CAMINHOS DA INOVAÇÃO NA INDÚSTRIA GAÚCHA PRONEX PROGRAMA DE APOIO A NÚCLEOS DE EXCELÊNCIA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CAMINHOS DA INOVAÇÃO NA INDÚSTRIA GAÚCHA PRONEX PROGRAMA DE APOIO A NÚCLEOS DE EXCELÊNCIA"

Transcrição

1 Dado que as atividades de inovação podem estar tanto reunidas como espalhadas pelas mais diversas áreas da empresa, concentramos nossa atenção em quatro áreas: (1) Desenvolvimento, (2) Operações, (3) Administração, (4) Comercial. Para responder a esta pesquisa, considere a principal unidade de negócios da empresa no do Rio Grande do Sul. A seguinte pesquisa está dividida em 4 blocos. O primeiro bloco se designa à caracterização da empresa e descrição das áreas de Desenvolvimento, Produção, Administração e Comercial. O segundo bloco visa mensurar a utilização de práticas específicas dentro de cada uma das quatro áreas referidas. O terceiro bloco tem por objetivo medir o desempenho em inovação da empresa nos três últimos anos. Por fim, o quarto bloco designa-se a informações gerais. BLOCO 1 CARACTERIZAÇÃO DA EMPRESA: DESENVOLVIMENTO 1. Marque qual das opções abaixo melhor caracteriza a principal fonte de mudança e novidade na empresa? Pesquisa e Desenvolvimento Desenvolvimento de Produto Engenharia de Processo Gestão da Qualidade Atividade informal de resolução de problemas 2. Com relação aos produtos da empresa, pode-se afirmar que a maior parte: São desenvolvidos por iniciativa própria. São desenvolvidos por solicitação do cliente com autonomia da empresa no projeto. São desenvolvidos por solicitação do cliente com especificações técnicas definidas pelo cliente. A empresa não desenvolve produto, apenas fabrica para terceiros. 3. Qual a frequência desta atividade de desenvolvimento? Acontece o tempo inteiro Acontece de vez em quando Acontece sem planejamento na medida em que é possível Quase nunca acontece 4. Qual dos tipos de projetos abaixo a empresa realiza? Projetos de desenvolvimento (produtos, processos e tecnologias) Projetos de melhorias (produtos e processos) Projetos de rotina (investimentos, ampliações fabris, manutenções) Não desenvolve projetos PRODUÇÃO 5. Com relação ao volume de produção da empresa, pode se afirmar que empresa produz: Uma ou poucos de cada produto Baixo volume Médio volume Alto volume Muito alto volume contínuo 6. Com relação à organização do layout e fluxo de materiais da empresa, pode se afirmar que a empresa opera com: Layout funcional e fluxos extremamente variados Layout celular com fluxo com padrões variados Linha de montagem manual com fluxo regular Linha de montagem automatizada Fluxo contínuo rígido 7. Em relação ao Planejamento da Produção, a empresa faz: Projeções segundo capacidade instalada Projeções segundo histórico de produção e vendas Previsão de vendas Pedidos em carteira Vendas fechadas

2 8. Com relação aos processos produtivos, pode-se afirmar que a maior parte: É desenvolvida por iniciativa da própria empresa É desenvolvida por terceiros, mas segundo projeto da própria empresa É desenvolvida por terceiros São adquiridos no mercado ADMINISTRAÇÃO 9. Considerando a existência dos departamentos administrativos FORMAIS, marque aqueles que existem na sua empresa. Ainda não existem departamentos formais Finanças Departamento de Pessoal Tecnologia da Informação Organização e Sistemas Jurídico Contabilidade Auditoria interna Gestão de Recursos Humanos Logística Marketing Customer Relationship Management. Planejamento e Estratégia 10. Quanto ao controle da empresa, os principais cargos de gestão são exercidos por (marque apenas uma) Membros da família de origem do capital controlador. Membros da família de origem do capital controlador, porém seguindo regras de governança corporativa. Profissionais contratados no mercado, indicados pelos membros da família de origem do capital controlador. Profissionais contratados no mercado, sem ligação com a origem do capital controlador. 11. A tomada de decisão é baseada em qual dos perfis abaixo (marque apenas uma) Na figura de um empreendedor Na figura de um gestor líder Em uma equipe de gestão Na estrutura organizacional de controle Em uma estrutura de governança corporativa 12. Com relação às soluções de gestão da empresa, pode-se afirmar que a maior parte: É desenvolvida por iniciativa da própria empresa É desenvolvida por terceiros, mas segundo projeto da própria empresa É desenvolvida por terceiros É adquirida no mercado COMERCIAL (COMPRAS E VENDAS) 13. Qual dentre os canais de distribuição e vendas relacionados abaixo é o mais utilizado pela empresa? Vendas diretas para o consumidor final Vendas para um varejista Vendas para um distribuidor Vendas por representantes Vendas industriais diretas ao cliente 14. Quanto às atividades de Marketing, qual alternativa melhor caracteriza as de sua empresa. Faz pesquisa de mercado para o desenvolvimento de produtos Faz pesquisa de mercado para o desenvolvimento de produtos e comunica ao mercado através de publicidade e propaganda Faz pesquisa de mercado apenas para comunicar ao mercado através de publicidade e propaganda Apenas desenvolve produtos e comunica ao mercado, sem fazer pesquisa. Apenas comunica ao mercado através de publicidade e propaganda Não faz pesquisa de mercado Nenhuma das acima.

3 15. Qual dentre as formas de COMPRA relacionadas abaixo é a mais utilizada pela empresa (em valor ou volume)? Em termos de VALORES comprados Compras diretas no mercado (preço livre) Compras através de distribuidor Compras de um representante Compras diretamente do fabricante 16. Com relação às soluções comerciais da empresa, pode-se afirmar que a maior parte: É desenvolvida por iniciativa da própria empresa É desenvolvida por terceiros, mas segundo projeto da própria empresa É desenvolvida por terceiros São adquiridos no mercado Em termos de VOLUME comprado Compras diretas no mercado (preço livre) Compras através de distribuidor Compras de um representante Compras diretamente do fabricante Você já respondeu 20% do questionário Na página seguinte, passamos para o segundo bloco da entrevista

4 CAPACIDADES DA EMPRESA CAMINHOS DA INOVAÇÃO NA INDÚSTRIA GAÚCHA BLOCO 2 Por favor, indique em que medida você concorda ou discorda das afirmações abaixo sobre a sua empresa, onde (1) se refere a discordo totalmente e (6) concordo totalmente. Capacidade de DESENVOLVIMENTO 17. A empresa monitora as últimas tendências em inovações tecnológicas relativas ao seu negócio. 18. É comum a empresa adotar as inovações tecnológicas monitoradas no desenvolvimento de novos produtos. 19. A empresa copia inovações em produtos desenvolvidos por outras empresas do Brasil ou do exterior. 20. As inovações tecnológicas adotadas são adaptadas internamente para os novos produtos. 21. São estabelecidas parcerias com instituições de ciência e tecnologia (universidades, institutos técnicos, etc) para o desenvolvimento de novos produtos. 22. Os esforços de mudança e desenvolvimento de novidades são capitaneados internamente, sem interferência dos clientes. 23. Os esforços de mudança e desenvolvimento de novidades acontecem para reagir às ações da concorrência. 24. Os esforços de mudança e desenvolvimento de novidades estão sempre acontecendo. 25. Os esforços de mudança e desenvolvimento de novidades acontecem quando existe uma oportunidade de mercado. Capacidade de PRODUÇÃO 26. A produção é definida de acordo com a entrada de pedidos. 27. O ritmo de entrada de pedidos define os estoques necessários para a produção. 28. A empresa utiliza controle estatístico de processos. 29. O processo de produção da empresa é flexível. 30. A tecnologia da produção em nosso parque fabril está atualizada dentro do padrão do setor. 31. A empresa melhora continuamente os seus processos. 32. O processo produtivo é ajustado em função de novos produtos. 33. O processo produtivo é regido por normas técnicas ou regulamentos institucionais.

