R E S O L V E: CAPÍTULO I. Das Finalidades CAPÍTULO II. Da Natureza Jurídica e Objetivos

RESOLUÇÃO Nº 75/99 - CEPE R E S O L V E: CAPÍTULO I. Das Finalidades CAPÍTULO II. Da Natureza Jurídica e Objetivos RESOLUÇÃO Nº 75/99 - CEPE Estabelece normas para a constituição e funcionamento dos Comitês Central e Setoriais de Ética em Pesquisa Envolvendo Seres Humanos da Universidade Federal do Paraná. O CONSELHO

Leia mais

R$ 1,00 ÓRGÃOS LEGISLATIVA JUDICIÁRIA ESSENCIAL À ADMINISTRAÇÃO DEFESA NACIONAL SEGURANÇA

R$ 1,00 ÓRGÃOS LEGISLATIVA JUDICIÁRIA ESSENCIAL À ADMINISTRAÇÃO DEFESA NACIONAL SEGURANÇA ÓRGÃOS LEGISLATIVA JUDICIÁRIA ESSENCIAL À ADMINISTRAÇÃO DEFESA NACIONAL SEGURANÇA JUSTIÇA PÚBLICA 01 - CÂMARA MUNICIPAL DE MACEIÓ 02 - GABINETE DO PREFEITO 03 - GABINETE DO VICE-PREFEITO 04 - SECRETARIA

Leia mais

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE - FUERN

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE - FUERN FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE - FUERN REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO DIRETOR-CD, APROVADO PELA RESOLUÇÃO Nº 8/92-CD, DE 25/05/1992. CAPÍTULO I DA FINALIDADE E CONSTITUIÇÃO Art.

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE ECONOMIA

CONSELHO FEDERAL DE ECONOMIA Resolução nº 1.780, de 26 de maio de 2007. Aprova o calendário e o modelo de cédula para as eleições - 2007 do Sistema COFECON/CORECONs. O CONSELHO FEDERAL DE ECONOMIA, no uso das atribuições legais e

Leia mais

COMISSÃO DE DIREITO SECURITÁRIO

COMISSÃO DE DIREITO SECURITÁRIO COMISSÃO DE DIREITO SECURITÁRIO Regimento Interno Art. 1 º A Comissão de Direito Securitário é composta de: I Membros Efetivos, dentre eles o Presidente, o Vice-Presidente, Secretário e Membros Consultores;

Leia mais

Regimento do Conselho Geral do Fórum Académico para a Informação e Representação Externa

Regimento do Conselho Geral do Fórum Académico para a Informação e Representação Externa Regimento do Conselho Geral do Fórum Académico para a Informação e Representação Externa CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1º Natureza O Conselho Geral é o órgão deliberativo intermédio do Fórum Académico

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL PARA O CONSELHO GERAL. Do Agrupamento de Escolas Elias Garcia

REGULAMENTO ELEITORAL PARA O CONSELHO GERAL. Do Agrupamento de Escolas Elias Garcia REGULAMENTO ELEITORAL PARA O CONSELHO GERAL Do Agrupamento de Escolas Elias Garcia Introdução Nos termos do artigo 15º do Decreto-Lei nº 75/2008 de 22 de abril, na redação dada pelo Decreto-Lei n.º 137/2012,

Leia mais

PROPOSTA DE REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DO CONSELHO JURISDICIONAL

PROPOSTA DE REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DO CONSELHO JURISDICIONAL PROPOSTA DE REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DO CONSELHO JURISDICIONAL Proposta de adequação ao novo EOE (Lei n.º 123/2015, de 2 de Setembro) PROPOSTA DE REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DO CONSELHO JURISDICIONAL

Leia mais

Direito Eleitoral e Regimento Interno TER-SP. Weslei Machado

Direito Eleitoral e Regimento Interno TER-SP. Weslei Machado Direito Eleitoral e Regimento Interno TER-SP Weslei Machado (FCC/TRE-AM/Analista Judiciário/2010) Compete aos TREs processar e julgar originariamente a) os crimes eleitorais cometidos pelos seus próprios

Leia mais

REGULAMENTO DO CONSELHO DE DIRECÇÃO REG.03_

REGULAMENTO DO CONSELHO DE DIRECÇÃO REG.03_ REG.03_13.07.011 INTRODUÇÃO O Estatuto da Escola Superior de Enfermagem S. Francisco das Misericórdias, determina que cada órgão aprova o respectivo regulamento interno. Como este, tem por base as competências

