VIABILIDADE DO SÊMEN SUÍNO CONGELADO SUBMETIDO A UM PERÍODO DE EQUILÍBRIO PRÉ-CONGELAMENTO COM OU SEM A PRESENÇA DE PLASMA SEMINAL

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "VIABILIDADE DO SÊMEN SUÍNO CONGELADO SUBMETIDO A UM PERÍODO DE EQUILÍBRIO PRÉ-CONGELAMENTO COM OU SEM A PRESENÇA DE PLASMA SEMINAL"

Transcrição

1 Arquivos da Faculdade de Veterinária. UFRGS. 29(2): , ISSN Recebido/Received: junho 2001 VIABILIDADE DO SÊMEN SUÍNO CONGELADO SUBMETIDO A UM PERÍODO DE EQUILÍBRIO PRÉ-CONGELAMENTO COM OU SEM A PRESENÇA DE PLASMA SEMINAL VIABILITY OF FROZEN SWINE SEMEN SUBMITTED TO A PRE-FREEZING EQUILIBRIUM TIME IN THE PRESENCE OR ABSENCE OF PLASMA SEMINAL P.M. OHATA 1, I. WENTZ 2, M.L. BERNARDI 3, C. CASTAGNA 4 & F.P. BORTOLOZZO 2 RESUMO O objetivo deste trabalho foi avaliar a influência de diferentes períodos de equilíbrio, pré-congelamento, a 22-26ºC, e da remoção do plasma seminal na qualidade espermática do sêmen suíno pós-descongelamento. Foram utilizados 3 machos suínos adultos, sendo coletada a fração total de 15 ejaculados, os quais foram fracionados e submetidos aos seguintes tratamentos: equilíbrio de 1,5h (T1); equilíbrio de 20h (T2) e equilíbrio de 20h com remoção do plasma seminal (T3). O congelamento foi realizado pelo método modificado de Westendorf, com 2% de glicerol e envase em palhetas médias (0,5 ml). O descongelamento foi realizado em banho-maria a 37ºC por 20 segundos e o conteúdo da palheta foi diluído (1:6) em BTS. Como parâmetros de qualidade espermática foram utilizados os percentuais de motilidade (Mot), acrossomas normais (Nar) e de membranas íntegras (MI), avaliados após o descongelamento (PD) e após teste de termoresistência a 37ºC, por 2h (pós-ttr). A integridade das membranas foi analisada através dos corantes fluorescentes diacetato de carboxifluoresceína e iodeto de propídio. Para as amostras equilibradas na presença de plasma seminal, houve uma diminuição de 13% na MIPD (P<0,05) utilizando 20h de equilíbrio em relação a 1,5h, mas não houve diferenças (P>0,05) na Mot e Nar, tanto PD como pós-ttr. O equilíbrio de 20h, associado à remoção do plasma seminal, resultou em uma diminuição (P<0,05) na Mot e na MI, tanto PD como pós-ttr, em relação ao período de equilíbrio de 1,5h. Para as amostras equilibradas por 20h, a remoção do plasma seminal resultou em diminuição (P<0,05) da motilidade e MI, somente após TTR. Na temperatura utilizada (22-26ºC), um período longo de equilíbrio (20h) e a ausência de plasma seminal durante este equilíbrio afetaram negativamente a viabilidade dos espermatozóides suínos submetidos ao congelamento. Descritores: congelamento, plasma seminal, sêmen, suíno. ABSTRACT The aim of this work was to evaluate the influence of different pre-freezing equilibrium periods and the removal of seminal plasma on spermatic viability of swine semen after thawing. From 3 adult boars, 15 whole ejaculates were collected which were fractionated and submitted to the following treatments: equilibrium for 1.5h (T1); equilibrium for 20h (T2) and removal of plasma seminal with equilibrium for 20h (T3). Freezing method was that of Westendorf, with 2% glycerol and storage in 0.5 ml straws. The straws content, thawed at 37 o C for 20 seconds, was diluted (1:6) in BTS. The parameters of spermatic quality evaluated after thawing (PD) and after a thermoresistance test, at 37 o C, for 2h (TTR), were motility (Mot), normal acrosomes (Nar) and membrane integrity (MI). MI was evaluated by fluorescence with propidium iodide and carboxyfluorescein diacetate staining. In the presence of plasma seminal, there was a decrease (P<0.05) of 13% in MI PD using 20h equilibrium as compared to 1.5h, but there was no differences (P>0.05) in Mot and Nar, both after thawing and TTR. Equilibrium time of 20h associated to the removal of seminal plasma resulted in a decrease (P<0.05) of Mot and MI, after PD and TTR, as compared to 1.5h. When plasma seminal was removed in the samples equilibrated for 20h, there was a decrease (P<0.05) in Mot and MI, only after TTR. A long equilibrium time (20h) and the absence of seminal plasma during this equilibrium, at 22-26ºC, had negative effects on the viability of swine spermatozoa submitted to freezing. Key words: freezing, semen, seminal plasma, swine. 1 Médica Veterinária - MSc em Ciências Veterinárias - Faculdade de Veterinária/UFRGS. 2 Dr. Prof. Adjunto, Faculdade de Veterinária/UFRGS - Porto Alegre/RS. 3 Dra. Prof. Adjunto, Deptº de Zootecnia, FAGRO - UFRGS. 4 MSc, Doutorando em Ciências Veterinárias - FAVET-UFRGS. 123

2 INTRODUÇÃO A inseminação artificial em suínos tem crescido amplamente na última década. Atualmente, estima-se que sejam realizadas em torno de 19 milhões de inseminações no mundo, sendo que destas, menos de 1% envolvem o uso de sêmen congelado (Johnson et al., 2000). A maioria das inseminações é conduzida com sêmen resfriado a 15-18ºC, proporcionando resultados de fertilidade similares aos da monta natural. Apesar disto, o sêmen resfriado possui limitações na sua viabilidade temporal, restringindo o uso das doses inseminantes por períodos médios de dois a três dias após a coleta. Este problema poderia facilmente ser superado com o emprego de sêmen congelado. No início da década de 60 já eram desenvolvidos trabalhos no intuito de otimizar o protocolo de congelamento de sêmen suíno (Hess et al., 1960). Apesar dos avanços efetuados, no entanto, o uso de sêmen congelado ainda está associado a índices reprodutivos insatisfatórios, quando comparados aos obtidos com o emprego de sêmen resfriado (Almlid & Hofmo, 1996; Mileham et al., 1997; Woelders, 1997). Johnson (1998) cita uma variação de 50 a 70% na taxa de parição e de 7 a 10 leitões no tamanho de leitegada. Deste modo, o emprego do sêmen congelado ainda está restrito ao melhoramento genético, intercâmbio de material genético entre os países, repovoamento de granjas, formação de bancos genéticos e pesquisas científicas (Reed, 1985; Scheid et al., 1990). Durante o período de equilíbrio, a influência do plasma seminal, na qualidade espermática pós-descongelamento, tem causado controvérsias. Em alguns casos, a retirada do plasma seminal teve um efeito negativo (Butler & Roberts, 1975), mas em outros a viabilidade espermática pósdescongelamento não foi afetada (Salamon, 1973; Fazano, 1986; Kotzias Bandeira, 1997). Pelo acima exposto, evidencia-se a necessidade de mais estudos para aperfeiçoar o protocolo de congelamento, de modo a obterse maior viabilidade espermática pósdescongelamento e, assim, maiores índices de fertilidade in vivo, viabilizando economicamente o emprego desta biotecnologia. O presente trabalho teve como objetivo verificar se diferentes tempos (1,5h e 20h) de equilíbrio précongelamento e a presença do plasma seminal, durante o período de equilíbrio, influenciam na qualidade espermática após o congelamento. MATERIAIS E MÉTODOS Foram coletados cinco ejaculados de cada um dos três machos adultos híbridos. A coleta do sêmen foi realizada com intervalos de três a quatro dias pelo método da estimulação com a mão enluvada (Hancock & Hovell, 1959) e auxílio de um manequim fixo ao piso. O ejaculado total foi coletado em saco plástico descartável protegido por um recipiente térmico, previamente aquecido a 38ºC, com dupla camada de gaze para a separação da fração gelatinosa. O sêmen foi mantido em banhomaria, a 32ºC, para avaliação da cor, aspecto, volume e odor, sendo também avaliadas a motilidade, a concentração e a morfologia espermática. Os critérios utilizados para a escolha dos ejaculados a serem congelados foram os de motilidade superior a 75% e alterações morfológicas inferiores a 20%. O congelamento foi realizado segundo a técnica modificada de Westendorf et al. (1975), com concentração final de 2% de glicerol e envase em palhetas médias (0,5 ml). Os ejaculados foram fracionados e submetidos aos seguintes tratamentos: Tratamento 1 (T1) - Período Curto (1,5h) de equilíbrio a 22-26ºC. O ejaculado foi diluído 1:1 em BTS, a 32ºC, e mantido à temperatura ambiente (22-26ºC) por 90 minutos. Posteriormente, foi 124

