Gabinete de Apoio à Criação de Emprego e Captação de Investimentos

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Gabinete de Apoio à Criação de Emprego e Captação de Investimentos"

Transcrição

1 Estudo de Caracterização do Tecido Empresarial do Concelho de Almada Observatório sobre Emprego, Empresas e Formação Gabinete de Apoio à Criação de Emprego e Captação de Investimentos 1

2 O Objecto da presente consulta consiste, em conformidade com o Descritivo dos Trabalhos, na contratação de serviços para: 1) A elaboração do Estudo de Caracterização do Tecido Empresarial do Concelho de Almada; 2) A concepção e montagem do Observatório sobre Emprego, Empresas e Formação; 3) A configuração e apoio à implementação do Gabinete de Apoio à Criação de Emprego e Captação de Investimentos. 2

3 2. Entidade Contratante A longa experiência adquirida no desenvolvimento de projectos em parceria, está na base da decisão da Autarquia em constituir, em 2001, uma entidade privada sem fins lucrativos, de carácter associativo, que permitisse congregar a actuação de diversos agentes, entidades públicas e privadas, empresariais e de carácter social, que em conjunto com a Câmara Municipal se organizem e contribuam com a sua especificidade e o seu empenhamento na mobilização de meios para a prossecução de objectivos comuns. É neste contexto que a Nova Almada Velha Agência de Desenvolvimento Local se institui como espaço de articulação de trabalho entre os associados, em torno do objecto da associação: potenciar o desenvolvimento integrado da Cidade de Almada, enquanto centralidade metropolitana de primeira importância, contribuindo para consolidar a realidade da grande Cidade das duas margens, para revitalizar o relacionamento urbano com o Estuário do Tejo e para o estabelecimento de complementaridades funcionais, no contexto de uma Área Metropolitana Multipolar, através de acções e projectos que envolvam os diversos agentes, nomeadamente nos domínios do património cultural e natural, do lazer e do turismo, da animação urbana, da formação profissional e do emprego, da divulgação e do marketing. Esta estrutura tem como associados fundadores: Município de Almada; Associação do Comércio e Serviços do Distrito de Setúbal; Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa; Junta de Freguesia de Almada; Junta de Freguesia de Cacilhas; Junta de Freguesia do Pragal; Santuário do Cristo-Rei; Seminário Maior de S. Paulo. 3

4 Desde a sua constituição (em 2001) que a Agência se envolve em diversos projectos, a partir da iniciativa dos seus associados, de que se destaca uma linha de trabalho que visa contribuir para a dinamização económica do Centro da Cidade de Almada. É neste contexto que assume, por proposta da Câmara Municipal de Almada a gestão do Núcleo Empresarial de Almada Velha, equipamento de propriedade municipal, concebido para a promoção do emprego e o apoio à fixação de novas iniciativas empresariais, geridas por jovens empreendedores com qualificações académicas e/ou profissionais, que pretendam desenvolver actividade, preferencialmente nas áreas da cultura, do turismo e do lazer, do património, do marketing, da animação urbana e dos ofícios tradicionais. O NEAV contribuiu para a criação de 42 postos de trabalho, através do acolhimento de 15 empresas estabelecidas por um período de 3 anos em regime ninho de empresas. Para além desta vertente de apoio à incubação, existem três espaços comerciais destinados a microempresas que pretendam ensaiar uma estadia mais permanente e desfrutar do ambiente urbano de Almada Velha para a sua actividade. Por outro lado, no quadro da ampliação das valências e serviços prestados à comunidade que a NAV pretende instituir, dando cumprimento ao seu objecto social de potenciar o desenvolvimento de Almada nos domínios do turismo, da formação profissional e do emprego, da divulgação e do marketing, e sob proposta da Câmara Municipal de Almada, que tem como Objectivo Estratégico a Diversificação da Base Económica do Concelho, a Agência assumiu como propósito a assunção dos seguintes projectos: Observatório sobre Emprego, Empresas e Formação; Estudo de Caracterização do Tecido Empresarial do Concelho de Almada; Gabinete de Apoio à Criação de Emprego e Captação de Investimentos. 4

5 2. Descritivo dos Trabalhos No seguimento da identificação de novas áreas de trabalho e sob solicitação da Câmara Municipal de Almada, a Agência pretende avançar para a organização de um conjunto de novos serviços, nos domínios da produção de informação de apoio à actividade económica, do estímulo ao desenvolvimento empresarial, da promoção do emprego e da qualificação dos activos. Assim, a Nova Almada Velha visa iniciar um processo de trabalho que assegure os seguintes resultados: a) Observatório sobre Emprego, Empresas e Formação Esta estrutura propõe-se colmatar a escassez de informação sobre o tecido económico local, devendo assegurar a produção, sistematização e disponibilização de informação estatística de base local, actividade que se reveste da maior importância enquanto instrumento de suporte à decisão. Pretende-se pois suprir dificuldades na recolha e tratamento de informação específica de caracterização económica do Concelho e da sua dinâmica de transformação, com vista a poder proporcionar informação relevante e numa base periódica a decisores públicos, instituições e demais entidades. Deverá ser definida uma metodologia de recolha periódica de informação, através do recurso a fontes diversas, nomeadamente, o tratamento de estatísticas oficiais, fontes institucionais que detenham dados de base local, realização de operações de recolha directa através de inquéritos ou outros instrumentos considerados adequados, ou o recurso a painéis de informantes privilegiados. Visa-se a produção, recolha, tratamento e difusão de conhecimentos que permitam dar a conhecer, de uma forma sistemática e regular, as transformações da base económica do concelho, nomeadamente no que respeita ao estudo da dinâmica empresarial, do investimento e do emprego, da sua distribuição territorial, da avaliação da especialização produtiva concelhia. 5

6 Deverá ainda dar-se particular relevo às questões da formação de recursos humanos e da avaliação do grau de familiaridade com os regimes de incentivos disponíveis para modernização e internacionalização empresariais, bem como da articulação com estruturas de apoio à investigação e desenvolvimento, nos sectores considerados adequados. Este trabalho deverá assegurar como resultados práticos: Dotar o Município de uma base de dados de todas as empresas do Concelho, organizada por classificação de actividade económica, que possibilite também uma leitura reportada à freguesia; Definir fontes de recolha de informação e procedimentos de actualização regular, tendo em vista à disponibilização de informação facilmente acessível a todos os interessados; Permitir, a partir desta base de conhecimento, dinamizar fóruns de discussão sobre o tecido económico concelhio ( Fóruns 21 do Tecido Empresarial ), promover debates, encontros, ou outros eventos e estabelecer parcerias que contribuam para o desenvolvimento de novos projectos e para o aprofundamento de temáticas relevantes nos domínios da actividade económica, emprego e formação. b) Estudo de Caracterização do Tecido Empresarial do Concelho de Almada Como primeiro resultado da recolha e sistematização da informação deverá ser produzido um relatório de Caracterização do Tecido Empresarial do Concelho de Almada. 6