Leia mais

EDITAL PROGRAD Nº 44, DE 19 DE NOVEMBRO DE 2014

EDITAL PROGRAD Nº 44, DE 19 DE NOVEMBRO DE 2014 EDITAL PROGRAD Nº 44, DE 19 DE NOVEMBRO DE 2014 A PRÓ-REITORA DE GRADUAÇÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DE PORTO ALEGRE (UFCSPA), no uso de suas atribuições legais, estatutárias e regimentais

Leia mais

ESTATUTO DA AAPCEU. ART. 2º - A ASSOCIAÇÃO tem sede e foro na cidade de Belo Horizonte, Minas Gerais.

ESTATUTO DA AAPCEU. ART. 2º - A ASSOCIAÇÃO tem sede e foro na cidade de Belo Horizonte, Minas Gerais. ESTATUTO DA AAPCEU TÍTULO I - DA ENTIDADE Capítulo Único - Da Denominação, Sede e Objeto ART. 1º - A Associação dos Aposentados e Pensionistas da Caixa dos Empregados da Usiminas, doravante denominada

Leia mais

RELATÓRIO E PARECER SOBRE O PROJECTO DE RESOLUÇÃO RELATIVO AO PEDIDO DE DECLARAÇÃO DE INCONSTITUCIONALIDADE DA LEI N.º 11/2003, DE 13 DE MAIO

RELATÓRIO E PARECER SOBRE O PROJECTO DE RESOLUÇÃO RELATIVO AO PEDIDO DE DECLARAÇÃO DE INCONSTITUCIONALIDADE DA LEI N.º 11/2003, DE 13 DE MAIO RELATÓRIO E PARECER SOBRE O PROJECTO DE RESOLUÇÃO RELATIVO AO PEDIDO DE DECLARAÇÃO DE INCONSTITUCIONALIDADE DA LEI N.º 11/2003, DE 13 DE MAIO HORTA, 7 DE MAIO DE 2004 CAPÍTULO I INTRODUÇÃO A Comissão de

Leia mais

,14. Demonstrativo da Despesa por Órgãos e Funções - Anexo 9 - Admiministração Direta, Indireta e Fundacional. Total da Entidade:

,14. Demonstrativo da Despesa por Órgãos e Funções - Anexo 9 - Admiministração Direta, Indireta e Fundacional. Total da Entidade: ESSENCIAL À CÓDIGO LEGISLATIVA JUDICIÁRIA ADMINISTRAÇÃO DEFESA NACIONAL JUSTIÇA 119.840,60 81.670,45 3 SECRETARIA DE ADMINISTRACAO E FINANCAS 346.963,69 4 SECRET. EDUCACAO, CULTURA E DESPORTO 6 SECRET.OBRAS/ESTR./SERV.URB.AGROP.

Leia mais

EDITAL N.º 01/2014-CE

EDITAL N.º 01/2014-CE EDITAL N.º 01/2014-CE A Comissão Eleitoral - CE no uso de suas atribuições prevista na Resolução n. 006/2014-COU/Unespar, art. 3º, nomeada por seu Diretor Geral de Campus: T O R N A PÚ B L I C A A abertura

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL PARA A ELEIÇÃO DO PRESIDENTE DO INSTITUTO POLITÉCNICO DO PORTO

REGULAMENTO ELEITORAL PARA A ELEIÇÃO DO PRESIDENTE DO INSTITUTO POLITÉCNICO DO PORTO CONSELHO GERAL REGULAMENTO ELEITORAL PARA A ELEIÇÃO DO PRESIDENTE DO INSTITUTO POLITÉCNICO DO PORTO Artigo 1.º Âmbito Visa o presente regulamento definir o procedimento a seguir para a eleição do Presidente

Leia mais

Dispõe sobre a criação do Comitê Gestor da Internet no Brasil - CGI.br, sobre o modelo de governança da Internet no Brasil, e dá outras providências.

