Caderno de Fórmulas. Títulos Públicos - Cetip 21

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Caderno de Fórmulas. Títulos Públicos - Cetip 21"

Transcrição

1 Cadero de Fórmulas Títulos Públcos - Cetp 21 Últma Atualzação: 21/06/2017

2 Cadero de Fórmulas Apresetação Títulos Públcos E ste Cadero de Fórmulas tem por objetvo esclarecer aos usuáros a metodologa de cálculo e os crtéros de precsão aplcados aos segutes atvos de emssão do Tesouro Nacoal: Alogameto da Dívda Agrícola - ADA (ASTN), Certfcado do Tesouro Nacoal - ADA (ECTN), Certfcado da Dívda Públca Moblára Federal - Isttuto Nacoal do Seguro Socal - CDP/INSS (AINSS), Certfcado Facero do Tesouro - CFT (HSTN ou HCFT), Crédto Securtzado dexado à taxa SELIC - CRED. SEC. (JSTN). S eguem as orges dos atvos apresetados este cadero: ADA (ASTN) ADA (ECTN) CDP/INSS (AINSS) - Título emtdo em favor de sttução e agete facero do Sstema Nacoal de Crédto Rural, para garatr operações de alogameto de saldos cosoldados de dívdas orgáras de crédto rural. - Título destado a prover recursos ecessáros à cobertura de défcts orçametáros, cuja colocação deve ser efetuada em favor de teressado específco, para uso como garata do valor do prcpal, em operações de reegocação de dívdas do setor rural. - Certfcado emtdo com a faldade exclusva de amortzação ou qutação de dívdas prevdecáras, em permuta por título de resposabldade do Tesouro Nacoal ou por crédtos decorretes de securtzação de obrgações da Uão. CFT (HSTN e HCFT) - Título crado para ateder preferecalmete às operações com faldades específcas defdas em le. CRED.SEC. (JSTN) - Crédto Securtzado dexado à taxa SELIC decorrete de egocação, medate ovação, de crédtos de atureza facera vecdos cotra a Uão, ou por ela garatdos. O s cálculos dos valores utáros de acompahameto referetes ao valor omal, juros e amortzações, bem como os valores faceros dos evetos, ecotramse especfcados a seção referete a cada tpo de atvo. C ompõem ada este cadero, quadros resumo das fórmulas utlzadas, alocados o fal da seção de cada atvo. Últma atualzação: 06/03/2017 1

3 Cadero de Fórmulas Apresetação Títulos Públcos Títulos emtdos pela Secretara do Tesouro Nacoal (STN) I) Alogameto da Dívda Agrícola ASTN 5 1. Defção 5 2. Característcas Prmera Sére Seguda Sére 7 3. Nomeclatura Prmera Sére Seguda Sére 9 4. Crtéros de Atualzação Prmera Sére Seguda Sére 22 ASTN1 _ R4D8, ASTN1 _ R4D9 e ASTN1 _ R4D uadro Resumo de Fórmulas e Varáves Prmera Sére Seguda Sére 38 II) Alogameto da Dívda Agrícola - Certfcado do Tesouro Nacoal ECTN Defção Característcas Atualzações Prazo Valor Nomal Preço desagado Juros Amortzação Nomeclatura Crtéro de Atualzação e Apropração do Deságo Atualzação do Valor de Face Preço Utáro com Apropração do Deságo Atualzação do Preço Utáro com deságo aproprado Preço Utáro do Prcpal ou Atualzação do Preço Utáro de emssão Preço de Ecargos uadro Resumo de Fórmulas e Varáves 47 III) Certfcados da Dívda Públca Moblára Federal - Isttuto Nacoal do Seguro Socal - CDP/INSS Defção Característcas Nomeclatura Crtéro de Atualzação 49

4 Cadero de Fórmulas Apresetação Títulos Públcos 4.1 Valor Nomal Juros Amortzação 50 IV) Certfcado Facero do Tesouro - CFT Defção Nomeclatura Crtéro de Atualzação CFT - Sére A CFT - Sére B CFT - Sére C CFT - Sére D CFT - Sére E CFT - Sére F CFT - Sére G CFT - Sére H 86 V) Títulos dexados à Taxa SELIC - JSTN Defção Nomeclatura Crtéro de Atualzação Valor Nomal Juros Amortzação 92 VI) Letras do Tesouro Nacoal Estadual e Mucpal LFTE e LFTM Defção Nomeclatura 94 VII) ANEXO I 95

5 Cadero de Fórmulas Títulos do Alogameto da Dívda Agrícola ASTN Títulos Públcos I) Alogameto da Dívda Agrícola ASTN 1. Defção Títulos do Alogameto da Dívda Agrícola são títulos emtdos em favor das sttuções e agetes faceros do Sstema Nacoal de Crédto Rural, para garatr operações de alogameto de saldos cosoldados de dívdas orgáras de crédto rural. O objeto do alogameto são as operações cotratadas por produtores ruras, suas assocações, codomíos e cooperatvas, clusve as já reegocadas, respetadas as dsposções cotdas o art. 5 da Le 9.138/95 e legslação complemetar. O valor a ser alogado, para cada emtete do strumeto de crédto detfcado pelo respectvo CPF ou CGC, está lmtado a R$ 200 ml, observado, o caso de assocações, codomíos e cooperatvas, os lmtes estabelecdos os csos I a III, 3º, art. 5, da Le 9.138/95. Os títulos devem ser emtdos: a) após celebração de cotrato etre as sttuções faceras e o Tesouro Nacoal; b) pelo valor total das dívdas efetvamete alogadas, cosoldadas com base em 30/11/95 e o caso do FAT (Fudo de Amparo ao Trabalhador) e PIS/PASEP, pelo valor equalzável, lmtado ao motate de R$ 7 blhões; c) em 4 parcelas de até 25% do motate alogado, com valor de face em 30/11/1995; d) em duas séres a 1ª correspodedo a 3% do total a ser securtzado, para fazer face às despesas admstratvas e trbutáras das sttuções faceras, e a 2ª relatva ao saldo remaescete.

6 Cadero de Fórmulas Títulos do Alogameto da Dívda Agrícola ASTN Títulos Públcos 2. Característcas Os atvos em questão foram emtdos em duas séres, com característcas dsttas. 2.1 PRIMEIRA SÉRIE Os atvos da prmera sére vsam fazer face às despesas admstratvas e trbutáras que serão arcadas pelas sttuções faceras. Característcas dos Atvos da Prmera Sére a) Prazo: Idêtco ao das operações alogadas juto aos mutuáros: 7, 8, 9 e 10 aos. b) Ajuste Moetáro e Taxa de Juros Efetva, respetada a fote de recursos, como segue: Fote de Recursos c) Modaldade: Negocável. Idexador MCR 6.2 (*) DER e Poupaça, para Bacos com méda de operações até R$ ,00: 1) de 30/11/1995 a 30/10/1997, exclusve. IRP (1) Taxa (equv. 360 das) 11,6484% a.a. 2) a partr de 30/10/1997. IRP 10,4168% a.a. DER e Poupaça, para Bacos com méda de operações acma de R$ ,00. IRP 8,2934% a.a. Recursos Lvres TMS (2) 2,0000% a.a. Fudo de Aplcação Extramercado TMS 2,0000% a.a. d) Valor: Correspodete a 3% (três por ceto) do total alogado, com base em 30/11/1995. e) Data de Emssão: 30/11/1995 f) Data de Vecmeto: g) Carêca: h) Data de Regstro Escrtural do Título: A cada da 30 de outubro dos aos 2002 até Os aos assalados referem-se ao vecmeto da operação alogada, vsto que esta sére é amortzada mesalmete. Prazo, cotado em meses, correspodete ao período etre a data de emssão do atvo (30/11/1995) e o da 30 do mês de forecmeto das formações ao RECOR/BACEN. Os juros referetes a este período serão corporados ao prcpal esta últma data (fal da carêca). No mês segute ao de vecmeto da carêca. O mês de regstro escrtural do título a Cetp é característca do mesmo e defe o 8º (otavo) dígto do códgo dos atvos da 1ª sére. ) Vecmeto da Prmera Prestação: No da 30 (trta) do mês subseqüete ao térmo de carêca. j) Preço Utáro do Título a Data de Emssão: ) Pagameto dos Juros: l) Resgate do Prcpal (Amortzação): R$ 1.000,00 (hum ml reas). Será efetuado mesalmete a data de aversáro do título (da trta de cada mês), a partr do mês posteror ao térmo da carêca. Será efetuado mesalmete a data de aversáro do título (da trta de cada mês), a partr do mês segute ao térmo da carêca. (*) Taxa de Juros repactuada perodcamete: da emssão até 30/06/1996, taxa de 16,0000% a.a.; de 30/06/1996 até 30/06/1997, taxa de 12,0000% a.a.; de 30/06/1997 até 30/06/1998, taxa de 9,5000% a.a.; de 30/06/1998 até 30/10/2005, taxa de 8,7500% a a. (1) IRP - Ídce de Remueração da Poupaça, atualmete represetado pela Taxa Referecal (TR). (2) TMS - Taxa méda SELIC.

7 Cadero de Fórmulas Títulos do Alogameto da Dívda Agrícola ASTN Títulos Públcos 2.2 SEGUNDA SÉRIE Os atvos da seguda sére serão regstrados em parcelas de até 25% (vte e cco por ceto) do motate alogado, com valor de face em 30/11/1995: 1ª parcela Outubro/1997 3ª parcela Jaero/2000 2ª parcela Jaero/1998 4ª parcela Jaero/2002 A dferecação das parcelas é cotemplada o 8º (otavo) dígto do códgo dos atvos da 2ª sére. Característcas dos Atvos da Seguda Sére a) Prazo: b) Ajuste Moetáro e Taxa de Juros Efetva, respetada a fote de recursos, como segue: c) Modaldade: Negocável. De 2 (dos) a 10 (dez) aos, cotados a partr de 30/11/1995, de acordo com o prazo de vecmeto das prestações auas de resposabldade do mutuáro. Taxa Fote de Recursos Idexador (equv. 360 das) MCR 6.2 (*) DER e Poupaça, para Bacos com méda de operações até R$ ,00: 1) de 30/11/1995 a 30/10/1997, exclusve. IRP (1) 11,6484% a.a. 2) a partr de 30/10/1997. IRP 10,4168% a.a. DER e Poupaça, para Bacos com méda de operações acma de R$ ,00. Recursos Lvres 1) ASTN, ASTN1 e ASTN2 2) ASTN3 IRP TMS (2) TMS (2) 8,2934% a.a. 2,0000% a.a. - Fudo de Aplcação Extramercado TMS 2,0000% a.a. d) Valor: Correspodete a 97% (oveta e sete por ceto) do total alogado. e) Data de Emssão: f) Data de Vecmeto: g) Preço Utáro do Título a Data de Emssão: h) Pagameto dos Juros e Resgate do Prcpal: 23/10/2002 para os atvos ASTN1 _ R4D8, ASTN1 _ R4D9 e ASTN1 _ R4D0 e 30/11/1995 e para os demas atvos. A cada da 30 de outubro dos aos de 1997 até Para os atvos ASTN3_RSDA, ASTN3_RSDB, ASTN3_RSDC, ASTN3_RSDD e ASTN3_RSDE os vecmetos são respectvamete 30/10/2005, 18/10/2006, 17/10/2007, 15/10/2008 e 19/01/2005. R$ 1.000,00 (hum ml reas). Em parcela úca, a data de vecmeto do título. (*) Taxa de Juros repactuada perodcamete: da emssão até 30/06/1996, taxa de 16,0000% a.a.; de 30/06/1996 até 30/06/1997, taxa de 12,0000% a.a.; de 30/06/1997 até 30/06/1998, taxa de 9,5000% a.a.; de 30/06/1998 até 30/10/2005, taxa de 8,7500% a.a. (1) IRP - Ídce de Remueração da Poupaça, atualmete represetado pela Taxa Referecal (TR). (2) TMS - Taxa méda SELIC.