5 Capacidade de GESTÃO 34. Há normas escritas que orientam os procedimentos internos de trabalho. 35. As áreas são integradas por meio de sistemas de informação. 36. Os investimentos são financiados principalmente com recursos próprios. 37. Existe autonomia de decisão no desempenho de tarefas específicas nos diferentes níveis hierárquicos. 38. Os objetivos da empresa são monitorados e reorientados quando necessário. 39. A empresa investe na qualificação das pessoas por meio de cursos especializados. 40. A empresa adota as principais novidades em termos de técnicas e ferramentas de gestão. 41. A empresa incorpora novas ferramentas de tecnologia da informação (TI) às rotinas de trabalho. Capacidade COMERCIAL 42. A empresa impõe suas condições de negociação para com seus principais fornecedores. 43. A empresa impõe suas condições de negociação para com seus principais clientes. 44. Os contratos de compra e venda realizados pela empresa são respeitados pelos parceiros. 45. As tendências de mercado são objeto de pesquisas FORMAIS recorrentes. 46. A marca do principal produto comercializado pela empresa é mais reconhecida do que a marca da empresa. 47. A empresa utiliza ferramentas de gestão do relacionamento com o cliente. 48. A empresa muda a forma de relacionamento comercial em função de novas oportunidades de negócio. 49. A empresa realiza ações para melhorar a sua imagem no mercado. Você já respondeu à 62% do questionário O terceiro o bloco dessa pesquisa se encontra na próxima página

6 DESEMPENHO DE INOVAÇÃO BLOCO 3 Por favor, indique em que medida você concorda ou discorda com as afirmações abaixo sobre o desempenho de inovação de sua empresa nos últimos 3 anos, onde (1) se refere a discordo totalmente e (6) concordo totalmente. Desempenho de Inovação 50. Nossas vendas aumentaram. 51. Nossa participação no mercado aumentou. 52. Nosso lucro líquido aumentou. 53. Nossa empresa lançou novos produtos. 54. Nossa empresa implantou mudanças e novidades nos processos produtivos. 55. Nossa empresa adquiriu novos equipamentos. 56. Nossa empresa realizou mudanças nas ferramentas, técnicas e processos de gestão. 57. Nossa empresa realizou mudanças na área comercial (novas formas de atendimento, embalagens, serviços ao cliente, campanha publicitária). 58. Referente às mudanças e desenvolvimento de novos produtos, qual é o impacto (aumento das vendas, aumento da participação do mercado, aumento do lucro, etc) no desempenho geral da empresa: 59. Referente às mudanças e novidades nos processos produtivos, qual é o impacto (aumento de produtividade, redução de custo, aumento da qualidade, etc) no desempenho geral da empresa: 60. Referente às aquisições de novos equipamentos, qual é o impacto para o desempenho geral da empresa 61. Referente às mudanças nos processos gerenciais, qual é o seu impacto para o desempenho geral da empresa 62. Referente às mudanças e novidades na área comercial, qual é o seu impacto no desempenho geral da empresa: 63. Das mudanças implementadas nestes 3 últimos anos, classifique as opções abaixo de 1 a 4, por ordem crescente de ganho financeiro, sendo (1) para o que gerou o MAIOR ganho financeiro, e (4), para o que gerou o MENOR ganho financeiro para a empresa: Produtos: Processos produtivos: Organizacionais (recursos humanos, sistemas de informação, financeiro): Comercialização (vendas, compras, negociação...):

7 64. Qual das ações listadas abaixo mais gerou resultados positivos recentemente? (marque apenas uma alternativa) Ampliação da planta fabril Melhoria de processos produtivos Compra de máquinas e equipamentos Desenvolvimento de novos produtos Lançamento de produtos Abertura de novos mercados Nova abordagem comercial aos clientes Implementação de novos processos de gestão Reformulação do modelo de negócios da empresa Outros 65. Quantos novos produtos a empresa ofereceu para o mercado nestes últimos 3 anos? (favor indicar número total) 66. Qual o total de produtos que a empresa oferece atualmente? 67. Qual é o percentual de participação de novos produtos no faturamento bruto da empresa, na média dos últimos 3 anos? % 68. Qual foi o percentual médio de utilização da capacidade instalada da empresa nos últimos 3 anos? 69. Qual é o número total de patentes depositadas pela empresa até hoje? 70. Lucro da empresa está: ACIMA da média do setor ABAIXO da média do setor NA MÉDIA do setor Você já respondeu a 88% do questionário O bloco FINAL dessa pesquisa se encontra na próxima página

8 INFORMAÇÕES GERAIS 71. Qual o ano de fundação da empresa? 72. Qual o número total de colaboradores da empresa? 73. Distribua conforme as categorias abaixo, este número de colaboradores (valores aproximados fechando o total de colaboradores da empresa). Áreas DESENVOLVIMENTO (Engenharia, projetos, desenvolvimento de produto, incluindo a gestores da área, etc) COMERCIAL (Marketing, vendas, incluindo compras, e gestores da área. etc) PRODUÇÃO (produção e controle da produção, qualidade, manutenção, almoxarifado, incluindo a a gerência de produção, etc) ADMINISTRATIVO (Finanças, RH, TI, Jurídico, serviços agregados, etc) Número 74. Qual o número aproximado de: Clientes ativos da empresa: Fornecedores ativos da empresa: BLOCO A empresa realiza investimento em Pesquisa, Desenvolvimento e Engenharia? Não Sim. Favor indicar o percentual do faturamento bruto que é investido: % 76. Qual o faturamento bruto da empresa no último ano? R$ 77. Indique o percentual de participação sobre o total das vendas em cada um dos mercados de atuação da empresa abaixo: Estadual: % Nacional: % Internacional: % 78. Qual é a distribuição percentual da origem do capital da empresa: Nacional: % Estrangeiro: % 79. A empresa utilizou algum programa de apoio do governo nos últimos dois anos (incentivos fiscais, subvenção econômica, financiamento a projetos, bolsas para pesquisadores)? Não Sim. Qual? CONTATO Você deseja receber os resultados da pesquisa por ? Não Sim (todas as informações individuais serão estritamente confidenciais e usadas somente para o envio dos resultados) Nome da empresa Nome do respondente Cargo Telefone

