ESTATÍSTICAS DO TURISMO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ESTATÍSTICAS DO TURISMO"

Transcrição

1

2 ESTATÍSTICAS DO TURISMO DA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA Resultados Provisórios Julho de 2014 Direção Regional de Estatística da Madeira Uma porta aberta para um universo de informação estatística

3 Catalogação Recomendada Estatísticas do Turismo da Região Autónoma da Madeira. Resultados Provisórios, Funchal, 2002 Estatísticas do Turismo da Região Autónoma da Madeira, Resultados Provisórios / Direção Regional de Estatística da Madeira.- Funchal: D.R.E.M., Mensal ISSN = Estatísticas do Turismo da Região Autónoma da Madeira, Resultados Provisórios Diretora Regional Dr.ª Emília Alves Técnicos Responsáveis Dr. Paulo Vieira Dr.ª Suzete Nóbrega Editor Direção Regional de Estatística da Madeira Calçada de Santa Clara 38, 1º Funchal Telefone: (+351) Fax: (+351) Impressão Direção Regional de Estatística da Madeira Data de disponibilidade da informação Novembro 2014 Tiragem: 5 exemplares Depósito Legal n.º /04 Preço: 3,00 (Isento de IVA nos termos do nº2 do artº2 do CIVA) A DREM na Internet DREM, Funchal, *A reprodução de quaisquer páginas desta obra é autorizada, exceto para fins comerciais, com indicação da fonte bibliográfica.

4 NOTA INTRODUTÓRIA A divulgação de dados estatísticos no âmbito do Turismo por parte da Direção Regional de Estatística da Madeira (DREM) tem como objetivo satisfazer dois perfis de utilizadores, os que pretendem informação geral, a mais atualizada possível, e aqueles que exigem um conjunto de dados com maior desagregação. A informação mais recente, os dados preliminares estimados (dormidas, taxa de ocupação e capacidade de alojamento por tipo de estabelecimento e ainda proveitos totais, de aposento e RevPAR) estará disponível cerca de 45 dias após o final do mês de referência. Cerca de 4 meses após o período de referência serão publicados os resultados provisórios (revistos), que têm implícitos uma taxa de resposta próxima de 100%. Até ao final do 1º semestre do ano seguinte ao de referência, encontrar-se-ão disponíveis os dados definitivos anuais. Embora tenha sido publicada legislação quer nacional, quer regional, onde está definida uma nova estrutura de alojamentos, a DREM optou, à semelhança do Instituto Nacional de Estatística (INE) nos seus destaques mensais das estatísticas do Turismo, por manter a habitual estrutura dos alojamentos, garantindo-se assim a comparabilidade com a longa série temporal existente. Contudo, tal como na publicação anual referente a 2013, acrescentou-se um capítulo com os quadros de transição, apresentando-se assim os dados segundo a nova estrutura, tanto para os resultados preliminares como para os resultados provisórios. A Direção Regional de Estatística da Madeira expressa o seu agradecimento a todos os colaboradores e aproveita a oportunidade para solicitar uma visão crítica a todos os que se interessam pela melhoria da qualidade da produção estatística na área do Turismo. A Diretora Regional, Emília Alves

5

6 ÍNDICE NOTA INTRODUTÓRIA... 3 SINAIS CONVENCIONAIS... 7 ANÁLISE DOS PRINCIPAIS RESULTADOS ESTABELECIMENTOS HOTELEIROS 1.1 Resultados preliminares Dormidas por tipo de estabelecimento Hóspedes entrados, total de hóspedes, dormidas e estada média nos estabelecimentos hoteleiros Estimativas da evolução das dormidas por mercado emissor Proveitos totais, proveitos de aposento e RevPAR nos estabelecimentos hoteleiros Estabelecimentos, capacidade de alojamento e taxa de ocupação-cama (mensal e anual), por tipo de estabelecimento Resultados provisórios Hóspedes entrados, total de hóspedes e dormidas nos estabelecimentos hoteleiros, por mês Hóspedes entrados, total de hóspedes, dormidas e estada média por países de residência habitual Hóspedes entrados, total de hóspedes, dormidas e estada média por países de residência habitual valores acumulados Hóspedes entrados, total de hóspedes, dormidas e estada média, segundo a categoria dos estabelecimentos Hóspedes entrados, total de hóspedes, dormidas e estada média, segundo a categoria dos estabelecimentos valores acumulados Hóspedes entrados, por países de residência habitual segundo a categoria dos estabelecimentos Total de hóspedes, por países de residência habitual segundo a categoria dos estabelecimentos Dormidas, por países de residência habitual segundo a categoria dos estabelecimentos Taxa líquida de ocupação-cama, segundo a categoria dos estabelecimentos Taxa líquida de ocupação-quarto, segundo a categoria dos estabelecimentos Proveitos e custos totais com pessoal segundo os estabelecimentos hoteleiros Revenue Per Available Room (RevPAR) nos estabelecimentos hoteleiros Estabelecimentos, quartos e capacidade de alojamento, por categoria dos estabelecimentos Hóspedes entrados, total de hóspedes, dormidas e estada média, por município

7 Estabelecimentos, capacidade de alojamento, taxa líquida de ocupação-cama, taxa líquida de ocupação-quarto, proveitos, Revenue Per Available Room (RevPAR) e custos com pessoal nos estabelecimentos hoteleiros, por município Dormidas por município, segundo os países de residência habitual dos hóspedes Dormidas por município, segundo os países de residência habitual dos hóspedes valores acumulados TURISMO NO ESPAÇO RURAL (TER), COLÓNIAS DE FÉRIAS, POUSADAS DA JUVENTUDE, PARQUES DE CAMPISMO E ALOJAMENTO LOCAL 2.1 Resultados provisórios Hóspedes entrados, total de hóspedes e dormidas no turismo no espaço rural Estabelecimentos, quartos e capacidade de alojamento, no turismo no espaço rural Taxa líquida de ocupação-cama no turismo no espaço rural Proveitos e custos com pessoal no turismo no espaço rural Hóspedes entrados, total de hóspedes e dormidas nas colónias de férias e pousadas da juventude, por países de residência habitual Campistas entrados, total de campistas e dormidas nos parques de campismo, por países de residência habitual Hóspedes entrados, total de hóspedes e dormidas no alojamento local, por países de residência habitual QUADROS DE TRANSIÇÃO COM NOVA ESTRUTURA DE ALOJAMENTOS 3.1 Resultados Preliminares Resultados Provisórios OUTROS DADOS RELACIONADOS COM A ATIVIDADE TURÍSTICA 4.1 Golfe na R. A. Madeira Número de campos de golfe, voltas possíveis, voltas realizadas, taxa de ocupação, rendimentos totais e Green Fee de não sócios nos Campos de Golfe Voltas realizadas no mês de referência, por país de residência dos jogadores e tipo de associação (sócios e não sócios) Percentagem de voltas vendidas por canal de venda Navios de Cruzeiro na R. A. Madeira Movimento dos passageiros de navios de cruzeiro nos portos da R. A. Madeira CONCEITOS

8 SINAIS CONVENCIONAIS / CONVENTIONAL SIGNS Valor confidencial... Confidential value Valor não disponível x Value not available Valor inferior a metade do módulo da unidade utilizada ə Less than half of the unit used Valor não aplicável // Value not applicable Quebra de série Series break Valor previsto f Predicted value Valor provisório P o Provisional value Valor preliminar P e Preliminary value Valor retificado R c Rectified value Valor revisto R v Revised value Valor com coeficiente de variação elevado (aplicado no caso em que o valor é divulgado) Extremely unreliable value 7

9 Dormidas (N.º) Estatísticas do Turismo ANÁLISE DOS PRINCIPAIS RESULTADOS Resultados preliminares setembro de 2014 As primeiras estimativas da atividade turística na RAM relativas ao mês de setembro de 2014 apontam para uma variação de +0,1% das dormidas nos estabelecimentos hoteleiros, em comparação com o mês homólogo, aumento menos expressivo que o observado no conjunto do país (+9,9%). Em termos absolutos, foram registadas na RAM cerca de 623 milhares de dormidas naquele mês (11,8% do total das dormidas ocorridas no território nacional). Desagregando por tipo de estabelecimento, observa-se que as variações homólogas foram pouco significativas, destacando-se pela positiva os hotéis-apartamentos (mais 2400 dormidas aproximadamente) e pela negativa as pensões (menos 1500 dormidas aproximadamente). Graf.1 Evolução das dormidas nos estabelecimentos hoteleiros da R. A. Madeira (2013/2014) JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ Meses Ainda no que se refere às dormidas, é de assinalar que de janeiro a setembro de 2014 estas cresceram 3,9% na R. A. Madeira, fixando-se a estada média neste período em 5,5 noites. Por sua vez, a taxa de ocupação (cama) em setembro de 2014 atingiu os 71,5% e os proveitos totais ultrapassaram os 29,8 milhões de euros, tendo crescido 5,0% em relação a setembro de Nos primeiros nove meses de 2014, esta variável registou um incremento de 8,2% comparativamente ao período homólogo. 8

10 O RevPAR, que mede o proveito obtido por quarto disponível atingiu os 42,96 euros, +2,1% que no mesmo mês do ano anterior. A média dos primeiros nove meses de 2014 foi de 39,03 euros (+6,3% em relação ao período homólogo). Graf.2 Distribuição das dormidas nos estabelecimentos hoteleiros da R. A. Madeira segundo os principais países de residência habitual (Setembro de 2014) Outros 39,4% Alemanha 21,0% Portugal 11,1% Reino Unido 28,5% Nos principais mercados emissores, as variações estimadas para os mercados britânico e alemão foram de +11,5% e +3,6% respetivamente, enquanto as dormidas de residentes em Portugal apresentaram uma redução de 6,5%. Resultados provisórios julho de 2014 No que respeita ao número de dormidas, os resultados provisórios relativos ao mês de julho de 2014 reveem em alta a primeira estimativa apresentada. De acordo com os novos apuramentos, contabilizaram-se nos estabelecimentos hoteleiros da RAM, no referido mês, dormidas (+0,6% que no mês homólogo de 2013). A taxa de ocupação-cama de julho de 2014 foi revista para 72,1% (0,6 p.p. acima do estimado pelo INE nos resultados preliminares). Dos cinco municípios da RAM que registaram uma evolução positiva de dormidas no mês de julho de 2014, destacaram-se o Porto Moniz, Porto Santo e Santana com acréscimos de 25,6%, 25,5% e 8,4%, respetivamente. Nas quebras, salientaram-se São Vicente (-11,3%), Calheta (-11,1%) e Ribeira Brava (-10,5%). Os dois municípios que concentraram mais dormidas no mês de referência - Santa Cruz e Funchal - também registaram quebras de 2,3% e 1,1% no total de dormidas, respetivamente. 9