3 resfriado a 15ºC por 150 minutos e, ao final deste período, foi centrifugado (800g por 10 minutos), a 15ºC, sendo o sobrenadante desprezado e o sedimento (pellet) ressuspendido com diluente de resfriamento (DR - 80 ml de solução de lactose 11%; 20 ml de gema de ovo). A concentração de espermatozóides no pellet foi estimada utilizando a câmara de Neubauer Improved e, com isso, foi determinado o volume de ressuspensão do DR necessário para a diluição atingir a concentração de 1,5 x 10 9 espermatozóides. O pellet ressuspendido foi mantido a 5ºC por 90 minutos (1,5h) e, após esse período, foi adicionado o diluente de congelamento (DC - 72,5 ml de lactose 11%; 20 ml de gema de ovo; 6 ml de glicerol; 1,5 ml de Orvus-es-Paste - Equex-Paste, Ref.13560/ 0030, Minitüb Afüll-und Labortechnik GmbH & Co.KG) até atingir uma concentração final de 1 x 10 9 espermatozóides. Imediatamente após ter sido acrescentado o DC, foi realizado o envase em palhetas médias (0,5mL), as quais foram mantidas em vapor de nitrogênio (-120ºC), por 20 minutos e, posteriormente, mergulhadas em nitrogênio líquido a -196ºC. Tratamento 2 (T2) - Período Longo (20h) de equilíbrio a 22-26ºC. Imediatamente após a coleta, o ejaculado foi diluído (1:1) em BTS, a 32ºC, e mantido à temperatura ambiente (22-26ºC) por 20h. Após este período, o ejaculado diluído foi resfriado a 15ºC por 150 minutos. As etapas seguintes, envolvendo a centrifugação, até o armazenamento das palhetas em nitrogênio líquido, foram similares às descritas para o T1. Tratamento 3 (T3) - Período Longo (20h) de equilíbrio a 22-26ºC, na ausência de plasma seminal. Após a diluição do ejaculado na proporção 1:1 em diluente BTS, a 32ºC, foi realizada a centrifugação (800g por 10 minutos), para a retirada do plasma seminal e a reposição de BTS, no mesmo volume do plasma retirado. Esta ressuspensão foi mantida em temperatura ambiente (22-26ºC) durante 20h e, posteriormente, resfriada a 15ºC por 150 minutos (2,5 h). Após esta etapa, foi novamente centrifugada a 800g, a 15ºC, por 10 minutos e, ao final deste processamento, o sobrenadante foi desprezado e o sedimento (pellet) ressuspendido com o diluente de resfriamento. Os procedimentos restantes foram efetuados da mesma forma que os descritos para o T1. Descongelamento do sêmen e avaliação da qualidade espermática O descongelamento foi realizado através da agitação da palheta com uma pinça, em banho-maria a 37ºC, por 20 segundos (Maxwell & Johnson, 1997). Posteriormente, a palheta foi seca com papel toalha, as extremidades cortadas com uma tesoura e seu conteúdo ressuspendido com 3mL de diluente BTS, a 37ºC. O teste de termoresistência (TTR) foi realizado pela incubação do sêmen diluído por 2h, em banho-maria a 37ºC (Almlid & Johnson, 1988). A qualidade espermática foi verificada pela análise da motilidade, do percentual de acrossomas normais e do percentual de membranas íntegras, após o descongelamento e após o TTR. A análise da motilidade foi realizada pelo método subjetivo de microscopia (100x), entre lâmina e lamínula. Foram avaliadas três amostras de cada palheta descongelada e diluída com BTS, mantida a 37ºC por 10 minutos ou por 2 h (TTR). A morfologia do acrossoma foi avaliada a partir da mistura de uma alíquota de 40µl de sêmen descongelado em 1mL de formol citrato 2,94%. A amostra, depositada entre lâmina e lamínula, foi avaliada pela contagem de 200 células espermáticas em microscópio óptico de contraste de fase (1000x). A integridade das membranas espermáticas foi avaliada pelo método de Harrison & Vickers (1990), no qual uma solução contendo 950µl da dose descongelada e diluída em BTS, 20µl de diacetato de carboxifluoresceína (20mM), 10µl de iodeto de propídio 125

4 (7,3mM) e 20µl de paraformaldeído (1,7mM) foi incubada por 8 minutos, a 30ºC, em banho-maria. Após esse período, uma alíquota de 4µL foi examinada, entre lâmina e lamínula, em microscópio de epifluorescência (filtro EX/DM/ BF= /510/ 520nm) em aumento de 1000x. Foram examinadas 400 células para cada amostra de sêmen descongelada. O delineamento experimental foi inteiramente casualizado, e a influência dos tratamentos, dos machos doadores e da sua interação, sobre a motilidade, percentual de acrossomas normais e integridade das membranas, após o descongelamento e após o TTR, foi analisada através de análise de variância utilizando o procedimento GLM (SAS, 1998). As médias foram calculadas pela opção LSMeans e o teste de Tukey foi utilizado para a comparação das médias. RESULTADOS E DISCUSSÃO Os resultados médios de motilidade (54%) e Nar (69%), obtidos após o descongelamento do sêmen, no presente estudo, encontram-se dentro das variações observadas em outros trabalhos realizados na área de criopreservação de sêmen suíno. Com o uso de palhetas médias, Fazano (1986) e Berger & Fischerleitner (1992) obtiveram, respectivamente, valores de 19% e 30% de motilidade, e de 34% e 50% de Nar. No presente estudo, a avaliação da integridade das membranas espermáticas (MI), através de coloração fluorescente, resultou em valores médios de 36% e de 26%, após o descongelamento e após o teste de termoresistência, respectivamente. Com o uso de macrotubos, Almlid & Johnson (1988) obtiveram índices de MI de 38%, após o descongelamento, e de 33%, após o teste de termoresistência. A MI também foi avaliada, após o descongelamento de sêmen congelado em bolsas plásticas, sendo obtidas médias de 23% (Ortman & Rodriguez- Martinez, 1994) e 41% (Rodriguez-Martinez et al., 1996). A redução lenta da temperatura do sêmen suíno, após a coleta e antes de submetêlo a temperaturas inferiores a 15ºC, tem como objetivo diminuir os efeitos deletérios do choque térmico sobre os espermatozóides, aumentando a sua viabilidade após o descongelamento. No presente estudo, o tempo de equilíbrio não influenciou (P>0,05) a motilidade e o Nar, tanto após o descongelamento como após o TTR (Tabela 1). No tratamento com período longo (20h) de equilíbrio, entretanto, foi observada uma diminuição (P<0,05) de 13% na MI, após o descongelamento, e uma redução de 12% na motilidade pós-ttr (P<0,08), em relação ao período curto (1,5h). Contrariamente aos dados do presente estudo, ao analisar a influência do tempo de equilíbrio a 18ºC sobre a motilidade pós-descongelamento, Kotzias-Bandeira (1997) verificou um aumento significativo de 13%, quando o tempo de equilíbrio passou de 1,5h para 20h. A redução da viabilidade, expressa no presente estudo pela redução da integridade das membranas e da motilidade, pode ter sido causada pelo fato de que o sêmen diluído foi exposto a temperaturas entre 22-26ºC, acima dos 18ºC (Kotzias-Bandeira, 1997) e 17ºC (Eriksson & Rodriguez-Martinez, 2000), utilizados em outros estudos. É possível que a temperatura elevada e o longo tempo de exposição, durante o período de equilíbrio, no presente estudo, tenham sido prejudiciais aos espermatozóides, devido a alterações metabólicas ou mesmo a alterações nas características das membranas espermáticas. Os índices de motilidade e membranas íntegras, após o descongelamento e pós-ttr, além dos índices de Nar pós-ttr, observados no tempo de equilíbrio de 1,5h (T1), foram superiores (P<0,05) aos observados no tempo de 20h, quando este último foi associado à remoção do plasma seminal (T3). Não houve efeito negativo da remoção do plasma seminal na Mot, Nar e MI, após o descongelamento, mas houve uma redução (P<0,05) na Mot e MI, quando 126

5 Tabela 1 Viabilidade do sêmen suíno (% ± erro-padrão) submetido a diferentes períodos de equilíbrio a 22-26ºC, antes do congelamento Tratamentos Parâmetros de viabilidade T1 (n= 15) T2 (n= 15) T3 (n= 15) Motilidade pós-descongelamento Motilidade pós-ttr Nar pós-descongelamento Nar pós-ttr Membranas íntegras pós-descongelamento Membranas íntegras pós-ttr 60,2 ± 1,6a 51,0 ± 2,2a 67,8 ± 3,6a 40,6 ± 3,7a 46,0 ± 2,7a 34,3 ± 2,5a 53,3 ± 2,1ab 39,4 ± 4,0a 71,5 ± 1,8a 33,2 ± 3,1ab 32,9 ± 3,6b 26,8 ± 3,4a 48,3 ± 4,0b 32,5 ± 5,2b 67,4 ± 3,8a 31,5 ± 4,3b 28,5 ± 4,1b 17,1 ± 2,6b T1=1,5h, T2=20h e T3=20h e sem plasma seminal a, b na mesma linha (P<0,05) avaliadas após o TTR, em relação ao tratamento com mesmo tempo (20h) de equilíbrio e presença de plasma seminal (T2). É difícil de estabelecer se este efeito se deveu exclusivamente à ausência do plasma seminal ou também ao efeito da centrifugação. Informações quanto à sensibilidade do espermatozóide suíno à centrifugação são escassas. A centrifugação do sêmen suíno, por 10 min a 800g, é classicamente utilizada nos protocolos de congelamento. Salamon (1973) observou que a centrifugação a 1000g por 10 minutos causou efeitos deletérios na motilidade de espermatozóides suínos. Pode ser cogitado que a realização de duas centrifugações, uma para a remoção do plasma seminal e outra no próprio congelamento, tenha acarretado danos aos espermatozóides. Fazano (1986), no entanto, não detectou redução na motilidade e Nar, após o descongelamento, quando o sêmen foi submetido a duas centrifugações de 800g por 10 minutos cada. Resultados contraditórios têm sido observados no que diz respeito à influência do plasma seminal na qualidade espermática (Paquignon, 1985). Pursel et al. (1972) reportaram que o plasma seminal torna o espermatozóide suíno mais sensível ao choque térmico. De fato, espermatozóides ejaculados são mais sensíveis ao congelamento do que espermatozóides epididimários, embora não esteja comprovado que a maior sensibilidade se deva exclusivamente ao contato com o plasma seminal (Rath & Niemann, 1997). Também há controvérsias no que diz respeito à remoção ou não do plasma seminal, após a ejaculação, antes de efetuar o congelamento. Salamon (1973) observou que a retirada do plasma seminal não interferiu na viabilidade pós-descongelamento e Moore & Hibbit (1977) não observaram diferenças na viabilidade dos espermatozóides, antes e após o congelamento, utilizando ejaculado total ou ejaculado de machos sem vesículas seminais. Da mesma forma, Kotzias Bandeira (1997) também não observou nenhuma influência do plasma seminal na qualidade espermática, ao adicioná-lo na fração rica. A remoção ou não do plasma seminal, após a coleta e diluição, não acarretou em efeitos prejudiciais aos espermatozóides submetidos ao congelamento (Fazano, 1986). Com base nas observações citadas e os resultados obtidos neste experimento, um procedimento extra de centrifugação, envolvendo a remoção do plasma seminal, além de tornar o protocolo de congelamento menos prático, não apresenta benefícios que justifiquem sua inclusão no protocolo de congelamento de sêmen suíno. Ao considerar o efeito dos machos na qualidade espermática pós-descongelamento foi constatada uma variação significativa (P<0,05) entre os mesmos (Tabela 2), mas não foi observado efeito (P>0,05) da interação macho e tratamento. Essas diferenças observadas en- 127

