Linus Pauling e as Regras de Pauling

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Linus Pauling e as Regras de Pauling"

Transcrição

1 Pércio Augusto Mardini Farias Este documento tem nível de compartilhamento de acordo com a licença 2.5 do Creative Commons.

2 Origem e os primeiros anos Linus Carl Pauling nasceu em 1901 e morreu em Era natural de Portland, no estado americano de Oregon. Ele cursou sua graduação, bacharelado, na Oregon State University e fez seu doutorado em Química, tendo recebido o grau de PhD - Doctor of Philosophy, no California Intitute of Technology, também conhecido por CALTECH. Seu tema de doutorado foi a utilização da difração de Raios X na determinação da estrutura de cristais. Figura 1: Mapa dos Estados Unidos da América mostrando Pasadena, na Califórnia, e Portland, no Oregon. Estudos na Europa Após o seu doutorado, Pauling recebeu uma bolsa da Fundação Guggenhein para estudar na Europa com Arnold Sommerfeld (em Munique, Alemanha), Niels Bohr (em Copenhague, Dinamarca) e Erwin Schrödinger (em Zurique, Suiça).. 1.

3 Estes três cientistas foram pioneiros da química quântica. Sommerfeld foi um físico alemão que, além da teoria quântica, conhecia a teoria clássica do eletromagnetismo. Bohr foi um físico dinamarquês cujos trabalhos focaram e contribuiram a determinação da estrutura atômica e da física quântica. Schrödinger foi um físico austríaco que contribuiu com sua famosa equação, a Equação de Schrodinger, à mecânica quântica. Figura 2: Mapa da Europa mostrando Copenhague, Munique e Zurique. Entre a Europa e os Estados Unidos Em 1927, Pauling voltou para os Estados Unidos como Professor Assistente de química teórica no CALTECH, instituição onde havia se doutorado. Nesta época, publicou muitos artigos científicos aplicando a mecânica quântica nos estudos de átomos e moléculas em suas experiências anteriores. Em 1929, passou para Professor associado e no ano seguinte recebeu o título de Professor (título de muita importância para os professores em universidades americanas). Em 1930, passou o verão na Europa trabalhando no Instituto de Arnold Sommerfeld. Em 1931, recebeu o prêmio Langmuir da American Chemical Society.. 2.

4 Seus Principais Trabalhos e Contribuições Entre 1930 e 1932, ele propôs as regras de Pauling, que são de extrema importância nas deduções de estruturas moleculares. Entre 1932 e 1934, Pauling e Robert Mulliken criaram a noção de eletronegatividade. Mulliken foi um físico e químico americano que participou no desenvolvimento inicial da teoria do orbital molecular (estrutura de moléculas). Em 1939, Linus Pauling publicou A natureza da ligação química, que foi talvez o mais importante texto da química moderna, no qual ele explica a teoria da hibridização. Seus estudos foram também importantes para a descoberta das estruturas de proteínas e para que James Watson e Frank Crick, Maurice Wilkins e Rosalind Franklin descobrissem a estrutura de dupla hélice do DNA. Para visualizar a estrutura de dupla hélice, clique no link a seguir. Estrutura de dupla hélice do DNA Figura 3: Animação da estrutura do DNA em rotação, feita com o software livre RasMol (http://www.bernstein-plus-sons.com/software/rasmol/) usando o conjunto de dados bdna.pdb (http://www.wellesley.edu/chemistry/flick/molecules/bdna.pdb). O autor é Brian0918 (http://commons.wikimedia.org/wiki/user:brian0918). A imagem digital está disponível para uso público em 3.

5 A Consagração o Prêmio Nobel Já na década de 1930, Linus Pauling era conhecido por alguns como o químico do século. Ele ganhou o Prêmio Nobel de Química de A razão da premiação foi a aplicação de idéias de mecânica quântica-ressonâncias, e o que se chama de hibridização de orbitais, para explicar a natureza da ligação química que reúne os átomos em moléculas. Mas este não foi o seu único Prêmio Nobel, ele recebeu o da Paz de Seu mérito foi trabalhar ativamente para banir os testes atômicos na atmosfera. O esforço foi recompensado, pois as três potencias nucleares à época (Estados Unidos, Grã-Bretanha e União Soviética) assinaram o acordo que os proibiu. Até 1963, Pauling permaneceu como pesquisador do CALTECH. Depois, esteve em outras Instituições e Universidades nos Estados Unidos, e finalmente no Instituto de Ciência e Medicina em Palo Alto que tinha o seu nome. A revista New Scientist inclui Linus Pauling na lista dos 20 maiores cientistas de todos os tempos. Somente ele e Albert Einstein foram cientistas do século XX que fazem parte desta lista. No Brasil, ele ficou muito conhecido pelo seu incentivo ao consumo da vitamina C como forma de proteção contra o vírus da gripe. O Prof. Linus Pauling Figura 4: O Prof. Linus Pauling em Fonte: Ava and Linus Pauling Papers, da Oregon State University, Estados Unidos da América.. 4.

James Watson, Francis Crick e o DNA

James Watson, Francis Crick e o DNA Pércio Augusto Mardini Farias Este documento tem nível de compartilhamento de acordo com a licença 2.5 do Creative Commons. http://creativecommons.org.br http://creativecommons.org/licenses/by/2.5/br/

Leia mais

Louis de Broglie. Camila Welikson. Este documento tem nível de compartilhamento de acordo com a licença 2.5 do Creative Commons.