8 Cadero de Fórmulas Títulos do Alogameto da Dívda Agrícola ASTN Títulos Públcos 3. Nomeclatura O códgo alfaumérco destes títulos é composto por 10 (dez) dígtos, gerado a partr das formações de regstro, assm costtuído: 3.1 PRIMEIRA SÉRIE A S T N D X X X 1º algarsmo - será fxo e represetado pela letra "A", correspodedo ao códgo específco dos títulos emtdos para alogameto da dívda agrícola o sstema SNA - CETIP. 2º ao 6º algarsmo - serão fxos e represetados pelas letras "S", "T", "N", "espaço", "espaço", correspodedo ao emssor dos títulos juto à CETIP. A S T N D X X X 7º algarsmo - será fxo e represetado pela letra "D", correspodedo aos títulos emtdos para fazer face às despesas admstratvas e trbutáras das sttuções faceras. A S T N D X X X 8º algarsmo - correspoderá ao mês de regstro escrtural do título juto à CETIP, a segute relação: ALGARISMO A B C D E MÊS Prmero Segudo Tercero uarto uto 9º algarsmo - correspoderá às fotes de recursos orgáras das operações de crédtos ruras, a segute relação: A S T N D X X X ALGARISMOS FONTES DE RECURSOS A MCR 6.2 B DER e Poupaça, méda de oper. até R$ C DER e Poupaça, méda de oper. acma de R$ D Recursos Lvres E FAE A S T N D X X X 10º algarsmo - correspoderá ao ao de vecmeto da operação alogada, com a segute codfcação: ALGARISMO ANO DE VENCIMENTO (*) (*) Os aos assalados referem-se ao vecmeto da operação alogada, vsto que esta sére é amortzada mesalmete.

9 Cadero de Fórmulas Títulos do Alogameto da Dívda Agrícola ASTN Títulos Públcos 3.2 SEGUNDA SÉRIE A S T N R X X X 1º algarsmo - será fxo e represetado pela letra "A", correspodedo ao códgo específco dos títulos emtdos para alogameto da dívda agrícola o sstema SNA - CETIP. 2º ao 6º algarsmo - serão fxos e represetados pelas letras "S", "T", "N", "espaço", "espaço", correspodedo ao emssor dos títulos juto à CETIP. A S T N R X X X 7º algarsmo - será fxo e represetado pela letra "R", correspodedo aos títulos emtdos para fs de equalzação da operação alogada pelo mutuáro. A S T N R X X X 8º algarsmo - correspoderá à parcela referete à emssão do título, a segute relação: ALGARISMO PARCELA / ANO DE REGISTRO 1 Prmera / Seguda / Tercera / uarta / 2000 A S T N R X X X 9º algarsmo - correspoderá às fotes de recursos orgáras das operações de crédtos ruras, a segute relação: ALGARISMOS FONTES DE RECURSOS A MCR 6.2 B DER e Poupaça, méda de oper. até R$ C DER e Poupaça, méda de oper. acma de R$ D Recursos Lvres E FAE A S T N R X X X 10º algarsmo - correspoderá ao ao de vecmeto do título, com a segute codfcação: ALGARISMO ANO DE VENCIMENTO (*) (*) Os aos assalados referem-se ao ao de resgate do título.

10 Cadero de Fórmulas Títulos do Alogameto da Dívda Agrícola ASTN Títulos Públcos Observações: 3) Notação específca para os segutes atvos com emssão fxada em 23/10/2002: ASTN1 _ R4D8, ASTN1 _ R4D9, ASTN1 _ R4D0. 4) Codfcação dferecada para os atvos utlzados para "substtução" de outros semelhates: AS T N 2 _ R SXY e AS T N 3 _ R S XY, ode: 4. Crtéros de Atualzação AS T N 2 _ o u AS T N 3 _ : os ses prmeros dígtos de caráter costate detfcam o emssor dos títulos, sedo o quto dígto ( 2 ou 3) salzador de atvos emtdos em substtução a outros exstetes; R : o sétmo dígto detfca a seguda sére, matda a faldade de "reegocação"; S : o otavo dígto represetado pela letra "S" correspode à substtução de atvos exstetes; X : o oo dígto correspode às fotes de recursos orgáras das operações de crédto rural que permaecem as mesmas aterormete descrtas; Y : o décmo dígto correspode ao ao de vecmeto do título com ova codfcação coforme segue: A e E = 2005 * C = 2007 B = 2006 D = 2008 * Data de vecmetos do atvos : ASTN3_RSDA = 30/10/2005 ASTN3_RSDE = 19/01/ PRIMEIRA SÉRIE Para atvos cuja fote de recursos é o "MCR 6.2" (Maual de Crédto Rural): a) Valor Nomal Perodcdade de atualzação: Não se aplca.

11 Cadero de Fórmulas Títulos do Alogameto da Dívda Agrícola ASTN Títulos Públcos Parâmetro de atualzação: Os atvos desta fote de recursos ão sofrem atualzação, coseqüetemete, VNb, ode: VNb - Valor Nomal atualzado, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. - Valor Nomal base, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. No prmero mês após a emssão, o Valor Nomal base é gual ao Valor Nomal de emssão, VNb VNe. Valor Facero de Resgate VR VNb, ode: VR - Valor facero de resgate, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. VNb - Valor Nomal base, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. - uatdade do atvo em posção de custóda do partcpate, sedo um úmero tero. b) Juros Valor Utáro J VNb Fator 1, ode: J VNb Fator - Valor utáro de juros, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. - Valor Nomal base, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. - Fator de juros, calculado com arredodameto de 9 (ove) casas decmas. Fator 1 f 100 N, ode:

12 Cadero de Fórmulas Títulos do Alogameto da Dívda Agrícola ASTN Títulos Públcos f N - Taxa de juros formada a cada período mesal de flutuação, expressa em percetual aual com 4 (quatro) casas decmas. - Número de meses multplcado por 30. Neste caso, é gual a Número de das em que está expressa a taxa f. Neste caso, N é gual a Número de das corrdos etre a data de emssão ou do últmo pagameto de juros e a data atual, sedo um úmero tero. - Número de das corrdos etre a data do últmo pagameto de juros e a data do próxmo pagameto de juros, sedo um úmero tero. Valor Facero J VNb Fator 1, ode: J - Valor facero de juros, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. VNb Fator c) Amortzação - Valor Nomal base, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. - uatdade do atvo em posção de custóda do partcpate, sedo um úmero tero. - Fator de juros, calculado com arredodameto de 9 (ove) casas decmas. Valor Utáro Ta VNb, ode: Valor utáro da -ésma amortzação, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto.

13 Cadero de Fórmulas Títulos do Alogameto da Dívda Agrícola ASTN Títulos Públcos VNb Ta - Valor Nomal base, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. - Taxa defda para -ésma amortzação, expressa em percetual, formada com 4 (quatro) casas decmas. Valor Facero, ode: - Valor facero da amortzação, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. - Valor utáro da -ésma amortzação, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. - uatdade do atvo em posção de custóda do partcpate, sedo um úmero tero. Valor Nomal Remaescete após cada parcela de amortzação VN R VNb, ode: VN R VNb - Valor Nomal Remaescete, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. - Valor Nomal base, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. - Valor utáro da -ésma amortzação, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. Observação: Após o pagameto da -ésma parcela de amortzação, VN R assume o lugar de VNb, para cálculo dos próxmos evetos Para atvos cuja fote de recursos é oruda de DER (Depósto Especal de Remueração) e Poupaça, para Bacos com méda de operações até ou maor que R$ ,00:

14 Cadero de Fórmulas Títulos do Alogameto da Dívda Agrícola ASTN Títulos Públcos a) Valor Nomal Perodcdade de atualzação: dára. Parâmetro de atualzação: Taxa Referecal (TR). VNb C, ode: VNb C - Valor Nomal atualzado, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. - Valor Nomal base, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. No prmero mês de atualzação o Valor Nomal base é gual ao Valor Nomal de emssão, VNb VNe. - Fator resultate da utlzação do ídce de correção (TR), calculado com 8 (oto) casas decmas sem arredodameto, coforme segue: C 1 TR 100 dup dut TR TR, ode: TR - Taxa Referecal da data-base (*), dvulgada pelo BACEN, formada com 4 (quatro) casas decmas. dup TR - Número de das útes compreeddos etre a data da TR utlzada e a data da atualzação ou a data de pagameto de evetos, sedo dup um úmero tero. TR dut TR - Número total de das útes da TR utlzada, sedo dut TR um úmero tero. (*) Data-base é a data do mês, cujo o da correspoda ao da da data do vecmeto. Valor Facero de Resgate VR, ode: VR - Valor facero de resgate, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto.

15 Cadero de Fórmulas Títulos do Alogameto da Dívda Agrícola ASTN Títulos Públcos - Valor Nomal atualzado, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. - uatdade do atvo em posção de custóda do partcpate, sedo um úmero tero. b) Juros Valor Utáro J Fator 1, ode: J Fator - Valor utáro de juros, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. - Valor Nomal atualzado, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. - Fator de juros, calculado com arredodameto de 9 (ove) casas decmas. Fator 1 f 100 N, ode: f - Taxa de juros formada a cada período mesal de flutuação, expressa em percetual aual com 4 (quatro) casas decmas. Período Taxa de 30/11/1995 a 30/10/ ,6484% a partr de 30/10/ ,4168% - Número de meses multplcado por 30. Neste caso, é gual a 30. N - Número de das em que está expressa a taxa f. Neste caso, N é gual a 360.

16 Cadero de Fórmulas Títulos do Alogameto da Dívda Agrícola ASTN Títulos Públcos - Número de das corrdos etre a data de emssão ou últmo pagameto de juros e a data atual, sedo um úmero tero. - Número de das corrdos etre a data do últmo pagameto de juros e a data do próxmo pagameto de juros, sedo um úmero tero. Fator N, ode: - Taxa de juros fxa formada com 4 (quatro) casas decmas. Neste caso, 8,2934% a.a. - Número de meses multplcado por 30. Neste caso, é gual a 30. N - Número de das em que está expressa a taxa. Neste caso, N é gual a Número de das corrdos etre a data de emssão ou últmo pagameto de juros e a data atual, sedo um úmero tero. - Número de das corrdos etre a data do últmo pagameto de juros e a data do próxmo pagameto de juros, sedo um úmero tero. Valor Facero J Fator 1, ode: J - Valor facero de juros, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. - Valor Nomal atualzado, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto.

17 Cadero de Fórmulas Títulos do Alogameto da Dívda Agrícola ASTN Títulos Públcos Fator - uatdade do atvo em posção de custóda do partcpate, sedo um úmero tero. - Fator de juros, calculado com arredodameto de 9 (ove) casas decmas. c) Amortzação Valor Utáro Ta, ode: 100 Ta - Valor utáro da -ésma amortzação, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. - Valor Nomal atualzado, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. - Taxa defda para -ésma amortzação, formada com 4 (quatro) casas decmas. Valor Facero, ode: - Valor facero da amortzação, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. - Valor utáro da -ésma amortzação, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. - uatdade do atvo em posção de custóda do partcpate, sedo um úmero tero. Valor Nomal Remaescete após cada parcela de amortzação VN R, ode: VN R - Valor Nomal Remaescete, calculado com 2 (duas) casas decmas, sem arredodameto.

18 Cadero de Fórmulas Títulos do Alogameto da Dívda Agrícola ASTN Títulos Públcos - Valor Nomal atualzado, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. - Valor utáro da -ésma amortzação, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. Observação: Após o pagameto da -ésma parcela de amortzação, assume o lugar de VNb, para efeto de atualzação. VN R Para atvos cuja fote de recursos é oruda de Recursos Lvres e do Fudo de Aplcações Extra-mercado (FAE): a) Valor Nomal Perodcdade de atualzação: dára. Parâmetro de atualzação: Taxa SELIC. VNb C, ode: VNb C - Valor Nomal atualzado, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. - Valor Nomal base, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. No prmero mês de atualzação o Valor Nomal base é gual ao Valor Nomal de emssão, VNb VNe. - Produtóro das taxas SELIC, compreeddas o período etre a data-base do mês ateror clusve e a data de atualzação exclusve, calculado com 8 (oto) casas decmas com arredodameto. C 1 TSelc 1, com = 1,2,..., ode: TSelc - K-ésma taxa SELIC, expressa ao da, calculada com 8 (oto) casas decmas, com arredodameto.