7 c) Gabinete de Apoio à Criação de Emprego e Captação de Investimentos Com a constituição do Gabinete de Apoio à Criação de Emprego e Captação de Investimentos visa-se organizar uma plataforma facilitadora para a promoção do investimento e do empreendedorismo, através da prestação de serviços de proximidade, por forma a melhor focalizar as opções dos investidores na exploração de oportunidade locais e de promoção dos factores locativos do Concelho e ainda, numa óptica mais pró-activa, contribuir para a atracção de investimentos geradores de elevado valor acrescentado para a economia local, através de uma acção prospectiva e promocional. Deverá ser organizado um Guia para o Investidor no Concelho de Almada, contendo toda a informação relevante a incluir num documento desta natureza. 7

8 3. Apresentação de Propostas Os concorrentes deverão apresentar uma proposta metodológica a utilizar para a elaboração dos trabalhos descritos, contendo o respectivo plano de trabalhos calendarizado, bem como outros aspectos e condições consideradas relevantes em termos de execução do mesmo. Deve ser dado destaque à composição da equipa e indicação do responsável técnico-científico pela sua condução. Devem ser referidas as condições financeiras ou outras para a prestação dos trabalhos a contratar e respectivas condições de pagamento; As propostas devem ser dirigidas, até 25 de Outubro à: Nova Almada Velha Agência de Desenvolvimento Local R. da Judiaria nº ALMADA 8

Medida de apoio à inovação

Medida de apoio à inovação Medida de apoio à inovação Programa de Desenvolvimento Rural 2014-2020 Maria Pedro Silva Organização: Apoio Institucional: Grupos Crescimento Valor Acrescentado Rentabilidade Económica Inovação Capacitação

Leia mais

ANÚNCIO PARA PARTICIPAÇÃO NO LEVANTAMENTO E CARACTERIZAÇÃO DA REDE DE INFRAESTRUTURAS TECNOLÓGICAS

ANÚNCIO PARA PARTICIPAÇÃO NO LEVANTAMENTO E CARACTERIZAÇÃO DA REDE DE INFRAESTRUTURAS TECNOLÓGICAS ANÚNCIO PARA PARTICIPAÇÃO NO LEVANTAMENTO E CARACTERIZAÇÃO DA REDE DE INFRAESTRUTURAS TECNOLÓGICAS PROCESSO DE MAPEAMENTO DAS INFRAESTRUTURAS TECNOLÓGICAS NACIONAIS 9 de agosto de 2016 Página 1 de 6 Índice

Leia mais

ESTRUTURA ORGANIZATIVA DA ISCMPSA

ESTRUTURA ORGANIZATIVA DA ISCMPSA ESTRUTURA ORGANIZATIVA DA ISCMPSA Este documento visa dar corpo á orgânica dos serviços da Santa Casa, ou seja, definir competências, hierarquias e formas de actuação. Como a Santa Casa da Póvoa de Santo

Leia mais

PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO MUNICIPIO DE MANTEIGAS E NERGA NÚCLEO EMPRESARIAL DA REGIÃO DA GUARDA ASSOCIAÇÃO EMPRESARIAL

PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO MUNICIPIO DE MANTEIGAS E NERGA NÚCLEO EMPRESARIAL DA REGIÃO DA GUARDA ASSOCIAÇÃO EMPRESARIAL PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO MUNICIPIO DE MANTEIGAS E NERGA NÚCLEO EMPRESARIAL DA REGIÃO DA GUARDA ASSOCIAÇÃO EMPRESARIAL Considerando: Que o NERGA é uma Pessoa Coletiva de Utilidade Pública que, tem como objetivo

Leia mais

PLANO DE ACÇÃO DA REDE SOCIAL DE LISBOA ANO DE 2010 PRORROGAÇÃO PARA Aprovado em sede de CLAS a 04 de Julho de 2011

PLANO DE ACÇÃO DA REDE SOCIAL DE LISBOA ANO DE 2010 PRORROGAÇÃO PARA Aprovado em sede de CLAS a 04 de Julho de 2011 PLANO DE ACÇÃO DA REDE SOCIAL DE LISBOA ANO DE 2010 PRORROGAÇÃO PARA 2011 Aprovado em sede de CLAS a 04 de Julho de 2011 PLANO DE ACÇÃO PARA 2010 PRORROGAÇÃO PARA 2011 OBJECTIVO ESTRATÉGICO OBJECTIVO ESPECÍFICO

Leia mais

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020. Identidade, Competitividade, Responsabilidade

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020. Identidade, Competitividade, Responsabilidade Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020 Identidade, Competitividade, Responsabilidade Lezíria do Tejo Alto Alentejo Alentejo Central Alentejo Litoral Baixo Alentejo Planeamento Estratégico Regional

Leia mais

O valor mínimo de despesas elegíveis por projecto Euros; O valor máximo de despesas elegíveis por projecto Euros.

O valor mínimo de despesas elegíveis por projecto Euros; O valor máximo de despesas elegíveis por projecto Euros. 1. INVESTIMENTOS 1.1 INVESTIMENTOS EM INFRA-ESTRUTURAS Apoio financeiro a iniciativas de investimento em infra-estruturas de natureza colectiva que defendam e preservem actividades culturais e recreativas,

Leia mais

A principal causa da obesidade infantil advêm de uma alimentação pouco saudável e. vida ao ar livre, ou seja com um estilo de vida menos saudável.

A principal causa da obesidade infantil advêm de uma alimentação pouco saudável e. vida ao ar livre, ou seja com um estilo de vida menos saudável. 5 ao Dia 2008 Enquadramento Mudança de hábitos alimentares das crianças A televisão, os jogos de computador e a internet têm mudado os hábitos das crianças e jovens, tornando-as mais inactivas, com menos

Leia mais

CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE TURISMO AMBIENTAL E RURAL

CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE TURISMO AMBIENTAL E RURAL CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE TURISMO AMBIENTAL E RURAL O Técnico de Turismo Ambiental e Rural é o profissional que participa na aplicação de medidas de valorização do turismo em espaço rural, executando

Leia mais

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA CULTURA E TURISMO INSTITUTO NACIONAL DO TURISMO TERMOS DE REFERÊNCIA

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA CULTURA E TURISMO INSTITUTO NACIONAL DO TURISMO TERMOS DE REFERÊNCIA REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA CULTURA E TURISMO INSTITUTO NACIONAL DO TURISMO TERMOS DE REFERÊNCIA Título da Posição: TECNICO DE PROMOÇÃO TURÍSTICA Duração: Local: Instituição: RENOVAÇÃO DEPENDENDO