11 % Estatísticas do Turismo Graf.3 Variação homóloga das dormidas nos municípios da R. A. Madeira (Julho de 2014) 30,0 25,0 20,0 15,0 10,0 5,0 0,0-5,0-10,0-15,0 Calheta Câmara de Lobos Funchal Machico Ponta do Sol Porto Moniz Ribeira Brava Santa Cruz Santana São Vicente Porto Santo Municípios Os proveitos totais dos estabelecimentos hoteleiros da RAM, em julho de 2014, aproximaram-se dos 30,0 milhões de euros (+3,1% em relação ao mesmo mês do ano anterior), dos quais 62,8% corresponderam a proveitos de aposento. Estes, por sua vez, aumentaram 2,9% em comparação com o mês homólogo de

12 1. Estabelecimentos hoteleiros 1.1. Resultados preliminares

13

14 Dormidas por tipo de estabelecimento Nights spent by type of establishment R. A. Madeira Unidade: milhares Categoria dos estabelecimentos Setembro de 2013 Dormidas Setembro de Jan. a set. de 2014 Pe 2013 Jan. a set. de 2014 Pe Total Hotéis ***** **** *** ** * Hotéis-apartamentos ***** **** *** ** (1) ə Apartamentos turísticos ***** **** *** Aldeamentos turísticos **** Pousadas ə ə 5 5 Estalagens ***** **** Quintas da Madeira Pensões Albergarias ª Categoria ª Categoria ª Categoria (1) Devido a uma reclassificação, a partir de novembro de 2013 deixaram de existir hotéis-apartamentos de duas estrelas na RAM. 13

15 Hóspedes entrados, total de hóspedes, dormidas e estada média nos estabelecimentos hoteleiros Guest arrivals, guests lodged, nights spent and average stay in hotel establishments R. A. Madeira Rubricas Setembro de 2013 Setembro de 2014 Pe Variação (%) Jan. a set. de 2013 Jan. a set. de 2014 Pe Variação (%) Hóspedes entrados (milhares) 91,9 96,2 4,7 729,2 769,9 5,6 Hóspedes (1) (milhares) 109,6 111,9 2,1 858,7 903,3 5,2 Dormidas (milhares) 622,6 623,3 0, , ,2 3,9 Estada média (n.º de noites) 5,7 5,6-1,8 5,6 5,5-1,8 (1) Inclui os hóspedes que transitaram do mês anterior Estimativas da evolução das dormidas por mercado emissor Estimated change rates in overnight stays by main incoming markets R. A. Madeira Setembro de 2014 Países Var. homóloga Var. homóloga mensal (%) Pe acumulada (%) Pe Residentes em Portugal -6,5 7,3 Não residentes em Portugal 1,0 3,5 Alemanha 3,6 6,2 Reino Unido 11,5 7, Proveitos totais, proveitos de aposento e RevPAR nos estabelecimentos hoteleiros Total revenue, revenue from accommodation and RevPAR in hotel establishments R. A. Madeira Rubricas Setembro de 2013 Setembro de 2014 Pe Variação (%) Jan. a set. de 2013 Jan. a set. de 2014 Pe Variação (%) Proveitos Totais (1000 ) , ,2 Proveitos de Aposento (1000 ) , ,2 RevPAR ( ) (1) 42,09 42,96 2,1 36,72 39,03 6,3 (1) O cálculo desta variável é efetuado tendo em conta os estabelecimentos com movimento de hóspedes no período de referência. 14

16 Estabelecimentos, capacidade de alojamento e taxa de ocupação-cama (mensal e anual), por tipo de estabelecimento (1) Establishments, accommodation capacity and bed occupancy rate (monthly and annual), by type of establishment R. A. Madeira Setembro de 2014 Categoria dos estabelecimentos Estabelecimentos (N.º) Capacidade de alojamento (N.º) Taxa de ocupação mensal (%) (2) Taxa de ocupação anual (%) (2) Total ,5 64,5 Hotéis ,0 66,5 ***** ,5 67,5 **** ,8 69,1 *** ,0 52,7 ** ,6 43,1 * ,1 44,2 Hotéis-Apartamentos ,3 68,5 ***** ,3 71,4 **** ,2 74,1 *** ,6 52,9 Apartamentos Turísticos ,2 50,6 ***** 0 0 // 69,4 **** ,5 53,8 *** ,0 33,1 Aldeamentos Turísticos ,8 42,3 **** ,8 42,3 Pousadas ,9 46,3 Estalagens ,2 55,8 ***** ,4 48,3 **** ,5 41,6 Quintas da Madeira ,7 71,5 Pensões ,8 43,9 Albergarias ,8 65,9 1ª Categoria ,6 59,3 2ª Categoria ,5 30,7 3ª Categoria ,1 20,2 (1) Diz respeito aos estabelecimentos em funcionamento no período de referência. (2) O cálculo desta variável é efetuado tendo em conta os estabelecimentos com movimento de hóspedes no período de referência. 15

17

18 1. Estabelecimentos hoteleiros 1.2 Resultados provisórios

19

20 N.º N.º Estatísticas do Turismo Hóspedes entrados, total de hóspedes e dormidas nos estabelecimentos hoteleiros, por mês Guest arrivals, guests lodged and nights spent in hotel establishments, by month R. A. Madeira Meses Hóspedes entrados Hóspedes (1) Dormidas Variação (2) Variação (2) Variação (2) N.º % N.º % N.º % Total , , ,3 Janeiro , , ,5 Fevereiro , , ,3 Março , , ,7 Abril , , ,8 Maio , , ,2 Junho , , ,1 Julho , , ,6 Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro (1) Inclui os hóspedes que transitaram do mês anterior. (2) A variação da linha do total é a homóloga acumulada. Hóspedes Entrados Dormidas J F M A M J J A S O N D J F M A M J J A S O N D

21 Hóspedes entrados, total de hóspedes, dormidas e estada média por países de residência habitual Guest arrivals, guests lodged, nights spent and average stay by country of residence R. A. Madeira Países de residência habitual Hóspedes entrados Hóspedes (1) Dormidas Jul. Jul. Jul. Jul. Jul. Jul. Variação Variação Variação N.º % N.º % N.º % Estada média Jul N.º Jul Total mensal , , ,6 5,8 5,7 Portugal , , ,0 3,6 3,9 Estrangeiro , , ,9 6,3 6,2 Europa , , ,8 5,9 5,8 UE-28 (2) , , ,6 5,8 5,7 Portugal , , ,0 3,6 3,9 Alemanha , , ,6 7,2 6,7 Áustria , , ,2 6,8 5,8 Bélgica , , ,2 6,5 6,1 Dinamarca , , ,5 6,5 6,2 Espanha , , ,0 5,7 5,6 Estónia , , ,9 8,0 5,7 Finlândia , , ,7 6,4 6,5 França , , ,6 5,3 5,3 Hungria , , ,1 6,8 6,1 Irlanda , , ,7 6,9 6,4 Itália , , ,5 6,4 5,3 Luxemburgo , , ,7 6,0 6,5 Países Baixos , , ,7 6,9 5,9 Polónia , , ,9 6,6 6,3 Reino Unido , , ,2 6,5 6,8 República Checa , , ,1 5,6 5,8 Roménia , , ,2 6,2 5,7 Suécia , , ,4 5,8 6,5 Outros países da UE , , ,3 5,7 5,5 Outros Países da Europa , , ,3 6,8 6,8 dos quais: Noruega , , ,6 7,4 7,5 Rússia , , ,1 7,3 7,1 Suíça , , ,1 5,5 5,5 África , , ,0 5,3 5,2 América , , ,2 4,1 4,1 dos quais: Brasil , , ,0 4,1 3,9 Canadá , , ,9 3,8 4,1 E.U.A , , ,4 4,3 4,4 Ásia , , ,8 4,0 4,2 Oceânia , , ,3 4,8 4,8 (1) Inclui os hóspedes que transitaram do mês anterior. (2) Esta agregação da UE a 28 países inclui a Croácia que aderiu à União Europeia em julho de

22 Hóspedes entrados, total de hóspedes, dormidas e estada média por países de residência habitual valores acumulados Guest arrivals, guests lodged, nights spent and average stay by country of residence cumulative values R. A. Madeira Países de residência habitual Hóspedes entrados Hóspedes (1) Dormidas Estada média Jan a jul. Jan a jul. Jan a jul. Jan a jul. Jan a jul. Jan a jul. Jan a jul. Jan a jul. Variação Variação Variação N.º % N.º % N.º % N.º Total , , ,3 5,5 5,4 Portugal , , ,8 3,0 3,0 Estrangeiro , , ,1 6,0 6,0 Europa , , ,3 5,5 5,5 UE-28 (2) , , ,5 5,5 5,4 Portugal , , ,8 3,0 3,0 Alemanha , , ,5 6,7 6,9 Áustria , , ,4 6,1 6,0 Bélgica , , ,0 6,0 5,8 Dinamarca , , ,9 6,4 6,5 Espanha , , ,9 4,7 4,8 Estónia , , ,1 7,0 5,5 Finlândia , , ,2 6,6 6,2 França , , ,2 4,9 4,9 Hungria , , ,2 5,9 5,6 Irlanda , , ,4 5,9 6,0 Itália , , ,2 5,4 5,0 Luxemburgo , , ,6 5,8 6,0 Países Baixos , , ,7 5,8 5,6 Polónia , , ,9 6,0 6,0 Reino Unido , , ,5 6,6 6,4 República Checa , , ,6 5,4 5,3 Roménia , , ,5 5,1 5,0 Suécia , , ,6 5,8 6,0 Outros países da UE , , ,6 4,7 4,9 Outros Países da Europa , , ,6 6,0 6,1 dos quais: Noruega , , ,2 6,9 6,9 Rússia , , ,7 6,2 6,2 Suíça , , ,7 5,2 5,5 África , , ,0 4,5 4,4 América , , ,6 4,1 4,0 dos quais: Brasil , , ,2 3,7 3,6 Canadá , , ,3 4,9 4,8 E.U.A , , ,3 4,1 4,1 Ásia , , ,7 3,4 3,4 Oceânia , , ,0 4,7 4,7 (1) Inclui os hóspedes que transitaram do mês anterior. (2) Esta agregação da UE a 28 países inclui a Croácia que aderiu à União Europeia em julho de