19 Cadero de Fórmulas Títulos do Alogameto da Dívda Agrícola ASTN Títulos Públcos Expressão de TSelc Até 31/12/1997 A partr de 01/01/1998 Selc TSelc Selc TSelc Ode: Selc - K-ésma taxa SELIC dvulgada pelo BACEN, formada com 2 (duas) casas decmas. Valor Facero de Resgate VR, ode: VR - Valor facero de resgate, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. - Valor Nomal atualzado, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. - uatdade do atvo em posção de custóda do partcpate, sedo um úmero tero. b) Juros Valor Utáro J Fator 1, ode: J Fator - Valor utáro de juros, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. - Valor Nomal atualzado, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. - Fator de juros, calculado com arredodameto de 9 (ove) casas decmas. Fator N, ode:

20 Cadero de Fórmulas Títulos do Alogameto da Dívda Agrícola ASTN Títulos Públcos N - Taxa de juros fxa, expressa em percetual, formada com 4 (quatro) casas decmas. Neste caso, 2,0000% a.a. - Número de meses multplcado por 30. Neste caso, é gual a Número de das em que está expressa a taxa. Neste caso, N é gual a Número de das corrdos etre a data de emssão ou últmo pagameto de juros e a data atual, sedo um úmero tero. - Número de das corrdos etre a data do últmo pagameto de juros e a data do próxmo pagameto de juros, sedo um úmero tero. Valor Facero J Fator 1, ode: J - Valor facero de juros, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. Fator - Valor Nomal atualzado, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. - uatdade do atvo em posção de custóda do partcpate, sedo um úmero tero. - Fator de juros, calculado com arredodameto de 9 (ove) casas decmas. c) Amortzação Valor Utáro Ta, ode: Valor utáro da -ésma amortzação, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto.

21 Cadero de Fórmulas Títulos do Alogameto da Dívda Agrícola ASTN Títulos Públcos Ta - Valor Nomal atualzado, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. - Taxa defda para -ésma amortzação, formada com 4 (quatro) casas decmas. Valor Facero, ode: - Valor facero da amortzação, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. - Valor utáro da -ésma amortzação, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. - uatdade do atvo em posção de custóda do partcpate, sedo um úmero tero. Valor Nomal Remaescete após cada parcela de amortzação VN R, ode: VN R - Valor Nomal Remaescete, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. - Valor Nomal atualzado, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. - Valor utáro da -ésma amortzação, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. Observação: Após o pagameto da -ésma parcela de amortzação, assume o lugar de VNb, para efeto de atualzação. VN R

22 Cadero de Fórmulas Títulos do Alogameto da Dívda Agrícola ASTN Títulos Públcos 4.2 SEGUNDA SÉRIE Para atvos cuja fote de recursos é o "MCR 6.2" (Maual de Crédto Rural): a) Valor Nomal Perodcdade de atualzação: Não se aplca. Parâmetro de atualzação: Os atvos desta sére ão sofrem atualzação. Valor Facero de Resgate VR VNe, ode: VR - Valor facero de resgate, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. VNe - Valor Nomal de emssão, formado com 2 (duas) casas decmas. - uatdade do atvo em posção de custóda do partcpate, sedo um úmero tero. b) Juros Valor Utáro J VNe Fator 1, ode: J VNe Fator - Valor utáro de juros, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. - Valor Nomal de emssão, formado com 2 (duas) casas decmas. - Fator de juros, calculado com arredodameto de 9 (ove) casas decmas.

23 Cadero de Fórmulas Títulos do Alogameto da Dívda Agrícola ASTN Títulos Públcos Fator z 1 1 f 100 N, com = 1,2,... z, ode: f - K-ésma taxa de juros formada a cada período de flutuação, expressa em percetual aual, com 4 (quatro) casas decmas. - Número de meses cotados o período de flutuação da taxa, multplcado por 30. N - Número de das em que está expressa a taxa f. Neste caso, N é gual a Número de das corrdos etre a data de íco de vgêca da -ésma taxa e a data de atualzação ou a data de térmo de vgêca da taxa, o que ocorrer prmero, sedo um úmero tero. - Número de das corrdos etre a data de íco de vgêca da -ésma taxa e a data de térmo de vgêca da taxa, sedo um úmero tero. Valor Facero J VNe Fator 1, ode: J - Valor facero de juros, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. VNe Fator - Valor Nomal de emssão, formado com 2 (duas) casas decmas. - uatdade do atvo em posção de custóda do partcpate, sedo um úmero tero. - Fator de juros, calculado com arredodameto de 9 (ove) casas decmas. c) Amortzação Os atvos desta sére ão sofrem amortzações.

24 Cadero de Fórmulas Títulos do Alogameto da Dívda Agrícola ASTN Títulos Públcos Para atvos cuja fote de recursos é oruda de DER (Depósto Especal de Remueração) e Poupaça, para Bacos com méda de operações até ou maor que R$ ,00: Códgo( a) Valor Nomal Perodcdade de atualzação: dára. Parâmetro de atualzação: Taxa Referecal (TR). VNe C, ode: VNe C - Valor Nomal atualzado, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. - Valor Nomal de emssão, formado com 2 (duas) casas decmas. - Produtóro das TR's referetes ao período da emssão até a atualzação ou vecmeto, calculado com 8 (oto) casas decmas sem arredodameto. C 1 TR dup dut TR TR, com = 1,2,..., ode: TR - Taxa Referecal da -ésma data-base (*) dvulgada pelo BACEN, formada com 4 (quatro) casas decmas. dup TR - Número de das útes da TR compreeddos etre sua data de íco de vgêca e a data de atualzação ou etre sua data de íco de vgêca e a data de térmo de vgêca, sedo dup um úmero tero. TR dut TR - Número total de das útes da TR utlzada, sedo um úmero tero. dut TR (*) Data-base é a data do mês, cujo o da correspoda ao da da data do vecmeto Valor Facero de Resgate VR, ode:

25 Cadero de Fórmulas Títulos do Alogameto da Dívda Agrícola ASTN Títulos Públcos VR - Valor facero de resgate, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. - Valor Nomal atualzado, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. - uatdade do atvo em posção de custóda do partcpate, sedo um úmero tero. b) Juros Valor Utáro J Fator 1, ode: J Fator - Valor utáro de juros, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. - Valor Nomal atualzado, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. - Fator de juros, calculado com arredodameto de 9 (ove) casas decmas. Fator z 1 1 f 100 N, com = 1,2,...z, ode: f - K-ésma taxa de juros formada a cada período de flutuação, expressa em percetual, com 4 (quatro) casas decmas. - Número de meses cotados o período de flutuação da taxa, multplcado por 30, sedo um úmero tero. N - Número de das em que está expressa a taxa f, sedo N um úmero tero. Neste caso, N é gual a Número de das corrdos etre a data de íco de vgêca da -ésma taxa e a data de atualzação ou a data de térmo de vgêca da taxa, o que ocorrer prmero, sedo um úmero tero. Últma atualzação: 23/12/2004

26 Cadero de Fórmulas Títulos do Alogameto da Dívda Agrícola ASTN Títulos Públcos - Número de das corrdos etre a data de íco de vgêca da -ésma taxa e a data de térmo de vgêca da taxa, sedo um úmero tero. Fator N, ode: - Taxa de juros fxa formada com 4 (quatro) casas decmas. - Número de meses cotados da emssão até o vecmeto, multplcado por 30, sedo um úmero tero. N - Número de das em que está expressa a taxa, sedo N um úmero tero. Neste caso, N é gual a Número de das corrdos etre a data de emssão ou últmo pagameto de juros e a data atual, sedo um úmero tero. - Número de das corrdos etre a data do últmo pagameto de juros e a data do próxmo pagameto de juros, sedo um úmero tero. Valor Facero J Fator 1, ode: J - Valor facero de juros, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. Fator - Valor Nomal atualzado, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. - uatdade do atvo em posção de custóda do partcpate, sedo um úmero tero. - Fator de juros, calculado com arredodameto de 9 (ove) casas decmas.

27 Cadero de Fórmulas Títulos do Alogameto da Dívda Agrícola ASTN Títulos Públcos c) Amortzação Os atvos destas séres ão sofrem amortzações Para atvos cuja fote de recursos é oruda de Recursos Lvres e do Fudo de Aplcações Extra-mercado (FAE): ASTN2_RSEB. Calculo de juros dferecado: ASTN1 _ R4D8, ASTN1 _ R4D9, ASTN1 _ R4D0. Taxa de Juros gual a zero : ASTN3 _ RSDA, ASTN3 _ RSDB, ASTN3 _ RSDC, ASTN3 _ RSDD e ASTN3 _ RSDE. a) Valor Nomal Perodcdade de atualzação: dára. Parâmetro de atualzação: Taxa SELIC. VNe C, ode: VNe C - Valor Nomal atualzado, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. - Valor Nomal de emssão, formado com 2 (duas) casas decmas. - Produtóro das taxas SELIC, compreeddas o período etre a data de emssão, clusve, e a data de atualzação ou vecmeto, exclusve, calculado com arredodameto de 8 (oto) casas decmas. C 1 TSelc 1, com = 1,2,...,, ode: TSelc - K-ésma taxa SELIC, expressa ao da, calculada com arredodameto de 8 (oto) casas decmas. Expressão de TSelc Até 31/12/1997 A partr de 01/01/1998 Selc TSelc Selc TSelc Ode: Últma atualzação: 23/12/2004

28 Cadero de Fórmulas Títulos do Alogameto da Dívda Agrícola ASTN Títulos Públcos Selc - K-ésma taxa SELIC dvulgada pelo BACEN, formada com 2 (duas) casas decmas. Valor Facero de Resgate VR, ode: VR - Valor facero de resgate, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. - Valor Nomal atualzado, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. - uatdade do atvo em posção de custóda do partcpate, sedo um úmero tero. b) Juros Valor Utáro J Fator 1, ode: J Fator - Valor utáro de juros, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. - Valor Nomal atualzado, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. - Fator de juros, calculado com arredodameto de 9 (ove) casas decmas. ASTN2 _ RSDA e ASTN2 _ RSDB ASTN1 _ R4D8, ASTN1 _ R4D9 e ASTN1 _ R4D0 Fator N Fator ode: - Taxa de juros fxa, formada com 4 (quatro) casas decmas.

29 Cadero de Fórmulas Títulos do Alogameto da Dívda Agrícola ASTN Títulos Públcos N - Número de meses cotados da emssão até o vecmeto, multplcado por 30, sedo um úmero tero. - Número de das em que está expressa a taxa, sedo N um úmero tero. Neste caso, N é gual a Número de das corrdos etre a data de emssão ou últmo pagameto de juros e a data atual, sedo um úmero tero. - Número de das corrdos etre a data do últmo pagameto de juros e a data do próxmo pagameto de juros, sedo um úmero tero. Valor Facero J Fator 1, ode: J - Valor facero de juros, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. - Valor Nomal atualzado, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. - uatdade do atvo em posção de custóda do partcpate, sedo um úmero tero. Fator - Fator de juros, calculado com arredodameto de 9 (ove) casas decmas. c) Amortzação Os atvos desta sére ão sofrem amortzações. Últma atualzação: 23/12/2004

30 Cadero de Fórmulas Títulos do Alogameto da Dívda Agrícola ASTN Títulos Públcos 5. uadro Resumo de Fórmulas e Varáves 5.1 PRIMEIRA SÉRIE Especfcação Idexador Tpo de Juros Tpo / Expressão Não há Flutuate Tpo de Varável Valor Utáro Valor Facero Valor Nomal atualzado NÃO SOFRE ATUALIZAÇÃO VNb VR VNb J VNb Fator 1 VNb Fator 1 Juros Fator Amortzação Fator 1 f 100 N Ta VNb 100 J Valor Nomal Remaescete após amortzação VN VNb - R - Valor Nomal atualzado, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. VNb - Valor Nomal base, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. No prmero mês após a emssão, o Valor Nomal base é gual ao Valor Nomal de emssão, VNb VNe, formado com 2 (duas) casas decmas. VR - Valor facero de resgate, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. J - uatdade do atvo em posção de custóda do partcpate, sedo um úmero tero. - Valor utáro de juros, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. Fator - Fator de juros, calculado com arredodameto de 9 (ove) casas decmas. J - Valor facero de juros, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. f N - Taxa de juros formada a cada período mesal de flutuação, expressa em percetual, com 4 (quatro) casas decmas. - Número de meses multplcado por 30, sedo um úmero tero. Neste caso, é gual a Número de das em que está expressa a taxa f, sedo N um úmero tero. Neste caso, N é gual a Número de das corrdos etre a data de emssão ou do últmo pagameto de juros e a data atual, sedo um úmero tero. - Número de das corrdos etre a data do últmo e do próxmo pagameto de juros, sedo um úmero tero.