Leia mais

Ciclo de Seminários Agenda 21

Ciclo de Seminários Agenda 21 Ciclo de Seminários Agenda 21 Estratégia Integrada de Turismo Sustentável no Nordeste Escola Profissional de Ansiães Cursos na Área do Turismo Identidade e Princípios Gerais A está situada num concelho

Leia mais

INSTITUTO DE FORMAÇÃO PARA O COMÉRCIO, TURISMO E SERVIÇOS

INSTITUTO DE FORMAÇÃO PARA O COMÉRCIO, TURISMO E SERVIÇOS INSTITUTO DE FORMAÇÃO PARA O COMÉRCIO, TURISMO E SERVIÇOS ACTO FUNDACIONAL Acordo entre a: Associação Comercial de Braga Comércio, Turismo e Serviços; Casa Santos de Vila Verde; Instituto de Negociação

Leia mais

Eixo II _ Competitividade da Base Económica Regional. II.1. Projectos de Investimento Empresarial Integrados e Inovadores. Tipologia de Investimento

Eixo II _ Competitividade da Base Económica Regional. II.1. Projectos de Investimento Empresarial Integrados e Inovadores. Tipologia de Investimento Eixo II _ Competitividade da Base Económica Regional II.1. Projectos de Investimento Empresarial Integrados e Inovadores Tipologia de Investimento designadamente PME s CONTROLO DO DOCUMENTO Versão Data

Leia mais

O projecto Potencial C inclui ainda um número limitado de actividades a decorrer fora do país. Objectivos:

O projecto Potencial C inclui ainda um número limitado de actividades a decorrer fora do país. Objectivos: O projecto Potencial C é uma iniciativa da Agência INOVA e é constituído por um conjunto integrado e abrangente de actividades que, ao longo de 24 meses, procurará estimular a criação de empresas no âmbito

Leia mais

PLANO DE ACÇÃO, DO ANO DE 2005

PLANO DE ACÇÃO, DO ANO DE 2005 PLANO DE ACÇÃO, DO ANO DE 2005 O ano de 2005 é o último ano de vigência do I Plano Estratégico para o Desenvolvimento da. Assim sendo, este Plano de Acção constitui, de certa forma, o encerrar de um ciclo

Leia mais

O Kit da Produtividade componente de valorização da oferta nacional prevista no projecto promovido pela AEP designado Compro o que é Nosso"

O Kit da Produtividade componente de valorização da oferta nacional prevista no projecto promovido pela AEP designado Compro o que é Nosso A elaboração do Kit da Produtividade é uma iniciativa da AEP, em co-produção com o IAPMEI, visando o desenvolvimento de uma campanha de melhoria da competitividade das empresas portuguesas O Kit da Produtividade

Leia mais

TÓPICOS PARA A APRESENTAÇÃO DA ESCOLA

TÓPICOS PARA A APRESENTAÇÃO DA ESCOLA TÓPICOS PARA A APRESENTAÇÃO DA ESCOLA CAMPOS DE ANÁLISE DE DESEMPENHO Como elemento fundamental de preparação da avaliação, solicita-se a cada escola 1 em processo de avaliação que elabore um texto que:

Leia mais

Valorização da pedra portuguesa Adding Value to portuguese dimension stone. Vitor Vasques, Associação Valor Pedra

Valorização da pedra portuguesa Adding Value to portuguese dimension stone. Vitor Vasques, Associação Valor Pedra INICIATIVA MATÉRIAS PRIMAS: RUMO AO FORNECIMENTO SEGURO E À GESTÃO SUSTENTÁVEL DOS RECURSOS MINERAIS EUROPEUS 23 de Fevereiro de 2010 Raw Materials Initiative: towards to mineral resources secure supply

Leia mais

APPASSI. Associação Portuguesa para o Serviço Social Internacional (Instituição particular de solidariedade social) PLANO DE A C CÃO PARA 2O17

APPASSI. Associação Portuguesa para o Serviço Social Internacional (Instituição particular de solidariedade social) PLANO DE A C CÃO PARA 2O17 Associação Portuguesa para o Serviço Social Internacional (Instituição particular de solidariedade social) PLANO DE A C CÃO PARA 2O17 ÍNDICE Introdução Enquadramento 1 Estrutura e Organização Interna 2

Leia mais

Agenda Factores de Competitividade

Agenda Factores de Competitividade QREN Agenda Factores de Competitividade 12 Novembro 07 1 Objectivos desenvolvimento de uma economia baseada no conhecimento e na inovação; incremento da produção transaccionável e de uma maior orientação

Leia mais

CRIATIVIDADE E ECONOMIA INOVAÇÂO E INTERNACIONALIZAÇÃO

CRIATIVIDADE E ECONOMIA INOVAÇÂO E INTERNACIONALIZAÇÃO CRIATIVIDADE E ECONOMIA INOVAÇÂO E INTERNACIONALIZAÇÃO Criatividade e Economia Identificamos 4 pilares complementares que deveriam ter um papel dinamizador para a promoção do empreendedorismo e a articulação

Leia mais

REFERENCIAL DE ANÁLISE DE MÉRITO DO PROJETO AVISO N.º CENTRO

REFERENCIAL DE ANÁLISE DE MÉRITO DO PROJETO AVISO N.º CENTRO REFERENCIAL DE ANÁLISE DE MÉRITO DO PROJETO AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS POR CONVITE PI 6.3 PROMOÇÃO DO PATRIMÓNIO CULTURAL UNESCO AVISO N.º CENTRO-14-2016-14 O Mérito do Projeto (MP) é determinado

Leia mais

CARTA DE RECOMENDAÇÕES Elaborada pelos participantes do 2º Encontro da Rede Participação Juvenil de Sintra

CARTA DE RECOMENDAÇÕES Elaborada pelos participantes do 2º Encontro da Rede Participação Juvenil de Sintra CARTA DE RECOMENDAÇÕES Elaborada pelos participantes do 2º Encontro da Rede Participação Juvenil de Sintra 03.03.2012 PARTICIPAÇÃO EM ACTIVIDADES JUVENIS 1. Realizar inquéritos, a nível local, para averiguar

Leia mais

ODEMIRA EMPREENDE

ODEMIRA EMPREENDE ODEMIRA EMPREENDE www.cm-odemira.pt PROGRAMA MUNICIPAL DE EMPREENDEDORISMO E EMPREGO Visão O Município de Odemira, com a implementação do Odemira Empreende pretende ter uma postura pró-ativa de estímulo

Leia mais

REGULAMENTO DO OBSERVATÓRIO DE EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL

REGULAMENTO DO OBSERVATÓRIO DE EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL REGULAMENTO DO OBSERVATÓRIO DE EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL De acordo com o Plano Estratégico apresentado ao Conselho Geral da Universidade da Madeira (UMa) ficou estabelecida a constituição de um Observatório

Leia mais

CAPITULO I DISPOSIÇÕES GERAIS DO CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL (CLAS)

CAPITULO I DISPOSIÇÕES GERAIS DO CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL (CLAS) Preâmbulo A Resolução do Conselho de Ministros nº197/97 de 18 de Novembro, visa a criação e implementação do Programa. Esta é uma mediada da política social activa, que tem como objectivo desenvolver parcerias

Leia mais

Gabinete de Empreendedorismo do Município de Albufeira

Gabinete de Empreendedorismo do Município de Albufeira Gabinete de Empreendedorismo do Município de Albufeira O Apoio às Empresas: Criação do CAE Centro de Acolhimento Empresarial Paulo Dias AGE Município de Albufeira AGE Gabinete de Empreendedorismo Nasceu

Leia mais

UNIVERSIDADE DOS AÇORES DEPARTAMENTO DE ECONOMIA E GESTÃO EMPREENDEDORISMO

UNIVERSIDADE DOS AÇORES DEPARTAMENTO DE ECONOMIA E GESTÃO EMPREENDEDORISMO DOCENTES: Prof. Doutor Gualter Couto Mestre Carlos Faias PROGRAMA - 2007/2008 OBJECTIVOS: Esta cadeira introduz os alunos aos princípios básicos do empreendedorismo e da criação e desenvolvimento de um

Leia mais

Objectivos Específicos Acções Principais Resultados a Atingir

Objectivos Específicos Acções Principais Resultados a Atingir Núcleo Executivo / Secretariado Técnico Rede Social Loures Aprovado na reunião de CLAS de 19.Fevereiro.2009 Objectivo Superior Objectivos Específicos Acções Principais Resultados a Atingir Monitorização

Leia mais

INTRODUÇÃO. Escola. Comunidade/ Território Local

INTRODUÇÃO. Escola. Comunidade/ Território Local INTRODUÇÃO Este documento foi concetualizado como uma ferramenta para a construção de um território Educador, em que a educação e a formação podem acontecer dentro e fora da escola, através da promoção

Leia mais

Comissão Nacional. de Protecção das Crianças. e Jovens em Risco (CNPCJR) Que actividade em dois anos. de existência? Junho de 2000

Comissão Nacional. de Protecção das Crianças. e Jovens em Risco (CNPCJR) Que actividade em dois anos. de existência? Junho de 2000 Comissão Nacional de Protecção das Crianças e Jovens em Risco (CNPCJR) Que actividade em dois anos de existência? Junho de 2000 Decorridos dois anos na existência da Comissão Nacional de Protecção das

Leia mais

Sessão de Divulgação TAGUS2020 Ribatejo Interior. Diversificação de Atividades na Exploração Agrícola e Bolsa Nacional de Terras

Sessão de Divulgação TAGUS2020 Ribatejo Interior. Diversificação de Atividades na Exploração Agrícola e Bolsa Nacional de Terras Sessão de Divulgação TAGUS2020 Ribatejo Interior Diversificação de Atividades na Exploração Agrícola e Bolsa Nacional de Terras A nossa Visão Potenciar o máximo aproveitamento e utilização do território

Leia mais

Plano Estratégico de Promoção de Investimento Privado em Moçambique (PEPIP )

Plano Estratégico de Promoção de Investimento Privado em Moçambique (PEPIP ) REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA ECONOMIA E FINANÇAS CENTRO DE PROMOÇÃO DE INVESTIMENTOS CONFERENCIA DE INVESTIDORES DO CORREDOR DE NACALA Plano Estratégico de Promoção de Investimento Privado em

Leia mais

ESTRATÉGIAS de DINAMIZAÇÃO NATUREZA. Palmela Setembro de 2011

ESTRATÉGIAS de DINAMIZAÇÃO NATUREZA. Palmela Setembro de 2011 ESTRATÉGIAS de DINAMIZAÇÃO do PRODUTO TURISMO DE NATUREZA Palmela Setembro de 2011 1. PENT - estratégia para o desenvolvimento do Turismo em Portugal RCM 53/2007, de 04 de Abril 2. O desenvolvimento da

Leia mais

Comunidade Intermunicipal do Oeste OesteCIM

Comunidade Intermunicipal do Oeste OesteCIM Comunidade Intermunicipal do Oeste OesteCIM É uma pessoa coletiva de direito público de natureza associativa e âmbito territorial e visa a realização de interesses comuns aos Municípios que a integram,

Leia mais

ACELERA + PROGRAMA DE ACELERAÇÃO DE NOVOS PROJETOS EMPRESARIAIS. Workshops de Trabalho e Capacitação Start-ups e Empreendedores

ACELERA + PROGRAMA DE ACELERAÇÃO DE NOVOS PROJETOS EMPRESARIAIS. Workshops de Trabalho e Capacitação Start-ups e Empreendedores ACELERA + PROGRAMA DE ACELERAÇÃO DE NOVOS PROJETOS EMPRESARIAIS Workshops de Trabalho e Capacitação Start-ups e Empreendedores Objetivos Dotar os jovens empreendedores de conhecimentos e competências-base

Leia mais

PROJETO DE APOIO AO INVES INVE T S IMENT

PROJETO DE APOIO AO INVES INVE T S IMENT PROJETO DE APOIO AO INVESTIMENTO 18 de fevereiro 2016 O que é o PROJETO DE APOIO AO INVESTIMENTO? Promover Incentivar Acompanhar Modernizar Inovar Captar Apoiar Potenciar investimento com interesse estratégico

Leia mais

ANEXO IV MAPA DE INICIATIVAS / ACÇÕES

ANEXO IV MAPA DE INICIATIVAS / ACÇÕES MAPA DE S / 01. Dotar os responsáveis pela gestão escolar de formação técnica em Balanced Scorecard; 01.1. Dotar os Orgãos de Gestão de formação em BSC. Acção 1. Sensibilizar os órgãos de gestão para a

Leia mais

introdução ao marketing - gestão do design

introdução ao marketing - gestão do design introdução ao marketing - gestão do design Universidade Presbiteriana Mackenzie curso desenho industrial 3 pp e pv profa. dra. teresa riccetti Fevereiro 2009 A gestão de design, o management design, é

Leia mais

Capítulo I Disposições Gerais

Capítulo I Disposições Gerais Regulamento Municipal do Banco Local de Voluntariado de Marco de Canaveses Preâmbulo A Lei n.º 71/98, de 3 de Novembro, estabelece as bases do enquadramento jurídico do voluntariado, visando promover e