23 Hóspedes entrados, total de hóspedes, dormidas e estada média, segundo a categoria dos estabelecimentos Guest arrivals, guests lodged, nights spent and average stay by type of establishment R. A. Madeira Categoria dos estabelecimentos Hóspedes entrados Hóspedes (1) Dormidas Estada média Jul. Jul. Jul. Jul. Jul. Jul. Jul. Jul. Variação Variação Variação N.º % N.º % N.º % N.º Total , , ,6 5,8 5,7 Hotéis , , ,6 5,7 5,6 ***** , , ,9 5,9 6,1 **** , , ,5 5,8 5,7 *** , , ,0 4,2 4,3 ** , , ,8 2,7 3,0 * , , ,9 5,4 4,9 Hotéis-apartamentos , , ,1 6,3 6,2 ***** , , ,6 6,3 6,5 **** , , ,0 6,6 6,6 *** , , ,2 5,6 5,2 ** (2) , , ,0 5,6 // Apartamentos turísticos , , ,7 7,4 6,6 ***** , , ,0 7,8 // **** , , ,8 7,2 6,8 *** , , ,8 8,5 5,5 Aldeamentos turísticos , , ,0 7,4 6,8 **** , , ,0 7,4 6,8 Pousadas , , ,3 3,3 3,1 Estalagens , , ,7 6,3 5,7 ***** , , ,3 7,6 5,7 **** , , ,0 5,6 5,6 Quintas da Madeira , , ,5 6,2 5,8 Pensões , , ,2 4,3 4,1 Albergarias , , ,2 6,0 4,9 1ª Categoria , , ,2 5,6 5,6 2ª Categoria , , ,9 2,8 2,6 3ª Categoria , , ,2 5,1 5,1 (1) Inclui os hóspedes que transitaram do mês anterior. (2) Devido a uma reclassificação, a partir de novembro de 2013 deixaram de existir hotéis-apartamentos de duas estrelas na RAM. 22

24 Hóspedes entrados, total de hóspedes, dormidas e estada média, segundo a categoria dos estabelecimentos valores acumulados Guest arrivals, guests lodged, nights spent and average stay by type of establishment cumulative values R. A. Madeira Categoria dos estabelecimentos Hóspedes entrados Hóspedes (1) Dormidas Estada média Jan a jul. Jan a jul. Jan a jul. Jan a jul. Jan a jul. Jan a jul. Jan a jul. Jan a jul. Variação Variação Variação N.º % N.º % N.º % N.º Total , , ,3 5,5 5,4 Hotéis , , ,0 5,3 5,3 ***** , , ,4 5,5 5,5 **** , , ,9 5,5 5,4 *** , , ,2 4,1 4,2 ** , , ,4 2,7 3,1 * , , ,9 4,5 4,7 Hotéis-apartamentos , , ,8 6,2 6,1 ***** , , ,5 6,3 6,4 **** , , ,2 6,5 6,4 *** , , ,8 5,3 5,2 ** (2) , , ,0 4,0 // Apartamentos turísticos , , ,5 6,6 6,5 ***** , , ,6 7,0 7,2 **** , , ,5 6,6 6,6 *** , , ,0 6,2 5,6 Aldeamentos turísticos , , ,1 6,8 7,1 **** , , ,1 6,8 7,1 Pousadas , , ,6 2,7 2,8 Estalagens , , ,2 5,4 5,0 ***** , , ,1 7,3 5,4 **** , , ,4 3,8 3,9 Quintas da Madeira , , ,3 5,7 5,4 Pensões , , ,2 4,3 4,1 Albergarias , , ,6 5,7 5,3 1ª Categoria , , ,9 5,3 5,3 2ª Categoria , , ,7 3,1 2,8 3ª Categoria , , ,3 4,2 3,8 (1) Inclui os hóspedes que transitaram do mês anterior. (2) Devido a uma reclassificação, a partir de novembro de 2013 deixaram de existir hotéis-apartamentos de duas estrelas na RAM. 23

25 R. A. Madeira Hóspedes entrados, por países de residência habitual segundo a categoria dos estabelecimentos Guest arrivals, by type of establishment and country of residence (Continua / to be continued) Unidade: N.º / Julho 2014 Países de residência habitual Total geral Hotéis Hotéis-apartamentos Apartamentos turísticos Total ***** **** *** ** * Total ***** **** *** Total ***** **** *** Total mensal Portugal Estrangeiro Europa UE-28 (1) Portugal Alemanha Áustria Bélgica Dinamarca Espanha Estónia Finlândia França Hungria Irlanda Itália Luxemburgo Países Baixos Polónia Reino Unido República Checa Roménia Suécia Outros países da UE Outros Países da Europa dos quais: Noruega Rússia Suíça África América dos quais: Brasil Canadá E.U.A Ásia Oceânia

26 R. A. Madeira Hóspedes entrados, por países de residência habitual segundo a categoria dos estabelecimentos Guest arrivals, by type of establishment and country of residence (Continuação / continued) Países de residência habitual Aldeamentos turísticos Pousadas Estalagens Total (2) Total Total ***** **** Quintas da Madeira Total Albergarias 1ª 2ª 3ª Total mensal Portugal Estrangeiro Europa UE-28 (1) Portugal Alemanha Áustria Bélgica Dinamarca Espanha Estónia Finlândia França Hungria Irlanda Itália Luxemburgo Países Baixos Polónia Reino Unido República Checa Roménia Suécia Outros países da UE Outros Países da Europa dos quais: Noruega Rússia Suíça África América Pensões Unidade: N.º / Julho 2014 Brasil Canadá E.U.A Ásia Oceânia (1) Esta agregação da UE a 28 países inclui a Croácia que aderiu à União Europeia em julho de (2) Existe um único aldeamento turístico na RAM com a categoria de quatro estrelas. 25

27 Total de hóspedes (1), por países de residência habitual segundo a categoria dos estabelecimentos Guests lodged, by type of establishment and country of residence (Continua / to be continued) R. A. Madeira Unidade: N.º / Julho 2014 Países de residência habitual Total geral Hotéis Hotéis-apartamentos Apartamentos turísticos Total ***** **** *** ** * Total ***** **** *** Total ***** **** *** Total mensal Portugal Estrangeiro Europa UE-28 (2) Portugal Alemanha Áustria Bélgica Dinamarca Espanha Estónia Finlândia França Hungria Irlanda Itália Luxemburgo Países Baixos Polónia Reino Unido República Checa Roménia Suécia Outros países da UE Outros Países da Europa dos quais: Noruega Rússia Suíça África América dos quais: Brasil Canadá E.U.A Ásia Oceânia

28 Total de hóspedes (1), por países de residência habitual segundo a categoria dos estabelecimentos Guests lodged, by type of establishment and country of residence (Continuação / continued) R. A. Madeira Países de residência habitual Aldeamentos turísticos Pousadas Total (3) Total Total ***** **** 27 Quintas da Madeira Total Albergarias 1ª 2ª 3ª Total mensal Portugal Estrangeiro Europa UE-28 (2) Portugal Alemanha Áustria Bélgica Dinamarca Espanha Estónia Finlândia França Hungria Irlanda Itália Luxemburgo Países Baixos Polónia Reino Unido República Checa Roménia Suécia Outros países da UE Outros Países da Europa dos quais: Noruega Rússia Suíça África América dos quais: Brasil Canadá E.U.A Ásia Oceânia (1) Inclui os hóspedes que transitaram do mês anterior. (2) Esta agregação da UE a 28 países inclui a Croácia que aderiu à União Europeia em julho de (3) Existe um único aldeamento turístico na RAM com a categoria de quatro estrelas. Estalagens Pensões Unidade: N.º / Julho 2014

29 R.A.Madeira Países de residência habitual Dormidas, por países de residência habitual segundo a categoria dos estabelecimentos Nights spent, by type of establishment and country of residence (Continua / to be continued) Total geral Hotéis Total ***** **** *** ** * Total ***** **** *** Total ***** **** *** Total mensal Portugal Estrangeiro Europa UE-28 (1) Portugal Alemanha Áustria Bélgica Dinamarca Espanha Estónia Finlândia França Hungria Irlanda Itália Luxemburgo Países Baixos Polónia Reino Unido República Checa Roménia Suécia Outros países da UE Outros Países da Europa dos quais: Noruega Rússia Suíça África América dos quais: Brasil Canadá E.U.A Ásia Oceânia Hotéis-apartamentos Unidade: N.º / Julho 2014 Apartamentos turísticos

30 R.A.Madeira Países de residência habitual Dormidas, por países de residência habitual segundo a categoria dos estabelecimentos Nights spent, by type of establishment and country of residence Aldeamentos turísticos Pousadas (Continuação / continued) Estalagens Total (2) Total Total ***** **** Quintas da Madeira Unidade: N.º / Julho 2014 Total Albergarias 1ª 2ª 3ª Total mensal Portugal Estrangeiro Europa UE-28 (1) Portugal Alemanha Áustria Bélgica Dinamarca Espanha Estónia Finlândia França Hungria Irlanda Itália Luxemburgo Países Baixos Polónia Reino Unido República Checa Roménia Suécia Outros países da UE Outros Países da Europa dos quais: Noruega Rússia Suíça África América dos quais: Brasil Canadá E.U.A Ásia Oceânia Pensões (1) Esta agregação da UE a 28 países inclui a Croácia que aderiu à União Europeia em Julho de (2) Existe um único aldeamento turístico na RAM com a categoria de quatro estrelas. 29