Louis de Broglie. Camila Welikson. Este documento tem nível de compartilhamento de acordo com a licença 2.5 do Creative Commons. Camila Welikson Este documento tem nível de compartilhamento de acordo com a licença 2.5 do Creative Commons. http://creativecommons.org.br http://creativecommons.org/licenses/by/2.5/br/ Teoria Pura Tenho

Leia mais

DNA: Passado, Presente e Futuro

DNA: Passado, Presente e Futuro DNA: Passado, Presente e Futuro O passado O modelo do DNA que hoje nos é tão familiar foi divulgado em abril de 1953 na revista científica Nature pelos cientistas James Watson e Francis Crick. Eles afirmaram

Leia mais

3.2. ORBITAIS E NÚMEROS QUÂNTICOS 3.3. CONFIGURAÇÕES ELETRÔNICAS. Aline Lamenha

3.2. ORBITAIS E NÚMEROS QUÂNTICOS 3.3. CONFIGURAÇÕES ELETRÔNICAS. Aline Lamenha 3.2. ORBITAIS E NÚMEROS QUÂNTICOS 3.3. CONFIGURAÇÕES ELETRÔNICAS Aline Lamenha OBJETIVOS Referir os contributos de vários cientistas e das suas propostas de modelo atómico, para a criação do modelo atómico

Leia mais

Adaptado de Professora: Miwa Yoshida. www.colegionobel.com.br/2004quimica1oano/atomo.ppt

Adaptado de Professora: Miwa Yoshida. www.colegionobel.com.br/2004quimica1oano/atomo.ppt Adaptado de Professora: Miwa Yoshida www.colegionobel.com.br/2004quimica1oano/atomo.ppt Leucipo de Mileto ( 440 a.c.) & Demócrito (460 a.c. - 370 a.c. ) A ideia de dividirmos uma porção qualquer de matéria

Leia mais

sábado, 28 de julho de 12 Prof: Alex

sábado, 28 de julho de 12 Prof: Alex Modelo de Sommerfeld (1916) Modelo de Sommerfeld (1916) Sommerfeld aperfeiçoou o modelo de BOHR, incluindo órbitas elípticas para o elétron, que teria energias diferentes dependendo do tipo de órbita descrita.

Leia mais

INSTITUTO DE QUÍMICA da UFRJ DEPARTAMENTO DE QUÍMICA INORGÂNICA. Programa de Disciplina. Química Geral EQ. Nome: Código: IQG 115 CARACTERÍSTICAS

INSTITUTO DE QUÍMICA da UFRJ DEPARTAMENTO DE QUÍMICA INORGÂNICA. Programa de Disciplina. Química Geral EQ. Nome: Código: IQG 115 CARACTERÍSTICAS Programa de Disciplina Nome: Química Geral EQ Código: IQG 115 Categoria: Carga Horária Semanal: CARACTERÍSTICAS Número de Semanas Previstas para a Disciplina: 15 Número de Créditos da Disciplina: 4 Pré-Requisito

Leia mais

Joseph Priestley. Camila Welikson. Este documento tem nível de compartilhamento de acordo com a licença 3.0 do Creative Commons.

Joseph Priestley. Camila Welikson. Este documento tem nível de compartilhamento de acordo com a licença 3.0 do Creative Commons. Camila Welikson Este documento tem nível de compartilhamento de acordo com a licença 3.0 do Creative Commons. http://creativecommons.org.br http://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0/br/legalcode Mudança

Leia mais

Estrutura e função dos ácidos nucléicos. Profa. Melissa de Freitas Cordeiro-Silva

Estrutura e função dos ácidos nucléicos. Profa. Melissa de Freitas Cordeiro-Silva Estrutura e função dos ácidos nucléicos Profa. Melissa de Freitas Cordeiro-Silva > Polímeros de nucleotídeos Funções: DNA (ácido desoxirribonucléico) : > Armazenar as informações necessárias para a construção

Leia mais

Átomo e Modelos Atô t m ô ic i o c s o

Átomo e Modelos Atô t m ô ic i o c s o Átomo e Modelos Atômicos Demócrito (Sec. V a.c.) defendeu a idéia de que a matéria era composta por pequeníssimas partículas. Átomo Demócrito (460 370 A.C.) Modelo baseado apenas na intuição e na lógica.

Leia mais

ESTRUTURA DO DNA E ORGANIZAÇAO DA ATIVIDADE BIOLÓGICA

ESTRUTURA DO DNA E ORGANIZAÇAO DA ATIVIDADE BIOLÓGICA ESTRUTURA DO DNA E ORGANIZAÇAO DA CROMATINA ATIVIDADE BIOLÓGICA 1 Qual é a natureza química da molécula responsável por estocar a informação genética??? CARACTERÍSTICAS 1. Estocar a informação e transmitir

Leia mais

MODELOS ATÔMICOS. Química Professora: Raquel Malta 3ª série Ensino Médio

MODELOS ATÔMICOS. Química Professora: Raquel Malta 3ª série Ensino Médio MODELOS ATÔMICOS Química Professora: Raquel Malta 3ª série Ensino Médio PRIMEIRA IDEIA DO ÁTOMO 546 a.c. Tales de Mileto: propriedade da atração e repulsão de objetos após atrito; 500 a.c. Empédocles:

Leia mais

Átomo e Modelos Atómicos

Átomo e Modelos Atómicos Átomo e Modelos Atómicos Demócrito (Sec. V a.c.) defendeu a ideia de que a matéria era composta por pequeníssimas partículas. Átomo Demócrito (460 370 A.C.) Modelo baseado apenas na intuição e na lógica.

Leia mais

Estão corretos: a) apenas I, II e V. b) apenas I, III e IV. c) apenas II, III e V. d) I, II, III, IV e V. e) apenas I, II, III, IV.

Estão corretos: a) apenas I, II e V. b) apenas I, III e IV. c) apenas II, III e V. d) I, II, III, IV e V. e) apenas I, II, III, IV. 1. (Ufpr 2014) As teorias atômicas vêm se desenvolvendo ao longo da história. Até o início do século XIX, não se tinha um modelo claro da constituição da matéria. De lá até a atualidade, a ideia de como

Leia mais

São Mateus ES, Novembro de 1998 SUMÁRIO. I Introdução. II Desenvolvimento. 2.1 Leis da reações químicas. III Conclusão.