9 Você deseja acrescentar algum comentário? Obrigado pela sua participação

ANEXO 01 (Conteúdo do EXIN Administração - Campus Mossoró) 3ª SÉRIE

ANEXO 01 (Conteúdo do EXIN Administração - Campus Mossoró) 3ª SÉRIE ANEXO 01 (Conteúdo do EXIN 2016.2 Administração - Campus Mossoró) 3ª SÉRIE DISCIPLINAS DA SÉRIE GESTÃO DA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIA GESTÃO DE PESSOAS DIREITO EMPRESARIAL E TRABALHISTA CONTABILIDADE Os recursos

Leia mais

Prioridades da Agenda de Marco Institucional da MEI

Prioridades da Agenda de Marco Institucional da MEI 2ª REUNIÃO DO COMITÊ DE LÍDERES DA MEI DE 2016 Prioridades da Agenda de Marco Institucional da MEI Gilberto Peralta GE 13 de maio de 2016 MARCO INSTITUCIONAL Emenda Constitucional nº 85 Inserção da inovação

Leia mais

2º SEMINÁRIO DE GOVERNANÇA CORPORATIVA REALIZAÇÃO :

2º SEMINÁRIO DE GOVERNANÇA CORPORATIVA REALIZAÇÃO : 2º SEMINÁRIO DE GOVERNANÇA CORPORATIVA REALIZAÇÃO : QUEM SOMOS HISTÓRIA DA FORNO DE MINAS Fundação da empresa em julho/1990, por D. Dalva e seus filhos Hélida e Helder Início da produção em uma pequena

Leia mais

APÊNDICE A CARO (A) EMPRESÁRIO (A):

APÊNDICE A CARO (A) EMPRESÁRIO (A): APÊNDICE A CARO (A) EMPRESÁRIO (A): ESTA ENTREVISTA FAZ PARTE DE UMA PESQUISA (DIAGNÓSTICO ORGANIZACIONAL) ACADÊMICA DESENVOLVIDA NA DISCIPLINA DE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO MINISTRADA PELO PROFESSOR ROBERTO

Leia mais

Santa Casa Fundada. Inaugurada em 1826

Santa Casa Fundada. Inaugurada em 1826 Santa Casa Fundada em 1803 Inaugurada em 1826 PERFIL Organização Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre Instituição de direito privado, filantrópica, de ensino e assistência social, reconhecida

Leia mais

CONTABILIDADE DE CUSTOS E GERENCIAL. Aula 2- Unidade 01. Prof.: Marcelo Valverde

CONTABILIDADE DE CUSTOS E GERENCIAL. Aula 2- Unidade 01. Prof.: Marcelo Valverde E GERENCIAL Aula 2- Unidade 01 Prof.: Marcelo Valverde Plano de Ensino UNIDADE 1 CONTEXTUALIZAÇÃO DA CONTABILIDADE DE CUSTOS À CONTABILIDADE GERENCIAL 1.1 Contabilidade de Custos x Contabilidade Gerencial

Leia mais

Curso de Graduação em Administração. Administração da Produção e Operações I

Curso de Graduação em Administração. Administração da Produção e Operações I Curso de Graduação em Administração Administração da Produção e Operações I 5º Encontro - 02/03/2012 18:40 às 20:30h Prof. Adm. Sérgio David Ferreira Cruz CRA-BA N 9813 COMO SERÁ NOSSO ENCONTRO HOJE? 02

Leia mais

FAMEBLU Engenharia Civil

FAMEBLU Engenharia Civil Disciplina LOGÍSTICA EMPRESARIAL FAMEBLU Engenharia Civil Aula 5: Revisão Geral Professor: Eng. Daniel Funchal, Esp. Estratégia Corporativa Estratégia corporativa é o processo essencial dentro das organizações,

Leia mais

A empresa quantifica aspectos socioambientais nas projeções financeiras de:

A empresa quantifica aspectos socioambientais nas projeções financeiras de: Os trechos em destaque encontram-se no Glossário. Dimensão Econômica Critério I - Estratégia Indicador 1 - Planejamento Estratégico 1. Assinale os objetivos que estão formalmente contemplados no planejamento

Leia mais

Sistemas de Informação na Empresa

Sistemas de Informação na Empresa Universidade Federal do Vale do São Francisco Curso de Administração Tecnologia e Sistemas de Informação - 04 Prof. Jorge Cavalcanti jorge.cavalcanti@univasf.edu.br www.univasf.edu.br/~jorge.cavalcanti

Leia mais

EMPREENDEDORISMO PLANOS DE NEGÓCIO

EMPREENDEDORISMO PLANOS DE NEGÓCIO EMPREENDEDORISMO PLANOS DE NEGÓCIO PROF. MS CARLOS WILLIAM DE CARVALHO PLANO DE NEGÓCIO Apesar de recente no Brasil, o uso de Planos de Negócio tradicional ganhou destaque nos EUA ainda na década de 1960,

Leia mais

3. CNAE E FATURAMENTO: 3.1. CNAE Principal (Código e Descrição da Atividade Econômica Principal, conforme CNPJ):

3. CNAE E FATURAMENTO: 3.1. CNAE Principal (Código e Descrição da Atividade Econômica Principal, conforme CNPJ): BNDES/GOIÁSFOMENTO CARTA-CONSULTA 1. RESUMO DA OPERAÇÃO PROPOSTA: 1.1. Sobre a Empresa 1.1.1. Empresa/Proponente: 1.1.2. Objetivo Social: 1.1.3. Localização do Empreendimento Proposto (município): 1.2.

Leia mais

CURSO: ADMINISTRAÇÃO

CURSO: ADMINISTRAÇÃO CURSO: ADMINISTRAÇÃO EMENTAS - 2016.1 1º PERÍODO DISCIPLINA: MATEMÁTICA APLICADA A ADMINISTRAÇÃO Equações do primeiro e segundo graus com problemas. Problemas aplicando sistemas; sistemas com três incógnitas

Leia mais

TECNÓLOGO EM AGROINDÚSTRIA ITINERÁRIO FORMATIVO

TECNÓLOGO EM AGROINDÚSTRIA ITINERÁRIO FORMATIVO TECNÓLOGO EM AGROINDÚSTRIA Módulo Básico I 3 Módulo Específico II 365 h Beneficiamento e Industrialização de Grãos Toxicologia dos Alimentos Sistemas Agroindustriais Alimentares Sistemas de Armazenamento

Leia mais

AGENDA DESEMPENHO FINANCEIRO NOSSO NEGÓCIO VANTAGENS COMPETITIVAS OPORTUNIDADES

AGENDA DESEMPENHO FINANCEIRO NOSSO NEGÓCIO VANTAGENS COMPETITIVAS OPORTUNIDADES Dezembro de 2015 1 DISCLAIMER Esta apresentação pode incluir declarações que representem expectativas sobre eventos ou resultados futuros de acordo com a regulamentação de valores mobiliários brasileira