31 Cadero de Fórmulas Títulos do Alogameto da Dívda Agrícola ASTN Títulos Públcos Ta - Valor utáro da -ésma amortzação, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. - Taxa defda para -ésma amortzação a cada período, formada com 4 (quatro) casas decmas. - Valor facero da amortzação, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. R VN - Valor Nomal Remaescete, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. Últma atualzação: 23/12/2004

32 Cadero de Fórmulas Títulos do Alogameto da Dívda Agrícola "ASTN" Títulos Públcos ASTN D B Especfcação Idexador Tpo de Juros Tpo / Expressão TR Flutuate Tpo de Varável Valor Utáro Valor Facero Valor Nomal atualzado VNb C C C 1 TR 100 duptr duttr VR Juros J Fator 1 Fator 1 Fator Amortzação f Fator N Ta 100 J Valor Nomal Remaescete após amortzação VN - R - Valor Nomal atualzado, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. VNb - Valor Nomal base, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. No prmero mês de atualzação o Valor Nomal base é gual ao Valor Nomal de emssão, VNb VNe, formado com 2 (duas) casas decmas. C TR - Fator resultate da utlzação do ídce de correção (TR), calculado com 8 (oto) casas decmas sem arredodameto, - Taxa Referecal da data-base ), dvulgada pelo BACEN, formada com 4 (quatro) casas decmas. dup TR - Número de das útes da TR compreeddos etre sua data de íco de vgêca e a data de atualzação ou etre sua data de íco de vgêca e a data de térmo de vgêca, sedo dup um úmero tero. TR dut TR - Número total de das útes da TR utlzada, sedo dut TR um úmero tero. VR - Valor facero de resgate, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. J - uatdade do atvo em posção de custóda do partcpate, sedo um úmero tero. - Valor utáro de juros, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. Fator - Fator de juros, calculado com arredodameto de 9 (ove) casas decmas. J - Valor facero de juros, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. f - Taxa de juros formada a cada período mesal de flutuação, expressa em percetual, com 4 (quatro) casas decmas. - Número de meses multplcado por 30, sedo um úmero tero. Neste caso, é gual a 30.

33 Cadero de Fórmulas Títulos do Alogameto da Dívda Agrícola "ASTN" Títulos Públcos N Ta - Número de das em que está expressa a taxa f, sedo N um úmero tero. Neste caso, N é gual a Número de das corrdos etre a data de emssão ou do últmo pagameto de juros e a data atual, sedo um úmero tero. - Número de das corrdos etre a data do últmo e do próxmo pagameto de juros, sedo um úmero tero. - Valor utáro da -ésma amortzação, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. - Taxa defda para -ésma amortzação a cada período, formada com 4 (quatro) casas decmas. - Valor facero da amortzação, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. R VN - Valor Nomal Remaescete, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. Últma atualzação: 23/12/2004

34 Cadero de Fórmulas Títulos do Alogameto da Dívda Agrícola "ASTN" Títulos Públcos ASTN D C Especfcação Idexador Tpo de Juros Tpo / Expressão TR Fxo Tpo de Varável Valor Utáro Valor Facero Valor Nomal atualzado VNb C C C 1 TR 100 dup dut TR TR VR Juros J Fator 1 Fator 1 Fator Amortzação Fator N Ta 100 J Valor Nomal Remaescete após amortzação VN - R - Valor Nomal atualzado, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. VNb - Valor Nomal base, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. No prmero mês de atualzação o Valor Nomal base é gual ao Valor Nomal de emssão, VNb VNe, formado com 2 (duas) casas decmas. C TR - Fator resultate da utlzação do ídce de correção (TR), calculado com 8 (oto) casas decmas sem arredodameto, - Taxa Referecal da data-base, dvulgada pelo BACEN, formada com 4 (quatro) casas decmas. dup TR - Número de das útes da TR compreeddos etre sua data de íco de vgêca e a data de atualzação ou etre sua data de íco de vgêca e a data de térmo de vgêca, sedo dup um úmero tero. TR dut TR - Número total de das útes da TR utlzada, sedo dut TR um úmero tero. VR - Valor facero de resgate, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. J - uatdade do atvo em posção de custóda do partcpate, sedo um úmero tero. - Valor utáro de juros, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. Fator - Fator de juros, calculado com arredodameto de 9 (ove) casas decmas. J - Valor facero de juros, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. N - Taxa de juros fxa, formada com 4 (quatro) casas decmas. - Número de meses multplcado por 30, sedo um úmero tero. Neste caso, é gual a Número de das em que está expressa a taxa, sedo N um úmero tero. Neste caso, N é gual a 360.

35 Cadero de Fórmulas Títulos do Alogameto da Dívda Agrícola "ASTN" Títulos Públcos - Número de das corrdos etre a data de emssão ou do últmo pagameto de juros e a data atual, sedo um úmero tero. - Número de das corrdos etre a data do últmo e do próxmo pagameto de juros, sedo um úmero tero. - Valor utáro da -ésma amortzação, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. Ta - Taxa defda para -ésma amortzação a cada período, formada com 4 (quatro) casas decmas. - Valor facero da amortzação, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. R VN - Valor Nomal Remaescete, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto.

36 Cadero de Fórmulas Títulos do Alogameto da Dívda Agrícola "ASTN" Títulos Públcos e Especfcação Idexador Tpo de Juros Tpo / Expressão Taxa SELIC Fxo Tpo de Varável Valor Utáro Valor Facero Valor Nomal atualzado VNb C C C 1 TSelc 1 VR Expressão da Taxa SELIC Até 31/12/1997 A partr de 01/01/ Selc TSelc Selc 252 TSelc J Fator 1 Fator1 Juros Fator Amortzação Fator N Ta 100 J Valor Nomal Remaescete após amortzação VN - R - Valor Nomal atualzado, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. VNb - Valor Nomal base, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. No prmero mês de atualzação o Valor Nomal base é gual ao Valor Nomal de emssão, VNb VNe, formado com 2 (duas) casas decmas. C - Produtóro das taxas SELIC, compreeddas o período etre a data-base do mês ateror clusve e a data de atualzação exclusve, calculado com 8 (oto) casas decmas com arredodameto. TSelc - K-ésma taxa SELIC, expressa ao da, calculada com 8 (oto) casas decmas, com arredodameto. Selc - K-ésma taxa SELIC dvulgada pelo BACEN, formada com 2 (duas) casas decmas. VR - Valor facero de resgate, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. J - uatdade do atvo em posção de custóda do partcpate, sedo um úmero tero. - Valor utáro de juros, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. Fator - Fator de juros, calculado com arredodameto de 9 (ove) casas decmas. J - Valor facero de juros, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. N - Taxa de juros fxa, formada com 4 (quatro) casas decmas. - Número de meses multplcado por 30, sedo um úmero tero. Neste caso, é gual a Número de das em que está expressa a taxa, sedo N um úmero tero. Neste caso, N é gual a 360.

37 Cadero de Fórmulas Títulos do Alogameto da Dívda Agrícola "ASTN" Títulos Públcos Ta - Número de das corrdos etre a data de emssão ou do últmo pagameto de juros e a data atual, sedo um úmero tero. - Número de das corrdos etre a data do últmo e do próxmo pagameto de juros, sedo um úmero tero. - Valor utáro da -ésma amortzação, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. - Taxa defda para -ésma amortzação a cada período, formada com 4 (quatro) casas decmas. - Valor facero da amortzação, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. R VN - Valor Nomal Remaescete, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto.

38 Cadero de Fórmulas Títulos do Alogameto da Dívda Agrícola "ASTN" Títulos Públcos 5.2 SEGUNDA SÉRIE ASTN R A Especfcação Idexador Tpo de Juros Tpo / Expressão Não há Flutuate Tpo de Varável Valor Utáro Valor Facero NÃO SOFRE ATUALIZAÇÃO Valor Nomal atualzado VR VNe VNe J VNe Fator 1 VNe Fator1 Juros Fator Amortzação Fator z 1 f NÃO SE APLICA - Valor Nomal atualzado, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. VNe - Valor Nomal de emssão, formado com 2 (duas) casas decmas. VR - Valor facero de resgate, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. J N - uatdade do atvo em posção de custóda do partcpate, sedo um úmero tero. - Valor utáro de juros, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. Fator - Fator de juros, calculado com arredodameto de 9 (ove) casas decmas. J - Valor facero de juros, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. f - K-ésma taxa de juros formada a cada período mesal de flutuação, expressa em percetual, com 4 (quatro) casas decmas. - Número de meses cotados o período de flutuação da taxa, multplcado por 30, sedo um úmero tero. N - Número de das em que está expressa a taxa f, sedo N um úmero tero. Neste caso, N é gual a Número de das corrdos etre a data de íco da -ésma taxa e a data de atualzação ou a data fal desta, sedo um úmero tero. - Número de das corrdos etre a data de íco da -ésma taxa e a data fal desta, sedo um úmero tero. J

39 Cadero de Fórmulas Títulos do Alogameto da Dívda Agrícola "ASTN" Títulos Públcos ASTN R B Especfcação Idexador Tpo de Juros Tpo / Expressão TR Flutuate Tpo de Varável Valor Utáro Valor Facero Valor Nomal atualzado VNe C C C 1 TR Juros J Fator 1 Fator 1 Fator Amortzação VNe C Fator z 1 dup TR dut TR f NÃO SE APLICA N VR - Valor Nomal atualzado, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. - Valor Nomal de emssão, formado com 2 (duas) casas decmas. - Produtóro das TR's referetes ao período da emssão até a atualzação ou vecmeto, calculado com 8 (oto) casas decmas sem arredodameto. VR - Valor facero de resgate, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. TR - uatdade do atvo em posção de custóda do partcpate, sedo um úmero tero. - Taxa Referecal da -ésma data-base dvulgada pelo BACEN, formada com 4 (quatro) casas decmas. dup TR - Número de das útes da TR compreeddos etre sua data de íco de vgêca e a data de atualzação ou etre sua data de íco de vgêca e a data de térmo de vgêca, sedo dup um úmero tero. TR dut TR - Número total de das útes da TR utlzada, sedo J J dut TR um úmero tero. - Valor utáro de juros, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. Fator - Fator de juros, calculado com arredodameto de 9 (ove) casas decmas. J - Valor facero de juros, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. f - K-ésma taxa de juros formada a cada período mesal de flutuação, expressa em percetual, com 4 (quatro) casas decmas. - Número de meses cotados o período de flutuação da taxa, multplcado por 30, sedo um úmero tero. N - Número de das em que está expressa a taxa f, sedo N um úmero tero. Neste caso, N é gual a Número de das corrdos etre a data de íco da -ésma taxa flutuate e a data de atualzação ou a data fal desta, sedo um úmero tero. - Número de das corrdos etre a data de íco da -ésma taxa flutuate e a data fal desta, sedo um úmero tero.

40 Cadero de Fórmulas Títulos do Alogameto da Dívda Agrícola "ASTN" Títulos Públcos ASTN R C Especfcação Idexador Tpo de Juros Tpo / Expressão TR Fxo Tpo de Varável Valor Utáro Valor Facero Valor Nomal atualzado VNe C C C 1 TR Juros J Fator 1 Fator 1 Fator Amortzação VNe C Fator NÃO SE APLICA dup TR dut TR N VR - Valor Nomal atualzado, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. - Valor Nomal de emssão, formado com 2 (duas) casas decmas. - Produtóro das TR's referetes ao período da emssão até a atualzação ou vecmeto, calculado com 8 (oto) casas decmas sem arredodameto. VR - Valor facero de resgate, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. TR - uatdade do atvo em posção de custóda do partcpate, sedo um úmero tero. - Taxa Referecal da -ésma data-base dvulgada pelo BACEN, formada com 4 (quatro) casas decmas. dup TR - Número de das útes da TR compreeddos etre sua data de íco de vgêca e a data de atualzação ou etre sua data de íco de vgêca e a data de térmo de vgêca, sedo dup um úmero tero. TR dut TR - Número total de das útes da TR utlzada, sedo J J dut TR um úmero tero. - Valor utáro de juros, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. Fator - Fator de juros, calculado com arredodameto de 9 (ove) casas decmas. J - Valor facero de juros, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. N - Taxa de juros fxa formada com 4 (quatro) casas decmas. - Número de meses cotados da emssão até o vecmeto, multplcado por 30, sedo um úmero tero. - Número de das em que está expressa a taxa, sedo N um úmero tero. Neste caso, N é gual a Número de das corrdos etre a data de íco da taxa de juros fxos e a data de atualzação ou a data fal desta, sedo um úmero tero. - Número de das corrdos etre a data de íco da taxa de juros fxos e a data fal desta, sedo um úmero tero.