São Mateus ES, Novembro de 1998 SUMÁRIO. I Introdução. II Desenvolvimento. 2.1 Leis da reações químicas. III Conclusão. São Mateus ES, Novembro de 1998 SUMÁRIO I Introdução II Desenvolvimento 2.1 Leis da reações químicas III Conclusão IV Bibliografia I Introdução Tentar-se-à mostrar nesta obra uma pesquisa sobre a Lei das

Leia mais

Wolfgang Ernest Pauli. Camila Welikson. Este documento tem nível de compartilhamento de acordo com a licença 3.0 do Creative Commons.

Wolfgang Ernest Pauli. Camila Welikson. Este documento tem nível de compartilhamento de acordo com a licença 3.0 do Creative Commons. Camila Welikson Este documento tem nível de compartilhamento de acordo com a licença 3.0 do Creative Commons. http://creativecommons.org.br http://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0/br/legalcode Perfeccionista

Leia mais

Guia do Professor para Exercícios de Clustering

Guia do Professor para Exercícios de Clustering Guia do Professor para Exercícios de Clustering Anastasios Koutsos Alexandra Manaia Julia Willingale-Theune Versão 2.3 Versão Portuguesa ELLS European Learning Laboratory for the Life Sciences Anastasios

Leia mais

ATOMÍSTICA ELETROSFERA PARTE 2

ATOMÍSTICA ELETROSFERA PARTE 2 PROJETO KALI - 2016 QUÍMICA AULA 05 ATOMÍSTICA ELETROSFERA PARTE 2 Definições Iniciais: Diagrama: "Um diagrama é uma representação visual estruturada e simplificada de um determinado conceito, ideia, etc."

Leia mais

Leucipo de Mileto e Demócrito de Abdera. Pércio Augusto Mardini Farias

Leucipo de Mileto e Demócrito de Abdera. Pércio Augusto Mardini Farias Pércio Augusto Mardini Farias Este documento tem nível de compartilhamento de acordo com a licença 2.5 do Creative Commons. http://creativecommons.org.br http://creativecommons.org/licenses/by/2.5/br/

Leia mais

Alexander Parkes. Camila Welikson. Este documento tem nível de compartilhamento de acordo com a licença 3.0 do Creative Commons.

Alexander Parkes. Camila Welikson. Este documento tem nível de compartilhamento de acordo com a licença 3.0 do Creative Commons. Camila Welikson Este documento tem nível de compartilhamento de acordo com a licença 3.0 do Creative Commons. http://creativecommons.org.br http://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0/br/legalcode O

Leia mais

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS CAMPUS VII UNIDADE TIMÓTEO COORDENAÇÃO DE QUÍMICA TRABALHO AVALIATIVO

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS CAMPUS VII UNIDADE TIMÓTEO COORDENAÇÃO DE QUÍMICA TRABALHO AVALIATIVO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS CAMPUS VII UNIDADE TIMÓTEO COORDENAÇÃO DE QUÍMICA TRABALHO AVALIATIVO Tema: A HISTÓRIA RECENTE DA QUÍMICA CONTADA POR SEUS PERSONAGENS 1 Apresentação:

Leia mais

Aula 8 Fótons e ondas de matéria II. Física Geral F-428

Aula 8 Fótons e ondas de matéria II. Física Geral F-428 Aula 8 Fótons e ondas de matéria II Física Geral F-428 1 Resumo da aula anterior: Planck e o espectro da radiação de um corpo negro: introdução do conceito de estados quantizados de energia para os osciladores

Leia mais

Introdução à Bioinformática. Prof. IVAné@

Introdução à Bioinformática. Prof. IVAné@ Introdução à Bioinformática Prof. IVAné@ Bioinformática União da ciência da computação com a biologia molecular É uma área nova Há 10 anos atrás o termo nem existia Depois da descoberta de Watson e Crick

Leia mais

Márcia Barbosa, uma cientista deste século

Márcia Barbosa, uma cientista deste século Márcia Barbosa, uma cientista deste século - Yahoo! Mulher 1 of 5 Márcia Barbosa, uma cientista deste século Por Sayonara Salvioli Yahoo! Contributor Network qua, 17 de jul de 2013 09:29 BRT A ciência

Leia mais

Primeiros passos Os primeiros conceitos de genética,

Primeiros passos Os primeiros conceitos de genética, Otavio Henrique Thiemann ácido desoxirribonucléico, DNA, dupla hélice, historia da Ciência O desenvolvimento da descoberta cientifica nem sempre é linear e ocorre de forma direta. Os acontecimentos que

Leia mais

John Dalton. Camila Welikson. Este documento tem nível de compartilhamento de acordo com a licença 3.0 do Creative Commons.

John Dalton. Camila Welikson. Este documento tem nível de compartilhamento de acordo com a licença 3.0 do Creative Commons. Camila Welikson Este documento tem nível de compartilhamento de acordo com a licença 3.0 do Creative Commons. http://creativecommons.org.br http://creativecommons.org/licenses/by/3.0/br/ Herói da Ciência

Leia mais

Efeito estufa: como acontece, por que acontece e como influencia o clima do nosso planeta

Efeito estufa: como acontece, por que acontece e como influencia o clima do nosso planeta XXII Encontro Sergipano de Física Efeito estufa: como acontece, por que acontece e como influencia o clima do nosso planeta Prof. Dr. Milan Lalic Departamento de Física Universidade Federal de Sergipe

Leia mais

Svante August Arrhenius. Camila Welikson. Este documento tem nível de compartilhamento de acordo com a licença 2.5 do Creative Commons.