Leia mais

AOI/DECRED ELCIO AMIUNE. Área de Operações Indiretas. Departamento de Credenciamento de Fabricantes de Máquinas, Equipamentos e Sistemas

AOI/DECRED ELCIO AMIUNE. Área de Operações Indiretas. Departamento de Credenciamento de Fabricantes de Máquinas, Equipamentos e Sistemas Área de Operações Indiretas Departamento de Credenciamento de Fabricantes de Máquinas, Equipamentos e Sistemas AOI/DECRED ELCIO AMIUNE Bens passíveis de credenciamento: Máquinas e Equipamentos novos, inclusive

Leia mais

Inovação para o Aumento da Competitividade da Indústria

Inovação para o Aumento da Competitividade da Indústria Inovação para o Aumento da Competitividade da Indústria João Emilio P. Gonçalves Gerente Executivo Política Industrial Diretoria de Desenvolvimento Industrial CNI - Confederação Nacional da Indústria Competitividade

Leia mais

Faculdade SENAI de Tecnologia Gráfica. Cursos de Pós Graduação. Planejamento e Produção de Mídia Impressa

Faculdade SENAI de Tecnologia Gráfica. Cursos de Pós Graduação. Planejamento e Produção de Mídia Impressa Faculdade SENAI de Tecnologia Gráfica Cursos de Pós Graduação Planejamento e Produção de Mídia Impressa Programa de pós-graduação lato-sensu, especialmente planejado para profissionais das áreas de produção

Leia mais

Sistemas de Informações Gerenciais. da Cadeia de Suprimento ao ERP e ao CRM

Sistemas de Informações Gerenciais. da Cadeia de Suprimento ao ERP e ao CRM Sistemas de Informações Gerenciais da Cadeia de Suprimento ao ERP e ao CRM Empresa digital 2 Sistema Integrado de Gestão e-commerce e empresas parceiras Compras BACK OFFICE FRONT OFFICE SCM - Supply Chain

Leia mais

Planejamento e Controle da Produção I

Planejamento e Controle da Produção I Planejamento e Controle da Produção I Atividades do Prof. M.Sc. Gustavo Meireles 2012 Gustavo S. C. Meireles 1 Introdução Sistemas produtivos: abrange produção de bens e de serviços; Funções básicas dos

Leia mais

Destaques do 1T12: Mensagem da Administração

Destaques do 1T12: Mensagem da Administração Vigor registra Receita Líquida de R$ 314,1 milhões e EBITDA de R$ $24,9 milhões, representando um crescimento de 8,2% e 167,9%, respectivamente, quando comparado com igual período do ano anterior Destaques

Leia mais

Instituto Sindipeças de Educação Corporativa

Instituto Sindipeças de Educação Corporativa Instituto Sindipeças de Educação Corporativa 2016 Instituto Sindipeças de Educação Corporativa Missão Oferecer soluções educacionais para elevar a competitividade e a sustentabilidade do setor de autopeças.

Leia mais

China: Oportunidades e Desafios. O Caso EMBRAER. Henrique Rzezinski Vice-Presidente Sênior de Relações Externas

China: Oportunidades e Desafios. O Caso EMBRAER. Henrique Rzezinski Vice-Presidente Sênior de Relações Externas China: Oportunidades e Desafios O Caso EMBRAER Henrique Rzezinski Vice-Presidente Sênior de Relações Externas Evento: Desafios Emergentes: A Ascenção econômica de China e índia e seus efeitos para o Brasil

Leia mais

Líderes e Práticas Especial Filantropia

Líderes e Práticas Especial Filantropia Líderes e Práticas Especial Filantropia 60 healthcaremanagement.com.br edição 42 HEALTHCARE Management Planejamento financeiro Com cerca de 75% dos procedimentos destinados ao SUS, Hospital Márcio Cunha

Leia mais

CISER adota novo conceito tecnológico em sua arquitetura de TI

CISER adota novo conceito tecnológico em sua arquitetura de TI CISER adota novo conceito tecnológico em sua arquitetura de TI MAIO/2016 Perfil A CISER Parafusos e Porcas é a maior fabricante de fixadores da América Latina. Tem capacidade produtiva de 6 mil toneladas/mês

Leia mais

Parte I Dimensões do Uso de Tecnologia de Informação, 5

Parte I Dimensões do Uso de Tecnologia de Informação, 5 Sumário Introdução, 1 Parte I Dimensões do Uso de Tecnologia de Informação, 5 1 Direcionadores do Uso de Tecnologia de Informação, 7 1.1 Direcionadores de mercado, 8 1.2 Direcionadores organizacionais,

Leia mais

Gestão Estratégica da Qualidade

Gestão Estratégica da Qualidade UNIVERSIDADE DE SOROCABA Curso Gestão da Qualidade Gestão Estratégica da Qualidade Aula Revisão 06/09 Professora: Esp. Débora Ferreira de Oliveira Questões 1 Como pode ser definida a 1ª fase da qualidade?

Leia mais

ACADEMIA JACAREZINHO Maio/2009 Charles Pantoja Esteves Administrador de Empresas / Analista de Sistemas

ACADEMIA JACAREZINHO Maio/2009 Charles Pantoja Esteves Administrador de Empresas / Analista de Sistemas ACADEMIA JACAREZINHO Maio/2009 Charles Pantoja Esteves Administrador de Empresas / Analista de Sistemas S - Strenghts - Pontos Fortes W - Weaknesses - Pontos Fracos O - Opportunities - Oportunidades T

Leia mais

Teleconferência de Resultados 1T16. 6 de maio de Magazine Luiza

Teleconferência de Resultados 1T16. 6 de maio de Magazine Luiza Teleconferência de Resultados 6 de maio de 2016 Magazine Luiza Destaques Vendas E-commerce Margem Bruta EBITDA e Lucro Líquido Capital de Giro Endividamento Luizacred Aumento da receita bruta de 3% totalizando

Leia mais

Ambiente de Marketing

Ambiente de Marketing Ambiente de Marketing Mercado: Mercado deve ser definido com base na existência de uma necessidade; Se não há necessidade, não há mercado; Condições básicas para que exista um mercado: Que o consumidor

Leia mais

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE NEGÓCIOS

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE NEGÓCIOS EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE NEGÓCIOS Disciplina: Matemática Financeira 10 h/a Ementa: O valor do dinheiro no tempo. Conceitos de juros, taxas de juros, principal,

Leia mais

Informações sobre os Roteiros

Informações sobre os Roteiros Informações sobre os Roteiros O MakeMoney traz roteiros especialmente desenvolvidos para elaboração de Planos de Negócios, Estudos de Viabilidade e Planos de Inovação e Competitividade. Este documento

Leia mais

Parque Tecnológico de Botucatu Junho / 2015

Parque Tecnológico de Botucatu Junho / 2015 Parque Tecnológico de Botucatu Junho / 2015 São Paulo Inova O Programa São Paulo Inova é uma iniciativa do Estado de São Paulo para apoiar empresas paulistas de base tecnológica e de perfil inovador em