41 Cadero de Fórmulas Títulos do Alogameto da Dívda Agrícola "ASTN" Títulos Públcos 5.2.4, 9 e ASTN1 _ R4D0, ASTN2 _ RSDA, ASTN2 _ RSDB, ASTN2_RSEB, ASTN3 _ RSDA, ASTN3 _ RSDB, ASTN3 _ RSDC e ASTN3 _ RSDD, ASTN3_RSDE. Especfcação Idexador Tpo de Juros Tpo / Expressão Taxa SELIC Fxo Tpo de Varável Valor Utáro Valor Facero Valor Nomal atualzado VNe C C C 1 TSelc 1 VR Expressão de TSelc Até 31/12/1997 A partr de 01/01/ Selc TSelc Selc 252 TSelc J Fator 1 Fator1 Juros Fator Amortzação VNe C, ASTN2 _ RSDA e ASTN2 _ RSDB Fator J ASTN1 _ R4D8, ASTN1 _ R4D9, ASTN1 _ R4D0 N 365 Fator NÃO SE APLICA Valor Nomal atualzado, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. - Valor Nomal de emssão, formado com 2 (duas) casas decmas. - Produtóro das taxas SELIC, compreeddas o prazo etre a data-base do mês ateror clusve e a próxma data-base exclusve, calculado com 8 (oto) casas decmas com arredodameto. VR - Valor facero de resgate, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. - uatdade do atvo em posção de custóda do partcpate, sedo um úmero tero. TSelc - Taxa SELIC, expressa ao da, calculada com arredodameto de 8 (oto) casas decmas. Selc - Taxa SELIC dvulgada pelo BACEN, formada com 2 (duas) casas decmas. J - Valor utáro de juros, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. Fator - Fator de juros, calculado com arredodameto de 9 (ove) casas decmas. J - Valor facero de juros, calculado com 2 (duas) casas decmas sem arredodameto. N - Taxa de juros fxa formada com 4 (quatro) casas decmas. - Número de meses cotados da emssão até o vecmeto, multplcado por 30, sedo um úmero tero. - Número de das em que está expressa a taxa, sedo N um úmero tero. Neste caso, N é gual a Número de das corrdos etre a data de íco da taxa de juros fxa e a data de atualzação ou a data fal desta, sedo um úmero tero. - Número de das corrdos etre a data de íco da taxa de juros fxa e a data fal desta, sedo um úmero tero.

42 Cadero de Fórmulas Certfcado do Tesouro Nacoal "ECTN" Títulos Públcos II) Alogameto da Dívda Agrícola - Certfcado do Tesouro Nacoal ECTN 1. Defção Os Certfcados do Tesouro Nacoal CTN são títulos proveetes da reegocação de dívdas orgáras do crédto rural, crados pelo art. 5º da Medda Provsóra º , de 13/03/1998 e observados os termos da Portara º 58, de 27/03/1998, do Mstéro da Fazeda e da Resolução º 2.471, de 26/02/1998, do Coselho Moetáro Nacoal. A colocação de CTN é efetuada por sttução facera credora, em favor de teressado específco, o qual deverá utlzá-lo para fs de garata do valor do prcpal, em operações de reegocação de dívdas do setor rural de que trata a Resolução CMN 2.471/98. Ao emssor é dada a opção de recomprar o título, que poderá ser exercda a partr da lberação da garata (resultate de pagameto parcal ou total da dívda), pelo valor presete do CTN calculado à taxa de descoto de 12% a.a. 2. Característcas Os Certfcados do Tesouro Nacoal CTN serão emtdos em duas modaldades, egocáves e egocáves, com guas característcas. São emtdos o da 1 do mês e podem ser colocados ao par, com ágo ou deságo. Os Certfcados são omatvos e escrturas, medate regstro a Cetp. 2.1 ATUALIZAÇÕES Parâmetro de atualzação: Os títulos são atualzados com base a varação do IGP-M, dvulgado pela FGV. São atualzados o Valor de Face e o preço utáro da data de emssão, com e sem a apropração do deságo. Perodcdade de Atualzação: Mesal. 2.2 PRAZO O prazo do CTN é de 20 aos, cotados da data de emssão, sedo seu resgate efetuado em parcela úca, a data de vecmeto do título. 2.3 VALOR NOMINAL O Valor Nomal a emssão (Valor de Face) é de R$ 1.000,00 (hum ml reas).

Elaborado: 2002 Ultima atualização: 23/12/2004

Elaborado: 2002 Ultima atualização: 23/12/2004 Elaborado: 2002 Ultma atualzação: 23/12/2004 Cadero de Fórmulas Apresetação Sstema Nacoal de Atvos E ste Cadero de Fórmulas tem por objetvo esclarecer aos usuáros a metodologa de cálculo e os crtéros de

Leia mais

Caderno de Fórmulas. Swap

Caderno de Fórmulas. Swap Swap Elaboração: Abrl/25 Últma Atualzação: 5/4/216 Apresetação O adero de Fórmulas tem por objetvo oretar os usuáros do Módulo de, a compreesão da metodologa de cálculo e dos crtéros de precsão usados

Leia mais

Caderno de Fórmulas. Notas Comerciais Cetip21

Caderno de Fórmulas. Notas Comerciais Cetip21 Notas Comercas Cetp21 Últma Atualzação: 22/12/2015 E ste Caderno tem por objetvo nformar aos usuáros a metodologa e os crtéros de precsão dos cálculos de valorzação de Notas Comercas. É acatado regstro

Leia mais

Matemática Financeira

Matemática Financeira 1)Um vestdor aplcou R$6,, gerado uma remueração de R$3, ao fal de um período de um ao (36 das). Calcular a taxa de juros paga a operação. = J/ = 3/6 =, ou % ou 63 = 6 (1+ 1) 63 = 6 + 6 63 6 = 6 3 = 6 =

Leia mais

Elaboração: Fevereiro/2008

Elaboração: Fevereiro/2008 Elaboração: Feverero/2008 Últma atualzação: 19/02/2008 E ste Caderno de Fórmulas tem por objetvo esclarecer aos usuáros a metodologa de cálculo e os crtéros de precsão utlzados na atualzação das Letras

Leia mais

Elaboração: Novembro/2005

Elaboração: Novembro/2005 Elaboração: Novembro/2005 Últma atualzação: 18/07/2011 Apresentação E ste Caderno de Fórmulas tem por objetvo nformar aos usuáros a metodologa e os crtéros de precsão dos cálculos referentes às Cédulas

Leia mais

Caderno de Fórmulas. Títulos do Agronegócio - Cetip21 CDCA, CPR, CRA, CRH, CRP, CRPH, LCA, NCR

Caderno de Fórmulas. Títulos do Agronegócio - Cetip21 CDCA, CPR, CRA, CRH, CRP, CRPH, LCA, NCR Caderno de Fórmulas Títulos do Agronegóco - Cetp21 CDCA, CPR, CRA, CRH, CRP, CRPH, LCA, NCR Últma Atualzação: 15/08/2016 Caderno de Fórmulas CDCA CPR CRA - CRH CRP CRPH LCA NCR E ste Caderno de Fórmulas

Leia mais

15/03/2012. Capítulo 2 Cálculo Financeiro e Aplicações. Capítulo 2 Cálculo Financeiro e Aplicações. Capítulo 2 Cálculo Financeiro e Aplicações

15/03/2012. Capítulo 2 Cálculo Financeiro e Aplicações. Capítulo 2 Cálculo Financeiro e Aplicações. Capítulo 2 Cálculo Financeiro e Aplicações Itrodução.1 Juros Smples Juro: recompesa pelo sacrfíco de poupar o presete, postergado o cosumo para o futuro Maora das taxas de uros aplcadas o mercado facero são referecadas pelo crtéro smples Determa

Leia mais

Perguntas Freqüentes - Bandeiras

Perguntas Freqüentes - Bandeiras Pergutas Freqüetes - Baderas Como devo proceder para prestar as formações de quatdade e valor das trasações com cartões de pagameto, os casos em que o portador opte por lqudar a obrgação de forma parcelada

Leia mais

Prof. Eugênio Carlos Stieler

Prof. Eugênio Carlos Stieler http://www.uemat.br/eugeo Estudar sem racocar é trabalho 009/ TAXA INTERNA DE RETORNO A taa tera de retoro é a taa que equalza o valor presete de um ou mas pagametos (saídas de caa) com o valor presete

Leia mais

Prof. Eugênio Carlos Stieler

Prof. Eugênio Carlos Stieler UNEMAT Uversdade do Estado de Mato Grosso Matemátca Facera http://www2.uemat.br/eugeo SÉRIE DE PAGAMENTOS 1. NOÇÕES SOBRE FLUXO DE CAIXA Prof. Eugêo Carlos Steler Estudar sem racocar é trabalho perddo

Leia mais

Perguntas freqüentes Credenciadores

Perguntas freqüentes Credenciadores Pergutas freqüetes Credecadores Como devo proceder para prestar as formações de quatdade e valor das trasações com cartões de pagameto, os casos em que o portador opte pelo facameto da compra pelo emssor?

Leia mais

CARTA-CIRCULAR N.º 273. Ref.: Alterações decorrentes do Projeto de Padronização de Taxas

CARTA-CIRCULAR N.º 273. Ref.: Alterações decorrentes do Projeto de Padronização de Taxas CARTA-CIRCULAR N.º 273 Aos Partcpantes de Todos os Sstemas Ref.: Alterações decorrentes do Projeto de Padronzação de Taxas A Central de Custóda e de Lqudação Fnancera de Títulos - CETIP comunca que a partr

Leia mais

MANUAL DE PRECIFICAÇÃO DE ATIVOS MERCANTIL DO BRASIL DISTRIBUIDORA TVM

MANUAL DE PRECIFICAÇÃO DE ATIVOS MERCANTIL DO BRASIL DISTRIBUIDORA TVM MANUAL DE PRECIFICAÇÃO DE ATIVOS MERCANTIL DO BRASIL DISTRIBUIDORA TVM Atualzação.: 29/08/2014 SUMÁRIO 1 PRINCÍPIOS GERAIS PARA MARCAÇÃO A MERCADO 3 INTRODUÇÃO 3 PRINCÍPIOS GERAIS 3 ESTRUTURA ORGANIZACIONAL

Leia mais

JUROS SIMPLES. i 100 i 100. TAXA PROPORCIONAL: É aquela que aplicada ao mesmo capital, no mesmo prazo, produze o mesmo juros.

JUROS SIMPLES. i 100 i 100. TAXA PROPORCIONAL: É aquela que aplicada ao mesmo capital, no mesmo prazo, produze o mesmo juros. JUROS MONTANTE JUROS SIMPLES J = C 0 * * t 00 M = C * + * t 00 TAXA PROPORCIONAL: É aquela que aplcada ao mesmo captal, o mesmo prazo, produze o mesmo juros. * = * JUROS COMPOSTOS MONTANTE M = C * + 00

Leia mais

CRI Certificados de Recebíveis Imobiliários. Guia para Elaboração dos Fluxos de Pagamentos Data: 16/11/2015

CRI Certificados de Recebíveis Imobiliários. Guia para Elaboração dos Fluxos de Pagamentos Data: 16/11/2015 1 CRI Certificados de Recebíveis Imobiliários Guia para Elaboração dos Fluxos de Pagametos Data: 16/11/2015 Sumário/Ídice CRI - CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS... 1 SUMÁRIO/ÍNDICE... 2 1. OBJETIVO...

Leia mais

1 SISTEMA FRANCÊS DE AMORTIZAÇÃO

1 SISTEMA FRANCÊS DE AMORTIZAÇÃO scpla de Matemátca Facera 212/1 Curso de Admstração em Gestão Públca Professora Ms. Valéra Espídola Lessa EMPRÉSTIMOS Um empréstmo ou facameto pode ser feto a curto, médo ou logo prazo. zemos que um empréstmo

Leia mais

Faculdade de Tecnologia de Catanduva CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL

Faculdade de Tecnologia de Catanduva CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL Faculdade de Tecologa de Cataduva CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL 5. Meddas de Posção cetral ou Meddas de Tedêca Cetral Meddas de posção cetral preocupam-se com a caracterzação e a

Leia mais

Olá, amigos concursandos de todo o Brasil!