Svante August Arrhenius. Camila Welikson. Este documento tem nível de compartilhamento de acordo com a licença 2.5 do Creative Commons. Camila Welikson Este documento tem nível de compartilhamento de acordo com a licença 2.5 do Creative Commons. http://creativecommons.org.br http://creativecommons.org/licenses/by/2.5/br/ A Volta por Cima

Leia mais

CENTRO DE EDUCAÇÃO INTEGRADA Educando para o pensar Tema Integrador 2013 / Construindo o amanhã: nós agimos, o planeta sente CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS

CENTRO DE EDUCAÇÃO INTEGRADA Educando para o pensar Tema Integrador 2013 / Construindo o amanhã: nós agimos, o planeta sente CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS CENTRO DE EDUCAÇÃO INTEGRADA Educando para o pensar Tema Integrador 2013 / Construindo o amanhã: nós agimos, o planeta sente BIOLOGIA I TRIMESTRE A descoberta da vida Biologia e ciência Origem da vida

Leia mais

Próton Nêutron Elétron

Próton Nêutron Elétron Próton Nêutron Elétron ARNOLD SOMMERFELD MODELO ATÔMICO DE ARNOLD SOMMERFELD - 1916 Ao pesquisar o átomo, Sommerfeld concluiu que os elétrons de um mesmo nível, ocupam órbitas de trajetórias diferentes

Leia mais

A soma será feita da seguinte forma:

A soma será feita da seguinte forma: TESTE VOCACIONAL Teste sua vocação Testes vocacionais não fazem milagres, não têm poder de apontar uma única profissão a ser seguida, mas são um bom norte acerca de aptidões e interesses. O questionário

Leia mais

GEOMETRIA MOLECULAR E INTERAÇÕES QUÍMICAS MOLECULARES. Professor Cristiano

GEOMETRIA MOLECULAR E INTERAÇÕES QUÍMICAS MOLECULARES. Professor Cristiano GEOMETRIA MOLECULAR E INTERAÇÕES QUÍMICAS MOLECULARES Professor Cristiano GEOMETRIA MOLECULAR É o estudo de como os átomos estão distribuídos espacialmente em uma molécula. Dependendo dos átomos que a

Leia mais

O DNA é formado por pedaços capazes de serem convertidos em algumas características. Esses pedaços são

O DNA é formado por pedaços capazes de serem convertidos em algumas características. Esses pedaços são Atividade extra Fascículo 2 Biologia Unidade 4 Questão 1 O DNA é formado por pedaços capazes de serem convertidos em algumas características. Esses pedaços são chamados de genes. Assinale abaixo quais

Leia mais

BANCO DE QUESTÕES - BIOLOGIA - 1ª SÉRIE - ENSINO MÉDIO ==============================================================================================

BANCO DE QUESTÕES - BIOLOGIA - 1ª SÉRIE - ENSINO MÉDIO ============================================================================================== PROFESSOR: Leonardo Mariscal BANCO DE QUESTÕES - BIOLOGIA - 1ª SÉRIE - ENSINO MÉDIO ============================================================================================== Ácidos Nucleicos 01- Os

Leia mais

O modelo de DNA e a Biologia Molecular: inserção histórica para o Ensino de Biologia

O modelo de DNA e a Biologia Molecular: inserção histórica para o Ensino de Biologia O modelo de DNA e a Biologia Molecular: inserção histórica para o Ensino de Biologia Mariana Ap. Bologna Soares de Andrade * Ana Maria de Andrade Caldeira # Resumo: O desenvolvimento do conhecimento científico

Leia mais

Ácidos Nucleicos 22/12/2011. Funções do Material Genético. informação genética.

Ácidos Nucleicos 22/12/2011. Funções do Material Genético. informação genética. Ácidos Nucleicos Profa. Dra. Juliana Garcia de Oliveira Disciplina: Biologia Celular e Molecular Turmas: Ciências Biológicas, enfermagem, nutrição e TO. Funções do Material Genético Mendel, 1865: genes

Leia mais

RESUMO 1 MODELOS ATÔMICOS

RESUMO 1 MODELOS ATÔMICOS RESUMO 1 MODELOS ATÔMICOS A constituição da matéria é motivo de muita curiosidade entre os povos antigos. Filósofos buscam há tempos a constituição dos materiais. Resultado dessa curiosidade implicou na

Leia mais

Grafos. Redes Sociais e Econômicas. Prof. André Vignatti

Grafos. Redes Sociais e Econômicas. Prof. André Vignatti Grafos Redes Sociais e Econômicas Prof. André Vignatti Teoria dos Grafos e Redes Sociais Veremos algumas das idéias básicas da teoria dos grafos Permite formular propriedades de redes em uma linguagem

Leia mais

Oficina Recursos Educacionais Abertos REA. Débora Sebriam Centro Educacional Pioneiro Julho/2011

Oficina Recursos Educacionais Abertos REA. Débora Sebriam Centro Educacional Pioneiro Julho/2011 Oficina Recursos Educacionais Abertos REA Débora Sebriam Centro Educacional Pioneiro Julho/2011 Objetivos do Encontro Criar uma sólida compreensão dos REA, dos direitos de autor e das licenças abertas

Leia mais

Joseph Louis Proust. Camila Welikson. Este documento tem nível de compartilhamento de acordo com a licença 3.0 do Creative Commons.