Leia mais

GRUPO 4 MOBILIDADE E TRANSPORTES

GRUPO 4 MOBILIDADE E TRANSPORTES GRUPO 4 MOBILIDADE E TRANSPORTES Medidas Propostas Impacto no Município Plano de mobilidade sustentável para os funcionários da autarquia Formação em eco-condução para os gestores de frotas, motoristas

Leia mais

Mapa de Pessoal do Turismo de Portugal, I.P. - Serviços Centrais

Mapa de Pessoal do Turismo de Portugal, I.P. - Serviços Centrais Mapa de Pessoal do Turismo de Portugal, I.P. - Serviços Centrais Cargo/Carreira/categoria Atribuições / Competências/Actividades Nº de postos Planeados Nº de postos de trabalho providos Observações (Universo

Leia mais

Faculdade de Economia FEUC Universidade de Coimbra. Workshop Empreendedorismo social: teorias e práticas 30 de Junho 2011 Universidade de Aveiro

Faculdade de Economia FEUC Universidade de Coimbra. Workshop Empreendedorismo social: teorias e práticas 30 de Junho 2011 Universidade de Aveiro Faculdade de Economia FEUC Universidade de Coimbra Workshop Empreendedorismo social: teorias e práticas 30 de Junho Universidade de Aveiro Introdução sobre incubadoras sociais 1. Apresentação: Do ponto

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ELIAS GARCIA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ELIAS GARCIA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ELIAS GARCIA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR 2016/2017 A AVALIAÇÃO EM EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR 1 INTRODUÇÃO Enquadramento Normativo Avaliar o processo e os efeitos, implica

Leia mais

Anexo A. Protocolo do Estudo de Caso

Anexo A. Protocolo do Estudo de Caso Anexo A Protocolo do Estudo de Caso 140 Protocolo do Estudo de Caso - Especificação do Processo de Recolha de Informação O processo de recolha de informação no decorrer do estudo de caso respeita a três

Leia mais

Plano de Desenvolvimento Social do Concelho de Soure

Plano de Desenvolvimento Social do Concelho de Soure / Ano 1 ÍNDICE 1 - Introdução 3 Pág. 2- Plano de Acção dos Projectos Estruturantes Transversais do Concelho de 4 2.1. Projecto Estruturante Apoio na Dependência 5 2.2. Projecto Estruturante Criar para

Leia mais

Uma iniciativa da câmara municipal do porto e da fundação da juventude.

Uma iniciativa da câmara municipal do porto e da fundação da juventude. Uma iniciativa da câmara municipal do porto e da fundação da juventude. ÍNDICE NOTA INTRODUTÓRIA PROGRAMA EMPREENDE JOVEM Objetivos Para quem Iniciativas PLATAFORMA EMPREENDEJOVEM MOVE YOUR WAY @ PORTO

Leia mais

Projecto Inovação. Venture Lounge

Projecto Inovação. Venture Lounge Projecto Inovação Venture Lounge Frequentemente, as pequenas estruturas com conhecimento científico e/ou inovador e com ofertas diferenciadoras têm dificuldade em escalar a sua actividade, em consequência

Leia mais

PROGRAMA OPERACIONAL TEMÁTICO POTENCIAL HUMANO

PROGRAMA OPERACIONAL TEMÁTICO POTENCIAL HUMANO PROGRAMA OPERACIONAL TEMÁTICO POTENCIAL HUMANO 2007-201 Apresentação da Proposta ÍNDICE 1 O PROBLEMA 2 A ESTRATÉGIA 4 PLANO DE FINANCIAMENTO 1 1 O PROBLEMA Taxa de emprego Emprego em média e alta tecnologia

Leia mais

EDUCAÇÃO ESPECIAL RESPOSTAS EDUCATIVAS

EDUCAÇÃO ESPECIAL RESPOSTAS EDUCATIVAS INSPEÇÃO-GERAL DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA PROGRAMA ACOMPANHAMENTO EDUCAÇÃO ESPECIAL RESPOSTAS EDUCATIVAS RELATÓRIO Agrupamento de Escolas de Fajões 2014-2015 RELATÓRIO DE ESCOLA Agrupamento de Escolas de Fajões

Leia mais

Actividades de dinamização social e melhoria da qualidade de vida

Actividades de dinamização social e melhoria da qualidade de vida Actividades de dinamização social e melhoria da qualidade de vida O EXEMPLO DA CÂMARA MUNICIPAL DE VALONGO EUNICE NEVES OBJECTIVOS Igualdade Direitos Humanos Cidadania Activa e Inclusiva Conciliação Novas

Leia mais

Internacionalização das PME Qualificação das PME

Internacionalização das PME Qualificação das PME Sistema de Incentivos Qualificação e Internacionalização PME Qualificação das PME Investigação e Desenvolvimento Tecnológico (I&DT) Inovação Empresarial e Empreendedorismo Qualificação e Internacionalização

Leia mais

REGULAMENTO DO CONCURSO ESCOLAR A MINHA ESCOLA ADOTA: UM MUSEU, UM PALÁCIO, UM MONUMENTO

REGULAMENTO DO CONCURSO ESCOLAR A MINHA ESCOLA ADOTA: UM MUSEU, UM PALÁCIO, UM MONUMENTO REGULAMENTO DO CONCURSO ESCOLAR A MINHA ESCOLA ADOTA: UM MUSEU, UM PALÁCIO, UM MONUMENTO O concurso escolar A minha escola adota um museu, um palácio, um monumento... é uma iniciativa promovida conjuntamente

Leia mais

REGULAMENTO DO 1º CONCURSO DE IDEIAS DE NEGÓCIO NO ÂMBITO DO PROJETO INCUBAR+LEZIRIA

REGULAMENTO DO 1º CONCURSO DE IDEIAS DE NEGÓCIO NO ÂMBITO DO PROJETO INCUBAR+LEZIRIA REGULAMENTO DO 1º CONCURSO DE IDEIAS DE NEGÓCIO NO ÂMBITO DO PROJETO INCUBAR+LEZIRIA 1. ENQUADRAMENTO 1 a. O projecto INCUBAR+LEZIRIA é uma Ação Coletiva, dinamizada pela NERSANT, INSTITUTO POLITÉCNICO

Leia mais

CARTA DE QUALIDADE DA REDE DE CENTROS DE RECURSOS EM CONHECIMENTO (RCRC)

CARTA DE QUALIDADE DA REDE DE CENTROS DE RECURSOS EM CONHECIMENTO (RCRC) CARTA DE QUALIDADE DA REDE DE CENTROS DE RECURSOS EM CONHECIMENTO (RCRC) 1. Missão A RCRC tem por missão facilitar o acesso a informação estratégica, em vários suportes, aproximar e criar interfaces entre