6 tre machos quanto à viabilidade espermática após o congelamento (Tabela 2) confirmam as constatações efetuadas anteriormente por vários pesquisadores (Larsson & Einarsson, 1976; Larsson, 1978; Mies Filho et al., 1978; Cöster-Cuevas, 1978; Fiser et al. 1996; Rodriguez-Martinez et al., 1996; Reed, 1985; Roca et al., 1999). No que diz respeito à espécie suína, alguns autores (Woelders et al., 1996; Almlid & Hofmo, 1996; Johnson et al., 1981) citam que diferenças raciais influenciam na congelabilidade do sêmen. No presente estudo, apesar da composição genética semelhante, foram observadas diferenças entre os machos, após o descongelamento, de até 18% no Nar e de 10% na motilidade, demonstrando que outros fatores também devem estar envolvidos nessa variação. Tabela 2 Efeito do macho sobre a viabilidade de sêmen suíno (% ± erro-padrão) submetido ao congelamento Parâmetros de viabilidade M1 (n=15) Machos M2 (n=15) M3 (n=15) Motilidade pós-descongelamento Motilidade pós-ttr Nar pós-descongelamento Nar pós-ttr Membranas íntegras pós-descongelamento Membranas íntegras pós-ttr 60 ± 1,6a 50 ± 3,9a 73 ± 1,6a 46 ± 2,9a 40 ± 3,5a 30 ± 3,3a 50 ± 3,7b 38 ± 3,6ab 76 ± 1,4a 39 ± 1,9a 34 ± 4,0a 28 ± 3,3ab 51 ± 2,8b 35 ± 4,8b 58 ± 3,5b 21 ± 3,3b 33 ± 4,1a 20 ± 3,0b a,b na mesma linha (P<0,05) CONCLUSÕES Na presença de plasma seminal, um período longo (20h) de equilíbrio, a 22-26ºC, afetou negativamente a integridade das membranas espermáticas, após o descongelamento, mas não a motilidade e Nar, em relação a um período curto de equilíbrio (1,5h). A ausência de plasma seminal, durante um período de equilíbrio de 20h, diminuiu a viabilidade espermática (motilidade e integridade das membranas) pós-ttr. REFERÊNCIAS ALMLID, T.; HOFMO, P.O A brief review of frozen semen application under norwegian AI service conditions. Reproduction in Domestic Animals, v.31, p ALMLID, T.; JOHNSON, L.A Effects of glycerol concentration, equilibration time and temperature of glycerol addition on post-thaw viability of boar spermatozoa frozen in straws. Journal of Animal Science, v.66, n.4, p BERGER, B.; FISCHERLEITNER, F On deep freezing of boar semen: investigations on the effects of different straw volumes, methods of freezing and thawing extenders. Reproduction in Domestic Animals, v.27, p BUTLER, W.J.; ROBERTS, T.K Effects of some phosphatidyl compounds on boar spermatozoa following cold shock or slow cooling. Journal of Reproduction and Fertility, v.43, p CÖSTER-CUEVAS, G.E Tiefgefrierkonservierung von Ebersamen in Kunststoffrohren. In vitro Untersuchungen zur Verfahrensverbesserung sowie Besamungsergebnisse nach Anwendung unterschiedlicher Inseminationsmedien undtechniken. Tese de Doutorado, Escola Superior de Hannover, Alemanha, 65p. ERIKSSON, B.; RODRIGUEZ-MARTINEZ, H Effect of a prolonged holding time during cooling on post-thaw motility and viability of frozen boar spermatozoa. In: INTERNATIONAL CONGRESS ON ANIMAL REPRODUCTION. 14 th., 2000, Suécia. Abstracts... Estocolmo, 310p.v.2, p.153. FAZANO, F.A.T Zur Kryokonservierung von Ebesperma; verschiedene Verfahren zur Samenbehandlung und unterschiedliche Konfektionierungsmethoden unter besonderer Berücksichtigung der Einfriergeschwindigkeit. Tese de Doutorado, Escola Superior de Hannover, Alemanha, 89p. 128

7 FISER, P.S.; FAIRFULL, R.W.; PANICH, P.L Glycerol equilibration time revisited. Reproduction in Domestic Animals, v.31, p HANCOCK, J.L.; HOVELL, G.J.R Insemination before and after the onset of heat in sows. Veterinary Record, v.71, p HARRISON, R.A.P.; VICKERS, S.E Use of fluorescent probes to assess membrane integrity in mammalian spermatozoa. Journal of Reproduction and Fertility, v.88, p HESS, E.A., LUDWICK, T.M., TEAGUE, H.S Motility of boar spermatozoa as influenced by semen freezing procedures. Journal of Animal Science, v.19, p JOHNSON, L.A Current developments in swine semen: preservation, artificial insemination and sperm sexing. In: INTERNATIONAL PROCEED- INGS VETERINARY SWINE CONGRESS. 5., 1998, Birmingham-England. Proceedings... Wiltshire. v.1, p JOHNSON, L.A.; AALBERS, J.G.; WILLEMS, C.M.T.; et al Use of boar spermatozoa for artificial insemination. Fertilizing capacity of fresh and frozen spermatozoa. Journal of Animal Science, v.52, n.5, p JOHNSON, L.A.; WEITZE, K.F.; FISER, P.; et al Storage of boar semen. Animal Reproduction Science, v.62, p KOTZIAS-BANDEIRA, E Auswirkung von Kurzund Langzeitäquilibrierung vor der Gefrierung von Ebersperma auf Auftauqualität und Membranzustand der Samenzellen. Tese de Doutorado, Escola Superior de Hannover, Alemanha, 97p. LARSSON, K Deep-freezing of boar semen. Cryobiology, v.15, p LARSSON, K.; EINARSSON, S Fertility of deep frozen boar spermatozoa: influence of thawing diluents and of boars. Acta Veterinaria Scandinavian, v.17, p MAXWELL, W.M.C.; JOHNSON, L.A Membrane status of boar spermatozoa after cooling or cryopreservation. Theriogenology, v.48, p MIES FILHO, A.; HOOGSTRATEN, M.I.M.J.V.; SCHEID, I.R Congelabilidade do sêmen suíno. Variação individual. Revista Brasileira de Reprodução Animal, v.2, n.2, p MILEHAM, A.J., HAVEN, D., ROHL, J., VAN DER STEEN, H.A.M Porcine semen cryopreservation in a commercial setting. V International Conference on Pig Reproduction. June 2-4, Kerkrade, Netherlands, Proceedings... p.128. (abstract). MOORE, H.D.M.; HIBBIT, K.G Fertility of boar spermatozoa after freezing in the absence of seminal vesicular proteins. Journal of Reproduction and Fertility, v.50, p ORTMAN, K.; RODRIGUEZ-MARTINEZ, H Membrane damage during dilution, cooling and freezingthawing of boar spermatozoa packaged in plastic bags. Journal of Veterinary Medicine, v.41, p PAQUIGNON, M Freezing and thawing extenders for boar spermatozoa. In: INTERNATIONAL CONFERENCE ON DEEP FREEZING OF BOAR SEMEN. 1., 1985, Uppsala. Proceedings... Uppsala. 310p. p PURSEL, V.G.; JOHNSON, L.A.; RAMPACEK, G.B Acrosome morphology of boar spermatozoa incubated before cold shock. Journal of Animal Science, v.34, n.2, p RATH, D.; NIEMANN, H In vitro fertilization of porcine oocytes with fresh and frozen-thawed ejaculated or frozen-thawed epididymal semen obtained from identical boars. Theriogenology, v.47, p REED, H.C.B Current use of frozen boar semen future need of frozen boar semen. In: INTERNATINAL CONFERENCE ON DEEP FREEZ- ING OF BOAR SEMEN. 1., 1985, Uppsala. Proceedings... Uppsala, 310p. p ROCA, J.; LUCAS, M.A.; GIL, J.M.; et al Motility and in vitro penetrating ability of cooled and frozen thawed spermatozoa from identical boars. In: IN- TERNATIONAL CONFERENCE ON BOAR SEMEN PRESERVATION. IV. Beltsville, Maryland USA. Anais... p.18. RODRIGUES-MARTINEZ, H.; ERIKSSON, B.; LUNDEHEIN, N Freezing boar semen in flat plastic bags: membrane integrity and fertility. Reproduction in Domestic Animals, v.31, p SALAMON, S Deep freezing of boar semen. III Effects of centrifugation, diluent and dilution rate, pellet volume, and method of thawing on survival of spermatozoa. Australian Journal of Biological Science, v.26, p SAS INSTITUTE (Cary NC). SAS user s guide: Statistical Analysis System, Release SCHEID, I.R.; WENTZ, I.; MARIANO, M.S.; et al Estrus detection, time of insemination and fertility with boar semen frozen in maxistraws. In: International Pig Veterinary Society Congress. 11, Lousanne. Proceedings... p WESTENDORF, P.; RICHTER, L.; TREU, H Zur tiefgefrierung von ebersperma. Dtsch. Tierartzt. Wacherisch., v.82, p WOELDERS, H.; MATTHIJS, A.; DEN BESTEN, M Boar variation in freezability of the semen. Reproduction in Domestic Animals, v.31, p WOELDERS, H Fundamentals and recent development in cryopreservation of bull and boar semen. Veterinary Quarterly, v.19, n.3, p Recebido/Received: junho 2001 Aceito/Accepted: outubro

VIABILIDADE ESPERMÁTICA DO SÊMEN CONGELADO DE SUÍNOS DA RAÇA PIAU AVALIADA PELO TESTE DE TERMORRESISTÊNCIA

VIABILIDADE ESPERMÁTICA DO SÊMEN CONGELADO DE SUÍNOS DA RAÇA PIAU AVALIADA PELO TESTE DE TERMORRESISTÊNCIA VIABILIDADE ESPERMÁTICA DO SÊMEN CONGELADO DE SUÍNOS DA RAÇA PIAU AVALIADA PELO TESTE DE TERMORRESISTÊNCIA [Spermatic viability of cryopreserved semen of Piau swine breed analyzed by thermo resistant test]

Leia mais

Colheita e Avaliação Seminal

Colheita e Avaliação Seminal UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ FACULDADE DE VETERINÁRIA BIOTECNOLOGIA DA REPRODUÇÃO ANIMAL Colheita e Avaliação Seminal Vicente José de F. Freitas Laboratório de Fisiologia e Controle da Reprodução www.uece.br/lfcr

Leia mais

Inseminação artificial intra-uterina em leitoas com sêmen criopreservado com dimetilacetamida e glicerol

Inseminação artificial intra-uterina em leitoas com sêmen criopreservado com dimetilacetamida e glicerol Ciência 1978 Rural, Santa Maria, v.38, n.7, p.1978-1983, out, 2008 Bianchi et al. ISSN 0103-8478 Inseminação artificial intra-uterina em leitoas com sêmen criopreservado com dimetilacetamida e glicerol