Joseph Louis Proust. Camila Welikson. Este documento tem nível de compartilhamento de acordo com a licença 3.0 do Creative Commons. Camila Welikson Este documento tem nível de compartilhamento de acordo com a licença 3.0 do Creative Commons. http://creativecommons.org.br http://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0/br/legalcode Paixão

Leia mais

Instituto de Educação Infantil e Juvenil Outono, 2015. Londrina, Nome: Ano: Tempo Início: Término: Total: ALBERT EINSTEIN

Instituto de Educação Infantil e Juvenil Outono, 2015. Londrina, Nome: Ano: Tempo Início: Término: Total: ALBERT EINSTEIN Instituto de Educação Infantil e Juvenil Outono, 2015. Londrina, Nome: de Ano: Tempo Início: Término: Total: Edição 4 MMXV grupo B ALBERT EINSTEIN Imagens de supernova podem ajudar a testar teoria de Einstein

Leia mais

ESPECTRO ELETROMAGNÉTICO

ESPECTRO ELETROMAGNÉTICO COLÉGIO ESTADUAL RAINHA DA PAZ, ENSINO MÉDIO REPOSIÇÃO DAS AULAS DO DIA 02 e 03/07/2012 DAS 1 ª SÉRIES: A,B,C,D,E e F. Professor MSc. Elaine Sugauara Disciplina de Química ESPECTRO ELETROMAGNÉTICO As ondas

Leia mais

O Átomo de BOHR. O Átomo de Bohr e o Espectro do Hidrogênio.

O Átomo de BOHR. O Átomo de Bohr e o Espectro do Hidrogênio. O Átomo de BOHR UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL. Instituto de Física. Departamento de Física. Física do Século XXB (FIS1057). Prof. César Augusto Zen Vasconcellos. Lista 1 Tópicos. O Átomo de

Leia mais

Comprovação científica das Essências Vibracionais, a Biorressonância, a Energia Quântica

Comprovação científica das Essências Vibracionais, a Biorressonância, a Energia Quântica Comprovação científica das Essências Vibracionais, a Biorressonância, a Energia Quântica Resumo da palestra apresentada no VIII Encontro Holístico de São Francisco de Paula por Iris Liane Mazzarollo Vivemos

Leia mais

Modelos atômicos. A origem da palavra átomo

Modelos atômicos. A origem da palavra átomo Modelos???? Modelos atômicos A origem da palavra átomo A palavra átomo foi utilizada pela primeira vez na Grécia antiga, por volta de 400 ac. Demócrito (um filósofo grego) acreditava que todo tipo de matéria

Leia mais

Teoria da Ligação Química. Radiação electromagnética. ν =

Teoria da Ligação Química. Radiação electromagnética. ν = Teoria da Ligação Química Radiação electromagnética λxν=c ν = 1 λ Mecânica clássica : 1. Uma partícula move-se numa trajectória com um caminho e uma velocidade precisos em cada instante.. A uma partícula

Leia mais

Programa Ciência sem Fronteiras CSF

Programa Ciência sem Fronteiras CSF CSF Graduação Sanduíche Página 1 Sumário 1. Apresentação...3 2. Requisitos para Candidatura...3 3. Requisitos para acesso ao formulário Ciência sem Fronteiras...4 4. Formulário de Inscrição...4 4.1 Iniciando

Leia mais

GERADOR EÓLICO 1 INTRODUÇÃO

GERADOR EÓLICO 1 INTRODUÇÃO FUNDAÇÃO ESCOLA TÉCNICA LIBERATO SALZANO VIEIRA DA CUNHA Projeto de Pesquisa da Primeira Série Série: Primeira Curso: Eletrotécnica Turma: 2123 Sala: 234 Início: 17 de junho de 2009 Entrega: 17 de julho

Leia mais

Ácidos nucléicos. São polímeros compostos por nucleotídeos. Açúcar - pentose. Grupo fosfato. Nucleotídeo. Base nitrogenada

Ácidos nucléicos. São polímeros compostos por nucleotídeos. Açúcar - pentose. Grupo fosfato. Nucleotídeo. Base nitrogenada ÁCIDOS NUCLÉICOS Ácidos nucléicos São polímeros compostos por nucleotídeos Açúcar - pentose Nucleotídeo Grupo fosfato Base nitrogenada Composição dos Ácidos nucléicos pentoses: numeração da pentose: pentose

Leia mais

Centro de Educação Integrada

Centro de Educação Integrada Centro de Educação Integrada 1º ANO BIOLOGIA Origem da vida Citologia Teoria da geração espontânea e biogênese. Teoria de Oparin e Haldane. Panspermia. Criacionismo. Os primeiros seres vivos. Água. Sais

Leia mais

Evolução do Modelo Atómico

Evolução do Modelo Atómico Evolução do Modelo Atómico Desde a antiguidade que os homens se preocupavam em saber de que é que as «coisas» são feitas. No entanto, existiam perspectivas diversas sobre o assunto, a mais conhecida das

Leia mais

LINUS PAULING E A VITAMINA C

LINUS PAULING E A VITAMINA C Revista F@pciência, Apucarana-PR, ISSN 1984-2333, v.6, n. 3, p. 19 26, 2010. 19 RESUMO LINUS PAULING E A VITAMINA C LEVADA, C. 1 LEVADA, M. 2 Linus Pauling (1970), em seu livro Vitamina C e resfriado,

Leia mais

O modelo de financiamento coletivo crowdfunding e as suas possibilidades de sustentabilidade para a pesquisa científica

O modelo de financiamento coletivo crowdfunding e as suas possibilidades de sustentabilidade para a pesquisa científica O modelo de financiamento coletivo crowdfunding e as suas possibilidades de sustentabilidade para a pesquisa científica Samantha Sasha de Andrade Universidade Estadual Paulista UNESP e-mail: ssashadrade@gmail.com

Leia mais

Se fizermos a mesma análise, para qualquer outra face do dado, teremos a mesma probabilidade 1/6 (um sexto).

Se fizermos a mesma análise, para qualquer outra face do dado, teremos a mesma probabilidade 1/6 (um sexto). Entendendo a Função de Onda: 1º Exemplo) Suponha que vamos jogar um dado de 6 (seis) faces para o alto. Qual é a probabilidade de tirarmos o número 3 (três)? -> como o total de lados possíveis é 6 (seis),

Leia mais

Apresentação. Ronir Raggio Luiz Claudio José Struchiner

Apresentação. Ronir Raggio Luiz Claudio José Struchiner Apresentação Ronir Raggio Luiz Claudio José Struchiner SciELO Books / SciELO Livros / SciELO Libros LUIZ, RR., and STRUCHINER, CJ. Inferência causal em epidemiologia: o modelo de respostas potenciais [online].