31 Taxa líquida de ocupação-cama, segundo a categoria dos estabelecimentos (1) Net bed occupancy rate by type of establishment R. A. Madeira Categoria dos estabelecimentos Meses Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro Unidade: % / Ano: 2014 Valor acumulado Total 44,3 51,7 57,9 63,6 65,7 67,1 72,1 60,8 Hotéis 43,4 50,8 58,3 65,9 66,3 71,0 75,2 62,4 ***** 42,8 52,1 59,2 68,1 61,8 71,5 75,9 62,6 **** 47,6 51,7 62,2 67,3 71,7 74,5 78,5 65,4 *** 26,0 43,6 39,2 54,1 56,5 54,9 58,4 48,0 ** 22,9 26,9 36,9 46,2 45,0 37,6 49,4 38,2 * 27,6 67,9 62,1 81,9 46,3 45,9 50,4 52,2 Hotéis-apartamentos 51,7 58,8 63,8 65,4 70,5 69,6 76,2 65,2 ***** 52,0 53,4 65,2 73,2 71,9 74,4 81,0 67,4 **** 56,0 66,1 71,4 69,3 75,9 76,6 80,9 71,0 *** 40,7 43,7 45,3 52,1 56,6 50,7 60,7 49,9 Apartamentos turísticos 43,8 50,2 51,3 51,9 46,1 51,5 54,9 50,0 ***** 79,1 78,4 80,4 82,6 24,1 0,0 0,0 69,4 **** 39,8 48,0 50,5 54,1 48,8 54,3 64,0 51,4 *** 47,3 48,0 41,5 36,9 41,2 35,8 24,4 37,7 Aldeamentos turísticos 33,9 52,1 29,1 34,7 28,9 31,4 59,6 38,4 **** 33,9 52,1 29,1 34,7 28,9 31,4 59,6 38,4 Pousadas 21,3 37,8 36,1 48,5 62,4 42,4 55,8 43,5 Estalagens 31,9 43,4 55,4 60,1 65,4 49,1 56,0 51,8 ***** 20,6 31,1 49,0 56,9 54,8 33,2 49,7 42,0 **** 11,6 21,7 32,7 43,8 55,3 42,5 47,4 37,0 Quintas da Madeira 56,0 69,4 78,2 74,0 83,3 72,5 64,8 70,8 Pensões 32,7 36,3 39,7 47,2 51,4 44,1 43,3 42,0 Albergarias 53,1 62,7 68,0 64,9 74,5 69,8 58,1 64,4 1ª Categoria 42,6 49,2 56,8 60,5 64,8 58,4 65,1 56,9 2ª Categoria 21,9 24,6 26,4 36,3 37,5 30,1 28,5 29,0 3ª Categoria 12,5 10,6 13,3 27,1 30,4 16,4 21,6 19,4 (1) O cálculo desta variável é efetuado tendo em conta os estabelecimentos com movimento de hóspedes no período de referência. 30

32 Taxa líquida de ocupação-quarto, segundo a categoria dos estabelecimentos (1) Net Room Occupancy Rate by Type of Establishment R. A. Madeira Categoria dos estabelecimentos Meses Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro Unidade: % / Ano: 2014 Valor acumulado Total 49,9 57,4 64,5 69,3 71,7 71,9 74,4 66,0 Hotéis 49,7 57,1 65,5 71,2 72,9 75,9 77,5 67,8 ***** 49,2 58,4 66,7 72,5 68,6 76,2 77,7 67,8 **** 53,9 57,5 69,4 73,1 77,9 79,1 80,7 70,8 *** 31,4 52,7 44,9 59,0 64,1 61,7 63,2 54,2 ** 30,0 33,0 47,8 52,8 52,3 46,1 56,0 45,8 * 19,6 76,4 69,6 84,4 39,0 52,1 51,8 53,0 Hotéis-apartamentos 55,8 63,2 69,7 71,1 75,3 73,4 76,4 69,3 ***** 62,2 62,1 80,5 80,3 82,0 86,9 88,7 77,7 **** 58,5 68,9 76,0 75,3 79,5 79,2 79,5 73,9 *** 46,4 50,0 50,7 57,2 62,4 53,9 62,2 54,6 Apartamentos turísticos 54,3 55,7 61,2 59,4 55,7 59,2 61,0 58,1 ***** 93,5 97,4 84,7 76,7 28,8 0,0 0,0 75,8 **** 49,7 51,3 61,8 63,4 60,1 63,1 72,5 60,4 *** 60,9 60,4 47,4 42,0 44,3 38,5 24,6 43,2 Aldeamentos turísticos 47,3 69,7 35,6 41,3 38,4 42,6 73,5 49,6 **** 47,3 69,7 35,6 41,3 38,4 42,6 73,5 49,6 Pousadas 24,4 50,2 41,6 53,5 68,8 44,6 59,9 49,0 Estalagens 34,7 46,4 58,4 66,5 66,9 52,5 58,7 55,0 ***** 21,9 33,7 53,2 62,4 54,0 35,1 51,7 44,3 **** 13,4 24,0 33,0 46,3 59,7 47,1 52,2 39,9 Quintas da Madeira 61,3 73,6 81,5 84,9 84,5 76,5 66,6 75,1 Pensões 39,2 42,7 47,1 54,3 59,2 52,3 50,4 49,2 Albergarias 60,2 69,9 79,6 73,2 81,0 77,4 67,0 72,6 1ª Categoria 56,9 66,1 71,4 76,7 78,8 72,2 80,5 71,8 2ª Categoria 25,0 27,9 30,0 40,0 44,6 37,7 33,7 33,7 3ª Categoria 19,4 13,4 15,7 31,6 33,3 19,4 23,1 22,6 (1) O cálculo desta variável é efetuado tendo em conta os estabelecimentos com movimento de hóspedes no período de referência. 31

33 Proveitos e custos totais com pessoal segundo os estabelecimentos hoteleiros Revenue and staff costs by type of establishment R. A. Madeira Custos Julho 2014 Categoria dos estabelecimentos Proveitos totais Proveitos Proveitos de aposento Custos totais com pessoal Var. homól. Var. homól. Var. homól. Var. homól. Var. homól. Var. homól. Mês Acumulado Mês Acumulado Mês Acumulado mensal (%) acum. (%) mensal (%) acum. (%) mensal (%) acum. (%) % % % Total ,1 9, ,9 8, ,5 2,7 Hotéis ,4 12, ,7 12, ,3 5,0 Hotéis-apartamentos ,8 12, ,9 3, ,7 0,8 Apartamentos turísticos ,1-13, ,6-13, ,3-1,4 Aldeamentos turísticos ,1-29, ,3-5, ,5 2,1 Pousadas ,8-9, ,0-7, ,9 0,0 Estalagens ,6-4, ,3 4, ,6-2,8 Pensões ,1-5, ,7-4, ,3-8, Revenue Per Available Room (RevPAR) nos estabelecimentos hoteleiros (1) Revenue Per Available Room in hotel establishments R. A. Madeira Ano: 2014 RevPAR ( ) Meses Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro Valor Acumulado Total 25,48 28,88 34,86 40,09 40,18 39,64 43,11 36,31 (1) O cálculo desta variável é efetuado tendo em conta os estabelecimentos com movimento de hóspedes no período de referência. 32

34 Estabelecimentos, quartos e capacidade de alojamento, por categoria dos estabelecimentos Establishments, rooms and accommodation capacity, by type of establishment R. A. Madeira Julho 2014 Categoria dos estabelecimentos Estabelecimentos (N.º) Quartos (N.º) Capacidade de alojamento (N.º) Total Hotéis ***** **** *** ** * Hotéis-apartamentos ***** **** *** Apartamentos turísticos ***** **** *** Aldeamentos turísticos **** Pousadas Estalagens ***** **** Quintas da Madeira Pensões Albergarias ª Categoria ª Categoria ª Categoria Nota: Estes valores dizem respeito apenas aos estabelecimentos em funcionamento. Na capacidade de alojamento são contadas as camas-extra utilizadas pelos estabelecimentos hoteleiros, daí as variações de mês para mês, mesmo quando o número de estabelecimentos é o mesmo. 33

35 Hóspedes entrados, total de hóspedes, dormidas e estada média, por município Guest arrivals, guests lodged, nights spent and average stay in hotel establishments, by municipality Julho 2014 Região Município Mês Hóspedes entrados Acumulado Var. homól. mens.% Var. homól. acum.% Mês Acumulado Hóspedes (1) Var. homól. mens.% Var. homól. acum.% Mês Acumulado Dormidas Var. homól. mens.% Var. homól. acum.% Estada Média N.º % N.º % N.º % N.º de noites Mês Acumulado R. A. Madeira ,6 6, ,9 6, ,6 5,3 5,7 5,4 Calheta ,3 1, ,1 1, ,1-4,3 5,1 4,9 Câmara de Lobos ,5 8, ,2 4, ,7-1,3 6,6 5,9 Funchal ,0 6, ,1 7, ,1 5,0 5,9 5,7 Machico ,0 9, ,9 9, ,2 1,2 4,2 3,7 Ponta do Sol ,4 8, ,5 6, ,2 7,7 5,1 4,7 Porto Moniz ,8 6, ,5 7, ,6 19,5 2,6 2,5 Ribeira Brava ,0-2, ,7-0, ,5-0,4 3,1 3,0 Santa Cruz ,0-1, ,9-0, ,3 5,3 6,4 6,0 Santana ,6 4, ,8 3, ,4 10,8 3,5 3,1 São Vicente ,4 7, ,5 6, ,3-3,4 5,6 4,8 Porto Santo ,6 23, ,9 22, ,5 25,5 5,8 4,9 (1) Inclui os hóspedes que transitaram do mês anterior. 34

ESTATÍSTICAS DO TURISMO

ESTATÍSTICAS DO TURISMO ESTATÍSTICAS DO TURISMO DA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA Resultados Provisórios Dezembro de 2016 Direção Regional de Estatística da Madeira Uma porta aberta para um universo de informação estatística Catalogação

Leia mais

ESTATÍSTICAS DO TURISMO

ESTATÍSTICAS DO TURISMO ESTATÍSTICAS DO TURISMO DA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA Resultados Provisórios Julho de 2016 Direção Regional de Estatística da Madeira Uma porta aberta para um universo de informação estatística Catalogação

Leia mais

ESTATÍSTICAS DO TURISMO

ESTATÍSTICAS DO TURISMO ESTATÍSTICAS DO TURISMO DA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA Resultados Provisórios Junho de 2014 Direção Regional de Estatística da Madeira Uma porta aberta para um universo de informação estatística Catalogação