Leia mais

Estratégias para as Compras Públicas Sustentáveis. Paula Trindade LNEG

Estratégias para as Compras Públicas Sustentáveis. Paula Trindade LNEG Estratégias para as Compras Públicas Sustentáveis Paula Trindade LNEG Conferência Compras Públicas Sustentáveis LNEG, 25 Março 2010 Muitas organizações têm experiências em compras sustentáveis! Mas sem

Leia mais

Estratégias para a Saúde

Estratégias para a Saúde Estratégias para a Saúde V.1) Cadernos do PNS Acções e Recomendações Promoção da Cidadania em Saúde (Versão Discussão) ESTRATÉGIAS PARA A SAÚDE V.1) CADERNOS DO PNS - ACÇÕES E RECOMENDAÇÕES PROMOÇÃO DA

Leia mais

CEVALOR. AEP Seminário. 02 de Abril de 2008 CEVALOR. Breves reflexões sobre a GRH

CEVALOR. AEP Seminário. 02 de Abril de 2008 CEVALOR. Breves reflexões sobre a GRH AEP Seminário 02 de Abril de 2008 Breves reflexões sobre a GRH - Programas de desenvolvimento dos recursos humanos não estão interligados com a estratégia - Recursos Humanos geridos como centros de custo

Leia mais

OBJECTIVOS: Prevenção Participação Associativismo Reflexão LINHAS DE ACTUAÇÃO:

OBJECTIVOS: Prevenção Participação Associativismo Reflexão LINHAS DE ACTUAÇÃO: LINHAS DE ACTUAÇÃO: OBJECTIVOS: Incentivar a criação das associações de pais e EE, do ensino não superior; Intervir e defender os interesses dos educandos, fomentando a colaboração entre pais, alunos e

Leia mais

Mestrado Segurança e Higiene no Trabalho Edição 2007/2008

Mestrado Segurança e Higiene no Trabalho Edição 2007/2008 Mestrado Segurança e Higiene no Trabalho Edição 2007/2008 Enquadramento e Objectivos O Mestrado em Segurança e Higiene no Trabalho é uma realização conjunta da Escola Superior de Tecnologia de Setúbal

Leia mais

2011. Ano Europeu do Voluntariado

2011. Ano Europeu do Voluntariado 2011. Ano Europeu do Voluntariado Projecto de Celebração Enquadramento A Comissão Europeia proclamou o ano de 2011 como Ano Europeu para o Voluntariado. No ano escutista de 2010/2011, o Corpo Nacional

Leia mais

Plano Anual de Atividades

Plano Anual de Atividades Plano Anual de Atividades ANO LECTIVO 2011 / 2012 Índice Introdução -------------------------------------------------------------------------------------------- 2 Procedimentos adoptados -----------------------------------------------------------------------

Leia mais

INSTITUTO DE ESTUDOS MEDIEVAIS INDICADORES DE PRODUTIVIDADE

INSTITUTO DE ESTUDOS MEDIEVAIS INDICADORES DE PRODUTIVIDADE INSTITUTO DE ESTUDOS MEDIEVAIS INDICADORES DE PRODUTIVIDADE INVESTIGADORES INTEGRADOS DOUTORADOS (IID) 1. PRODUÇÃO CIENTÍFICA Critérios mínimos Cada investigador integrado deve cumprir, por triénio, três

Leia mais

associação de pais / encarregados de educação do agrupamento de escolas do concelho de Valença do Minho Relatório de Atividades e Contas 2014/2015

associação de pais / encarregados de educação do agrupamento de escolas do concelho de Valença do Minho Relatório de Atividades e Contas 2014/2015 Relatório de Atividades e Contas 2014/2015 Com o presente relatório a Associação de Pais e Encarregados de Educação do Concelho de Valença vem informar os seus associados sobre as atividades desenvolvidas

Leia mais

Sessão de Divulgação PDR DLBC Terras de Basto

Sessão de Divulgação PDR DLBC Terras de Basto Sessão de Divulgação PDR 2020 - DLBC Terras de Basto Operação 10.2.1.1 - Pequenos investimentos nas explorações agrícolas Promover a melhoria das condições de vida, de trabalho e de produção dos agricultores;

Leia mais

Instituto Politécnico de Setúbal. O Conhecimento como Paixão. A Engenharia como Profissão!

Instituto Politécnico de Setúbal. O Conhecimento como Paixão. A Engenharia como Profissão! O Conhecimento como Paixão A Engenharia como Profissão! Cursos de Engenharia Cursos de Tecnologia Engenharia do Ambiente Engenharia de Automação, Controlo e Instrumentação Engenharia Electrotécnica e de

Leia mais

SESSÃO DE APRESENTAÇÃO Cursos Técnicos Superiores Profissionais TeSP

SESSÃO DE APRESENTAÇÃO Cursos Técnicos Superiores Profissionais TeSP Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020 SESSÃO DE APRESENTAÇÃO Cursos Técnicos Superiores Profissionais TeSP Identidade, Competitividade, Responsabilidade Lezíria do Tejo Alto Alentejo Alentejo

Leia mais

12. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA DEFESA DA FLORESTA CONTRA INCENDIOS

12. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA DEFESA DA FLORESTA CONTRA INCENDIOS CADERNO FICHA 12. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA DEFESA DA FLORESTA CONTRA INCENDIOS 12.4 OBJECTIVOS ESTRATÉGICOS O presente documento constitui uma Ficha que é parte integrante de um Caderno temático, de âmbito

Leia mais

Núcleo Empresarial de Almada Velha 26.06.08

Núcleo Empresarial de Almada Velha 26.06.08 Núcleo Empresarial de Almada Velha 26.06.08 Antecedentes Operação de Reabilitação do Núcleo Histórico da Cidade de Almada (Programa de Reabilitação Urbana) desenvolvida pela Autarquia entre 1997-2001,

Leia mais

PROGRAMA DE UNIDADE CURRICULAR

PROGRAMA DE UNIDADE CURRICULAR PROGRAMA DE UNIDADE CURRICULAR Curso: Desporto Ciclo: 1º Ramo: Licenciatura em Desporto Ano: 3º Designação: ECONOMIA E MARKETING DO DESPORTO Créditos: 6 Departamento: Ciências e Tecnologias Tipo: Área

Leia mais

CASE - MARKETING DE DESTINO PARA EVENTOS

CASE - MARKETING DE DESTINO PARA EVENTOS CASE - MARKETING DE DESTINO PARA EVENTOS Premissas Importantes Os eventos têm importância significativa na área do turismo, além de ser a atividade que mais crescem nesse segmento. Segundo Zanella (2003),