Leia mais

Química A Intensivo V. 1

Química A Intensivo V. 1 1 Química A Intensivo V. 1 Exercícios 01) 10 01. Incorreta. O modelo atômico de Dalton não prevê a existência de elétrons. 02. Correta. Segundo Dalton, os átomos eram indestrutíveis e, durante uma reação

Leia mais

REPRESENTAÇÕES E IMAGENS DA ENERGIA

REPRESENTAÇÕES E IMAGENS DA ENERGIA REPRESENTAÇÕES E IMAGENS DA ENERGIA QUESTÕES EVOCADAS PELAS IMAGENS ASSOCIADAS À ENERGIA Ciência e Arte 2011 Isabel Serra A ENERGIA NAS DISCIPLINAS CIENTÍFICAS DEBATE FILOSÓFICO EM TORNO DA ENERGIA A ENERGIA

Leia mais

Próton Nêutron Elétron

Próton Nêutron Elétron Próton Nêutron Elétron Próton Nêutron Elétron Número de prótons: 54 2 Nome do elemento: BORO BERÍLIO HÉLIO Esta Os quantidade diferentes tipos de prótons de átomos recebe (elementos o nome químicos) de

Leia mais

c) A corrente induzida na bobina imediatamente após a chave S ser fechada terá o mesmo sentido da corrente no circuito? Justifique sua resposta.

c) A corrente induzida na bobina imediatamente após a chave S ser fechada terá o mesmo sentido da corrente no circuito? Justifique sua resposta. Questão 1 Um estudante de física, com o intuito de testar algumas teorias sobre circuitos e indução eletromagnética, montou o circuito elétrico indicado na figura ao lado. O circuito é composto de quatro

Leia mais

INTRODUÇÃO À QUÍMICA Apostila

INTRODUÇÃO À QUÍMICA Apostila INTRODUÇÃO À QUÍMICA Apostila Profa. Graça Porto Índice 1. Introdução...03 2. Idéia de átomo...03 3. Teorias e modelos atômicos...03 4. As partículas do átomo...06 5. Conceitos fundamentais...07 6. Números

Leia mais

MÓDULO 4.2.1: PRINCIPAIS CENTROS DE PESQUISA

MÓDULO 4.2.1: PRINCIPAIS CENTROS DE PESQUISA MÓDULO 4.2.1: PRINCIPAIS CENTROS DE PESQUISA No mundo existem diversos centros de pesquisa dedicados ao estudo do campo magnético da Terra. Nesse módulo vamos listar alguns destes institutos e seus principais

Leia mais

O Átomo. a + thomos = sem divisão

O Átomo. a + thomos = sem divisão O Átomo 1. O nome átomo tem origem na Grécia Antiga no sec. V a.c. Os pensadores antigos falavam da existência de partículas invisíveis e indivisíveis que formariam toda matéria. a + thomos = sem divisão

Leia mais

Prémio Nobel para os brócolos

Prémio Nobel para os brócolos Prémio Nobel para os brócolos Em 2009 o Prémio Nobel da Química foi atribuído a três cientistas pela descoberta de que uma estrutura da célula chamada ribossoma é muito parecida com um molho de brócolos.

Leia mais

Exercícios Sobre Atomística - Início dos modelos atômicos I

Exercícios Sobre Atomística - Início dos modelos atômicos I Exercícios Sobre Atomística - Início dos modelos atômicos I 01. (Cftmg) O filme Homem de Ferro 2 retrata a jornada de Tony Stark para substituir o metal paládio, que faz parte do reator de seu peito, por

Leia mais

Juliana Cerqueira de Paiva. Modelos Atômicos Aula 2

Juliana Cerqueira de Paiva. Modelos Atômicos Aula 2 Juliana Cerqueira de Paiva Modelos Atômicos Aula 2 2 Modelo Atômico de Thomson Joseph John Thomson (1856 1940) Por volta de 1897, realizou experimentos estudando descargas elétricas em tubos semelhantes

Leia mais

Capítulo 1. O Fim do Progresso

Capítulo 1. O Fim do Progresso Trechos selecionados do capítulo 1 do livro O Fim da Ciência: uma discussão sobre os limites do conhecimento científico, de John Horgan. São Paulo: Companhia das Letras, 1999. Capítulo 1. O Fim do Progresso

Leia mais

GUIA DO PROFESSOR 1. Introdução

GUIA DO PROFESSOR 1. Introdução GUIA DO PROFESSOR Título: As crônicas de Kepléria O apogeu Categoria: Física Subcategoria: Eclipses e Fases da Lua Efeito da força de atração gravitacional no Sistema Terra - Lua - Sol 1. Introdução Segundo

Leia mais

História da Química Profa. Janete Yariwake

História da Química Profa. Janete Yariwake 1. Introdução Por que estudar a? 1 http://educarparacrescer.abril.com.br/aprendizagem/ como-fazer-seu-filho-gostar-historia-641200.shtml 2 http://educarparacrescer.abril.com.br/aprendizagem/como-fazer-seu-filho-gostarhistoria-641200.shtml

Leia mais

Ciência Política no Brasil: história, conceitos e métodos

Ciência Política no Brasil: história, conceitos e métodos Ciência Política no Brasil: história, conceitos e métodos PROJETO APRESENTADO PELA ABCP À FUNDAÇÃO FORD E AO INSTITUTE FOR INTERNATIONAL EDUCATION (IIE). Leonardo Avritzer Carlos R. S. Milani Rachel Meneguello