Olá, amigos concursandos de todo o Brasil! Matemátca Facera ICMS-RJ/008, com gabarto cometado Prof. Wager Carvalho Olá, amgos cocursados de todo o Brasl! Veremos, hoje, a prova do ICMS-RJ/008, com o gabarto cometado. - O artgo º da Le.948 de 8

Leia mais

LEASING UMA OBSERVAÇÃO Economista Antonio Pereira da Silva

LEASING UMA OBSERVAÇÃO Economista Antonio Pereira da Silva LEASING UMA OBSERVAÇÃO Ecoomsta Atoo Perera da Slva AMOR POR DINHEIRO TITÃS Composção: Sérgo Brtto e To Bellotto Acma dos homes, a le E acma da le dos homes A le de Deus Acma dos homes, o céu E acma do

Leia mais

RESUMO DE MATEMÁTICA FINANCEIRA. Juro Bom Investimento C valor aplicado M saldo ao fim da aplicação J rendimento (= M C)

RESUMO DE MATEMÁTICA FINANCEIRA. Juro Bom Investimento C valor aplicado M saldo ao fim da aplicação J rendimento (= M C) RESUMO DE MATEMÁTICA FINANCEIRA I. JUROS SIMPLES ) Elemetos de uma operação de Juros Smples: Captal (C); Motate (M); Juros (J); Taxa (); Tempo (). ) Relação etre Juros, Motate e Captal: J = M C ) Defção

Leia mais

Matemática Financeira e Suas Aplicações Alexandre Assaf Neto 8ª Edição Capítulo 1 Conceitos Gerais e Juros Simples

Matemática Financeira e Suas Aplicações Alexandre Assaf Neto 8ª Edição Capítulo 1 Conceitos Gerais e Juros Simples Matemátca Facera e Suas Aplcações Aleadre Assaf Neto 8ª Edção Resolução dos Eercícos Propostos Capítulo Cocetos Geras e Juros Smples ),44 a), ou,% a.m.,68 b), 7 ou,7% a.m. 4,4 c), 9 ou,9% a.m. 6,4 d),

Leia mais

FINANCIAMENTOS UTILIZANDO O EXCEL

FINANCIAMENTOS UTILIZANDO O EXCEL rofessores Ealdo Vergasta, Glóra Márca e Jodála Arlego ENCONTRO RM 0 FINANCIAMENTOS UTILIZANDO O EXCEL INTRODUÇÃO Numa operação de empréstmo, é comum o pagameto ser efetuado em parcelas peródcas, as quas

Leia mais

PREÇO UNITÁRIO DE DEBÊNTURES METODOLOGIA DE CÁLCULO

PREÇO UNITÁRIO DE DEBÊNTURES METODOLOGIA DE CÁLCULO PREÇO UNITÁRIO DE DEBÊNTURES METODOLOGIA DE CÁLCULO Itrodução Cosoldado o projeto de Precfcação de Debêtures, que dvulga formações de taxas referecas para o mercado secudáro desde mao de 2004, e date do

Leia mais

Caderno de Fórmulas. Debêntures Cetip21

Caderno de Fórmulas. Debêntures Cetip21 Última Atualização: 01/04/2016 E ste Cadero tem por objetivo iformar aos usuários a metodologia e os critérios de precisão dos cálculos implemetados Para Debêtures o Cetip21. São aqui apresetadas fórmulas

Leia mais

CENTRO: GESTÃO ORGANIZACIONAL MATEMÁTICA FINANCEIRA

CENTRO: GESTÃO ORGANIZACIONAL MATEMÁTICA FINANCEIRA CENTRO: GESTÃO ORGANIZACIONAL CÁLCULOS DE FINANÇAS MATEMÁTICA FINANCEIRA Semestre: A/2008 PROFESSOR: IRANI LASSEN CURSO: ALUNO: SUMÁRIO CÁLCULOS DE FINANÇAS INTRODUÇÃO...3. OBJETIVO:...3.2 FLUXO DE CAIXA...4.3

Leia mais

Métodos Quantitativos Aplicados a Contabilidade

Métodos Quantitativos Aplicados a Contabilidade Isttuto de Pesqusas e Estudos Cotábes MBA GESTÃO CONTÁBIL DE EMPRESAS INTEGRADA À CONTABILIDADE INTERNACIONAL Métodos Quattatvos Aplcados a Cotabldade Professor Reato Ragel Felpe Noroha Sumáro. Itrodução...

Leia mais

Capitulo 8 Resolução de Exercícios

Capitulo 8 Resolução de Exercícios FORMULÁRIO Audades Peródcas, Crescetes e Postecpadas, com Termos em P. A. G 1 1 1 1 G SPAC R R s s 1 1 1 1 1 G G C R a R a 1 1 PAC Audades Gradetes Postecpadas S GP G 1 1 ; C GP G 1 1 1 Audades Gradetes

Leia mais

Matemática Financeira

Matemática Financeira Cocetos Báscos de Matemátca Facera Uversdade do Porto Faculdade de Egehara Mestrado Itegrado em Egehara Electrotécca e de Computadores Ecooma e Gestão Na prátca As decsões faceras evolvem frequetemete

Leia mais

E-mails: damasceno1204@yahoo.com.br damasceno@interjato.com.br damasceno12@hotmail.com http://www. damasceno.info www. damasceno.info damasceno.

E-mails: damasceno1204@yahoo.com.br damasceno@interjato.com.br damasceno12@hotmail.com http://www. damasceno.info www. damasceno.info damasceno. Matemátca Facera 2007.1 Prof.: Luz Gozaga Damasceo 1 E-mals: damasceo1204@yahoo.com.br damasceo@terjato.com.br damasceo12@hotmal.com http://www. damasceo.fo www. damasceo.fo damasceo.fo Obs.: (1 Quado

Leia mais

MEDIDAS DE DISPERSÃO:

MEDIDAS DE DISPERSÃO: MEDID DE DIPERÃO: fução dessas meddas é avalar o quato estão dspersos os valores observados uma dstrbução de freqüêca ou de probabldades, ou seja, o grau de afastameto ou de cocetração etre os valores.

Leia mais

3. Porcentagem; 4. Problemas sobre custo e venda; 5. Fator de capitalização e taxa unitária.

3. Porcentagem; 4. Problemas sobre custo e venda; 5. Fator de capitalização e taxa unitária. 1 UTOR: Emeta Luz Herque M da Slva 1 Defções de razão e proporção, propredades; Graduado em Matemátca e habltado em ísca pelo UNIEB 2 Gradezas dretamete proporcoas e versamete proporcoas, Regra de três;

Leia mais

UERJ CTC IME Departamento de Informática e Ciência da Computação 2 Cálculo Numérico Professora Mariluci Ferreira Portes

UERJ CTC IME Departamento de Informática e Ciência da Computação 2 Cálculo Numérico Professora Mariluci Ferreira Portes UERJ CTC IE Departameto de Iormátca e Cêca da Computação Udade I - Erros as apromações umércas. I. - Cosderações geras. Há váras stuações em dversos campos da cêca em que operações umércas são utlzadas

Leia mais

Nota Técnica n o 037/2013-SRG/ANEEL. Em 17 de maio de 2013. Processo: 48500.002907/2010-89

Nota Técnica n o 037/2013-SRG/ANEEL. Em 17 de maio de 2013. Processo: 48500.002907/2010-89 Nota Técca o 037/2013-SRG/ANEEL Em 17 de mao de 2013. Processo: 48500.002907/2010-89 Assuto: Cosoldação de todas as regulametações referetes à apuração de dspobldades de empreedmetos de geração de eerga

Leia mais

2 Estrutura a Termo de Taxa de Juros

2 Estrutura a Termo de Taxa de Juros Estrutura a Termo de Taxa de Juros 20 2 Estrutura a Termo de Taxa de Juros A Estrutura a termo de taxa de juros (também cohecda como Yeld Curve ou Curva de Retabldade) é a relação, em dado mometo, etre

Leia mais

Capítulo 1 PORCENTAGEM

Capítulo 1 PORCENTAGEM Professor Joselas Satos da Slva Matemátca Facera Capítulo PORCETAGEM. PORCETAGEM A porcetagem ada mas é do que uma otação ( % ) usada para represetar uma parte de cem partes. Isto é, 20% lê-se 20 por ceto,

Leia mais

M = C( 1 + i.n ) J = C.i.n. J = C((1+i) n -1) MATEMÁTICA FINANCEIRA. M = C(1 + i) n BANCO DO BRASIL. Prof Pacher

M = C( 1 + i.n ) J = C.i.n. J = C((1+i) n -1) MATEMÁTICA FINANCEIRA. M = C(1 + i) n BANCO DO BRASIL. Prof Pacher MATEMÁTICA 1 JUROS SIMPLES J = C.. M C J J = M - C M = C( 1 +. ) Teste exemplo. ados com valores para facltar a memorzação. Aplcado-se R$ 100,00 a juros smples, à taxa omal de 10% ao ao, o motate em reas

Leia mais

Professor Mauricio Lutz REGRESSÃO LINEAR SIMPLES. Vamos, então, calcular os valores dos parâmetros a e b com a ajuda das formulas: ö ; ø.

Professor Mauricio Lutz REGRESSÃO LINEAR SIMPLES. Vamos, então, calcular os valores dos parâmetros a e b com a ajuda das formulas: ö ; ø. Professor Maurco Lutz 1 EGESSÃO LINEA SIMPLES A correlação lear é uma correlação etre duas varáves, cujo gráfco aproma-se de uma lha. O gráfco cartesao que represeta essa lha é deomado dagrama de dspersão.

Leia mais

MEDIDAS DE POSIÇÃO: X = soma dos valores observados. Onde: i 72 X = 12

MEDIDAS DE POSIÇÃO: X = soma dos valores observados. Onde: i 72 X = 12 MEDIDAS DE POSIÇÃO: São meddas que possbltam represetar resumdamete um cojuto de dados relatvos à observação de um determado feômeo, pos oretam quato à posção da dstrbução o exo dos, permtdo a comparação

Leia mais

COMUNICADO CETIP N.º 119

COMUNICADO CETIP N.º 119 COMUCADO CETIP N.º 9 Aos Participates do Sistema de Registro e de Liquidação Fiaceira de Títulos A Cetral de Custódia e de Liquidação Fiaceira de Títulos CETIP, tedo em vista o disposto as Resoluções 2904

Leia mais

3 Precificação de resseguro

3 Precificação de resseguro Precfcação de Resseguro 35 3 Precfcação de resseguro Este capítulo traz prmeramete uma oção ampla das aplcações das metodologas de precfcação de resseguro para melhor compreesão do mesmo Da seção 3 até

Leia mais

Caderno de Fórmulas. CCB, CCE e NCE - Cetip21

Caderno de Fórmulas. CCB, CCE e NCE - Cetip21 - Cetp21 Elaboração: Novembro/2005 Últma Atualzação: 27/05/2016 Apresentação E ste Caderno de Fórmulas tem por objetvo nformar aos usuáros a metodologa e os crtéros de precsão dos cálculos referentes às

Leia mais

4 Capitalização e Amortização Compostas

4 Capitalização e Amortização Compostas 4.1 Itrodução Quado queremos fazer um vestmeto, podemos depostar todos os meses uma certa quata em uma cadereta de poupaça; quado queremos comprar um bem qualquer, podemos fazê-lo em prestações, a serem

Leia mais

Em atendimento à solicitação de V.Sa., apresentamos, na seqüência, os resultados do estudo referenciado.

Em atendimento à solicitação de V.Sa., apresentamos, na seqüência, os resultados do estudo referenciado. 1 Belo Horzote, 14 de abrl de 2007. À UNAFISCO SAÚDE AT.: Glso Bezerra REF: AVALIAÇÃO ATUARIAL Prezado Sehor, Em atedmeto à solctação de V.Sa., apresetamos, a seqüêca, os resultados do estudo referecado.

Leia mais

O mercado de renda fixa e a estrutura da taxa de juro

O mercado de renda fixa e a estrutura da taxa de juro O mercado de reda fxa e a estrtra da taxa de jro No Brasl, a egocação o mercado de reda fxa egloba títlos públcos e títlos prvados. O strmeto para a expressão da remeração e/o o valor de mercado de cada

Leia mais

Cap.20 Avaliação Econ. Financ. de Projetos de Inv. Sumário. Jim Lane. $20 mi. Gordon Letwin $20 mi Paul Allen $25 bi

Cap.20 Avaliação Econ. Financ. de Projetos de Inv. Sumário. Jim Lane. $20 mi. Gordon Letwin $20 mi Paul Allen $25 bi Pol-UFRJ/25.1 Cap.2 Avalação Eco. Fac. de Projetos de Iv. Ecooma Carlos Nemer 3ª Ed. Capítulo 2 Avalação Ecoômco Facera de Projetos de Ivestmeto Steve Wood $15 m Bob O' Rear $1 mllo Bob Wallace $5 m Bob

Leia mais

Determine a média de velocidade, em km/h, dos veículos que trafegaram no local nesse período.