Leia mais

Inovação Produtiva PME Qualificação das PME

Inovação Produtiva PME Qualificação das PME Sistema de Incentivos Inovação Empresarial e Empreendedorismo Qualificação das PME Investigação e Desenvolvimento Tecnológico (I&DT) Inovação Empresarial e Empreendedorismo Qualificação e Internacionalização

Leia mais

CONTABILIDADE CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO TECNOLÓGICA. ÁREA DE FORMAÇÃO Contabilidade e Fiscalidade PERFIL PROFISSIONAL

CONTABILIDADE CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO TECNOLÓGICA. ÁREA DE FORMAÇÃO Contabilidade e Fiscalidade PERFIL PROFISSIONAL CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO TECNOLÓGICA CONTABILIDADE ÁREA DE FORMAÇÃO Contabilidade e Fiscalidade PERFIL PROFISSIONAL Técnico Especialista em Contabilidade LEGISLAÇÃO APLICÁVELL Decreto-lei nº 88/2006, de

Leia mais

9.º CONGRESSO NACIONAL DE BIBLIOTECÁRIOS, ARQUIVISTAS E DOCUMENTALISTAS CONCLUSÕES

9.º CONGRESSO NACIONAL DE BIBLIOTECÁRIOS, ARQUIVISTAS E DOCUMENTALISTAS CONCLUSÕES 9.º CONGRESSO NACIONAL DE BIBLIOTECÁRIOS, ARQUIVISTAS E DOCUMENTALISTAS CONCLUSÕES 9º CONGRESSO NACIONAL DE BIBLIOTECÁRIOS, ARQUIVISTAS E DOCUMENTALISTAS CONCLUSÕES O 9º Congresso Nacional de Bibliotecários,

Leia mais

Regionalização e Segmentação do Turismo. Natal, 23 de março de 2010

Regionalização e Segmentação do Turismo. Natal, 23 de março de 2010 Regionalização e Segmentação do Turismo Natal, 23 de março de 2010 Núcleo Estratégico do Turismo Nacional Fórum Nacional dos Secretários e Dirigentes Estaduais de Turismo Ministério do Turismo MTur Conselho

Leia mais

PROPOSTA DE MEMORANDO DE ENTENDIMENTO ENTRE A UNYLEYA - EDUCAÇÃO EFORMAÇÃO A DISTÂNCIA, SA E O INSTITUTO NACIONAL DE ADMINISTRAÇÃO, I.P.

PROPOSTA DE MEMORANDO DE ENTENDIMENTO ENTRE A UNYLEYA - EDUCAÇÃO EFORMAÇÃO A DISTÂNCIA, SA E O INSTITUTO NACIONAL DE ADMINISTRAÇÃO, I.P. , ~.> ~.) I INSTITUTO NACIONAL -l.l.í!sj DE ADMINISTRAÇÃO. I-p. PROPOSTA DE MEMORANDO DE ENTENDIMENTO ENTRE A UNYLEYA - EDUCAÇÃO EFORMAÇÃO A DISTÂNCIA, SA E O INSTITUTO NACIONAL DE ADMINISTRAÇÃO, I.P.

Leia mais

REGULAMENTO DE LABORATÓRIOS DO ISPAJ

REGULAMENTO DE LABORATÓRIOS DO ISPAJ REGULAMENTO DE LABORATÓRIOS DO ISPAJ Versão aprovada em CD de 08 de Junho de 2015 Documento Regulamento de Laboratórios do ISPAJ Data 08/06/2015 Conselho de Direcção 08/06/2015 Data entrega Assembleia

Leia mais

Financiamento e Empreendedorismo Cultural

Financiamento e Empreendedorismo Cultural Financiamento e Empreendedorismo Cultural Carlos Duarte Vogal da Comissão Directiva do ON.2 1. Sistema de Apoio ao Cluster de Indústrias Criativas ENQUADRAMENTO GERAL OBJECTIVOS GERAIS Contribuir para

Leia mais

Matriz Portugal 2020 Candidaturas diretas a efetuar pelas IPSS

Matriz Portugal 2020 Candidaturas diretas a efetuar pelas IPSS Revisão 1 : 31/08/2016 PO PO Concurso para apresentação de candidaturas - Melhorar o acesso aos serviços sociais (Açores) Melhorar o acesso aos serviços sociais Melhoria das infraestruturas de saúde Adaptação

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE ATRAÇÃO DE INVESTIMENTO

PLANO MUNICIPAL DE ATRAÇÃO DE INVESTIMENTO PLANO MUNICIPAL DE 1. CONSELHO ESTRATÉGICO ECONÓMICO DE PENAFIEL Criação de um conselho consultivo capaz de agregar agentes económicos do concelho, parceiros estratégicos e personalidades de reconhecido

Leia mais

MUNICIPIO DE VIMIOSO CÂMARA MUNICIPAL CONCURSO PÚBLICO

MUNICIPIO DE VIMIOSO CÂMARA MUNICIPAL CONCURSO PÚBLICO CONCURSO PÚBLICO Fornecimento de Serviços e Materiais para a Gestão Activa de Espaços Naturais no Parque Ibérico de Natureza e Aventura de Vimioso - Concepção de Projectos de Arquitectura e Especialidades,

Leia mais

Serra do Saber. Formação Pedagógica Inicial de Formadores

Serra do Saber. Formação Pedagógica Inicial de Formadores Formação Pedagógica Inicial de Formadores Fundamentação Este curso apresenta de uma forma clara e recorrendo a uma metodologia teórico-prática, os conhecimentos necessários para a formação de formadores

Leia mais

Plano de Actividades e Orçamento 2010

Plano de Actividades e Orçamento 2010 Plano de Actividades e Orçamento 2010 1 2 1. Missão A CooLabora é uma cooperativa de consultoria e intervenção social criada em 2008. Tem por missão contribuir para a inovação social no desenvolvimento

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARA INSTITUTO DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO GRUPO DE ESTUDOS EM EDUCAÇÃO, CULTURA E MEIO AMBIENTE GEAM

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARA INSTITUTO DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO GRUPO DE ESTUDOS EM EDUCAÇÃO, CULTURA E MEIO AMBIENTE GEAM UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARA INSTITUTO DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO GRUPO DE ESTUDOS EM EDUCAÇÃO, CULTURA E MEIO AMBIENTE- GEAM PROJETO I ENCONTRO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA UFPA: OS DEZ ANOS DO GRUPO DE ESTUDOS

Leia mais

BIBLIOTECAS ESCOLARES

BIBLIOTECAS ESCOLARES PLANO DE AÇÃO BIBLIOTECAS ESCOLARES Agrupamento de Escolas da Moita 1 As Bibliotecas Escolares assumem, para além das funções informativa, educativa, cultural e recreativa, o papel de adjuvante do aluno,