Leia mais

Bioinformática Histórico e conceitos básicos

Bioinformática Histórico e conceitos básicos Bioinformática Histórico e conceitos básicos Raimundo Lima da S. Júnior M.Sc. Departamento de Biologia Núcleo de Pesquisas Replicon PUC-GO Silva Jr., RL Casamento entre a ciência da computação e a biologia

Leia mais

Manual do Ambiente Moodle para Professores

Manual do Ambiente Moodle para Professores UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL Manual do Ambiente Moodle para Professores Fórum e Chat Versão 1.0b Setembro/2011 Direitos Autorais: Essa apostila está licenciada sob uma Licença Creative Commons

Leia mais

K L M N O P Q 7 NÍVEIS DE ENERGIA n =

K L M N O P Q 7 NÍVEIS DE ENERGIA n = Química / profª SIMONE MORGADO Aula 3 Configuração Eletrônica 1. A ELETROSFERA Nossa caminhada hoje é pela eletrosfera, uma região bastante importante, pois nas reações químicas os elétrons são as partículas

Leia mais

Bases Moleculares da Hereditariedade

Bases Moleculares da Hereditariedade UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS PROG. DE PÓS GRAD. EM GENET. E MELHORAMENTO NÚCLEO DE ESTUDOS EM GENET. E MELHORAMENTO Bases Moleculares da Hereditariedade Ministrante: João Paulo

Leia mais

CRIACIONISMO E EVOLUCIONISMO

CRIACIONISMO E EVOLUCIONISMO CRIACIONISMO E EVOLUCIONISMO INTRODUÇÃO Síntese sobre a Teoria da Evolução Química. Criacionismo (fundamentado na fé e na religião). É a primeira explicação para perguntas sobre a origem do Universo, da

Leia mais

Leitura Automática das Ferraduras para as linhas de envasamento de GLP.

Leitura Automática das Ferraduras para as linhas de envasamento de GLP. Leitura Automática das Ferraduras para as linhas de envasamento de GLP. Um sistema automático para identificação e segregação de recipientes vencidos nas linhas de envasamento de GLP. Categoria: Produção

Leia mais

GENÉTICA E BIOLOGIA MOLECULAR. Prof. Dra. Luciana Maria de Hollanda

GENÉTICA E BIOLOGIA MOLECULAR. Prof. Dra. Luciana Maria de Hollanda GENÉTICA E BIOLOGIA MOLECULAR Prof. Dra. Luciana Maria de Hollanda Quem é vc Professora? A primeira dúvida que surge Quando a gente inicia um semestre é Eu sou o que sou! Sou o capitão da minha alma e

Leia mais

DNA E SÍNTESE PROTEICA

DNA E SÍNTESE PROTEICA 1- As acetabularias (fotografia à esquerda) são algas verdes marinhas, com 2 a 3 cm de altura, constituídas por uma base ou pé, onde está o núcleo, e um caulículo, na extremidade do qual se diferencia

Leia mais

NÚMEROS QUÂNTICOS. As teorias da MECÂNICA QUÂNTICA (Planck, De Broglie, Schrödinger e Heisenberg e outros), auxiliam na identificação dos elétrons.

NÚMEROS QUÂNTICOS. As teorias da MECÂNICA QUÂNTICA (Planck, De Broglie, Schrödinger e Heisenberg e outros), auxiliam na identificação dos elétrons. NÚMEROS QUÂNTICOS As teorias da MECÂNICA QUÂNTICA (Planck, De Broglie, Schrödinger e Heisenberg e outros), auxiliam na identificação dos elétrons. Prof. Ailey Aparecida Coelho Tanamati Mecânica = movimento

Leia mais

METODOLOGIA DA PESQUISA. Característica: Obrigatória. Créditos: 2 (30 h)

METODOLOGIA DA PESQUISA. Característica: Obrigatória. Créditos: 2 (30 h) METODOLOGIA DA PESQUISA Ementa: Pesquisa qualitativa e quantitativa. As técnicas de observação e o trabalho de campo: componentes do trabalho de campo: componentes do trabalho de campo. O método cientifico.

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS Alto Comissariado para a Imigração e Diálogo Intercultural, I.P. Índice

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS Alto Comissariado para a Imigração e Diálogo Intercultural, I.P. Índice Índice Equivalências/Reconhecimentos ao Grau de Bacharel por Continente de Origem, de 2002 a 2007... 2 Equivalências/Reconhecimentos ao Grau de Licenciado por Continente de Origem, de 2002 a 2012.... 3

Leia mais

Configurações eletrônicas

Configurações eletrônicas Configurações eletrônicas Metais de transição Depois de Ar, os orbitais d começam a ser preenchidos. Depois que os orbitais 3d estiverem preenchidos, os orbitais 4p começam a ser preenchidos. Metais de

Leia mais

Manual do Ambiente Moodle para Professores

Manual do Ambiente Moodle para Professores UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL Manual do Ambiente Moodle para Professores Grupos e Agrupamentos Versão 1.0b Setembro/2011 Direitos Autorais: Essa apostila está licenciada sob uma Licença Creative

Leia mais

Previsões só no fim do jogo: selecção natural irrelevante

Previsões só no fim do jogo: selecção natural irrelevante Previsões só no fim do jogo: selecção natural irrelevante Suponhamos que o leitor tem uma característica que lhe dá uma ligeira vantagem na luta pela sobrevivência. Por exemplo, um pescoço maior, que lhe

Leia mais

PLANEJAMENTO ANUAL / TRIMESTRAL Conteúdos Competências / Habilidades Avaliação/Atividades

PLANEJAMENTO ANUAL / TRIMESTRAL Conteúdos Competências / Habilidades Avaliação/Atividades Estrutura atômica I (Unid. 02 e 3) COLÉGIO LA SALLE BRASÍLIA Associação Brasileira de Educadores Lassalistas ABEL SGAS Q. 906 Conj. E C.P. 320 Fone: (061) 3443-7878 CEP: 70390-060 - BRASÍLIA - DISTRITO