Leia mais

GOVERNADOR DIX-SEPT ROSADO

GOVERNADOR DIX-SEPT ROSADO 1 DADOS GERAIS - Data de emancipação: 04/04/1963 - Distância da capital: 320 km - Área: 1.129 Km 2 - Localização Mesorregião: Oeste Potiguar Microrregião: Chapada do Apodi - População: 12.374 (IBGE/2007)

Leia mais

1 - Administração de Marketing (Administração Integrado ao Ensino Médio);

1 - Administração de Marketing (Administração Integrado ao Ensino Médio); 1 - de Marketing ( Integrado ao Ensino Médio); (EII) - Habilitação em de Empresas - Habilitação em de Negócios - Habilitação em Geral - Habilitação em Hoteleira - Habilitação em Comércio Exterior - Habilitação

Leia mais

AGENDA. Destaques. Desempenho Operacional. Desempenho Econômico- Financeiro. Perspectivas

AGENDA. Destaques. Desempenho Operacional. Desempenho Econômico- Financeiro. Perspectivas Disclaimer Nossas estimativas e declarações futuras têm por embasamento, em grande parte, expectativas atuais e projeções sobre eventos futuros e tendências financeiras que afetam ou podem afetar o nosso

Leia mais

Estratégias para as Compras Públicas Sustentáveis. Paula Trindade LNEG

Estratégias para as Compras Públicas Sustentáveis. Paula Trindade LNEG Estratégias para as Compras Públicas Sustentáveis Paula Trindade LNEG Conferência Compras Públicas Sustentáveis LNEG, 25 Março 2010 Muitas organizações têm experiências em compras sustentáveis! Mas sem

Leia mais

MBA em Gestão Empreendedora Curso de Especialização Lato Sensu

MBA em Gestão Empreendedora Curso de Especialização Lato Sensu MBA em Gestão Empreendedora Curso de Especialização Lato Sensu Introdução à Educação a Distância (EAD); Inovação e Empreendedorismo; Políticas Públicas em Educação; Gestão de Processos; Gestão Estratégica;

Leia mais

Criação do Conhecimento como processo Sintetizador

Criação do Conhecimento como processo Sintetizador Criação do Conhecimento como processo Sintetizador Criação do Conhecimento como Processo Sintetizador Coleta de informações publicadas e não publicadas Coleta de informações externas Coleta de informações

Leia mais

ESPECIALIZAÇÃO EM MARKETING ESTRATÉGICO PARA EMPRESAS DE BASE TECNOLÓGICA

ESPECIALIZAÇÃO EM MARKETING ESTRATÉGICO PARA EMPRESAS DE BASE TECNOLÓGICA ESPECIALIZAÇÃO EM MARKETING ESTRATÉGICO PARA EMPRESAS DE BASE TECNOLÓGICA APRES ENTAÇÃO O mundo globalizado está em constante transformação em função da implementação de novas tecnologias ao ambiente dos

Leia mais

Veja os 11 profissionais especialistas mais procurados durante a crise

Veja os 11 profissionais especialistas mais procurados durante a crise Veja os 11 profissionais especialistas mais procurados durante a crise O executivo que tem perfil para gerenciar crise ainda segue cobiçado no mercado de trabalho, com aumento de 30% na demanda até agosto

Leia mais

RAD 1504 Gestão da Qualidade I. Profa. Márcia Mazzeo Grande Pro. Erasmo José Gomes

RAD 1504 Gestão da Qualidade I. Profa. Márcia Mazzeo Grande Pro. Erasmo José Gomes RAD 1504 Gestão da Qualidade I Profa. Márcia Mazzeo Grande Pro. Erasmo José Gomes A era da qualidade acabou? Modismo ou Modelo de Gestão? Panorama atual Elevado número de recalls Requisitos de qualidade

Leia mais

Instituto Sindipeças de Educação Corporativa

Instituto Sindipeças de Educação Corporativa Instituto Sindipeças de Educação Corporativa Maio 2014 Instituto Sindipeças de Educação Corporativa Missão Oferecer soluções educacionais para elevar a competitividade e a sustentabilidade do setor de

Leia mais

Incentivos fiscais à Inovação Tecnológica Lei nº /2005 (Lei do Bem)

Incentivos fiscais à Inovação Tecnológica Lei nº /2005 (Lei do Bem) Incentivos fiscais à Inovação Tecnológica Lei nº 11.196/2005 (Lei do Bem) Principais incentivos fiscais da Lei do Bem Os principais incentivos fiscais à inovação tecnológica previstos na Lei do Bem são:

Leia mais

INFORMAÇÕES SOBRE O BDMG

INFORMAÇÕES SOBRE O BDMG "Empreendedorismo, Inovação e Tecnologia para a retomada do desenvolvimento INFORMAÇÕES SOBRE O BDMG BDMG: Foco em Inovação Novembro/14 Dezembro/15 O BDMG em resumo 2 O Banco de Desenvolvimento de Minas

Leia mais

Portfólio de Serviços PSX Tecnologia Ltda 2016 BR R9b

Portfólio de Serviços PSX Tecnologia Ltda 2016 BR R9b www.psxtecnologia.com.br Portfólio de Serviços PSX Tecnologia Ltda 2016 BR R9b O que fazemos QUEM SOMOS Nossa empresa A PSX Tecnologia é uma empresa especializada em consultoria no segmento empresarial.

Leia mais

ARRANJO PRODUTIVO LOCAL DE DOCES EM TABULEIRO DO NORTE 1

ARRANJO PRODUTIVO LOCAL DE DOCES EM TABULEIRO DO NORTE 1 ARRANJO PRODUTIVO LOCAL DE DOCES EM TABULEIRO DO NORTE 1 1. Localização (discriminação): Município de Tabuleiro do Norte. 2. Natureza da Atividade: Produção de doces 3. Idade do arranjo A maioria das empresas

Leia mais

Tendências em Sistemas de Informação

Tendências em Sistemas de Informação Prof. Glauco Ruiz Tendências em Sistemas de Informação Os papéis atribuídos à função dos SI têm sido significativamente ampliados no curso dos anos. De 1950 a 1960 Processamento de Dados Sistemas de processamento

Leia mais

Desafios para manter a iniciativa de BPM alinhada com a estratégia empresarial

Desafios para manter a iniciativa de BPM alinhada com a estratégia empresarial Desafios para manter a iniciativa de BPM alinhada com a estratégia empresarial Marlene Silva YPÊ Curitiba 05/12/12 Quem Somos Marca líder no segmento de higiene e limpeza no Brasil, a Ypê possui uma linha

Leia mais

Qualificação de Fornecedores na Sabesp

Qualificação de Fornecedores na Sabesp Qualificação de Fornecedores na Sabesp Objetivo Mostrar ao mercado nacional e internacional, o interesse da Sabesp em fomentar a participação do maior número possível de fornecedores de materiais e equipamentos

Leia mais

ARRANJO PRODUTIVO LOCAL DE MÓVEIS TUBULARES EM IGUATU 1

ARRANJO PRODUTIVO LOCAL DE MÓVEIS TUBULARES EM IGUATU 1 ARRANJO PRODUTIVO LOCAL DE MÓVEIS TUBULARES EM IGUATU 1 1. Localização (discriminação): Município de Iguatu. 2. Natureza da Atividade: Móveis Tubulares. 3. Idade do Arranjo A empresa pioneira está no mercado