Leia mais

Hotelaria com aumentos nos hóspedes, dormidas e proveitos

Hotelaria com aumentos nos hóspedes, dormidas e proveitos Atividade Turística Janeiro de 2014 19 de março de 2014 Hotelaria com aumentos nos hóspedes, dormidas e proveitos A hotelaria registou 1,7 milhões de dormidas em janeiro de 2014, valor que corresponde

Leia mais

Hotelaria manteve crescimento de dois dígitos mas com desaceleração particularmente no mercado interno

Hotelaria manteve crescimento de dois dígitos mas com desaceleração particularmente no mercado interno Atividade Turística Novembro de 2014 19 de janeiro de 2015 Hotelaria manteve crescimento de dois dígitos mas com desaceleração particularmente no mercado interno As dormidas na hotelaria fixaram-se em

Leia mais

Hotelaria mantém crescimento mas com desaceleração no número de hóspedes e de dormidas

Hotelaria mantém crescimento mas com desaceleração no número de hóspedes e de dormidas Atividade Turística Fevereiro de 20 15 de Abril de 20 Hotelaria mantém crescimento mas com desaceleração no número de hóspedes e de dormidas Os estabelecimentos hoteleiros registaram cerca de 2 milhões

Leia mais

Residentes no estrangeiro sustentam ligeiro aumento nas dormidas

Residentes no estrangeiro sustentam ligeiro aumento nas dormidas Atividade Turística Dezembro de 2012 14 de fevereiro de 2013 Residentes no estrangeiro sustentam ligeiro aumento nas dormidas As dormidas na hotelaria atingiram 1,7 milhões em dezembro 2012, mais 1,9%

Leia mais

ESTATÍSTICAS DO TURISMO TOURISM STATISTICS

ESTATÍSTICAS DO TURISMO TOURISM STATISTICS ESTATÍSTICAS DO TURISMO TOURISM STATISTICS 2009 2013 Secretaria Regional da Cultura, Turismo e Transportes Avenida Arriaga, 18 9004-519 Funchal Madeira Telf: 351-291 211 900 Fax: 351-291 232 151 e-mail:

Leia mais

ESTATÍSTICAS DO TURISMO TOURISM STATISTICS

ESTATÍSTICAS DO TURISMO TOURISM STATISTICS ESTATÍSTICAS DO TURISMO TOURISM STATISTICS 2008 2012 Secretaria Regional da Cultura, Turismo e Transportes Avenida Arriaga, 18 9004-519 Funchal Madeira Telf: 351-291 211 900 Fax: 351-291 232 151 e-mail:

Leia mais

Barómetro Turismo Alentejo

Barómetro Turismo Alentejo Barómetro Turismo Alentejo Janeiro 2012 METODOLOGIA TOP DORMIDAS JANEIRO 2012 Inicia-se este ano de 2012 com alterações na metodologia do Barómetro, incluindo a sistemática comparação dos dados de 2012

Leia mais

Não residentes foram cruciais para o crescimento da atividade turística em 2013

Não residentes foram cruciais para o crescimento da atividade turística em 2013 Estatísticas do Turismo 2013 24 de junho de 2014 Não residentes foram cruciais para o crescimento da atividade turística em 2013 Em 2013, de acordo com os dados provisórios da Organização Mundial de Turismo,

Leia mais

Atividade Turística com resultados positivos em 2014

Atividade Turística com resultados positivos em 2014 Estatísticas do Turismo 2014 28 de julho de 2015 Atividade Turística com resultados positivos em 2014 Segundo os dados provisórios da Organização Mundial de Turismo, as chegadas de turistas internacionais,

Leia mais

Instituto Nacional de Estatística de Cabo Verde Estatísticas do Turismo Movimentação de Hospedes 2º Trimestre 2015

Instituto Nacional de Estatística de Cabo Verde Estatísticas do Turismo Movimentação de Hospedes 2º Trimestre 2015 FICHA TÉCNICA Presidente António dos Reis Duarte Editor Instituto Nacional de Estatística Direcção de Contas Nacionais, Estatísticas Económicas e dos Serviços Divisão de Estatísticas do Turismo Av. Amilcar

Leia mais

MINISTÉRIO DA ECONOMIA E DA INOVAÇÃO

MINISTÉRIO DA ECONOMIA E DA INOVAÇÃO MINISTÉRIO DA ECONOMIA E DA INOVAÇÃO Índice Introdução Preço Médio por Dormida Proveito Médio de Aposento por Cama Conceitos Anexos 2 Introdução Com base em indicadores estatísticos disponibilizados pelo

Leia mais

ESTATÍSTICAS DO TURISMO TOURISM STATISTICS

ESTATÍSTICAS DO TURISMO TOURISM STATISTICS ESTATÍSTICAS DO TURISMO TOURISM STATISTICS 2006-2010 Secretaria Regional do Turismo e Transportes Avenida Arriaga, 18 9004-519 Funchal Madeira Telf: 351-291 211 900 Fax: 351-291 232 151 e-mail: info@madeiratourism.com

Leia mais

MINISTÉRIO DA ECONOMIA E INOVAÇÃO

MINISTÉRIO DA ECONOMIA E INOVAÇÃO MINISTÉRIO DA ECONOMIA E INOVAÇÃO Direcção de Serviços de Estudos e Estratégia Turísticos Divisão de Recolha e Análise Estatística Índice Introdução Proveito Médio de Aposento Conceitos Anexos Proveitos

Leia mais

ESTATÍSTICAS DO TURISMO TOURISM STATISTICS

ESTATÍSTICAS DO TURISMO TOURISM STATISTICS ESTATÍSTICAS DO TURISMO TOURISM STATISTICS 2007 2011 Secretaria Regional da Cultura, Turismo e Transportes Avenida Arriaga, 18 9004-519 Funchal Madeira Telf: 351-291 211 900 Fax: 351-291 232 151 e-mail:

Leia mais

G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação_ e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N.

G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação_ e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N. Boletim Mensal de Economia Portuguesa N.º 9 setembro 211 Gabinete de Estratégia e Estudos Ministério da Economia e do Emprego G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação_ e Relações Internacionais

Leia mais

ANÁLISE DOS PRINCIPAIS RESULTADOS - MOVIMENTAÇAO DE HÓSPEDES

ANÁLISE DOS PRINCIPAIS RESULTADOS - MOVIMENTAÇAO DE HÓSPEDES ANÁLISE DOS PRINCIPAIS RESULTADOS - MOVIMENTAÇAO DE HÓSPEDES EM 2009, AS ENTRADAS DE TURISTAS NOS ESTABELECIMENTOS HOTELEIROS DIMINUIRAM 0,9% FACE AO ANO ANTERIOR. NO ENTANTO, NESSE MESMO PERIODO AS DORMIDAS

Leia mais

Instituto Nacional de Estatística de Cabo Verde Estatísticas do Turismo Movimentação de Hóspedes 1º Tr. 2015

Instituto Nacional de Estatística de Cabo Verde Estatísticas do Turismo Movimentação de Hóspedes 1º Tr. 2015 1 FICHA TÉCNICA Presidente António dos Reis Duarte Editor Instituto Nacional de Estatística Direcção de Método e Gestão de Informação Serviço de Conjuntura Direcção de Contas Nacionais, Estatísticas Económicas

Leia mais

indicadores 1. Hóspedes 1.1. Número total de hóspedes 1.2. Hóspedes por tipologia de alojamento 1.3. Hóspedes por país de origem

indicadores 1. Hóspedes 1.1. Número total de hóspedes 1.2. Hóspedes por tipologia de alojamento 1.3. Hóspedes por país de origem boletim trimestral - n.º 2 - setembro 2013 algarve conjuntura turística indicadores 1. Hóspedes 1.1. Número total de hóspedes 1.2. Hóspedes por tipologia de alojamento 1.3. Hóspedes por país de origem

Leia mais

indicadores 1. Capacidade de alojamento na Hotelaria Global

indicadores 1. Capacidade de alojamento na Hotelaria Global boletim trimestral - n.º 4 - março 2014 algarve conjuntura turística indicadores 1. Capacidade de alojamento na Hotelaria Global 2. Hóspedes 2.1. Número total de hóspedes 2.2. Hóspedes por tipologia de

Leia mais

indicadores 1. Hóspedes 2.1. Número total de hóspedes 2.2. Hóspedes por tipologia de alojamento 2.3. Hóspedes por país de origem

indicadores 1. Hóspedes 2.1. Número total de hóspedes 2.2. Hóspedes por tipologia de alojamento 2.3. Hóspedes por país de origem boletim trimestral - n.º 6 - outubro 2014 algarve conjuntura turística indicadores 1. Hóspedes 2.1. Número total de hóspedes 2.2. Hóspedes por tipologia de alojamento 2.3. Hóspedes por país de origem 1.

Leia mais

OBSERVATÓRIO DO TURISMO DE LISBOA RECUPERAÇÃO. desta edição. Dados da Hotelaria Cidade de Lisboa Grande Lisboa Região de Lisboa

OBSERVATÓRIO DO TURISMO DE LISBOA RECUPERAÇÃO. desta edição. Dados da Hotelaria Cidade de Lisboa Grande Lisboa Região de Lisboa DO TURISMO DE LISBOA DADOS Maio RECUPERAÇÃO No mês de Maio, os principais indicadores analisados registam sinais positivos de recuperação em todas as unidades hoteleiras. Destacam-se as unidades de quatro

Leia mais

boletim trimestral - edição especial - n.º 0 - abril 2013 algarve conjuntura turística 2. Capacidade de alojamento na hotelaria global

boletim trimestral - edição especial - n.º 0 - abril 2013 algarve conjuntura turística 2. Capacidade de alojamento na hotelaria global boletim trimestral - edição especial - n.º 0 - abril 2013 algarve conjuntura turística indicadores 1. Movimento de passageiros no Aeroporto de Faro 1.1. Movimento total de passageiros 1.2. Movimento mensal

Leia mais

HOTELARIA 2008. AEP / Gabinete de Estudos

HOTELARIA 2008. AEP / Gabinete de Estudos HOTELARIA 2008 AEP / Gabinete de Estudos Junho de 2008 1 1. INFORMAÇÃO SOBRE AS EMPRESAS Segundo os dados das Empresas em Portugal 2005, do INE, em 2005 o sector do Alojamento e Restauração compreendia

Leia mais

Análise Regional dezembro 2015

Análise Regional dezembro 2015 Portugal Em, o Algarve voltou a liderar o País com 16,6 milhões de dormidas (34% de quota no País) e cresceu 2,7% face a 2014. Lisboa posicionou-se no 2.º lugar com 12,3 milhões de dormidas e assinalou,