Leia mais

Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia

Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia A Coppe Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia nasceu disposta a ser um sopro de renovação na

Leia mais

Biologia Molecular da Célula 1 Parte 2

Biologia Molecular da Célula 1 Parte 2 Biologia Molecular da Célula 1 Parte 2 Professores: Carlos F. M. Menck Enrique M. Boccardo Pierulivo Rodrigo Galhardo Wellington Araujo BIBLIOGRAFIA RECOMENDADA Cell and Molecular Biology: Concepts and

Leia mais

Química. Aula 05 Profº Ricardo Dalla Zanna

Química. Aula 05 Profº Ricardo Dalla Zanna Química Aula 05 Profº Ricardo Dalla Zanna Conteúdo Programático Unidade 2 Átomos e Elementos o Seção 2.1 Evolução do modelo atômico e classificação periódica dos elementos o Seção 2.2 Leis ponderais o

Leia mais

Watson & Crick. A história da descoberta da estrutura do DNA

Watson & Crick. A história da descoberta da estrutura do DNA RICARDO FERREIRA Watson & Crick. A história da descoberta da estrutura do DNA São Paulo: Odysseus Editora, 2003. 131 p. (Coleção Imortais da Ciência) MÁRCIA MARIA MARTINS PARREIRAS Programa de Pós-Graduação

Leia mais

INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, I.P. Centro de Emprego e Formação Profissional da Guarda Curso: Técnico de Informática Sistemas

INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, I.P. Centro de Emprego e Formação Profissional da Guarda Curso: Técnico de Informática Sistemas INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, I.P. Centro de Emprego e Formação Profissional da Guarda Curso: Técnico de Informática Sistemas (EFA-S4A)-NS Formando: Igor Daniel Santos Saraiva Covilhã,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL Força Central. Na mecânica clássica, uma força central é caracterizada por uma magnitude que depende, apenas, na distância r do objeto ao ponto de origem da força e que é dirigida ao longo do vetor que

Leia mais

Guia do Usuário. Bem-vindo à nova plataforma da AIP Publishing!

Guia do Usuário. Bem-vindo à nova plataforma da AIP Publishing! Guia do Usuário Bem-vindo à nova plataforma da AIP Publishing! Desenvolvido para oferecer uma experiência do usuário aprimorada, o novo Scitation oferece uma maneira mais eficiente de pesquisar e recuperar

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO SECRETARIA DA EDUCAÇÃO SUPERIOR CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA CURSO DE ENGENHARIA INDUSTRIAL DEPARTAMENTO DEPBG PLANO DE CURSO DA DISCIPLINA

Leia mais

SUMÁRIO EXECUTIVO. Novembro 2009

SUMÁRIO EXECUTIVO. Novembro 2009 SUMÁRIO EXECUTIVO Novembro 2009 1 Introdução A Biomm se dedica ao desenvolvimento de processos de produção baseados na biotecnologia, área em que a sua equipe foi pioneira no Brasil desde os anos 1970.

Leia mais

NOTIFICAÇÃO DA INVENÇÃO

NOTIFICAÇÃO DA INVENÇÃO NOTIFICAÇÃO DA INVENÇÃO 1- TÍTULO DA INVENÇÃO: (Identificar um título breve que descreva de forma clara a invenção) 2- CARACTERIZAÇÃO DA INVENÇÃO 2.1 Descrever de forma sucinta a solução técnica proposta

Leia mais

TEORIAS ATÔMICAS. Menor partícula possível de um elemento (Grécia antiga) John Dalton (1807)

TEORIAS ATÔMICAS. Menor partícula possível de um elemento (Grécia antiga) John Dalton (1807) TEORIAS ATÔMICAS Átomo Menor partícula possível de um elemento (Grécia antiga) John Dalton (1807) 1. Os elementos são constituídos por partículas extremamente pequenas chamadas átomos; 2. Todos os átomos

Leia mais

Rosalind Franklin e seu papel na construção do modelo da dupla hélice do DNA

Rosalind Franklin e seu papel na construção do modelo da dupla hélice do DNA Rosalind Franklin e seu papel na construção do modelo da dupla hélice do DNA Marcos Rodrigues da Silva Resumo: A história do modelo da dupla-hélice do DNA, proposto em 1953 por James Dewey Watson e Francis

Leia mais

História da Química: Empédocles (Séc. V a.c.)

História da Química: Empédocles (Séc. V a.c.) Prof.: Manzi História da Química: Empédocles (Séc. V a.c.) Teoria sobre os 4 elementos: Terra, Fogo, água e ar Aristóteles ( 350 a.c.) Quando a matéria recebe a forma ela se organiza nos quatro elementos

Leia mais

História da Psicologia Industrial/Organizacional

História da Psicologia Industrial/Organizacional História da Psicologia Industrial/Organizacional Objetivo Conhecerr a trajetória histórica da Psicologia Industrial / Organizacional (I/O). Primeiros Anos da Psicologia I/O (1900-1916 A Psicologia Industrial

Leia mais

12º Congresso Internacional da Gestão - Palestrantes

12º Congresso Internacional da Gestão - Palestrantes 12º Congresso Internacional da Gestão - Palestrantes "INOVAÇÃO E SUSTENTABILIDADE ALAVANCANDO COMPETITIVIDADE" HitendraPatel INDIA Diretor do Centro de Excelência em Inovação e Liderança de Cambridge.

Leia mais

O Geomagnetismo Terrestre e o Meio Ambiente. Daniela Simonini Teixeira

O Geomagnetismo Terrestre e o Meio Ambiente. Daniela Simonini Teixeira O Geomagnetismo Terrestre e o Meio Ambiente Daniela Simonini Teixeira TÓPICOS Introdução Apresentação Fenômenos Conservativos e Degenerativos Decaimento Radioativo Noções Gerais sobre Eletromagnetismo

Leia mais