Leia mais

CARACTERÍSTICAS SEMINAIS E PERÍMETRO ESCROTAL DE TOUROS NELORE E TABAPUÃ CRIADOS NA REGIÃO NORTE DO PARANÁ

CARACTERÍSTICAS SEMINAIS E PERÍMETRO ESCROTAL DE TOUROS NELORE E TABAPUÃ CRIADOS NA REGIÃO NORTE DO PARANÁ 1 CARACTERÍSTICAS SEMINAIS E PERÍMETRO ESCROTAL DE TOUROS NELORE E TABAPUÃ CRIADOS NA REGIÃO NORTE DO PARANÁ DENIS MARQUES ROSSI 1, FLÁVIO GUISELLI LOPES 2, FILIPE ALEXANDRE BOSCARO DE CASTRO 3, BRUNO

Leia mais

Correlação entre métodos de avaliação da integridade da membrana plasmática do espermatozóide bovino criopreservado

Correlação entre métodos de avaliação da integridade da membrana plasmática do espermatozóide bovino criopreservado Correlação entre métodos de avaliação da integridade da membrana plasmática do espermatozóide bovino criopreservado Correlation among methods to evaluate sperm membrane integrity of bovine cryopreserved

Leia mais

Viabilidade espermática de sêmen congelado de suínos da raça Piau avaliada pelo teste de termorresistência*

Viabilidade espermática de sêmen congelado de suínos da raça Piau avaliada pelo teste de termorresistência* Viabilidade espermática de sêmen congelado de suínos da raça Piau avaliada pelo teste de termorresistência* Maurício Hoshino da Costa Barros 1, Hugo Hideki Shiomi 2+, Lincoln da Silva Amorim 3, Simone

Leia mais

INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM SUINOS RELATO DE CASO

INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM SUINOS RELATO DE CASO INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM SUINOS RELATO DE CASO ÁVILA, Francielly Castro de 1 ; COPETTI, Gabriel Pissinin¹; HENKES, Thalis¹; GARLET, Ricardo¹; MUNCHEM, Gustavo Ruan¹; KAISER, Vagner Ventura¹; BORGES, Luiz

Leia mais

VITRIFICAÇÃO DE SÊMEN SUÍNO

VITRIFICAÇÃO DE SÊMEN SUÍNO I Mostra de Iniciação Científica I MIC 30/09 e 01/10 de 2011 Instituto Federal Catarinense Campus Concórdia Concórdia SC INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE CAMPUS CONCÓRDIA MEDICINA VETERINÁRIA VITRIFICAÇÃO

Leia mais

Tatiane Guedes Bueno*, Laiza Sartori de Camargo, Karym Christine de Freitas Cardoso, Anelise Ribeiro Peres, Fabiana Ferreira de Souza

Tatiane Guedes Bueno*, Laiza Sartori de Camargo, Karym Christine de Freitas Cardoso, Anelise Ribeiro Peres, Fabiana Ferreira de Souza AVALIAÇÃO DA ESTERILIZAÇÃO APÓS A OCLUSÃO DOS VASOS SANGUÍNEOS OVARIANOS DE COELHAS UTILIZANDO ELÁSTICO DE AFASTAR OS DENTES OU ABRAÇADEIRAS DE NÁILON Tatiane Guedes Bueno*, Laiza Sartori de Camargo, Karym

Leia mais

Universidade Federal de Viçosa Departamento de Zootecnia Laboratório de Fisiologia e Reprodução Animal. 84ª. Semana do Fazendeiro

Universidade Federal de Viçosa Departamento de Zootecnia Laboratório de Fisiologia e Reprodução Animal. 84ª. Semana do Fazendeiro 1 Universidade Federal de Viçosa Departamento de Zootecnia Laboratório de Fisiologia e Reprodução Animal 84ª. Semana do Fazendeiro Coleta e Armazenagem do Sêmen Suíno Autores: Juliana Andrea Parra Salinas

Leia mais

HUGO HIDEKI SHIOMI CRIOPRESERVAÇÃO DE ESPERMATOZOIDES SUÍNOS DA RAÇA PIAU: AVALIAÇÃO DE CURVAS DE CONGELAMENTO E CENTRIFUGAÇÕES

HUGO HIDEKI SHIOMI CRIOPRESERVAÇÃO DE ESPERMATOZOIDES SUÍNOS DA RAÇA PIAU: AVALIAÇÃO DE CURVAS DE CONGELAMENTO E CENTRIFUGAÇÕES HUGO HIDEKI SHIOMI CRIOPRESERVAÇÃO DE ESPERMATOZOIDES SUÍNOS DA RAÇA PIAU: AVALIAÇÃO DE CURVAS DE CONGELAMENTO E CENTRIFUGAÇÕES Dissertação apresentada à Universidade Federal de Viçosa, como parte das

Leia mais

Revista Agrarian ISSN:

Revista Agrarian ISSN: Diluentes para sêmen de carneiros nativos de Mato Grosso do Sul Extenders for native ram semen in Mato Grosso do Sul Antonio Carlos Duenhas Monreal 1,Ricardo Freitas Schmid 1, José Geraldo Souza de Paula

Leia mais

AVALIAÇÃO DA NECESSIDADE DO TEMPO DE EQUILÍBRIO NO CONGELAMENTO DE SÊMEN CAPRINO

AVALIAÇÃO DA NECESSIDADE DO TEMPO DE EQUILÍBRIO NO CONGELAMENTO DE SÊMEN CAPRINO AVALIAÇÃO DA NECESSIDADE DO TEMPO DE EQUILÍBRIO NO CONGELAMENTO DE SÊMEN CAPRINO Paula Letícia Nemes Schawb Gomes¹; Leandro Cavalcante Lipinski²; Raimundo Jorge Teles de Araújo Pereira³ ¹ Acadêmica do

Leia mais

CRIOPRESERVAÇÃO DE SÊMEN EQUINO PREVIAMENTE REFRIGERADO COM E SEM PLASMA SEMINAL POR 12 HORAS*

CRIOPRESERVAÇÃO DE SÊMEN EQUINO PREVIAMENTE REFRIGERADO COM E SEM PLASMA SEMINAL POR 12 HORAS* CRIOPRESERVAÇÃO DE SÊMEN EQUINO PREVIAMENTE REFRIGERADO COM E SEM PLASMA SEMINAL POR 12 HORAS* Hélène Lacerda de Resende 1+, Jhonnatha Paulo Oliveira 2, Marcely Karoline Conceição Ecker 3, Priscilla Nascimento

Leia mais

FRAÇÃO ATIVA DA ÁGUA DE COCO: CONSERVAÇÃO E FERTILIDADE DO SÊMEN DE SUÍNO RESUMO

FRAÇÃO ATIVA DA ÁGUA DE COCO: CONSERVAÇÃO E FERTILIDADE DO SÊMEN DE SUÍNO RESUMO Ciência Animal, 17(2):91-100,2007 FRAÇÃO ATIVA DA ÁGUA DE COCO: CONSERVAÇÃO E FERTILIDADE DO SÊMEN DE SUÍNO (Active fraction of coconut water: conservation and fertility of the swine semen) Ricardo TONIOLLI

Leia mais

ISSN Acta Veterinaria Brasilica, v.7, n.4, p , 2013

ISSN Acta Veterinaria Brasilica, v.7, n.4, p , 2013 TESTE DE LIGAÇÃO DO ESPERMATOZOIDE À MEMBRANA PERIVITELINA DA GEMA DE OVO APÓS ADIÇÃO DE RINGER LACTATO, CITRATO DE SÓDIO 2,92 % E SOLUÇÃO TRIS NO SÊMEN CAPRINO DESCONGELADO [Sperm-perivitelline membrane

Leia mais

Define-se tecnologia como

Define-se tecnologia como Novas Tecnologias em Reprodução Suína Rafael Tomás Pallás Alonso Kubus S.A. Espanha rtpallas@gmail.com Introdução Define-se tecnologia como sendo a ciência aplicada ou o método científico empregado para

Leia mais

Criopreservação de sêmen canino com um diluidor à base de água de coco na forma

Criopreservação de sêmen canino com um diluidor à base de água de coco na forma Criopreservação de sêmen canino com um diluidor à base de água de coco na forma... 1209 CRIOPRESERVAÇÃO DE SÊMEN CANINO COM UM DILUIDOR À BASE DE ÁGUA DE COCO NA FORMA DE PÓ (ACP-106 ): EFEITO DA TEMPERATURA

Leia mais

UTILIZAÇÃO DO LEITE DESNATADO NO CONGELAÇÃO DO SÊMEN DE CÃO

UTILIZAÇÃO DO LEITE DESNATADO NO CONGELAÇÃO DO SÊMEN DE CÃO ARS VETERINARIA, Jaboticabal, SP, Vol. 20, nº 3, 361-365, 2004. ISSN 0102-6380 UTILIZAÇÃO DO LEITE DESNATADO NO CONGELAÇÃO DO SÊMEN DE CÃO (USE OF SKIMINED MILK FOR FREEZING CANINE SEMEN) (UTILIZACIÓN

Leia mais

DETERMINAÇÃO DE UM TEMPO DE EQUILÍBRIO E GRADIENTE DE TEMPERATURA NO BENEFICIAMENTO DO SÊMEN SUÍNO

DETERMINAÇÃO DE UM TEMPO DE EQUILÍBRIO E GRADIENTE DE TEMPERATURA NO BENEFICIAMENTO DO SÊMEN SUÍNO Universidade Estadual do Ceará Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa Faculdade de Veterinária Programa de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias FAVIANO RICELLI DA COSTA E MOREIRA DETERMINAÇÃO DE UM

Leia mais

ELENICE ANDRADE MORAES E AMORIM ALTERAÇÃO DA MEMBRANA ESPERMÁTICA DE SUÍNOS, BOVINOS E EQÜINOS NA QUALIDADE DO SÊMEN

ELENICE ANDRADE MORAES E AMORIM ALTERAÇÃO DA MEMBRANA ESPERMÁTICA DE SUÍNOS, BOVINOS E EQÜINOS NA QUALIDADE DO SÊMEN ELENICE ANDRADE MORAES E AMORIM ALTERAÇÃO DA MEMBRANA ESPERMÁTICA DE SUÍNOS, BOVINOS E EQÜINOS NA QUALIDADE DO SÊMEN Tese apresentada à Universidade Federal de Viçosa, como parte das exigências do Programa

Leia mais

Ciência Rural ISSN: 0103-8478 cienciarural@mail.ufsm.br Universidade Federal de Santa Maria Brasil

Ciência Rural ISSN: 0103-8478 cienciarural@mail.ufsm.br Universidade Federal de Santa Maria Brasil Ciência Rural ISSN: 0103-8478 cienciarural@mail.ufsm.br Universidade Federal de Santa Maria Brasil de Melo Costa, Priscila; Martins, Carlos Frederico; de Oliveira Franco, Vanessa; Fonseca Rezende, Luiz