Dispõe sobre a criação do Comitê Gestor da Internet no Brasil - CGI.br, sobre o modelo de governança da Internet no Brasil, e dá outras providências. Decreto Nº 4.829, de 3 de setembro de 2003 Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Dispõe sobre a criação do Comitê Gestor da Internet no Brasil - CGI.br, sobre o modelo de

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 1.217, DE 12 DE NOVEMBRO DE 2013

LEI COMPLEMENTAR Nº 1.217, DE 12 DE NOVEMBRO DE 2013 LEI COMPLEMENTAR Nº 1.217, DE 12 DE NOVEMBRO DE 2013 Altera a Lei Complementar nº 1.111, de 25 de maio de 2010, que institui o Plano de Cargos e Carreiras dos servidores do Tribunal de Justiça do Estado

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DOS SERVIDORES E EMPREGADOS PÚBLICOS DO SERVIÇO DE ATENDIMENTO IMEDIATO AO CIDADÃO - NA HORA - ASSOSEHORA

ASSOCIAÇÃO DOS SERVIDORES E EMPREGADOS PÚBLICOS DO SERVIÇO DE ATENDIMENTO IMEDIATO AO CIDADÃO - NA HORA - ASSOSEHORA ASSOCIAÇÃO DOS SERVIDORES E EMPREGADOS PÚBLICOS DO SERVIÇO DE ATENDIMENTO IMEDIATO AO CIDADÃO - NA HORA - ASSOSEHORA REGULAMENTO DA ELEIÇÃO PARA CARGOS DA DIRETORIA EXECUTIVA E CONSELHO FISCAL Em atendimento

Leia mais

ESTATUTO CONSELHO DA MULHER EXECUTIVA DE UBIRATÃ. Capitulo I. Denominação e criação

ESTATUTO CONSELHO DA MULHER EXECUTIVA DE UBIRATÃ. Capitulo I. Denominação e criação ESTATUTO CONSELHO DA MULHER EXECUTIVA DE UBIRATÃ. Capitulo I. Denominação e criação Artigo 1º. O Conselho da Mulher Executiva a Associação Comercial e Empresarial de Ubiratã, é um órgão de expressão da

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO DELIBERATIVO DO CONDOMÍNIO NOSSA FAZENDA

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO DELIBERATIVO DO CONDOMÍNIO NOSSA FAZENDA REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO DELIBERATIVO DO CONDOMÍNIO NOSSA FAZENDA O Conselho Deliberativo do Condomínio Nossa Fazenda, no uso das atribuições que lhe são conferidas pelo inciso VIII e pelo 2 do Art.

Leia mais

COMISSÃO ELEITORAL 2014

COMISSÃO ELEITORAL 2014 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE CENTRO DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS COORDENAÇÃO DO CURSO DE BACHARELADO EM HISTÓRIA SECRETARIA DO CURSO DE BACHARELADO EM

Leia mais

FUTEBOL CLUBE DO PORTO Futebol, SAD

FUTEBOL CLUBE DO PORTO Futebol, SAD ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA Aviso Convocatório Nos termos do disposto no artigo 22.º dos Estatutos da Futebol Clube do Porto Futebol, SAD ( Sociedade ) e no artigo 377.º do Código das Sociedades Comerciais,

Leia mais

Art. 2º São competências do Conselho Municipal de Esporte e Lazer:

Art. 2º São competências do Conselho Municipal de Esporte e Lazer: REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO MUNICIPAL DE ESPORTE E LAZER CAPÍTULO I DO CONSELHO E SUAS ATRIBUIÇÕES Art. 1º O Conselho Municipal de Esporte e Lazer de Carlos Barbosa é um órgão colegiado de caráter, consultivo,

Leia mais

EDITAL N O. REGULAMENTO PARA A ESCOLHA DOS MEMBROS DA COMISSÃO DE ÉTICA PROFISSIONAL DO SERVIDOR PÚBLICO DO IFAM

EDITAL N O. REGULAMENTO PARA A ESCOLHA DOS MEMBROS DA COMISSÃO DE ÉTICA PROFISSIONAL DO SERVIDOR PÚBLICO DO IFAM EDITAL N O. REGULAMENTO PARA A ESCOLHA DOS MEMBROS DA COMISSÃO DE ÉTICA PROFISSIONAL DO SERVIDOR PÚBLICO DO IFAM A Comissão de Ética Profissional do Servidor Público do Instituto Federal de Educação, Ciência

Leia mais

Zurich Corporate Conference Guarujá SP 21 e 22 de outubro de 2015

Zurich Corporate Conference Guarujá SP 21 e 22 de outubro de 2015 Zurich Corporate Conference 2015 Guarujá SP 21 e 22 de outubro de 2015 O Momento Polí,co e a Conjuntura Jurídica Origem em Requerimento Julgamento do TCU O procedimento no Superior Tribunal Eleitoral Aberto