Leia mais

PROGRAMA BIP/ZIP LISBOA 2016 PARCERIAS LOCAIS

PROGRAMA BIP/ZIP LISBOA 2016 PARCERIAS LOCAIS PERGUNTAS FREQUENTES Versão 28/06/2016 Com este Documento pretende-se divulgar as respostas às perguntas mais frequentes sobre o Programa BIP/ZIP Lisboa 2016 Parcerias Locais. Trata-se de um documento

Leia mais

Fórum Concelhio Para a Promoção da Saúde

Fórum Concelhio Para a Promoção da Saúde Fórum Concelhio Para a Promoção da Saúde CASCAIS SAUDÁVEL 1. Contexto SÓCIO-POLÍTICO: Saúde na ordem do dia Envelhecimento da população Sustentabilidade do SNS Transferência de competências para as Autarquias

Leia mais

Ministério da Solidariedade, Emprego e Segurança Social. Programa EaSI. Antonieta Ministro

Ministério da Solidariedade, Emprego e Segurança Social. Programa EaSI. Antonieta Ministro Programa EaSI É um instrumento de financiamento, a nível europeu, gerido diretamente pela Comissão Europeia, para apoiar o emprego, a política social e a mobilidade profissional em toda a UE Visa contribuir

Leia mais

Plano de Atividades de 2015 do Centro de Relações Laborais

Plano de Atividades de 2015 do Centro de Relações Laborais Plano de Atividades de 2015 do Centro de Relações Laborais A. ENQUADRAMENTO GERAL 1. O CRL foi criado, no seguimento de acordos de concertação social, para apoio técnico à negociação coletiva. É um organismo

Leia mais

Programa da Qualidade Política Geral

Programa da Qualidade Política Geral O Hospital Pulido Valente definiu como MISSÂO: Programa da Qualidade Política Geral 1. O Hospital é o estabelecimento de referência para a população envolvente, para as especialidades de que dispõe, desenvolvendo

Leia mais

Desenvolvimento Industrial em. Moçambique. African Iron&Steel Conference, de 23 de Juhno de 2015, Hotel Avenida, Maputo, Moçambique

Desenvolvimento Industrial em. Moçambique. African Iron&Steel Conference, de 23 de Juhno de 2015, Hotel Avenida, Maputo, Moçambique República de Moçambique African Iron&Steel Conference, de 23 de Juhno de 2015, Hotel Avenida, Maputo, Moçambique Direcção Nacional da Industria Desenvolvimento Industrial em Moçambique Eng. Mateus Matusse

Leia mais

CONFERÊNCIA NACIONAL DA EDUCAÇÃO BÁSICA INTRODUÇÃO

CONFERÊNCIA NACIONAL DA EDUCAÇÃO BÁSICA INTRODUÇÃO CONFERÊNCIA NACIONAL DA EDUCAÇÃO BÁSICA INTRODUÇÃO O Ministério de Educação, nos últimos três anos, vem construindo uma concepção educacional tendo em vista a articulação dos níveis e modalidades de ensino,

Leia mais

Dec. nº 4.339, de 22/08/2002

Dec. nº 4.339, de 22/08/2002 POLÍTICA NACIONAL DA BIODIVERSIDADE Dec. nº 4.339, de 22/08/2002 Os princípios estabelecidos na PNBio (20 ao todo) derivam, basicamente, daqueles estabelecidos na Convenção sobre Diversidade Biológica

Leia mais

2º Semestre. 1º Semestre

2º Semestre. 1º Semestre MECANISMO DE FINANCIAMENTO Programa Operacional Regional do Norte ON.2, DESIGNAÇÃO DA OPERAÇÃO Complexo Desportivo de Cerva Infraestruturas de Apoio e Arrelvamento EIO DE INTERVENÇÃO Eixo IV Coesão Local

Leia mais

Rede de Parcerias Nacionais PMC

Rede de Parcerias Nacionais PMC Rede de Parcerias Nacionais PMC Rede de Parcerias Nacionais PMC A PMConsultores, desde 2009 que se especializou no serviço de assessoria à gestão, com especial foco nas áreas de recuperação, reestruturação

Leia mais

ESTADO DO ESPIRITO SANTO PREFEITURA MUNICIPAL DE ARACRUZ PROJETO DE LEI Nº. XXXX

ESTADO DO ESPIRITO SANTO PREFEITURA MUNICIPAL DE ARACRUZ PROJETO DE LEI Nº. XXXX ESTADO DO ESPIRITO SANTO PREFEITURA MUNICIPAL DE ARACRUZ PROJETO DE LEI Nº. XXXX DISPÕE SOBRE O PLANO MUNICIPAL DE APOIO E INCENTIVO À CIÊNCIA E TECNOLOGIA NO MUNICÍPIO DE ARACRUZ E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

Leia mais

o presente diploma tem por objecto regulamentar a gestão dos recursos pesqueiros existentes nas águas juridicionais de Angola.

o presente diploma tem por objecto regulamentar a gestão dos recursos pesqueiros existentes nas águas juridicionais de Angola. MINISTÉRIO DAS PESCAS E AMBIENTE Decreto Executivo n." 48/98 de 28 de Agosto Havendo necessidade de estabelecer o ordenamento dos recursos pesqueiros nacionais; No uso da faculdade que me é conferida pela

Leia mais

CONSERVATÓRIO DE MÚSICA CALOUSTE GULBENKIAN DE BRAGA

CONSERVATÓRIO DE MÚSICA CALOUSTE GULBENKIAN DE BRAGA CONSERVATÓRIO DE MÚSICA CALOUSTE GULBENKIAN DE BRAGA PLANO DE MELHORIA 2014 / 2016 ÍNDICE Introdução 3 Resultados da Avaliação Externa 4 Ações a contemplar no Plano de Melhoria 5 Conclusão 7 2 Introdução

Leia mais

PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO INSTITUCIONAL ENTRE PRIMEIRO:

PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO INSTITUCIONAL ENTRE PRIMEIRO: 1 PROTOCOLO DE ENTRE PRIMEIRO: O Ministro Adjunto e dos Assuntos Parlamentares, neste ato representado pela Secretária de Estado da Administração Local e Reforma Administrativa, Dr.ª Ana Rita Barosa O

Leia mais

Programa BIP/ZIP de Lisboa

Programa BIP/ZIP de Lisboa Programa BIP/ZIP de Lisboa Objectivos e âmbito O Programa BIP-ZIP Bairros e Zonas de Intervenção prioritária de Lisboa é criado pela Câmara Municipal de Lisboa, no quadro do Programa Local de Habitação

Leia mais