Determine a média de velocidade, em km/h, dos veículos que trafegaram no local nesse período. ESTATÍSTICA - 01 1. (UERJ 01) Téccos do órgão de trâsto recomedaram velocdade máxma de 80 km h o trecho de uma rodova ode ocorrem mutos acdetes. Para saber se os motorstas estavam cumprdo as recomedações,

Leia mais

09/03/2014 RETORNO. I Conceitos Básicos. Perguntas básicas. O que é matemática financeira? Por que estudar matemática financeira?

09/03/2014 RETORNO. I Conceitos Básicos. Perguntas básicas. O que é matemática financeira? Por que estudar matemática financeira? 09/0/04 I Cocetos Báscos Matemátca Facera Aplcaa ao Mercao Facero e e Captas Proessor Roalo Távora Pergutas báscas O que é matemátca acera? Por que estuar matemátca acera? = RETORNO Matemátca Facera Aplcaa

Leia mais

Manual de Precificação

Manual de Precificação Manual de Precfcação Custóda Qualfcada Revsão: Mao de 200 Págna /80 Objetvos Introdução O objetvo deste manual é a descrção da estrutura, prncípos e crtéros dos servços de marcação a mercado prestados

Leia mais

Monitoramento ou Inventário Florestal Contínuo

Monitoramento ou Inventário Florestal Contínuo C:\Documets ad Settgs\DISCO_F\MEUS-DOCS\LIVRO_EF_44\ef44_PDF\CAP XIV_IFCOTIUO.doc 6 Motorameto ou Ivetáro Florestal Cotíuo Agosto Lopes de Souza. ITRODUÇÃO Parcelas permaetes de vetáro florestal cotíuo

Leia mais

1.1 Apresentação. do capítulo

1.1 Apresentação. do capítulo apítulo Matemátca Facera. Apresetação do capítulo A Matemátca Facera trata da comparação de valores moetáros que estão dspersos ao logoo do tempo. Através de seu estudo, podemos aalsar e comparar alteratvas

Leia mais

Econometria: 4 - Regressão Múltipla em Notação Matricial

Econometria: 4 - Regressão Múltipla em Notação Matricial Ecoometra: 4 - Regressão últpla em Notação atrcal Prof. arcelo C. ederos mcm@eco.puc-ro.br Prof. arco A.F.H. Cavalcat cavalcat@pea.gov.br Potfíca Uversdade Católca do Ro de Jaero PUC-Ro Sumáro O modelo

Leia mais

Curso de An lise de Fluxo de Caixa

Curso de An lise de Fluxo de Caixa Curso de A lse de Fluxo de Caxa SUMÁRIO PROGRESSÕES... 0. FÓRMULAS BÁSICAS... 0.. Progressões artmétcas... 0..2 Progressões geométrcas... 02.2 EXERCÍCIOS SUGERIDOS... 02 2 CONCEITOS DE MATEMÁTICA FINANCEIRA...

Leia mais

TT.405 - ECONOMIA DE ENGENHARIA Material Didático - 2008 Prof. Lúcia R. A. Montanhini

TT.405 - ECONOMIA DE ENGENHARIA Material Didático - 2008 Prof. Lúcia R. A. Montanhini INTRODUÇÃO TT405 - ECONOMIA DE ENGENHARIA Materal Ddátco - 2008 Prof Lúca R A Motah INTRODUÇÃO 2 INDICE INTRODUÇÃO 7 2 O CONCEITO E ORIGEM DA ENGENHARIA ECONÔMICA 8 3 MATEMÁTICA FINANCEIRA 9 3 CONCEITOS

Leia mais

Exercícios - Sequências de Números Reais (Solução) Prof Carlos Alberto S Soares

Exercícios - Sequências de Números Reais (Solução) Prof Carlos Alberto S Soares Exercícos - Sequêcas de Números Reas (Solução Prof Carlos Alberto S Soares 1 Dscuta a covergêca da sequẽca se(2. Calcule, se exstr, lm se(2. Solução 1 Observe que se( 2 é lmtada e 1/ 0, portato lm se(2

Leia mais

CESTA DE MOEDAS DO BNDES

CESTA DE MOEDAS DO BNDES CESTA DE MOEDAS DO BNDES Ídce 1.Regulametação...pág..Decomposção da Cesta de Moedas do BNDES...pág. 3. Metodologa de Cálculo dos Cotratos do BNDES atrelados à Cesta de Moedas do BNDES.....pág.4 4.Sítese...pág.7

Leia mais

Interpolação. Exemplo de Interpolação Linear. Exemplo de Interpolação Polinomial de grau superior a 1.

Interpolação. Exemplo de Interpolação Linear. Exemplo de Interpolação Polinomial de grau superior a 1. Iterpolação Iterpolação é um método que permte costrur um ovo cojuto de dados a partr de um cojuto dscreto de dados potuas cohecdos. Em egehara e cêcas, dspõese habtualmete de dados potuas, obtdos a partr

Leia mais

CIRCULAR Nº 3.389 D E C I D I U :

CIRCULAR Nº 3.389 D E C I D I U : CIRCULAR Nº 3.389 Estabelece os procedmetos para o cálculo da parcela do Patrmôo de Referêca Exgdo (PRE) referete ao rsco das exposções em ouro, em moeda estragera e em atvos e passvos sujetos à varação

Leia mais

Estudo das relações entre peso e altura de estudantes de estatística através da análise de regressão simples.

Estudo das relações entre peso e altura de estudantes de estatística através da análise de regressão simples. Estudo das relações etre peso e altura de estudates de estatístca através da aálse de regressão smples. Waessa Luaa de Brto COSTA 1, Adraa de Souza COSTA 1. Tago Almeda de OLIVEIRA 1 1 Departameto de Estatístca,

Leia mais

Uma Calculadora Financeira usando métodos numéricos e software livre

Uma Calculadora Financeira usando métodos numéricos e software livre Uma Calculadora Facera usado métos umércos e software lvre Jorge edraza Arpas, Julao Sott, Depto de Cêcas e Egeharas, Uversdade Regoal ItegradaI, URI 98400-000-, Frederco Westphale, RS Resumo.- Neste trabalho

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 3259 RESOLVEU:

RESOLUÇÃO Nº 3259 RESOLVEU: Resolução nº 3259, de 28 de janero de 2005. RESOLUÇÃO Nº 3259 Altera o dreconamento de recursos captados em depóstos de poupança pelas entdades ntegrantes do Sstema Braslero de Poupança e Empréstmo (SBPE).

Leia mais

Requisitos metrológicos de instrumentos de pesagem de funcionamento não automático

Requisitos metrológicos de instrumentos de pesagem de funcionamento não automático Requstos metrológcos de strumetos de pesagem de fucoameto ão automátco 1. Geeraldades As balaças estão assocadas de uma forma drecta à produção do betão e ao cotrolo da qualdade do mesmo. Se são as balaças

Leia mais

MAE116 Noções de Estatística

MAE116 Noções de Estatística Grupo C - º semestre de 004 Exercíco 0 (3,5 potos) Uma pesqusa com usuáros de trasporte coletvo a cdade de São Paulo dagou sobre os dferetes tpos usados as suas locomoções dáras. Detre ôbus, metrô e trem,

Leia mais

Sumário. Mecânica. Sistemas de partículas

Sumário. Mecânica. Sistemas de partículas umáro Udade I MECÂNICA 2- Cetro de massa e mometo lear de um sstema de partículas - stemas de partículas e corpo rígdo. - Cetro de massa. - Como determar o cetro de massa dum sstema de partículas. - Vetor

Leia mais

RELATÓRIO TRIMESTRAL FLUTUANTE ÚLTIMOS DADOS (CONJUNTO DE 3 MESES) FICHAS METODOLÓGICAS

RELATÓRIO TRIMESTRAL FLUTUANTE ÚLTIMOS DADOS (CONJUNTO DE 3 MESES) FICHAS METODOLÓGICAS RELATÓRIO TRIMESTRAL FLUTUANTE ÚLTIMOS AOS (CONJUNTO E 3 MESES) FICHAS METOOLÓGICAS GRÁFICO 1 INICAOR E ORMIAS E HÓSPEES NOS ESTABELECIMENTOS HOTELEIROS MÉIA MENSAL (VALORES HOMÓLOGOS) Número de dormdas

Leia mais

Ensaios Econômicos. Amortização de Dívidas e Prestações Constantes: Uma Análise Crítica. Outubro de 2013. Escola de. Pós-Graduação.

Ensaios Econômicos. Amortização de Dívidas e Prestações Constantes: Uma Análise Crítica. Outubro de 2013. Escola de. Pós-Graduação. Esaos Ecoômcos Escola de ós-graduação em Ecooma da Fudação Getulo Vargas N 746 ISSN 004-890 Amortzação de Dívdas e restações Costates: Uma Aálse Crítca Clovs de Faro Outubro de 203 URL: http://hdl.hadle.et/0438/232

Leia mais

Conceito 31/10/2015. Módulo VI Séries ou Fluxos de Caixas Uniformes. SÉRIES OU FLUXOS DE CAIXAS UNIFORMES Fluxo de Caixa

Conceito 31/10/2015. Módulo VI Séries ou Fluxos de Caixas Uniformes. SÉRIES OU FLUXOS DE CAIXAS UNIFORMES Fluxo de Caixa Módulo VI Séries ou Fluxos de Caixas Uiformes Daillo Touriho S. da Silva, M.Sc. SÉRIES OU FLUXOS DE CAIXAS UNIFORMES Fluxo de Caixa Coceito A resolução de problemas de matemática fiaceira tora-se muito

Leia mais

Algoritmos de Interseções de Curvas de Bézier com Uma Aplicação à Localização de Raízes de Equações

Algoritmos de Interseções de Curvas de Bézier com Uma Aplicação à Localização de Raízes de Equações Algortmos de Iterseções de Curvas de Bézer com Uma Aplcação à Localzação de Raízes de Equações Rodrgo L.R. Madurera Programa de Pós-Graduação em Iformátca, PPGI, UFRJ 21941-59, Cdade Uverstára, Ilha do

Leia mais

Centro de massa, momento linear de sistemas de partículas e colisões

Centro de massa, momento linear de sistemas de partículas e colisões Cetro de massa, mometo lear de sstemas de partículas e colsões Prof. Luís C. Pera stemas de partículas No estudo que temos vdo a fazer tratámos os objectos, como, por exemplo, blocos de madera, automóves,

Leia mais

Capítulo 2. Aproximações de Funções

Capítulo 2. Aproximações de Funções EQE-358 MÉTODOS NUMÉRICOS EM ENGENHARIA QUÍMICA PROFS. EVARISTO E ARGIMIRO Capítulo Aproações de Fuções Há bascaete dos tpos de probleas de aproações: ) ecotrar ua fução as sples, coo u polôo, para aproar

Leia mais

Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP Ministério da Educação MEC. Índice Geral de Cursos (IGC)

Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP Ministério da Educação MEC. Índice Geral de Cursos (IGC) Isttuto Nacoal de Estudos e Pesqusas Educacoas Aíso exera INEP stéro da Educação EC Ídce Geral de Cursos (IGC) O Ídce Geral de Cursos (IGC) é ua éda poderada dos cocetos dos cursos de graduação e pós-graduação

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE CENTRO DE ESTUDOS GERAIS INSTITUTO DE MATEMÁTICA DEPARTAMENTO DE ESTATÍSTICA NÚMEROS ÍNDICES

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE CENTRO DE ESTUDOS GERAIS INSTITUTO DE MATEMÁTICA DEPARTAMENTO DE ESTATÍSTICA NÚMEROS ÍNDICES UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE CENTRO DE ESTUDOS GERAIS INSTITUTO DE MATEMÁTICA DEPARTAMENTO DE ESTATÍSTICA NÚMEROS ÍNDICES Aa Mara Lma de Faras Luz da Costa Laurecel Com a colaboração dos motores Maracajaro