Leia mais

Deliberação n.º 83 /2015. Regulamento Interno da CIC Portugal 2020

Deliberação n.º 83 /2015. Regulamento Interno da CIC Portugal 2020 Deliberação n.º 83 /2015 Regulamento Interno da CIC Portugal 2020 A CIC Portugal 2020, na reunião ordinária de 21 de dezembro de 2015, deliberou, nos temos da alínea q) do n.º 2 do artigo 10.º do Decreto-Lei

Leia mais

FUNDAÇÃO GAMMON DE ENSINO FACULDADES GAMMON

FUNDAÇÃO GAMMON DE ENSINO FACULDADES GAMMON PROPOSTA DE REFORMULAÇÃO DO REGULAMENTO DO NÚCLEO DOCENTE ESTRUTURANTE (NDE) DAS, DE 9 DE JUNHO DE 2015. Dispõe sobre a reformulação do Regulamento do Núcleo Docente Estruturante (TCC) das Faculdades Gammon.

Leia mais

DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE PORTO ALEGRE CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REGIMENTO INTERNO

DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE PORTO ALEGRE CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REGIMENTO INTERNO DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE PORTO ALEGRE CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REGIMENTO INTERNO OUTUBRO DE 2010 2 RESOLUÇÃO Nº 01/2010 DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

Campus de Paranavaí EDITAL N.º 001/2016-CEL

Campus de Paranavaí EDITAL N.º 001/2016-CEL EDITAL N.º 001/2016-CEL A Comissão Eleitoral Local - CEL nomeada pela portaria nº 005/2016-DG, no uso de sua atribuição prevista na Resolução n. 003/2014-COU/Unespar, art. 2.º, 1.º: T O R N A P Ú B L I

Leia mais

Regimento da Fazenda Experimental da UDESC - CAV

Regimento da Fazenda Experimental da UDESC - CAV Regimento da Fazenda Experimental da UDESC - CAV CAPÍTULO I Da Natureza e Finalidade Art. 1º A Fazenda Experimental da UDESC - CAV (FECAV) é um Órgão Suplementar Setorial do Centro de Ciências Agroveterinárias

Leia mais

(Do Sr. Betinho Gomes) O Congresso Nacional resolve:

(Do Sr. Betinho Gomes) O Congresso Nacional resolve: PROJETO DE RESOLUÇÃO N o (Do Sr. Betinho Gomes), DE 2015 - CN Dispõe sobre a realização de audiências públicas periódicas no Congresso Nacional, para apresentação de relatório detalhado quadrimestral,

Leia mais

EDITAL PARA ELEIÇÃO DO CENTRO ACADÊMICO DE PSICOLOGIA CAPSI

EDITAL PARA ELEIÇÃO DO CENTRO ACADÊMICO DE PSICOLOGIA CAPSI EDITAL PARA ELEIÇÃO DO CENTRO ACADÊMICO DE PSICOLOGIA CAPSI - 2014 Edital Nº. 01/2014 Disposições gerais Art. 1º - A votação da eleição para a diretoria do Centro Acadêmico de Psicologia, realizar-se-á

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO RESTELO ELEIÇÃO DO CONSELHO GERAL REGULAMENTO ELEITORAL. Artigo 1.º. Objeto

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO RESTELO ELEIÇÃO DO CONSELHO GERAL REGULAMENTO ELEITORAL. Artigo 1.º. Objeto AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO RESTELO ELEIÇÃO DO CONSELHO GERAL REGULAMENTO ELEITORAL Artigo 1.º Objeto O presente regulamento define o processo eleitoral dos membros do Conselho Geral referido nos artigos

Leia mais

CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO CONSUNI N. 01/2012

CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO CONSUNI N. 01/2012 RESOLUÇÃO CONSUNI N. 01/2012 APROVA O REGIMENTO ELEITORAL PARA COMPOSIÇÃO DE LISTAS TRÍPLICES PROPOSITIVAS AOS CARGOS DA ADMINISTRAÇÃO ACADÊMICA DA UNIVERSIDADE DE CAXIAS DO SUL E PARA INDICAÇÃO DE REPRESENTANTES

Leia mais

PROPOSTA DE LEI N.º 68/VIII AUTORIZAÇÃO PARA CONTRACÇÃO DE EMPRÉSTIMOS EXTERNOS PELA REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES

PROPOSTA DE LEI N.º 68/VIII AUTORIZAÇÃO PARA CONTRACÇÃO DE EMPRÉSTIMOS EXTERNOS PELA REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES PROPOSTA DE LEI N.º 68/VIII AUTORIZAÇÃO PARA CONTRACÇÃO DE EMPRÉSTIMOS EXTERNOS PELA REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES Pela Lei n.º 30-C/2000, de 29 de Dezembro, da contracção de empréstimos pela Região Autónoma

Leia mais

ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS PARTICIPANTES DO PB1 DA PREVI - ANAPLAB

ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS PARTICIPANTES DO PB1 DA PREVI - ANAPLAB ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS PARTICIPANTES DO PB1 DA PREVI - ANAPLAB REGULAMENTO ELEITORAL CAPÍTULO I DO REGULAMENTO E SUAS FINALIDADES Art. 1º - O presente Regulamento tem por objetivo definir as normas que

Leia mais

REGULAMENTO DAS ELEIÇÕES. Título I

REGULAMENTO DAS ELEIÇÕES. Título I Das finalidades REGULAMENTO DAS ELEIÇÕES Título I Art. 1º - O presente Regulamento, elaborado em cumprimento ao disposto no inciso III do Art. 53 do Estatuto Social, tem por finalidade disciplinar as eleições

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE FINANÇAS DA CIELO S.A. ( Regimento )

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE FINANÇAS DA CIELO S.A. ( Regimento ) REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE FINANÇAS DA CIELO S.A. ( Regimento ) I DEFINIÇÃO Este Regimento Interno, organizado em conformidade com o Capítulo VI do Estatuto Social da Cielo S.A. ( Companhia ), estabelece

Leia mais

Declarada de Utilidade Pública pelo Decreto Federal no /1952 DOU. Aprovado em Reuniaõ Ordinaŕia realizada no dia 27 de agosto de 2014 em

Declarada de Utilidade Pública pelo Decreto Federal no /1952 DOU. Aprovado em Reuniaõ Ordinaŕia realizada no dia 27 de agosto de 2014 em REGIMENTO ESPECIAL DE ELEIÇAÕ 2014 Aprovado em Reuniaõ Ordinaŕia realizada no dia 27 de agosto de 2014 em São Paulo SP. TI TULO I DISPOSIÇOẼS GERAIS Art. 1o - O presente Regimento tem como objeto a regulamentaçaõ

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE LEME SECRETARIA DA CULTURA E TURISMO

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE LEME SECRETARIA DA CULTURA E TURISMO REGULAMENTO PARA A ELEIÇÃO DOS REPRESENTANTES DA SOCIEDADE CIVIL QUE IRÃO COMPOR O CONSELHO MUNICIPAL DE POLITICA CULTURAL. 1. DAS INSCRIÇÕES 1.1. Poderá se inscrever para participar do processo eleitoral,

Leia mais

Estado de Mato Grosso Prefeitura Municipal de Nobres CNPJ: / LEI MUNICIPAL Nº 1.282/2013 DE 21 DE OUTUBRO DE 2013.

Estado de Mato Grosso Prefeitura Municipal de Nobres CNPJ: / LEI MUNICIPAL Nº 1.282/2013 DE 21 DE OUTUBRO DE 2013. LEI MUNICIPAL Nº 1.282/2013 DE 21 DE OUTUBRO DE 2013. DISPÕE SOBRE A ATUALIZAÇÃO ESTRUTURAL E ADMINISTRATIVA DO CONSELHO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL DE NOBRES CMAS E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O Sr. SEBASTIÃO

Leia mais

Senado Federal Secretaria-Geral da Mesa Atividade Legislativa - Tramitação de Matérias

Senado Federal Secretaria-Geral da Mesa Atividade Legislativa - Tramitação de Matérias Identificação da Matéria PROJETO DE LEI DO SENADO N º 369, DE 2008 Autor: SENADOR - Expedito Júnior Ementa: Veda a realização de concurso público exclusivo para a formação de cadastro de reserva. Assunto:

Leia mais

ANEXO II A REQUERIMENTO PARA INSCRIÇÃO E REGISTRO DE CHAPA

ANEXO II A REQUERIMENTO PARA INSCRIÇÃO E REGISTRO DE CHAPA ANEXO II A Ficha de Inscrição da Chapa REQUERIMENTO PARA INSCRIÇÃO E REGISTRO DE CHAPA Para participar do processo eleitoral do ano de 2013 do Sindicato Nacional dos Analistas-Tributários da Receita Federal

Leia mais