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO G5. 1º A 2016 (2 sem) Noturno. Central. Teorias da Administração. Teorias da Administração

ADMINISTRAÇÃO G5. 1º A 2016 (2 sem) Noturno. Central. Teorias da Administração. Teorias da Administração ADMINISTRAÇÃO G5 1º A 2016 (2 sem) Noturno Língua Portuguesa Matemática Teorias da Sociologia e Política Psicologia Aplicada Língua Portuguesa Matemática Teorias da Sociologia e Política Psicologia Aplicada

Leia mais

CURSO: ENGENHARIA DE PRODUÇÃO EMENTAS º PERÍODO

CURSO: ENGENHARIA DE PRODUÇÃO EMENTAS º PERÍODO CURSO: ENGENHARIA DE PRODUÇÃO EMENTAS - 2016.1 1º PERÍODO DISCIPLINA: INTRODUÇÃO AO CÁLCULO DISCIPLINA: FUNDAMENTOS DE FÍSICA DISCIPLINA: REPRESENTAÇÃO GRÁFICA DISCIPLINA: INTRODUÇÃO À ENGENHARIA DISCIPLINA:

Leia mais

Curso TECNOLOGIA EM GESTÃO EMPRESARIAL

Curso TECNOLOGIA EM GESTÃO EMPRESARIAL Curso TECNOLOGIA EM GESTÃO EMPRESARIAL DISCIPLINA Aplicações de Sistemas de Informação Prof. Wagner Däumichen Barrella E-commerce e E-business Além de auxiliar na Gestão Empresarial, os Sistemas de Informação

Leia mais

O Grupo Herval pág. 03 Estrutura de TI pág. 05 Case Qualitor

O Grupo Herval pág. 03 Estrutura de TI pág. 05 Case Qualitor Í N D I C E O Grupo Herval pág. 03 Estrutura de TI pág. 05 Case Qualitor Problemas existentes pág. 08 Desafios do projeto pág. 10 Diferenciais do produto pág. 12 Resultados obtidos pág. 18 Aprendizado

Leia mais

Universidade de São Paulo. Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade Departamento de Contabilidade e Atuária EAC FEA - USP

Universidade de São Paulo. Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade Departamento de Contabilidade e Atuária EAC FEA - USP Universidade de São Paulo Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade Departamento de Contabilidade e Atuária EAC FEA - USP AULA 09 Customer Relationship Management (CRM) Prof. Dr. Joshua Onome

Leia mais

introdução ao marketing - gestão do design

introdução ao marketing - gestão do design introdução ao marketing - gestão do design Universidade Presbiteriana Mackenzie curso desenho industrial 3 pp e pv profa. dra. teresa riccetti Fevereiro 2009 A gestão de design, o management design, é

Leia mais

Inovação como prioridade estratégica do BNDES

Inovação como prioridade estratégica do BNDES Inovação como prioridade estratégica do BNDES Helena Tenorio Veiga de Almeida APIMECRIO 20/04/2012 Histórico do apoio à inovação no BNDES 2 Histórico do apoio à inovação no BNDES 1950 Infraestrutura Econômica

Leia mais

EDITAL SENAI SESI DE INOVAÇÃO 2013

EDITAL SENAI SESI DE INOVAÇÃO 2013 EDITAL SENAI SESI DE INOVAÇÃO 2013 Plano de Negócios (Max 20 pág. sem anexos) Dados gerais do projeto 1. Resumo do Projeto; Descrever de maneira sucinta do que se trata o projeto. 2. Objetivo do Projeto;

Leia mais

ORDEM DO DIA: Eleição de membro efetivo do Conselho de Administração, por indicação do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão.

ORDEM DO DIA: Eleição de membro efetivo do Conselho de Administração, por indicação do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO AGE Em, 06 de agosto de 2015. ORDEM DO DIA: Eleição de membro efetivo do Conselho de Administração, por indicação do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. - INFORMAÇÕES

Leia mais

Ementas. Certificate in Business Administration CBA

Ementas. Certificate in Business Administration CBA Ementas Certificate in Business Administration CBA Agosto 2012 Módulo Fundamental Administração Financeira EMENTA: Disciplina desenvolve a capacidade de contribuição para as decisões gerenciais aplicando

Leia mais

LUCRATIVIDADE : CRESCER, SOBREVIVER OU MORRER

LUCRATIVIDADE : CRESCER, SOBREVIVER OU MORRER LUCRATIVIDADE : CRESCER, SOBREVIVER OU MORRER SALVADOR SERRATO salvadors@sebraesp.com.br O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO Orientar na implantação e no desenvolvimento de seu negócio de

Leia mais

GESTÃO ESTRATÉGICA DE CUSTOS NO SETOR PÚBLICO P O DESAFIO. Brasília, Setembro 2005

GESTÃO ESTRATÉGICA DE CUSTOS NO SETOR PÚBLICO P O DESAFIO. Brasília, Setembro 2005 GESTÃO ESTRATÉGICA DE CUSTOS NO SETOR PÚBLICO P : O DESAFIO. Brasília, Setembro 2005 CUSTOS NO SETOR PÚBLICO: P Diversidade de visões. Objetivos - custo para otimização de resultados, para melhoria de

Leia mais

Gestão de Processos. Gestão de Processos na Saúde. Identificação, mapeamento, redesenho e aprimoramento dos processos

Gestão de Processos. Gestão de Processos na Saúde. Identificação, mapeamento, redesenho e aprimoramento dos processos Gestão de Processos na Saúde Marcelo.Aidar@fgv.br 1 Gestão de Processos Identificação, mapeamento, redesenho e aprimoramento dos processos 2 O Ambiente de Negócios e os Stakeholders AMBIENTE DE AÇÃO INDIRETA

Leia mais

Terceirização (Outsourcing)

Terceirização (Outsourcing) Gestão e otimização da produção Terceirização () Marco Antonio Dantas de Souza MSc. Engenharia de Produção Engenheiro de Segurança do Trabalho O que é outsourcing? Definição ou terceirização é uma técnica

Leia mais

Núcleos de Pesquisa e Desenvolvimento Capacidade de absorção do conhecimento nas empresas brasileiras

Núcleos de Pesquisa e Desenvolvimento Capacidade de absorção do conhecimento nas empresas brasileiras www.fdc.org.br Núcleos de Pesquisa e Desenvolvimento Capacidade de absorção do conhecimento nas empresas brasileiras Núcleo de Logística, Supply Chain e Infraestrutura Equipe Coordenadores Alessia Franco

Leia mais

Gestão da Produção. Análise SWOT Balanced Scorecard Mapa Estratégico. Prof. Dr. Marco Antonio Pereira Empresas Classe Mundial

Gestão da Produção. Análise SWOT Balanced Scorecard Mapa Estratégico. Prof. Dr. Marco Antonio Pereira Empresas Classe Mundial Gestão da Produção Análise SWOT Balanced Scorecard Mapa Estratégico Prof. Dr. Marco Antonio Pereira marcopereira@usp.br Empresas Classe Mundial ESTRATÉGIA PRODUTIVIDADE QUALIDADE Balanced ScoreCard Lean