Leia mais

Uso de testes complementares para avaliação do congelamento do sêmen de bodes submetidos ao manejo de fotoperíodo artificial*

Uso de testes complementares para avaliação do congelamento do sêmen de bodes submetidos ao manejo de fotoperíodo artificial* Revista Brasileira de Zootecnia ISSN impresso: 1516-3598 ISSN on-line: 1806-9290 www.sbz.org.br R. Bras. Zootec., v.35, n.5, p.1934-1942, 2006 Uso de testes complementares para avaliação do congelamento

Leia mais

M.N. Corrêa 1, 6 ; T. Lucia Jr 2 ; J. C. Deschamps 3 ; C. G. Serret 4 ; J. Bordignon 5 ; G. Rambo 5. Resumo

M.N. Corrêa 1, 6 ; T. Lucia Jr 2 ; J. C. Deschamps 3 ; C. G. Serret 4 ; J. Bordignon 5 ; G. Rambo 5. Resumo Taxa de penetração espermática in vitro em ovócitos suínos utilizando espermatozóides acondicionados com o diluente PIGPEL-5 à 5ºC (In vitro penetration rate of vitrified swine oocytes with swine spermatozoa

Leia mais

USO DE SONDAS FLUORESCENTES PARA AVALIAÇÃO DA INTEGRIDADE DA MEMBRANA PLASMÁTICA DE ESPERMATOZÓIDES OVINOS ANTES E APÓS CONGELAÇÃO

USO DE SONDAS FLUORESCENTES PARA AVALIAÇÃO DA INTEGRIDADE DA MEMBRANA PLASMÁTICA DE ESPERMATOZÓIDES OVINOS ANTES E APÓS CONGELAÇÃO ARS VETERINARIA, 16(3):204-209, 2000. 204 USO DE SONDAS FLUORESCENTES PARA AVALIAÇÃO DA INTEGRIDADE DA MEMBRANA PLASMÁTICA DE ESPERMATOZÓIDES OVINOS ANTES E APÓS CONGELAÇÃO (USE OF FLUORESCENT PROBES TO

Leia mais

Efeitos da homeopatia combinado com diluente a base de leite de cabra na criopreservação de sêmen de ovinos

Efeitos da homeopatia combinado com diluente a base de leite de cabra na criopreservação de sêmen de ovinos ARTIGO ORIGINAL Recebido - 23/09/2015 Aceito - 20/11/2015 Efeitos da homeopatia combinado com diluente a base de leite de cabra na criopreservação de sêmen de ovinos Effects of homeopathy combined with

Leia mais

EFEITO DA FRAÇÃO DO EJACULADO E DO MÉTODO DE CONSERVAÇÃO SOBRE AS CARACTERÍSTICAS FÍSICAS DO SÊMEN SUÍNO E A FERTILIDADE DE FÊMEAS

EFEITO DA FRAÇÃO DO EJACULADO E DO MÉTODO DE CONSERVAÇÃO SOBRE AS CARACTERÍSTICAS FÍSICAS DO SÊMEN SUÍNO E A FERTILIDADE DE FÊMEAS UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS ESCOLA DE VETERINÁRIA Colegiado dos Cursos de Pós-Graduação EFEITO DA FRAÇÃO DO EJACULADO E DO MÉTODO DE CONSERVAÇÃO SOBRE AS CARACTERÍSTICAS FÍSICAS DO SÊMEN SUÍNO

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS Programa de Pós-Graduação em Veterinária

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS Programa de Pós-Graduação em Veterinária UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS Programa de Pós-Graduação em Veterinária Dissertação Perfil protéico do plasma seminal de suínos e sua associação com a qualidade do sêmen congelado C A R I N E D A H L

Leia mais

VIABILIDADE DE ESPERMATOZÓIDES DE CÃES INCUBADOS A 37ºC POR UMA HORA, APÓS DILUIÇÃO EM TRIS-GEMA ACRESCIDO DE GLICEROL

VIABILIDADE DE ESPERMATOZÓIDES DE CÃES INCUBADOS A 37ºC POR UMA HORA, APÓS DILUIÇÃO EM TRIS-GEMA ACRESCIDO DE GLICEROL Ciência Animal,19(1):29-36,2009 VIABILIDADE DE ESPERMATOZÓIDES DE CÃES INCUBADOS A 37ºC POR UMA HORA, APÓS DILUIÇÃO EM TRIS-GEMA ACRESCIDO DE GLICEROL (Viability of dog sperm incubated at 37 C for 1 hour

Leia mais

Fertilidade após a inseminação artificial intracervical ou laparoscópica intra-uterina de ovelhas utilizando diluidores à base de água de coco

Fertilidade após a inseminação artificial intracervical ou laparoscópica intra-uterina de ovelhas utilizando diluidores à base de água de coco 43 Fertilidade após a inseminação artificial intracervical ou laparoscópica intra-uterina de ovelhas utilizando diluidores à base de água de coco Vanessa Porto MACHADO 1 José Ferreira NUNES 1 Airton Alencar

Leia mais

INTRODUÇÃO. Instituto de Ciências Biológicas, Universidade de Federal de Rio Grande (FURG), Rio Grande, RS, Brasil

INTRODUÇÃO. Instituto de Ciências Biológicas, Universidade de Federal de Rio Grande (FURG), Rio Grande, RS, Brasil Ciência 142 Rural, Santa Maria, v.42, n.1, p.142-146, jan, 2012Corcini et al. ISSN 0103-8478 Concentração de lactato de cálcio e tempo de incubação sobre a capacidade de adesão e penetração de espermatozoides

Leia mais

8º Congresso Interinstitucional de Iniciação Científica CIIC 2014 12 a 14 de agosto de 2014 Campinas, São Paulo

8º Congresso Interinstitucional de Iniciação Científica CIIC 2014 12 a 14 de agosto de 2014 Campinas, São Paulo PRODUÇÃO IN VITRO DE EMBRIÕES BOVINOS UTILIZANDO SÊMEN CONGELADO COM OU SEM A PRESENÇA DO PLASMA SEMINAL Erika Aline Ribeiro Dias 1 ; Suzane Peres Campanholi 2 ; Roberta Vantini 3 ; Joaquim Mansano Garcia

Leia mais

Criopreservação de Embriões

Criopreservação de Embriões UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ FACULDADE DE VETERINÁRIA BIOTECNOLOGIA DA REPRODUÇÃO ANIMAL Criopreservação de Embriões Vicente José de F. Freitas Laboratório de Fisiologia e Controle da Reprodução www.uece.br/lfcr

Leia mais

TERMORREGULAÇÃO TESTICULAR EM BOVINOS

TERMORREGULAÇÃO TESTICULAR EM BOVINOS Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Medicina Veterinária TERMORREGULAÇÃO TESTICULAR EM BOVINOS Mara Regina Bueno de M. Nascimento Mara Regina Bueno de M. Nascimento Profa. Adjunto III Jul./

Leia mais

MANU Manual de Urologia

MANU Manual de Urologia MANU Manual de Urologia Manual de Urologia CAPÍTULO 2 Introdução O espermograma ou análise seminal é o exame complementar inicial na avaliação do homem infértil. O sêmen deve ser coletado por masturbação,

Leia mais

Diferentes concentrações de gema de ovo na qualidade do sêmen canino diluído em ACP -106 e resfriado a 4 C

Diferentes concentrações de gema de ovo na qualidade do sêmen canino diluído em ACP -106 e resfriado a 4 C Artigo Diferentes concentrações de gema de ovo na qualidade do sêmen canino diluído em ACP -106 e resfriado a 4 C Janaina de Fátima Saraiva Cardoso 1 *, Ney Rômulo de Oliveira Paula 1, Daniel Couto Uchoa

Leia mais

Processamento e preservação de sêmen de peixes nativos

Processamento e preservação de sêmen de peixes nativos Processamento e preservação de sêmen de peixes nativos Paulo César Falanghe Carneiro Embrapa Aracaju - SE Introdução Blaxter 1950: Arenque com reprodução em épocas diferentes Uso do gelo seco Conhecimento

Leia mais

CONGELAÇÃO DE SÊMEN CANINO COM DIFERENTES CONCENTRAÇÕES DE GEMA DE OVO E GLICEROL EM DILUIDORES À BASE DE TRIS E ÁGUA DE COCO

CONGELAÇÃO DE SÊMEN CANINO COM DIFERENTES CONCENTRAÇÕES DE GEMA DE OVO E GLICEROL EM DILUIDORES À BASE DE TRIS E ÁGUA DE COCO Ciência Rural, Santa Maria, v.30, n.6, p.1021-1025, 2000 ISSN 0103-8478 1021 CONGELAÇÃO DE SÊMEN CANINO COM DIFERENTES CONCENTRAÇÕES DE GEMA DE OVO E GLICEROL EM DILUIDORES À BASE DE TRIS E ÁGUA DE COCO

Leia mais

Efeito da fonte de óleo e dos níveis de suplementação de vitamina E na ração sobre o congelamento de sêmen de suínos 1

Efeito da fonte de óleo e dos níveis de suplementação de vitamina E na ração sobre o congelamento de sêmen de suínos 1 Revista Brasileira de Zootecnia 2011 Sociedade Brasileira de Zootecnia ISSN 1806-9290 www.sbz.org.br Efeito da fonte de e dos níveis de suplementação de vitamina E na ração sobre o congelamento de sêmen

Leia mais

ÁGUA DE COCO EM PÓ EM BIOTÉCNICAS DA REPRODUÇÃO DE CAPRINOS. (Powdered coconut water in biotechnologies of reproduction in goats) RESUMO

ÁGUA DE COCO EM PÓ EM BIOTÉCNICAS DA REPRODUÇÃO DE CAPRINOS. (Powdered coconut water in biotechnologies of reproduction in goats) RESUMO ÁGUA DE COCO EM PÓ EM BIOTÉCNICAS DA REPRODUÇÃO DE CAPRINOS (Powdered coconut water in biotechnologies of reproduction in goats) Cristiane Clemente de Mello SALGUEIRO 1, José Ferreira NUNES 2 1 Universidade

Leia mais

Avaliação do custo de doses inseminantes suínas em diferentes cenários Evaluation of the cost of insemination doses in different settings

Avaliação do custo de doses inseminantes suínas em diferentes cenários Evaluation of the cost of insemination doses in different settings Rev. Bras. Reprod. Anim., Belo Horizonte, v.38, n.2, p.116-120, abr./jun. 2014. Disponível em www.cbra.org.br Avaliação do custo de doses inseminantes suínas em diferentes cenários Evaluation of the cost