Leia mais

vindo a verificar nos últimos tempos. As pers- próximo, estando prevista, a título de exemplo, náuticos internacionais que se realizam nos

vindo a verificar nos últimos tempos. As pers- próximo, estando prevista, a título de exemplo, náuticos internacionais que se realizam nos DO TURISMO DE LISBOA DADOS Março PERFORMANCE POSITIVA No primeiro trimestre de, a capital portuguesa continuou a demonstrar uma boa pectivas são igualmente positivas para o futuro vindo a verificar nos

Leia mais

boletim trimestral - n.º 1 - junho 2013 algarve conjuntura turística

boletim trimestral - n.º 1 - junho 2013 algarve conjuntura turística boletim trimestral - n.º 1 - junho 2013 algarve conjuntura turística indicadores 1. Movimento de passageiros no aeroporto de Faro 1.1. Movimento total de passageiros 1.2. Passageiros desembarcados por

Leia mais

A taxa de variação média do IPC foi -0,3% em 2014 e a taxa de variação homóloga situou-se em -0,4% em dezembro

A taxa de variação média do IPC foi -0,3% em 2014 e a taxa de variação homóloga situou-se em -0,4% em dezembro 13 de janeiro de 2015 ÍNDICE DE PREÇOS NO CONSUMIDOR Dezembro de 2014 A taxa de variação média do IPC foi -0,3% em 2014 e a taxa de variação homóloga situou-se em -0,4% em dezembro Em 2014, o Índice de

Leia mais

AÇORES. julho de 2011 a fevereiro de 2012. Análise do estudo entre julho de 2011 e fevereiro de 2012. Introdução. Dormidas

AÇORES. julho de 2011 a fevereiro de 2012. Análise do estudo entre julho de 2011 e fevereiro de 2012. Introdução. Dormidas julho de 2011 a fevereiro de 2012 Análise do estudo entre julho de 2011 e fevereiro de 2012 Introdução O presente relatório tem como objetivo sintetizar o estudo mensal, apresentado sob a forma de Tableau

Leia mais

O TURISMO NO ESPAÇO RURAL 2006

O TURISMO NO ESPAÇO RURAL 2006 O TURISMO NO ESPAÇO RURAL 2006 Elaborado por: Ana Paula Gomes Bandeira Coordenado por: Teresinha Duarte Direcção de Serviços de Estudos e Estratégia Turísticos Divisão de Recolha e Análise Estatística

Leia mais

Empresas nacionais de transporte aéreo movimentaram mais 6,3% de passageiros

Empresas nacionais de transporte aéreo movimentaram mais 6,3% de passageiros Transportes aéreos e atividade turística 2013 10 de setembro de 2014 Movimento de passageiros nos aeroportos nacionais aumentou 4,9% O tráfego comercial nas infraestruturas aeroportuárias nacionais em

Leia mais

Em termos nominais, as exportações aumentaram 2,1% e as importações diminuíram 3,5%

Em termos nominais, as exportações aumentaram 2,1% e as importações diminuíram 3,5% Estatísticas do Comércio Internacional Fevereiro 2015 09 de abril de 2015 Em termos nominais, as exportações aumentaram 2,1% e as importações diminuíram 3,5% As exportações de bens aumentaram 2,1% e as

Leia mais

ESTATÍSTICAS DO TURISMO TOURISM STATISTICS 2005-2009

ESTATÍSTICAS DO TURISMO TOURISM STATISTICS 2005-2009 ESTATÍSTICAS DO TURISMO TOURISM STATISTICS 2005-2009 Secretaria Regional do Turismo e Transportes Avenida Arriaga, 18 9004-519 Funchal Madeira Telf: 351-291 211 900 Fax: 351-291 232 151 e-mail: info@madeiratourism.com

Leia mais

O TURISMO NO ESPAÇO RURAL 2005

O TURISMO NO ESPAÇO RURAL 2005 O TURISMO NO ESPAÇO RURAL 2005 Elaborado por: Maria Julieta Martins Coordenado por: Teresinha Duarte Direcção de Serviços de Estudos e Estratégia Turísticos Divisão de Recolha e Análise Estatística Índice

Leia mais

Seminário. 12 novembro 2013. Iniciativa conjunta INE LNEC

Seminário. 12 novembro 2013. Iniciativa conjunta INE LNEC Seminário 12 novembro 2013 Iniciativa conjunta INE LNEC Casa própria ou arrendamento perfil da ocupação residencial emportugal Bárbara Veloso INE 12 novembro 2013 Iniciativa conjunta INE LNEC Sumário Aumentaram

Leia mais

Região Autónoma da Madeira

Região Autónoma da Madeira Região Autónoma da Madeira Área () km 2 801,0 Densidade populacional () Hab/Km 2 309,0 População residente (31.12.) Nº 247.568 População < 15 anos Nº 42.686 População > 65 anos Nº 32.188 Taxa conclusão

Leia mais

Espanha continuou a ser o país com maior peso nas transações comerciais de bens com o exterior (23,5% nas exportações e de 32,5% nas importações).

Espanha continuou a ser o país com maior peso nas transações comerciais de bens com o exterior (23,5% nas exportações e de 32,5% nas importações). Estatísticas do Comércio Internacional 214 7 de julho de 215 Resultados preliminares do Comércio Internacional em 214: em termos nominais, as exportações aumentaram 1,8% e as importações aumentaram 3,2%

Leia mais

Associação da Hotelaria de Portugal divulga dados do Tourism Monitor do primeiro trimestre de 2014

Associação da Hotelaria de Portugal divulga dados do Tourism Monitor do primeiro trimestre de 2014 Lisboa, 3 de junho de 2014 Associação da Hotelaria de Portugal divulga dados do Tourism Monitor do primeiro trimestre de 2014 De acordo com a Associação da Hotelaria de Portugal, houve um crescimento de

Leia mais

RELATÓRIO DE CONJUNTURA AEP / GABINETE DE ESTUDOS

RELATÓRIO DE CONJUNTURA AEP / GABINETE DE ESTUDOS HOTELARIA RELATÓRIO DE CONJUNTURA AEP / GABINETE DE ESTUDOS Julho de 2005 A actividade da hotelaria insere-se na CAE 55 Alojamento e Restauração, que, por sua vez, integra o sector do turismo, um dos sectores

Leia mais

SECTOR EMPRESARIAL DA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA

SECTOR EMPRESARIAL DA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA SECTOR EMPRESARIAL DA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA 2013 Direção Regional de Estatística da Madeira Uma porta aberta para um universo de informação estatística Catalogação Recomendada Sector Empresarial da

Leia mais

OBSERVATÓRIO DO TURISMO DE LISBOA ANÁLISES DESTA EDIÇÃO DADOS DE AGOSTO 2014 EVOLUÇÃO DOS MERCADOS INFOGOLFE E CRUZEIROS INDÍCES POR REGIÃO

OBSERVATÓRIO DO TURISMO DE LISBOA ANÁLISES DESTA EDIÇÃO DADOS DE AGOSTO 2014 EVOLUÇÃO DOS MERCADOS INFOGOLFE E CRUZEIROS INDÍCES POR REGIÃO DO TURISMO DE LISBOA DADOS DE AGOSTO ANÁLISES DESTA EDIÇÃO EVOLUÇÃO DOS MERCADOS > Dados da Hotelaria > Cidade de Lisboa > Região de Lisboa INFOGOLFE E CRUZEIROS INDÍCES POR REGIÃO Os dados contidos nesta

Leia mais

Instituto Nacional de Estatística Estatísticas do Turismo 2013. Presidente António dos Reis Duarte. Editor Instituto Nacional de Estatística

Instituto Nacional de Estatística Estatísticas do Turismo 2013. Presidente António dos Reis Duarte. Editor Instituto Nacional de Estatística Instituto Nacional de Estatística Estatísticas do Turismo 2013 Presidente António dos Reis Duarte Editor Instituto Nacional de Estatística Av. Cidade de Lisboa, nº 18, Cx. Postal 116, Praia Tel.: +238

Leia mais

Comércio Internacional Saídas aumentam 15,1% e Entradas diminuem 3,6%

Comércio Internacional Saídas aumentam 15,1% e Entradas diminuem 3,6% 09 de janeiro de 2012 Estatísticas do Comércio Internacional Novembro de 2011 Comércio Internacional Saídas aumentam 15,1% e Entradas diminuem 3,6% No período de setembro a novembro de 2011, as saídas

Leia mais

Deslocações turísticas de residentes aumentaram

Deslocações turísticas de residentes aumentaram PROCURA TURÍSTICA DOS RESIDENTES 2º Trimestre 2013 31 de outubro de 2013 Deslocações turísticas de residentes aumentaram Entre abril e junho de 2013, os residentes em Portugal efetuaram 3,9 milhões de

Leia mais

Turismo no Espaço Rural. A oferta e a procura no TER

Turismo no Espaço Rural. A oferta e a procura no TER A oferta e a procura no TER 2007 Índice Introdução Capacidade de alojamento Estimativa de dormidas Taxas de ocupação-cama Anexos 2 Introdução. Em 2007 estavam em funcionamento em Portugal 1.023 unidades

Leia mais

HOTELARIA RELATÓRIO DE CONJUNTURA

HOTELARIA RELATÓRIO DE CONJUNTURA HOTELARIA RELATÓRIO DE CONJUNTURA AEP / GABINETE DE ESTUDOS Julho de 2006 A actividade da hotelaria insere-se na CAE 55 Alojamento e Restauração, que, por sua vez, integra o sector do turismo, um dos sectores

Leia mais

Internacionalização da Economia Portuguesa e a Transformação da Indústria Portuguesa. Coimbra, 19 de Novembro de 2010

Internacionalização da Economia Portuguesa e a Transformação da Indústria Portuguesa. Coimbra, 19 de Novembro de 2010 Internacionalização da Economia Portuguesa e a Transformação da Indústria Portuguesa Coimbra, 19 de Novembro de 2010 Enquadramento Enquadramento A importância da Internacionalização na vertente das exportações

Leia mais

Inventário Anual aos Estabelecimentos Hoteleiros 2012. Folha de Informação Rápida

Inventário Anual aos Estabelecimentos Hoteleiros 2012. Folha de Informação Rápida Inventário Anual aos Estabelecimentos Hoteleiros 2012 Folha de Informação Rápida 2013 Instituto Nacional de Estatística Estatísticas do Turismo 2012 Inventario Anual dos Estabelecimentos Hoteleiros Presidente

Leia mais

Transporte Aéreo de Passageiros em quebra generalizada na Europa E

Transporte Aéreo de Passageiros em quebra generalizada na Europa E 20 de Setembro, de 2010 TRANSPORTES EM FOCO Setembro de 2010 Transporte aéreo de passageiros em e na / Transporte Aéreo de Passageiros em quebra generalizada na Europa E em No contexto da crise económica

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DA HOTELARIA DE PORTUGAL: INDICADORES DE MAIO MARCADOS POR EVENTOS NACIONAIS E INTERNACIONAIS

ASSOCIAÇÃO DA HOTELARIA DE PORTUGAL: INDICADORES DE MAIO MARCADOS POR EVENTOS NACIONAIS E INTERNACIONAIS Lisboa, 30 de julho de 2014 ASSOCIAÇÃO DA HOTELARIA DE PORTUGAL: INDICADORES DE MAIO MARCADOS POR EVENTOS NACIONAIS E INTERNACIONAIS Grande Lisboa puxou o mês A AHP Associação da Hotelaria de Portugal

Leia mais

G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N.