Leia mais

ESTRATÉGIAS DE EXPANSÃO Licenciamento, Franquias, e outras formas contratuais NEGÓCIOS INTERNACIONAIS

ESTRATÉGIAS DE EXPANSÃO Licenciamento, Franquias, e outras formas contratuais NEGÓCIOS INTERNACIONAIS ESTRATÉGIAS DE EXPANSÃO Licenciamento, Franquias, e outras formas contratuais NEGÓCIOS INTERNACIONAIS Estratégias de Expansão a decisão de ir (ou não para o ambiente internacional deve considerar os riscos

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA. Gestão Financeira 1 Prof.ª Thays Silva Diniz 1º Semestre 2010

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA. Gestão Financeira 1 Prof.ª Thays Silva Diniz 1º Semestre 2010 ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA Gestão Financeira 1 Prof.ª Thays Silva Diniz 1º Semestre 2010 INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA Cap.1 A decisão financeira e a empresa 1. Introdução 2. Objetivo e Funções da

Leia mais

O Futuro da Auditoria Interna: Tendências e requisitos fundamentais do Chief Audit Executive

O Futuro da Auditoria Interna: Tendências e requisitos fundamentais do Chief Audit Executive 1 O Futuro da Auditoria Interna: Tendências e requisitos fundamentais do Chief Audit Executive DEFINIÇÃO DE AUDITORIA INTERNA "A auditoria interna é uma atividade independente, de garantia objetiva e consultiva,

Leia mais

Administração de Recursos Materiais e Patrimoniais I

Administração de Recursos Materiais e Patrimoniais I Administração de Recursos Materiais e Patrimoniais I Recursos e PRP (Processo de Realização do Produto) Prof. Marcos César Bottaro Os Recursos RECURSOS: é tudo que gera ou tem a capacidade de gerar riqueza

Leia mais

Arezzo&Co s Investor Day

Arezzo&Co s Investor Day Arezzo&Co s Investor Day Tecnologia da informação aplicada ao varejo Kurt Richter Diretor de TI 1 Plano estratégico O plano estratégico de TI está bastante alinhado com a visão de longo prazo da Companhia

Leia mais

Sumário. PARTE 1 Gestão logística da cadeia de suprimentos. Capítulo 2. Capítulo 1

Sumário. PARTE 1 Gestão logística da cadeia de suprimentos. Capítulo 2. Capítulo 1 Sumário PARTE 1 Gestão logística da cadeia de suprimentos Capítulo 1 Cadeias de suprimentos no século xxi... 2 A revolução da cadeia de suprimentos... 4 Integração gera valor... 6 Modelo geral de cadeia

Leia mais

SEMINÁRIO INTERNACIONAL Painel: Experiências bem-sucedidas em CT&I: das estratégias de financiamento à vanguarda na gestão empresarial

SEMINÁRIO INTERNACIONAL Painel: Experiências bem-sucedidas em CT&I: das estratégias de financiamento à vanguarda na gestão empresarial SEMINÁRIO INTERNACIONAL Painel: Experiências bem-sucedidas em CT&I: das estratégias de financiamento à vanguarda na gestão empresarial SÉRGIO PAUPÉRIO SÉRIO FILHO DEZEMBRO/2015 24 QUEM SOMOS De origem

Leia mais

GESTÃO DO CAPITAL INTELECTUAL

GESTÃO DO CAPITAL INTELECTUAL GESTÃO DO CAPITAL INTELECTUAL CAPITAL INTELECTUAL Valor agregado aos produtos da organização por meio de informação e conhecimento. Composto: Habilidades e conhecimentos das pessoas Tecnologia Processos

Leia mais

Comitê Científico do Enangrad

Comitê Científico do Enangrad Comitê Científico do Enangrad Administração Pública Empreendedorismo e Governança Corporativa Ensino, Pesquisa e Formação Docente em Administração Finanças Gestão da Sustentabilidade Gestão de Informações

Leia mais

MOTIVAÇÃO PARA A QUALIDADE

MOTIVAÇÃO PARA A QUALIDADE MOTIVAÇÃO PARA A QUALIDADE Irene Szyszka 07/11/2002 Lucem Sistemas Integrados de Gestão - Direitos Reservados 1 O QUE É MOTIVAÇÃO? MOTIVOS PARA AÇÃO??? Segundo Michaelis: Ato de motivar. Espécie de energia

Leia mais

Aula 4: Gestão estratégica de suprimentos

Aula 4: Gestão estratégica de suprimentos Gestão de Suprimentos e logística de distribuição Professor : Francisco F. Carso (francisco.carso@poli.usp.br) Aula 4: Gestão estratégica de Tópicos da aula: Matriz de posicionamento estratégico ou de

Leia mais

INTRODUÇÃO PROCESSO ANALÍTICO ESTRUTURA ANALÍTICA METODOLOGIA DE RATING DE GESTORES DE RECURSOS

INTRODUÇÃO PROCESSO ANALÍTICO ESTRUTURA ANALÍTICA METODOLOGIA DE RATING DE GESTORES DE RECURSOS INTRODUÇÃO O Rating de Gestores de Recursos (RGR) da Austin Rating reflete a análise de fatores qualitativos e quantitativos aplicados pela entidade visando a gestão eficiente de recursos de terceiros.

Leia mais

OLHO D' AGUA DOS BORGES

OLHO D' AGUA DOS BORGES 1 DADOS GERAIS - Data de emancipação: 31/10/1938 - Distância da capital: 321 km - Área: 141 Km 2 - Localização Mesorregião: Oeste Potiguar Microrregião: Umarizal - População: 4.442 (IBGE/2007) - Número

Leia mais

JÁDSON PIERRE MARTINS DE SOUZA

JÁDSON PIERRE MARTINS DE SOUZA JÁDSON PIERRE MARTINS DE SOUZA Santa Cruz do Capibaribe, PE pierrealmoxarifado@hotmail.com - 81 99219 3067 Disponibilidade de mudança para: Qualquer lugar EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL Encarregado de Almoxarifado

Leia mais

Apoio do BNDES a Provedores Regionais de Internet

Apoio do BNDES a Provedores Regionais de Internet Apoio do BNDES a Provedores Regionais de Internet Feira de Santana BA 30/09/2014 Como apoiamos? Operações Diretas Contratadas diretamente com o BNDES Como apoiamos? No de operações 2013 R$ 1,1 milhões

Leia mais

QUADRO DE DISCIPLINAS

QUADRO DE DISCIPLINAS QUADRO DE DISCIPLINAS Disciplinas 1 Horas- Aula 2 1. Fundamentos do Gerenciamento de Projetos 24 2. Gerenciamento do Escopo em Projetos 24 3. Gerenciamento da Qualidade em Projetos 12 4. Gerenciamento