Leia mais

Avaliação Espermática Pós-Descongelamento em Piracanjuba (Brycon orbignyanus, Vallenciennes, 1849)

Avaliação Espermática Pós-Descongelamento em Piracanjuba (Brycon orbignyanus, Vallenciennes, 1849) Avaliação Espermática Pós-Descongelamento em Piracanjuba (Brycon orbignyanus, Vallenciennes, 1849) Luis David Solis Murgas 1, Renan Toledo Franciscatto 2, Anna Graciela Oliveira Santos 3 RESUMO - O experimento

Leia mais

RELAÇÃO ENTRE DETERMINADOS CONSTITUINTES DO PLASMA SEMINAL E PROLIFICIDADE NA ESPÉCIE SUÍNA

RELAÇÃO ENTRE DETERMINADOS CONSTITUINTES DO PLASMA SEMINAL E PROLIFICIDADE NA ESPÉCIE SUÍNA 188 ARS VETERINARIA, 15(3):188-192, 1999. RELAÇÃO ENTRE DETERMINADOS CONSTITUINTES DO PLASMA SEMINAL E PROLIFICIDADE NA ESPÉCIE SUÍNA (RELATIONSHIP AMONG SOME SEMINAL PLASMA CONSTITUENTS AND PROLIFICITY

Leia mais

MOTILIDADE Câmara de Makler

MOTILIDADE Câmara de Makler A Motilidade e a Motilidade Espermática Progressiva são realizadas por meio de vídeos neste programa. Não há item de ensaio. Para MOTILIDADE trata-se de dois casos retratados em dois vídeos, um obtido

Leia mais

2 DAPSA - FMVA - UNESP. 1 Mestranda da FMVA - UNESP (Bolsa CAPES). 3 e-mail:shvperri@fmva.unesp.br 4 Agradecimento FAPESP pelo apoio financeiro.

2 DAPSA - FMVA - UNESP. 1 Mestranda da FMVA - UNESP (Bolsa CAPES). 3 e-mail:shvperri@fmva.unesp.br 4 Agradecimento FAPESP pelo apoio financeiro. Modelos de superfície de resposta aplicados na formulação não linear de ração para frangos de corte Camila Angelica Gonçalves 1 Max José de Araujo Faria Júnior 2 Sílvia Helena Venturoli Perri 2,3 Manoel

Leia mais

Efeito de dois diferentes protocolos para congelação lenta de embriões bovinos produzidos in vitro na região da Amazônia Legal

Efeito de dois diferentes protocolos para congelação lenta de embriões bovinos produzidos in vitro na região da Amazônia Legal Efeito de dois diferentes protocolos para congelação lenta de embriões bovinos produzidos in vitro na região da Amazônia Legal Karina Almeida Maciel 1 ; Márcio Gianordoli Teixeira Gomes 2 ; Francisca Elda

Leia mais

CRIOPRESERVAÇÃO DO SÊMEN CAPRINO: EFEITO DA CURVA DE RESFRIAMENTO E DO TEMPO DE EQUILÍBRIO

CRIOPRESERVAÇÃO DO SÊMEN CAPRINO: EFEITO DA CURVA DE RESFRIAMENTO E DO TEMPO DE EQUILÍBRIO Ciência Animal, 17(2):75-82,2007 CRIOPRESERVAÇÃO DO SÊMEN CAPRINO: EFEITO DA CURVA DE RESFRIAMENTO E DO TEMPO DE EQUILÍBRIO (Cryopreservation of goat semen: the effect of freezing rate and equilibration

Leia mais

Como colher e congelar sêmen de epidídimo de reprodutores terminais ou mortos Introdução Transporte dos epidídimos

Como colher e congelar sêmen de epidídimo de reprodutores terminais ou mortos Introdução Transporte dos epidídimos Como colher e congelar sêmen de epidídimo de reprodutores terminais ou mortos Cely Marini Melo, Frederico Ozanam Papa, Marco Antônio Alvarenga Departamento de Reprodução Animal e Radiologia Veterinária,

Leia mais

PERFIL METABÓLICO E ENDÓCRINO DE EQUÍDEOS

PERFIL METABÓLICO E ENDÓCRINO DE EQUÍDEOS PERFIL METABÓLICO E ENDÓCRINO DE EQUÍDEOS Autores: Thais de Oliveira Fortes (PIBIC/CNPq) 1, Francisco Armando de Azevedo Souza (Orientador) 2, Emília de Paiva Porto 2, Marcia Fornasieri Domingos 3 e-mail:

Leia mais

Avaliação dos efeitos da ivermectina de ação prolongada na concentração de 4% sobre as características reprodutivas de touros Nelore

Avaliação dos efeitos da ivermectina de ação prolongada na concentração de 4% sobre as características reprodutivas de touros Nelore Avaliação dos efeitos da ivermectina de ação prolongada na concentração de 4% sobre as características reprodutivas de touros Nelore Evaluation of the Effects of Long-action Ivermectin at a Concentration

Leia mais

Efeito da secagem na qualidade fisiológica de sementes de pinhão-manso

Efeito da secagem na qualidade fisiológica de sementes de pinhão-manso Seminário de Iniciação Científica e Tecnológica, 8., 2011, Belo Horizonte Efeito da secagem na qualidade fisiológica de sementes de pinhão-manso Cézar Augusto Mafia Leal (1), Roberto Fontes Araujo (2),

Leia mais

(c) Muco (d) Vulva inchada (e) Olhar languido 7. Qual das alternativas abaixo não é considerada uma vantagem da inseminação artificial em relação a mo

(c) Muco (d) Vulva inchada (e) Olhar languido 7. Qual das alternativas abaixo não é considerada uma vantagem da inseminação artificial em relação a mo 1. A fertilização é o evento que decorre a partir do encontro dos gametas masculino e feminino. No trato reprodutivo da fêmea bovina em qual local ocorre a fertilização? (a) Útero (b) Tuba uterina (c)

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS Programa de Pós-Graduação em Veterinária. Dissertação

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS Programa de Pós-Graduação em Veterinária. Dissertação 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS Programa de Pós-Graduação em Veterinária Dissertação Avaliação da dimetilacetamida e do glicerol na criopreservação do sêmen de suínos através de testes de fertilização

Leia mais

PRODUÇÃO DE SÊMEN DE TOUROS MESTIÇOS BOS TAURUS/BOS INDICUS 1. EFEITOS DA FRAÇÃO GENÉTICA DE BOS TAURUS 1

PRODUÇÃO DE SÊMEN DE TOUROS MESTIÇOS BOS TAURUS/BOS INDICUS 1. EFEITOS DA FRAÇÃO GENÉTICA DE BOS TAURUS 1 Código 0104 PRODUÇÃO DE SÊMEN DE TOUROS MESTIÇOS BOS TAURUS/BOS INDICUS 1. EFEITOS DA FRAÇÃO GENÉTICA DE BOS TAURUS 1 CRISTINA PENA DE ABREU 2, PEDRO FRANKLIN BARBOSA 3, FERNANDO ENRIQUE MADALENA 4, ROGÉRIO

Leia mais

Uso de própolis e ácido ascórbico na criopreservação do sêmen caprino. Use of propolis and ascorbic acid on goat semen cryopreservation

Uso de própolis e ácido ascórbico na criopreservação do sêmen caprino. Use of propolis and ascorbic acid on goat semen cryopreservation Revista Brasileira de Zootecnia ISSN 1516-3598 (impresso) ISSN 1806-9290 (on-line) www.sbz.org.br R. Bras. Zootec., v.38, n.12, p.2335-2345, 2009 Uso de própolis e ácido ascórbico na criopreservação do

Leia mais

EFEITO INDIVIDUAL DE FERTILIDADE DE TOUROS DA RAÇA HOLANDESA

EFEITO INDIVIDUAL DE FERTILIDADE DE TOUROS DA RAÇA HOLANDESA EFEITO INDIVIDUAL DE FERTILIDADE DE TOUROS DA RAÇA HOLANDESA ZANATTA, Guilherme Machado 1 ; SCHEEREN, Verônica Flores da Cunha 2 ; ARAUJO, Laurence Boligon de 3; PESSOA, Gilson Antônio 4 ; RUBIN, Mara

Leia mais

Folha de protocolo do QIAsymphony SP

Folha de protocolo do QIAsymphony SP Folha de protocolo do QIAsymphony SP Protocolo DNA_Buffy_Coat_400_V6_DSP Informações gerais Para utilização em diagnóstico in vitro. Este protocolo destina-se à purificação de ADN total genómico e mitocondrial

Leia mais

CÂMARAS PARA INJEÇÃO DE ALUMÍNIO SOB ALTA PRESSÃO (VARIAÇÕES TÉRMICAS E SUAS CONSEQUÊNCIAS) 1

CÂMARAS PARA INJEÇÃO DE ALUMÍNIO SOB ALTA PRESSÃO (VARIAÇÕES TÉRMICAS E SUAS CONSEQUÊNCIAS) 1 CÂMARAS PARA INJEÇÃO DE ALUMÍNIO SOB ALTA PRESSÃO (VARIAÇÕES TÉRMICAS E SUAS CONSEQUÊNCIAS) 1 Ednelson Silva 2 Vinicius Úbeda 3 Wilmar Fischer 4 Partindo-se de um modelo de câmara de injeção de alumínio

Leia mais

EFEITO DO USO DE DIFERENTES ANTIBIÓTICOS NO CONTROLE BACTERIANO DO EJACULADO DO VARRÃO

EFEITO DO USO DE DIFERENTES ANTIBIÓTICOS NO CONTROLE BACTERIANO DO EJACULADO DO VARRÃO Ciência Animal, 11(1):33-38, 2001 EFEITO DO USO DE DIFERENTES ANTIBIÓTICOS NO CONTROLE BACTERIANO DO EJACULADO DO VARRÃO (The effect of different antibiotics on bacterial control of boar ejaculation) Ricardo

Leia mais

PARÂMETROS REPRODUTIVOS DE MATRIZES SUÍNAS INSEMINADAS COM SÊMEN DILUÍDO EM ÁGUA DE COCO APÓS MONITORAMENTO ULTRA-SONOGRÁFICO TRANSCUTÂNEO 1

PARÂMETROS REPRODUTIVOS DE MATRIZES SUÍNAS INSEMINADAS COM SÊMEN DILUÍDO EM ÁGUA DE COCO APÓS MONITORAMENTO ULTRA-SONOGRÁFICO TRANSCUTÂNEO 1 Ciência Animal Brasileira 4(1): 61-67, jan./jun. 03 6 1 PARÂMETROS REPRODUTIVOS DE MATRIZES SUÍNAS INSEMINADAS COM SÊMEN DILUÍDO EM ÁGUA DE COCO APÓS MONITORAMENTO ULTRA-SONOGRÁFICO TRANSCUTÂNEO 1 EDNA

Leia mais

PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia.

PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Efeitos da adição de glicerol e etilenoglicol associados sobre parâmetros de viabilidade espermática na criopreservação de sêmen canino Guilherme

Leia mais

EFEITO DE TRÊS CRIOPROTETORES SOBRE A MEMBRANA DE CÉLULAS ESPERMÁTICAS DE OVINOS

EFEITO DE TRÊS CRIOPROTETORES SOBRE A MEMBRANA DE CÉLULAS ESPERMÁTICAS DE OVINOS CONVÊNIOS CNPq/UFU & FAPEMIG/UFU Universidade Federal de Uberlândia Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação DIRETORIA DE PESQUISA COMISSÃO INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA 2008 UFU 30 anos EFEITO

Leia mais

MARCELA BORGES NUNES ADIÇÃO DE CAFEÍNA AO SÊMEN SUÍNO RESFRIADO OU DESCONGELADO

MARCELA BORGES NUNES ADIÇÃO DE CAFEÍNA AO SÊMEN SUÍNO RESFRIADO OU DESCONGELADO MARCELA BORGES NUNES ADIÇÃO DE CAFEÍNA AO SÊMEN SUÍNO RESFRIADO OU DESCONGELADO LAVRAS-MG 2012 MARCELA BORGES NUNES ADIÇÃO DE CAFEÍNA AO SÊMEN SUÍNO RESFRIADO OU DESCONGELADO Dissertação apresentada à

Leia mais

EFEITO DA ADIÇÃO FRACIONADA DE DIMETIL FORMAMIDA E DAS CURVAS DE CONGELAMENTO NA VIABILIDADE IN VITRO PÓS-DESCONGELAMENTO DO ESPERMATOZÓIDE EQÜINO

EFEITO DA ADIÇÃO FRACIONADA DE DIMETIL FORMAMIDA E DAS CURVAS DE CONGELAMENTO NA VIABILIDADE IN VITRO PÓS-DESCONGELAMENTO DO ESPERMATOZÓIDE EQÜINO Jair Perez Osorio EFEITO DA ADIÇÃO FRACIONADA DE DIMETIL FORMAMIDA E DAS CURVAS DE CONGELAMENTO NA VIABILIDADE IN VITRO PÓS-DESCONGELAMENTO DO ESPERMATOZÓIDE EQÜINO Dissertação apresentada à Escola de

Leia mais

Princípios do Congelamento de Sêmen do Garanhão. Principles of Stallion Semen Freezing. 1 Introdução

Princípios do Congelamento de Sêmen do Garanhão. Principles of Stallion Semen Freezing. 1 Introdução Princípios do Congelamento Artigo Original de Sêmen / Original do Garanhão Article Princípios do Congelamento de Sêmen do Garanhão Principles of Stallion Semen Freezing Jair Perez Osório * Igor Frederico

Leia mais

2. Como devo manusear o sêmen durante a sua retirada do botijão?

2. Como devo manusear o sêmen durante a sua retirada do botijão? CUIDADOS NO MANUSEIO DO SÊMEN CONGELADO O manuseio adequado do sêmen congelado é essencial para manter ótimos resultados nos programas de inseminação artificial, tanto no sêmen sexado como no sêmen convencional.

Leia mais

ENQUADRAMENTO (1) RESULTADOS DE EXAMES ANDROLÓGICOS EM TOUROS DE APTIDÃO CREATOPOIÉTICA NO SUL DE PORTUGAL

ENQUADRAMENTO (1) RESULTADOS DE EXAMES ANDROLÓGICOS EM TOUROS DE APTIDÃO CREATOPOIÉTICA NO SUL DE PORTUGAL RESULTADOS DE EXAMES ANDROLÓGICOS EM TOUROS DE APTIDÃO CREATOPOIÉTICA NO SUL DE PORTUGAL Romão*, R. 1,2, Cargaleiro, K. 2, Martelo, R. 1, Paralta, D. 1, Carolino, N. 3, Bettencourt, E. 2 ENQUADRAMENTO

Leia mais

ALTERAÇÕES MORFOLÓGICAS ENCONTRADAS NO SÊMEN DE REPRODUTORES SUÍNOS (Sus scrofa) MORPHOLOGICAL CHANGES FOUND IN SEMEN BREEDING PIG (Sus scrofa)

ALTERAÇÕES MORFOLÓGICAS ENCONTRADAS NO SÊMEN DE REPRODUTORES SUÍNOS (Sus scrofa) MORPHOLOGICAL CHANGES FOUND IN SEMEN BREEDING PIG (Sus scrofa) ALTERAÇÕES MORFOLÓGICAS ENCONTRADAS NO SÊMEN DE REPRODUTORES SUÍNOS (Sus scrofa) MORPHOLOGICAL CHANGES FOUND IN SEMEN BREEDING PIG (Sus scrofa) Guilherme OBERLENDER Médico Veterinário, Doutorando em Zootecnia

Leia mais

Cândida Jerónimo 1 & Ana Pereira 1

Cândida Jerónimo 1 & Ana Pereira 1 EFEITO DA VACINAÇÃO CONTRA A CIRCOVIROSE SUÍNA SOBRE A PROLIFICIDADE E A MORTALIDADE EM LEITÕES AO NASCIMENTO. Cândida Jerónimo 1 & Ana Pereira 1 1 Instituto Politécnico de Santarém, Escola Superior Agrária

Leia mais

ESTUDO DA INFLUÊNCIA DE EMULSIFICANTES SOBRE OS PARÂMETROS DE TEXTURA DA MASSA CONGELADA DE PÃO FRANCÊS ATRAVÉS DE UM PROJETO DE MISTURA

ESTUDO DA INFLUÊNCIA DE EMULSIFICANTES SOBRE OS PARÂMETROS DE TEXTURA DA MASSA CONGELADA DE PÃO FRANCÊS ATRAVÉS DE UM PROJETO DE MISTURA ESTUDO DA INFLUÊNCIA DE EMULSIFICANTES SOBRE OS PARÂMETROS DE TEXTURA DA MASSA CONGELADA DE PÃO FRANCÊS ATRAVÉS DE UM PROJETO DE MISTURA MATUDA, T. G.*; ROMEU, C. C.; TAVARES, D. T.; TADINI, C. C. Universidade

Leia mais

Tipos e volumes de diluentes para inseminação artificial intrauterina em suínos 1

Tipos e volumes de diluentes para inseminação artificial intrauterina em suínos 1 Revista Brasileira de Zootecnia ISSN 1516-3598 (impresso) ISSN 1806-9290 (on-line) www.sbz.org.br R. Bras. Zootec., v.38, n.10, p.1886-1892, 2009 Tipos e volumes de diluentes para inseminação artificial

Leia mais

Teste de avaliação in vitro e criopreservação do sêmen de cão utilizando diferentes diluidores

Teste de avaliação in vitro e criopreservação do sêmen de cão utilizando diferentes diluidores 102 http://dx.doi.org/10.4322/rbcv.2015.239 Teste de avaliação in vitro e criopreservação do sêmen de cão utilizando diferentes diluidores In vitro evaluation test and dog semen's freeze with different

Leia mais

Conservação de frutos secos: resultados de ensaios experimentais. Paula Correia Cátia Almeida Raquel Guiné

Conservação de frutos secos: resultados de ensaios experimentais. Paula Correia Cátia Almeida Raquel Guiné Conservação de frutos secos: resultados de ensaios experimentais Paula Correia Cátia Almeida Raquel Guiné 31-06-2016 Introdução A qualidade dos alimentos é um conceito que tem vindo a despertar o interesse

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS CENTRO DE BIOTECNOLOGIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS CENTRO DE BIOTECNOLOGIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS CENTRO DE BIOTECNOLOGIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA EFICIÊNCIA REPRODUTIVA COM INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL INTRA-CERVICAL E PÓS- CERVICAL,

Leia mais

Cryopreservation of boar semen: progress and perspectives*

Cryopreservation of boar semen: progress and perspectives* Cryopreservation of boar semen: progress and perspectives* Criopreservação de sêmen suíno: avanços tecnológicos e perspectivas Criopreservación de semen de verraco: avances y perspectivas tecnológicas

Leia mais

significativos, porém o material genético pode ser estocado por períodos indefinidos de tempo e então utilizado na IA (HOLTb 2000).

significativos, porém o material genético pode ser estocado por períodos indefinidos de tempo e então utilizado na IA (HOLTb 2000). 1 1 INTRODUÇÃO GERAL Estudos arqueológicos recentes demonstram que o cão foi o primeiro animal domesticado pelo homem. Os mais antigos esqueletos de canídeos foram encontrados cerca de 30.000 anos após

Leia mais

TECNOLOGIA DO SÊMEN ANÁLISE DO SÊMEN

TECNOLOGIA DO SÊMEN ANÁLISE DO SÊMEN TECNOLOGIA DO SÊMEN ANÁLISE DO SÊMEN Características físicas c) Motilidade (progressiva) % de sptz viáveis uma gota de sêmen em aumento de 100 a 400x na propriedade: 50% para doação de sêmen: 70% para

Leia mais

Avaliação da viabilidade do sémen de varrascos por citometria de fluxo. Evaluation of boar semen viability by flow cytometry

Avaliação da viabilidade do sémen de varrascos por citometria de fluxo. Evaluation of boar semen viability by flow cytometry REVISTA PORTUGUESA DE CIÊNCIAS VETERINÁRIAS Avaliação da viabilidade do sémen de varrascos por citometria de fluxo Evaluation of boar semen viability by flow cytometry F. Moreira da Silva*, R. Metelo,

Leia mais

PRODUÇÃO DE SÊMEN DE TOUROS MESTIÇOS Bos taurus/bos indicus 2. EFEITOS DA ESTAÇÃO DO ANO E DO INTERVALO DE COLETAS 1

PRODUÇÃO DE SÊMEN DE TOUROS MESTIÇOS Bos taurus/bos indicus 2. EFEITOS DA ESTAÇÃO DO ANO E DO INTERVALO DE COLETAS 1 Código 0102 PRODUÇÃO DE SÊMEN DE TOUROS MESTIÇOS Bos taurus/bos indicus 2. EFEITOS DA ESTAÇÃO DO ANO E DO INTERVALO DE COLETAS 1 CRISTINA PENA DE ABREU 2, ROGÉRIO TAVEIRA BARBOSA 3, JOSÉ HENRIQUE BRUSCHI