G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N. Boletim Mensal de Economia Portuguesa N.º 03 março 2012 Gabinete de Estratégia e Estudos Ministério da Economia e do Emprego G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais

Leia mais

Portugal Leaping forward

Portugal Leaping forward Portugal Leaping forward Dr. Pedro Reis Presidente da AICEP Lisboa, 16 de Março 2012 Enquadramento internacional Fonte: EIU (Fev 2012) Nota: PIB a preços de mercado Variação (%) Enquadramento internacional

Leia mais

ANÁLISE ESTATÍSTICA j a n e i r o m a i o 2011 1

ANÁLISE ESTATÍSTICA j a n e i r o m a i o 2011 1 ANÁLISE ESTATÍSTICA j a n e i r o m a i o 2011 1 ANÁLISE DE DORMIDAS NACIONAIS E ESTRANGEIRAS Estabelecimentos Hoteleiros, Aldeamentos e Apartamentos Turísticos Acumulado Janeiro Maio 2010/2011 A Turismo

Leia mais

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE Simpl Acum Simpl Acum jul/10 a jun/11 jul/11 12 13 (%) (%) (%) (%) 1.72.380,00 0,00 0,00 0,00 361.00,00 22,96 22,96 1/11 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE ago/11 Simpl Acum Simpl Acum Simpl

Leia mais

Anuário Estatístico de Turismo - 2015

Anuário Estatístico de Turismo - 2015 Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2015 Volume 42 Ano base 2014 Sumário I Turismo receptivo 1. Chegadas de turistas ao Brasil - 2013-2014

Leia mais

Graf. 1 - Índices de preços no consumidor e de inflação subjacente (taxa de variação homóloga e média dos últimos 12 meses) Jun-07. Mar-07.

Graf. 1 - Índices de preços no consumidor e de inflação subjacente (taxa de variação homóloga e média dos últimos 12 meses) Jun-07. Mar-07. ÍNDICE DE PREÇOS NO CONSUMIDOR Dezembro de 2009 13 de Janeiro 2010 Em 2009 a taxa de variação média diminuiu para -0,8 0,8% e em Dezembro a taxa t de variação homóloga situou-se se em -0, 0,1% Em 2009,

Leia mais

Planos de Preços. Planos de Preços para Chamadas na Rede Fixa. Plano Fixo 24

Planos de Preços. Planos de Preços para Chamadas na Rede Fixa. Plano Fixo 24 Planos de Preços Preços incluem IVA a 23% Planos de Preços para Chamadas na Rede Fixa Plano Fixo 24 Chamadas grátis para a Rede Fixa, se ainda não tem um pacote com chamadas ilimitadas Mensalidade 4 Chamadas

Leia mais

INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA SERVIÇO DE SERVIÇO DE ACESSO À INTERNET ATRAVÉS DE BANDA LARGA

INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA SERVIÇO DE SERVIÇO DE ACESSO À INTERNET ATRAVÉS DE BANDA LARGA http://www.anacom.pt/template12.jsp?categoryid=168982 INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA DO SERVIÇO DE SERVIÇO DE ACESSO À INTERNET ATRAVÉS DE BANDA LARGA 3º TRIMESTRE DE 2005 NOTA: O presente documento constitui

Leia mais

Procura Turística dos Residentes 4º Trimestre de 2014

Procura Turística dos Residentes 4º Trimestre de 2014 Procura Turística dos Residentes 4º Trimestre de 2014 30 de abril de 2015 Viagens turísticas dos residentes com ligeiro aumento No 4º trimestre de 2014 os residentes em Portugal realizaram cerca de 4,0

Leia mais

TABELA DE VALORES DE BOLSAS NO EXTERIOR

TABELA DE VALORES DE BOLSAS NO EXTERIOR Revogada pela RN 020/06 Resolução Normativa RN-007/2006 Revoga a RN 001/05 TABELA DE VALORES DE BOLSAS NO EXTERIOR O Presidente do CONSELHO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO - CNPq,

Leia mais

Newsletter Informação Semanal 31-08 a 06-09-2015

Newsletter Informação Semanal 31-08 a 06-09-2015 EUR / Kg Peso Vivo CONJUNTURA SEMANAL - AVES Newsletter Informação Semanal 31-08 a 06-09- As Newsletter do SIMA podem também ser consultadas no facebook em: https://www.facebook.com/sima.portugal Na semana

Leia mais

gabinete de estratégia e estudos

gabinete de estratégia e estudos Gabinete de Estratégia e Estudos Síntese Estatística gabinete de estratégia e estudos INVESTIMENTO DIRECTO Exterior em Portugal e Portugal no Exterior Agosto de 26 Índice Tratamento e análise dos dados

Leia mais

Mercado em números. Brasil. Designação oficial: República Federativa do Brasil. Guiana Venezuela Suriname Columbia. Capital: Brasília.

Mercado em números. Brasil. Designação oficial: República Federativa do Brasil. Guiana Venezuela Suriname Columbia. Capital: Brasília. Guiana Venezuela Suriname Columbia Guiana Francesa Designação oficial: República Federativa do Capital: Brasília Localização: Leste da América do Sul Peru Fronteiras terrestres: 16.145 km com a Argentina

Leia mais

Dormidas de não residentes continuaram em crescimento

Dormidas de não residentes continuaram em crescimento Atividade Turística Junho de 2015 14 de agosto de 2015 Dormidas de não residentes continuaram em crescimento A hotelaria registou 5,0 milhões de dormidas em junho de 2015, a que corresponde um aumento

Leia mais

Valor médio de avaliação bancária aumentou ligeiramente

Valor médio de avaliação bancária aumentou ligeiramente 26 de junho de 2014 Inquérito à Avaliação Bancária na Habitação Maio de 2014 Valor médio de avaliação bancária aumentou ligeiramente O valor médio de avaliação bancária 1 do total do País foi de 995 euros/m

Leia mais

Anuário das Estatísticas do Turismo 2012

Anuário das Estatísticas do Turismo 2012 Anuário das Estatísticas do Turismo 2012 1 Índice CAPÍTULO I Séries Internacionais e Nacionais 2003 a 2012 6 Fluxos Turísticos Internacionais 7 O Turismo na Economia Nacional 16 O Alojamento Turístico

Leia mais

DESEMPENHO DA HOTELARIA DE SALVADOR - 2013

DESEMPENHO DA HOTELARIA DE SALVADOR - 2013 Superintendencia de Investimentos em Pólos Turisticos SUINVEST Diretoria de Planejamento e Estudos Econômicos DPEE DESEMPENHO DA HOTELARIA DE SALVADOR - 2013 Pesquisa SETUR Maio, 2014 1 DESEMPENHO DA HOTELARIA

Leia mais

Anuário Estatístico de Turismo - 2012

Anuário Estatístico de Turismo - 2012 Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2012 Volume 39 Ano base 2011 Sumário I Turismo receptivo 1. Chegadas de turistas ao Brasil - 2010-2011

Leia mais

Hotelaria com melhoria nos principais resultados

Hotelaria com melhoria nos principais resultados 10 de Agosto de 2011 Actividade Turística Junho de 2011 Hotelaria com melhoria nos principais resultados No mês de Junho de 2011, a hotelaria apresentou quatro milhões de dormidas, mais 13% do que no mês

Leia mais

Em termos nominais, as exportações aumentaram 8,2% e as importações aumentaram 7,4%

Em termos nominais, as exportações aumentaram 8,2% e as importações aumentaram 7,4% Estatísticas do Comércio Internacional Abril 215 9 de junho de 215 Em termos nominais, as exportações aumentaram 8,2% e as importações aumentaram 7,4% As exportações de bens aumentaram 8,2% e as importações

Leia mais

Quadro 1 Número de empresas de seguros a operar em Portugal. 2014 Vida Não Vida Mistas Total. Empresas de seguros de direito português 15 23 6 44

Quadro 1 Número de empresas de seguros a operar em Portugal. 2014 Vida Não Vida Mistas Total. Empresas de seguros de direito português 15 23 6 44 Quadro Número de empresas de seguros a operar em Portugal 24 Vida Não Vida Mistas Total Em regime de estabelecimento 2 46 2 78 Empresas de seguros de direito português 5 23 6 44 Empresas de seguros 5 2

Leia mais

HBL15 Trabalhar na Irlanda do Norte: Subsídio de Alojamento Um folhetim informativo do Executivo de Alojamento para Trabalhadores Migrantes

HBL15 Trabalhar na Irlanda do Norte: Subsídio de Alojamento Um folhetim informativo do Executivo de Alojamento para Trabalhadores Migrantes HBL15 Trabalhar na Irlanda do Norte: Subsídio de Alojamento Um folhetim informativo do Executivo de Alojamento para Trabalhadores Migrantes Este folheto explica as regras que se aplicam ao Benefício de

Leia mais

PORTUGAL. A recente performance de Portugal enquanto destino turístico Mitos e realidades. João Cotrim de Figueiredo 05 dezembro 2015

PORTUGAL. A recente performance de Portugal enquanto destino turístico Mitos e realidades. João Cotrim de Figueiredo 05 dezembro 2015 PORTUGAL A recente performance de Portugal enquanto destino turístico Mitos e realidades João Cotrim de Figueiredo 05 dezembro 2015 Um ciclo de crescimento longo e a acelerar 12 000 000 10 000 000 Receitas

Leia mais

Anuário Estatístico de Turismo - 2013

Anuário Estatístico de Turismo - 2013 Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2013 Volume 40 Ano base 2012 Guia de leitura Guia de leitura O Guia de Leitura tem o propósito de orientar

Leia mais

Hóspedes do estrangeiro compensam redução de dormidas pelos residentes

Hóspedes do estrangeiro compensam redução de dormidas pelos residentes Atividade Turística Fevereiro 2013 16 de Abril de 2013 Hóspedes do estrangeiro compensam redução de dormidas pelos residentes As dormidas na hotelaria atingiram 1,9 milhões, o que correspondeu a uma variação

Leia mais

estatísticas rápidas dezembro 2013

estatísticas rápidas dezembro 2013 estatísticas rápidas dezembro 213 Nº 16 Índice A. Resumo B. As energias renováveis na produção de eletricidade 1. Energia e potência por fonte de energia 2. Energia e potência por distrito 3. Comparação

Leia mais

Recorde-se que no item Transporte chamou-se a atenção para o crescimento do movimento de vôos internacionais no aeroporto de Fortaleza.