Leia mais

Curso de Engenharia de Produção

Curso de Engenharia de Produção Curso de Engenharia de Produção Apresentação 2015 Prof. Dr. Carlos Fernando Jung carlosfernandojung@gmail.com Nosso Negócio Produtividade Rentabilidade Melhoria Contínua Otimização de Produtos e Processos

Leia mais

Núcleo de Apoio ao Planejamento e Gestão da Inovação. Junho de 2006

Núcleo de Apoio ao Planejamento e Gestão da Inovação. Junho de 2006 Núcleo de Apoio ao Planejamento e Gestão da Inovação Junho de 2006 NUGIN: Núcleo de Gestão da Inovação Missão Promover a geração de ambientes inovadores, fomentando e apoiando as empresas na gestão da

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DAS ORGANIZAÇÕES (ASPECTO AMBIENTAL)

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DAS ORGANIZAÇÕES (ASPECTO AMBIENTAL) PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DAS ORGANIZAÇÕES (ASPECTO AMBIENTAL) EVOLUÇÃO DA ORGANIZAÇÃO ONTEM (MERCADO FECHADO E PROTEGIDO): CUSTOS + LUCRO = PREÇO DE VENDA A PROTEÇÃO AMBIENTAL é vista como um fator de

Leia mais

Eficiência e Eficácia

Eficiência e Eficácia Eficiência e Eficácia Desempenho das Organizações A eficiência é determinante da eficácia: caso haja recursos disponíveis, e estes forem utilizados corretamente, a probabilidade de atingir os objetivos

Leia mais

NÚCLEO DE DESENVOLVIMENTO EMPRESARIAL 2014

NÚCLEO DE DESENVOLVIMENTO EMPRESARIAL 2014 NÚCLEO DE DESENVOLVIMENTO EMPRESARIAL 2014 WORKSHOPS CH DATA HORÁRIO INVESTIMENTO CONTEÚDO 1. Mudança nas relações com clientes em vendas. 2. Vendedor consultor: Gestor de negócio. 3. Planejamento em vendas.

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO E PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO

ADMINISTRAÇÃO E PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Capítulos 4, 5, 6 e 7 Estratégias de nível empresarial, da unidade de negócio e funcional - Depois que a organização delineou sua missão, objetivos gerais e específicos, a alta administração pode formular

Leia mais

Nosso objetivo. Nas próximas telas você verá o que o SophiA pode fazer para auxiliar sua IES a cumprir esta missão.

Nosso objetivo. Nas próximas telas você verá o que o SophiA pode fazer para auxiliar sua IES a cumprir esta missão. Nossa empresa alia seus mais de 23 anos de experiência no mercado à paixão por educação e tecnologia para desenvolver a solução SophiA Gestão Acadêmica. Este é um sistema flexível, que apresenta excelente

Leia mais

Planejamento Estratégico de Uma Pequena Empresa do Ramo de Panificação

Planejamento Estratégico de Uma Pequena Empresa do Ramo de Panificação Planejamento Estratégico de Uma Pequena Empresa do Ramo de Panificação Bruno da Costa Feitosa bcfeitosa@gmail.com Resumo Este documento apresenta o planejamento estratégico de uma pequena empresa do ramo

Leia mais

HORÁRIOS DE AULAS SEMESTRE 2016/1 LOGÍSTICA - MATUTINO 1º PERÍODO A

HORÁRIOS DE AULAS SEMESTRE 2016/1 LOGÍSTICA - MATUTINO 1º PERÍODO A LOGÍSTICA - MATUTINO 1º PERÍODO A 07h30 às 09h10 09h20 às 11h00 Teoria Geral da Administração Leitura e Produção de Texto Direito e Legislação para a Gestão (Profa. Célia)

Leia mais

5. ANÁLISE E ESTRATÉGIA AMBIENTAL 5.1. CADEIA DE VALOR

5. ANÁLISE E ESTRATÉGIA AMBIENTAL 5.1. CADEIA DE VALOR 176 5. ANÁLISE E ESTRATÉGIA AMBIENTAL 5.1. CADEIA DE VALOR O escopo competitivo estabelecido por uma organização corresponde ao campo em que a mesma irá atuar: produtos, segmentos, grau de integração vertical

Leia mais

PLANEJAMENTO E CONTROLE DE OBRAS BDI

PLANEJAMENTO E CONTROLE DE OBRAS BDI PLANEJAMENTO E CONTROLE DE OBRAS BDI Professora: Eng. Civil Mayara Custódio, Msc. Definições BDI: Uma taxa que se adiciona ao custo de uma obra para cobrir as despesas indiretas que tem o construtor, mais

Leia mais

Visão Geral. Compras

Visão Geral. Compras Compras Sumário Sumário... 2 1 Conceitos Básicos... 3 1.1 Objetivos Instrucionais... 3 2 Compras... 3 3 Gerenciamento de Compra... 4 4 Integrações... 4 5 Macrofluxo... 5 6 Conclusão... 5 2 TOTVS - Visão

Leia mais

RB Distribuidora Distribuição Total

RB Distribuidora Distribuição Total RB Distribuidora Distribuição Total Breve Histórico Fundação Teresina-PI Abertura filial em Fortaleza Transferência da sede para Fortaleza Fim da atividade Atacadista e foco na distribuição especializada

Leia mais

MBA EM GESTÃO E ESTRATÉGIA EMPRESARIAL

MBA EM GESTÃO E ESTRATÉGIA EMPRESARIAL PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU MBA EM GESTÃO E ESTRATÉGIA EMPRESARIAL Objetivos do Curso O curso tem por objetivo capacitar os participantes no desenvolvimento de competências relacionadas com a utilização dos

Leia mais

Enterprise Risk Management (ERM) Gestão de Riscos Corporativos Pesquisa sobre o estágio atual em empresas brasileiras

Enterprise Risk Management (ERM) Gestão de Riscos Corporativos Pesquisa sobre o estágio atual em empresas brasileiras KPMG Risk & Compliance Enterprise Risk Management (ERM) Gestão de Riscos Corporativos Pesquisa sobre o estágio atual em empresas brasileiras Conteúdo 1. Contexto geral 6. Estrutura e funcionamento do Conselho

Leia mais

% 70 54,5. 2 Inclui atividades de inovação abandonadas ou incompletas

% 70 54,5. 2 Inclui atividades de inovação abandonadas ou incompletas Principais resultados do CIS 214 - Inquérito Figura 1 Atividades de, CIS 212 - CIS 214 () Comunitário à Inovação 7 6 54,5 53,8 Setembro de 216 5 4 3 41,2 44,6 25,9 28,3 35,2 33,5 33, 32,6 26,1 2 A Direção-Geral

Leia mais

COMUNICADO. 1. Ambiente de Negócios 1.2 Contexto dos Pequenos Negócios no Brasil 1.3 Políticas públicas de apoio aos Pequenos Negócios

COMUNICADO. 1. Ambiente de Negócios 1.2 Contexto dos Pequenos Negócios no Brasil 1.3 Políticas públicas de apoio aos Pequenos Negócios COMUNICADO O SEBRAE NACIONAL Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas, por meio da Universidade Corporativa SEBRAE, comunica que, na prova, serão avaliados conhecimentos conforme as áreas descritas

Leia mais