Leia mais

CORRELAÇÃO ENTRE MORFOLOGIA ESPERMÁTICA, TAXA DE PARTO E TAMANHO DA LEITEGADA EM MATRIZES SUÍNAS

CORRELAÇÃO ENTRE MORFOLOGIA ESPERMÁTICA, TAXA DE PARTO E TAMANHO DA LEITEGADA EM MATRIZES SUÍNAS CORRELAÇÃO ENTRE MORFOLOGIA ESPERMÁTICA, TAXA DE PARTO E TAMANHO DA LEITEGADA EM MATRIZES SUÍNAS Andressa Capeletto 1, José Francisco Manta Bragança 2, Ricardo Xavier da Rocha 2, Tiago Goulart Petrolli

Leia mais

PERFIL DE PROTEÍNAS E AÇÚCARES DO PLASMA SEMINAL E SUA RELAÇÃO COM OS PARÂMETROS ANDROLÓGICOS DE TOUROS DA RAÇA NELORE

PERFIL DE PROTEÍNAS E AÇÚCARES DO PLASMA SEMINAL E SUA RELAÇÃO COM OS PARÂMETROS ANDROLÓGICOS DE TOUROS DA RAÇA NELORE Original Article 940 PERFIL DE PROTEÍNAS E AÇÚCARES DO PLASMA SEMINAL E SUA RELAÇÃO COM OS PARÂMETROS ANDROLÓGICOS DE TOUROS DA RAÇA NELORE PROTEINS AND SUGARS PROFILE FROM THE SEMINAL PLASMA AND ITS RELATIONSHIP

Leia mais

Avaliação in vitro do sêmen criopreservado de cães naturalmente infectados por Leishmania sp.

Avaliação in vitro do sêmen criopreservado de cães naturalmente infectados por Leishmania sp. Arq. Bras. Med. Vet. Zootec., v.68, n.3, p.651-657, 2016 Avaliação in vitro do sêmen criopreservado de cães naturalmente infectados por Leishmania sp. [In vitro evaluation of cryopreserved semen of dogs

Leia mais

Até onde é possível reduzir o número de espermatozóides empregados na inseminação artificial intra-cervical em suínos sem comprometer a fertilidade?

Até onde é possível reduzir o número de espermatozóides empregados na inseminação artificial intra-cervical em suínos sem comprometer a fertilidade? Acta Scientiae Veterinariae. 36(Supl 1): s17-s26, 2008. ISSN 1678-0345 (Print) ISSN 1679-9216 (Online) Até onde é possível reduzir o número de espermatozóides empregados na inseminação artificial intra-cervical

Leia mais

Título da Pesquisa: Palavras-chave: Campus: Tipo Bolsa Financiador Bolsista (as): Professor Orientador: Área de Conhecimento: Resumo

Título da Pesquisa: Palavras-chave: Campus: Tipo Bolsa Financiador Bolsista (as): Professor Orientador: Área de Conhecimento: Resumo Título da Pesquisa: Comparativo entre suínos castrados pelo método tradicional (castração cirúrgica ) e o método imunocastração. Palavras-chave: suínos imunocastrados, vacina anti-gnrh, castração cirúrgica.

Leia mais

Rev. Bras. Reprod. Anim., Belo Horizonte, v.36, n.4, p.245-249, out./dez. 2012. Disponível em www.cbra.org.br

Rev. Bras. Reprod. Anim., Belo Horizonte, v.36, n.4, p.245-249, out./dez. 2012. Disponível em www.cbra.org.br Rev. Bras. Reprod. Anim., Belo Horizonte, v.36, n.4, p.245-249, out./dez. 2012. Disponível em www.cbra.org.br Teste de ligação de espermatozoides de suínos da raça Piau à membrana perivitelina da gema

Leia mais

Conservação pós-colheita de pimentas da espécie Capsicum chinense

Conservação pós-colheita de pimentas da espécie Capsicum chinense 159.doc 19/5/yyyy 1 Conservação pós-colheita de pimentas da espécie Capsicum chinense com filme de PVC em duas temperaturas. Otávio Gravina 1 ; Gilmar P. Henz 2, Sabrina I. C. de Carvalho 2 1 UFV, Viçosa-MG;

Leia mais

862 OLIVEIRA, R. V. de et al.

862 OLIVEIRA, R. V. de et al. 862 OLIVEIRA, R. V. de et al. AVALIAÇÃO MORFOLÓGICA DE ESPERMATOZOIDES CAPRINOS DILUÍDOS E CONGELADOS EM MEIO À BASE DE ÁGUA DE COCO EM PÓ (ACP-101) OU TRIS, CORADOS POR EOSINA-NIGROSINA E AZUL DE BROMOFENOL*

Leia mais

DILUIDORES E VOLUMES DE SÊMEN DESTINADOS À INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL INTRA-UTERINA EM SUÍNOS ANA LUÍSA NEVES ALVARENGA

DILUIDORES E VOLUMES DE SÊMEN DESTINADOS À INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL INTRA-UTERINA EM SUÍNOS ANA LUÍSA NEVES ALVARENGA DILUIDORES E VOLUMES DE SÊMEN DESTINADOS À INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL INTRA-UTERINA EM SUÍNOS ANA LUÍSA NEVES ALVARENGA 2008 ANA LUÍSA NEVES ALVARENGA DILUIDORES E VOLUMES DE SÊMEN DESTINADOS À INSEMINAÇÃO

Leia mais

Estudo e Simulação do Processo de Adoçamento de Gás Natural

Estudo e Simulação do Processo de Adoçamento de Gás Natural Estudo e Simulação do Processo de Adoçamento de Gás Natural A. F. B. Ferreira 1 e N. S. Amorim 2 1 Universidade do Estado do Amapá, Colegiado de Engenharia Química 2 Universidade Federal do Pará, Colegiado

Leia mais

INFLUÊNCIA DE TIPOS DE EMBALAGENS SOBRE A QUALIDADE DO SÊMEN SUÍNO CRIOPRESERVADO

INFLUÊNCIA DE TIPOS DE EMBALAGENS SOBRE A QUALIDADE DO SÊMEN SUÍNO CRIOPRESERVADO UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA FACULDADE DE VETERINÁRIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS VETERINÁRIAS DANIELLE OLIVEIRA DE ARAÚJO INFLUÊNCIA DE TIPOS DE EMBALAGENS

Leia mais

Diretoria de Ciências Exatas. Laboratório de Física. Roteiro 03. Física Geral e Experimental III 2012/1

Diretoria de Ciências Exatas. Laboratório de Física. Roteiro 03. Física Geral e Experimental III 2012/1 Diretoria de Ciências Exatas Laboratório de Física Roteiro 03 Física Geral e Experimental III 2012/1 Experimento: Dilatação Térmica de um Líquido 1. Dilatação Térmica de um Líquido Nesta tarefa será abordado

Leia mais

Protocolos emergenciais para programas de inseminação artificial em suínos. Protocols for emergency programs of artificial insemination in pigs

Protocolos emergenciais para programas de inseminação artificial em suínos. Protocols for emergency programs of artificial insemination in pigs Acta Scientiae Veterinariae. 36(Supl 1): s27-s32, 2008. ISSN 1678-0345 (Print) ISSN 1679-9216 (Online) Protocolos emergenciais para programas de inseminação artificial em suínos Protocols for emergency

Leia mais

Termos para indexação: Integridade, acrossoma, DNA, estresse oxidativo, antioxidantes.

Termos para indexação: Integridade, acrossoma, DNA, estresse oxidativo, antioxidantes. 16 A.L.V.A. PEIXOTO et al. Artigo Científico EFEITO DO TEMPO DE INCUBAÇÃO PÓS-DESCONGELAÇÃO SOBRE A VIABILIDADE DE ESPERMATOZÓIDES OVINOS CRIOPRESERVADOS COM TRIS-GEMA SUPLEMENTADO COM VITAMINA C E TROLOX

Leia mais

AVALIAÇÂO DO HEMATÓCRITO E DA PROTEÍNA PLASMÁTICA EM SANGUES HEMODILUÍDOS

AVALIAÇÂO DO HEMATÓCRITO E DA PROTEÍNA PLASMÁTICA EM SANGUES HEMODILUÍDOS AVALIAÇÂO DO HEMATÓCRITO E DA PROTEÍNA PLASMÁTICA EM SANGUES HEMODILUÍDOS GOMES, Keila R. SANTOS, Michelli Gonçalves C. FRANCO, Débora Fernandes PIRES, Rosemeire Batista Alunas do Curso de Medicina Veterinária

Leia mais

Prática 08 Determinação da Massa Molar da Ureia via Ebuliometria

Prática 08 Determinação da Massa Molar da Ureia via Ebuliometria UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS CCT DEPARTAMENTO DE QUÍMICA DQMC Disciplina: Química Geral Experimental QEX0002 Prática 08 Determinação da Massa Molar da Ureia

Leia mais

AVALIAÇÃO DA ADIÇÃO DE CISTEÍNA NO SÊMEN RESFRIADO PARA INSEMINAÇÃO EM SUÍNOS

AVALIAÇÃO DA ADIÇÃO DE CISTEÍNA NO SÊMEN RESFRIADO PARA INSEMINAÇÃO EM SUÍNOS UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE CIÊNCIAS RURAIS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MEDICINA VETERINÁRIA AVALIAÇÃO DA ADIÇÃO DE CISTEÍNA NO SÊMEN RESFRIADO PARA INSEMINAÇÃO EM SUÍNOS DISSERTAÇÃO

Leia mais

Rev. Bras. Reprod. Anim., Belo Horizonte, v.34, n.2, p.105-113, abr./jun. 2010. Disponível em www.cbra.org.br

Rev. Bras. Reprod. Anim., Belo Horizonte, v.34, n.2, p.105-113, abr./jun. 2010. Disponível em www.cbra.org.br Rev. Bras. Reprod. Anim., Belo Horizonte, v.34, n.2, p.105-113, abr./jun. 2010. Disponível em www.cbra.org.br Recentes avanços na tecnologia de sêmen e em inseminação artificial em suínos Recent progresses

Leia mais

XIX CONGRESSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UFLA 27 de setembro a 01 de outubro de 2010

XIX CONGRESSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UFLA 27 de setembro a 01 de outubro de 2010 ANÁLISE DE PROTOCOLOS DE INSEMINAÇÃO EM TEMPO FIXO COM SÊMEN DESCONGELADO DILUÍDO E NÃO DILUÍDO EM ÉGUAS MANGALARGA MARCHADOR PAULA GOMES RODRIGUES 1, MARINA BOTTREL REIS NOGUEIRA 2, RENATO CAMPOS ANDRADE

Leia mais