Recorde-se que no item Transporte chamou-se a atenção para o crescimento do movimento de vôos internacionais no aeroporto de Fortaleza. A atividade do setor de no Ceará, tem apresentado um expressivo crescimento ao longo dos últimos anos. De fato, tendo recebido 970.000 turistas em 1997, este fluxo alcançou 1.550.857 em 2003 e 1.784.354

Leia mais

EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2. Atividade global... 2. Atividade setorial... 3. - Produção... 3. - Volume de negócios... 5

EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2. Atividade global... 2. Atividade setorial... 3. - Produção... 3. - Volume de negócios... 5 SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal fevereiro 2015 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 5 Comércio internacional...

Leia mais

Hotelaria com aumentos nas dormidas e proveitos

Hotelaria com aumentos nas dormidas e proveitos Atividade Turística Junho 2013 14 de agosto de 2013 Hotelaria com aumentos nas dormidas e proveitos A hotelaria registou 4,4 milhões de dormidas em junho de 2013, mais 8,6% do que em junho de 2012. Para

Leia mais

Áustria, Dinamarca, Finlândia, França, Irlanda, Itália, Liechtenstein, Noruega, Suécia, Reino Unido

Áustria, Dinamarca, Finlândia, França, Irlanda, Itália, Liechtenstein, Noruega, Suécia, Reino Unido PROGRAMA ERASMUS+ AÇÃO 1 MOBILIDADE INDIVIDUAL PARA FINS DE APRENDIZAGEM ENSINO SUPERIOR 2015 TABELA DE BOLSAS DE MOBILIDADE ESTUDANTES PARA ESTUDOS E ESTÁGIOS TABELA 1 De Portugal Continental para: Valor

Leia mais

Associação da Hotelaria de Portugal divulga indicadores de novembro de 2012

Associação da Hotelaria de Portugal divulga indicadores de novembro de 2012 Lisboa, 4 de fevereiro de 2013 Associação da Hotelaria de Portugal divulga indicadores de novembro de 2012 TAXA DE OCUPAÇÃO QUARTO SOBE 10,64%, NO PORTO, e 5,75% EM LISBOA COM BOM DESEMPENHO DE TODAS AS

Leia mais

www.ine.pt FICHA TÉCNICA O INE, I.P. na Internet

www.ine.pt FICHA TÉCNICA O INE, I.P. na Internet x x FICHA TÉCNICA Título Estatísticas do Turismo 2014 Editor Instituto Nacional de Estatística, I.P. Av. António José de Almeida 1000-043 Lisboa Portugal Telefone: 21 842 61 00 Fax: 21 845 40 84 Presidente

Leia mais

Direção Regional de Estatística da Madeira

Direção Regional de Estatística da Madeira 29 de dezembro de 2014 GASTOS TURÍSTICOS INTERNACIONAIS NA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA ANO DE 2013 Nota introdutória O Inquérito aos Gastos Turísticos Internacionais (IGTI) foi uma operação estatística

Leia mais

Em Portugal o Produto Interno Bruto per capita expresso em Paridades de Poder de Compra situou-se em 79,0% da média da União Europeia em 2013

Em Portugal o Produto Interno Bruto per capita expresso em Paridades de Poder de Compra situou-se em 79,0% da média da União Europeia em 2013 Paridades de Poder de Compra 2013 11 de dezembro de 2014 Em Portugal o Produto Interno Bruto per capita expresso em Paridades de Poder de Compra situou-se em 79,0% da média da União Europeia em 2013 O

Leia mais

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE Simpl Acum Simpl Acum jul/10 a jun/11 jul/11 12 13 (%) (%) (%) (%) 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 1/11 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE ago/11 Simpl Acum Simpl Acum Simpl Acum 14 set/11 15

Leia mais

Aumento significativo das dormidas e proveitos

Aumento significativo das dormidas e proveitos 15 de abril de 2016 Atividade Turística Fevereiro de 2016 Aumento significativo das dormidas e proveitos A hotelaria registou 989,9 mil hóspedes e 2,6 milhões de dormidas em fevereiro de 2016, equivalendo

Leia mais

Hóspedes, dormidas e proveitos mantêm crescimento significativo

Hóspedes, dormidas e proveitos mantêm crescimento significativo Atividade Turística Julho de 20 15 de setembro de 20 Hóspedes, dormidas e proveitos mantêm crescimento significativo A hotelaria registou 5,8 milhões de dormidas em julho de 20, valor correspondente a

Leia mais

'DWD 7HPD $FRQWHFLPHQWR

'DWD 7HPD $FRQWHFLPHQWR 'DWD 7HPD $FRQWHFLPHQWR 22/01 Economia 25/01 Comércio Internacional 26/01 Taxas de Juro 29/01 Economia 31/01 Desemprego 31/01 Investimento Banco de Portugal divulgou Boletim Estatístico Janeiro 2007 http://epp.eurostat.ec.europa.eu/pls/portal/docs/page/pgp_prd_cat_prerel/pge_cat_prerel_year_2007/pge_

Leia mais

15 de março de 2016 ATIVIDADE TURÍSTICA

15 de março de 2016 ATIVIDADE TURÍSTICA 15 de março de 2016 ATIVIDADE TURÍSTICA janeiro a fevereiro 2016 Na Região Autónoma dos Açores, no mês de fevereiro, os estabelecimentos hoteleiros registaram 63,6 mil dormidas, representando um acréscimo

Leia mais

O turismo e o seu contributo para o desenvolvimento da Madeira

O turismo e o seu contributo para o desenvolvimento da Madeira O turismo e o seu contributo para o desenvolvimento da Madeira Lisboa, 5 de Julho 2012 Bruno Freitas Diretor Regional de Turismo da Madeira O Destino Madeira A Região Autónoma da Madeira (RAM) ocupa, desde

Leia mais

COMÉRCIO INTERNACIONAL 2014

COMÉRCIO INTERNACIONAL 2014 EXPORTAÇÕES (POR CAPÍTULO) 2013 2014 50 Artigos de seda 462 282-38,9% 51 Artigos de lã 60.801 63.996 5,3% 52 Artigos de algodão 145.006 154.454 6,5% 53 Outras fibras têxteis vegetais 4.839 4.169-13,8%

Leia mais

O contributo do Sistemas de Informação Geográfica na Gestão da Informação Estatística

O contributo do Sistemas de Informação Geográfica na Gestão da Informação Estatística O contributo do Sistemas de Informação Geográfica na Gestão da Informação Estatística 31 de Maio e 1 de Junho de 2007 Angra do Heroísmo ana.oliveira@ine.pt AGENDA 1. Enquadramento 2. Informação Geográfica

Leia mais

Newsletter Informação Semanal 21-09 a 27-09-2015

Newsletter Informação Semanal 21-09 a 27-09-2015 EUR / Kg Peso Carcaça CONJUNTURA SEMANAL Newsletter Informação Semanal 21-09 a 27-09- As Newsletter do SIMA podem também ser consultadas no facebook em: https://www.facebook.com/sima.portugal Na semana

Leia mais

SIGA - Sistema Integrado de Gestão de Atendimento

SIGA - Sistema Integrado de Gestão de Atendimento 2º Semestre 2012 SIGA - Sistema Integrado de Gestão de Atendimento Estatística de utilização Índice... 2 Médio de Espera... 2 Taxa de Desistências... 3 Total de Contribuintes Atendidos... 3 Médio de Atendimento...

Leia mais

RELATÓRIO DE GESTÃO 2013

RELATÓRIO DE GESTÃO 2013 RELATÓRIO DE GESTÃO 2013 NATURTEJO EMPRESA DE TURISMO - EIM MARÇO, CASTELO BRANCO 2014 Nos termos legais e estatutários, vimos submeter a apreciação da assembleia Geral o Relatório de Gestão, as contas,

Leia mais

Taxa de Empréstimo Estatísticas Financeiras Internacionais (FMI - IFS)

Taxa de Empréstimo Estatísticas Financeiras Internacionais (FMI - IFS) Taxa de Empréstimo Estatísticas Financeiras Internacionais (FMI - IFS) África do Sul: Taxa predominante cobrada pelos bancos de contas garantidas prime. Alemanha: Taxa sobre crédito de conta-corrente de

Leia mais

Por que a CPMF é um problema para o Brasil?

Por que a CPMF é um problema para o Brasil? Por que a CPMF é um problema para o Brasil? 1 A Carga Tributária Brasileira Muito pesada para um país que precisa crescer 2 A carga tributária brasileira vem apresentando crescimento 40% 30% 26,9% 27,8%

Leia mais

15 de junho de 2016 ATIVIDADE TURÍSTICA

15 de junho de 2016 ATIVIDADE TURÍSTICA 15 de junho de 2016 ATIVIDADE TURÍSTICA janeiro a abril 2016 Na Região Autónoma dos Açores, no mês de abril, os estabelecimentos hoteleiros registaram 117,6 mil dormidas, representando um acréscimo homólogo

Leia mais