Leia mais

Econometria: 3 - Regressão Múltipla

Econometria: 3 - Regressão Múltipla Ecoometra: 3 - Regressão Múltpla Prof. Marcelo C. Mederos mcm@eco.puc-ro.br Prof. Marco A.F.H. Cavalcat cavalcat@pea.gov.br Potfíca Uversdade Católca do Ro de Jaero PUC-Ro Sumáro O modelo de regressão

Leia mais

COMUNICADO SPR N.º 003/01. REF: Registro de contratos referenciados em Euro, Marco Alemão, Iene e Peso Argentino

COMUNICADO SPR N.º 003/01. REF: Registro de contratos referenciados em Euro, Marco Alemão, Iene e Peso Argentino OMUIADO SPR.º 003/01 As Partcates d Sstema de Prteçã tra Rscs Facers SPR REF: Regstr de ctrats referecads em Eur, Marc Alemã, Iee e Pes Arget A etral de ustóda e de Lqudaçã Facera de Títuls ETIP cmuca

Leia mais

Unidade II ESTATÍSTICA

Unidade II ESTATÍSTICA ESTATÍSTICA Udade II 3 MEDIDAS OU PARÂMETROS ESTATÍSTICOS 1 O estudo que fzemos aterormete dz respeto ao agrupameto de dados coletados e à represetação gráfca de algus deles. Cumpre agora estudarmos as

Leia mais

Capítulo 1 Matemática Financeira

Capítulo 1 Matemática Financeira apítulo Matemátca Facera. Apresetação do capítulo A matemátca facera trata da comparação de valores moetáros ao logo do tempo. Através de seu estudo, podemos aalsar e comparar alteratvas de vestmeto e

Leia mais

Capitulo 7 Resolução de Exercícios

Capitulo 7 Resolução de Exercícios FORMULÁRIO Audades Costates Postecpadas HP C [g][end] Cp LN 1 1 1 1 C p R Cp R R a, R C p, 1 1 1 a LN 1 Sp LN 1 1 1 S p R S p R R s, R S p, 1 1 s LN 1 Audades Costates Atecpadas HP C [g][beg] 1 (1 ) 1

Leia mais

16 - PROBLEMA DO TRANSPORTE

16 - PROBLEMA DO TRANSPORTE Prof. Volr Wlhel UFPR TP05 Pesqusa Operacoal 6 - PROBLEMA DO TRANSPORTE Vsa zar o custo total do trasporte ecessáro para abastecer cetros cosudores (destos) a partr de cetros forecedores (orges) a, a,...,

Leia mais

PUCRS FAMAT DEPTº DE ESTATÍSTICA ESTATÍSTICA DESCRITIVA SÉRGIO KATO

PUCRS FAMAT DEPTº DE ESTATÍSTICA ESTATÍSTICA DESCRITIVA SÉRGIO KATO PUCRS FAMAT DEPTº DE ESTATÍSTICA ESTATÍSTICA DESCRITIVA SÉRGIO KATO A expressão dados, será ctada dversas vezes esta dscpla, em lguagem ormal, dados são ormações (úmeros ou ão) sobre um dvíduo (pessoa,

Leia mais

Insper Instituto de Ensino e Pesquisa Programa de Mestrado Profissional em Economia Marcelo Aagesen

Insper Instituto de Ensino e Pesquisa Programa de Mestrado Profissional em Economia Marcelo Aagesen Isper Isttuto de Eso e Pesqusa Programa de Mestrado Profssoal em Ecooma Marcelo Aagese IPCA Títulos Públcos e Expectatva de Iflação de Mercado São Paulo 203 ' Marcelo Aagese IPCA Títulos Públcos e Expectatva

Leia mais

CONCEITOS FUNDAMENTAIS DA MATEMÁTICA FINANCEIRA

CONCEITOS FUNDAMENTAIS DA MATEMÁTICA FINANCEIRA CONCEITOS FUNDAMENTAIS DA MATEMÁTICA FINANCEIRA Coceito de taxa de juros Taxa de juro é a relação etre o valor dos juros pagos (ou recebidos) o fial de um determiado período de tempo e o valor do capital

Leia mais

RESUMO E EXERCÍCIOS NÚMEROS COMPLEXOS ( )

RESUMO E EXERCÍCIOS NÚMEROS COMPLEXOS ( ) NÚMEROS COMPLEXOS Forma algébrca e geométrca Um úmero complexo é um úmero da forma a + b, com a e b reas e = 1 (ou, = -1), chamaremos: a parte real; b parte magára; e udade magára. Fxado um sstema de coordeadas

Leia mais

ESTATÍSTICA MÓDULO 2 OS RAMOS DA ESTATÍSTICA

ESTATÍSTICA MÓDULO 2 OS RAMOS DA ESTATÍSTICA ESTATÍSTICA MÓDULO OS RAMOS DA ESTATÍSTICA Ídce. Os Ramos da Estatístca...3.. Dados Estatístcos...3.. Formas Icas de Tratameto dos Dados....3. Notação por Ídces...5.. Notação Sgma ()...5 Estatístca Módulo

Leia mais

1. Conceitos básicos de estatística descritiva 1.3. Noção de extracção aleatória e de probabilidade

1. Conceitos básicos de estatística descritiva 1.3. Noção de extracção aleatória e de probabilidade Sumáro (3ª aula). Cocetos báscos de estatístca descrtva.3. Noção de etracção aleatóra e de probabldade.4 Meddas de tedêca cetral.4. Méda artmétca smples.4. Méda artmétca poderada.4.3 Méda artmétca calculada

Leia mais

INTRODUÇÃO ÀS PROBABILIDADES E ESTATÍSTICA

INTRODUÇÃO ÀS PROBABILIDADES E ESTATÍSTICA INTRODUÇÃO ÀS PROBABILIDADES E ESTATÍSTICA 003 Iformações: relembra-se os aluos teressados que a realzação de acções presecas só é possível medate solctação vossa, por escrto, à assstete da cadera. A realzação

Leia mais

COMUNICADO SNA Nº 004/98

COMUNICADO SNA Nº 004/98 COMUNICADO SNA Nº 004/98 Aos Participantes do Sistema Nacional de Ativos - SNA A Central de Custódia e de Liquidação Financeira de Títulos - CETIP comunica que estará, a partir do dia 05/05/98, aceitando

Leia mais

Capítulo 1: Erros em cálculo numérico

Capítulo 1: Erros em cálculo numérico Capítulo : Erros em cálculo umérco. Itrodução Um método umérco é um método ão aalítco, que tem como objectvo determar um ou mas valores umércos, que são soluções de um certo problema. Ao cotráro das metodologas

Leia mais

Prof. Eugênio Carlos Stieler

Prof. Eugênio Carlos Stieler http://wwwuematbr/eugeio SISTEMAS DE AMORTIZAÇÃO A ecessidade de recursos obriga aqueles que querem fazer ivestimetos a tomar empréstimos e assumir dívidas que são pagas com juros que variam de acordo

Leia mais

Distribuições Amostrais. Estatística. 8 - Distribuições Amostrais UNESP FEG DPD

Distribuições Amostrais. Estatística. 8 - Distribuições Amostrais UNESP FEG DPD Dstrbuções Amostras Estatístca 8 - Dstrbuções Amostras 08- Dstrbuções Amostras Dstrbução Amostral de Objetvo: Estudar a dstrbução da população costtuída de todos os valores que se pode obter para, em fução

Leia mais

( ) ( IV ) n ( ) Escolha a alternativa correta: A. III, II, I, IV. B. II, III, I, IV. C. IV, III, I, II. D. IV, II, I, III. E. Nenhuma das anteriores.

( ) ( IV ) n ( ) Escolha a alternativa correta: A. III, II, I, IV. B. II, III, I, IV. C. IV, III, I, II. D. IV, II, I, III. E. Nenhuma das anteriores. Prova de Estatístca Epermetal Istruções geras. Esta prova é composta de 0 questões de múltpla escolha a respeto dos cocetos báscos de estatístca epermetal, baseada os lvros BANZATTO, A.D. e KRONKA, S.N.

Leia mais

ESTATÍSTICA DESCRITIVA NOCÕES FUNDAMENTAIS

ESTATÍSTICA DESCRITIVA NOCÕES FUNDAMENTAIS ESTATÍSTICA DESCRITIVA NOCÕES FUNDAMENTAIS Coceto Básco: Def. Város autores têm procurado defr a Estatístca. Através de mutos lvros escrtos sobre Estatístca, todos cotedo defções, desde as mas smples até

Leia mais

7 - Distribuição de Freqüências

7 - Distribuição de Freqüências 7 - Dstrbução de Freqüêncas 7.1 Introdução Em mutas áreas há uma grande quantdade de nformações numércas que precsam ser dvulgadas de forma resumda. O método mas comum de resumr estes dados numércos consste

Leia mais

Analise do Programa Bolsa Familia e o problema de assimetria de informação (Moral Hazard)

Analise do Programa Bolsa Familia e o problema de assimetria de informação (Moral Hazard) Aalse do Programa Bolsa Famla e o problema de assmetra de formação (Moral Hazard) Adão Rodrgues 1 Júla Araújo 2 Resumo: O objetvo deste trabalho é aalsar os problemas exstetes o programa de trasferêca

Leia mais

Capitulo 10 Resolução de Exercícios

Capitulo 10 Resolução de Exercícios FORMULÁRIO Ivestimetos com Cláusulas de Correção Moetária, com pricipal e juros simples corrigidos S C i I Ivestimetos com Cláusulas de Correção Moetária, com apeas o pricipal corrigido e juros simples.

Leia mais

A Medição e o Erro de Medição

A Medição e o Erro de Medição A Medção e o Erro de Medção Sumáro 1.1 Itrodução 1.2 Defções 1.3 Caracterzação da qualdade de medção 1.4 O erro da medção 1.4.1 Os erros aleatóros 1.4.2 Os erros sstemátcos 1.5 O verdadero valor, o erro

Leia mais

Estatística Notas de Aulas ESTATÍSTICA. Notas de Aulas. Professor Inácio Andruski Guimarães, DSc. Professor Inácio Andruski Guimarães, DSc.

Estatística Notas de Aulas ESTATÍSTICA. Notas de Aulas. Professor Inácio Andruski Guimarães, DSc. Professor Inácio Andruski Guimarães, DSc. Estatístca Notas de Aulas ESTATÍSTICA Notas de Aulas Professor Iáco Adrus Gumarães, DSc. Professor Iáco Adrus Gumarães, DSc. Estatístca Notas de Aulas SUMÁRIO CONCEITOS BÁSICOS 5. Estatístca. Estatístca

Leia mais

Projeto de rede na cadeia de suprimentos

Projeto de rede na cadeia de suprimentos Projeto de rede a cadea de suprmetos Prof. Ph.D. Cláudo F. Rosso Egehara Logístca II Esboço O papel do projeto de rede a cadea de suprmetos Fatores que fluecam decsões de projeto de rede Modelo para decsões

Leia mais

REGESD Prolic Matemática e Realidade- Profª Suzi Samá Pinto e Profº Alessandro da Silva Saadi

REGESD Prolic Matemática e Realidade- Profª Suzi Samá Pinto e Profº Alessandro da Silva Saadi REGESD Prolc Matemátca e Realdade- Profª Suz Samá Pto e Profº Alessadro da Slva Saad Meddas de Posção ou Tedêca Cetral As meddas de posção ou meddas de tedêca cetral dcam um valor que melhor represeta

Leia mais

Ministério da Educação. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Cálculo do Conceito Preliminar de Cursos de Graduação

Ministério da Educação. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Cálculo do Conceito Preliminar de Cursos de Graduação Mnstéro da Educação Insttuto Naconal de Estudos e Pesqusas Educaconas Aníso Texera Cálculo do Conceto Prelmnar de Cursos de Graduação Nota Técnca Nesta nota técnca são descrtos os procedmentos utlzados

Leia mais

Apostila de Estatística. Volume 1 Edição Prof. Dr. Celso Eduardo Tuna

Apostila de Estatística. Volume 1 Edição Prof. Dr. Celso Eduardo Tuna Apostla de Estatístca Volume 1 Edção 007 Curso: Pscologa Amostragem, Séres Estatístcas, Dstrbução de Freqüêca, Méda, Medaa, Quartl, Percetl e Desvo Padrão Prof. Dr. Celso Eduardo Tua 1 Capítulo 1 - Itrodução

Leia mais